Putin promulga lei que monopoliza a exportação de gas russo

  • 0 Respostas
  • 1592 Visualizações
*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2102
  • +1/-0
Citar
Vladimir Putin promulga lei que monopoliza a exportação de gás russo
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, promulgou uma lei que transforma o consórcio estatal Gazprom no exportador exclusivo de gás russo ao exterior, informou hoje o serviço de imprensa do Kremlin.

DE com EFE

O documento, aprovado pela Duma em 5 de Julho e pelo Senado dois dias depois, concede o direito exclusivo de exportar o gás à Gazprom, como proprietária da rede nacional de gasodutos, ou de qualquer das suas filiais.

A lei é extensiva ao gás extraído em todos as jazidas de hidrocarbonetos e transportado em estado gasoso e liquidificado, mas não afecta a exportação de carburante extraído, segundo acordos de repartição de produção assinados antes da sua entrada em vigor.

O Kremlin revelou que a rápida aprovação da lei em duas leituras seguidas pela Duma obedeceu a um pedido expresso de Putin, que transformou a Gazprom num instrumento da sua política externa, numa tentativa de recuperar o peso da Rússia no mundo graças aos seus recursos energéticos e aos altos preços dos hidrocarbonetos.

Segundo o jornal 'Viédomosti', o Parlamento aprovou a lei, apesar das objecções do Serviço Antimonopólio, do Ministério de Indústria e Energia e das companhias petrolíferas, que agora perdem para a Gazprom o direito de exportar o gás liquidificado que produzem.

"Isto é inadmissível do ponto de vista da concorrência de mercado", afirmou ao jornal uma fonte da companhia petrolífera Rosneft, ao que um representante da Gazprom respondeu que "na exportação do gás a falta de concorrência favorece os interesses nacionais".

Os analistas consultados pelo jornal consideram que as autoridades russas paralisam assim a prometida liberalização do mercado de gás, fazendo com que os países ocidentais abandonem as suas esperanças de que os produtores independentes obtenham acesso à exportação.

A promulgação da nova lei ocorre imediatamente após a reunião do Grupo dos sete países mais industrializados mais a Rússia (G8), em São Petersburgo, sob a Presidência da Rússia, que tinha colocado a segurança energética como o tema central de sua agenda.

Segundo o 'Viédomosti', em 2005 as companhias russas extraíram 640 mil milhões de metros cúbicos de gás, dos quais 547 mil milhões correspondem à Gazprom.

Deste total, o monopólio russo exportou ao exterior 151 mil milhões de metros cúbicos de gás, e forneceu ao mercado interno outros 304 mil milhões.


de:
http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/ ... 72683.html

Chama-lhe estúpido...e viva a economia de mercado..