EUA fora das Lajes?

  • 236 Respostas
  • 43624 Visualizações
*

Lusitan

  • Membro
  • *
  • 226
  • Recebeu: 54 vez(es)
  • Enviou: 58 vez(es)
  • +114/-5
  • Hic et Ubique
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #225 em: Outubro 31, 2019, 04:32:24 pm »
Portugal tem sido um aliado dos EUA, ninguém discute isso. Mas ...e os EUA têm sido um aliado de Portugal ?
Os EUA , mais do que aliados, têm interesses ; eu não critico, até acho que Trump tem razão, ele joga pela equipa dele : "America first".

Portugal deveria ter também um chefe que diga : "Portugal primeiro"  ou  "Nada contra a Nação, tudo pela Nação".  Os nossos políticos devem jogar pela nossa equipa e não pelas equipas alheias.

Se Portugal cede facilidades em território nacional deve obviamente ir buscar compensações. E quando falo de compensações não me refiro a sucata de refugo dos EUA .
Tristeza é o que sinto quando vejo colegas foristas a mendigar material de guerra americano em troca de favores nas Lajes. Sentiria orgulho se visse os mesmos foristas exigir mais independência nacional, mais meios para desenvolver industrias de ponta nacionais inclusive na área da defesa, maior empenho pela construção de um projecto nacional comum onde não caiba a subserviência a quem que seja.

Antes de tudo peço desculpa, mas não sei porque razão a minha mensagem não ficou registada no último post.

Legionário,

Os EUA e Portugal têm ambos interesses. Por vezes são comuns, por vezes não. Mas foi o senhor que dizia "Nada contra a Nação, tudo pela Nação" que entrou para a aliança liderada pelos EUA.
Estar numa aliança tem vantagens e desvantagens, mas para ser ouvido é preciso ter arcaboiço. Portugal, tem de ser realista e, analisando as suas fragilidades e vantagens estratégicas, aproveitar ao máximo as vantagens que as alianças que estabelece lhe proporcionam.
Por outro lado, o "refugo" a que se refere continua a ser o melhor que temos em termos de defesa áerea, patrulhamento oceânico e luta anti-submarina, etc. Tendo ainda a questão que grande parte dos sistemas que temos têm tecnologia americana que só podemos comprar depois da aprovação dos americanos.
Essa mesma aliança permite-nos também obter informações que não teríamos capacidade de obter através dos nossos próprios meios.
Uma aliança não significa camaradagem e amizade. Significa interesses em comum. Por essa razão é que os gregos são aliados dos turcos, os portugueses dos espanhóis, os alemães dos polacos, etc.

Além disso, o facto de sermos aliados dos americanos não nos impede de termos os nossos prórpios interesses e de fazer negócios com outros países, nomeadamente com a China e a Rússia, como tem ocorrido com frequência.
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 953
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +2/-17
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #226 em: Novembro 01, 2019, 12:12:20 am »
Ha uma coisa que penso estamos todos de acordo : os EUA só saem das Lajes se quiserem e quando quiserem. Isto é irritante  mas é assim mesmo. Portugal não tem autonomia nenhuma em matéria de defesa. Por exemplo : não temos defesa aérea. Dependemos completamente dos nossos aliados para a defesa AA ou até para projectar forças.

E as Lajes nisto tudo ?  As Lajes ja não servem como moeda de troca, como na altura em que o Salazar quis recuperar Timor ou quando precisou de apoio para os conflitos no ultramar. As Lajes são uma base que Portugal continua a conceder a um Estado que ainda recentemente propôs à Dinamarca, a compra da Gronelândia. Não estamos a pôr uma raposa dentro da nossa capoeira ? E se amanhã aparece um presidente americano ainda mais atrevido que o Trump que acha que o espaço vital dos EUA passa pelos Açores e pelas suas aguas ?

Recordo , mais uma vez, que foi precisamente com o nosso maior aliado, e potência dominante na altura, que passamos pela maior humilhação nacional : o Ultimatum inglês, ... o que precipitou a queda da monarquia e o descalabro da primeira republica, a ditadura, "et ainsi de suite".
Hoje, o que esta em jogo não são os recursos coloniais, mas sim os recursos marítimos. Contar com os EUA para nos ajudar quando eles são parte interessada...

Para ser realista, Portugal, membro da UE, deveria talvez pugnar pela criação de uma Força europeia, pois ja que somos membros da UE deveríamos talvez apoiar a construção de umas FA europeias nas quais nos pudéssemos eventualmente "encostar".

O ideal para mim, seria a independência nacional, fora dos grandes blocos ; seria o desenvolvimento de um bloco lusófono, mas isto é uma utopia pois Portugal não é uma Suécia que tem os meios para ser autónomo em termos de defesa, nem é uma Suíça ou uma Noruega , que têm dinheiro e recursos que chegam para serem países independentes.

Não tenho respostas mas constato os problemas e penso que os EUA nas Lajes podem ser um problema amanhã.

« Última modificação: Novembro 01, 2019, 12:20:21 am por legionario »
IN HOC SIGNO VINCES
DEUS VULT
 

*

zocuni

  • Especialista
  • ****
  • 1061
  • Recebeu: 20 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +26/-3
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #227 em: Novembro 01, 2019, 11:41:21 am »
Ha uma coisa que penso estamos todos de acordo : os EUA só saem das Lajes se quiserem e quando quiserem. Isto é irritante  mas é assim mesmo. Portugal não tem autonomia nenhuma em matéria de defesa. Por exemplo : não temos defesa aérea. Dependemos completamente dos nossos aliados para a defesa AA ou até para projectar forças.

E as Lajes nisto tudo ?  As Lajes ja não servem como moeda de troca, como na altura em que o Salazar quis recuperar Timor ou quando precisou de apoio para os conflitos no ultramar. As Lajes são uma base que Portugal continua a conceder a um Estado que ainda recentemente propôs à Dinamarca, a compra da Gronelândia. Não estamos a pôr uma raposa dentro da nossa capoeira ? E se amanhã aparece um presidente americano ainda mais atrevido que o Trump que acha que o espaço vital dos EUA passa pelos Açores e pelas suas aguas ?

Recordo , mais uma vez, que foi precisamente com o nosso maior aliado, e potência dominante na altura, que passamos pela maior humilhação nacional : o Ultimatum inglês, ... o que precipitou a queda da monarquia e o descalabro da primeira republica, a ditadura, "et ainsi de suite".
Hoje, o que esta em jogo não são os recursos coloniais, mas sim os recursos marítimos. Contar com os EUA para nos ajudar quando eles são parte interessada...

Para ser realista, Portugal, membro da UE, deveria talvez pugnar pela criação de uma Força europeia, pois ja que somos membros da UE deveríamos talvez apoiar a construção de umas FA europeias nas quais nos pudéssemos eventualmente "encostar".

O ideal para mim, seria a independência nacional, fora dos grandes blocos ; seria o desenvolvimento de um bloco lusófono, mas isto é uma utopia pois Portugal não é uma Suécia que tem os meios para ser autónomo em termos de defesa, nem é uma Suíça ou uma Noruega , que têm dinheiro e recursos que chegam para serem países independentes.

Não tenho respostas mas constato os problemas e penso que os EUA nas Lajes podem ser um problema amanhã.

Nós não temos nem artilharia de campanha e queres que tenhamos AAA?Meios logisticos de projeção em termos navais e praticamente nula e por via aérea uns 3 C-130 e essa tal sociedade em que por vezes requesitamos os Antonov's 124 e nada além disso e não temos muitas outras coisas e a lista é extensa como sabemos.
Bem no pós guerra um embaixador americano chegou a fazer uma proposta para a compra dps Açores caso não saibas o Salazar é que nem conversa lhe deu,portanto de inédito nada teria.
Quanto á permanência dos EUA nas Lajes não sei dizer se é boom ou mau é o que há , o que me incomoda muito mais que esse facto é notar que nosso Governo não tem um plano B para essa eventualidade e é preocupante.
O que teria sentido no caso dos EUA abandonarem as Lajes o que não acredito a médio prazo pelo menos a médio prazo haveriam quatro  cenários possíveis em termos de geopolítica militar, a UE,a própria OTAN mas com outro enfoque,a nossa antiga aliança com o Reino Unido e abrangendo a commonwealth e a mais remota mas sempre a considerar pela via da CPLP,Rússia e China eu descarto de imediato em termos militares quero esse pessoal bem longe de mim.
É bom lembrar que a própria UE tem algumas Bases pelo Mundo porque não nos Açores?Se pretendem criar esse tal de exército Europeu embora isso no momento seja mais vago que o Braga ser campeão nacional de futebol,mas quem sabe um dia.
Uma das razões porque dou destaque á commonwealth não tem a ver somente com o Reino Unido mas até mais pelo Canadá por mais absurdo que isso seja,eles são uma potência econõmica mas não militar mas podem mudar o foco e para eles os Açores seriam importante penso eu.A CPLP é mais no sentido utópico que outra coisa qualquer pois não vejo força para desenvolverem algo que tornasse os Açores um lugar estratégico seja lá para o que for.
E sermos nós a utilizarmos essa Base primeiro seria muito oneroso ,teriamos de ter muitos recursos não só financeiros como humano e bélico então complica ainda mais.Ficam algumas sugestões.
zocuni
 

*

Lusitan

  • Membro
  • *
  • 226
  • Recebeu: 54 vez(es)
  • Enviou: 58 vez(es)
  • +114/-5
  • Hic et Ubique
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #228 em: Novembro 02, 2019, 06:59:38 pm »
Ha uma coisa que penso estamos todos de acordo : os EUA só saem das Lajes se quiserem e quando quiserem. Isto é irritante  mas é assim mesmo. Portugal não tem autonomia nenhuma em matéria de defesa. Por exemplo : não temos defesa aérea. Dependemos completamente dos nossos aliados para a defesa AA ou até para projectar forças.

E as Lajes nisto tudo ?  As Lajes ja não servem como moeda de troca, como na altura em que o Salazar quis recuperar Timor ou quando precisou de apoio para os conflitos no ultramar. As Lajes são uma base que Portugal continua a conceder a um Estado que ainda recentemente propôs à Dinamarca, a compra da Gronelândia. Não estamos a pôr uma raposa dentro da nossa capoeira ? E se amanhã aparece um presidente americano ainda mais atrevido que o Trump que acha que o espaço vital dos EUA passa pelos Açores e pelas suas aguas ?

Recordo , mais uma vez, que foi precisamente com o nosso maior aliado, e potência dominante na altura, que passamos pela maior humilhação nacional : o Ultimatum inglês, ... o que precipitou a queda da monarquia e o descalabro da primeira republica, a ditadura, "et ainsi de suite".
Hoje, o que esta em jogo não são os recursos coloniais, mas sim os recursos marítimos. Contar com os EUA para nos ajudar quando eles são parte interessada...

Para ser realista, Portugal, membro da UE, deveria talvez pugnar pela criação de uma Força europeia, pois ja que somos membros da UE deveríamos talvez apoiar a construção de umas FA europeias nas quais nos pudéssemos eventualmente "encostar".

O ideal para mim, seria a independência nacional, fora dos grandes blocos ; seria o desenvolvimento de um bloco lusófono, mas isto é uma utopia pois Portugal não é uma Suécia que tem os meios para ser autónomo em termos de defesa, nem é uma Suíça ou uma Noruega , que têm dinheiro e recursos que chegam para serem países independentes.

Não tenho respostas mas constato os problemas e penso que os EUA nas Lajes podem ser um problema amanhã.

Legionário,~

Com o recrudescimento das relações entre os EUA e a Rússia, as bases no Atlântico voltaram a estar na ordem do dia como forma de controlar o movimento dos submarinos balísticos russos. Desde 2014 que os americanos, que até aí ponderavam abandonar as Lajes (e que nós andámos a pedinchar através de lobbying para que ficassem), começaram a repensar a sua estratégia no Atlântico Norte e a ver com outros olhos as Lajes. As Lajes, além de permitirem uma monitorização do tráfego marítimo, são também uma excelente base para luta anti-submarina.
Eu percebo que seria bom termos uma capacidade dissuasora significante. Mas para isso era essencial termos uma economia que suportasse essa capacidade. Temos uma economia anémica, mal estruturada, sem capacidade de absorção de impacto de choques económicos, corrupta até quinta casa (e não é culpa de políticos, é culpa de todos os portugueses que conhecem n situações, mas não denunciam), com uma economia paralela enorme, com fugas aos impostos por todos os lados.
Quem me dera que tivéssemos a capacidade duma Suécia ou até duma Suíça. Mas até resolvermos os nossos problemas internos, dificilmente chegaremos a esse ponto...

A UE conseguir criar uma força militar permanente é algo que só acontecerá se os EUA abandonarem a NATO. Primeiro, porque uma boa parte da UE é contra essa força permanente. Segundo porque grande parte dos países do leste da Europa dependem dos EUA para a sua defesa contra a Rússia. Não lhes interessa substituir um chapéu de chuva nuclear, por uma força no papel.
Mas é do nosso interesse entrar numa aliança dominada por uma potência continental cujos interesses não são na sua grande maioria coincidentes com os nossos, em detrimento duma aliança com uma potência marítima, cujo principal interesse (mar aberto) é coincidente com o nosso?
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 953
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +2/-17
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #229 em: Novembro 02, 2019, 10:53:10 pm »
Lusitan :
O seu raciocínio em relação à criação de uma Força Europeia é correcto mas acredito que elementos precursores como a Alemanha e a França tomem iniciativas, antes dos outros,  no sentido da criação de uma força conjunta...  àquela irão em seguida aderir outros países... e Portugal pode ser um dos primeiros países a aderir, porque não ?

Por outro lado, Portugal já faz parte de uma Aliança Militar : a OTAN .  No contexto das "divergências" com os russos,  os Açores poderiam albergar uma base da OTAN e não dos EUA.  Isto se os americanos aceitarem sair, o que eu não acredito.

Em relação aos russos :  Portugal também deveria considerar o desenvolver relações com o império russo. Em França há uma forte corrente de opinião que defende uma aproximação com a Rússia. Os mesmos motivos invocados pelos intelectuais franceses também servem para Portugal.  Os submarinos russos podem ser um problema para os EUA, mas e para Portugal , são um problema porquê ?

Mais uma vez repito, e não me canso de o fazer : os principais problemas que Portugal teve desde o fim das guerras com a Espanha, foram problemas causados pelos nossos aliados. Não só o já citado Ultmatum britânico, como também, por exemplo, a invasão de Timor pelas tropas aliadas (australianos e holandeses ) durante a 2a Guerra Mundial. Esta invasão "aliada" provocou a invasão japonesa que se seguiu. Neste conflito morreram dezenas de milhar de portugueses, timorenses e europeus. 
O Japão respeitou a neutralidade portuguesa em Macau mas viu-se obrigado a ocupar um Timor que se tinha tornado numa base "aliada". Não foi o Japão que violou a nossa neutralidade, foram os nossos "amigos" australianos (ou seja, ingleses) e holandeses.
Os nossos "aliados" no ultimo século deixaram muito a desejar. E quando precisamos deles, onde é que eles estão  ? Fizeram-nos um "toma" aquando da invasão de Goa, levamos com embargos durante as guerras de África... e no futuro os Açores, pela importância que tem, não só estratégica como económica correm o risco de nos ser disputados pelos EUA.

Conclusão : base dos EUA, não !  Base da OTAN e/ou da UE : sim !  :)
IN HOC SIGNO VINCES
DEUS VULT
 

*

Lusitan

  • Membro
  • *
  • 226
  • Recebeu: 54 vez(es)
  • Enviou: 58 vez(es)
  • +114/-5
  • Hic et Ubique
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #230 em: Novembro 02, 2019, 11:55:30 pm »
Lusitan :
O seu raciocínio em relação à criação de uma Força Europeia é correcto mas acredito que elementos precursores como a Alemanha e a França tomem iniciativas, antes dos outros,  no sentido da criação de uma força conjunta...  àquela irão em seguida aderir outros países... e Portugal pode ser um dos primeiros países a aderir, porque não ?

Por outro lado, Portugal já faz parte de uma Aliança Militar : a OTAN .  No contexto das "divergências" com os russos,  os Açores poderiam albergar uma base da OTAN e não dos EUA.  Isto se os americanos aceitarem sair, o que eu não acredito.

Em relação aos russos :  Portugal também deveria considerar o desenvolver relações com o império russo. Em França há uma forte corrente de opinião que defende uma aproximação com a Rússia. Os mesmos motivos invocados pelos intelectuais franceses também servem para Portugal.  Os submarinos russos podem ser um problema para os EUA, mas e para Portugal , são um problema porquê ?

Mais uma vez repito, e não me canso de o fazer : os principais problemas que Portugal teve desde o fim das guerras com a Espanha, foram problemas causados pelos nossos aliados. Não só o já citado Ultmatum britânico, como também, por exemplo, a invasão de Timor pelas tropas aliadas (australianos e holandeses ) durante a 2a Guerra Mundial. Esta invasão "aliada" provocou a invasão japonesa que se seguiu. Neste conflito morreram dezenas de milhar de portugueses, timorenses e europeus. 
O Japão respeitou a neutralidade portuguesa em Macau mas viu-se obrigado a ocupar um Timor que se tinha tornado numa base "aliada". Não foi o Japão que violou a nossa neutralidade, foram os nossos "amigos" australianos (ou seja, ingleses) e holandeses.
Os nossos "aliados" no ultimo século deixaram muito a desejar. E quando precisamos deles, onde é que eles estão  ? Fizeram-nos um "toma" aquando da invasão de Goa, levamos com embargos durante as guerras de África... e no futuro os Açores, pela importância que tem, não só estratégica como económica correm o risco de nos ser disputados pelos EUA.

Conclusão : base dos EUA, não !  Base da OTAN e/ou da UE : sim !  :)
A França há décadas que anda a tentar criar uma força europeia, como contraponto aos russos e aos EUA. Esse era afinal de contas o grande sonho de de Gaulle. Nunca ganhou tracção devido às rivalidades europeias e à inflexibilidade dos estados europeus em abdicar da sua soberania, ironicamente devido muitas vezes à própria França. A Alemanha está lentamente a formar um exército com brigadas conjuntas com os holandeses e franceses e incorporando também algumas unidades checas. Pena é que seja mais uma forma de camuflar a falta de condições da Bundeswehr do que realmente um passo na direcção certa.
E é preciso ter em conta que nem os países da UE têm capacidade para combater num conflicto de alta intensidade sem os EUA devido à falta de meios (como ficou patente após 1 mês de bombardeamentos na Líbia), não tem meios de projecção estratégica em número suficiente, e mesmo a capacidade dissuasora nuclear é cada vez menor. Por isso só vejo a criação dum exército europeu no futuro próximo por dois motivos:
1. Fim da OTAN e saída dos EUA do palco europeu.
2. Um conflicto onde os interesses da UE são vitais e os EUA decidem não intervir, como por exemplo agressão russa à Suécia ou Finlândia.

Em França há uma grande sede por dinheiro russo, e isso faz com que as "correntes de dinheiro" aticem as famosos "correntes de opinião". A ideia duma aliança com a Rússia é antiga e servia como forma de colocar em cheque o domínio alemão da Europa. Mas como se viu no final da Segunda Guerra Mundial, o fim do domínio alemão criou o espaço para o domínio russo. E quer queiramos, quer não, neste momento a Alemanha é um país mais fiável do que a Rússia.
Além disso a Rússia (espero estar muito enganado devido às amizades que tenho nesse país) é um país que mais cedo ou mais tarde vai entrar em grave crise social. A sucessão de Putin vai levar a uma crise interna em que a corrente eurófila se vai degladiar com a corrente euroasiática pelo poder.
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 953
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +2/-17
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #231 em: Novembro 03, 2019, 06:47:31 pm »
Lusitano,
Em todo o lado há uma grande sede pelo dinheiro russo e pelo dinheiro de uma forma geral, não são só os franceses que têm esse defeito.
O caro colega forista desviou o tema do tópico para um assunto também muito interessante : a formação de uma Força Europeia. Ainda não sei onde esta esse tópico mas um destes dias vou até la terçar armas  :)

Vou-lhe dizer uma coisa mas fica entre nos os dois :  não convém, neste forum, opinar de forma desfavorável em relação aos EUA nem questionar a eficácia das armas que eles nos fornecem...ta a vêr, não é ?  ; ninguém nos bate mas podem apagar os postais, fazer-lhe um numero de "Prima-donna ofendida" etc  :) 

Em relação à ocupação da base das Lajes pelos americanos, ainda não percebi se o Lusitan é contra, a favor, mais ou menos...
Diga-me so uma coisa  :  se um governo português pedir aos EUA que desembaracem a loja , o Lusitan acha que eles, (os EUA), acatariam e que se iriam embora  ? 
« Última modificação: Novembro 03, 2019, 08:49:24 pm por legionario »
IN HOC SIGNO VINCES
DEUS VULT
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7515
  • Recebeu: 656 vez(es)
  • Enviou: 796 vez(es)
  • +104/-31
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #232 em: Novembro 03, 2019, 07:33:17 pm »
se um governo português pedir aos EUA que desembaracem a loja , o Lusitan acha que eles, (os EUA), acatariam e que se iriam embora  ?

Sobre esse assunto, estou muito curioso por saber o desenlace da situação de Diego Garcia.
 

*

Lusitan

  • Membro
  • *
  • 226
  • Recebeu: 54 vez(es)
  • Enviou: 58 vez(es)
  • +114/-5
  • Hic et Ubique
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #233 em: Novembro 04, 2019, 11:18:33 am »
Lusitano,
Em todo o lado há uma grande sede pelo dinheiro russo e pelo dinheiro de uma forma geral, não são só os franceses que têm esse defeito.
O caro colega forista desviou o tema do tópico para um assunto também muito interessante : a formação de uma Força Europeia. Ainda não sei onde esta esse tópico mas um destes dias vou até la terçar armas  :)

Vou-lhe dizer uma coisa mas fica entre nos os dois :  não convém, neste forum, opinar de forma desfavorável em relação aos EUA nem questionar a eficácia das armas que eles nos fornecem...ta a vêr, não é ?  ; ninguém nos bate mas podem apagar os postais, fazer-lhe um numero de "Prima-donna ofendida" etc  :) 


Em relação à ocupação da base das Lajes pelos americanos, ainda não percebi se o Lusitan é contra, a favor, mais ou menos...
Diga-me so uma coisa  :  se um governo português pedir aos EUA que desembaracem a loja , o Lusitan acha que eles, (os EUA), acatariam e que se iriam embora  ?

Legionário,

Eu sou a favor de alianças que garantam a independência e a estabilidade em Portugal.  Enquanto os EUA, no contexto da NATO, forem um factor que contribua para isso, sou a favor da sua permanência nas Lajes.
Há um contrato entre os EUA e Portugal sobre o arrendamento das Lajes. Se interessar a ambas as partes a manutenção dos contratos, as partes devem cumprir com o que está estipulado e não acho que se devam romper contratos internacionais unilateralmente, a não ser em casos de força maior. Há o exemplo da base da baía de Subic nas Filipinas, em que as partes não chegaram a acordo relativamente ao leasing da estrutura pelos americanos e os americanos saíram sem problemas. E na altura Subic era bem mais importante que as Lajes são hoje para os EUA.
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1232
  • Recebeu: 204 vez(es)
  • Enviou: 169 vez(es)
  • +36/-4
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #234 em: Novembro 05, 2019, 01:11:48 am »
Estão com uma discussão interessante...mas a base não é dos EUA...é mesmo de Portugal...pelo menos a nível de Comando e gestão da mesma... os americanos ocupam uma parte que lhes foi cedida.
Já tiveram um efetivo destacado digno desse nome atualmente não chega às duas centenas de efetivos.
Asseguram alguns serviços na área de apoio em exclusivo e outros em parceria com Portugal, pois também serve o propósito de ambos os países, pois usam a base como plataforma de deployment de meios em trânsito de e para os Estados Unidos.

Mas a soberania é portuguesa. Raio de mania de dizer que a base é americana.
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 953
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +2/-17
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #235 em: Novembro 05, 2019, 06:23:51 am »
Obrigado Raphael .   Finalmente vou poder dormir descansado :)

Sugiro que se apague este tópico  "EUA FORA DAS LAJES ?"  que não tem razão nenhuma de ser.

No entanto eu poderia tirar daqui da minha manga alguns incidentes do passado que justamente, puseram em causa a soberania portuguesa nas Lajes , ou seja, em que os EUA, forçaram a utilização do espaço nacional ; mas claro...são coisas do passado, para quê relembrar ?
« Última modificação: Novembro 05, 2019, 12:40:44 pm por legionario »
IN HOC SIGNO VINCES
DEUS VULT
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1232
  • Recebeu: 204 vez(es)
  • Enviou: 169 vez(es)
  • +36/-4
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #236 em: Novembro 06, 2019, 03:00:12 am »
Obrigado Raphael .   Finalmente vou poder dormir descansado :)

Sugiro que se apague este tópico  "EUA FORA DAS LAJES ?"  que não tem razão nenhuma de ser.

No entanto eu poderia tirar daqui da minha manga alguns incidentes do passado que justamente, puseram em causa a soberania portuguesa nas Lajes , ou seja, em que os EUA, forçaram a utilização do espaço nacional ; mas claro...são coisas do passado, para quê relembrar ?

Esses pormenores de braços de ferro desconheço.
Que continuam a usar a base como porta aviões no meio do atlântico para descanso e rotação de tripulações continuam.
Que têm na ilha instalações de comunicações e processamento de informação é uma realidade.
Que mantêm em funcionamento depósitos de combustível no exterior e interior da Unidade, sendo a segunda maior reserva de combustivel que têm fora de portas, apenas suplantado por outra instalação que têm na Ásia é uma realidade...
Reduziram significativamente o efetivo militar e reduziram para cerca de metade o número de civis portugueses a trabalhar para as forças americanas e com essa redução passaram a depender de uma unidade sedeada na Europa...

Mas sair das Lajes?
Duvido seriamente...poderão é no futuro trocar a capacidade da USAF pela capacidade da USNAVY, mas manter-se-ão por lá mais uns anos.

Nada de apagar tópico, a discussão é bastante proficua, mas vejo mais numa de qual ou quais os planos americanos para a continuada utilização das Lajes.
Os americanos apoiam em algumas áreas da componente logística e operacional porque também lhes interessa, aumentaram foi de sobremaneira a rotação de pessoal diminuindo os períodos de permanência do efetivo.
Um abraço
Raphael
__________________
 

 

Base das Lajes (BA4) - 65th Air Base Wing

Iniciado por pmdavila

Respostas: 94
Visualizações: 18322
Última mensagem Dezembro 04, 2008, 08:19:46 am
por P44
Movimento nas Lajes em altura de crise no médio Oriente

Iniciado por Maginot

Respostas: 9
Visualizações: 3418
Última mensagem Agosto 14, 2006, 01:48:52 am
por Maginot
Sócrates instado a recusar utilização Base das Lajes

Iniciado por ricardonunes

Respostas: 24
Visualizações: 7737
Última mensagem Julho 01, 2008, 09:01:24 am
por legionario
Base das Lajes - impera lei da segurança interna dos EUA

Iniciado por Cabeça de Martelo

Respostas: 4
Visualizações: 1962
Última mensagem Janeiro 31, 2006, 03:43:26 pm
por Rui Elias
Lajes - negociações à Portuguesa

Iniciado por JNSA

Respostas: 9
Visualizações: 2505
Última mensagem Maio 27, 2004, 12:23:28 am
por papatango