Material em Segunda Mão para as forças armadas Portuguesas

  • 36 Respostas
  • 7387 Visualizações
*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 3926
  • Recebeu: 184 vez(es)
  • Enviou: 219 vez(es)
  • +7/-0
Material em Segunda Mão para as forças armadas Portuguesas
« em: Abril 01, 2015, 03:56:21 pm »
A meu ver e concordando com ACADO que nós nunca seremos um país de primeira linha e sabendo também que o dinheiro não abunda, aqui ficam umas sugestões de material em 2ª mão que poderiam servir as forças armadas.



Citar
WASHINGTON — The US government is working to sell as many as 2,000 of its hulking mine-resistant, ambush-protected (MRAP) vehicles in Afghanistan instead of sending them home or destroying them in place — provided the foreign buyers pay to ship the trucks out of the country themselves.

The cost of shipping an MRAP back to the US and fixing it up runs the Pentagon about $250,000 to $300,000 per vehicle. With about 11,000 MRAPs in Afghanistan, bringing them all back home is too expensive to contemplate, according to Pentagon officials. Overall, the US military is destroying about $7 billion worth of material in Afghanistan as US troops head for the exits.
http://archive.defensenews.com/article/20131204/DEFREG02/312040013/US-Looking-Sell-Portion-Afghan-MRAP-Fleet

Este menino seria interessante para nós, eu sei que vamos precisar de vários modelos, mas essa transformação podia ser feita em Portugal, há muitas empresas em Portugal com experiencial em fazer veículos para os bombeiros. Essas mesmas empresas poderiam também mudar o motor do veículo por um que consumisse menos.

O próximo menino tem o objectivo de substituir os m109A5, Porque não comprar uns 18.



Citar
Germany: 185 purchased. 154 in active service with 31 in storage.

Netherlands: 57 purchased. 18 in active Dutch Army service, 33 in storage and 6 used for training.
http://tanknutdave.com/the-german-pzh2000-self-propelled-gun/

Este menino tem componentes iguais ao leopard, o que nos diminuiria os custos de manutenção.

Deixo aos restantes membros sugestões de material em segunda mão que se poderia comprar. Seria interessante que explicassem a razão da compra do mesmo.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 1662
  • Recebeu: 356 vez(es)
  • Enviou: 969 vez(es)
  • +17/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #1 em: Abril 01, 2015, 04:15:56 pm »
O PzH2000 é, de facto, impressionante e com as capacidades que tem 12 unidades podiam substituir perfeitamente o numero actual de M109A5 e ainda ficávamos com maior capacidade de tiro. O principal impedimento, além do custo, é que iria requer um sistema de controle de tiro completamente diferente do que é utilizado actualmente pelo Exército ou, em alternativa, a adaptação do sistema actual, o que iria ficar igualmente caro. Aliando a isso o facto de os M109A5 estarem ainda perfeitamente capazes para as nossas necessidades leva-me a concluir que tal aquisição nunca irá acontecer. Mais facilmente vejo isto a ser adquirido no futuro, pois iria colmatar uma lacuna que é não termos um veiculo capaz de acompanhar os Leo2.

 

*

Duarte

  • Investigador
  • *****
  • 2034
  • Recebeu: 12 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +1/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #2 em: Abril 01, 2015, 07:47:56 pm »
Material em segunda mão pode ser uma boa escolha, mas temos a tendência para dar muito valor a material caro e pesado que é alvo fácil (blindados por exemplo). Um país pequeno tem que apostar em meios anti-carro baratos e leves (Carl Gustav ás centenas) e mísséis AA portáteis em grande número. Cada BI deve ter uma capacidade autónoma em Stinger ou outro sistema portátil (6-8 pelo meno) e cada secção atiradores deve ter pelo memos 2 Carl Gustav ou outro sistema A/C deste tipo.
__
«Os chamados partidos políticos, por definição e exigências da sua vida própria, não representam nem podem servir a unidade nacional» Salazar
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7487
  • Recebeu: 256 vez(es)
  • Enviou: 97 vez(es)
  • +31/-26
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #3 em: Abril 02, 2015, 11:39:22 am »
Faz todo o sentido o que dizes, Duarte.
Seria sensato equipar MRAP com sistemas anticarro do tipo MMP?
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 3926
  • Recebeu: 184 vez(es)
  • Enviou: 219 vez(es)
  • +7/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #4 em: Abril 02, 2015, 06:23:41 pm »
Citação de: "Duarte"
Material em segunda mão pode ser uma boa escolha, mas temos a tendência para dar muito valor a material caro e pesado que é alvo fácil (blindados por exemplo). Um país pequeno tem que apostar em meios anti-carro baratos e leves (Carl Gustav ás centenas) e mísséis AA portáteis em grande número. Cada BI deve ter uma capacidade autónoma em Stinger ou outro sistema portátil (6-8 pelo meno) e cada secção atiradores deve ter pelo memos 2 Carl Gustav ou outro sistema A/C deste tipo.

O problema é que esses meninos só novos, não há nada em segunda mão disso!
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 3926
  • Recebeu: 184 vez(es)
  • Enviou: 219 vez(es)
  • +7/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #5 em: Abril 03, 2015, 03:16:59 pm »
Aqui ficam  meninos que poderiam ser interessantes para substituir o Bérrio

Citar
Fort Victoria-class replenishment oiler



Entrou ao serviço em 1994
Decommissioned April 2011
Scrapped 2013

wikipédia

Citar
SPS Patiño (A14)


Builder:   Navantia
Launched:   22 June 1994
Completed:   16 June 1995
Commissioned:   June 1995[1]

wikipedia

Citar
USS Carter Hall (LSD-50)


Ordered:   22 December 1989
Laid down:   11 November 1991
Launched:   2 October 1993
Commissioned:   30 September 1995

Citar
USNS Arctic (T-AOE-8)


Laid down:   2 December 1991
Launched:   30 October 1993
Commissioned:   11 September 1995
Decommissioned:   14 June 2002
In service:   14 June 2002


Citar
USNS Alan Shepard (T-AKE-3)



Awarded:   16 July 2002
Builder:   National Steel and Shipbuilding
Laid down:   14 February 2006
Launched:   6 December 2006
In service:   26 June 2007[1]
Status:   in active service, as of 2015
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 3926
  • Recebeu: 184 vez(es)
  • Enviou: 219 vez(es)
  • +7/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #6 em: Abril 03, 2015, 03:47:09 pm »
para substituir os AL III

Citar
Fennec AS550 dinamarques



8 (plus 4 in storage)

Citar
Robinson R44



http://www.globalplanesearch.com/europe/helicopters/piston/robinson/r_44_all.htm
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 3926
  • Recebeu: 184 vez(es)
  • Enviou: 219 vez(es)
  • +7/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #7 em: Abril 05, 2015, 08:18:49 pm »
podiamos comprar estes, para apoiar o pandur


Citar
Na Itália, entre os blindados que mais chamam a atenção estão 70 viaturas 8 x 8 tipo Centauro, um caça-tanques de 24 toneladas e canhão de 90 mm que deixou de ser fabricado em 2006.





http://www.forte.jor.br/2015/04/04/jordania-e-paquistao-vao-ao-shopping-de-blindados-usados-na-italia/
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Ramos

  • Membro
  • *
  • 11
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-1
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #8 em: Abril 06, 2015, 05:14:57 pm »
Boa tarde.
Não sou novo no fórum, mas venho aqui muito mais na qualidade de visitante do que na qualidade de interveniente. Para mim, este é um dos tópicos mais pertinentes que poderiam ser levantados, e felicito quem teve a ideia de trazer esta questão à discussão.
Vejo por aqui muitas acesas trocas de argumentos a propósito da pertinência de algumas compras de equipamentos, mas não vi até à data uma discussão de fundo sobre as reais possibilidades de fazer uma boa parte do reequipamento das Forças Armadas com compras de ocasião. E parecem existir por aí umas boas oportunidades de negócio, que a serem bem pensadas e bem aproveitadas poderiam de facto mudar muita coisa nas Forças Armadas.
Creio que é um problema mais geral, de mentalidade de um todo, e de algum complexo de pequenez, que muitas vezes nos impede de tomar decisões acertadas e de aproveitar oportunidades que poderiam fazer toda a diferença. Gostamos tanto do “cheiro a novo” que não paramos para ver o que outros, muito mais ricos do que nós, fazem neste particular. E as oportunidades vão passando ao lado.
Dou como exemplo a oportunidade que estamos a deixar passar ao lado de obter equipamentos como contrapartida da diminuição do efectivo americano das Lages. Não creio que devam existir ilusões de que os norte-americanos vão pagar o que quer que seja por diminuírem a sua presença militar nas Lages. Mas outra coisa é “aproveitar a onda” e tentar obter um conjunto de equipamentos de que temos necessidade, e que, nas actuais circunstâncias, seguramente nos poderiam ser cedidos quase a custo zero, até tendo em conta que a saída dos teatros do Iraque e Afeganistão faz com que os EUA tenham actualmente um excesso de determinados equipamentos.
 Julgo que o caso dos M-ATV que os norte-americanos querem deixar para trás no Afeganistão ou destruir é uma dessas oportunidades que não se deveria deixar passar. Tanto quanto percebo das discussões aqui no fórum, é o tipo de viatura que encaixa no perfeitamente dentro daquilo que se pretendia adquirir no âmbito do programa do blindado 4x4. Se fosse possível ir buscar umas 200 viaturas, usar umas dezenas para sobresselentes, e ir colocando ao serviço, espaçadamente, ao longo dos próximos 4 ou 5 anos, as cento e tal que se consideram necessárias, após reacondicionamento / adaptação / alteração, poderia conseguir-se cumprir com um programa importante a uma fracção do custo de comprar novo.
Da mesma forma, a compra do Siroco é uma oportunidade imperdível. E pelo que vejo, ou nos comprometemos rapidamente, ou daqui a uns dias vemos o navio rumar à América do Sul. É claro que gostaria muito mais de que pudéssemos encomendar a um estaleiro a construção de um navio polivalente de 200 metros, com capacidades de reabastecimento oceânico, de transporte e desembarque de tropas e equipamentos, com hospital a bordo e hangar para meia dúzia de helicópteros. Mas quanto custa novo? 350 Milhões? 400 Milhões? Nem nos próximos 20 anos teremos dinheiro para isso.
Os meus parabéns pela ideia do tópico. Julgo que vai ser uma boa oportunidade para ver boas ideias discutidas ao longo dos próximos tempos.
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 1662
  • Recebeu: 356 vez(es)
  • Enviou: 969 vez(es)
  • +17/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #9 em: Abril 06, 2015, 10:45:21 pm »
Oh camarada nelson, os navios americanos são muito dispendiosos de operar e necessitam de guarnições demasiado numerosas para a nossa Marinha. Além disso, ainda estão ao serviço e os seus substitutos ainda nem sequer foram selecionados. E há ainda o pormenor dos Lewis and Clark serem essencialmente navios de carga sólida, em que a quantidade de combustível que podem dispensar ser inferior à do Bérrio.
 
Quanto aos Fort Victoria, um deles já era e o outro recebeu melhorias consideráveis há pouco tempo e não me parece que os ingleses se vão desfazer dele tão cedo. E' pena, por que é um navio relativamente recente e com grande capacidade, inclusive de transporte de helis e seria um bom complemento a um eventual LPD.

O Patino só tem 20 anos e os espanhóis não vão desfazer-se dele tão cedo. Os holandeses venderam há pouco o Amsterdam ao Peru, que era praticamente igual ao Patino. Mais uma vez, o problema quer do Patino quer do Amsterdam são as guarnições relativamente elevadas (160/170) para os nossos recursos limitados.

Como já tinha postado no tópico do Bérrio, uma boa opção em segunda mão parece-me ser o Marqués de la Ensenada, que os espanhóis têm encostado há cerca de 3 anos e só necessita de uma guarnição de 80 elementos. Com jeitinho até fazíamos as reparações em PT e lhe construíamos um casco duplo.

 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 3926
  • Recebeu: 184 vez(es)
  • Enviou: 219 vez(es)
  • +7/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #10 em: Abril 10, 2015, 06:16:10 pm »
Citar
defensa.com) Con la finalización de las operaciones en Afganistán, el Ministerio de Defensa del Reino Unido ha decidido apartar del servicio activo 16 de los 66 helicópteros WAH-64 Apache Longbow que posee. Esto supone que aproximadamente una cuarta parte de la flota de helicópteros de ataque construidos por AgustaWestland sea apartada del servicio y empleada como donante de repuestos para mantener con vida el resto de la flota.

Aunque la medida ha sido anunciada ahora, el almacenaje de los helicópteros se habría producido a mediados de enero, dejando 50 helicópteros disponibles en las instalaciones de Wattisham en Suffolk. La medida ya fue anunciada en la Revisión Estratégica de la Defensa y la Seguridad de 2012 cuando se citaba la retirada de las tropas británicas de Afganistán. Sin embargo también se ha conocido la intención del Ministerio de Defensa británico de modernizar estos helicópteros de combate a la versión más avanzada, la AH-64E Guardian, tarea para la que habría emitido ya un Request for Information (RfI). (J.N.G.)
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Alvalade

  • Especialista
  • ****
  • 1037
  • Recebeu: 253 vez(es)
  • Enviou: 78 vez(es)
  • +15/-5
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #11 em: Abril 12, 2015, 05:59:58 pm »
Por curiosidade, alguém sabe a que preço é que se estão a vender (caso estejam) os lançadores Mk-29 ?

 

*

dc

  • Perito
  • **
  • 452
  • Recebeu: 59 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +1/-0
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #12 em: Abril 12, 2015, 06:43:39 pm »
Citação de: "Alvalade"
Por curiosidade, alguém sabe a que preço é que se estão a vender (caso estejam) os lançadores Mk-29 ?


Está a pensar instalar uns no terraço da sua casa?  :mrgreen:
 

*

Alvalade

  • Especialista
  • ****
  • 1037
  • Recebeu: 253 vez(es)
  • Enviou: 78 vez(es)
  • +15/-5
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #13 em: Abril 12, 2015, 06:46:12 pm »
Citação de: "dc"
Citação de: "Alvalade"
Por curiosidade, alguém sabe a que preço é que se estão a vender (caso estejam) os lançadores Mk-29 ?


Está a pensar instalar uns no terraço da sua casa?  :mrgreen:


 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 3846
  • Recebeu: 572 vez(es)
  • Enviou: 438 vez(es)
  • +23/-2
Re: Material em Segunda Mão para as forças armadas Portugues
« Responder #14 em: Abril 12, 2015, 08:40:40 pm »
Quando se vendia era à volta de 3 milhões US dollars e 0,195 por Míssil. Hoje em dia já só se vende o VLS 41.
Acréscimo mínimo de 4 milhões us Dollars para os sistemas de orientação.

Citar
Looking forward to the aft superstructure: from left to right are the Raytheon Mk.95 fire control system (for Sea Sparrow), a SATCOM antenna (possibly INMARSAT), the Mk.29 Sea Sparrow launcher, and a Bofors 40mm/70 single gun. The OSLO class can carry 4 Kongsberg Penguin Mk.II missile launchers aft of the 40mm mount, but these are not always carried, as was the case when these photos were taken.

Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

 

Coreia do Norte vs Coreia do Sul - Forças Aéreas

Iniciado por BC304Quadro Forças Aéreas/Sistemas de Armas

Respostas: 26
Visualizações: 7512
Última mensagem Abril 09, 2015, 03:44:33 pm
por olisipo
Forças de elite dos "Mossos d´Esquadra" (Catalunha)

Iniciado por urso bêbadoQuadro Forças Policiais de Elite

Respostas: 1
Visualizações: 1838
Última mensagem Maio 08, 2012, 09:43:52 pm
por Lightning
Marca e modelo de algemas usadas pelas forças de segurança?

Iniciado por DuarteQuadro Forças de Segurança

Respostas: 3
Visualizações: 4285
Última mensagem Fevereiro 01, 2010, 04:31:54 am
por Frezze
Forças mecanizadas do exército Espanhol à beira de Portugal

Iniciado por dremanuQuadro Portugal

Respostas: 13
Visualizações: 3472
Última mensagem Maio 08, 2006, 12:40:15 pm
por carlovich
DN: Comando NATO de Oeiras tutela forças de reacção

Iniciado por PereiraMarquesQuadro Portugal

Respostas: 0
Visualizações: 1313
Última mensagem Novembro 14, 2006, 11:38:41 am
por PereiraMarques