Os 30 F16A/B MLU da FAP

  • 1566 Respostas
  • 263092 Visualizações
*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1545 em: Abril 03, 2019, 01:33:49 pm »
Não achas um desperdício estar a montar todo um viper nas células que temos? Mais  vale comparar novo e vender estas ao romenos.

Agora se é para fazer viperzinhos da para usar as Peace Atlantis e fazer um avião para mais 20 anos por baixo custo.

Se gostaria que fossem 30 F-16V novos vindos directamente da fábrica em Greenville? Claro que sim, seria o passo mais acertado na minha opinião.

Agora temos de ter em conta o porquê da escolha pela modernização para o Viper, o custo. Regressemos a 2017:

Citar
Com os caças portugueses a atingirem o seu fim de vida útil operacional - leia-se continuarem a ser um sistema de armas ao nível dos congéneres - por volta de 2030, uma solução para estender aquele período por mais uma década "passará pela incorporação da configuração VIPER", indica o relatório."Estima-se que o valor de investimento ascenderá a cerca de um décimo do investimento de substituição da aeronave", englobando um novo sistema de radar, gerador, aviónicos, equipamentos para processar e transferir dados (o que permite a sua interoperabilidade com os referidos caças de 5ª geração), acrescenta o relatório assinado a 31 de março pelo ministro da Defesa, Azeredo Lopes.

Segundo fontes militares ouvidas pelo DN, o custo global de modernizar os 30 F-16 portugueses com a referida configuração VIPER - desenvolvida pelos EUA a partir de 2012 e estreada em 2015 - envolverá um investimento da ordem dos 500 milhões de euros (16,6 milhões cada um). Estes valores são meramente indicativos, pois dependem de vários fatores, a começar pelo nível de novos equipamentos a adquirir. Daqui resulta que a opção por caças novos para a Força Aérea implicará no mínimo investimentos 10 vezes superiores, da ordem dos cinco mil milhões de euros.

https://www.dn.pt/portugal/interior/modernizar-f-16-custa-dez-vezes-menos-que-comprar-novos-cacas-6215894.html


Agora 2019:

Citar
(...) A inquietação à volta de um dos mais sensíveis (e dispendiosos) dossiers na Força Aérea é evidente. O tiro de partida para esse debate foi dado por Marcelo Rebelo de Sousa há quase dois anos, numa visita do Presidente da República ao Comando Aérea da Força Aérea. A meio de março de 2017, em Monsanto, e depois de ouvir o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA) falar sobre planos, calendários, programação e concretização de aquisições, Marcelo referiu-se à importância de Portugal garantir que há uma “disponibilidade de aeronaves, de forma atualizada” no ramo. O Comandante Supremo das Forças Armadas também sublinhou que o fim de vida dos F-16 é “uma situação que se coloca, não apenas a Portugal, mas a vários Estados, nomeadamente membros da Aliança Atlântica”. Parceiros que, na verdade, já começaram a migrar para os “caças” de quinta geração.

Nesse início de 2017, o então ministro da Defesa defendia, no relatório da Lei de Programação Militar relativo ao ano anterior, que a compra de novos aviões de combate era uma opção demasiado “onerosa” e, ao mesmo tempo, “prematura, face ao potencial de exploração ainda existente” nos F-16. Azeredo Lopes confessava-se adepto de outro caminho: a modernização dos atuais “caças”, que custava “um décimo da substituição da aeronave”. Passaram dois anos, o ministro da Defesa é outro e, pelo caminho, alguma coisa parece ter mudado.

O Ministério da Defesa admite que o F-16 tenha “uma margem de exploração e modernização” a médio-prazo e assegura que as “novas versões e eventuais modernizações” deste avião “aumentam efetivamente as suas capacidades”, além de garantir “algum grau (essencial) de interoperabilidade” com os parceiros NATO. “Uma das opções que está a ser explorada é a atualização da aeronave para o padrão F-16 VIPER”, cujo “custo de atualização”, contrariamente ao que afirmara Azeredo Lopes, “é ainda desconhecido” (o ex-ministro dizia que, comparativamente, a atualização para o sistema VIPER tinha um custo dez vezes inferior ao de um F-35, com custo estimado em cerca de 80 milhões de euros por avião).

Mas a Força Aérea explica que “as aeronaves de geração quatro”, como é o F-16, “não asseguram a capacidade de sobrevivência às novas ameaças”, e sublinha que “uma eventual versão V do F-16 é apenas uma atualização interessante de alguns componentes, mas não garante essa sobrevivência em ambiente de conflito simétrico”. E, acrescenta a Defesa, mesmo essa atualização depende de se decidir se são ou não feitas “modificações estruturais” no F-16. Intervenções que, de qualquer forma, reconhece fonte oficial do ministério, “nunca aproximarão, em capacidade real, esta aeronave de qualquer outra de quinta geração existente no mercado”.
(...)

https://observador.pt/especiais/f-16-defesa-quer-avancar-para-cacas-de-ultima-geracao/

Quando há dois meses saiu esta notícia até brinquei ao perguntar se encontraram petróleo no Beato e ninguém disse nada, porque é aquilo que parece muito sinceramente e brincadeiras à parte. ::)

Mudou o Ministro da Defesa, e já agora o CEMFA, e a conversa agora parece ser diametralmente oposta daquela de há dois anos? É legítimo a FAP (e os seus pilotos) ambicionarem não perder o comboio da modernidade ao quererem seguir as pisadas dos aliados que estão a migrar para o F-35A. Agora, é o passo acertado para nós? Continuo a não achar por todas as razões e mais algumas.

Se a nova revisão da LPM vai agora até 2030 e prevê uma dotação de 4,74 mil milhões de euros para vários programas de todos os ramos, não é possível sequer pensar em 5 mil milhões de euros para o F-35. Nem é aritmética, é racionalidade: se na AR já caiu mal o valor reservado de 300M€ para o LPD, o que prontificou o MDN a esclarecer que até poderá ser uma compra mais barata em segunda-mão, como se justificaria (e onde se obteria) o valor para a compra do Lightning II? Não é de todo possível se formos realistas.

A própria compra de F-16V novos pode ter um custo proibitivo senão vejamos: a Eslováquia adquiriu 14 Vipers, com armamento e equipamento associado, por 2,91 mil milhões de dólares (2,6 mil milhões de euros); o Bahrain irá pagar o mesmo preço por 19 F-16V novos e gastar mais 890 milhões de euros na modernização de 20 F-16C/D Block 40 para a versão Viper; Marrocos irá adquirir 25 novos F-16V e modernizar os 23 C/D Block 52+ por 4,2 mil milhões de euros. Enquanto isso o upgrade das 144 aeronaves A/B Block 20 de Taiwan está estimado em 5,3 mil milhões de dólares, cerca de 4,7 mil milhões de euros.

Portanto os preços variam conforme a opção e o que se queira - ou seja necessário - incluir no pacote, deixando-nos com uma quantia a variar entre os 100 a 110M€ por aeronave nova, e os 32 a 45M€ por célula modernizada. O custo revelado em 2017 para modernizar os nossos 30 caças para a versão Viper parece-me assim algo curto: 500M€ ou 16,6M€/unidade.

Resumindo e concluindo, e no fundo afirmando o que já sabemos: tudo irá passar pelo crivo político que terá ou não em conta as verdadeiras necessidades da FAP aquando da escolha do substituto do F-16 MLU. Conforme se viu a decisão poderá pesar para qualquer lado apesar de neste momento parecer pender mais em favor do F-35A. No entanto há muitas questões por responder, muito que (ainda) não se sabe, e por isso até poderemos ver a decisão ser empurrada mais uns anos lá para meados da próxima década, esticando ao limite a vida útil das células F-16, algo que infelizmente não é novo por cá.

Pessoalmente, não escondo que o Lightning II não me agrada, se bem que se saiba ser o futuro, futuro esse que podia chegar daqui a 15 anos quando o F-35 já andar por aí há mais de uma década e se conhecer verdadeiramente os seus prós e contras. O salto tecnológico para o Viper não nos dará uma aeronave de 5ª geração, mas uma de 4.5 com capacidade de operar perfeitamente com aparelhos mais avançados, trazendo capacidades para a FAP que actualmente o MLU não tem ou providenciará no futuro por mais actualizações que pudesse ser alvo. E tendo nós uma história com os F-16 que este ano chega ao quarto de século, considero o Viper uma boa solução temporária e que não nos envergonharia perante ninguém.

Se pudesse escolher, não olhando a todos os factores em redor? Escolheria sem dúvida 20 F-15CX/EX como plataforma polivalente capaz de cumprir missões que fossem da superioridade aérea até ao ataque anti-navio, complementados por aviões de treino avançado/caça ligeiro M-346FT Master ou mesmo TA-50 Golden Eagle.

Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: MATRA

*

MATRA

  • Membro
  • *
  • 83
  • Recebeu: 19 vez(es)
  • Enviou: 168 vez(es)
  • +8/-0
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1547 em: Abril 03, 2019, 05:30:01 pm »
Por falar em F-15X:

https://combataircraft.keypublishing.com/2019/04/02/f-15x-the-story-of-the-usafs-new-eagle/?fbclid=IwAR1Ej8OUCi7UI4uCHzPquMiBiqZef6c7vSdO2Y6LAKa6AdviW5u0NwdKmrM



Charlie, é mesmo impossível um F15 em Portugal não? Quero dizer, nem sequer é considerado pois não? Pergunto isto tens "fontes" que até podiam comentar algo  ;D

Sou um fã incondicional deste caça, mas parece areia demais para a nossa camionete.
« Última modificação: Abril 03, 2019, 05:32:15 pm por MATRA »
 

*

Joaoferriva

  • Membro
  • *
  • 53
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-9
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1548 em: Abril 03, 2019, 05:35:37 pm »
Are there currently plans for Portugal whether they will decide to replace the F-16 fleet or upgrade to the viper standard?
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 3082
  • Recebeu: 1337 vez(es)
  • Enviou: 504 vez(es)
  • +169/-7
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1549 em: Abril 03, 2019, 05:48:14 pm »
Are there currently plans for Portugal whether they will decide to replace the F-16 fleet or upgrade to the viper standard?

No, the " Iluminatae ", are still trying to guess, the best option possible.
The final decision may take a while, I say, some decades from now !!   :mrgreen:

Cheers
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1550 em: Abril 03, 2019, 07:35:49 pm »
Charlie, é mesmo impossível um F15 em Portugal não? Quero dizer, nem sequer é considerado pois não? Pergunto isto tens "fontes" que até podiam comentar algo  ;D

Segundo sei nem sequer estará a ser cogitado, neste momento só mesmo o F-35A e F-16V. :(
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: MATRA

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1551 em: Abril 04, 2019, 06:16:32 pm »
Rasgados elogios por parte da Luftwaffe. ;)

Citar
Role exchange - Training mission with Portuguese F-16

"The Portuguese showed themselves in the air as an excellent and challenging training partner." German Eurofighters train alongside the Portuguese Air Force. A win for both sides.


Two nations - side by side. (Source: Luftwaffe / Fabian Friedl)

The Eurofighters of the German task force Strengthened Air Policing Baltikum (VAPB) participated in training missions over Latvia with Portuguese F-16 Fighting Falcons. The German machines took on the role of unidentified aircraft intercepted by the F-16 fighter jets in this training scenario. Major Mike, one of the Eurofighter pilots after the flight: "The Portuguese showed themselves in the air as an excellent and challenging training partner. They made us sweat a lot. " The Portuguese started off from the Polish air base Malbork, where they are currently on an exercise as part of the NATO Assurance Measures.


Portugal's F-16 in training. (Source: Luftwaffe / Fabian Friedl)

Quota leader Lieutenant Colonel Sebastian Fiedler sums up the relevance of the training mission: "Projects of this kind mean a great deal of experience for the pilots of both NATO partners and facilitate future cooperation in joint air operations. Even though NATO has uniform training standards, the individual abilities of the individual pilot, for example, only really show the effectiveness of a fighter jet. The encounter with pilots from other nations is always a new challenge. "

Author: Fabian Friedl

http://www.idlw.de/rollentausch-trainingsmission-mit-portugiesischen-f-16?fbclid=IwAR1u4nd0l-Bwb-BAoxZTykqh_ZSHma5oEMsQ_xPKAYCZCH9eDFaZCzkn24k

(Artigo traduzido para Inglês do Alemão original)
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, tenente, MATRA

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1552 em: Abril 04, 2019, 06:45:17 pm »
Novo destacamento de militares iniciou ontem a actividade em Malbork.

Citar
Nova equipa de F-16 ... o mesmo desempenho a sobrevoar os céus da Polónia!

Um novo destacamento de militares da Força Aérea portuguesa inicia hoje actividade na Polónia, dando seguimento à missão da NATO para as medidas de tranquilização no flanco leste da Aliança (“NATO Assurance Measures 2019”).

Estes militares rendem o contingente que iniciou missão a 1 de março, prosseguindo missão a partir da Base Aérea 22 de Malbork, onde Portugal contribui diretamente para o princípio de defesa coletiva e para o espírito de solidariedade que caraterizam a NATO, reforçando a capacidade de dissuasão e resposta da Aliança face a potenciais ameaças no espaço aéreo dos Estados-membros.

Esta Força Nacional Destacada estará em missão neste teatro de operações até ao final de abril.


Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 3082
  • Recebeu: 1337 vez(es)
  • Enviou: 504 vez(es)
  • +169/-7
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1553 em: Abril 04, 2019, 07:06:24 pm »
Rasgados elogios por parte da Luftwaffe. ;)

Citar
Role exchange - Training mission with Portuguese F-16

"The Portuguese showed themselves in the air as an excellent and challenging training partner." German Eurofighters train alongside the Portuguese Air Force. A win for both sides.


Two nations - side by side. (Source: Luftwaffe / Fabian Friedl)

The Eurofighters of the German task force Strengthened Air Policing Baltikum (VAPB) participated in training missions over Latvia with Portuguese F-16 Fighting Falcons. The German machines took on the role of unidentified aircraft intercepted by the F-16 fighter jets in this training scenario. Major Mike, one of the Eurofighter pilots after the flight: "The Portuguese showed themselves in the air as an excellent and challenging training partner. They made us sweat a lot. " The Portuguese started off from the Polish air base Malbork, where they are currently on an exercise as part of the NATO Assurance Measures.


Portugal's F-16 in training. (Source: Luftwaffe / Fabian Friedl)

Quota leader Lieutenant Colonel Sebastian Fiedler sums up the relevance of the training mission: "Projects of this kind mean a great deal of experience for the pilots of both NATO partners and facilitate future cooperation in joint air operations. Even though NATO has uniform training standards, the individual abilities of the individual pilot, for example, only really show the effectiveness of a fighter jet. The encounter with pilots from other nations is always a new challenge. "

Author: Fabian Friedl

http://www.idlw.de/rollentausch-trainingsmission-mit-portugiesischen-f-16?fbclid=IwAR1u4nd0l-Bwb-BAoxZTykqh_ZSHma5oEMsQ_xPKAYCZCH9eDFaZCzkn24k

(Artigo traduzido para Inglês do Alemão original)

Grande orgulho nos nossos Militares, é o que eu Tenho !!!

A nossa gente com equipamento/armamento a condizer com as qualidades que tem, nem sei do que seriam capazes, se agora são dos melhores, seriam os Melhores !

Abraços 
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1554 em: Abril 12, 2019, 08:06:23 pm »


O nosso pessoal continua atarefado na Polónia e arredores. :)

Citar
NATO Allied Air Command
April 12th, 2019

The Força Aérea Portuguesa F-16 detachment continues to fly training and exercise missions out of Siły Powietrzne/Polish Air Force Malbork Air Base under NATO Assurance Measures. "We conducted training sorties with our Ally Germany and our Partner Sweden," said Lieutenant Luis Silva, Portuguese Detachment Commander. "It was a great experience to fly all the way up to Estonia to fly alongside the Eurofighter aircraft and into Sweden to train defensive air ops with the Gripen jets. Demonstrating our interoperability and capability to project Air Power.

Photos courtesy Portuguese Air Force





Para complementar, da página de Facebook da Base Aérea de Monte Real.

Citar
Base Aérea Nº 5
12/04/2019

O destacamento dos nossos F-16 na Polónia continua a sua actividade. No seu treino têm voado pelos céus dos países Bálticos e executado missões com Forças multinacionais presentes na região. Houve oportunidade também para uma visita à Esquadra de Mig-29 polaca. Eis alguma fotos.









« Última modificação: Abril 12, 2019, 08:16:20 pm por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, MATRA

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 2899
  • Recebeu: 84 vez(es)
  • Enviou: 8 vez(es)
  • +50/-19
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1555 em: Abril 20, 2019, 01:06:53 pm »
Bom dia, com a possível venda de mais 5 F-16MLU nacionais a Roménia, podem alterar o nome do tópico para 25 F-16MLU.


O machado continua a trabalhar.


Cumprimentos,
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Stalker79

*

Stalker79

  • Analista
  • ***
  • 629
  • Recebeu: 121 vez(es)
  • Enviou: 738 vez(es)
  • +26/-9
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1556 em: Abril 20, 2019, 02:08:09 pm »
Bom dia, com a possível venda de mais 5 F-16MLU nacionais a Roménia, podem alterar o nome do tópico para 25 F-16MLU.


O machado continua a trabalhar.


Cumprimentos,


Mas isso já está confirmado!? Sempre vão vender os 5?
 :(
 

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 428
  • Recebeu: 319 vez(es)
  • Enviou: 134 vez(es)
  • +112/-101
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1557 em: Abril 20, 2019, 02:16:31 pm »
 O tugal também não precisa de mais de meia-dúzia F-16's. São aqueles 2 que estão sempre em prontidão mais 3 para irem participar naquelas missões do Báltico para fazerem propaganda para o povão anestesiado e a leste de tudo julgar que ainda temos FA's e que contamos para alguma coisa. E mais 1 ou 2 de reserva. O resto é excesso.

 
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5064
  • Recebeu: 902 vez(es)
  • Enviou: 550 vez(es)
  • +61/-34
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1558 em: Abril 20, 2019, 02:23:55 pm »
O que vale é que os P3 levam Sidewinder. Já estou a ver um a interceptar um Bear (isto se não os venderem também).  :mrgreen: :mrgreen:





Saudações  :-P c56x1
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2122
  • Recebeu: 909 vez(es)
  • Enviou: 454 vez(es)
  • +178/-44
Re: Os 30 F16A/B MLU da FAP
« Responder #1559 em: Abril 20, 2019, 04:23:13 pm »
Aquilo que já aqui afirmei em ocasiões anteriores.

Citar
ROMÉNIA OFICIALIZA INTERESSE EM MAIS CINCO F-16 PORTUGUESES
sábado, 20 de abril de 2019 às 02:02

O ministro da Defesa romeno Gabriel Les, confirmou em conferência de imprensa, a intenção de comprar  cinco células F-16 a Portugal: "Todos os documentos foram já enviados para o nosso parceiro português. Só nos falta cumprir os últimos metros de distância. Acredito firmemente que é possível assinar ainda este ano o contrato para os cinco aviões" referiu.

Segundo informação adicional ventilada na imprensa romena, apenas quatro das células serão destinadas a voar, juntando-se assim às 12 do primeiro lote adquirido em Portugal, actualmente a operar a partir de Borcea, na Roménia, para perfazer um total de 16. A quinta célula destinar-se-á ao fornecimento de peças para a frota operacional. Ainda segundo a imprensa local, as cinco células virão do AMARG nos EUA, sendo modernizadas na OGMA, em Alverca, para o padrão MLU.

O potencial negócio tinha já sido anteriormente assumido pela parte portuguesa, tanto pelo Ministério da Defesa, como pela Força Aérea, na pessoa do Gen. Manuel Rolo. Em Janeiro passado, na Comissão Parlamentar de Defesa, o então CEMFA revelou ser a alienação de cinco células F-16, a solução encontrada para financiar a modernização e operacionalidade da restante frota portuguesa. Isto significa que - ao contrário da informação veiculada na Roménia e pelo MDN inicialmente - as células a transferir para a Roménia sairão da frota nacional e não serão repostas, ficando por isso a frota da Força Aérea Portuguesa reduzida a 25 aeronaves.

Não há, por enquanto, informação oficial acerca dos valores envolvidos no negócio.

http://www.passarodeferro.com/2019/04/romenia-oficializa-interesse-em-mais.html
« Última modificação: Abril 20, 2019, 04:40:50 pm por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)