Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa

  • 4652 Respostas
  • 854933 Visualizações
*

Barlovento

  • Membro
  • *
  • 204
  • Recebeu: 74 vez(es)
  • Enviou: 42 vez(es)
  • +65/-3
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4305 em: Dezembro 08, 2018, 01:11:45 pm »
Sim, é diferente da grua instalada nos dois primeiros navios da classe.
Mas é igual à que foi instalada no NRP Sines.
Aqui fica uma foto com mais detalhe:


Esa grúa no es una grúa común, tiene una cabeza estabilizada hidraulicamente, que me parece va a tener mas usos que poner en el agua con seguridad una zodiac. Puede servir para un ROV de pequeño tamaño o algún aparato similar.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

LM

  • Analista
  • ***
  • 781
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 744 vez(es)
  • +103/-0
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4306 em: Dezembro 08, 2018, 02:46:38 pm »
Se compararmos os Classe Viana do Castelo, com a classe River batch I ou mesmo a batch II, que missões os navios Britânicos conseguem executar que os nossos não conseguem ????
Lembro-me sempre dessa classe da Royal Navy cada vez que fazem criticas aos nossos NPO's.
O que é que estes navios têm a mais que os nossos? E o que missões podem fazer a mais que os nossos? E já viram o preço deles? Os nossos são construídos por muito menos...

Eu julgo muito interessante a evolução Batch 2 dos River... a tentativa de ter unidades sabendo que: "they are not warships and their primary role must remain focused on providing a cost-effective presence where the capabilities of a frigate or submarine are unavailable, unnecessary or better deployed elsewhere. Investment should therefore focus on improving intelligence and surveillance gathering ability – enhancing the patrol rather than warfighting role é algo que nós devíamos também fazer...

Relembro sempre as mudanças, muitas "não visíveis" mas que custam dinheiro, que esta evolução obrigou:

"   
    Watertight integrity modifications (also described as improved watertight integrity)
    Fire safety modifications
    Enhanced firefighting facilities
    Automatic emergency lights
    Flight Deck Officer position
    Domestic refrigeration modifications
    Sewage treatment plant modifications
    Ballast water modifications
    Merlin helicopter operation (ie strengthening the flight deck to be able to land a Merlin helicopter on it)
    Helicopter in-flight refuelling
    Helicopter refuelling modifications
    Changes to ship’s minimum operating temperature
    Davit modifications
    Force protection weapons modifications (replacing 2×25 mm with 2×7.62 mm Mk 44 Gatling guns)
    Installation of WECDIS/WAIS (WECDIS stands for Warship Electronic Chart Display and Information System; WAIS might stand for Wide Area Information System. This seems to be an improved version of the system fitted to HMS Clyde.)
    Install Combat Management System (CMS), and the new RN standard BAES “Shared Infrastructure” which will equip the RN’s entire surface fleet over the next nine/ten years (this integrates ship sensor, weapons and management systems using a common console system).
    Military communications modifications
    Magazine protection (if my memory serves me correctly, this involves the fitting of Kevlar armour)
    Radio equipment room modifications
    Change lighting and domestic power voltage from 115 v to 230 v
    Codification of equipment
    Provision of life saving equipment
    Replace navigation radars (fit the Kelvin Hughes Sharpeye)
    Install military GPS
    Install flight deck landing grid
    Fuel efficiency monitoring
    Provide emergency communication equipment
    Machinery space walkway

 
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: FoxTroop

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4127
  • Recebeu: 1958 vez(es)
  • Enviou: 750 vez(es)
  • +549/-71
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4307 em: Dezembro 08, 2018, 04:22:42 pm »
Se compararmos os Classe Viana do Castelo, com a classe River batch I ou mesmo a batch II, que missões os navios Britânicos conseguem executar que os nossos não conseguem ????
Lembro-me sempre dessa classe da Royal Navy cada vez que fazem criticas aos nossos NPO's.
O que é que estes navios têm a mais que os nossos? E o que missões podem fazer a mais que os nossos? E já viram o preço deles? Os nossos são construídos por muito menos...

Eu julgo muito interessante a evolução Batch 2 dos River... a tentativa de ter unidades sabendo que: "they are not warships and their primary role must remain focused on providing a cost-effective presence where the capabilities of a frigate or submarine are unavailable, unnecessary or better deployed elsewhere. Investment should therefore focus on improving intelligence and surveillance gathering ability – enhancing the patrol rather than warfighting role é algo que nós devíamos também fazer...

Relembro sempre as mudanças, muitas "não visíveis" mas que custam dinheiro, que esta evolução obrigou:

"   
    Watertight integrity modifications (also described as improved watertight integrity)
    Fire safety modifications
    Enhanced firefighting facilities
    Automatic emergency lights
    Flight Deck Officer position
    Domestic refrigeration modifications
    Sewage treatment plant modifications
    Ballast water modifications
    Merlin helicopter operation (ie strengthening the flight deck to be able to land a Merlin helicopter on it)
    Helicopter in-flight refuelling
    Helicopter refuelling modifications
    Changes to ship’s minimum operating temperature
    Davit modifications
    Force protection weapons modifications (replacing 2×25 mm with 2×7.62 mm Mk 44 Gatling guns)
    Installation of WECDIS/WAIS (WECDIS stands for Warship Electronic Chart Display and Information System; WAIS might stand for Wide Area Information System. This seems to be an improved version of the system fitted to HMS Clyde.)
    Install Combat Management System (CMS), and the new RN standard BAES “Shared Infrastructure” which will equip the RN’s entire surface fleet over the next nine/ten years (this integrates ship sensor, weapons and management systems using a common console system).
    Military communications modifications
    Magazine protection (if my memory serves me correctly, this involves the fitting of Kevlar armour)
    Radio equipment room modifications
    Change lighting and domestic power voltage from 115 v to 230 v
    Codification of equipment
    Provision of life saving equipment
    Replace navigation radars (fit the Kelvin Hughes Sharpeye)
    Install military GPS
    Install flight deck landing grid
    Fuel efficiency monitoring
    Provide emergency communication equipment
    Machinery space walkway

 

Algumas destas evoluções que apenas os River II possuem, já os VdC na sua versão inicial, tem, é só encontrá-las nestes links.
No entanto, sou da opinião que muitas das possiveis mudanças/alterações que mencionaste, e, que não estão implementadas nos VdC, poderiam ser incluídas nas melhorias ao projecto inicial.

http://www.operacional.pt/uma-manha-no-%E2%80%9Cviana-do-castelo%E2%80%9D-i/

http://www.operacional.pt/uma-manha-no-%E2%80%9Cviana-do-castelo%E2%80%9D-ii/

https://barcoavista.blogspot.com/2009/07/navios-de-patrulha-oceanico-classe.html



Abraços
« Última modificação: Dezembro 08, 2018, 04:36:02 pm por tenente »
 

*

jpthiran

  • Membro
  • *
  • 279
  • Recebeu: 66 vez(es)
  • Enviou: 95 vez(es)
  • +11/-10
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4308 em: Dezembro 08, 2018, 07:50:28 pm »
enquanto alguns se entretêm a dizer mal dos NPO pergunto?
1) com a falta de verbas actual, será que iam comprar substitutos para as Corvetas fora de Portugal?
2) será que não vêem que até é incerto que se vão fazer os restantes 6 NPO, apesar de darem emprego e criarem conhecimento em Portugal?
3) será que não vêem que haver estes já é um milagre, dado o contexto actual de má vontade em relação às despesas militares
4) será que não consegue ver nestes navios a possibilidade de consolidar algum conhecimento de modo a fazer mais tarde outros navios militares?
5) será que não lhe conseguem ver qualidades, se quem os utiliza no dia a dia vê e está contente com eles...
ou é só vontade de deitar abaixo?
« Última modificação: Dezembro 09, 2018, 12:35:53 am por jpthiran »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: perdadetempo

*

perdadetempo

  • Perito
  • **
  • 495
  • Recebeu: 165 vez(es)
  • Enviou: 311 vez(es)
  • +28/-1
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4309 em: Dezembro 09, 2018, 09:20:41 pm »
enquanto alguns se entretêm a dizer mal dos NPO pergunto?
1) com a falta de verbas actual, será que iam comprar substitutos para as Corvetas fora de Portugal?
2) será que não vêem que até é incerto que se vão fazer os restantes 6 NPO, apesar de darem emprego e criarem conhecimento em Portugal?
3) será que não vêem que haver estes já é um milagre, dado o contexto actual de má vontade em relação às despesas militares
4) será que não consegue ver nestes navios a possibilidade de consolidar algum conhecimento de modo a fazer mais tarde outros navios militares?
5) será que não lhe conseguem ver qualidades, se quem os utiliza no dia a dia vê e está contente com eles...
ou é só vontade de deitar abaixo?

como estas questões têm toda razão de ser e como  um dos "detractores"(1) do NPO deixo aqui os meus três vinténs em relação a algumas delas:

Se considerarmos que as missões do NPO serão apenas e exclusivamente as inerentes à responsabilidade da autoridade marítima,   e se elas se resumissem ao policiamento do espaço marítimo nacional (vulgo andar a mostrar a bandeira) e eventualmente ir escoltar algum barco a precisar de socorro, até o Sines com as metralhadoras nas asas da ponte chegam e sobram. No entanto não deixa de ser ridículo que após construírem um convés de voo não se tenham dado ao trabalho de instalar um radar com capacidade de ajudar ao seguimento/aproximação do helicóptero para pouparem o valor de um VTLB na pior das hipóteses.

E também não acho que seja só falta de dinheiro pelo simples facto que até hoje ainda não consegui porque é que o downgrade dos patrulha Tejo custa/rá 20 milhões de euros..

Visto que para as opções a necessitarem de uma intervenção mais musculada, tipo um passeio à Somália, área costeira do sul do Mediterrâneo ou Golfo da Guiné se prevê ter disponíveis os NPO classe Vasco da Gama  :mrgreen: não se justifica artilhar  a classe Viana do Castelo. Com um bocado de sorte até passam a ser os VG a transportar o contentor e os mergulhadores para os treinos de combate às minas e para as outras missões de carácter militar em que têm andado empenhados os navios patrulha oceânicos.

Só que existem outras missões(2) que também são da responsabilidade da autoridade marítima para as quais estas embarcações têm pouca ou nenhuma utilidade e para as quais embarcações com outras características muito mais úteis das quais deixo dois exemplos e.....



Como é um design da Rolls Royce tem a vantagem de poder ser fabricado por exemplo em Viana do Castelo.



Este até é usado por uma marinha e não por uma guarda costeira pelo que não era por aí que os parentes caiam na lama.

....que podem executar missões de trabalho marítimo, reboque de emergência, combate à poluição etc... para as quais os VC servem muito pouco ou nada. E para os quais não existem alternativas em Portugal

Os vizinhos do lado após a bronca do Prestige aprenderam e  tomaram as devidas precauções enquanto que por cá é como se sabe, embora estivesse prevista uma versão Frankestein do NPO que felizmente nunca teve oportunidade de mostrar a sua incompetência para a função a realizar.(3)

Em termos de custos com a crise que existiu no mercado de serviços às operações petrolíferas offshore com a queda dos preços do petróleo, o que não faltaram foi barcos deste tipo disponíveis com poucos anos de uso e a bom preço, mas suponho que essa hipótese era muito complicada  para as cabecinhas deste país mesmo com o preço unitário a não passar dos famigerados 20M €  e com a vantagem de poder ter acesso aos fundos da CEE, tal como aconteceu com o Mar Portugal do IPMA

Em conclusão este discurso todo resume-se a que em minha opinião para aquilo que conseguem fazer basta construírem mais duas/três unidades iguais e aproveitem o dinheiro que sobrar para coisa mais úteis.

Por isso é quando o Fórum esteve em baixo e como ocupação de tempos  livres me entretive a tentar criar uma versão mais útil do NPO mas convenhamos que o esforço não passou como os os anglo-saxónicos dizem de “put some lipstick on a pig ”.

Na altura também decidi que a partir dali me ia resumir aos factos e deixar-me de poluir o site com  opiniões da treta mas acabei de provar que de boas intenções está o inferno cheio.

Cumprimentos,


(1) As minhas duvidas em relação às qualidades das embarcações para as missões a efectuar não têm nada a haver com as sua capacidades de navegação ou com a qualidade de construção. No fim de contas também acho os Ferrari (una bela máquina), mas não era a minha primeira escolha como viatura para montar uma empresa de reboques.

(2) Porque na minha opinião terem lutado tão arduamente pela manutenção da autoridade da marítima no seio da marinha não significa apenas terem um umas cadeiras para um almirante,  mais uma dezena ou duas de capitães e uma centena ou mais de outras denominações. Significa a responsabilidade pelas áreas inerentes a essas cadeiras e não me refiro a "coordenar" e soprar para o lado quando os descoordenados sofrerem algum percalço por não haver meios para a tarefa.

(3) Provavelmente também existem algumas alminhas nos sectores pensantes deste País que pensam que se pode aproveitar os meios dos vizinhos e poupar uns cobres, e tenho a certeza que os nuestro hermanos terão todo o prazer em colaborar deste que isso garanta que a embarcação em questão não entre nas águas territoriais deles.
Aliás e apenas para termos oportunidade de testarmos as nossas capacidades até serão capazes de rebocar alguma embarcação em dificuldades que se encontre ali ao pé da ria de Vigo.
 

*

jpthiran

  • Membro
  • *
  • 279
  • Recebeu: 66 vez(es)
  • Enviou: 95 vez(es)
  • +11/-10
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4310 em: Dezembro 11, 2018, 12:17:29 pm »
quando defendo os NPO, não significa que ache que não se pudesse fazer melhor...
muito pelo contrário...
não tenho dúvidas que com base naquela ideia original e naquele casco se podem fazer coisas muito melhores...
poderia ser mais bem (ou muito mais bem) equipado  em termos de electrónica e armamento certamente...
poderia ser um navio muito mais capaz, sem dúvida...
mas o que digo, é que nas condições actuais, com os constrangimentos existente, parece ser já um grande passo em frente!...
permite avançar em vários aspectos umas décadas em relação às corvetas...
e se amanhã acharem que é preciso e útil melhora estes navios, é possível faze-lo...
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4127
  • Recebeu: 1958 vez(es)
  • Enviou: 750 vez(es)
  • +549/-71
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4311 em: Dezembro 12, 2018, 10:29:55 pm »
Este é o futuro NRP Setúbal

O próximo navio da Marinha realizou em Viana do Castelo as provas de mar com sucesso, prosseguindo agora a respetiva fase final de construção.










https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/posts/2145780315443140?__tn__=-UC-R

Abraços
« Última modificação: Dezembro 12, 2018, 10:31:45 pm por tenente »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4127
  • Recebeu: 1958 vez(es)
  • Enviou: 750 vez(es)
  • +549/-71
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4312 em: Dezembro 13, 2018, 08:17:49 am »
Enquanto isso lá por fora também prestam atenção ao que cá dentro se vai fazendo.



https://navaltoday.com/2018/12/13/portuguese-navys-nrp-setubal-completes-sea-trials/

Abraços
« Última modificação: Dezembro 13, 2018, 08:18:47 am por tenente »
 

*

LM

  • Analista
  • ***
  • 781
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 744 vez(es)
  • +103/-0
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4313 em: Dezembro 13, 2018, 03:37:11 pm »
De facto este meio com sensores decentes era algo muito diferente... a começar por um radar militar de vigilância.

Diz a notícia que vai ter um "Sagem SA Vigy 10 MKIII" - é este modelo (apresentado em 2006) ou o "Vigy Observer"? E também vai ter o "MEDUSA MK4/B", quando (se) instalarem o MARLIN - WS 30mm?
« Última modificação: Dezembro 13, 2018, 03:38:20 pm por LM »
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4127
  • Recebeu: 1958 vez(es)
  • Enviou: 750 vez(es)
  • +549/-71
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4314 em: Dezembro 13, 2018, 05:46:32 pm »
Quando os NRP Sines e NRP Setúbal receberem as suas Oto melara MARLIN, estas virão acompanhadas dos respectivos sistemas "Sagem SA Vigy 10 MKIII" idênticos aos dois já operacionais nos NRP VdC e FdF.

https://www.safran-electronics-defense.com/naval-solutions/surface-vessels/surveillance-and-fire-control-systems

https://poadu.wordpress.com/2009/07/

Abraços
« Última modificação: Dezembro 13, 2018, 05:47:40 pm por tenente »
 

*

LM

  • Analista
  • ***
  • 781
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 744 vez(es)
  • +103/-0
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4315 em: Dezembro 14, 2018, 12:06:57 pm »
Quando os NRP Sines e NRP Setúbal receberem as suas Oto melara MARLIN, estas virão acompanhadas dos respectivos sistemas "Sagem SA Vigy 10 MKIII" idênticos aos dois já operacionais nos NRP VdC e FdF.

https://www.safran-electronics-defense.com/naval-solutions/surface-vessels/surveillance-and-fire-control-systems

https://poadu.wordpress.com/2009/07/

Abraços

Para clarificar:

- O modelo é o "10 MKIII" (de 2006 e que não encontro na página - o que encontro é "Observer")?
- Não vai ter - também - o "Medusa Mk4/B"?

LM
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

*

Lusitaniae

  • Membro
  • *
  • 203
  • Recebeu: 42 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +16/-173
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 595
  • Recebeu: 510 vez(es)
  • Enviou: 265 vez(es)
  • +327/-118
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4317 em: Dezembro 14, 2018, 03:40:20 pm »
Quando os NRP Sines e NRP Setúbal receberem as suas Oto melara MARLIN, estas virão acompanhadas dos respectivos sistemas "Sagem SA Vigy 10 MKIII" idênticos aos dois já operacionais nos NRP VdC e FdF.

https://www.safran-electronics-defense.com/naval-solutions/surface-vessels/surveillance-and-fire-control-systems

https://poadu.wordpress.com/2009/07/

Abraços

Quando receberem o Marlin? Estou para ver!
Agora deve haver aí qualquer confusão. Não vai receber nenhum sistema igual aos trambolhos Viana do Castelo ou Figueira da Foz. Porque no entanto passou tanto tempo que o fornecedor deixou de fabricar esse sistema VIgy 10 Mk. III. Será instalado um proveniente da Leonardo, o Medusa.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

PMFM

  • Membro
  • *
  • 56
  • Recebeu: 35 vez(es)
  • Enviou: 3 vez(es)
  • +4/-0
Re: Projecto NPO 2000 da Marinha Portuguesa
« Responder #4318 em: Dezembro 14, 2018, 05:56:24 pm »
Já foi autorizada a despesa para a "aquisição de 2 (dois) sistemas Medusa MK4L Electro Optical FCS e 2 (dois) sistemas Artilharia 30MM ATK RC MARLIN--WS, com respetivos sobressalentes, ferramentas, manuais, formação e instalação a bordo" por 6,5 milhões de € há mais de um ano, mas até agora nada.
https://dre.pt/application/conteudo/108193033

Deve ser culpa da NSPA  :mrgreen:  :mrgreen:
 

*

LM

  • Analista
  • ***
  • 781
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 744 vez(es)
  • +103/-0
« Última modificação: Dezembro 14, 2018, 06:29:22 pm por LM »
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

 

Passos quer Marinha com nova "abertura ao mar"

Iniciado por zawevo

Respostas: 4
Visualizações: 3567
Última mensagem Maio 15, 2012, 09:42:43 am
por P44
Marinha entrega pela primeira vez comando de navio a mulher

Iniciado por Marauder

Respostas: 38
Visualizações: 11928
Última mensagem Maio 18, 2006, 09:03:15 am
por Pedro Monteiro
Fragatas e Corvetas Portuguesas a vela da Marinha 1815/1860

Iniciado por mkorobok

Respostas: 9
Visualizações: 3775
Última mensagem Julho 12, 2011, 12:13:30 pm
por mkorobok
Fará sentido comprar mais EH-101 para a marinha?

Iniciado por papatango

Respostas: 28
Visualizações: 10274
Última mensagem Setembro 12, 2005, 05:04:26 pm
por Rui Elias
Novo artigo sobre a Esquadrilha de Helicópteros da Marinha

Iniciado por Pedro Monteiro

Respostas: 0
Visualizações: 1848
Última mensagem Maio 06, 2009, 09:03:24 pm
por Pedro Monteiro