Os benefícios da política agrícola da EU

  • 4 Respostas
  • 1586 Visualizações
*

dremanu

  • Investigador
  • *****
  • 1261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +7/-12
Os benefícios da política agrícola da EU
« em: Novembro 05, 2005, 04:41:00 pm »
Farmer prince reaps EU subsidies

By Adam Sage
TimesOnline
 
Prince Albert II of Monaco, whose fortune is estimated at €2 billion (£1.4 billion), received €287,308 in subsidies from the European Union Common Agricultural Policy last year.

The Prince was given the grants for the 700 hectares (1,730 acres) of farmland he owns in northern France. He is among the 24 biggest recipients of CAP subsidies in France, according to a study by the World Economy Group. Another farmer, who has 1,733 hectares of rice fields, was paid €866,290, researchers found.
 
“The bigger you are, the more you get,” La Tribune, the French daily, stated. “Is it right that European subsidies should be used to fill the accounts of luxury car dealerships in cereal-growing regions?” French farmers received €9.39 billion in European subsidies last year — more than any other country. British farmers received €3.99 billion.

Tony Blair has urged reform of Europe’s agricultural policies but President Chirac is resisting him. The Queen received £545,897 in subsidies under the CAP last year and the Prince of Wales received £225,465.
"Esta é a ditosa pátria minha amada."
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1178
  • +1/-0
Re: Os benefícios da política agrícola da EU
« Responder #1 em: Novembro 06, 2005, 12:38:18 am »
Citação de: "dremanu"
Farmer prince reaps EU subsidies

(...)“The bigger you are, the more you get,” La Tribune, the French daily, stated. “Is it right that European subsidies should be used to fill the accounts of luxury car dealerships in cereal-growing regions?” French farmers received €9.39 billion in European subsidies last year — more than any other country. British farmers received €3.99 billion. (...)

Esqueceram-se foi do resto da estatística:
"France is one of the world's largest exporters of agricultural products, Britain barely registers on that scale." :mrgreen:

É que às vezes largam-se assim números a comparar coisas sem comparação possível.
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

Leonidas

  • Analista
  • ***
  • 621
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +1/-2
(sem assunto)
« Responder #2 em: Novembro 06, 2005, 01:09:13 am »
Saudações guerreiras.

Quanto a mim os alemães são os que mais razões têm para ficar tristes com o atual estado das coisas. São eles que mais contribuem com o maior bolo para o orçamento de UE, se não me falha a memória. Assim também finamciam a França com a maior fatia de subsidios para a agricultura. Os agricultores em França tão de tal maneira contentes que fazem uma pressão enorme sobre o governo para não modificarem uma virgula, sequer. Cada vez mais isso está a ser posto em causa, não só mas também pelo Reino Unido.

Cumprimentos
 

*

TOMKAT

  • Especialista
  • ****
  • 1175
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Novembro 06, 2005, 10:27:09 pm »
Há muita gente em Portugal a aproveitar-se dos subsídios agricolas comunitários.
Não são aqueles que aparecem na TV a protestar em manifestações.
São os que se passeiam nos seus belos "jipões" pelas suas herdades alentejanas.
Sabem qual o subsídio que é(era?) atribuído a sementeira de girassol,
e quanto desse girassol nascido é(era?) apanhado para venda?
(admito a hipótese "era" porque foram casos que conheci)

Sabiam que o subsídio para a reconversão de terrenos incultos em floresta, só é(era) atribuido a áreas superiores a 3 hectares, e sendo Portugal um país onde o minifundio impera, beníficia clara e descaradamente as celuloses, as proprietárias das maiores áreas de terrenos privados em Portugal.
Este é um caso que o conheci na 1ª pessoa.
Para florestar uma área de 2.5 hectares não tive um centimo de subsídio.
Próximo da minha propriedade uma brande área de pinhal entretanto cortado, pertença de uma celulose recebeu "gordos"subsídios para reflorestar essa área com eucalipto. :evil:

Portanto entre tristezas e alegrias ainda há gente em Portugal que aproveita e bem da PAC (política agricula comum).
IMPROVISAR, LUSITANA PAIXÃO.....
ALEA JACTA EST.....
«O meu ideal político é a democracia, para que cada homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado»... Albert Einstein
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1178
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Novembro 06, 2005, 10:41:02 pm »
Citação de: "Leonidas"
Saudações guerreiras.

Quanto a mim os alemães são os que mais razões têm para ficar tristes com o atual estado das coisas. São eles que mais contribuem com o maior bolo para o orçamento de UE, se não me falha a memória. Assim também finamciam a França com a maior fatia de subsidios para a agricultura. Os agricultores em França tão de tal maneira contentes que fazem uma pressão enorme sobre o governo para não modificarem uma virgula, sequer. Cada vez mais isso está a ser posto em causa, não só mas também pelo Reino Unido.

Cumprimentos


Per capita quem fica mesmo a arder são os holandeses, seguidos dos suecos. Os holandeses pagam mesmo bastante mais que o resto, mas há uma explicação. É que as taxas alfandegárias também entram para o "bolo" da contribuição de cada país, e quando se tem Roterdão isso desequilibra completamente as contas. :)
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

 

Estudo classifica como iniviável 80% da superfície agrícola

Iniciado por Marauder

Respostas: 0
Visualizações: 1024
Última mensagem Março 20, 2006, 02:05:07 pm
por Marauder