Substituição da G3

  • 2901 Respostas
  • 588073 Visualizações
*

asalves

  • Perito
  • **
  • 322
  • Recebeu: 105 vez(es)
  • Enviou: 43 vez(es)
  • +15/-5
Re: Substituição da G3
« Responder #2775 em: Dezembro 26, 2018, 10:00:51 am »
https://www.dn.pt/portugal/interior/choque-entre-exercito-e-nato-deixa-portugal-com-a-velhinha-g3-9430215.html?fbclid=IwAR300f3fd-b4UAW_n1tq_FShyy3m1J0oIPeWGLwcXbkbEK3a9HY3NlE2FZY

Depois de rir um bom bocado. Resta-me dizer que isto é um país de enconados que nunca na vida poderá aspirar a ser um sítio minimamente desenvolvido, civilizado e próspero.

O que é que aqueles palhaços do Exército e do governo estão à espera? Fazem ajustes directos para tudo e mais alguma coisa. É chegar à H&K e dar ordem aos tipos para apresentarem uma proposta de fornecimento com um preço decente e aceitável, caso contrário a nota de encomenda segue para a FN Herstal ou para outro fornecedor. E resolvia-se logo o assunto. Mas com tugas apedeutas metidos nisto que têm de pedir a terceiros para lhes organizar um concurso de fornecimento, será mais difícil resolver este caso que é uma vergonha e que só mostra que somos um povo inapto.

Citar
Porém, o Exército - responsável pelo acompanhamento do processo a cargo da NSPA - foi propondo novos requisitos operacionais que alteravam o caderno de encargos inicial, uma das razões que levaram responsáveis da agência da NATO a deslocar-se a Lisboa há algumas semanas para reunir com o ramo.
Eu já assisti a alguns concursos públicos (não militares) e a incompetência sempre reinou. Não me admira que este seja mais um caso.
Ao que parece o problema aqui é "o Exército sustenta não corresponder ao estipulado a nível do cano e do guarda mato (proteção do gatilho)." se o caderno de encargos estiver bem definido deve ser fácil avaliar se o cano ou o guarda mato está em conformidade ou não.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14815
  • Recebeu: 918 vez(es)
  • Enviou: 895 vez(es)
  • +121/-130
Re: Substituição da G3
« Responder #2776 em: Dezembro 26, 2018, 10:22:43 am »
https://www.dn.pt/portugal/interior/choque-entre-exercito-e-nato-deixa-portugal-com-a-velhinha-g3-9430215.html?fbclid=IwAR300f3fd-b4UAW_n1tq_FShyy3m1J0oIPeWGLwcXbkbEK3a9HY3NlE2FZY

Depois de rir um bom bocado. Resta-me dizer que isto é um país de enconados que nunca na vida poderá aspirar a ser um sítio minimamente desenvolvido, civilizado e próspero.

O que é que aqueles palhaços do Exército e do governo estão à espera? Fazem ajustes directos para tudo e mais alguma coisa. É chegar à H&K e dar ordem aos tipos para apresentarem uma proposta de fornecimento com um preço decente e aceitável, caso contrário a nota de encomenda segue para a FN Herstal ou para outro fornecedor. E resolvia-se logo o assunto. Mas com tugas apedeutas metidos nisto que têm de pedir a terceiros para lhes organizar um concurso de fornecimento, será mais difícil resolver este caso que é uma vergonha e que só mostra que somos um povo inapto.

Quando houve a polémica das pistolas o Exército afirmou que o concurso para a substituição das espingardas-automáticas continuava a decorrer normalmente. Se é ou não verdade, isso acho que poucos aqui podem afirmar seja do que for.

Nota-se que entre o deficit "zero" e a banca, pouco dinheiro fica para as Forças Armadas.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14815
  • Recebeu: 918 vez(es)
  • Enviou: 895 vez(es)
  • +121/-130
Re: Substituição da G3
« Responder #2777 em: Janeiro 16, 2019, 03:28:22 pm »
Pessoal eu lembro-me de ter visto o pdf com o contracto da aquisição de calhas picatinny para as G3, as mesmas usadas na RCA. Alguém sabe a quem o Exército Português comprou-as? Estou a falar do fabricante e não do distribuidor.



Fonte: http://www.operacional.pt/tudo-tem-um-momento-ja-tera-chegado-o-das-missoes-de-paz/
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7490
  • Recebeu: 369 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +98/-191
Re: Substituição da G3
« Responder #2778 em: Janeiro 16, 2019, 09:14:20 pm »
Pessoal eu lembro-me de ter visto o pdf com o contracto da aquisição de calhas picatinny para as G3, as mesmas usadas na RCA. Alguém sabe a quem o Exército Português comprou-as? Estou a falar do fabricante e não do distribuidor.



Fonte: http://www.operacional.pt/tudo-tem-um-momento-ja-tera-chegado-o-das-missoes-de-paz/

Martelo, aquele castanho é alguma "cerakote" ou é... "wabi-sabi"?  ;)
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14815
  • Recebeu: 918 vez(es)
  • Enviou: 895 vez(es)
  • +121/-130
Re: Substituição da G3
« Responder #2779 em: Janeiro 17, 2019, 02:08:46 pm »
¡Hombre no sé y no te comprendo, soy de Madrid!  :mrgreen:
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7490
  • Recebeu: 369 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +98/-191
Re: Substituição da G3
« Responder #2780 em: Janeiro 18, 2019, 11:34:26 am »
¡Hombre no sé y no te comprendo, soy de Madrid!  :mrgreen:

Cerakote: https://www.cerakote.com/

"Cerakote is a Polymer-Ceramic Composite coating that can be applied to metals, plastics, polymers and wood. The unique formulation used for Cerakote ceramic coating enhances a number of physical performance properties including abrasion/wear resistance, corrosion resistance, chemical resistance, impact strength, and hardness. Each of these properties is rigorously tested to guarantee that Cerakote products remain at the forefront of the ceramic coatings market. Cerakote ceramic coatings utilize state-of-the-art technology to out-perform any competitive coating in both laboratory settings and real world applications. "

Wabi-sabi: https://pt.wikipedia.org/wiki/Wabi-sabi

"Wabi-sabi (侘寂?) representa uma abrangente visão de mundo à japonesa, uma abordagem estética centrada na aceitação da transitoriedade e imperfeição. Esta concepção estética é muitas vezes descrita como a do belo que é “imperfeito, impermanente e incompleto”.[1] Uma idealização artística desenvolvida por volta do século XV no Japão, durante o período Muromachi, com bases nos ideais do zen budismo.

As características estéticas do wabi-sabi incluem assimetria, aspereza (rugosidade ou irregularidade), a simplicidade, a economia, a austeridade, a modéstia, a intimidade e a valorização da integridade ingênua de objetos e processos naturais.[3] "

Em português, a apreciação estética da "ferruje". Uma estética adoptada pelas chefias militares portuguesas, pessoas muito sensíveis.

« Última modificação: Janeiro 18, 2019, 11:39:21 am por Luso »
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, asalves

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14815
  • Recebeu: 918 vez(es)
  • Enviou: 895 vez(es)
  • +121/-130
Re: Substituição da G3
« Responder #2781 em: Janeiro 18, 2019, 03:22:08 pm »
Eu sei, só estava-me a meter contigo. Confesso que tive que pesquisar o que raio é o "Wabi-sabi".

Ferrugem?! Deslarguem-me, deslarguem-me que vou-me a ele! :mrgreen:

Ah, já agora, a AR-10 manda saudações, segundo ela uma dos motivos porque uns certos senhores de Boina Verde gostarem tanto (preferiam-na à G3), era exactamente a essa questão.

7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14815
  • Recebeu: 918 vez(es)
  • Enviou: 895 vez(es)
  • +121/-130
Re: Substituição da G3
« Responder #2782 em: Janeiro 19, 2019, 12:40:40 pm »
Exército aceita substituir G3 por espingarda em uso num só país da Nato

A HK alemã e a FN belga disputam concurso onde era "requisito desejável" que todas as versões equipassem "pelo menos dois países" aliados.

O concurso de 42,8 milhões de euros para substituir a velha G3 do Exército tem agora uma definição de "arma-padrão" que deixou cair o critério "desejável" de cada variante equipar pelo menos dois países da NATO, alertaram fontes ouvidas pelo DN.

O Exército garantiu ao DN que "não alterou os seus requisitos" durante o concurso, mas essa definição de arma-padrão foi divulgada em julho pela agência da NATO encarregada do concurso (NSPA, sigla em inglês) e só agora conhecida.

O concurso aproxima-se do fim e na mesa estão, segundo as fontes, a alemã HK - apontada como mais cara mas de grande qualidade e em uso generalizado na NATO - e a belga FN. Em jogo estão três variantes de espingarda automática: a de calibre 5.56 mm (uma dezena de milhar de unidades) e duas de 7.62 mm, uma das quais de precisão (ou sniper). Estão ainda incluídos lança-granadas de 40 mm (a acoplar naquelas armas) e metralhadoras naqueles dois calibres.



Segundo diferentes fontes ouvidas sob anonimato, por não estarem autorizadas a falar sobre a matéria, a NSPA informou que a arma de "serviço padrão" destina-se a equipar "um ramo das Forças Armadas" - enquanto as que equipam as forças de operações especiais (como os rangers de Lamego) são de "serviço limitado".

Acresce que essa definição "considera cumprido" um requisito inicialmente estabelecido noutros termos no caderno de encargos, garantiram algumas fontes: em vez de a arma-padrão de 5.56 mm e a de 7.62 estarem cada uma ao serviço de "pelo menos dois países da NATO", assim como os lança-granadas, a indicação dada em julho pela NSPA diz que afinal basta a primeira estar em uso num país e a segunda noutro.

Ora isto leva a que o Exército - e a Brigada de Reação Rápida (BRR) em especial - possa ser equipado com espingardas diferentes se o concurso for ganho pelo fabricante belga FN, cujo modelo SCAR de 5.56 mm só é arma-padrão nas Forças Armadas belgas. Isso decorre de o Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOP) de Lamego estar praticamente todo equipado com as HK 416A5 (calibre 5.56 mm) - usadas em países como a França, a Noruega ou a Holanda - e a HK 417A2 (7.62 mm).

As Forças Armadas norte-americanas também utilizam a arma alemã, mas fabricada nos EUA e com a designação M27.

Como o CTOE é uma unidade da BRR, as outras - os regimentos de paraquedistas e de comandos - ficariam nesse caso com uma arma diferente. O Exército explicou ao DN que os rangers de Lamego "têm um emprego diferenciado das restantes tropas especiais" da BRR.

Porém, isso é refutado pelo coronel Barroca Monteiro e pelo tenente-coronel Miguel Machado, ambos paraquedistas (reforma). Para o primeiro, "paraquedistas e comandos seriam discriminados" face aos rangers, além de a eventual opção pela FN surgir "ao arrepio da economia logística e da normalização dos equipamentos sem qualquer justificação organizacional".

Miguel Machado frisa que "não faz sentido, nos dias de hoje, esta divisão" entre arma-padrão e de serviço limitado. "Na mesma brigada deviam estar as mesmas armas" em uso, complementadas com algumas de natureza específica (como as de precisão). E o oficial dá dois exemplos: a França comprou as HK 416 "para todas as suas unidades, especiais ou regulares", enquanto a Bélgica está a equipar "todas as suas unidades, da cavalaria aos paracomandos, passando pelas forças de operações especiais, com a FN SCAR".

Outro oficial, ligado aos fuzileiros da Marinha (cujo Destacamento de Ações Especiais usa a HK 416A5), pronuncia-se no mesmo sentido: "Quanto mais diversificadas forem as opções, mais difícil fica todo o processo logístico e é necessário dar formação extra" aos soldados.

"Material mais vendido é o melhor"
Sobre a alteração no "requisito desejável" de cada uma das espingardas de assalto (5.56 e 7.62) a concurso estarem ao serviço de pelo menos dois países da NATO, com a NSPA a dizer que basta a primeira estar apenas num e a segunda noutro, Miguel Machado entende que essa formulação inicial "não foi colocada para ser desprezada liminarmente".

Essa condição, não sendo mandatória, "poderá ter sido inserida para que o Exército não seja forçado a optar por uma arma só por ser mais barata, por exemplo, mas possa ter liberdade para comprar material de excelência e esse geralmente é o mais vendido", sublinhou Miguel Machado.

"Nesta área do material de guerra, o mais vendido regra geral não é o mais barato mas o melhor", prosseguiu o responsável pelo site especializado Operacional. Agora, há países a fabricar "armas que só eles usam, o que se compreende, mesmo sendo material fraco ou não sendo do melhor". A título de exemplos atuais e só ao nível das espingardas de assalto, Miguel Machado citou os casos da Suíça (SIG), da Itália (Beretta), Bélgica (FN) e Croácia (HS Produkt).

No caso da Bélgica, reafirmou Miguel Machado, este é "o único país que está a introduzir a FN SCAR como padrão" nas suas Forças Armadas.

Agora, "cada vez mais há países a comprar fora para comprar melhor e a abandonar o protecionismo nesta área do material militar" e, entre outros exemplos, Miguel Machado deu três: "a Espanha, que há uns anos deixou a sua CETME e comprou a HK G-36"; depois "a França, que deixou a sua FAMAS e comprou [em 2018] a HK 416"; por fim, "o Reino Unido usa hoje uma arma nacional [a SA80A2] mas com vários componentes fundamentais produzidos pela HK, que lhe deram uma fiabilidade e capacidade que não tinham a versão original."

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/19-jan-2019/interior/exercito-aceita-substituir-g3-por-espingarda-em-uso-num-so-pais-da-nato-10459452.html?fbclid=IwAR3drTzjTgLp_A98wh8HxTqV6t44gc5F_8pqQl9iCdZiZVCv5pCSgu0rnao
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Srgdoido

*

Clausewitz

  • Membro
  • *
  • 119
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 103 vez(es)
  • +34/-2
Re: Substituição da G3
« Responder #2783 em: Janeiro 19, 2019, 02:39:37 pm »
Sendo essas as finalistas estamos bem.

Quanto à possível diferença na BRR face à arma da FOEsp acho que estão a empolar falsos problemas. As operações especiais são uma componente pequena e bastante específica da BRR, que nem funciona exactamente como uma brigada. É habitual estas unidades terem equipamento específico e sendo do mesmo calibre não vejo nisso grandes dramas.

Pior é a situação actual de haver galil, g3, sig e hk416 tudo à mistura com diferentes calibres e ter situações como os paras mudarem a arma para a missão da RCA.

E falando de futuro, acho pior não haver uma uniformização geral nas diversas unidades das forças armadas e termos situações potenciais de armas e calibres diferentes entre exército e fuzileiros ou entre unidades de manobra e de apoio.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, HSMW, Crypter, jorgeshot1, Srgdoido, MATRA

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8449
  • Recebeu: 744 vez(es)
  • Enviou: 1211 vez(es)
  • +61/-32
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Substituição da G3
« Responder #2784 em: Janeiro 19, 2019, 03:26:03 pm »






 :-\
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3004
  • Recebeu: 117 vez(es)
  • Enviou: 10 vez(es)
  • +102/-23
Re: Substituição da G3
« Responder #2785 em: Janeiro 19, 2019, 03:38:36 pm »
Espero que a SCAR seja a escolhida, mas se vier a HK também não é mau...
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8449
  • Recebeu: 744 vez(es)
  • Enviou: 1211 vez(es)
  • +61/-32
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Substituição da G3
« Responder #2786 em: Janeiro 19, 2019, 06:26:49 pm »
A malta de Lamego só diz bem das HK.  ;)
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: jorgeshot1

*

alphaiate

  • Membro
  • *
  • 195
  • Recebeu: 21 vez(es)
  • Enviou: 3 vez(es)
  • +0/-0
Re: Substituição da G3
« Responder #2787 em: Janeiro 19, 2019, 07:18:21 pm »
Convém lembrar que a FN dá emprego em Portugal... just saying!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: jorgeshot1

*

Stalker79

  • Analista
  • ***
  • 889
  • Recebeu: 172 vez(es)
  • Enviou: 912 vez(es)
  • +52/-10
Re: Substituição da G3
« Responder #2788 em: Janeiro 19, 2019, 09:16:22 pm »
Venha a SCAR!!! Venha ela que já vem tarde!!!
 :)
 

*

Srgdoido

  • Membro
  • *
  • 78
  • Recebeu: 10 vez(es)
  • Enviou: 65 vez(es)
  • +11/-0
Re: Substituição da G3
« Responder #2789 em: Janeiro 19, 2019, 09:41:25 pm »
Tenho um pressentimento de que será a FN SCAR
« Última modificação: Janeiro 19, 2019, 09:51:42 pm por Srgdoido »
 

 

Substituição do Míssil Guiado Anti-Tanque Milan

Iniciado por ruben lopes

Respostas: 9
Visualizações: 6029
Última mensagem Outubro 11, 2008, 07:09:29 pm
por tyr
Substituição do Lança-Granadas-Foguete (descartável) M72 LAW

Iniciado por ruben lopes

Respostas: 71
Visualizações: 22036
Última mensagem Março 20, 2009, 07:41:24 pm
por ShadIntel
M-60 do Exército Português: modernização ou substituição?

Iniciado por Tiger22

Respostas: 34
Visualizações: 11499
Última mensagem Abril 17, 2004, 04:22:52 pm
por Nuno
Substituição do Blindado de Lagartas M113

Iniciado por Instrutor

Respostas: 199
Visualizações: 63439
Última mensagem Março 04, 2019, 02:56:47 pm
por typhonman
Substituição dos M113

Iniciado por tenente

Respostas: 21
Visualizações: 3013
Última mensagem Abril 18, 2018, 03:28:45 pm
por Cabeça de Martelo