ENVC - Estaleiros Navais de Viana do Castelo, S.A.

  • 1230 Respostas
  • 181311 Visualizações
*

Feinwerkbau

  • Membro
  • *
  • 283
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
ENVC - Estaleiros Navais de Viana do Castelo, S.A.
« em: Março 18, 2009, 03:44:57 pm »
http://www.envc.pt

Os ENVC são uma empresa de construção e reparação naval de tamanho médio em actividade desde 1944, localizada na cidade de Viana do Castelo, na costa Atlântica no norte de Portugal. Ocupam uma área de 400.000 m2 e empregam aproximadamente 900 trabalhadores, sendo o maior Estaleiro de construção naval de Portugal.

Desde a sua fundação que desenvolve os seus próprios projectos, o que lhe confere actualmente uma grande capacidade para projectar, construir, converter e reparar navios sofisticados e de diferentes tipos.

Desde que iniciou a sua  actividade   já construiu mais de 200 navios de vários tipos : batelões, rebocadores, ferry-boats, navios de pesca, carga a granel, porta-contentores, transportadores de cimento, navios tanques, LPG, transportadores de produtos químicos e vasos de guerra.






A força de trabalho dos ENVC é composta por técnicos de nível médio e superior com larga experiência na construção, conversão e reparação naval, reflectindo os mais de 60 anos de História  deste Estaleiro.

Os ENVC cobrem uma área total de 294.000 m2, sendo 43.000 m2 ocupados por oficinas e armazéns.

São nove os Serviços que compreendem a força produtiva dos ENVC:

Serviço de Processamento de Aço
Serviço de Pré-Fabricação
Serviço de Montagem e Instalação
Serviço de Soldadura
Serviço de Encanamentos
Serviço de Mecânica
Serviço de Electricidade
Serviço de Apoio Fabril
Serviço de Ensaios e Provas

Serviço de Processamento de Aço


É responsável por:

Articular com o responsável do parque de materiais, o planeamento e ordem de carregamento de chapas e perfis atempadamente;
Executar:
         o corte de chapas e perfis;
         o fabrico de pequenos conjuntos;
         a enformação de perfis;
         o fabrico de painéis direitos;
         a enformação e quinagem de chapas;
         o fabrico de subconjuntos.
   
Corte de chapas (Plasma)    Processamento de perfis    Processamento de perfis    








Serviço de Pré-Fabricação

É responsável por:

Executar:
        o fabrico de aprestamento do casco, sistemas e equipamentos;
         o fabrico de blocos e anéis;
         a montagem do pré-aprestamento do casco.



Serviço de Montagem e Instalação


É responsável por:

Instalação de blocos e anéis em doca;
Montagem de aprestamento do casco.
 



Serviço de Soldadura
É responsável por:

Assumir a coordenação da soldadura, de acordo com os requisitos da qualidade;
Elaborar o estudo prévio dos desenhos em colaboração com a Direcção Técnica definindo à partida, as juntas, os processos, as sequências de soldadura, de modo a elaborar, fazer aprovar, distribuir e controlar a execução de tabelas, cadernos e instruções de soldadura;
Efectuar ou submeter às Sociedades  Classificadoras as qualificações de   processos de soldadores.
Controlar e enquadrar os soldadores das empresas subempreiteiras que laboram dentro ou fora da Empresa.
     

Serviço de Encanamentos

É responsável por:
Assumir a coordenação da execução e montagem dos encanamentos para os sistemas de fluídos dos navios;
Executar as quarteladas destinadas aos encanamentos a integrar no navio;
Interligar com encanamentos os equipamentos e unidades dos sistemas dos navios;
Efectuar testes de funcionamento aos sistemas de encanamentos instalados.  
      


Serviço de Mecânica

É responsável por:

Assumir a coordenação da execução dos componentes e artefactos mecânicos do navio, e respectiva montagem dos equipamentos de aprestamento
Elaborar, a partir de informação técnica fornecida pelos fabricantes ou Armadores, a preparação de trabalho necessária para a correcta montagem dos principais equipamentos do navio;
Efectuar testes de funcionamento aos artefactos mecânicos instalados;
Montar e alinhar máquinas e outros meios e equipamentos mecânicos do navio.



Serviço de Electricidade
É responsável por:

Assegurar a coordenação da execução dos artefactos para a instalação eléctrica dos navios, e respectiva montagem e ligação dos equipamentos e acessórios;
Executar o aprestamento eléctrico de estruturas metálicas, a partir de elementos informativos recebidos;
Promover a montagem de equipamentos, a passagem de cabos e a interligação dos equipamentos eléctricos e electrónicos;
Efectuar testes de funcionamento aos artefactos eléctricos instalados



Serviço de Apoio Fabril

É responsável por:

Coordenar a movimentação e manobra de navios, gerindo todo o equipamento restrito as docas e cais de acostagem;
Solicitar e controlar o subempreiteiro na montagem e desmontagem de andaimes;
Promover as condições necessárias para a iluminação, ventilação e desgasificação volantes dos locais de trabalho;
Gerir os resíduos oleosos provenientes dos navios e reparações, garantido a sua remoção, armazenamento temporário e, posterior, encaminhamento para destino final, através de operador devidamente licenciado;
Coordenar as actividades de acabamentos da empresa, nomeadamente, tratamento de superfícies, isolamentos, revestimentos e carpintarias;
Coordenar e executar o plano de pinturas de cada construção.





Serviço de Ensaios e Provas

É responsável por:

Acolher, coordenar e apoiar a Fiscalização dos Armadores, as Sociedades de Classificação e os Técnicos dos Equipamentos;
Coordenar e acompanhar, em conjunto com o Controlo de Qualidade, a aprovação dos ensaios e provas efectuadas no navio;
Coordenar a preparação e elaboração das provas, à muralha, de estabilidade e de mar, do navio


Principais construções

http://www.envc.pt/portfolio/portfolio.htm

Carteira de Encomendas

NPO - 6

http://www.envc.pt/marinha/npo2000/npo2000.htm

NCP - 2

http://www.envc.pt/marinha/ncp2000/ncp2000.htm

LFC - 5

http://www.envc.pt/marinha/lfc/lfc.htm

2  Navios para transporte de contentores ISO / carga a granel de 10.000 tdw

http://www.envc.pt/constcurs.htm

2  Navios Ro-Ro Car & Passenger

http://www.envc.pt/constcurs.htm

2 Mega Iates de Luxo

http://www.envc.pt/navios/n260/navio260.htm
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Março 18, 2009, 06:15:11 pm »
Post muito bom!
Já havia andado a vasculhar pelo site deles, mas não encontrei informação tão detalhada como esta.

É pena que eles não tenham área de compósitos. Acho mal, mas lá deverão ter os seus motivos.
"Ask DNA"
 

*

João Oliveira Silva

  • Membro
  • *
  • 195
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Março 18, 2009, 09:08:56 pm »
De outro post retirei este texto:

Citar
Ministro da Defesa, Severiano Teixeira acompanhado pelo Chefe do Estado Maior da Armada, Melo Gomes (E) e por Jorge Rolo, Administrador da empresa, durante a visita aos estaleiros navais de Viana do Castelo.


Se este administrador Dr. Jorge Rolo é a pessoa que conheci há mais de vinte anos e que foi director financeiro da CEL-CAT e posteriormente director financeiro da ESTORIL-SOL ( na fotografia parece-me, mas há mais de 20 anos que perdi o contacto ), podem ter a certeza que os ENVC têm homem.
Capacidade, competência, frontalidade e muita humildade é aquilo que posso dizer dele. Corajoso, ouve e decide quando lhe compete decidir e assume as suas decisões, mesmo que isso lhe custe caro como aconteceu no Estoril-Sol.
Se fôr, com ele os ENVC mudarão, para melhor de certeza.
Cumprimentos,
 

*

Feinwerkbau

  • Membro
  • *
  • 283
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Março 18, 2009, 09:45:02 pm »
Citação de: "Chicken_Bone"
Post muito bom!
Já havia andado a vasculhar pelo site deles, mas não encontrei informação tão detalhada como esta.

É pena que eles não tenham área de compósitos. Acho mal, mas lá deverão ter os seus motivos.


está tudo no site deles, apenas compilei

área de compósitos em que aspecto? com que objectivo?

na área de isolamentos, há muitos trabalhos que são feitos com recursos a resinas e fibras, não sei se é a isso que se refere

os próprios encanamentos, de alguns navios, também são em fibra
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Março 18, 2009, 10:12:07 pm »
Pá, trata-me por tu por favor.

Sim, referia-me a fibras e resinas. No site, que eu tenha visto, não fazem menção a áreas onde desenvolvem peças em compósitos, pelo que suponho que subcontratem tudo ou que quase não os usem.
"Ask DNA"
 

*

Feinwerkbau

  • Membro
  • *
  • 283
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Março 18, 2009, 10:19:58 pm »
Citação de: "Chicken_Bone"
Pá, trata-me por tu por favor.

Sim, referia-me a fibras e resinas. No site, que eu tenha visto, não fazem menção a áreas onde desenvolvem peças em compósitos, pelo que suponho que subcontratem tudo ou que quase não os usem.


não estou bem a ver que tipo de peças...

como te disse, encanamentos de lastro de grandes dimensões são quase todos em fibra, n me perguntes o nome, os tubos são comprados e montados lá, acessórios, etc...

de resto são projecções de resinas e poliuretanos, para isolamentos

se houver alguma especificidade para alguma coisa, claro que é muito mais rentável comprar fora, do que fazer, longe já vai o tempo  :D
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Março 19, 2009, 12:18:33 am »
Bem, são tantos os sítios onde são e podem ser usados. Nomeando alguns:

- actuadores (como veios de transmissão)

- condutas

- tanques de combustível, químicos, saneamento

- estruturas para equipamento electrónico (antenas, radares, sonares).
Os compósitos com/de plásticos têm a tendência para ter melhores propriedades mecânicas, resistência à corrosão (de grande importância nessa indústria), químicas, etc.. Ou seja dão uma porrada aos metais.

- tudo que sejam interiores, como divisórias para salas, quartos-d-banho já montados, etc etc etc.

- cascos de barcos.

Pronto, fico por aqui, porque já dá para teres uma ideia.
"Ask DNA"
 

*

oultimoespiao

  • Perito
  • **
  • 468
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Março 19, 2009, 03:46:22 am »
So e pena nao haver motores fabricados em portugal!
 

*

Feinwerkbau

  • Membro
  • *
  • 283
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #8 em: Março 19, 2009, 08:41:46 am »
Citação de: "oultimoespiao"
So e pena nao haver motores fabricados em portugal!


qualquer dia não há navios, quanto mais motores  :twisted:

Nuno, nesse caso, os ENVC têm departamento de compósitos  :D

só não fabricam, mas aplicam.

Em relação a cascos, as gamas de navios construidas nos ENVC, saem do uso desses materiais
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Março 19, 2009, 06:31:47 pm »
Se tem uma oficina de compósitos não a descreve no site. Mas, pelo que entendo não têm capacidade de manufacturar lá, mas talvez só reparar. "Mete tecido aqui e pincela, mete mais um pouco e pincela, etc".

Falas nesses cascos, mas as embarcações que mostram no portefólio que poderiam usar a tecnologia foram entregues nos 50 e 60s.
Já agora, tens ideia de quem poderá ser o fornecedor(es) dos cascos em compósito? Não conheço muito bem a indústria portuguesa de compósitos ou, neste caso, marítima. Acho que só sei de uma lá para Peniche que poderá fornecer isso.
"Ask DNA"
 

*

Feinwerkbau

  • Membro
  • *
  • 283
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Março 19, 2009, 08:02:43 pm »
Citação de: "Chicken_Bone"
Se tem uma oficina de compósitos não a descreve no site. Mas, pelo que entendo não têm capacidade de manufacturar lá, mas talvez só reparar. "Mete tecido aqui e pincela, mete mais um pouco e pincela, etc".

Falas nesses cascos, mas as embarcações que mostram no portefólio que poderiam usar a tecnologia foram entregues nos 50 e 60s.
Já agora, tens ideia de quem poderá ser o fornecedor(es) dos cascos em compósito? Não conheço muito bem a indústria portuguesa de compósitos ou, neste caso, marítima. Acho que só sei de uma lá para Peniche que poderá fornecer isso.


nao se fazem cascos em compósito, não se aplicam nas gamas de navios a que se dedicam..

comerciais > 80m
militares de médio porte e pequeno porte
quimicos
navios especificos mas sempre grandes..

o core business é o aço, é preciso ver isso
o resto é concepção de sistemas, fabrico e montagem dos mesmos.

também não fabricam geradores, máquinas do leme, ou disjuntores...

não tem um serviço de compósitos mas tem vários serviços que usam compósitos, acho que se depreende do que eu disse......

também ainda não percebi muito bem de que tipo de aplicações te referes...

acho que te estás a esquecer que lá nascem navios, de raiz...tens ideia do processo?
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Março 19, 2009, 11:04:57 pm »
má interpretação minha. percebi que com o "saem" quererias dizer que "tinham origem" nesses materiais. por isso, eu estava confuso e daí a minha alusão aos teus barcos mais pequenos que poderiam ter casco em compósito terem sido entregues nos 50s e 60s. Por favor, esquece o que eu disse. :D a sério!
As aplicações que te descrevi num dos "posts"  anteriores são passiveis de utilizarem compósitos.

não tenho muito ideia do processo para fazer um navio. o que conheço vi em documentários e um pouco do que li (embora mais dedicado a submarinos).
"Ask DNA"
 

*

Feinwerkbau

  • Membro
  • *
  • 283
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Março 20, 2009, 01:14:36 am »
não conheço o autor mas este video está fantástico...


http://www.youtube.com/watch?v=iEHLL23sZzM


oopppsss Chicken_bone

às vezes escrevo sem pensar  :oops:

já tinha escrito antes quais eram as aplicações, tubagens grandes, isolamentos e outras pequenas utilizações

vou ver se consigo arranjar um video interessante sobre o processo de construção

entretanto vai-te entretendo com este...

http://www.youtube.com/watch?v=6UwDn6fXW04
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4144
  • Recebeu: 253 vez(es)
  • Enviou: 258 vez(es)
  • +53/-7
(sem assunto)
« Responder #13 em: Março 20, 2009, 10:03:06 am »
Citação de: "Chicken_Bone"

Depreendi do que mencionaste que, de facto usariam compósitos. Com a minha referência ao "mete tecido e pincela" questionei foi mas é como eles fazem ou remendam produtos lá, já que não têm (ou publicitam) uma área mais virada para esse tipo de produtos. Uma característica de tal área seria a limpeza, algo necessário (ou mesmo fundamental) na manufactura de aplicações que usem compósitos. Imagino que uma doca seja um local bastante sujo, cheio de fuligem e outras partículas e substâncias que não convêm estar perto quando estás a fazer a cura da resina, já que haveria uma contaminação etc etc.

.


quanto ao uso de compósitos, não sei se será necessário fazer in loco a cura da resinas, podes sempre contratar um empresa para fazer o componente em compósito e depois, esse mesmo componente ser instalado no navio.
Quanto ao uso de compósito em navios, a marinha Portuguesa já dispõe de navios em que o casco é em fibra de vidro, acho que são as lanchas de patrulha de classe Centauro. Quanto à sua aplicação em navios de grande porte principalmente na sua estrutura principal, os compositos tem os seus problemas pois são muito bons à tracção, mas quando tens placas com um comprimento muito grande, essas placas ficam muito flexíveis e na minha opinião o que se quer é rigidez. Uma solução seria usar placas espessas, mas aí começas a ter problemas, devido aos vazios que se criam dentro da placa e só vai fragilizar a placa. Podes sempre usar infusão por vácuo mas aí terias, que ter grandes máquinas para criar esse vácuo.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Março 20, 2009, 03:29:47 pm »
Nelson:
Naturalmente que muitas das peças serão fornecidas. A questão estava é ligada à capacidade produtiva do ENVC na área de compósitos.

Consegues maior rigidez à flexão com um compósito de fibra de carbono e "epoxy", por exemplo do que com aço. Claro que depende do tipo de fibra de carbono.
Quando precisas ter grandes espessuras, o normal é aplicares algo, como um "honeycomb".

Quantos aos cascos, foi má interpretação minha. Os barcos actuais, como o Fein especificou são compridos (e pesados) demais para usarem compósitos no casco.

Fein:
Só espero que não fales sem pensar com raparigas atraentes. Arruinarias as tuas chances. :D

Já agora, tens ideia das empresas fornecedoras, onde estão...? Por exemplo, que percentagem são nacionais, etc etc.
Seria de grande interesse saber, pelo menos para mim.
"Ask DNA"
 

 

West Sea Viana Shipyards

Iniciado por chaimites

Respostas: 209
Visualizações: 57641
Última mensagem Junho 14, 2019, 11:09:33 pm
por ICE 1A+
Contrapartidas para os ENVC

Iniciado por Tiger22

Respostas: 0
Visualizações: 2090
Última mensagem Junho 12, 2004, 01:09:39 am
por Tiger22
Estaleiros de Viana com encomendas de 500 milhões

Iniciado por Jorge Pereira

Respostas: 20
Visualizações: 11280
Última mensagem Julho 17, 2007, 03:57:59 pm
por JQT