Sector do Turismo e Hotelaria

  • 206 Respostas
  • 53435 Visualizações
*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +15/-0
(sem assunto)
« Responder #30 em: Janeiro 16, 2008, 08:16:06 pm »
Pinho acredita em crescimento de visitantes e de receitas turísticas em 2008

Citar
O ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho, está optimista quanto à evolução do número de visitantes e de receitas turísticas em 2008, principalmente devido ao aumento da presença de low-costs em Portugal.


«Perspectivo que o turismo continue a ganhar em número de visitante e de receitas, tanto mais que o número de low-costs que visitam Portugal é cada vez maior», disse Pinho na inauguração da Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre até domingo.

Sem querer quantificar o crescimento turístico para 2008, o ministro garantiu que o sector vai trabalhar para passar dos 12 milhões de visitantes para os 14 milhões o mais rapidamente possível.

«Vamos trabalhar no dia a dia para que, como o 13 é um número de azar, tentar passar para os 14 milhões de visitantes o mais rapidamente possível«, afirmou Manuel Pinho.

O ministro frisou que este mercado »está a dar óptimos resultados«, tendo Portugal registado 12 milhões de turistas em 2007, um número que considerava »impensável há três anos atrás«.

O ministro Manuel Pinho disse acreditar »firmemente« na capacidade de desenvolvimento do turismo português, que considera ter uma importância verdadeiramente estratégica pelo emprego que cria e os efeitos indirectos que tem na economia.

«Em Portugal, o turismo está a crescer mais que a média da Europa e mesmo do mundo. O que é necessário é que a tendência se mantenha», disse.

Segundo o governante, o turismo está a crescer mais que a economia, tendo as receitas crescido 11 por cento até Novembro e o número de turistas 6 por cento.

Em termos proporcionais relativamente a Espanha, Pinho considera que ainda há espaço para continuar a aumentar o sector.

Questionado sobre a concorrência, nomeadamente dos mercados de leste, Manuel Pinho apenas disse: «Gosto muito de concorrência porque nos obriga a todos e aos nossos empresários a sermos mais dinâmicos».

O ministro deu o exemplo de Lisboa, que foi recentemente considerada pelo New York Times como o terceiro destino mundial a visitar.

Envolvido em ambiente de música e dinamismo Pinho elogiou o dinamismo e dimensão da BTL, que classsificou como impressionante.

«Estou extremamente contente com o que aqui vejo em termos de dinamismo, não só das associações, mas também das regiões de turismo e do sector privado«, disse, aconselhando todos os portugueses a visitar o certame.

A BTL dedica os primeiros dois dias aos profissionais do sector e abre ao público entre sexta e domingo.

O ministro anunciou hoje que dentro de duas semanas será lançada, a nível internacional, a nova campanha de imagem do turismo articulada com a campanha de imagem do país.

Diário Digital / Lusa

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #31 em: Janeiro 17, 2008, 07:48:57 pm »
Turismo: Receitas dos hotéis Pestana e Pousadas de Portugal sobem 16% em 2007


Citar
Lisboa, 17 Jan (Lusa) - As receitas dos hotéis Pestana e Pousadas de Portugal cresceram 16 por cento em 2007 face ao ano anterior e aproximaram-se dos 200 milhões de euros, afirmou hoje um administrador do grupo.

Em conferência de imprensa realizada no âmbito da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre até domingo, José Manuel Castelão Costa salientou a subida da facturação das unidades hoteleiras do grupo Pestana e das Pousadas de Portugal no ano passado.

Escusando-se a acrescentar mais pormenores acerca da actividade do grupo Pestana, liderado por Dionísio Pestana, Castelão Costa adiantou somente que "o lucro bruto de exploração" da parte hoteleira aumentou 30 por cento em 2007.

O grupo Pestana reúne várias áreas de actividade, sendo a principal a hotelaria onde detém e gere 81 unidades, tendo presença em países como Brasil, Argentina, Moçambique, África do Sul, Cabo Verde e S.Tomé, a que deverá juntar-se brevemente Caracas e Londres.

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #32 em: Janeiro 18, 2008, 11:49:06 am »
Chaves:Investimentos privados ultrapassam os 100 ME e vão potenciar turismo

Citar
Chaves, 18 Jan (Lusa) - Os empreendimentos privados em execução ou previstos para Chaves, o casino, o Aquanattur, o hospital privado e um centro comercial, representam investimentos na ordem dos 100 milhões de euros e vão atrair milhares de novos turistas.

"Chaves é já o maior município turístico de Trás-os-Montes e Alto Douro", afirmou hoje à Agência Lusa António Mota, presidente da Região de Turismo do Alto Tâmega.

O presidente da autarquia, o social-democrata João Baptista, acrescenta que 48 por cento dos turistas em Trás-os-Montes passam por esta cidade em busca das termas, dos museus ou jardins.

Para a afirmação de Chaves no sector turístico, o autarca sustentou que "muito" vão contribuir os investimentos privados que estão em execução ou previsto para o Alto Tâmega.

"O casino e o Aquanattur trarão mais turistas, o shopping atrairá também muita gente e o hospital privado concederá uma maior percepção de segurança no destino", afirmou António Mota.

O responsável já fez as contas e prevê que, nos próximos anos, o número de dormidas em Chaves tenha um acréscimo na ordem das "30 a 40 mil" por ano.

Em 2006, o número de dormidas naquele concelho rondou as 120 mil.

Já no sábado abre as portas, o Hotel Casino de Chaves, um empreendimento do grupo Solverde que ronda os 40 milhões de euros e quer atrair clientes de todo o Norte de Portugal e da vizinha Galiza.

O casino vai dispor de 322 slot-machines e 13 mesas de jogo, nomeadamente duas bancas francesas, três black-jack, quatro roletas americanas, um póquer sem descarte, um ponto e banca e dois Poker Texas Hold`em.

Com uma área total de construção de 30 mil metros quadrados, o hotel terá 72 quartos e seis suites, restaurante e coffee shop com capacidade para 200 pessoas, bar, lojas, salas de reuniões, health club e vários equipamentos desportivos, nomeadamente piscina interior e exterior, campo de futebol e squash e circuito de manutenção.

No âmbito do projecto Aquanattur, promovido pela Unicer, estão a ser requalificados os parques lúdico termais de Pedras Salgadas, concelho de Vila Pouca de Aguiar, e Vidago, concelho de Chaves, representando um investimento na ordem dos 50 milhões de euros.

Encerrado desde 2006, o Vidago Palace Hotel reabrirá nos finais de 2008 já transformado num cinco estrelas diferenciado, num projecto assinado pelo arquitecto Álvaro Sisa Vieira.

As obras de requalificação do parque termal das Pedras Salgadas deverão também estar concluídas em 2008, ano previsto para a reabertura desta estrutura ao público.

O Aquanattur tem como público-alvo os portugueses, espanhóis, alemães, ingleses, franceses e escandinavos e pretende aumentar a taxa de permanência na região, que é de 1,6 dias.

Esta semana foi anunciada a construção do Hospital Privado de Chaves, uma iniciativa da Casa de Saúde de Guimarães e do Hospital Particular de Viana do Castelo, que representa um investimento de cerca de 20 milhões de euros.

A nova unidade hospitalar estará pronta no último trimestre de 2009 e oferecerá os serviços de maternidade, consulta externa para diversas especialidades médicas e cirúrgicas, internamento e cirurgia, meios complementares de diagnóstico e serviço de urgências de 24 horas.

Com uma área de 10 mil metros quadrados, o Hospital Privado de Chaves terá capacidade para 30 consultórios, 52 camas e os serviços de urgência médico-cirúrgica estarão "mesmo" abertos 24 horas por dia.

O Shopping Século XXI, iniciativa do Grupo Santo, pretende ser um novo motor de dinâmica transfronteiriça.

Os responsáveis do grupo acreditam que o projecto exercerá grande capacidade de influência nas populações residentes no concelho de Chaves e áreas circundantes, bem como numa zona mais alargada aos concelhos fronteiriços.

O público-alvo poderá ascender a perto de 100 mil habitantes e o projecto, que deverá concluído em quatro anos, rondará o orçamento final de 20 milhões de euros.

O novo centro comercial vai possibilitar um total de cerca de 600 postos de trabalho directos e indirectos, e ocupará uma área total de 15.300 metros quadrados.

Contará com mais de 60 lojas, 750 lugares de estacionamento à superfície e em cave, um hipermercado, e salas de cinema.

António Mota referiu ainda que estão previstos mais investimentos na área da hotelaria para o concelho, nomeadamente mais dois hotéis de quatro estrelas em Vigado e ampliação de espaços de turismo rural.

João Baptista assinala que foram também os investimentos da autarquia que "potenciaram" a aposta dos privados em Chaves e considera que o concelho que dirige está na "confluência" de grandes investimentos públicos (estatal e autárquico) e privados.

O autarca lembrou a construção da auto-estrada 24 (A4) e frisou ainda que, desde que assumiu a presidência há seis anos, o investimento no concelho ultrapassou os 50 milhões de euros.

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #33 em: Janeiro 18, 2008, 11:56:44 am »
MSF vai investir mil milhões em turismo e imobiliário

Citar
Este ano vai adquirir no mínimo dois terrenos para novos 'resorts' no País
A MSF Tur.Im, holding do grupo de construção MSF para a área do turismo e imobiliário, vai investir até 2015 mil milhões de euros em novos projectos. Uma meta traçada após a reestruturação do grupo que levou à criação daquela empresa, explicou ao DN o seu administrador, José Manuel Fortunato. Nos projectos que já tem em curso, vai investir mais 350 milhões. Agora é hora de começar a fazer aquisições de terrenos para pôr em marcha novos complexos cuja comercialização deverá iniciar-se dentro de dois a três anos, confessa o empresário. E no imobiliário a aposta vai para os projectos de resorts.

Além dos dois, cuja construção vai arrancar este ano, um em Óbidos e outro em Évora, a empresa quer "no mínimo" comprar mais dois terrenos, ainda em 2008, para instalar complexos turísticos com campos de golfe, apartamentos, moradias, hotéis e, se possível, também com marina, adiantou o gestor da empresa. Até porque uma das grandes ambições da MSF Tur. Im é desenvolver, de preferência em Portugal, um projecto idêntico ao da Marina de Lagos, o mais emblemático do grupo, que lhe deu a experiência na gestão deste tipo de infra-estruturas, um know-how que quer rentabilizar. Agora isso vai depender da vontade do Estado de concessionar novas marinas no País. Se a decisão demorar demasiado, o grupo admite como segunda opção de localização para um projecto destes Cabo Verde, um mercado em que já está presente com um resort cuja construção arranca este ano. O projecto da marina de Lagos, que começou a ser desenvolvido nos anos 90, já está quase concluído e "das unidades para venda apenas falta comercializar 5%", referiu José Manuel Fortunato, acrescentado que, no total, o projecto já lhe permitiu realizar um volume de negócios de 150 milhões de euros. De resto, a gestão do complexo continuará nas mãos da MSF Tur.Im, uma prática que aliás quer manter em todos os projectos que venha a desenvolver.

Quanto à localização exacta dos terrenos a comprar este ano para a instalação de resorts, o gestor não se quis pronunciar, apenas assegura que "se situarão sempre numa zona para baixo da Figueria da Foz".

A norte do País a MSF Tur. Im só está a negociar a aquisição de um espaço no centro do Porto para desenvolver um projecto residencial, mas também com alguma componente de comércio. Ainda em relação ao resorts, diz apenas que serão projectos de grande impacto económico, que com tal deverão ser considerados PIN (de interesse nacional), como os de Óbidos e Évora.
 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +15/-0
(sem assunto)
« Responder #34 em: Janeiro 18, 2008, 02:39:20 pm »
Hotéis do Alentejo ultrapassam um milhão de dormidas anuais

Citar
Os hotéis do Alentejo ultrapassaram a barreira de um milhão de dormidas vendidas em 2007, entre Janeiro e Novembro, o que supera «largamente» os valores registados em anos anteriores, revelou hoje a agência Turismo do Alentejo.

A agência regional de promoção turística, aludindo a números do Instituto Nacional de Estatística (INE), refere que o número de dormidas, em termos absolutos, foi ligeiramente superior a um milhão, contribuindo os hotéis directamente para a actividade económica da região com uma receita superior a 55 milhões de euros.

Só em Novembro, os estabelecimentos hoteleiros, sem contar com a actividade das unidades de turismo em espaço rural e com a dos parques de campismo, registaram mais de 48 mil hóspedes, que efectuaram um número superior a 77 mil dormidas.

Os valores registados nesse mês, destaca a agência, permitem concluir que o Alentejo apresentou uma evolução «muito interessante» ao longo do ano passado.

Entre Janeiro e o penúltimo mês de 2007, refere a mesma entidade, a região subiu «mais de 11,3% no número de turistas, 12,2% nas dormidas por estes efectuadas em hotéis e 24,1% nos proveitos totais gerados».

«Esta informação confirma a tendência deste último ano, com o Alentejo a receber mais turistas, que permaneceram na região, em média, mais tempo e despenderam mais dinheiro», resume a Turismo do Alentejo.

Em termos globais, em Novembro, segundo os dados divulgados pela agência regional, o Alentejo captou 1,1% do total das dormidas de estrangeiros registadas em Portugal e 7,2% das efectuadas por nacionais.

Diário Digital / Lusa

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #35 em: Janeiro 18, 2008, 06:00:52 pm »
Turismo:Grupo Vila Galé aumenta 9% receitas em 2007 para 69,2 ME


Citar
Lisboa, 18 Jan (Lusa) - O Grupo Vila Galé registou um crescimento de nove por cento nas receitas em 2007 face a 2006, ao atingir 69,2 milhões de euros, anunciou hoje a empresa de hotelaria.

Em comunicado divulgado no âmbito da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) que decorre até domingo, o grupo liderado por Jorge Rebelo de Almeida refere que as oito unidades do Algarve contribuíram com receitas de 38,3 milhões de euros, mais 4,4 por cento que em 2006.

No sector de "Food & Beverage" (alimentação e bebidas), nos restaurantes dos seus hotéis, as receitas acumuladas de 2007 cifram-se em 22,2 milhões de euros, mais 8,3 por cento que em 2006.

Em termos de RevPar (receita por quarto disponível), a Vila Galé apresentou uma subida de 5,5 por cento em 2007, acrescenta o comunicado.

Quanto à taxa de ocupação média em 2007, foi de 71,7 por cento contra 67,2 por cento um ano antes.

Segundo a informação do grupo, o crescimento da ocupação está em linha com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), que aponta para uma subida de 5,8 por cento da ocupação entre Janeiro e Outubro, e com as estimativas da AHETA (Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve) com uma subida de cerca de cinco por cento.

O grupo Vila Galé tem actualmente 18 unidades hoteleiras, 15 em Portugal (Algarve, Beja, Cascais, Ericeira, Estoril, Lisboa, Porto e Madeira) e três no Brasil (Fortaleza, Bahia e Gaurajuba), num total de 9.500 camas.

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +15/-0
(sem assunto)
« Responder #36 em: Janeiro 19, 2008, 07:52:02 pm »
Pensões, motéis e estalagens vão acabar

Citar
As pensões, estalagens e motéis vão oficialmente acabar, reduzindo-se  as categorias hoteleiras previstas na lei. Os estabelecimentos  que não quiserem fazer um upgrade e passar a «Hotéis» serão integrados numa nova rede com  a designação  de «Alojamento Local»
 
Estalagens, motéis, pensões, hospedarias e albergarias são algumas das tipologias de alojamento que vão desaparecer com a revisão da lei dos empreendimentos turísticos, aprovada recentemente em Conselho de Ministros.

Em entrevista ao SOL, o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, explica que na nova legislação se passará das actuais 21 para 11 categorias, caindo ainda denominações como casas de turismo rural ou de aldeia, centros de acolhimento e casas-retiro.

Embora possam continuar a usar estas designações no nome dos estabelecimentos, os proprietários terão um prazo de dois anos para efectuar a conversão para outra categoria que continue a existir – hotel, hotel-apartamento, empreendimento turístico no espaço rural, aldeamentos  ou apartamentos turísticos, por exemplo. Caso não queiram fazer um upgrade da sua unidade, podem optar por ingressar numa nova modalidade, denominada Alojamento Local. Esta categoria «visa integrar as designadas camas paralelas, que estavam fora do circuito formal, com um prejuízo tremendo na economia do turismo», detalha o responsável, frisando que Portugal tem de apostar na qualidade.

No mesmo sentido, nas várias portarias que vão completar o diploma, e que estão a ser elaboradas, serão definidos requisitos físicos, relativos às infra-estruturas, higiene e segurança, e qualitativos, referentes ao serviço prestado,  para classificar cada unidade, entre uma e cinco estrelas.

SOL

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #37 em: Janeiro 25, 2008, 12:39:38 pm »
Évora/Governo: Sócrates assiste sábado à apresentação de projectos turísticos de quase dois mil ME de investimento

Citar
Évora, 25 Jan (Lusa) - Onze novos projectos turísticos para o distrito de Évora, sobretudo para Alqueva, num volume total de investimento de quase dois mil milhões de euros, são apresentados sábado, na vila medieval de Monsaraz, numa cerimónia presidida pelo primeiro-ministro.

A sessão, incluída na iniciativa "Governo Presente" que começou hoje e passa por quatro concelhos da região de Évora, três socialistas (Évora, Reguengos de Monsaraz e Borba) e um comunista (Arraiolos), está marcada para as 11:30 de sábado, naquela vila do concelho de Reguengos de Monsaraz, nas margens de Alqueva.

Reguengos de Monsaraz é, precisamente, um dos concelhos em destaque na aposta dos investidores no turismo associado ao "Grande Lago" e no Alentejo Central, concentrando dois dos empreendimentos de "excelência" a divulgar na sessão com o primeiro-ministro, José Sócrates.

Só o Parque Alqueva prevê metade do investimento global dos 11 empreendimentos que vão ser apresentados, ou seja, mil milhões de euros, com uma implementação faseada ao longo das próximas duas décadas e a criação de dois mil postos de trabalho.

Classificado como de Potencial Interesse Nacional (PIN), o projecto é da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada pelo empresário José Roquette, e o Plano de Pormenor já foi publicado em Diário da República.

Aldeamentos turísticos, hotéis, agricultura biológica, campos de golfe e de férias, centros equestres, de conferências e de desportos náuticos e unidades de saúde são algumas das valências previstas.

Outro dos projectos das zonas de Reguengos de Monsaraz e de Alqueva é o da Herdade do Barrocal, também classificado como PIN e com um investimento previsto de 90 milhões de euros, tendo o respectivo Plano de Pormenor sido igualmente aprovado.

O investimento, resultante de uma parceria entre a família de Maria do Carmo Martins Pereira e o grupo Aquapura, constituído por António Mexia, Diogo Vaz Guedes e Miguel Simões de Almeida, prevê um hotel, unidades de alojamento e agricultura biológica.

"O Parque Alqueva aguarda a declaração de utilidade pública dos terrenos e, depois, seguem-se os processos de licenciamento, para o início das obras das infra-estruturas no segundo trimestre deste ano", disse hoje à agência Lusa o vice-presidente do município, José Gabriel Calixto.

Já o da Herdade do Barrocal, após publicação do Plano de Pormenor, revelou, entrará na fase de elaboração e posterior licenciamento pela autarquia dos planos de execução das infra-estruturas, para o arranque das obras também no "segundo trimestre".

No concelho vizinho, Mourão, deverão "nascer" outros dois projectos turísticos, um na Herdade das Ferrarias (75 milhões de euros), fruto de uma parceria da Guadiana Parque, SA e do Grupo Bernardino Gomes, e outro na Herdade do Mercador, a cargo do grupo Sousa Cunhal (120 milhões de euros).

O da Guadiana Parque, segundo um dos promotores, José Gil Duarte, conta arrancar as obras este ano (para funcionar em 2011) e compreende um hotel, zona desportiva, aldeamento turístico, "Medical SPA", com tratamentos alternativos, centro de investigação do meio ambiente e um campo de golfe, a partilhar com a Herdade do Mercador.

O segundo, cujas obras preliminares devem arrancar "ainda este ano", para o início da comercialização em 2009 (para funcionar em 2010), prevê a construção de um hotel, aldeamentos turísticos, centro náutico, SPA e centro "Welness", disse à José Cunhal Sendim, do grupo promotor.

O mesmo grupo conta arrancar este ano com as obras de outro empreendimento turístico na região, na Herdade das Valadas, concelho de Montemor-o-Novo, num investimento de 45 milhões de euros, com um aldeamento turístico de cinco estrelas (132 moradias), SPA, restaurante, heliporto, espaços verdes, pomares de citrinos, uma área de vinha com cerca de nove hectares e uma pequena adega.

O concelho capital de distrito, Évora, tem quatro projectos turísticos englobados na cerimónia de sábado, um deles, o Évora Resort, de 250 milhões de euros, promovido pela Frontino, do empresário Jaime Antunes, na Herdade Sousa da Sé e que, com a publicação do novo Plano Director Municipal (PDM), vai poder avançar.

Dois hotéis, residências turísticas e um complexo de desporto ao ar livre, com um campo de golfe, centro de estágio e centro hípico, circuito de antas, actividades agropecuárias, vinha e um montado de azinheiras são algumas das valências a concretizar a partir deste ano, durante uma década, para o início do funcionamento em 2010.

Já a Herdade dos Almendres, da sociedade agrícola do mesmo nome, envolve um investimento de 100 a 150 milhões de euros e prevê um hotel, um aparthotel e um conjunto de moradias, além do campo de golfe.

Além destes dois empreendimentos rurais, Évora vai ter dois novos hotéis de luxo na cidade, um do grupo Vila Galé (20 milhões de euros de investimento), com 207 quartos e abertura prevista para 2010, e outro da Sociedade Hoteleira do Arez (quase seis milhões de euros), com 62 quartos e que permitiu recuperar e reabilitar um antigo palácio do centro histórico.

O concelho do Redondo também tem um empreendimento englobado na lista de 11 projectos turísticos, na Herdade da Palheta e da responsabilidade do grupo Atlântica (100 milhões de euros), já com obras no terreno, com um hotel Vila Sol, campo de golfe, turismo imobiliário e várias opções de lazer.

Por último, o concelho do Alandroal, através de uma empresa municipal de capitais mistos, vai aplicar 20 milhões de euros na recuperação e reabilitação da antiga Fortaleza de Juromenha, criando 71 habitações, para aluguer turístico e venda.

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #38 em: Janeiro 26, 2008, 09:34:12 pm »
Évora/Governo: Projectos turísticos de excelência vão criar 3.754 postos de trabalho

Citar
Monsaraz, Évora, 26 Jan (Lusa) - O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje que os complexos turísticos projectados para o distrito de Évora, sobretudo para o Alqueva, são da "maior importância", devido ao peso nacional do sector para o emprego, exportações e investimento.

José Sócrates falava no final de uma sessão, hoje realizada na vila medieval de Monsaraz, onde foram apresentados 11 novos projectos turísticos de "excelência" para o distrito de Évora, num investimento de quase dois mil milhões de euros e que prevêem a criação de 3.754 postos de trabalho.

"Estes projectos turísticos, com grande qualidade ambiental, são da maior importância", disse Sócrates, destacando o peso económico da actividade turística em Portugal.

"É importante para o emprego, para as exportações e para o investimento", afirmou.

O primeiro-ministro lembrou que a região possui apenas, actualmente, um hotel de cinco estrelas.

Depois de concretizados os projectos hoje apresentados e sem contar com os resorts previstos para o litoral alentejano, vão surgir no distrito de Évora dez novos hotéis de cinco estrelas.

"Isto quer dizer uma mudança quantitativa, mas esta é de tal significado que representará uma mudança qualitativa", salientou.

O Chefe do Governo enumerou ainda outros investimentos públicos em curso ou projectados para o Alentejo, como a ligação ferroviária de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, atravessando o Alentejo, o aeroporto de Beja e complexo industrial e portuário de Sines.

Os onze novos projectos turísticos previstos para o distrito de Évora, sobretudo para Alqueva, representam um investimento total de 1,8 mil milhões de euros.

Quatro dos complexos estão projectados para Évora, dois para Reguengos de Monsaraz e outros dois para Mourão, estando os restantes previstos para Alandroal, Redondo e Montemor-o-Novo.

A apresentação dos projectos foi incluída na iniciativa "Governo Presente" que começou sexta-feira e termina hoje com passagens por quatro concelhos da região de Évora, três socialistas (Évora, Reguengos de Monsaraz e Borba) e um comunista (Arraiolos).

Reguengos de Monsaraz é um dos concelhos em destaque na aposta dos investidores no turismo associado ao "Grande Lago" e no Alentejo Central, concentrando dois dos empreendimentos de "excelência".

Só o Parque Alqueva prevê metade do investimento global dos 11 empreendimentos que foram apresentados, ou seja, mil milhões de euros, com uma implementação faseada ao longo das próximas duas décadas e a criação de dois mil postos de trabalho.

Classificado como de Potencial Interesse Nacional (PIN), o projecto é da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada pelo empresário José Roquette, e o Plano de Pormenor já foi publicado em Diário da República.

Aldeamentos turísticos, hotéis, agricultura biológica, campos de golfe e de férias, centros equestres, de conferências e de desportos náuticos e unidades de saúde são algumas das valências previstas.

Outro dos projectos das zonas de Reguengos de Monsaraz e de Alqueva é o da Herdade do Barrocal, também classificado como PIN e com um investimento previsto de 90 milhões de euros, tendo o respectivo Plano de Pormenor sido igualmente aprovado.

O investimento, resultante de uma parceria entre a família de Maria do Carmo Martins Pereira e o grupo Aquapura, constituído por António Mexia, Diogo Vaz Guedes e Miguel Simões de Almeida, prevê um hotel, unidades de alojamento e agricultura biológica.

"O Parque Alqueva aguarda a declaração de utilidade pública dos terrenos e, depois, seguem-se os processos de licenciamento, para o início das obras das infra-estruturas no segundo trimestre deste ano", disse hoje à agência Lusa o vice-presidente do município, José Gabriel Calixto.

Já o da Herdade do Barrocal, após publicação do Plano de Pormenor, revelou, entrará na fase de elaboração e posterior licenciamento pela autarquia dos planos de execução das infra-estruturas, para o arranque das obras também no "segundo trimestre".

No concelho vizinho, Mourão, deverão "nascer" outros dois projectos turísticos, um na Herdade das Ferrarias (75 milhões de euros), fruto de uma parceria da Guadiana Parque, SA e do Grupo Bernardino Gomes, e outro na Herdade do Mercador, a cargo do grupo Sousa Cunhal (120 milhões de euros).

O da Guadiana Parque, segundo um dos promotores, José Gil Duarte, conta arrancar as obras este ano (para funcionar em 2011) e compreende um hotel, zona desportiva, aldeamento turístico, "Medical SPA", com tratamentos alternativos, centro de investigação do meio ambiente e um campo de golfe, a partilhar com a Herdade do Mercador.

O segundo, cujas obras preliminares devem arrancar "ainda este ano", para o início da comercialização em 2009 (para funcionar em 2010), prevê a construção de um hotel, aldeamentos turísticos, centro náutico, SPA e centro "Welness", disse à José Cunhal Sendim, do grupo promotor.

O mesmo grupo conta arrancar este ano com as obras de outro empreendimento turístico na região, na Herdade das Valadas, concelho de Montemor-o-Novo, num investimento de 45 milhões de euros, com um aldeamento turístico de cinco estrelas (132 moradias), SPA, restaurante, heliporto, espaços verdes, pomares de citrinos, uma área de vinha com cerca de nove hectares e uma pequena adega.

O concelho capital de distrito, Évora, tem quatro projectos turísticos, um deles, o Évora Resort, de 250 milhões de euros, promovido pela Frontino, do empresário Jaime Antunes, na Herdade Sousa da Sé e que, com a publicação do novo Plano Director Municipal (PDM), vai poder avançar.

Dois hotéis, residências turísticas e um complexo de desporto ao ar livre, com um campo de golfe, centro de estágio e centro hípico, circuito de antas, actividades agropecuárias, vinha e um montado de azinheiras são algumas das valências a concretizar a partir deste ano, durante uma década, para o início do funcionamento em 2010.

Já a Herdade dos Almendres, da sociedade agrícola do mesmo nome, envolve um investimento de 100 a 150 milhões de euros e prevê um hotel, um aparthotel e um conjunto de moradias, além do campo de golfe.

Além destes dois empreendimentos rurais, Évora vai ter dois novos hotéis de luxo na cidade, um do grupo Vila Galé (20 milhões de euros de investimento), com 207 quartos e abertura prevista para 2010, e outro da Sociedade Hoteleira do Arez (quase seis milhões de euros), com 62 quartos e que permitiu recuperar e reabilitar um antigo palácio do centro histórico.

O concelho do Redondo também tem um empreendimento englobado na lista de 11 projectos turísticos, na Herdade da Palheta e da responsabilidade do grupo Atlântica (100 milhões de euros), já com obras no terreno, com um hotel Vila Sol, campo de golfe, turismo imobiliário e várias opções de lazer.

Por último, o concelho do Alandroal, através de uma empresa municipal de capitais mistos, vai aplicar 20 milhões de euros na recuperação e reabilitação da antiga Fortaleza de Juromenha, criando 71 habitações, para aluguer turístico e venda.

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #39 em: Fevereiro 02, 2008, 12:06:04 am »
Turismo: Portugal eleito o melhor stand da Fitur 2008


Citar
Lisboa, 01 Fev (Lusa) - O stand do Turismo de Portugal foi eleito o melhor espaço da FITUR 2008, uma das mais importantes feiras do sector a nível mundial que decorre em Madrid até domingo e onde estão representados 170 países.

"Está é uma maneira nova de transmitir a imagem de um Portugal que não se resume a história, sol e praia. É a imagem de um Portugal moderno com cidades animadas, desporto e cultura, um país cuja oferta turística vai melhorar de forma impressionante nos próximos anos", disse à agência Lusa o ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho.

O Stand do Turismo de Portugal representa um investimento de um milhão de euros e ocupa uma área de 1.503 metros quadrados, onde estão presentes sete Agências de Promoção Turística, 11 Projectos de Interesse Nacional (PIN) e 45 empresas.

Além disso, estão também representadas no mesmo espaço cinco instituições de referência da cultura portuguesa, como a Casa da Música, a Fundação de Serralves, o Centro Cultural de Belém (CCB), o Museu Colecção Berardo e a Fundação Calouste Gulbenkian, que participam este ano pela primeira vez e de forma inovadora, numa feira de turismo.

"A melhor forma de contrariar a conjuntura internacional não é fazer discursos, é ir para o terreno com os empresários do turismo e dos outros sectores exportadores. A minha atitude é essa", frisou à Lusa Manuel Pinho, que nas próximas semanas irá encontrar-se ainda com os criadores portugueses de moda em Paris e os industriais do calçado em Milão.

Segundo o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, o prémio agora alcançado na 28ª edição da Fitur "reforçou e muito a imagem e projecção turística de Portugal".

"Num sector que representa mil milhões de euros de receitas, a Fitur é o palco por excelência para apresentação da nossa oferta turística. A comunicação deste prémio em Espanha vai suscitar o interesse por Portugal dos milhares de pessoas que visitam a feira [são esperados 250 mil visitantes]", sublinhou Bernardo Trindade.

De acordo com o secretário de Estado, "o prémio é ainda a consequência lógica do belíssimo trabalho a ser feito em Portugal onde a iniciativa privada e a administração pública têm relacionamento positivo".

O ministro da Economia esteve presente nos primeiros dois dias da feira internacional, onde apresentou a edição 2008 do programa Allgarve e a campanha de publicidade para Espanha, "um mercado considerado estratégico para Portugal".

Os stands premiados na FITUR, na qual participam 13.500 empresas, são avaliados com base no reconhecimento do esforço dos expositores (profissionalismo e adaptação do espaço às necessidades de comunicação de cada produto), comunicação (identificação do stand com a imagem e o produto) e desenho (valorização da originalidade e da inovação do espaço).

O júri do Comité Organizador da FITUR, composto por representantes de agências de viagens, arquitectos, operadores turísticos e encenadores, atribuiu este ano o Prémio País, por unanimidade, ao Stand concebido pelo Turismo de Portugal.

De acordo com um comunicado do Turismo de Portugal, os reis de Espanha, Juan Carlos e Sofia, que visitaram o stand de Portugal no dia da inauguração, a 30 de Janeiro, elogiaram a obra exposta da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, um dos rostos da campanha internacional "Portugal: Europe´s West Coast".

O Prémio Stand País foi também atribuído à Costa Rica e à Argentina. Os premiados das Comunidades Autónomas de Espanha foram Madrid, Canárias e Catalunha.

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +15/-0
(sem assunto)
« Responder #40 em: Fevereiro 07, 2008, 06:41:19 pm »
Ministro da Economia faz 6ª feira balanço de 5 novos hotéis no Algarve, investimento de 928 M€

Citar
O ministro da Economia faz sexta-feira um balanço de cinco novos hotéis que estão a ser construídos no Algarve, empreendimentos que representam um investimento global de 928 milhões de euros, com capacidade para gerar 1.889 postos de trabalho.

De acordo com a informação divulgada pelo gabinete de Manuel Pinho, esta visita, que terá a duração de dois dias, realiza-se no âmbito da iniciativa "Economia Presente", lançada no último trimestre de 2007 pelo ministro, com o objectivo de acompanhar projectos e estar em contacto com as autoridades locais.

A visita do ministro da Economia terá início às 09:45 no hotel Palácio Valverde, na Quinta do Lago, em Loulé.

Este empreendimento, que representa um investimento global de 89 milhões de euros, deverá criar 114 empregos, estando prevista para 2009 a entrada em funcionamento.

A comitiva dirige-se depois para o hotel Tivoli Victoria, em Loulé, um investimento de 48 milhões de euros, que deverá criar 225 postos de trabalho.

Com uma área de quatro hectares, este empreendimento deverá entrar em funcionamento ainda este ano.

Em Lagos, o ministro fará um ponto de situação do novo Palmares Resort, uma unidade de cinco estrelas que deverá estar concluída em 2010.

Totalizando um investimento de 271 milhões de euros, este empreendimento com SPA e campo de golfe, deverá criar 430 empregos.

Ainda em Lagos, Manuel Pinho visitará o hotel Vila Galé Lagos, um empreendimento de quatro estrelas, que representará um investimento global de 20 milhões de euros.

Este empreendimento, que está pronto em 2009, deverá gerar 120 postos de trabalho.

A visita terminará na Guia, em Albufeira, no hotel-apartamento Duna dos Salgados, uma unidade hoteleira de cinco estrelas, que deverá entrar em funcionamento ainda este ano.

Este hotel-apartamento de cinco estrelas está incluído na Herdade dos Salgados, um projecto que totalizará um investimento de 500 milhões de euros e deverá criar 1.000 empregos.

No sábado, o segundo dia da deslocação ao Algarve, Manuel Pinho assiste à apresentação do projecto do Autódromo Internacional do Algarve, num evento que contará com a presença do Secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias.

Lusa

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #41 em: Fevereiro 08, 2008, 05:05:37 pm »
Hotelaria:Ocupação da região de Lisboa subiu 7,5% e preço médio 16,4% em 2007


Citar
Lisboa, 08 Fev (Lusa) - A ocupação média dos hotéis da região de Lisboa subiu 7,5 por cento em 2007 face a 2006, para 62,6 por cento, enquanto o preço médio por quarto disponível cresceu 16,4 por cento, anunciou hoje o Turismo de Lisboa.

Segundo os dados divulgados pela Associação Turismo de Lisboa, entre Janeiro e Dezembro, a taxa de ocupação média dos hotéis da região variou entre 68,3 por cento nas unidades de três estrelas e 53,9 por cento nos cinco estrelas, com acréscimos de 6,3 por cento e 5,7 por cento, respectivamente.

Quanto aos preços médios por quarto disponível (RevPar), a média foi de 44,58 euros, com os hotéis de cinco estrelas a registarem um valor de 71,7 euros, o que representa um acréscimo de 18,7 por cento face ao ano anterior, e os quatro estrelas 39 euros, mais 18,9 por cento.

O Turismo de Lisboa refere que "as subidas generalizadas na taxa de ocupação, no preço médio por quarto vendido (average) e no RevPar registadas na hotelaria de Lisboa, tanto Cidade, Região como Área Promocional em Dezembro, confirmam a boa performance do sector e a notoriedade crescente do destino, que encerrou 2007 em alta".

Na cidade de Lisboa, a ocupação média no ano passado foi de 67,8 por cento, mais 4,8 por cento que no ano anterior, com os cinco estrelas nos 58,7 por cento (menos 2,9 por cento).

O RevPar entre Janeiro e Dezembro foi de 49,1 euros, o que representa um crescimento de 15,2 por cento.

Reflexo da procura turística crescente de Lisboa, o número total de passageiros que passou pelo Aeroporto de Lisboa aumentou 5,8 por cento em Dezembro, comparativamente com o mesmo mês de 2006, tendo o número de voos crescido 4,1 por cento.

Em termos de acumulado do ano, o número de passageiros que passou pela Portela aproxima-se dos 13,4 milhões (mais 8,8 por cento do que em 2006), segundo o Turismo de Lisboa.

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #42 em: Fevereiro 08, 2008, 05:08:44 pm »
Turismo: Primeiro hotel português com serviço 6 estrelas abre no Algarve em 2009


Citar
Vilamoura, Faro 08 Fev (Lusa) - O ministro da Economia visitou esta manhã as obras do primeiro hotel português com serviço de seis estrelas e o promotor adiantou que se prevê inaugurar o empreendimento na Quinta do Lago, Algarve, no final de 2009.

Baptizado de "Palácio da Quinta Resort & Spa", o primeiro hotel com conceito de seis estrelas é um Projecto de Interesse Nacional (PIN) corresponde a um investimento de 88,63 milhões de euros e tem uma área total de construção de 61 mil metros quadrados.

O hotel apartamento de luxo, localizado num dos destinos turísticos "Top Ten" a nível mundial, vai oferecer sauna, spa e jacuzzi na varanda dentro dos apartamentos e moradias exclusivas.

Com um total de 620 camas, o empreendimento vai ter 160 quartos e 80 apartamentos (tipologias T1 e T2).

Segundo o promotor, a empresa portuguesa IMOCOM, este empreendimento será responsável por 0,22 por cento do valor acrescentado bruto regional e por 0,21 por cento do emprego regional, ou seja, oferecerá 404 postos de trabalho directo e indirecto.

O ministro da Economia e da Inovação visitou também, em Vilamoura, o empreendimento "Tivoli Victoria", um cinco estrelas que deverá estar terminado no fim deste ano ou princípio de 2009, e que está vocacionado para o golfe e as conferências e congressos.

Este projecto do Grupo Espírito Santo, que não é um PIN, vai criar, segundo os promotores "225 novos empregos directos" e vai ser um complemento "essencial" ao Tivoli Marinotel Vilamoura para consolidar a sua posição como "melhor produto resort de congressos do Algarve".

Com uma área total de 36 mil metros quadrados, este projecto vai ter 280 quartos, com um suite presidencial, 12 suites executivas e 14 suites juniores.

A área de reuniões e congressos tem 900 metros quadrados com um "ballroom" de 600 metros quadrados.

Uma garagem para os buggies com um túnel de acesso ao Victoria Golf Cours e uma zona específica para os golfistas guardarem o equipamento também é uma das mais valias deste novo projecto.

O ministro Manuel Pinho vai ainda conhecer mais três novos empreendimentos.

A visita do ministro Manuel Pinho ao Algarve insere-se na iniciativa "Economia Presente", lançada no último trimestre de 2007, e cujo objectivo é acompanhar os projectos e contactar com as autoridades locais.

Ao todo, Manuel Pinho vai visitar hoje cinco novos hotéis que estão a ser construídos no Algarve, empreendimentos que representam um investimento global de 928 milhões de euros, com capacidade para gerar 1.889 postos de trabalho.

A visita de Manuel Pinho termina sábado, o segundo dia dedicado ao "Economia Presente", onde vai assistir à apresentação do projecto do Autódromo Internacional do Algarve, num evento que contará também com a presença do Secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias.

 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #43 em: Fevereiro 15, 2008, 11:11:38 am »
Megaprojectos mudam mapa turístico



Citar
Qualidade é palavra de ordem da nova oferta hoteleira
O mapa turístico nacional está a sofrer uma autêntica revolução, com dezenas de megaempreendimentos turísticos a nascer pelo País fora, sobretudo nas regiões oeste, litoral e interior alentejano e Algarve. Nos próximos cinco anos, os estaleiros vão fazer parte da paisagem turística nacional. São muitos milhões de euros em investimentos e a promessa de criação de milhares de postos de trabalho.

Nesta autêntica revolução, o sector assiste ao despertar de uma nova região com potencial turístico - o Alqueva - e de um novo conceito na hotelaria - a venda de apartamentos dentro dos hotéis. Este conceito vai entrar no mercado pela mão do Grupo Amorim no Tróia Hotel Design. Portugal segue, assim, as novíssimas tendências mundiais no sector hoteleiro. A maior parte dos projectos são de qualidade superior, existindo um caso em que ultrapassa mesmo as categorias existentes na hotelaria nacional - o seis estrelas Palácio da Quinta, do Grupo Imocom e da cadeia hoteleira Hilton.

A maioria dos megaempreendimentos faz parte da lista dos PIN (projectos de interesse nacional). Em causa estão 37 projectos, no valor aproximado de 7,5 mil milhões de euros. Só a Herdade da Comporta, do Grupo Espírito Santo, é responsável por mais de 1,1 mil milhões de euros de investimento e a criação de seis mil postos de trabalho, com a construção de um megaldeamento com seis hotéis, três apart-hotéis, três campos de golfe, aldeamentos, campos de férias, numa área de 12 500 hectares. Este é o maior empreendimento projectado para o sector, seguindo-se por volume de investimento o projecto Parque Alqueva, em Reguengos de Monsaraz, da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações Turismo, do empresário José Roquette, no valor de 940 milhões, e a criação de 2103 postos de trabalho. Évora assistiu recentemente à apresentação de onze projectos PIN, que no conjunto envolvem um investimento superior a 1,8 mil milhões e 3754 novos empregos.

Contudo, o Algarve é a região que concentra a maioria dos projectos turísticos. A inovação aliada à qualidade impera e a Cidade Lacustre, um complexo residencial em Vilamoura, promovido pelo Grupo Lusort, que assenta num conjunto residencial de vivendas rodeadas por canais de água e lagos, ameaça transformar-se no novo centro nevrálgico de Vilamoura.

Dos projectos PIN para o Algarve destacam-se o Palmares Resort, do grupo Onyria, em Lagos, que envolve a construção de um aldeamento turístico, num investimento de 271 milhões, e a criação de 430 empregos. Também o resort Terras da Verdelago, do Grupo Inland, ligado ao presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, se destaca pela grandeza. Trata-se de um projecto que envolve um investimento de 200 milhões e prevê a construção de um hotel, um aldeamento turístico e um campo de golfe.

A região do Oeste vai também receber, nos próximos anos, novos empreendimentos, na sua grande maioria com campos de golfe. Calcula-se que a região assista à criação de mais de dez mil postos de trabalho. Há uns anos, a região não despertava as atenções do turismo, até ao arranque do Praia D'El Rey Marriott Golf & Beach Resort, em Óbidos, considerado o grande responsável pelo despertar das atenções sobre a região. Entre os vários projectos que elegeram o Oeste, encontra-se o Campo Real, em Torres Vedras, estando já projectado um novo investimento - o The Vineyards, que prevê um boutique--hotel de cinco estrelas, 326 unidades habitacionais, num montante calculado em 135 milhões, da responsabilidade do grupo Orizon. A maioria dos megaempreendimentos assenta a sua estratégia no golfe, que em 2006 já representou 1,8 mil milhões de euros, 1,25% do PIB português.
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #44 em: Fevereiro 21, 2008, 04:59:44 pm »
Turismo: Número turistas italianos e receitas deverão crescer entre 10 a 15% este ano em Portugal - Bernardo Trindade

Citar
Lisboa, 21 Fev (Lusa) - O número de turistas italianos em Portugal e respectivas receitas deverão crescer entre 10 a 15 por cento este ano, impulsionado pelo aumento de ligações aéreas, disse hoje à Lusa o secretário de Estado do Turismo.

Bernardo Trindade está hoje em Milão, Itália, no âmbito da BIT 2008, a maior feira italiana de turismo, que decorre até 24 de Fevereiro e onde Portugal está representado.

Itália, que é o oitavo mercado emissor de turistas para Portugal, representa um milhão de dormidas, 400 mil turistas e 200 milhões de euros de receitas, segundo dados da secretaria de Estado do Turismo.

Actualmente existem 114 ligações aéreas semanais entre Itália e Portugal.

"Com este número de frequências, algumas delas arrancaram no final do ano como Porto-Milão, Porto-Pisa ou Porto-Bergamo e com taxas de ocupação muito interessantes, estimamos um crescimento de 10 a 15 por cento em termos de turistas e receitas este ano", adiantou à Lusa o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade.

"A Itália é um mercado onde apostamos fortemente", sublinhou o responsável pela pasta do Turismo.

Na ligação Milão-Lisboa, que é realizada pela companhia de baixo custo (low-cost) EasyJet, "as taxas de ocupação estão acima do esperado", exemplificou o governante, que destacou também o papel da TAP, que assegura "84 frequências semanais" para Itália.

No âmbito da BIT 2008, o secretário de Estado tem tido encontros com vários operadores turísticos italianos e, até ao momento, "o balanço tem sido muito positivo", já que existe um interesse no destino Portugal, acrescentou Bernardo Trindade.

Entre as várias entidades com os quais esteve reunido está a operadora turística King Holidays, que a partir de Junho vai assegurar "uma ligação semanal, ou seja, um voo charter, entre Milão e Ponta Delgada, Açores", acrescentou o governante.

Bernardo Trindade avançou também a possibilidade de haver um aumento no número de frequências entre Milão e Porto Santo, Madeira, uma vez que "este ano vai haver um acréscimo da oferta turística com duas unidades de cinco estrelas", o Pestana Dunas e o Colombos Resort.

Para o secretário de Estado as perspectivas em relação ao mercado italiano são positivas.

Actualmente, metade dos turistas italianos prefere Lisboa como destino.

Por isso, Bernardo Trindade defendeu que a aposta para este ano é continuar a consolidar Lisboa como destino e diversificar as ofertas, ajudadas pelas ligações aéreas, com enfoque nas regiões autónomas (Madeira e Açores) e o Porto.

"Denota-se um grande interesse no destino Portugal", concluiu Bernardo Trindade.

O investimento na promoção de Portugal em Itália é de 400 mil euros, montante que está a cargo do Turismo de Portugal e das Regiões.

 

 

Sector público nacional melhorou nos anos 90

Iniciado por Tiger22

Respostas: 0
Visualizações: 1598
Última mensagem Fevereiro 06, 2004, 02:12:50 am
por Tiger22
Sector da Saude - Hospitais, etc..

Iniciado por Marauder

Respostas: 131
Visualizações: 25407
Última mensagem Abril 09, 2019, 05:37:51 pm
por Lusitano89
Sector da Agricultura e pecuária

Iniciado por Marauder

Respostas: 12
Visualizações: 4541
Última mensagem Dezembro 25, 2006, 06:54:01 pm
por Luso
Sector da Imprensa Escrita

Iniciado por TOMKAT

Respostas: 0
Visualizações: 1638
Última mensagem Agosto 31, 2006, 01:04:22 am
por TOMKAT
Sector Aeroportuario/Aeronautica

Iniciado por Malagueta

Respostas: 205
Visualizações: 37234
Última mensagem Agosto 15, 2019, 03:57:47 pm
por Lusitaniae