Assalto à frota de navios com destino a Gaza

  • 196 Respostas
  • 18990 Visualizações
*

Raul Neto

  • Membro
  • *
  • 260
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 2 vez(es)
  • +0/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #60 em: Junho 02, 2010, 07:11:43 pm »
Uma mera pergunta de um leigo (que sou), e colocando mais uma vez a questão meramente do ponto de vista da técnica militar usada, será correcto efectuar-se o que julgo ser uma descida em "fastrope" directamente para um convés "apinhado" de elementos hostis à operação ? não terá havido aqui a falta do chamado "elemento surpresa", ou terá sido simplesmente impossível realizar-se um ataque surpresa ainda que com recurso à manobras de diversão já  mencionadas em um outro post pelo colega forista Instrutor ?

As imagens da descida:
 :arrow: http://www.youtube.com/watch?v=vl4kmiOCjQE&feature=related
 

*

sergio21699

  • Especialista
  • ****
  • 933
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #61 em: Junho 02, 2010, 07:40:57 pm »
Citação de: "Raul Neto"
Uma mera pergunta de um leigo (que sou), e colocando mais uma vez a questão meramente do ponto de vista da técnica militar usada, será correcto efectuar-se o que julgo ser uma descida em "fastrope" directamente para um convés "apinhado" de elementos hostis à operação ? não terá havido aqui a falta do chamado "elemento surpresa", ou terá sido simplesmente impossível realizar-se um ataque surpresa ainda que com recurso à manobras de diversão já  mencionadas em um outro post pelo colega forista Instrutor ?

As imagens da descida:
 :D
-Meu General, estamos cercados...
-Óptimo! Isso quer dizer que podemos atacar em qualquer direcção!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Raul Neto

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #62 em: Junho 02, 2010, 09:12:37 pm »
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "SSK"
Caro Instrutor,

Agradeço que dê uma leitura no link que deixo a baixo para não estar a falar de Direito Internacional Marítimo sem saber... ZEE não é como o espaço aéreo!!!

http://www.estig.ipbeja.pt/~ac_direito/dmarlegis.html

Caro SSK, como não quero que o seu "trabalho" tenha sido em vão, importa-se de me indicar qual é a lei ou decreto-lei que importa realmente ler, referente a este caso?

Obrigado.


Está tudo neste:

http://www.fd.uc.pt/CI/CEE/OI/ISA/convencao_NU_direito_mar-PT.htm

Mas pelo menos aqui podem tirar as dúvidas básicas!!!

Para efectuar abordagens a navios só dentro do mar territorial... E depois ROE's!!!

Citar
PARTE II
Mar territorial e zona contígua

SECÇÃO 1
Disposições gerais
Artigo 2.º
Regime jurídico do mar territorial, seu espaço aéreo sobrejacente, leito e subsolo
1 - A soberania do Estado costeiro estende-se além do seu território e das suas águas interiores e, no caso de Estado arquipélago, das suas águas arquipelágicas, a uma zona de mar adjacente designada pelo nome de mar territorial.
2 - Esta soberania estende-se ao espaço aéreo sobrejacente ao mar territorial, bem como ao leito e ao subsolo deste mar.
3 - A soberania sobre o mar territorial é exercida de conformidade com a presente Convenção e as demais normas de direito internacional.

SECÇÃO 3
Passagem inofensiva pelo mar territorial
SUBSECÇÃO A
Normas aplicáveis a todos os navios
Artigo 17.º
Direito de passagem inofensiva
Salvo disposição em contrário da presente Convenção, os navios de qualquer Estado, costeiro ou sem litoral, gozarão do direito de passagem inofensiva pelo mar territorial.
Artigo 18.º
Significado de passagem
1 - «Passagem» significa a navegação pelo mar territorial com o fim de:
a) Atravessar esse mar sem penetrar nas águas interiores nem fazer escala num ancoradouro ou instalação portuária situada fora das águas interiores;
b) Dirigir-se para as águas interiores ou delas sair ou fazer escala num desses ancoradouros ou instalações portuárias.
2 - A passagem deverá ser contínua e rápida. No entanto, a passagem compreende o parar e o fundear, mas apenas na medida em que os mesmos constituam incidentes comuns de navegação ou sejam impostos por motivos de força maior ou por dificuldade grave ou tenham por fim prestar auxílio a pessoas, navios ou aeronaves em perigo ou em dificuldade grave.
Artigo 19.º
Significado de passagem inofensiva
1 - A passagem é inofensiva desde que não seja prejudicial à paz, à boa ordem ou à segurança do Estado costeiro. A passagem deve efectuar-se de conformidade com a presente Convenção e demais normas de direito internacional.
2 - A passagem de um navio estrangeiro será considerada prejudicial à paz, à boa ordem ou à segurança do Estado costeiro, se esse navio realizar, no mar territorial, alguma das seguintes actividades:
a) Qualquer ameaça ou uso da força contra a soberania, a integridade territorial ou a independência política do Estado costeiro ou qualquer outra acção em violação dos princípios de direito internacional enunciados na Carta das Nações Unidas;
b) Qualquer exercício ou manobra com armas de qualquer tipo;
c) Qualquer acto destinado a obter informações em prejuízo da defesa ou da segurança do Estado costeiro;
d) Qualquer acto de propaganda destinado a atentar contra a defesa ou a segurança do Estado costeiro;
e) O lançamento, pouso ou recebimento a bordo de qualquer aeronave;
f) O lançamento, pouso ou recebimento a bordo de qualquer dispositivo militar;
g) O embarque ou desembarque de qualquer produto, moeda ou pessoa com violação das leis e regulamentos aduaneiros, fiscais, de imigração ou sanitários do Estado costeiro;
h) Qualquer acto intencional e grave de poluição contrário à presente Convenção;
i) Qualquer actividade de pesca;
j) A realização de actividades de investigação ou de levantamentos hidrográficos;
k) Qualquer acto destinado a perturbar quaisquer sistemas de comunicação ou quaisquer outros serviços ou instalações do Estado costeiro;
l) Qualquer outra actividade que não esteja directamente relacionada com a passagem.
Artigo 20.º
Submarinos e outros veículos submersíveis
No mar territorial, os submarinos e quaisquer outros veículos submersíveis devem navegar à superfície e arvorar a sua bandeira.

Artigo 21.º
Leis e regulamentos do Estado costeiro relativos à passagem inofensiva
1 - O Estado costeiro pode adoptar leis e regulamentos, de conformidade com as disposições da presente Convenção e demais normas de direito internacional, relativos à passagem inofensiva pelo mar territorial sobre todas ou alguma das seguintes matérias:
a) Segurança da navegação e regulamentação do tráfego marítimo;
b) Protecção das instalações e dos sistemas de auxílio à navegação e de outros serviços ou instalações;
c) Protecção de cabos e ductos;
d) Conservação dos recursos vivos do mar;
e) Prevenção de infracções às leis e regulamentos sobre pesca do Estado costeiro;
f) Preservação do meio ambiente do Estado costeiro e prevenção, redacção e controlo da sua poluição;
g) Investigação científica marinha e levantamentos hidrográficos;
h) Prevenção das infracções às leis e regulamentos aduaneiros, fiscais, de imigração ou sanitários do Estado costeiro.
2 - Tais leis e regulamentos não serão aplicados ao projecto, construção, tripulação ou equipamentos de navios estrangeiros, a não ser que se destinem a aplicação de regras ou normas internacionais geralmente aceites.
3 - O Estado costeiro dará a devida publicidade a todas estas leis e regulamentos.
4 - Os navios estrangeiros que exerçam o direito de passagem inofensiva pelo mar territorial deverão observar todas essas leis e regulamentos, bem como todas as normas internacionais geralmente aceites relacion das com a prevenção de abalroamentos no mar. [/color]



Artigo 24.º
Deveres do Estado costeiro
1 - O Estado costeiro não deve pôr dificuldades à passagem inofensiva de navios estrangeiros pelo mar territorial, a não ser de conformidade com a presente Convenção. Em especial, na aplicação da presente Convenção ou de quaisquer leis e regulamentos adoptados de conformidade com a presente Convenção, o Estado costeiro não deve:
a) Impor aos navios estrangeiros obrigações que tenham na prática o efeito de negar ou dificultar o direito de passagem inofensiva; ou
b) Fazer discriminação de direito ou de facto contra navios de determinado Estado ou contra navios que transportem cargas provenientes de determinado Estado ou a ele destinadas ou por conta de determinado Estado.
2 - O Estado costeiro dará a devida publicidade a qualquer perigo de que tenha conhecimento e que ameace a navegação no seu mar territorial.

Artigo 25.º
Direitos de protecção do Estado costeiro
1 - O Estado costeiro pode tomar, no seu mar territorial, as medidas necessárias para impedir toda a passagem que não seja inofensiva.
2 - No caso de navios que se dirijam a águas interiores ou a escala numa instalação portuária situada fora das águas interiores, o Estado costeiro tem igualmente o direito de adoptar as medidas necessárias para impedir qualquer violação das condições a que está sujeita a admissão desse navios nessas águas interiores ou nessa instalação portuária.
3 - O Estado costeiro pode, sem fazer discriminação de direito ou de facto entre navios estrangeiros, suspender temporariamente em determinadas áreas do seu mar territorial o exercício do direito de passagem inofensiva dos navios estrangeiros, se esta medida for indispensável para proteger a sua segurança, entre outras, para lhe permitir proceder a exercícios com armas. Tal suspensão só produzirá efeito depois de ter sido devidamente tornada pública.
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

Instrutor

  • Investigador
  • *****
  • 1310
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #63 em: Junho 02, 2010, 10:20:45 pm »
Duarte, como tu me percebes :G-beer2: para ti uma caneca de uma bejeca bem geladinha.

Coitadinhos dos palestinianos e todos os seus membros terroristas armados...... coitadinhos eles por acaso so atacam militares de israel..... infelismente vemos nas noticias crianças mulheres idosos mortos num bombardeamento de rocktes ou bombas humanas. Desde a sua criação Israel já teve e continua a ter vamos la ver quantas guerras:
- Egipto;
- Siria;
- Iraque;
- Irão;
- Falta-me algum para alem das facções terroristas islamicas?

Se não fosse esta política de força.... será que existiria o Estado de Israel?

Agora que a Turquia nem pense em relaliar sobre Israel, não são esses desgraçados que ocupam a parte sul de uma ilha no Mediterrâneo????? Que ilha é..... ahahah um País Europeu.......
Ja agora e as brincadeiras ternurentas que os senhores militares turcos tem com os congeneres gregos? constantes violações dos espaços aéreos e marítimos..... depois fogem a sete pés para dentro do seu território quando se aproximam caças F16 gregos.... coitadinhos dos turcos eles até podem falar lá do alto do poleiro sobre violações e actos terroristas..... ah já me esquecia a Turquia que se preocupe com o sul do país onde se encontram constantemente atacados os curdos..... tadinhos dos turcos que moral tem para falar sobre o hipotético desrespeito de uma convenção da ONU sobre aguas internacionais....... tadinhos dos movimentalistas..... ja agora e embora não fale aqui em armas de fogo.... para que serviam aqueles paus, fisgas com berlindes, catanas encontradas a bordo dos navios?? seriam para dar caça aos peixinhos....

Não sejamos hipócritas senhores.... muita política deveria mudar. Mas Israel ja esta calejado com tanta bofatada que tem levado dos seus vizinhos.......
"Aqui na Lusitanea existe um povo que não se governa nem se deixa governar" voz corrente entre os Romanos do Séc. I a.C
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #64 em: Junho 02, 2010, 10:28:17 pm »
Já vi que não vale a pena...

Neste fórum só se quer sangue!!! Discutir com seriedade, instruir-nos, receber ensinamentos de quem mais sabe, ser construtivo nas opiniões para todos ficarmos mais cultos NÂO, isso é que NÃO!!!

Há que ser sempre destrutivo!!! É isto que nos tem levado para o fundo!!! A opinião dos outros mesmo quando fundamentada com leis ou convenções da ONU de nada vale,o que importa é sempre a minha opinião, porque é a minha!!!

Realmente este fórum muito me entristece, muito mesmo... Defesa é sério não é briga de rua onde quem mais alto grita ou mais depressa rasga a camisa e mostra os cabelos do peito ganha. Não, defesa é uma arte que exige discussão, ou seja falar e ouvir, neste caso escrever e ler...

Abraço e sejam construtivos
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

Instrutor

  • Investigador
  • *****
  • 1310
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #65 em: Junho 02, 2010, 10:54:53 pm »
Caro SSK não pense mal de mim, eu sei e ja estive a ler o seu link eu sei que existem leis e convenções, porque se nao o Mundo era um autentico caos, por isso eu sei que o colega tem toda a razão, só que irrita quando essas acusações são feitas por um país que não tem moral nenhuma para o fazer so isso. Naquele lugar "médio oriente", as coisas pelo que sei não funcionam muito a base das leis internacionais só mesmo a lei da bala. Eu sei que Israel errou não digo o contrario, mas porque falamos só mal de Israel neste acto se todos agem de igual modo. Que moral tem a Turquia de falar de Israel, se existe alguma entidade que deverá chamar atenção a Israel é a ONU e não um país corrupto e medíocre como é o caso da Turquia. É so por isto que até la no fundo e reconhecendo o erro de Israel que até foi bem feito.

Não me leve a mal mas uma coisa é a vontade da lei, outra coisa é a vontade moral.

Eu vou dar aqui um exemplo descabido mas para perceber o meu ponto de vista.... um bandido viola uma criança.... sabemos que existem leis e o bandido vai ser julgado pelo seu acto.... emaginemos que o pai da criança dá um tiro e mata o bandido.... agiu mal perante a lei, mas moralmente aos olhos da sociedade é um mal menor. Com isto quero dizer que ninguem pode julgar Israel se todos comente violações às convenções internacionais. Temos aqui ao lado um exemplo flagrante... Espanha quantas vezes viola o nosso espaço aéreo nas selvagens? Vem alguem da ONU criticar? Não. Portugal viola o espaço aéreo de Espanha, vem alguem criticar não. O mundo está cheio de violações, e só quem tem até à data direiro de criticar é a ONU, e não um país como é o caso da Turquia que não tem moral para o fazer.
Não se preocupe caro SSK eu sei que tem toda a razão, mas é revoltante. :wink:
"Aqui na Lusitanea existe um povo que não se governa nem se deixa governar" voz corrente entre os Romanos do Séc. I a.C
 

*

pchunter

  • 368
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 16 vez(es)
  • +0/-0
Re: Armada Israelita
« Responder #66 em: Junho 02, 2010, 11:35:58 pm »
Os israelitas não são nenhuns anjinhos, a conversa de dar a outra face nunca os convenceu. Eles é mais olho por olho dente por dente mas a verdade é que considerando a sua localização geográfica se baixarem a guarda são aniquilados. Quem tem razão, talvez os dois ou talvez nenhum.  :(
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #67 em: Junho 03, 2010, 12:22:49 am »
Porque se está neste momento a tratar do assalto israelita e terrorismo, notem que o terrorismo não foi iniciado pelos palestinianos, palestinianos esses que já foram corridos da Palestina, Jordânia, Egipto, Libano e creio que da Argélia, peço que vejam um pouco da história do terrorismo israelita, esses coitadinhos... E como já escrevi atráz, simpatizo com Israel.


Citar
Após 1942, com a rejeição do Livro Branco de 1939 por parte dos líderes sionistas, o Reino Unido tornou-se cada vez mais envolvido num conflito violento com os judeus.[63] Vários ataques armados foram levados a cabo pelos sionistas contra alvos britânicos, dos quais se destacam o assassinato do ministro de estado britânico Lord Moyne no Cairo em novembro de 1944 pelo Stern Gang, liderado por Yitzhak Shamir, e a explosão do Hotel King David pelo Irgun, liderado por Menachem Begin, em 1946. No início de 1947, o governo britânico, percebendo o encargo político e económico que estava a ser o conflito na Palestina, decidiu acabar com o Mandato, declarando que era incapaz de chegar a uma solução aceitável para ambos os lados, árabes e judeus.[64]

A recém-criada Organização das Nações Unidas recomendou a aplicação do Plano de partição da Palestina, aprovado pela Assembleia Geral das Nações Unidas através da Resolução 181, de 29 de novembro de 1947, propondo a divisão do país em dois Estados, um árabe e um judeu. Segundo esta proposta, a cidade de Jerusalém teria um estatuto de cidade internacional - um corpus separatum - administrada pelas Nações Unidas para evitar um possível conflito sobre o seu estatuto.[65] A Agência Judaica aceitou o plano, embora nunca tivesse afirmado que limitaria o futuro Estado judaico à área proposta pela Resolução 181.[carece de fontes?] A 30 de novembro de 1947 a Alta Comissão Árabe rejeitou o plano, na esperança de que o assunto fosse revisto e uma proposta alternativa apresentada. Nesta altura, a Liga Árabe não considerava ainda uma intervenção armada na Palestina, à qual se opunha a Alta Comissão Árabe.[66] No dia seguinte à rejeição do plano, o conflito armado estendeu-se a toda a Palestina. As organizações paramilitares sionistas, em especial o Haganah e os voluntários internacionais que se lhes juntaram, iniciaram o que David Ben Gurion chamou de "defesa agressiva", na qual qualquer ataque árabe seria respondido de forma decisiva, com destruição do lugar, expulsão dos seus moradores e captura da posição. Em março de 1948 foi colocado em prática o Plano Dalet, com o objectivo de capturar aldeias, bairros e cidades árabes. No mês seguinte, dois importantes acontecimentos geraram ondas de choque através da Palestina e de todo o mundo árabe: A morte de Abd al-Qader al-Husseini defendendo a aldeia árabe de Al-Qastal, e o massacre da aldeia de Deir Yassin, perpetrado pelo Irgun e pelo Stern Gang. Estes acontecimentos levaram os países árabes, reunidos na Liga Árabe, a considerar uma intervenção na Palestina com os seus exércitos regulares.[67] A economia árabe-palestina desmoronou e 250 000 árabes-palestinos fugiram ou foram expulsos

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Israel#Sionismo_e_o_Mandato_Brit.C3.A2nico
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 936
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 4 vez(es)
  • +1/-15
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #68 em: Junho 03, 2010, 08:07:57 am »
Um outro barco, de bandeira irlandesa, com carga humanitaria, tentara novamente furar o bloqueio israelita a Gaza e ja se encontra a caminho devendo chegar às aguas palestinas este fim-de-semana. Esta previsto que um segundo barco se junte à iniciativa .
affaire à suivre  :roll:
IN HOC SIGNO VINCES
 

*

FoxTroop

  • Investigador
  • *****
  • 1403
  • Recebeu: 261 vez(es)
  • Enviou: 179 vez(es)
  • +44/-200
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #69 em: Junho 03, 2010, 12:02:45 pm »
Não vale mesmo a pena. É que continua-se a não entender o alcançe de uma acção destas feita por um estado. O precedente que vai abrir. Quando um outro país fizer a mesma coisa (e talvez calhe a uns desgraçados de uns portugueses a serem o alvo) depois venham para aqui gritar armadas em histéricas. Lembram-se do Kosovo? Do precedente que abriu?

Porque não se pode exigir aos outros que se cumpra as regras internacionais e depois "limpar o cu" com essas leis quando nos toca a nós.

Porque não se pode acusar outros de desrespeito pela comunidade internacional e depois mandar a mesma à m*#«a quando nos exigem respeito

Porque só através da lei e do respeito da mesma se pode edificar uma sociedade da mais pequena até à global.

Porque se uns podem, eu passo a também poder e assim sendo amanhã andamos todos à batatada.

Porque só com o primado da lei e a sua aplicação universal, a cola que mantem as sociedades de forma coesa se mantem.

Porque países como o nosso apenas têm hipótse de existir num sistema internacional regulado pela lei e respeito mutuo e a continuarmos no caminho do "o maior rufia tem razão" amanhã podemos ser nós a levar com ele.

Porque os auto-intitulados "Arautos da Liberdade" só vão onde podem pilhar qualquer coisa. Porque raio não se aplicam sanções económicas à China por violação sistematica da Carta da ONU? São um bocadinho maiores que a Sérvia, não é? Porque é que não se envia uma força para acabar com os massacres no Sudão? Pá, tiveram azar que foram nascer num sitio que não tem nada que interesse, se ao menos houvesse petróleo..... Porque raio não se entra pela Coreia do Norte adentro e se acaba com aquela escumilha de assassinos, agora que existe um "Casus Belli" devido ao afundamento da corveta? Ai, espera que eles têm umas coisas que fazem um grande doi-doi.

Aqui, alguém tem dúvidas que se isto se passasse no Irão, não estariam agora dois grupos de combate da marinha americana a todo a vapor para lá para "proteger e acabar com o martirio dos perseguidos" e já não tinha saido um rol de resoluções da ONU a condenar isto e a autorizar uma intervenção? Quantos países já sofreram sanções ou foram bombardeados por bem menos?

E em último, se fossem os meus caros a estar na pele dos palestinos? Ficavam a ver o "povo eleito" a correr-vos de casa calmamente ou resistiam? Ou também têm dúvidas que se Israel fosse fundada no Algarve, nós já estavamos escorraçados na Galiza ou "acantonados" no lugar mais salubre que encontrassem na nossa nação? Atendendo ao comentário-tipo que aqui vejo escarrapachado........
 

*

Duarte

  • Investigador
  • *****
  • 2030
  • Recebeu: 12 vez(es)
  • Enviou: 15 vez(es)
  • +1/-0
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #70 em: Junho 03, 2010, 02:23:54 pm »
Enquanto os anti-semitas irracionais espumam pela boca sobre um incidente isolado, planeado, provocado, e executado como golpe de relações públicas, morrem milhares em Darfur, mortos por milícias islâmicas e forças do governo.

O PM Turco grita "bloody murder" acerca de um incidente isolado, deveria era olhar para o umbigo e reconhecer o genocídio arménio e a ocupação ilegal de metade de uma ilha.  :roll:

A hipocrisia das queixinhas contra Israel já chegou ao limite do ridículo! O grande elefante que ninguém vê é o extremismo islâmico e a jihad contra o ocidente. Os únicos obstáculos à paz no médio oriente são o Hezbollah, HAMAS, Irão, Síria e a AQ. A Palestina já poderia existir há muito tempo e povo palestiniano poderia viver em paz e prosperar. Mas não é isto que convém ao Irão, Síria e as organizações terroristas apoiadas por estes. Onde está a condenação da agenda destes países e organizações? Será cegueira ideológica? Anti-semitismo? Falta de coerência? Hipocrisia? Debilidade mental?

Israel cumpriu os tratados, saiu de Gaza, desmantelou povoamentos. O resultado? Mais ataques de morteiros, rockets, mais bombistas-suicídas, etc..

Os críticos de Israel são peões numa guerra de relações públicas destinada a enfraquecer Israel.
__
«Os chamados partidos políticos, por definição e exigências da sua vida própria, não representam nem podem servir a unidade nacional» Salazar
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 2935
  • Recebeu: 96 vez(es)
  • Enviou: 9 vez(es)
  • +71/-19
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #71 em: Junho 03, 2010, 02:47:47 pm »
Citação de: "Duarte"
Enquanto os anti-semitas irracionais espumam pela boca sobre um incidente isolado, planeado, provocado, e executado como golpe de relações públicas, morrem milhares em Darfur, mortos por milícias islâmicas e forças do governo.

O PM Turco grita "bloody murder" acerca de um incidente isolado, deveria era olhar para o umbigo e reconhecer o genocídio arménio e a ocupação ilegal de metade de uma ilha.  :roll:

A hipocrisia das queixinhas contra Israel já chegou ao limite do ridículo! O grande elefante que ninguém vê é o extremismo islâmico e a jihad contra o ocidente. Os únicos obstáculos à paz no médio oriente são o Hezbollah, HAMAS, Irão, Síria e a AQ. A Palestina já poderia existir há muito tempo e povo palestiniano poderia viver em paz e prosperar. Mas não é isto que convém ao Irão, Síria e as organizações terroristas apoiadas por estes. Onde está a condenação da agenda destes países e organizações? Será cegueira ideológica? Anti-semitismo? Falta de coerência? Hipocrisia? Debilidade mental?

Israel cumpriu os tratados, saiu de Gaza, desmantelou povoamentos. O resultado? Mais ataques de morteiros, rockets, mais bombistas-suicídas, etc..

Os críticos de Israel são peões numa guerra de relações públicas destinada a enfraquecer Israel.


O Duarte mais uma vez a acertar na "mouche" .. muito bem!


Mas daqui a pouco já estão aí os do costume, com o "sionismo" na boca. Enfim, é o que há !!
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #72 em: Junho 03, 2010, 02:48:15 pm »
Duarte escreveu:
Citar
A hipocrisia das queixinhas contra Israel já chegou ao limite do ridículo! O grande elefante que ninguém vê é o extremismo islâmico e a jihad contra o ocidente.
O extremismo islâmico foi criado por Israel e Estados Unidos.
Hipocrisia é ser cego e dizer que aquela côr é bonita.
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

Duarte

  • Investigador
  • *****
  • 2030
  • Recebeu: 12 vez(es)
  • Enviou: 15 vez(es)
  • +1/-0
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #73 em: Junho 03, 2010, 03:09:50 pm »
Citação de: "luis filipe silva"
O extremismo islâmico foi criado por Israel e Estados Unidos.
:N-icon-Axe:
__
«Os chamados partidos políticos, por definição e exigências da sua vida própria, não representam nem podem servir a unidade nacional» Salazar
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 936
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 4 vez(es)
  • +1/-15
Re: Assalto à frota de navios com destino a Gaza
« Responder #74 em: Junho 03, 2010, 05:47:51 pm »
O que faria vc Duarte se lhe massacrassem a familia e lhe roubassem a casa , se o expulsassem da sua terra ?
Esses rocketes de que fala mataram quantos israelitas ? A ultima ofensiva de Israel em Gaza fez mais de 1100 mortos palestinos muitos deles vitimas de bombas de fosforo e de muniçoes de uranio (ambos proibidos pelas leis internacionais).
« Última modificação: Junho 03, 2010, 06:03:16 pm por legionario »
IN HOC SIGNO VINCES
 

 

NATO Teme ataques contra navios tanque no Atlântico

Iniciado por Tiger22

Respostas: 1
Visualizações: 1784
Última mensagem Dezembro 22, 2004, 10:45:05 pm
por Nautilus
Navios Ingleses Apresados pelo Irão!!!

Iniciado por P44

Respostas: 20
Visualizações: 4481
Última mensagem Junho 24, 2004, 04:02:37 pm
por Rui Elias
A retirada israelita da faixa de Gaza

Iniciado por papatango

Respostas: 6
Visualizações: 2351
Última mensagem Agosto 23, 2005, 10:58:43 pm
por Normando
Israel lança ofensiva em Gaza

Iniciado por HaDeS

Respostas: 179
Visualizações: 28698
Última mensagem Maio 05, 2015, 03:57:50 pm
por FranciscoDuarte
Assalto a Grozny

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 0
Visualizações: 1077
Última mensagem Maio 09, 2004, 04:52:23 pm
por Ricardo Nunes