Novos Satélites Russos

  • 8 Respostas
  • 2317 Visualizações
*

Fábio G.

  • Investigador
  • *****
  • 1398
  • +1/-0
Novos Satélites Russos
« em: Maio 09, 2004, 02:26:31 am »
Em 2003, a Russia pôs em órbita 12 novos satélites militares. O principal objectivo destes lançamentos é reaprovisionar e manter a sua infrastutura militar em órbita. Ainda vários sistemas em terra entraram em funcionamento, incluindo radares na Bielorrussia e sistemas optrónicos no Tayikistão.

Pouco a pouco a Russia vai recuperando o seu poder militar.
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Junho 09, 2004, 03:52:45 pm »
E eu já escrevi noutros locais que de mansinho a Rússia está a preparar-se para dentro de 10 anos poder ter capacidades para voltar a dar murros na mesa das negociações.

Nessa altura a Rússia não se "encolheria" como quando em 98 se atacou a Sérvia.

A estratégia deles é serem subestimados.
 

*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1263
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #2 em: Junho 09, 2004, 06:18:49 pm »
Citar
Nessa altura a Rússia não se "encolheria" como quando em 98 se atacou a Sérvia.


1999.  :wink:
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 835
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #3 em: Junho 10, 2004, 12:06:21 am »
Citar
Nessa altura a Rússia não se "encolheria" como quando em 98 se atacou a Sérvia.

A estratégia deles é serem subestimados.


A Rússia anda a aprender com a China - a discrição é a chave do negócio...  :wink:

Pelos vistos estão a perceber a vantagem das comunicações e da informação no campo de batalha moderno. É sintomático que apostem primeiro em satélites (cuja frota actual se calhar já estaria a ficar um pouco envelhecida), e só depois em equipamento mais "convencional" (e mesmo assim apostando cada vez mais na qualidade em detrimento da quantidade).

Com o Putin a ajudar os Russos a recuperar o orgulho nacional, e a economia a dar sinais de retoma, talvez a Rússia consiga reaver parte do seu antigo poderio nos próximos anos (próxima década)...

Mas possivelmente a maior implicação estratégica é a crescente transferência de tecnologia Russa para potências emergentes - a Índia e a China...
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Junho 11, 2004, 12:25:57 pm »
JNSA:

A aproximação entre a Rússia a a China, é fruto e simultâneamente consequência do aumento da influência norte-americana na Ásia central, de que o recente golpe na Geórgia foi o útimo episódio.

Quanto à proximidade entre o Paquistão e a China por um lado, e entre a Índia e a Rússia por outro, estes últimos serão peões dos grandes para serem chamados quando fizerem falta.

Mas também não é de excluir que nos próximos 5 anos se assista a uma aproximação gradual entre a China e índia, deixando o Paquistão à margem.



Ricardo Nunes:

Há dias troquei o Vasco da Gama pelo Bartolomeu Dias, depois escapou-me o lançamento à água do USS Ronald Reagan, e hoje troquei 98 por 99 em relação à guerra contra a Sérvia.

Estarei com Alzheimer?
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 835
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #5 em: Junho 11, 2004, 12:44:20 pm »
Citar
Mas também não é de excluir que nos próximos 5 anos se assista a uma aproximação gradual entre a China e índia, deixando o Paquistão à margem.


Não será ao contrário - aproximação da China ao Paquistão?  :wink:
 

*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1263
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #6 em: Junho 11, 2004, 12:56:07 pm »
Citar
Ricardo Nunes:

Há dias troquei o Vasco da Gama pelo Bartolomeu Dias, depois escapou-me o lançamento à água do USS Ronald Reagan, e hoje troquei 98 por 99 em relação à guerra contra a Sérvia.

Estarei com Alzheimer?


 :shock:

Oh Rui! Não diga isso nem a brincar! Todos nos trocamos às vezes. É perfeitamente normal.  :wink:
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Junho 11, 2004, 03:04:46 pm »
JNSA:

Actualmente já existe uma certa aproximação entre a China e o Paquistão que interessa a ambos.

O Paquistão, que até é um aliado do ocidente, mas que tem uma base social e religiosa complexa pode de repente resvalar para um "estado pária" como se costuma dizer.

E ao Paquistão interessa essa aproximação à China para se "defender" da Índia.

Por outro lado esta aliança interessa à China para manter a Índia em sentido e não dar azo a que se promovam problemas nos Himalais, que se projectassem ao Tibete (que como sabe é um ponto fraco da China em termos internacionais).

Mas se um dia a Índia e a China deixarem de lado as rivalidades, essa aproximação poderá levar à marginalização do Paquistão.

Posso estar enganado, mas alguma da tecnologia paquistanesa dos mísseis balísticos vieram da China.
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 835
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #8 em: Junho 11, 2004, 03:07:28 pm »
Exacto, Rui, a China e o Paquistão são aliados naturais na zona, face à Índia.

Por isso é que achei estranho quanto falou de uma aproximação da China à Índia - no actual contexto parece-me altamente improvável, mas nunca se sabe...
 

 

Exército dos EUA conta com novos meios para minimizar baixas

Iniciado por Tiger22

Respostas: 4
Visualizações: 3078
Última mensagem Junho 29, 2004, 11:06:12 pm
por [PT]HKFlash
India e os seus satélites

Iniciado por SSK

Respostas: 0
Visualizações: 2032
Última mensagem Junho 29, 2007, 02:32:55 pm
por SSK