Indústria de Defesa do Brasil

  • 221 Respostas
  • 49903 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #60 em: Janeiro 25, 2016, 08:51:23 pm »
Monóculo OLHAR VDN - X1



O Monóculo OLHAR VDN - X1 é um produto com tecnologia nacional destinado a auxiliar a visão do operador em ambientes adversos, tais como: com cobertura de fumaça, névoa ou poeira. Sendo extremamente leve, este equipamento pode ser acoplado em capacetes, fuzis e metralhadoras de calibres 7,62mm e 5,56mm além da possibilidade de ser utilizado por empunhadura manual ambidestra.

Sendo um sistema multi-propósito, reúne a mais moderna e miniaturizada tecnologia em detectores termais, microeletrônica e óptica. Por ser compacto, leve e intuitivo de operar, este equipamento de imagem térmica foi desenvolvido para as Forças Armadas mas pode ser utilizado pelas Forças de Segurança Pública.


Saída de vídeo:   NTSC vídeo composto
Operação:   Manual ou por controle remoto
Retículos:   Dot, Mil Dot e Cruz
Ajuste de elevação e azimute:   Digital
Zoom:   Digital 2x
Campo de Visão (FOV):   32º(H) x 24º(V)
Modo Básico
7.3º(H) x 5.4º(V)
Modo Caçador
Bateria Tipo:   3 baterias tipo CR123 - 3V
Autonomia:   Até 5 horas contínuas
Peso:   552 g no modo básico sem baterias
Dimensões:   187,2mm x 78mm x 64mm




Fonte: http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/79-monoculo-olhar-vdn-x1#visão-geral
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #61 em: Janeiro 25, 2016, 08:53:02 pm »
Morteiro Leve Antecarga 60 mm



O Morteiro Leve Antecarga 60 mm (Mrt Lv Acg 60 mm) é um armamento de tiro indireto destinado ao emprego em todas as fases do combate e capaz de fornecer um eficaz apoio de fogo para as unidades de tropa a nível pelotão/companhia. O morteiro tem a capacidade de atirar com munições calibre 60 mm, dos tipos alto-explosivas, fumígenas e iluminativas, fabricadas segundo o padrão OTAN.

É composto de tubo-canhão, placa-base e reparo-bipé e tem como principais características: o peso total menor que seus antecedentes nacionais, o que possibilita grande flexibilidade de emprego e rapidez nas mudanças de posição; possui elevada precisão e alcance tendo a capacidade de operar em elevadas cadências de tiro, assim como em condições topográficas adversas.


Peso total:   12,9 kgf
Alcance:   2.200 m
Cadência de tiro sustentada:   10 tiros / minuto, contínua
Cadência de tiro acelerada:   12 tiros / minuto, no máximo 1 minuto


http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/80-morteiro-leve-antecarga-60-mm#visão-geral
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #62 em: Janeiro 25, 2016, 08:54:12 pm »
Míssil Superfície-Superficie 1.2 AC (MSS 1.2 AC)



O Sistema Míssil Superfície-Superfície 1.2 Anticarro (MSS 1.2 AC) tem como objetivo atender ao combate moderno, em que é necessária grande mobilidade, precisão, elevada potência de fogo e capacidade de engajar diferentes tipos de alvos.

O MSS 1.2 AC possui alcance de 2000 m para emprego principalmente contra viaturas blindadas. Alternativamente, pode ser disparado contra casamatas, pequenas construções, embarcações e helicópteros pairando a baixa altura.

O guiamento é do tipo autoguiamento indireto por um feixe laser projetado pela unidade de tiro. O míssil possui cabeça de guerra do tipo carga oca e conjunto propulsor de dois estágios.

Guiamento:   feixe laser
Calibre:   130 mm
Comprimento:   1,52 m
Massa do míssil e tubo lançador:   24 Kg
Cabeça de guerra:   carga oca
Penetração em blindagem homogênea de aço:   > 570 mm
Alcance:   2000 m
    
Unidade de Tiro
Massa:   28 kg
Visada:   10º (elevação), 360º (azimute)
Ampliação da ótica de pontaria:   7 vezes


http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/81-missil-superficie-superficie-1-2-ac-mss-1-2-ac#características-técnicas
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #63 em: Janeiro 25, 2016, 08:56:21 pm »
Radar SABER M200



O SABER M200 é um radar do tipo multimissão, desenvolvido para compor sistemas de Defesa Antiaérea e para emprego na região denominada como média altura (3 a 15 Km de altura). Ele é um sistema composto por dois radares (um primário – P200 – e um secundário – S200) independentes e totalmente integráveis. O SABER M200 é um radar definido por software e que pode desempenhar diversas funções:

- Vigilância e alerta antecipado;

- Designação de alvos para sistemas de armas;

- Controle de tráfego aéreo;

- Multirastreio com análise de ameaças;

- Radar meteorológico.

O SABER M200 vem sendo desenvolvido e fabricado no Brasil. Ele emprega tecnologias avançadas e inovadoras que lhe conferem características únicas:

- Varredura 100% eletrônica;

- Digital beamforming;

- Operação na Banda S;

- Ajustes dinâmicos durante a operação;

- Hardware modular;

- Alto grau de imunidade eletromagnética;

- Formas de ondas programáveis;

- Transportável em veículos terrestres, marítimos e aéreos compatíveis com contêineres de 20 pés;

- Processamento distribuído com redistribuição de tarefas em caso de pane parcial;

- Classificação e identificação de aeronaves.


http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/82-radar-saber-m200
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #64 em: Janeiro 25, 2016, 08:57:34 pm »
Radar SENTIR M20



O SENTIR M20 é um radar de vigilância terrestre capaz de detectar e acompanhar o deslocamento de alvos terrestres, tais como: homens a pé, viaturas leves ou pesadas e helicópteros voando próximo ao solo. Sua tecnologia inovadora possibilita a classificação do alvo a qualquer momento do dia e sob qualquer condição climática.

Seu baixo peso, elevada mobilidade e sistema de visualização portátil o tornam prático para o emprego em missões de reconhecimento do campo de batalha, vigilância de fronteiras e proteção de instalações sensíveis (vigilância de perímetro).

Operação:   em Banda X
Tecnologia:   SAR (Synthetic Aperture Radar)
Peso embalado para transporte:   57 kg (divididos em três volumes de menos de 20 kg cada)
Alcance máximo de detecção:   Homem a pé: 8 km
Viatura Leve: 20 km
Viatura pesada e carro de combate: 25 km
Helicóptero a baixa altura: 20 km
Precisão em distância:   1,6 m (até 3 km) a 25 m (acima de 24 km)
Precisão em azimute:   0,7°
Precisão em velocidade:   0,8 m/s
Taxa de varredura:   15 rpm



http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/83-radar-sentir-m20#características-técnicas
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #65 em: Janeiro 25, 2016, 08:59:02 pm »
Rádio Definido por Software (RDS)



O Projeto RDS (Rádio Definido por Software) integra o Projeto Estratégico Defesa Cibernética do Ministério da Defesa, cuja coordenação é atribuída ao Exército Brasileiro. O Projeto RDS visa promover a interoperabilidade entre as Forças Armadas do Brasil; reduzir o custo do apoio logístico; dominar todo o ciclo de P&D de um RDS; bem como, contribuir para fortalecer a Base Industrial de Defesa do país.

A fase de execução do projeto iniciou-se em dezembro de 2012 e está prevista para durar 10 anos. Ao longo desse período, estão previstos: o desenvolvimento de diversas formas de onda, protótipos de rádios veiculares, uma ferramenta de desenvolvimento de formas de onda e um programa planejador de missões.

Neste projeto, participam diversos engenheiros e Institutos de Ciência e Tecnologia das três Forças Armadas, tais como CTEx, CASNAV, IPqM, IEAv e ITA.

- Equipamento veicular para plataformas navais e terrestres;

- Operação com diversas formas de onda;

- Operação multibanda em HF, VHF e UHF (2 a 512 MHZ);

- Conformidade com Software Communications Architecture (SCA) versão 2.2.2;

- Controles de segurança e criptografia;

- Capacidade de transmissão analógica e digital.


http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/84-radio-definido-por-software-rds#características-técnicas
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #66 em: Janeiro 25, 2016, 09:00:48 pm »
Reparo de Metralhadora Automatizado X (REMAX)



O Reparo de Metralhadora Automatizado (REMAX) foi projetado para ser utilizado em viaturas blindadas sobre rodas ou sobre lagartas. Possui as seguintes funcionalidades: suportar metralhadora calibre 7,62 mm ou .50”; permitir a pontaria em elevação e direção do armamento; possibilitar a observação, reconhecimento e identificação de alvos durante o dia e a noite e realizar o tiro em movimento. A operação do REMAX é realizada do interior da viatura, através do sistema de gerenciamento de missão, constituído de câmera, monitor LCD, punho e botões de comando eletrônicos. O REMAX possibilitará uma nova dimensão à Força Terrestre Brasileira e à Defesa Nacional, principalmente nas missões de GLO e em combates urbanos de baixa intensidade, consistindo em um trunfo de ordem tática e incrementando poder de combate simultaneamente ao aumento da segurança da tropa embarcada.

Lançadores de Granadas fumígenas:   4 (quatro) de 76 mm
Sensores:   Câmera CCD diurna, termal e telêmetro laser
Estabilização:   em dois eixos (<=0,7 mrad @ 1 sigma)
Campo de tiro horizontal:   N x 360º
Campo de Tiro Vertical:   -20º/+60º
Peso:   217 Kgf
Altura máxima:   870 mm






http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/85-reparo-de-metralhadora-automatizado-x-remax#galeria-de-imagens
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #67 em: Janeiro 25, 2016, 09:03:04 pm »
Viatura Leve de Emprego Geral Aerotransportável (VLEGA CHIVUNK)



A VLEGA CHIVUNK foi desenvolvida para atender às necessidades doutrinárias e operacionais das Forças de Ação Rápida do Exército Brasileiro (Homologada pelo Relatório de Avaliação nº 020/11). Sua grande versatilidade permite adaptá-la para realizar ações de ressuprimento, transporte de material, evacuação de feridos e lançamento de fios. A tração total e a robustez da suspensão independente nas quatro rodas conferem excepcional mobilidade à viatura. Suas características permitem o transporte de 4 viaturas em aeronave C-130, e como carga externa de helicóptero, e ainda o lançamento de paraquedas.

Comp./Larg./Alt.:   4,44 m / 2,25 m / 1,95 m
Vão livre:   0,31 m
Ângulo de entrada / saída:   54,5º / 41,0º
Velocidade máx. / mín.:   120 km/h / 3,8 km/h
Rampa longitudinal/Lateral:   60% / 40%
Transposição de vau:   0,50 m
Obstáculo vertical:   0,36 m
Guarnição:   3 homens
Capacidade de carga:   500 kg
Armamento:   1 Mtr 7,62mm MAG
2 ALAC
2 PARAFAL







http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/90-viatura-leve-de-emprego-geral-aerotransportavel-vlega-chivunk#visão-geral
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #68 em: Janeiro 25, 2016, 09:06:02 pm »
Viatura Leve de Emprego Geral Aerotransportável (VLEGA GAÚCHO)



A VLEGA GAÚCHO é resultado do intercâmbio científico-tecnológico entre os Exércitos Brasileiro e Argentino. Viatura versátil desenvolvida para atender às necessidades doutrinárias e operacionais da Brigada de Infantaria Paraquedista de ambos os exércitos. Pode cumprir missões de comando, transporte de carga, transporte de feridos, comunicações e reconhecimento. Seus sistemas de tração e suspensão independente nas quatro rodas lhes conferem elevada mobilidade. A capacidade de empilhamento permite o transporte de até 5 veículos em aeronaves C-130. O emprego de componentes comerciais disponíveis no Mercosul constitui fator diferencial sob o aspecto logístico. Sua robustez permite ainda o seu lançamento de paraquedas e seu lançamento em voo de baixa altura, com um mínimo de preparação prévia.

Comp./Larg./Alt.:   4,15 m / 2,50 m / 1,87 m
Vão livre:   0,40 m
Ângulo de entrada / saída:   75º / 37º
Velocidade máx. / mín.:   120 km/h / 3 km/h
Rampa longitudinal/Lateral:   60% / 40%
Transposição de vau:   0,50 m
Obstáculo vertical:   0,36 m
Guarnição:   4 homens
Capacidade de carga:   500 kg
Armamento:   1 Mtr 7,62mm MAG
2 ALAC
3 PARAFAL










http://www.ctex.eb.br/projetos-em-andamento/91-viatura-leve-de-emprego-geral-aerotransportavel-vlega-gaucho#visão-geral
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #69 em: Fevereiro 05, 2016, 06:25:12 pm »
 

*

olisipo

  • Investigador
  • *****
  • 4966
  • Recebeu: 115 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +27/-31
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #70 em: Fevereiro 06, 2016, 03:11:54 pm »


Brazil's Embraer supplies five Phenom 100 for UK military training

http://reuters.com/article/idUSL2N15I0RL
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #71 em: Fevereiro 16, 2016, 08:37:50 pm »
ASTROS — Sistema de Foguetes de Artilharia para Saturação de Área



Referência mundial em sua classe,o sistema de foguetes terra-terra destaca-se por sua grande mobilidade e capacidade de lançar foguetes e mísseis de vários calibres a distâncias entre 9 e 300 km.

Eficácia comprovada em combate, em três importantes conflitos. Versátil, o sistema pode ser utilizado para artilharia de campanha e operação no litoral.












 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #72 em: Fevereiro 16, 2016, 08:38:45 pm »
AV-VBL — Veículos Blindados Leves 4X4

Os veículos multitarefa com sistemas de autodefesa podem ser configurados para comando e controle, transporte de tropas, vigilância e salvamento.



 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #73 em: Fevereiro 16, 2016, 08:40:20 pm »
FALCÃO ARP — Aeronave Remotamente Pilotada (ARP)



Com tecnologia nacional para aplicações civis e militares, o Falcão é destinado a missões de reconhecimento, aquisição de alvos, apoio à direção de tiro, avaliação de danos e de vigilância terrestre e marítima.



 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 3496
  • Recebeu: 259 vez(es)
  • Enviou: 215 vez(es)
  • +130/-39
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #74 em: Fevereiro 16, 2016, 08:42:18 pm »
AVIBRÁS — Sistema de Defesa Antiaérea de Baixa Altura



A Avibras, em parceria com empresas internacionais, desenvolveu na década de 80 o Sistema FILA para defesa de baixa altura e oferece hoje sua modernização. O sistema é capaz de controlar canhões e mísseis.

Sistema de Defesa Antiaérea de Média Altura



Em parceria com empresas internacionais, a Avibras desenvolve soluções integradas para Defesa Antiaérea de média altura, com adoção de mísseis e radares de última geração para defesa de infraestruturas críticas e defesa no teatro de operações.
 

 

BRASIL INICIA CONSTRUÇÃO DE NAVIO PARA A MARINHA DA NAMÍBIA

Iniciado por J.Ricardo

Respostas: 0
Visualizações: 1990
Última mensagem Fevereiro 24, 2005, 07:56:18 pm
por J.Ricardo
Empresa inicia no Brasil a produção de veículos militares.

Iniciado por J.Ricardo

Respostas: 6
Visualizações: 3676
Última mensagem Novembro 27, 2005, 01:06:49 am
por J.Ricardo
Brasil produz avião movido a álcool

Iniciado por J.Ricardo

Respostas: 4
Visualizações: 3525
Última mensagem Janeiro 05, 2006, 06:18:40 pm
por Cabeça de Martelo
WEBASAS - INÉDITO!! F-5E/F JORDÂNIA - BRASIL - FOTOS !!

Iniciado por WEBASAS

Respostas: 1
Visualizações: 2256
Última mensagem Dezembro 04, 2008, 12:23:13 am
por HaDeS
Instalação de fábrica de turbinas no Brasil

Iniciado por Paisano

Respostas: 0
Visualizações: 1512
Última mensagem Setembro 30, 2004, 09:50:04 pm
por Paisano