EUA fora das Lajes?

  • 203 Respostas
  • 36061 Visualizações
*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7465
  • Recebeu: 333 vez(es)
  • Enviou: 111 vez(es)
  • +62/-141
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #60 em: Novembro 21, 2012, 05:31:48 pm »
Interessante a estratégia casapiana: enquanto me estiverem a ir ao pacote estou safo!

Efectivamente há muito Talleyrand caseiro que defenda isso...
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7117
  • Recebeu: 522 vez(es)
  • Enviou: 637 vez(es)
  • +26/-10
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #61 em: Novembro 21, 2012, 06:11:03 pm »
Citar
Vamos ao que interessa :
Portugal tem pendente um dossier na ONU que diz respeito ao alargamento da nossa ZEE. Qual é a posição dos EUA em relação a este dossier ? São a favor ou são contra ?
Seria aqui que as Lajes poderiam pesar na balança, mas não acredito. Os EUA querem tudo e têm a força suficiente para se imporem face a Portugal.

Eu não tenho tido noticias sobre a evolução da proposta do alargamento da ZEE, sei que foi feito o estudo e que foi (ou está para ser) entregue a proposta à ONU. Isso do dossier estar pendente onde é que soube isso?

Citar
Mesmo que não consigamos aumentar a nossa ZEE, a que temos ja é bem extensa e o interesse de Portugal esta em proteger esta grande fonte de recursos. O interesse de Portugal esta tambem em se inserir em mais um grupo de interesses, constituido pelos paises cujas fronteiras das ZEE se tocam : Portugal, Espanha, Cabo Verde e Brasil. Todos estes paises, mais tarde ou mais cedo vão ter que batalhar para guardar o que é seu. Mais vale agir em concerto.
Na disputa pelos recursos mundiais, os EUA não vão estar do nosso lado, eles vão jogar pela equipa deles, pelos seus proprios interesses.

Os Estados Unidos e todos os outros.

Citar
Os russos, que hoje não se pode dizer que sejam menos democraticos do que os EUA

A Russia é uma democracia exemplar :mrgreen: ).

Em relação a que paises fazermos alianças, aceito que sejamos amigos de toda a gente, que tenhamos boas relações comerciais com toda a gente, boas relações diplomáticas, darmo-nos todos bem, etc, continuo a achar é pouco inteligente trocar-mos a nação dominante na área onde nos inserimos (Atlantico), por uma outra qualquer, concordo que os EUA não são o pais mais "generoso" do mundo, e pode haver outras nações que nos deem mais para estarem nos Açores, os EUA até podem um dia sairem dos Açores e ir para lá outro pais qualquer, não aconselharia é que fosse um pais hostil aos EUA, é que essa história dos misseis é muito bonita, mas tem pelo menos que lá chegar, é que os Americanos é que mandam no oceano onde estão os Açores... e em todos os outros. Mas isto é a minha opinião e toda a gente tem direito a ter opinião, mesmo contrária a minha, pelos menos enquanto formos uma democracia :mrgreen: .
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-2
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #62 em: Novembro 21, 2012, 07:03:23 pm »
Eu até poderia concordar com a continuação nessa estratégia, defendida pelo caro Papatango de agradar a uns e a outros para nos tentar-mos manter mais ou menos a salvo, se nós vivessemos bem.

Mas nós não vivemos bem.

E enquanto alguns cá pelo meio até se vão desenrascando mais ou menos bem (principalmente os politicos), uma grande parte da população vive mal.

À conta da submissão a estes interesses extrangeiros vamos vendo destruidas as nossas empresas, os nossos recursos humanos mais qualificados vão embora e os Portugueses em geral vão cada vez mais pagando mais impostos, trabalhando mais e ganhando menos.

No futuro, Portugal será um país de idosos a trabalhar até aos 70 ou 75 anos. Com alguns jovens pelo meio que não tiveram qualificação ou capacidade suficiente para emigrar.

Para quem defende a submissão aos EUA se calhar isto pode ser aceitável.

Para mim, e desculpem-me, não é aceitável.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7117
  • Recebeu: 522 vez(es)
  • Enviou: 637 vez(es)
  • +26/-10
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #63 em: Novembro 21, 2012, 08:28:54 pm »
Citação de: "Edu"
Eu até poderia concordar com a continuação nessa estratégia, defendida pelo caro Papatango de agradar a uns e a outros para nos tentar-mos manter mais ou menos a salvo, se nós vivessemos bem.

Mas nós não vivemos bem.

E enquanto alguns cá pelo meio até se vão desenrascando mais ou menos bem (principalmente os politicos), uma grande parte da população vive mal.

À conta da submissão a estes interesses extrangeiros vamos vendo destruidas as nossas empresas, os nossos recursos humanos mais qualificados vão embora e os Portugueses em geral vão cada vez mais pagando mais impostos, trabalhando mais e ganhando menos.

No futuro, Portugal será um país de idosos a trabalhar até aos 70 ou 75 anos. Com alguns jovens pelo meio que não tiveram qualificação ou capacidade suficiente para emigrar.

Para quem defende a submissão aos EUA se calhar isto pode ser aceitável.

Para mim, e desculpem-me, não é aceitável.

Não percebo em que é que esses problemas tenham sido causados pelos Estados Unidos, é que o Canadá, a Austrália, a Dinamarca, a Noruega, etc, também são aliados dos Estados Unidos e não estão no nosso estado, logo não acho que isso seja a causa da nossa situação.

Acha que se agora mudassemos para allados da Russia, ou da China, ou outro pais qualquer, essa situação ia ficar melhor?


É que é muito fácil, dizer que a culpa dos nossos problemas é dos outros, ou é dos Estados Unidos, ou é da Alemanha, ou é da Troika, etc, a culpa nunca é minha, ou nossa. A culpa dos problemas de Portugal são os governos de Portugal, são a divida nacional que todos os governos tem aumentado e são os vários contratos ruinosos para a nação em proveito de empresas privadas, o problema é que esses governos são eleitos democraticamente, é uma autorização legal da maioria dos portugueses para governarem o pais como acham melhor (melhor para quem é que eu não sei).

Agora um desabafo se não se importam, irrito-me profundamente quando ouço dizer que os militares deviam fazer um golpe de estado e tirar este governo do poder, até parece que foram os militares que os colocaram no poder, é que a ideia dessas conversas é exactamente a mesma do meu texto acima, não querem assumir que este governo foi eleito democraticamente, com maioria absoluta, alguns provavelmente já se arrependeram de terem votado num dos partidos do poder, querem que caia já, mas querem que sejam os militares a faze-lo para assim, caso isso não seja solução e as coisas ainda fiquem pior possam dizer, a culpa não é minha, é dos outros, é dos militares, o actual governo foi eleito democraticamente, e é desse mesmo modo que tem que sair, se essa for a vontade dos portugueses, os militares participam no acto de mudança de governo do mesmo modo que qualquer outro português, com o voto.
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-2
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #64 em: Novembro 21, 2012, 11:06:11 pm »
Claro que a culpa não é dos outros, a culpa é nossa porque deixamos que esses países imponham os seus interesses cá. O facto de deixarmos estar os EUA gratuitamente nas Lages é um dos casos em que nos vergamos perante interesses extrangeiros.

Mas há mais:
- A destruição da nossa agricultura, pescas e industria foi causada por nos sujeitar-mos a interesses extrangeiros, neste caso europeus;
- A destruição da nossa industria naval também foi causada por interesses extrangeiros. Não era certamente interesse de Portugal fazer o que se tem feito nos ENVC, para os vender quase a custo zero;
- As privatizações da EDP, REN, GALP, águas, etc, não são certamente para servirem o melhor interesse de Portugal.

Não defendi mudar-se de aliados, mas defendo que se mude a nossa actitude perante eles, pois a actitude actual de submissão não nos tem valido de nada.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7117
  • Recebeu: 522 vez(es)
  • Enviou: 637 vez(es)
  • +26/-10
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #65 em: Novembro 21, 2012, 11:43:18 pm »
Esta conversa já está muito a fugir do tema, parece que a culpa de todos os males que afecta Portugal é a base americana nas Lajes.

Na realidade, a unica coisa a que podemos acusar os Americanos é de não pagarem nenhum valor por estarem nos Açores, mais nada, de resto não tem culpa da destruição da nossa agricultura, pescas, industria naval,  ENVC ou as privatizações todas que disse, quem fez isso foi o governo de Portugal, eleito pelos portugueses, atravez de todos os acordos da União Europeia que assinamos, nem sequer de submissão podemos acusar os Americanos, pois nunca nos puseram nessa situação ao contrário dos ingleses, não quer dizer que não o façam um dia, mas até hoje que eu saiba nunca o fizeram, e não se pode acusar ninguém de uma coisa que ainda não fizeram, apesar de terem essa capacidade.

Citar
Não defendi mudar-se de aliados, mas defendo que se mude a nossa actitude perante eles, pois a actitude actual de submissão não nos tem valido de nada.

Defendeu trocar os Americanos pelos Russos na base da Lajes, e pedir-lhes misseis :mrgreen: , acho que é trocar de aliados.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7117
  • Recebeu: 522 vez(es)
  • Enviou: 637 vez(es)
  • +26/-10
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #66 em: Novembro 21, 2012, 11:58:57 pm »
Acho que não vou continuar mais a conversa neste tópico, já falaram várias opiniões, mas isto não tem fim, uns dizem sim, outros dizem não, e fica cada um com a sua opinião. Além disso já estamos a alargar a conversa a situação económica do Pais, que não tem directamente nada a ver com o assunto (nem os americanos são culpados do fim das pescas e dessas coisas que se falou, nem o valor que poderiam pagar de aluguer daria para pagar a nossa divida), acho é que quem quer dizer mal, diz, ontem até vi um comentário num jornal online sobre um artigo do Ministro de Negocios Estrangeiros sobre o conflito israelo-palestiniano e estava lá um comentário a dizer algo como: "Tás para ai a falar de ajudar essas pessoas? Devias era estar a ajudar os portugueses!" É um dizer mal, quase inconsciente, daqui a pouco são culpados dos incendios, das cheias, de fazer frio no inverno, etc. Mas a maior parte das pessoas que fala mal tem sorte, são pessoas que não tem responsabilidades sobre o que dizem, podem dizer as babozeiras todas que lhes vierem à cabeça, como aqui no Forum, podemos falar de guerras com o Irão, com a China, etc, e isso não vai ter consequencias nenhumas, mas uma pessoa que esteja em posições de governo, organizações tipo ONU, etc, com responsabilidades, não se pode dar a esses luxos e dizer ou fazer coisas assim, na melhor das hipoteses é como aquele ministro que fez os cornos e pronto, dá nas noticias, o pessoal ri-se, ele vai-se embora, e a vida continua, na pior das hipoteses dá guerras.

Tenham uma boa noite
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-2
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #67 em: Novembro 22, 2012, 12:42:46 am »
Citação de: "Lightning"
Esta conversa já está muito a fugir do tema, parece que a culpa de todos os males que afecta Portugal é a base americana nas Lajes.

Na realidade, a unica coisa a que podemos acusar os Americanos é de não pagarem nenhum valor por estarem nos Açores, mais nada, de resto não tem culpa da destruição da nossa agricultura, pescas, industria naval,  ENVC ou as privatizações todas que disse, quem fez isso foi o governo de Portugal, eleito pelos portugueses, atravez de todos os acordos da União Europeia que assinamos, nem sequer de submissão podemos acusar os Americanos, pois nunca nos puseram nessa situação ao contrário dos ingleses, não quer dizer que não o façam um dia, mas até hoje que eu saiba nunca o fizeram, e não se pode acusar ninguém de uma coisa que ainda não fizeram, apesar de terem essa capacidade.

Citar
Não defendi mudar-se de aliados, mas defendo que se mude a nossa actitude perante eles, pois a actitude actual de submissão não nos tem valido de nada.

Defendeu trocar os Americanos pelos Russos na base da Lajes, e pedir-lhes misseis :mrgreen: , acho que é trocar de aliados.

Penso que se confundiu caro Lightning, não fui eu que proferi essa sugestão.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7117
  • Recebeu: 522 vez(es)
  • Enviou: 637 vez(es)
  • +26/-10
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #68 em: Novembro 22, 2012, 01:23:42 am »
Citação de: "Edu"
Citar
Citar
Não defendi mudar-se de aliados, mas defendo que se mude a nossa actitude perante eles, pois a actitude actual de submissão não nos tem valido de nada.

Defendeu trocar os Americanos pelos Russos na base da Lajes, e pedir-lhes misseis :mrgreen: , desculpe lá o engano.
Continuando, opiniões cada um tem a sua, estamos num pais livre de nos exprimirmos, boa continuação  :G-beer2:
 

*

scrupulum

  • 101
  • +0/-0
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #69 em: Novembro 22, 2012, 07:25:41 am »
Lightning disse :
" A Russia é uma democracia exemplar  , então aquela dança das cadeiras Presidente - Primeiro Ministro - Presidente - Primeiro Ministro, é um expetaculo."

E a valsa das cadeiras entre Bush pai e Bush filho ?
Entre o marido Clinton e a esposa Clinton ?


Eu não critico os EUA por jogarem por eles, critico é Portugal por não fazer a mesma coisa e as Lajes são um exemplo disso : somos submissos !


Lightning disse :
"Defendeu trocar os Americanos pelos Russos na base da Lajes, e pedir-lhes misseis  , acho que é trocar de aliados.

Eu não disse "trocar de aliados". Disse algo com este espirito : se o problema é o dinheiro então que se alugue a quem pague mais. Obviamente o problema não é so dinheiro !
Os EUA, a UE, os paises da OTAN são nossos aliados e acho muito bem que continuem.
Falei sim de aliança com paises que têm fronteiras maritimas com Portugal : um tratado entre Portugal, Espanha, Cabo Verde e Brasil com o objetivo de coordenar esforços na exploração e defesa das nossas ZEE respetivas.

Quanto aos misseis para defender o nosso territorio...Porque não ? As nossas FA devem têr essa capacidade.
Misseis russos, porque não ? A grécia é um pais da OTAN e tem misseis russos : são mais baratos e eficazes. Pelo menos a sua eficacia fazem da Siria um caso bem diferente da Libia em termos militares. O osso é mais duro de roer.

Luso disse :
Interessante a estratégia casapiana: enquanto me estiverem a ir ao pacote estou safo!

Efectivamente há muito Talleyrand caseiro que defenda isso...


Nem mais  :mrgreen:
« Última modificação: Novembro 22, 2012, 07:42:42 am por scrupulum »
scrupulum aka legionario
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-2
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #70 em: Novembro 22, 2012, 10:23:56 am »
Há aqui uma coisa que é essencial à noção de soberania que acho que neste forum não é muitas vezes tratada, que são as condições de vida.

O principal objectivo de se ser soberano é dar boas condições de vida, ou as melhores possiveis à população. Eu já nem barafustava muito de não sermos soberanos se me dessem liberdade e boas condições de vida para viver a minha vida da melhor forma que conseguisse.

Agora o problema é que quando não se tem soberania regra geral quem manda em nós tá se pouco lixando para uma população que não tem poder nenhum para os escolher e lhes dar o dito poder.
Como o carissimo Papatango referiu muitas vezes, historicamente vimos que quando estivemos dominados por espanha a longo prazo as nossas condições de vida foram-se degradando. Também os nossos interesses foram completamente descurados. Logo podemos reter a lição historica que estar sobre dominio espanhol não é nem nunca será do nosso interesse.

Neste momento estamos sobre dominio de interesses vários, mas dos quais eu destacaria dois. Os do centro da europa e os dos estados unidos, já que são estes que retêm grande parte do poder financeiro que é o que efectivamente nos obriga a baixar salários, trabalhar mais e pagar mais impostos.

O Papatango e outros foristas referem que para manter a nossa integridade e status quo devemos continuar a balancear o poder sobre nós destas duas potências. Mas o problema é que as condições em que estamos neste momento não são aceitáveis para continuarmos neste balanceio.

E isto agora é uma questão de solidariedade e compreensão. Há pessoas que no nosso país continuam a viver muito bem, e para essas pessoas não há problema nenhum em continuar tudo como está. Que mandem em nós americanos, espanhois, europeu, chineses... eles estão sempre bem. Quem manda em nós até e pago por esses interesses para manter o dito status quo, que interesse têm eles em mudar?

O problema é que uma grande parte da população vive mal, abaixo do limiar da pobreza. Os jovens qualificados vão-se embora, dar o seu contributo laboral e conhecimento aos países que nos subjugam. As nossas poucas riquezas naturais são vendidas ao desbarato aos interesses extrangeiros.

Mas para alguns é interessante continuar a manter este balanceamento de poderes. Claro que é, se calhar vivem bem. Mas que futuro terá um país em que grande parte da população é pobre e em que tem tem qualificações se vai embora. Há quem não perceba que neste momento o país já está a ser destruido.

E por isto tudo, e para voltarmos ao assunto original, as Lages têm de ser pagas. Se os americanos se recusarem a pagar, temos de pensar em alternativas. Mas assim não!
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +12/-0
    • http://www.areamilitar.net
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #71 em: Novembro 22, 2012, 11:34:17 am »
A questão são as Lajes e a vantagem ou não vantagem da presença dos americanos na base.

Os americanos não são responsáveis pelos nossos problemas nós somos.
Nós estamos integrados na Europa, coisa que é estranha ao país, já que nós desenvolvemos uma mentalidade insular desde há séculos.

A questão é saber se devemos continuar a fazer como sempre e a colocar os ovos em cestos diferentes, ou se por outro lado devemos colocar tudo no mesmo cesto da Europa.

A realidade é que só existem dois cestos. O resto são quimeras e sonhos elevados à categoria de realidades (algo que infelizmente se transformou em algo comum nos últimos tempos).

Portugal precisa de espaço de manobra e para isso precisa de se apoiar em alguém. Só nos podemos apoiar na América, a mais poderosa nação do Atlântico, como só nos podiamos apoiar na Inglaterra no século XIX.

Não foi por nos apoiarmos na Inglaterra que os ingleses deixaram de nos ameaçar aquando da questão do Mapa cor-de-rosa. Os ingleses eram nossos aliados, mas mesmo assim ameaçaram bombardear Lisboa se Portugal não retirasse tropas de áreas no centro de África.

Mas o que é importante frisar, é que independentemente da questão da humilhação do mapa-cor-de-rosa, nós acabámos por «voltar ao redil».
Voltámos ao redil, não porque os ingleses o impuseram, mas porque as ovelhas republicanas cedo entenderam que não adiantava bater em pontas de faca e os ingleses demonstraram que havia limites para o apoio a um Portugal independente.

Os ingleses disseram aos portugueses que:
«Se continuarem por um determinado caminho, nós não vamos estar do vosso lado quando os espanhóis nos pedirem para controlar Portugal» (que foi o que o Alfonso XIII se fartou de fazer após o golpe republicano de 1910).

Hoje o problema não é tanto a Espanha, quanto o poder crescente e desmesurado de Bruxelas, que ainda por cima avança não com argumentos de controlo imperial ou de zona de influência, mas sim com argumentos legais que decorrem da nossa presença dentro da União Europeia (do grupo da frente da integração, como gostam os republicanos laicos e socialistas) e do cumprimentos de compromissos internacionais que o próprio país aprovou e incluiu e inclui na sua própria legislação.

Nós precisamos de forças que tenham capacidade para influenciar e para dizer NÃO em nosso favor. E por muito que nos custe, essas forças não são o Brasil, nem Angola nem Cabo Verde.
(Aquando da questão do mapa-cor-de-rosa, também conseguimos o apoio da Russia, da Áustria e até da França, mas como é óbvio não serviu de nada).

Logo, tendo Portugal uma porta aberta para Washington através dos Açores, devemos trabalhar para manter essa relação, em vez de a fechar.
Se fecharmos essa porta estaremos encerrados num quarto escuro. Exactamente como fizemos em 1580, em que elaborámos a moldura legal que acabou com a nossa própria independência.

Nunca se esqueçam que em 1580, quando os Habsburgos entraram em Portugal, em Lisboa Felipe II de Castela, já tinha sido proclamado Filipe I,  Rei de Portugal e Algarves, de Aquém e de Além Mar...

Nos criamos as próprias armadilhas em que caímos. Não criemos mais uma.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +12/-0
    • http://www.areamilitar.net
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #72 em: Novembro 22, 2012, 11:52:00 am »
Citação de: "Edu"
E por isto tudo, e para voltarmos ao assunto original, as Lages têm de ser pagas. Se os americanos se recusarem a pagar, temos de pensar em alternativas. Mas assim não!

Agora não entendi...

Você acredita que o pagamento de alguma coisa pela base das Lajes vai alterar em algo a nossa situação financeira ?

Por curiosidade, você tem ideia de quanto poderiamos pedir pela utilização das bases e quanto é que isso representaria em termos de percentagem só dos juros que temos que pagar da dívida que o Partido Socialista fez entre 2008 e 2010 ?   :shock:  :shock:  :shock:


O país está em crise. E acredito que toda a gente sofre com as consequências. Mas se a solução for partir tudo e ir para mais uma revolução, convulsão e atitudes impensadas, alguém acha que há quem fique melhor ?
Num país que já está sob intervenção financeira estrangeira e que perdeu a independência por causa dos camaradas socialistas (e de algumas tipas-de-vida-fácil ligadas a lojas do GOL) o que acontecerá se houver mais convulsões ?
Ficará melhor ?

Meu caro. Neste momento não temos solução.

Ao contrário do que muita gente diz, nós não estamos à beira do precipício, nós estamos a cair nos barrancos por aqui abaixo.
A única coisa que podemos fazer é agarrar-mo-nos a algum galho, para ver se evitamos cair mais e agarrarmos a corda, mesmo que essa corda esteja à volta do pescoço, porque com sorte (muita sorte) talvez consigamos reter a respiração antes de sufocar ou de conseguir aligeirar a corda. E nesta situação o melhor é não esbracejar muito, caso contrário a corda aperta mais depressa.

Mas sem a corda vamos pelo buraco abaixo. E o buraco é muito fundo, chegaremos ao fim já mortos.
E enquanto estamos com a corda ao pescoço, há aqueles que nos aparecem em sonhos, com ideias belas e cheirosas, de caminhos alternativos (a Arménia nunca aparece na TV sem dizer que tem uma mala cheia de propostas alternativas).

SÓ HÁ DOIS CAMINHOS.
OU AGARRAMOS A CORDA QUE TEMOS AO PESCOÇO E SUSTEMOS A RESPIRAÇÃO, OU CONTINUAMOS A CAIR NO BURACO.

Isto não quer dizer que esteja de acordo ou desacordo.
Se pudéssemos voltar alguns anos atrás e desvotar no canalha do Marais, e desmascarar o bandido do Banco de Portugal talvez fosse menos mau.
Mas é o que temos, e não podemos voltar atrás no tempo
 

*

scrupulum

  • 101
  • +0/-0
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #73 em: Novembro 22, 2012, 02:07:55 pm »
Papatango,
 O Edu não quiz dizer que um aluguer pelas Lajes resolvesse o nosso problema.

O Edu tambem escreveu isto, no que aliàs, e no meu entender,  tem toda a razão :

"Eles que fiquem lá, mas que paguem bem pela base. O pagamento faz-nos jeito, e também é forma de lhes lembrar que aquilo é nosso e não deles."


Eu não posso discordar da alegoria que o Papatango escreveu sobre a "corda no pescoço" ou a "queda pelos barrancos". No sistema atual são estas as duas opções que se nos apresentam.
Para sair disso, é necessario voltar a baralhar as cartas e servir novo jogo. Mudar, como ja escrevi, de politicos e de politica , em suma : uma nova revolução nacional. Que temos nos a perder ?

A ZEE, juntamente com a Lusofonia são os maiores trunfos de Portugal.
Quando se fala de ZEE, fala-se forçosamente da nossa soberania sobre os Açores. Plena soberania e não soberania partilhada. As Lajes são o simbolo dessa soberania partilhada. Por enquanto ainda não se passa nada, mas e amanhã quando, (como o Papatango tbem ja escreveu), alguem  questionar a nossa ZEE "demasiado" extensa ?
scrupulum aka legionario
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +12/-0
    • http://www.areamilitar.net
Re: EUA fora das Lajes?
« Responder #74 em: Novembro 22, 2012, 02:20:13 pm »
Mas quem é que disse que aquilo não é nosso ?

Os americanos nunca colocaram isso em dúvida. A questão só foi analisada quando os comunistas tomaram o poder em Portugal, altura em que terá aparentemente havido contactos entre imigrantes açoreanos e pessoas ligadas a Máfias americanas.

Foi estudada não oficialmente, a possibilidade de uma declaração de independência, mas nunca esteve em causa que as ilhas fossem ou pudessem ser americanas, embora estivessem dentro dos limites do que os americanos viam como cordão exterior de defesa.
Os americanos não queriam gastar dinheiro com aquilo, pelo que foi aparentemente feito um estudo para ver como as ilhas se poderiam sustentar sozinhas.

A solução encontrara passava por transformar os Açores numa zona franca sustentada pelo jogo e pela prostituição.
Pelo que os rumores afirmam, os açoreanos contactados (alguns deles ligados ao PPD, mais tarde PSD) não gostaram da opção e consideraram que se estava a prostituir os Açores.
A solução não passava por salvar os Açores dos comunistas portugueses, passava por escorraçar os comunistas portugueses do poder em Lisboa, o que como sabemos veio a acontecer.

Os americanos não têm pretensões territoriais sobre os Açores. E com os desenvolvimentos tecnológicos as ilhas são cada vez menos importantes.
Elas só terão importância em caso de uma grande convulsão na Europa ou no médio oriente, altura em que os aviões teriam que andar mais carregados, transportando menos combustível e precisando por isso de uma grande base para reabastecimento.

É por isso que os americanos não querem saber dos Açores, porque nos dias de hoje a utilidade das ilhas é mínima.
E nós temos que explicar aos americanos que não podem abandonar os Açores porque se sairem, as estruturas que lá estão não podem ser mantidas, porque Portugal não tem dinheiro para as manter.
Se isso acontecer, quando as ilhas forem necessárias, não haverá estruturas prontas para apoiar uma eventual ponte aérea em tempo útil.
Já os americanos do lado deles podem achar que as estruturas civis nos Açores, nomeadamente o aeroporto de Ponta Delgada, podem servir em caso de necessidade absoluta.

Neste momento, a coisa passa por provar aos americanos que eles precisam das Lajes, não por exigir dinheiro pela utilização de uma base, que os americanos duvidam que sirva para alguma coisa nas atuais circunstâncias.
 

 

Base das Lajes (BA4) - 65th Air Base Wing

Iniciado por pmdavila

Respostas: 94
Visualizações: 16844
Última mensagem Dezembro 04, 2008, 08:19:46 am
por P44
Movimento nas Lajes em altura de crise no médio Oriente

Iniciado por Maginot

Respostas: 9
Visualizações: 3168
Última mensagem Agosto 14, 2006, 01:48:52 am
por Maginot
Sócrates instado a recusar utilização Base das Lajes

Iniciado por ricardonunes

Respostas: 24
Visualizações: 7227
Última mensagem Julho 01, 2008, 09:01:24 am
por legionario
Base das Lajes - impera lei da segurança interna dos EUA

Iniciado por Cabeça de Martelo

Respostas: 4
Visualizações: 1735
Última mensagem Janeiro 31, 2006, 03:43:26 pm
por Rui Elias
Lajes - negociações à Portuguesa

Iniciado por JNSA

Respostas: 9
Visualizações: 2179
Última mensagem Maio 27, 2004, 12:23:28 am
por papatango