Votação

O que deveria fazer Portugal?

Esperar para ver o evoluir da situação
3 (13%)
Caso a situação se agrave, solicitar a ajuda e apoio da Austrália
2 (8.7%)
Fazer avançar desde já uma fragata com um corpo de fuzileiros
9 (39.1%)
Enviar a fragata e 2 C-130H para ponte entre Dili e Darwin
9 (39.1%)

Votos totais: 23

Votação encerrada: Maio 09, 2006, 10:51:27 am

Crise em Timor - o que pode fazer Portugal?

  • 49 Respostas
  • 17768 Visualizações
*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #45 em: Maio 27, 2006, 08:42:42 pm »
Spectral: Eu também acho que devemos cumprir os nossos compromissos.

Mas uma pergunta:
A Bosnia faz parte da NATO?
Será que um batalhão na Bósnia faz realmente uma diferença considerável?

Onde é que acha que os portugueses acham que devem estar os seus militares, na Bosnia ou em Timor?

Do nosso ponto de vista o que é que é mais importante, a Bósnia ou Timor?

Eu como cidadão, começo a perguntar-me sobre que compromissos com a Bosnia nós temos (e que cumprimos). E também pergunto se temos compromissos para com Timor ou não...

Enviamos companhias de tropas especiais para o Afeganistão (que são das melhores que temos)  à procura do Bin Laden, quando  enviamos uns quantos GNR para Timor ?

Eu nem sequer acho que a GNR não seja adequada, mas tenho dificuldade em entender este tipo de questões.

A Austrália já se sabia que ía desembarcar as tropas, com ou sem aval das Nações Unidas e esteve-se marimbando para isso.

Fico com a impressão que o ministros Antonio Costa, só entendeu a gravidade das coisas quando o Freitas do Amaral leu o despacho da Agência Lusa.... :oops:

Isto fez-me lembrar os fogos de verão no ano passado. Este senhor Costa será adequado para a Administração Interna, sabendo-se que se trata de um ministério que comanda tropas militarizadas ?

Começam-se a avolumar dúvidas.

Se fosse o Santana Lopes a meter tanta pata na poça e a demonstrar tanta inepcia, já tinha caído o governo *

Cumprimentos



* Notar que eu não sou favoravel a demissões de ministros ou de governos. Estou apenas a constatar um facto.
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #46 em: Maio 27, 2006, 09:13:50 pm »
Citar
Mas uma pergunta:
A Bosnia faz parte da NATO?
Será que um batalhão na Bósnia faz realmente uma diferença considerável?

Onde é que acha que os portugueses acham que devem estar os seus militares, na Bosnia ou em Timor?

Do nosso ponto de vista o que é que é mais importante, a Bósnia ou Timor?

Bem, falando um pouco à "real-politik" a estabilidade nos Balcãs é mais importante para Portugal que Timor que está no outro lado do mundo. Quer queiramos quer não a nossa ligação a Timor prende-se mais por motivos históricos e sentimentais, e não ao verdadeiro *interesse* de Portugal ( não que isso seja uma coisa má, muito pelo contrário).

Citar
Enviamos companhias de tropas especiais para o Afeganistão (que são das melhores que temos) à procura do Bin Laden, quando enviamos uns quantos GNR para Timor ?

Eu nem sequer acho que a GNR não seja adequada, mas tenho dificuldade em entender este tipo de questões.


Eu também acho que o tempo dos GNRs já passou, agora devia ir tipo de força, mas o nosso governo parece não querer ferir as susceptibilidades dos timorenses ( por muito estúpido que isto também me parece). Acho que não estamos assim tão mal como isso, caso houvesse mesmo vontade podia-se enviar relativamente rapidamente uma companhia de páras ou fuzos para a Austrália em voos fretados e daí deslocá-los para Timor em conjunto com a Austrália (quer queiramos quer não eles são a chave nesta situação).
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1703
  • Recebeu: 187 vez(es)
  • Enviou: 433 vez(es)
  • +7/-1
(sem assunto)
« Responder #47 em: Maio 27, 2006, 10:01:18 pm »
A nível da importância de Timor para Portugal, acho que só mesmo por «motivos históricos e sentimentais». Pois pelo que li e sei só temos perdido (de certo modo) com Timor nos últimos 2-3 anos. Eu sou a favor de enviarmos ajuda (pará)militar para Timor, e até acho que já devíamos ter enviado quinta-feira (25) passada alguma unidade das FA's - fosse ela "para", fuzileiros ou outra [1] - em pelo menos 1 C-130H e em aviões fretados (tal como o Spectral indicou). Esse C-130H ficaria por sua vez em Timor para fazer ponte entre Díli e Darwin, como foi referido na votação.

E para referência [1]:
Citação de: "Rui Elias ([url=http
Sex 26 Mai, 2006 9:47 am[/url])"]Sim, um coronel do Exército referiu isso e deu a entender que o Exército tem essa força de rea[c]ção rápida com um grau de disponibilidade de poucas horas.

Em qualquer caso, ontem o Governo também não enjeitou a possibilidade de se a situação no terreno o justificar, que Portugal poderá voltar a enviar elementos das FA's para Timor.

Citação de: "Spectral"
Citação de: "papatango"
Eu nem sequer acho que a GNR não seja adequada, mas tenho dificuldade em entender este tipo de questões.

Eu também acho que o tempo dos GNRs já passou, agora devia ir tipo de força, mas o nosso governo parece não querer ferir as susceptibilidades dos timorenses ( por muito estúpido que isto também me parece). Acho que não estamos assim tão mal como isso, caso houvesse mesmo vontade podia-se enviar relativamente rapidamente uma companhia de páras ou fuzos para a Austrália em voos fretados e daí deslocá-los para Timor em conjunto com a Austrália (quer queiramos quer não eles são a chave nesta situação).

Segundo um certo jornal - que é provavelmente o CM - que alguém citou já aqui no fórum, a GNR deverá ir também para Timor formar a polícia timorense - ou pelo menos o que restar. Ora bem, visto os objectivos deles, fico ainda mais a favor de enviar militares das FA's para lá. Na minha opinião a GNR devia ser enviada depois, para formar e manter a segurança; agora e pelo que me parece as coisas estão a agravar lá e não a melhorar, e penso que tão cedo os australianos o vão conseguir.

A Austrália tem muito mais que ganhar ao enviar forças para Timor do que nós, e visto que já sabemos que eles estão lá a tratar do petrol... do povo timorense, digo eu, tratam de ajudar os portugueses - que quiserem - a partirem, ao ponto do nosso governo não precisar de enviar nada, que de facto é o que quer fazer, mas lá alguém os deve ter beliscado. De facto os timorenses em vez de terem aprendido português deviam ter aprendido inglês. :shock:

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7498
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +122/-194
(sem assunto)
« Responder #48 em: Maio 28, 2006, 11:05:10 am »
Esta rapaziada nova tem uma facilidade em renegar a história de uma maneira surpreendente.
Se forem assim tão pragmáticos para umas coisas também o poderão ser para outras!
Tenham em atenção as minhas palavras...
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1697
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #49 em: Junho 23, 2006, 10:22:37 am »
Get-It:

É verdade que Timor aparentemete terá pouco inetersse objectivo e material para nós, como o tem a Guiné ou S. Tomé.

E há muita gente oriunda das ex-colónis que agora afirmarm coisas do género:

"se quiseram a independência, agora que se amanhem".

Ora Portugal se perder todos os laços com as suas ex-colónias, acabará por perder a sua dimensão atlãntica e ultramarina, não já numa perspectiva colonial, mas cultural, linguística, e geo-estratégica.

E isso poderá permitir que Portugal tenha um peso politico especifico no seio da União Europeia.

Como aconteceu na Guiné-Bissau em 1998, em que não tivessemos intervido, a França tornaria a antiga colónia numa protectorado ou agora com Timor, relativamente à Austrália.

O que se passa é que Portugal, como qualquer outro país tem interesses geo-estratégicos a defender que lhe valem esse valor específico de que lhe falei.

Por isso o interesse que mostra, dentro das limitações de um país pequeno e sem grandes meios financeiros e materiais.

Se Timor interessa à Austrália, porque não poderia interessar a Portugal?

Se a Guiné-Bissau, um dos países mais pobres de África interessa à França, porque Portugal deveria dar esse território de bandeja?
 

 

Uma aliança militar Brasil-Portugal-Angola-Moçambique

Iniciado por dremanu

Respostas: 52
Visualizações: 16847
Última mensagem Dezembro 22, 2010, 03:35:24 pm
por Cabeça de Martelo
União Portugal/Cabo-Verde

Iniciado por Ataru

Respostas: 226
Visualizações: 42426
Última mensagem Fevereiro 06, 2012, 07:47:55 pm
por PCartCast
Uma Lusitania (e talvez o futuro de Portugal)

Iniciado por Lusitanian

Respostas: 52
Visualizações: 9334
Última mensagem Março 11, 2011, 03:39:30 pm
por Lusitanian
Portugal Ultramarino

Iniciado por Lusitanus

Respostas: 307
Visualizações: 48169
Última mensagem Abril 13, 2015, 12:18:35 am
por HSMW
A CRISE NA GUINÉ E A CAPACIDADE MILITAR NACIONAL

Iniciado por Miguel Silva Machado

Respostas: 10
Visualizações: 4129
Última mensagem Março 04, 2009, 10:01:01 am
por FoxTroop