Notícias da Força Aérea Brasileira

  • 833 Respostas
  • 215606 Visualizações
*

MERLIN

  • Membro
  • *
  • 254
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #60 em: Dezembro 14, 2006, 10:50:38 am »
2000N? Não sera 2000D, que é a versã de ataque convencional (N é a versão de ataque nuclear). O 2000D até tem tido um desempenho muito nas missões de ataque que lhe foram atribuidas.
Cumptos
"Se serviste a patria e ela te foi ingrata, tu fizestes o que devias, ela o que costuma"
Padrea Antonio Vieira
 

*

marcelosobrado

  • 11
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #61 em: Dezembro 15, 2006, 02:31:19 am »
Citação de: "MERLIN"
2000N? Não sera 2000D, que é a versã de ataque convencional (N é a versão de ataque nuclear). O 2000D até tem tido um desempenho muito nas missões de ataque que lhe foram atribuidas.
Cumptos



Os Mirages 2000 franceses que tomaram parte na Cruzex III foram da versão C e N, inclusive um dos pilotosde Mirage 2000N era uma mulher, muito bonita e simpatica por sinal.
 

*

marcelosobrado

  • 11
  • +0/-0
Re: Salve camaradas
« Responder #62 em: Dezembro 15, 2006, 02:35:05 am »
Citação de: "p_shadow"
Citação de: "claudioalfonso"
2. Os F5M, ou seja, os F5 modernizados com equipamentos no estado da arte são aviões letais como bem demonstra os resultados no Cruzex 2006
onde foram derrubados os Mirage 2000N (versão mais moderna que os mirage 2000C) se que conseguissem sequer detectar nossos aviões. Isso é fruto do conjunto: F5M+R99+Derby

Sem nunca desvalorizar as capacidades do "novo" F-5 da FAB, acho que é preciso contêr alguma excitação neste caso específico.

Sem muitos "alongamentos", é evidente que até mesmo um F-16 OCU tem "facilidade" em "derrubar" uma aeronave com as características do Mirage2000N (características da aeronave e sobretudo da missão que desempenha).


Cumptos




Cláudio a questão é que durante um dos combates nem os Mirages nem o E-3F conseguiram ver em seus radares os R-99A e os F-5EM, nem perceberam que os F-5EM disparam seus misseis.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14980
  • Recebeu: 988 vez(es)
  • Enviou: 938 vez(es)
  • +171/-167
(sem assunto)
« Responder #63 em: Dezembro 16, 2006, 04:30:34 pm »
Com esta aproximação à Russia, o Brasil ainda vai ter estes aviões a voar nos seus céus:







Eu sei que provavelmente vocês já viram estas fotos, mas elas estão lindissimas!!!  :D
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

marcelosobrado

  • 11
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #64 em: Dezembro 16, 2006, 05:11:20 pm »
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Com esta aproximação à Russia, o Brasil ainda vai ter estes aviões a voar nos seus céus:







Eu sei que provavelmente vocês já viram estas fotos, mas elas estão lindissimas!!!  :D



Seria uma ótima aquisição, sobre tudo devido ao alcance destes caças, mas o Rafale também ta no pareo, vamos aguardar pra ve no que que da.
Mas eu pessoalmente fico com um pouco de receio de adquirirmos o Su-35, o fato que ele é um caça que ja chegou ao limite de seu desenvolvimento ja o Rafale é projeto mais recente.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #65 em: Dezembro 19, 2006, 11:53:24 pm »
São lindíssimas e «grandíssimas»

Quanto ao SU-35, ele é realmente um avião impressionante, mas concordo com a questão da idade.

Ele é um projecto dos anos 70, com trinta anos, se considerarmos o projecto original. Ele é pouco mais novo que o F-16.

O SU-35, está para o SU-27 como o F-16C/D block 50 está para o F-16 A/B.

Eu diria, que o avião que parece mais adequado para o Brasil será o Typhoon.

Principalmente se os brasileiros esquecerem o conceito antigo que pede uma pequena quantidade de caças em Brasilia.

Se o Brasil tiver 30 ou 40 Typhoon, com grupos de 12 aeronaves, pode ter uma defesa aérea bastante convincente, podendo abrir mão de um avião com um grande raio de acção operacional.

Raio de acção operacional que é importante no SU-27/SU-35, mas que quando o avião fica carregado, não é assim tão grande (embora seja sempre superior a qualquer outro avião).

Cumprimentos
 

*

marcelosobrado

  • 11
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #66 em: Dezembro 20, 2006, 02:30:59 am »
Citação de: "papatango"
São lindíssimas e «grandíssimas»

Quanto ao SU-35, ele é realmente um avião impressionante, mas concordo com a questão da idade.

Ele é um projecto dos anos 70, com trinta anos, se considerarmos o projecto original. Ele é pouco mais novo que o F-16.

O SU-35, está para o SU-27 como o F-16C/D block 50 está para o F-16 A/B.

Eu diria, que o avião que parece mais adequado para o Brasil será o Typhoon.

Principalmente se os brasileiros esquecerem o conceito antigo que pede uma pequena quantidade de caças em Brasilia.

Se o Brasil tiver 30 ou 40 Typhoon, com grupos de 12 aeronaves, pode ter uma defesa aérea bastante convincente, podendo abrir mão de um avião com um grande raio de acção operacional.

Raio de acção operacional que é importante no SU-27/SU-35, mas que quando o avião fica carregado, não é assim tão grande (embora seja sempre superior a qualquer outro avião).

Cumprimentos




O Typhoon é muito caro pra nó

Com a ativação de um ou dois esquadrões de defesa aérea na região norte e um na região nordeste de Brasil, o alcace dos caças ñ sera tão impotante.
______________________________
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4140
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +58/-0
(sem assunto)
« Responder #67 em: Julho 05, 2007, 09:41:48 pm »
Citar
U.S. plans Black Hawk helicopter sale to Brazil
Fri Jun 29, 2007 4:54PM EDT

WASHINGTON, June 29 (Reuters) - The Bush administration told Congress on Friday it tentatively plans to sell United Technologies Corp. (UTC.N: Quote, Profile, Research) Black Hawk helicopters and related gear worth up to $300 million to Brazil. Brazil has requested as many as six UH-60L Black Hawks, built by UTX's Sikorsky Aircraft unit, with 12 General Electric Co. (GE.N: Quote, Profile, Research) engines, the Pentagon's Defense Security Cooperation Agency said.

The proposed sale would boost the security of "a friendly country that has been, and continues to be, an important force for political stability and economic progress in South America," the security agency said.

Brazil needs the helicopters for search and rescue, as well as "self-defense within the region," it said, adding they would provide close air support for ground forces.

The notice of a potential sale is required by U.S. law and does not mean a sale has been concluded. In addition, Congress has the power to block such a deal, but rarely does.

The total value of the deal could be as high as $300 million if all options are exercised, the security agency said.

Fonte


Citar
Brazil – UH-60L Black Hawk Helicopters

(Source: US Defense Security Cooperation Agency; issued June 29, 2007)

WASHINGTON --- The Defense Security Cooperation Agency notified Congress of a possible Foreign Military Sale to Brazil of UH-60L Black Hawk helicopters as well as associated equipment and services.

The total value, if all options are exercised, could be as high as $300 million.

The Government of Brazil has requested a possible sale of six UH-60L Black Hawk helicopters with 12 T-700-GE-701C engines, 2 spare T-700-GE-701C engines, warranty, external hoist kits, spare and repair parts, tools and support equipment, publications and technical data, personnel training and training equipment, contractor engineering and technical support services and other related elements of logistics support. The estimated cost is $300 million.

This proposed sale will contribute to the foreign policy and national security of the United States by helping to improve the security of a friendly country that has been, and continues to be, an important force for political stability and economic progress in South America.

Brazil needs these aircraft to fulfill its strategic commitments for search and rescue and self-defense within the region without being dependent upon assistance from other countries. This procurement will upgrade its air mobility capability and provide for the defense of vital installations and close air support for ground forces. Brazil will have no difficulty absorbing these helicopters into its armed forces.

The proposed sale of this equipment and support will not affect the basic military balance in the region.

The principal contractors will be: Sikorsky Aircraft (United Technologies) Corporation of Stratford, Connecticut and General Electric Engines of Lynn, Massachusetts. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.

Implementation of this proposed sale may require the assignment of two contractor representatives to Brazil for a period of up to two years.

There will be no adverse impact on U.S. defense readiness as a result of this proposed sale.

This notice of a potential sale is required by law; it does not mean that the sale has been concluded.
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14980
  • Recebeu: 988 vez(es)
  • Enviou: 938 vez(es)
  • +171/-167
(sem assunto)
« Responder #68 em: Julho 05, 2007, 11:53:01 pm »
Lá vamos ver F-16 a voarem no Brasil...
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 367
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #69 em: Julho 06, 2007, 01:11:57 am »
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Lá vamos ver F-16 a voarem no Brasil...


Cheira-me que mais depressa vemos Rafale do que F-16 por lá.

E agora um pouco de "diz que disse".

Ouvi dizer que estavam a considerar comprar os Rafale para a defesa de Brasília, à parte do programa F-X. Alguém sabe-me dizer se sim, se não, se nim, se é apenas uma suposição sem sentido nenhum? Para mim, pessoalmente, não tem lá muito sentido, pela existência do próprio programa F-X...
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

*

Fireman Sam

  • Membro
  • *
  • 21
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #70 em: Julho 06, 2007, 07:16:31 pm »
Pelo que se lê nos foruns brasileiros não vai haver mais FX nenhum, mas sim uma compra directa de 24 a 36 F-16 com electrónica israelita bastante parecidos ao F-16I ou ou Desert Falcon.
Cumprimentos

Sandro Magalhães

Litografia Asas de Portugal 30 Anos (1977-2007)

Em produção: Esq. 103, Esq. 201, Esq. 301, Esq. 501, Esq. 552, Asas de Portugal e Rotores
 

*

Atlantis

  • 3
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #71 em: Agosto 28, 2007, 02:12:40 pm »
Oi! Sou novo neste forum, por isso permitem-me saudar todos os membros.
Quanto ao assunto, várias anotações:
As imagens espaculares não são do Su-35, mas sim do Su-30, iguais aos comprados pela Venezuela, India, China, etc... e é para o Su-27 como o F-16 Block 50 é para o F-16 A/B. Agora o Su-35, continua a ser apenas um protótipo que a Sukkoi desenvolveu com a esperança que a força aérea russo o encommendasse ou que um pais estrangeiro queira financiar o seu desenvolvimento, com as principais diferenças em relação ao Su-30 sendo as du uma maior manobrablilidade com pequenas asas junto à frente (como o Rafale), um radar e uma avionica mais moderna, uma capaciade de levar ainda mais armas. É verdade que foi proposto ao Brasil aquando do programa F-X e sendo o Su-35 para o Su-27 como o F- 16 Block 60/62 (o melhor dos F-16, apenas em serviço nos EAU) é para o F-16 A/B.
Quanto a um novo avião de caça para o Brasil, deixem a economia brasileira melhorar mais um pouco e depois talvez um Rafale fosse a melhor opção (se acompanhada de uma ampla transferencia de tecnologia), e também já a pensar numa futura aquisição de Rafales M para um porta-aviões que o Brasil deverá adquirir em 2020.
"Os dinossauros desapereceram porque não tinham um programa espacial!" Arthur C. Clark
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7409
  • Recebeu: 617 vez(es)
  • Enviou: 757 vez(es)
  • +98/-30
(sem assunto)
« Responder #72 em: Agosto 28, 2007, 03:33:25 pm »
Bem vindo Atlantis.

PS:
As "pequenas asas à frente" chamam-se canards :wink: .
http://en.wikipedia.org/wiki/Canards
 

*

Atlantis

  • 3
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #73 em: Agosto 29, 2007, 11:57:24 am »
Obrigado Lightining! Na realidade eu chamei de "pequenas asas à frente" aos "plans canards" por desconhecer que também se chamava assim em português e porque nem todos saberiam o que era, pois eu vivi em França mais de vinte anos, por isso faltam-me algumas palavras de vocabulário em Português. Assim, também ficam todos avisados que algumas vez eu poderei tropeçar na lingua de Camões, ficando agredecido pelas correções, pois estamos sempre a aprender. :oops:
Uma outra coisa, eu não consigo pôr o meu avatar! Ficava muito agredecido se alguém me indicasse o procedimento.
"Os dinossauros desapereceram porque não tinham um programa espacial!" Arthur C. Clark
 

*

fischt75

  • Membro
  • *
  • 25
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #74 em: Agosto 30, 2007, 02:08:13 pm »
Bem sobre O Programa FB-X no Site Brazileiro “sistemas de armas” tem uns ficheiros que falam de tudo que é preciso saber para uma escolha eficaz para do FB-X.
Comparações entre aviões, mapas, bases, conjugação de meios e o FB-X 2.
Portugal
 

 

Esquadrão de Demonstração Aérea - Esquadrilha da Fumaça

Iniciado por Vitor Santos

Respostas: 3
Visualizações: 287
Última mensagem Maio 03, 2019, 03:11:50 pm
por Vitor Santos
FAB e Força Aérea Portuguesa com um Caça de 5º Geração

Iniciado por Leonardo Besteiro

Respostas: 28
Visualizações: 12401
Última mensagem Outubro 04, 2015, 11:21:29 pm
por luis simoes
Reunião da Aviação de Caça (Força Aérea Brasileira)

Iniciado por jambock01

Respostas: 3
Visualizações: 2038
Última mensagem Maio 27, 2006, 11:21:18 am
por Cabeça de Martelo
Modernização da Força Aérea Brasileira

Iniciado por silversantis

Respostas: 50
Visualizações: 23806
Última mensagem Junho 22, 2011, 05:40:41 pm
por HSMW