Substituição dos Lynx

  • 325 Respostas
  • 82609 Visualizações
*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4140
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +56/-0
(sem assunto)
« Responder #60 em: Outubro 20, 2008, 10:57:53 pm »
Citar
Portaria n.º 844/2008
Considerando que a Marinha, para o desempenho da sua missão,
conta no activo de meios operacionais com cinco helicópteros LYNX
Mk95, relativamente aos quais importa assegurar o desenvolvimento e
implementação das modificações necessárias à sua operacionalidade,
manutenção e segurança de voo;
Tendo em conta que, para esse efeito, a Marinha tem necessidade
de adquirir os correspondentes serviços através da celebração de um
contrato que dará origem a encargos orçamentais em mais de um ano
económico;
Considerando que, de acordo com as disposições conjugadas do n.º 2
do artigo 45.º da Lei n.º 91/2001, de 20 de Agosto, alterada e republicada
pela Lei n.º 48/2004, de 24 de Agosto, e do n.º 1 do artigo 22.º do Decreto-
-Lei n.º 197/99, de 8 de Junho, mantido em vigor pelo artigo 14.º do
Decreto -Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro, a abertura do procedimento
relativo a despesas que dêem lugar a encargo orçamental em mais de um
ano económico não pode ser efectivada sem prévia autorização conferida
em portaria conjunta dos Ministros das Finanças e da tutela técnica.
Nestes termos, manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das
Finanças e da Defesa Nacional, o seguinte:
1 — Autorizar a Direcção de Navios a desenvolver os procedimentos
adequados à aquisição de serviços de apoio técnico, desenvolvimento e
implementação de modificações necessárias à operacionalidade, manutenção
e segurança de voo das aeronaves LYNX Mk95, pelo montante
global de € 500 000, acrescido de IVA à taxa legal em vigor.
2 — Os encargos resultantes do contrato não poderão exceder, em
cada ano económico, os seguintes montantes, acrescidos de IVA à taxa
legal em vigor:
2008 — € 166 000;
2009 — € 166 000;
2010 — € 168 000.
3 — Os montantes fixados para 2009 e 2010 poderão ser acrescidos
dos saldos que se apurarem na execução orçamental dos anos anteriores.
4 — Os encargos emergentes da presente portaria serão satisfeitos por
verbas adequadas inscritas e a inscrever no orçamento do Ministério da
Defesa Nacional, Marinha, para os anos de 2008, 2009 e 2010.
5 — A orçamentação das despesas em cada ano será precedida pela
apresentação de programas anuais de execução, elaborados de acordo
com as normas definidas pelo Ministério das Finanças e da Administração
Pública.
2 de Outubro de 2008. — O Ministro de Estado e das Finanças, Fernando
Teixeira dos Santos. — O Ministro da Defesa Nacional, Henrique
Nuno Pires Severiano Teixeira.


http://www.dre.pt/pdf2sdip/2008/10/2030 ... 042581.pdf
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Firefigther

  • 9
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #61 em: Outubro 20, 2008, 11:58:49 pm »
Ñ se pode esqueçer que o Lynx antes d mais é um helicoptero com funções primárias de luta anti-submarina , é verdade que ele foi adaptado pra efectuar outro tipo de trblhs mas luta anti-submarina é a sua matrix principal . . .
Mesmo o substituindo por um nh90 , acho que continua a existir uma lacuna grande , que é a d apoio aos desembarques dos fuzileiros , pegando no exemplo d a uns anos atrás dos acontecimentos ocorridos na Guiné acaba por ser algo comico estar a assistir o desembarque dos fuzileiros na praia com cobertura aerea d linx . . . Sim e verdade que podem efectuar esse tipo d função mas como ja disse a sua matix principal ñ é essa . . .
Porque ñ comprar Super Cobras , Apaches ou aparelhos semelhantes , para fazerem essa ajuda , cobertura aos fuzileiros navais da nossa armada???? algo efectuado tb pelos americanos. . .
É verdade que a armada assim teria que ter dois tipos de helicopteros ( lynx , cobras ) logo mais despesa mas fikaria com uma operacionalidad qualitativa mt superior logo melhor . . .
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7308
  • Recebeu: 594 vez(es)
  • Enviou: 734 vez(es)
  • +78/-27
(sem assunto)
« Responder #62 em: Outubro 21, 2008, 10:05:52 pm »
Citação de: "Firefigther"
Ñ se pode esqueçer que o Lynx antes d mais é um helicoptero com funções primárias de luta anti-submarina , é verdade que ele foi adaptado pra efectuar outro tipo de trblhs mas luta anti-submarina é a sua matrix principal . . .
Mesmo o substituindo por um nh90 , acho que continua a existir uma lacuna grande , que é a d apoio aos desembarques dos fuzileiros , pegando no exemplo d a uns anos atrás dos acontecimentos ocorridos na Guiné acaba por ser algo comico estar a assistir o desembarque dos fuzileiros na praia com cobertura aerea d linx . . . Sim e verdade que podem efectuar esse tipo d função mas como ja disse a sua matix principal ñ é essa . . .
Porque ñ comprar Super Cobras , Apaches ou aparelhos semelhantes , para fazerem essa ajuda , cobertura aos fuzileiros navais da nossa armada???? algo efectuado tb pelos americanos. . .
É verdade que a armada assim teria que ter dois tipos de helicopteros ( lynx , cobras ) logo mais despesa mas fikaria com uma operacionalidad qualitativa mt superior logo melhor . . .



E como pretende transportar os Cobras? No Navio-reabastecedor? Nas Fragatas?
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1210
  • Recebeu: 189 vez(es)
  • Enviou: 162 vez(es)
  • +32/-4
(sem assunto)
« Responder #63 em: Outubro 21, 2008, 11:01:54 pm »
E como já foi dito noutros tópicos noutros contextos, não basta tê-los é preciso também mantê-los, além dos treinos de tripulações, manutenção, cadeia logística... e duplicação de meios inter-Ramos...
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

Nuno Calhau

  • Perito
  • **
  • 342
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #64 em: Outubro 21, 2008, 11:57:03 pm »
Só espero que seja desta que a manutenção da frota seja entregue às OGMA.

Peca é por pouco o número de helis disponíveis VS o número de fragatas também ao serviço.

Um Abraço.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7308
  • Recebeu: 594 vez(es)
  • Enviou: 734 vez(es)
  • +78/-27
(sem assunto)
« Responder #65 em: Outubro 22, 2008, 01:06:13 am »
Citação de: "Nuno Calhau"
Só espero que seja desta que a manutenção da frota seja entregue às OGMA.

Peca é por pouco o número de helis disponíveis VS o número de fragatas também ao serviço.

Um Abraço.


E o pessoal das OGMA também vai embarcado nas Fragatas? É o que Destacamento do Lynx nas Fragatas não é só o helicoptero e os pilotos, também tem ground crew.
 

*

Firefigther

  • 9
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #66 em: Outubro 22, 2008, 12:20:27 pm »
Agora uma resposta algo leviana ao user Ligthning , falei em Cobra por falar para dar estilo exemplo , poderia ser outro aparelho do msm género ( ex: Kawasaki Oh-1 Ninja , A 129 Mangusta , Mi-28 , etc . . .) que existem alem deste para apoiar o desembarque dos fuzileiros isso daria uma operacionalidade maior e uma resposta mais musculada dos ares para proteger,cobrir melhor os nossos Fuzileiros . . .
Logicamente que se teria que estudar qual o aparelho que melhor se adequa-se ao pretendido , dimensões , etc ,etc . . .

Pergunta-m como os transportaria , eu na minha humilde opinião faria os transportar nas fragatas como os Lyns , senão vejamos :

Neste momento temos as Tres fragatas Classe Vasco da Gama e mais Duas prestes algo semelhantes a estas segundo a critica mais experiente a vir da Classe Bartolomeu Dias ambas levam helicopteros segundo dados tecnicos as primeiras levam até dois por fragata as segundas somente um por fragata fazendo por isso o numero ideal d Lynx a ter o de 9 se temos 5 fika-s com algum espaço d manobra pra adquirir estes tipo de helicopteros que falei pra apoiar os Fuzos . . .
É certo que nas novas (usadas)Fragatas Bartolomeu Dias  eles ñ têm lugar porque como ja disse anteriormente nas suas caracteristicas tecnicas ao que pode apurar só tem lugar pra um helicoptero mas na Vasco da Gama têm . . .
A minha humilde ideia seria adquirir mais um Lynx pra fikar-mos com 6 que seria o numero ideal e depois 3 ou 4 do estilo Cobra . . .


Já sei que me vai perguntar e depois manutenção???? . . .

E eu respondo claro que ñ se pode fazer omoletes sem ovos , vai ser uma manutenção mais dispendiosa pk são duas aeronaves diferentes , a logistica tb será difrente , qt ao pessoal tlvz ñ precise-mos d ter uma duplicação dos meios humanos se treinar-mos, ensinar-mos eles ( mecânicos e outros ) a operarem nos dois tipos d aparelhos mesmo sendo eles difrentes. . . Ñ se pode esqueçer que estamos hoje em dia num mundo de forças armadas 100% profissionais e deve-mos exigir mais empenho a estes profissionais mas tb dar mais incentivos , beneficios mas isso agora era outra conversa que ñ será a mais adequada pra s ter neste tópico ...


Agora gostaria de ouvir outras opiniões validas , msm que sejam diferentes das minhas mas que apresentam ideias novas , porque isso sim é que é evoluir . . .
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #67 em: Outubro 22, 2008, 02:47:47 pm »
Firefigther escreveu:

Citar
Neste momento temos as Tres fragatas Classe Vasco da Gama e mais Duas prestes algo semelhantes a estas segundo a critica mais experiente a vir da Classe Bartolomeu Dias ambas levam helicopteros segundo dados tecnicos as primeiras levam até dois por fragata as segundas somente um por fragata fazendo por isso o numero ideal d Lynx a ter o de 9 se temos 5 fika-s com algum espaço d manobra pra adquirir estes tipo de helicopteros que falei pra apoiar os Fuzos . . .
É certo que nas novas (usadas)Fragatas Bartolomeu Dias eles ñ têm lugar porque como ja disse anteriormente nas suas caracteristicas tecnicas ao que pode apurar só tem lugar pra um helicoptero mas na Vasco da Gama têm . . .
A minha humilde ideia seria adquirir mais um Lynx pra fikar-mos com 6 que seria o numero ideal e depois 3 ou 4 do estilo Cobra . . .


Encarando isto apenas como um exercício académico, claro que seria uma ideia o NRP D. Sebastião com três EH 101 CSAR e dois novos Lynx navais com metralhadoras e rockets, e os 6 NPO com hângar e quatro helicópteros ligeiros.
E mais um submarino, um AOR com mais dois helicópteros de transporte,
e oito patrulhas costeiros e três draga/caça-minas, e duas fragatas AAW com mais dois helicópteros, e mais um submarino, e duas Absalon.
Acho que não me esqueci de nada.
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 470
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #68 em: Outubro 22, 2008, 03:10:17 pm »
Citação de: "luis filipe silva"
Firefigther escreveu:

Citar
Neste momento temos as Tres fragatas Classe Vasco da Gama e mais Duas prestes algo semelhantes a estas segundo a critica mais experiente a vir da Classe Bartolomeu Dias ambas levam helicopteros segundo dados tecnicos as primeiras levam até dois por fragata as segundas somente um por fragata fazendo por isso o numero ideal d Lynx a ter o de 9 se temos 5 fika-s com algum espaço d manobra pra adquirir estes tipo de helicopteros que falei pra apoiar os Fuzos . . .
É certo que nas novas (usadas)Fragatas Bartolomeu Dias eles ñ têm lugar porque como ja disse anteriormente nas suas caracteristicas tecnicas ao que pode apurar só tem lugar pra um helicoptero mas na Vasco da Gama têm . . .
A minha humilde ideia seria adquirir mais um Lynx pra fikar-mos com 6 que seria o numero ideal e depois 3 ou 4 do estilo Cobra . . .

Encarando isto apenas como um exercício académico, claro que seria uma ideia o NRP D. Sebastião com três EH 101 CSAR e dois novos Lynx navais com metralhadoras e rockets, e os 6 NPO com hângar e quatro helicópteros ligeiros.
E mais um submarino, um AOR com mais dois helicópteros de transporte,
e oito patrulhas costeiros e três draga/caça-minas, e duas fragatas AAW com mais dois helicópteros, e mais um submarino, e duas Absalon.
Acho que não me esqueci de nada.


 E o NRP "Cavour"?
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 470
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #69 em: Outubro 22, 2008, 03:12:49 pm »
Citação de: "Firefigther"
Agora uma resposta algo leviana ao user Ligthning , falei em Cobra por falar para dar estilo exemplo , poderia ser outro aparelho do msm género ( ex: Kawasaki Oh-1 Ninja , A 129 Mangusta , Mi-28 , etc . . .) que existem alem deste para apoiar o desembarque dos fuzileiros isso daria uma operacionalidade maior e uma resposta mais musculada dos ares para proteger,cobrir melhor os nossos Fuzileiros . . .
Logicamente que se teria que estudar qual o aparelho que melhor se adequa-se ao pretendido , dimensões , etc ,etc . . .

Pergunta-m como os transportaria , eu na minha humilde opinião faria os transportar nas fragatas como os Lyns , senão vejamos :

Neste momento temos as Tres fragatas Classe Vasco da Gama e mais Duas prestes algo semelhantes a estas segundo a critica mais experiente a vir da Classe Bartolomeu Dias ambas levam helicopteros segundo dados tecnicos as primeiras levam até dois por fragata as segundas somente um por fragata fazendo por isso o numero ideal d Lynx a ter o de 9 se temos 5 fika-s com algum espaço d manobra pra adquirir estes tipo de helicopteros que falei pra apoiar os Fuzos . . .
É certo que nas novas (usadas)Fragatas Bartolomeu Dias  eles ñ têm lugar porque como ja disse anteriormente nas suas caracteristicas tecnicas ao que pode apurar só tem lugar pra um helicoptero mas na Vasco da Gama têm . . .
A minha humilde ideia seria adquirir mais um Lynx pra fikar-mos com 6 que seria o numero ideal e depois 3 ou 4 do estilo Cobra . . .


Já sei que me vai perguntar e depois manutenção???? . . .

E eu respondo claro que ñ se pode fazer omoletes sem ovos , vai ser uma manutenção mais dispendiosa pk são duas aeronaves diferentes , a logistica tb será difrente , qt ao pessoal tlvz ñ precise-mos d ter uma duplicação dos meios humanos se treinar-mos, ensinar-mos eles ( mecânicos e outros ) a operarem nos dois tipos d aparelhos mesmo sendo eles difrentes. . . Ñ se pode esqueçer que estamos hoje em dia num mundo de forças armadas 100% profissionais e deve-mos exigir mais empenho a estes profissionais mas tb dar mais incentivos , beneficios mas isso agora era outra conversa que ñ será a mais adequada pra s ter neste tópico ...


Agora gostaria de ouvir outras opiniões validas , msm que sejam diferentes das minhas mas que apresentam ideias novas , porque isso sim é que é evoluir . . .


 Firefighter

 É simples, NÃO EXISTE DINHEIRO.
 Existe uma unica força de fuzileiros no planeta que utiliza helicopteros de ataque, o US Marine Corps. E por boas razões, são caros de adquirir, de operar e de manter... O Pentagono tem 600 BILIÕES de Dolares para gastar, mais de 50% do que é gasto em defesa no planeta inteiro...
 Se os Royal Marines não têm helis de ataque, se a Marine Nationale também não tem helis de ataque, se a Marinha Chinesa também não tem helis de ataque...
« Última modificação: Outubro 22, 2008, 03:15:35 pm por Sintra »
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #70 em: Outubro 22, 2008, 03:14:22 pm »
Sintra escreveu:
Citar
E o NRP "Cavour"?

Isso só depois dos F 35, dos V 22 e dos Viana do Castelo.
P.S. Por ordem de entrega à Armada.
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

Nuno Calhau

  • Perito
  • **
  • 342
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #71 em: Outubro 22, 2008, 04:06:43 pm »
Perdão! :oops:

Depreendi que seria para novo contrato de manutenção, mas em terra.

Um Abraço.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7308
  • Recebeu: 594 vez(es)
  • Enviou: 734 vez(es)
  • +78/-27
(sem assunto)
« Responder #72 em: Outubro 22, 2008, 04:28:08 pm »
Citação de: "Nuno Calhau"
Perdão! :oops:

Depreendi que seria para novo contrato de manutenção, mas em terra.

Um Abraço.


Na Força Aérea a quase totalidade das suas aeronaves fazem as inspecções de 3º Escalão nas OGMA.
 

*

Nuno Calhau

  • Perito
  • **
  • 342
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #73 em: Outubro 22, 2008, 06:22:33 pm »
Foi por esse motivo que comentei que seria bom para as OGMA finalmente poder fazer a manutenção aos Lynx.
Dado que a FAP é a principal cliente das ditas oficinas.

Um Abraço.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7308
  • Recebeu: 594 vez(es)
  • Enviou: 734 vez(es)
  • +78/-27
(sem assunto)
« Responder #74 em: Outubro 22, 2008, 08:21:42 pm »
Citação de: "Firefigther"
Agora uma resposta algo leviana ao user Ligthning , falei em Cobra por falar para dar estilo exemplo , poderia ser outro aparelho do msm género ( ex: Kawasaki Oh-1 Ninja , A 129 Mangusta , Mi-28 , etc . . .) que existem alem deste para apoiar o desembarque dos fuzileiros isso daria uma operacionalidade maior e uma resposta mais musculada dos ares para proteger,cobrir melhor os nossos Fuzileiros . . .
Logicamente que se teria que estudar qual o aparelho que melhor se adequa-se ao pretendido , dimensões , etc ,etc . . .

Pergunta-m como os transportaria , eu na minha humilde opinião faria os transportar nas fragatas como os Lyns , senão vejamos :

Neste momento temos as Tres fragatas Classe Vasco da Gama e mais Duas prestes algo semelhantes a estas segundo a critica mais experiente a vir da Classe Bartolomeu Dias ambas levam helicopteros segundo dados tecnicos as primeiras levam até dois por fragata as segundas somente um por fragata fazendo por isso o numero ideal d Lynx a ter o de 9 se temos 5 fika-s com algum espaço d manobra pra adquirir estes tipo de helicopteros que falei pra apoiar os Fuzos . . .
É certo que nas novas (usadas)Fragatas Bartolomeu Dias  eles ñ têm lugar porque como ja disse anteriormente nas suas caracteristicas tecnicas ao que pode apurar só tem lugar pra um helicoptero mas na Vasco da Gama têm . . .
A minha humilde ideia seria adquirir mais um Lynx pra fikar-mos com 6 que seria o numero ideal e depois 3 ou 4 do estilo Cobra . . .

Então fazendo aqui um ponto de situação.
Actualmente quantos fuzileiros consegue a Marinha transportar para um desenbarque com todo o material necessário, veiculos, etc,etc? De certeza que não são muitos, talvez 100 ou 200, e mesmo 200 tenho dúvidas, por isso é que se falar no tal Navpol :wink: .

Além disso a Marinha tem coisas mais importantes em que se preocupar do que em helicopteros de ataque para apoiar ipotéticos desembarques de fuzileiros, tem que se preocupar com estado actual da esquadra de superfície.

Citar
Já sei que me vai perguntar e depois manutenção???? . . .

E eu respondo claro que ñ se pode fazer omoletes sem ovos , vai ser uma manutenção mais dispendiosa pk são duas aeronaves diferentes , a logistica tb será difrente , qt ao pessoal tlvz ñ precise-mos d ter uma duplicação dos meios humanos se treinar-mos, ensinar-mos eles ( mecânicos e outros ) a operarem nos dois tipos d aparelhos mesmo sendo eles difrentes. . . Ñ se pode esqueçer que estamos hoje em dia num mundo de forças armadas 100% profissionais e deve-mos exigir mais empenho a estes profissionais mas tb dar mais incentivos , beneficios mas isso agora era outra conversa que ñ será a mais adequada pra s ter neste tópico ...


Em relação a não ser preciso uma duplicação de pessoal, talvez não seja, não sei como é que a Marinha funciona nesse aspecto, na Força Aérea só se é piloto ou mecânico de uma unica aeronave de cada vez, e eu concordo com esse método, penso que ser profissional é ser bom numa coisa e não ser suficiente em duas ou três.
 

 

Substituição das Fragatas Classe Vasco da Gama

Iniciado por tenente

Respostas: 239
Visualizações: 34116
Última mensagem Julho 02, 2019, 03:57:48 pm
por Stalker79
Armada na Nauticampo (Fuzos, LARC-5, Lynx, etc.)

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 43
Visualizações: 32966
Última mensagem Outubro 21, 2008, 10:10:41 pm
por Tilt
Venda de 2 corvetas e 2 Lynx ao Uruguai

Iniciado por Johnnie

Respostas: 15
Visualizações: 6235
Última mensagem Abril 01, 2013, 04:57:01 pm
por P44