Exército Espanhol

  • 2042 Respostas
  • 605822 Visualizações
*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2010 em: Abril 10, 2019, 07:02:20 pm »






A España servir hasta morir
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Exército Espanhol
« Responder #2011 em: Abril 11, 2019, 10:35:19 am »
Onde é que isto foi?
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2012 em: Abril 11, 2019, 12:50:38 pm »
Onde é que isto foi?

Nuestros militares del contingente Ejército de Tierra 🇪🇸 en la misión Presencia Avanzada Reforzada  en el NATO Enhanced Forward Presence Battle Group Latvia participan en la competición de carros IRONSPEAR 2019, en Adazi, Letonia
A España servir hasta morir
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Exército Espanhol
« Responder #2013 em: Abril 11, 2019, 04:38:21 pm »
Eu perguntei por percebi que estavam ali uns quantos T-72 (?).
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2014 em: Abril 23, 2019, 12:28:22 pm »
A España servir hasta morir
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW, Barlovento

*

Lusitan

  • Membro
  • *
  • 169
  • Recebeu: 44 vez(es)
  • Enviou: 43 vez(es)
  • +96/-4
  • Hic et Ubique
Re: Exército Espanhol
« Responder #2015 em: Abril 23, 2019, 01:03:46 pm »
Eu perguntei por percebi que estavam ali uns quantos T-72 (?).

Parece-me o PT-91 (variante polaca do T-72).
 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2016 em: Abril 30, 2019, 07:55:55 am »
































































































A España servir hasta morir
 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2017 em: Maio 10, 2019, 12:47:36 pm »
A España servir hasta morir
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Exército Espanhol
« Responder #2018 em: Maio 18, 2019, 03:22:17 pm »
POLIVALÊNCIA E ADAPTABILIDADE

Em suma, as próximas décadas estarão caracterizadas por um entorno operacional complexo e incerto, com mudanças cada vez mais aceleradas. Nesse contexto, a flexibilidade e capacidade de adaptação adquirem maior importância dentro da organização. Com isso, a estrutura da força do Ex E manterá os atuais comandos de primeiro nível (Quartel-General de Alta
Disponibilidade/OTAN, Força Terrestre, Comando de Canarias e Força Logística Operativa) que demonstraram sua eficiência e eficácia nos últimos anos. A mudança principal na força será na implantação do novo conceito de brigada orgânica polivalente (BOP), que terá reflexos determinantes sobre toda a estrutura.
Esse conceito de polivalência surge como resposta à complexidade e incerteza dos cenários operacionais futuros. Supõe se impulsionar nas forças terrestres uma evolução de toda ordem, não somente na sua organização e na sua maneira de atuar, como também na mentalidade de seu pessoal, na Doutrina e procedimentos de emprego, na estrutura das organizações militares (OM), bem como no preparo e emprego para o combate. Assim, a flexibilidade e capacidade de adaptação, não somente das unidades, como também da estrutura da força em seu conjunto, serão um ponto-chave nesse processo de transformação. A finalidade será adequar de forma rápida e eficaz suas capacidades de combate às necessidades de cada cenário operacional.



Essa polivalência e adaptabilidade estarão materializadas quando a futura força:
- dispuser de um conjunto de capacidades para dar respostas às exigências operativas em todo o espectro do conflito, como para a defesa nacional e para operações no exterior;
- contar com um comando componente terrestre (land component command/LCC), com um corpo de exército e alguns quartéis generais de divisão de exército com capacidade para assumir o comando e controle de qualquer tipo de forças e operações em seu nível de atuação;
- dispuser de BOP como órgãos integradores e que possam gerar diferentes capacidades operativas, flexíveis, com rápida adaptação e capazes de atuar em todo o espectro do conflito com seus próprios meios.
A brigada somente será polivalente se suas OM subordinadas também tiverem integradas essas capacidades nos escalões unidades, subunidades e frações. Por isso, estão impulsionando o chamado adestramento multidisciplinar. Ou seja, esses elementos deverão manter sua missão principal (como, por exemplo, brigada de infantaria mecanizada), porém deverão adestrar-se e
ser capazes de levar a cabo outras missões secundárias.
A brigada, como sistema de combate integral é um elemento fundamental sobre o qual se deve apoiar o resto da estrutura da força. Com isso, a proposta é passar de 10 (dez) brigadas especializadas (paraquedista, blindada, de montanha, mecanizada, de cavalaria etc) para um modelo de brigadas com capacidade médias, com uma estrutura flexível e que permita dar uma resposta rápida ao incerto. A BOP é um modelo de brigada que combina a disponibilidade, a adaptabilidade e a capacidade de projeção. Essa nova estrutura será capaz de fazer frente a conflitos convencionais, assimétricos e híbridos.
Cabe ressaltar que não se trata de desenhar uma força meramente para operações no exterior. Pelo contrário, o desenho da força tem como principal objetivo garantir que se disponha das capacidades militares necessárias, no âmbito terrestre, para a ativação adequada dos planos de contingência do EMC. Essas capacidades deverão estar compatíveis com as requeridas na DDN/12, f u n d a m e n t a l m e n t e para poder atender de maneira adequada ao esforço expedicionário.
Para atender os esforços exigidos, o Ex E vem utilizando o Plano de Disponibilidade, que representa uma ferramenta muito eficaz que permite gerar adequadamente os contingentes para as operações em curso, por meio do rodízio sequencial das brigadas, seguindo o ciclo de disponibilidade. Além disso, permite dar uma resposta escalonada frente às situações mais demandantes dentro do conceito OTAN.
Esse plano, que está fundamentado na existência de 8 (oito) brigadas com um rodízio de um a quatro, permite dispor em todo momento de duas brigadas (uma ligeira e uma pesada) para gerar os contingentes nas operações em curso; outras duas brigadas em alta disponibilidade para dar respostas aos compromissos internacionais e nacionais; e outras quatro brigadas em fase de preparo.
Além disso, este plano permite levar a cabo uma adequada recuperação do pessoal que foi desdobrado em operações no exterior, facilitando seu regresso e conciliação com a vida particular. Com isso, garante que este pessoal não estará novamente desdobrado em operações antes de dezoito meses.



BRIGADAS ORGÂNICAS POLIVALENTES

Como objetivo em médio prazo, foi desenhada uma força capaz, com base em dois tipos de BOP. Em seu atual desenho estrutural levou-se em conta fundamentalmente a existência de batalhões de infantaria, materiais e infraestruturas etc.

A BOP tipo I contará com seu quartel-general, que deverá ser reforçado de maneira adequada para enfrentar as exigências dos novos cenários, e com quatro elementos de manobra: um batalhão aerotransportado, dois batalhões de viaturas blindadas de transporte de pessoal sobre rodas e um esquadrão de cavalaria (reconhecimento). Em acréscimo a essa estrutura, contará com unidades de apoio ao combate (com materiais mistos), de apoio logístico e de facilitadores de capacidades que sejam necessários (cooperação civil militar; defesa cibernética;
defesa química, biológica, nuclear e radiológica; operações psicológicas; inteligência, etc).

A BOP tipo II contará com um total de 5 (cinco) unidades de manobra: um batalhão blindado, um batalhão aerotransportado, um batalhão de viaturas blindadas de transporte de pessoal sobre rodas, um batalhão mecanizado e um esquadrão de cavalaria (reconhecimento).
O processo de transformação deverá estabelecer uma mudança em que as 10 (dez) atuais brigadas especializadas existentes passem a 8 (oito) BOP, sendo 4 (quatro) BOP tipo I e 4 (quatro) BOP tipo II. No entanto, será impositivo manter a capacidade de estruturar um batalhão paraquedista reforçado e um batalhão de montanha reforçado, com a finalidade de atender às futuras necessidades de caráter operativo do Ex E.
Com base nesta estrutura de força, junto com as demais capacidades de comando e controle (C2) e de apoio ao combate e logístico, o Ex E irá dispor a todo momento de um grupo de forças
equilibrado e homogéneo, que contará com todas as capacidades necessárias para cumprir os esforços e missões designados:
unidades ligeiras de desdobramento rápido, blindados, mecanizados, de reconhecimento, helicópteros e de operações especiais, além dos apoios de combate (de artilharia e engenharia) e logísticos.
O número de 8 (oito) brigadas possibilita atender as razões de caráter operativo já apresentado, permitindo dar uma resposta adequada a outras importantes condicionantes, como manter
uma presença equilibrada de OM em território nacional, além do que possibilita a oferta adequada de vagas e destinos para oficiais e praças, permitindo conciliar a vida profissional e pessoal dos militares.
No entanto, as BOP não asseguram com suas atuais estruturas as capacidades de apoio logístico adequadas para este desafio projetado. Isto obriga a existência de organizações de apoio ao combate e logísticas que possam gerar estruturas operativas de nível superior à brigada, como multiplicadores de poder de combate nos cenários convencionais ou assimétricos tais como comandos de artilharia, de engenharia, de operações especiais, de helicópteros e de defesa aérea.

CONSIDERAÇOES FINAIS

A brigada, como sistema de combate integral, é o elemento fundamental sobre o qual deve ser alicerçado o resto da estrutura da força, sendo necessário reforçar suas atuais capacidades. É impositivo evoluir das 10 (dez) brigadas especializadas para as 8 (oito) brigadas orgânicas polivalentes em médio prazo.
Com esta redução, o Ex E completará um importante esforço de racionalização que vem sendo realizado nos últimos anos, nos quais se passou de 22 (vinte e duas) brigadas em 1982 para as 8 (oito) BOP. A evolução para a futura estrutura da força do Ex E virá condicionada por um cenário econômico bastante restritivo nos próximos anos. Por isso, é fundamental dar um
enfoque realista ao processo geral de transformação com o menor custo econômico possível aproveitando os meios materiais existentes compatíveis com a nova estrutura.
Baseado nesta assertiva, o Estado-Maior do Ex E definiu um modelo de força viável de transição, como objetivo realista a materializar-se no curto e no médio prazos, no qual se agrupará a estrutura em dois tipos de BOP (lagarta e rodas). Neste sentido, a aquisição de viaturas blindadas de transporte de pessoal 8x8 está sendo prioritário para o Ex E, o que está definido nos documentos de planejamento da defesa. Além disso, tal planejamento estabelece uma excelente oportunidade para a indústria nacional de defesa espanhola para os próximos anos.
Em síntese, a futura estrutura da força permitirá ao Ex E ter à disposição do EMCFA, as capacidades necessárias para atender de maneira adequada aos esforços exigidos na Diretriz de Planejamento Militar, incluindo a ativação gradual e escalonada dos planos de contingência para a defesa do território nacional, missão fundamental das FA. A implantação desse modelo para a Força, somado à atual estrutura de apoio ao combate e de apoio logístico, requer uma adequação dos recursos com a finalidade de otimizar esforços, mantendo compatível o
catálogo de capacidades militares que o Ex E aporta às FA.

http://ebrevistas.eb.mil.br/index.php/DMT/article/download/584/653/
« Última modificação: Maio 18, 2019, 03:32:42 pm por Cabeça de Martelo »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: goldfinger

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2019 em: Maio 20, 2019, 01:34:33 pm »
Confirmada la adquisición de los primeros 100 proyectiles de artillería guiados Excálibur para pruebas y homologaciones:





http://www.ceptm.iue.edu.ar/pdf/Mun-Guiadas.pdf

A España servir hasta morir
 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2020 em: Maio 24, 2019, 12:39:26 pm »
Seleccionado el cañón de 30mm MK44 STRETCH Bushmaster 2 de Northrop Grumman para el VCR Dragón.

https://www.defensa.com/espana/stretch-el-nuevo-canon-del-8x8
A España servir hasta morir
 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2021 em: Maio 24, 2019, 12:44:20 pm »
A España servir hasta morir
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2022 em: Maio 28, 2019, 07:48:12 am »
Autorizados 182 millones de euros para adquirir 600-700 nuevos VAMTAC en distintas versiones, en el anterior contrato se adquirieron 750 unidades por casi 150 millones:


http://www.infodefensa.com/es/2019/05/27/noticia-gobierno-autoriza-millones-vehiculos-autobastidores.html

Con esta nueva compra calculo que habrá en servicio unos 2500 VAMTACs
A España servir hasta morir
 

*

goldfinger

  • Membro
  • *
  • 250
  • Recebeu: 77 vez(es)
  • Enviou: 18 vez(es)
  • +23/-0
Re: Exército Espanhol
« Responder #2023 em: Maio 29, 2019, 02:01:14 pm »
Foto a mas resolución del nuevo Pizarro de Zapadores:

A España servir hasta morir
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Exército Espanhol
« Responder #2024 em: Maio 29, 2019, 02:42:15 pm »
SPECIAL OPERATIONS FORCES EXERCISE CHALLENGE 2019


















https://sofec.pt
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: goldfinger

 

High Tech "Battlelab" para o Exército Britânico

Iniciado por JLRC

Respostas: 0
Visualizações: 2374
Última mensagem Outubro 28, 2004, 11:04:28 pm
por JLRC
Grupo de Aviação Ligeira do Exército Osprey...Apache/Tiger

Iniciado por Boina_Verde

Respostas: 40
Visualizações: 14545
Última mensagem Setembro 19, 2007, 12:28:14 pm
por Luso
Imagem da nova espingarda de assalto do exército americano

Iniciado por lf2a

Respostas: 2
Visualizações: 2183
Última mensagem Outubro 01, 2004, 05:43:15 pm
por lf2a
Para que serve o Grupo de Aviação Ligeira (Exército)

Iniciado por papatango

Respostas: 19
Visualizações: 7235
Última mensagem Maio 14, 2008, 01:00:06 am
por tyr
Exército, Alemanha, França,Inglaterra, TOPS Pesquisa

Iniciado por Heer.Skuda

Respostas: 2
Visualizações: 3013
Última mensagem Junho 15, 2007, 01:11:48 am
por Nuno Bento