Missão militar portuguesa na RCA

  • 673 Respostas
  • 108110 Visualizações
*

MATRA

  • Membro
  • *
  • 203
  • Recebeu: 53 vez(es)
  • Enviou: 349 vez(es)
  • +16/-4
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #660 em: Agosto 16, 2019, 05:51:27 pm »
Porque raio as FFAA em pleno sec XXI, e com falta de efectivos que tem, desperdiçam Militares como este, com a experiência que tem.
A mais valia que elementos como este trariam para a Instituição deitada fora, porque raio não se constitui um quadro para a classe das Praças ???
Não consigo entender !!

Abraços

Concordo plenamente!

-Entre os 15 melhores do curso em 70.
-Com experiência de combate
-24 anos (com muito para dar ao nível operacional)
-Motivado!!

Onde vai em Portugal? .......... PARA CASA!
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8527
  • Recebeu: 781 vez(es)
  • Enviou: 1270 vez(es)
  • +82/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #661 em: Agosto 16, 2019, 06:13:04 pm »
Cada um sabe da sua vida mas as opções estão em cima da mesa desde o inicio.
Têm possibilidade de ingressar no quadro como Sargento e têm 6 anos para fazer pela vida. ESE, GNR, PSP são as opções mais comuns.

Aqui não parece ser o caso mas conheço muitos que sempre quiseram trabalho mínimo e responsabilidade zero durante esse tempo.
Depois vão-se chorar para o facebook que os mandaram para casa ao fim do contrato.


http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Camuflage

  • Investigador
  • *****
  • 1241
  • Recebeu: 72 vez(es)
  • Enviou: 32 vez(es)
  • +8/-31
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #662 em: Agosto 16, 2019, 08:33:31 pm »
Os limites de idade impostos atualmente não fazem sentido e são desadequados à nossa realidade. Se querem recrutar mais pessoas têm que alargar o limite de idade e alterar a forma de subir na carreira. Haverá cada vez menos jovens é um facto demográfico, portanto devem começar a usar a cabeça e fazer alterações aos acessos ao quadro e limites de idade.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 3816
  • Recebeu: 1739 vez(es)
  • Enviou: 665 vez(es)
  • +489/-68
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #663 em: Agosto 16, 2019, 08:45:58 pm »
Porque raio as FFAA em pleno sec XXI, e com falta de efectivos que tem, desperdiçam Militares como este, com a experiência que tem.
A mais valia que elementos como este trariam para a Instituição deitada fora, porque raio não se constitui um quadro para a classe das Praças ???
Não consigo entender !!

Abraços


Por causa disto:



 ;)

Gastos com vencimentos na classe de Praças ???
Stalker sabes quanto ganha um Praça ou um 1º Cabo ??
Se fosse um oficial ou até um sargento concordava contigo até porque se num Exército com 12.500 efectivos, os Oficiais e Sargentos já são mais de 6000, o suficiente para um Exército com mais do triplo de efectivos, só em Praças, agora existir um quadro permanente para Praças ser um custo por aí além, desculpa, mas não concordo, porque os vencimentos da totalidade dos Praças representa cerca de 15% do total que é dispendido em vencimentos no Exército.

Abraços
« Última modificação: Agosto 16, 2019, 09:36:55 pm por tenente »
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8527
  • Recebeu: 781 vez(es)
  • Enviou: 1270 vez(es)
  • +82/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #664 em: Agosto 16, 2019, 08:59:05 pm »
Concordo. O limite de 24 anos é absurdo.

Outra medida que faria sentido e garantia um certo numero de efectivos seria a obrigatoriedade de serviço militar para ingresso nas PSP, GNR e GP.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 3816
  • Recebeu: 1739 vez(es)
  • Enviou: 665 vez(es)
  • +489/-68
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #665 em: Agosto 16, 2019, 09:37:34 pm »
Concordo. O limite de 24 anos é absurdo.

Outra medida que faria sentido e garantia um certo numero de efectivos seria a obrigatoriedade de serviço militar para ingresso nas PSP, GNR e GP.

como acontecia nas décadas de 80 e 90 !!

Abraços
 

*

Red Baron

  • Perito
  • **
  • 300
  • Recebeu: 61 vez(es)
  • Enviou: 84 vez(es)
  • +76/-17
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #666 em: Agosto 16, 2019, 09:51:28 pm »
Os limites de idade impostos atualmente não fazem sentido e são desadequados à nossa realidade. Se querem recrutar mais pessoas têm que alargar o limite de idade e alterar a forma de subir na carreira. Haverá cada vez menos jovens é um facto demográfico, portanto devem começar a usar a cabeça e fazer alterações aos acessos ao quadro e limites de idade.

Isso e oferecer isenção de propinas no ensino superior e dar pontos para a nota de entrada nos cursos.
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6768
  • Recebeu: 311 vez(es)
  • Enviou: 201 vez(es)
  • +177/-0
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #667 em: Agosto 16, 2019, 09:58:03 pm »
Os Politécnicos estão quase todos às moscas... E as FA a pagar cerca de 900€  de propinas por ano nem gastavam muito... Bastava protocolar uma determinada % de vagas e uma ou duas épocas de avaliação suplementar para militares.
 

*

smg

  • Membro
  • *
  • 52
  • Recebeu: 66 vez(es)
  • +35/-0
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #668 em: Agosto 16, 2019, 11:05:07 pm »
Boa noite . Entretanto na RCA , a tal UPC continua a fazer das suas . Segundo a própria ONU , é o grupo responsável por mais violações dos acordos de paz de Cartum . Parece que eles , assim como outros grupos  , andam a comprar armas no Chade e no Sudão . Deve ser para repor o stock , depois dos portugueses terem apreendido muito armamento . O chefe  , Ali Darrassa , foi nomeado  'conselheiro para a segurança ' , uma espécie de 'tacho' que arranjaram para vários chefes de grupos armados , mas nem isso parece ser suficiente para o acalmar .
Falando em armas , os russos andam a fornecer armamento às FACA para 8 batalhões , cerca de 2700 soldados formados por eles e pela EUTM . Bem que precisam dele . Parece que em certas zonas , as FACA só saem do quartel acompanhadas por tropas da Minusca  e evitando sempre as zonas onde se encontram os grupos armados . Assim vai ser difícil restabelecer a autoridade do estado em todo o território .
Em relação à entrevista , um mês para se habituar ao clima , não é um pouco exagerado ? Ou simplesmente não houve necessidade de recorrer à PQRF ,e por isso tiveram esse tempo todo disponível ? Sendo os paraquedistas uma componente habitual da FRI ,devem poder ser projectados para um TO num curto espaço de tempo e entrar logo em acção . Sei que é sempre arriscado comparar épocas e situações diferentes , mas o meu pai acabou o curso de paraquedismo em março de 1961 , e seguiu para Angola em abril com a 2CCP . Diz que foi aterrar em Luanda , sair do avião , equipar-se e foram logo mandados para Ucua que tinha sido atacada . O que encontraram lá ,não vale a pena contar aqui , mas não tiveram sequer um dia para se aclimatar . Foram de imediato para o mato e para a guerra . Ouço às vezes alguns militares falarem da menor rusticidade das gerações mais novas . O que é isso afinal ? E isso pode explicar certas situações como esta , ou não tem nada a ver ? Agradeço desde já as respostas .
Um abraço .
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, HSMW

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8527
  • Recebeu: 781 vez(es)
  • Enviou: 1270 vez(es)
  • +82/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #669 em: Agosto 17, 2019, 09:24:52 am »
Provavelmente só não houve necessidade de serem empenhados nesse mês para além de um normal período de habituação...

http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

asalves

  • Perito
  • **
  • 401
  • Recebeu: 134 vez(es)
  • Enviou: 46 vez(es)
  • +20/-8
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #670 em: Setembro 05, 2019, 03:00:25 pm »
Boa noite . Entretanto na RCA , a tal UPC continua a fazer das suas . Segundo a própria ONU , é o grupo responsável por mais violações dos acordos de paz de Cartum . Parece que eles , assim como outros grupos  , andam a comprar armas no Chade e no Sudão . Deve ser para repor o stock , depois dos portugueses terem apreendido muito armamento . O chefe  , Ali Darrassa , foi nomeado  'conselheiro para a segurança ' , uma espécie de 'tacho' que arranjaram para vários chefes de grupos armados , mas nem isso parece ser suficiente para o acalmar .
Falando em armas , os russos andam a fornecer armamento às FACA para 8 batalhões , cerca de 2700 soldados formados por eles e pela EUTM . Bem que precisam dele . Parece que em certas zonas , as FACA só saem do quartel acompanhadas por tropas da Minusca  e evitando sempre as zonas onde se encontram os grupos armados . Assim vai ser difícil restabelecer a autoridade do estado em todo o território .
Em relação à entrevista , um mês para se habituar ao clima , não é um pouco exagerado ? Ou simplesmente não houve necessidade de recorrer à PQRF ,e por isso tiveram esse tempo todo disponível ? Sendo os paraquedistas uma componente habitual da FRI ,devem poder ser projectados para um TO num curto espaço de tempo e entrar logo em acção . Sei que é sempre arriscado comparar épocas e situações diferentes , mas o meu pai acabou o curso de paraquedismo em março de 1961 , e seguiu para Angola em abril com a 2CCP . Diz que foi aterrar em Luanda , sair do avião , equipar-se e foram logo mandados para Ucua que tinha sido atacada . O que encontraram lá ,não vale a pena contar aqui , mas não tiveram sequer um dia para se aclimatar . Foram de imediato para o mato e para a guerra . Ouço às vezes alguns militares falarem da menor rusticidade das gerações mais novas . O que é isso afinal ? E isso pode explicar certas situações como esta , ou não tem nada a ver ? Agradeço desde já as respostas .
Um abraço .

Pelo que li as nossas forças na RCA eram suposto serem usadas muito esporadicamente, contudo devido a todo um conjunto de situações acabam por fazer mais do que era suposto inicialmente. Provavelmente tiveram 1 mes pois não foi urgente serem usadas mais cedo.

Em relação ao antigamente, uma coisa é estas missões que são planeadas com 1 ano de antecedência e que bem ou mal não temos necessidade de ir a correr resolver o problema, outra coisa é estar em guerra durante uns anos, em que o território nacional está em perigo, e que existe escassez de homens no terreno, e ai encurta-se etapas, muitas das vezes isso trás consequências mais ou menos visíveis.
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3045
  • Recebeu: 127 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +128/-32
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #671 em: Setembro 07, 2019, 03:33:38 pm »
Concordo. O limite de 24 anos é absurdo.

Outra medida que faria sentido e garantia um certo numero de efectivos seria a obrigatoriedade de serviço militar para ingresso nas PSP, GNR e GP.

como acontecia nas décadas de 80 e 90 !!

Abraços

Acho que no governo do PP meteram uma percentagem, mas foi abolida.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14980
  • Recebeu: 988 vez(es)
  • Enviou: 938 vez(es)
  • +171/-167
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

LM

  • Analista
  • ***
  • 738
  • Recebeu: 109 vez(es)
  • Enviou: 693 vez(es)
  • +96/-0
Re: Missão militar portuguesa na RCA
« Responder #673 em: Setembro 14, 2019, 05:38:25 pm »
Deve haver forma de colocar o vídeo sem ser por link do FB, mas eu não sei como...

https://www.facebook.com/277993702401379/posts/1142224855978255/?sfnsn=mo

"Uma Força fabulosamente capaz, rápida e eficaz".

Foi assim que Al Venter, um dos autores e investigadores militares anglo-saxónico mais reconhecidos do mundo, descreveu a Força de Reação Rápida, das Forças Armadas Portuguesas, em missão na República Centro-Africana ao serviço das Nações Unidas desde 2017.

Al Venter esteve recentemente em Portugal, para preparar o seu próximo trabalho, um livro sobre os militares portugueses em Forças Nacionais Destacadas na República Centro-Africana.

Durante a estadia, foi entrevistado pela RTP e recebido em audiência de cumprimentos pelo CEMGFA, Almirante António Silva Ribeiro, Al Venter apresentou o projeto do livro, tendo recebido o apoio do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

Ainda este mês, o escritor vai deslocar-se à República Centro Africana, onde visitará a 6ªForça Nacional Destacada na Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana e a Missão de Treino da União Europeia.
« Última modificação: Setembro 14, 2019, 05:48:54 pm por LM »
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

 

Origem da palavra "Commando" portuguesa?

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 1
Visualizações: 2634
Última mensagem Setembro 03, 2005, 11:58:47 pm
por dremanu
Legião Estrangeira Portuguesa (LEP)

Iniciado por Miguel

Respostas: 58
Visualizações: 22751
Última mensagem Setembro 09, 2008, 10:10:53 am
por Dead_Corpse
Mísseis de Concepção Portuguesa

Iniciado por Luso

Respostas: 11
Visualizações: 8882
Última mensagem Outubro 18, 2008, 06:51:06 pm
por Nitrox13
Legião Portuguesa

Iniciado por inox

Respostas: 6
Visualizações: 4396
Última mensagem Fevereiro 19, 2009, 06:28:05 pm
por teXou
A unidade militar mais "dura"

Iniciado por Yosy

Respostas: 17
Visualizações: 8777
Última mensagem Julho 09, 2005, 06:05:45 pm
por Yosy