IDAS: Míssil Antiaéreo para Submarinos

  • 42 Respostas
  • 13116 Visualizações
*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2198
  • Recebeu: 58 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +15/-0
    • http://forumdefesa.com
IDAS: Míssil Antiaéreo para Submarinos
« em: Dezembro 03, 2006, 07:49:16 pm »
:arrow: IDAS

Um novo míssil lançado pelos tubos lança-torpedos que, além de alvos aéreos, permite atacar navios ou alvos em terra. Excelente!



Testes do Míssil


Citar
IDAS (Interactive Defence and Armament for Submarines) missile system is also based on IRIS-T missile. IDAS purpose is to allow submerged submarines to effectively engage surface vessels, anti-submarine helicopters and land targets near the coast. Currently, IDAS is a technology demonstration program expected to go into development in 2007.
Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

komet

  • Investigador
  • *****
  • 1664
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Dezembro 03, 2006, 07:54:23 pm »
Como é que isto funciona? O submarino sobe uma sonda por cabo que detecta os alvos aéreos?
"History is always written by who wins the war..."
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7498
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +120/-194
(sem assunto)
« Responder #2 em: Dezembro 03, 2006, 08:00:33 pm »
Julgo ser a combinação de um sensor IR e transmissão de dados por fibra óptica.
Se a esta arma se juntar o canhão Mauser RMK30 de 30mm retráctil, o submarino fica uma plataforma muito mais flexível.
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3042
  • Recebeu: 125 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +127/-32
(sem assunto)
« Responder #3 em: Dezembro 04, 2006, 10:58:02 pm »
Falou-se em misseis anti-aéreos para o nosso SSK.. Falta saber se vão ser adquiridos...
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

antoninho

  • Perito
  • **
  • 562
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Dezembro 05, 2006, 05:55:25 pm »
Na altura da apresentação do sub 209 à imprensa portuguesa, foi apresentado o míssil Polyphem, as fotos são dessa altura (2000)


citação:
Na apresentação técnica falou-se também do míssil Polyphem para os quais já existem cápsulas com a forma de um torpedo que podem ser alojados num tubo lança torpedos e levar até 4 mísseis deste tipo.
Estes mísseis guiados por fio óptico podem abater helicópteros de luta anti-submarina que ameacem o submarino na área de operações.








mais informação

http://www.army-technology.com/projects/polyphem/
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Dezembro 05, 2006, 06:27:29 pm »
Seria uma grande mais valia para Portugal.
Cumprimentos
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Dezembro 05, 2006, 09:04:30 pm »
Porquê?

É uma capacidade interessante mas parece-me que marginal face às normais missões de um submarino. A principal  arma dos subs é sempre a  furtividade e o emprego deste armamento degrada-a seriamente.

A arriscar em conceitos/teconologias de risco há melhores parece-me haver melhores áreas...
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Maio 16, 2007, 05:36:40 pm »
Caro Spectral,
Não se tem ideia mas a verdadeira ameaça (+temida e imprevisivel) para um submarino, convencional ou nuclear, é o heli :G-sig: .
E as missões do submarino vão bem mais para além da perseguição a navios e submarinos ou patrulha de áreas. Neste momento todas as marinhas do mundo, no qual se inclui a nossa, fazem-se exercicios de SOF INSERTION e SOF RECOVERY, bem como reconhecimento de zonas costeiras doutros paises (fotografia periscópica). Para este tipo de missão esta arma e também a peça de artilharia retráctil como os outros mastros dos submarinos são essenciais.
Tanto quanto julgo saber, os nossos SSG's vêm com a capacidade de poder disparar este missil visto a sua capsula ser compativel com o nosso tubo lança tudo (torpedo, minas, harpoon), no que diz respeito à peça de artilharia foi equacionado mas a nível orçamental seria incomportável devido às alterações que teriam de ser feitas ao projecto U-214 (passagens de casco e espaço na torre do sub para arrumar um mastro desta dimensão).

Os Submarinos nos dias de hoje são bem mais do que um briquedo da guerra fria, especialmente os SSK's e os SSG's...
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #8 em: Maio 16, 2007, 08:57:24 pm »
Um dos problemas é que assim que o míssil é lançado, mesmo que destruindo o heli inimigo, sinaliza muito claramente ao resto das forças inimigas a posição do submarino, sendo-lhes então mais fácil fazer convergir todos os seus meios aéreos ASW na área onde o sub está, em vez de os desperdiçar em padrões de busca. Isto é tanto válido em missões anti-superfície, como de inflitração, vigilância, etc

Não digo que não existam situações tácticas onde nao seja útil, mas,em minha opinião :twisted: ) . :mrgreen:  :mrgreen:
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Maio 16, 2007, 09:45:13 pm »
quanto ao desporto nunca se sabe, à sempre a hipotese de OU NÃO cax23  f2x2x
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2509
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +4/-42
(sem assunto)
« Responder #10 em: Maio 16, 2007, 11:42:59 pm »
Citação de: "Spectral"
 
PS : Cheira-me que o SSK vai sofrer 2 desilusões futebolísticas nos próximos tempos  :mrgreen:  :lol:
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Maio 17, 2007, 03:08:35 pm »
Citar
Um dos problemas é que assim que o míssil é lançado, mesmo que destruindo o heli inimigo, sinaliza muito claramente ao resto das forças inimigas a posição do submarino, sendo-lhes então mais fácil fazer convergir todos os seus meios aéreos ASW na área onde o sub está, em vez de os desperdiçar em padrões de busca. Isto é tanto válido em missões anti-superfície, como de inflitração, vigilância, etc

Tem toda razão!!! Mas temos de ter a noção que onde anda um heli em operações é por que existe a desconfiança de haver submarinos inimigos na área. E como é obvio associado a um heli existe sempre o meio organico (que nunca anda sozinho). Bem como a inserção de forças especiais exige a aproximação do submarino a águas pouco profundas, o que é extremamente desvantajoso para o sub. O que faz com que qualquer sonar a transmitir apanha-o, devido ao Sound-Velocity Profile associado a Shallow-Waters, e aí a saída só pode ser a eliminação de todas as ameaças ou a fuga...

Citar
Pela mesma lógica, também me interrogo sobre a aquisição dos Sub-Harpoon. Muitas outras marinhas da NATO não sentem necessidade de os utilizar, e mais uma vez a nossa marinha não nada em dinheiro. No entanto, certamente pessoas muito mais qualificadas que eu reflectiram sobre o assunto e decidiram pela sua aquisição ( embora eu prefira esperar para ver os mísseis aí por Pt, não seja como de outras vezes  ) .  


No que diz respeito aos Sub-Harpoon, temos de ter maneira de entregar estes "birds" ao inimigo e julgo que aproximar uma fragata de uma costa inimiga será pior. Mas é discutivel, como tudo o resto...

Quanto às finanças, se o dinheiro não fosse gasto ali não era decerto gasto nas fragatas. E como elas precisam de um Midle Life Refeat...
Mas assim também garantimos um SSG a sério...

Quanto à NATO, eles dizem que não querem portugal com subs, por algum motivo há-de ser, mas se não querem porque é que se fala na integração na Nato Reaction Force dos novos submarinos lá para depois de 2011... :conf:
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Maio 17, 2007, 03:21:30 pm »
Citação de: "komet"
Como é que isto funciona? O submarino sobe uma sonda por cabo que detecta os alvos aéreos?


Pode ser de várias maneiras:

1ª se o heli estiver com o sonar na água a transmitir é bastante fácil de determinar a sua posição :conf:
3ª se o sub tiver em companhia de uma força amiga e existir a necessidade de o submarino eliminar um heli ou aéreo de asa fixa, existem meios de comunicação como por exemplo o telefone submarino ou um Link (dados tx em HF) para comunicar ao submarino a posição dos alvos. Para o link funcionar ou o sub tem um mastro de comms de fora de água ou pode estar em imersão profunda (mais que a cota periscópica) e com a wire-antenna de fora (mt mais discreta).

4ª sempre existe a hipótese do periscópio para determinar a posição do aéreo em causa.

entre outras...
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #13 em: Maio 17, 2007, 06:28:35 pm »
Citar
No que diz respeito aos Sub-Harpoon, temos de ter maneira de entregar estes "birds" ao inimigo e julgo que aproximar uma fragata de uma costa inimiga será pior.


Os Sub-Harpoon serão das versões com capacidade de ataque ao solo?
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Maio 17, 2007, 10:05:50 pm »
Não tenho a certeza, em conversas disseram-me que sim agora não vi nada na realidade que o confirmasse.

Se souber informo....
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

 

O projecto anglo-fancês para a construção de um porta-aviões

Iniciado por Rui Elias

Respostas: 8
Visualizações: 3419
Última mensagem Junho 09, 2004, 06:59:05 pm
por Spectral
6 novos patrulhas rápidos para a Marinha do Egipto

Iniciado por JLRC

Respostas: 0
Visualizações: 1450
Última mensagem Setembro 28, 2004, 02:11:53 am
por JLRC
Itália construirá Porta-Aviões para a India

Iniciado por P44

Respostas: 8
Visualizações: 2661
Última mensagem Janeiro 02, 2005, 11:56:53 pm
por JLRC
El Pentagono autoriza la venta de Tomahawk para España

Iniciado por smaerd

Respostas: 3
Visualizações: 1996
Última mensagem Agosto 01, 2005, 12:18:44 pm
por Rui Elias
Novo porta aviões para a India

Iniciado por papatango

Respostas: 2
Visualizações: 2970
Última mensagem Janeiro 23, 2004, 09:18:21 pm
por papatango