Saab Gripen E/F (F-39) da FAB

  • 15 Respostas
  • 472 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« em: Novembro 29, 2018, 05:10:58 pm »
Evolução do Programa Gripen E no Brasil!


« Última modificação: Novembro 29, 2018, 05:16:45 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #3 em: Novembro 29, 2018, 05:34:02 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #4 em: Novembro 29, 2018, 05:35:23 pm »
Saab apresenta as instalações da fábrica de aeroestruturas do Gripen (SAM) no Brasil

A Saab Aeronáutica Montagens (SAM) produzirá seis segmentos aeroestruturais para o caça brasileiro Gripen e se prepara para fazer parte da cadeia global de suprimentos da Saab para os mercados de defesa e civil. Na imagem, chefe global da divisão de aeronáutica da Saab, Jonas Hjelm, apresenta uma visão ampla sobre o Programa Gripen E/F.

A empresa sueca Saab apresentou na última quarta-feira (09-05) as instalações da futura fábrica de aeroestruturas do caça Gripen: a Saab Aeronáutica Montagens (SAM), situada em uma área de aproximadamente 5 mil m² na cidade de São Bernardo do Campo, grande São Paulo.


Vista parcial da entrada lateral da SAM em São Bernardo do Campo (SP). Em alguns meses, esse local vai estar bem diferente. (Imagem: Roberto Caiafa)

Este é mais um passo importante do Programa Gripen no Brasil

“Estamos transferindo conhecimento e capacidade de produção de aeroestruturas complexas para o Brasil, cumprindo nosso acordo de offset. A fábrica já está se estruturando para fazer parte de uma cadeia global de suprimentos da Saab para os mercados de aviação civil e de defesa” explicou Mikael Franzén, chefe da unidade de negócios Gripen Brasil, na Aeronáuticos da Saab.

A SAM será responsável por produzir complexos segmentos para os caças Gripen adquiridos pela Força Aérea Brasileira (FAB) como o cone de cauda, os freios aerodinâmicos, o caixão das asas, a fuselagem traseira e a fuselagem dianteira para a versão monoposto (um assento) e a versão biposto de desenvolvimento exclusivo brasileiro (dois assentos).


“Este é o início da instalação da fábrica. Já estamos implementando o escritório, contratando pessoas e fornecedores. Até 2020 toda a estrutura fabril estará montada para dar início a fabricação dos componentes do Gripen” afirmou Marcelo Lima, diretor-geral da SAM.

Marcelo Lima, diretor-geral da SAM (acima e abaixo) durante sua apresentação em São Bernardo do Campo


O município de São Bernardo do Campo está estrategicamente bem localizado, no ponto de vista logístico, próximo do Porto de Santos, do Aeroporto Internacional de Guarulhos, de importantes rodovias e dos clusters aeronáuticos de São José dos Campos e de Gavião Peixoto, cidade que hospeda o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design and Development Network – GDDN), onde será feita a montagem final das aeronaves.

Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen.(Imagem: Saab)

“Nossa decisão de estabelecer a fábrica em São Bernardo é baseada em aspectos de negócios que levam em conta nossas necessidades e o que a cidade pode oferecer ao projeto Gripen” complementou Marcelo Lima. Além disso, a região é conhecida pela qualidade de sua força de trabalho fabril devido à indústria automotiva estabelecida.


A SAM vai começar as operações em 2020 com 55 funcionários, entre engenheiros e técnicos, que serão capacitados em Linköping, na Suécia, por até 24 meses a fim de receber todo o treinamento necessário para o processo de industrialização, qualificação e montagem de fuselagens complexas, específicas para a produção de um caça supersônico no Brasil.

O então comandante da Força Aérea Brasileira a época da escolha do Gripen (2013), brigadeiro Juniti Saito, faz uma “imersão virtual” na planta da SAM usando óculos de realidade virtual. (Imagem: Roberto Caiafa)

“Os novos empregos gerados na fábrica serão altamente qualificados para executar processos em estruturas complexas de fuselagem, tanto metálicas quanto em compósitos, impulsionando o nosso programa de transferência de tecnologia. Ao final desse projeto, teremos somado mais de 84 mil de horas de treinamento apenas para os funcionários da SAM” acrescentou Marcelo Lima.


Até 2024, a SAM estará com cerca de 200 funcionários extremamente capacitados, produzindo as aeroestruturas que serão fornecidas para a montagem final dos caças.

Parceria com a Akaer

A estrutura financeira da fábrica está composta por um sócio majoritário, a Saab AB (90%) e um parceiro minoritário, a Akaer (10%), empresa de engenharia especializada no desenvolvimento de aeroestruturas, já parceira da Saab no desenvolvimento dos caças desde 2009, quando foi contratada para desenvolver o projeto de segmentos da fuselagem do Gripen.

Ao mesmo tempo que a Akaer adquire 10% da SAM, a Saab aumenta a participação na Akaer de 25% para 28%, em uma operação de troca de ações.

“A parceria com a Akaer começou mesmo antes da seleção da Saab pela FAB. Desde 2009 a Akaer já trabalhou mais de meio milhão de horas para o Programa Gripen. O trabalho começou com o desenvolvimento de partes estruturais e  engenharia, agora passa a atuar também na área de manufatura“, disse Mikael Franzén.

O chefe global da divisão de aeronáutica da Saab, Jonas Hjelm.

Nesses 32 meses de Programa Gripen no Brasil, a Saab, juntamente com seus parceiros industriais e a FAB, contribui com o desenvolvimento da Indústria de Defesa no Brasil e ajuda a gerar novas oportunidades de empregos qualificados, inclusive para a região de São Bernardo do Campo, que também ganha benefícios adicionais e receitas para a cidade.

Fatos sobre o programa de transferência de tecnologia

Em 27 de outubro de 2014, a Saab anunciou a conclusão do contrato com o governo federal brasileiro para o desenvolvimento e produção de 36 caças Gripen.

O contrato entrou em vigor em setembro de 2015 quando todas as condições solicitadas foram cumpridas. As entregas para a Força Aérea Brasileira serão realizadas entre 2019 e 2024.


O Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN) foi inaugurado em novembro de 2016, em Gavião Peixoto, estado de São Paulo.

O GDDN é o hub de desenvolvimento tecnológico do Gripen no Brasil para a Saab e a Embraer, junto às empresas e instituições parceiras.

O programa de transferência de tecnologia para o Brasil inclui quatro áreas que vão fornecer à indústria aeroespacial brasileira a tecnologia e o conhecimento necessários para manter e desenvolver o Gripen no Brasil:

Treinamento teórico
Programas de Pesquisa e Tecnologia
Treinamento on-the-job na Suécia
Desenvolvimento e produção


Hoje, cerca de 25 engenheiros brasileiros de empresas parceiras estão sendo treinados nas instalações da Saab, na Suécia, e mais de 140 profissionais já retornaram ao Brasil. A maioria deles está trabalhando no desenvolvimento da aeronave no GDDN.

Até 2024, mais de 350 profissionais brasileiros, entre engenheiros, operadores, técnicos e pilotos das empresas parceiras da Saab e da Força Aérea Brasileira participarão de cursos e treinamento on-the-job na Suécia.

Habilidades e conhecimentos serão adquiridos pela indústria brasileira, possibilitando um extenso trabalho de desenvolvimento e produção do Gripen, incluindo a montagem final de aeronaves no Brasil.

O programa de transferência de tecnologia é composto por mais de 50 projetos-chave, com duração de até 24 meses.


FONTE: http://tecnodefesa.com.br/saab-apresenta-as-instalacoes-da-fabrica-de-aeroestruturas-do-gripen-sam/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Jorge Pereira

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #5 em: Novembro 29, 2018, 05:36:09 pm »
AEL entrega o protótipo modelo C do WAD do Gripen brasileiro à Saab


Citar
A conclusão da terceira etapa do desenvolvimento permitirá que a Saab dê continuidade ao projeto, resultando na preparação e integração da primeira aeronave brasileira

Porto Alegre, 9 de maio de 2018 – A AEL Sistemas anuncia a entrega à Saab do modelo C do display panorâmico Wide Area Display (WAD) do Gripen E/F brasileiro, um equipamento com tecnologia de última geração que cumpre os requisitos do programa F-X2 da Força Aérea Brasileira com a Saab.

O modelo C é o resultado da terceira etapa do desenvolvimento do WAD e sua entrega dentro do cronograma reforça o compromisso da AEL com o programa Gripen. Trata-se de um protótipo com mecânica, hardware e software que será usado no desenvolvimento e ensaios de qualificação do equipamento para futuro uso da aeronave em voo. A conclusão desta atividade permitirá à Saab dar continuidade ao cronograma de desenvolvimento, bem como a integração com os demais sistemas da aeronave, resultando no voo do primeiro Gripen brasileiro.

Desde a entrega do modelo B, no segundo semestre de 2017, destacam-se as seguintes evoluções e melhorias no modelo C: desenvolvimento de uma nova placa gráfica para aumentar a capacidade de processamento e o desempenho na apresentação de imagens; realização de testes de qualificação ambiental requeridos para o voo, como ensaios de vibração (shaker) e de temperatura (burn-in); consolidação da configuração final de hardware; ampliação da maturidade e confiabilidade do sistema; e a agregação de diversas funcionalidades de software.

“A entrega do modelo C representa o comprometimento da AEL com a absorção de tecnologia no desenvolvimento do WAD para a próxima geração de caças brasileiros. Entregamos o protótipo dentro do cronograma previsto, possibilitando a continuidade das atividades dos engenheiros da Saab rumo à integração final da aeronave”, afirma Sergio Horta, presidente da AEL Sistemas. “É importante ressaltar que essa entrega é fruto da cooperação contínua e promissora entre a AEL e a Saab”, complementa.

O WAD é um sistema inteligente com tela panorâmica (19 x 8 polegadas) de alta resolução, que permite exibir uma imagem contínua e redundante em toda a sua extensão, e é capaz de receber entradas de teclas multifuncionais, touchscreen ou interfaces externas. É a principal fonte de todas as informações de voo e missão na cabine de piloto.

Cockpit do Saab Gripen com WAD

A AEL no programa Gripen

Em fevereiro de 2015, a Saab anunciou a seleção da AEL como nova fornecedora no Brasil. Saab e AEL também assinaram um contrato de transferência de tecnologia. A empresa foi selecionada para fornecer o Wide Area Display (WAD), o Head-Up Display (HUD) e o Helmet Mounted Display (HMD), que serão integrados ao Gripen brasileiro como parte do contrato F-X2.

O programa de desenvolvimento do WAD começou em janeiro de 2015. O novo programa de sistemas aviônicos para a aeronave está planejado para ser executado ao longo de cinco anos e inclui o desenvolvimento, a integração e o trabalho de produção, que serão realizados em Porto Alegre (RS), na sede da AEL. A integração do WAD com a aeronave será feita pela Saab e pela Embraer, com o suporte da AEL.

Em 2 de setembro de 2015, a AEL entregou à Saab, também dentro do cronograma, os primeiros protótipos “Modelo A” das unidades do WAD para o Gripen brasileiro. Em maio de 2016, a AEL anunciou a entrega, com sucesso, da aplicação de Interface Homem-Máquina (Human-Machine Interface – HMI) para o WAD, uma versão preliminar de software que demonstra os conceitos de HMI da Saab para o futuro WAD. Em 2017, mantendo o cronograma de desenvolvimento da Saab, a AEL entregou o modelo B e, agora, realiza a entrega do modelo C.

Como parte do programa WAD, está em curso uma intensa transferência de tecnologia para a AEL, permitindo à empresa gaúcha desenvolver competências anteriormente inexistentes e colocando-a na vanguarda da tecnologia em displays panorâmicos. Um escopo adicional tem ocorrido no desenvolvimento da interface Homem-Máquina (HMI) para os avançados caças, juntamente com a capacidade de realizar manutenção de aviônicos.

WAD para o caça Gripen – Divulgação: AEL

Sobre a AEL Sistemas

A AEL Sistemas é uma empresa brasileira, situada em Porto Alegre, que há mais de 35 anos dedica-se a projeto, desenvolvimento, fabricação, manutenção e suporte logístico de avançados sistemas eletrônicos, com foco nos mercados aeroespacial, de defesa e de segurança pública.  Capacitada para o fornecimento, projeto e desenvolvimento de aviônicos, eletro-ópticos, sistemas de comunicação, sistemas espaciais, ARP (aeronaves Remotamente Pilotadas) e simuladores, a empresa participa de projetos estratégicos das Forças Armadas Brasileiras como Gripen, KC-390, Guarani e SISFRON – Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras. Através de tecnologias e conhecimentos avançados, infraestrutura moderna e treinamento sistemático, a AEL produz soluções de última geração, confiáveis e inovadoras, com a qualidade de seus produtos e serviços reconhecidos internacionalmente.

Sobre a Saab

A Saab atende o mercado global com produtos, serviços e soluções de ponta nas áreas de defesa militar e segurança civil. A Saab possui operações e funcionários em todos os continentes. Graças a suas ideias inovadoras, colaborativas e pragmáticas, a Saab desenvolve, adota e aprimora novas tecnologias para atender às necessidades, em constante mudança, de seus clientes.

DIVULGAÇÃO: FSB Comunicação / https://www.aereo.jor.br/2018/05/10/ael-entrega-o-prototipo-modelo-c-do-wad-do-gripen-brasileiro-a-saab/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Jorge Pereira

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #6 em: Novembro 29, 2018, 05:36:40 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #10 em: Dezembro 05, 2018, 04:30:41 pm »
Futuros pilotos de Gripen da FAB treinam combate BVR na Suécia


Citar
Um grupo de pilotos de caça e controladores de voo da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, recentemente, um curso de combate “Além do Alcance Visual” (do inglês Beyond Visual Range, BVR) com o Gripen, no Centro de Simulação de Combate da Força Aérea Sueca (Flygvapnets Luftstrids Simulerings Centrum, FLSC) em Estocolmo, na Suécia

Participaram do curso, de uma semana, 16 pilotos de caça, quatro controladores de voo e vários outros militares da Força Aérea Brasileira. Durante o treinamento, eles tiveram a oportunidade de testar diferentes cenários complexos em simuladores e aprender técnicas básicas de combate, datalinks táticos e conscientização situacional pilotando o Gripen em simuladores. “Precisamos entender o sistema do caça Gripen antes de ser entregue ao Brasil. Estamos aqui reunindo o máximo de conhecimento e respostas possíveis para tornar a implementação a mais tranquila possível. Quando o Gripen chegar, queremos estar preparados e prontos para usá-lo como uma plataforma operacional, com o treinamento feito e todos os conceitos implementados. Esta semana aqui no FLSC é um grande passo para alcançarmos isso”, disse o Coronel Ricardo Rezende, líder da equipe Fox, responsável pelas questões operacionais de implementação e desenvolvimento de conceitos operacionais do Gripen no Brasil.

Capaz de voar quase imediatamente

Esta foi a quarta vez que a FAB realizou este curso. Durante a preparação, o grupo teve algumas horas de estudos teóricos no Brasil, principalmente para se familiarizar com os controles no cockpit do Gripen e como operá-los. Além disso, todos os pilotos somam uma experiência de, pelo menos, 500 horas de voo em um avião de caça.
Durante o curso, eles foram da teoria à prática, e o grau de dificuldade dos cenários aumentou rapidamente, terminando em um cenário de combate BVR muito complexo.

“Depois de apenas uma hora aqui no curso, os pilotos já são capazes de pilotar o Gripen nos simuladores. Eu diria que essa é uma das vantagens do Gripen e o por que essa aeronave é mais inteligente. Não é apenas por causa de seus radares, sensores, armas e outras capacidades, mas é porque, para o piloto, ela é fácil de usar e manobrar, com uma excelente Interface Homem-Máquina (IHM). Isso é algo que podemos ver aqui nos simuladores”, explicou o coronel Ricardo Rezende.


Entre os pilotos treinados, quatro deles serão os pilotos do Gripen no futuro. No entanto, todos os participantes do curso estarão, de alguma forma, envolvidos no processo seguinte de implementação do Gripen no Brasil.

“Esta oportunidade que temos de treinar nesta instalação, realmente melhora nosso treinamento e a preparação para uma implementação tranquila do sistema Gripen. Nós não encontramos esse tipo de instalações e simuladores no Brasil e se tivéssemos que ensaiar esse tipo de missão no país, precisaríamos usar nossa aeronave real, exigindo muitos recursos, tanto de pessoal quanto de tempo e dinheiro, e isso não é fácil de fazer” disse o capitão Luca Centurione, um dos futuros pilotos do Gripen.

Uma instalação única
O curso foi realizado no FLSC (parte da FOI, Agência de Pesquisa de Defesa da Suécia, em português) que é uma instalação de simulação líder mundial para combate aéreo tripulado, many-to-many (em português, muitos-para-muitos). No FLSC, a FOI e a Força Aérea Sueca, realizam juntas, desde 1998, cursos de treinamento operacional de simulação e exercícios para pilotos, controladores de combate e outros militares de várias nações. Exercícios nacionais também são realizados regularmente, testando conceitos no nível do Centro de Operações Aéreas (AOC).

“A instalação de simulação é, se não única, uma das poucas do seu tipo na Europa, onde o foco são os cenários táticos. A configuração do simulador não é destinada ao treinamento de proficiência de reincidência, mas sim para combinar vários simuladores man-in-the-loop em um cenário de alta saturação com forças geradas por computador. Oito pilotos e, a partir do próximo ano, 12, podem voar em duas (ou três) formações de quatro aeronaves (4-ships) contra configurações de ameaça relevantes, compreendendo um grande número de unidades simuladas governadas por regras, tais como outras aeronaves, sistemas de defesa aérea ou navios. No caso brasileiro, o combate de BVR. A Força Aérea do Brasil descreveu suas necessidades e requisitos para o curso e produzimos cenários que combinasse com suas necessidades”, disse Niclas Lagerbäck, responsável pelas operações táticas no FLSC.


Fortalecendo as relações

A Força Aérea Brasileira encomendou o curso da FOI e a Saab contribuiu com dois pilotos de ensaios de voo do Gripen como instrutores durante a semana de treinamento, apoiando os pilotos com bons conselhos em relação à operacionalidade.

“Essa é uma cooperação muito importante entre a Força Aérea Brasileira, a Saab e as Forças Armadas Suecas. E foi uma excelente oportunidade para mostrar o sistema Gripen aos pilotos brasileiros e também uma oportunidade muito boa para fortalecer nossas relações bilaterais, conhecendo e aprendendo com as experiências uns dos outros” comentou Lars Nyström, diretor de vendas e marketing da unidade de negócios e Gripen Brasil da SAAB Aeronautics.

Um casamento de tecnologia

A produção dos 36 caças Gripen para o Brasil está seguindo o cronograma determinado pela Saab e o Governo Brasileiro. As entregas estão previstas para começarem em 2021.

“O Gripen vai atualizar a Força Aérea Brasileira, tornando-a uma Força de última geração. Não estamos comprando apenas uma aeronave, estamos também recebendo um intercâmbio de experiências entre os dois países. Minhas expectativas para o futuro são muito maiores do que a própria aeronave. Para mim, este é um relacionamento, um casamento de tecnologia, ciência e experiência entre Brasil e Suécia. Estamos aprendendo com os suecos e os suecos estão aprendendo conosco” concluiu o Coronel Ricardo Rezende.


FONTE: https://www.aereo.jor.br/2018/12/04/futuros-pilotos-de-gripen-da-fab-treinam-combate-bvr-na-suecia/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #11 em: Dezembro 13, 2018, 07:40:28 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #12 em: Fevereiro 10, 2019, 02:12:05 pm »
Primeiro caça Saab Gripen E do Brasil entra na segunda etapa da montagem final


O Jane’s noticiou que o primeiro caça Saab Gripen E destinada ao Brasil entrou na segunda etapa da montagem final e está a caminho do seu primeiro voo de teste este ano.

Conal Walker, porta-voz da Saab, disse em 31 de janeiro que há três etapas na montagem final.

O estágio 1 é onde a maioria de todas as instalações, como cabos e tubulações, são feitas.

O estágio 2 inclui a montagem de instalações aviônicas, unidade de energia auxiliar (APU), motor, radar, canards, canopy e pára-brisa.

No cronograma abaixo, de entregas dos caças divulgado pela FAB, o primeiro Gripen E brasileiro deve voar em julho de 2019.

Alguns números do programa:

Serão 8 bipostos, somente para o Brasil;
8 aeronaves serão montadas na Suécia com auxílio de brasileiros realizando on-the-job training;
8 monopostos serão montados integralmente na Embraer;
7 bipostos serão montados integralmente na Embraer;
10 pilotos brasileiros, 2 de ensaio e 8 operacionais serão formados na Suécia.

[2019]

Janeiro – Início da certificação
Julho – Primeiro voo da aeronave FTI (Flight Test Instrumentation) monoposto brasileira

[2020]

Junho – Início da produção de aeronaves na Embraer

[2021]

Outubro – Primeiro voo da aeronave FTI (Flight Test Instrumentation) biposto brasileira
Outubro e Novembro – Entrega das primeiras aeronaves de série (8 e 3 aeronaves respectivamente)

[2022]

Agosto – Entrega do primeiro monoposto produzido na Embraer

[2023]

Setembro – Entrega do primeiro biposto produzido na Embraer

[2024]

Novembro – Entrega da última aeronave biposto



FONTE: https://www.aereo.jor.br/2019/02/08/primeiro-caca-saab-gripen-e-do-brasil-entra-na-segunda-etapa-da-montagem-final/
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9962
  • Recebeu: 338 vez(es)
  • Enviou: 222 vez(es)
  • +20/-9
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #13 em: Fevereiro 10, 2019, 07:12:16 pm »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vitor Santos

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Saab Gripen E/F (F-39) da FAB
« Responder #14 em: Fevereiro 13, 2019, 08:43:18 pm »
Mais uma foto do primeiro caça Gripen E brasileiro em montagem final


Citar
O primeiro caça monoposto Saab Gripen E destinado ao Brasil apareceu em mais uma imagem sendo fabricado em Linköping, Suécia. O avião entrou no estágio 2 da montagem final e está no caminho para seu primeiro voo de teste este ano.

Conal Walker, porta-voz da Saab, disse ao Jane’s em 31 de janeiro que há três etapas na montagem final.

O estágio 1 é o local onde a maioria das instalações, como cabos e tubulações, é feita.

O estágio 2 inclui a montagem da aviônica, a unidade de energia auxiliar (APU), o motor, o radar, o cockpit e o pára-brisa.

O estágio 3 é a verificação da aeronave completa, carregamento do software e sistema de simulação da aeronave no solo.

Uma vez que o estágio 3 esteja concluído, o trabalho final é feito no hangar de entrega, seguido pelos voos de teste, quando o avião será apresentado aos pilotos brasileiros.

A Saab planeja entregar a primeira aeronave de teste Gripen E para o Brasil em 2019. Os aviões deverão começar a entrar em operação a partir de 2021 na Força Aérea Brasileira.

O contrato com o Brasil prevê a entrega de 28 caças Gripen E monopostos e 8 bipostos Gripen F (que estão sendo projetados no Brasil) entre 2019 e 2024.

FONTE: https://www.aereo.jor.br/2019/02/12/mais-uma-foto-do-primeiro-caca-gripen-e-brasileiro-em-montagem-final/


O primeiro Saab Gripen E sueco voou em 15 de junho de 2017