Iberismo e a dissolução de Portugal: ameaça real

  • 1323 Respostas
  • 216418 Visualizações
*

Nadie

  • Membro
  • *
  • 81
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #30 em: Maio 01, 2006, 09:11:55 pm »
Es de color rojo para diferenciar, en la bolita del mundo y en los atlas los paises tienen colores distintos jijii tonto xD :D
 

*

Pantera

  • Perito
  • **
  • 399
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #31 em: Maio 01, 2006, 09:26:29 pm »
esse mapa parece-me muito bom para lembrar aquele "mapa azul", que representa a união europeia.Contínuo a não perceber o porquê de tanto barulho,como se a dissolução de Portugal em outra coisa qualquer não fosse algo que estamos habituados.

*

Tiger22

  • Perito
  • **
  • 567
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #32 em: Maio 01, 2006, 10:02:32 pm »
Errrr. Há muita sobranceria em relação ao mito do crescimento da economia espanhola, cuja principal alavanca é a construção civil, que por sua vez tem o seu suporte na lavagem de dinheiro, como parecem demonstrar os casos Marbella e o das notas de 500 euros.

Citar
Una economía que ya no va tan bien
 
29 abr 2006
Es previsible que el año concluya para la economía española con un crecimiento superior al 3 por ciento, conforme a lo previsto, y que el Gobierno mantenga sus previsiones optimistas para 2007 (Solbes suele decir: «el 2007, bien; para el 2008, ya veremos»). Pero también es evidente que la fortaleza del crecimiento se resiente, que se nota fatiga y que se acumulan indicadores que revelan dificultad, que no todo el monte es orégano y que el «ya veremos» puede venir unos trimestres antes del 2008.

Es persistente el desequilibrio de precios, la inflación, probablemente el problema más grave de la economía española. El IPC español se aleja cada año más del 2 por ciento que el Banco Central Europeo ha fijado como objetivo y al que se ajusta su política monetaria. El dato español de abril (el avanzado que conocimos ayer) mantiene el IPC anual al borde el 4 por ciento, con casi inapreciable tendencia a la baja. Los más optimistas apuntan una inflación por encima del 3 por ciento como media del año 2007 y para este año estiman un 3,8 por ciento. De esta forma, España habrá perdido en los siete años de vigencia del euro casi quince puntos de competitividad en precios, que se traducen en un severo recorte del potencial de crecimiento de la economía. Y nada se ha hecho para hacer frente a ese problema, convertido en crónico y fatal ante la indiferencia de casi todos. Buena parte de los apuros que sufre la balanza de pagos, segundo escollo en importancia, se debe a esa pérdida progresiva y constante de competitividad que estimula las importaciones y desincentiva las exportaciones. Es cierto que el desequilibrio comercial y de pagos se financia sin problemas; al menos hasta ahora. Pero la economía española carece de las capacidades de la estadounidense para compensar y mitigar ese desequilibrio. El déficit de pagos pasará factura al ritmo de crecimiento, y antes o después se presentará al cobro en forma de menos crecimiento.

El empleo es el otro indicador sobresaliente de la actividad, sin duda el más elocuente y determinante, entre otras razones porque es el espejo de la realidad y del porvenir. Cuando los empresarios contratan es porque hay pedidos o expectativas de que lleguen, cuando el empleo decae ha llegado la crisis o está llamando a la puerta. Los datos de empleo que refleja la Encuesta de Población Activa dada a conocer ayer siguen favorables, pero reflejan debilidades y apuntan claros síntomas de agotamiento. Crecen todos los parámetros, los buenos y los malos: aumenta la población activa durante el primer trimestre (180.000 personas) hasta 21,35 millones; también crecen los ocupados (86.000 personas) hasta los 19,4 millones. Pero también crece el paro en 95.000 personas, lo que sitúa la tasa de desempleo por encima del 9 por ciento, una de las más bajas de los últimos treinta años, pero más alta que las de trimestres anteriores. Y crece el paro entre los jóvenes y las mujeres, los sectores más castigados por el desempleo.

Y también crecen los tipos de interés de referencia, incluso antes de que lo determine el BCE; el euribor de abril se situará en el 3,2 por ciento, que coloca el precio de las hipotecas en torno al 4 por ciento, un punto más que un año atrás. Ese dato en las endeudadas economías doméstica significa un serio aviso y una clara restricción al consumo.

Frente a este panorama del empleo, ni el Gobierno ni las fuerzas sociales, patronal y sindicatos, reaccionan para tomarse con más diligencia las negociaciones para la reforma laboral. Todos han asumido que van a firmar un acuerdo de mínimos, más de cara a la galería que para afrontar los problemas de fondo, que quedan aplazados para cuando las cosas vayan peor. El Gobierno confía en la inercia de esta larga fase de crecimiento y espera llegar a las próximas elecciones con carburante suficiente como para que la economía no sea un factor crítico en su contra. Pero el cálculo puede resultar equivocado, lo cual no iría sólo en su contra, sino también en la de todos los ciudadanos víctimas de esa crisis económica que nadie desea.

El semáforo económico luce ámbar y puede pasar a rojo, a estancamiento o recesión. La información económica es instantánea y los agentes reaccionan para anticiparse. La última recesión, la de 1992-93, fue aguda; el empleo se derrumbó en pocos meses, en otoño-invierno, y el PIB del año siguiente fue negativo. Si no se toman medidas a tiempo, hay razones para temer algo semejante en 2007.


Acreditem, daqui a nada estamos com um crescimento superior ao deles.

Não devemos responder às provocações, não passam dos suspiros finais de um estado em pleno processo de implosão.

Com crise económica, política e institucional, vamos ver quem vai ser o ultimo a rir :lol:
"you're either with us, or you're with the terrorists."
 
-George W. Bush-
 

*

Menacho

  • Investigador
  • *****
  • 2818
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +6/-50
(sem assunto)
« Responder #33 em: Maio 01, 2006, 10:14:29 pm »
Citação de: "papatango"
Citar
Papatango, una vez mas he de decirte que de Historia de Espanha no tenes mucha idea, Navarra y el Pais Vasco, no tienen identidades ni tan siquiera semejantes, ni la lengua vasca se habla en Navarra ni su historia es comun.
Bastaria conhecer os mapas desde o periodo de Carlos Magno, para entender que o que você nos diz é um disparate.


¿De verdad es un disparate? ¿a quiemn pretendes engañar?, a mi no:

Desde tiempos de la Guerra Sertoriana en el 77a.de C. la tierra de lo que muito despois se llamaria Navarra, (con a sua capital Pompelo) era distinta de la que hoy se conoce como Pais Vasco, ya que el territorio de Pompelo estaba dominado por Roma, y el Pais Vasco NO.
Es mas, la zona navarra se conquisto por los romanos entre el 155 y el 133 a.de C. y el Pais Vasco no fue conquistado hasta entre el 83 y el 29 a. de C.

Cuando los romanos desaparecen y entran en la peninsula los Visigodos, Pamplona y lo que hoy es Navarra queda bajo dominio Visigodo, mientras que el territorio de os Vascones no.

Una vez que el Islam penetra en la peninsula,nuevamente lo que hoy es Navarra queda bajo dominio musulman, mientras que el territorio de los vascones queda al margen de la Islamizacion,, perteneciendo mais tarde las vascongadas al Reino de Asturias, mientras que Navarra una vez mas no.

Durante las campanhas de Almanzor, Navarra se configuro como Reino de Pamplona, mientras que los vascongados pertenecian al Reino de Leon.

Cuando la desintegracion del Califato, es Navarra la que conquista o se anexiona las Vascongadas, no al reves este matiz es muito importante, ya que concederia dereitos a Navarra de anexionarse hoy (absurdez por otro lado) al Pais Vasco, pero no al reves.

Tras la muerte de Alfonso el Batallador, se produce un nuevo rumbo, creandose la llamada Espanha de los cinco reinos, (Leon, Castilla, Portugal, Aragon, y Navarra), y una vez mas sus destinos se separan, perteneciendo las Vascongadas al reino de Castelha, mientras que Navarra es independiente.

Ya nunca mais compartieron designios Navarra y las Vascongadas, excepto dentro de la realidad nacional espanhola, por lo que queda claro lo siguiente:

- Navarra y el Pais Vasco, solo estuvieron unidas cuando la ocupacion romana hace 2000 anhos y eso junto a casi toda la peninsula.

-Cuando la desintegracion del Califato, Navarra se anexiona Vascongadas por un corto periodo de tiempo, pero siendo Navarra la que se anexiona Vascongadas no al reves, de ahi que tu afirmacion sea absurda al igual que las reclamaciones Vascas sobre Navarra.

Algunos veis la historia como os gustaria, no como fue en realidad, y esperais ahora como buitres que Espanha salte en mil pedazos y esperais una nueva Republica, esperad, esperad pero sentadinhos no sea que os canseis.......... :twisted:
 

*

Menacho

  • Investigador
  • *****
  • 2818
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +6/-50
(sem assunto)
« Responder #34 em: Maio 01, 2006, 10:20:29 pm »
Citação de: "Tiger22"
Errrr. Há muita sobranceria em relação ao mito do crescimento da economia espanhola, cuja principal alavanca é a construção civil, que por sua vez tem o seu suporte na lavagem de dinheiro, como parecem demonstrar os casos Marbella e o das notas de 500 euros.

Acreditem, daqui a nada estamos com um crescimento superior ao deles.

Não devemos responder às provocações, não passam dos suspiros finais de um estado em pleno processo de implosão.

Com crise económica, política e institucional, vamos ver quem vai ser o ultimo a rir c34x

2º Si queres seguir soñando........ :roll:

3º Pois cuidadito con las implosiones que estais miuto cerca y seguro que os salpican.......

4º Portugal esta en crisis politica desde el 74, institucional desde hace mais y economica desde 1492 anho mais o menos, asi que de que hablais?
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #35 em: Maio 01, 2006, 11:15:37 pm »
Vamos tratar das questões do iberismo e do Mário Lino e dos Pinas Moura da vida...

Há seguramente outros tópicos para tratar dos assuntos como o de Navarra, (lembrando que o que eu disse foi que os bascos procuram legitimadade ao propor assimilar Navarra ao País Basco).

Podemos tratar das questões do País Basco e da integração de Navarre nesse país, noutro tópico.

Senão, isto transforma-se numa salganhada em que ninguém se entende.

Cumprimentos
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2102
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #36 em: Maio 02, 2006, 12:42:16 am »
Citação de: "Pantera"
esse mapa parece-me muito bom para lembrar aquele "mapa azul", que representa a união europeia.Contínuo a não perceber o porquê de tanto barulho,como se a dissolução de Portugal em outra coisa qualquer não fosse algo que estamos habituados.


É verdade, eu e o amigo Durão Barroso e todos os políticos e deputados estamos a pensar em criar os EUE (Estados Unidos da Europa)...AVÉ CHURCHILL. Que quer que lhe diga?

Acho incrível como conseguiu captar os conceitos de estado-nação e de federação, mas que não entenda o conceito de supra-nacionalismo. Mais não digo. Se realmente ocorrer esse passo para o federalismo, acredito que muitos países terão reticencias, e provavelmente haverá consulta popular para passo tão grande, no entanto volto a frisar que a federação não é o objectivo da UE, mas pronto...cada um que tenha a sua opinião...e não é a existência de uma constituição Europeia que altera isso. De facto a única coisa mal na constituição europeia é o seu nome, que mete realmente muita gente a pensar na federação, no entanto, basta só a estudar em mais detalhe para perceber que é um documento muitíssimo longe de Federação...só tem é um nome mau a meu entender.

Mais não digo, haverá sempre gregos e troianos, e não será com conversas em fóruns que pessoas mudam de opinião, isto é...se mudarem.....existem pessoas que mesmo a apostar no cavalo errado vão para a cova a pensar que ganharam.


AH, e já agora...Pantera...para quem critica muito o (des)governo, esqueces-te que muito do desenvolvimento a nível de leis e de sociedade provém das mentes mais esclarecidas do parlamento europeu. Quantas lacunas havia na lei portuguesa que foram preenchidas com transposições de directivas comunitárias???

 Que não seja por isso, a ilha de Man, de Guernsey e outras embora europeias, não pertencem à UE....podes sempre ir para lá....categoria de refugiado político.   :lol:  :lol:
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1178
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #37 em: Maio 02, 2006, 01:53:34 am »
Citação de: "Pantera"
O cds, PSD e PS defendem a federalização acho que não existe dúvidas,o bloco de esquerda também a defende mas não nestes termos,ou seja,são a favor do conceito de federalização mas não com aquelas leis que se queria aprovar.Cada vez mais leis serão determinadas pelos deputados europeus,a soberania está a passar de mãos,não sei qual a piada,era a mesma coisa que os espanhóis mandarem em nós.Apenas votamos nos deputados portugueses,e é totalmente anti-democrático mandarem em nós pessoas cujo não votamos.

Independentemente de quem defenda o quê... Eu não votei nos deputados à Assembleia da República eleitos por Castelo Branco. Nem nos de Portalegre, ou nos dos Açores, etc.

Porque é que é democrático que eu só vote nos deputados eleitos para a AR pelo círculo eleitoral/distrito onde vivo e não nos outros, mas passa a ser o anátema anti-democrático quando voto nos deputados do PE do meu círculo eleitoral/país sem votar nos dos outros círculos eleitorais?
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

sierra002

  • Perito
  • **
  • 434
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #38 em: Maio 02, 2006, 01:40:12 pm »
Lo mas triste de Papatango no lo ha dicho él, sino Pedro:

Citar
Mais uma vez voce papatango tem toda a razao.
Cumprimentos

Es una lastima que un discurso inculto y xenófobo esté influyendo en un niño.

Papatango dijo:

Citar
As expressões portugueseas relativamente à espanha / castela, são as que são e fazem parte da realidade histórica e da nossa cultura. Quem não entende a maneira de ser dos portugueses, pode protestar contra ela, mas não pode tentar usar as regras espanholas da auto-censura espanhola para impor a sua vontade aos portugueses e ainda mais num fórum português.


Papatango, por mas que le gustara, NO ES PORTUGAL. Los insultos de Portugal a los españoles son un hecho cultural tan reivindicable como los insultos de los alemanes a los judios o los de los estadounidenses del sur a los negros. Apreciación buena ya que en mas de un post el forista Papatango ha  dejado claro que los españoles son (somos) en mayoría moros (algo para el despreciable) e inferiores a los portugueses. Nunca se ha leido algo mío donde rebata estos argumentos acudiendo al insulto a los portugueses porque para mi Papatango no es Portugal.

En los foros  que se precian de serios hay reglas y se respetan para todos por igual pero no es auto-censura, sino buena educación y justicia. En este foro hay reglas y están escritas por portugueses, solo pido su cumplimiento. El respeto a las leyes y su cumplimiento son la base de todos los paises desarrollados.

Este foro con la actitud de incumplimiento hacia las reglas que está llevando Papatango y su no sanción, está dando una pésima imagen de Portugal.

Como forista ya veterano que soy, pido de nuevo que se sancione a Papatango por haber violado las reglas del foro repetidamente.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #39 em: Maio 02, 2006, 02:59:38 pm »
Citar
Papatango, por mas que le gustara, NO ES PORTUGAL


Mas quem é que você pensa que é, para vir a um fórum português dizer aos portugueses o que são ou o que deixam de ser?

Como é que você, pode achar que chega a um fórum, e pode determinar do alto da tradicional arrogância castelhana, o que é que é Portugal e o que não é ?

É preciso ter muito topete, para concluir que consegue entender os portugueses, sem sequer ser capaz de falar a língua.

Toda a nossa história está pejada daquilo que você chama insultos. É por isso que a nossa história e a própria existência de Portugal é completamente ignorada pela historiografia espanhola.

Já expliquei que as nossas historiografías não são compatíveis. Sempre que você coloca historiadores espanhóis e portugueses, por detrás da “boa educação” estão sempre a saltar faíscas.

Já lhe expliquei, que enquanto a interpretação da historiografia espanhola, permite explicar que Portugal não tem o direito de existir, a historiografia portuguesa, permite concluir que não só Portugal tem o direito de existir, como a própria Espanha-Estado, é uma construção sem sentido, anacrónica, e a longo prazo destinada a desaparecer.

Você não pode continuar aqui neste fórum continuamente a “rasgar las vestiduras”, apenas porque não gosta que nós falemos da NOSSA História, conforme o NOSSO entendimento da História, e porque não gosta da nossa visão da História e do mundo.

O seu discurso e os seus pedidos começam a ser patéticos, porque por detrás da sua suposta indignação o que nós vemos, é a disfarçada arrogância castelhana, que não suporta a ideia de que existem outras formas de ver e olhar para a História da peninsula ibérica, que implicam conclusões muito diferentes da dos historiadores franquistas.

E à boa maneira espanhola, você pede que seja aplicada a censura, tentando matar o mensageiro, porque a mensagem é terrívelmente inconveniente.

Eu suponho que haverá sites neo-nazis, falangistas ou outros, onde você se sentirá seguramente melhor que neste, e onde não ficará tão irritado com as conclusões.

Mas enfim. Você é livre de dizer o que quiser e de participar como quiser.
Não pode é estar à espera que os seus pontos de vista sejam aceites como normais num fórum português

Cumprimentos
 

*

Pantera

  • Perito
  • **
  • 399
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #40 em: Maio 02, 2006, 03:11:43 pm »
Citar
Independentemente de quem defenda o quê... Eu não votei nos deputados à Assembleia da República eleitos por Castelo Branco. Nem nos de Portalegre, ou nos dos Açores, etc.

Porque é que é democrático que eu só vote nos deputados eleitos para a AR pelo círculo eleitoral/distrito onde vivo e não nos outros, mas passa a ser o anátema anti-democrático quando voto nos deputados do PE do meu círculo eleitoral/país sem votar nos dos outros círculos eleitorais?


Mas o que você diz tem alguma logica?O povo portugues deve escolher quem o governa, achas mesmo que ser lisboeta ou ser portuense é tão igual como ser portugues ou ser espanhol ?é claro que não,quem deve escolher quem nos governa é o povo portugues e não o contrario,quando votamos votamos acima de tudo num partido pouco importa quem representa o quê,se eu votar no PSD voto no PSD pouco importa quem o representa nesse distrito,ao votar psd num determinado distrito estou a dizer que quero o PSD para todo o país,quando se vota no PSD para o parlamento europeu,escolhe-se um partido que é diferente de outros partidos,além do mais isso é anti-democrático,pois o nosso povo não pode votar nos partidos estrangeiros,so pode votar nos portugueses,10 milhões de pessoas so votam em 24 deputados,se achas que isso é democracia vou ali e já venho,nas eleições como lhe disse votamos acima de tudo num partido,pouco importa quem representa quem

*

Azraael

  • Perito
  • **
  • 413
  • +0/-0
    • http://www.bgoncalves.com
(sem assunto)
« Responder #41 em: Maio 02, 2006, 03:55:55 pm »
Citação de: "Pantera"
O povo portugues deve escolher quem o governa, achas mesmo que ser lisboeta ou ser portuense é tão igual como ser portugues ou ser espanhol ?
Obvio que sim.

Citação de: "Pantera"
quem deve escolher quem nos governa é o povo portugues
Exacto... dai votarmos nas eleicoes para o parlamento europeu.

Citação de: "Pantera"
e não o contrario,
Quem nos governa e' que nos escolhe? :?:

Citação de: "Pantera"
ao votar psd num determinado distrito estou a dizer que quero o PSD para todo o país,
Nao necessariamente, basta ver as diferencas entre as eleicoes autarquicas e as legislativas.

Citação de: "Pantera"
quando se vota no PSD para o parlamento europeu,escolhe-se um partido que é diferente de outros partidos,
E quando se vota no PSD para o parlamento nacional nao estas a votar num partido que e' diferente dos outros partidos (PS, BE, PCP, CDS, etc...)? Ou sera que o PSD e' igual ao BE ou o PCP e' igual ao CDS?

Citação de: "Pantera"
além do mais isso é anti-democrático,pois o nosso povo não pode votar nos partidos estrangeiros,so pode votar nos portugueses,
Que logica e' que teria votares nos representantes dos outros? Os portugueses votam nos representantes portugueses, os espanhois, nos representantes espanhois, etc...

Citação de: "Pantera"
10 milhões de pessoas so votam em 24 deputados,se achas que isso é democracia vou ali e já venho,
Vai.. e se possivel nao venhas... E ja agora, nas eleicoes presidenciais sao 10 milhoes a votar em 1...

Citação de: "Pantera"
nas eleições como lhe disse votamos acima de tudo num partido,pouco importa quem representa quem

Entao explica as diferencas entre as autarquicas e as legislativas. Explica porque e' que quando um presidente da camara (por ex) muda de partido ou se candidata como independente (como se assistiu nas ultimas autarquicas) continuam a receber um numero semelhante de votos? Sera porque os votos sao nas pessoas e nao nos partidos?
Quando votas escolhes quem te representa em determinado forum, seja ele uma camara municipal, um parlamento nacional, presidencia da republica ou um parlamento europeu.
 

*

Pantera

  • Perito
  • **
  • 399
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #42 em: Maio 02, 2006, 05:27:22 pm »
tou a falar em legislativas e não em autarcas.Quando voto no psd ou noutro qualquer quero competição com o povo portugues que vota em outros partidos portugueses,agora nas eleições europeias,o povo portugues nao vota em partidos sem serem portugueses,logo quem manda aqui não é o nosso povo,mas sim um povo estrangeiro



Citação de: "Azraael"
Obvio que sim.

mas que estupidez tao grande,ser portugues não é a mesma coisa que ser espanhol,se calhar tu também es igual aos africanos

Citação de: "Azraael"
Exacto... dai votarmos nas eleicoes para o parlamento europeu.
 

mas quem manda sao os estrangeiros que foram eleitos por povos que nao o nosso

Citação de: "Azraael"
Nao necessariamente, basta ver as diferencas entre as eleicoes autarquicas e as legislativas.
 
so me refiro as legislativas

Citação de: "Azraael"
E quando se vota no PSD para o parlamento nacional nao estas a votar num partido que e' diferente dos outros partidos (PS, BE, PCP, CDS, etc...)? Ou sera que o PSD e' igual ao BE ou o PCP e' igual ao CDS?
 

 eu posso votar em qualquer partido portugues nao o posso é fazer nos outros,seria a mesma coisa que 2% da população so poder votar no BE e pcp e os outros 98% so podem votar nos restantes partidos...Bela democracia

Citação de: "azraael"
Vai.. e se possivel nao venhas... E ja agora, nas eleicoes presidenciais sao 10 milhoes a votar em 1...
tu e que podes ficar aí nos States
tu confudes tudo,nao tens logica no que dizes.nas presidenciais votas entre varios candidatos,podes votar em qualquer candidato o que corresponde a 100% de democracia, nas eleições europeias so podes votar em 24,logo corresponde para aí a 3,4% de democracia

Citação de: "azraael"
Entao explica as diferencas entre as autarquicas e as legislativas. Explica porque e' que quando um presidente da camara (por ex) muda de partido ou se candidata como independente (como se assistiu nas ultimas autarquicas) continuam a receber um numero semelhante de votos? Sera porque os votos sao nas pessoas e nao nos partidos?
Quando votas escolhes quem te representa em determinado forum, seja ele uma camara municipal, um parlamento nacional, presidencia da republica ou um parlamento europeu.


tou a falar em legislativas e nao autarquias,além do mais eu quero que os deputados portugueses representem o povo a 100% mas com a formula do parlamento europeu quem nos representa essencialmente é alguem que nunca votamos.

*

Azraael

  • Perito
  • **
  • 413
  • +0/-0
    • http://www.bgoncalves.com
(sem assunto)
« Responder #43 em: Maio 02, 2006, 05:41:29 pm »
Citação de: "Pantera"
agora nas eleições europeias,o povo portugues nao vota em partidos sem serem portugueses,logo quem manda aqui não é o nosso povo,mas sim um povo estrangeiro
O povo portugues vota nos representantes portugueses... assim como os restantes povos votam nos seus representantes. Se nao compreendes isto, os meus pesames.

Citação de: "Pantera"
mas que estupidez tao grande,ser portugues não é a mesma coisa que ser espanhol,se calhar tu também es igual aos africanos
Todos diferentes, todos iguais...

Citação de: "Pantera"
mas quem manda sao os estrangeiros que foram eleitos por povos que nao o nosso
Quem "manda" sao todos os deputados eleitos, sejam eles de que pais forem.

Citação de: "Pantera"
eu posso votar em qualquer partido portugues nao o posso é fazer nos outros,
Que logica e' que tem seres tu a escolher os representantes dos outros?

Citação de: "Pantera"
seria a mesma coisa que 2% da população so poder votar no BE e pcp e os outros 98% so podem votar nos restantes partidos...Bela democracia
Nao... e' a mesma coisa que so votares nos deputados eleitos por determinado distrito e nao nos que serao eleitos noutros distritos. Mais uma vez, se nao e's capaz de compreender isto, os meus pesames.

Citação de: "Pantera"
tu confudes tudo,nao tens logica no que dizes.nas presidenciais votas entre varios candidatos,podes votar em qualquer candidato o que corresponde a 100% de democracia, nas eleições europeias so podes votar em 24,logo corresponde para aí a 3,4% de democracia
LOOL... Mais uma vez ( a ve se e' desta que entendes )... Quando votas para as legislativas so votas nos candidatos de determinado distrito... Quando votas para as europeias, so votas nos candidatos de determinado pais... qual a diferenca?

Citação de: "Pantera"
tou a falar em legislativas e nao autarquias
Entao responde a questao anterior.

Citação de: "Pantera"
além do mais eu quero que os deputados portugueses representem o povo a 100%
E representam. E os deputados dos restantes paises representam o povo respectivo a 100%...

Citação de: "Pantera"
mas com a formula do parlamento europeu quem nos representa essencialmente é alguem que nunca votamos.

Quem nos representa sao os euro deputados portugueses... tal com quem representa o distrito do porto sao os deputados eleitos por esse distrito... A logica por tras da escolha dos eurodeputados e' a mesma que por tras da escolha dos parlamentares nacionais, so a escala e' que e' diferente. Num estas ao nivel de concelhos e distritos e noutro estas ao nivel de paises. Qualquer pessoa com dois dedos de testa ve isto...
 

*

Pantera

  • Perito
  • **
  • 399
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #44 em: Maio 02, 2006, 06:25:24 pm »
Citação de: "Azraael"
O povo portugues vota nos representantes portugueses... assim como os restantes povos votam nos seus representantes. Se nao compreendes isto, os meus pesames.

Pois mas os representantes dos outros não têm nada que mandar no nosso país,pois ninguem do nosso povo os elegeu.

Citação de: "Azraael"
Todos diferentes, todos iguais...

Podes é dar a tua comida a quem passa fome e dares  a tua casa também,se achas que todos devem ser iguais,além do mais os espanhois não são iguais a nós.

Citação de: "Azraael"
Quem "manda" sao todos os deputados eleitos, sejam eles de que pais forem.

MAs não tem direito a isso,fdx,isto é uma democracia não podemos ser governados por quem ninguem em Portugal votou.

Citação de: "Azraael"
Que logica e' que tem seres tu a escolher os representantes dos outros?
Nenhuma por isso é que eles não podem nem devem mandar no nosso país.

Citação de: "Azraael"
Nao... e' a mesma coisa que so votares nos deputados eleitos por determinado distrito e nao nos que serao eleitos noutros distritos. Mais uma vez, se nao e's capaz de compreender isto, os meus pesames.
Para de dizer coisas sem nexo,quando voto num deputado eleito num determinado país,muitas vezes nem sei quem é,voto nele porque o objectivo é votar no partido dele.Esse partido (pode)está representado em todo o territorio nacional e qualquer portugues poderá votar nesse partido,será o partido e não o deputado que manda,pois esse deputado representa o partido,se eu votar num deputado do PSD para as europeias,o PSD não está representado  nos outros países como está representado em todo o nosso país e em toda a parte onde os portugueses podem votar.Tu é que não consegues comprender isso.

Citação de: "Azraael"
LOOL... Mais uma vez ( a ve se e' desta que entendes )... Quando votas para as legislativas so votas nos candidatos de determinado distrito... Quando votas para as europeias, so votas nos candidatos de determinado pais... qual a diferenca?
Mas quando voto para  as legislativas(ve se usas o cérebro) num determinado deputado,eu voto no partido dele para comandar o país e esse partido contempla todo o povo portugues e todo o nosso pais,além do mais nas legislativas as pessoas votam pelo candidato a primeiro ministro e pelo partido que mais um vez te digo que engloba o nosso pais,duvido que o façam pelo cabeça de lista;

Quando votas num deputado ao parlamento europeu votas nao so nessa pessoa mas no seu partido(mais os outros partidos portugueses) que contempla apenas 2% de decisão sobre as politicas tão simples quanto isso,niguem tem o direito a decidir o nosso destino sem excepção de nós.Ou também queres que eu mande em tua casa ou outra pessoa qualquer? O resto da europa é o resto da europa,nós somos nós.

alem do mais um distrito e um distrito um país e um país nao podes comparar isso assim sem mais nem menos,porque nao vais viver para a selva africana,ja que é tudo igual.



Citação de: "azraael"
E representam. E os deputados dos restantes paises representam o povo respectivo a 100%...

os deputados portugueses representam apenas 2,3% das nossas decisões

Quem nos representa sao os euro deputados portugueses... tal com quem representa o distrito do porto sao os deputados eleitos por esse distrito... A logica por tras da escolha dos eurodeputados e' a mesma que por tras da escolha dos parlamentares nacionais, so a escala e' que e' diferente. Num estas ao nivel de concelhos e distritos e noutro estas ao nivel de paises. Qualquer pessoa com dois dedos de testa ve isto...


mas nao é a mesma coisa,porque povos estrangeiros não têm nada que mandar cá,tal como eu não tenho nada a ver com o que fazes em tua casa.24 deputados é o máximo que 10 milhoes de portugueses podem eleger,e quem vai sempre mandar no nosso país serão as restantes centenas de deputados,cujo pessoas nunca votamos,tal como não temos o direito de ser governado por um ditador pois nunca votamos nele para desempenhar determinado função também não temos o direito de ser governado por pessoas que nunca votamos e que mandam no nosso país.

 

Portugal "sem fronteiras"

Iniciado por TOMKAT

Respostas: 6
Visualizações: 3682
Última mensagem Maio 10, 2006, 10:15:52 pm
por superbuzzmetal
"Erasmus militar" Portugal/Espanha

Iniciado por Lancero

Respostas: 8
Visualizações: 5061
Última mensagem Julho 22, 2009, 10:29:57 pm
por dannymu
Mísseis de Cruzeiro para a Espanha:Implicações para Portugal

Iniciado por Tiger22

Respostas: 135
Visualizações: 30148
Última mensagem Setembro 10, 2005, 12:17:42 am
por NotePad
Mirage 2000 para Marroccos!!! implicações para Portugal!!!

Iniciado por Miguel

Respostas: 25
Visualizações: 8338
Última mensagem Fevereiro 03, 2005, 08:27:23 pm
por capelo
Portugal «deve ser» país participante nas áreas militares

Iniciado por Fábio G.

Respostas: 29
Visualizações: 9326
Última mensagem Junho 17, 2004, 12:17:24 pm
por Rui Elias