USV's

  • 0 Respostas
  • 1956 Visualizações
*

JoseMFernandes

  • Perito
  • **
  • 394
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
USV's
« em: Novembro 02, 2007, 01:37:15 pm »
De notar na superestrutura deste Protector os sistemas Toplite e Mini-Typhoon



Testado nos EUA em Agosto 2006, o Protector é um drone naval de 9 mts de comprimento caracterizado pelo seu construtor(Rafael) como tendo sido concebido seguindo o conceito SPEAR(Stealthy,Enduring,Asymmetric ans Risk-free).Utiliza propulsão que combina motor diesel e waterjets e a sua arquitectura está optimizada para alta velocidade.Rafael indica que o seu sistema pode alcançar os 40 nós de velocidade.A utilização de algoritmos ligados a GPS permite conduzir patrulhas semi-autónomas, reduzindo a intervenção de operadores humanos.É igualmente capaz de se adaptar as condições de navegação, podendo evitar automáticamente os obstáculos encontrados, pois está provido de radar.Fora isso, pode ser programado para seguir rotas determinadas e dispõe de ligações de dados e vídeo.
A carga útil é modular, pois o aparelho foi concebido numa óptica "plug-and-play" permitindo que se mudem rápidamente os módulos de missão.Numa configuração Anti-Terror/Force Protection a instalação de uma 'bola' Toplite permite-lhe tanto efectuar missoes de vigilancia como dirigir o tiro do sistema  Mini-Typhoon.(o Toplite inclui câmara CCD,  um FLIR e telémetro laser).O Mini-Typhoon é um sistema estabilizado podendo ser equipado com sistemas diferentes de armamento.De momento uma metralhadora 7,65, outra 12,7 e um lança-granadas já foram testados.O Protector pode também ser equipado com projector, micro e sistema de altifalantes.
As perspectivas comerciais são consideradas muito boas.Singapura comprou vários exemplares (utilizados especialmente a partir  de LST classe Endurance no golfo Pérsico e participa também na segurança do porto de Singapura. Israel também possui este sistema.
A USNavy e a Coast Guard parecem estar interessadas seja para a protecção de portos, de navios ancorados, ou no equipamento das futuras corvetas( LCS BAE Systems e Lockheed Martin seriam provavelmente implicados no programa).
Em termos técnicos Rafael parece estar a trabalhar numa segunda geração do Protector procurando, em particular,  a possibilidade de controlar  vários engenhos a partir da mesma 'estação'.

"De notar que a 'estação' é gerida por apenas dois elementos que detem o controle dos sistemas-chave do Protector bem como do modulo de missão.
Tratando-se de um sistema teleguiado pode ser obviamente ameaçado com 'interferencias' mas os seus fabricantes definem-no como sendo de concepção furtiva (  o tamanho ajudando...) e portanto dificilmente detectavel pela maioria dos 'captores electronicos'.Fora isso nao foi notada nenhuma baixa significativa de 'performance' numa variedade de condiçoes maritimas e meteorologicas..."

Resumindo:A utilização de USV's, como o Protector, parece pois muito adequada para um vasto leque de missoes criticas, tais como  Informação e reconhecimento(ISR), Vigilancia, Protecção anti-terrorista(AT/FP), guerra de minas(MIW), luta anti-submarina (ASW), segurança de territorio nacional...etc.

com Adaptação de artigos da revista Tech&Arm (Nov/2007)