APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (DAE)

  • 8 Respostas
  • 3490 Visualizações
*

jopeg

  • Membro
  • *
  • 53
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • +1/-0
APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (DAE)
« em: Agosto 01, 2012, 01:21:11 am »
Caros,

In DN:
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interi ... 90&page=-1
Citar

DROGA EM ODEMIRA

APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros

por Texto da Agência Lusa, publicado por Patrícia Viega
s30 Julho 2012

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) exigiu hoje "esclarecimentos urgentes" sobre o envolvimento de uma força de fuzileiros na operação em Odemira, que culminou com a apreensão de três toneladas de haxixe, nove detenções e num morto.

Em comunicado, a APG/GNR refere que "a constatar-se que houve participação do Destacamento de Ações Especiais da Marinha (DAE) neste incidente, exige esclarecimentos urgentes sobre esta situação que, ao que tudo indica é ilegal e, como tal, inaceitável".

Durante uma conferência de imprensa realizada esta tarde, em que a Polícia Judiciária (PJ) explicou os contornos da operação "Lacerta Lepida", desencadeada na zona de Odemira, na Costa Alentejana, o comandante Nobre de Sousa, da Marinha Portuguesa, confirmou a participação de uma força de fuzileiros e de meios navais na operação liderada pela PJ.
"A APG/GNR considera profundamente estranha a forma como aparentemente terá decorrido esta operação, envolvendo elementos da Marinha de Guerra que, constitucionalmente está adstrita a funções de defesa nacional, não lhe cabendo em território nacional missões de combate ao crime ou outras intrinsecamente de segurança pública, excetuando os casos previstos na lei fundamental", lê-se na nota.

A APG diz que, tendo em conta as consequências das limitações a que tem estado sujeito o serviço marítimo da GNR, por falta de afetação de verba para investimento e para a regular manutenção dos equipamentos, "poder-se-á colocar a questão se não se estará já a ceder a alguns 'apetites' que, inconstitucionalmente, tem vindo a público erguer a voz para reclamar funções de segurança pública para a Marinha de Guerra".

O comunicado salienta que a "falta de vocação da Marinha para gerir as atividades que se desenvolvem no mar territorial português, como a pesca ou mesmo para controlar o tráfico de estupefacientes é uma evidência".

A APG/GNR recordou um episódio ocorrido há cerca de dois anos, quando "uma embarcação da Marinha disparou inadvertidamente sobre uma lancha da Polícia Marítima descaracterizada, episódio constrangedor para ambas as instituições".

Denominada de "Lacerta Lepida", a operação liderada pela PJ com a colaboração da Marinha e da Força Aérea Portuguesa (FAP), foi desencadeada ao início da madrugada de sábado, no mar e em terra, tendo a droga sido detetada na embarcação rápida, equipada com três motores.

Os alegados traficantes de haxixe foram surpreendidos pelas autoridades quando descarregavam os fardos do produto estupefaciente da lancha para terra.

O coordenador superior da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes (UNCTE) da PJ revelou hoje, em conferência de imprensa, que foram feitos disparos "intimidatórios para o ar", os quais levaram a que os envolvidos "cessassem a fuga".

Joaquim Pereira disse ainda que a investigação teve origem em Espanha e durou cerca de ano e meio, adiantando que o produto estupefaciente era proveniente do Norte de África, provavelmente de Marrocos, seguiu por mar até Odemira, onde os suspeitos iam descarregá-la para um barracão e depois transportá-la para Espanha, por via terrestre.

O coordenador da PJ lamentou a morte "acidental" de um décimo elemento, que acredita tratar-se de um galego, o qual faleceu quando caiu dos flutuadores da lancha rápida e foi apanhado pelas hélices, no momento em que outros suspeitos se aperceberam da presença das autoridades e tentaram fugir.


Jopeg
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7199
  • Recebeu: 557 vez(es)
  • Enviou: 696 vez(es)
  • +54/-20
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #1 em: Agosto 01, 2012, 02:01:21 am »
videos da sic noticias

Marinha esclarece que só participa em operações a pedido da PJ
http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2012/07 ... dido-da-pj

E para complementar, a participação da Força Aérea na operação
 

*

PedroI

  • 120
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #2 em: Agosto 01, 2012, 11:09:14 am »
Boas,

Não foi há assim tanto tempo que se falou na intenção da PJ de criar uma força de intervenção à qual julgo na altura tanto a PSP como a GNR se opuseram por apregoarem a duplicação de valências com os respectivos GOE e COE.
Naturalmente agora que precisou a PJ só para chatear recorreu ao DAE  :N-icon-Axe:

Comentando o caso:
Se eu acho que a PJ podia ter solicitado o apoio operacional à GNR (neste caso não ao GOE dado tratar-se de uma zona rural) em vez de à Marinha? Acho!
Se acho gravíssimo terem optado pela Marinha? Nem por isso.
Se foi ilegal? Penso que não se bem me lembro do que li num livro recente do Gen. Loureiro dos Santos as FFAA podem actuar em territorio nacional no apoio as Forças de Segurança contra ameaças transnacionais.
Se tendo em conta que os traficantes estavam a ser seguidos desde Marrocos com apoio de embarcações da Marinha faz um certo sentido a Marinha apoiar "até ao fim" em vez de apoiar até a praia e depois envolver outra força para a "parte final"? Penso que sim.
Se independentemente de quem faz o que numa operação deste tipo faz sentido ter observadores das diversas forças de segurança nomeadamente e para este caso a GNR e a PSP no breifing, decorrer e debreifing da operação para avaliação dos resultados e melhorar coordenações de forças em futuras operações? Fazia, mas iam-se ferir tantas susceptibilidades.

Infelizmente o que está aqui em causa não é a legalidade ou ilegalidade, se a cooperação foi boa ou não, quem devia ter apoiado ou não, a questão é que mais uma vez uma árvore plantada numa quinta têm um ramo com frutos por cima da cerca do vizinho, e isto em Portugal dá sempre dor de cabeça e de cotovelo.
 

*

resident_evil

  • 28
  • +0/-0
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #3 em: Agosto 01, 2012, 11:45:38 am »
Já agora os senhores da APG/GNR deveriam optar pela mesma política em relação aos bombeiros/GIPS...
 

*

overlord

  • Membro
  • *
  • 92
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #4 em: Agosto 01, 2012, 12:43:02 pm »
É tudo muito bonito... mas neste caso a GNR nao estava sequer informada e so teve conhecimento da situação quando se começou a ouvir o tiroteio e pediram apoio para ver-se apanhavam os individuos que fugiram. Ou seja quando ja nao davam conta do recado
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7199
  • Recebeu: 557 vez(es)
  • Enviou: 696 vez(es)
  • +54/-20
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #5 em: Agosto 01, 2012, 05:33:54 pm »
Pelo que percebi, a questão da APG é a utilização do DAE dentro das águas territoriais portuguesas, é que as operações "padrão" deste tipo, a abordagem do DAE da-se em mar alto, fora das águas territoriais, logo fora de Portugal.

O facto da GNR ter ficado às "escuras" desta operação é uma questão para ser posta à entidade responsável pela operação, que foi a Policia Judiciária.

Mas pelo que li, a operação não era para ter ocorrido da meneira que ocorreu, era para ter sido mais uma operação "padrão" de abordagem em mar alto, como várias outras, mas pelo que percebi, o incêndio numa corveta da Marinha (que parece que estava envolvida na operação), levou a alterações no plano original.

Suponho que a substituição dessa corvera por outro meio naval (neste caso uma Fragata), atrasou o plano o tempo suficiente para os traficantes chegarem a Portugal.

PS: Sei que este tópico não é sobre os navios da Armada, mas este incêndio na corveta, e os feridos que provocou entre os marinheiros, é uma boa prova de que os Navios de Patrulha Oceânicos já deviam ter substituido essas corvetas, um dia destes não há navio de substituição e os traficantes fogem, ou pior, um dia há um acidente pior e algum marinheiro morre, depois é o costume, casa assaltada, trancas-à-porta.
 

*

Camuflage

  • Investigador
  • *****
  • 1229
  • Recebeu: 69 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +7/-31
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #6 em: Agosto 01, 2012, 09:50:57 pm »
Guerra de quintais... a GNR critica o uso do DAE, mas reconhece que não tem meios para executar as mesmas acções por falta de verba, logo porque critica? Diz que a marinha não tem competências para o combate ao crime então para que serve a policia marítima? Só paradoxos, também podia criticar o recurso à FAP e alegar que não tem verbas para as suas patrulhas aéreas...  :lol:
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7199
  • Recebeu: 557 vez(es)
  • Enviou: 696 vez(es)
  • +54/-20
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #7 em: Agosto 01, 2012, 10:45:59 pm »
Se existisse a tal policia unica não acontecia, mas pronto já nem peço tanto.

Pessoalmente discordo da existencia da UCC, acho que devia ser competência exclusiva da Policia Maritima, a PSP tem as cidades, a GNR tem as vilas e aldeias, a Policia Maritima tem as praias, as aguas territoriais, e todo o género de controlo que eles já fazem, licenças de pesca, licenças de marinheiro, talvez a compra e venda de barcos, etc. A Marinha ficava com todo o mar da ZEE a seguir às águas territoriais para vigiar com os seus navios oceanicos.

Mas penso que a Policia Maritima ao ter um "chefe" que também é simultaneamente "chefe" da Marinha e que coloca oficiais da Marinha a comandar as capitanias, fica na "sombra" da Marinha, e na prática existe como componente da Marinha, do ponto de vista policial acho que era mais "saudável", a Policia Maritima sair da alçada da Marinha, ter os seus proprios oficiais de Policia Maritima para comandar as capitanias e passar para a dependecia do MAI, assim já não havia estas confusões de haver oficiais da Marinha que não são OPC a comandar elementos da Policia Maritima que são OPC, da mesma forma que os generais do Exército que não são OPC vão comandar Guardas que são OPC, mas de algum modo devia sempre haver comunicação e coordenação entra Marinha e Policia Maritima.

A parte do Instituto Hidrográfico, Direcção de Farois, combate à poluição, busca e salvamento, etc, isto é, actividades maritimas que não tenham a ver com guerra, mas que também não tenham a ver com criminalidade, acho que podem continuar da competência da Marinha, eles são a entidade com mais capacidade técnica nessa área, não vale a pena andar a inventar a roda.
 

*

chaimites

  • 1663
  • Recebeu: 61 vez(es)
  • Enviou: 2 vez(es)
  • +0/-0
Re: APG/GNR exige esclarecimentos sobre uso de fuzileiros (D
« Responder #8 em: Fevereiro 24, 2013, 11:46:41 am »
Citação de: "resident_evil"
Já agora os senhores da APG/GNR deveriam optar pela mesma política em relação aos bombeiros/GIPS...

Nesse caso
Talvez fossse melhor dar-lhes formação,  para aceitarem melhor  ordens dadas por civis!
 Não entendo como lhes custa tanto as vezes.....
 

 

Exposição sobre 25 de Abril no Quartel do Carmo - GNR

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 2
Visualizações: 2197
Última mensagem Maio 01, 2007, 05:38:14 pm
por Raul Neto
Suspeito de um gang atira sobre um polícia

Iniciado por Runa

Respostas: 6
Visualizações: 2050
Última mensagem Agosto 07, 2008, 06:59:16 pm
por triton
ESTUDO SOBRE O STRESS NA SEGURANÇA PRIVADA

Iniciado por ANASP-UPS

Respostas: 0
Visualizações: 880
Última mensagem Julho 28, 2009, 02:21:17 pm
por ANASP-UPS
Informacao sobre se e possivel ser agente da PSP e Bombeiro

Iniciado por Markdani

Respostas: 2
Visualizações: 1448
Última mensagem Janeiro 04, 2011, 04:32:40 pm
por Trafaria
Informaçao Sobre Motorista Particular

Iniciado por felipe2c

Respostas: 6
Visualizações: 4096
Última mensagem Setembro 22, 2009, 04:56:49 pm
por JoFuza