Programa de substituição do C-130

  • 1920 Respostas
  • 289600 Visualizações
*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 2897
  • Recebeu: 1306 vez(es)
  • Enviou: 2752 vez(es)
  • +503/-91
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1425 em: Abril 11, 2019, 03:45:52 pm »
Citar
A Airbus Defense & Space, divisão do grupo Airbus para a indústria aeroespacial e de defesa, investiu nos últimos nove anos cerca de 350 milhões de euros em Portugal, tendo previsto atingir os 600 milhões até 2018.

De acordo com Antonio Rodriguez Barberán, director comercial e vice-presidente da empresa, em Portugal foram criados até agora 200 postos de trabalho directos, sendo o objectivo atingir os 300 em 2017, e em termos indirectos entre 1.100 e 1.200 empregos.
 
A Airbus Defense & Space tem projectos industriais em Portugal com a Salvador Caetano, que fabrica peças para o A400M e aviões civis, e com as OGMA, onde foi desenvolvida a capacitação para a realização de tarefas de manutenção dos aviões C295 da Força Aérea Portuguesa.
Everyone you will ever meet knows something that you don't.
- Bill Nye
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 598
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 267 vez(es)
  • +329/-118
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1426 em: Abril 11, 2019, 04:29:39 pm »
 Impedir que o Estado faça um negócio ruinoso para os contribuintes e com contornos muito opacos. Que pague um valor exorbitante por uma aeronave que não provou nada e que só existem ainda 2 protótipos e um dos quais está parcialmente destruído. Que ninguém além dos brasileiros está objectivamente interessado em adquirir. Que com quase toda a certeza não vai ser vendido a nenhum país da NATO. É um imperativo de qualquer cidadão que seja esclarecido nesta matérias, tem a obrigação de se manifestar contra mais uma negociata tipo "SIRESP" e outras em que o regime é pródigo e recorrente em onerar os contribuintes em muitas centenas de milhões de euros.

 Tudo o resto é converseta de meninos que se deixam engrupir infantilmente em estórias das agências de comunicação contratadas pelos brasileiros e avençados deles que estão nos partidos da AR de que aquela "maravilha" da aeronautica foi desenvolvida em conjunto com os brasileiros etc. etc. E outras balelas do género.
Vocês que já são todos crescidinhos, já deviam ter idade para começar a pensar mais com a cabecinha e a questionar mais as tretas que vos tentam enfiar.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Charlie Jaguar, tenente

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15088
  • Recebeu: 1031 vez(es)
  • Enviou: 964 vez(es)
  • +175/-170
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1427 em: Abril 11, 2019, 04:35:57 pm »
Citar
Mais de 450 mil horas de engenharia portuguesa. Mais de 2100 desenhos técnicos desenvolvidos. Mais de 350 postos de trabalho altamente qualificado.

Citar
Em termos de impatos quantificáveis, este programa irá gerar royalties por cada estrutura entregue pela OGMA à Embraer para a EEA até 15 milhões de euros. E ao nível de novos contratos adjudicados ao CEIIA e a outras empresas mais de 13 milhões de euros.

E já sinto no ar o adourar a perola, leia-se, vantagens em adquirir o 390, que vai ser dada aos Porcos/Suínos, sem ofensa claro, pois somos nós, agora é tudo facilidades e mas daqui a uns anos lá vamos voltar a ter outro filme tipo, Pandur, 295, 101,……

Abraços

Neste caso não é qualquer tipo de facilidades, afinal Portugal foi um investidor no projecto, por isso tem que ter o retorno de investimento. Isto não são as famosas contra-partidas que ficam perdidas no tempo e no espaço!
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4150
  • Recebeu: 1970 vez(es)
  • Enviou: 753 vez(es)
  • +551/-71
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1428 em: Abril 11, 2019, 07:32:42 pm »
Citar
Mais de 450 mil horas de engenharia portuguesa. Mais de 2100 desenhos técnicos desenvolvidos. Mais de 350 postos de trabalho altamente qualificado.

Citar
Em termos de impatos quantificáveis, este programa irá gerar royalties por cada estrutura entregue pela OGMA à Embraer para a EEA até 15 milhões de euros. E ao nível de novos contratos adjudicados ao CEIIA e a outras empresas mais de 13 milhões de euros.

E já sinto no ar o adourar a perola, leia-se, vantagens em adquirir o 390, que vai ser dada aos Porcos/Suínos, sem ofensa claro, pois somos nós, agora é tudo facilidades e mas daqui a uns anos lá vamos voltar a ter outro filme tipo, Pandur, 295, 101,……

Abraços

Neste caso não é qualquer tipo de facilidades, afinal Portugal foi um investidor no projecto, por isso tem que ter o retorno de investimento. Isto não são as famosas contra-partidas que ficam perdidas no tempo e no espaço!

CdM, a ver vamos num futuro próximo, onde irão parar as unidades produtoras de peças/partes/componentes dos 390, que estão sediadas em Portugal.

Abraços
 

*

oi661114

  • Membro
  • *
  • 146
  • Recebeu: 29 vez(es)
  • Enviou: 146 vez(es)
  • +15/-180
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1429 em: Abril 11, 2019, 07:52:57 pm »
Impedir que o Estado faça um negócio ruinoso para os contribuintes e com contornos muito opacos. Que pague um valor exorbitante por uma aeronave que não provou nada e que só existem ainda 2 protótipos e um dos quais está parcialmente destruído. Que ninguém além dos brasileiros está objectivamente interessado em adquirir. Que com quase toda a certeza não vai ser vendido a nenhum país da NATO. É um imperativo de qualquer cidadão que seja esclarecido nesta matérias, tem a obrigação de se manifestar contra mais uma negociata tipo "SIRESP" e outras em que o regime é pródigo e recorrente em onerar os contribuintes em muitas centenas de milhões de euros.

 Tudo o resto é converseta de meninos que se deixam engrupir infantilmente em estórias das agências de comunicação contratadas pelos brasileiros e avençados deles que estão nos partidos da AR de que aquela "maravilha" da aeronautica foi desenvolvida em conjunto com os brasileiros etc. etc. E outras balelas do género.
Vocês que já são todos crescidinhos, já deviam ter idade para começar a pensar mais com a cabecinha e a questionar mais as tretas que vos tentam enfiar.

Existem 2 a voar (o 2 já é um dos que são para a FAB) e 7 construídos.
 

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 598
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 267 vez(es)
  • +329/-118
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1430 em: Abril 11, 2019, 10:18:39 pm »
Impedir que o Estado faça um negócio ruinoso para os contribuintes e com contornos muito opacos. Que pague um valor exorbitante por uma aeronave que não provou nada e que só existem ainda 2 protótipos e um dos quais está parcialmente destruído. Que ninguém além dos brasileiros está objectivamente interessado em adquirir. Que com quase toda a certeza não vai ser vendido a nenhum país da NATO. É um imperativo de qualquer cidadão que seja esclarecido nesta matérias, tem a obrigação de se manifestar contra mais uma negociata tipo "SIRESP" e outras em que o regime é pródigo e recorrente em onerar os contribuintes em muitas centenas de milhões de euros.

 Tudo o resto é converseta de meninos que se deixam engrupir infantilmente em estórias das agências de comunicação contratadas pelos brasileiros e avençados deles que estão nos partidos da AR de que aquela "maravilha" da aeronautica foi desenvolvida em conjunto com os brasileiros etc. etc. E outras balelas do género.
Vocês que já são todos crescidinhos, já deviam ter idade para começar a pensar mais com a cabecinha e a questionar mais as tretas que vos tentam enfiar.

Existem 2 a voar (o 2 já é um dos que são para a FAB) e 7 construídos.

Óooohhh!!! Fazes parte da "torcida" do KC-390?
Há poucos dias, segundo um representante da empresa Embraer que desenvolveu o KC-390 a 100% disse numa CI na LAAD que estavam os primeiros quatro de série na linha de montagem. O 1º na fase final de construção, o 2º a meio e outros 2 no seu início. Tu já vais em 7 construídos.

E de resto não queres provar o contrário de tudo o que disse sobre o avião?
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

Victor Fukushima

  • Membro
  • *
  • 26
  • Recebeu: 19 vez(es)
  • +5/-246
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1431 em: Abril 11, 2019, 11:31:37 pm »
Existem sete KC-390 em fase final de montagem em GPX.

A cadência é de um por mês saindo da linha de montagem.

O avião já está homologado, o protótipo é mais pesado que a versão de série. O de série é mais leve.

Este modelo aqui é o da FAB, lançando cargas de grande volume em MT. Já decolou da pista de Gavião em ensaio com mais de 27 Ton a bordo.



Este avião é mais leve que os outros dois, será um destes que Portugal deverá receber, se confirmar a compra, não sei se vão mesmo comprar.

Esse aqui é um deles, já está bem mais avançado que nesta foto.



A pilotagem desse avião é muito, mas muito diferente de um C-130, vão ter que reaprender muita coisa.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Major Alvega, Charlie Jaguar, Vitor Santos, MATRA

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 598
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 267 vez(es)
  • +329/-118
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1432 em: Abril 12, 2019, 12:12:32 am »
Existem sete KC-390 em fase final de montagem em GPX.

A cadência é de um por mês saindo da linha de montagem.

O avião já está homologado, o protótipo é mais pesado que a versão de série. O de série é mais leve.

Este modelo aqui é o da FAB, lançando cargas de grande volume em MT. Já decolou da pista de Gavião em ensaio com mais de 27 Ton a bordo.



Este avião é mais leve que os outros dois, será um destes que Portugal deverá receber, se confirmar a compra, não sei se vão mesmo comprar.

Esse aqui é um deles, já está bem mais avançado que nesta foto.



A pilotagem desse avião é muito, mas muito diferente de um C-130, vão ter que reaprender muita coisa.

Obrigado pelo esclarecimento Victor. O colega que está tão entusiasmado com o "Ká-Cê" é que disse que estavam 7 construídos.
O KC-390 está homologado mas é uma homologação da vossa entidade ANAC que é para uso exclusivamente civil. Não é uma homologação militar por enquanto.
Eu não tenho absolutamente nada contra a Embraer. Gosto imenso dos seus produtos, desde a linha dos executivos como os Legacy, Phenom e agora os Praetor. Como dos E2 e
dos EMB-314ST. Agora você tem de compreender uma coisa e saber colocar-se no nosso lugar. A canalha que está cá governar são irmãos gémeos do PT e só lhes interessa negociatas. É assim há 44 anos. Nenhum governo de um país civilizado e sério põem-se a negociar a compra de um avião que ninguém ainda manifestou qualquer interesse, que ainda não está ao serviço e que não provou se vai ser uma aeronave capaz de efectuar aquilo que o fabricante propõe. Quando igualmente não é a aeronave que a FAP necessita. Tudo isto é no minimo suspeito.
E você sabe que há muitos casos actualmente em tribunal envolvendo a Embraer e o pagamento de luvas a governantes. E muitos outros casos que foram provados nos tribunais. E isto tudo devido aos antecedentes é legítimo desconfiar.

Imagine o contrário: Se o projecto KC-390 fosse português e se nós tivessemos a tentar vender a aeronave a vocês. Sem estar ao serviço, sem nenhum país interessado nela, sem estar ainda homologada etc. etc. E se visse que o seu governo queria fazer o negócio assim de qualquer maneira sem estar a defender os interesses do Estado e dos contribuintes. Qual era a sua reação?
« Última modificação: Abril 12, 2019, 12:21:13 am por Major Alvega »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, tenente, MATRA

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2440
  • Recebeu: 1216 vez(es)
  • Enviou: 728 vez(es)
  • +702/-172
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1433 em: Abril 12, 2019, 09:05:12 am »
Tenho acompanhado aqui e no Facebook com espanto este debate à volta dos C-130J. As mesmas pessoas que argumentam a necessidade de uma indústria de defesa nacional e lamentam o fim de projectos como a produção de armas ligeiras ou veículos militares em Portugal escandalizam-se com a aposta - com riscos, claro, mas estratégica para o cluster aeronáutico nacional - no KC-390? Isto para poupar 100 milhões de euros num C-130J que não será feito no país ou sequer vai ter engenharia portuguesa? Não percebo.

Pela primeira vez em 15 anos há uma estratégia ambiciosa para a indústria da defesa e que, vá lá, não muda com governos de diferentes cores partidárias - o tal arco da governação. E estratégia não se faz com certezas absolutas e sem riscos...

Olá Pedro!  :)

Andas nisto há quase tanto tempo como eu, e até de forma bem mais dedicada, e achei curioso abordares a questão somente de um ponto de vista económico. Afirmar que a escolha do KC-390 para a Força Aérea Portuguesa será importante para a indústria de defesa nacional portuguesa, além de possuir engenharia nacional, é um argumento que cai um pouco por terra quando em Portugal se trabalha para o A400M, por exemplo, e nem por isso ele ostenta a Cruz de Cristo na fuselagem. E o Centro de Serviços Autorizado da Lockheed Martin em Alverca para o C-130/L-100 não traz investimento para o país?

E do ponto de vista operacional? O facto de ser uma aeronave ainda em desenvolvimento, já com alguns problemas conhecidos como o modesto alcance quando carregada, e mesmo o facto de ser um aparelho que terá forçosamente de ter um período de aprendizagem mais extenso se comparado com o Super Hercules, por trazer consigo uma nova forma de operar, novas doutrinas e ensinamentos, também não interessam? É que as actuais tripulações dos Bisontes seriam capazes de discordar.

Quer-se tente afirmar ou não o contrário, o facto é que a concretizar-se a escolha do KC para substituto do C-130 ela será, uma vez mais, estritamente política, relegando para segundo plano o que são os requisitos e as reais necessidades da Força Aérea Portuguesa que, obedientemente, só terá de acatar a decisão do Executivo.

Tenho que tirar o chapéu aos brasileiros de forma categórica pois são reconhecidamente mestres na comunicação e exímios no marketing, e isto não é uma crítica mas antes um elogio. E sei do que falo pois trabalho de perto com uma conhecida agência de publicidade da nossa praça que tem à sua frente um homem que veio revolucionar a comunicação em Portugal quando chegou ao nosso país há quase três décadas. Recordo-me quando numa das primeiras vezes que nos encontrámos ele me ter afirmado em tom de brincadeira que o brasileiro tem o dom de conseguir vender óculos a um cego, sendo por isso um comunicador nato. E quando digo isto não estou a traçar qualquer paralelo com a situação em questão ou tão pouco a ser irónico, pese embora ache que a presença (bem-vinda, claro) de um engenheiro aeronáutico da Embraer aqui no fórum peca por excessiva no seio dessa suposta estratégia de comunicação/marketing, apesar dos nossos distintos leitores e frequentadores.  ;D
« Última modificação: Abril 12, 2019, 09:48:00 am por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Major Alvega, Get_It

*

FoxTroop

  • Investigador
  • *****
  • 1421
  • Recebeu: 278 vez(es)
  • Enviou: 189 vez(es)
  • +68/-201
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1434 em: Abril 12, 2019, 01:19:58 pm »

E do ponto de vista operacional? O facto de ser uma aeronave ainda em desenvolvimento, já com alguns problemas conhecidos como o modesto alcance quando carregada, e mesmo o facto de ser um aparelho que terá forçosamente de ter um período de aprendizagem mais extenso se comparado com o Super Hercules, por trazer consigo uma nova forma de operar, novas doutrinas e ensinamentos, também não interessam? É que as actuais tripulações dos Bisontes seriam capazes de discordar.

Quer-se tente afirmar ou não o contrário, o facto é que a concretizar-se a escolha do KC para substituto do C-130 ela será, uma vez mais, estritamente política, relegando para segundo plano o que são os requisitos e as reais necessidades da Força Aérea Portuguesa que, obedientemente, só terá de acatar a decisão do Executivo.


Aí tenho de discordar em absoluto consigo caro CG. A seguir essa linha de pensamento, nenhum país embarcaria no F-35, um projecto que nem é bom falar e vamos a ver se este acidente no Japão não é mais "uma falha" a ter que colocar a frota toda no chão e a fazer alguém pagar mais uns milhares de milhões para sanear a coisa.

Toda e qualquer aquisição militar é, antes de tudo, uma escolha politica e basta olhar para todo um leque de aquisições efectuadas em países tão dispares dentro da nossa Europa para o ver.


Quanto à opinião das tripulações e porque tem de ser novos procedimentos e toda essa "choradinha", com todo o respeito e sem sentido de ofender os operacionais, sabe quantas vezes eu ouço isso sempre que vou a um estaleiro ou unidade fabril no apoio à introdução de novos procedimentos, consumíveis, máquinas, etc, etc. A seguir a "opinião" dos soldadores & cia, ainda andava tudo a soldar a electrodo revestido.
« Última modificação: Abril 12, 2019, 01:53:14 pm por FoxTroop »
 

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 598
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 267 vez(es)
  • +329/-118
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1435 em: Abril 12, 2019, 05:36:34 pm »
Bom! No F-35 sem contar com o país de origem, "embarcaram" (para usar a sua expressão) o: Reino Unido, a Holanda, a Dinamarca, o Japão, a Turquia, a Itália, a Noruega, a Australia, Israel etc. No KC-390 não "embarcou" nenhum. Excelente comparação!

"Toda e qualquer aquisição militar é, antes de tudo, uma escolha politica.." - Meu caro amigo, está redondamente equivocado. As aquisições de equipamento militar são nos países desenvolvidos essencialmente baseada em critérios técnicos, operacionais e racionais.
"Compras políticas" são características de países atrasados, estados fracos com classes políticas e chefias militares incompetentes e muito permeáveis à corrupção.
« Última modificação: Abril 12, 2019, 05:39:41 pm por Major Alvega »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4067
  • Recebeu: 322 vez(es)
  • Enviou: 273 vez(es)
  • +619/-711
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1436 em: Abril 12, 2019, 06:33:54 pm »
Bom! No F-35 sem contar com o país de origem, "embarcaram" (para usar a sua expressão) o: Reino Unido, a Holanda, a Dinamarca, o Japão, a Turquia, a Itália, a Noruega, a Australia, Israel etc. No KC-390 não "embarcou" nenhum. Excelente comparação!

"Toda e qualquer aquisição militar é, antes de tudo, uma escolha politica.." - Meu caro amigo, está redondamente equivocado. As aquisições de equipamento militar são nos países desenvolvidos essencialmente baseada em critérios técnicos, operacionais e racionais.
"Compras políticas" são características de países atrasados, estados fracos com classes políticas e chefias militares incompetentes e muito permeáveis à corrupção.

Metade dos países que você citou como compradores do F-35 vieram adquiri-lo, meramente, por razões políticas. Alguns deles é difícil enxergar incompetência e corrupção instaurada no seio de seus quadros políticos e militares. (Exceção, talvez, a Turquia - que não tem nada de Estado fraco - que acabou de mandar às favas o Lightning II em razão de baterias antiaéreas russas S-400).
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 2897
  • Recebeu: 1306 vez(es)
  • Enviou: 2752 vez(es)
  • +503/-91
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1437 em: Abril 12, 2019, 06:44:38 pm »
Programas como o KC-45 e o VH-71 são os exemplos perfeitos de como a política também inquina o processo de aquisição de equipamentos militares dos EUA. Ninguém está imune, a política é, neste momento e praticamente desde sempre (Arrow anyone?), o principal driver nas aquisições de equipamento militar.
Everyone you will ever meet knows something that you don't.
- Bill Nye
 

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 598
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 267 vez(es)
  • +329/-118
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1438 em: Abril 12, 2019, 06:51:07 pm »
Bom! No F-35 sem contar com o país de origem, "embarcaram" (para usar a sua expressão) o: Reino Unido, a Holanda, a Dinamarca, o Japão, a Turquia, a Itália, a Noruega, a Australia, Israel etc. No KC-390 não "embarcou" nenhum. Excelente comparação!

"Toda e qualquer aquisição militar é, antes de tudo, uma escolha politica.." - Meu caro amigo, está redondamente equivocado. As aquisições de equipamento militar são nos países desenvolvidos essencialmente baseada em critérios técnicos, operacionais e racionais.
"Compras políticas" são características de países atrasados, estados fracos com classes políticas e chefias militares incompetentes e muito permeáveis à corrupção.

Metade dos países que você citou como compradores do F-35 vieram adquiri-lo, meramente, por razões políticas. Alguns deles é difícil enxergar incompetência e corrupção instaurada no seio de seus quadros políticos e militares. (Exceção, talvez, a Turquia - que não tem nada de Estado fraco - que acabou de mandar às favas o Lightning II em razão de baterias antiaéreas russas S-400).

Como???  Diga lá então quais foram os países que adquiriram o F-35 por "razões políticas".

Deve haver aí alguma confusão. A Turquia não mandou "ás favas" o F-35. Foi o governo dos EUA que suspendeu a venda. Penso que neste ponto não há margem para qualquer dúvida.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8632
  • Recebeu: 805 vez(es)
  • Enviou: 1337 vez(es)
  • +89/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #1439 em: Abril 12, 2019, 07:02:41 pm »

Metade dos países que você citou como compradores do F-35 vieram adquiri-lo, meramente, por razões políticas. Alguns deles é difícil enxergar incompetência e corrupção instaurada no seio de seus quadros políticos e militares. (Exceção, talvez, a Turquia - que não tem nada de Estado fraco - que acabou de mandar às favas o Lightning II em razão de baterias antiaéreas russas S-400).

E a escolha pelo S-400 outra vez uma escolha meramente politica!
A Turquia o quê?! Um estado que não respeita as militares femininas mesmo estando estas a comandar uma força de um país aliado e que dá castigos de chicote aos seus militares?!?!?

No Brasil anda-se a seguir maus exemplos...
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

 

Governo entrega substituição do Aviocar à espanhola CASA

Iniciado por Maginot

Respostas: 10
Visualizações: 5275
Última mensagem Maio 06, 2005, 10:10:47 pm
por Luso
Aberto concurso para a substituição dos Aviocar

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 37
Visualizações: 13993
Última mensagem Dezembro 28, 2004, 09:13:27 pm
por JNSA
Substituição dos AlphaJet por um novo avião de treino?

Iniciado por Marauder

Respostas: 27
Visualizações: 11462
Última mensagem Setembro 21, 2006, 03:30:41 am
por p_shadow
Substituição dos Allouette III

Iniciado por JNSA

Respostas: 800
Visualizações: 157236
Última mensagem Abril 28, 2019, 05:37:08 pm
por dc
Substituição dos Alpha-jet

Iniciado por pchunter

Respostas: 492
Visualizações: 99887
Última mensagem Outubro 29, 2019, 03:53:28 pm
por dc