Armas Ligeiras?

  • 83 Respostas
  • 22104 Visualizações
*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1262
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +1/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #60 em: Maio 03, 2004, 03:06:10 pm »
Citação de: "Rui Elias"
Alguem sabe se em definitivo as armas que irão substituir as velhas G-3 serão as G-36 ou serão outras?


O Exército já avaliou todas as candidatas ( entre as quais se encontravam as seguintes empresas: Colt (EUA), Diemaco (Canadá), FN (Bélgica), Tavor (Israel), HK (Alemanha), Steyr (Áustria) e Sar (Singapura) - fonte: militaryzone ) mas ainda não existe, por enquanto, nenhuma posição oficial sobre o assunto.

Desconheço o estado em que se encontra o concurso.
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #61 em: Maio 03, 2004, 03:13:11 pm »
Ricardo Nunes:

Não sei se já leu, mas tenho uma resposta para si no local do Humvvies.
 

*

Fábio G.

  • Investigador
  • *****
  • 1398
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #62 em: Maio 03, 2004, 03:26:49 pm »
Não sei mas eu aposto pela G-36 da HK não só por ser a "sucessora natural" da G-3, por ser uma óptima arma e por ter sido já adquirida para a GNR no Iraque. Acho que é a que tem mais hipóteses de ganhar, mas novidades não sei nenhumas nem para quando.
 

*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1262
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +1/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #63 em: Maio 03, 2004, 03:33:45 pm »
Citação de: "Fábio G."
Não sei mas eu aposto pela G-36 da HK não só por ser a "sucessora natural" da G-3, por ser uma óptima arma e por ter sido já adquirida para a GNR no Iraque. Acho que é a que tem mais hipóteses de ganhar, mas novidades não sei nenhumas nem para quando.


Como já tive a oportunidade de dizer, o meu apoio vai também para a G-36.
Infelizmente temos de ter a noção que este concurso vai ser condicionado muito provavelmente pelo preço de cada arma e nesse caso a G-36 torna-se uma das mais caras.  :roll:
Vamos ver se o MDN não tomo a decisão errada.

PS
Caro Rui, não se preocupe que eu, felizmente, ainda leio todos os post´s que passam aqui pelo fórum defesa.
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #64 em: Maio 03, 2004, 03:39:27 pm »
Eu sou um pouco leigo em relação a armas ligeiras, mas impressionou-me as armas que os australianos traziam quando desembarcaram em Timor.

Alguem me sabe dizer que armas seriam essas?

Em relação ao preço, porque não apotar por armas de fabrico norte-americano?
 

*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1262
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +1/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #65 em: Maio 03, 2004, 03:45:57 pm »
A espingarda de assalto utilizada pelo exército australiano ( aquelas que você viu  nos soldados presentes em Timor ) é a Steyr AUG.



Para mais informações visite:
 :arrow: http://www.steyr-aug.com/
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1178
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #66 em: Maio 03, 2004, 03:48:06 pm »
Edit: O Ricardo é rápido

Quanto a material americano, ao que parece também foram considerados candidatos americanos. E não me parece que os ianques tenham armas mais baratas que os outros, o negócio deles tem sido "coisas hiper-sofisticadas caríssimas", não "simples e barato".
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #67 em: Maio 03, 2004, 04:06:16 pm »
Ricardo: Você é mais rápido que a própria sombra, mas obrigado pela informação.

Quanto ao emarques:

Claro que os américas só vendem barato ao 3º mundo (Filipinas, Indonésia, Colômbia, etc).

Mas Portugal não poderia negociar um pouco isso?

Em troca da adjudicação dos C-130J, por exemplo...
 

*

TazMonster

  • Membro
  • *
  • 149
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #68 em: Maio 03, 2004, 07:09:41 pm »
Caro Rui... nem brinque com uma coisa dessas
Soube por fonte que anda por dentro do concurso que a G36 está muito bem posicionada, sendo mesmo a favorita (nada oficial).
Quanto a mim a escolha vai para a G36. Não misturemos as coisas (contrapartidas C130 com armas ligeiras, até pq os alemães costuma dar melhores contrapartidas que os americanos). Boa contrapartida seria negociar a aquisição em bloco de, G36, MG4, USP, MP7 e UMP (huuiii, quem é q me beliscou, P.......a, lá estava eu a sonhar acordado  outra vez). Isso sim era negócio.

Um abraço
Taz
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #69 em: Maio 03, 2004, 07:39:26 pm »
Concordo com o Tazmonster. Uma compra em bloco à HK seria excelente, porque há equipamento como as HK21 ou as pistolas ( agora não tou a ver bem o modelo) a pedir substituição há muitos anos...

Já agora Tazmonster, como parece estar sempre bem informado  :wink: , as HK21 são para durar para sempre, ou alguém no nosso exército já pensou que a metrelhadora ligeira também devia mudar de calibre para 5.56 ( aí as escolhas seriam a Minimi ou a MG4 ) ?


Cumptos
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7505
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +135/-194
(sem assunto)
« Responder #70 em: Maio 03, 2004, 09:17:02 pm »
Só um pequeno comentário Spectral:
O 7.62x51 e o 5.56x45 são complementares, portanto não haverá uma substituição por si só.
E pelo que sei, a HK estará a desenvolver uma MG4 em 7.62.
Se até lá nada se fizer, sugiro a MAG.
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

TazMonster

  • Membro
  • *
  • 149
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #71 em: Maio 03, 2004, 09:31:38 pm »
Quanto a isso já não sei, espero que alguém se lembre desse "pequeno" pormenor.
MG4 era excelente em 5,56 para arma de apoio de pelotão e 7,62 para apoio da companhia. (na secção a MG36 com o beta Cmag), espero que tb não se esqueçam do AG40.
Quanto às pistolas são as P38 do tempo da 2a Guerra Mundial (excelentes armas, só podem ser, duraram este tempo todo, tou a brincar foram compradas em 60's e tais :wink:)

Um abraço
Taz
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7505
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +135/-194
(sem assunto)
« Responder #72 em: Maio 03, 2004, 10:09:39 pm »
Atenção que o Beta-C Mag sofre de graves problemas de confiabilidade, e que poderão ter causado 4 mortes em combate no Afganistão.
Creio que a HK tem um carregador tipo caixa que se alimentará fácilmente com auxílio de pentes de 10 cartuchos (mas para a HK23).
Já agora, conheçam-no em

http://hkpro.com/HK23E.HTM

Só lhe falta uma extensão no bocal do carregador.
E esperar que o sistema de retenção do mesmo aguente o peso!
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #73 em: Maio 03, 2004, 10:51:40 pm »
Luso, na minha opinião a arma de apoio de secção devia ter o mesmo calibre que a espingarda, embora prefira uma matrelhadora a sério como a MG-4 ou a Minimi  do que uma G-36 c/ C-Mag.

A nível de pelotão aí sim, a MG-3 ( e eventualemente a MG-4  :wink: ?

Os alemães parece que vão trocá-las pela MG-4.

Cumptos
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7505
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +135/-194
(sem assunto)
« Responder #74 em: Maio 03, 2004, 11:04:23 pm »
"Luso, na minha opinião a arma de apoio de secção devia ter o mesmo calibre que a espingarda, embora prefira uma matrelhadora a sério como a MG-4 ou a Minimi do que uma G-36 c/ C-Mag."

Eu sou da mesma opinião: esses carregadores de grande capacidade deveriam ser vistos mais como um acessório para aumentar a capacidade de um sistema e não para transformá-lo em aquilo que não é.

Quanto à MG3 também tenho muitas dúvidas e ainda menos certezas, mas sei que as molas são ponto fraco do sistema, já que delas depende e muito o sistema de trancamento do ferrolho. Mas problemas têm elas todas. Mais umas são mais susceptíveis que outras.
Todavia, creio que uma moderna MAG aligeirada é superior (também é de design mais recente) a uma MG3 para ser transportada em posição de combate.
Mas os profissionais que se pronunciem, por favor!
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

 

Artigo sobre a Mauser-Vergueiro na revista "Armas"

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 2
Visualizações: 3385
Última mensagem Setembro 04, 2005, 10:25:17 pm
por PereiraMarques
Armas 5.56 no Exército guerra colonial e paras (pre galil)

Iniciado por alphaiate

Respostas: 38
Visualizações: 22430
Última mensagem Agosto 19, 2011, 02:45:46 pm
por alphaiate
Para o Afeganistão, sem carros e com armas inadequadas

Iniciado por papatango

Respostas: 87
Visualizações: 21936
Última mensagem Setembro 06, 2005, 02:11:42 pm
por NVF
Roubo de armas nos Comandos?

Iniciado por Luso

Respostas: 173
Visualizações: 30550
Última mensagem Abril 23, 2015, 10:58:53 am
por Cabeça de Martelo
Armas a descontinuar

Iniciado por sivispacem

Respostas: 17
Visualizações: 1544
Última mensagem Agosto 14, 2019, 10:46:29 am
por Cabeça de Martelo