Embraer em Portugal

  • 43 Respostas
  • 15819 Visualizações
*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 701
  • Recebeu: 25 vez(es)
  • Enviou: 15 vez(es)
  • +1/-1
Re: Embraer em Portugal
« Responder #30 em: Setembro 25, 2012, 10:30:15 pm »
Citar

Embraer testa asas do seu novo avião em Castelo Branco


Os laboratórios do Instituto de Soldadura e Qualidade, onde decorrem testes de peças para o primeiro foguetão europeu, ganharam concurso da empresa brasileira de aeronáutica

NA ZONA Industrial de Castelo Branco vai iniciar-se em breve a criação de componentes para os aviões que a fabricante mundial Embraer vai construir nas suas fábricas em Évora.

O LABET – Laboratório de Ensaios Termodinâmicos do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) ficou em primeiro lugar num concurso internacional para o desenvolvimento da nova peça que a Embraer, terceiro produtor mundial a seguir à Airbus e à Boeing, quer introduzir no mercado da aviação. Trata-se de uma asa de avião em fibra de carbono. A introdução desta matéria prima em peças de avião faz reduzir o seu peso, diminuem os gastos de combustível, ou seja, reduz-se o custo de exploração.

O ISQ e a cidade albicastrense mostrou ter condições vantajosas para receber este projeto avaliado em quatro milhões de euros e que conta com apoios comunitários.

in Jornal do Fundão
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15017
  • Recebeu: 1004 vez(es)
  • Enviou: 945 vez(es)
  • +171/-168
Re: Embraer em Portugal
« Responder #31 em: Setembro 26, 2012, 12:04:13 pm »
Citação de: "mauri"

A Embraer inaugura hoje suas duas primeiras fábricas na Europa, num investimento de  € 177 milhoes e fornecerá partes para a produção final no Brasil.

As duas unidades estão instaladas em Évora, a 130 quilômetros de Lisboa. Vão fabricar estruturas de fuselagem e componentes complexos em suas áreas de capacidade específicas: materiais metálicos e materiais compósitos. A Embraer Metálicas representa um investimento de € 100 milhões e a Embraer Compósitos, de € 77 milhões, segundo a empresa.

Para o presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado, trata-se de um passo decisivo na estratégia industrial da companhia. Segundo ele, os dois centros reúnem as mais avançadas tecnologias e processos de produção em estruturas metálicas e materiais compósitos. A inauguração terá a presença do presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, e do embaixador brasileiro em Lisboa, Mário Villalva.

A Embraer informou que a Comissão Europeia apoia os dois projetos, através do programa Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Os portugueses estão entusiasmados com a presença brasileira no Alentejo. As duas fábricas devem alcançar plena capacidade de produção no segundo semestre de 2013. Elas vão criar 600 empregos diretos e 1.200 indiretos, segundo os portugueses.

Em dezembro do ano passado a Embraer Defesa e Segurança e a Ogma e a EEA – Empresa de Engenharia Aeronáutica assinaram contratos de parceria para o programa KC-390. Por meio do acordo, Portugal desenvolverá na EEA o projecto de engenharia de componentes do jacto e reabastecedor militar KC-390, que serão fabricados na Ogma.

O presidente da Embraer, Frederico Curado, revelou hoje que os primeiros conjuntos de peças fabricados nas unidades industriais de Évora devem seguir para as linhas de montagem no Brasil, por via marítima, já no mês de outubro.

"Devemos embarcar os primeiros conjuntos para o Brasil já no mês que vem", disse o responsável, numa conferência de impressa, realizada após a cerimónia de inauguração das duas fábricas de Évora da construtora aeronáutica brasileira.

Uma das unidades é especializada em estruturas metálicas (partes de asas) e a outra em materiais compósitos (componentes para caudas), tendo a construção envolvido, no seu conjunto, 177 milhões de euros de investimento.

Os materiais fabricados em Évora, a aplicar em três novos aviões da empresa (Legacy 450 e 500 e avião militar KC390), destinam-se às linhas de montagem no Brasil, tendo a Embraer já divulgado que vai privilegiar o transporte marítimo devido à grande dimensão dos componentes.

Na conferência de imprensa, o responsável máximo da construtora brasileira abordou ainda a questão dos postos de trabalho, explicando que as duas fábricas já empregam cerca de 100 pessoas, mas que esse número vai aumentar.

"Esse número vai crescer para um patamar de até 400 e, depois, 600, nos próximos anos. Vai depender da carga [volume] de trabalho", afiançou.

Frederico Curado precisou aos jornalistas que a "maioria" dos trabalhadores das unidades fabris de Évora são portugueses, embora, nesta fase de "arranque das fábricas", várias equipas vindas do Brasil estejam na cidade alentejana "para fazer a transição" dos processos de trabalho.

Fonte: Dinheiro vivo
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #32 em: Outubro 26, 2012, 11:17:38 pm »
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Embraer em Portugal
« Responder #33 em: Novembro 01, 2012, 12:25:04 pm »
Primeiro andou-se a destruir a industria em Portugal, pela mão principalmente do Cavaco e outros que tais.

Agora fala-se em re-industrialização, realmente percebe-se que ele não sabem o que querem para o país. Mas eu acho bem, era bom que de facto se re-industrializasse o país, para mim a industria principalmente quando aliada à inovação é algo essencial a qualquer país, mas é importante não só apostar em industrias novas como também manter e renovar as antigas.

A aeronáutica é uma excelente aposta nova, muito importante mesmo. Mas as industrias navais, metalurgicas e quimicas nunca deveriam ter sido esquecidas.
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 701
  • Recebeu: 25 vez(es)
  • Enviou: 15 vez(es)
  • +1/-1
Re: Embraer em Portugal
« Responder #34 em: Janeiro 08, 2013, 05:41:44 pm »
A Embraer vai produzir em Évora componentes para um novo avião de transporte militar. O aparelho deve realizar a primeira descolagem já no próximo ano, destinando-se a transporte logístico e reabastecimento em voo.

http://sicnoticias.sapo.pt/vida/2013/01 ... te-militar
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 701
  • Recebeu: 25 vez(es)
  • Enviou: 15 vez(es)
  • +1/-1
Re: Embraer em Portugal
« Responder #35 em: Junho 24, 2013, 09:42:20 am »
Citar
Embraer negoceia mais seis projetos para Évora e está a recrutar

"Existem seis novas frentes de trabalho em negociação com a Embraer para fabricarmos em Évora, entre as quais algumas peças do Embraer 190, do Embraer 170 e algumas atividades do Legacy 650.

São peças que ainda dependem de desenvolvimento e devem entrar em produção no início do próximo ano. E há três outros projetos que poderão vir a ser fabricados em Évora", revela Paulo Marchioto, presidente da Embraer em Portugal.

Para acompanhar esta aceleração na produção, a empresa está a recrutar mais 80 pessoas, sobretudo através do IEFP - Instituto do Emprego e Formação Profissional (em Setúbal e Évora), prevendo chegar a um total de 180 trabalhadores até ao final do ano.

Lei mais na edição de 22 de junho do Expresso

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/embraer-negocei ... z2X7a5lzZ5
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #36 em: Fevereiro 21, 2014, 04:07:56 pm »
Embraer cria centro de engenharia e tecnologia em Évora


A construtora aeronáutica brasileira Embraer vai criar um centro de engenharia e tecnologia, nas suas instalações em Évora, para o desenvolvimento de peças e estruturas em materiais compósitos, prevendo a contratação de cerca de 20 engenheiros. O protocolo para a criação do centro foi assinado hoje, em Évora, entre a empresa, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), na presença do ministro da Economia, António Pires de Lima.

O novo centro da Embraer "vai, inicialmente, dedicar-se a projectar peças em materiais compósitos", explicou o vice-presidente da empresa para a Tecnologia e Engenharia, Mauro Kern.

"O projecto de peças em materiais compósitos é muito ligado às tecnologias produtivas, então faz todo o sentido que nós tenhamos um núcleo de engenharia, de alta competência, instalado muito próximo da nossa operação industrial", disse.

O responsável indicou que o centro de engenharia e tecnologia da empresa deve abrir "ainda este ano" e que o processo para a contratação de engenheiros vai arrancar "por volta da metade do ano ou até antes".

"A nossa intenção é contratar o máximo possível de pessoas da região", tal como já acontece no centro do mesmo género nos Estados Unidos, disse.

As fábricas de Évora da Embraer, a terceira maior construtora aeronáutica do mundo, começaram a laborar em Julho de 2012 e foram inauguradas a 21 de Setembro do mesmo ano pelo Presidente da República, Cavaco Silva.

As unidades, uma de estruturas metálicas (partes de asas) e outra de materiais compósitos (componentes para caudas), representaram um investimento de quase 180 milhões de euros.

Nas duas unidades fabris, são construídas peças para o novo avião executivo Legacy 500 e para aeronave militar KC-390.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #37 em: Junho 19, 2014, 12:32:55 am »
Embraer quer "nova geração de aviões comerciais" em Évora


O vice-presidente da Embraer para a Engenharia e Tecnologia, Mauro Kern, admitiu novos investimentos para Portugal, entre eles "levar" para Évora a nova geração de aviões comerciais, os E2, que deverão estar no mercado em 2018.

"Temos intenção de levar estruturas significativas da nova geração de aviões comerciais - o E2 (segunda geração dos E-JETS) - lá para Évora. É um movimento no futuro, mas que faz todo o sentido, pois são aviões grandes, de estruturas complexas, mas onde Évora com a sua especialidade e tecnologia é perfeitamente adequada", disse à Lusa Mauro Kern.

O vice-presidente da Embraer falava depois de ter mostrado a fábrica daquela que é uma das maiores construtoras aeronáuticas do mundo ao ministro da Economia português, António Pires de Lima, em missão oficial no Brasil.

Estes aviões, avançou Mauro Kern, estão em fase de projecto, representam "algo muito importante para a Embraer" e "vão representar um fortalecimento da empresa no mercado da aviação comercial ao longo de muitos anos".

"Naturalmente, sendo Évora o nosso centro de excelência em estruturas, estamos a considerar fabricar lá partes importantes destes aviões", frisou.

Em Alverca, a Embraer tem a OGMA (Indústria Aeronáutica de Portugal), privatizada em 2005, e em Évora criou duas fábricas em 2012, que representaram um investimento de quase 180 milhões de euros e onde são construídas peças para o novo avião executivo Legacy 500 e para a aeronave militar KC-390.

"Portugal é um dos principais parceiros deste avião [KC-390] e queremos vê-lo voando pelos céus da Europa também", disse.

A construtora aeronáutica brasileira inaugurou, em Março, um centro de engenharia e tecnologia, nas suas instalações em Évora, e hoje Mauro Kern avançou à Lusa que este vai começar a operar no segundo semestre deste ano.

O centro de tecnologia vai desenvolver peças e estruturas em materiais compósitos.

Sobre a OGMA, o responsável destacou os resultados "muito positivos". Mauro Kern não tem dúvidas: "Portugal é um grande parceiro, um parceiro estratégico hoje para a Embraer".

"Nós estamos muito satisfeitos com o nível de parceria que temos", frisou.  Por isso, acrescentou, a Embraer "vai depender cada vez mais no futuro destes centros de excelência em Portugal". "As grandes estruturas dos aviões passam a ser produzidas em Portugal e a empresa está a começar também com iniciativas de pesquisa e desenvolvimento no país", concluiu Mauro Kern.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #38 em: Agosto 29, 2014, 06:36:00 pm »
Fábrica de Évora da Embraer participa nos aviões E-Jets E2 e amplia área coberta


A construtora aeronáutica brasileira Embraer vai envolver a sua fábrica de Évora, especializada em estruturas metálicas, no novo programa de aviação comercial da empresa, os aviões E-Jets E2, e ampliar a área coberta da unidade alentejana.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Embraer revelou hoje que a Embraer Portugal Estruturas Metálicas iniciou, nos “últimos dias” deste mês, os trabalhos de construção civil para aumentar a “área industrial coberta”, a qual vai passar de 37.100 para 38.700 metros quadrados.

“A necessidade destes trabalhos advém da conclusão do acordo entre a Embraer Metálicas e a casa-mãe no Brasil para participação da empresa de Évora no novo programa de aviação comercial da Embraer, o “Embraer E-Jets E2”, explicou a empresa.

A Embraer Estruturas Metálicas já está envolvida na construção do Embraer Legacy 450/500 e do KC-390, passando agora a juntar um novo tipo de avião ao seu portefólio.

Trata-se de uma “nova oportunidade de diversificação da atividade” desta fábrica de Évora, “mais uma vez integrada na estratégia de desenvolvimento de novos produtos da Embraer”, sublinhou a empresa.

Já a 18 junho, esta parceria tinha sido admitida por responsáveis da Embraer, aquando de uma visita do ministro da Economia português, António Pires de Lima, à sede da empresa em São José dos Campos, no Brasil.

Na altura, o vice-presidente da Embraer para a Engenharia e Tecnologia, Mauro Kern, admitiu novos investimentos para Portugal, nomeadamente "levar" para Évora a nova geração de aviões comerciais, os E2, previstos estarem no mercado em 2018.

"Temos intenção de levar estruturas significativas da nova geração de aviões comerciais - o E2 (segunda geração dos E-JETS) - lá para Évora. É um movimento no futuro, mas que faz todo o sentido, pois são aviões grandes, de estruturas complexas, mas onde Évora com a sua especialidade e tecnologia é perfeitamente adequada", disse à Lusa Mauro Kern.

A Embraer possui duas fábricas em Évora, pois, além da que é especializada em estruturas metálicas, funciona no mesmo complexo outra vocacionada para materiais compósitos (componentes para caudas).

As unidades foram inauguradas a 21 de setembro 2012, após um investimento de quase 180 milhões de euros.

A juntar a estes projetos, a construtora aeronáutica brasileira inaugurou, em março, um centro de engenharia e tecnologia, nas suas instalações em Évora.

O vice-presidente Mauro Kern avançou à Lusa que este centro, para desenvolver peças e estruturas em materiais compósitos, vai começar a operar ainda no segundo semestre deste ano.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #39 em: Fevereiro 16, 2015, 03:20:06 pm »
Embraer prevê aumentar o número de trabalhadores em 30%


As fábricas da Embraer em Évora já empregam "quase 300 funcionários" e, este ano, a construtora aeronáutica prevê aumentar o número de trabalhadores em cerca de 30%, revelou à agência Lusa o presidente da empresa em Portugal.

No ano passado, "praticamente, duplicámos o nosso efectivo e chegámos ao final de 2014 com quase 300 funcionários, a maior parte oriunda de Évora ou da região", adiantou Paulo Marchioto, presidente da Embraer Portugal.

Em entrevista à agência Lusa, o responsável disse também que "a maior parte" dos trabalhadores foi formada através da colaboração estabelecida com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP): "Esta parceria tem-se mostrado muito boa".

"Tem sido muito gratificante a velocidade de aprendizagem que os nossos colaboradores têm demonstrado", elogiou, revelando que, para este ano, a empresa tem "um planeamento do crescimento da força de trabalho em cerca de 30%".

Inauguradas em 2012, após um investimento de quase 180 milhões de euros, as duas fábricas de Évora da construtora aeronáutica brasileira -- uma de estruturas metálicas e outra de materiais compósitos - estão a cumprir "rigorosamente" o cronograma planeado.

A previsão é a de que, "dentro de dois anos", as unidades estejam "a voar em voo de cruzeiro", ou seja, atinjam a capacidade plena, mas, para já, o responsável da empresa em Portugal escusou-se a abordar uma eventual expansão.

"Primeiro precisamos de ter a capacidade plena. A partir daí pensamos em aumentar. Um passo firme de cada vez", argumentou.

Quanto ao centro de engenharia e tecnologia criado no ano passado, igualmente em Évora, para o desenvolvimento de peças e estruturas em materiais compósitos, já "começou a trabalhar" e tem em curso "o processo de contratação de colaboradores".

A empresa prevê que a estrutura, dirigida por Sérgio Carvalho, conte com "pelo menos 20 colaboradores", este ano.

Segundo Paulo Marchioto, em 2014, as fábricas da cidade alentejana tiveram "um ano muito desafiante" e um dos factos a realçar foi o de se terem tornado fornecedoras das "três unidades de negócio [da Embraer] no Brasil".

"Procurámos diversificar a actuação, inserindo os produtos de Évora nos mais diversos produtos da Embraer e trabalhando para a unidade comercial, a unidade executiva e a de defesa e segurança", resumiu.

Nas fábricas alentejanas, são produzidos componentes para o avião executivo Legacy 500 (asa, empenagens vertical e horizontal e, como novidade conseguida em 2014, o cone traseiro), para o comercial E1 (revestimentos de asa) e para a nova aeronave militar KC-390 (revestimentos de asa e empenagens).

Outro dos destaques de 2014, segundo Paulo Marchioto, foi o de conseguir envolver a fábrica de estruturas metálicas no novo programa de aviação comercial da empresa, os aviões E-Jets E2, o que levou à ampliação da área coberta da unidade, cujas obras estão quase terminadas.

"Estamos a trabalhar nos protótipos deste novo produto, que é o mais avançado da Embraer", disse, precisando que a fábrica produz "os revestimentos da asa" do E2 e que, agora, no início deste ano, devem seguir "as primeiras remessas para o Brasil".

Além disso, revelou, também a fábrica de materiais compósitos vai passar a estar envolvida no processo ligado aos protótipos do E2, com o fabrico do "estabilizador horizontal" da aeronave.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #40 em: Abril 06, 2015, 06:55:07 pm »
Embraer quer investir 150 milhões em Évora


O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, revelou esta segunda-feira que, até final deste mês, a construtora aeronáutica brasileira Embraer deve candidatar a fundos comunitários novos investimentos em Évora, na ordem dos 150 milhões de euros, que vão ser analisados "com celeridade".

A Embraer, disse, "está a estudar com o Governo português a apresentação de candidaturas a novos investimentos" na região de Évora, ligados aos "novos jactos comerciais" da empresa, "o E2 e o 175".

Estes investimentos, continuou Paulo Portas, "devem ascender a cerca de 150 milhões de euros" e "alargam a base industrial na região de Évora", tendo "suporte em projectos de emprego bastante qualificado".

Segundo o vice-primeiro-ministro, que falava em Évora, nas instalações da Embraer, esses projectos de investimento serão apresentados até ao final deste mês".

"A AICEP e o programa operacional do Alentejo, uma vez recebidas as candidaturas, têm 60 dias para fazer a análise e nós queremos que, com a maior celeridade possível, as decisões sejam tomadas" para estes projectos tenham "um impacto na economia e no emprego", frisou.

O vice-primeiro-ministro anunciou que a Embraer “se prepara para investir mais e decisivamente em Portugal”, reforçando a sua capacidade de “fabricar e construir” e aumentando o número de postos de trabalho, encomendas e exportações.

Lembrando que a empresa, que já possui duas fábricas em Évora (uma de estruturas metálicas e outra de materiais compósitos), assim como um centro de engenharia e tecnologia, é "um gigante da aviação" mundial, o vice-primeiro-ministro insistiu que as intenções de investimento da empresa vão ser analisadas "sem atrasos nem demoras pela AICEP e pelo programa operacional do Alentejo".

O vice-primeiro-ministro considerou que a "parceria" com a construtora aeronáutica brasileira "é um dos sinais mais vivos da relação entre Portugal e o Brasil no século XXI".

Questionado pela Lusa sobre se o Governo já tomou alguma decisão sobre a eventual aquisição do avião militar KC-390, da Embraer, Portas limitou-se a afirmar: "Cada coisa a seu momento".

As duas fábricas de Évora da Embraer foram inauguradas em 2012, após um investimento de quase 180 milhões de euros, enquanto o centro de engenharia e tecnologia abriu no ano passado.

Na cidade alentejana, a empresa produz componentes e peças para o avião executivo Legacy 500, o comercial E1, a aeronave militar KC-390 e também para os protótipos dos aviões comerciais E-Jets E2.

Renascença
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #41 em: Agosto 09, 2016, 01:40:19 pm »
Investimentos da Embraer em Portugal estão assegurados


A Embraer prepara-se para reduzir 200 milhões de dólares (mais de 180 milhões de euros) em custos por ano, para fazer face aos prejuízos e à desaceleração por que o mercado da aviação está a passar. Os cortes vão abranger sucursais por todo o mundo, mas, para já, os investimentos em Portugal assegurados, apurou o Dinheiro Vivo. O programa de reestruturação agora conhecido resulta de “um mercado global que já apresentava desaceleração em 2015”, refere fonte oficial da fabricante aeronáutica ao Dinheiro Vivo. “O mercado, como um todo, tem vindo a fazer ajustes, tanto no volume de produção como no número de trabalhadores, e os 330 milhões de dólares de prejuízos que a Embraer apresentou no segundo trimestre levaram a empresa a decidir reduzir custos”, detalha.


Esta redução de custos passa por um programa de rescisões voluntárias no Brasil, bem como “otimização de custos nas sucursais em todo o mundo”. Isto inclui “redução global de orçamentos de despesas, otimização dos níveis de estoque e revisão de outros itens de custos recorrentes, como, por exemplo, análise de contratos com fornecedores e consultores, otimização de recursos e medidas para aumento de produtividade”, especifica a mesma fonte. Seja como for, garante, “o futuro da empresa depende dos investimentos que faz”, pelo que esses “serão mantidos” e isso inclui Portugal. Atualmente, a Embraer conta com dois projetos em Portugal, nas fábricas que detém em Évora, que representam, em conjunto, um investimento de 93,6 milhões de euros (parte deste montante vem de apoios comunitários). A construtora aeronáutica brasileira está a adquirir novas máquinas e a ampliar as fábricas, para alargar as estruturas metálicas em oito mil metros quadrados. Esta expansão das fábricas vai também servir para que as unidades estejam prontas para a produção em série dos E2, a nova geração de aviões comerciais E-Jets da Embraer.



>>>>   https://www.dinheirovivo.pt/empresas/investimentos-da-embraer-em-portugal-estao-assegurados

 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: Embraer em Portugal
« Responder #42 em: Abril 12, 2018, 04:34:30 pm »
Construtora aeronáutica brasileira Embraer já tem 450 trabalhadores diretos em Évora


A construtora aeronáutica brasileira Embraer tem já 450 trabalhadores diretos em Évora, assegurando também outros “120 postos de trabalho de profissionais” ligados a prestadores de serviços, revelou hoje o presidente da empresa em Portugal.

“Temos, neste momento, 450 empregados no total das duas fábricas e do nosso Centro de Engenharia”, unidades que funcionam no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora (PIAE), disse à agência Lusa Paulo Marchioto.

O presidente da Embraer Portugal frisou que, a estes, somam-se os “cerca de 120 postos de trabalho de profissionais ligados aos fornecedores de serviços” das duas fábricas (uma de estruturas metálicas e outra em materiais compósitos) e que trabalham em Évora.

Inauguradas em 2012, a Embraer Metálicas e a Embraer Compósitos envolveram um investimento inicial a rondar os 180 milhões de euros e, dois anos depois, a empresa criou também um centro de engenharia e tecnologia na cidade alentejana.

As duas unidades fabris, explicou Paulo Marchioto, “continuam a fornecer produtos da Embraer nos três segmentos em que o grupo compete”.

Na aviação comercial, são fabricadas peças “para os quatro modelos” da primeira geração dos E-Jets (E1) e para “os três modelos” dos novos aviões da segunda geração de jatos da empresa (E2), indicou o presidente da empresa em Portugal.

Paulo Marchioto falava à Lusa a propósito do primeiro voo no espaço aéreo norueguês realizado hoje pelo primeiro E190-E2 produzido no mundo pela empresa brasileira, operado pela companhia aérea Widerøe.

Em termos de aviação executiva, continuou, saem de Évora componentes para “os modelos Phenom 100, Legacy 450, 500 e 650”, enquanto, na área da defesa e segurança, as fábricas alentejanas produzem peças para o novo KC-390.

Portugal, referiu o responsável, “mantém-se como um dos principais parceiros estratégicos no exterior” para a construtora aeronáutica brasileira, tal como foi “definido há 10 anos, quando a presença em Évora foi estruturada”.

E é o país, destacou, onde a empresa “continua a desenvolver uma base tecnológica assente em competências avançadas e únicas dentro do grupo”.

A Lusa questionou a Embraer a propósito do KC-390 e sobre o ponto de situação das negociações com o Estado português para a compra de cinco destas aeronaves, mas a empresa limitou-se a dizer que, “por regra”, não cometa “detalhes neste tipo de processos negociais”.

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer foi fundada em 1969 e, até hoje, já entregou mais de oito mil aeronaves.

Líder no fabrico de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil, a empresa possui unidades industriais, escritórios e centros de serviços na América, África, Ásia e Europa.


>>>>>>>>>  https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/construtora-aeronautica-brasileira-embraer-ja-tem-450-trabalhadores-diretos-em-evora
« Última modificação: Abril 12, 2018, 07:37:47 pm por Lusitano89 »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vitor Santos

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11090
  • Recebeu: 385 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47

 

Iniciativa "Compromisso Portugal"

Iniciado por Tiger22

Respostas: 0
Visualizações: 2362
Última mensagem Fevereiro 11, 2004, 04:12:19 pm
por Tiger22
Portugal Confidencial - " A pista da energia" ...

Iniciado por dremanu

Respostas: 5
Visualizações: 3390
Última mensagem Abril 27, 2004, 11:28:13 am
por ferrol
Rede Logística Nacional / Portugal "Logístico"

Iniciado por Marauder

Respostas: 0
Visualizações: 1783
Última mensagem Julho 15, 2006, 09:20:16 am
por Marauder
Portugal pode cair na dependência assistida como Sul Itália

Iniciado por Marauder

Respostas: 8
Visualizações: 2933
Última mensagem Maio 09, 2006, 11:55:00 pm
por NVF
El Corte Ingles abre o segundo centro comercial em Portugal

Iniciado por Nadie

Respostas: 4
Visualizações: 3703
Última mensagem Maio 24, 2006, 06:05:52 pm
por Marauder