Nobel da Paz atribuído a Muhammad Yunus e ao banco Grameen

  • 1 Respostas
  • 2722 Visualizações
*

Azraael

  • Perito
  • **
  • 413
  • +0/-0
    • http://www.bgoncalves.com
Nobel da Paz atribuído a Muhammad Yunus e ao banco Grameen
« em: Outubro 13, 2006, 12:57:34 pm »
Citar
Nobel da Paz atribuído a Muhammad Yunus e ao banco Grameen
O Prémio Nobel da Paz foi atribuído ao economista Muhammad Yunus, do Bangladesh, e ao seu banco Grameen, pelo esforços na criação de desenvolvimento económico e social através de projectos de microcrédito. Os projectos de microcrédito iniciados por Yunus servem para ajudar as pessoas mais carenciadas a obter financiamento para os seus negócios.

"Todas as pessoas na Terra têm potencial e têm também o direito de viver com um mínimo de qualidade de vida. Em todas as culturas e civilizações, Yunus e o banco Grameen mostraram que até os mais pobres entre os mais pobres podem trabalhar para o seu desenvolvimento", sublinha o comunicado do Comité Nobel.

Yunus foi elogiado também por conceder com microcréditos vocacionados apenas para mulheres, com o objectivo de as tirar da pobreza extrema.

"O crescimento económico e a democracia não podem concretizar-se plenamente sem que as mulheres estejam em igualdade de circunstâncias com os homens", sublinha o texto.

O banco Grameen, fundado por Yunus e também conhecido como banco dos pobres, dá crédito às pessoas carenciadas das zonas rurais do Bangladesh.

"No Grameen, o crédito é uma arma eficaz para combater a pobreza e serve como catalizador para o desenvolvimento das condições sócio-económicas de pessoas com poucos recursos, que têm sido mantidas fora da órbita dos bancos por serem pobres", lê-se ainda no comunicado do Comité Nobel.


http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1273234

Citar
Bangladeshi Economist, Bank Win Peace Prize for Microcredit

OSLO, Norway -- Bangladeshi Muhammad Yunus and the Grameen Bank were awarded the Nobel Peace Prize on Friday for their work in advancing economic and social opportunities. The economist and his bank, who will share the prize, were cited for their efforts to help "create economic and social development from below" in their home country by using innovative economic programs such as microcredit lending. "Every single individual on earth has both the potential and the right to live a decent life. Across cultures and civilizations, Yunus and Grameen Bank have shown that even the poorest of the poor can work to bring about their own development," the Nobel Committee said in its citation.Reached by the Nobel foundation, Mr. Yunus was excited about winning the prize. "I'm absolutely delighted. I cannot believe that it has really happened," he said by telephone. "Everyone was telling me that I would get the prize but it came as a surprise. It is fantastic news for the people that have supported us." Mr. Yunus has drawn praise for advancing microcredit, which has been credited with helping poor women to advance their lives and pull them out of poverty. Microcredit is the extension of small loans, typically $50 to $100, to entrepreneurs too poor to qualify for traditional bank loans. Ole Danbolt Mjoes, chairman of the committee, said that Mr. Yunus's efforts have had visible results. "We are saying microcredit is an important contribution that cannot fix everything, but is a big help," Mr. Mjoes said, adding that Mr. Yunus is a "smart guy. He is creative. His head is in the right place." Mr. Mjoes recounted that Mr. Yunus himself lent $27, divided among 42 people, in 1976, to help them buy weaving stools. "Then they got the weaving stools quickly, they started to weave quickly and they repaid him quickly," he said. Grameen Bank, which was founded by Mr. Yunus, provides credit to "the poorest of the poor" in rural Bangladesh, without any collateral, according to its Web site. "At GB, credit is a cost effective weapon to fight poverty and it serves as a catalyst in the overall development of socio-economic conditions of the poor who have been kept outside the banking orbit on the ground that they are poor and hence not bankable," the committee said.




http://online.wsj.com/article/SB116073065047391750.html?mod=googlenews_wsj
 

*

JoseMFernandes

  • Perito
  • **
  • 394
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Outubro 13, 2006, 07:10:45 pm »
É interessante notar que este Prémio Nobel  ao ser atribuido a protagonistas da luta contra a pobreza,  viu mais uma vez alargado o seu estrito objectivo original (a PAZ), como já tinha acontecido anteriormente quando destacou a área humanitária, os Direitos do Homem e até mesmo a defesa do Ambiente (ecologista queniana Maathai em 2004).
"Recompensando a luta contra a pobreza, o Comité Nobel quis demonstrar que para instaurar a PAZ, não basta pôr fim às guerras, mas também atacar as raízes dos conflitos pois como disse Ole Mjoes, presidente do Comité Nobel - não poderemos ter uma uma paz duradoura se uma parte importante da população não encontrar meios para sair da pobreza-."
Curiosamente um outro laureado Nobel da Paz, o polaco Lech Walesa declarou-se surpreendido e pensa que teria sido melhor que fosse concedido a Yunus o Nobel da Economia 'por uma ideia económica original'.
Segundo alguns analistas depois do alargamento considerável do conceito de Paz nestes ultimos anos, o Comité Nobel deveria fazer uma pausa na sua procura de novas pistas." No que diz  respeito a áreas e temas penso que o Comité chegou aos seus limites extremos, mas novas categorias poderiam ser recompensadas: poetas, artistas, activistas..." disse M. Lodgard, director do Instituto Norueguês de Assuntos Internacionais.