O galego é unha riqueza que nos abre á lusofonía

  • 66 Respostas
  • 21523 Visualizações
*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15091
  • Recebeu: 1032 vez(es)
  • Enviou: 965 vez(es)
  • +175/-170
(sem assunto)
« Responder #30 em: Fevereiro 22, 2008, 02:55:32 pm »
Citação de: "Luso"
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "Luso"
A Galiza é um espetáculo. Tirando o Nel Liste... :shock:

És mesmo do SIS, pá.

O meu avó paterno era daqueles lados, e creio que um dos meus bisavós era mesmo espanhol. É quase como para uns marotos ter sangue judeu! :shock:  :lol:  :wink:
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

ferrol

  • Analista
  • ***
  • 717
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #31 em: Fevereiro 23, 2008, 10:05:12 am »
Citação de: "papatango"
Já quanto à Galegofonia, a verdade é que a língua galega foi sendo destruida ao longo de séculos. A tentativa de a recuperar durante o século XIX não foi exactamente bem sucedida por causa da política de castelhanização.
Éche unha cousa ben curiosa esta dos idiomas. Se o portugués escomeza a semana no sábado como os saxóns, trátase dunha evolución, se os galegos empezamos os luns, coma os fillos de Roma, é unha destrucción...

O malo de falar de balde, sen ter nin idea do que se escribe e con claros prexuizos do que escribe é que desbota desde un principio as explicacións racionáis para botarse en mans dos séus propios complexos e odios. Así, o galego evoluíu dun xeito distinto ó portugués porque ten unha historia distinta, o que se separóu do idioma orixinal desta esquina da Europa foi o portugués ó separase políticamente primeiro e logo socialmente e idiomáticamente do berce galego.

O galego, con influencias vindas desde os tempos dos celtas, das europas polo camiño de Santiago, das américas pola emigración e as conquistas,  da África pola (escasa) intervención árabe e do español pola Historia común e moitísimo máis grande que a envexa e a descualificación ignorante.

Citação de: "papatango"
A língua galega é aliás um caso único, porque sendo praticamente extinta na sua origem, acabou por se expandir pelos cinco cantos do mundo.
Xa sabía que era un fascista "español", e agora, ademáis, estou extinto. O que se aprende neste foros, por Deus.  :lol:

Citação de: "papatango"
O problema da língua galega é também um problema político, porque nós temos tendência a considerar como mais próximos aqueles que entendemos com maior facilidade. Isto, coloca a Galiza numa situação incómoda perante Madrid.

E coloca a Galiza numa situação incómoda, seja qual for o tipo de governo.
¿Colócanos nunha situación incómoda porque nos entendemos ben con dúas entidades distintas?  :roll:
Tu régere Imperio fluctus, Hispane memento
"Acuérdate España que tú registe el Imperio de los mares”
 

*

Lince

  • Moderador Global
  • *****
  • 241
  • +0/-0
    • http://forumdefesa.com
(sem assunto)
« Responder #32 em: Fevereiro 23, 2008, 02:58:32 pm »
Citação de: "ferrol"
Citação de: "HELLAS"
Se Comanche acha que falar de Galiza é falar de lusofonia, emtao tambem é correcto falar de Galegofonia ou Leaofonia quando se fale de Portugal?
Igual o correcto sería falar da "galegofonía", xa que o portugués e o brasileiro saíron daquí, igual que as linguas latinas son as que derivan do latín, ¿non?

Citação de: "ferrol"
En todo caso, a situación incómoda será para Portugal, que non tendo máis ca un idioma falado nunha rexión ultraperiférica de Europa, escasamente pode ser escoitado no centro. O galego, pertencendo a unha unidade maior e máis importante, ten voz e voto no centro da Europa, aínda sendo ultraperiférico. E sendo ademáis, español, ten casa nos 4 recunchos do mundo, como amosa a emigración ás Américas e os importantes cargos políticos que os galegos temos no estranxeiro...

Firmado: Un "ex-tinto".  :roll:


Cumprimentos

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #33 em: Fevereiro 25, 2008, 06:02:46 pm »
 

*

HELLAS

  • 375
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #34 em: Fevereiro 25, 2008, 07:39:25 pm »
Nao vejo problema nenhum em que em a tv portuguesa poda ver-se em Galiza, nem em qualquer outra terra en Espanha.
A os foristas galegos pregunto, agora em Galiza quantos canais de tv en galego á?Em Catalunha temos 2 tv3 e c33, e a tv espanhola faz cada dia espaços em catalao. Em Valencia esta o Canal 9 em valenciano. Na pais vasco tambem penso que tem dois canais. Pemso que ao final Galiza tem os memos canais na sua lingua que os demais, mas o melhor e que confirmen os foristas galegos.
Alem disto mas ao filo, pemso que ia ser bom que em tuda a peninsula pudera ver-se tudos os canais em qualquer lugar, sem duvidas ia a melhorar a informaçao mutua de tudos os territorios.
Que achas disto Comanche?
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #35 em: Fevereiro 25, 2008, 08:16:28 pm »
Citação de: "HELLAS"
Nao vejo problema nenhum em que em a tv portuguesa poda ver-se em Galiza, nem em qualquer outra terra en Espanha.
A os foristas galegos pregunto, agora em Galiza quantos canais de tv en galego á?Em Catalunha temos 2 tv3 e c33, e a tv espanhola faz cada dia espaços em catalao. Em Valencia esta o Canal 9 em valenciano. Na pais vasco tambem penso que tem dois canais. Pemso que ao final Galiza tem os memos canais na sua lingua que os demais, mas o melhor e que confirmen os foristas galegos.
Alem disto mas ao filo, pemso que ia ser bom que em tuda a peninsula pudera ver-se tudos os canais em qualquer lugar, sem duvidas ia a melhorar a informaçao mutua de tudos os territorios.
Que achas disto Comanche?


Em sinal aberto se os galegos quiserem as televisões portuguesesas estou a favor, TVG a emitir em Portugal em sinal aberto? Por mim tudo bem desde que emita 100% em galaico português e nada de castelhano ou castrapo. Emissão em sinal aberto de televisões espanholas em língua castelhana para Portugal não tem qualquer lógica, não existem afinidades culturais entre o português e o castelhano como existem no sistema galaico português, seria um invasão cultural dos muitos canais em língua castelhana, seria uma catástrofe para a língua portuguesa (o que seria de muito agrado dos castelhanistas), da mesma maneira que não tem lógica emitir os canais portugueses em sinal aberto para outras regiões de Espanha, claro exceptuando a Galiza.
 

*

HELLAS

  • 375
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #36 em: Fevereiro 25, 2008, 08:49:00 pm »
Citação de: "comanche"
Citação de: "HELLAS"
Nao vejo problema nenhum em que em a tv portuguesa poda ver-se em Galiza, nem em qualquer outra terra en Espanha.
A os foristas galegos pregunto, agora em Galiza quantos canais de tv en galego á?Em Catalunha temos 2 tv3 e c33, e a tv espanhola faz cada dia espaços em catalao. Em Valencia esta o Canal 9 em valenciano. Na pais vasco tambem penso que tem dois canais. Pemso que ao final Galiza tem os memos canais na sua lingua que os demais, mas o melhor e que confirmen os foristas galegos.
Alem disto mas ao filo, pemso que ia ser bom que em tuda a peninsula pudera ver-se tudos os canais em qualquer lugar, sem duvidas ia a melhorar a informaçao mutua de tudos os territorios.
Que achas disto Comanche?

Em sinal aberto se os galegos quiserem as televisões portuguesesas estou a favor, TVG a emitir em Portugal em sinal aberto? Por mim tudo desde que emita 100% em galaico português e nada de castelhano. Emissão em sinal aberto de televisões espanholas em língua castelhana para Portugal não tem qualquer lógica, não existem afinidades culturais entre o português e o castelhano como existem no sistema galaico português, seria um invasão cultural dos muitos canais em língua castelhana, seria uma catástrofe para a língua portuguesa (o que seria de muito agrado dos castelhanistas), da mesma maneira que não tem lógica emitir os canais portugueses em sinal aberto para outras regiões de Espanha, claro exceptuando a Galiza.


Alem das tuas fobias com CAstela, o saber nao ocupa lugar, se estas a basar-te so en laços culturais ou linguisticos, pois esta claro que so debia ser galiza vs portugal, mas nao achas que tem logica trocar culturas? porque nao vou a puder gostar de ver tv portuguesa em CAtalunha? nao veja qualquer problema.
Mas emtao devia ter muita logica que se exister tvleao, em Miranda debia puder ver-se nao é?
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #37 em: Fevereiro 25, 2008, 09:23:01 pm »
Citação de: "HELLAS"

Alem das tuas fobias com CAstela, o saber nao ocupa lugar, se estas a basar-te so en laços culturais ou linguisticos, pois esta claro que so debia ser galiza vs portugal, mas nao achas que tem logica trocar culturas? porque nao vou a puder gostar de ver tv portuguesa em CAtalunha? nao veja qualquer problema.
Mas emtao devia ter muita logica que se exister tvleao, em Miranda debia puder ver-se nao é?


Se quiseres ver a televisão portuguesa nada te impede de a ver, não é preciso estar em sinal aberto, da mesma maneira portugueses podem ver televisões espanholas em Portugal (apesar de não estarem em sinal aberto).
Quanto a uma televisão de Leão, como sabes leão foi engolida por castela quer culturalmente quer  politicamente, se existisse emissões televisivas em língua leonesa, e se castela permitisse que essas emissões fossem permitidas em toda a região histórica do reino de Leão (o que eu dúvido), lembra-te que a antiga região de leão que faz fronteira com Portugal está totalmente castelhanizada, a língua leonesa já se extinguiu, e para as emissões em língua leonesa chegarem ao planalto mirandês teriam  então de passar por regiões catelhanizadas a 100%. então essas emissões seriam vistas na região de Miranda, já que é uma região fronteira com o antigo reino de Leão, como sabes nas regiões de fronteira é possivel apanhar os canais dos dois países.
Como falas em troca de culturas? Dás vontade de rir, porque é que as televisões da Galiza, País Basco e Catalunha não se emitem em toda a Espanha? porque é que as televisões em castelhano se emitem em toda a Espanha? E as que emitem em outra línguas não? Porque é que aqui não á troca de culturas? Porque é que em Espanha se dobra todos os filmes em língua não castelhana? Em Portugal põem-se subtitulos, ainda falas em troca de culturas? Em Espanha está tudo direccionado para a imposição do castelhano, é assim que desde sempre castela tem agido e mais tarde Espanha.
Por isso procupa-te primeiro com as trocas de culturas em Espanha, curiosamente não te vejo a reivindicar isso de uma maneira activa, apenas muito raramente com comentários tímidos, ambiguos, frouxos e de circunstância a favor da pluridade de Espanha.
 

*

Roque

  • 84
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #38 em: Fevereiro 25, 2008, 10:41:26 pm »
Citar
porque é que as televisões da Galiza, País Basco e Catalunha não se emitem em toda a Espanha?
Porque son propiedade das dferentes autonomías e a súa licencia redúcese ao ámbito autonómico, da mesma maneira que a television de Madrid so se ve en Madrid e a de Castela e Leon so se ve en Castela e Leon (a non ser que teñas television vía satelite)

Citar
porque é que as televisões em castelhano se emitem em toda a Espanha?

Algunhas television en castelan emitense en toda Espanha. Non creo que resulte moi dificil de entender. Se tes unha TV que pretende chegar a toda a nacion, con 45 millons de habitantes e 45 millon de falantes en español ¿en que idioma emitirías?
É como si pretendes que as cadenas privadas de Portugal emitan en Mirandés en todo o territorio.

Pero claro, seguro que na mente de Comanche os donos de "antena 3" e "telecinco" non pensan nos cartos, senón en someter ao galego e servir a Castela  :roll:
 

*

HELLAS

  • 375
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #39 em: Fevereiro 25, 2008, 11:36:52 pm »
Citação de: "comanche"
Citação de: "HELLAS"

Alem das tuas fobias com CAstela, o saber nao ocupa lugar, se estas a basar-te so en laços culturais ou linguisticos, pois esta claro que so debia ser galiza vs portugal, mas nao achas que tem logica trocar culturas? porque nao vou a puder gostar de ver tv portuguesa em CAtalunha? nao veja qualquer problema.
Mas emtao devia ter muita logica que se exister tvleao, em Miranda debia puder ver-se nao é?


...
Se quiseres ver a televisão portuguesa nada te impede de a ver, não é preciso estar em sinal aberto, da mesma maneira portugueses podem ver televisões espanholas em Portugal (apesar de não estarem em sinal aberto).
Quanto a uma televisão de Leão, como sabes leão foi engolida
por castela quer culturalmente quer  politicamente,
se existisse emissões televisivas em língua leonesa, e se castela permitisse que essas emissões fossem permitidas em toda a região histórica do reino de Leão (o que eu dúvido), lembra-te que a antiga região de leão que faz fronteira com Portugal está totalmente castelhanizada, a língua leonesa já se extinguiu, e para as emissões em língua leonesa chegarem ao planalto mirandês teriam  então de passar por regiões catelhanizadas a 100%. então essas emissões seriam vistas na região de Miranda, já que é uma região fronteira com o antigo reino de Leão, como sabes nas regiões de fronteira é possivel apanhar os canais dos dois países.
Como falas em troca de culturas? Dás vontade de rir, porque é que as televisões da Galiza, País Basco e Catalunha não se emitem em toda a Espanha? porque é que as televisões em castelhano se emitem em toda a Espanha? E as que emitem em outra línguas não? Porque é que aqui não á troca de culturas? Porque é que em Espanha se dobra todos os filmes em língua não castelhana? Em Portugal põem-se subtitulos, ainda falas em troca de culturas? Em Espanha está tudo direccionado para a imposição do castelhano, é assim que desde sempre castela tem agido e mais tarde Espanha.
Por isso procupa-te primeiro com as trocas de culturas em Espanha, curiosamente não te vejo a reivindicar isso de uma maneira activa, apenas muito raramente com comentários tímidos, ambiguos, frouxos e de circunstância a favor da pluridade de Espanha.


Como sempre Comanche muito constructiva a tua atitude....
Agora vamos por partes. Nao vou a negar que o facto que pela uniao de Leao com Castela a lingua leonesa perdiu força,mas isso de que esta extinta nao é verdade,pouco sim, mas existe por varias zonas e con certeza que se fala mais do que se fala o Mirandes que segun voces é lingua oficial. Curiosamente posso dizer emtao que o liones foi engolido pelo portugues na zona norte de Portugal?
Isso de que falas do motivo que nao podem ver-se tudas as tv en tuda Espanha, ja contestou o Roque, e so tu nao podes entender una coisa tao simpel. As tv que emiten em castelhano sao as de ambito nacional, mas estou a ver que nao sabes que a tvespanhola no seu segundo canal emite na lingua propia de cada comunidade. A tv2(tv espanhola) pelo menos em Catalunha emite em catalao durante a metade do dia, pode dizer o mesmo a tv portuguesa em Miranda?.
Isso dos films dobrados e o mais ridiculo escutada em muito tempo. Efectivamente os films sao dobrados,pode ser melhor ou pior, mas nas outras linguas tamben dobran, ao catalao, vasco, galego, valenciano....pregunto, a subtitulaçao em mirandes quando é emitido un film ou so se faz em portugues?
Os meus comentarios de troca cultural nem sao timidos, nem poucos, nem ambiguos, pois como podes ver eu tento aprender portugues, como podes sou eu quem neste debate esta a proponer puder ver tv de qualquer parte da peninsula seja qual seja a lingua, emtao? nao percebo nada. Diz, quais sao os teus comentarios de troca cultural?.Das varias linguas faladas na peninsula, falo castelhano e catalao como linguas propias, o portugues temto fazer un esforço, o valenciano meio falo, e em breve vou iniciar curso de iniciaçao da lingua Aranesa. Diz, quantas linguas da peninsula falas tu? pregunto isso, porque ja estas a acusar-me de coisas que sao falsas.
Eu tento ser constructivo contigo e con tudos, mas tu nao estas a colaborar em nada. Eu nao sou inimigo teu, nem dos portugueses, nem sou un cavaleiro castelhano que vai ir a conquesta de Portugal.
Boas noites.
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #40 em: Fevereiro 25, 2008, 11:51:32 pm »
Citação de: "Roque"
Citar
rque é que as televisões da Galiza, País Basco e Catalunha não se emitem em toda a Espanha?
Porque son propiedade das dferentes autonomías e a súa licencia redúcese ao ámbito autonómico, da mesma maneira que a television de Madrid so se ve en Madrid e a de Castela e Leon so se ve en Castela e Leon (a non ser que teñas television vía satelite)


Pero claro, seguro que na mente de Comanche os donos de "antena 3" e "telecinco" non pensan nos cartos, senón en someter ao galego e servir a Castela  :roll:


Não tentes mudar o contexto das minhas afirmações eu apenas respondia a Hellas que queria emitir em sinal aberto televisões de língua castelhana em Portugal, país aonde essa língua não é própria, talvez pense fazer o mesmo a Portugal o mesmo que castela fez e faz nas regiões de Espanha aonde essa língua não é própria ou seja, seria como se ampliasse a sua licença a Portugal.
Eu disse se Hellas diz prezar tanto a troca de culturas, devia começar por Espanha, país aonde as trocas culturais/línguisticas se dão apenas num sentido, por isso lhe disse para apoiar a emissão dos canais das comunidades históricas(de língua própria não castelhana) em toda a Espanha.


Existe um grande desiquilibrio nas comunidades históricas de língua não própria castelhana, são muitos canais em língua castelhana, para poucos em língua própria na Galiza, Catalunha e País Basco, estas línguas estão a ser asfixiadas pela avalanche de canais em língua castelhana (mas isso já vocês sabem, castelhanos e castelhanizados muito se alegram com isso). Muito gostam de falar na língua mirandesa (é que esta é defendida em Portugal e muito bem! Tomaram os leoneses, aragoneses, asturianos etc. terem o estatuto que a língua mirandesa tem em Portugal, a língua mirandesa fala-se (toda a gente a usa no dia a dia) numa pequena região de Portugal e é comparável em Espanha ao vale de Arão na Catalunha quer em área quer em numero de falantes(língua também ela oficial na Catalunha).

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mirand%C3%AAs

http://es.wikipedia.org/wiki/Valle_de_Ar%C3%A1n
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #41 em: Março 19, 2008, 07:19:34 pm »
Galiza lusófona

Campeonato da Língua Portuguesa


Entre as escolas que participaram este ano na iniciativa, uma fica em Lugo, Espanha.

Citar
Para a edição de 2008 há já concorrentes com a pontuação máxima acumulada nos três testes: 405 individuais e 156 alunos (através do 'Especial Escolas'). São eles os apurados para uma semifinal que está disponível na Internet para os individuais até ao próximo dia 17 e, para as escolas, até hoje, 15 ( www.linguaportuguesa.aeiou.pt ). Estes testes servem para fazer uma triagem antes da finalíssima, que irá decorrer a 12 de Abril, no Centro Cultural de Belém.

Em 2008 concorreram 22.664 individuais e 17.687 alunos, tendo participado 367 escolas. Uma dessas instituições de ensino fica em Lugo, na Galiza (Espanha): trata-se do IES (Instituto de Educación Secundaria) Nosa Señora dos Ollos Grandes. Alexandre Fernández Crende, estudante de Português ali, é um dos 156 felizardos. A sua distinção teve direito a notícia na página de abertura do "site" do instituto. Que leva o nome da imagem quatrocentista (de olhos muito abertos) existente na capela homónima da catedral da cidade.

"Nosa Señora..." (em galego), "Nuestra Señora de los Ojos Grandes" (castelhano) ou 'Nossa Senhora dos Olhos Grandes'? Pois foi com esta designação lusa que Maria José Diaz Pinheiro inscreveu o instituto. A docente das línguas portuguesa e galega, professora de Alexandre, explica: "Há uma norma para o Galego, que o rege oficialmente. Mas não é uma norma-padrão. E nem todos concordam com ela, muito influenciada pelo castelhano". Maria José participa no campeonato desde a primeira edição e, a partir de 2008, no Especial Escolas: "Achamos que o Português é a nossa língua e é uma maneira de nos unirmos à lusofonia. A Galiza também quer aí estar".

A professora queixa-se, aliás, de um "medo latente" da força do idioma de Camões: uma atitude que levará responsáveis educativos a limitar a carga horária das aulas e a dificultar as vagas de acesso. É por isso que, em sua opinião, "há muitos licenciados em Filologia Portuguesa desempregados", numa região onde, paradoxalmente, a língua de Eça e de Torga tem grande procura.


http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/268236
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #42 em: Abril 09, 2008, 07:13:02 pm »
Galiza ten voz, por vez primeira, na Assembleia da República portuguesa

Citar
Segundo contan dende a web da Associaçom Galega da Língua (AGAL), esta segunda feira 7 de abril foi un dia histórico non só para a Galiza lusófona, senón tamén para a lingua galega, posto que na Conferencia Internacional Parlamentar sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, organizada pola Comissão de Ética, Sociedade e Cultura da Assembleia da República, participaron dous galegos: Alexandre Banhos, presidente desta asociación, e Ângelo Cristóvão, presidente da Associação Pró-Academia Galega da Língua Portuguesa.

Ámbolos dous interviron na conferencia en representación das organizacións da Galiza lusófona; a mesma AGAL (Associaçom Galega da Língua); a Associação de Amizade Galiza-Portugal (AAG-P); a Associação Pró Academia Galega da Língua Portuguesa; a Associação Sócio-pedagógica Galaico-Portuguesa (ASPG-P); e o Movimento de Defesa da Língua (MDL).

A unidade do movemento reintegracionista demostrouse en Portugal
Despois de se pechar a sesión, chegou a quenda dos galegos, comezando por Banhos, quen se amosou satisfeito por poder falar na Assembleia da República portuguesa, feito que el vía como un recoñecemento oficial do carácter lusófono de Galiza. Pódese consultar enteiro o comunicado que por el foi lido, na web da AGAL en pdf.

Despois chegou a quenda de Cristóvão, quen falou da unidade demostrada polo movemento reintegracionista, creada grazas ao esforzo das entidades, que aínda han dar "novos froitos", e leu un comunicado sobre a posición das entidades reintegracionistas sobre o papel da futura Academia Galega da Língua Portuguesa.
Nesta terza membros da AGAL reuníronse con representantes da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) e co Presidente do Instituto Nacional da Língua Portuguesa. Tamén Ângelo Cristóvão e a Associação Pró-AGLP desenvolveron un encontro co Presidente da Academia das Letras de Lisboa.


http://www.vieiros.com/nova/65752/galiza-ten-voz-por-vez-primeira-na-assembleia-da-republica-portuguesa


Ver video na assembleia da República portuguesa
http://www.youtube.com/watch?v=sGdvB555NnE
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #43 em: Abril 09, 2008, 07:32:16 pm »
O Parlamento galego aprova por unanimidade a difusão do sinal das TV portuguesas

Citar
O Parlamento aproba por unanimidade unha proposta presentada por Bieito Lobeira, pero Bloque e PSOE discuten abertamente sobre se o galego e o portugués son a mesma lingua.

 
 Bieito Lobeira dialoga con Laura Sánchez Piñón. AGN “Hai nenos en Galiza que saben o que significa ‘Friday’ pero non ‘sexta-feira’”. Este foi un dos argumentos do deputado nacionalista Bieito Lobeira para defender unha Proposición non de Lei a prol de que as televisións e radios portuguesas se poidan recibir no país. O Parlamento aprobou por unanimidade a proposta, tras modificala nunha rápida negociación entre PP, PSOE e Bloque. Malia estar de acordo en que a televisión lusa se reciba en Galiza “no prazo máis inmediato posíbel”, os socios do bipartito mostraron sen reparos as súas diferencias no status da lingua .

Unha lingua ou dúas

“Galegos e portugueses compartimos un mesmo sistema lingüístico” argumentou Lobeira. Idea quen no comparte o deputado socialista Francisco Cerviño quen, citando a filóloga Pilar Vázquez Cuesta, cre que “son linguas moi próximas pero diferentes, sobre todo no eido fonético”. Cerviño mesmo admitiu que entende mellor o italiano que o portugués de Lisboa, algo que para Lobeira considerou que non é “normal”.

Postura do PP

Pola súa banda, o PP mantívose en todo momento á marxe do debate puramente lingüístico. O parlamentario conservador Diego Calvo limitouse a criticar a Xunta por, na súa opinión, desfacer o achegamento co norte do Estado veciño logrado durante a Era Fraga a través de organismos como o Eixo Atlántico.

En opinión do Bloque, non hai impedimentos técnicos para a difusión do sinal luso. Opinión rebatida por PSOE e PP, que presentaron respectivamente emendas para supeditar a difusión á adaptación técnica da nova Televisión Dixital Terrestre (TDT) e a que Portugal permita a recepción das canles españolas no seu territorio. O pacto final eliminou estas emendas, pero especifica solicitar que as radios e televisións galegas tamén se emitan no estado veciño.

O PSOE fala de lingua enferma

Os tres partidos concordan en que a chegada das televisións lusas ao país será positiva. En opinión de Cerviño “contribuiría a evitar a morte da nosa lingua, que está gravemente enferma”. Para Lobeira, que apostou pola difusión das catro canles lusas que emiten en aberto, axudaría a “rematar con cinco séculos de prexuízos históricos inducidos cunha clara finalidade política”. Calvo mesmo defendeu que as emisoras do país veciño dispoñan dun ‘multiplex’ propio na TDT, algo que atrasaría a difusión pois obrigaría a apertura dun concurso público para esas canles.


http://www.anosaterra.org/index.php?p=nova&id_nova=7412
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #44 em: Abril 18, 2008, 06:17:03 pm »
TVs Portuguesas na Galiza - Vídeo Debate no Parlamento da Galiza

http://agal-gz.org/modules.php?name=News&file=articlecomments&sid=4270
 

 

CPLP debate força de paz da lusofonia

Iniciado por Fábio G.

Respostas: 26
Visualizações: 13249
Última mensagem Outubro 19, 2007, 11:38:13 pm
por PereiraMarques