Empresas de Defesa Portuguesas

  • 102 Respostas
  • 28979 Visualizações
*

Maginot

  • 76
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
    • http://www.emfa.pt/
(sem assunto)
« Responder #15 em: Março 03, 2009, 03:10:05 pm »
Citação de: "nelson38899"
sim faz parte. Aqui fica outras empresas ligadas à area da defesa.

http://www.critical-materials.com/
http://www.criticalsoftware.com/defence.html
http://www.pema.pt/


www.skysoft.pt
www.tekever.pt
EX MERO MOTU
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4003
  • Recebeu: 207 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +9/-0
(sem assunto)
« Responder #16 em: Março 03, 2009, 03:36:39 pm »
a skysoft não faz parte do grupo empordef???
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Maginot

  • 76
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
    • http://www.emfa.pt/
(sem assunto)
« Responder #17 em: Março 06, 2009, 01:13:02 pm »
Citação de: "nelson38899"
a skysoft não faz parte do grupo empordef???


Não,a Skysoft fez parte do grupo Mello.
« Última modificação: Maio 24, 2009, 11:54:58 pm por Maginot »
EX MERO MOTU
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #18 em: Março 08, 2009, 11:13:36 am »
Assoc. das empresas de defesa, armamento e novas tecnologias
http://www.danotec.pt/conteudos.asp?ID=41


EURODEFENSE - PORTUGAL (é pena que usem a ortografia americana e não inglesa em "eurodefense")
http://www.danotec.pt/admin/downloads/E ... RTUGAL.doc
Plano de actividades para este ano.  Não se pode dizer q são ambiciosos...
"Ask DNA"
 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #19 em: Março 14, 2009, 02:18:28 pm »
Governo desmente perda do direito à montagem de blindados

Citar
O ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, desmentiu que Portugal vá perder o direito à montagem de blindados para as Forças Armadas contratados com um consórcio austríaco.

Segundo notícias divulgadas, este sábado, pelos jornais, o consórcio austríaco liderado pela Steyr, com quem o Estado português contratou a compra de blindados para as Forças Armadas pretende transferir a sua produção para a República Checa, colocando em causa empresas portuguesas que os co-produzem.

Só a Fabrequipa, no Barreiro, poderá perder quase cem milhões de euros e ter de despedir cerca de 200 trabalhadores, segundo os jornais.

De acordo com o ministro português, o contrato de contrapartidas que está em vigor "está a ser cumprido e vai continuar a ser cumprido".

"O Ministério da Defesa não recebeu qualquer proposta formal de renegociação deste contrato de contrapartidas", adiantou Severiano Teixeira, em declarações aos jornalistas antes de partir para uma visita de dois dias à Líbia.

"O Estado português não permitirá que a indústria portuguesa seja prejudicada", afirmou.

O ministro confirmou que vai realizar-se na próxima semana uma reunião da Comissão Permanente de Contrapartidas, mas declarou que não serão postos em causa os termos em que o acordo está em vigor.

De acordo com os jornais, o consórcio austríaco propõe-se transferir a produção dos blindados devido à crise financeira mundial, cabendo à Comissão Permanente de Contrapartidas determinar se tal viola o contrato de contrapartidas com o Estado português.

Segundo as mesmas fontes, o contrato de compra dos 260 blindados, por 364 milhões de euros, foi realizado em 2005, quando era ministro da Defesa Paulo Portas.


http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Naciona ... id=1169848
"Ask DNA"
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4003
  • Recebeu: 207 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +9/-0
Re: Empresas de defesa Portuguesas
« Responder #20 em: Outubro 09, 2009, 12:48:00 am »
Citar
GMV desarrolla UVA a través de su filial portuguesa y abre filial en Polonia

Según informa GMV en su último boletín, hace unos meses se logró la creación de un consorcio aeroespacial portugués PAIC (Portuguese Aerospace Industry Consortia). Este consorcio se compone de doce empresas nacionales lusas que colaborarán con el gigante estadounidense Lockheed-Martin para desarrollar un sistema civil de Vehículos Aéreos No Tripulados (UAVs).Portugal será la base de pruebas para soluciones de producción y bienes exportables.

Aplicación civil

Igualmente, contará con dos demostraciones sobre observación de masas forestales, incluyendo la detección y control de incendios, así como la vigilancia del océano para labores de búsqueda y rescate, seguridad y medio ambiente.

Este consorcio, del que forma parte la filial portuguesa de la compañía madrileña GMV, Skysoft, invertirá un total de 10 millones de euros durante cinco años.

Los analistas consideran que el segmento de plataformas para Vehículos Aéreos no Tripulados y otros servicios asociados para aplicaciones civiles generará alrededor de 2.800 millones de dólares entre 2008 y 2019 con un ritmo de crecimiento de cerca de un 30 por ciento anual.

Proyectos en Polonia

La compañía española argumento la necesidad de abrir una filial en Polonia porque ya cuenta en ese país con varios proyectos en marcha relacionados con el desarrollo e implementación de sistemas avanzados para redes de transporte público.

Con la apertura de esta nueva filial, cuya sede está situada en el Centro de Negocios Metropolitan Warszawa de Varsovia, el grupo tecnológico continúa con su objetivo de expansión internacional, consolidando los sectores tecnológicos en los que trabaja.

GMV, que opera en mercados tecnológicamente avanzados y con presencia internacional en Portugal y Estados Unidos, ha intensificado durante el último año su presencia en Polonia con la asistencia a diferentes congresos y eventos relacionados con los sectores en los que desarrolla su actividad.
http://www.infodefensa.com/esp/noticias ... %20Polonia
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4003
  • Recebeu: 207 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +9/-0
Re: Empresas de defesa Portuguesas
« Responder #21 em: Outubro 09, 2009, 12:49:22 am »
Citar
ADVANCED HELMET AND DEVICES FOR INDIVIDUAL PROTECTION    
Indicative total value:         2.9 million Euro
Duration:         18 months
 GALILEO AVIONICA, Milan (IT) – EA, Milano (IT) - PIAP, Warsaw (PL) - MUT, Warsaw (PL) – AFIT, Warsaw (PL) – LDB, Lisboa, (PT) - TEKEVER, Lisboa (PT ) – IABG, Ottobrunn (DE)

The objective of the proposed Project is to forecast the evolution of the existing or new technologies which can improve the Protection of the individual. The main type of operations of today’s military engagement is mainly determined by asymmetric conflicts. The Consortium will state clearly what is, today, the equipment used by the Soldier and Warrior Programmes (FELIN, SOLDATO FUTURO, FUTURE WARRIOR, FIST) in different countries. The Consortium will then propose an evolution of the “System Soldier” outlining the requirements from the above mentioned scenario, evaluating the existing and novel technologies and foreseeing their evolution in sensors, actuators and others devices with the possibility to integrate them in intelligent, modular and portable equipment. The Consortium will demonstrate the real consistency of the proposed solutions in different ways (Demo, Model ,Data base , Workshop and Documentation) in order to give to the customer a more complete understanding, being based on real HW with live demo and SW modelling.

Air Defense High Energy Laser Weapon    
Indicative total value:         4.2 million Euro
Duration:         36 months
 LFK (MBDA), Unterschleissheim (DE) - CILAS, ORLEANS (FR) – INETI, Lisbon (PT) – MUT, Warsaw (PL) – DLR, Stuttgart (DE) – ISL, Saint-Louis (FR)

Existent air defence weapons use missiles or cannons as effectors. These systems are well suited for engagements against large air targets as aircraft, but they show strong drawbacks for the defence against attacks of small targets as mortar grenades or artillery rockets (RAM-targets). High energy laser weapons possess the abilities to be used against such targets successfully: a short reaction time, a high accuracy, a strong impact on the target. Further the costs per shot are low and they cause no collateral damages. The feasibility of such a laser effector will be evaluated by experimental investigations, which deliver data on atmospheric influences on high energy laser beam propagation, on achievable target tracking accuracy and on the laser beam impact on RAM-targets containing explosive loads. Data on the efficiency of the laser weapon will be obtained from system simulations, using the results of the experiments. A conceptual lay out for a laser weapon will be derived. Especially the interception of RAM-attacks in urban environment will be considered.

http://www.eda.europa.eu/genericitem.aspx?id=370
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6526
  • Recebeu: 158 vez(es)
  • Enviou: 132 vez(es)
  • +10/-0
Re: Empresas de defesa Portuguesas
« Responder #22 em: Agosto 30, 2010, 12:33:28 pm »
Relatórios anuais de Importações/Exportações de Armamento:
http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/mdn/Serviços+Centrais+de+Suporte/DG+Armamento+e+Infra-Estruturas+de+Defesa/ciaarmamento/DGAED_Comercio_Industria_Armamento_relatorios_anuais.htm

Acho interessante ainda termos vendido umas G-3 e HK21 aos EUA e ao Reino Unido...
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2215
  • Recebeu: 42 vez(es)
  • Enviou: 108 vez(es)
  • +9/-0
    • http://forumdefesa.com
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #23 em: Outubro 20, 2010, 06:59:08 pm »
Citar
Brasil investe em I&D portuguesa

Um submarino-robô concebido em Portugal será exportado para o Brasil, por via de um contrato agora assinado com um consórcio de empresas brasileiras, avançou o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto (INESC Porto), responsável pelo desenvolvimento do projecto.

O contrato, avaliado em 1,6 milhões de euros e válido para os próximos três anos, prevê a criação de um "submarino-robô autónomo capaz de inspeccionar estruturas de barragens e assoreamento de bacias", detalha a instituição portuguesa.

Se explicam os responsáveis pelo projecto, a estrutura fará a recolha automática de informação nas barragens permitindo a detecção antecipada de anomalias e a análise do nível de risco com maior precisão e menos custos que os processos tradicionais.

O sistema de inspecção, a desenvolver durante os próximos três anos, será baseado num robô semelhante, o Mares, criado pelo INESC e adoptado pelas Águas do Oeste para monitorização de emissários submarinos.

O novo robô deverá permitir não só a recolha de dados sobre qualidade da água e a morfologia da bacia hidrográfica, mas também de imagens, bem como possibilitar a inspecção em tempo real. O objectivo é que as tarefas de monitorização passem a ser feitas com maior frequência e menos custos, evitando acidentes.

Contactado pelo TeK, o INESC disponibilizou uma imagem de conceito do submarino, que reproduzimos abaixo.



Fonte


Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4003
  • Recebeu: 207 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +9/-0
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #24 em: Março 30, 2011, 08:32:23 pm »
Boas

Dentro de menos de dois anos iremos perder mais empresa de armamento, neste caso a Fabrequipa, que irá desaparecer quando o projecto pandur acabar.

tendo em conta que o programa dos 4x4 vai de mal a pior, será que esta empresa tem futuro?
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

GI Jorge

  • 617
  • +0/-0
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #25 em: Abril 05, 2011, 12:30:59 pm »
Citação de: "nelson38899"
Boas

Dentro de menos de dois anos iremos perder mais empresa de armamento, neste caso a Fabrequipa, que irá desaparecer quando o projecto pandur acabar.

tendo em conta que o programa dos 4x4 vai de mal a pior, será que esta empresa tem futuro?

Não me parece. Além de que não estou a ver o governo a investir agora nesse programa só para salvar uma empresa.
Confunde-se em Portugal tantas vezes a justiça com a violência que é vulgar não haver reacções contra o crime e haver reacções contra a pena.

Oliveira Salazar
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-2
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #26 em: Abril 05, 2011, 08:02:04 pm »
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "nelson38899"
Boas

Dentro de menos de dois anos iremos perder mais empresa de armamento, neste caso a Fabrequipa, que irá desaparecer quando o projecto pandur acabar.

tendo em conta que o programa dos 4x4 vai de mal a pior, será que esta empresa tem futuro?

Não me parece. Além de que não estou a ver o governo a investir agora nesse programa só para salvar uma empresa.

Calma pessoal, a Fabrequipa não faz apenas os Pandur. Antes do projecto dos Pandur a empresa fazia reboques de semi-trailer, continuou a fase-los durante a construção dos Pandur e à partida continuará nesse negócio no fim dos Pandur. Toda a gente sabia que isso era um projecto temporário e a empresa vai continuar as suas normais actividades no fim do projecto.

Se aparecer a hipótese de construir outro veiculo militar daqui a uns anos penso que não custará assim tanto à empresa se adaptar novamente, já o fez uma fez outra não custará. Digo eu...
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2215
  • Recebeu: 42 vez(es)
  • Enviou: 108 vez(es)
  • +9/-0
    • http://forumdefesa.com
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #27 em: Maio 02, 2011, 03:09:43 pm »
Citar
UP desenvolve submarinos e aviões não tripulados para as FAP

A Universidade do Porto anunciou hoje que vai desenvolver o programa de aviões e submarinos não tripulados que serão utilizados pelas Forças Armadas Portuguesas no futuro.

O projeto será desenvolvido no âmbito de um protocolo que terça-feira será assinado entre a U.Porto e o ministério da Defesa, numa cerimónia que contará com a presença do ministro Augusto Santos Silva.

A U.Porto refere, em comunicado, que «o acordo prevê dotar o país de sistemas e veículos não tripulados que afirmem Portugal como líder nesta área tecnológica».
Diário Digital / Lusa
Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

GI Jorge

  • 617
  • +0/-0
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #28 em: Maio 02, 2011, 07:33:59 pm »
Espero que este projecto chegue a bom Porto. Literalmente.  :D
Confunde-se em Portugal tantas vezes a justiça com a violência que é vulgar não haver reacções contra o crime e haver reacções contra a pena.

Oliveira Salazar
 

*

Lusitanian

  • 283
  • +0/-0
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #29 em: Maio 02, 2011, 10:55:48 pm »
:|  não sei...não quero de maneira nenhuma as FAs Portuguesas numa versão`" japonesa". Só máquinas e mais máquinas, como se o próprio ser humano fosse inutil. Mas como é para submarinos...
Deus quer, o Homem sonha, a Obra nasce.
Por Portugal, e mais nada!
Tudo pela Nação, nada contra a nação!
 

 

Defesa: Prioridade de "segunda linha"

Iniciado por LusoQuadro Portugal

Respostas: 30
Visualizações: 9709
Última mensagem Dezembro 18, 2006, 10:32:08 pm
por AugustoBizarro
Novo Conceito de Segurança e Defesa Nacional: F. Segurança

Iniciado por Jorge PereiraQuadro Forças de Segurança

Respostas: 6
Visualizações: 2652
Última mensagem Dezembro 22, 2012, 10:15:18 am
por Cabeça de Martelo
"Defesa pessoal" para Forças de Segurança

Iniciado por JKDU PortugalQuadro Forças de Segurança

Respostas: 11
Visualizações: 7140
Última mensagem Agosto 01, 2008, 05:43:48 pm
por RicP
ANS "denuncia" video de jovem sobre o Dia da Defesa Nacional

Iniciado por SertorioQuadro Área Livre-Outras Temáticas de Defesa

Respostas: 8
Visualizações: 2572
Última mensagem Abril 22, 2013, 07:36:24 pm
por HSMW
Sistemas de defesa antiaérea de longo alcance para Portugal

Iniciado por Tiger22Quadro Força Aérea Portuguesa no ForumDefesa.com

Respostas: 24
Visualizações: 10276
Última mensagem Agosto 21, 2006, 08:26:19 pm
por Pedro Monteiro