Saab Gripen E/F (F-39)

  • 69 Respostas
  • 2499 Visualizações
*

Lusitaniae

  • Membro
  • *
  • 185
  • Recebeu: 36 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +14/-170
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #60 em: Agosto 30, 2019, 11:29:28 pm »
Parabéns ao Brasil pelos seus novos caças.

Nunca falei aqui no Forum sobre este assunto, mas penso que este caça podia muito bem ser uma alternativa válida para a FAP.

Em vez de se gastar uma pipa de massa para levar os F16 para viper, podia-se muito bem substituir a frota de F16 por estes aviões e depois de 2040 se podia sonhar em ter uma outra frota de F35.

Não sei se esta hipótese está sequer pensada de quem de direito, mas entre o que se tinha que pagar pelos Gripen e receber pelos F16, a vender rapidinho enquanto existem compradores era uma opção bem realista para Portugal neste momento.

Pelo que tenho lido, me parece que estes caças em relação ao F16V levam vantagem.

Em relação a valores, uma frota de 30 aviões fica em 3.1 mil milhoes de euros, se conseguissemos vender a frota de F16 por +900 milhoes, já era uma boa ajuda, e se ficasse os Gripen na casa dos 2 mil milhoes, era muito bom!

Mas levam vantagem relativamente ao quê?  Percebo perfeitamente que quem não tenha Viper opte pelo Gripen C ou mesmo E, agora se alguém possui o F16 qual a lógica de mudar para Gripen? Parece um bocado aquele exemplo de um país que tem Rafale e quer mudar para Typhoon ou vice-versa...

Saudações

A Questão aqui é em termos de custos, quanto custa fazer o upgrade da frota de F16 para Viper?
Outra questão, qual a razão de não ser a frota toda?
Os Caças que viriam são novos , e o custo beneficio, qual o ratio de rentabilidade?

Se a substituição da frota toda de F16 por Gripen de 30 aeronaves ficar por 2 mil milhoes, com o valor a buscar na venda dos F16 incluído e se ficar com aviões para mais 30 anos no mínimo é muito melhor do que gastar quase mil milhoes e continuar com aviões viper mas construídos nos anos 80 e 90.

Esta é a minha opinião, pois Portugal para já deve esquecer o F35, é muito caro para o nosso país. Talvez o Centeno e outros que vierem a seguir ponham o país com as finanças na ordem e lá para 2040, se posso ter um frota de 40 aviões F35 e começar a despachar os Gripen e de preferência por um bom valor!

30 Gripen´s por 2 mil milhoes? Só se for C/D e esses só com o update M20 chegaram aos calcanhares do MLU.

É bom lembrar que o Gripen E é mais caro que o F-35 e que neste momento esta mais atrás no seu processo de desenvolvimento. c56x1

Não foi isso que escrevi!
O valor de 30 Gripen deve ficar ao câmbio atual de acordo com os dados do negócio com o Brasil nos 3.1 mil milhões. O que escrevi é que com a venda da frota de F16, se conseguísse-mos vender por +900 milhões ou ainda mais que o valor do negócio se ficasse nos 2 mil milhões era muito bom!

E quem lhe disse que o F35 é mais barato que o Gripen?
De acordo com o que pesquisei :
30 Gripen = 3.1 mil milhões
30 F35 = 6.45 mil milhões

Mais barato? 😕
« Última modificação: Agosto 31, 2019, 03:37:27 am por Lusitaniae »
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Lusitaniae

  • Membro
  • *
  • 185
  • Recebeu: 36 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +14/-170
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #61 em: Setembro 01, 2019, 02:34:17 pm »
Aqui tá o bicharoco em ação, é impressionante o bicho!


E este é o C, agora esperem pelo E!
« Última modificação: Setembro 01, 2019, 03:16:17 pm por Lusitaniae »
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Red Baron

  • Perito
  • **
  • 300
  • Recebeu: 61 vez(es)
  • Enviou: 84 vez(es)
  • +76/-17
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #62 em: Setembro 03, 2019, 11:25:53 pm »
Parabéns ao Brasil pelos seus novos caças.

Nunca falei aqui no Forum sobre este assunto, mas penso que este caça podia muito bem ser uma alternativa válida para a FAP.

Em vez de se gastar uma pipa de massa para levar os F16 para viper, podia-se muito bem substituir a frota de F16 por estes aviões e depois de 2040 se podia sonhar em ter uma outra frota de F35.

Não sei se esta hipótese está sequer pensada de quem de direito, mas entre o que se tinha que pagar pelos Gripen e receber pelos F16, a vender rapidinho enquanto existem compradores era uma opção bem realista para Portugal neste momento.

Pelo que tenho lido, me parece que estes caças em relação ao F16V levam vantagem.

Em relação a valores, uma frota de 30 aviões fica em 3.1 mil milhoes de euros, se conseguissemos vender a frota de F16 por +900 milhoes, já era uma boa ajuda, e se ficasse os Gripen na casa dos 2 mil milhoes, era muito bom!

Mas levam vantagem relativamente ao quê?  Percebo perfeitamente que quem não tenha Viper opte pelo Gripen C ou mesmo E, agora se alguém possui o F16 qual a lógica de mudar para Gripen? Parece um bocado aquele exemplo de um país que tem Rafale e quer mudar para Typhoon ou vice-versa...

Saudações

A Questão aqui é em termos de custos, quanto custa fazer o upgrade da frota de F16 para Viper?
Outra questão, qual a razão de não ser a frota toda?
Os Caças que viriam são novos , e o custo beneficio, qual o ratio de rentabilidade?

Se a substituição da frota toda de F16 por Gripen de 30 aeronaves ficar por 2 mil milhoes, com o valor a buscar na venda dos F16 incluído e se ficar com aviões para mais 30 anos no mínimo é muito melhor do que gastar quase mil milhoes e continuar com aviões viper mas construídos nos anos 80 e 90.

Esta é a minha opinião, pois Portugal para já deve esquecer o F35, é muito caro para o nosso país. Talvez o Centeno e outros que vierem a seguir ponham o país com as finanças na ordem e lá para 2040, se posso ter um frota de 40 aviões F35 e começar a despachar os Gripen e de preferência por um bom valor!

30 Gripen´s por 2 mil milhoes? Só se for C/D e esses só com o update M20 chegaram aos calcanhares do MLU.

É bom lembrar que o Gripen E é mais caro que o F-35 e que neste momento esta mais atrás no seu processo de desenvolvimento. c56x1

Não foi isso que escrevi!
O valor de 30 Gripen deve ficar ao câmbio atual de acordo com os dados do negócio com o Brasil nos 3.1 mil milhões. O que escrevi é que com a venda da frota de F16, se conseguísse-mos vender por +900 milhões ou ainda mais que o valor do negócio se ficasse nos 2 mil milhões era muito bom!

E quem lhe disse que o F35 é mais barato que o Gripen?
De acordo com o que pesquisei :
30 Gripen = 3.1 mil milhões
30 F35 = 6.45 mil milhões

Mais barato? 😕


O negocio inicial foi de 39.3 billion SEK (US$5.44 bn, R$13 bn), https://saabgroup.com/media/news-press/news/2014-10/saab-and-brazil-sign-contract-for-gripen-ng/

Se o negocio foi feito em SEK estamos a falar mais de 100M€ por aeronave.  Se foi em Dolars, então estamos a falar de um negocio pornográfico.

Ainda teve um acrescento de mais US$1b para tunings brasileiros, como o WAD.

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #63 em: Setembro 10, 2019, 03:47:57 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #64 em: Setembro 10, 2019, 03:52:23 pm »
Saab entrega o Gripen E para a FAB

O Saab Gripen E em voo em Linkoping, Suécia. O caça fez o voo às 14:29 (local, 09:29 horário de Brasília).

Citar

Foi entregue hoje, nas instalações da Saab em Linköping, na Suécia, o primeiro caça Gripen E da Força Aérea Brasileira.

O exemplar, primeiro a receber o painel wide area display projetado e desenvolvido pela AEL Sistemas, integra agora a campanha de ensaios em voo junto com os demais três aviões da Força Aérea da Suécia.

O caça fez o voo às 14:29 (local, 09:29 horário de Brasília)

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/saab-entrega-o-gripen-e-para-a-fab-direto-de-linkoping-suecia/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #65 em: Setembro 11, 2019, 01:24:04 pm »
Saab apresenta primeiro Gripen E para o Brasil


Citar
A Saab deu mais um passo importante para a entrega do Gripen E ao cliente brasileiro. Marcado por uma cerimônia em Linköping, na Suécia, em 10 de setembro, a primeira aeronave brasileira Gripen E foi entregue para iniciar o programa de ensaios em voo.

Inicialmente, os ensaios em voo serão feitos na Suécia e, até o final de 2020, a aeronave irá para o Brasil para dar continuidade à campanha de testes no país. Em 2021, será iniciada a entrega à Força Aérea Brasileira.

Uma cerimônia para celebrar esse importante marco foi promovida em Linköping, Suécia, em 10 de setembro. O evento contou com a presença de Fernando Azevedo e Silva, Ministro da Defesa do Brasil; do Tenente-Brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez, Comandante da Força Aérea Brasileira; de Nelson Antonio Tabajara de Oliveira, Embaixador do Brasil na Suécia; do Tenente Brigadeiro Carlos Augusto Amaral Oliveira, Secretário-Geral do Ministério da Defesa; de Peter Hultqvist, Ministro da Defesa da Suécia; do Major General Mats Helgesson, Comandante da Força Aérea Sueca; e, representando a Saab, Håkan Buskhe, Presidente e CEO; e Jonas Hjelm, Vice-Presidente Sênior e head da área de negócios Aeronautics na Saab.

“Tenho orgulho por, junto com a indústria brasileira, fazer parte da construção de uma parceria estratégica de longo prazo com o Brasil e a Força Aérea Brasileira. Com o Gripen, o Brasil terá um dos caças mais avançados do mundo e o programa de transferência de tecnologia permitirá ao País desenvolver, produzir e manter caças supersônicos”, diz Håkan Buskhe, Presidente e CEO da Saab.

“O Gripen aumenta a capacidade operacional da Força Aérea Brasileira e impulsiona uma parceria que garante transferência de tecnologia para o Brasil, fomenta a pesquisa e o desenvolvimento industrial dos dois países”, diz Fernando Azevedo e Silva, Ministro da Defesa do Brasil.

“O F-39 Gripen representa, para a Força Aérea Brasileira, um significativo salto tecnológico na aviação de caça, mas também um exemplo exitoso de um desenvolvimento colaborativo, baseado na transferência de tecnologia e fomento à base industrial de defesa. Assim, a FAB terá um novo vetor multimissão para o cumprimento de suas ações de Controlar, Defender e Integrar o território nacional, a partir de um projeto que, desde a sua concepção, já traz benefícios para a sociedade brasileira. Sinto-me muito feliz em fazer parte deste momento histórico para a aviação de caça do Brasil”, diz Tenente-Brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez, Comandante da Força Aérea Brasileira.

A parceira com o Brasil começou em 2014 com o contrato (no valor de 39,3 bilhões de coroas suecas) para o desenvolvimento e produção de 36 caças Gripen E/F para a Força Aérea Brasileira, incluindo sistemas relacionados, suporte e equipamentos. A Saab está impulsionando o desenvolvimento da indústria aeronáutica local através das empresas parceiras no programa Gripen Brasileiro, que inclui um amplo programa de transferência de tecnologia ao Brasil, que será entregue pelo prazo de aproximadamente dez anos.

As aeronaves brasileiras Gripen E/F são desenvolvidas e produzidas com a participação de técnicos e engenheiros brasileiros. Essa integração faz parte da transferência de tecnologia e visa proporcionar o conhecimento prático necessário para a execução dessas mesmas atividades no Brasil. A partir de 2021, a montagem completa de 15 aeronaves começará no Brasil. O desenvolvimento do Gripen F, de dois lugares, está progredindo com atividades abrangentes no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN, do inglês Gripen Design and Development Network), em Gavião Peixoto, interior de São Paulo, Brasil. As entregas do Gripen F devem começar em 2023.

O Gripen E se baseia no design bem-sucedido de versões anteriores. O Gripen é um caça moderno, com um design balanceado, equipado com tudo o que é necessário em um caça multimissão.

Atualmente, cinco países operam o Gripen: Suécia, África do Sul, República Tcheca, Hungria e Tailândia, e em breve, o Brasil se juntará a esse grupo. A Escola de Pilotos de Teste do Reino Unido (ETPS) utiliza o Gripen como plataforma para o treinamento de pilotos de teste.

F-39 é a designação da Força Aérea Brasileira para o Gripen.





FONTE: https://www.aereo.jor.br/2019/09/10/saab-apresenta-primeiro-gripen-e-para-o-brasil/

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #66 em: Setembro 11, 2019, 07:26:06 pm »
Caça F-39 Gripen é apresentado à FAB


Citar
O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, participaram, nesta terça-feira (10), em Linköping, na Suécia, da apresentação do primeiro F-39 Gripen brasileiro, marcando o início da fase de ensaios em voo da plataforma. Inicialmente, os voos de teste serão feitos na Suécia e, em seguida, a campanha prosseguirá no Brasil. A entrada em operação da nova aeronave de caça, na Força Aérea Brasileira (FAB), está programada para ocorrer em 2021.

A cerimônia também contou com a presença do Embaixador do Brasil na Suécia, Nelson Antonio Tabajara de Oliveira; do Ministro da Defesa da Suécia, Peter Hultqvist; do Comandante da Força Aérea Sueca; Major General Mats Helgesson; e do Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira.

O Comandante da Aeronáutica comentou sobre a importância do momento. “O F-39 Gripen representa, na FAB, um significativo salto tecnológico para a aviação de caça, bem como um exemplo exitoso de desenvolvimento colaborativo, baseado na transferência de tecnologia e fomento à Base Industrial de Defesa”, disse.

“A Força Aérea terá um novo vetor multimissão para o cumprimento de suas ações de Controlar, Defender e Integrar o território nacional. Sinto-me muito feliz por fazer parte deste marco histórico”, completou o Tenente-Brigadeiro Bermudez.

O Ministro da Defesa brasileiro também destacou a importância do compartilhamento de experiências advindo da cooperação entre Brasil e Suécia. “O Gripen aumenta a capacidade operacional da Força Aérea Brasileira e impulsiona uma parceria que fomenta a pesquisa e o desenvolvimento industrial dos dois países”, declarou Fernando Azevedo e Silva.


O projeto

As atividades conjuntas se iniciaram em 2014 com a assinatura do contrato para o desenvolvimento e produção de 36 aeronaves Gripen E/F para a Força Aérea Brasileira, incluindo sistemas embarcados, suporte e equipamentos. As plataformas são desenvolvidas e produzidas com a participação de técnicos e engenheiros brasileiros. Essa integração faz parte da transferência tecnológica e visa proporcionar o conhecimento necessário para a continuidade das atividades no Brasil. O avião brasileiro se baseia no design de versões anteriores, porém com as particularidades solicitadas pelo Comando da Aeronáutica (COMAER).

Atualmente, cinco países operam o Gripen: Suécia, África do Sul, República Tcheca, Hungria e Tailândia, e, em breve, o Brasi fará parte desse grupo.
FONTE: Força Aérea Brasileira / FOTOS: Saab / https://www.aereo.jor.br/2019/09/11/caca-f-39-gripen-e-apresentado-a-fab/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #67 em: Setembro 11, 2019, 07:30:22 pm »
Cinco perguntas para o Major General Mats Helgesson, Comandante da Força Aérea da Suécia


Kaiser Konrad, Especial de Linköping

Numa apresentação feita na Finlândia, o senhor disse que o Gripen E é um matador de Sukhois. Poderia explicar melhor essa afirmação?

Eu quis dizer que quando desenvolvemos nossas aeronaves, como o Gripen e seus antecessores, Viggen e Draken, nós sempre vemos quais tipos de ameaças temos na nossa vizinhança. Nós olhamos para o futuro e prevemos que tipo de ameaça iremos encontrar. No nosso caso, nós devemos olhar para as aeronaves russas, que serão aquelas possíveis de se enfrentar no ar. Nesse sentido, o Gripen foi desenvolvido para enfrentar os Sukhoi.

No ano passado a Força Aérea da Suécia seguiu a mesma decisão da Força Aérea Brasileira e selecionou o Wide Area Display desenvolvido pela companhia brasileira AEL Sistemas para equipar ser caças Gripen E. Qual é a importância do WAD e como ele poderá maximizar as capacidades da aeronave?

Eu acredito que o Wide Area Display juntamente com um completo de sistema de interface homem-máquina são realmente importantes para ganhar a batalha. Você precisa tomar uma decisão mais rápido que seu inimigo e ter melhor consiência situacional do ambiente ao redor, e se você tiver bons displays e informações para o piloto você pode vencer a batalha tomando a decisão correta. A tecnologia que vamos receber da Força Aérea Brasileira e da AEL Sistemas será muito útil para a defesa sueca e para nossas táticas.


Temos visto uma postura muito agressiva da Rússia para com seus vizinhos. Como isso tem impactado na Força Aérea da Suécia?

Nós temos visto muitas diferenças nos últimos anos. Em maio deste ano, o Governo Sueco publicou o Livro Branco que aborda o futuro da Defesa. Duas semanas atrás, os políticos decidiram a parte econômica, que prevê um aumento real de mais ou menos 40% no orçamento para o período de 2020 à 2025. Para a Força Aérea Sueca, especificamente, isso é muito bom, pois podemos manter em operação  por mais alguns anos os Gripen C e D e ao mesmo tempo introduzir a nova versão Gripen E, assim como muitos outros desenvolvimentos no nosso sistema logístico, de pessoal entre outros.

No contrato da SAAB com Brasil, está incluído o desenvolvimento de uma versão biposto, o Gripen F.  A Suécia teria interesse em adquirir?

Eu acredito que o Gripen F será muito bom e uma grande aeronave, de diferente maneiras. Quando nós tomamos a decisão para a Força Aérea da Suécia, analizamos o orçamento que tínhamos e o número de aeronaves que poderíamos comprar, nós fizemos os cálculos necessários e a decisão foi adquirir somente o Gripen E, monoposto. Se nós tivéssemos mais orçamento e recursos, é claro que gostaríamos de ter o biposto, mas não é o caso neste momento. Quem sabe, talvez no futuro.

Essa plataforma poderia ser utilizada para realizar ataque eletrônico ou como Wild Weasel (SEAD)?

Absolutamente. Eu quero dizer também, que a versão monoposto pode ser usada para ataque eletrônico ou atividades Wild Weasel. Mas para isso, o Gripen F poderá ser ainda melhor.

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/td-entrevista-cinco-perguntas-para-o-major-general-mats-helgesson-comandante-da-forca-aerea-da-suecia/?fbclid=IwAR3FInmuin_eAaa0_tztWbdlGYyj9CMJeycRAc60Auqa1s6paxIjk-VPLsg
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #68 em: Setembro 13, 2019, 02:11:14 pm »

Show Aéreo Gripen Brasileiro
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3968
  • Recebeu: 313 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +560/-695
Re: Saab Gripen E/F (F-39)
« Responder #69 em: Setembro 13, 2019, 07:20:02 pm »

Melhores momentos da entrega do Gripen Brasileiro
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo