Morreu o último combatente francês na 1.ª Guerra Mundial

  • 1 Respostas
  • 1784 Visualizações
*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4140
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +56/-0
Morreu o último combatente francês na 1.ª Guerra Mundial
« em: Março 12, 2008, 05:32:07 pm »
Citar
França: Morreu o último combatente francês na Primeira Guerra Mundial

Paris, 12 Mar (Lusa) - O último combatente da França na Primeira Guerra Mundial, Lazare Ponticelli, morreu hoje aos 110 anos, anunciou a Presidência francesa.  

 

    "Expresso hoje a profunda emoção e infinita tristeza da nação" face ao desaparecimento de Ponticelli, "o último sobrevivente dos combatentes franceses da Primeira Guerra Mundial", declara, em comunicado, o Presidente francês, Nicolas Sarkozy.  

 

    A morte de Ponticelli, de origem italiana, ocorre dois meses depois de falecer um outro sobrevivente dos veteranos da I Grande Guerra (1914-1918), Louis de Cazenave, também aos 110 anos.  

 

    Ponticelli, que vivia nos arredores de Paris, tinha recusado inicialmente cerimónias fúnebres nacionais, propostas pelo governo, mas, no final de Janeiro passado, decidiu aceitar "em nome de todos os que morreram" na guerra.

 

    Uma "homenagem nacional" aos 8,5 milhões de franceses recrutados durante a Primeira Guerra Mundial terá lugar "nos próximos dias", a propósito da morte do último ex-combatente falecido, disse o Presidente francês.  

 

    Ao prestar homenagem a Ponticelli, Sarkozy lembrou o "menino italiano chegado a Paris (aos nove anos) para ganhar a vida e que escolheu ser francês", primeiro "em Agosto de 1914, quando mentiu sobre a sua verdadeira idade e se juntou à Legião Estrangeira para defender a pátria de adopção" e, pela segunda vez em 1921, "quando decidiu instalar-se definitivamente" em França.

 

    Ponticelli nasceu em Itália a 07 de Dezembro de 1897 e participou na tradicional cerimónia de homenagem aos mortos na Guerra, a 11 de Novembro passado, na localidade de Kremlin-Bicêtre, onde residia.  

 

    Segundo o Ministério dos Antigos Combatentes, o último "poilu" (peludo) - como são conhecidos em França os veteranos da Primeira Guerra Mundial porque, durante o conflito, não se poderem lavar, nem barbear, ficando um mês nas trincheiras antes de serem rendidos e enviados para a retaguarda onde podiam comer e dormir à-vontade - morreu às 12:00 (11:00 em Lisboa), na casa da filha.  

 

    Primeiro grande conflito da era contemporânea, a guerra de 1914-18, na qual participaram 19 nações, causou perto de dez milhões de mortos e 20 milhões de feridos, sobretudo entre os soldados.  

 

    Em França, o número de combatentes mortos foi de cerca de 1,4 milhões, dos quais 63.000 tropas coloniais do império. O conflito também fez mais de três milhões de feridos, entre os quais um milhão de inválidos.  

 

    Em quatro anos de conflito, morreram 1,9 milhões de alemães. O principal aliado da Alemanha, o Império Austro-Húngaro sofreu um milhão de mortos.

     

    A Rússia, saída da guerra antes do fim, após a assinatura do armistício no final de 1917 entre a Alemanha e o novo poder dos bolcheviques, perdeu 1,7 milhões de soldados.  

 

    O Reino Unido, aliado da França, contou 760 mil mortos no final do conflito. As forças britânicas foram particularmente atingidas durante a batalha de Somme, em 1916, com 500.000 mortos, feridos ou desaparecidos.  

 

    A Itália, outro aliado da França, perdeu 650 mil homens e os Estados Unidos, último país a entrar na guerra, em Abril de 1917, registou 115 mil mortos.  

 

    Portugal combateu ao lado dos Aliados e, em 1917, as primeiras tropas portuguesas, do Corpo Expedicionário Português, seguiram para a frente de batalha na Europa, em direcção à Flandres. Portugal envolveu-se depois em combates em França. Neste esforço de guerra, chegaram a estar mobilizados quase 200 mil homens. As perdas atingiram quase 10 mil mortos e milhares de feridos.  

 

    O inferno das trincheiras - os combates esporádicos, os gases tóxicos, a artilharia, os ataques com lança-chamas - continua a ser o símbolo da Primeira Guerra Mundial.  
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +15/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Março 12, 2008, 07:53:51 pm »
Que descanse em paz ...

 :Soldado2:  :Soldado2:

 

 

"Memórias da Guerra - 1961-1974"

Iniciado por Lancero

Respostas: 11
Visualizações: 38059
Última mensagem Junho 15, 2007, 04:28:40 pm
por Lancero
Guerra Colonial: Fotos dos "gun trucks"

Iniciado por sprint1050

Respostas: 0
Visualizações: 3622
Última mensagem Agosto 17, 2008, 02:35:53 pm
por sprint1050
Guerra da Cisplatina - O único "revés" militar do Brasil

Iniciado por Vitor Santos

Respostas: 1
Visualizações: 2227
Última mensagem Janeiro 31, 2017, 01:13:01 pm
por Vitor Santos
II GRANDE GUERRA: PORQUE A ALEMANHA NUNCA ATACOU OS EUA ?

Iniciado por Rui Elias

Respostas: 23
Visualizações: 8588
Última mensagem Novembro 20, 2006, 10:53:47 pm
por Sniper
A Guerra Colonial pelos olhos dos nossos pais!!!

Iniciado por 1bimec2000

Respostas: 0
Visualizações: 1891
Última mensagem Novembro 29, 2006, 10:35:18 pm
por 1bimec2000