Opinião - A Pirataria moderna e modo de a combater

  • 4 Respostas
  • 2631 Visualizações
*

Miguel Silva Machado

  • Perito
  • **
  • 485
  • +0/-0
    • http://www.operacional.pt/
Opinião - A Pirataria moderna e modo de a combater
« em: Março 25, 2010, 01:59:13 pm »
Artigo de João José Brandão Ferreira, tenente-coronel piloto-aviador na situação de reforma, bem conhecido do público português que se interessa pela “coisa militar”. Hoje aborda a questão da “pirataria” e, como sempre, é bem claro nas suas opiniões.

http://www.operacional.pt/a-pirataria-m ... -combater/

Miguel Silva Machado
http://www.operacional.pt/
 

*

Camuflage

  • Investigador
  • *****
  • 1225
  • Recebeu: 65 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +7/-30
Re: Opinião - A Pirataria moderna e modo de a combater
« Responder #1 em: Março 25, 2010, 02:04:20 pm »
Pena que o tema central tenha sido esquecido, as costas dos países que alojam os tidos piratas, ficaram ressentidas com o aumento de tráfego marítimo que por norma costuma fazer lavagens de navios, libertam fuel ou ainda carga próximo das zonas costeiras, que por sua vez afectam a fauna e as economias baseadas nas actividades piscatórias. Sem outro meio de sobrevivência em países cujos Estados são quase fictícios ou dominados por elites ou fanáticos, a criminalidade torna-se uma forma de angariar fundos.
 

*

ShadIntel

  • Investigador
  • *****
  • 1510
  • +0/-0
Re: Opinião - A Pirataria moderna e modo de a combater
« Responder #2 em: Março 25, 2010, 04:53:15 pm »
Citação de: "Camuflage"
Pena que o tema central tenha sido esquecido, as costas dos países que alojam os tidos piratas, ficaram ressentidas com o aumento de tráfego marítimo que por norma costuma fazer lavagens de navios, libertam fuel ou ainda carga próximo das zonas costeiras, que por sua vez afectam a fauna e as economias baseadas nas actividades piscatórias. Sem outro meio de sobrevivência em países cujos Estados são quase fictícios ou dominados por elites ou fanáticos, a criminalidade torna-se uma forma de angariar fundos.
Essa possível causa não foi esquecida pelo TCor Brandão Ferreira; não foi é desenvolvida, o que não impede ninguém de pesquisar e reflectir para formar a sua própria opinião sobre o assunto.

 :arrow:
Citar
falou-se na existência de estados falhados  (...)  na incapacidade de certas populações ribeirinhas se dedicarem à pesca artesanal (por via da poluição, pesca ilegal alheia, etc.).
Cada um tem a sua opinião, mas é o eterno debate: será que o tipo que anda a vender droga ou a assaltar o faz por não ter outra possibilidade de sobreviver, ou porque ganha num dia o que ganharia num mês com um trabalho honesto ?

Há sem dúvida entre esses piratas modernos alguns pescadores honestos, que confrontados com a impossibilidade de viver do seu trabalho e empurrados pela fome, fizeram essa escolha. Mas a maioria, se não estivesse a assaltar navios, estaria a roubar outros pescadores, ou a assaltar aldeias.

A pobreza ou a injustiça sozinhas não transformam um homem em criminoso.
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6660
  • Recebeu: 244 vez(es)
  • Enviou: 174 vez(es)
  • +54/-0
Re: Opinião - A Pirataria moderna e modo de a combater
« Responder #3 em: Março 29, 2010, 09:12:43 am »
Citar
Portaria n.º 236/2010

Portugal, como membro da União Europeia (UE), tem satisfeito os
compromissos internacionais assumidos pela UE no âmbito militar,
nomeadamente através de missões de carácter humanitário e de ma-
nutenção de paz.
Mantendo -se o quadro de instabilidade e de violência e consi-
derando a necessidade de viabilizar a consolidação do processo de
restabelecimento de um ambiente de segurança e desenvolvimento
no caminho da paz e estabilidade da Somália, o Conselho da União
Europeia, através da Decisão n.º 2010/96/CFSP, de 15 de Fevereiro, e
em estreita cooperação e coordenação com a União Africana, aprovou
o estabelecimento de uma missão para contribuir para o treino das
forças de segurança da Somália, a UE Training Mission (EUTM
Somália, no Uganda
.
Portugal participará com um contingente constituído por 17 militares
para, a partir do primeiro trimestre de 2010, integrar a missão da UE, em
cooperação com a União Africana, para treino de forças somalis
.

O Conselho Superior de Defesa Nacional, nos termos do disposto no
artigo 17.º, n.º 1, alínea g), Lei Orgânica n.º 1 -B/2009, de 7 de Julho
emitiu, em 14 de Janeiro de 2010, parecer favorável à participação de
Portugal nesta missão.
De acordo com o estipulado no artigo 3.º da Lei n.º 46/2003, de 22 de
Agosto, a decisão do Governo de envolver contingentes militares nesta
missão foi comunicada à Assembleia da República.
Assim, ao abrigo do disposto no n.º 1 do artigo 12.º e nas alíneas n) e
f) do n.º 3 do artigo 14.º, ambos da Lei Orgânica n.º 1 -B/2009, de 7 de
Julho, e nos termos do n.º 1 do artigo 2.º do Decreto  -Lei n.º 233/96, de 7 de
Dezembro, determina o Governo, pelo Ministro da Defesa Nacional, que
1 — O Chefe do Estado -Maior General das Forças Armadas, com
vista à participação portuguesa na missão EUTM Somália, apronte e
empregue uma missão militar, constituída por 17 militares, que ficará
na sua dependência directa.
2 — A missão, com início previsto no primeiro trimestre de 2010
terá uma duração de um ano.
3 — Nos termos do disposto no n.º 5.º da portaria n.º 87/99, de 30 de
Dezembro de 1998, publicada no Diário da República, 2.ª série, n.º 23, de
28 de Janeiro de 1999, os militares que integram o contingente naciona
desempenham funções em países de classe C.
4 — Os encargos decorrentes da presente participação nacional na
operação militar em causa serão suportados pela dotação orçamenta
inscrita paras as Forças Nacionais Destacadas.

17 de Março de 2010. — O Ministro da Defesa Nacional, Augusto
Ernesto Santos Silva.

http://dre.pt/pdf2sdip/2010/03/061000000/1602216023.pdf
 

*

Camuflage

  • Investigador
  • *****
  • 1225
  • Recebeu: 65 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +7/-30
Re: Opinião - A Pirataria moderna e modo de a combater
« Responder #4 em: Março 29, 2010, 07:00:23 pm »
Citar
falou-se na existência de estados falhados  (...)  na incapacidade de certas populações ribeirinhas se dedicarem à pesca artesanal (por via da poluição, pesca ilegal alheia, etc.).
Cada um tem a sua opinião, mas é o eterno debate: será que o tipo que anda a vender droga ou a assaltar o faz por não ter outra possibilidade de sobreviver, ou porque ganha num dia o que ganharia num mês com um trabalho honesto ?

Há sem dúvida entre esses piratas modernos alguns pescadores honestos, que confrontados com a impossibilidade de viver do seu trabalho e empurrados pela fome, fizeram essa escolha. Mas a maioria, se não estivesse a assaltar navios, estaria a roubar outros pescadores, ou a assaltar aldeias.

A pobreza ou a injustiça sozinhas não transformam um homem em criminoso.

Claro num país marcado pela violência e ruptura social como é a Somália, onde possivelmente os postos de trabalho abundam, numa das facções em guerra, há muitas opções que não a criminalidade certamente...  :roll:

E vamos partir da generalização, se não ataca navios, então ataca outras coisas, os "maus" serão sempre "maus". lol

Eles atacam quem lhes deu cabo da economia local, é simples e não é com medidas militares que o mundo vai contornar o problema nessa região. É tempo do ocidente começar a pagar pelos males que causou nos países de terceiro mundo.
 

 

Opiniao Pessoal

Iniciado por Penant

Respostas: 11
Visualizações: 3614
Última mensagem Maio 23, 2008, 01:18:03 am
por Daniel