EMBRAER

  • 175 Respostas
  • 36497 Visualizações
*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7499
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +125/-194
(sem assunto)
« Responder #15 em: Outubro 05, 2006, 10:45:14 pm »
Citação de: "projetociclone"
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA

   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter


Era porreiro
Era bestial
Era... legal (legau)
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7499
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +125/-194
(sem assunto)
« Responder #16 em: Maio 08, 2007, 09:30:53 pm »
Para trabalho duro...

http://www.defensetech.org/

Citar
May 8, 2007 08:39 AM

The COIN Aircraft Comeback

The Iraqi air force in two years will be flying a new fleet of single-engine turboprops as counter-insurgency (COIN) aircraft. See the contract solicitation, posted by the US Air Force, here.

The requirement limits the potential bids to companies that have an aircraft that a) is already in wide use and b) is powered by the Pratt & Whitney Canada PT6 engine.

That narrows the bidders to four that Defense Tech can think of: the Embraer EMB-314 Super Tucano, the Hawker Beechcraft AT-6 Texan, the Korean Aerospace KO-1 Wong Bee and the Pilatus PC-9M.

Not to play favorites, but Defense Tech humbly suggests this means there are only two serious candidates: the AT-6 and EMB-314 -- with the AT-6 gaining a huge advantage from the "Made in America" sticker stamped on the program's marketing literature.

But don't count out the Brazilians with the Super Tucano. Expect the executives in Sao Jose Dos Campos to propose moving the EMB-314 assembly -- or opening a second production line -- to Florida, if they win the contract.

Keep your eye on this program. This could be the first of many such requirements for a dedicated counter-insurgency aircraft fleet to come down the line, both abroad and in the US.

A reader commented on The Dew Line a few weeks ago:

"The T-6 is a trainer, and attempts by Hawker Beechcraft (or whatever it's called this week) to remodel it as an armed platform are not convincing. That's not what it was designed to do.

"Remember, the T-6 is just a Pilatus PC-9 and the original Swiss design is forbidden by law from being armed...anyone with armed PC-9s has made their own, alternative, arrangements. So flying in combat is not in its genes. Attempts by Raytheon to compare the armed T-6 with the F-15 were met with an embarrassed silence at one show I remember, not so long ago.

"The Super Tucano on the other hand was designed to be a combat aircraft from Day 1 – that’s why it makes a lousy trainer because it’s so big and heavy. The Brazilians deploy it into Amazon dirt strips to fight drug smugglers, it has guns (not an “internal gun pod” but two 0.50-cals in the wing), it can carry air-to-air missiles and has a very sophisticated (data linked) cockpit (thank you Elbit). In its class the Super Tucano is probably the aircraft you want to go to war in."

Also, see my colleague John Croft's account of his recent experience flying the AT-6 here on FlightGlobal.com.

I'll just note that an armed variant of the T-6A is flown by the Hellenic Air Force, but lacks internally mounted guns in favor of a 50-cal pod.

-- Stephen Trimble


Eu vejo potencialidades aqui mas como é tudo chover no molhado...
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #17 em: Outubro 29, 2010, 07:10:57 pm »
Embraer definirá futuro de fábrica na China até Dezembro


A Embraer, terceira maior fabricante mundial de aviões, anunciou hoje que decidirá até dezembro o futuro da sua fábrica na China.

O vice-presidente financeiro e de relações com investidores da Embraer, Luiz Carlos Aguiar, salientou que ainda não há uma definição sobre o futuro da unidade, mas que o caminho deve ser a desativação, pela falta de encomendas no mercado chinês.

"As últimas entregas estão previstas para o primeiro trimestre [de 2011]", afirmou o executivo, na apresentação de resultados do terceiro trimestre.

Desde 2000, a fabricante mantém uma unidade na China em associação com a Aviation Industries of China (Avic), para a fabricação do ERJ-145, com capacidade para 50 lugares.

A proposta da fabricante brasileira é obter a autorização das autoridades para fazer um avião maior, para 120 passageiros, mas a China está a desenvolver aviões próprios.

Recentemente, a companhia brasileira criou uma empresa para prestar assistência aos seus clientes, um investimento de 18 milhões de dólares (12,9 milhões de euros), com sede em Pequim.

No terceiro trimestre, a Embraer registou lucros de 220 milhões de reais (93,2 milhões de euros), uma quebra de 3,68 por cento em relação ao período homólogo de 2009, na sequência da valorização da moeda brasileira em relação ao dólar.

Nos nove primeiros meses deste ano, a fabricante acumula um lucro de 365,7 milhões de reais (155 milhões de euros, uma quebra de 51,08 por cento em relação ao mesmo período de 2009).

A Embraer deverá iniciar este ano a construção de duas fábricas em Évora, com início das operações previsto para 2012.

Em setembro, o Governo português e a fabricante anunciaram a participação de Portugal no programa de desenvolvimento do jato de transporte militar KC-390.

O acordo assinalou o início das negociações para a entrada de empresas portuguesas no projeto e na fabricação do novo avião, bem como para a futura aquisição de seis aeronaves para equipar a Força Aérea Portuguesa.

Lusa
 

*

reij

  • 36
  • +0/-0
Re: Embraer: Notícias
« Responder #18 em: Novembro 11, 2010, 11:53:01 am »
ja que estamos falando de embraer a noticia do dia é a seguinte
a embraer acaba de vender mais 8 aviões supertucanos para indonesia, o que representa a estreia do supertucano na região asia-pacifico

http://oglobo.globo.com/economia/mat/20 ... 998463.asp

a embraer realmente é um orgulho para todos os brasileiros não sei por que o governo brasileiro não encerra esse FX-2 e encomenda aviões a embraer
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14956
  • Recebeu: 977 vez(es)
  • Enviou: 933 vez(es)
  • +167/-156
Re: Embraer: Notícias
« Responder #19 em: Novembro 11, 2010, 02:44:47 pm »
Porque a Embraer ainda não tem capacidade e Know-How para fazer um caça moderno e capaz. Uma coisa é um KC-390, avião que não fugirá muito ao que a Embraer já faz actualmente, outra coisa é um caça.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
Re: Embraer: Notícias
« Responder #20 em: Novembro 11, 2010, 11:45:28 pm »
A EMBRAER foi curiosamente uma criação do governo militar.
Mas como o Cabeça de Martelo disse, a Embraer não tem tecnologia para produzir um caça, também porque o Brasil não dispõe da capacidade tecnológica para desenvolver os sistemas que transformam uma aeronave de combate, num caça moderno. Se não fosse assim, não tinham dado tanta enfase à transferência de tecnologia.

Em termos de produção de aeronaves a jacto, a Embraer apenas participou na montagem do AMX, cujo projecto já estava terminado quando a Embraer entrou. Também montou o Xavante, mas isso não é suficiente para desenhar caças.
A Embraer produziu até hoje quatro aviões base, que sairam dos seus projectos próprios e que podem ser considerados realmente brasileiros:

1 - Embraer 110 «Bandeirante»
2 - Embraer 312 Tucano / ALX Super Tucano
3 - Embraer 120 «Brasilia» e EMB-121 «Xingu» turboprop que derivou para o EMB-145/ERJ-145 a jacto via projecto CBA-123 (que não chegou a ser produzido)
4 - Embraer 175 - De que deriva o EMB-190/195 e que é a base para o KC-390 de asa alta.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #21 em: Novembro 17, 2010, 07:55:57 pm »
Embraer acorda com empresa chinesa financiamento de aeronaves


A Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) anunciou hoje a assinatura de um acordo de financiamento com a chinesa Avic International Leasing, para financiamento de aeronaves, que pode alcançar 1,5 mil milhões de dólares nos próximos cinco anos.

Segundo a Embraer, o acordo pretende criar oportunidades de financiamento para a venda de aeronaves da empresa na China e no mercado internacional.

A fabricante brasileira informou ainda por meio de comunicado que a Avic Leasing lidera o mercado chinês de financiamento, com activos de leasing de mais de 1,2 mil milhões de dólares e uma frota de 62 aeronaves.

A Embraer espera que a procura chinesa por jactos regionais alcance as 950 unidades nos próximos 20 anos, com uma procura maior por modelos com capacidade para 91 a 120 passageiros.

A companhia brasileira já entregou 77 de um total de 105 pedidos para a China, tornando-se uma grande fornecedora de aviões de até 120 lugares no país.

Num outro comunicado divulgado hoje sobre as perspectivas para o mercado chinês até 2029, a Embraer informa que a economia da China "cresce a largos passos e alimenta o desenvolvimento do mercado de aviação regional, que gera grandes oportunidades para empresas da indústria de aviação".

Esta afirmação foi feita pelo Presidente da Embraer na China, Guan Dongyuan, à margem da oitava Exibição Internacional Aeroespacial e de Aviação da China, Airshow China 2010, realizada de 16 a 21 de Novembro na cidade chinesa de Zhuhai, província de Guangdong.

"Continuaremos a entregar produtos com a mais moderna tecnologia e oferecendo serviços diferenciados para este mercado promissor, demonstrando o nosso comprometimento com o desenvolvimento da China", declarou Guan Dongyuan.

A Embraer é uma empresa líder na fabricação de jactos comerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a empresa também tem escritórios e instalações industriais no Brasil, China, EUA, França, Portugal e Singapura.

Fundada em 1969, a Embraer fabrica e vende aeronaves para os segmentos de aviação comercial, aviação executiva e defesa.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #22 em: Março 21, 2011, 06:11:04 pm »
Alitalia compra 20 jactos à Embraer por 336 milhões de €€€


A Embraer e Alitalia concluíram um acordo para a entrega de quinze jactos Embraer 175 e cinco Embraer 190, através de um negócio de leasing estruturado por terceiros, divulgou hoje em comunicado a empresa de aviação brasileira.

"Beneficiando-se de uma ampla reorganização, a Alitalia está a desenvolver a sua rede regional para atender a novos mercados e demandas de passageiros", disse Frederico Fleury Curado, director-presidente da Embraer, citado na nota.

O valor da venda de todas as aeronaves deve chegar a 793 milhões de reais (335,8 milhões de euros), segundo o preço de cada aeronave a ser negociada.

O início das entregas dos jactos para a Alitalia está previsto para o terceiro trimestre de 2011.

"O Embraer 175 será configurado com 88 assentos e o Embraer 190 com 100, ambos numa única classe. Os aviões serão utilizados nas rotas domésticas e europeias da companhia aérea e ficarão baseados em sete aeroportos italianos: Catânia, Fiumicino (Roma), Linate e Malpensa (Milão), Nápoles, Turim e Veneza.

As 20 aeronaves novas substituirão, gradualmente, a actual frota da empresa, composta por 16 aviões regionais, contribuindo para o aumento da oferta de voos directos em rotas curtas e médias, em resposta à procura de mercado.

O grupo de jactos da Embraer dos modelos 170 a 190 é composto por quatro aparelhos comerciais, com capacidades de 70 a 122 lugares.

Segundo a empresa brasileira, "as aeronaves são o fruto de um projecto de engenharia avançado, que apresenta desempenho destacado, grande economia operacional, baixo nível de emissão de poluentes e uma ampla cabine de passageiros sem os indesejados assentos do meio."

A Embraer, terceira maior fabricante mundial de aviões, deverá iniciar este ano a construção de duas fábricas em Évora, com início das operações previsto para 2012.

Em Setembro de 2010, o Governo português e a fabricante anunciaram a participação de Portugal no programa de desenvolvimento do jacto de transporte militar KC-390.

A Embraer é, em consórcio com a EADS, o maior accionista da portuguesa OGMA, detendo ambos 65% do capital daquela empresa portuguesa.

O Estado português detém os restantes 35% da OGMA, através da holding Empordef.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #23 em: Abril 12, 2011, 12:23:42 am »
Embraer vai ser autorizada a fabricar aviões na China


A fabricante de aeronaves brasileira, Embraer, deverá ser uma das beneficiadas com a visita da presidente Dilma Rousseff à China, país onde a empresa possui uma fábrica que corre o risco de ser fechada.

Segundo informações da BBC Brasil, o embaixador brasileiro em Pequim, Clodoaldo Hugueney, adiantou que o governo chinês fechou um acordo que autoriza a Embraer a produzir outros tipos de aeronaves na sua sede em Harbin.

A Embraer entrou no mercado chinês em 2002, em parceria com a empresa estatal Avic (Aviation Industries of China), e desde então fabrica apenas um único modelo, o ERJ-145, de 50 lugares, cuja procura tem vindo a diminuir nos últimos anos.

A autorização, que poderá ser anunciada a qualquer momento, permitirá à empresa brasileira produzir o jato executivo Legacy 600 e 650, ambos de 13 lugares.

De acordo com a mesma fonte, duas empresas chinesas, a China Southern e a Hebei Airlines, pretendem aproveitar a ocasião para anunciar a compra de aviões comerciais EMB 190, fabricados pela Embraer, no Brasil.

A empresa brasileira explicou que os modelos Legacy 600 e 650 têm maior procura no mercado de aviação executiva.

Em 2008, a empresa fez um pedido ao governo chinês para iniciar a produção do jato comercial Embraer 190, de cem lugares, mas não obteve autorização.

O motivo seria o interesse chinês em desenvolver a sua própria aeronave deste tipo e evitar a concorrência da fabricante brasileira.

Os jactos Legacy, que deverão passar a ser produzidos na China, fazem parte do mercado de aviação executiva e possuem, portanto, outro tipo de público-alvo, diferente dos jactos comerciais com mais lugares, como o modelo que teve o pedido recusado pelo governo.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #24 em: Março 21, 2012, 06:00:44 pm »
Embraer tem prejuízo de 70 milhões no último trimestre de 2011


A Embraer, fabricante brasileira de aviões, teve prejuízos de 171,6 milhões de reais (71,25 milhões de euros) no último trimestre do ano passado face a lucros de 208 milhões de reais (86,4 milhões de euros) no mesmo período de 2010.

A terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo divulgou o seu balanço anual na noite de terça-feira. Os motivos para o mau resultado no quarto trimestre foram, segundo a empresa, o pedido de concordata da AMR, que controla a American Airlines, e cancelamentos de jactos executivos.

Sem o que chamou de "eventos extraordinários", a Embraer atingiria no período um resultado positivo de 445,1 milhões de reais (184,8 milhões de euros), informou em comunicado.

O mau resultado influenciou o lucro total obtido no ano que terminou em 2011 em 156,3 milhões de reais (64,9 milhões de euros). O valor representa uma queda de 72,75% comparado com os 573,6 milhões de reais (238,16 milhões de euros) do ano anterior.

A carteira de encomendas, considerando o total de entregas e os novos pedidos, terminou o ano com 15,4 mil milhões de dólares (11,6 mil milhões de euros), perto dos 15,6 mil milhões de dólares (11,75 mil milhões de euros) do ano anterior.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 923 milhões de reais (383,2 milhões de euros) em 2011, menos do que os 1,07 mil milhões de reais (444,3 milhões de euros) de 2010. Já a receita líquida do ano foi de em 9,86 mil milhões de reais (4,09 mil milhões de euros), mais do que os 9,38 mil milhões de reais (3,89 mil milhões de euros) apurados no ano anterior.

Lusa
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8507
  • Recebeu: 765 vez(es)
  • Enviou: 1253 vez(es)
  • +75/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Embraer: Notícias
« Responder #25 em: Maio 12, 2012, 01:50:42 pm »
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #26 em: Junho 06, 2012, 09:21:07 pm »
Embraer desiste de produzir aviões de médio curso


A brasileira Embraer anunciou hoje que vai abandonar os planos para construir aviões de médio curso, para se concentrar na produção de aeronaves mais pequenas.

A construtora de aviões brasileira Embraer, que controla a empresa portuguesa OGMA, anunciou hoje que vai abandonar os planos para construir aviões de médio curso, para se concentrar na produção de aeronaves mais pequenas.

"Levámos a cabo estudos de mercado, falámos com muitos clientes, e não vemos qualquer justificação para os planos" de construção de aviões regionais, afirmou Paulo César Silva, que lidera a divisão de aviação comercial do grupo brasileiro.

O responsável da Embraer, citado pela agência noticiosa France Press, frisou que a nova estratégia do grupo passa pela melhoria da oferta na gama de aviões mais pequenos, deixando assim os de médio curso que têm, normalmente, entre 130 e 160 lugares.

"Vamos redesenhar a nossa linha E-jets, para manter a liderança no mercado dos aviões entre 70 e 120 lugares", referiu Paulo César Silva.

A construtora europeia Airbus e a norte-americana Boeing já conquistaram parte do mercado de médio curso e de curta distância, com os modelos A320 Neo e 737 Max, respectivamente, estando a canadiana Bombardier também a entrar no mercado.

A Embraer que, em Portugal, para além de controlar a OGMA, detém uma fábrica de produção de peças aeronáuticas, afirma ter 43% do mercado mundial de aviões regionais, contra os 28% que a Bombardier diz possuir.

A Embraer anunciou também recentemente que vai realizar o primeiro voo demonstrativo de um avião totalmente movido a biocombustível, produzido de cana-de-açúcar brasileira, no próximo dia 19, à margem da conferência das Nações Unidas para o desenvolvimento sustentável, a Rio+20.

Lusa
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8507
  • Recebeu: 765 vez(es)
  • Enviou: 1253 vez(es)
  • +75/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Embraer: Notícias
« Responder #27 em: Junho 13, 2012, 04:05:12 pm »
Citar
An Embraer E-Jet equipped with GE engines and operated by Azul Linhas Aéreas will be powered by renewable fuel produced by Amyris. Biofuel produced from a sustainable feedstock - sugar cane - via cutting-edge technology. An alternative to petroleum-based fuels.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #28 em: Agosto 06, 2012, 06:28:56 pm »


Embraer Defense and Security has today delivered four light attack and tactical training A-29 Super Tucano aircraft to Indonesia's Air Force at a ceremony held in its facility in Gavião Peixoto, São Paulo, Brazil.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11064
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Embraer: Notícias
« Responder #29 em: Agosto 14, 2012, 05:10:31 pm »
Embraer aposta em jactos de luxo e Jackie Chan contra crise na Europa


O lançamento de novos aparelhos, o conforto para os passageiros e o crescimento de novos mercados, como a China, são as apostas da brasileira Embraer para alcançar uma participação maior no mercado global de aviação executiva. Segundo a previsão da empresa, que hoje detém 14% do mercado, a facturação global nos próximos 10 anos poderá chegar a 260 mil milhões de euros. Porém, caso a crise económica se intensifique, essa fatia pode diminuir mais de 20%, ficando próxima dos 200 mil milhões.

A preocupação da Embraer com a crise que afecta a Europa é visível, mesmo com os Estados Unidos a responder por 50% do mercado mundial e a China a surgir como um mercado gigante para a empresa.

«Existe um movimento positivo global, mas a crise no mercado europeu acaba por contaminar os negócios», afirma o vice-presidente de operações do segmento de aviação executiva, Marco Túlio Pellegrini.

A empresa pretende ampliar a participação no mercado multimilionário da aviação civil com o início das entregas dos novos aviões Legacy 500 e Legacy 450, previstos, respectivamente, para o fim de 2013 e fim de 2014.

Este ano, cerca de dois terços dos investimentos totais previstos, de 650 milhões de dólares, serão voltados para a pesquisa e desenvolvimento dos dois modelos.

Como forma de contornar a crise, umas das apostas mais altas da Embraer foi ter fechado uma parceria com Jackie Chan. O actor possui um aparelho da empresa e deve ser o rosto da operadora aérea brasileira no continente asiático.

Lusa