Pak-Fa para o Brasil

  • 13 Respostas
  • 6040 Visualizações
*

Oziris Lucio

  • Membro
  • *
  • 10
  • +0/-0
Pak-Fa para o Brasil
« em: Abril 16, 2008, 07:57:25 pm »
COMFIRMADO!

Ministro Mangabeira Unger firma acordo para participação no
desenvolvimento de avião militar de última geração. Parceria
estratégica envolve também programa espacial

FONTE: Pedro Paulo Rezende da equipe do Correio

O Brasil vai participar do programa de desenvolvimento de um avançado
avião de combate, o PAK-FA T-50, que será fabricado pela empresa
russa Sukhoi. O aparelho, invisível ao radar, promete desempenho
igual ou superior ao caça F-22 Raptor, fabricado pelos Estados Unidos
(o mais caro do mundo, ao custo unitário de US$ 225 milhões), e deve
fazer seu primeiro vôo em, no máximo, dois anos.

A construção da nova aeronave é apenas parte de um amplo memorando de
entendimento, negociado em Moscou em fevereiro e assinado ontem pelo
ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, e pelo
secretário do Conselho de Segurança da Federação Russa, Valentin
Alekseevitch. O acordo-quadro lança uma ampla cooperação entre os
dois países, inclusive de tecnologias consideradas sensíveis. Na área
espacial, estão previstas a construção de um novo veículo lançador e
de satélites de comunicação e sensoriamento remoto. O uso da Base
Aeroespacial de Alcântara por uma nova empresa binacional também será
contemplado pelo tratado.

Ao falar do PAK-FA, Mangabeira destacou que "será um caça de quinta
geração". O custo total previsto é de cerca de US$ 20 bilhões, a ser
dividido em cotas entre Rússia, Brasil e Índia, que também participa
do programa. O preço unitário, mais baixo que o dos caças europeus de
quarta geração, ficará emUS$ 80 milhões, aproximadamente.
Os aviões de combate de quinta geração, além de invisíveis ao radar,
também são capazes de atingir velocidade supersônica usando meia
potência do motor, o que reduz o gasto de combustível, amplia o raio
de ação e diminui o tempo de engajamento do inimigo. Atualmente,
apenas os norte-americanos possuem aparelhos com essas
características em operação, os F-22 Raptor. Um modelo mais barato, o
F-35 Lightning, que custa US$ 135 milhões, está em fase de
certificação. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou a ver uma
demonstração do caça em sua visita aos EUA, mas o aparelho foi
descartado por não oferecer transferência de tecnologia.

"Não estamos interessados em comprar bens acabados, mas em parcerias
que possam fortalecer a capacidade tecnológica de ambos", destacou o
ministro. Além da Rússia, China e Japão também trabalham em aviões de
quinta geração, mas o projeto PAK-FA, que começou há 10 anos, é o que
se encontra em estágio mais avançado.

VLS

A Rússia já colabora com o Brasil na área espacial. Um grupo de
especialistas encontra-se em São José dos Campos, onde assessora o
programa do Veículo Lançador de Satélites (VLS). Os russos participam
do projeto de um novo primeiro estágio, a combustível líquido em
lugar de sólido, para o foguete, que coleciona uma série de fracassos
desde a primeira tentativa de disparo, em 1997. O país mantém ainda
programas de transferência tecnológica com a Ucrânia, para a produção
de foguetes, e com a França, que pretende fabricar helicópteros
médios em Minas Gerais e submarinos no Rio de Janeiro
""Si vis pacem, para bellum.""
 

*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 367
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Abril 16, 2008, 08:17:20 pm »
:shock:  :shock:

A ser verdade, saíu o Jackpot à Rússia...
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

*

Instrutor

  • Investigador
  • *****
  • 1310
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Abril 17, 2008, 12:08:17 pm »
Mais vale fazer as malas e ala para o Brasil . Portugal e toda a sua política nojenta de defesa ja eram... até o Brasil prefere investir no seu proprio armamento do que dar a ganha-lo a outros paises mal agredecidos, hipocritas que se auto intitulam deus no Céu E.U.A na terra. Politicas destas do Brasil de projectar a sua industria militar é que fazia bem a Portugal em vez de andar a engordar os cofres dos outros. Hummm bem ajam Brasil
"Aqui na Lusitanea existe um povo que não se governa nem se deixa governar" voz corrente entre os Romanos do Séc. I a.C
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14980
  • Recebeu: 988 vez(es)
  • Enviou: 938 vez(es)
  • +171/-167
(sem assunto)
« Responder #3 em: Abril 17, 2008, 12:10:41 pm »
Estás a comparar Portugal país com pouco mais de 10 milhões de pessoas com um páis de tamanho continental?!

Achas mesmo que Portugal podia meter-se numa coisa destas?
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Instrutor

  • Investigador
  • *****
  • 1310
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Abril 17, 2008, 12:22:41 pm »
Claro que sim, não digo que sozinho, mas podia ter participado no projecto do Eurotyphoon, ao que parece o projecto do Airbus A-400M tambem ja era, enfim. Não me digam que nao temos dinheiro para conjuntamente com paises como a Espanha, Reino Unido, Alemanha, França e Itália produzirmos os nossos proprios meios de combate.
AAAHHHHH ja me esquecia estamos no nosso velho e querido Portugal, somos o maior produtor de cortiça do mundo, mas enfim vamos comprar as rolhas à Espanha, essa é a nossa política de crescimento e desenvolvimento industrial. É como o problema que afecta a industria automovel, tanto desempregado nesse país fora por causa dos estrangeiros podendo nos produzir marcas nossas e exportar veículos made in Portugal, mas certo estamos em Portugal, é mais barato deixar os milhares de miseráveis no desemprego do que investir na nossa propria industria. Tudo bem é a sobrevivencia em Portugal. Ao menos podemo-nos orgulhar de uma coisa, temos a melhor massa humana para combate 10 milhoes de portugueses especialistas em sobrevivenvia.
"Aqui na Lusitanea existe um povo que não se governa nem se deixa governar" voz corrente entre os Romanos do Séc. I a.C
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14980
  • Recebeu: 988 vez(es)
  • Enviou: 938 vez(es)
  • +171/-167
(sem assunto)
« Responder #5 em: Abril 17, 2008, 02:10:12 pm »
Tanta confusão, então não temos indústria transformadora? A sério? Olha que sim, olha que sim...

A Espanha também tinha a Seat, mas teve que vendê-la à VW, pequenas marcas não conseguem sobreviver hoje em dia no merecado global.

O EFA? Eu até gostava, mas a voar com A-7 do tempo da outra senhora não nos safavamos. Ainda estamos no projecto NH-90, vamos ver se corre tudo bem.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Instrutor

  • Investigador
  • *****
  • 1310
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Abril 17, 2008, 02:31:53 pm »
Vê, o senhor até concorda comigo... eu não digo que construíssemos equipamento militar pesado sozinhos, mas poderiamos construir conjuntamente com países aliados principalmente europeus como os que mencionei, por exemplo podiamos construir avioes, helicopteros, navios de guerra, submarinos carros de combate entre outros equipamentos, e repare tudo o que é europeu é do melhor do mundo:

Avioes de Combate: Typhoon, Gripen, Rafale
Aviões de Transporte: A400M
Helicopteros: Nh-90, Merlin, Tiger, A-109....
Carros de Combate: Leopard II A6
Vasos de Guerra: Fragatas F-100, Contratorpedeiros TYPE45, Fragatas FREMM, as nossas VdG e BD...
Submarinos: Scorpén, U-214 os nossos U-209PN

Repare na riqueza gerada para o nosso país nas contraparditas tecnologicas vindas para a nossas industria, tirando o prestigio internacional pertencer a estes consórcios.
"Aqui na Lusitanea existe um povo que não se governa nem se deixa governar" voz corrente entre os Romanos do Séc. I a.C
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 7682
  • Recebeu: 334 vez(es)
  • Enviou: 586 vez(es)
  • +225/-205
(sem assunto)
« Responder #7 em: Abril 17, 2008, 03:11:27 pm »
No A.400 M já estivémos, infelizmente saímos

Para um País da nossa dimensão, juntar-mo-nos a um consórcio é fundamental, caso contrário ficaremos sempre com as "sobras" (muitas vezes obsoletas), dos outros :?
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

João Oliveira Silva

  • Membro
  • *
  • 195
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #8 em: Abril 17, 2008, 03:37:35 pm »
Amigo:
Ena pá, como vai essa cabecinha...
Citar
Repare na riqueza gerada para o nosso país nas contraparditas tecnologicas vindas para a nossas industria, tirando o prestigio internacional pertencer a estes consórcios.
Bom, também é preciso que eles nos queiram lá. Não basta só nós querer-mos... E depois para que as " contrapartidas tecnologicas vindas para a nossa indústria " é preciso ter industria de ponta para as absorver, não é? afinal em que é que ficamos: temos ou não temos industria?
Olhe que temos, olhe que temos...
Citar
Helicopteros: Nh-90, Merlin, Tiger, A-109....
Vasos de Guerra: Fragatas F-100, Contratorpedeiros TYPE45, Fragatas FREMM, as nossas VdG e BD...
Submarinos: Scorpén, U-214 os nossos U-209PN
Olhe que se esmiuçar bem isto, sempre verá nestas coisas algo " made in Portugal "...

Neste mesmo fórum, dê uma vista em " Economia/ Portugal " e olhe que arrefece um bocado. Conselho de amigo.
http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=5593
http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=4668
http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=4721
e isto é só um bocadinho. Dê uma volta pela net, pesquise e vai ver que arrefece. Até no têxtil já tem agradáveis surpresas.
Cumprimentos,

Aproveito para editar este post com esta notícia divulgada esta tarde pela Lusa:


Citar
Universidade da Beira Interior
Portugueses criam cinta para grávidas que monitoriza saúde do feto
Investigadores da Universidade da Beira Interior UBI) estão a desenvolver o protótipo de uma cinta para grávidas que regista os movimentos do feto,disse hoje à Lusa, Sérgio Lebres, um dos docentes envolvidos no projecto
 

O projecto está a ser desenvolvido em conjunto com o serviço de obstetrícia do Hospital da Covilhã e empresas de electrónica de aplicação específica instaladas no Taguspark, em Oeiras. «O tecido da cinta vai integrar circuitos electrónicos que registam diversos dados, como as movimentações do feto, batimentos cardíacos e que pode ligar um alarme se houver algo errado», explicou Sérgio Lebres.

Os dados serão gravados num cartão de memória e poderão ser descarregados e enviados por correio electrónico para um médico. Poderão também ser acedidos remotamente, uma vez que a cinta vai dispor de conectividade Bluetoohth para integração em redes.

«O produto poderá ser especialmente útil no final da gravidez, em que é obrigatória a realização de exames semanais, embora se saiba que isso nem sempre acontece, especialmente nas zonas do interior do país», adiantou o docente.

A cinta surge como uma solução de telemedicina para rastreio pré-natal, «que permite ao mesmo tempo que a mãe faça as actividades normais do dia-a-dia». A cinta para grávidas é o projecto mais emblemático entre o vestuário inteligente desenvolvido por quatro investigadores de diferentes área e departamentos da UBI (engenharia têxtil, comunicações e micro-electrónica).

«Um outro produto vai monitorizar actividades de reabilitação», podendo ser usado junto a zonas do corpo que tenham sofrido lesões, devido a acidentes ou actividades desportivas. «Os dados recolhidos vão permitir a especialistas perceber a fase de reabilitação em que o paciente se encontra», exemplificou.

A ambição do grupo é que o vestuário inteligente possa cobrir outras necessidades e transmitir dados em tempo real e que um médico ou treinador possa monitorizar actividades de várias pessoas ao mesmo tempo.

A equipa está a ser financiada através de uma candidatura aprovada ainda no âmbito do III Quadro Comunitário de Apoio (QCA). Sérgio Lebres admitiu que a médio prazo se possa tornar num projecto spin off da UBI, «assim haja financiadores que percebam que há mercado para estes produtos».

«É um trabalho especialmente importante para uma região como esta, no interior do país, que precisa de novas empresas e projectos inovadores», acrescentou.

Lusa/SOL
 

*

João Oliveira Silva

  • Membro
  • *
  • 195
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Abril 18, 2008, 04:06:41 pm »
Citar
Mais vale fazer as malas e ala para o brasil

Citar
Cotação alta

Fernando Pinto, o brasileiro que levou a TAP portuguesa às alturas, será convidado para um cargo no governo Lula.
Fonte: O Globo de 17/04/2008

Segundo fontes credíveis o Engº Fernando Pinto já respondeu ao Presidente Lula dizendo que estava muito bem em Portugal.
Ainda bem e basta ver este video recente para perceber porquê.

http://www.youtube.com/watch?v=HrpZWjNAvx0

Cumprimentos,
 

*

zocuni

  • Especialista
  • ****
  • 982
  • Recebeu: 11 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +24/-0
    • http://www.mochileiros.com
(sem assunto)
« Responder #10 em: Maio 04, 2008, 03:15:18 pm »
Citação de: "P44"
No A.400 M já estivémos, infelizmente saímos

Para um País da nossa dimensão, juntar-mo-nos a um consórcio é fundamental, caso contrário ficaremos sempre com as "sobras" (muitas vezes obsoletas), dos outros :?


Complementando.Não só os pequenos países até os grandes se unem em desenvolvimento de projetos militares.Cada vez serão mais raros os projetos únicos.
zocuni
 

*

handrey

  • 5
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Junho 09, 2008, 06:27:36 am »
pessoal o Brasil ñ esta confirmado no pak-fa su-50
só foi feito um memorando,
mais tudo leva a crer que vai sair mesmo,
mais tratando de Brasil ñ da p contar com o ovo no cú da galinha.
_______________________________________
"Às vezes é melhor ficar quieto e deixar que pensem que você é um idiota, do que abrir a boca e não deixar nenhuma dúvida".
 

*

Oziris Lucio

  • Membro
  • *
  • 10
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Junho 26, 2008, 06:26:01 pm »
Coitada da galinha. :rir:
""Si vis pacem, para bellum.""
 

*

Naadjh

  • 67
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #13 em: Junho 27, 2008, 12:15:39 am »
dei uma vista de olhos pelos comentários e digo o seguinte:

1-Quando o Brasil/Rússia e Índia tiverem esse avião pronto já os Americanos tem outra coisa muito melhor.. por isso nada de esperanças..

2-Quanto a Portugal ser um país pequeno, isso não quer dizer nada, a Holanda é mais pequena, a Suíça, Korea e Áustria também, mas isso não impede de ser um grande país...  e agora a pergunta é, e porque é que nós não somos?

No fundo não se resume a tamanho mas sim a importância, senão o Cazaquistão ou mesmo o Sudão seriam melhores..
 

 

Brasil - Licitação de Helicópteros: Ataque e Transporte

Iniciado por Mar Verde

Respostas: 4
Visualizações: 5844
Última mensagem Novembro 24, 2007, 12:42:21 pm
por zocuni
Brasil - programa FX

Iniciado por papatango

Respostas: 34
Visualizações: 11424
Última mensagem Junho 20, 2008, 04:38:11 am
por handrey