U.S.A.F. - Força Aérea dos Estados Unidos

  • 439 Respostas
  • 87703 Visualizações
*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2102
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #15 em: Agosto 04, 2006, 08:08:08 pm »
Citar
Analysis: USAF adds $1.7B to F-22 costs
By Pamela Hess
UPI Pentagon Correspondent
Jul. 26, 2006 at 5:46PM

The U.S. Air Force's plan to buy up to 60 more F-22 fighter jets will cost $1.7 billion, the Government Accountability Office said.

The Air Force argues that the scheme will cut $3.7 million off the price of each of the aircraft -- saving a possible $225 million -- and that it is necessary to keep advanced U.S. fighter manufacturing lines active while the Joint Strike Fighter comes on line. Shutting down production lines can scatter experienced workers and often incurs the cost of warehousing manufacturing components.

The F-22 production line was supposed to go cold at the end of 2007, but the USAF sought and won congressional approval to stretch it out until 2010 via an amendment to the defense authorization bill.

It was not without controversy -- all four defense committees considered and rejected the amendment during deliberations on the bill. The amendment was proposed and accepted on the floor of the Senate and House this spring.

The increased number of F-22s -- from 56 to 60 -- has already been approved by Congress. At issue is whether to use a multi-year contract to complete the purchase. Under that arrangement, the Pentagon commits to paying for all the aircraft at once at a fixed price and budgets for them up front, rather than year-by-year, as is customary.

Contractors and program officials like it because it removes the volatility from major weapons systems buys and allows a single price to be negotiated; cost savings can result from this arrangement because the contractor is better able to manage supplies, employees and the pace of work. Critics of multi-year programs argue it locks the Pentagon into buying expensive weapons and ties up funding that might otherwise be better spent on urgently needed equipment not anticipated when the multi-year deal was approved -- like up-armored Humvees in Iraq, for instance.

Moreover, multi-year deals net major savings when they are done earlier in the production of a weapon system -- when there are more jets or tanks to be bought, the savings accrue at a higher rate.

According to the GAO, the multi-year contract will result in a 2.7 percent savings on each of the remaining aircraft, a total of about $225 million -- less than would normally be expected.

"Historically, when you do multi-year contracts, it's typically at least 10 percent plus savings as compared to single-year contracts," said David Walker, GAO comptroller general.

Multi-year contracts also have expensive termination clauses that give the contractor a big payout in the event the buy is truncated. Given the F-22's history, that is a possibility.

The F-22 procurement program has been extremely turbulent, with the Air Force having to cut the number it plans to purchase repeatedly over the last two decades. The initial buy was planned to be more than 750, which was cut to 648, then to 442 and eventually down to 179. Last minute cuts to various Air Force programs in December 2005 -- including the retirement of the F-117 stealth fighter and the U-2 spy plane -- allowed the service to add four more F-22s, bringing the total back up to 183.

 "Our review indicates that DOD's proposal to add two years to the production period of the remaining F-22As and to procure the planes under a three-year, multi-year contract will cost the taxpayers $1.7 billion more than called for to procure the last two annual lots as compared to the amount previously provided in the fiscal 2006 budget," said David Walker, GAO comptroller general.

"It depends upon what you use as the baseline. You can make numbers do a lot of different things, depending upon what the baseline is," he told the Senate Armed Services Committee.

In the Fiscal Year 2006 budget, the Air Force proposed to buy 56 aircraft over two years, including 2006, which will end in September. In the Fiscal Year 2007 budget, it now wants 60 aircraft, stretched out over three years -- that is, adding two years to the end of the buy. The additional four aircraft fill out seven squadrons of F-22s.

 "When you look at total cost, this is $1.7 billion more than they expected. Of that $1.7 billion, about $.7 billion is for the four additional aircraft and about a billion dollars is because we're stretching this out," said Walker. "You know, this program, depending upon how you want to calculate it, is anywhere from two to 15 years late, and now we're making it later."

Prime contractor Lockheed Martin has been awarded more than $800 million in incentive fees for its performance on the F-22, despite delays in the development program, Walker confirmed.

"I think part of the problem here is there's a difference between what people want and what we need and what we can afford and what we can sustain," said Walker.

Each F-22 aircraft costs an average of $185 million, according to the Congressional Budget Office, compared with the earlier generation F-15, which cost about $55 million, and the F-16, which cost about $25 million. The Air Force says it needs the F-22 to replace its aging fleet of fighters, and for its superior speed, weapons, and stealth properties.


washingtontimes.com (aparentemente eles não guardam as notícias por muito tempo no site. Se houver links que não funcionam, as minhas desculpas)
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4057
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #16 em: Outubro 14, 2006, 11:17:21 am »
Citar
EUA: Piloto levou avião da força aérea para ir buscar ecstasy à Alemanha

Nova Iorque, 14 Out (Lusa) - Um piloto, que utilizou um jacto da força  aérea norte-americana para ir de Nova Iorque à Alemanha, buscar 200 comprimidos  de ecstasy, foi sexta-feira condenado a dezassete anos e meio de prisão.

        O juiz rejeitou apelos de clemência dos advogados, lembrando que o capi tão Franklin Rodriguez, de 36 anos, teve aquele comportamento, "enquanto outros  militares combatiam corajosamente" pelo país.

        O capitão e o sargento John Fong, de 37 anos, declararam-se culpados.

        A acusação alegou que Rodriguez transportou repetidamente drogas em voo s militares, transportando centenas de milhar de comprimidos de ecstasy para os  Estados Unidos e que mais de 700 mil dólares em dinheiro foram encontrados no se u apartamento.
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #17 em: Agosto 01, 2007, 08:20:19 pm »
Citar
SAIC alerta para quebras de segurança nas USAF

A SAIC, o gigante da indústria de defesa norte-americana, alertou recentemente 580.000 membros das forças armadas e respectivas famílias para o facto das suas informações pessoais, como nomes, moradas, números de segurança social e informações confidenciais de saúde, poderem ter ficado comprometidas, em resultado de uma falha de segurança. A empresa enviou via Internet estas informações sem que as mesmas estivessem encriptadas e, embora afirme a inextencia de indícios de que tenham ficado comprometidas, não exclui essa hipótese.

2007/07/31
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #18 em: Agosto 02, 2007, 09:08:27 pm »
Citar
Two USAF Predator UAVs lost in Two days

The US Air Force lost two Predator Unmanned Aerial Vehicles (UAVs) in the past two nights, when operating from Balad airbase in central Iraq. The first Predator crashed near the end of the runway at Balad, while landing at approximately 11 p.m. local time, on Monday night (July 30, 2007). The second Predator crashed off base on the early evening of Tuesday (July 31, 2007). According to the official US Air Force report, in both incidents hostile activity does not appear to be a factor in either crash.


 :arrow: Predator Unmanned Aerial Vehicles
http://www.defense-update.com/products/p/predator.htm
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4057
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #19 em: Setembro 05, 2007, 04:18:59 pm »
Citar
EUA: B-52 atravessou o país armado, por engano, com cinco ogivas nucleares

Bismarck, Dakota do Norte, 05 Set (Lusa) - Um bombardeiro B-52 foi carregado  por engano com cinco ogivas nucleares e atravessou os Estados Unidos, do  Dakota do Norte à Luisiana, noticiou hoje um jornal militar norte-americano.  

     

   O bombardeiro transportava mísseis de cruzeiro, no âmbito de um programa  do Departamento de Defesa que prevê a recolha de 400 mísseis, noticiou o  Military Times, citando três oficiais que falaram sob condição de anonimato.  

     

   Segundo estes responsáveis, as ogivas nucleares deviam ter sido retiradas  dos mísseis antes destes serem carregados sob as asas do bombardeiro.  

     

   Mas isso não aconteceu e o B-52 voou da base aérea de Minot, no Dakota  do Norte (norte), para a de Barksdale, na Luisiana (sul), no dia 30 de Agosto.  

     

   O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, foi informado do incidente  quando as ogivas foram detectadas, após a aterragem em Barksdale.  

     

   A porta-voz da base de Minot remeteu quaisquer esclarecimentos para  o comando da Força Aérea, em Washington, e um porta-voz do comando, o tenente-coronel  Ed Thomas, disse ao jornal que as ogivas estiveram sempre sob controlo da  Força Aérea e que os mísseis foram transferidos com êxito.  

     

   "A política das Forças Armadas em relação ao manuseamento de armamento  é muito rigorosa. As armas estiveram sempre sob a nossa custódia e nunca  representaram um risco para o público", disse o porta-voz.  

     

   O porta-voz acrescentou que foi aberta uma investigação e que as tripulações  envolvidas foram suspensas até que seja decidido se vão ser punidas.  
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2193
  • Recebeu: 55 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +10/-0
    • http://forumdefesa.com
(sem assunto)
« Responder #20 em: Setembro 20, 2007, 01:05:06 pm »
Citar
WASHINGTON (AFP) - A Força Aérea dos Estados Unidos criou um cibercomando provisório para enfrentar uma eventual guerra pela internet, anunciou nesta terça-feira o secretário da instituição, Michael Wynne.

A criação do comando cibernético ocorre em meio à crescente preocupação das autoridades com a onda de ataques de hackers chineses contra governos ocidentais.

O cibercomando terá seu quartel na Base de Barksdale, na Louisiana, onde já estão concentradas as operações cibernéticas da Força Aérea.

Fontes militares afirmaram que o comando provisório ficará encarregado de organizar um comando maior da Força Aérea dedicado às operações cibernéticas, que "treinará e equipará as forças para que conduzam operações globais contínuas dentro e através do ciberespaço", disse o general Charles Ickes.
Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

lurker

  • Perito
  • **
  • 427
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #21 em: Junho 18, 2008, 10:38:55 pm »
O GAO recomendou que a USAF re-abra o concurso KC-X para a aquisição de novos aviões de re-abastecimento.

All over the news!
 

*

LuisC

  • Perito
  • **
  • 311
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #22 em: Junho 19, 2008, 02:34:20 am »
Parece que está tudo bem encaminhado a favor do KC-45A (A-330MRTT).
http://www.ainonline.com/news/single-ne ... ntic-team/
 

*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 367
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #23 em: Junho 19, 2008, 09:05:24 am »
Citação de: "LuisC"
Parece que está tudo bem encaminhado a favor do KC-45A (A-330MRTT).
http://www.ainonline.com/news/single-ne ... ntic-team/


Caro LuisC, se reparar na data dessa notícia, verá que está um pouco desactualizada... Como o lurker disse, nos EUA está tudo em polvorosa no Senado e Congresso para que anulem a decisão e que seja a Boeing a ganhar. Até a USAF já veio a público dizer que "afinal, a Boeing tem melhor proposta a longo prazo". Ou seja, uma desculpa para que estes ganhem...
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7068
  • Recebeu: 499 vez(es)
  • Enviou: 617 vez(es)
  • +25/-9
(sem assunto)
« Responder #24 em: Junho 19, 2008, 11:42:24 am »
Se isso acontecer vão ter que indeminizar a Airbus forte e feio :shock: .
 

*

Instrutor

  • Investigador
  • *****
  • 1310
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #25 em: Junho 19, 2008, 11:51:25 am »
Temos aqui uma boa prova em como os americanos gastam internamente as suas receitas, as prórpias forças armadas compram internamente ás industrias nacionais nao andam a engordar os cofres de outras nações mesmo que aliados, na minha sincera opinião não os condeno, só penso que os europeus e mais propriamente Portugal deveriam fazer o mesmo, comprar internamente na fabulosa industria europeia. Penso que o Exército (LeoII, Pandurs II, e futura arma ligeira) tudo made in Europa e a Marinha (Fragatas, Submarinos, NPO, NAVpol) estao no bom caminho, falta a Força Aérea seguir o mesmo exemplo e comprar o substituto do F-16 na europa, O EuroTyphoon e esquecer o F-35, uma coisa e meramente pessoal penso que o acordo das Lajes favorece e muito mais os Americanos do que os Portugueses, não prevejo nenhuma vantagem para a economia local, ja que os produtos alimentares, combustiveis entre outros proveêm directamente dos States, ja para não falar que o material militar que provêm dos EUA para Portugal com o suposto acordo das Lajes é em segunda mao e desactualizado, se queremos comprar novo pagamos valentemente, ou uma das duas, ou se corrige o acordo com melhorias significativas para Portugal ou não vale a pena continuar e os Americanos deverao sair das Lajes.
« Última modificação: Junho 19, 2008, 11:55:30 am por Instrutor »
"Aqui na Lusitanea existe um povo que não se governa nem se deixa governar" voz corrente entre os Romanos do Séc. I a.C
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4064
  • Recebeu: 226 vez(es)
  • Enviou: 235 vez(es)
  • +12/-0
(sem assunto)
« Responder #26 em: Junho 19, 2008, 11:52:08 am »
Eles podem, usar como desculpa, que estavam a salvar ou a proteger a economia, usando para isso a boeing
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 367
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #27 em: Junho 19, 2008, 12:16:52 pm »
Citação de: "Instrutor"
Temos aqui uma boa prova em como os americanos gastam internamente as suas receitas, as prórpias forças armadas compram internamente ás industrias nacionais nao andam a engordar os cofres de outras nações mesmo que aliados, na minha sincera opinião não os condeno, só penso que os europeus e mais propriamente Portugal deveriam fazer o mesmo, comprar internamente na fabulosa industria europeia. Penso que o Exército (LeoII, Pandurs II, e futura arma ligeira) tudo made in Europa e a Marinha (Fragatas, Submarinos, NPO, NAVpol) estao no bom caminho, falta a Força Aérea seguir o mesmo exemplo e comprar o substituto do F-16 na europa, O EuroTyphoon e esquecer o F-35, uma coisa e meramente pessoal penso que o acordo das Lajes favorece e muito mais os Americanos do que os Portugueses, não prevejo nenhuma vantagem para a economia local, ja que os produtos alimentares, combustiveis entre outros proveêm directamente dos States, ja para não falar que o material militar que provêm dos EUA para Portugal com o suposto acordo das Lajes é em segunda mao e desactualizado, se queremos comprar novo pagamos valentemente, ou uma das duas, ou se corrige o acordo com melhorias significativas para Portugal ou não vale a pena continuar e os Americanos deverao sair das Lajes.


Acho que já foi mais assim do que actualmente. Por exemplo, em termos de helicópteros, as últimas aquisições foram "Made in Europe". E quanto à arma de serviço, a HK416 está bem posicionada para ser a nova aquisição. Seja como for, apesar destas "empresas-mãe" serem europeias, tudo o que é montagem (e mesmo algum desenvolvimento) é "Made in USA".

Quanto ao KC-X.

Basicamente, o que a Boeing quer é prolongar a linha de montagem do 767 por mais alguns anos, quando podia muito bem ter feito uma proposta à altura da Airbus (o 777). Já a Northrop Grumman (leia-se EADS+Airbus...) garante que o KC-45 iria levar à constituição de 2000 novos postos de trabalho directos (ou mais, até a previsão do próprio Governo é que sejam 25 000 postos no total, entre directos e indirectos. Já a previsão da NG é que sejam de uns...48 000). Para mim, problema é que não serão no mesmo Estado da fábrica da Boeing, e agora temos uma luta política, com cada Senador e Congressista a puxar para o seu lado. Para além que a Boeing tem muita influência, nem que seja a pagar campanhas políticas de alguns destes senhores...

http://www.northropgrumman.com/kc45/kc45_facts.html

E o outro lado...

http://www.boeing.com/ids/globaltanker/ ... index.html
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7068
  • Recebeu: 499 vez(es)
  • Enviou: 617 vez(es)
  • +25/-9
(sem assunto)
« Responder #28 em: Junho 19, 2008, 06:42:03 pm »
Citação de: "pmdavila"
E quanto à arma de serviço, a HK416 está bem posicionada para ser a nova aquisição.


A nova aquisição de quem?
 

*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 367
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #29 em: Junho 19, 2008, 07:26:09 pm »
Citação de: "Lightning"
Citação de: "pmdavila"
E quanto à arma de serviço, a HK416 está bem posicionada para ser a nova aquisição.

A nova aquisição de quem?


Referia-me ao exército, queria incidir sobre a competição entre esta, CAR, etc... A "Delta Force" já a utiliza, se não estou em erro.

Uma das últimas "ameaças" da Boeing era a de deixar de parte o mercado dos abastecedores, caso não fosse seleccionada, por "não ser rentável". O KC-767 foi escolhido pela Itália e pelo Japão, mas o A330 pelo Reino Unido, Austrália, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos...

Isto vai correr muuuuuuita tinta sobre este negócio...
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

 

Componente aérea da Guarda Costeira de Cabo Verde

Iniciado por Miguel Silva Machado

Respostas: 1
Visualizações: 1714
Última mensagem Dezembro 02, 2005, 02:49:44 pm
por Cabeça de Martelo
Defesa aérea da Lituania

Iniciado por JLRC

Respostas: 0
Visualizações: 849
Última mensagem Agosto 18, 2004, 04:47:51 pm
por JLRC
CAÇAS DE SUPERIORIDADE AÉREA

Iniciado por Instrutor

Respostas: 17
Visualizações: 9042
Última mensagem Junho 08, 2009, 03:39:54 pm
por nelson38899
Força Aérea Americana não aprova avião comprado por Portugal

Iniciado por papatango

Respostas: 2
Visualizações: 2303
Última mensagem Dezembro 13, 2004, 12:28:09 am
por emarques
Força Aérea, Alemanha, França,Inglaterra, TOPS Pesquisa

Iniciado por Heer.Skuda

Respostas: 2
Visualizações: 4197
Última mensagem Junho 19, 2007, 02:58:26 pm
por papatango