CRISTÓVÃO COLOM(BO) - Verdadeira Identidade!

  • 16 Respostas
  • 5182 Visualizações
*

Templário

  • 127
  • +0/-0
CRISTÓVÃO COLOM(BO) - Verdadeira Identidade!
« em: Novembro 12, 2006, 04:17:46 pm »
Caros Amigos;

Saudações! É aminha primeira participação neste forum.
Os meus parabéns pelo vosso patriotismo e inconformismo.

Quero a aproveitar a oportunidade para divulgar junto de vós uma temática (da qual decerto estão ao corrente), mas que merece ser actualizada.

Faço-o modestamente, diga-se, por paixão. O mérito da investigação é de outros.

Inscrevi-me no FORUM DE DEFESA de LÍNGUA ESPANHOLA (CASTELHANA), uma vez que se trata de um espaço muito visitado por internautas de toda a América "latina".

Sabem, a temática de Colom(bo) está muito espalhada; mas a teoria portuguesa é mal conhecida fora de "portas", e é a que apresenta provas mais sólidas.

Fiz três textos muito resumidos, fáceis e rápidos de ler, em "espanhol" (uma tentativa de aproximação à língua, cheia de erros ortográficos e gramaticais), mas divulguei a questão de forma resumida e clara, e rápida de ler.

Divulguei espaços para "linkar" muito interessantes, que vos convido a visitar - e também "links" sobre os ultimos grandes acontecimentos relativos a esta questão:

http://www.militar.org.ua/phpBB2/viewtopic.php?t=12702

Abraço
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Novembro 29, 2006, 09:38:25 pm »
Caros

Novo artigo do Dr. Manuel Luciano da Silva sobre o ADN:

http://www.dightonrock.com/adnprovaquecolonnaoeraespanholit.htm

Abraço
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2102
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Novembro 29, 2006, 09:53:43 pm »
O Colombo de uma forma ou de outra foi português, adquiriu nacionalidade portuguesa através de o casamento com a filha do Capitão da Madeira daquela altura. Assim, conseguiu arranjar trabalho ao serviço da coroa portuguesa. Naquela altura já não era todo o estrangeiro que podia trabalhar para Portugal :wink:
 

*

Doctor Z

  • Analista
  • ***
  • 831
  • +1/-0
    • http://www.oliven
(sem assunto)
« Responder #3 em: Novembro 30, 2006, 11:26:46 am »
Por o que eu li, ele andou muito por cá ...
Blog Olivença é Portugal
"Se és Alentejano, Deus te abençoe...se não
és, Deus te perdoe" (Frase escrita num azulejo
patente ao público no museu do castelo de
Olivença).

:XpõFERENS./
 

*

Bravo Two Zero

  • Especialista
  • ****
  • 1009
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 16 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Novembro 30, 2006, 07:20:57 pm »
Segundo reza as crónicas , foi casado com Filipa Moniz, filha de Bartolomeu Perestrelo, o 1º capitão donatário da ilha do Porto Santo. A casa onde supostamente viveu na ilha foi convertida em museu.
"Há vários tipos de Estado,  o Estado comunista, o Estado Capitalista! E há o Estado a que chegámos!" - Salgueiro Maia
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Novembro 30, 2006, 10:20:13 pm »
Caros Amigos;

Estava muito mais ligado a Portugal do que imaginam. Casou-se com uma senhora da alta nobreza portuguesa (para não nacionais do reino, era muito dificil fazê-lo; era necessário representar uma grande casa ou um grande poder económico ou político penínsular ou europeu).

Navegava em navios portugueses nas nossas rotas para a África e Atlântico Ocidental (Islândia etc.). É necessário lembrar que a determinada altura foram expressamente proíbidos estrangeiros, medida que ainda entrou em vigor com Colon em Portugal. Podemos por hipótese "realista"e académica admitir que possa ter havido excepções não conhecidas; mas não acreditamos que fosse o caso.

Seja como for remeto-vos para aquele texto em "castelhano" atrapalhado e aportuguesado (para evitar transcrições), na primeira ligação que faço aquele forum. É bastante claro.

Um Abraço aos Três.
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2102
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Novembro 30, 2006, 10:28:02 pm »
Citação de: "Templário"
É necessário lembrar que a determinada altura foram expressamente proíbidos estrangeiros, medida que ainda entrou em vigor com Colon em Portugal. Podemos por hipótese "realista"e académica admitir que possa ter havido excepções não conhecidas; mas não acreditamos que fosse o caso.


Exacto, para poder ser chamado ao serviço de Portugal é que ele casasse com uma senhora portuguesa, recebendo nacionalidade portuguesa.

Desta forma foi possivel transpor esse problema. Pelo menos assim reza a história.

É claro que ele poderia simplesmente ser português, mas é preciso mais provas..

Bravo Zero Two está correco...era o capitão Perestrelo de Porto Santo sem dúvida :wink:
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Dezembro 02, 2006, 10:24:00 pm »
A minha resposta é um conselho: leia ""Colombo" Português - Provas documentais", de Mascarenhas Barreto (Editora "Nova Arrancada").
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

nestor

  • Membro
  • *
  • 225
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #8 em: Dezembro 03, 2006, 05:13:32 am »
Citação de: "Templário"
Caros

Novo artigo do Dr. Manuel Luciano da Silva sobre o ADN:

http://www.dightonrock.com/adnprovaquecolonnaoeraespanholit.htm

Abraço


¿El apellido Colon o semejante existe en Portugal?

Citar
Se mantiene 'el enigma Colón'
Redacción

José Antonio Lorente, director del Laboratorio de Identificación Genética de la Universidad de Granada, se ha propuesto escudriñar hasta el último minuto de la vida del navegante Cristóbal Colón. En marzo de este mismo año Lorente afirmó, como resultado de los estudios realizados, que los restos humanos de la catedral de Sevilla pertencen a los del descubridor de América, desmontando así una de las teorías de la catalanidad de Colón defendida por el joven historiador Jordi Billbeny.

Ahora hemos sabido que los estudios para averiguar el origen del almirante no aclaran el fin de la investigación. Lorente está realizando estudios con posibles descendientes en España, Francia e Italia, que tengan el apellido Colón, Colom, Colombo o Colonne. Pero los resultados de estos estudios no permiten encuadrar a Cristóbal Colón en un marco geográfico determinado. Lorente seguirá investigando. Colón seguirá siendo un enigma. Al menos de momento.



Porque el estudio del Profesor Lorente se concentra en personas españolas, francesas e italianas apellidadas Colon, o derivado de ese apellido.

No se trata de "portugofobia" sino de que en Portugal no existe ese apellido.

Por otro lado, en aquella epoca no existia el termino administrativo de nacionalidad como el actual. En realidad todos eran vasallos al servicio de un rey ya fuese de España, Portugal o Francia. No estaban al servicio de ninguna nación.


Saludos.
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Dezembro 03, 2006, 02:40:42 pm »
Nestor:

El apelido "Colon" era apenas un de los apelidos. Leste mi texto? Era aquel que lle era más conveniente, quando se refugiou en España, assi como otros nobles portugueses, após la grande conspiración contra D. Juan II. Algunos grandes nobles, foran executados, como D. Diogo, Mestre de la Orden de Cristo, candidato al trono, y hijo mas viejo del Duque D. Fernando y hermano de D. Manuel.

Su apelido era "Zarco". La assinatura de Cristobál con el sinal "./" significa "Zarga" en hebráico; y este sinal de pontuación és designado "Colon" en greco(greco que Colón provo conocer. Los Zarco, donatários de la Madeira, eran originários de Tomar, tenian vinculación familiar hebraica.

Curioso sinal de punto y vírgula "./" designado por el nombre "Colon", y curiosamente utilizado por miembros de la família real portuguesa y por miembros de la Orden de Cristo, en sus assinaturas personales, como documentou Mascarenhas Barreto. Até por D. Henrique  y por reinas daquel siglo en Portugal.
Un "amuleto"? Un sinal superior de vinculación a una Orden Superior? La Orden de Cristo? Señora de la expanción maritima?
« Última modificação: Dezembro 03, 2006, 06:48:49 pm por Templário »
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Dezembro 03, 2006, 03:06:46 pm »
Nestor:

Foran vários los nobles portugueses refugiados en Castilla. Daí la carta de D. Juan II, más tarde, enviada a Colón,  yá en Castilla, "perdonando-lle por agravos passados".

"Colón" era el apelido(de todos los apelidos que tenia) lo más conveniente. Los "Zarco" portugueses, de la alta nobleza, ligados a los "Moniz", antigos descubridores y donatários de la isla de la Madeira, originários de Tomar, ligados a la Orden de Cristo(y sus navegaciones en Atlântico); tenian (estes Zarco) antepassados de Piacenza - Itália, de nombre "Colonna".
« Última modificação: Dezembro 03, 2006, 06:52:13 pm por Templário »
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Dezembro 03, 2006, 03:14:46 pm »
Nestor:
Los Zarco tenian también un ramo luso-hebraico, daí el conocimiento del hebraico. De su antigo ramo "Colonna", tenian tambien un otro apelido, el nombre "Sciarra" o "Guiarra", en portugués es "Guerra". El Professor Mascarenhas Barreto provo en vários documentos de herâncias y del próprio Colón, el uso del apelido "Guerra" para Cristóbal - otra prueba de la orígen de Cristóbal en los Zarco.

La assinatiura "XPO FERENS", significa de hecho "Condutor de Cristo- "-"Cristóvam". Claro que el apelido "Fernandes" del possible su padre - El Duque D. Fernando, duque de Beja (y padre de D. Manuel) está continido también en la abreviatura "FERENS". La parte "Zarco" era de su madre. Sería hijo por "bastardia" de D. Fernando.

Y los 40 (Quarenta) topónimos portugueses, maioritários de la zona de Beja, nomeados en
las Antillas y Caríbe, del Ducado de Beja -del Duque, possible su padre?
No hai topónimos catalanes, mayorquinos o Genoveses, pero existe cerca de 30 topónimos del Ducado de Beja en las Antillas y Caríbe, nomeados por Colón:

-de ermidas, aldeas y freguesias. Colón llego a nomear três cabos seguidos de costa(en la misma costa) en Cuba, con el nombre de las três unicas freguesías que constituian la ciudad de Santarém en el siglo XV. la restante decena de nombres son de Santarém, Lisboa, Madeira e Açores. (Islas y tierras como Graciosa, San Vicente, Porto Santo, Belén etc.). La mayoria, (perto de 30 topónimos) son del distrito de Beja. No por acaso - esta era la región de que Colón se sentia principe y Señor - y su tierra natal. Se quiseres te forneço todos los nombres de las Antillas y Caríbe en el distrito de Beja. Te aviso que és una longa lista.

La afirmación de Cristobal y de su hermano Bartolomeu, de seren naturales de "vila Rúbia "en carta Cartográfica, apresentada en Castilla y Francia, quando proponian el empreendimento de las Indias, no es casual - y és otra prueba. "Vila Rubia", actual Vila Ruiva, en el Conselho de la vila de Cuba, en el distrito de Beja, - en el antigo Ducado del duque de Beja.

No lo sey se existe "portugofobia", pero existe "lusofobia"; está en el diccionário de Portugués. És una doença perfectamente curable. Unos tratamientos de choque, con verdades para abrir los ojos(olhos), y el problema termina.

Sin, los "estrangeiros" no podian navegar en navios portugueses; una medida tomada en el final del siglo XV. Cristóvão siempre navegou en navios portugueses.

(Um problema na internet, levou-me a enviar mensagens seguidas - as minhas desculpas)
Para a próxima, será em bom Português.
Abraço
« Última modificação: Dezembro 03, 2006, 06:56:27 pm por Templário »
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

TOMKAT

  • Especialista
  • ****
  • 1175
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Dezembro 03, 2006, 04:41:00 pm »
Citação de: "Templário"
....
(Um problema na internet, levou-me a enviar mensagens seguidas - as minhas desculpas)
Para a próxima, será em bom Português.
Abraço


E porque não sempre em bom português?
Afinal este é um forum português.
Assim como nós portugueses nos esforçamos por entender a escrita dos foristas espanhóis na sua (deles) lingua mãe, certamente um esforço da parte deles não ficará mal, e pelo passado, creio não haver dificuldades de compreensão do português escrito da parte deles. :wink:
IMPROVISAR, LUSITANA PAIXÃO.....
ALEA JACTA EST.....
«O meu ideal político é a democracia, para que cada homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado»... Albert Einstein
 

*

Templário

  • 127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #13 em: Dezembro 03, 2006, 05:15:14 pm »
TOMKAT

As minhas desculpas; estou inteiramente de acordo. Para a próxima será em português obviamente.
Com tempo, se quiser, posso editar o texto; - não sei se o meu interlocutor é forista assíduo, (eu sou recente); e se está habituado a ler em português. Foi para ser claro e não haver desculpas de má compreensão.

Seja como for, se o entenderem(os Moderadores) - podem ficar em castelhano (excepcionalmente) estas ultimas mensagens que escrevi; - para divulgação da temática entre os hispano-falantes que visitem o fórum defesa; até porque anda por aí muita divulgação mundial de teorias sem a força e os fundamentos da portuguesa.

Obrigado
Ensinam estas Quinas que aqui vês,
Que o mar com fim será grego e romano:
O mar sem fim é português
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
 

*

Doctor Z

  • Analista
  • ***
  • 831
  • +1/-0
    • http://www.oliven
(sem assunto)
« Responder #14 em: Dezembro 04, 2006, 04:53:17 pm »
Templário, tal como disse o TOMKAT, é preferível escrever em português,
os espanhóis sempre lá vão percebendo e quando isso não acontece
pedem para que alguém lhe explica, como aliás já aconteceu comigo quando
por vezes os espanhóis respondem e que não percebo. Mas, na boa !  :wink:

Quanto ao assunto, nestas páginas há mais informação para quem estiver
interessado :

- Portugal Livre
- Apol

Mesmo muito instrutivo.

Boa leitura.
Blog Olivença é Portugal
"Se és Alentejano, Deus te abençoe...se não
és, Deus te perdoe" (Frase escrita num azulejo
patente ao público no museu do castelo de
Olivença).

:XpõFERENS./
 

 

A verdadeira face do BE

Iniciado por Tiger22

Respostas: 13
Visualizações: 2716
Última mensagem Julho 09, 2005, 12:11:23 am
por Moi
Passaportes e Bilhetes de Idêntidade portugueses

Iniciado por papatango

Respostas: 0
Visualizações: 999
Última mensagem Fevereiro 04, 2005, 07:56:07 pm
por papatango
Identidade Nacional Portuguesa

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 27
Visualizações: 5436
Última mensagem Novembro 21, 2005, 01:52:54 pm
por TOMKAT