Índios interditam e roubam em estrada do Maranhão

  • 0 Respostas
  • 1696 Visualizações
*

TOMKAT

  • Especialista
  • ****
  • 1175
  • +0/-0
Índios interditam e roubam em estrada do Maranhão
« em: Maio 29, 2005, 03:09:54 pm »
A revolta dos índios guajajaras de grajaú, múnicipio localizado a 600km de São Luis, intensificou-se. Um grupo, formadom por 200 indígenas pintados de guerra e armados com revólveres, pistolas e escopetas, interditaram a BR-226, que cruza a reserva Canabrava. A interdição começou ainda na noite de ontem quando os indígenas, liderados pelo cacique Robson Guajajara, levantaram barreiras na estrada. De acordo com o delegado de Grajaú, Michel Sampaio, que esteve com os índios, 47 camiões haviam sido retidos.

"A maior parte dos índios são jovens. Vários caminhoneiros foram detidos e alguns foram roubados, extorquidos e humilhados pelos índios da aldeia Barreirinha, que é o foco deste incidente.
Até agora nenhum pedido foi feito pelos indígenas", informou o delegado.
O caminhoneiro Cícero Ferreira da Silva foi vítima dos índios. Ele disse que os indígenas estão assaltando os motoristas e mantendo alguns deles como reféns.

O episódio agrava o cenário de tensão na região. No ínicio da semana os índios guajajaras de uma outra aldeia - a Coquinho, também localizada dentro da reserva Canabrava - já haviam ateado fogo a uma ponte sobre o rio Mearim e a um trator, além de ter roubado uma caminhonete numa fazenda na região.

Ontem os índios revoltados mudaram de tática e passaram a parar os ônibus de linha que cruzavam a reserva e assaltaram 15 deles, levando mais de R$ 10 mil em dinheiro e mercadorias. A revolta indígena começou depois que um índio foi morto num conflito de terras, no sábado passado. Uma força-tarefa de policias federais e civis está na região para tentar controlar a situação. Hoje há 23 mil índios, de sete etnias, vivendo em 17 reservas indígenas no Maranhão.

fonte O Estado de São Paulo
IMPROVISAR, LUSITANA PAIXÃO.....
ALEA JACTA EST.....
«O meu ideal político é a democracia, para que cada homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado»... Albert Einstein