Petição: TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!

  • 3 Respostas
  • 3167 Visualizações
*

paraquedista

  • Membro
  • *
  • 262
  • Recebeu: 33 vez(es)
  • Enviou: 22 vez(es)
  • +1/-0
Petição: TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!
« em: Março 11, 2016, 03:16:22 pm »
TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!

Para: ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA /PRESIDENTE DA REPÚBLICA

1952 - É promulgada a Lei 2055, de 27 de Maio, que cria a Força Aérea Portuguesa como ramo independente das Forças Armadas. Esta Lei, no seu art. nº 9, prevê a constituição de uma unidade de pára-quedistas.
De acordo com o art. 20 do Decreto-Lei nº 40395 (Regulamento para a Organização, Recrutamento e Serviço das Tropas Pára-quedistas) é autorizado, pela primeira vez na história dos uniformes das Forças Armadas Portuguesas, o uso de uma boina como cobertura de cabeça. As tropas pára-quedistas usam a Boina Verde.
1956 - É criado o Batalhão de Caçadores Pára-quedistas - BCP (Portaria Nº 15671, de 26 de Dezembro de 1955), com sede em Tancos e dependente da recém criada Força Aérea Portuguesa.
 23 de Maio de 1956 - É oficialmente inaugurado o BCP em Tancos, tendo presidido à cerimónia o Subsecretário de Estado da Aeronáutica, Coronel Kaúlza de Arriaga.
 1985 - (Janeiro, 03) - O Estandarte Nacional do CTP, herdeiro do património moral e histórico dos Batalhões de Caçadores Pára-quedistas, é condecorado com a Ordem Militar da Torre e Espada do Valor Lealdade e Mérito pela acção das tropas pára-quedistas no antigo Ultramar Português.
1987 - (Dezembro, 07) - A BETP é condecorada com a Medalha de Ouro de Serviços Distintos.
1991 - A BOTP1 (Monsanto) é desactivada e todos os seus meios materiais e humanos são transferidos para a BOTP2 (S. Jacinto).
Julho, 05 - Durante as cerimónias do 35º Aniversário da criação das Tropas Pára-quedistas, em Tancos, o Ministro da Defesa Nacional, Dr Fernando Nogueira, no seguimento de um anúncio já feito em Bruxelas, confirma que a transferência das Tropas Pára-quedistas para o Exército é irreversível e terá lugar em 1 de Janeiro de 1994.
Hoje, a grande maioria de Pára-quedistas militares, e antigos combatentes Caçadores Pára-quedistas, anseia voltar à sua mãe natural (Força Aérea Portuguesa) como sua Força Especial, pois a actual situação, não faz qualquer sentido estratégico/militar.
Pede deferimento.


ASSINAR Petição

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT80347
« Última modificação: Março 11, 2016, 03:23:46 pm por paraquedista »
 

*

paraquedista

  • Membro
  • *
  • 262
  • Recebeu: 33 vez(es)
  • Enviou: 22 vez(es)
  • +1/-0
Re: Petição: TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!
« Responder #1 em: Março 11, 2016, 03:19:47 pm »
Fonte: Operacional.pt


O ADN das TROPAS PARAQUEDISTAS PORTUGUESAS remonta ao ano de 1955, data do regresso a Portugal dos 192 militares (oficiais, sargentos e praças oriundos dos três ramos) que, na Base Aérea de Alcantarilla (Espanha) frequentaram, com aproveitamento, um curso de paraquedismo militar.

O primeiro salto é efetuado em 27 de maio, e o último a 9 de julho de 1955. Terminava assim, o chamado “Curso de Espanha” que permitiu o decisivo arranque do paraquedismo militar português. Segue-se um trabalho notável de oficiais, sargentos e praças que, juntos, souberam ultrapassar inúmeras e diversificadas vicissitudes. De todas, refere-se por especial interesse histórico, a questão tutelar: em que ramo deveria ser incorporada como unidade organizada? Responde o General Kaúlza Oliveira de Arriaga, oficial-general oriundo da arma de engenharia, e principal responsável pela criação e organização das TROPAS PARAQUEDISTAS PORTUGUESAS:

“…no Exército continuava, debalde, o debate sobre se deveria ou não criar-se uma (ou mais) unidades com caraterísticas especiais. Era o dilema das massas indiferenciadas e das elites apuradas.”

“…Mas o Ministro da Defesa Nacional acabou por fazer vigorar, através de um critério pragmático, a conceção da existência de um corpo de forças especiais – as TROPAS PARAQUEDISTAS – na Força Aérea. Critério fundamentado, em primeiro lugar, na indispensabilidade de forças especiais, dado ser impossível, por carência de matéria-prima humana e por falta de recursos financeiros, dar à totalidade dos efetivos uma preparação minimamente compatível com algumas importantes exigências da guerra moderna, fosse ela convencional, nuclear ou subversiva, acrescendo, no caso vertente, existirem missões que só as Tropas Paraquedistas podiam executar. Critério fundamentado em segundo lugar, na posição, ainda então solidamente vigente no Exército, ou mais precisamente nos seus Chefes, e não na Força Aérea, contra as forças especiais, o que aconselhava a colocação das Tropas Paraquedistas nesta Força Aérea, que as acarinhava, e não naquele Exército, onde estariam condenadas à dissolução precoce.”

Decidida a questão tutelar, a unidade especial então ativada, o BCP, transforma-se numa das mais avançadas para a época, tanto na sua organização, como no seu armamento, equipamento, uniformes, emblemática, cânticos e mística. Por tudo isto, as TROPAS PARAQUEDISTAS tornaram-se uma referência incontornável no seio das Forças Armadas, servindo ao longo destas seis décadas, sempre, com invulgar coragem, determinação e amor pátrio.

ENTREGA DO GUIÃO

14 de agosto de 1955: por ocasião de uma cerimónia militar, em Lisboa, alusiva ao «Dia da Infantaria», o Batalhão de Caçadores Paraquedistas (BCP) faz a sua apresentação à Nação. O capitão Armindo Martins Videira, paraquedista militar português nº 1 e o primeiro comandante da novel unidade, recebe das mãos do Presidente da República, General Francisco Higino Craveiro Lopes, o seu primeiro Guião. Orgulhosos e já com a sua bandeira distintiva integrada, o BCP desfila “…impressionante e espetacularmente, dando uma sensação invulgar de aprumo e atavio, de força e poder…” pela emblemática avenida da Liberdade, e sob o olhar atento de muitos milhares de portugueses que testemunharam esta solenidade.

Na "Rotunda" em Lisboa, junto ao Parque Eduardo VII, o BCP recebe o seu Guião. Dentro de minutos vão desfilar, e impressionar, criando uma excelente "primeira opinião" na assistência.
Na “Rotunda” em Lisboa, junto ao Parque Eduardo VII, o BCP recebe o seu Guião. Dentro de minutos vão desfilar, e impressionar, criando uma excelente “primeira opinião” na assistência.

O GUIÃO DO BATALHÃO DE CAÇADORES PARAQUEDISTAS

Este modelo do primeiro guião das TROPAS PARAQUEDISTAS, apesar da sua simplicidade, univocidade e proporção, apresenta algumas curiosidades na sua realização plástica e no seu ordenamento que importa relevar. Usado oficialmente no período compreendido entre 14AGO55 e 19SET60, o primeiro guião tinha a seguinte constituição:

Fundo: de seda bordado (ou equivalente), quadrado, de 0,80 m de lado; em azul-Força Aérea; bordadura simples e cordões com borlas de ouro e azul.

Escudo: duas metralhadoras passadas em aspa, douradas, sobrepostas a um paraquedas aberto, em prata.

Divisa: QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM, inscrita num listel branco por baixo do escudo, à distância de 0,10 m, em letras negras.

Designação: BATALHÃO DE PARAQUEDISTAS, por cima do escudo, à distância de 0,10 m, em letras douradas.

Particularidades: ligação à haste por quatro alças (ou dentículos) de 0,08 m de altura; haste de madeira de 2,40 m de comprimento e 0,029 m de diâmetro.

Foto de réplica do Guião do BCP.
Foto de réplica do Guião do BCP.

CURIOSIDADES

A primeira curiosidade que o guião apresenta, prende-se com a designação da unidade inscrita, pois omite o adjetivo “CAÇADORES”. Acresce, ainda, que a palavra PARAQUEDISTAS aparece escrita sem o hífen, tal como impunha a grafia da época.

Este primeiro guião das TROPAS PARAQUEDISTAS foi o único com fundo azul-Força Aérea, pois este ramo (foi o primeiro nas Forças Armadas a definir com precisão a sua vexilologia e heráldica) viria a regulamentar, pela primeira vez, o modelo e uso das suas bandeiras distintivas, através da Portaria Nº17950 de 20SET60. Assim, a partir desta data, os guiões a usar na Força Aérea ficaram totalmente definidos e regulamentado o seu uso.

REGULAMENTO HERÁLDICA DA FORÇA AÉREA

Apesar do guião já apresentar algumas caraterísticas que este novo diploma impunha a partir de 1960, o fundo para as unidades paraquedistas passou a ser em verde; igualmente a bordadura simples terminada em borlas foi, também, alterada e substituída por canutilhos prateados de 0,035 m. Por tudo isto, o BCP ainda veio a conhecer um novo guião (20SET60), desta feita já confecionado conforme as novas regras.

Este regulamento vigorou, com pequenas alterações nas dimensões estipuladas, até 1978, ano em que foi introduzido, um novo Regulamento de Heráldica da Força Aérea (provisório). Em 1985 é publicada a versão definitiva através da Portaria Nº309 de 25MAI85.
« Última modificação: Março 11, 2016, 05:40:56 pm por paraquedista »
 

*

paraquedista

  • Membro
  • *
  • 262
  • Recebeu: 33 vez(es)
  • Enviou: 22 vez(es)
  • +1/-0
Re: Petição: TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!
« Responder #2 em: Março 11, 2016, 07:44:40 pm »
A opinião e razões dos signatários da Petição: TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!, para ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA /PRESIDENTE DA REPÚBLICA



Nome                      Comentário

António F.   Concordo que as Tropas Pára-Quedistas voltem às suas origens e regressem em força à casa Mãe (Tancos)

jose m. ex   tenmilart de 1979 a 1986 !

Luís S.   N há duvidas

serafim m.   totalmednte de acordo

António .   Éo lugar onde os Páras pertensem

João S.   Todo o meu Apolo, pois os paraquedistas são a elite da força aérea como os fuzas para a marinha e os comandos para o exército!!!

Álvaro .   Embora já lá não esteja apoio a 100 por cento.

Avelino N.   Os Pára-quedistas, por o serem, necessitam de meios aérios para efectuarem as missões que, para as quais, foram formados e treinados. Só a nossa Força Aérea os tem.

Domingos L.   visto que os avioes estao na força aérea tem toda a logica 

Paulo B.   TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA

João C.   Vamos em frente e para o lugar que merecemos

José M.   Hora de colocar os Pára-quedistas onde pertencem, e acabar com o corporativismo do Exército que usa os Páras para se auto promover , para justificar existência de meios materiais, pessoais e logisticos e não entende a mistica e o Que é uma Tropa Pára-quedistas

Adérito S.   QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM

Fernando .   É o seu lugar e não sei porque deixou de ser. 

Artur G.   O seu a quem lhe pertence !

Luis m.   para quedistas na força aérea 

José S.   Nunca deveria ter saído da Força Aérea Portuguesa...! Infelizmente a continuidade no Exército, é igual a se prostituírem.....! 

Antonio o. Já era ontem foi o maior erro da história dos paraquedista foi dar um tiro no próprio pé

carlos s.   Paraquedistas na força aérea,já

Rui M.   De volta pra onde nunca deviam ter saído e sempre respeitados. QNPVC

José C.   Nunca deviamos ter saído da Força Aerea.

João L.   A Força Aérea Portuguesa é sem dúvida e com provas dádas no passado, o ramo das Forças Armadas Portuguesas com a devida capacidade de meios e organização para integrar as Tropas Pára-Quedistas Portuguesas.

jose c.   força aérea já

Carlos S.   Honrar a história desta força institucional 

Marco .   A minha recruta foi a última da força área 6 de novembro de 1993,em 1994,vi a transferência para o exército,está na hora dos paras voltarem para força aérea,abraços a todos os paras de Portugal.

João J.   Sol/Para 055164-D

Alcides V.   Que nunca por vencidos se conheçam

Paulo C.   Nunca de la deveriam ter saido, como filho da escola a cada 23 maio sinto me cada vez mais maltratado!

Jorge .   Acho que uma tropa de elite como os páraquedistas tinham que voltar a pertencer a força aérea como sempre o foram eu como ex páraquedista apoio 100 % páras sempre unidos ! 

paulo m.   A favor da mudsnça.

pedro l.   Naõ faz QUALQUER SENTIDO as TROPAS PÁRA-QUEDISTAS ESTAREM NO EXERCITO! É vergonhoso a maneira como esta força foi colocada no exercito! Gostava que houvesse mais respeito por quem governa este pais por esta força! São soldados a parte...foram criados com base na exclusividade das suas operações...pioneiros em portugal! Deveriam voltar a força aerea pois é a unica logica que existe! Duvido que algum representante do governo ou quem foi o responsavel por esta estupidez leia o meu comentario...mas ja agora permitam-me dizer isto: " É ridiculo a forca aerea demonstrar as suas capacidades em qualquer exercicio onde os PÁRA-QUEDISTAS serao uma das suas forças e a comunicaçao social ser obrigada a referir esta frase: ´com a ajuda dos paraquedistas do exercito portugues´??? Chega de ridicularizar as TROPAS PÁRA-QUEDISTAS...NUNCA DEVERIAM TER SAIDO DA FORÇA AEREA.

Joaquim D.   Faz todo o sentido o regresso à Força Aerea

Francisco .   Gente Ousada Mais Que Quantas PARAQUEDISTAS SEMPRE até á Elevação aos CÉUS.

Emanuel d.   Não me revejo no actual estado dos Paraquedistas , os valores e mistica q nos foi passado eram outros !!!! querer comparar o q eu vivi entre 85/87 na CP-312 com actualmente , é pura e mera ficção... 

Mário P.   Nunca deviamos ter saído da Força Aerea Portuguesa. 

joaquim j.   concordo plenamente.

Rui A.   Os Paraquedistas a sua origem é a Força Aérea Maior erro das Forças Armadas mudar para o exercito
EDUARDO B. Acho muito bem o seu retorno a forca aeria,foi la que foram criadas as tropas paraquedistas e la se criou a nossa mistica.Nao nos revemos no exercito onde somos consideradoa o filho bastardo!

Carlos L.   Já

Rudi .   Já era altura,vamos em frente! boa sorte BETP 

José F.   Como tropa de elite que é faz todo o sentido estar vinculada á Força Aerea; nós não saltamos de chaimites mas de aviões!!

Antonio c.   Nunca deviam ter deixado à FAP.

Francisco F.   Nunca deveria ter saido 

joao L.   Para mim é uma questão de continuidade , fui para , na força aerea e là deve contunuar. No exercito os comandos , na marinha os fuzileiros e os paras na força aerea , tambem por uma questão de equilibrio.Não hà melhores ou piores , somos todos diferentes e hà que manter a mistica.

Horácio .   Sempre prontos.

Manuel M.   Que nunca por vencidos se conheçam

Antonio S.   nunca devia ter sido de outra forma

António B.   Nunca de lá deveriam ter saído.

Dario A.   Ontem já era tarde...

José M.   Estou Plenamente de acordo que O Corpo de Tropas Para - Quedistas voltem para de onde pertencem e mais identificados estão, fomos sempre uma tropa de Elite da Força Aérea com uma das Fardas Militares mais bonitas.
 
Paulo T.   Fiz parte do Corpo Tropas Para-Quedistas, e fiquei destroçado quando fomos retirados da Força Aérea, espero um dia voltar a ver tudo englobado de novo, 

Luis c.   Para quedistas pertencem a FAP

Abel M.   Nunca deviam de ter saído da FAP.

Eugenio R.   Acho muito bem!

nelson s.   paraquedista a tropa especial da forca aerea 

bruno c.   Já devia MOS a muito tempo atrás 

Mario M.   Nunca devia ter saído de lá. e sabemos porque saiu.

Luis P.   Nunca deviam ter saído da Fap.

Rocha J.   Força Área sempre nunca exército

« Última modificação: Março 11, 2016, 07:57:23 pm por paraquedista »
 

*

paraquedista

  • Membro
  • *
  • 262
  • Recebeu: 33 vez(es)
  • Enviou: 22 vez(es)
  • +1/-0
Re: Petição: TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA!
« Responder #3 em: Março 11, 2016, 07:53:23 pm »
Nome                                Comentário

domingos a.   era bom voltar-mos a origem ou seja fap 

Ricardo T.   9034850

DOMINGOS B.   QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇÃM.

pedro g.   Ja que ñ passei por lá que as futuras gerações usufruam do orgulho dos nossos mais antigos!!
 
José A.   Nunca deveriam ter saído da FA. Foi mais uma das muitas asneiras políticas que se fazem neste país.
luis r.   Nunca devia ter saído da força aérea,não tem nada a ver uma boina verde,com uma farda verde,nunca se podemos misturar com o exercito,sempre fomos uma tropa especial Que nunca por vencidos se conheçao

Celso W.   De acuerdo. .

Manuel S.   assino esta petição com muito gosto.

Vitor S.   Se a marinha tem os Fusos, o exercito não precisa dos Comandos e Pára-Quedistas. Vamos devolver os Páras á Fap de onde nunca deviam ter sáido, se os Srs. das estrelas assim o permitirem. Honra-se a Pátria de Tal gente.

Roberto E.   Concordo. As tropas pára-quedistas nunca deviam ter saído da Força Aérea. Devem voltar para a FAP.

carlos c. devem regressar a força aerea de onde nunca deveriam ter saido pois todo o meu tempo que estive nos para-quedistas 1966 a fins 1969 na altura R.C.P depois servi no B.C.P.21 saudaçoes para-quedistas 

Pedro G.   So têm a beneficiar com esta alteração.

Pedro V.   Os Pára-Quedistas pertencem à Força Aérea por natureza, e com isto quero significar que os Pára-Quedistas precisam da Força Aérea para cumprirem os seus objetivos e missões, não faz sentido pertencerem a ramos diferentes das Forças Armadas.
Carlos .   Vamos honrar as nossas raízes e respeitar o sangue e sacrifício,derramado por todos aqueles que lutaram por uma causa e por uma convicção!

João P.   TROPAS PÁRA-QUEDISTAS, PARA A FORÇA AÉREA! 

João B.   nunca deviam ter saido da Força Aérea Portuguesa

José P.   Paraquedista NIP- 041025-L

António C.   De 1987 a 1989 pertenci aos Paraquedistas e á Força Aérea! Podiam ser do exercito?... Podiam, mas não é a mesma coisa!
 
JOSÉ M.   Nunca deveria ter saído 

Jorge R.   Devemos voltar á Força Aérea, quanto mais depressa melhor, saltamos de avião, não saltamos de chaimite. 

Mário .   Acabar com o que foi um dia a má ideia de um indivíduo, repondo a justiça devida a esta tropa tão nobre e rica de tradição.
 
José D.   Ontem já era tarde.

Victor A.   Fui para-quedista em 1990/91 e sempre fui contra em os PARA-QUEDISTAS passarem para o exercito. Os Paras sempre foram uma tropa especial da força aérea.

Edgar M.   965300022

fernando p.   nunca de la deviamos ter saido !!!!!!!!

Francisco P.   concordo plenamente que a força especial de tropas paraquedistas faça parte da força aérea.

Carlos M.   Como Pára-quedista que fui de 1974-1976, desloquei-me de Macedo de Cavaleiros ao Entroncamento, e assisti à reunião onde se discutiu a saida dos Pára-quedistas da Força Aérea para o Exercito, desde logo me manifestei contra essa saida, porque vi logo que o interesse eras dos Srs. dos galões para terem mais uns trocados no fim do mês e subirem na carreira para terem uma boa reforma e não do interesse dos Pára-quedistas. Com a passagem dos PQs. para o Exercito, tem vindo a perder-se todo o seu espírito, que tinha antes da sua passagem, que para mim é a melhor força militar de Portugal. Por isso serei sempre a favor do regresso dos Pára-quedistas à Força Aérea. 

Luis P.   Subscrevo na sua plenitude esta petição. Na minha modesta opinião, só peca por tardia. Um grande Abraço. Para-quedista do 40.º curso de 1966.

Mário S.   Mário Rui Rodrigues Salcedas

Amilcar R.   Nunca deviam ter saido da forca aerea portuguesa 

António .   Faz toda a lógica 

Antonio S.   Os Paraquedistas sempre deveriam pertencer á Força Aerea como em 1963 quando eu fui para o RCP, somos e seremos a força de elite das Forças Armadas.

luis c. acho muito bem

jose l.   Que nunca por vencidos se conhecao

Fernando N.   No meu tempo os Pára-quedistas estavam enquadrados na Força Aérea, e quanto orgulho eu sentia por vestir aquela farda. e já agora porque não voltarmos ao nosso camuflado ímpar.
 
João S.   Nao devia era ter saido de la,e vergonhoso pertencer ao arremacho

José C.   Concordo com o regresso dos Paraquedistas,á Força Aérea, donde nunca deveriam ter saído.

Antonio P.   A nossa Família sempre pertenceu á F.A.P. não sei de quem foi a ideia de meter o Corpo de Tropas Paraquedistas incorporado no Exercito,deixei de ir ao dia de Unidade por causa desta Situação eu e muitos mas muitos Companheiros de Armas < QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM >

Fernando A.   Tem de se formar uma comissão e haver manifestações a nível nacional, para dar visibilidade á causa. Sinto-me triste e defraudado com o rumo da minha tropa. 

Ernesto L.   Nunca devia ter saido da força aérea

Fernando C.   Tirar os páraquedistas da Força Aérea é tirar deles a história e os feitos.É assassinar milhares de lembranças e histórias pessoais.Páraquedistas na Força Aérea JÁ.

Jose .   Como nos velhos tempos, os filhos nunca devem abandonar os Pais 

José F.   Que nunca por vencidos se conheçam.Fernandes sol/pq:104609-j 173º curso 02/93 brevet :134137. Honra-se a pátria de tal gente.

Joao D.   nunca deviam ter saído da FORÇA AÈREA

Mario O.   Já ontem era tarde.

Carlos C.   Na minha opinião, depois de tantos anos agregada à FAP e como símbolo de elite ficava bem o uniforme azul que usou durante tantos anos. 

Nuno n.   Sempre sera melhor.pk no arremacho descreminam a nossa tropa
 

 

Açores: radares de defesa aérea a partir de 2011

Iniciado por pmdavila

Respostas: 18
Visualizações: 9188
Última mensagem Maio 20, 2008, 04:09:50 pm
por Lancero
FAP A-10 em treino na base aérea Monte Real

Iniciado por antoninho

Respostas: 93
Visualizações: 22590
Última mensagem Fevereiro 23, 2007, 06:19:12 am
por Nuno Bento
Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo

Iniciado por Mar Verde

Respostas: 382
Visualizações: 61911
Última mensagem Agosto 04, 2019, 09:04:21 pm
por zawevo
BA11 - Base Aérea Beja

Iniciado por asalves

Respostas: 22
Visualizações: 2066
Última mensagem Julho 19, 2019, 09:51:03 am
por alphaiate
Base Aérea na Madeira

Iniciado por pedro

Respostas: 132
Visualizações: 27983
Última mensagem Fevereiro 24, 2006, 11:54:38 pm
por pedro