Reforma do Exército

  • 68 Respostas
  • 4139 Visualizações
*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8360
  • Recebeu: 710 vez(es)
  • Enviou: 1090 vez(es)
  • +44/-10
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Reforma do Exército
« Responder #60 em: Fevereiro 13, 2019, 06:46:29 pm »


Não Há, .....mas até termos Praças suficientes temos solução! :mrgreen:

Coloquem quatro 2ºSarg e Furriéis numa das equipas de cada das secções de Inf/Art e dois em cada guarnição de CC, as secções comandadas por aspirantes, alferes e tenentes, os pelotões comandados por Capitães, as companhias comandadas por Majores e Tenentes Coroneis, e os Batalhões comandados por Coroneis e Brigadeiros, e as Brigadas por majores e tenentes Generais e vamos ver que já temos os problemas dos efectivos de duas das três brigadas resolvidos !
Quem não tem cão caça com gato !!

Abraços

Então e quem achas que anda a fazer o trabalho dos Praças que não existem? E mesmo dos Oficiais subalternos. É comum ter Sargentos a comandar pelotões. 
O Exército tem Oficias e Sargentos porque estão num quadro que os mantém na instituição. E nestas categorias os militares em RC também não são em numero ideal.
Não é Oficiais e Sargentos a mais! É Praças a menos! Muito menos.

No entanto existem unidades que não têm falta de Praças. RC6 em Braga e os Regimentos das ilhas, por exemplo.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Camuflage

  • Investigador
  • *****
  • 1219
  • Recebeu: 65 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +6/-23
Re: Reforma do Exército
« Responder #61 em: Fevereiro 13, 2019, 10:49:16 pm »
A velha mania de inverter o ónus da prova. Desde 1976 que há oficiais a mais nas forças armadas, é um facto, não vale a pena vir com  historietas ou querem mais generais do que já temos?

O que as FA têm falhado redondamente é no recrutamento e aliciamento de pessoas à vida militar, por 3 razões: ganância, status e conformismo. Para que vai o sr General, sr Coronel, chatear-se com o estado da sua força se tem a vida garantida? Tem uma data de oficiais bajuladores em seu redor,  empregados de limpeza (praças), guarda-costas (policia militar), motorista (cabos) e a cereja em cima do bolo é que não só não pode ser despromovido por ser incompetente, como nem pode ser despedido com perda total de direitos e do seu titulo, será ad aeternum "sr general".
Depois temos os oficiais intermédios que ora são bajuladores, ora são os revoltados de café. Tal como numa empresa os primeiros passam a vida a engraxar o chefe e os segundos revoltadinhos com tudo, mas são os primeiros a bater a pala assim que passa o sr Generaleco cheios de medo da suposta repercussão que possa recair sobre eles "o direito militar" - sim porque a justiça militar é muito diferente da civil em Portugal...

Em resumo:

-Ao longo dos anos continuaram-se a formar oficiais, as pessoas não vão ser sempre carne para canhão pretendem ascender na vida portanto foram sempre concorrendo para essas posições;
-Os "maioriais (aqueles que realmente mandam) das FA não estão à altura de comandar uma força militar, não têm visão estratégica das mesmas, nem capacidade de gestão - não existem más organizações, apenas maus lideres!
-Falta de programa de estímulos e proximidade da sociedade (não depende do governo, depende da liderança sair do trono e caminhar junto da população, ir às escolas, universidades, estabelecer protocolos, apostar no marketing etc)
-Quando foi a última vez que passou na tv um daqueles anúncios que passavam na RTP2 nos anos 90 e inícios de 2000? Por si já eram maus, mas agora nem isso.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7136
  • Recebeu: 527 vez(es)
  • Enviou: 652 vez(es)
  • +35/-12
Re: Reforma do Exército
« Responder #62 em: Fevereiro 13, 2019, 10:59:06 pm »
Não sou GNR, mas acho que um factor importante para não ter tantos sargentos é ter um quadro de praças, isto é, são pessoas a que se podem atribuir mais responsabilidades que o que normalmente acontece nas praças das Forças Armadas.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 2941
  • Recebeu: 1238 vez(es)
  • Enviou: 400 vez(es)
  • +134/-7
Re: Reforma do Exército
« Responder #63 em: Fevereiro 14, 2019, 12:22:39 am »


Não Há, .....mas até termos Praças suficientes temos solução! :mrgreen:

Coloquem quatro 2ºSarg e Furriéis numa das equipas de cada das secções de Inf/Art e dois em cada guarnição de CC, as secções comandadas por aspirantes, alferes e tenentes, os pelotões comandados por Capitães, as companhias comandadas por Majores e Tenentes Coroneis, e os Batalhões comandados por Coroneis e Brigadeiros, e as Brigadas por majores e tenentes Generais e vamos ver que já temos os problemas dos efectivos de duas das três brigadas resolvidos !
Quem não tem cão caça com gato !!

Abraços

Então e quem achas que anda a fazer o trabalho dos Praças que não existem? E mesmo dos Oficiais subalternos. É comum ter Sargentos a comandar pelotões. 
O Exército tem Oficias e Sargentos porque estão num quadro que os mantém na instituição. E nestas categorias os militares em RC também não são em numero ideal.
Não é Oficiais e Sargentos a mais! É Praças a menos! Muito menos.

No entanto existem unidades que não têm falta de Praças. RC6 em Braga e os Regimentos das ilhas, por exemplo.

Desculpa lá mas acho que só estás a ver metade do problema não são só Praças a menos, são oficiais e sargentos a mais, e muito a mais, também!

O numero de oficiais e sargentos que temos são suficientes para um Exército de 20000 a 25000 efectivos, mesmo que o Exército tivesse os tais 14.000 efectivos e a manter-se os números de oficiais e sargentos actuais, a proporção seria de um sargento e um oficial para 2,6 Praças, actualmente a proporção é de um oficial + um sargento para 1,8 Praças !!!!!!

Não conheço nenhumas FFAA dignas desse nome, onde exista tal proporção !

O que escrevi RPT, como ser a única solução para atenuar a falta de praças e fazer o downgrade das funções das duas classes de oficiais e Sargentos cito " as secções comandadas por aspirantes, alferes e tenentes, os pelotões comandados por Capitães, as companhias comandadas por Majores e Tenentes Coroneis, e os Batalhões comandados por Coroneis e Brigadeiros " só desse modo é que arranjaremos pessoal para completar as unidades de manobra e apoio que precisam de efectivos, até que se consiga recompletar o numero as Praças que estão em falta !

Bem se houver sargentos a comandar pelotões então estamos mesmo muito mal porque, então o que fazem os subalternos ??
Comandam Companhias ????
Não me parece que isso esteja a acontecer.

Abraços

« Última modificação: Fevereiro 14, 2019, 12:24:47 am por tenente »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, HSMW

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8360
  • Recebeu: 710 vez(es)
  • Enviou: 1090 vez(es)
  • +44/-10
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Reforma do Exército
« Responder #64 em: Fevereiro 14, 2019, 12:59:44 pm »
Tudo isso são problemas com apenas uma origem. A falta de Praças.
Corrigindo este problema os outros deixam de existir.

Por exemplo, actualmente tenho um Tenente como Cmdt de companhia. E os Cmdts de pelotão... São os três Alferes RC...
Mas também tenho andado sempre por unidades das mais deficitárias e em que tinha de fazer o trabalho do Oficial, de Saj, as minhas e dos Praças....

Saliento também que o Exército não se faz exclusivamente de unidades Regimentais.
As direcções (DMT, DCSI, DIE...), os comandos (CFT, CmdLog...) e mesmo à entrada de Lisboa o Laboratório Militar e o Centro de Informação Geoespacial do Exército são constituídos quase exclusivamente por Oficiais e Sargentos.

« Última modificação: Fevereiro 14, 2019, 01:03:26 pm por HSMW »
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

zocuni

  • Especialista
  • ****
  • 982
  • Recebeu: 11 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +21/-0
    • http://www.mochileiros.com
Re: Reforma do Exército
« Responder #65 em: Fevereiro 14, 2019, 01:19:13 pm »
Tudo isso são problemas com apenas uma origem. A falta de Praças.
Corrigindo este problema os outros deixam de existir.

Por exemplo, actualmente tenho um Tenente como Cmdt de companhia. E os Cmdts de pelotão... São os três Alferes RC...
Mas também tenho andado sempre por unidades das mais deficitárias e em que tinha de fazer o trabalho do Oficial, de Saj, as minhas e dos Praças....

Saliento também que o Exército não se faz exclusivamente de unidades Regimentais.
As direcções (DMT, DCSI, DIE...), os comandos (CFT, CmdLog...) e mesmo à entrada de Lisboa o Laboratório Militar e o Centro de Informação Geoespacial do Exército são constituídos quase exclusivamente por Oficiais e Sargentos.

Na verdade é um pouco isso a falta de paraças evidencia um problema que à partida não seria mas é aí que há que cativar os joevens a pertencerem ao exército tornar isso promissor e desafiabte,
Eu cumpri servio militar ainda era SMO e entre 1987 e 1988 e pouco ou nada tem a ver com a realidade actual.
Por exemplo eu cumpri no antigo RASP (Regimento de artilharia da Serra do Pilar) e tinha a seguinte composição:
-Bataria de Instruão - Capitão
-Bataria de Comando - Capitão
-Bataria de Servilos - Capitão
-1ºBAC - Major
-2ª BBF - Major (esta era minha unidade e pertencia à BMI na vertente apoio de fogo).
-BAAA - Capitão

Na 1ºBAC e 2ªBBF os comandantes de pelotão eram Alferes e na de Intrução ,comando e servios aram Aspirante assim como na BAAA.

Comandante do Regimento era um Coronel e quando íamos para operaões de campo em conjunto com a 1ª BAC a liderançça era de um Tenente-Coronel..
Regimento fantástico,com localizaão ímpar,casernas novinhas e amplas,limpo,comida boa só o soldo era de 550 escudos eram SMO.


Também passei uma temporada no antigo BSS (Batalhaõ do Serviço de Setúbal) onde o comandante do Batalhão era um Major no caso Médico e os instrutores Tenentes.
Quartel horrível mais parecia um pulgueiro,comida medonha mas o pessoal era fantástico e a cidade então adorei.
Era outro contexto e pertence às minhas memórias.

« Última modificação: Fevereiro 14, 2019, 01:33:33 pm por zocuni »
zocuni
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 1996
  • Recebeu: 763 vez(es)
  • Enviou: 364 vez(es)
  • +104/-22
Re: Reforma do Exército
« Responder #66 em: Fevereiro 14, 2019, 01:45:18 pm »
Além de haver de há uns anos para cá Praças que inclusivamente pagam para sair. Se no início da crise o ingresso nas Forças Armadas era encarado como uma forma de fugir ao desemprego, agora passa-se exactamente o contrário. E todos nós sabemos porquê e quais as razões para se estar a passar o que está a passar, discutimo-las aqui frequentemente.

Uma pessoa que me é muito próxima, e trabalha numa conhecida financeira, disse-me ainda há uns dias que todas as semanas lá aparecem militares, na sua maioria da categoria de Praças, ou a pedir simulações de empréstimo ou já a solicitar o mesmo por forma a pagar a indemnização por desvinculação de contrato, principalmente do Exército. Baixos salários, pouca motivação, etc, e estavam à espera do quê? Por isso é que quando falam dos 32 mil efectivos ainda há-que penar um bom bocado para atingir esse patamar que, segundo os últimos dados, não chega sequer aos 28 mil.  ::)
« Última modificação: Fevereiro 14, 2019, 02:56:56 pm por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 

*

zocuni

  • Especialista
  • ****
  • 982
  • Recebeu: 11 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +21/-0
    • http://www.mochileiros.com
Re: Reforma do Exército
« Responder #67 em: Fevereiro 14, 2019, 01:57:55 pm »
Eu andei a ler muitas coisas sobre o decréscimo de militares em nossas foras armadas e pelo que eu entendi se todos que se apresentam ficassem até ao fim não anadriamos longe dos 32000.
Aí vêm outras causas salrário de caixa de supermercado (e tenho todo o respeito por quem ganha a vida fazendo isso),pouco estimulo,horizontes muito curtos,pouco recohecimento e por aí vai.
Eu não sou dos que pensam que apesar de hoje em dia serem tropas profissionais e devem ser,os considerar um bando de mercenários e que para nada serviriam no mundo civil antes pelo contrário essas pessoas estão a dar os melhores anos de suas vidas,merecem respeito,tirando casos pontuais a maioria até pelo que se aufere vai por devoção e achando que o amanhã sera melhor e depois vêm que nada muda e se sentem defraudados.Dá que pensar.
Tem muita coisa errada.Vams acordar,
zocuni
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4115
  • Recebeu: 21 vez(es)
  • +25/-0
Re: Reforma do Exército
« Responder #68 em: Fevereiro 14, 2019, 05:26:33 pm »
O problema não é o que se faz agora. Mas o que se fez nos 80 e 90 em que se formavam blocos enormes de oficiais do Exército por causa da Guerra Fria. Teve de ser criada uma estrutura orgânica para os alojar. E muitos ainda estão no ativo.
Daqui por uns anos vai ter se de resuzir a orgânica porque agora formam-se muito menos oficiais
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

 

Unidades do Exército a "criar"

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 0
Visualizações: 2366
Última mensagem Junho 16, 2006, 01:28:18 pm
por PereiraMarques
Qual deveria ser a prioridade para o Exército até 2015-2020?

Iniciado por HSMW

Respostas: 265
Visualizações: 41052
Última mensagem Maio 04, 2016, 04:47:56 pm
por paraquedista
Novo sistema Anti-Carro para o Exército

Iniciado por typhonman

Respostas: 2
Visualizações: 2050
Última mensagem Julho 27, 2004, 09:27:57 pm
por Spectral
Exército Português volta a querer adquirir o EC 635T1

Iniciado por coleccionador

Respostas: 8
Visualizações: 5445
Última mensagem Setembro 20, 2004, 07:11:29 pm
por Ricardo Nunes
Qual o helicóptero para o gale? - Helicópteros do Exército

Iniciado por antoninho

Respostas: 49
Visualizações: 17774
Última mensagem Junho 24, 2006, 10:15:48 am
por fealcap