Aviação Comercial

  • 191 Respostas
  • 38704 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9243
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Aviação Comercial
« Responder #105 em: Março 30, 2015, 04:53:39 pm »
Reabastecer aviões em voo poderia reduzir combustível em 23%


Um sistema para reabastecer aviões de passageiros em pleno voo poderia reduzir em quase um quarto a quantidade de combustível necessário para um voo de longo curso, disseram hoje investigadores.

As reservas de combustível representam cerca de um terço do peso na descolagem dos aviões de longo curso, por isso, reduzindo-o e abastecendo no ar pode significar uma grande poupança, segundo investigadores da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique (ZHAW), que participaram num estudo sobre a questão.

"Os resultados da investigação em que colaborámos indicam uma redução possível entre 11% e 23% para um voo típico de 6.000 milhas náuticas com uma carga de 250 passageiros", adiantaram.

Num comunicado divulgado hoje, a ZHAW considera que "estações de combustível 'voadoras' poderão revolucionar o transporte aéreo".

Já é possível reabastecer em pleno voo os aviões militares, mas agora, durante três anos, foi estudada a viabilidade do conceito para o tráfego aéreo civil.

O projeto designado RECREATE (Research for a Cruiser Enabled Air Transport Environment) juntou investigadores da ZHAW e de nove outras instituições de cinco países europeus.

De acordo com o estudo, os voos de passageiros poderiam descolar com menos combustível e serem reabastecidos quando atingissem uma altitude de 10.000 metros. Os investigadores disseram ter utilizado simuladores para determinar que o projeto é tecnicamente possível.

Os aviões de reabastecimento teriam combustível suficiente para abastecer entre três a cinco aviões de passageiros em determinados locais, como estações de serviço no ar.

O sistema também permitiria voos sem escalas entre destinos tão distantes como Zurique e Sydney.

O projeto RECREATE inclui uma segunda proposta, bastante mais radical: uma espécie de metro aéreo, constituído por aviões gigantes que dariam a volta ao mundo sem escala e aviões mais pequenos que tratariam do abastecimento, do desembarque dos passageiros e bagagens e da recolha e encaminhamento dos resíduos.


Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9243
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Aviação Comercial
« Responder #106 em: Abril 15, 2015, 11:58:43 pm »
Aviões comerciais são o novo potencial alvo dos piratas informáticos


Relatório do governo federal norte-americano salienta a importância da cibersegurança nos aviões.

Os piratas informáticos poderão tentar explorar os sistemas de entretenimento dos aviões comerciais, cada vez mais ligados à Internet, para sabotar os sistemas de navegação dos aparelhos, alertou hoje um relatório do governo federal norte-americano.

O Government ACCOUNTABILITY Office (GAO, a agência que fiscaliza para o Congresso norte-americano a legalidade do modo como são gastos os dinheiros públicos) identificou a cibersegurança a bordo como "uma questão cada vez mais importante" que já despertou a atenção da Federal Aviation Administration (FAA, a agência que regula a aviação civil nos Estados Unidos).

"As tecnologias modernas de comunicação, incluindo a conectividade IP (serviços ligados à Internet), são cada vez mais utilizadas pelos sistemas da aviação, permitindo que pessoas não autorizadas tenham acesso e comprometam os sistemas de navegação dos aparelhos", indicou o GAO, num relatório.
No passado, os sistemas eletrónicos usados para controlar e navegar o aparelho -- designados como sistemas eletrónicos -, funcionavam de forma autónoma, frisou a agência.

"No entanto, de acordo com a FAA e os especialistas em cibersegurança contactados, a rede IP poderá permitir que um pirata informático tenha acesso à distância aos sistemas eletrónicos e compromete-los", acrescentou o mesmo documento. Em teoria, mecanismos como o 'firewall' (sistema de proteção informática) protegem "de qualquer intrusão por parte de utilizadores dos sistemas de cabine, como é o caso dos passageiros que utilizam os dispositivos de entretenimento a bordo".

Mas, segundo os especialistas citados pelo GAO, os 'firewalls', sendo componentes de 'Software', podem ser pirateados e alterados "como qualquer outro 'software'". A FAA ainda não estabeleceu qualquer regulação sobre esta matéria, mas responsáveis indicaram ao GAO que a questão vai começar a ser analisada.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9243
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Aviação Comercial
« Responder #107 em: Abril 23, 2015, 01:53:01 pm »
Torre de controlo aéreo «à distância» começa a funcionar na Suécia


Uma torre de controlo começou nesta terça-feira a regular o tráfego aéreo num aeroporto sueco a partir de outro a 150 km de distância, anunciou a direcção de aviação civil deste país (LFV), uma primícia mundial.

«Primeira aterragem com uma torre de controlo à distância!», escreve o controlador aéreo na sua conta do Twitter (@luftfartsverket), sob a foto de um avião a aterrar em Örnsköldsvik, graças às instruções da torre de comando do aeroporto de Sundsvall. «Somos os primeiros do mundo a controlar à distância um aeroporto (...) Os pilotos do avião estão em contacto com a torre de controlo de Sundsvall», a mais de 150 km de distância dali, explicou a directora de comunicação da agência, Elizabeth Lindgren, à rádio pública SR.

Segundo a LFV, no aeroporto controlado à distância, as câmaras e os sensores comunicam em tempo real as informações para os controladores aéreos, o que na prática em nada altera o seu trabalho.

«Com a ajuda da tecnologia o tráfego aéreo é dirigido da mesma maneira que numa torre tradicional», afirmou a LFV em comunicado.

Lusa
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1713
  • Recebeu: 182 vez(es)
  • Enviou: 407 vez(es)
  • +7/-1
Re: Aviação Comercial
« Responder #108 em: Abril 27, 2015, 07:08:23 pm »
Pilotos portugueses querem acabar com regra das duas pessoas no cockpit
Citar
A Associação dos Pilotos Portugueses de Linha Aérea pretende que o governo acabe com a medida que anunciou há cerca de um mês, depois da queda do avião da Germwings nos Alpes, e que obriga à permanência constante de dois elementos no cockpit.

Uma pretensão divulgada pelo presidente da Associação dos Pilotos Portugueses de Linha Aérea (APPLA), Miguel Silveira, em declarações à TSF.

A medida obriga a que, na ausência de um dos pilotos do avião do cockpit, para, por exemplo, satisfazer necessidades fisiológicas, este seja substituído por um dos elementos da tripulação.

Ora, de acordo com o presidente da APPLA os tripulantes não estão devidamente preparados para enfrentarem os comandos de uma aeronave.

Ideia refutada pelo presidente da Associação Portuguesa de Tripulantes de Cabine, Vasco Cipreste, que garante que a tripulação está "treinada para estar no interior de um cockpit".

[continua]
Fonte: http://zap.aeiou.pt/pilotos-portugueses-querem-acabar-com-regra-das-duas-pessoas-no-cockpit-66598

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 3314
  • Recebeu: 244 vez(es)
  • Enviou: 193 vez(es)
  • +71/-33
Re: Aviação Comercial
« Responder #109 em: Maio 20, 2015, 04:17:29 pm »
Legacy 500 da Embraer estabelece quatro recordes mundiais de velocidade



Genebra, Suíça, 18 de maio de 2015 – A Embraer Aviação Executiva anunciou hoje que o Legacy 500, jato executivo da categoria midsize recém-chegado ao mercado, estabeleceu neste ano quatro recordes mundiais de velocidade em sua classe.

“Esses recordes de velocidade comprovam o desempenho excepcional do Legacy 500. A aeronave, que já havia atingido ou superado cada um dos seus objetivos de projeto para a certificação, demonstra agora toda sua capacidade operacional, incluindo travessias oceânicas”, disse Marco Túlio Pellegrini, Presidente & CEO da Embraer Aviação Executiva. “O Legacy 500 é de fato o melhor jato da sua classe, que entrega uma impressionante combinação de conforto, tecnologia avançada, velocidade e alcance a um baixo custo operacional”.

Os dois primeiros recordes foram conquistados em “Speed over a Recognized Course (Velocidade sobre Rota Reconhecida, em tradução livre), durante o trajeto de ida e volta com seis passageiros a bordo, entre as cidades americanas de Oakland, na Califórnia, e Lihue, no Havaí, distantes 3.954 km (2.135 milhas náuticas). O voo para Lihue foi completado em 5 horas e 49 minutos, a uma velocidade média de 676 km/h (420 mph), em 7 de março. O retorno ocorreu em 4 horas e 11 minutos, a uma velocidade média de 943km/h (586 mph).

O terceiro recorde de velocidade estabelecido pelo Legacy 500 foi no voo para Friedrichshafen, na Alemanha, partindo do aeroporto de Bangor, no estado americano do Maine. A viagem de 5.945 km (3.210 milhas náuticas) foi completada em 6 horas e 50 minutos, com três ocupantes a bordo.

O último recorde foi quebrado durante o voo entre Düsseldorf, na Alemanha, e Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, em uma distância de 6.052 km (3.268 milhas náuticas), a maior já percorrida pelo Legacy 500. A duração do voo foi de 7 horas e 3 minutos e a aeronave chegou ao destino com uma reserva de combustível de 861 kg (1,900 lb). A média final de consumo nessa missão foi de apenas 721 kg por hora (1,590 lb).

As informações sobre esses voos serão enviadas para a Federation Aeronautique Internationale, na Suíça, para a oficialização como recordes mundiais, logo após a confirmação final da National Aeronautic Association, órgão responsável por homologar todos os recordes estabelecidos nos Estados Unidos. Em todas as quatro quebras de recordes de velocidade, o Legacy 500 completou a missão com reservas de combustível NBAA IFR.



Fonte: http://www.aereo.jor.br/2015/05/18/lega ... elocidade/
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9243
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Aviação Comercial
« Responder #110 em: Maio 30, 2015, 06:36:32 pm »
Emirates proibe o transporte de trofeus de caça animal nos seus aviões


A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos não transportará a bordo dos seus aviões mais nenhum troféu de caça exótico. A medida entrou e vigor a 15 de Maio e pretende dificultar aos caçadores o transporte de animais como elefantes, tigres, leões ou rinocerontes que tenham sido abatidos, mesmo que de forma legal.

“Informamos que a partir de 15 de Maio a Emirates SkyCargo não aceitará o transporte de qualquer tipo de troféu de caça nos serviços da Emirates. Esta restrição é aplicável a todos os troféus de caça animal, protegidos ao abrigo da Convenção sobre o comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagens (CITES), bem como espécies que não estejam actualmente ameaçadas, ou seja todas as espécies CITES e não-CITES”, indicou a Emirates Airlines em comunicado citado pelo Dodo.

“A decisão serve para apoiar os governos, organizações intergovernamentais e não-governamentais, que monitorizam as populações de animais selvagens com o intuito de acabar com o comércio ilegal e o transporte de troféus de caça para todo o mundo”, lê-se ainda no comunicado.

Com a decisão, a Emirates junta-se à South African Airways, que já havia implementado semelhante proibição recentemente.


Green Savers
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1713
  • Recebeu: 182 vez(es)
  • Enviou: 407 vez(es)
  • +7/-1
Encomendas europeias para o 1º avião de passageiros japonês
« Responder #111 em: Junho 10, 2015, 04:59:30 pm »
Mitsubishi Eyes European Orders for Japan’s First Passenger Jet
Citação de: "Jie Ma, Kiyotaka Matsuda / Bloomberg"
Mitsubishi Aircraft Corp., which is developing Japan’s first passenger jet, says the company is looking to expand its business in Europe and the Middle East and expects its first orders from there soon.

"We have already received inquiries from Europe," President Hiromichi Morimoto told reporters in Nagoya, Japan Wednesday in his first press conference since taking the company’s helm in April. "I hope we can soon report the receipt of orders."

Mitsubishi Aircraft recently opened a sales office in Amsterdam to expand its presence on the continent, Morimoto said. The company will show a mock up of the MRJ regional jet at this month’s Paris Air Show, Morimoto said.

The MRJ, powered by Pratt & Whitney turbofan engines, will test whether a new entrant can break the hold of Embraer SA and Bombardier Inc. on the market for small passenger jets. Boeing Co. and its European rival Airbus Group SE dominate the market for larger passenger planes, while Commercial Aircraft Corp. of China, or Comac, is developing its own large jet.
Flight Delayed

Mitsubishi is building 78- and 92-seat versions of the plane, developed at a cost it estimates at 180 billion yen ($1.5 billion). The company plans to develop 100-seat versions in the future.

Mitsubishi started low-speed taxiing tests this month and said in April that the jet’s maiden flight will be postponed to September or October. Since announcing plans in 2008 to build the planes, the company has pushed back the date for test flights four times.

One advantage Mitsubishi has is an order book, including options, for 407 jets. All Nippon Airways Co. will be the debut carrier, with deliveries starting in April-June 2017, four years later than originally planned. Another five carriers also have placed orders for the MRJ.

Mitsubishi says it wants eventually to win half the global market for regional aircraft. Montreal-based Bombardier is focusing on its new CSeries jet, also delayed, which will be able to carry as many as 160 passengers.

(continua)
Fonte: http://www.bloomberg.com/news/articles/2015-06-10/mitsubishi-eyes-european-orders-for-japan-s-first-passenger-jet

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9243
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Aviação Comercial
« Responder #112 em: Junho 12, 2015, 01:43:12 pm »
Novo Boeing Dreamliner faz "descolagem vertical"


 

*

olisipo

  • Investigador
  • *****
  • 4969
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +27/-31
Re: Aviação Comercial
« Responder #113 em: Junho 16, 2015, 12:06:21 am »

O Paris Air Show começou hoje
 

*

olisipo

  • Investigador
  • *****
  • 4969
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +27/-31
Re: Aviação Comercial
« Responder #114 em: Junho 18, 2015, 07:50:44 pm »

Boeing contra Airbus em Le Bourget
 

*

olisipo

  • Investigador
  • *****
  • 4969
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +27/-31
Re: Aviação Comercial
« Responder #115 em: Agosto 05, 2015, 12:37:54 pm »

Airbus tem patente para avião hipersónico: Londres-Nova Yorque em apenas uma hora

http://visao.sapo.pt/airbus-tem-patente ... co=f827179
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8104
  • Recebeu: 633 vez(es)
  • Enviou: 922 vez(es)
  • +37/-5
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Aviação Comercial
« Responder #116 em: Agosto 14, 2015, 09:36:11 pm »
O A350.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

olisipo

  • Investigador
  • *****
  • 4969
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +27/-31
Re: Aviação Comercial
« Responder #117 em: Agosto 17, 2015, 08:14:26 pm »
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 4646
  • Recebeu: 754 vez(es)
  • Enviou: 532 vez(es)
  • +31/-13
Re: Aviação Comercial
« Responder #118 em: Agosto 28, 2015, 10:44:47 am »
http://www.aereo.jor.br/2015/08/27/sukhoi-derrota-embraer-e-bombardier-no-cazaquistao/
Citar
A companhia aérea do Cazaquistão SCAT, que não é listada em bolsa, fará leasing de 15 aeronaves Sukhoi Superjet 100 (SSJ100) da russa State Transport Leasing Company (GTLK), após ter avaliado anteriormente os aviões 170 e 190 da brasileira Embraer e o CRJ1000, da canadense Bombardier, de classe semelhante.

A SCAT, companhia aérea regional com sede no sul do Cazaquistão e que faz voos fretados para o exterior, disse que optou pelo SSJ100 porque tanto os aviões da Embraer quanto o da Bombardier teriam sido afetados por tarifas alfandegárias adicionais, tornando o projeto mais caro, especialmente considerando a acentuada queda da moeda cazaque.

O acordo com a estatal GTLK, que fornece equipamentos para companhias aéreas russas e aeroportos, foi assinado na terça-feira, afirmaram as duas empresas sem revelar detalhes financeiros.

A Sukhoi fabrica o jato regional de 100 assentos em parceria com a Alenia Aermacchi, da Finmeccanica.

FONTE: Reuters, via Exame


Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

olisipo

  • Investigador
  • *****
  • 4969
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +27/-31
Re: Aviação Comercial
« Responder #119 em: Setembro 02, 2015, 08:12:36 am »

Aeroflot compra Transaero
 

 

WEBASAS - NOVO SITE DE AVIAÇÃO DO FOTÓGRAFO MAURO DONATI !

Iniciado por WEBASASQuadro Internet-Jogos-Simulações

Respostas: 8
Visualizações: 1943
Última mensagem Dezembro 27, 2009, 02:43:33 am
por WEBASAS
Grupo de Aviação Ligeira do Exército Osprey...Apache/Tiger

Iniciado por Boina_VerdeQuadro Exércitos/Sistemas de Armas

Respostas: 40
Visualizações: 13387
Última mensagem Setembro 19, 2007, 12:28:14 pm
por Luso
Para que serve o Grupo de Aviação Ligeira (Exército)

Iniciado por papatangoQuadro Exércitos/Sistemas de Armas

Respostas: 19
Visualizações: 6500
Última mensagem Maio 14, 2008, 01:00:06 am
por tyr
Reunião da Aviação de Caça (Força Aérea Brasileira)

Iniciado por jambock01Quadro Forças Aéreas/Sistemas de Armas

Respostas: 3
Visualizações: 1589
Última mensagem Maio 27, 2006, 11:21:18 am
por Cabeça de Martelo
WEBASAS - LABACE 2007 - AVIAÇÃO EXECUTIVA - FOTOS !!

Iniciado por WEBASASQuadro Internet-Jogos-Simulações

Respostas: 0
Visualizações: 1829
Última mensagem Setembro 12, 2007, 06:16:59 am
por WEBASAS