Artilharia do Exército

  • 366 Respostas
  • 118483 Visualizações
*

dc

  • Especialista
  • ****
  • 1147
  • Recebeu: 225 vez(es)
  • Enviou: 32 vez(es)
  • +52/-20
Re: Artilharia do Exército
« Responder #360 em: Abril 12, 2019, 12:56:16 pm »
Pessoal do EP foi recentemente a Espanha ver os NASAMS em ação...

Cumprimentos,

Foram especificamente ver o NASAMS?
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4119
  • Recebeu: 1954 vez(es)
  • Enviou: 746 vez(es)
  • +549/-71
Re: Artilharia do Exército
« Responder #361 em: Novembro 03, 2019, 08:42:56 pm »
The Portuguese Army is considering to add a few improvements to its BAE Systems M119 Light Gun 105mm lightweight towed howitzers. They are essentially fielded by the Rapid Reaction Brigade.



https://twitter.com/Defence360/status/1190714145508929538

PS Já não era sem tempo e já agora bem podiam adquirir mais três BBF´s para completar o ramalhete e ficarmos com dois GAC's 10,5.

Abraços
 

*

Major Alvega

  • Perito
  • **
  • 593
  • Recebeu: 502 vez(es)
  • Enviou: 263 vez(es)
  • +326/-118
Re: Artilharia do Exército
« Responder #362 em: Novembro 03, 2019, 11:12:44 pm »
 As melhorias deve ser de certeza a introdução do LINAPS ou idêntico. Coisa que já é de uso corrente há mais de uma década nos sistema de obuses LG da NATO e não só.
Como já é hábito, chegamos sempre com 15 anos de atraso.
 
« Última modificação: Novembro 03, 2019, 11:16:17 pm por Major Alvega »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4119
  • Recebeu: 1954 vez(es)
  • Enviou: 746 vez(es)
  • +549/-71
Re: Artilharia do Exército
« Responder #363 em: Novembro 04, 2019, 08:08:05 am »
As melhorias deve ser de certeza a introdução do LINAPS ou idêntico. Coisa que já é de uso corrente há mais de uma década nos sistema de obuses LG da NATO e não só.
Como já é hábito, chegamos sempre com 15 anos de atraso.

se fossem só quinze anos…….
 

*

zocuni

  • Especialista
  • ****
  • 1058
  • Recebeu: 20 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +26/-2
Re: Artilharia do Exército
« Responder #364 em: Novembro 04, 2019, 09:00:27 am »
Finalmente leio algo a respeito de melhorar nossa jurássica ou inexistente artilharia quem sabe os ventos melhoram.Embora tenha um outro conceito de onde os meios estão alocados quanto aos obuses em si nada contra para a BRR.Deve envolver algo com sistemas de fogo controlado que sim já deveriamos ter faz muito tempo mas mais vale tarde que nunca.
Quanto a quem entende que gastar dinheiro em artilharia não faz sentido porque não temos um inimigo visível podem ter alguma razão mas as coisas podem mudar e tudo muda neste mundo e em segundos.
Já agora algo previsto para obuses de 155 mm?
« Última modificação: Novembro 04, 2019, 09:10:08 am por zocuni »
zocuni
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4119
  • Recebeu: 1954 vez(es)
  • Enviou: 746 vez(es)
  • +549/-71
Re: Artilharia do Exército
« Responder #365 em: Novembro 04, 2019, 09:24:14 am »
Finalmente leio algo a respeito de melhorar nossa jurássica ou inexistente artilharia quem sabe os ventos melhoram.Embora tenha um outro conceito de onde os meios estão alocados quanto aos obuses em si nada contra para a BRR.Deve envolver algo com sistemas de fogo controlado que sim já deveriamos ter faz muito tempo mas mais vale tarde que nunca.
Quanto a quem entende que gastar dinheiro em artilharia não faz sentido porque não temos um inimigo visível podem ter alguma razão mas as coisas podem mudar e tudo muda neste mundo e em segundos.
Já agora algo previsto para obuses de 155 mm?

Nada de nada sobre os substitutos dos M114, que continuam, erradamente, a fornecer o apoio de fogos, á BrigInt.

A maior lacuna das nossas Forças de defesa terrestre, são a enorme falta de peças/obuses tanto da artilharia de campanha como na Artilharia Anti Aérea.
Os apenas 21 obuses de 10,5 são notoriamente insuficientes para o apoio directo ás unidades de manobra que vamos tendo.
O levantamento de um 2º GAC faria com que possuíssemos pelo menos seis BBF's daquele calibre que dariam para o apoio directo a seis BatInf, ou seja duas Brigadas de infantaria.
O erro crasso de utilizar os 15,5 como apoio directo dos batalhões da Brigada de Intervenção, deve-se á falta de 10,5 para essa missão.

Quanto á AAA, essa então nada tem digno desse nome para ser usado como protecção das nossas FoDeTe na artilharia anti aérea os nossos meios não são obsoletos, são pura e simplesmente inexistentes !!!

Quanto ao conceito da BRR, bem aí o meu conceito choca com a grande maioria dos foristas, para mim a BRR deveria ser a reserva estratégica das FFAA, depender directamente do CEMGFA, e não uma brigada do Exército.
A BRR, deveria ser composta pelos três Ramos das FFAA, e, ter componentes para intervir em todos os Possíveis TO's, fossem eles de acesso por via  terrestre, aérea ou marítima, e para tal seria constituída por 1 X BCmds + 1 X BPara + 03 X FFZ ( BLD), sendo que cada Ramo forneceria os respectivos  equipamentos de apoio, e transportes, Viaturas, Aeronaves e Navios a fim de deslocar a sua componente da BRR, mas isto sou eu a pensar alto.

Abraços
« Última modificação: Novembro 04, 2019, 09:37:21 am por tenente »
 

*

zocuni

  • Especialista
  • ****
  • 1058
  • Recebeu: 20 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +26/-2
Re: Artilharia do Exército
« Responder #366 em: Novembro 04, 2019, 09:49:53 am »
Finalmente leio algo a respeito de melhorar nossa jurássica ou inexistente artilharia quem sabe os ventos melhoram.Embora tenha um outro conceito de onde os meios estão alocados quanto aos obuses em si nada contra para a BRR.Deve envolver algo com sistemas de fogo controlado que sim já deveriamos ter faz muito tempo mas mais vale tarde que nunca.
Quanto a quem entende que gastar dinheiro em artilharia não faz sentido porque não temos um inimigo visível podem ter alguma razão mas as coisas podem mudar e tudo muda neste mundo e em segundos.
Já agora algo previsto para obuses de 155 mm?

Nada de nada sobre os substitutos dos M114, que continuam, erradamente, a fornecer o apoio de fogos, á BrigInt.

A maior lacuna das nossas Forças de defesa terrestre, são a enorme falta de peças/obuses tanto da artilharia de campanha como na Artilharia Anti Aérea.
Os apenas 21 obuses de 10,5 são notoriamente insuficientes para o apoio directo ás unidades de manobra que vamos tendo.
O levantamento de um 2º GAC faria com que possuíssemos pelo menos seis BBF's daquele calibre que dariam para o apoio directo a seis BatInf, ou seja duas Brigadas de infantaria.
O erro crasso de utilizar os 15,5 como apoio directo dos batalhões da Brigada de Intervenção, deve-se á falta de 10,5 para essa missão.

Quanto á AAA, essa então nada tem digno desse nome para ser usado como protecção das nossas FoDeTe na artilharia anti aérea os nossos meios não são obsoletos, são pura e simplesmente inexistentes !!!

Quanto ao conceito da BRR, bem aí o meu conceito choca com a grande maioria dos foristas, para mim a BRR deveria ser a reserva estratégica das FFAA, depender directamente do CEMGFA, e não uma brigada do Exército.
A BRR, deveria ser composta pelos três Ramos das FFAA, e, ter componentes para intervir em todos os Possíveis TO's, fossem eles de acesso por via  terrestre, aérea ou marítima, e para tal seria constituída por 1 X BCmds + 1 X BPara + 03 X FFZ ( BLD), sendo que cada Ramo forneceria os respectivos  equipamentos de apoio, e transportes, Viaturas, Aeronaves e Navios a fim de deslocar a sua componente da BRR, mas isto sou eu a pensar alto.

Abraços

De acordo não penso muito diferente disso somente sou mais simplista no conceito.Para mim podem vir com inúmeros argumentos mas para mim esse Light Gun de 10,5 deveriam estar nos fuzileiros navais nos Paraquedistas também nada contra mas ,e vêm com a estória que não há pessoal para operar,sim não há então que arranjem.
O RA 4 e o RA 5 operariam as tais 6 batarias de 15,5 como mencionas por exemplo,isse considero o minímo pois num cenário ideal teria mais RA.
En termos de BAAA então o cenário é de um deserto absoluto temos de começar quase do zero,mas sai caro sim é facto mas ou se tem ou não se tem fazer de conta para passar que algo existe para mim é enganação.
Pois falas e muito bem de não termos meios logisiticos para nada sobretudo marítimos e aéreos mas é acabar com o pensamento de rabo na boca que não temos porque nada temos para levar e se tivermos vai dar um trabalho do caraças para isso funcionar,é preciso investimento e vontade de algo acontecer,mas andamos para aqui a nos enganar ,parecemos uns líricos.
zocuni
 

 

Unidades do Exército a "criar"

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 0
Visualizações: 2733
Última mensagem Junho 16, 2006, 01:28:18 pm
por PereiraMarques
Qual deveria ser a prioridade para o Exército até 2015-2020?

Iniciado por HSMW

Respostas: 265
Visualizações: 44544
Última mensagem Maio 04, 2016, 04:47:56 pm
por paraquedista
Glock 17 Gen5 FS Coyote - a nova pistola do Exército Português

Iniciado por ACADO

Respostas: 4
Visualizações: 1158
Última mensagem Outubro 19, 2019, 07:33:59 pm
por tenente
Novo sistema Anti-Carro para o Exército

Iniciado por typhonman

Respostas: 2
Visualizações: 2557
Última mensagem Julho 27, 2004, 09:27:57 pm
por Spectral
Exército Português volta a querer adquirir o EC 635T1

Iniciado por coleccionador

Respostas: 8
Visualizações: 5938
Última mensagem Setembro 20, 2004, 07:11:29 pm
por Ricardo Nunes