O GALE - Missões, Organização, Aeronaves

  • 544 Respostas
  • 123797 Visualizações
*

Duarte

  • Investigador
  • *****
  • 2030
  • Recebeu: 12 vez(es)
  • Enviou: 15 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #45 em: Outubro 16, 2005, 03:45:27 am »
De facto lembro-me de tal boato.. deveriam ser disponibilizados pelos EU com a redução de forcas na Europa.. como muitos outros planos, não deu em nada...
__
«Os chamados partidos políticos, por definição e exigências da sua vida própria, não representam nem podem servir a unidade nacional» Salazar
 

*

Raul Neto

  • Membro
  • *
  • 260
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #46 em: Outubro 16, 2005, 03:26:22 pm »
    É isso Duarte, por acaso uma das dúvidas que tenho é se os Huey seriam os UH-1N, ou os UH-1H.

    Os AH-1 Cobra não sei seriam da versão E, da F, ou da G .

    O facto, é que tal como dizes à semelhança de muitos outros planos não deu em nada. Mas o número de aparelhos referido nos media chamou-me a atenção.
 

*

Miguel

  • Investigador
  • *****
  • 2435
  • Recebeu: 23 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +10/-15
(sem assunto)
« Responder #47 em: Outubro 16, 2005, 03:50:13 pm »
:shock:
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2509
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +2/-39
(sem assunto)
« Responder #48 em: Outubro 19, 2005, 03:58:26 pm »
A propósito da eventual compra de A 109 LUH para o GALE

Handover of the First Agusta Westland A109 Light Utility Helicopters to the South African Air Force
 
 
(Source: Turbomeca; issued Oct. 19, 2005)
 
 
 BORDES, France --- As part of the South African Air Force’s order of 30 twin-engine A 109 LUH helicopters powered by the Turbomeca Arrius 2K2 engine, the first four aircraft have been received today by the SAAF at the Bloemfontein Base.  
 
The A 109 LUH will carry out EMS, surveillance, troop transportation and rescue missions.  
 
The assembly and the testing as well as the production of certain parts of the Arrius 2K2 engine are carried out by Turbomeca Africa, Johannesburg. Turbomeca’s South African site, recently modernized with new machine tools and deep maintenance workshops, will also very soon ensure local support up to the repair and overhaul of engines.  
 
Turbomeca has worked closely with the South African Defense Forces for more than a quarter of a century, notably for the support and deep maintenance of the Artouste engines which equip the Alouette, and the Makila engines which equip the Oryx and Rooivalk.  
 
Turbomeca Africa Pty Ltd is the result of an agreement signed in mid-2002 between the South African company Denel Ltd and Turbomeca, with the French parent company acquiring majority participation with 51% of the shares.  
 
The Arrius 2K2 delivers a take-off power of 716 shp with a 3 000 hour TBO (time between overhauls).  
 
The Arrius 2K2 has been ordered by Sweden and Malaysia – 20 and 11 A 109 LUH helicopters respectively.  
 
Engines of the Arrius family now rest confidently on the experience of more than 1,800 engines delivered, totaling more than 2 million flying hours for 430 customers in 60 countries.  
 
 
Turbomeca (SAFRAN Group) is the leading helicopter engine manufacturer, and has produced over 50 000 turbines based on its own designs since the company was founded. With more than 2 000 customers in over 140 countries, Turbomeca provides a proximity service thanks to its 14 sites, 3 subsidiaries, 25 TurboSupport Centers, 32 repair centers and 90 Field representatives and Field technicians. The Head Office is based in Bordes, Pyrénées-Atlantiques (south-west France). Microturbo, a subsidiary of Turbomeca, is the European leader in turbojet engines for missiles, drones and auxiliary power units.  
 
-ends-
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #49 em: Outubro 28, 2005, 05:17:38 pm »
ola a todos.
alguem sabe novidades sobre este assunto :D ?
obrigado pela vossa atencao.
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #50 em: Dezembro 22, 2005, 07:04:55 pm »
este aviao leva a bandeira de portugal atras :shock:
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6675
  • Recebeu: 248 vez(es)
  • Enviou: 180 vez(es)
  • +81/-0
(sem assunto)
« Responder #51 em: Dezembro 22, 2005, 07:14:55 pm »
Citação de: "pedro"
este aviao leva a bandeira de portugal atras :wink: o que não quer dizer que vamos, necessariamente, adquirir os helicópteros... :oops:

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

Leonidas

  • Analista
  • ***
  • 621
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +1/-2
(sem assunto)
« Responder #52 em: Dezembro 23, 2005, 08:11:43 pm »
Saudações guerreiras.

Citação de: "Pedro"
este aviao leva a bandeira de portugal atras :wink:    

Citação de: "Spectral"
A questão dos custos de operação é a mais importante. Um NH-90 deve ser mais barato que operar que um EH-101, mas por quanto ? Metade ? Não me parece ... 2/3 ? Aí as comparações ficariam empatadas ( a proporção de tropas também é 20/30).


Segundo o que li num artigo da AFM o EH-101 é, segundo um comparativo com o Blackhawk e o Sirkosky S-90, o que, por hora de voo, é mais caro apresentando um valor rondando os $1500 (USDólares). O blackhawk era o mais barato não chegando aos $1000/h de voo. O H-92 apontava para valores entre os $1100-$1200/h de voo. Vou tentar encontrar a revista e se possivel dar mais pormenores.

Blackhawk:


H-92 Superhawk:


Cumprimentos
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1700
  • Recebeu: 187 vez(es)
  • Enviou: 432 vez(es)
  • +7/-1
(sem assunto)
« Responder #53 em: Dezembro 23, 2005, 08:48:44 pm »
Citação de: "Leonidas"
Saudações guerreiras.
Portugal em 2001 juntou-se a mais 4 países europeus – Holanda (5.5% Sork Fokker); Alemanha (30.85%-Eurocpter Deutschland); Itália (30.85%-Agusta) e França (30.85%-Eurocopter) – para participar na construção dos NH-90. Se não me falha a memória, Portugal é responsável por uma parte ou todo o desenvolvimento do software de todos os helis que venham a ser construídos.

Creio, ainda que se frabricam em Portugal alguns componentes/partes da fuselagem, mas é melhor que alguém possa dar aqui uma achega. Sei que não ando longe da verdade, mas o que é certo é que também gostava de me atualizar em relação a este assunto. Este tipo de parcerias é altamente rentável e recomenda-se, apesar da parte que cabe a Portugal, em percentagem, ser muito reduzida (1.2%).


Alguém me poderia dizer como é a participação portuguesa? Se é mesmo alguma empresa portuguesa ou se é alguma multinacional - e já agora qual - cá?

Já agora se poderem coloquem mais informação acerca da participação portuguesa no artigo na Wikipédia em inglês.

Obrigado,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Leonidas

  • Analista
  • ***
  • 621
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +1/-2
(sem assunto)
« Responder #54 em: Dezembro 23, 2005, 09:03:11 pm »
Saudações guerreiras.

Citação de: "Get_It"
Alguém me poderia dizer como é a participação portuguesa? Se é mesmo alguma empresa portuguesa ou se é alguma multinacional - e já agora qual - cá?


Caro Get_It multinacionais desconheço por completo, nunca ouvi falar, até porque são projetos que só aos paises envolvidos dizem respeito, mas é possivel. Sei que estão envolvidas empresas de software. O nome não sei de momento, mas devem ser as que mais se distinguem na matéria. Não tenho a certeza, mas acho que a Critical Software (de Coimbra) está envolvida. As OGMA devem estar envolvidas, também. É melhor esperar mais um pouco até que alguém confirme isto tudo, pois estou a escrever de memória.

Cumprimentos

Ps: Uma sugestão - contate diretamente o fabricante ou o Ministério da Defesa português.

http://www.nhindustries.com
 

*

p_shadow

  • Perito
  • **
  • 448
  • +0/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #55 em: Dezembro 23, 2005, 11:01:50 pm »
Participação portuguesa no programa NH90:

Citar
NH-90 Helicopters
In the end of 2002, EDISOFT began its involvement with the NH-90 Helicopters project, under the aegis of the Portuguese Army. EDISOFT's expertise is needed for the development of the helicopters' on-board software, with an emphasis in all automation and control systems, including the RTM motors' control, an all-check system and a mission control software package.


http://www.edisoft.pt/references.htm

De realçar também o envolvimento desta empresa noutros projectos das nossas FAs. :wink:


Cumptos
A realidade não alimenta fóruns....
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #56 em: Dezembro 23, 2005, 11:07:50 pm »
Heláa, foram desencantar uma thread já com barbas  :?

http://www.nhindustries.com/

A nossa única participação num projecto aeronático de grande exposição é praticamente invisível (o que não quer dizer irrelevante, mas mesmo assim) ...


EDIT:

Já agora, um dado curioso sobre a NHIndustries :


Citar
Mrs Gala GONCALVES is currently General Manager of NHIndustries (since 23rd March 2005).
;)

http://nh90.free.fr/eng/index_2.htm
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Leonidas

  • Analista
  • ***
  • 621
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +1/-2
(sem assunto)
« Responder #57 em: Dezembro 26, 2005, 09:32:01 pm »
Saudações guerreiras.

Citação de: "Spectral"
O NH-90 (versão TTH) e o EH-101 (versão de transporte táctico, equivalente) têm preços de aquisição unitários relativamente semelhantes, entre os 25 e os 30 milhões de € ( estimativa baseada nos contratos belga e grego para o NH-90 e português e dinamarquês para o EH-101).



De memória, os valores que ouvi para a compra dos hélis NH-90 para o exército eram entre os 400 e 450 milhões de euros. Isto a dividir por dez unidades dão umas belas quantias de 40 a 45 milhões de euros por cada héli. Mas de certeza que neste valor deve estar mais do que aquilo que os NH-90 valem. O quê ao certo, não sei, mas deve ser já uma parte daquilo que Portugal tem obriagtóriamente de investir por causa da sua participação na construção dos mesmos, pois não acredito que os H´lis valham assim tanto!!!

-----------------------------

Em relação aos custos por hora de voo de qualquer aeronave, quando apresentados, tal como fiz anteriormente para o blackhawk, S-92 e EH-101, já estão incluidos todos os custos (manutenção, combustivél,etc), não é?

Cumprimentos
 

*

Miguel Silva Machado

  • Perito
  • **
  • 485
  • +0/-0
    • http://www.operacional.pt/
GALE
« Responder #58 em: Dezembro 27, 2005, 10:52:42 pm »
E porque é que não nos deixamos - nós os portugueses - de sonhar e deixamos os helicópteros, todos, na Força Aérea?
Um Abraço,
MMachado
Miguel Silva Machado
http://www.operacional.pt/
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7486
  • Recebeu: 359 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +87/-190
(sem assunto)
« Responder #59 em: Dezembro 27, 2005, 11:40:24 pm »
Inclusive os orgânicos da Marinha?
Não será demais?
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

 

Nova organização do nosso Exército

Iniciado por Miguel

Respostas: 1101
Visualizações: 197098
Última mensagem Abril 01, 2016, 05:11:18 pm
por Lightning
BI Paraquedista - Organização/ Equipamento/ Doutrina

Iniciado por LM

Respostas: 0
Visualizações: 1510
Última mensagem Janeiro 29, 2007, 02:01:41 pm
por LM
BI Paraquedista - Organização/ Equipamento/ Doutrina

Iniciado por LM

Respostas: 80
Visualizações: 37750
Última mensagem Dezembro 10, 2009, 10:58:00 am
por nelson38899
Organização do Exército com a reserva operacional

Iniciado por Lightning

Respostas: 12
Visualizações: 3422
Última mensagem Fevereiro 22, 2013, 07:42:43 pm
por Lightning
Organização dos Batalhões

Iniciado por RAP1

Respostas: 135
Visualizações: 45167
Última mensagem Maio 20, 2007, 02:43:15 pm
por Duarte