A Obra...

  • 7 Respostas
  • 2723 Visualizações
*

Artífice

  • 66
  • +0/-0
A Obra...
« em: Maio 17, 2007, 03:57:07 pm »


Dia 5/11/2007 - LANÇAMENTO DA OBRA “ARMAMENTO DE ARTILHARIA ANTIAÉREA” NO REGIMENTO DE ARTILHARIA ANTIAÉREA Nº1

Realiza-se no próximo dia 24 de Maio de 2007, pelas 18h30, no Regimento de Artilharia Antiaérea nº1 (RAAA1), ao Palacete da Arcada, em Queluz, o lançamento da Obra “Armamento de Artilharia Antiaérea”, da autoria do Coronel João Vieira Borges.

Esta Obra, que faz parte de um projecto de investigação da Academia Militar, será apresentada pelo Exmo. Tenente-General Samuel Matias do Amaral.

Para mais informações contactar:

RAAA1 – Largo do Palácio 2795-191 Queluz – Tel- 21 434 34 80 e Tel Mil - 411 700.


(Link da Notícia)

http://www.exercito.pt/portal/exercito/ ... p?ueo_id=0


     São sempre de louvar as iniciativas que visam manter viva a nossa História mas, também acontece, por vezes, esquecer-mo-nos do presente, de tão absorvidos estarmos pelo passado... ... ...


Depois de resultados tão negativos nos anteriores fogos reais -sistema míssil, talvez uma iniciativa diferente fosse esperada.
(Mais Fogos-Reais por exemplo)... ... ...






"Eles andam aí... E são cada vez mais Burros !"
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4145
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +60/-0
Re: A Obra...
« Responder #1 em: Maio 17, 2007, 03:58:47 pm »
Citação de: "Artífice"
Depois de resultados tão negativos nos anteriores fogos reais -sistema míssil, talvez uma iniciativa diferente fosse esperada.
(Mais Fogos-Reais por exemplo)... ... ...


Que foram hoje realizados em Vieira de Leiria entre as 09h00 e as 13h00. Não houve Chaparral desta vez ;)
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Artífice

  • 66
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Maio 18, 2007, 09:26:14 am »
Citar
Não houve Chaparral desta vez



Exactamente.....

Desta vez foi apenas o "velhinho" Bitubo. E pelo que me constou, desta, os alvos não se ficaram todos a rir... ... ...

Embora que o sist. Bitubo não seja um grande exemplo de eficácia Artilheira, uma vez que esta arma é preparada e alinhada, antes do tiro, pelo pessoal da Manutenção, os Artilheiros apenas têm de "puxar o cordel"... ... ... :twisted:  :mrgreen:


"Eles andam aí... E são cada vez mais Burros !"
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4145
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +60/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Maio 18, 2007, 11:36:48 am »
:G-Ok:

Citar
2007-05-18 - 00:00:00

Artilharia antiaérea
Exército quer alvos nacionais

Os investigadores do Instituto Superior Técnico (IST) estão a preparar, em parceria com o Exército, um projecto para a criação de alvos de treino com mísseis antiaéreos Chaparral e Stringer. Os primeiros dados técnicos foram recolhidos ontem num exercício com fogo real, realizado em Vieira de Leiria, no concelho da Marinha Grande.
 
O Regimento de Artilharia Antiaérea (RAA) n.º 1, em Queluz, precisa de adquirir novos alvos e antes de avançar para uma eventual compra no estrangeiro, desafiou o IST da Universidade de Lisboa a criar um equipamento de raiz e a apresentar uma proposta ao Exército.

Segundo o coronel Vieira Borges, comandante do RAA1, os alvos são fundamentais para a instrução e esta pode ser uma boa oportunidade para estudar o que melhor se adapta à artilharia antiaérea portuguesa.

Relógio Ribeiro, do Departamento de Engenharia Mecânica do IST, é da mesma opinião. “Não se trata de fazer um projecto académico muito bonito. O objectivo é criar um equipamento que o Exército português possa usar, com menos custos”, referiu o responsável. No final de Março, durante manobras semelhantes, dos oito alvos lançados, só quatro mísseis foram disparados e mesmo estes não tiveram sucesso. A responsabilidade foi atribuída à deficiente qualidade dos alvos.

O Regimento de Artilharia Antiaérea n.º 1 terminou ontem um exercício de três dias, com fogo real, em Vieira de Leiria. A acção, com o nome ‘Adamastor 07’, serviu também para formar futuros oficiais de Artilharia e militares da Madeira.

Para que os três canhões antiaéreos bitubo de 20 mm pudessem disparar sem perigo, foram criadas faixas de segurança marítima, aérea e terrestre . Os exercícios envolveram 108 militares, apoiados pela Marinha, Força Aérea, GNR e bombeiros.
Francisco Pedro, Leiria

 
Fonte
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Nuno Calhau

  • Perito
  • **
  • 342
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Maio 19, 2007, 05:23:22 pm »
Na minha modesta opinião, para que servem os bi-tubo?
Estava na altura de termos um sistema de defesa aerea condigno com esse nome!
Chaparral e Bi-tubo, singe-se a isto a defesa do continente (com excepção dos F`s).
Não sei qual seria a melhor escolha, mas não deve ser dificil comprar algo superior.
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3058
  • Recebeu: 130 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +128/-32
(sem assunto)
« Responder #5 em: Maio 19, 2007, 09:16:27 pm »
Rapier/Jernas e NASAMS.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

tgcastilho

  • Membro
  • *
  • 185
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Maio 19, 2007, 11:36:18 pm »
Citar
a minha modesta opinião, para que servem os bi-tubo?
Estava na altura de termos um sistema de defesa aerea condigno com esse nome!
Chaparral e Bi-tubo, singe-se a isto a defesa do continente (com excepção dos F`s).
Não sei qual seria a melhor escolha, mas não deve ser dificil comprar algo superior.

Caro Nuno não se estará  esquecer dos misseis stinger??
 

*

Nuno Calhau

  • Perito
  • **
  • 342
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Maio 20, 2007, 05:31:54 pm »
Sim Tgcastilho, não me esqueci.
Só que o Stinger dada tambem a sua obsolencia, na confjuntura atual servirá para quê?
Atacar Heli´s? E nem todos, como sabemos, dado o avanço das suas contramedidas.
Quanto mais aeronaves de asa fixa e de ataque.
A proposito, e quantidades existentes nos stok`s nacionais?
Não tenho referencia de quantos poderão ter sido adquiridos.

Um Abraço