ForumDefesa.com

Geopolítica-Geoestratégia-Política de Defesa => Portugal => Tópico iniciado por: chaimites em Agosto 19, 2010, 06:02:40 pm

Título: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 19, 2010, 06:02:40 pm
A  floresta e uma riqueza nacional, porque nao soam as sirenes por esses quarteis fora, e nao sai a tropa  toda para a mata quando ha um incendio florestal?
Nao é uma ameaça bem real a segurança nacional?

Esta e a pergunta que ouço cada vez que um fogo chega as portas de qualquer aldeia perdida na serra

sei que por vezes sao chamados, mas quase sempre para funçoes de rescaldo


 
Quero ouvir as respostas dos entendidos
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: Malina em Agosto 19, 2010, 07:10:59 pm
Que eu saiba os militares têm participado nesses fogos pelo país fora.... Ainda há uns dias atrás vi uma notícia sobre isso.
Talvez também porque os militares não têm formação para isso (tirando alguns) ou talvez porque se ache que muitos fora dos quartéis pode comprometer a eficácia caso haja uma emergência, ou porque talvez achem que não é da sua competência... mas ainda assim, que eu saiba eles lá ajudam...
Enfim, vá-se lá saber.
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: chaimites em Agosto 19, 2010, 07:14:25 pm
BOAS

So um exemplo: o exercito nao resolveria o problema de financiamento dos NH90 se eles fossem utilizados para o transporte dos

sapadores florestais "canarinhos" durante a epoca de incendios? (assim o MAI ja nao teria que se preocupar a recrutar pilotos!)

eu sei que neste pais nada funciona, cooperaçao entre entidades muito menos........
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: papatango em Agosto 20, 2010, 12:02:15 am
Não podemos pensar que os militares podem fazer o serviço dos bombeiros com facilidade.
É a mesma coisa que achar que se pode mandar chamar os bombeiros para tentar reduzir a vaga de crimes nas cidades.

A falta de coordenação e a falta de competência especialmente ao nível dos minusculos municipios do interior do país, que não servem para nada que não seja para dar emprego é a principal razão dos problemas.

Também me parece que há alguns meios aéreos que não têm grande unidade, por causa da quantidade de água que transportam.
Também não adianta utilizar aeronaves médias-pesadas para combater os incêndios por causa das características das nossas áreas florestadas. Os aviões médios como os Canadair parecem ser os mais adequados.

Mas não podem ser os meios aéreos a apagar os incêndios, não haveria combustível que chegasse...
O que é preciso são auto tanques e viaturas pesadas para transporte de água. Em grande numero de casos, vemos viaturas ligeiras dos bombeiros a combater incêndios. São pequenas viaturas adequadas para ajudar a combater pequenos incêndios em casas, mas sem capacidade para combater fogos florestais.
Grande parte das corporações de bombeiros combate os incêndios florestais com viaturas e meios adequados para apagar fogos em casas e fábricas.

Os municípios do interior não têm nem vão ter dinheiro para adquirir meios adequados. Quando não se sabe resolver o problema, normalmente atira-se em todas as direcções para tentar encontrar culpados.

A mesma coisa que acontece com os pretensos piromanos, que considerando o numero de fogos em Portugal devem ser aos milhares.
Eles conseguem mesmo ter capacidade para pegar fogos em lugares onde nem bombeiros conseguem chegar com equipamento e onde só um helicóptero pode ser eficiente.

Citar
e nao sai a tropa toda para a mata quando ha um incendio florestal?
Essa é uma reação de quem não pensa com a cabeça.
Portugal tem más experiências da utilização de militares à parva, sem coordenação e sem treino. Já morreram dezenas de militares por causa disso.
Já agora, porque não chamamos também os professores e o pessoal auxiliar das escolas para apagar fogos, quando não há aulas ?
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: nelson38899 em Agosto 20, 2010, 12:53:58 am
Ao nível militar concordo no uso dos soldados, para o patrulhamento das matas nacionais. Seria uma boa forma do exercito conhecer o terreno. Quanto ao combate do incêndios, a única solução é a limpeza dessas matas durante a primavera. Outra solução seria obrigar os proprietários dos terrenos florestais, acabarem com a mono cultura do eucalipto ou então plantar no meio do eucaliptal espécies mais resistentes ao fogo.
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: HSMW em Agosto 20, 2010, 01:14:08 am
Realmente...

Durante a época de fogos militares apenas têm capacidade para fazer:

 - Vigilância, como acontece ou acontecia na serra de Sintra pela EPC a cavalo e também lá andavam comandos, ou como acontece pelas forças destacadas durante o verão para o RI1 em Tavira, pelas serras do Algarve . Vigilância que também é feita pelo pessoal nas torres, (que acredito ser a mais eficaz na detecção imediata de uma coluna de fumo), por meios de vigilância electrónica, pela GNR, bombeiros e DGRF.
   
- Rescaldo, evitando reacendimentos e fazendo vigilância durante a noite.

Sou totalmente contra a duplicação de meios.
Força especial de bombeiros e o GIPS, depois as equipas de sapadores da DGRF espalhadas por locais estratégicos para rapidamente fazerem uma 1ª intervenção e o Exército já a começar a fazer a mesma coisa!

Se há falta de meios equipem os bombeiros. Não pode é existir negócios corruptos por trás, seja para comandantes de corporações, vendedores ou pilotos polacos...
Título: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: carlospires em Agosto 20, 2010, 01:53:33 am
Boas pessoal,
Eu já em 1990 andava com varios camaradas pelas serras  de jipe no apoio e detecçao de fogos florestais ao abrigo de um programa que o Exercito tinha para a vigilancias das matas...inclusive houve em agosto de 1990 um grande incêndio na Arrabida e uma companhia de pessoal maioritariamente Comando foi destacado para lá para prestar auxilio aos bombeiros . Não tinhamos noçao nenhuma do que iamos encontrar...deparamo-nos com as nossas " cargas 5 " ,( penso que era assim que se chamava ao material que tinhamos para executar essas tarefas de sapadores...) com chamas de cerca de 4 ou 5 mts de altura e sem apoio de nenhum bombeiro...até que o Cmte da nossa força - Capitao Santana,na altura, nos mandou retirar porque era muito arriscado estar ali sosinhos sem meios e com aquele vento a dar-lhe em força...
Se é para isso que querem que os militares nas florestas, penso que não é boa ideia...talvez seja sim de mandar os presidiarios e essas sanguessugas que recebem os subsidios sem nada produzirem e nada contribuirem na busca de trabalho, só vivendo á nossa custa... e porque não tb os politicos que estão a mais na assembleia da republica só a mamar os nossos recursos...talvez assim se poupasse alguns trocos..
Mama sumae :snipersmile:
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: LuisC em Agosto 20, 2010, 02:20:38 am
Citação de: "papatango"
Já agora, porque não chamamos também os professores e o pessoal auxiliar das escolas para apagar fogos, quando não há aulas ?

Caro papatango…

Citar
Ministério da Defesa Nacional - Missões das Forças Armadas

Outras missões de interesse público

São as missões desempenhadas em apoio às autoridades civis, destinadas à cooperação com as várias estruturas civis do Estado:
- Em caso de emergências públicas, nomeadamente apoiando a protecção civil no combate a incêndios florestais ou outras calamidades;
- Em proveito do bem-estar das populações, nomeadamente na busca e salvamento no mar, fiscalização da Zona Económica Exclusiva, prestando apoio em termos de construções, em proveito de autarquias locais.
...ora, que eu saiba, os professores e pessoal auxiliar das escolas, ou outra qualquer classe profissional, não têm estas funções atribuídas.



De facto, como bombeiros não me parece que seja o melhor aproveitamento das capacidades que as Forças Armadas eventualmente tenham para apoiar o combate a este flagelo anual. Julgo que será mais a nível da prevenção e vigilância, do facultar meios de engenharia, etc…aí sim, parece-me que é possível um melhor enquadramento das FAs junto das estruturas de protecção civil.
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: chaimites em Agosto 20, 2010, 01:57:01 pm
Que tal a reconverçao dos velhinhos M60

na grecia estes verdadeiros monstros ja sao usados com sucesso
15 000 litros de agua!  os carros de combate a fogo florestal "normais" levam no maximo 3500!
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: typhonman em Agosto 20, 2010, 03:48:46 pm
Citação de: "chaimites"
Que tal a reconverçao dos velhinhos M60

na grecia estes verdadeiros monstros ja sao usados com sucesso

15 000 litros de agua!  os carros de combate a fogo florestal "normais" levam no maximo 3500!

Isso nas escarpas do Gerês devia ser um mimo..
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: papatango em Agosto 20, 2010, 04:01:14 pm
1.
A questão da utilização dos militares foi levantada não por razões legais, mas porque se alegou que não tinham nada para fazer. Em teoria, os professores também não têm nada para fazer quando não há aulas.
Também poderiamos alegar que o estipulado na Lei, se aplica quando é declarado estado de emergência, quando o que temos visto são grande numero de fogos espalhados pelo norte do país.

2.
Chaimite ->
Você tem a certeza absoluta que a Grécia utiliza tanques Leopard para apagar incêndios e que o video que colocou não é apenas uma promoção de uma empresa que quer convencer o governo a fazer uma encomenda ?
Veja as imagens dos nossos fogos, veja a nossa orografia, veja as nossas colinas, veja como são os fogos em Portugal em que ardem árvores e onde as chamas atingem 6 a 10 metros de altura.

Você acha que seria viável a utilização de meios desse tipo ?
Na maior parte dos casos se você fosse bombeiro e utilizasse um tanque para combater os incêndios, ainda ía ver-se a braços com um processo judicial se derrubasse algum muro.

Os bombeiros muitas vezes não conseguem apagar fogos porque os donos dos terrenos criam barreiras artificiais com a delimitação.
O combate aos incêndios não pode ser feito com meios destes, a não ser em situações criticas ou muito especificas.
Creio que seria mais importante a disponibilização de viaturas pesadas para transporte de água, pela estrada. E limito-me apenas a falar das criticas que ouço.

Os carros de bombeiros ligeiros têm continuamente que reabastecer. São preparados para fogos pequenos e em fogos grandes tornam-se pouco úteis porque passam muito do tempo no caminho para reabastecer.
Não sei se isto é generalizado, mas em alguns lugares acontece.
Já vi queixas de pessoal de corporações de voluntários por causa da carta de pesados, pois se a corporação tiver viaturas pesadas, tem que ter gente que possa conduzi-las, mesmo quando não há incêndios. Depois há as manutenções caras.

Quantas pessoas você acha que teriam capacidade e habilitação para conduzir tanques Leopard durante os incendios ?
Os 15.000 litros do Leopard, são o mesmo que transporta uma viatura como esta:
(http://www.townofabrams.com/Fire_Department/Town_of_Abrams_Fire_Dept/Fire_Trucks/IMAG002.JPG)

O Leopard, ou o M60, apenas serviriam para mais incendiários pegarem fogo, apenas para ver os carros dos bombeiros.
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: chaimites em Agosto 20, 2010, 05:21:13 pm
Boas!

sim aquele leopard l e um video promocional

sei ja existe tambem uma versao do T55 russo

nao sei que modelo e este usado pelos gregos


Citar
O Leopard, ou o M60, apenas serviriam para mais incendiários pegarem fogo, apenas para ver os carros dos bombeiros
So falei no M60 porque e o que temos por ca!
Es capaz de ter razao ha malucos para tudo!

Aqui como na grecia os bombeiros nao andam nas escarpas!

os bombeiros esperam pelo fogo num corta fogo numa estrada ou caminho e tentam corta-lo ali
aqui como nao ha acessos em quase lado nenhum espera-se pelo fogo quase sempre junto a aldeias e casas  porque e onde os bombeiros conseguem chegar!
aí uma maquina destas podia fazer a diferença!

aquele auto tanque que mostras e usado como viatura logistica para reabastecer os carros de combate  direto, nao sobe por um corta fogo acima! um carro de combate pesado leva 3500 litros e na maior parte das vezes ja nao consegue manobrar nos nossos acessos
os ligeiros ou medios a maior parte das vezes tem que fazer uma retirada  estrategica por falta de agua!
nao tenhas duvidas se houvesse acessos a maquinaria pesada o problema dos fogos estava 75% resolvido

 Com o fogo a aproximar-se a grande velocidade ja cortei eucaliptos junto de casas  ( NAO SOU BOMBEIRO) com o dono a protestar junto de mim e nunca ninguem apresentou queixa!  

Por experiencia no terreno posso-te dizer: os bombeiros sao herois mas nao sao suicidas! ninguem se aventura mata dentro sem um caminho ou estrada ou um corta fogo!  muito menos sem agua por perto!

por isso os fogos chegam sempre junto das casas!

um monstro destes para alem de levar agua com fartura, pode ser usado para abrir corta fogos  aceiros e sempre teria mais facilidade em   quebrar uma linha de fogo  atacando-o  e   dando proteçao a tripulaçao
Quebrando a linha de fogo , poderia atacar a retaguarda da frente de incendio,  usando a lamina  de buldozer para abrir caminho ,onde por vezes um camiao de rodas nao pode chegar

atacar o fogo pelas "costas", colocando os meios na  zona ja ardida,  e dos metodos mais seguros e eficazes quando o acesso a frente é  perigosa devido ao avanço descontrolado, fumo e calor

ABRAÇO
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: nelson38899 em Agosto 20, 2010, 07:01:18 pm
Apesar desses equipamentos todos! O melhor combate é a limpeza das florestas, tanto ao nível do lixo como ao nível dos resíduos florestais. Acredito que se o civismo das pessoas fosse maior, a maioria dos incêndios não existiria!
Título: Re: FOGOS FLORESTAIS
Enviado por: joao emilio em Agosto 22, 2010, 06:22:51 pm
olá a todos os camaradas.

como ex.militar e como ex.bombeiro vou dar uma pequena contribuiçao a este tópico.

o problema dos bombeiros em portugal e dos fogos florestais sao os seguintes.
falta de cordenaçao dos meios de combate:  os meios de combate aos fogos florestais na perspectiva material e humana sao mais do que sufecientes e adequados, apenas terao que ser articulados de uma forma diga-mos militarizada, ou seja quando se dá uma ordem é para ser cumperida de imediato e o mais eficiente possivel, o que nao se passa na actualidade, os bombeiros com a sua condiçao de voluntariado nao entenderao o que é uma ordem.
os meios tanbem sao adequados pois todas as unidades de bombeiros teem viaturas de traçao 4x4, ou mesmo 6x6, tanbem por vezes nao é a quantidade de agua de extinge melhor os incendios nem a alta pressao mas sim o seu uso adequado ao tipo de fogo que encontram.
sabemos que ao nivel militar existem varias vertentes de tipologia militar: comandos,operaçoes especiais,pára-quedistas,fuzileiros,artelharia,infantaria,cavalaria, engenharia,comando e serviços, força aerea, armada etc etc etc, mas como todos sabem cada unidade militar tem missoes muito especificas para cada uma, embora os treinos sejam muito parecidos as suas missoes sao muito diferentes, ao nivel de bombeiros e protecçao civil isto nao se passa, temos varias forças a prestarem exactamente os mesmos serviços e isto cria descordenaçao e desarticulaçao ao nivel operacional e de comando estrategico, o nome bombeiro deriva de bomba obviamente de agua, aos bombeiros voluntarios, sapadores, municipais,privativos e mistos cabe a missao de extinguir fogos de qualquer tipologia, aos FEB(força especial de bombeiros) cabe a missao de combater frentes com materiais de sapador, em locais que serao inaceciveis aos bombeiros por isso é que sao heli-transportados, aos gips da gnr cabe a missao de patrulhamento, fiscalizaçao, actuaçao em pequenos fogos iniciais segurança, e pouco mais, aos elementos do ministerio da agricultura cabe a prevençao,silvicultura preventiva,contra-fogos controlados e gestao florestal, os meios aereos nos fogos em portugal sao importantes mas apenas com aeronaves pesadas, como helicopteros pesados e avioes pesados, o resto que anda por ai é só para encher papel e convencer as populaçoes, em questoes operacionais sao nulos.
mais averia para dizer mas deixo para mais tarde.

quanto ás possiveis intervençoes com militares neste problema dos incendios florestais tenho a seguinte opiniao.
é possivel e desejavel a intervençao das forças armadas nos fogos florestais com as seguintes tarefas; patrulhamento florestal, visto que já nem as forças de segurança sao eficazes, poderia ser que com militares os ditos piromanos temessem mais, além que ningem neste pais está mais preparado de que um comando, ou um ranger, etc para patrulhar a floresta.
ao nivel de combate e por nao terem meios para combate directo, o mais indicado seria mesmo a  abertura de grandes faixas de corta fogo, ou aguda em rescaldos, mas isso teria que ser avaliado delos senhores comandantes militares.

um abraço a todos

joao emilio
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 23, 2010, 03:17:38 am
Boas!
Os meios sao suficientes 95% dos dias do ano!
Mas quando os bombeiros tem que se desmultiplicar em varias frentes  tem a triste opçao de escolher o que vao deixar arder!

aqui fica uma citaçao do Diario de noticias  do desastre que aconteceu dia 10  11 de Agosto em viana!

Foram os quintais, salvaram-se as casas
por PAULO JULIÃO

População uniu-se para evitar que fogo atingisse habitações. Queixas por lentidão na ajuda e dos meios aéreos.


No espaço de uma hora o inferno parece ter descido aos arredores da cidade de Viana do Castelo. O fogo que deflagrou em Outeiro ao início da tarde rapidamente ficou descontrolado. Perre foi a aldeia vizinha mais visada, a cinco minutos da cidade. "Tão depressa me chamaram a dizer que estava lá em cima como logo a seguir estava eu a fugir. Fiquei sem 15 mil metros de terreno e vinhas. Quer dizer, ficou a terra preta", confessava ao DN João Ruivo que, aos 69 anos, não se lembra de "tamanha tragédia".

"A família e a população ajudaram, caso contrário tinha ardido tudo", confessava a filha, Glória, por entre o lamento: "Eu sei que não têm toda a culpa, mas onde estão os bombeiros? Pagámos os nossos impostos e depois quem nos defende?", insurgia-se.

Por entre o combate, um bombeiro lá desabafa: "Isto não vale a pena mais do que salvar as casas. O resto é para arder, não conseguimos." E de facto salvaram-se as casas, mas o fogo chegou aos quintais. "O povo une-se nestas alturas. É a única hipótese que temos. Vamos buscar as nossas máquinas, seja o que Deus quiser", explicava ao DN Eduardo Ferreira, da Junta de Freguesia de Perre, enquanto "coordenava" as cinco cisternas que tinha ao seu cuidado para proteger um conjunto de meia dúzia de casas. Três horas depois de deflagrar, e quando uma camada de fumo preto já cobria a cidade, chegam os meios aéreos. João é bombeiro e não resiste a soltar o comentário: "Agora é que eles chegam, quando o pior já passou."

As estradas que ligam as freguesias de Perre, Outeiro e Santa Marta de Portuzelo estavam repletas de centenas de populares. "Nunca se viu uma coisa destas. É um Inferno", gritavam as mulheres, por entre os panos da cozinha com que tapavam a cara, enquanto tentavam saber dos pertences e da restante família
Na zona de Mujães, um reacendimento provocou o mesmo cenário. O apoio das juntas de freguesia e populares impediu as chamas de atingir habitações. "Tem sido um mês complicado e o que mais notámos é que o fogo avança rapidamente. Isso e o facto de não termos meios aéreos suficientes na região", lamentou o autarca de Viana, José Maria Costa.

Desespero às portas de Viana do Castelo

"Esqueceram-se de nós", gritava, desesperado, António Maciel enquanto tentava apagar labaredas de vários metros de altura com a mangueira que antes regava o jardim, em Cardielos, Viana do Castelo. O jardim desapareceu, a casa escapou, mas o relato mostra como ontem, sem meios, foram os populares e os poucos bombeiros a apagar as chamas à volta das casas. Dezenas de habitações foram ameaçadas durante a tarde, enquanto o desespero pelos reforços tomava conta de todos. Inclusive do presidente da Câmara de Viana, que a cada dez minutos não largava o telemóvel a reclamar apoio do Ministério da Administração Interna.

"Estou desesperado. Quando vejo os meios a serem canalizados para uma área protegida em que está a arder mato e nós temos casas a arder há dois dias e ninguém nos manda apoio, gera indignação", afirmava o autarca do PS, José Maria Costa.

O incêndio, que já vinha do dia anterior depois de alastrar de Perre e Outeiro, acabava de atingir o ponto crítico e deixava a cidade, a cinco minutos de distância, em alerta, face ao fumo negro. No local a situação era tal que o fogo já obrigava ao corte da A27 e da EN202, devido às chamas e ao fumo, o que praticamente isolou a freguesia. E reforços, nem vê-los, com excepção de uma viatura dos Voluntários de Caminha. O resto do combate, em várias frentes de gigantesca dimensão, cabia apenas aos homens das corporações da cidade.

"Estamos há dois dias com dois grandes incêndios e à espera de reforços nacionais que não chegam. Imagine-se que tivemos que desguarnecer o outro incêndio, em Subportela, desviando os meios da outra margem para aqui", dizia ao DN o autarca de Viana."  in Diario de Noticias

Quem diz que os meios sao suficientes nunca viu labaredas de 10 metros engolir-lhe a casa e telefonar para a proteçao civil e receber a resposta : "NAO TEMOS MAIS MEIOS ESTAO TODOS NA TERRENO JA, FECHE A CASA E FUJA!  
 
As corporaçoes tem todas viaturas 4x4 e 6x6, mas, com quantos carros combates uma frente de 5km  que puxada pelo vento caminha descontrolada  em direçao e centenas de casas?
Nao ha meios! nem aqui nem em lado nenhum

feche a casa,  fuja e reze  

ABRAÇO
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: AtInf em Agosto 23, 2010, 02:04:45 pm
Citação de: "chaimites"
A floresta e uma riqueza nacional, porque nao soam as cirenes por esses quarteis fora, e nao sai a tropa toda para a mata quando ha um incendio florestal?
Nao é uma ameaça bem real a segurança nacional?

Esta e a pergunta que ouço cada vez que um fogo chega as portas de qualquer aldeia perdida na serra

sei que por vezes sao chamados, mas quase sempre para funçoes de rescaldo



Quero ouvir as respostas dos entendidos
Em primeiro lugar e como por enquanto (e que eu espero continue por muitos e bons anos) vivemos numa democracia, compete aos responsáveis a tomada de decisão do empenhamento de mais meios que aqueles que actualmente estão atribuidos, e ou uma alteração às missões que estão confiadas aos militares.
Esses responsáveis, pelas razões que já apontei anteriormente, não são os militares mas sim (e é sempre bom recordar), a tutela politica : leia-se Ministro da Defesa Nacional. Só após essa tomada de posição é que cabe ás chefias militares planearem e apresentarem os meios para fazerem face ao que lhes é solicitado.
Se não perdessem tanto tempo e verbas a mandar fazer mais algumas rotundas e inaugurar estátuas, os Presidentes das Câmaras Municipiais podiam através do seu Gabinete de Protecção Civil ( quando existe ), contactar a Engenharia Militar para abrir mais uns valentes quilómetros de estradas florestais e aceiros ( essas sim obras essenciais para ajudar no combate e prevenir muito incêndio.
Actualmente o Exército colabora na prevenção e detecção de incêndios florestais com patrulhas de vigilância ( as possíveis face às verbas destinadas e meios existentes), e posteriormente com pessoal e viaturas para apoiar os bombeiros em missões de rescaldo e evacuação de populações assim como apoio logistico aos mesmos.
Convem referir que não faz parte do treino o conhecimento sobre combates a incêndios florestais. Se quisermos, e não levem a mal, podemos comparar as forças de Segurança a actuar perante uma ameaça de saúde pública - podem ajudar o melhor que souberem e puderem - mas não é a sua missão principal !
Certamente poderia haver um melhor aproveitamento dos meios humanos e materiais mas cabe aos responsáveis politicos e às chefias da Protecção civil uma melhor elaboração de planos e depois pôr pessoal responsável e com conhecimentos ( bombeiros) a aplicá-los.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Agosto 24, 2010, 01:10:11 pm
Citação de: "chaimites"
Boas!
Os meios sao suficientes 95% dos dias do ano!
Mas quando os bombeiros tem que se desmultiplicar em varias frentes  tem a triste opçao de escolher o que vao deixar arder!

aqui fica uma citaçao doDiario de noticias  do desastre que aconteceu dia 10  11 de Agosto em viana!

Foram os quintais, salvaram-se as casas
por PAULO JULIÃO

População uniu-se para evitar que fogo atingisse habitações. Queixas por lentidão na ajuda e dos meios aéreos.


No espaço de uma hora o inferno parece ter descido aos arredores da cidade de Viana do Castelo. O fogo que deflagrou em Outeiro ao início da tarde rapidamente ficou descontrolado. Perre foi a aldeia vizinha mais visada, a cinco minutos da cidade. "Tão depressa me chamaram a dizer que estava lá em cima como logo a seguir estava eu a fugir. Fiquei sem 15 mil metros de terreno e vinhas. Quer dizer, ficou a terra preta", confessava ao DN João Ruivo que, aos 69 anos, não se lembra de "tamanha tragédia".

"A família e a população ajudaram, caso contrário tinha ardido tudo", confessava a filha, Glória, por entre o lamento: "Eu sei que não têm toda a culpa, mas onde estão os bombeiros? Pagámos os nossos impostos e depois quem nos defende?", insurgia-se.

Por entre o combate, um bombeiro lá desabafa: "Isto não vale a pena mais do que salvar as casas. O resto é para arder, não conseguimos." E de facto salvaram-se as casas, mas o fogo chegou aos quintais. "O povo une-se nestas alturas. É a única hipótese que temos. Vamos buscar as nossas máquinas, seja o que Deus quiser", explicava ao DN Eduardo Ferreira, da Junta de Freguesia de Perre, enquanto "coordenava" as cinco cisternas que tinha ao seu cuidado para proteger um conjunto de meia dúzia de casas. Três horas depois de deflagrar, e quando uma camada de fumo preto já cobria a cidade, chegam os meios aéreos. João é bombeiro e não resiste a soltar o comentário: "Agora é que eles chegam, quando o pior já passou."

As estradas que ligam as freguesias de Perre, Outeiro e Santa Marta de Portuzelo estavam repletas de centenas de populares. "Nunca se viu uma coisa destas. É um Inferno", gritavam as mulheres, por entre os panos da cozinha com que tapavam a cara, enquanto tentavam saber dos pertences e da restante família
Na zona de Mujães, um reacendimento provocou o mesmo cenário. O apoio das juntas de freguesia e populares impediu as chamas de atingir habitações. "Tem sido um mês complicado e o que mais notámos é que o fogo avança rapidamente. Isso e o facto de não termos meios aéreos suficientes na região", lamentou o autarca de Viana, José Maria Costa.

Desespero às portas de Viana do Castelo

"Esqueceram-se de nós", gritava, desesperado, António Maciel enquanto tentava apagar labaredas de vários metros de altura com a mangueira que antes regava o jardim, em Cardielos, Viana do Castelo. O jardim desapareceu, a casa escapou, mas o relato mostra como ontem, sem meios, foram os populares e os poucos bombeiros a apagar as chamas à volta das casas. Dezenas de habitações foram ameaçadas durante a tarde, enquanto o desespero pelos reforços tomava conta de todos. Inclusive do presidente da Câmara de Viana, que a cada dez minutos não largava o telemóvel a reclamar apoio do Ministério da Administração Interna.

"Estou desesperado. Quando vejo os meios a serem canalizados para uma área protegida em que está a arder mato e nós temos casas a arder há dois dias e ninguém nos manda apoio, gera indignação", afirmava o autarca do PS, José Maria Costa.

O incêndio, que já vinha do dia anterior depois de alastrar de Perre e Outeiro, acabava de atingir o ponto crítico e deixava a cidade, a cinco minutos de distância, em alerta, face ao fumo negro. No local a situação era tal que o fogo já obrigava ao corte da A27 e da EN202, devido às chamas e ao fumo, o que praticamente isolou a freguesia. E reforços, nem vê-los, com excepção de uma viatura dos Voluntários de Caminha. O resto do combate, em várias frentes de gigantesca dimensão, cabia apenas aos homens das corporações da cidade.

"Estamos há dois dias com dois grandes incêndios e à espera de reforços nacionais que não chegam. Imagine-se que tivemos que desguarnecer o outro incêndio, em Subportela, desviando os meios da outra margem para aqui", dizia ao DN o autarca de Viana."  in Diario de Noticias

Quem diz que os meios sao suficientes nunca viu labaredas de 10 metros engolir-lhe a casa e telefonar para a proteçao civil e receber a resposta : "NAO TEMOS MAIS MEIOS ESTAO TODOS NA TERRENO JA, FECHE A CASA E FUJA!  
 
As corporaçoes tem todas viaturas 4x4 e 6x6, mas, com quantos carros combates uma frente de 5km  que puxada pelo vento caminha descontrolada  em direçao e centenas de casas?
Nao ha meios! nem aqui nem em lado nenhum

feche a casa,  fuja e reze  

ABRAÇO



caro camarada (chaimite) este texto que colocou especifica uma situaçao em tempo real, ou seja uma situaçao em concreto, para se entender o que se discute neste tópico teremos que tambem entender o que se passou a montante , uma das primeiras e basicas liçoes que temos(bombeiros) sobre formaçao de incendios florestais,urbanos,industriais, quimicos etc etc, è de que um grande incendio antes de ser grande é pequeno.
vou-lhe dar um exemplo em concreto, o meu antigo comandante homem de grande capacidade operacional(infelismente como homem nao vale nada) nunca deixa-va o incendio percorrer por onde cria, como cria, um incendio nunca vem ter com os bombeiros, os bombeiros è que vao ter com os incendios, nem que para isso se monte e desmonte linhas de agua com kilometros, e mesmo a material sapador quando possivel.
o problema é que os meios locais,concelhios,regionais e nacionais sao activados em tempo inutil, primeiro avalia-se se o incendio cede aos meios disponiveis e sò depois se pede meios que muitas vezes demoram muito tempo, a isto chama-se falta ou desconhecimento do que è o planeamento(arte de prever o futuro) em socorro mais vale pecar por excesso de meios do que por falta de meios.
resumindo aos senhores comandantes, governantes e demais cambada falta uma coisa que ouvi muitas vezes enquanto fui bombeiro, AGARRAR O TOURO PELOS CORNOS, e nao brincar aos bombeiros e muito menos fazer contas a despesas em pleno socorro.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 24, 2010, 02:53:33 pm
"joao emilio", desde já, deixe-me dar-lhe as boas-vindas ao Fórum Defesa e de dar-lhe os parabéns pelos relevantes aportes, na perspectiva dos Bombeiros, que tem dado ao fórum. Não obstante, gostaria de chamar a sua atenção para o uso  correcto da língua portuguesa, nomeadamente o uso de Maiúsculas no início das frases, bem como o uso de uma ortografia correcta. Por exemplo: "infelismente" --> infelizmente; "deixa-va" --> deixava; "cria" [do verbo criar, quando se deve usar o verbo querer] --> queria; "è" --> é, "sò" --> só, etc., etc.

Obrigado pela atenção,
Boas participações,

Pel'A moderação,
B. Pereira Marques
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: lazaro em Agosto 24, 2010, 02:58:43 pm
Citação de: "AtInf"
Em primeiro lugar e como por enquanto (e que eu espero continue por muitos e bons anos) vivemos numa democracia, compete aos responsáveis a tomada de decisão do empenhamento de mais meios que aqueles que actualmente estão atribuidos, e ou uma alteração às missões que estão confiadas aos militares.
Esses responsáveis, pelas razões que já apontei anteriormente, não são os militares mas sim (e é sempre bom recordar), a tutela politica : leia-se Ministro da Defesa Nacional. Só após essa tomada de posição é que cabe ás chefias militares planearem e apresentarem os meios para fazerem face ao que lhes é solicitado.
Se não perdessem tanto tempo e verbas a mandar fazer mais algumas rotundas e inaugurar estátuas, os Presidentes das Câmaras Municipiais podiam através do seu Gabinete de Protecção Civil ( quando existe ), contactar a Engenharia Militar para abrir mais uns valentes quilómetros de estradas florestais e aceiros ( essas sim obras essenciais para ajudar no combate e prevenir muito incêndio.
Actualmente o Exército colabora na prevenção e detecção de incêndios florestais com patrulhas de vigilância ( as possíveis face às verbas destinadas e meios existentes), e posteriormente com pessoal e viaturas para apoiar os bombeiros em missões de rescaldo e evacuação de populações assim como apoio logistico aos mesmos.
Convem referir que não faz parte do treino o conhecimento sobre combates a incêndios florestais. Se quisermos, e não levem a mal, podemos comparar as forças de Segurança a actuar perante uma ameaça de saúde pública - podem ajudar o melhor que souberem e puderem - mas não é a sua missão principal !
Certamente poderia haver um melhor aproveitamento dos meios humanos e materiais mas cabe aos responsáveis politicos e às chefias da Protecção civil uma melhor elaboração de planos e depois pôr pessoal responsável e com conhecimentos ( bombeiros) a aplicá-los.
É assim mesmo!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Agosto 24, 2010, 06:35:58 pm
Ex. Senhor moderador Pereira Marques. Pela minha forma de escrever é mais que evidente que não sou nenhum licenciado, obrigado pela chamada de atenção, quando voltar a escrever neste fórum apenas terei o trabalho de escrever no Word para rectificar os erros ortográficos.
Apesar disso acho que um fórum não serve propriamente para ensinar ninguém a escrever mas sim para fazer passar as opiniões de cada um sobre variadíssimos temas.

João Emílio

Escrevi bem ou mal agora?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 24, 2010, 10:15:55 pm
Boas!

joao emilio

O que aconteceu foi que o fogo no espaço de menos de 2 horas atingiu essas proporçoes! ao contrario do costume ele começou na base de um monte cerca das 13.30 e  tinha casas que contronavam o monte em todo o seu caminho, avançou como uma coisa que eu nunca vi na minha vida, tudo explodia a sua frente, eu vi o inicio do incendio telefonei á proteçao  civil e eles informaram que ja sabiam e tinham os carros a caminho , quando ca chegaram ja a frente tinha mais de 5 km e avançava descontrolada en direçao a centenas de casas!
Eu ja tinha ouvido falar de autoincineraçao, mas nunca tinha visto, agora acredito, tudo explodia ainda a frente estava a metros de distancia, um inferno! Qualquer heroi que fosse segurar o touro pelos cornos tinha morrido!  
Ja apaguei muito fogo mas nunca vi nada assim!
Eu nao estava a criticar os bombeiros, eles nao tinham mais nada no quartel !
Um abraço para os municipais e voluntarios de viana!
Acredita que enviaram para aqui carros com mais de 30 anos que estavam no quartel prontos para ir para o museu!  
Velhinhos camioes mercedes com a pintura e cromados a brilhar como novos ! la sairam do museu!
3 horas depois, quando chegou o primeiro helicoptero o fogo tinha precorrido mais de 7 km
Os meios existentes posicionaram-se para proteger as habitaçoes  e se nao fossem os populares  a ajudar tinham ardido dezenas de casas!
Assim so arderam as que  nao estavam habitadas!
Quando ca chegaram começaram a proteger casas,  a salvar  pessoas encorraladas,  a retirar de casa idosos intoxicados  e cercados pelo fogo e assim continuaram ate nao haver mais nada pra queimar!
Abraço
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 25, 2010, 12:12:56 am
Citação de: "joao emilio"
Ex. Senhor moderador Pereira marques. Pela minha forma de escrever é mais que evidente que não sou nenhum licenciado, obrigado pela chamada de atenção, quando voltar a escrever neste fórum apenas terei o trabalho de escrever no Word para rectificar os erros ortográficos.
Apesar disso acho que um fórum não serve propriamente para ensinar ninguém a escrever mas sim para fazer passar as opiniões de cada um sobre variadíssimos temas.

João Emílio

Escrevi bem ou mal agora?

Caro João,

Apesar de certa maneira ter chamado a atenção a si, mais em concreto, tratou-se também de um aviso em geral para o fórum, que a Administração e a Moderação gostam de fazer periodicamente, no sentido de manter um uso correcto da língua portuguesa.

 :G-beer2:

Continuação de uma boa participação,
Cumprimentos,
B. Pereira Marques
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Miguel Silva Machado em Agosto 25, 2010, 10:00:37 am
Um incidente comunicacional que envolveu um autarca e o Exército a propósito dos fogos trouxe-me à memória esta frase em título, dita algures numa missão internacional, por um militar estrangeiro. Dizia-me “atrás de nós, ninguém” porque segundo ele, quando todos os outros falham ou não têm capacidade para resolver seja o que for (catástrofes naturais, terrorismo, violência urbana, acidentes nucleares, biológicos ou químicos, acidentes no mar, etc.), a solução é recorrer às Forças Armadas (...)

http://www.operacional.pt/atras-de-nos-ninguem/ (http://www.operacional.pt/atras-de-nos-ninguem/)

(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2009/10/kosovo-benjamim-feliz-copy.jpg)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Agosto 26, 2010, 10:28:45 am
Citar
Mais de 2000 militares estiveram envolvidos em operações de rescaldo e vigilância de incêndios florestais desde 01 de julho, num total de 97 pelotões auxiliados por 201 viaturas, segundo o Estado Maior General das Forças Armadas.

Estes meios, atuando no âmbito do plano Lira, estiveram em ação desde 01 de julho, início da fase Charlie do plano de combate a incêndios florestais.

Em colaboração com a Autoridade Nacional de Proteção Civil, as Forças Armadas tiveram ainda 172 intervenções do dispositivo de primeira intervenção integrado no plano Vulcano, que consagra 250 militares, divididos por 20 equipas, em ações de vigilância e prevenção.

Além de primeira intervenção, estas equipas, destacadas principalmente para as matas do Estado, participaram em ações de rescaldo, apoio e vigilância.

Desde 01 de julho, as Forças Armadas dispensaram mais de doze mil litros de combustível e reabasteceram os aviões de combate ao fogo Canadair italianos e espanhóis e os helicópteros Kamov, que pousaram na Base Aérea 6 do Montijo e no Aeródromo de manobra 1 de Ovar.
http://noticias.pt.msn.com/Politica/article.aspx?cp-documentid=154495648
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Agosto 26, 2010, 03:52:13 pm
Amigo (chaimites) o que acaba de relatar são fenómenos que no mínimo terão que estar previstos por quem de direito (bombeiros, protecção civil, ministérios da agricultura e administração interna etc. etc.,.) nestas situações extremas em que os combustíveis ardem espontaneamente é muito difícil o combate e acarreta um perigo crescente para quem combate este género de fogo, mas existe esta realidade e as entidades competentes tem que estar concentradas na sua solução e não no problema em concreto.
O que fazer nestas circunstancias, primeiro a tal prevenção nunca deixar que em certas zonas mais inacessíveis que a vegetação ervária, arbustiva, e arbórea cresça descontroladamente, depois no combate a um incêndio assim, terá que haver um plano prévio que tem de ser seguido na integra, os planos municipais, distritais e nacionais de emergência raramente são accionados pois isto trás muita despesa, mas são eficazes pois só estando um plano de emergência activo è que as forças no terreno tem mecanismos legais para efectuar certas acções que não podem fazer fora dos planos de emergência, por ex. se tivermos necessidade de montar um posto de comando dentro de alguma instalação fabril ou qualquer propriedade privada e se o dono não autorizar, dentro de um plano de emergência as forças da autoridade podem fazer uma requisição digamos há força ou por ordem da lei, e dentro da lei lógico., depois estando previsto este tipos de incêndios e cada corporação deve ter conhecimento da sua área de intervenção planear o melhor método de ataque, fazer chegar o mais rápido possível os meios de combate ao teatro de operações, assim como toda a logística, lançar alertas para as forças de segurança proceder às evacuações, definir prioridades de ataque e protecção, envolver tudo o que seja necessário ao melhor combate.
O efeito chaminé tem um efeito verdadeiramente explosivo, ou seja a vegetação entra em combustão espontânea e generalizada, existem coisas humanamente possíveis e outras que não são possíveis, agora citando um dos grandes investigadores portugueses na área dos fogos florestais o professor Xavier Viegas (nenhuma arvore, nenhuma propriedade, nenhuma casa e mesmo nenhum animal vale a vida de um bombeiro, apenas isto um bombeiro tem que honrar o seu lema VIDA POR VIDA)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 26, 2010, 10:20:02 pm
Boas

 O camarada Joao Emilio seria um bom reforço para a sua corporaçao se fosse reintegrado! pense nisso

 O que aqui se passou foi mesmo o efeito chamine agravada pelo calor, 35Cº, vento e combustivel com fartura
 E qualquer coisa de respeito ver aquele turbilhao de chamas a avançar, so o barulho que faz assusta!  ele ronca mesmo!!!!
 Depois o maior problema aqui e  a falta de acessos nao ha maneira de entrar no monte! e por isso ninguem limpa nem os madeireiros la vao!

Estou ha espera da proxima assembleia  da autarquia para pegar "fogo" à reuniao!!!!
Andei anos a avisar para a bomba que estava naquele monte!
Ninguem quiz saber de nada!

Abraço!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Agosto 27, 2010, 02:39:03 pm
Quanto há minha reintegração na associação do bombeiros è praticamente impossível, pelo menos enquanto o actual comandante estiver em funções, depois seria complicado com 35 anos entrar novamente como bombeiro de 3 classe, e depois muita coisa teria que mudar principalmente a nível das altas chefias e intermédias.
Pensem numa coisa ex: senhores militares uma estrutura como a dos bombeiros que são combatentes por natureza não tivessem eles a alcunha de soldados da paz, terá que obedecer a regras praticamente iguais a de qualquer exército, sem a disciplina e protocolos a que um soldado está habituado e treinado nada pode correr bem.
Um grande abraço camaradas e boa sorte para as vossas vidas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Agosto 27, 2010, 03:40:10 pm
Citação de: "joao emilio"
Quanto há minha reintegração na associação do bombeiros è praticamente impossível, pelo menos enquanto o actual comandante estiver em funções, depois seria complicado com 35 anos entrar novamente como bombeiro de 3 classe, e depois muita coisa teria que mudar principalmente a nível das altas chefias e intermédias.
Pensem numa coisa ex: senhores militares uma estrutura como a dos bombeiros que são combatentes por natureza não tivessem eles a alcunha de soldados da paz, terá que obedecer a regras praticamente iguais a de qualquer exército, sem a disciplina e protocolos a que um soldado está habituado e treinado nada pode correr bem.
Um grande abraço camaradas e boa sorte para as vossas vidas.

Pelo andar da carruagem isso irá acontecer, não nos bombeiros voluntários mas sim com a GNR e sapadores florestais.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 29, 2010, 02:53:44 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "joao emilio"
Quanto há minha reintegração na associação do bombeiros è praticamente impossível, pelo menos enquanto o actual comandante estiver em funções, depois seria complicado com 35 anos entrar novamente como bombeiro de 3 classe, e depois muita coisa teria que mudar principalmente a nível das altas chefias e intermédias.
Pensem numa coisa ex: senhores militares uma estrutura como a dos bombeiros que são combatentes por natureza não tivessem eles a alcunha de soldados da paz, terá que obedecer a regras praticamente iguais a de qualquer exército, sem a disciplina e protocolos a que um soldado está habituado e treinado nada pode correr bem.
Um grande abraço camaradas e boa sorte para as vossas vidas.

Pelo andar da carruagem isso irá acontecer, não nos bombeiros voluntários mas sim com a GNR e sapadores florestais.

GIPS que consegue pior resultados que os Canarinhos? Já agora sabes onde é que eles são treinados? Escola Nacional de Bombeiros.

Sapadores Florestais que são pagos mal e porcamente? Desde que eu sai dos bombeiros todos os SF da minha recruta deixaram o seu trabalho para irem para o Corpo de BV em questão ou para outras profissões. Desconheço se o ordenado é igual em todo o território nacional, mas se for, mais vale estar desempregado. :evil:

Enquanto não houver uma maior exigência a nível de selcção e formação dos BV, salários condignos para os BV, SF, etc; esqueçam.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: GI Jorge em Agosto 30, 2010, 01:57:29 am
na minha opinião, o pior de tudo é que se não for o "Zé povinho" a mostrar como pode ser generoso, bem que ficávamos  sem bombeiros. Aliás, sempre me ensinaram que pouco ou muito, dá-se sempre o que se pode aos bombeiros. O governo, quase que nem quer saber das corporações de bombeiros amadores. Atira para lá uns trocos e eles que, na típica tradição portuguesa, se desenrasquem. Ainda à pouco tempo estive a falar com um amigo bombeiro voluntário que disse que mal havia dinheiro para manter as viaturas em tempo de "paz e sossego", e então no Verão, na época dos incêndios estavam quase na "bancarrota". Se já manter um carro tem custos por vezes elevados, então manter tantos camiões e ambulâncias, e alguns com partes muito sensíveis (ambulâncias, gruas, e aqueles com a escada), nem se fala. já que procederam à profissionalização do exercito, deviam fazer o mesmo com os bombeiros, pagando-lhes, dando-lhes boas condições, e mais importante, um orçamento de jeito, para não irem combater fogos com equipamento totalmente ultrapassado.
Já agora, alguém sabe se aquela ideia de que se um pinhal, ou eucaliptal não estiver bem cuidado, quem fizer queixa pode ficar com ele, desde que o mantenha limpo foi avante? Até é uma boa medida para embutir responsabilidade e civismo na cabeça de certas pessoas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 30, 2010, 12:55:14 pm
Tu achas que o que fizeram às Forças Armadas foi uma profissionalização? :lol:

No Corpo de BV a que eu pertenci grande parte dos "voluntários" são na verdade assalariados. O ordenado não compensa a quantidade de horas que fazem, as viaturas mais recentes foram adquiridas com ajudas de mecenas. Achas que o governo numa altura de cortes orçamentais vai querer assegurar os CBV ou "profissionalizar" como tu disseste?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: GI Jorge em Agosto 30, 2010, 01:34:54 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Tu achas que o que fizeram às Forças Armadas foi uma profissionalização? :lol:

No Corpo de BV a que eu pertenci grande parte dos "voluntários" são na verdade assalariados. O ordenado não compensa a quantidade de horas que fazem, as viaturas mais recentes foram adquiridas com ajudas de mecenas. Achas que o governo numa altura de cortes orçamentais vai querer assegurar os CBV ou "profissionalizar" como tu disseste?

desculpa, já era tarde e em boa verdade já estava derreado. Nem me lembrava do termo.  :oops:
Mas o governo não pode escolher não apoiar os bombeiros. Apesar de o governo ser feito de uns tipos sem visão, a floresta é uma mais valia. E no futuro pode tomar o poder alguém que a saiba utilizar bem. Portanto, mesmo que estes não a saibam utilizar, devem preserva-la para o mítico dia em que esse governante chegue e faça algo de jeito com as riquezas que já temos. Já para não falar nos fogos em casas, em industrias, etc, etc.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 01, 2010, 07:24:16 pm
Boas!

GI Jorge
ui isso se vier a ser verdade tenho aqui uns milhares de hectares à disposiçao, se quiseres podes vir limpar tambem pois eu sozinho nao dou conta de
tudo! :wink:

Actualmente tens que avisar o proprietario para manter uma zona limpa 50 metros a volta da tua casa, se ele nao limpar tens que ir a proteçao civil, eles enviam uma equipa para avaliar a situaçao, avisam o proprietario se ele nao limpar, a mata é limpa e a conta e-lhe apresentada no fim ! se ele nao pagar segue processo em tribunal! com respectiva contra ordenaçao.

Mas....como estamos em portugal.... antes disto tudo  acontecer vem um fogo e queima tudo! pronto. ja esta a mata limpa!
Abraço
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: GI Jorge em Setembro 02, 2010, 12:32:16 am
Citação de: "chaimites"
Boas!

GI Jorge
ui isso se vier a ser verdade tenho aqui uns milhares de hectares à disposiçao, se quiseres podes vir limpar tambem pois eu sozinho nao dou conta de
tudo! :twisted: Mas 50 metros é pouco. Deviam era ter a mata completamente limpa.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Setembro 04, 2010, 12:21:51 am
O combate aos fogos é um negócio, e é uma forma de financiar campanhas eleitorais,  e esse é o grande problema.

A melhor maneira de acabar com este negócio, é chegar ao governo um governante que não esteja enfeudado com estes senhores das empresas aéreas que tem literalmente queimado o país, e fechar-lhes a torneira.

Adquirir uma frota de meios aéreos pesados em condições, em numero nunca inferior a 6/8 unidades, canadair's de preferencia ou beriev's, há menos tomadas de agua para eles no pais mas levam 12 mil litros de agua contra os 6 mil dos canadair's cl-415, e pô-los aos comandos da Força Aérea portuguesa.

Todos falharam no passado, uns mais do que outros, fosse o Dias Loureiro do psd quando proibiu os c-130 de usar os kit's de combate aos fogos nos anos 90, visto que através da SLN estava ligado às firmas de aluguer de meios aéreos, nomeadamente a Aeronorte e a Helisul.

http://diario.iol.pt/noticia.html?id=580894&div_id=4071 (http://diario.iol.pt/noticia.html?id=580894&div_id=4071)

Fosse o PS desde 95, que tomou o poder e nunca comprou estas aeronaves, pior ainda em 2005 quando o Ps desistiu da compra dos 6 canadair's financiados ainda por cima pelo banco europeu de investimento.

http://grandelojadoqueijolimiano.blogsp ... fogoi.html (http://grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com/2005/08/economia-do-fogoi.html)

O santana lopes com os defeitos que possa ter em 2004 inicio o processo de compra dos 6 canadair's.

http://dn.sapo.pt/Inicio/interior.aspx? ... _id=594541 (http://dn.sapo.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=594541)

Em 2005 o ps tomou o poder e rasgou o contrato e não comprou os aviões, para agora termos que os andar a pedir todo os dias lá fora.

E não esquecer que era este mesmo Ps que me 2003 criticava o Psd por o pais não ter aviões canadair’s, vejam aqui.

http://novafloresta.blogspot.com/2005/0 ... dairs.html (http://novafloresta.blogspot.com/2005/07/onde-esto-os-canadairs.html)

O estado tem que adquirir os aviões pesados, sejam canadair’s ou beriev’s, e encostar grande parte dos meios privados, alugar ao sector privado apenas os helicópteros ligeiros e médios, de resto a frota de aviões tem que ser toda ou quase toda estatal.

Dos 52 meios aéreos que actuem em Portugal em 2010, apenas 9 são do estado, 3 ecuriel as-350, eram 4 mas um perdeu-se em 2008, e os 6 kamov's, ou seja, quer dizer que o estado aluga um total de 43 meios aéreos, o que é muito, tendo este numero que ser forçosamente reduzido para cerca de metade, e é fácil faze-lo assim, haja vontade dos políticos para acabar com esta mamadeira que é o combate aos fogos.

Destes 43 meios aéreos alugados 18 são aviões.

Dois canadair’s Cl-215 com mais de 20 anos, presos por arames, às vezes avariados nas alturas que são mais necessários como aconteceu este ano nos incêndios da serra da estrela, em que um dos canadair esteve uma tarde avariado, aviões estes alugados à Inaer espanhola.

Os restantes 16 aviões, air tractor’e  dromader’s, são maquinas totalmente obsoletas,  principalmente os dromader’s, que deviam ser imediatamente encostados, no máximo admito que ficassem 2 parelhas de air tractor’s para zonas do pais com declives mais acentuados, por exemplo uma parelha em Vila Real e outra na Lousã, de resto esta sucata aérea deve ser toda encostada.

São aviões velhos e pouco eficazes visto que levam na ordem dos 2000 litros de água, mas depois de cada descarga têm que regressar á pista para abastecer em terra, o que os torna menos eficazes do que um heli ligeiro, que leva 800 litros mas enche no local do incêndio e descarrega mais agua por hora que estes aviões.

Claro esta que estes 16 chaços, estes dromader’s e air tractor’s voam em Portugal devido ao poderoso lobby e aos conhecimentos que os senhores da Aeronorte e da helisul (pertence á inaer espanhola) têm no governo, caso contrário esta sucata que foi encostada em toda a europa nunca estaria a voar em Portugal.

Alias os air tractor’s que ai andam tem todos matricula espanhol, tripulação espanhola, e mecânicos espanhóis, e foram aviões que foram retirados de serviço e Espanha, e que são postos a voar em Portugal para que uns senhores possam ganhar uns milhões de euros com os incêndios florestais.

Os dromader’s já cá andam há mais tempo, alguns têm matricula polaca, e pelos anos de serviço que já levam estão totalmente obsoletos, têm provocada vários acidentes nos últimos anos, e são aviões que já não tem condições e voar.

Sendo assim, esta sucata aérea tinha que ser encostada e estado adquirir uma frota de canadair’s que permitisse a cobertura integral do pais e entregues aos comando da Força Aérea Portuguesa para acabar com as mamadeiras, os 2 que existem são uma nulidade, e a prova disso é que quase todos os dias os andam a pedir lá fora, os franceses e italianos vem de borla, mas os espanhóis que cá vem estão estrategicamente estacionados em Matacan (Salamanca) e Santiago de Compostela, pertencem à cegisa que é a mesma firma que alugava os dois de Seia ate 2008, altura em que foram vendidos á Inaer, sendo agora alugados pela Inaer também espanhola ao governo, sempre os espanhóis a ganhar dinheiro e a meter ao bolso com o aluguer dos meios em Portugal.

A Inaer aluga mais de metade dos meios em Portugal, atraves da helisul sua subsidiária, visto que compraram a Helisul em 2007, alugam os 2 canadair's desde 2008 que antes pertenciam á também espanhola cegisa, e como se não bastasse ainda alugam os air tractor's atraves da Aeronorte, que são uns 8 salvo erro.

E estes canadair’s espanhóis que pertencem cegisa e que vêem cá e são pagos à hora no que deve ficar por um balúrdio ao estado, ou seja, ate Espanha e os espanhóis ganham dinheiro com os fogos em Portugal, depois como é que não querem que isto arda desta maneira.

Ou seja, não basta as firmas Portuguesas, como também agora põem as firmas espanholas a ganhar dinheiro com o combate aos fogos em Portugal.

Porque será que num pais como Espanha, estes aviões da Cegisa estejam estrategicamente estacionados em Salamanca e Santiago de Compostela, perto da fronteira portuguesa, podiam estar na Catalunha, ou nas baleares, mas não estão colados a Portugal.

Para virem fazer uma perninha nas horas vagas a Portugal, só pode.

O numero de candair’s a adquirir nunca deve ser inferior a 6 ou 8 unidades, se forem mais serão muito bem vindos, não nos podemos esquecer que Portugal é um pais mais pequeno do que a França, Espanha ou Itália, mas temos uma aérea florestal de mais de 6,5 milhões de hectares, o pais do Tejo para cima esta coberto de resinosas, é uma aérea quase do tamanho da área florestada da França, que apenas tem incêndios na parte mediterrânica, mas que tem dezenas de canadair’s, mais de 20.

A Espanha tem 18,e mais encomendados, a Italia 16, a própria Croácia um pais mais pequeno que Portugal tem 6 canadair’s, e a Grécia antes dos incêndios de 2004 tinha apenas 8 canadair’s Cl-215, mas os gregos aprenderam bem a lição, agora tem uma impressionante frota de 26 aviões canadair’s, vejam lá se nos últimos anos tem ardido alguma coisa na Grécia, pudera, um pais mais pequeno que Portugal com 22 canadair’s é impossível arder seja o que for, os incêndios são literalmente encharcados e ensopados de água á nascença.

Vejam aqui os númeross.

http://en.wikipedia.org/wiki/Canadair_CL-215 (http://en.wikipedia.org/wiki/Canadair_CL-215)

http://en.wikipedia.org/wiki/Bombardier_415 (http://en.wikipedia.org/wiki/Bombardier_415)

Em Portugal temos este vergonhoso numero de apenas 2 canadair’s, ainda há alguém que ache que chegam?

Apenas os cegos, os obtusos e aqueles que não querem ver a realidade podem achar que sim.

Meus amigos, a solução para parte do problema esta aqui, encostar a sucata dos privados, comprar uma frota em condições de canadair’s entregue à força aérea, e o estado alugar apenas os helicópteros ligeiros, sob o regime de aluguer calendarizado, ou seja, alugar pelo período correspondente à fase Bravo e Charlie, sem limite e sem plafons de horas, porque caso contrário, com alugueres de plafons de horas é uma desgraça, quanto mais arder mais estas firmas ganham e os interessados tratam de por isto tudo a arder.

Resumindo, nesta campanha estão disponíveis 52 meios aereos, 9 são do estado, 3 ecurriel e 6 kamov’s, sendo assim o estado aluga 43 meios aéreos, o que é muito e mais de metade são espanhóis.

Destes 18 são aviões, 2 canadair’s e os 16 air tractor e dromader’s, ou seja sobram, 25 helicópteros, destes 25 helicópteros 2 são alugados em regime anual, o de santa Comba dão e o de Loulé, e por isso não entram nas contas, conclusão, o estado aluga sazonalmente 23 helicópteros ligeiros e médios que transportam as equipas heli-transportadas.

Resumindo, o estado Português devia encostar a sucata aérea, air tractor e dromader’s, adquirir uma frota de candair’s para subsituir estes chaços, e alugar ao sector privado apenas os 23 helicópteros ligeiros e médios, de resto tudo estatal.

Em suma, o sumidouro de dinheiro e a mamadeira está nos aviões que a industria do fogo consegue inexplicavelmente por no ar, nos chaços aéreos, os dromader e air tractor’s, que deviam ser imediatamente encostados.

E, e como os incêndios se combatem por ar e por terra, mas se extinguem em terra pela infantaria nem terra, pelos bombeiros, que andam montados em chaços com 20 anos, já agora não esquecer que urge que seja implementado um plano maciço de equipamento dos corpos de bombeiros, como o de 95 e 96, onde foram distribuídas centenas de viaturas, agora precisamos novamente que o estado entregue umas centenas de viaturas aos bombeiros, VFCI’s pelo menos uns 300 por todo o pais, estes 50 que este desgoverno fez questão de entregar aos seus amiguinhos espanhóis da Iturri são uma gota de água no oceano.

Caso não saibom os bombeiros esperam há 3 anos que lhe sejam entregues 95 viaturas, num concurso sucessivamente adiado que parece que agora foi adjudicado depois de uns 3 anos de adiamentos.

Pelo contrário as elites da ANPC criadas em 2005 por este governo, os Gips da GNR e a Feb andam montados em jipes topo de gama.

Pior ainda, as 7 ou 8 da noite estes senhores dos gip's e da feb desmobilizam e deixam os fogos para os bombeiros apagarem, os desgraçados, tratados mal e porcamente por este governo é que ficam lá a dar o litro, as elites regressam á caserna aos cair da noite.

Uma verdadeira palhaçada.

cada macaco no seu galho, a GNR deve ficar com a vigilancia, fiscalização e prevenção.

O combate é para os bombeiros.

Alias esta medida  tomada por este governo em 2005 de criar estas elites da ANPC revelou-se um autentico desastre e numa fonte de mau estar e de conflitos com os bombeiros que se sentiram descriminados e secundarizados.

Ecom a população também tem havido conflitos, alias em castro daire ate houve agressões da parte destes senhores dos gips a populares, e estes senhores dos Gips e a Feb  só vieram trazer confusão e caos aos combate aos fogos em Portugal, basicamente vive-se um clima de guera civil nas florestas portuguesas.

 Há e não esquecer, entregar estes carros às firmas Portuguesas, já bastou entregar 50 VFCI’s à Iturri, porque eles a nós nem pregos nos comparam, as nossas firmas o que fazem para Espanha é em sub-contratação e para marcas e com marca espanhola, e eles mesmo com as firmas portuguesas a fazer menos 15 % entregam às firmas espanholas, para além disso as firmas portuguesas são corridas de qualquer concurso publico em Espanha, por isso se estranha que o esta do português entregue o melhor lote do concurso das 95 viaturas, os 50 vfci’s aos espanhóis da Iturri, o contrário em Espanha seria impensável, num concurso destes eles nunca entregavam os carros a uma firma Portuguesa deixando as firmas espanholas a chupar nos dedos.

As firmas Portuguesas a não ser para Galiza não vendem nada para território espanhol, e vendem aos Galegos pelo facto destes se sentirem mais Portugueses que espanhóis, de resto não vemos nada, pior ainda se a rosenbauer espanhola desconfiar que as firmas portuguesas vão concorrer a veículos em Espanha, já não lhe vendem as bombas, aprendam que eu não duro sempre, e sei do que falo.
Título: Fogos Florestais - interesses economicos
Enviado por: carlospires em Setembro 04, 2010, 08:38:45 am
Amigo Luso-Efe,
penso que até hoje aqui neste forum ninguem foi tão claro , objectivo e eficaz no que dizia em relação a este assunto, MUITOS PARABENS.  :snipersmile:  :N-icon-Gun:  :mrgreen:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Setembro 04, 2010, 12:44:54 pm
Muito bem dito caro amigo, apenas deixe-me que discorde de algumas opiniões escritas na sua mensagem, os bombeiros portugueses (voluntários) com excepção de uma ou outra corporação não precisão de mais viaturas, mas sim de actualiza-las, o número que existe chega e sobra e por vezes até è demais e estorvam.
Em relação aos meios aéreos já dei a minha opinião a cerca do mesmo, só acrescentando que os bariev russos não são operacionais na tipologia da floresta portuguesa, também não são operacionais devido há topografia de Portugal exceptuando o Alentejo, estes aviões não tem grande manobralidade em espaços de montanha, nem a onde reabastecer o hidrante (normalmente agua).
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: papatango em Setembro 04, 2010, 03:29:36 pm
Luso-efe : Você tem algum dado concreto (ou mesmo que não seja concreto apenas indicativo) sobre quanto custa uma hora de voo de um Dromadair e quanto custa uma hora de voo de um Canadair ?
Os dados que tenho são antigos, dizem que o custo de um Canadair é de aproximadamente 3.500 Euros por hora, mas confesso que não tenho mais informação sobre o tema.
Há muita informação desconexa. Já ouvi falar em helicopteros a custar 3.800 euros por hora, mas obviamente não tenho como confirmar isto.

Também noto que para transportar 6.000 litros um Canadair utiliza dois motores com uma potência total de 4300cv. Um Air Tractor, para transportar 3.000 litros utiliza um motor com uma potência de 1600cv. Quantas pessoas seguem a bordo de um Canadair e quantas pessoas seguem a bordo de um Air Tractor ?
A quantidade de água que estes aviões ligeiros conseguem transportar é considerável (eles transportam mais de 100% do seu peso em vazio). Já um avião médio como o Canadair pesa vazio 12.000kg e transporta apenas 6.000 litros, ou seja, apenas 50% do seu peso.

Estas contas são contas de merceeiro naturalmente, destinadas a tentar perceber com dados muito vagos, se os Air Tractor são assim tão caros ou ineficientes.
Eu confesso que também tenho alguma duvidas sobre a viabilidade da utilização destes Air Tractor, mas quando comparo os numeros disponíveis fico com dúvidas, porque os dados não são suficientes para formar uma opinião.

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 04, 2010, 09:41:12 pm
Citação de: "papatango"
Luso-efe : Você tem algum dado concreto (ou mesmo que não seja concreto apenas indicativo) sobre quanto custa uma hora de voo de um Dromadair e quanto custa uma hora de voo de um Canadair ?
Os dados que tenho são antigos, dizem que o custo de um Canadair é de aproximadamente 3.500 Euros por hora, mas confesso que não tenho mais informação sobre o tema.
Há muita informação desconexa. Já ouvi falar em helicopteros a custar 3.800 euros por hora, mas obviamente não tenho como confirmar isto.

Também noto que para transportar 6.000 litros um Canadair utiliza dois motores com uma potência total de 4300cv. Um Air Tractor, para transportar 3.000 litros utiliza um motor com uma potência de 1600cv. Quantas pessoas seguem a bordo de um Canadair e quantas pessoas seguem a bordo de um Air Tractor ?
A quantidade de água que estes aviões ligeiros conseguem transportar é considerável (eles transportam mais de 100% do seu peso em vazio). Já um avião médio como o Canadair pesa vazio 12.000kg e transporta apenas 6.000 litros, ou seja, apenas 50% do seu peso.

Estas contas são contas de merceeiro naturalmente, destinadas a tentar perceber com dados muito vagos, se os Air Tractor são assim tão caros ou ineficientes.
Eu confesso que também tenho alguma duvidas sobre a viabilidade da utilização destes Air Tractor, mas quando comparo os numeros disponíveis fico com dúvidas, porque os dados não são suficientes para formar uma opinião.



Cumprimentos


O Air-Tractor por vezes leva o piloto e outro elemento para fazer as comunicações, depende das situações, os Air Tractor e Dromadair são usados em primeira intervenção, assim como os helis Ligeiros, num raio de 25 Km no máximo do aeródromo base, os Kamov KA-32 e Canadair são usados para o ataque ampliado, ou seja quando o fogo já tomou maiores proporções. Penso que deveria haver um maior numero de Air-Tractor  (parelhas) espalhadas pelos aeródromos aonde houvesse zonas de pinhal e de valor florestal elevado. Veja-se o caso de Ribeira de Pena, aonde se encontrava a maior mancha de pinheiro bravo de pinheiro bravo contínuo de Portugal e da europa, poderiam estar mais 2 Air tractor baseados no aeródromo do Minheu em Vila Pouca ou mesmo em Chaves, usando o do minheu como aerodromo de reabastecimento.

Ao mesmo tempo sou defensor de o estado adquirir 4 CL-415 Canadair de forma permanente, para actuar como reforço.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Setembro 04, 2010, 11:01:10 pm
Citação de: "typhonman"
Citação de: "papatango"
Luso-efe : Você tem algum dado concreto (ou mesmo que não seja concreto apenas indicativo) sobre quanto custa uma hora de voo de um Dromadair e quanto custa uma hora de voo de um Canadair ?
Os dados que tenho são antigos, dizem que o custo de um Canadair é de aproximadamente 3.500 Euros por hora, mas confesso que não tenho mais informação sobre o tema.
Há muita informação desconexa. Já ouvi falar em helicopteros a custar 3.800 euros por hora, mas obviamente não tenho como confirmar isto.

Também noto que para transportar 6.000 litros um Canadair utiliza dois motores com uma potência total de 4300cv. Um Air Tractor, para transportar 3.000 litros utiliza um motor com uma potência de 1600cv. Quantas pessoas seguem a bordo de um Canadair e quantas pessoas seguem a bordo de um Air Tractor ?
A quantidade de água que estes aviões ligeiros conseguem transportar é considerável (eles transportam mais de 100% do seu peso em vazio). Já um avião médio como o Canadair pesa vazio 12.000kg e transporta apenas 6.000 litros, ou seja, apenas 50% do seu peso.

Estas contas são contas de merceeiro naturalmente, destinadas a tentar perceber com dados muito vagos, se os Air Tractor são assim tão caros ou ineficientes.
Eu confesso que também tenho alguma duvidas sobre a viabilidade da utilização destes Air Tractor, mas quando comparo os numeros disponíveis fico com dúvidas, porque os dados não são suficientes para formar uma opinião.



Cumprimentos


O Air-Tractor por vezes leva o piloto e outro elemento para fazer as comunicações, depende das situações, os Air Tractor e Dromadair são usados em primeira intervenção, assim como os helis Ligeiros, num raio de 25 Km no máximo do aeródromo base, os Kamov KA-32 e Canadair são usados para o ataque ampliado, ou seja quando o fogo já tomou maiores proporções. Penso que deveria haver um maior numero de Air-Tractor  (parelhas) espalhadas pelos aeródromos aonde houvesse zonas de pinhal e de valor florestal elevado. Veja-se o caso de Ribeira de Pena, aonde se encontrava a maior mancha de pinheiro bravo de pinheiro bravo contínuo de Portugal e da europa, poderiam estar mais 2 Air tractor baseados no aeródromo do Minheu em Vila Pouca ou mesmo em Chaves, usando o do minheu como aerodromo de reabastecimento.

Ao mesmo tempo sou defensor de o estado adquirir 4 CL-415 Canadair de forma permanente, para actuar como reforço.


Este é uma das maiores paranóias de quem comanda os fogos florestais em Portugal, devido há carga combustível que existe na nossa floresta que atinge cargas térmicas impensáveis, contando ainda com a ajuda do nosso clima, da topografia de Portugal, e ainda com o tipo de plantações que existe no nosso pais, exceptuando os fogos RURAIS, que são outra coisa completamente diferente, nos fogos FLORESTAIS, não podemos falar em fogos iniciais, e fogos descontrolados, pois estes em segundos já ninguém segura neles, portanto em todos os casos os meios tem que ser os adequados e os suficientes para que o fogo comece de imediato a ceder às forças de combate, assim acontece o mesmo com os meios aéreos, para quê mandar aviões ligeiros ou helicópteros ligeiros, não adianta de nada mesmo no inicio, mais vale colocar no teatro de operações meios aéreos médios e pesados, assim como viaturas em numero suficiente e adequadas, talvez esta inércia tenha mais a ver com contas particulares e interesses pessoais.
Título: Re: Fogos Florestais - interesses economicos
Enviado por: Luso-Efe em Setembro 07, 2010, 11:54:19 pm
Citação de: "carlospires"
Amigo Luso-Efe,
penso que até hoje aqui neste forum ninguem foi tão claro , objectivo e eficaz no que dizia em relação a este assunto, MUITOS PARABENS.  :snipersmile:  :N-icon-Gun:  :snipersmile:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Setembro 08, 2010, 12:31:49 am
Citação de: "papatango"
Luso-efe : Você tem algum dado concreto (ou mesmo que não seja concreto apenas indicativo) sobre quanto custa uma hora de voo de um Dromadair e quanto custa uma hora de voo de um Canadair ?
Os dados que tenho são antigos, dizem que o custo de um Canadair é de aproximadamente 3.500 Euros por hora, mas confesso que não tenho mais informação sobre o tema.
Há muita informação desconexa. Já ouvi falar em helicopteros a custar 3.800 euros por hora, mas obviamente não tenho como confirmar isto.

Também noto que para transportar 6.000 litros um Canadair utiliza dois motores com uma potência total de 4300cv. Um Air Tractor, para transportar 3.000 litros utiliza um motor com uma potência de 1600cv. Quantas pessoas seguem a bordo de um Canadair e quantas pessoas seguem a bordo de um Air Tractor ?
A quantidade de água que estes aviões ligeiros conseguem transportar é considerável (eles transportam mais de 100% do seu peso em vazio). Já um avião médio como o Canadair pesa vazio 12.000kg e transporta apenas 6.000 litros, ou seja, apenas 50% do seu peso.

Estas contas são contas de merceeiro naturalmente, destinadas a tentar perceber com dados muito vagos, se os Air Tractor são assim tão caros ou ineficientes.
Eu confesso que também tenho alguma duvidas sobre a viabilidade da utilização destes Air Tractor, mas quando comparo os numeros disponíveis fico com dúvidas, porque os dados não são suficientes para formar uma opinião.

Cumprimentos



Caro Papatango.

Os últimos dados que tenho fidedignos são de 2006, nessa altura pelos 2  Canadair Cl-215 que estão em Seia de e na altura propriedade da Cegisa, por um contrato de  de 900 horas de voo o valor foi de cerca de 6 milhões de euros.

O que dá perto de 8 mil € por hora isto me 2006.

Para o Beriev 200 o contrato foi de 100 horas de voo e um contrato de 1,5 milhões de euros, o que dá 15 mil € por hora.

E isto é informação  fidedigna obtida da parte de um piloto de combate a fogos.

Com certeza que devido ao choque petrolífero de 2008 os valores foram inflacionados, sendo assim se em 2006 estávamos a 6 milhões de euros por 900 horas, hoje o valor deve ter subido pelo menos 1 milhão de euros ou mais, talvez 2 milhões, ou seja devemos estar a pagar perto de 8 milhões de euros pelos 2 canadair’s de Seia.

Ou seja, veja bem como um isto é um verdadeiro negócio.

O canadair Cl-415 custa na ordem dos 24 milhões d euros, nós estamos a gastar 7 ou 8 milhões por ano com a aluguer destes 2 de Seia.

Ou seja, desde 2006 e contando com o de 2010, o estado já fez 5 alugueres destes 2 canadair’s, com o de 2006 a 6 milhões de euros, e com os outros 4 a uma média de 7 milhões de euros, isto dá tudo somado 34 milhões d euros de gastos só com os canadair’s desde 2006.

Ou seja, este governo desistiu estado desiste da compra de 6 aviões canadairs financiados financiados pelo BEI a 55 %, para gastar 34 milhões de euros em 5 anos com aluguer destes 2 aviões.

http://grandelojadoqueijolimiano.blogsp (http://grandelojadoqueijolimiano.blogsp) ... fogoi.html

Conclusão, com o que gastou em alugueres nestes 5 anos, tinha pago 3 dos 6 acandair's previstos adquirir em 2006, visto que o BEI os financiava  55 %, e custando eles 24 milhões de euros, o estado tinha que entrar apenas com cerca de 11 milhões, ou seja, com o que gastou nestes 5 anos em alugueres, contas por alto, uns 34 milhões de euros, podia ter adquirido 3 canadair’s novos.

Se isto não é um negócio, então o que é ?

Gostava de saber.

Depois admiram-se que políticos e governates que auferem 5 mil euros por mês tenham apartamentos no centro de Lisboa que custam 100 mil contos, bom como carros de luxo.

O dinheiro vem de algum lado.

Parece que toda a polémica que havia com o aluguer de meios aéreos em Portugal foi abafada pela compra de 6 kamov’s e 4 ecuriel as-350, ate parece que agora não há alugueres por ajuste directo e outras negociatas, como os alugueres plafonados.

E o partido socialista que tanto criticou em 2003 o facto do pais não ter aviões pesados, passeados 5 anos de desgoverno, e ainda não os adquiriu.

Por fim, se tiver tempo de um a espreitadela neste link, fala-se sobre estas negociatas e está lá um forunista, de nome Excalibur que sabe do que fala.

http://forum.autohoje.com/off-topic/642 ... vos-4.html (http://forum.autohoje.com/off-topic/642-o-negocio-incendios-nova-epoca-quente-incendios-activos-4.html)

Em relação aos helis, também não sei, já ouvi dizer na ordem dos 4000 mil euros, mas também não tenho a certeza.

Já na altura daquela celebre polémica de Lamego, em que o heli de combate era usado para passeis turísticos, lembra-se disso?

E isso se a memória não me falha foi em 2002 ou 2003, e nessa altura já cada hora de voo custava 400 contos aos estado, isto em 2002/3, ou seja, 2000 €, por isso nesta altura deve andar pelos 3500/4000 mil euros.

Só não percebo porque é que so Pumas estão parados nos hangares do Montijo, quando podiam andar a combater os fogos, com pilotos da força aérea aos comandos, claro.

Parece que já ninguém fala disso.

Por fim você faz referência aos consumos, sim, deve ser levado em linha de conta mas há outros factores mais importantes como a capacidade de transporte de agua, essa sim é primordial e nisso os air tractor’s e os dromadair’s são muito fracos, porque penas levam na ordem dos 2000 litros, os dromader um pouco menos até.

Para alem disso estes aviões cada vez que fazem uma descarga tem que ir à pista reabastecer, o que demora uma eternidade e os torna menos eficazes que um helicóptero ligeiro que leva 800 litros, é disto que você se esta a esquecer na sua análise.

Descarregar 2000 litros de agua sobre o incêndio e voltar passado 20 minutos, ás vezes meia hora ou ate mais é no mínimo ridículo.

È mais eficaz um heli ligeiro que leva apenas 800 litros, mas enquanto o air tractor ou o dromader vai encher, faz 4 ou 5 descargas.

A solução para isto só pode ser uma, encostar a sucata aérea, dromader e grande parte dos air tractor’s dos privados e os estado comprar no mínimo meia dúzia de aviões pesados.

Cumprimentos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2010, 12:35:53 am
Citar
ó não percebo porque é que so Pumas estão parados nos hangares do Montijo, quando podiam andar a combater os fogos, com pilotos da força aérea aos comandos, claro.

Parece que já ninguém fala disso.

Por fim você faz referência aos consumos, sim, deve ser levado em linha de conta mas há outros factores mais importantes como a capacidade de transporte de agua, essa sim é primordial e nisso os air tractor’s e os dromadair’s são muito fracos, porque penas levam na ordem dos 2000 litros, os dromader um pouco menos até.

Para alem disso estes aviões cada vez que fazem uma descarga tem que ir à pista reabastecer, o que demora uma eternidade e os torna menos eficazes que um helicóptero ligeiro que leva 800 litros, é disto que você se esta a esquecer na sua análise.

Os Pumas estão nos hangares de Beja, e já estão fritos, já possuem 40 anos em cima, além disso a FAP não tem pilotos suficientes para todas as missões.

Os aviões Canadair não abastecem em pistas, mas sim em barragens.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Setembro 08, 2010, 12:45:03 am
Citação de: "typhonman"

O Air-Tractor por vezes leva o piloto e outro elemento para fazer as comunicações, depende das situações, os Air Tractor e Dromadair são usados em primeira intervenção, assim como os helis Ligeiros, num raio de 25 Km no máximo do aeródromo base, os Kamov KA-32 e Canadair são usados para o ataque ampliado, ou seja quando o fogo já tomou maiores proporções. Penso que deveria haver um maior numero de Air-Tractor  (parelhas) espalhadas pelos aeródromos aonde houvesse zonas de pinhal e de valor florestal elevado. Veja-se o caso de Ribeira de Pena, aonde se encontrava a maior mancha de pinheiro bravo de pinheiro bravo contínuo de Portugal e da europa, poderiam estar mais 2 Air tractor baseados no aeródromo do Minheu em Vila Pouca ou mesmo em Chaves, usando o do minheu como aerodromo de reabastecimento.

Ao mesmo tempo sou defensor de o estado adquirir 4 CL-415 Canadair de forma permanente, para actuar como reforço.


Caro typhoman.

Parece-me que conhece bem Trás-os-Montes, mas o aeródromo do minheu, nas pedras salgadas não reúne condições, em primeiro lugar a pista não é asfaltada, não há estrutura de apoio, apenas tem uns meros 600 metros e penso que apenas foi usada uma ou 2 vezes ainda na década de 90.

A pista de chaves já é diferente, já é alcatroada e podia receber as aeronaves.

Mas essa mancha estava bem protegida ao nivel do ataque inicial com as brigads helitranspostadas, visto que dos 3 helis do distrito de vila real, 2 estavam metidos nessa mancha florestal, um heli ligeiro mesmo em Ribeira de Pena, mais perto era impossivel, e um médio no Vidago,  relativamente perto.

O problema residiu no ataque ampliado, e nesse aspecto portugal esta deficitário, não tem aviõe spesados em numero suficiente, e depois assistimos adesgraças como essa de Ribeira de pena, onde foram destruidos perto de 5000 mil hectares de floresta.

Mas a enorme mancha florestal que havia em Ribeira de Pena e Boticas, não seriam 2 dromader’s ou air tractor velhos e obsoletos que a iam salvar.

Estes aviões só servem para gastar dinheiro ao estado, deviam ser quase todos encostados, na minha opinião deviam ficar apenas 2 ou 3 parelhas de air tractors que apesar de velhos são mais recentes e têm um motor turbo hélice, e  para as zonas do pais com declives mais acentuados aonde por vezes estes aviões fazem falta, devido á mobilidade que tem, por exemplo 2 em vila real e 2 na Lousa, de resto é encostar tudo, então os dromadair’s, esses estão todos a cair aos bocados, e substituir estes aviões por aviões pesados, esses é que apagam os fogos, literalmente ensopam-nos, e é assimq eu tem de ser, visto que levam 6400 litros de agua, os Cl-415, o Cl-215 levam 5300 litros.

Os dromader e air tractor são aviões que levam apenas na ordem dos 2 mil litros de agua, e pior ainda cada vez que fazem uma descarga tem que ir à pista abastecer, ou seja, um helicóptero ligeiro, consegue lançar mais água sobre um incêndio que estes aviões, por isso estes chaços que são encostados em Espanha, e que a industria do fogo põe a voar em Portugal, os air tractor tem todos tripulação e mecânicos espanhóis, e os dromader, esta sucata tem que ser encostada, isto só dá prejuízo ao estado, são aviões ineficazes devido á pouca agua que levam e pelo facto de tem de ir à pista para abastecer de agua.

Voltando ao incêndio de Ribeira de Pena, a única coisa que o podia apagar era um ataque musculado de aviões pesados logo pela manha do dia 31 de Agosto.

Eu acompanhei este fogo na página da anpc, começou ás 11 horas da noite de dia 30 de Agosto, segunda-feira, junto à aldeia se Séiros, e começou na pior altura para os bombeiros Transmontanos, numa altura em que no distrito de vila real lavravam incêndios em Sabrosa, e vila Pouca de Aguiar, e em chaves um já andava há 3 dias, o que fez com que este fogo não fosse atacada na sua fase inicial com tanta pujança, visto que os meios andavam espalhados pelo distrito em vários incêndios que duravam há dias.

Este incêndio começou assim, de noite, claramente mão criminosa, e de manha foi muito mal atacado, voltamos ao rebaixamento a Espanha e lá vieram os 2 canadair’s da cegisa que estão em Compostela para este fogo que pelos vistos e segundo relatos falharam umas poucas de descargas, num procedimento pouco normal, os dois de Seia andavam noutro incêndio na zona da guarda.

Só de tarde é que se lhes juntaram os 2 canadairs portugueses, e passaram a actuar os 4 em linha, mas nessa altura o fogo já ia com 3 frentes de kilómetros, mas a coisa compôs-se nessa tarde, a barragem dos pisões esta muito perto e os aviões estavam quase constantemente a lançar agua sobre este incêndio, o chamado carrossel, e o incêndio esteve meio dominado na tarde de 3 feira, dia 31.

O problema foi que os candadair’s foram reabastecer e nessa altura as coisas descontrolaram-se completamente, os 2 kamov que lá andavam não conseguiram segurar as pontas, e o fogo só foi apagado no dia seguinte , dia 1 de Setembro, quarta feira.

Pode ter a certeza que se o pais dispusesse de uma frota de aviões pesados em condições, à imagem dos restantes países mediterrânicos, que possuem dezenas deles, pode ter a certeza que os grande incêndios diminuíam em Portugal, e este fogo em conce«reto se logo na manha do dia 31 fosse atacado em força por 4 aviões pesados ou mais, com certeza que tinha sido apagado, assim foi adesgraça que se viu, pelos menos 4500 hectares, segundo o Europena foreste fire information sistem.

http://effis.jrc.ec.europa.eu/current-situation (http://effis.jrc.ec.europa.eu/current-situation)

Se quiser confirmar o numero, seleccione no site a opção burned áreas, e selecione Portugal, encontrara nessa caisa do lado esquerdo o incêndio de ribeira de pena, se bem que imputado á freguesia de covas do barroso que foi onde ele foi extinto com  4500 hectares de pinhal ardidos.

Em relação ao numero dos aviões pesados, na minha opinião 2 não é nada, 4 é pouco, 6 é o mínimo, 8 é o ideal, se foram mais também não estorvam, aos comandos da força aérea Portuguesa, como não podia deixar de ser.

Estacionados em 2 Monte Real, 4 em Seia e 2 em Vila Real, pode ter a certeza que os grandes fogos diminuíam em Portugal.

Cumprimentos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Setembro 08, 2010, 12:50:22 am
Citação de: "typhonman"

Os Pumas estão nos hangares de Beja, e já estão fritos, já possuem 40 anos em cima, além disso a FAP não tem pilotos suficientes para todas as missões.

Em relação aos pumas pensavam que estavam no Montijo.

Se não há pilotos é porque o estado não quer, se este ano fossem dadas directrizes á Força Aerea Portuguesa para preparar pilotos para o combate aos fogos, no próximo ano eles estavam prontos, não tenho duvidas do empenho dos militares da força aerea.

Só era preciso o estado comprar uns bambi bucket's para equipar os Pumas e no próximo ano ai estavam eles no ar no combate aso fogos.

Citação de: "typhonman"
Os aviões Canadair não abastecem em pistas, mas sim em barragens.

Eu nunca disse que os canadair's abastecem em pista.

De onde é que tirou essa ideia?

Mas podem-no fazer, mas se são hidoraviões é para abastecer em água, barragens, lagos ou no mar com ondulação ate 1,5 m.

Quem abastece em pista são os dromader's e os air tractor's, foi isso o que eu disse.

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2010, 02:38:54 am
Citação de: "Luso-Efe"
Citação de: "typhonman"

Os Pumas estão nos hangares de Beja, e já estão fritos, já possuem 40 anos em cima, além disso a FAP não tem pilotos suficientes para todas as missões.

Em relação aos pumas pensavam que estavam no Montijo.

Se não há pilotos é porque o estado não quer, se este ano fossem dadas directrizes á Força Aerea Portuguesa para preparar pilotos para o combate aos fogos, no próximo ano eles estavam prontos, não tenho duvidas do empenho dos militares da força aerea.

Só era preciso o estado comprar uns bambi bucket's para equipar os Pumas e no próximo ano ai estavam eles no ar no combate aso fogos.

Citação de: "typhonman"
Os aviões Canadair não abastecem em pistas, mas sim em barragens.

Eu nunca disse que os canadair's abastecem em pista.

De onde é que tirou essa ideia?

Mas podem-no fazer, mas se são hidoraviões é para abastecer em água, barragens, lagos ou no mar com ondulação ate 1,5 m.

Quem abastece em pista são os dromader's e os air tractor's, foi isso o que eu disse.

Cumprimentos

Teriam de ser pilotos com experiência, e esses estão nos EH-101, poderiam ser usados pilotos do RC, mas esses não possuem horas de voo suficientes.

Ataque a fogos é uma actvidade perigosa, e sem experiencia ainda mais.

Peço desculpa, li mal.

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 08, 2010, 09:19:58 am
Também já há Pilotos RC nos EH-101, pelo menos um conhecido "roedor" :wink:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2010, 03:31:25 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Também já há Pilotos RC nos EH-101, pelo menos um conhecido "roedor" :wink:

Piloto, mas não comandante, comandante so os que vêm da AFA.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Setembro 08, 2010, 03:39:26 pm
Meus senhores uma coisa é ler em blogs, outra coisa é a experiencia de combate a incêndios florestais.
Um helicóptero ligeiro è realmente mais rápido nas descargas, mas e o seu efeito de extinção? E praticamente nulo na maioria da vegetação da nossa floresta, já tive descargas mesmo em cima de mim e nem uma gota chegou ao chão, fica tudo nas copas dos eucaliptos, mas com um avião pesado, os canadair por ex; as descargas mesmo sendo mais espaçadas surtem efeito no incêndio porque onde lançam a água não volta a arder, todos os meios aéreos terão que ser apoiados por forças terrestres para o rescaldo final.
Só em situações excepcionais é que os meios ligeiros nomeadamente os Helis são mais eficientes, precisamente quando a topografia é muito acidentada e a situação de emergência imediata o justifique de resto são pouco eficazes, isto sou eu a dizer alguém que tem alguma experiencia de combate só acredita quem quer.
Não acreditem em tudo o que vocês lêem nos blogs e sítios dos bombeiros, porque muita coisa eu classifico de lixo informativo ou para defenderem a sua dama, ou para darem uma ideia errada de que por vezes são os bombeiros, para muitos são apenas a sua quinta e isto è como a nível militar quando se trata de emergência nacional não pode existir quinta particulares.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Setembro 08, 2010, 06:02:59 pm
Citação de: "joao emilio"
Muito bem dito caro amigo, apenas deixe-me que discorde de algumas opiniões escritas na sua mensagem, os bombeiros portugueses (voluntários) com excepção de uma ou outra corporação não precisão de mais viaturas, mas sim de actualiza-las, o número que existe chega e sobra e por vezes até è demais e estorvam.

Em relação aos meios aéreos já dei a minha opinião a cerca do mesmo, só acrescentando que os bariev russos não são operacionais na tipologia da floresta portuguesa, também não são operacionais devido há topografia de Portugal exceptuando o Alentejo, estes aviões não tem grande manobralidade em espaços de montanha, nem a onde reabastecer o hidrante (normalmente agua).


Caro João Emílio.

Em relação à ineficácia os meios ligeiros no combate aos fogos, nomeadamente os helis, e a sucata aérea, air tractor’s e dromader’s penso que estamos mais que de acordo, a única coisa que é capaz de cortar a cabeça a um fogo de copa, é uma descarga de 6000  litros de um avião pesado, de resto tudo o que se diz são cantigas, e quem anda lá no terreno sabe que isto é verdade.

Depois os tipos que vão para os blog’s dizer o contrário, quem está de alguma forma ligado ao meio dos bombeiros em Portugal como é o meu caso topa-os à légua, e são tipos ligados ao lobby dos meios aéreos, que tentam obviamente distorcer esta tese para continuarem com esta sucata toda no ar.

Mas em relação aos meios terrestres, permita-me que discorde de si, você esta num concelho do litoral onde não falta nada, para alem disso no concelho de Paredes que é um concelho pequeno em termos de área, com cerca de 150 km 2 de área há bombeiros em todo o lado, é em Paredes, é logo em cima em Baltar, é Cete, é em Rebordosa, ao lado em no concelho de Penafiel, tem os bombeiros em Penafiel, Paço de Sousa, em Abragão, logo ao lado de paredes tem também Lousada, ou seja, há bombeiros por todo o lado, se calhar você até tem razão, ai ate se estorvam.

O problema é que no interior do pais, principalmente em Trás-os-Montes e na beira alta e baixa, onde há grades manchas florestais, e onde estão alguns dos maiores concelhos do pais em termos de aérea não há assim tantos bombeiros quanto isso.

Por exemplo você chega Trás-os-Montes e vê concelhos imensos, alguns dos maiores do pais, como Montalegre, com 800 km 2 (quadrados) de área, Bragança, 1200 km 2, Valpaços e Mirandela na ordem dos 600 km2 de área, e estes concelhos tem apenas 2 corporações de bombeiros, menos que Paredes que tem 4 para cobrir uns meros 150 km 2 de área.

Já viu a discrepância.

Pior ainda, concelhos como Vinhais, Mogadouro, e Macedo de Cavaleiros concelhos na ordem dos 700 km 2 de área têm apenas com uma corporação de bombeiros.

Na Beira alta igual, você tem por exemplo Figueira de castelo Rodrigo, almeida e Pinhel concelhos na ordem dos 500 km 2 de área apenas com 1 corporação de bombeiros, ao lado tem o sabugal e a guarda, concelhos na ordem dos 750 km 2 com 2 corporações de bombeiros.

Descendo no mapa para a beira baixa, idem aspas, você tem Penamacor, com 500 km 2 com apenas 1 corporação de bombeiros, e depois você tem o fundão com 700 km 2 com 1 corporação, se bem que tem secções, e depois Idanha-a-Nova e Castelo Branco, no top 10 dos maiores concelhos do pais em área com uns impressionantes 1400 km 2 com apenas 1 corporação de bombeiros, se bem que Idanha tem uma secção na zebreira, castelo branco penso que também tem uma.

Mas se quiser o exemplo mais gritante disto, é Odemira, o maior concelhodo pais com 1700 km 2 de área e com 2 corporações de bombeiros, Odemira e vila nova de mil fontes.

Esta ver, o problema está aqui.

É que os corpos de bombeiros tem que ser equipados de acordo com a tipologia e área do concelho, e isto não funciona assim.

Se você chegar ai a esses corpos de bombeiros vera que todos têm pelo menos 2 Vfci’s (veículos florestais de combate a incêndios), o problema é que nos grandes concelhos do interior estas corporações que tem imensas ares florestada também tem apenas 2 Vfci’s, ou se não tiveram 2 tem 3.

A questão é que estas corporações do interior em vez de 2 ou 3 vfci’s, deviam ter 5 ou 6 para as coisas andarem bem, o  problema é que são equipados todos quase da mesma forma, e liga-se pouco a estas questões da área dos concelhos.

Depois em relação as viaturas digo-lhe que desde 95, 96, anos em que houve um plano de equipamento maciço dos bombeiros, dai para cá o estado não tem entregado pouco, o ultimo ano em que foram entregues carros foi em 2005, dai para cá este governo tem tratado os bombeiros abaixo de cão, os bomberios estão há 3 anos à espera das 95 viaturas num concurso adiado já por dicersas vezes, e para aelm disso em 2005 este desgoverno criou a ANPC, e acabar com o serviço nacional de bombeiros e prot. civ. (SNBPC) em 2005, isto caiu muito mal no seio dos bombeiros.

Ou seja, em muitas corporações de bombeiros por este pais fora, o melhor que os bombeiros têm são carros já na casa dos 15 anos, entregues em 95 e 96.
A solução para muitas corporações tem sido ir á França buscar carros velhos com mais de vinte anos, que já se começam a ver com abundância por este pais fora, você ai em Cete tem um exemplo disso, um VFCI que os bombeiros de cete foram buscar á França, é uma Renault, pode confirmar, certamente conhece o corpo de bombeiros.

Contudo as elites da ANPC que este governo criou em 2005, essa estrutura paralela que é um sumi douro de fundos que devia ir para os bombeiros, esses senhores dos Gip’s e feb andam em pick up’s topo de gama onde nem o ara condicionado foi esquecido.

Obviamente que isto caiu muito mal no seio dos bombeiros, em primeiro lugar acabam com o serviço nacional de bombeiros, que apesar de ter a sigla da protecção civil, O SNBPC, era de facto o serviço nacional de bombeiros, e depois ainda por cima tratam-nos como enteados em detrimneto dos Gips e feb’s.
Este infeliz ideia de criar uma estrutura paralela, composta pelos Gip’s e feb’s, foi copiada de Espanha, só podia, de Espanha.

O iberismo já chegou ao combate aos fogos não duvidem.

Os gip’s foram criados em 2006 exactamente na mesma altura em que em Espanha o senhor zapatero criou a UME, a Unidade Militar de Emergências espanhola, pensam que foi coincidência?

Em política não há coincidências.

Isto tresanda a iberismo.

A Feb, pomposamente designada de Força especial de bombeiros, é a cópia dos bombeiros florestais em Espanha.

Esta gente quer acabar com os bombeiros, porque tal como já aqui disse mais vezes, também quer acabar com o pais.

Este Sr. Rui pereira é o cabecilha desta orquestração apoiada pelo governo, alias há quem diga que é este tipo manda no governo, conspiração esta para acabar com os bombeiros em Portugal, e o primeiro passo é retirá-los do combate aos fogos.

Para isso a maçonaria e o poder instalado em Portugal anda na minha opinião a pagar e a patrocinar muitos indivíduos para que lancem livros a criticar os bombeiros voluntários em Portugal, e neste caso a fazer a promoção da Espanha e dos modelos espanhóis, para depois estes memos senhores que querem acabar com os bombeiros e que lhe lançaram este ataque selvagem em 2005 poderem dizer que há estudiosos que dizem que os bombeiros voluntários têm que ser extintos.

Por isso, e com o objectivo de acabar com os bombeiros e retirá-los do combate aos fogos é que têm aparecido desde 2006 uns artistas, como por exemplo um senhor chamado Pedro almeida Vieira a lançar livros onde defendem a retirada dos bombeiros do combate aos fogos, e a defender o modelo espanhol de combate, claro esta que este senhor é patrocinado e quem lhe manda lançar os livros são estes tipos que desde 2005 lançaram este ataque á estrutura dos bombeiros em Portugal,  para depois poderem acabar com os bombeiros e dizer que há autores que o defendem.

Este senhor esteve no inicio do mês de Agosto num debate na televisão publica sobre a questão dos fogos florestais, na Rtp n onde teceu um ataque selvagem aos bombeiros dizendo, que se tinha que acabar com eles e retirá-los do combate ao fogos, e a solução passava por copiar o modelo andaluz.

Resta dizer que este tipo pelos vistos é um romancista e não percebe nada disto.

Claro que as suas declarações caíram muito mal no seio dos bombeiros e este senhor foi chamado à coação pelos bombeiros, no blog de mais audiência dos bombeiros em Portugal, o Bombeiros Para Sempre, as declarações dele deram muito que falar, vejam estes 2 links, blog este onde eu de vez em quando vou dar uma espreitadela, e onde é veiculada muita informação importante, alguma dela que eu reitero a 100% .

http://bombeirosparasempre.blogspot.com ... negro.html (http://bombeirosparasempre.blogspot.com/2010/08/portugal-o-vermelho-e-o-negro.html)

http://bombeirosparasempre.blogspot.com ... o-e-o.html (http://bombeirosparasempre.blogspot.com/2010/08/autor-do-livro-portugal-o-vermelho-e-o.html)


Esta gente quer matar Portugal e enfiar-nos numa federação com sede em madrid, perseguem a ibéria pagos a soldo por Espanha.

Mas antes de isso acontecer, é necessário acabar com o voluntariado em Portugal visto que isso é único do nosso pais, é uma imagem de marca de Portugal, e em espanha não existe ou é residual, sendo assim, estão afazer tudo para destruir os bombeiros portugueses de modo a uniformizar o combate aos fogos em portugal e espanha.

Como os bombeiros não dependem desta gente, e não respondem perante estes indivíduos, há que eliminá-los, não vão eles no futuro opor-se em massa à ibéria, todos os possiveis obstaculos a sua formação tem que ser eliminados, e como os bomberios são u foi lançada este atque á estrutura dos bombeiros em 2005.

Quer queiramos quer não os bombeiros voluntários são um exercito à escala nacional e algo que nos diferencia de Espanha.

Como os bombeiros são uma espécie de exercito á escala nacional, e não se vão eles opor a estas politicas suicidas e iberistas destes traidores que desgovernam Portugal, por esse motivo é que começou este ataque aos bombeiros em 2005, com a criação dos Gip’s e feb’s.

Tudo isto é feito para formatar o combate aos fogos em Portugal á imagem e semelhança de Espanha, os gip’s, versão portuguesa da UME espanhola, e as Feb’s tal e qual os bombeiros em Espanha.

Em substituição vêm com as FEB’s, vestidos de amarelo tal e qual os bombeiros florestais em Espanha, e os GIPs’s, versão Portuguesa da UME - Unidade Militar de Emergências espanhola e que foi criada mais ao menos ao mesmo tempo por estes senhores.

Vejam aqui a data da criação da UME, em 2006 sensivelmente na altura dos Gips’s, acham que foi coincidência.

http://es.wikipedia.org/wiki/Unidad_Mil ... mergencias (http://es.wikipedia.org/wiki/Unidad_Militar_de_Emergencias)

Ou seja, tudo isto faz parte do plano para uniformizar os bombeiros entre Portugal e Espanha, para isso há que acabar com o voluntariado, visto que em Espanha isso não existe, ou é residual.

Como em Espanha não há voluntariado, ou é residual, é preciso acabar com ele em Portugal.

A conspiração envolve como não podia deixar de ser os meios televisivos, e os media em geral, com o canal do estado á cabeça, ajudado pela TVI, que como é controlada por capitais espanhóis e depois de saneado o Moniz e a Manuela Moura Guedes, esta agora também totalmente alinhado com este governo recheado de iberistas que querem matar Portugal.

Na televisão este senhor do MAI não faz mais nada que dizer que a Feb está no terreno, os gips da gnr estão no terreno, a força especial de bombeiros fez um excelente trabalho, a protecção cível esta alerta, dos bombeiros nem fala, palavra proibida.

Mete nojo ouvir este tipo falar.


Na dia 19 de Agosto os bombeiros sofreram mais um ataque selvagem desta vez na TVI 24.

O pivot em causa, de nome Bernardo Santos, fez um ataque selvagem aos bombeiros em Portugal, perguntando directamente aos duarte caldeira se a solução para acabar com os incêndios não será retirar os bombeiros do combate aos fogos florestais e substitui-los por canarinhos, feb’s.

De caras, perguntou isto ao duarte caldeira.

Mas pior do que isto, fez a apologia total dos Gips’s e da FEB, dizendo que são extremamente eficazes, e extinguem incêndios que se mantém activos durante dias quando combatidos por bombeiros voluntários.

Mas que é isto, que aldrabices é que este tipo se põe a dizer assim em directo.

Pior ainda deu a entender que nos voluntários não há profissionalismo, falou que se tem falado de desordem , falta de coordenação, entre outras barbaridades.

Tentou passar um atestado de incompetência aos bombeiros.

O duarte caldeira, como sempre em vez de dar uma resposta cabal a este tipo, não deu uma meia resposta, talvez com o medo que o governo lhe cortem o subsidio da liga, e por consequência o ordenado ao fim do mes.

Nem sequer foi capaz de dizer que nos bombeiros ditos “voluntários” há equipas de bombeiros profissionais, as chamadas EIP, Equipas de Intervenção Permanente, o Duarte caldeira não disse nada, ficou corado pior que uma Romã, e não foui capaz de articular nada de jeito em defesa dos bombeiros perante este ataque cerrado.

Claro que o pivot que fez este ataque aos bombeiros não percebe nada disto, e fez o que fez e disse o que disse porque recebeu ordens directas da sua linha editorial para deitar abaixo os bombeiros, e fazer a apologia dos Gips e Feb e das politicas iberistas do governo também no combate aos fogos.

Tanto a rtp controlada pelo estado como a tvi controlada pela prisa espanhola alinham com este desgoverno, e dai estes ataques constantes aos bombeiros, o senhor Pedro Almeida Vieira também é um comentador habitual de incêndios na tvi, claro, para fazer a apologia do modelo espanhol de combate a fogos, com o objectivo de acabar com os bombeiros em portugal.

Este pivot começou na ntv, depois este no porto canal, e agora esta nos espanhóis, algo recorrente na tvi, agora vão buscar todo o lixo do porto canal, para com isto levar o máximo de regionalista as fanáticos do porto para a tvi de modo a incendiar o pais.

Vejam este vídeo ate ao fim, para ver a classe do jornalismo deste individuo, é de fod*ss* e car*lh* para cima em directo.

http://www.youtube.com/watch?v=yJ00sFWf ... re=related (http://www.youtube.com/watch?v=yJ00sFWfIhE&feature=related)


Para alem disso na RTP controlada pelo estado os bombeiro tem sido atacados fortemente, outro dia aquando dos incêndios no geres, era um tipo de nome Martinho Araújo, a dizer que com os Canarinhos (feb) a assumir o combate do incêndio o fogo no geres iria ser finalmente extinto, dizendo que estes fazem toda a diferença para os bombeiros, como que isso fosse verdade, tentando passar em  driecto na rtp um atestado de incompetência aos bombeiros.

Na volta o fogo ainda durou mais 5 dias depois destas declarações.

Se repararem bem, os próprios planos dos directos da RTP enquadram sempre que possível viaturas ou membros da Feb, acham que é por acaso?

Isto são ordens directas do governo para s linhas editorais.

Mais do mesmo, propaganda barata às elites que este senhor do MAI mandou criar em 2005, e que agora condecora em 2010.

Pior , no Telejornal do dia 21 de Agosto, no Jornal da tarde da RTP assistimos a outro ataque aos bombeiros, e fomos brindados com mais propaganda aos gip’s e feb’s, com acção em directo e tudo do geres.

No minuto 11.10, o senhor João Fernando Ramos, saísse com a seguinte expressão:

“ Para alem das brigadas profissiosnais, gip’s e canarinhos, há os bombeiros voluntários”

Então pergunto eu, nos bombeiros ditos voluntários não há EIP, que são brigadas profissionais, e os homens das ECIN em que é que são menos que os gip’s ou os feb’s.

Que vergonha.

Ao minuto 37.45 assistimos a uns minutos de autentica propaganda barata a gip’s e feb, com intervenção dos gip’s e tudo.

Só mesmo vendo é que se pode constatar que isto é concertado, são ordens do governo, e não tenho duvidas do senhor do MAI para fazer a apologia dos Gip’s e Feb, passando para população a ideia que os bombeiros são uns amadores impreparados.

Vejam aqui o vídeo:

http://ww1.rtp.pt/multimedia/progVideo. ... dpod=43542 (http://ww1.rtp.pt/multimedia/progVideo.php?tvprog=1098&idpod=43542)

Isto é prova provada que há uma conspiração contra os bombeiros lançada em 2005 e que visa acabar com eles, e em primeiro lugar retirá-los do combate aos fogos florestais, eu já acordei há muito tempo, estão a trabalhar no sentido de acabar com os bombeiros em Portugal, e de acabar também com Portugal como pais independente.

Não duvidem.

No meio disto tudo os militares da GNR, que eu muito prezo, podem muito bem estar a ser vitimas e peões sem se aperceberam de uma jogada politica mafiosa que visa uniformizar o combate aos fogos em Portugal e Espanha.

Deviam parar para reflectir.

Cumprimentos.

:snipersmile:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Setembro 08, 2010, 06:56:50 pm
Distritais. Caro amigo, obviamente não lhe vou responder a tudo, a sua resposta é demasiado comprida para a comentar na totalidade.
Efectivamente no meu concelho existe bastantes corpos de bombeiros, são 5 e não 4, nos concelhos vizinhos infelizmente já não se passa o mesmo Penafiel tem 3 e Lousada apenas um,
Existem duas coisas que não referiu, por aqui nesta zona o mal não são os grandes incêndios florestais como deflagram na zona de Trás-os-Montes e zona centro, mas sim o grande número de ignições que ocupam grande parte dos meios operacionais, todos ao mesmo tempo.
No meu ex. Corpo de bombeiros temos cerca de 10 viaturas para combates a fogos e já fui ao toque de sirene e tive que sair com uma viatura 100% urbana para combate a incêndio florestal.
Mais lembra-se de falar em quintinhas particulares?
Pois então vou-lhe dizer sei que muitas vezes o comando distrital pede veículos para formar colunas para fora dos concelhos e do distrito e os senhores comandantes dão essas viaturas como inoperacionais apenas para não ficarem danificadas em fogos que na são da sua área, e sabe porquê?
Porque ninguém paga os prejuízos causados, isso já se passou comigo presente.
Os incêndios nas zonas de que fala nomeadamente Montalegre, bombeiros os quais conheço já lá fui ao seu aniversário com a minha fanfarra, e foi no verão altura de incêndios, sei bem que o seu equipamento é demasiado obsoleto e antigo, pois são de uma zona do interior e não há dinheiro.
Os bombeiros teriam que encontrar directivas e meios legais e financeiros que os permitissem sem quaisquer dificuldades deslocarem-se para outras zonas dos pais, mas actualmente só saem com ordens dos comandantes distritais
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Rvsantinho em Abril 27, 2011, 03:48:09 pm
Olá

Vivo na Suíça perto de onde esta a Acontecer aquele Incêndio comentado em todas as Televisões internacionais.
Neste incêndio estão envolvidos 10 meios aéreos sendo 5 Privados e 5 do Exercito. Não seria possível também em Portugal usar meios da FAP para combater Incêndios? Acho que só teríamos a ganhar redução dos meios a Contracto e usamos os nossos próprios meios sem necessidade de recorrer ao estrangeiro.

Acho que seria um investimento mais significativo do que o tal TGV que ainda não sei para quem será? Easyjet é mais barata que o TGV a MIlhas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Abril 27, 2011, 05:09:13 pm
Citação de: "Rvsantinho"
Não seria possível também em Portugal usar meios da FAP para combater Incêndios? Acho que só teríamos a ganhar redução dos meios a Contracto e usamos os nossos próprios meios sem necessidade de recorrer ao estrangeiro.
Há falta de vontade política e também falta de pilotos. Já se chegou a discutir isso mais aprofundadamente aqui no fórum. Existe o tópico «Compra de 3 aviões russos de combate aos incêndios (?)» (http://http) de 26 páginas, entre outros mais pequenos, e também existe um tópico «Meios Aéreos do Estado para Combate a Incêndios e Resgate» (http://http) no Fórum 9G's de 42 páginas.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Bravo em Julho 08, 2011, 08:06:43 pm
Boas amigos. Eu na minha opinião acho que o que falta em Portugal são medidas severas para quem ateia fogos. E não são só medidas severas nesta questão dos fogos! Medidas severas é o que falta em Portugal para qualquer crime que se cometa. Os incendiários ateiam fogos, outros matam pessoas, e outros violam pessoas e tudo isto porque sabem que ficarão impunes, ou seja, não têm qualquer medo da justiça Portuguesa o que é gravíssimo!
  Na minha opinião o que se poderia fazer para minimizar o risco de incêndio em Portugal era uma maior vigilância das matas, uma limpeza destas porque algumas estão repletas de entulho e de material que arde com facilidade, tentar sensibilizar as pessoas neste sentido, etc. Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Julho 09, 2011, 01:08:45 pm
Medidas severas não mudam nada, as florestas e os recursos para lhes atirar fogos continuam a existir. Já muita gente foi presa e todos os anos é o descalabro. Portanto é preciso apostar num paradigma da prevenção:

- Limpar as matas nacionais e forçar os privados a seguir o exemplo;
- Usar UAV's para monitorizar as grandes extensões de florestas;
- Criar um grupo de estudos por pessoas realmente entendidas no assunto que possam apresentar medidas concretas: pontos sensíveis, como prevenir e baixar risco, quem são os criminosos, como actuam, como combater fogos e com que meios. Claro por fim vender tecnologia e know-how ao estrangeiro.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 09, 2011, 03:08:16 pm
Citação de: "Luso-Efe"

Contudo as elites da ANPC que este governo criou em 2005, essa estrutura paralela que é um sumi douro de fundos que devia ir para os bombeiros, esses senhores dos Gip’s e feb andam em pick up’s topo de gama onde nem o ara condicionado foi esquecido.

Obviamente que isto caiu muito mal no seio dos bombeiros, em primeiro lugar acabam com o serviço nacional de bombeiros, que apesar de ter a sigla da protecção civil, O SNBPC, era de facto o serviço nacional de bombeiros, e depois ainda por cima tratam-nos como enteados em detrimneto dos Gips e feb’s.
Este infeliz ideia de criar uma estrutura paralela, composta pelos Gip’s e feb’s, foi copiada de Espanha, só podia, de Espanha.

A sério, em Espanha na Guardia Civil há uma unidade semelhante à GIPS? Desconhecia.

Citar
Os gip’s foram criados em 2006 exactamente na mesma altura em que em Espanha o senhor zapatero criou a UME, a Unidade Militar de Emergências espanhola, pensam que foi coincidência?

UME é uma unidade das Forças Armadas Espanholas e não da Guardia Civil.

Citar
A Feb, pomposamente designada de Força especial de bombeiros, é a cópia dos bombeiros florestais em Espanha.

Sabes o que são Sapadores Florestais, não sabes? Sabes a diferença entre os Sapadores-Florestais e os Canarinhos? É que há diferenças e uma coisa não substitui a outra. Quando explicares as funções desses bombeiros espanhóis puderei saber se são uma coisa ou a outra.

Citar
Esta gente quer acabar com os bombeiros, porque tal como já aqui disse mais vezes, também quer acabar com o pais.

Este Sr. Rui pereira é o cabecilha desta orquestração apoiada pelo governo, alias há quem diga que é este tipo manda no governo, conspiração esta para acabar com os bombeiros em Portugal, e o primeiro passo é retirá-los do combate aos fogos.

É impossível acabar com os Bombeiros porque não há ninguém que os substitua. Por exemplo, existe o INEM, mas que faz grande parte do trabalho de emergência médica pré-hospitalar são os Bombeiros, porque o INEM está em Lisboa e no Porto e pouco mais.

Citar
Para isso a maçonaria e o poder instalado em Portugal anda na minha opinião a pagar e a patrocinar muitos indivíduos para que lancem livros a criticar os bombeiros voluntários em Portugal, e neste caso a fazer a promoção da Espanha e dos modelos espanhóis, para depois estes memos senhores que querem acabar com os bombeiros e que lhe lançaram este ataque selvagem em 2005 poderem dizer que há estudiosos que dizem que os bombeiros voluntários têm que ser extintos.

Para isso é preciso dinheiro, é porque é fácil dizer que são todos profissionais, mas depois é preciso muito dinheiro e isso é coisa que o estado não tem. Basta ver a diferença na formação de um Bombeiro Sapadores de Lisboa e um qualquer Bombeiro Voluntário por este país fora. Um Bombeiro "Voluntário" assalariado (ou seja, alguém que faz disto a sua vida) pode no final de alguns anos ter toda uma série de cursos (na ENB e no BSL) que o torna num elemento bastante conhecedor do que faz. Esses cursos e a experiência tornam alguns Bombeiros Voluntários em elementos realmente capazes de lidar com qualquer ocorrência. O futuro segundo disseram-me durante a minha formação de bombeiro era Corpos de Bombeiros Voluntários com quadros profissionais (assalariados) apoiados por Bombeiros realmente voluntários.

Citar
Por isso, e com o objectivo de acabar com os bombeiros e retirá-los do combate aos fogos é que têm aparecido desde 2006 uns artistas, como por exemplo um senhor chamado Pedro almeida Vieira a lançar livros onde defendem a retirada dos bombeiros do combate aos fogos, e a defender o modelo espanhol de combate, claro esta que este senhor é patrocinado e quem lhe manda lançar os livros são estes tipos que desde 2005 lançaram este ataque á estrutura dos bombeiros em Portugal,  para depois poderem acabar com os bombeiros e dizer que há autores que o defendem.

O mais engraçado é ver os Espanhóis a vir ver os nossos Bombeiros Voluntários porque estão convencidos que é preciso algo assim.

Citar
Este senhor esteve no inicio do mês de Agosto num debate na televisão publica sobre a questão dos fogos florestais, na Rtp n onde teceu um ataque selvagem aos bombeiros dizendo, que se tinha que acabar com eles e retirá-los do combate ao fogos, e a solução passava por copiar o modelo andaluz.

Desconheço esse modelo, importa-se de explicar como é que funciona?

Citar
http://bombeirosparasempre.blogspot.com/2010/08/portugal-o-vermelho-e-o-negro.html

http://bombeirosparasempre.blogspot.com ... o-e-o.html (http://bombeirosparasempre.blogspot.com/2010/08/autor-do-livro-portugal-o-vermelho-e-o.html)


E não é que o autor do livro respondeu-te?! :lol:

Citar
Obviamente que a esmagadora maioria nem sequer leu uma página do livro Portugal: O Vermelho e o Negro, nem tão-pouco consegue analisar com frieza aquilo que defendo.

Vou passar por cima das referências disparatadas - à maçonaria, à traição à pátria, ao estar ao serviço do Governo, e mais outros «mimos» com que me brindaram -, para esclarecer alguns pontos:

a) quem diz que comparação com a Andaluzia não faz sentido, desconhece a Andaluzia. Tem uma área florestal potencial de 4,6 milhões de hectares (superior á portuguesa), mas neste parte existem quase 700 mil hectares de pinhais (sensivelmente a área actualmente existente em Portugal). A área ardida é colossalmente inferior à portuguesa, sendo raros os anos da última década com mais de 10 mil hectares ardidos (em Portugal, são raros os anos com menos de 100 mil hectares ardidos; 3 em 10, na última década, sendo que 2003 ardeu mais de 400 mil e em 2005 mais de 300 mil).

b) O livro que publiquei em 2006 está muito longe de abordar apenas a questão do combate. Nem um quarto desse livro abrange as questões que tanto vos abespinham. Quem ler o livro reparará que nenhum governante me sorrirá pelo diagnóstico e avaliação que faço.

c) Aspecto essencial que não tenho conseguido fazer entender, sem entender porquê. Eu não sou contra os bombeiros. Sou contra um sistema promovido pelo Estado ao longo dos anos que baseia o combate aos fogos florestais numa estrutura que nem é carne nem é peixe. Ou seja, eu preferia ver as brigadas profissionalizadas (que apenas actuam nos meses de Verão), a serem profissionais a 100% durante os 12 meses do ano.

Isso permitiria um treinamento físico e táctico melhor (por muito bom que possa ser o ministrado aos voluntários, que não é suficiente), uma melhor gestão e flexibilização no uso dos meios humanos e materiais. Além de permitir que, nas épocas com menor incidência de incêndios, pudessem exercer acções no terreno em termos de gestão e prevenção. E sobretudo reconheceria o papel dos bombeiros, pagando-lhes uma verba uma verba justa, por um serviço público de inegável importância.

Acredito que a esmagadora maioria dos bombeiros voluntários são bombeiros porque têm verdadeiro espírito altruísta, que querem ajudar o próximo. Não consigo é entender tanta crítica quando advogo apenas que se transformem os bombeiros voluntários em bombeiros profissionais, sobretudo para a parte dos incêndios florestais. Qual o problema do bombeiro Manuel (por exemplo) que era bombeiro voluntário passar a ser bombeiro profissional? Para mim, não há qualquer problema; há só vantagens: melhor treino, melhores condições materiais, mas também necessariamente maior responsabilização. No entanto, essa maior responsabilização também permitiria uma ascensão na carreira por razões de mérito e não por critérios nada objectivos.

Poderei continuar, se assim desejarem, a trocar impressões com quem assim queira, desde que com alguma elevação.

Cumprimentos

Pedro Almeida Vieira

P.S. Agradeço a divulgação da minha faceta de romancista, embora sem entender o que o cu tem a ver com as calças. A minha formação académica é ao nível da engenharia na área ambiental e, como jornalista, acompanhei durante muitos anos esta problemática dos incêndios. Nunca peguei numa mangueira, mas ainda hoje me recordo do drama vivido nos anos 80 quando na minha região natal morreram vários bombeiros no combate aos fogos. E como português costuma-me a admitir que tantos bombeiros morram por vezes em condições que, num sistema profissional, dificilmente sucederia. Na Andaluzia, por exemplo, jamais um bombeiro estaria 20 horas a lutar contra um fogo...

Citar
Como os bombeiros são uma espécie de exercito á escala nacional, e não se vão eles opor a estas politicas suicidas e iberistas destes traidores que desgovernam Portugal, por esse motivo é que começou este ataque aos bombeiros em 2005, com a criação dos Gip’s e feb’s.

Tudo isto é feito para formatar o combate aos fogos em Portugal á imagem e semelhança de Espanha, os gip’s, versão portuguesa da UME espanhola, e as Feb’s tal e qual os bombeiros em Espanha.

O GIPS da GNR é completamente diferente da UME, na verdade é uma espécie de Canarinhos da GNR (só que muito mais bem pagos e equipados).

Citar
Na televisão este senhor do MAI não faz mais nada que dizer que a Feb está no terreno, os gips da gnr estão no terreno, a força especial de bombeiros fez um excelente trabalho, a protecção cível esta alerta, dos bombeiros nem fala, palavra proibida.

A FEB é constituida por Bombeiros, por isso é a mesma coisa que dizer os bombeiros estão no terreno.

Citar
O pivot em causa, de nome Bernardo Santos, fez um ataque selvagem aos bombeiros em Portugal, perguntando directamente aos duarte caldeira se a solução para acabar com os incêndios não será retirar os bombeiros do combate aos fogos florestais e substitui-los por canarinhos, feb’s.

De caras, perguntou isto ao duarte caldeira.

Mas pior do que isto, fez a apologia total dos Gips’s e da FEB, dizendo que são extremamente eficazes, e extinguem incêndios que se mantém activos durante dias quando combatidos por bombeiros voluntários.

Isso seria impossivel, é que nem os Canarinhos nem os GIPS têm meios pesados para combater fogos florestais. É por isso é que são equipas de primeira intervenção. Já o UME são equipas pesadas com meios também eles pesados, ou seja, o oposto do FEB e dos Canarinhos.

E para acabar, para mim acabava-se com o GIPS a intervir nos incêndios florestais, é que nem faz sentido tendo uma equipa muito mais eficaz de nome FEB (Canarinhos).
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Julho 09, 2011, 11:54:47 pm
Olha Martelo, já sei que eu por ser um anti-iberista sou o teu maior inimigo no fórum, já sei disso, toca-se na Ibéria e tu vens logo à baila tentar desvalorizar, só me admira que demoras-te tanto tempo, mas basta recuares no tópico para ver que ouve um senhor que entrou apenas para me dar os parabens, e para dizer que nunca ninguem tinha falado tão bem sobre este assunto aqui no fórum defesa.

Citação de: "carlospires"
Amigo Luso-Efe,
penso que até hoje aqui neste forum ninguem foi tão claro , objectivo e eficaz no que dizia em relação a este assunto, MUITOS PARABENS.  :snipersmile:  :N-icon-Gun:  :idea:
Mas que queres, discutir fogos florestais? É isso? Vamos lá então, mas pareces-me muito tenro digo-te já.

Em primeiro eu nunca disse que a UME pertencia à Guardia Civil, tu é que estás a dizer. E quando digo que a UME é uma unidade semelhante ao GIPS digo pelo facto de serem as duas unidades militares, criadas em 2005 quase no mesmo dia, na sequência do assalto ao poder dos socialistas iberistas.

Achas que foi uma coincidência?  :roll:

Pela informação que fui recolhendo a Feb é digamos a versão do bombeiros florestais em Espanha, sem dúvida disso. Os sapadores florestais não são para aqui chamados, nem tem nada a ver com isto, não confundas as coisas, esses fazem limpeza de matas, que é algo que a FEB não faz e estão sob a tutela do ministério da agricultura. :!:

Voltando aos bombeiros, salta á vista, que esteve em marcha um processo que visava uniformizar o combate a fogos em Portugal e Espanha, não há que ter duvidas, eu pelo menos não as tenho.  Eu não acredito em coincidencias. :x

Em relação aos meios terrestres pesados, mais uma vez metes o pé na poça à força toda, e revelas que és um leigo na matéria, porque estava previsto que a FEB fosse dotada de veículos pesados, possivelmente este governo é que vai acabar com isto tudo, e só faz bem. Para começar parece que a FAP já vai começar a combater fogos de novo, acho muito bem, desde que os privados foram postos neste negócio o pais nunca mais parou de arder. :idea:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Bravo em Julho 10, 2011, 11:24:32 am
Citação de: "Camuflage"
Medidas severas não mudam nada, as florestas e os recursos para lhes atirar fogos continuam a existir. Já muita gente foi presa e todos os anos é o descalabro. Portanto é preciso apostar num paradigma da prevenção:

- Limpar as matas nacionais e forçar os privados a seguir o exemplo;
- Usar UAV's para monitorizar as grandes extensões de florestas;
- Criar um grupo de estudos por pessoas realmente entendidas no assunto que possam apresentar medidas concretas: pontos sensíveis, como prevenir e baixar risco, quem são os criminosos, como actuam, como combater fogos e com que meios. Claro por fim vender tecnologia e know-how ao estrangeiro.
As florestas e os recursos continuam a existir sim, mas se eles soubessem que iam sofrer medidas duras após praticar esses tipos de crime decerto não o fariam...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 10, 2011, 04:58:26 pm
Citar
Olha Martelo, já sei que eu por ser um anti-iberista sou o teu maior inimigo no fórum, já sei disso, toca-se na Ibéria e tu vens logo à baila tentar desvalorizar, só me admira que demoras-te tanto tempo, mas basta recuares no tópico para ver que ouve um senhor que entrou apenas para me dar os parabens, e para dizer que nunca ninguem tinha falado tão bem sobre este assunto aqui no fórum defesa.
Ó meu caro, o que eu não gosto é que tentem impingir-me mentiras, só aceito lições de patriotismos de numa mão cheia de pessoas deste fórum e tu não és um deles.

Citar
Em primeiro eu nunca disse que a UME pertencia à Guardia Civil, tu é que estás a dizer. E quando digo que a UME é uma unidade semelhante ao GIPS digo pelo facto de serem as duas unidades militares, criadas em 2005 quase no mesmo dia, na sequência do assalto ao poder dos socialistas iberistas.

A UME é uma unidade que atua de uma forma completamente diferente do GIPS e a partir torna a discussão algo de surreal. Seria a mesma coisa que dizer que os dois governos queriam criar unidades policiais em comum e depois um país criar um GOE e o outro um Corpo de Intervenção. O GIPS é uma unidade de primeira intervenção sendo que são substituídos pelos bombeiros depois dos primeiros 30 minutos de combate, já o UME é uma unidade muito mais pesada e com meios também eles pesados, é como comprara os Pára-quedistas com os Mecanizados, cada um tem a sua função, mas os dois têm naturezas muito diferentes de atuação.

Queres comparar estes meios:

http://www.defensa.gob.es/ume/medios/ (http://www.defensa.gob.es/ume/medios/)

Com estes:

http://www.operacional.pt/segurex-2011/ (http://www.operacional.pt/segurex-2011/)

Citando o senhor Miguel Machado:

Citar
Viatura e equipamentos para resgate em montanha da protecção civil. Até pode ser que todos não sejam muitos para as necessidades, mas é impossível não notar uma certa "duplicação" ou pelo menos "paralelismo", entre a Protecção Civil e o GIPS da GNR.

Porque na prática o GIPS é uma duplicação dos “Canarinhos” feito por um governo sem imaginação e sem capacidade de resposta e por uma GNR que quer abocanhar tudo o que é serviços. Eles têm um GIOE duplicando o GOE da PSP, eles têm as lanchas duplicando a Policia Marítima e a Armada, eles têm…
Mas isto é algo intrinsecamente Português, cada um defende a sua quinta e se passar por cima da do outro ao lado ainda melhor. O meu comandante quando numa reunião falou acerca do GIPS só disse-nos uma coisa, eles são eles, nós somos nós, eles que façam o seu trabalho que nós fazemos o nosso. Pessoalmente sou apologista do fim do GIPS como eles estão neste momento. A unidade em questão é uma duplicação do FEB com mais umas coisitas engraçadas.

Citar
Em relação ao INEM, mais uma vez metes os pés, há PEM - postos de emergência médica do INEM espalhados por todo o pais sedeados nos corpos de bombeiros, o que não há são VMER’s, equipas medicas de emergência e reanimação, essas sim estão sedeadas apenas onde há hospitais de grande dimensão com médicos suficientes para fazer os turnos necessários para ter uma viatura desta operacional durante 24. Basicamente existem nas capitais de distrito e pouco mais.

Mas afinal é ou não é INEM que faz emergência médica pré-hospitalar na maior parte das vezes por este país fora? É que eu lembro-me de ter acabado de tirar o TAT e ter saído com mais dois colegas para uma queda e nenhum de nós três tínhamos o TAS. Lembro-me de muita coisa que vi e passei e nunca vi uma única VMER. Hoje em dia já uma amarelinha no meu antigo Corpo de Bombeiros, mas quem vai lá dentro são Bombeiros e não enfermeiros ou médicos. Isso é uma fraude e estão brincar com as pessoas.

Citar
Em relação ao resto, a mim ninguém me respondeu, achas mesmo que o blog é meu! Agora é certo que esses posts me abriram os olhos, e continuo a dar uma espreitadela neste blog de vez em quando.Mas esse senhor levou bem do que contar, os bombeiros pelos vistos não andam a dormir.
Não meu caro, tu escreveste nos comentários e o autor do livro respondeu-te à letra.

Citar
Em relação aos Canarinhos, dizeres que são uma espécie de GIPS revela que não percebes nada do assunto, os Canarinhos são civis, que eram bombeiros e depois passaram para a FEB, os GIPS são militares da GNR. Por fim, é preciso que saibas que os próprios bombeiros, dizem que os FEB não são bombeiros, são FEB, alias parece que a própria palavra bombeiros desapareceu do fardamento deles e foi trocada por protecção civil. O clima entre bombeiros, FEB e GIPS é de cortar à faca, caso não saibas ficas a saber, principalmente entre FEB e bombeiros.

Como tu gostas de distorcer o que eu escrevo, como os Canarinhos podem ser uma espécie de GIPS quando a unidade já existia quando o governo inventou os GIPS?! Os Canarinhos são Bombeiros, FEB significa Força Especial de Bombeiros!

http://bombeirosvoluntariosalmeirim.blo ... -fora.html (http://bombeirosvoluntariosalmeirim.blogspot.com/2007/06/autoridade-nacional-apresentou-fora.html)

Citar
Em relação á eficácia da FEB ou dos GIPS, isso não passava de propaganda barata do governo às unidades que criou, a eficácia é a mesma, e já há equipas helitransportadas em Portugal desde á longa data, as primeiras embarcadas em Aloutes III e sempre foram constituídas por bombeiros.

Eu nunca recebi formação nos Bombeiros para actuar como os Canarinhos/GIPS actuam, acho que há espaço para uma força como os Canarinhos. Já agora os Sapadores Florestais também combatem incêndios, pelo menos os do meu concelho.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Julho 10, 2011, 05:53:21 pm
---------Editado-------------

O martelo, mentiras é o que tu tentas impingir aos outros, mas comigo já sabes que não te safas. Não é por teres 7000 mensagens que podes pensar que és o chefe disto e dizes o que te apetece sem que ninguém te possa responder.

Voltando ao que interessa eu nunca disse que os GIPS estavam equipados com o mesmo material da UME, tu é que estás a distorcer o que eu disse. O que eu disse foi que são as duas unidades militares, e que foram cridas em uníssono quase no mesmo dia na sequência da chegada ao poder do PS em Portugal e do PSOE em Espanha.  :!:

Em relação aos meios, eu não disse que os GIPS tinham a mesma panóplia de equipamentos da UME, mas não penses que os GIPS é só Pick-Ups, também tem uns carros pesados, umas Mitsubishi em versão de combate a fogos florestais. Por fim, mais uma vez não fales do que não sabes, os GIPS não tem nada a ver com a FEB, os GIPS estão equipados para desastres químicos e biológicos, coisa que a FEb não está.

Em relação á duplicação de forças entre a GNR e a PSP, com o GOE e GIOE, não me vou pronunciar, não me quero meter nessa questão. Tenho o maior respeito por estas duas forças, mas não acho que a GNR deva andar a apagar fogos, isso é trabalho de bombeiros, só tem dado confusão. :!:

A solução para esta salgalhada passa na opinião de quem sabe e pelo que ouço, por retirar os GIPS e FEB do  combate aos fogos, o pais não tem dinheiro para isto, para ter por exemplo a FEB parada durante mais de metade do ano, e activa apenas do verão. Por fim, martelo tu deves ter tanto de bombeiro, tanto agora, como no passado, como eu de manobrador de máquinas pesadas. Deve ser mais ò menos o mesmo . :roll:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 10, 2011, 06:00:07 pm
És ou alguma vez foste bombeiro? Eu já.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso-Efe em Julho 10, 2011, 06:12:30 pm
Face ao que produzis-te. :idea:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 07, 2011, 12:39:56 pm
Citar
MDN, MAI, INCÊNDIOS E ASNEIRAS ESCUSADAS

Helicóptero Kamov 32
Uma das primeiras intervenções do novel Ministro da Defesa (MDN), efectuada numa visita à Força Aérea (FA), foi a de perspectivar o regresso daquele Ramo militar ao combate aos incêndios florestais (IF).

A ideia é boa, apesar de requentada, e mereceu desde logo – e bem – um alerta do respectivo Chefe de Estado Maior, lembrando que tal desiderato não seria viável de um dia para o outro.

Como as pessoas em Portugal têm a memória curta por esquecimento ou conveniência, vamos tentar dilucidar, sucintamente, todo este imbróglio. Porque de um imbróglio se trata, apesar da aparente candura das palavras ministeriais.

O Governo tinha adquirido, em 1982, equipamentos com o acrónimo “MAFFS”, que foram adaptados aos aviões C-130, e que permitiam largar sobre os incêndios uma quantidade apreciável de uma calda retardante. Custaram, na altura, cerca de 200.000 contos.

Para além disto, na “época dos fogos” distribuíam-se pelo país meia dúzia de helicópteros AL III, que ficavam em alerta aos incêndios. Estes helicópteros tinham uma capacidade muito reduzida de actuação, pois apenas podiam transportar equipas até cinco elementos e largar um pequeno balde de água sobre o fogo.

Com o agravamento anual do número de fogos e área ardida, cada vez foi necessário alugar mais hélis e aviões a empresas privadas, o que gerou um negócio de muitos milhões.

Em 1997, durante o governo do Eng. Guterres, o Secretário de Estado da Administração Interna, Armando Vara, decidiu (presume-se que com o assentimento do MDN), retirar a FA do combate e prevenção aos IF. Tal decisão abriu o caminho para se vir a adquirir, mais tarde, meios aéreos para esta missão, que foram colocados na dependência do MAI.

A fundamentação para tudo baseou-se – como se encontra descrito em vários documentos – na pouca capacidade que a FA possuía para atacar os IF, já que as poucas aeronaves C-130 existentes (cinco, mais tarde seis), o reduzido número de tripulações e o número substancial de outras missões cometidas à esquadra, nunca ter permitido o uso simultâneo dos dois equipamentos MAFFS existentes, a que acrescia as limitações do AL III (para o fim a FA já tinha muitas dificuldades em comprar a calda, pois esta já estava adjudicada a terceiros).

Para além disto, referia-se, o Estado gastava muitos milhões de contos a alugar, sazonalmente, aviões e hélis, não era dono de nenhum e estava sujeito ao mercado.

Salvo melhor opinião, as principais razões que levaram à alteração da política governamental não têm nada a ver com a argumentação aduzida, ou tem pouco a ver. As razões, creio, radicam-se na “luta de capelinhas”; na proeminência que o MAI passou a ter sobre a Defesa; na paranóia em querer afastar os militares de tudo o que não tivesse exclusivamente a ver com a vida nos quartéis, substituindo-os por “boys e girls” – uma pecha insaciável dos partidos – e, também porque nos negócios a efectuar, a FA a Armada e o Exército não terem por hábito pagar comissões ou horas extraordinárias. Senão não teriam feito o disparate que fizeram que é sempre pago pelo contribuinte.

Tudo, aliás, tem resultado num desastre: os fogos não param, a legislação não é adequada, não há prevenção, há muitos acidentes com os bombeiros (os poucos que se apresentam dos cerca de 30.000 inscritos…), etc. Não se sabendo o que fazer com o que restava dos Guardas Florestais, nem como os enquadrar, resolveu-se incorporá-los na GNR que, por ser um corpo militar, é pau para toda a obra; e até se inventou um grupo especial de intervenção contra os fogos, dentro daquela corporação, cuja missão nada tem a ver com isto.

Em contrapartida nada se fez para reforçar os sapadores bombeiros que são os únicos profissionais em apagar fogos, em todo este âmbito…

Ora se tivesse havido boa mente na apreciação da situação, o que deveria ter sido feito era ter aumentado os meios da FA (já que eram insuficientes…) e, ou, dotá-la de meios apropriados que pudessem ser aproveitados noutro tipo de missões, de modo a rentabilizá-los todo o ano. Manter-se-ia, deste modo, os meios aéreos sob comando e controle centralizado (sem embargo da descentralização da execução), a serem operados por quem sabe e tem experiência e capacidade de os operar e manter.

Mas não, decidiu-se pegar no dinheiro – que pelos vistos nunca faltou no MAI – e ir-se inventar a pólvora, pois no nosso desgraçado país os últimos 30 anos têm sido um farró! E o “negócio dos Incêndios” lá continuou de vento em popa.

Constituiu-se mais um dos inúmeros grupos de trabalho (GT), que pulularam no país, como cogumelos, para se equacionar a coisa. As conclusões deste GT foram entregues, em 6 de Setembro de 2005 e daqui surgiu a EMA, Empresa de Meios Aéreos (de capitais públicos), na dependência do MAI.

Do plano inicial fazia parte a compra de hélis ligeiros (quatro) e pesados (seis) e aviões pesados (quatro). Mas continuava a advogar-se o aluguer de 20 (!) hélis e 14 (!) aviões ligeiros e médios. Afinal…

Só para se ter uma ideia da insanidade em que se caiu, em 2010 chegaram a operar, em simultâneo, 56 meios aéreos, o que representa 40% da totalidade das aeronaves do inventário da FA!

Acabou-se por só se adquirir os helicópteros, um negócio atribulado com a Rússia (os Kamov) e, ainda os AS350B3, da Eurocopter (tudo cerca de 54-56 Milhões de euros), e já não se adquiriram os aviões por não haver dinheiro. Os hélis chegaram entre Junho de 2007 e Março de 2008.

O intermediário foi a empresa Heli Portugal, a quem foi adjudicado, também, por cinco anos, a manutenção das aeronaves, o que vale 16 M euros/ano.

A chefia da FA ainda fez uma proposta, em finais de 2004, avançando com a ideia de uma esquadra de aviões tipo Canadair (oito a 10), de multiuso. Este avião tem a vantagem de já ter dado boas provas e ser operado por Marrocos, Espanha, França, Itália e Grécia, podendo-se equacionar uma futura “poole“ destes meios. Ficou, ainda, em aberto a hipótese de reconfiguração dos 10 SA 330 Puma existentes e em desactivação, mas aproveitáveis, apesar de não serem os ideais. Hoje estão à venda e não se lhes encontra comprador.

Não deixa de ser curioso notar, contudo, que a chefia da FA, entre 1997 e 2000, não se ter mostrado nada interessada na questão dos IF, nem nos “Canadair”.

A FA, com realismo militar, mas com falta de “perspicácia” política, sempre foi dizendo que necessitava de cinco anos para tudo estar operacional, o que logo foi aproveitado pelos políticos, como óbice pela falta de celeridade. Menos, certamente, por preocupação com os fogos, mas por estarem sempre de olho nas próximas eleições e no papelinho do voto…

É claro que a proposta ficou na gaveta da política e só não temos a certeza do grau de assertividade com que esta dama foi defendida. E devia tê-lo sido, não só pela FA mas pelo Conselho de Chefes.

E, assim, se avançou para a organização de uma empresa para operar helicópteros num organismo que sabia rigorosamente nada sobre tal “negócio”. O Estado Português tem destas coisas e é, como se sabe, rico.

Faltava agora decidir sobre o dispositivo, isto é, onde estacionar os meios. A Autoridade Nacional de Protecção Civil pretendia meios colocados em Loulé e S. Comba Dão (e outros locais) mas, para além disto, era necessária uma base central.

O MAI António Costa, ainda tentou colocá-los na antiga base de Tancos (que tem todas as infra-estruturas, espaço e está despido de meios aéreos, e para isso reuniu com os Chefes do Exército e da FA. A reunião correu mal (para variar), e nenhum acordo foi atingido.

Resultado, foi-se gastar uma nota gorda (cerca de 15M euros), a fazer uma “base” no aeródromo municipal de Ponte de Sor (a 50 km de Tancos…), que foi completamente remodelado.

Como houve dificuldades, no inicio, em recrutar pilotos para os “Kamov”, a EMA foi generosa e passou a oferecer 6000 euros/mês a um comandante, fora as alcavalas. Afinal só não há dinheiro é para os hélis dos Ramos, nem para aumentar o risco de voo dos pilotos militares… Para já não falar nos diferentes pesos e medidas, que o mesmo patrão (o Estado), usa para com os seus servidores.

Como ninguém, aparentemente, explicou com algum detalhe aos senhores do MAI, que operar meios aéreos não é propriamente o mesmo que colocar uma asa num carro de bombeiros, os custos da empresa não mais pararam de derrapar e o passivo já ultrapassa os 40 milhões, se é que se podem acreditar nas contas que por aí correm. Tentou-se,” in extremis” impor quotas de horas de voo à GNR, PSP, ANPC, SEF, IMTT, etc., o que tem gerado uma apreciável confusão.

E agora ninguém sabe o que fazer. Daí o anzol lançado pelo MDN.

A desintonia e os desencontros, entre MDN, MAI, bem como entre as principais entidades que têm andado ligadas a esta problemática, têm sido a regra

Os incêndios, esses, continuam a surgir por geração espontânea e fazem o seu percurso placidamente.

Deve ser das alterações climáticas.

http://novoadamastor.blogspot.com/2011/08/mdn-mai-incendios-e-asneiras-escusadas.html

Gosto deste homem... apesar de alguns dizerem que se acobardou quando foi preciso a sua intervenção no Ultra-Mar.  :roll:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 07, 2011, 01:06:15 pm
Porque é que não adquirimos helis do tipo S-64 Erickson Air-Crane? Parecem ser bastante mais usados no estrangeiro e podem ser aproveitados para outras funções industriais ou de engenharia. Admito que em termos de design são algo feiosos, mas em comparação com os kamov adquiridos não seriam mais eficazes?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: GI Jorge em Agosto 07, 2011, 01:20:45 pm
Citação de: "Camuflage"
Porque é que não adquirimos helis do tipo S-64 Erickson Air-Crane? Parecem ser bastante mais usados no estrangeiro e podem ser aproveitados para outras funções industriais ou de engenharia. Admito que em termos de design são algo feiosos, mas em comparação com os kamov adquiridos não seriam mais eficazes?

Devem ser mais caros, mais difíceis (dispendiosos) de manter e consomem muito combustível.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 07, 2011, 01:41:53 pm
Mas será que foram equacionados na altura da aquisição dos kamov?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: GI Jorge em Agosto 07, 2011, 07:41:05 pm
Citação de: "Camuflage"
Mas será que foram equacionados na altura da aquisição dos kamov?

Não faço ideia. Mesmo que tenham sido, os Kamov, pelo menos para mim, foram a melhor escolha.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 07, 2011, 09:04:50 pm

Esse S-64 já é um projecto antigo e autonomia (370 Km) é uma miséria.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Agosto 07, 2011, 09:46:25 pm
Citar
A opção dos helicópteros Kamov é resultado de uma análise efectuada nos últimos dois anos, e também da possibilidade de converter a dívida da antiga União Soviética a Portugal, entretanto assumida pelo Estado Russo.

Em visita que está a efectuar à Rússia, o Primeiro Ministro português e o Ministro da Administração Interna - cujo ministério controla estes meios – visitaram em Moscovo o centro onde estão em formação 14 pilotos portugueses que deverão operar estas aeronaves, juntamente com os pilotos russos que vão ser enviados para Portugal para tripular os seis Kamov Ka-32.

 areamilitar
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 08, 2011, 07:10:36 pm
Preferia uma resposta mais: avaliamos os seguintes modelos.... escolhemos o kamov porque... basicamente a noticia citada lida por alto soa mais a "escolhemos o kamov por conveniência".
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Malagueta em Agosto 09, 2011, 10:36:16 am
iana: Militares controlam acessos à Serra de Santa Luzia para impedir fogos florestais
08-08-2011
Viana do Castelo, 08 ago (Lusa) - Um pelotão de militares do Exército começou hoje a controlar, e impedir, o acesso à Serra de Santa Luzia, para prevenir qualquer incêndio naquela área, anunciou o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Segundo José Maria Costa, esta operação vai prologar-se até ao final do mês de agosto e insere-se no programa municipal de prevenção de fogos florestais.

Deverá envolver mais de vinte militares da Escola Prática de Administração Militar e durante este período, explicou o autarca, o acesso à Serra de Santa Luzia, a mais importante área verde do concelho, terá circulação condicionada.

"Os militares vão fazer a identificação de todas as pessoas que passam na serra de Santa Luzia e será feito o fecho dos acessos pelas freguesias de Areosa, Carreço, Afife, Freixieiro de Soutelo, Perre e Meadela", sublinhou José Maria Costa.

O autarca sublinha que também o acesso à zona conhecida como "carreira de tiro", habitualmente usada para passeio e piqueniques, terá "acesso reservado com identificação".

No plano contrário, o acesso ao templo de Santa Luzia, sobranceiro à cidade e visitado por milhares de turistas no verão, à Pousada e à Citânia, "não terão qualquer impedimento".

Estas restrições na circulação pela serra serão controladas pelos militares, que poderão ainda identificar qualquer cidadão suspeito, tendo em conta tratar-se de uma força afeta ao dispositivo de prevenção, numa zona de elevado risco e em pleno período crítico.

Além dos militares, as operações contam ainda com o apoio de elementos da GNR e da PSP, que partilham a jurisdição da serra, e na vigilância por equipas de escuteiros e de sapadores florestais.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 09, 2011, 09:44:11 pm
Citar
Seis helicópteros Kamov, comprados pelo Estado por cerca de 40 milhões, podem vir a ficar parados devido aos custos de manutenção.

A Força Aérea (FA) acredita que está em condições de assegurar o combate aos incêndios florestais já a partir do próximo ano, sugerindo a recuperação até 2015 de seis helicópteros Puma, aeronaves com mais de 30 anos, que estiveram a voar até Maio passado, na sequência de problemas na manutenção dos modernos Merlin, comprados para os substituir. A informação foi adiantada ao PÚBLICO por uma fonte ligada à Defesa, que explicou que no dispositivo aéreo de combate aos fogos sugerido para o próximo ano pela FA não entrariam os seis helicópteros pesados Kamov, que o Estado comprou e começaram a operar em 2008.

O objectivo da mudança de estratégia seria poupar dinheiro, já que, exemplifica a fonte, o custo de manutenção dos Kamov, que está pago até ao final do próximo ano, é considerado muito elevado. Esta solução implicaria a extinção da Empresa de Meios Aéreos (EMA), uma sociedade de capitais públicos criada em 2007 para operar os dez helicópteros comprados pelo Estado (um dos aparelhos despenhou logo nesse ano).

O dispositivo do próximo ano, segundo o estudo da FA solicitado pelo ministro da Defesa, Aguiar-Branco, em início de Julho, contaria com três Pumas, ficando os restantes três aparelhos disponíveis gradualmente entre 2013 e 2015 (um por ano). Para suprir a sua falta, a FA propõe alugar três helicópteros médios para o ano, um número que iria diminuindo à medida que os restantes Puma ficassem prontos. Fariam ainda parte do dispositivo de 2012 os três helicópteros ligeiros Ecureuil SA350 B3, actuamente a ser operados pela EMA, e três Alouette da FA, que permitem transportar equipas de combate, mas não fazem descargas de água.

A FA propõe estabilizar o dispositivo de combate a fogos até 2015, altura em que passaria a contar com os seis Puma e oito Ecureuil. Tal implicaria vender os seis Kamov que o Estado comprou e, com essa verba, adquirir os restantes Ecureuil. Os quatro helicópteros ligeiros e os seis médios e a respectiva manutenção durante cinco anos custaram ao Estado perto de 105,5 milhões de euros. A esmagadora maioria da verba foi para pagar as despesas dos Kamov.

Outras funções apontadas

A recuperação e adaptação dos Puma terá um custo estimado pela FA em poucos milhões de euros, um investimento que, sustenta-se, poderá ser rentabilizado com o facto dos helicópteros poderem ser também usados para fazer emergência médica, um serviço actualmente contratado pelo Instituto Nacional de Emergência Médica a uma empresa privada que disponibiliza cinco aparelhos.

A frota que a FA considera satisfatória para combater os incêndios, composta por 14 helicópteros, é substancialmente inferior ao dispositivo que tem estado a operar nos últimos anos. Este ano estão disponíveis 41 meios aéreos durante a fase mais crítica dos incêndios florestais, menos 15 aeronaves que nos dois anos anteriores. Talvez, por isso, a FA admite a utilização de aviões C-130 no combate aos fogos.

O Ministério da Defesa recusa-se a adiantar pormenores sobre o estudo da FA, e o assessor de imprensa, Nuno Maia, confirma apenas que já recebeu o documento. "Estamos a analisá-lo em conjunto com o Ministério da Administração Interna [que tutela a EMA e a Autoridade Nacional de Protecção Civil]". A FA remete explicações para a tutela e a Administração Interna não quis fazer comentários.

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, Fernando Curto, afirmou ontem que concorda que os meios da Força Aérea colaborem no combate aos incêndios, mas critica a extinção da EMA, argumentando que pode ser necessário alugar aeronaves privadas.

in: http://jornal.publico.pt/noticia/09-08- ... 656855.htm (http://jornal.publico.pt/noticia/09-08-2011/forca-aerea-quer-recuperar-seis-puma-para-combater-fogos-22656855.htm)

A manutenção é cara ou é o facto de não serem norma NATO?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 09, 2011, 11:40:24 pm
Citação de: "Camuflage"
2015, altura em que passaria a contar com os seis Puma e oito Ecureuil. Tal implicaria vender os seis Kamov que o Estado comprou e, com essa verba, adquirir os restantes Ecureuil.

F****daaaaaaaaa-se!!!!!!!! Só não adivinho os números do Totoloto !!!! Eu bem disse no outro tópico que os Ecureuil ainda iam substituir os Alouette III na 552 !!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 10, 2011, 08:36:19 am
Calma amigo Pereira, Calma! :mrgreen:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 01, 2011, 06:40:21 pm
Já começou a chuva e a malta esquece o crime dos fogos...
O mesmo que disse no 9Gs digo aqui.

Por mim era assim:

A FAP opera todos os meios aéreos e os de combate aos incêndios, uma esquadra está sediada em Tancos com a missão principal de apoiar o Exército nas missões que forem necessárias de acordo com o planeamento. Apoia a protecção civil quando necessário.
Na época de incêndios é destacada pelo pais conforme necessário.

O Exército continua a ter a missão de fazer a vigilância e o patrulhamento do território, principalmente da floresta nacional não dos eucaliptais das celuloses.
A Engenharia continua com a missão de criar acessos.
A malta dos subsídios de desemprego limpa a mata e o mato que os trabalhos da Engenharia pôs para o lado.

Os vigilantes das torres continuam a ser pagos para lá estar.
Os Escuteiros também podem contribuir e ser subsidiados para tal. Estes não têm qualquer interesse em que a floresta arda.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: sergio21699 em Setembro 01, 2011, 07:04:16 pm
Concordo, mas metia tambem os presos a trabalhar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 01, 2011, 08:31:03 pm
Bem lembrado! E esses também, aqueles nos últimos meses de pena ou em julgamento que penas menores fossem trocadas por este tipo de trabalho. Delitos menores como excesso de álcool ou conduzir sem habilitação legal. Em vez de irem para a escola de crime que são as prisões.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Setembro 01, 2011, 09:00:20 pm
Quanto a mim já há muito tempo que os presos, não apenas alguns mas sim todos, deviam ser obrigados a trabalhar gratuitamente, seja na prevenção de incêndios, seja na produção de bens para o estado. Por exemplo podiam ser criadas quintas nacionais que produzissem bens alimentares para as forças armadas e escolas do estado, assim os presos deixariam de ser mais uma fonte de despesa para o estado mas sim uma fonte de rendimento. Tenho a certeza que muitos criminosos ao saberem que se fossem apanhados iam trabalhar no duro pensavam duas vezes antes de cometerem o crime.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: sergio21699 em Setembro 01, 2011, 09:24:54 pm
Citação de: "Edu"
Quanto a mim já há muito tempo que os presos, não apenas alguns mas sim todos, deviam ser obrigados a trabalhar gratuitamente, seja na prevenção de incêndios, seja na produção de bens para o estado. Por exemplo podiam ser criadas quintas nacionais que produzissem bens alimentares para as forças armadas e escolas do estado, assim os presos deixariam de ser mais uma fonte de despesa para o estado mas sim uma fonte de rendimento. Tenho a certeza que muitos criminosos ao saberem que se fossem apanhados iam trabalhar no duro pensavam duas vezes antes de cometerem o crime.
O estado oferece-lhes alojamento, alimentação, cuidados médicos, e até seringas  :evil:

Por mim as prisões deviam ser como estas: http://libertytuga.com/2010/03/22/xerife-do-arizona-tem-prisao-exemplar-2/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 01, 2011, 09:52:48 pm
Concordo e em vez de 5 anos de prisão 1 ano nessas condições chegava bem, se for muito tempo o corpo começa a habituar-se.
Mas isso é outro tópico...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: urso bêbado em Abril 10, 2012, 06:22:00 pm
Por desgraça é mais uma coisa que partilhamos galegos e portugueses, mas nem só.
Na Galiza já não é apenas aos verões que arde a floresta: se temos um inverno como o deste ano já cheiramos a cinça nas cidades de março por diante.

Pergunto-me qual é a razão para aceitarmos esta maldição bíblica dos lumes florestais... Isto não se passaria jamais na Alemanha ou na Suíça, por falarmos em paises nos quais a natureza e tão comprida como as nossas e seria inaceitável pelas suas gentes estar a falar cada ano nas mesmas  :!:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Abril 10, 2012, 08:12:13 pm
Tendo em conta o estado a que chegou a gravidade dos fogos florestais em que um bocado de calor significa logo imenso território ardido, tendo ignição a meio da noite... está na altura de considerar isto como eco-terrorismo e explico porquê:

Tal como no terrorismo trata-se:

Crime contra a vida, a integridade física ou a liberdade das pessoas;
Crime de produção dolosa de perigo comum, através de incêndio, explosão, libertação de substâncias radioactivas ou de gases tóxicos ou asfixiantes, desmoronamento de construção, contaminação de alimentos e águas destinadas a consumo humano ou difusão de doença
Crime contra a natureza

Pena de prisão mínima deverá ser 12 anos e obrigar os indivíduos a fazer reflorestação da área ardida.

Uma vez tratando-se de um crime terrorista a PJ e SIS terão em maior consideração este tipo de ameaça investigando de forma mais intensa as actividades que rodeiam este crime.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: urso bêbado em Abril 10, 2012, 08:24:17 pm
Citação de: "Camuflage"
Tendo em conta o estado a que chegou a gravidade dos fogos florestais em que um bocado de calor significa logo imenso território ardido, tendo ignição a meio da noite... está na altura de considerar isto como eco-terrorismo e explico porquê:

Tal como no terrorismo trata-se:

Crime contra a vida, a integridade física ou a liberdade das pessoas;
Crime de produção dolosa de perigo comum, através de incêndio, explosão, libertação de substâncias radioactivas ou de gases tóxicos ou asfixiantes, desmoronamento de construção, contaminação de alimentos e águas destinadas a consumo humano ou difusão de doença
Crime contra a natureza

Pena de prisão mínima deverá ser 12 anos e obrigar os indivíduos a fazer reflorestação da área ardida.

Uma vez tratando-se de um crime terrorista a PJ e SIS terão em maior consideração este tipo de ameaça investigando de forma mais intensa as actividades que rodeiam este crime.

Sem qualquer dúvida é terrorismo. Também por pôr em risco vidas e fazendas das pessoas e ter custado mortes, ferimentos graves, destruição da vida inteira na que as pessoas tinham investidos seus capitais, mortandade de animais de criança e de estimação, destruição do património nacional, desaparecimento de património cultural material irremediável...

Terrorismo, sem mais. Eu até lhe bania o adjetivo "ecológico" para deixá-lo apenas em terrorismo e até no grau de alta traição à pátria. O cumprimento íntegro das condenas mas também a utilização da força de mão dos delictuosos -terroristas- na recuperação das florestas. Aliás, é precisa uma forte campanha nas escolas, nos meios de comunicação e por toda a parte de que um país que queima o terreno (não se faz nem na guerra) é um povo enfermo.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Abril 25, 2012, 11:51:14 am
Foi  apresentado, na sede da Autoridade de Proteção Civil, em Carnaxide, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF 2012). Estiveram presentes na cerimónia o secretário de Estado da Proteção Civil, Filipe Lobo d´Ávila, o presidente da ANPC, Major-General Arnaldo Cruz e o comandante nacional da ANPC, Vítor Vaz.

Relativamente às aeronaves disponíveis, de 1 de julho a 30 de setembro (Fase Charlie), os fogos florestais vão ser combatidos por 44 meios aéreos, mais três que no ano transacto - 35 helicópteros de ataque inicial, 5 helicópteros pesados e 4 aviões anfíbios.

Segundo a resolução nº 23/2012 do Conselho de Ministros, ontem publicada em Diário da República, "O Estado celebrará assim, para o ano de 2012, um contrato de prestação de serviços de disponibilização e locação de meios aéreos com a EMA, que compõem o dispositivo permanente, como a locação dos meios necessários ao dispositivo sazonal de combate aos incêndios florestais

A EMA ja publicou um comcurso Publico para alucação  de 18 helicopteros  e 4 avioes anfibios  


Não eram estes que iam ser extintos e a tarefa entregue a FAP ja em 2012?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Abril 26, 2012, 01:41:36 am
Além deve ter notado que não estamos em altura de eleições e que a mama ia fazer falta.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Abril 26, 2012, 12:20:40 pm
Citação de: "chaimites"
Foi  apresentado, na sede da Autoridade de Proteção Civil, em Carnaxide, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF 2012). Estiveram presentes na cerimónia o secretário de Estado da Proteção Civil, Filipe Lobo d´Ávila, o presidente da ANPC, Major-General Arnaldo Cruz e o comandante nacional da ANPC, Vítor Vaz.

Relativamente às aeronaves disponíveis, de 1 de julho a 30 de setembro (Fase Charlie), os fogos florestais vão ser combatidos por 44 meios aéreos, mais três que no ano transacto - 35 helicópteros de ataque inicial, 5 helicópteros pesados e 4 aviões anfíbios.

Segundo a resolução nº 23/2012 do Conselho de Ministros, ontem publicada em Diário da República, "O Estado celebrará assim, para o ano de 2012, um contrato de prestação de serviços de disponibilização e locação de meios aéreos com a EMA, que compõem o dispositivo permanente, como a locação dos meios necessários ao dispositivo sazonal de combate aos incêndios florestais

A EMA ja publicou um comcurso Publico para alucação  de 18 helicopteros  e 4 avioes anfibios  


Não eram estes que iam ser extintos e a tarefa entregue a FAP ja em 2012?

Acho que a EMA só seria extinta depois de 2012, uma vez que havia contratos já assininados que terminam este ano. No entanto... acho que isso acabou por ser conveniente e concordo com o que o Get_IT disse.

Todos os anos alugamos avioes anfíbios canadair, este tipo de avioes teriam alguma utilidade para o estado fora da época de incendios?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Abril 26, 2012, 12:44:52 pm
Citação de: "miguelbud"
Todos os anos alugamos avioes anfíbios canadair, este tipo de avioes teriam alguma utilidade para o estado fora da época de incendios?

(http://www.aerospace-technology.com/projects/bombardier_415/images/415_7.jpg)
Há uma versão SAR mas que não é a que nós alugamos, e que poderia ser utilizada para complementar o C-295.
Isto se pertencesse e fosse operado pela FAP.
http://www.aerospace-technology.com/pro ... rdier_415/ (http://www.aerospace-technology.com/projects/bombardier_415/)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Abril 26, 2012, 01:07:37 pm
Obrigado HSMW,

É caso para dizer que o lobby dos incendios é de facto muito rentável para alguns.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Abril 26, 2012, 01:34:46 pm
Para fogos florestais canadair é para Ingles ver,   seria melhor  substitui-los helicopteros pesados,  mas ter uma hidroaviao a abastecer  numa albufeira  ou num estuario da melhor espetáculo
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Abril 26, 2012, 05:58:46 pm
Citação de: "chaimites"
Para fogos florestais canadair é para Ingles ver,   seria melhor  substitui-los helicopteros pesados,  mas ter uma hidroaviao a abastecer  numa albufeira  ou num estuario da melhor espetáculo

Sim claro, tendo em conta os litros descarregados por hora e a capacidade e reabastecer em mais locais, helicópteros pesados sao muito mais eficientes em Portugal. No entanto os canadair teriam uso fora da altura de incendios e poderiam ser melhor rentabilizados.

Exemplo: a FAP teria os canadair e durante a época de incendios alugava-os ao MAI. Uma vez que estes sao complementares aos C295, as missoes SAR estariam cobertas e o estado faria uma melhor gestao de recursos, em vez de estar a oferecer dinheiro a empresas espanholas todos os anos e nao ficar com nada.

Em relaçao a helicópteros pesados o mesmo nao seria aplicável, pois nao me parece que na FAP tivessem muito uso (Digo isto porque os únicos que conheço sao o kamov que temos, o mil 26 e o skycrane).
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 02, 2012, 02:35:37 am


O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) 2012 vai contar, na fase mais crítica (fase Charlie), com 44 meios áereos, 2.253 equipas de diferentes forças envolvidas,  1.987 viaturas e 9.327 elementos

entre os meios a incorporar no dispositivo, na fase Charlie, destacam-se 44 meios aéreos - 35 helicópteros médios e ligeiros para ataque inicial, 5 helicópteros pesados e 4 aviões médios anfíbios para ataque ampliado.

O Governo já autorizou uma verba até 36,5 milhões de euros, sem IVA, para a contratação dos meios aáreos

PS: Os bombeiros das equipas (ECIN)  compostas por voluntarios,  que fazem parte do Dispositivo Especial  de Combate a Incendios Florestais,  na fase Charlie tem que estar 24 horas por dia no quartel em alerta   e ganham 1.70€  (um euro e setenta centimos)  por hora.:N-icon-Axe:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 02, 2012, 04:36:02 pm
É agora que o pessoal vai ficar rico! :twisted:  :lol:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 02, 2012, 09:21:45 pm
Para quem quizer conhecer como funciona o dispositivo de combate a incendios.

fica  a Diretiva O]peracional para 2012 no link

http://www.prociv.pt/cnos/directivas/DON_2_DECIF_2012_www.pdf

vejam la se conseguem decorar e  contar o numero de tachos :mrgreen:

ps. obrigado pela correção gramatical
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Junho 19, 2012, 10:24:55 pm
“Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes ”  :roll:

Citar
15-06-2012     CELEBRAÇÃO DE PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO E A EMPRESA DE MEIOS AÉREOS - EMA, S.A.

No dia 14 de junho de 2012, decorreu no Estado-Maior do Exército a cerimónia de assinatura do protocolo entre o Exército Português e a Empresa de Meios Aéreos, S.A. (EMA-SA).

O protocolo agora assinado regula a cedência pelo Exército à EMA-SA, a título temporário, de até cinco dos seus pilotos qualificados em aeronaves do tipo KAMOV KA32A11BC, permitindo assim a operação dos referidos meios da EMA-SA no âmbito das missões, deslocações e destacamentos que lhes forem atribuídos, em território nacional ou no estrangeiro.

Na cerimónia, o Exército foi representado pelo Exmo Major-General Rui Manuel da Silva Rodrigues, Diretor-Coordenador do Estado-Maior do Exército, tendo a EMA-SA sido representada pelo Exmo Presidente do Conselho de Administração, Dr. Rogério Manuel Lucas Estrela Pinheiro, e pelo Vogal do Conselho da Administração, Professor Domingos Pereira de Sousa.

http://www.exercito.pt/Noticias/Paginas ... MA,SA.aspx (http://www.exercito.pt/Noticias/Paginas/CELEBRA%C3%87%C3%83ODEPROTOCOLOENTREOEX%C3%89RCITOEAEMPRESADEMEIOSA%C3%89REOS-EMA,SA.aspx)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Julho 02, 2012, 10:20:01 pm
Citar
O ministro da Defesa lamentou hoje que a participação da Força Aérea no combate a incêndios não tenha avançado ao fim de um ano e garantiu que irá "persistir" numa "gestão integrada das aeronaves do Estado".
Perante os oficiais que compõem o comando da Força Aérea e várias centenas de militares, nas cerimónias de comemoração do 60.º aniversário da Força Aérea Portuguesa, no Montijo, Aguiar-Branco disse que "quando se fazem balanços não se pode esconder os aspetos menos positivos" e considerou que "o Ministério devia uma palavra" ao ramo sobre o processo iniciado no ano passado para a sua participação no combate aos incêndios.
"Há um ano falei-vos do reforço da missão de serviço público da Força Aérea, nomeadamente no combate aos incêndios florestais, um ano depois isso ainda não se verificou. Há muitas justificações para isso, mas vou poupar-vos, nem quero desculpar-me, a verdade é que um ano depois continuamos com o mesmo sistema aéreo de combate aos incêndios", afirmou.
Já em declarações aos jornalistas, Aguiar-Branco referiu que "a Força Aérea desenvolveu todos os estudos necessários para que pudesse participar também nesse tipo de operações", mas "não foi possível até agora a conjugação com as outras instituições".
Questionado se existe "má vontade" entre os diversos intervenientes neste processo, o ministro da Defesa rejeitou esta visão, adiantando apenas que o impedimento para esta colaboração no combate aos incêndios se prende com motivos "logísticos e financeiros".
"Não é uma questão de má vontade, é uma questão de que as conjugações entre as diversas forças que devem operar nesse combate, neste momento, ainda não estão no ponto de permitir a participação da Força Aérea", disse.
No seu discurso, José Pedro Aguiar-Branco disse ser "persistente" e continuar "a acreditar numa gestão integrada das aeronaves do Estado, como se faz em vários países europeus".
"Acredito que, tal como se tem evoluído na NATO ou na União Europeia, seremos capazes de, também nós, dentro de portas, aprofundar o conceito de 'pool and sharing' e 'smart defense', tão discutido nas instâncias internacionais, sem olhar a preconceitos ou vaidades que tantos recursos têm consumido e tanta ineficiência têm gerado", declarou.
Num "desabafo" feito "mais para dentro do que para fora", Aguiar-Branco apelou depois a que todos olhem "além da rivalidade entre instituições, das vaidades, dos confortos e pequenos poderes".
"Temos que saber discutir recursos e competências, pensar em quem estamos a servir, no que é melhor para os outros e não apenas no que é melhor para nós", continuou.
Questionado pelos jornalistas sobre as condições inscritas no caderno de encargos para a reprivatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), já concluído, Aguiar-Branco não quis adiantar qualquer informação.
"Eu tinha dito que até ao final do mês de junho ficava concluído o trabalho de assessoria técnica e financeira, neste momento está a ser feita uma malha fina entre a instituição financeira, o ministério das Finanças e da Defesa e a breve trecho haverá a apresentação da resolução em Conselho de Ministros e aí será satisfeita a resposta à sua pergunta", disse.

dn.pt
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 09, 2012, 08:07:05 pm
Exército sai do quartel para ajudar nos incêndios

 A serra de Santa Luzia, em Viana do Castelo, tem os seus acessos controlados por militares do Exército que, até 28 de Setembro, poderão identificar e proibir a passagem, no âmbito de uma operação contra incêndios florestais
Só será permitido acesso às áreas «restritas» na Serra de Santa Luzia, em Viana do Castelo, aos proprietários de terrenos
 

:G-beer2:

Citar
Exército ajuda no combate aos incêndios

Militares do Exército estão a controlar, até 28 de setembro, os acessos à serra de Santa Luzia, em Viana do Castelo, a fim de prevenir incêndios florestais, informou, esta sexta-feira, a agência Lusa.

Segundo a informação avançada pelo comandante da Escola Prática de Serviços (EPS), responsável pela operação, «todos os acessos à serra estão controlados», nomeadamente o maciço central, «existindo informação visual e as devidas barreiras físicas».

Apenas será permitido o acesso às áreas «restritas» aos proprietários de terrenos, «nomeadamente nos dias de maior risco de incêndio», sendo os mesmos alertados para alguns tipos de comportamentos que têm de evitar.

«Sempre que as equipas de patrulhamento intercetam alguém dentro das áreas de acesso restrito, devidamente identificadas e balizadas pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, as pessoas são identificadas e a informação comunicada às entidades competentes», explicou o coronel Lopes Cardoso.

A informação de identificação recolhida pelos militares poderá depois ser utilizada pelas autoridades policiais na investigação de eventuais focos de origem criminosa que possam ser detetados.

«De uma forma geral, as pessoas reagiram bem ao pedido de identificação por parte dos militares, tendo sido poucas as situações em que as pessoas intercetadas tiveram reação de forma menos correta. Mas não se verificou qualquer incidente», esclarece Lopes Cardoso.

A identificação do acesso à serra está prevista nomeadamente em pontos das freguesias de Areosa, Carreço, Afife, Freixieiro de Soutelo, Perre e Meadela.(
 

O população agradece
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 09, 2012, 08:37:09 pm
Nada de novo mas felizmente já aparece como noticia.  :G-beer2:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 11, 2012, 12:02:17 am
Citação de: "PereiraMarques"
“Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes ”  :mrgreen:  

 O Exercito tem excelentes  pilotos  com formação no Kamov 32
não esquecer que os kamov nao fazem so incendios florestais e nesta epoca tem que haver reforço de meios humanos para garantir todas as missões




Abraço
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Igor em Julho 20, 2012, 05:09:35 pm
Num país em que anualmente é assolado por fogos florestais de grandes dimensões, como é que é possível que o DECIF 2012 não tenha meios aéreos de combate a incêndios pesados. Se considerarmos que meios aéreos pesados tem capacidades acima de 5000 litros, apenas possuímos os helicópteros kamov que possuem capacidades de carga próximas destes valores. Quando a maioria dos países do sul da Europa tem aviões do tipo canadair, aparelhos com provas das dadas nestes cenários de operações, Portugal tenta ser diferente dos restantes países tentando substituir os aviões pesados anfíbios por aviões air tractor, estes com custos menores de operação mas também com menor eficácia no combate às frentes de fogo. E quem está no terreno a combater as chamas  nota e de que maneira a diferença entre estes dois aparelhos no que diz respeito às descargas, afinal trata-se de cerca de 2000 litros por descarga de diferença.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Jorge Pereira em Julho 20, 2012, 06:10:46 pm
Não sou adepto de teorias da conspiração, mas a relação entre estas declarações de Alberto João Jardim sobre a existência de bombeiros a mais na Madeira, a 12 de Julho, e o que se passou e se está a passar nos últimos dias, dá que pensar...

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Julho 20, 2012, 06:50:21 pm
Como já disse, se quizessem justificar a compra dos Cougar em 2º mão ou Black hawks ou Chinooks :mrgreen: , toda a compra seria legitimada se esses helis no verão pudessem apagar fogos, e durante o resto do ano serviriam para as missões militares clássicas..

Até lá andamos com as batedeiras compradas pelo socras.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 20, 2012, 10:42:06 pm
Pouco interessa a aeronave a utilizar!
Assim que se acabe com o negócio dos fogos (leia-se o aluguer e venda de meios de combate a incêndios e outros equipamentos) não haverá uma tão grande necessidade de meios aéreos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Julho 20, 2012, 11:01:16 pm
Citação de: "Jorge Pereira"
Não sou adepto de teorias da conspiração, mas a relação entre estas declarações de Alberto João Jardim sobre a existência de bombeiros a mais na Madeira, a 12 de Julho, e o que se passou e se está a passar nos últimos dias, dá que pensar...

(http://img707.imageshack.us/img707/605/bomid.jpg)

Fonte: http://www.ine.pt (http://www.ine.pt)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 21, 2012, 10:28:01 am
Todos os anos a mesma Me***

Pessoas aos gritos com um baldinho de agua na mão,  e nao tem coragem  para pegar numa enchada e rapar a vegetação em volta da sua casa.
ardem casas porque as pessoas sao burras   e tem areia no cerebro  

Citar
Como forma de prevenção dos incêndios florestais, a limpeza de matos junto das habitações ou outras construções é obrigatória numa faixa de largura mínima de 100 metros.


 Todos os proprietários ou usufrutuários que detêm terrenos confiantes com edificações, tem que  cumprir as suas obrigações legais de limpeza dos terrenos, promovendo dessa forma a defesa das pessoas e dos seus bens e evitando o encargo de coimas elevadas – 140,00€ a 5.000,00€ para os particulares e 800,00€ a 60.000,00€ para empresas

Ja que a GNR esta nos fogos florestais, melhor  começasse a passar faturas a quem esta na estrada e gritar que não ha bombeiros e tem o mato a entrar pela porta dentro!

Enquanto as pessoas nao meterem isto na cabeça, nao ha Kamov´s, canadairs,  C130´s, boing´s 747 seja la o que for que apague  incendios florestais  é impossível  colocar um meios desses em cada esquina, ou um carro de bombeiros á porta de cada retardado mental que tem o mato emcostado á parede da sua casa a entrar-lhe pela porta dentro

A responsabilidade é de cada um

Eu sugeria aos GNR´s deste pais que em vez de andarem a esconder radares atraz de moitas  fizessem cumprir a lei;

Citar
Nos termos do disposto no Decreto-Lei  n.º 124/2006, de 28 de Junho os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos ocupados com floresta, matos, pastagens ou outras formações espontâneas, têm obrigatoriamente de proceder à limpeza de uma faixa de protecção, de largura mínima não inferior a 100 metros, para redução de risco de incêndio nos aglomerado populacionais (planta desta aldeia em anexo).

 

Nos termos do disposto no mesmo Decreto-Lei, é também obrigatório proceder à limpeza de uma faixa de 50 metros nos terrenos confinantes a edificações, designadamente habitações, estaleiros, armazéns, oficinas, fábricas ou outros equipamentos pelos os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham esses terrenos

 

A fiscalização do descrito no presente edital é realizada pela Guarda Nacional Republicana, pela Autoridade Nacional Florestal e pela Autoridade Nacional de Protecção Civil. O incumprimento destas imposições legais é passível de contra-ordenação punível com coima que pode ir dos € 140 (cento e quarenta euros) aos € 5.000 (cinco mil euros), no caso de pessoa singular, e de € 800 (oitocentos euros) a € 60.000 (sessenta mil euros), no caso de pessoas colectivas, conforme o disposto no n.º 1 do artigo 38.º do Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de Junho.

 

E assim tão dificil de entender isto?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 21, 2012, 11:14:27 am
Caro Jorge Pereira, neste momento as Corporações de bombeiros já estão a despedir bombeiros. Se houvesse alguma conspiração teriamos tanto fogo por este país que os aviões nem poderiam voar em Portugal.

Culpa destes fogos são vários:

- Seca profunda;
- Falta de limpeza da mata em Portugal (nós não temos floresta auto-sustentável);
- ...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 21, 2012, 02:00:31 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Caro Jorge Pereira, neste momento as Corporações de bombeiros já estão a despedir bombeiros. Se houvesse alguma conspiração teriamos tanto fogo por este país que os aviões nem poderiam voar em Portugal.

Culpa destes fogos são vários:

- Seca profunda;
- Falta de limpeza da mata em Portugal (nós não temos floresta auto-sustentável);
- ...

Ha tanta coisa que esta mal.......

A começar por quem comanda.

Agora virou moda nomear Coroneis e altas patentes militares na reforma  para Comandantes da proteçao civil.  
Nunca foram Bombeiros, nunca apagaram um incendio , nao conhecem o terreno, são uns palhaços que aparecem nos incendeos de farda militar( va-se la saber porquê)  e que descoordenam tudo, não sabem o que estão a fazer.  

Ontem em Tavira foi o que se viu;
O incendeo estava controlado o Sr Coronel  Jose Codeço  2º Comandante Operacional Nacional   desmobilizou   todos os meios  das frentes para um  "breefing"  ás 9 horas a noite,  :evil:  :mrgreen:

Os bombeiros andaram perdidos sem saber para onde ir, sem saber o que fazer, e sem poderem fazer nada ate novas ordens
Nesse periodo de tempo o incendio descontrolou-se e nunca mais o seguraram.........e ainda dura
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Julho 21, 2012, 04:58:09 pm
O Sr. Coronel tem que justificar o seu trabalho extraordinário se quer ganhar mais umas massas, é que nem dá para as despesas, deixem lá o homem trabalhar...  (irónico)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 21, 2012, 05:49:39 pm
É por isso é que eu continuo a dizer que brinca-se com às Protecções Civis cá em Portugal. Quando fui bombeiro o comandante da minha corporação tinha sido Praça na tropa, dúvido que tenha estudado muito (habilitações literárias), no entanto como comandante era dos mais operacionais que conheci, administrava instrução como poucos, sabia na ponta da língua tudo e mais alguma coisa relacionado com os bombeiros/equipamentos/procedimentos operacionais.

Se metem pessoas que não fazem menor idéia desta realidade, dá porcaria, obviamente!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Julho 21, 2012, 09:06:20 pm
Mas mais uma vez o problema é de quem está no terreno, não é do Governo ou das protecções civis que inventem. Façam uma desobediência efectiva total e vamos ver se esses elementos não caem todos... O problema é esse, não concordam com chefias e ficam com elas como se não houvesse uma solução.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 22, 2012, 11:55:28 am
Os Bombeiros Voluntários  não demobilizam todos porque esta-lhes no sangue que precisam de ajudar as populações

Ha bons comandantes nas coorporações que conhecem o terreno que pisam,   mas em casos como o de Tavira quem assume o comando são supriores a nivel Nacional, que muitas vezes nem querem ouvir o que os comandantes das coorporações  locais  tem para dizer,
mesmo a nível Distrital,   Há  muitos Comandantes operacionais distritais que se estão burrifando para os conhecimentos dos comandos das coorporações locais.

Citar

Ontem, às cinco da manhã, solicitei meios para junto destas habitações. Estavam bem colocados, havia um comandante que estava a colocar e a operacionalizar de uma forma que poderia proteger as habitações no terreno.

 Depois houve uma paragem para uma reunião, que teve de ser feita, obviamente, e essa paragem de uma hora foi crucial.

 Houve uma desmobilização de meios nesta zona mais para norte, para a serra. Depois, os operacionais que chegaram a essa zona e foram desmobilizados daqui receberam ordens para voltar cá. E tudo ardeu.

 Com hesitações, com reuniões no comando. No terreno, onde nós estivemos, onde sentimos as necessidades da população, encontrámos sim corporações de bombeiros sem saber o que fazer, sem indicações precisas daquilo que deveriam fazer.  


As declarações do  Coronel

Citar

“O briefing que nós fizemos foi cerca das 21 horas da noite de ontem e só tornámos a fazer outro às sete horas da manhã.
 Obviamente há que definir uma estratégia, depois há que executar a manobra tática e depois há que avaliar. Isto tudo demora tempo. Há que posicionar as forças no terreno. Só depois, mediante uma avaliação que foi feita hoje, já de madrugada, através de todos os comandantes de sector e não só com os comandantes desta frente, é que foi possível efetivamente ter a perceção do que se estava a passar”


Ele So se esquece que durante a hora que dura o briefing o fogo nao fivca a espera dele e os homens ficam sem saber o que fazer, pois ja ardeu tudo quando regressam à zona para onde foram destacados

Isto acontece porque quem defecto devia comandar no terreno deveriam ser os Comandantes das coorporações locais que não precisam de fazer briefings para  conhecer o terreno ou saber como se comporta o fogo naquela região,  e tem contacto priviligiado com as populações que ja tem experiencia de fogos na mesma zona.

ja perdi a conta em que com   mais uns metros de mangueira  fogo ficaria sub control  e chega ao TO um oficial superior que  desmobiliza tudo para fazer um briefing............. e nunca mais se segura o bicho.  :crit:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 24, 2012, 11:49:19 pm
(http://www.emgfa.pt/images/Full_g2svnw0jqdmb.jpg)
http://www.emgfa.pt/ (http://www.emgfa.pt/)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 25, 2012, 06:02:09 pm
Por acaso até tem a ver com a foto acima, estava eu à procura de informação sobre sapadores florestais quando encontro:
"SAPADORES DO EXÉRCITO PARA A DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS".
http://www.afn.min-agricultura.pt/porta ... dfci-geral (http://www.afn.min-agricultura.pt/portal/dudf/sf2012/sedfci/sedfci-geral)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 25, 2012, 07:37:26 pm
Fiz parte dessas equipas em 2007. Até tivemos formação com uns sapadores florestais chilenos.

Deram-nos um UMM que não aguentou 1 mês de patrulhas sendo substituído por uma Iveco que não passava nas ruas de alguns lugares que acabou sendo substituída por outro UMM, um rádio 425 (que é incompatível com as frequências dos bombeiros  :N-icon-Axe: ) mas que mais tarde alguém nos emprestou uns walkie talkies que já davam para apanhar as emissões das torres de vigia e semanas depois um radio Motorola para montar na viatura, e o equipamento de protecção chegou no ultimo mês...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 25, 2012, 09:45:27 pm
Citação de: "HSMW"
Fiz parte dessas equipas em 2007. Até tivemos formação com uns sapadores florestais chilenos.

Deram-nos um UMM que não aguentou 1 mês de patrulhas sendo substituído por uma Iveco que não passava nas ruas de alguns lugares que acabou sendo substituída por outro UMM, um rádio 425 (que é incompatível com as frequências dos bombeiros  :mrgreen: , infelizmente devem continuar com os UMM, Ivecos e coisas assim...  :(
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 25, 2012, 11:19:19 pm
Citação de: "Lightning"
Pois, talvez agora as coisas estejam melhores, pelo menos a nivel dos radios e do equipamento individual já esteja atribuido logo de inicio.
A nivel de viaturas talvez seja mais complicado... O idela seriam aquelas pick ups como tem o GIPS???

Eu já vi umas mitsubishi (penso que Strakar) do Exército, mas aquilo está muito bem estimado e atribuido ao Recrutamento, não me parece que as enfiem nas mãos dos sapadores que vão para os incêndios :(
Essas Mitsubishi L200 existem ao pontapé e em várias versão, infelizmente não é a viatura adequada. Tem de ser algo mais rústico.
Andei com uma destas durante uma semana e foi sem duvida o melhor:
(http://i279.photobucket.com/albums/kk144/HSMW/IMG/20ae97c4.jpg)
Cabine dupla, caixa de carga e depósito de agua.

Parece que o mais usado agora são as Iveco
(http://i279.photobucket.com/albums/kk144/HSMW/Infantaria/063e4ae2.jpg)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 26, 2012, 10:55:46 am
Esses Sapadores Chilenos eram muito bons, mesmo assim acho que uns quantos morreram cá por estas bandas.  Querem meter militares a fazer este tipo de serviço? Porreiro, agora dê-lhes é formação e equipamento à altura. Lembro-me de ir para o meu primeiro incêndio florestal sem qualquer formação e aquilo foi de doidos! Felizmente a restante equipa era tudo bombeiros muito calejados, e foi por isso que eu não fiz tão má figura. Imagino uma equipa formada por pessoas sem qualquer experiência... :?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Julho 27, 2012, 04:12:58 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Esses Sapadores Chilenos eram muito bons, mesmo assim acho que uns quantos morreram cá por estas bandas.  Querem meter militares a fazer este tipo de serviço? Porreiro, agora dê-lhes é formação e equipamento à altura. Lembro-me de ir para o meu primeiro incêndio florestal sem qualquer formação e aquilo foi de doidos! Felizmente a restante equipa era tudo bombeiros muito calejados, e foi por isso que eu não fiz tão má figura. Imagino uma equipa formada por pessoas sem qualquer experiência... :?

Uma coisa do tipo U.M.E ?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 27, 2012, 04:35:44 pm
A missão dos chilenos é a mesma dos Canarinhos pois são heli-transportados.
A nossa era só no solo a roçar mato para conter o fogo na fase inicial.
Mas a principal vantagem do Exército nestas patrulhas é a capacidade dissuasora.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 27, 2012, 05:55:26 pm
O meio de inserção é diferente, a metodologia de combate aos incêndios florestais é idêntica.

Typhonman a UME é uma unidade pesada que usa meios pesados iguais aos que os corpos de bombeiros usam no dia-a-dia no combate aos incêndios florestais. Já a GNR mandou os seus militares às Escola Nacional de Bombeiros fazer formação para actuarem fundamentalmente como os Canarinhos. Há sim uma grande diferença, é que os Canarinhos já são bombeiros calejados quando ingressam nessa força, já o pessoal do GIPS não tem qualquer experiência. Isso no final nota-se (e muito).
Basicamente o GIPS é uma duplicação da FEB (Canarinhos). Mas isso não é novo na GNR…
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 27, 2012, 10:26:46 pm
Desculpem o desabafo:

No incendeo de Tavira 25 bombeiros e 5 viaturas ficaram cercados pelas chamas ao tentar proteger habitaçoes. resultando numa viatura destruida 5 bombeiros feridos com queimadura ligeiras e 2 em estado grave com queimaduras em todo corpo,   depois de terem ficado sem agua
foram salvos por uma descarga de um helicoptero

O 2ª Comandante Nacional de Proteção civil  Comandante no terreno  deste TO afirmou aos jonalistas;

Citar
"não diria que os bombeiros ficaram encurralados, porque, se estivessem, não sairiam de lá   Foi uma saída menos má para estes operacionais  ".

Que pena que eu tenho que não fosse esta besta quadrada e ficar cercada.!!  para ele sentir na pele ..........

So mais uma:

Ao fim de 72 horas a combater o fogo em Tavira  A GRIF Alfa  grupo de reforço  a incendios florestais que tinha sido enviada  do Minho para o Algarve   foi enviada de madrugada,  SEM DESCANÇO    de novo para o  Norte do País  

sem comer.... sem tomar um banho..... sem dormir.........
 
Resultado:  despiste de uma  viatura dos Bombeiros de SantoTirso  na A2   2 feridos  

Estes HOMENS são voluntários,  arriscam  a vida,  deixam as suas familias  durante dias     e depois são tratados como lixo descartável
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 28, 2012, 12:29:01 am
Citação de: "chaimites"
Estes HOMENS são voluntários,  arriscam  a vida,  deixam as suas familias  durante dias     e depois são tratados como lixo descartável

Vi essa noticia na tv, realmente acho lamentável e desnecessário, qual seria o problema de os deixar ter uma noite de descanço e partir só no dia a seguir? Só se fizeram a viagem por vontade propria de regressar mais cedo...
Parece que a ANPC (ou quem manda nessa situação), falta sensibilidade para as necessidades humanas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 28, 2012, 12:43:50 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Basicamente o GIPS é uma duplicação da FEB (Canarinhos). Mas isso não é novo na GNR…

Não sei o que é que queres dizer com isso :twisted:

Não te estás a referir à Unidade de Controlo Costeiro que na prática é uma 2ª Policia Maritima, nem de forças da GNR serem enviadas para TOs internacionais para efectuar missões estilo Exército? Ou de um modo geral no pais a GNR é uma 2ª Policia.

Pelo que me parece a GNR é a carta joker do poder politico, de um modo geral o poder politico nunca quis dar muito poder a uma só instituição, por isso é que em Portugal há muitas capelinhas, quando uma das capelinhas falha, há outra que a pode substituir, e nesse aspecto tenho que dar o mérito há GNR, sempre que teve que substituir outras entidades (do que me apercebo) não falhou, fez o seu trabalho no Iraque como força militar, nos incendios faz o trabalho de GIPS...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 28, 2012, 11:04:15 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Basicamente o GIPS é uma duplicação da FEB (Canarinhos).


NAH!!!!  

Os Gips combatem incendios de pistola a cintura!!! :roll:
 


 Todos são uteis!!   e nunca são demais!!

  A criaçao dos GIPS e Canarinhos visa dar uma resposta mais rapida aos incendios florestais algo que só pode ser feito com forças profissionais o nivel de prontidao é de 2 minutos para as equipas terrestres  e 6 minutos  para o Helitransportados  em media o heli levanta voo 3 minutos depois do alerta.

O Ponto chave continua a ser a coordenaçao de todos estes meios  no terreno que continua a ser amadora!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 28, 2012, 02:57:29 pm
Meus senhores, enquanto as pessoas não perceberem que ser voluntário não é a mesma coisa que ser escravo, o país não evolui. E os problemas de coordenação que são tão patentes nos grandes incêndios (o mesmo não acontece nos pequenos quando são apenas um ou dois corpo de bombeiros no terreno), são provocados por pessoas que estão no topo da hierarquia, que deviam saber o que estão a fazer e muitas vezes não o sabem.

Volto a repetir, meter um militar que não tem qualquer experiência de Bombeiro, qualquer experiência no que é o funcionamento da Protecção Civil é uma estupidez. Isso só explica-se com compadrios que há nos lugares de topo, de forma a obter a posição X ou Y para determinado fulano. Andamos a brincar à Protecção Civil... :N-icon-Axe:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 30, 2012, 12:37:12 am
O que vou dizer possivelmente não tem interesse para a situação portuguesa, mas como é algo que não existe cá serve para cultura geral :lol: , podias ser bombeiro e pára-quedista ao mesmo tempo :wink: .
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 30, 2012, 09:03:25 am
Lightning    poe-te com ideias..... não va algum iluminado.... lembrar-se

Se reparares os Bombardeiros pesados começaram a ser utilizados nesses mesmo paises e ja ca andaram Beriev´s á experiencia a ver se colavam.

Mas ate era interessante  ver um C130 carregadinho de Canarinhos a descerem sobre o Gerês :D
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 30, 2012, 12:08:50 pm
E como eu sou um adepto incondicional dos Kamov´s aqui fica mais um video.

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: joao emilio em Julho 30, 2012, 04:22:49 pm
Olá caros amigos mais um ano e mais uma vez a falar dos incêndios florestais.
Efectivamente na ilha da madeira um dos grandes problemas dos últimos incêndios é a falta de meios humanos e materiais aliado á topografia e nenhuma vontade e respeito politico faz o resto enfim não á muito que comentar.
Já o problema do incêndio do Algarve e a respeito do comandante em questão algumas palavras.
Em nenhum teatro de operações seja de combate a incêndios ou militar é preciso desmobilizar para fazer reuniões para proceder ao ponto da situação e delinear estratégias e tácticas, isso cabe às altas chefias que depois transmitem sobre a forma de ordens operacionais aos chefes de companhia, grupo ou viatura.
Mesmo um incêndio estando completamente extinto e mesmo já com o rescaldo efectuado não fica sem vigilância um erro muito muito grande da estratégia de combate a incêndios em Portugal.
O que se passa é os seguinte e acho que já o disse aqui no fórum, os incêndios antes de serem grandes são pequenos começam com um fósforo a arder, os meios locais iniciam o ataque e não pedem ajuda em tempo útil, quando o decidem fazer fazem deslocar para o local X meios quando o incêndios para ceder já precisa do dobro ou triplo, esta reacção em cadeia vai evoluindo não existe um ataque musculado á nascença.
O maior problema de todos neste grande flagelo não é nem a falta de meios humanos, nem materiais terrestres e digo mesmo nem aéreos não soa muitos mas até chegam.
O problema é mesmo a coordenação ou melhor a desordenação de quem comanda, um bom comando é a chave para os nossos problemas, e isto não funciona porque simplesmente é tudo uma grande confusão, é polícias a fazer de bombeiros, é a criação de dezenas de grupos diferentes para combate a incêndios comandados por dezenas de instituições diferentes não existe comunicação, depois a formação é muito pouca, e dinheiro para manutenção zero.
Os tais coronéis e tenentes-coronéis em vez de serem nomeados para comandantes distritais deveriam sim ser destacados por quem de direito para dar formação aos comandantes de bombeiros, comandantes distritais e nacionais para saberem bem o que é cadeia de comando e hierarquia, para eles saberem bem o que soa ordens e disciplina, para saberem o que é comandar em vez de mandar.
Não existe muito mais o que dizer quando vejo a segundo comandante nacional de protecção civil dizer em praça pública a quando do simulacro nacional de sismo em Lisboa, que Portugal até está preparado para um sismo, quando na verdade sei como foi o simulacro e nem sequer as viaturas foram estacionar a onde estava estipulado, uma grande mentira descabida até porque no melhor pai do mundo ninguém está preparado para um evento desta natureza.
Cada macaco no seu galho, quando muito pelotões do exército, GNR, e outros parecidos eram realmente muito úteis a partir da fase de rescaldo, consolidar o rescaldo e acima de tudo vigilância isso sim, patrulhamento em áreas sensíveis como zonas protegidas, só a presença dum militar faz dissuadir qualquer eventual pirómano ou descuido.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 30, 2012, 08:01:50 pm
Concordo plenaqmente com o que dizes ,

mas,............. coordenação como?   a gente  nem radios em condições tem! as pilhas so duram 30 minutos!!!  depois é de telemovel  ou aos gritos para tentar falar com o radio do carro....................

Junto a tudo o que dissentes, que os GIPS da GNR seriam muito mais uteis se depois dos 90 minutos de ataque inicial  usassem seu poder para identificar e multar quem nao cumpre a lei,  se a lei fossem cumprida a floresta podia arder mas as habitaçoes estavam a salvo!

deves saber muito bem que por vezes se posicionam todos os meios exclusivsmente para defender as habitações que se não tivessem o mato e as silvas a "entrar pela porta dentro" estariam a salvo.

Abraço
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 30, 2012, 09:42:34 pm
Citação de: "chaimites"
Lightning    poe-te com ideias..... não va algum iluminado.... lembrar-se

Xiiii, que é que eu fui fazer... :N-icon-Axe: .

Citar
Mas ate era interessante  ver um C130 carregadinho de Canarinhos a descerem sobre o Gerês :D

Não sei se o Gerês é um bom sitio para largar um C-130 carregado seja do que for, era uns a cair nos rios, outros a ficar pendurados nos cabos eléctricos... :?:
Mas concordo que não há essa necessidade, o tamanho de Portugal e a existência de várias estradas e locais de onde os helicopteros podem operar poe de parte este tipo de operações, até parece que temos 1000km de floresta sem nada nem ninguém por perto que lá possa ir se deflagrar um incêndio como os paises que eu falei acima...

Acho que se fosse preciso mais capacidade de helitransporte para os Canarinhos/GIPS, um EH101 já devia chegar, e nem era preciso treino adicional (curso de pára-quedismo)... talvez saberem fast rope, já que é um helicoptero relativamente grande e poderia haver locais onde seria complicado aterrar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 31, 2012, 03:12:40 pm
Citação de: "Lightning"
O que vou dizer possivelmente não tem interesse para a situação portuguesa, mas como é algo que não existe cá serve para cultura geral :lol: , podias ser bombeiro e pára-quedista ao mesmo tempo :wink: .

Já conheço a existência desses senhores à mais de 10 anos, acho queli num livro no liceu. Para países como os que mencionaste, faz todo o sentido em ter uma espécie de Sapadores Florestais a serem transportados até ao incêndio dessa forma, mas para nós faz mais sentido equipas como os Canarinhos nos helicópteros. Como podes imaginar, o dinheiro que teriam que gastar para formar este pessoal seria proibitivo para Portugal.

Se fosse saltos com calotes hemisféricas estilo as que são usadas nos saltos militares, seria demasiado impreciso e causaria demasiadas lesões ao pessoal que iria saltar em todo o tipo de terreno. Se fosse saltos com calotes de tipo asa, aí era muito melhor para a precisão do salto, mas ao mesmo tempo custaria para aí 10 vezes mais a formar estes homens. Se os saltos são em automático ou manual tanto faz para algo semelhante, a grande diferença seria mesmo o tipo de calote. Não é à toa que há tão poucos SOGAs em Portugal.

Podem perguntar se há calotes hemisféricas mais precisas que as simples AZR. Há, mas mesmo assim...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 31, 2012, 08:54:04 pm
Por falar em fast rope ......este queria fazer fast rope ao contrario :mrgreen:  :mrgreen:



uma formação de futuros canarinhos

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Julho 31, 2012, 09:52:25 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "chaimites"
Lightning    poe-te com ideias..... não va algum iluminado.... lembrar-se

Xiiii, que é que eu fui fazer... :N-icon-Axe: .

.

A FEB força especial de bombeiros foi formada para combate a incendios florestais e ao longo do tempo foi ganhando outras valencias,

tem equipas resgate em montanha, equipas de recuperadores salvadores para salvamento em meio aquatico ja tem equipas de busca e salvamento em desastres naturais (estiveram no Haiti etc,    nunca se sabe....

Pena que todos os bombeiros  nao tenham o nivel de equipamento e treino destes profissionais, que tem tudo do que ha de melhor.

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 11, 2012, 02:01:49 am
:Soldado2:


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 02, 2012, 11:35:02 pm
Descarga de um Beriev.  :?
Estes nunca mais voltaram cá pois não?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Malagueta em Setembro 03, 2012, 01:27:01 pm
As chamas lavram em Ourém desde as 12h de domingo e o fogo, que consome mato e já fez uma vítima mortal, é o maior e o mais preocupante dos que estão em curso em território nacional.

Segundo a Lusa, a queda ocorreu em Espite e provocou dois feridos ligeiros. O Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém disse àquela agência que o heli-bombardeiro pesado Kamov caiu junto do parque de merendas de Espite e que fez dois feridos. “São feridos leves que, por precaução, foram encaminhados para o hospital mais próximo”, disse o comandante distrital de operações de socorro de Santarém, Joaquim Chambel, acrescentando que está a caminho do combate a este incêndio um helicóptero com as mesmas características.

O helicóptero que caiu era o único meio aéreo deslocado para este incêncio que está a ser combatido por 470 operacionais.

Nesta segunda-feira de manhã, o autarca Paulo Fonseca confirmou a existência de uma vítima mortal. Trata-se de um homem de 54 anos que morreu carbonizado quando estaria a tentar defender um aviário.

O secretário Estado da Administração Interna, Filipe Lobo D’Ávila, deverá chegar ao início da tarde desta segunda-feira ao local de operações de Ourém.

Notícia actualizada e corrigida às 12h41. Alterado o tipo de heli-bombardeiro de Canave para Kamov
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Setembro 03, 2012, 03:15:46 pm
o helicóptero caiu ou foi uma aterragem de emergencia?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Malagueta em Setembro 03, 2012, 03:28:53 pm
Boas miguelbud,

As TV e jornal falam todos em queda, e na existia de dois feridos em consequencia do mesmo.

A noticia da TSF:

" Um helicóptero pesado Kamov caiu, esta segunda-feira, durante o combate a um incêndio no concelho de Ourém. Os dois ocupantes deste aparelho ficaram ligeiramente feridos.
Um helibombardeiro pesado Kamov caiu, esta segunda-feira, durante o combate a um incêndio no concelho de Ourém, confirmou o Centro Nacional de Operações de Socorro.

Este acidente, que aconteceu na freguesia de Espite por volta das 11:15, na Lagoa de Vale de Figueiras, junto ao Parque de Merendas de Espite, causou ferimentos ligeiros nos dois ocupantes deste aparelho.

O helicóptero, que deveria abastecer nesta lagoa para continuar no combate ao incêndio, terá tido uma falha num dos motores, o que levou à queda do aparelho.

Os pilotos saíram do helicóptero pelos seus próprios meios, tendo rapidamente chegado ao local equipas de salvamento, dado que o 112 foi alertado de imediato "


PS: Aquilo esta muito mal para aqueles lados, já estão no terreno mais de 140 veículos, e já faleceu uma pessoa que tentava salvar um aviario. já arderam casas e uma fabrica e o fogo ainda não esta perto de ser controlado.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Setembro 03, 2012, 04:12:55 pm
Nesse caso parece-me que os pilotos tiveram muita sorte.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 04, 2012, 06:36:12 am
Boas!
 
Sem qualificação a carrada de asneiras que a agencia  lusa distribui pelos meios de comunicaçao social e estes repetem-nas tipo copy paste sem qualquer revisão!
 Não sabem do que estão a falar e depois dão notícias baseadas em nada!  palpites como se fossem verdades.  


"um helicoptero canave terá tido falha de 1 motor  e caiu"  :shock:  :N-icon-Axe:


 
O Kamov caiu, devido ao balde ter ficado  preso numa vedação que cercava o local de reabastecimento.  
A prisão do balde provoca efeito   "chicote"  atirando o heli ao chão.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 09, 2012, 02:30:41 am
vejam a partir do min 30 varios tornados de fogo nas costas do jornalista!   uma situação critica!!

pelo menos 2 bombeiros ficaram feridos neste local


http://www.rtp.pt/play/p34/e92036/telejornal
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 09, 2012, 01:58:20 pm
Apesar de por vezes ser contra este tipo de reportagens porque podem acabam por entrar no sensacionalismo e atrapalhar o trabalho dos bombeiros.
Mas neste caso conseguiram mostrar a brutalidade da frente de fogo e o que aqueles homens sofrem.  :G-beer2:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 09, 2012, 08:27:15 pm
Citação de: "HSMW"
Apesar de por vezes ser contra este tipo de reportagens porque podem acabam por entrar no sensacionalismo e atrapalhar o trabalho dos bombeiros.
Mas neste caso conseguiram mostrar a brutalidade da frente de fogo e o que aqueles homens sofrem. :G-beer2:

(http://img829.imageshack.us/img829/6292/tornadodefogo1.jpg)

Nenhum ser Humano "normal" quer estar perto daquilo!
o local errado á hora errada e é o fim.....................
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 11, 2012, 03:35:40 am
Bombeiro ferido com gravidade no incendeo de Arganil esta a recuperar e não tera sequaelas graves

durante o combate ao incendeo florestal em  Arganil dois bombeiros ficaram feridos  um intoxicado pelo fumo e o outro atingido com gravidade  por um pinheiro que partiu.

(http://img253.imageshack.us/img253/3377/phpthumbcaq4g513.jpg)

As imagens podem ser crueis ... mas...... estes homens merecem o nosso respeito e  são constantemente   desprezados, tratados como lixo,  mas na hora da verdade são eles que vão para a frente  e lutam  ate á exaustão!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 11, 2012, 05:37:07 pm
Citação de: "chaimites"
Bombeiro ferido com gravidade no incendeo de Arganil esta a recuperar e não tera sequaelas graves

durante o combate ao incendeo florestal em  Arganil dois bombeiros ficaram feridos  um intoxicado pelo fumo e o outro atingido com gravidade  por um pinheiro que partiu.

(http://img253.imageshack.us/img253/3377/phpthumbcaq4g513.jpg)

As imagens podem ser crueis ... mas...... estes homens merecem o nosso respeito e  são constantemente   desprezados, tratados como lixo,  mas na hora da verdade são eles que vão para a frente  e lutam  ate á exaustão!

Pois, mas só são lembrados em Agosto e Setembro.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 12, 2012, 02:37:33 pm
Desde o acidente na barragem da Aguiera, que nunca mais..
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2012, 12:09:20 pm
2 Bombeiros Mortos e 4 feridos,  dois em estado  gave em Incêndio perto de Arganil

Uma bombeira da corporação de Coja, morreu este sábado quando combatiam um incêndio que lavra junto à localidade de Barril de Alva, em Arganil, no distrito de Coimbra.

Há também registo de quatro feridos, dois em estado grave.

A bombeira não terá conseguido fugir quando as chamas cercaram a viatura de combate a incêndios onde se encontrava.

Um dos camaradas feridos morreu ja no hospital

Um terceiro bombeiro está internado em estado grave nos hospitais da Universidade de Coimbra com queimaduras na face e nos membros, após ter ficado ferido no mesmo incêndio, e está com «prognóstico reservado.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 22, 2012, 12:24:35 am
OS MILITARES & O COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS

Todos os anos muitos militares e meios das Forças Armadas são empregues no combate a incêndios florestais, nos termos do que a lei determina para este apoio. Raramente no entanto este contributo passa pelo conhecimento do público, pelas noticias das 20H00!

(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2012/10/combate-a-incendios.jpg)

http://www.operacional.pt/os-militares- ... lorestais/ (http://www.operacional.pt/os-militares-o-combate-a-incendios-florestais/)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Dezembro 26, 2012, 07:37:34 am
Para nao se lembrarem deles apenas durante o verão
um video, com um trabalho fantástico, de um grande piloto

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Fevereiro 05, 2013, 09:32:04 pm
Citar
A três meses do início da época de incêndios não há novos helicópteros
Concurso para contratação de helicópteros a cinco anos abriu no Verão. A três meses da época dos fogos não há meios nem empresa vencedora.



A pouco mais de três meses do começo da época de fogos, a Empresa de Meios Aéreos (EMA) – tutelada pelo Ministério da Administração Interna (MAI) – ainda não escolheu a empresa vencedora do concurso lançado no Verão para contratação dos helicópteros destinados ao combate a incêndios. O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) deve arrancar a 15 de Maio, mas não há meios aéreos, nem empresa contratada, apesar de o júri da EMA se ter decidido, em Novembro, pela adjudicação a uma de duas propostas apresentadas a concurso público – cujo critério de selecção é o preço.

As propostas partiram da Everjets – uma empresa com dois anos de existência ligada ao grupo Ricon e sedeada em Braga – e de um consórcio constituído por quatro empresas veteranas na disponibilização de meios aéreos ao Estado: a Heliportugal, a Inaer, a Helibravo e a HTA Helicópteros. Em Novembro, o júri anunciou que as duas candidaturas tinham sido aceites e atribuiu a vitória à Everjets, que apresentou uma proposta 1,4 milhões de euros mais baixa que a sua concorrente. Desde então, e passados dois meses, o júri continua sem publicar o relatório final da adjudicação. Pelo meio, as duas empresas têm-se envolvido numa verdadeira batalha judicial e numa troca de acusações: a Everjets acusa o consórcio de, após ter perdido o concurso, pressionar empresas estrangeiras com quem tencionava negociar e o consórcio acusa a Everjets de ter apresentando a concurso manuais de voo falsos. Ontem, a EMA e o MAI confirmaram ao i que o júri ainda não se pronunciou sobre a adjudicação.

O concurso público não foi pacífico desde o começo. Em Setembro, dois meses depois de ter sido lançado, a Everjets interpôs uma providência cautelar, alegando que estariam a ser violadas regras da concorrência no caderno de encargos do procedimento concursal. Algumas das normas chegaram a ser corrigidas pouco tempo depois e nessa altura, a EMA admitia que o concurso poderia já estar atrasado. O director operacional da Everjets, José Pereira, alegava que havia normas no caderno de encargos que violavam a livre concorrência, nomeadamente o facto de serem pedidas as matrículas dos helicópteros. A Everjets argumentava que esse facto impedia que empresas que não detivessem meios aéreos próprios, e tivessem de os contratualizar, concorressem.

O tribunal viria a dar razão à empresa, determinando a anulação das normas do concurso, mas ordenando que este continuasse. O conflito não ficou por aqui. A Everjets garante que o consórcio adversário terá exercido “pressões” sobre empresas com quem tencionava contratualizar os meios aéreos pedidos pela EMA: “Tivemos conhecimento de que houve pressões e encaminhámos provas desses comportamentos para a EMA”, garante ao i o director operacional da Everjets, José Pereira. Num requerimento enviado à EMA, datado de 28 de Novembro e a que o i teve acesso, a Everjets queixa-se, por exemplo, de que João Bravo, dono de uma das empresas do consórcio, terá escrito emails a pelo menos duas firmas estrangeiras, acusando a Everjets de “falsificar assinaturas e manuais de voo”. “Tem havido de tudo um pouco, desde contactos pessoais e telefónicos a emails de tom ameaçador dirigidos a vários proprietários de aeronaves referindo uma suposta actuação fraudulenta da Everjets no âmbito do presente concurso”, lê-se no documento.

Contactado pelo i, João Bravo encaminhou o assunto para o advogado do consórcio. Nuno Pinto Coelho garante que nunca teve conhecimento de “qualquer troca de emails” e acusa a Everjets de “ter apresentado a concurso manuais de voo sem que as empresas proprietárias tivessem conhecimento desse facto”. Ou seja, a Everjets levaria a concurso aeronaves sem as ter contratualizado primeiro com os respectivos donos. José Pereira defende-se e explica que a empresa não contratou directamente os helicópteros, tendo-o feito através de empresas subcontratadas e queixa-se de que a EMA “nunca respondeu” às denúncias das pressões que lhe foram encaminhadas.

Guerras à parte, a cerca de três meses do arranque do combate a incêndios, o júri da EMA ainda não se pronunciou definitivamente. “Se tudo tivesse corrido normalmente, o concurso teria ficado concluído em Outubro”, diz o responsável da Everjets, que critica a demora: “A partir do momento em que o tribunal anulou as normas do concurso, o único critério a ter em conta é o preço e a Everjets apresentou a proposta mais baixa. Não se compreende porque é que o júri pode demorar dois meses a finalizar a decisão”. Apesar do atraso, a empresa garante que ainda é possível montar o dispositivo para a época de fogos. “Mas começa a ser complicado, porque é preciso trazer as aeronaves, tratar de certificações, contratar tripulações e trabalhar com os centros de meios aéreos onde os helicópteros vão ficar”, admite. Nuno Pinto Coelho concorda que o processo está “atrasado” e admite que o dispositivo de combate aos incêndios pode ser “seriamente afectado”. “Porque a estrutura não está garantida: em Fevereiro, todas as máquinas têm de estar contratadas e garantidas”, justifica.

Para agravar o caso, em Setembro, numa resolução fundamentada da EMA e do INEM, a própria Empresa de Meios Aéreos admitiu que atrasar o concurso “colocaria em causa o processo de extinção da EMA até ao final de 2012”, prolongando no tempo “as elevadas despesas associadas ao esquema actual de operação e locação de meios aéreos”. E um eventual atraso poderia resultar, segundo a EMA, numa adjudicação directa – para não comprometer o combate aos fogos –, o que implicaria um aumento dos custos com o dispositivo em “cerca de mais 20%” do valor previsto. Contas feitas, o atraso poderá implicar um gasto de mais 26 milhões de euros para o Estado. A EMA e o ministério optaram por não responder às questões enviadas pelo i, alegando que o júri do concurso ainda não tomou uma decisão.

http://www.ionline.pt/portugal/guerra-e ... -aos-fogos (http://www.ionline.pt/portugal/guerra-entre-empresas-concorrentes-atrasa-combate-aos-fogos)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 23, 2013, 02:39:46 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 08, 2013, 12:53:28 pm
(http://3.bp.blogspot.com/-uNG4W008y4E/UbH_J3W_6MI/AAAAAAAAK4I/6iXQMz83oaE/s640/9689.jpg)

 :arrow: http://defesanacionalpt.blogspot.pt/201 ... sobre.html (http://defesanacionalpt.blogspot.pt/2013/06/exposicao-fotografica-um-olhar-sobre.html)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 28, 2013, 06:02:42 pm
Questão pertinente, li recentemente sobre este assunto num jornal, não estou a dizer que as pessoas devem concordar com o que está escrito na petição, apenas proponho a discussão sobre o assunto.

Citar
É amplo o consenso sobre o desequilíbrio existente na repartição dos recursos disponíveis em Portugal para o combate e para a prevenção de incêndios.

As evidências acumuladas de várias décadas mostram também que o actual modelo e filosofia de combate aos fogos florestais se centra excessivamente na protecção civil descurando a protecção florestal.

Os abaixo assinados pretendem que a Assembleia da República lance um debate público sobre:

1) A criação de corpo de bombeiros florestais profissionais, reunindo e desenvolvendo competências actualmente dispersas (nomeadamente na Força Especial de Bombeiros, nos sapadores florestais, nos GIPS e nos GAUF). Este corpo será progressivamente expandido, ao mesmo tempo que as corporações de bombeiros voluntários progressivamente se dedicarão a tarefas estritas de protecção civil, aumentando assim a eficácia e diminuindo a relação custo-benefício do combate aos incêndios florestais.
2) A criação de um programa de gestão estratégica de combustíveis com o objectivo (a médio prazo) de tratar anualmente cerca de 5 a 10% do espaço florestal, fortemente ancorado neste corpo de bombeiros florestais;
3) A transferência progressiva das verbas actualmente alocadas ao combate (até 50% do total) para este programa de gestão estratégica de combustíveis, no qual deve ser integrado o corpo de bombeiros florestais, articulando-os com os meios das empresas de produção florestal e as actividades económicas não florestais que fazem uma gestão eficaz do combustível, em especial a pastorícia;
4) Essa articulação pode incluir a atribuição das verbas a agentes económicos que contribuam para os objectivos do programa de gestão de combustível desde que precedida de um processo concursal público e aberto, tendo como principal critério de atribuição de verbas a relação custo benefício na gestão de combustíveis e culminando em contratos de gestão com pagamentos em função de objectivos atingidos na gestão de combustíveis.

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70639 (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70639)

Outro caso que descobri recentemente são as equipas de sapadores florestais "privadas", neste caso são pagas por empresas de celulose.
http://www.afocelca.com (http://www.afocelca.com)


Então bombeiros (sapadores) florestais, voluntários, profissionais, do estado, privados? Sim, Não, Uma mistura das várias hipóteses...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 28, 2013, 11:17:52 pm
Discordo dessa petição provavelmente quem a fez é bombeiro ou está ligado à área, foca-se demasiado no tratamento da causa. O problema dos incêndios é fácil de perceber, ninguém o quer é tratar de vez.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Agosto 29, 2013, 12:30:57 am
Citação de: "Camuflage"
Discordo dessa petição provavelmente quem a fez é bombeiro ou está ligado à área, foca-se demasiado no tratamento da causa. O problema dos incêndios é fácil de perceber, ninguém o quer é tratar de vez.


qual é ?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Agosto 29, 2013, 01:52:59 am
De facto isso só vem mesmo é criar mais uma instituição. É mesmo excelente, passamos a ter a tasca do Manel, a tasca do Zé, a tasca do Joaquim, a tasca do António e agora a tasca do Anacleto.

Seria bom passarmos a ter bombeiros voluntários e profissionais, mas para isso é preciso acabar com as outras quintas que andam para aí antes de mais. Já agora seria boa ideia por uma vez por todas tirar os bombeiros do comando do exército. Quero lá saber se eles são uma força paramilitar ou não.

Isso também de eventualmente dar contratos gordos a empresas privadas para andarem a combater incêndios florestais com o país que temos é para dar m*rda. Vai acabar de acontecer o mesmo que aconteceu com os meios aéreos, anos e anos de políticos a sabotarem os meios existentes para darem contratos aos amigos e cortes a torto e direitos nos bombeiros e na protecção civil.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 29, 2013, 08:47:32 pm
Citação de: "typhonman"
Citação de: "Camuflage"
Discordo dessa petição provavelmente quem a fez é bombeiro ou está ligado à área, foca-se demasiado no tratamento da causa. O problema dos incêndios é fácil de perceber, ninguém o quer é tratar de vez.


qual é ?

1º fazer um estudo, nunca houve na área que determine causas e investigue essa pratica oculta de fogos que aparecem no meio do nada de madrugada.
2º Alterar a lei e considerar acto de eco-terrorismo os fogos florestais, dessa forma ganha primazia a investigação judicial de fogos bem como apertar com os detidos. Actualmente assume-se que todos os detidos em flagrante são coitadinhos, alcoólicos, desesperados ou doentes, e os fogos persistem é preciso apertar com essa gente e punir severamente.
3º Só quando se elevar para acto de terrorismo é que o SIS irá passar a reunir informações da área e acredito que haja muita gente implicada
4º Reflorestar as zonas ardidas com arvoredo não resinoso e combater os pinhais e eucaliptais.

Eu acredito que há muita gente degenerada a ser paga para atear fogos, como acredito nos famosos helis ou avionetas que deitam itens no meio das serras. Aeronaves que estarão certamente ligadas a elementos de vários lobbies: industria madeireira, comercio de material de bombeiros, bombeiros, empresas de meios aéreos, entre possíveis outras implicadas.

Contudo não vejo investigação, estudo, nem sequer investigação jornalística, parece a distracção sazonal, sempre que entramos na silly seasson os jornalistas viram-se para os fogos florestais. Regressa a politica em Setembro e tudo é esquecido.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 29, 2013, 09:08:42 pm
Mudem toda a estrutura, todo o planeamento, coloquem profissionais, amadores voluntários.tudo o que quiserem!
gastem os milhões que quiserem em aviões, helicópteros, carros de combate etc etc
 
 A floresta é combustível, garanto-vos que vai continuar a arder!
  A única forma de contornar e minimizar o problema é retirar o combustível em excesso das florestas!
  resumindo:  limpar e construir acessos,  tão simples como isso
 
  Enquanto não se fizer isso o drama vai continuar e cada vez pior!
  infelizmente as mortes não vão ficar por aqui
  A floresta ano após  ano esta cada vez pior.
 
 Hoje morreu mais uma bombeira de Carregal do Sal   e mais tres feridos graves.
   
Ha uma semana atraz foi assim:
peço desculpa pela violência das imagens
 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 29, 2013, 09:55:17 pm
Limpar matas é um mito, quando muito bermas e manter acessos, de resto começas a limpar uma ponta hoje, quando acabares já tem tudo mato. O mato vai sempre existir, o problema é mesmo a mão humana.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 29, 2013, 10:13:25 pm
Caro camuflage
 claro que nao se vai varrer a floresta
Eu falava de:
linhas de retenção,  corta fogos,  acessos limpos, interface urbana/ florestal limpa!
 tou a fazer-me entender?  ninguem vai cortar o mato todo de Portugal.
ter um caminho florestal com 3 metros de largura rodeado de mato e giestas com a mesma altura é pior que não ter nada!  
 é um convite do fogo a devorar-nos a carne!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Agosto 30, 2013, 12:37:58 am
Não há uma única solução para este problema:
É necessário reestruturar toda a organização dos bombeiros: especialmente combater a incompetência de alguns comandantes.
É necessário investir mais nos equipamentos dos bombeiros.
É necessário equipar a Força Aérea para esta poder realmente ajudar no combate aos incêndios (mais pilotos, aeronaves de combate aos incêndios e novos helicópteros ligeiros em número suficiente para poderem ser também utilizados na época dos incêndios).
É necessário repensar a forma como o Exército está a ser empregue (devia principalmente prestar apoio logístico aos bombeiros e segurança nas zonas onde costumam magicamente começar incêndios).
É necessário fora da época dos fogos colocar pessoal no terreno (seja Protecção Civil, Exército ou outra instituição) a criar e limpar acessos e linhas de retenção (o que o chaimites referiu).
É necessário alterar as leis (algo mais que o Camuflage referiu) para tratar de vez dos incendiários que volta e meia na próxima época de incêndios já estão soltos e também verificar as ligações que há.

Peço desculpa, olhando para isto e para outras coisas que já sugeriram, de facto há uma solução para resolver de vez os fogos florestais em Portugal: acabar com a corrupção e colocar no poder alguém que de facto queira fazer alguma coisa para melhorar o país. O problema comum aqui são os políticos que temos tido até aqui e os amigos deles.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 30, 2013, 06:58:20 pm
Citação de: "chaimites"
Caro camuflage
 claro que nao se vai varrer a floresta
Eu falava de:
linhas de retenção,  corta fogos,  acessos limpos, interface urbana/ florestal limpa!
 tou a fazer-me entender?  ninguem vai cortar o mato todo de Portugal.
ter um caminho florestal com 3 metros de largura rodeado de mato e giestas com a mesma altura é pior que não ter nada!  
 é um convite do fogo a devorar-nos a carne!

Sim nisso concordo, mas há muita gente e mesmo na imprensa criaram a ideia de quem só limpando as matas é que se resolve o problema, quando na pratica isso é impossivel.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 30, 2013, 11:12:20 pm
vejam o exemplo da Califórnia
provavelmente nenhum estado tem tantos meios pesados de combate a incêndios florestais e no entanto  morrem mais do que cá.
 Não há nada que pare um incêndio descontrolado.  ele só para quando não ha mais combustível.
Ou porque encontra um  corta fogos,barreira natural ou construida,   ou porque não tem mais floresta para queimar.

 Não vou entrar no debate que diz respeito as panelinhas da cadeia de comando porque isso tinha história para contar ate amanha de manha
mas isto e como na guerra, quando o pelotão é desfeito e não tem comando na frente de combate  é cada um por si!
 E isso  acontece vezes de mais......................
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 31, 2013, 02:24:18 pm
Citação de: "Get_It"

 Já agora seria boa ideia por uma vez por todas tirar os bombeiros do comando do exército. Quero lá saber se eles são uma força paramilitar ou não.


Cumprimentos,


Pode haver por ai muitos Coroneis  e  altas patentes militares na reforma nos CDOS  e proteção  civil, e  no comando  de corporações de bombeiros, mas os bombeiros ainda não estão sob comando do exercito,
penso eu de que  :|
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Agosto 31, 2013, 03:19:22 pm
Citação de: "chaimites"
Pode haver por ai muitos Coroneis  e  altas patentes militares na reforma nos CDOS  e proteção  civil, e  no comando  de corporações de bombeiros, mas os bombeiros ainda não estão sob comando do exercito,
penso eu de que  :|
Agora também falhei completamente ao tentar pesquisar mais sobre esse assunto. O que acontece é que já me foi dito por mais que um bombeiro e membros da protecção civil, que embora não directamente sobre o comando do Exército, eles acabam por estar sob a alçada do Exército quanto à sua hierarquia.

Entretanto relativamente aos bombeiros voluntários/profissionais, já em 2005 tínhamos opiniões como estas:
Citar
Saltando à vista a dependência do voluntariado, quando chega o período de Verão são constituídos os grupos de primeira intervenção (GPI), pagos e com um tempo de vida limitado à chamada época de fogos (ver página seguinte). A Liga dos Bombeiros Portugueses defende que é uma solução de recurso que deveria dar lugar, gradualmente, a estruturas pagas permanentes. "Ganharíamos em eficácia e teríamos uma estrutura preparada para todas as vertentes do socorro, estabilizando a resposta operacional conjunta", salienta Duarte Caldeira, presidente da Liga.
Fonte: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=508022&page=-1

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Agosto 31, 2013, 06:05:17 pm
O Get_it tem de facto razão no que diz, os incendios são resultado basicamente da corrupção. Há sempre alguém interessado em que a floresta arda, ou são os madeireiros porque a madeira ardida é muito mais barata que a não ardida e pode-se aproveitar na mesma. Ou são as empresas privadas de meios aereos que interessa que vá havendo fogos para eles assinarem mais contratos. Ou os pastores para criar pastos para os animais.

Como é de esperar muitos destes interesses têm as suas influências no poder político que mantem tudo como está para beneficiar sempre os mesmos.

E depois realmente não se entende como ainda não se pôs o exercito a patrulhar as matas e florestas durante 15 de Junho a 15 de Setembro. Não há melhor prevenção para os fogos do que os incendiários saberem que há sempre alguém na floresta e que os poderia apanhar em flagrante. Para além do alerta muito mais rapido que poderia ser dado havendo sempre homens no terreno. Por militares do exercito a fazer patrulhas apeadas nas florestas saia practicamente de borla ao estado.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 31, 2013, 07:21:03 pm
Citação de: "Edu"
O Get_it tem de facto razão no que diz, os incendios são resultado basicamente da corrupção. Há sempre alguém interessado em que a floresta arda, ou são os madeireiros porque a madeira ardida é muito mais barata que a não ardida e pode-se aproveitar na mesma. Ou são as empresas privadas de meios aereos que interessa que vá havendo fogos para eles assinarem mais contratos. Ou os pastores para criar pastos para os animais.

Como é de esperar muitos destes interesses têm as suas influências no poder político que mantem tudo como está para beneficiar sempre os mesmos.
E também vinganças, partilhas de terrenos e heranças, caçadores para espantar os animais dos ninhos e das tocas, putos a brincar com o fogo... Há de tudo.

Citar
E depois realmente não se entende como ainda não se pôs o exercito a patrulhar as matas e florestas durante 15 de Junho a 15 de Setembro. Não há melhor prevenção para os fogos do que os incendiários saberem que há sempre alguém na floresta e que os poderia apanhar em flagrante. Para além do alerta muito mais rapido que poderia ser dado havendo sempre homens no terreno. Por militares do exercito a fazer patrulhas apeadas nas florestas saia practicamente de borla ao estado.
Eu não percebo é como é que não se divulga mais as patrulhas feitas por todo o país, apeadas, motorizadas ou a cavalo, inseridas no plano Vulcano pelo menos desde 2005.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Agosto 31, 2013, 07:37:17 pm
os voluntários davam conta do assunto se fossem mais apoiados. em termos de equipamento.
é so ver a diferença do que o ministerio  oferece a uns e a outros.
por exemplo os GIPS da GNR , são e muito bem, o expoente maximo no que diz respeito a equipamento EPI, antes de enviar os homens para a frente eles cuidam de os  proteger

Ao contrario, os novos fardamentos que as corporações de voluntários receberam no inicio deste ano..........................
As p***** das botas de 48 Euros derretem com o calor !  dezenas de bombeiros com os pés queimados.
As botas dos GIPS custam 180 euros, os voluntários, que as quiserem pagam do bolso deles!

 (http://img801.imageshack.us/img801/6367/3a0o.jpg)
 mas estes homens não desistem e avançam sobre o fogo nem que seja em mangas de camisa.
.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Agosto 31, 2013, 10:54:23 pm
Citação de: "HSMW"
Citação de: "Edu"
O Get_it tem de facto razão no que diz, os incendios são resultado basicamente da corrupção. Há sempre alguém interessado em que a floresta arda, ou são os madeireiros porque a madeira ardida é muito mais barata que a não ardida e pode-se aproveitar na mesma. Ou são as empresas privadas de meios aereos que interessa que vá havendo fogos para eles assinarem mais contratos. Ou os pastores para criar pastos para os animais.

Como é de esperar muitos destes interesses têm as suas influências no poder político que mantem tudo como está para beneficiar sempre os mesmos.
E também vinganças, partilhas de terrenos e heranças, caçadores para espantar os animais dos ninhos e das tocas, putos a brincar com o fogo... Há de tudo.

Citar
E depois realmente não se entende como ainda não se pôs o exercito a patrulhar as matas e florestas durante 15 de Junho a 15 de Setembro. Não há melhor prevenção para os fogos do que os incendiários saberem que há sempre alguém na floresta e que os poderia apanhar em flagrante. Para além do alerta muito mais rapido que poderia ser dado havendo sempre homens no terreno. Por militares do exercito a fazer patrulhas apeadas nas florestas saia practicamente de borla ao estado.
Eu não percebo é como é que não se divulga mais as patrulhas feitas por todo o país, apeadas, motorizadas ou a cavalo, inseridas no plano Vulcano pelo menos desde 2005.

Pelo que pude ler em 2011 o plano Vulcano não foi cumprido: http://www.bombeirosdeportugal.pt/images/edicaopapel/2011/01_Setembro_2011.pdf.
E duvido muito que este ano tenha sido.

Por outro lado na região onde resido existe uma extensa area florestal que arde todos os anos, na qual inclusivamente este ano morreu um bombeiros, e nunca por aqui se viu qualquer militar fazer uma patrulha que seja.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 01, 2013, 12:30:37 am
Citar
Incendiário do Caramulo ateou fogos para se vingar da GNR
PJ detém jovem de 20 anos que tinha sido multado. Incêndio matou dois bombeiros


A Polícia Judiciária deteve hoje um homem de 20 anos «fortemente suspeito» de ter ateado um incêndio florestal «de grandes dimensões» na serra do Caramulo, distrito de Viseu, e no qual «morreram dois bombeiros».

Fonte oficial da Polícia Judiciária (PJ) disse à agência Lusa que o «suspeito, agindo em colaboração com um outro indivíduo, este emigrante e atualmente no estrangeiro, ateou vários focos de incêndio na Serra do Caramulo, nos concelhos de Vouzela e Tondela, no dia 20 de agosto, que se transformaram num fogo de grandes dimensões e em cujo combate perderam a vida dois bombeiros».
A mesma fonte disse à agência Lusa que o suspeito, de 20 anos e desempregado, terá agido por vingança, depois de lhe ter sido aplicada uma multa pela GNR.
«A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Aveiro e da Diretoria do Centro, com a colaboração do Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Viseu de Santa Comba Dão, identificou e deteve um homem fortemente suspeito de um crime de incêndio florestal», disse a mesma fonte.
Será presente no sábado à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.
A PJ já deteve este ano 52 pessoas pela eventual prática do crime de incêndio florestal.
Trinta destes detidos estão em prisão preventiva.
Dois incêndios de grandes dimensões destruíram a Serra do Caramulo nos últimos dias.
O último destes grandes focos foi dominado hoje, às 19:09.
Apesar de estar dominado, a Autoridade Nacional da Proteção Civil, através da sua página na internet, mantém a informação de que estavam no no terreno mais de 800 operacionais e mais de 200 veículos.

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/multa ... -4071.html (http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/multa-ultimas-noticias-incendiario-pj-tvi24-caramulo/1484901-4071.html)

E como se pode ler em outras noticias na mesma página, a juntar ao leque de incendiários, os alcoólicos e os pastores.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 01, 2013, 11:28:24 pm
(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/1236987_622463694451287_621584684_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/q71/1236593_622445837786406_323592206_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/999134_647656408591996_863626949_n.jpg)
 :arrow: http://desporto.pt.msn.com/militares-aj ... lo#image=1 (http://desporto.pt.msn.com/militares-ajudam-os-bombeiros-nas-opera%C3%A7%C3%B5es-de-rescaldo-de-um-inc%C3%AAndio-na-serra-do-caramulo#image=1)
Regimento de manutenção
Serra do Caramulo
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Setembro 01, 2013, 11:33:39 pm
A Industria dos incêndios Por José Gomes Ferreira

Citar
A Industria dos incêndios Por José Gomes Ferreira

A evidência salta aos olhos: o país está a arder porque alguém quer que ele arda. Ou melhor, porque muita gente quer que ele arda. Há uma verdadeira indústria dos incêndios em Portugal. Há muita gente a beneficiar, directa ou indirectamente, da terra queimada.

Oficialmente, continua a correr a versão de que não há motivações económicas para a maioria dos incêndios. Oficialmente continua a ser dito que as ocorrências se devem a negligência ou ao simples prazer de ver o fogo. A maioria dos incendiários seriam pessoas mentalmente diminuídas.

Mas a tragédia não acontece por acaso. Vejamos:

1 – Porque é que o combate aéreo aos incêndios em Portugal é TOTALMENTE concessionado a empresas privadas, ao contrário do que acontece noutros países europeus da orla mediterrânica?

Porque é que os testemunhos populares sobre o início de incêndios em várias frentes imediatamente após a passagem de aeronaves continuam sem investigação após tantos anos de ocorrências?

Porque é que o Estado tem 700 milhões de euros para comprar dois submarinos e não tem metade dessa verba para comprar uma dúzia de aviões Cannadair?

Porque é que há pilotos da Força Aérea formados para combater incêndios e que passam o Verão desocupados nos quartéis?

Porque é que as Forças Armadas encomendaram novos helicópteros sem estarem adaptados ao combate a incêndios? Pode o país dar-se a esse luxo?

2 – A maior parte da madeira usada pelas celuloses para produzir pasta de papel pode ser utilizada após a passagem do fogo sem grandes perdas de qualidade. No entanto, os madeireiros pagam um terço do valor aos produtores florestais. Quem ganha com o negócio? Há poucas semanas foi detido mais um madeireiro intermediário na Zona Centro, por suspeita de fogo posto. Estranhamente, as autoridades continuam a dizer que não há motivações económicas nos incêndios…

3 – Se as autoridades não conhecem casos, muitos jornalistas deste país, sobretudo os que se especializaram na área do ambiente, podem indicar terrenos onde se registaram incêndios há poucos anos e que já estão urbanizados ou em vias de o ser, contra o que diz a lei.

4 – À redacção da SIC e de outros órgãos de informação chegaram cartas e telefonemas anónimos do seguinte teor: “enquanto houver reservas de caça associativa e turística em Portugal, o país vai continuar a arder”. Uma clara vingança de quem não quer pagar para caçar nestes espaços e pretende o regresso ao regime livre.

5 – Infelizmente, no Norte e Centro do país ainda continua a haver incêndios provocados para que nas primeiras chuvas os rebentos da vegetação sejam mais tenros e atractivos para os rebanhos. Os comandantes de bombeiros destas zonas conhecem bem esta realidade.

Há cerca de um ano e meio, o então ministro da Agricultura quis fazer um acordo com as direcções das três televisões generalistas em Portugal, no sentido de ser evitada a transmissão de muitas imagens de incêndios durante o Verão. O argumento era que, quanto mais fogo viam no ecrã, mais os incendiários se sentiam motivados a praticar o crime…

Participei nessa reunião. Claro que o acordo não foi aceite, mas pessoalmente senti-me indignado. Como era possível que houvesse tantos cidadãos deste país a perder o rendimento da floresta – e até as habitações – e o poder político estivesse preocupado apenas com um aspecto perfeitamente marginal?

Estranhamente, voltamos a ser confrontados com sugestões de responsáveis da administração pública no sentido de se evitar a exibição de imagens de todos os incêndios que assolam o país.

Há uma indústria dos incêndios em Portugal, cujos agentes não obedecem a uma organização comum mas têm o mesmo objectivo – destruir floresta porque beneficiam com este tipo de crime.

Estranhamente, o Estado não faz o que poderia e deveria fazer:

1 – Assumir directamente o combate aéreo aos incêndios o mais rapidamente possível. Comprar os meios, suspendendo, se necessário, outros contratos de aquisição de equipamento militar.

2 – Distribuir as forças militares pela floresta, durante todo o Verão, em acções de vigilância permanente. (Pelo contrário, o que tem acontecido são acções pontuais de vigilância e combate às chamas).

3 – Alterar a moldura penal dos crimes de fogo posto, agravando substancialmente as penas, e investigar e punir efectivamente os infractores

4 – Proibir rigorosamente todas as construções em zona ardida durante os anos previstos na lei.

5 – Incentivar a limpeza de matas, promovendo o valor dos resíduos, mato e lenha, criando centrais térmicas adaptadas ao uso deste tipo de combustível.

6 – E, é claro, continuar a apoiar as corporações de bombeiros por todos os meios.

Com uma noção clara das causas da tragédia e com medidas simples mas eficazes, será possível acreditar que dentro de 20 anos a paisagem portuguesa ainda não será igual à do Norte de África. Se tudo continuar como está, as semelhanças físicas com Marrocos serão inevitáveis a breve prazo.

José Gomes Ferreira
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 03, 2013, 02:33:27 pm
Mais um a dar "charutadas" nos submarinos e nas Forças Armadas.  :mrgreen:  :G-beer2:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 03, 2013, 02:37:49 pm
Citação de: typhonman
Mais um a dar "charutadas" nos submarinos e nas Forças Armadas.  :mrgreen:  :mrgreen:  :mrgreen:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 03, 2013, 05:26:19 pm
Eu nem comentei porque não valia a pena!  
é so disparates
Mas deixo tambem um reparo:  Portugal nao precisa de 12 canadairs, precisaria de 12 helicopteros pesados   que carregam quase a mesma agua de um canadair  é muito mais eficaz  e descarrega muita mais agua no mesmo espaço de tempo. e podem ser utilizados para outras operações o resto do ano.
 
 Os canadair´s dão muito mais espetaculo nas televisões, so isso, e o povinho pensa que aquilo e que e bom!!!!
 os paises estrangeiros  enviam canadair´s para ajudar,apenas   e por motivos logisticos.
 
 PS:lembram-se do kamov acidentado o ano passado, esta parado porque o ministerio da administração interna nao deu verba para  reparar,  o orçamento era de 83 mil euros,   em vez disso foi alugado outro. :roll:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 03, 2013, 11:41:56 pm
Sem dúvida,

O CHAIMITES disse tudo.

Parabéns.

EU apostava no reforço dos KA-32 + AT-802/Fire-Boss e utilização dos C-130.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Setembro 05, 2013, 09:59:04 pm
Citação de: "typhonman"
Citação de: "typhonman"
Mais um a dar "charutadas" nos submarinos e nas Forças Armadas.  :mrgreen:  :mrgreen:  :mrgreen:

Como já foi anteriormente debatido, as forças armadas portuguesas não dão a conhecer o seu trabalho em território nacional, a ideia generalizada, mesmo que elementos que lá estão como voluntários/contratados é que os militares em Portugal não fazem nada, salvo excepções para busca e salvamento.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 06, 2013, 09:04:55 am
Citação de: "Camuflage"
Citação de: "typhonman"
Citação de: "typhonman"
Mais um a dar "charutadas" nos submarinos e nas Forças Armadas.  :mrgreen:  :mrgreen:  :mrgreen:

Como já foi anteriormente debatido, as forças armadas portuguesas não dão a conhecer o seu trabalho em território nacional, a ideia generalizada, mesmo que elementos que lá estão como voluntários/contratados é que os militares em Portugal não fazem nada, salvo excepções para busca e salvamento.


Sim... Não há nada mais ridículo do que ouvir essas coisas e ouvir pessoal da área da Cavalaria (contratados) a dizer que os Leo não servem para nada... e para que os queremos ?  :shock:


O exército deveria apostar forte em relações públicas. principalmente na vertente dos fogos florestais, além disso deviam andar melhor sinalizados no meio do monte, com uma peça de roupa "boonie" pro ex com uma cor viva, para os diferenciar.. além disso num incêndio pretende-se que o pessoal seja visível. ao oposto de uma situação de combate.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Setembro 07, 2013, 09:27:57 pm
Tem que ir além das relações públicas, porque a partir do momento que os próprios militares voluntários/contratados são os primeiros a dizer mal da instituição, não é com relações públicas que vai convencer o povo do contrário. Mas isto daria outro tópico.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2013, 04:14:10 pm
É mesmo a "tuga", do estilo "pagam-me 500 euros mês para polir as cadeiras com o rabo", não há guerra, nem é preciso o material de guerra... Logo eu é que sou esperto e ainda me gabo disso.  :|
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 10, 2013, 02:27:21 pm
No ultimo post em que referi os GIPS da GNR eu fui mauzinho....  
 aqui fica a minha homenagem.

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 10, 2013, 04:05:14 pm
Segundo li algures na net, o tecido das fardas desses militares é todo XPTO, tendo caracteristicas anos luz das fardas que os bombeiritos têm que andar no combate aos fogos florestais.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 10, 2013, 09:03:36 pm
Tens razão Cabeça de Martelo
  Eles usam o que todos deveriam usar, a Força Especial de Bombeiros (canarinhos) tambem usa equipamento identico
 
  So as botas deles custam 200 Euros, as botas oferecidas aos voluntários  custam de 45  Euros  e derretem quando pisam brasas.
  quem nãoquer queimar os pes gasta 200 euros do proprio bolso
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 10, 2013, 10:07:11 pm
A respeito das ultimas mortes Rui Silva  presidente da Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários.

 
Citar
Os bombeiros não têm de ser guerreiros, mas sim guerrilheiros, mum terreno inclinado como o da serra do Caramulo, com uma vegetação muito densa, era preciso mudar de estratégia, apostar num ataque indireto, enfraquecendo o fogo na retaguarda, abrindo caminhos com máquinas de rasto.

 Nunca se deve estar na cabeça do incêndio, onde se geram ventos violentos e imprevisíveis, num terreno tão acidentado.

Nem o melhor atleta conseguia escapar a estas chamas. Podiam ter morrido todos.

 O certo  é que, na passada sexta-feira, 30, o comando operacional deu instruções para se mudar a tática, assumindo-se uma postura mais defensiva, em vez de se tentar preservar a qualquer custo florestas e casas. E, desde então, não se verificaram mais incidentes..

Rui Silva, o presidente dos Voluntários, afirma:

 Sempre que vejo colegas a dormir no chão, sinto-me envergonhado e tenho vontade de chorar.
  Nos últimos dias, muita coisa melhorou, mas, ainda assim, chegam-me relatos chocantes, como o de um bombeiro a quem foi dada uma sandes e um sumo, e uma folha para assinar, comprovativa de que tinha recebido o almoço. E disseram-lhe que fosse comer para longe, de maneira a não aparecer nas câmaras da TV."

Com um concurso para o fornecimento de equipamentos individuais de proteção a decorrer, e que deverá permitir a todos os bombeiros receberem, até ao próximo ano, melhores fatos, as estruturas aguardam, agora, outras condições de trabalho.

  Hoje, combatemos os fogos com fatos de algodão,
  as botas, por vezes, descolam-se com o calor
  nem sequer temos proteções respiratórias, apesar de estarmos sujeitos a elevadas quantidades de fumo e poeiras, que nos deixam doentes para o resto da vida",

. O presidente dos Voluntários não faz por menos: espera que se olhe para este "mau ano" e que se mude "tudo".

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 11, 2013, 01:26:18 pm
Metade dos Bombeiros de Portugal Recebe Fardamento Para Jardinagem





Citar
Depois de uma breve análise dos produtos de mercado e olhando para o referencial de preço máximo de compra de um exemplo escolhido aleatoriamente chego à conclusão provada em números que vamos ser futuramente, um grupo grande de jardineiros tendo em conta a qualidade que é exigida do fardamento que nos irá chegar fruto destes concursos. Presumo, e tendo em conta o volume de contratação apenas salvaguardar 50% do total do efetivo dos quadros ativos dos corpos de Bombeiros Nacionais que iremos com certeza ajudar a reflorestar as áreas queimadas no próximo inverno com este fardamento, tendo em conta a qualidade e as datas em que serão entregues.


http://bombeirosparasempre.blogspot.pt/
 
 Ja esta tudo dito quanto a qualidade do equipamento com que os bombeiros combatem os incendios...............
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 02:26:18 pm
Com tanta história do "os militares deviam ajudar no combate aos incêndios", e sabendo que o Estado-Maior do Exército disse que ia (acho que ainda não está) criar uma unidade de apoio ao combate aos incêndios no quartel de Abrantes (atual Escola Prática de Cavalaria), lembrei-me de ir pesquisar o que é que os nossos vizinhos andam a fazer, pois lá sabe-se que se criou no Exército uma Unidade Militar de Emergências.

http://www.defensa.gob.es/ume/ (http://www.defensa.gob.es/ume/)

Mas de um certo ponto de vista fiquei desapontado pois não era bem isto o que estava à procura, isto na prática é o GIPS Espanhol, só que é muito maior, e enquanto o nosso foi criado dentro da GNR, esta força Espanhola foi criada dentro do Exército.

Com algumas particularidades, como por exemplo também faz parte da sua orgânica os Canadairs.

Acho que não tem lógica estarmos a criar outro "GIPS" no Exército como existe em Espanha, e isso penso que está fora de questão, mas temos que ter a consciência que se os militares que forem ajudar no combate aos incêndios não tem treino nem equipamento de bombeiro (como o GIPS ou a UME Espanhola), então também não podemos exigir que os militares sejam bombeiros, os militares não podem substituir os bombeiros, só os podem apoiar.

PS: Nesse site da UME vejam Multimédia, Vídeos, "Informe Semanal, Reportaje sobre la UME emitido por el programa Informe Semanal de TVE", achei curioso quando falaram de já terem morrido bombeiros por terem ficado cercados pelo fogo, mostra uma técnica para se protegerem nessa situação, no vídeo parece que colocam as mangueiras e canhões de água de forma a criar um perímetro 360º e por cima, imaginem uma espécie de bolha de água à volta dos camiões e bombeiros cercados, será que aquilo funciona mesmo?  :?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Setembro 11, 2013, 03:51:52 pm
Eu também não defendo que os militares do exercito devam fazer o papel de bombeiros, no entanto defendo que as serras e zonas florestais Portuguesas deviam ser altamente patrulhadas nos 3 meses do verão. Mais no sentido de prevenção e dissuasão a possíveis incendiários fazendo notar a sua presença regularmente. Isso até nem era nada difícil, era um género de semana de campo, mas que durava o verão todo (com rotação dos homens obviamente).

A serra do caramulo, a serra da estrela e outras podiam ter uma companhia de 200 homens atribuida. Esta companhia poderia-se dividir em 4 pelotões de 50 homens, patrulhando cada pelotão num turno diario de 6 horas. Dividindo-se cada pelotão em 10 equipas de 5. Cada equipa passava o seu turno a patrulhar (a pé) uma determinada área atribuida aleatóriamente.
Era assim tão dificil de fazer?


Já relativamente aos fogos em si, a sensação com que fiquei deste ano foi que os principais problemas vieram de falhas do comando, que não foi devidamente organizar e combandar os homens e meios que tinha à sua disposição. E não tanto a falta de meios e equipamentos adequados.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 11, 2013, 04:21:11 pm
Citar
Nesse site da UME vejam Multimédia, Vídeos, "Informe Semanal, Reportaje sobre la UME emitido por el programa Informe Semanal de TVE", achei curioso quando falaram de já terem morrido bombeiros por terem ficado cercados pelo fogo, mostra uma técnica para se protegerem nessa situação, no vídeo parece que colocam as mangueiras e canhões de água de forma a criar um perímetro 360º e por cima, imaginem uma espécie de bolha de água à volta dos camiões e bombeiros cercados, será que aquilo funciona mesmo? :?
Imagem

enquanto durar a agua..............  arrefece o local e atrasa a evolução as chamas.  pode ajudar em algumas  situações


os camiões modernos ja vem equipados com um sistema de proteção que cobre a viatura 360º  e outro independente para arrefecer os pneus. e eles tem ardido, infelizmente.

A frente de incendio atinge temperaturas na ordem dos 600º  aquela agua evapora-se muito facilmente. os bombeiros pode morrer num autentico forno mesmo sem o fogo tocar diretamente neles.

a melhor proteção é mesmo um fireshelter que reflete cerca de 90% da radiação do fogo.

EDU;

 Se aqueles bombeiros tivessem proteção adequada poderiam ter sobrevivido as falhas de comando.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 11, 2013, 04:51:30 pm
Citação de: "Edu"
A serra do caramulo, a serra da estrela e outras podiam ter uma companhia de 200 homens atribuida. Esta companhia poderia-se dividir em 4 pelotões de 50 homens, patrulhando cada pelotão num turno diario de 6 horas. Dividindo-se cada pelotão em 10 equipas de 5. Cada equipa passava o seu turno a patrulhar (a pé) uma determinada área atribuida aleatóriamente.
Era assim tão dificil de fazer?

As unidades patrulham na zona geográfica da sua responsabilidade e algumas destas não têm 200 homens numa companhia. E para fazer a rotação? As equipas devem ser bem menores que isso.
Fiz vigilância com duas equipas de 7 homens com patrulha de 9 horas diárias durante 3 meses.
Resultado: 1uma unica ocorrência controlada logo na fase inicial.
E patrulamento a pé?!   :N-icon-Axe:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 05:14:49 pm
Citação de: "Edu"
no entanto defendo que as serras e zonas florestais Portuguesas deviam ser altamente patrulhadas nos 3 meses do verão. Mais no sentido de prevenção e dissuasão a possíveis incendiários fazendo notar a sua presença regularmente. Isso até nem era nada difícil, era um género de semana de campo, mas que durava o verão todo (com rotação dos homens obviamente).

Acho que a questão aqui é outra, primeiro temos que perceber que muita gente não gosta das Forças Armadas, por variadíssimas razões, umas certas, outras erradas, já li artigos de jornais a criticar os militares andarem de camuflado enquanto nestas operações de apoio aos bombeiros, que deviam andar com uma roupa que não os identificasse como militares, outros artigos criticavam os militares andarem armados nessas patrulhas, outros jornais criticaram quando na serra da santa luzia os militares pediam a identificação às pessoas que por lá andavam, uma espécie de operação STOP, mas os jornalistas muitas vezes apenas dizem a sua opinião, independentemente de estarem certos ou errados, da lei permitir ou não isso, muitos jornalistas nem se dão ao trabalho de saberem isso, ou então é porque a lei pode estar contrária ao que eles gostariam.

A minha opinião em relação a essas situações é, em relação aos militares andarem de camuflado nos fogos, se eles tivessem outra roupa para irem para lá, mais própria, de certeza que não iam de camuflado, mas deve ser a única que a Tropa lhes dá.

Em relação a andarem armados, isso do ponto de vista da lei não sei bem como é que está definido, mas está previsto as Forças Armadas realizarem treinos em território nacional, e os militares andam armados nesses treinos, será que estas "patrulhas" pelas serras podem ser consideradas treinos? Eu realmente não sei.

A ultima situação, ai já sou levado a aceitar a opinião do jornalista, que um militar não pode mandar parar um carro e pedir a identificação ao condutor, e dai até se pode chegar a situações mais complicadas, os militares se virem um incendio não há problema, é só pegar no rádio e avisar quem de direito, que há um incendio, o local, etc, mas e se virem uma pessoa suspeita o que é que vão fazer? Prender a pessoa? Numa dessas operações STOP se a pessoa se recusar a mostrar a identidade? Vão prender a pessoa? A não ser que inventem algo como "fisicamente restringir a pessoa a um espaço físico até que chegue as autoridades policiais para que ai sim, a possam prender"  :mrgreen: .
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 05:16:33 pm
Citação de: "HSMW"
As unidades patrulham na zona geográfica da sua responsabilidade e algumas destas não têm 200 homens numa companhia.

Algumas não tem 200 homens, ponto. :N-icon-Axe:[/quote]

Ah foram esses meninos, os Comandos não brincam pá, sempre na vanguarda :mrgreen: .
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 05:30:38 pm
Não tem diretamente a ver com o assunto dos fogos florestais, mas é só para se perceber que a utilização de militares para serviços "domésticos", é sempre complicado e um escândalo, seja o Exército nos fogos, seja a Marinha no mar, aquela coisa do duplo uso, da Autoridade Marítima Nacional estar ou não dependente da Marinha, etc, isso dá um outro tópico, por fim um outro artigo de jornal, nem a Força Aérea escapa :mrgreen: , um jornalista criticava a interceção dos F-16 às avionetas que vieram de Espanha sem avisar, é que segundo ele, a Força Aérea não pode mandar um avião aterrar (deve ser o equivalente a mandar parar um carro) pois não é um agente de autoridade, a autoridade a nível do ar é o INAC, então o INAC é que deveria pedir à Força Aérea para fazer isso, isto entre o INAC e a Força Aérea de certeza que deve estar mais que "limado", mas é só para se ver a quantidade de "ataques" que as Forças Armadas sofrem.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Setembro 11, 2013, 09:18:31 pm
Here we go:
Citar
Bombeiros profissionais negoceiam com Governo organização idêntica à PSP e à GNR
O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP) disse nesta quarta-feira que está a ser negociado com o Governo a criação “de uma organização parecida ou igual à GNR e à PSP” que integre os bombeiros profissionais no país.

“Entre a secretaria de Estado da Administração Interna e a ANBP foi produzido um anteprojecto oficial, que se encontra já com os secretários de Estado da Administração Pública e Local”, adiantou Fernando Curto.
Fonte: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/bombeiros-profissionais-negoceiam-com-governo-organizacao-identica-a-psp-e-a-gnr-1605544

Interessante. Mas mais uma vez (visto que já me estou a repetir): estou para ver se isto realmente anda para a frente ou se simplesmente é enfiado numa gaveta e depois só voltem a falar no assunto já no final da época de incêndios do próximo ano. Também é complicado ver algo deste estilo quando temos notícias como esta: Governo quer reduzir elementos nas forças de segurança (http://http).
Citar
"As restrições orçamentais e o peso das despesas com pessoal obrigam a uma redução gradual do número de elementos nas forças e serviços de segurança pela via da não substituição integral dos elementos que saem", refere o anteprojeto das Grandes Opções do Plano (GOP) para o próximo ano.

Entretanto, na vertente dos meios aéreos: Re: Combate a fogos pela F.A.P. (http://http).

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 11:17:05 pm
Citação de: "Get_It"
Here we go:
Citar
Bombeiros profissionais negoceiam com Governo organização idêntica à PSP e à GNR
O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP) disse nesta quarta-feira que está a ser negociado com o Governo a criação “de uma organização parecida ou igual à GNR e à PSP” que integre os bombeiros profissionais no país

Vou estar a defender uma capelinha :mrgreen: . Só que ele falou-me na organização ao estilo militar já que os Bombeiros-Sapadores estão assim organizados em Regimentos/Batalhões/Companhias, aqui falam em organização tipo PSP ou GNR, no fundo o que se pretende é melhorar a organização que existe atualmente, ele também me criticou muito a (des)organização da Protecção Civil  :lol: , ele próprio tinha sido voluntário antes, e que os voluntários são muito esforçados e dedicados, só o mal é que acima deles falha quase sempre tudo, não há comida, querem descansar é no chão junto às rodas dos camiões, as rendições andam por todo o lado menos onde é preciso, etc, Resumindo, a Protecção Civil como entidade de Comando e Controlo leva negativa :mrgreen: .
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Setembro 12, 2013, 11:20:24 am
Citação de: "Lightning"

Mas isto não é um ataque aos bombeiros voluntários, disse-me ele logo :mrgreen: .

Sem duvida quanto a mim o maior problema é mesmo falta de coordenação e capacidade de delinear boas estratégias pelo comando no combate aos incêndios.



Citação de: "chaimites"



a melhor proteção é mesmo um fireshelter que reflete cerca de 90% da radiação do fogo.

EDU;

 Se aqueles bombeiros tivessem proteção adequada poderiam ter sobrevivido as falhas de comando.

Sem duvida que se todos os bombeiros tivessem fireshelter talvez se evitassem algumas mortes, mas curiosamente, no fogo onde eu como popular estive a dar uma mãozinha reparei que pelo menos numa corporação de Beja se não estou em erro todos os bombeiros voluntários que lá estavam tinham fireshelter. Mas sim, certamente não serão todos a ter.

Citação de: "HSMW"
Citação de: "Edu"
A serra do caramulo, a serra da estrela e outras podiam ter uma companhia de 200 homens atribuida. Esta companhia poderia-se dividir em 4 pelotões de 50 homens, patrulhando cada pelotão num turno diario de 6 horas. Dividindo-se cada pelotão em 10 equipas de 5. Cada equipa passava o seu turno a patrulhar (a pé) uma determinada área atribuida aleatóriamente.
Era assim tão dificil de fazer?

As unidades patrulham na zona geográfica da sua responsabilidade e algumas destas não têm 200 homens numa companhia. E para fazer a rotação? As equipas devem ser bem menores que isso.
Fiz vigilância com duas equipas de 7 homens com patrulha de 9 horas diárias durante 3 meses.
Resultado: 1uma unica ocorrência controlada logo na fase inicial.
E patrulamento a pé?!   :N-icon-Axe:

Algumas companhias não têm 200 homens, então vão duas companhias, entre os 15 ou 20 mil homens que o exercito tem acho que alguns se conseguirão arranjar, digo eu.

Para mim a função do exercito era mais patrulhar, nem tanto o combate inicial, por isso nem precisavam assim de tanto equipamento. Era só mais para os incendiários saberem que havia sempre alguém a patrulhar as serras e as hipóteses de serem vistos e identificados serem muito maiores. E sim podia ser feito no ambito de treinos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 12, 2013, 11:46:44 am
Sim Edu pelo menos os afetos ao DECIF 2013 tem no camião um fireshelter para cada elemento da equipa.
 mas quantos dos que ficaram feridos ou morreram tinham um fato de Nomex igual ao que usam o GIPS ou os Canarinhos?  
 nenhum!

Nunca pensaram nisso? porque motivo so morrem os voluntários?  

 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Setembro 14, 2013, 12:06:40 am
Li hoje esta notícia, que mais parece propaganda política, no entanto, a ser verdade parece que uma empresa russa vai fabricar equipamentos de combate a incêndios em Oleiros.

http://www.tvi24.iol.pt/economia---empr ... -6374.html (http://www.tvi24.iol.pt/economia---emprego/emprego-trabalho-ofertas-vagas-oleiros-ngcr/1489443-6374.html)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 22, 2013, 09:41:43 am
Esta vai ficar nas anedotas do ano!

  GNR multa carro dos Bombeiros de Viana, em serviço. durante Incendio florestal.

 por estacionamento num local "onde o trânsito se faz nos dois sentidos"

Esta viatura integrava o dispositivo que, no terreno, naquela freguesia, combatia o maior incêndio do ano em Viana do Castelo   que chegou a ameaçar centenas de habitações.  

Como é possível que durante um incendio florestal incontrolável amaçando centenas de casas,  apareça um "agente da autoridade" preocupado em multar um carro de bombeiros.?????
 
 Em casos semelhantes, os agentes são alvo de avaliação psiquiatrica????  

 ou era o vinho .............
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 22, 2013, 11:03:35 am
Esta é daquelas noticias mal explicadas pois nunca tive conhecimento de caso semelhante.

Que tipo de viatura era? Estava empenhada no combate ao incêndio? Ou será que estava parada em frente à tasca?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 22, 2013, 11:31:18 am
Esse GNR anda a aprender com os melhores, nos EUA um policia também multou um helicóptero da National Guard que andou a participar nos recentes resgates por causa das inundações, por estar no meio de uma estrada.

http://www.businessinsider.com/cop-tick ... lot-2013-9 (http://www.businessinsider.com/cop-tickets-blackhawk-pilot-2013-9)

PS: A principal diferença é que lá foi uma brincadeira do policia  :mrgreen: , a multa não tem efeito.
Morada: US Army
Tipo de veiculo: Black Hawk
Contra ordenação: Estacionou em zona proibida e está em contra mão.

(http://static4.businessinsider.com/image/523ca9aa6bb3f7a5668d4dba-720-960/rdavqlk.jpg)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 22, 2013, 12:47:57 pm
Citação de: "HSMW"
Esta é daquelas noticias mal explicadas pois nunca tive conhecimento de caso semelhante.

Que tipo de viatura era? Estava empenhada no combate ao incêndio? Ou será que estava parada em frente à tasca?
 

Se os Bombeiros não parassem na tasca morriam de fome e sede na frente!
regra numero um no combate a incendios florestais para os voluntários: nunca sair para um incendio sem dinheiro no bolso para comer e beber!

 
  Era um carro de transporte, que tinha levado homens, para render outros que estavam na frente ha muitas horas,   parou para os homens que vinham da    frente  beberem cafe. depois de muitas horas a combater.
 Este acto indignou os popuipares que assistiram a cena e o comandante da GNR ja admitiu arquivar a multa.
 
  Este tipo de casos pelos menos em Viana, repete-se constantemente com ambulancias então nem se fala
   
     Os Motoristas dos quarteis ja tem na esquadra uma cópia autenticada  dos seus docomentos. depois de enviado ao quartel da GNR o relatorio da ocorrencia   em que o veiculo estava envolvido. a multa é anulada!  
 
  Alguns GNR´s parece que tem a fantasia de apanhar um carro de bombeiros ou ambulancia, com marcha prioritaria sinalisada sem motivo para tal.
Nesse caso a multa e bem gorda!
 
  Mas não deixa de ser ridiculo! o caos que se viveu naquela zona, o fogo descontrolado , casas e  popolação a  serem evacoados  e o Sr. GNR a autoar o carro dos bombeiros.................

Este caso so demonstra como anda a coordenação entre os diferentes intervenientes no combate aos incendios florestais.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Setembro 24, 2013, 09:41:00 pm
Programa olhos nos olhos da tvi 24 com media Carreira sobre os incendios deste Verao.

http://www.tvi.iol.pt/videos/programa/4407/197456 (http://www.tvi.iol.pt/videos/programa/4407/197456)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 25, 2013, 02:12:19 am
Pronto! a culpa dos incendios e quem ganha com os incendios são os bombeiros!  

  O engenheiro vitor louro deve  viver na lua ou em Marte!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 25, 2013, 02:31:47 pm
Este tópico é demonstrativo da "excelente" politica de Protecção Civil que há neste país e a seriedade com que é encarado estes assuntos pelos governos nacionais. :evil:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Outubro 23, 2013, 10:05:47 pm
http://www.autoblog.com/2013/10/23/port ... uck-video/ (http://www.autoblog.com/2013/10/23/portugal-off-road-fire-truck-video/)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: sergio21699 em Dezembro 13, 2013, 10:49:52 am
Citar
Governo avança com extinção da EMA

Em Conselho de Ministros, o governo decidiu a extinção da EMA, Empresa de Meios Aéreos. O secretário de Estado da Administração Interna, Filipe Lobo D'Avila, explica que a EMA vai ser liquidada daqui a quatro meses.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=702745&tm=9&layout=123&visual=61
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Edu em Dezembro 13, 2013, 12:43:50 pm
Isto só seria uma boa noticia se decidicem integrar os meios da EMA (e eventualmente meios adicionais) na força aerea. as a gente sabe bem que não.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Janeiro 31, 2014, 09:55:03 pm
Três meios interessantes que vale a pena relembrar.

E uma boa comparação de descargas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Fevereiro 26, 2014, 01:24:21 pm
Citar
Governo pretende adquirir dois aviões canadair através de fundos comunitários

Segundo Miguel Macedo, o país precisa de ter no dispositivo mais meios aéreos próprios
O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou hoje que o Governo pretende adquirir dois aviões canadair de combate a incêndios florestais através do recurso a fundos comunitários.
No grupo de trabalho para Análise da Problemática dos Incêndios Florestais, constituído no âmbito da Assembleia da República, Miguel Macedo adiantou que está a decorrer um processo para aquisição de dois aviões canadair, no valor de cerca de 37 milhões de dólares cada um, com recurso a fundos comunitários,
O ministro afirmou que, no final do mês de março, o Governo terá "uma resposta mais conclusiva sobre este processo", mas manifestou esperança que a aquisição de meios aéreos pela via dos fundos comunitários "corra bem".
Segundo Miguel Macedo, o país precisa de ter no dispositivo mais meios aéreos próprios, uma vez que o atual não tem capacidade para resolver o problema de combate a incêndios florestais.
O ministro sublinhou que, no passado, foi feita a opção em não se comprar este tipo de aviões, mas, agora, "há um consenso" que Portugal "precisa de ter, pelo menos, um aparelho canadiar".
Atualmente, os meios aéreos próprios do Estado são compostos por seis helicópteros pesados kamov e três helicópteros de transporte e utilitário, sendo a primeira vez que vai adquirir para sua frota aviões canadair.
O ministro disse também que poderá "demorar mais de um ano" para que Portugal tenha disponíveis os dois aviões canadair.
Justificando a aquisição destes aviões, o ministro afirmou que é difícil encontrar no mercado estes meios a preços razoáveis para alugar.
"Estes meios não abundam, não tem sido nada fácil", referiu, acrescentando que Portugal "não pode, por sistema, em cada verão, recorrer à generosidade de outros países".
Aos deputados do grupo de trabalho, o ministro reafirmou que a Empresa de Meios Aéreos (EMA) já está em processo de liquidação, ressalvando que o processo de extinção da EMA "é muito complicado".
Após a extinção da EMA, a gestão dos meios aéreos vai passar para a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Fevereiro 26, 2014, 01:39:31 pm
Olhem que giro. Outro estudo e outro grupo de trabalho para a aquisição de aviões de combate a incêndios.

Citar
O ministro sublinhou que, no passado, foi feita a opção em não se comprar este tipo de aviões, mas, agora, "há um consenso" que Portugal "precisa de ter, pelo menos, um aparelho canadiar".
A sério?! Então aqueles estudos todos nas últimas duas décadas a favor da compra de aviões de combate a incêndios devem ter sido noutro universo alternativo.

Acordem-me quando o governo realmente comprar alguma coisa.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Março 15, 2014, 11:45:44 am
Citar
“Os fogos florestais são um flagelo nacional e temos de fazer tudo para que não se volte a assistir à tragédia de ver o país a arder”, afirmou a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional, apontando uma prioridade, depois de assistir à apresentação sumária de 24 projetos de Investigação, Desenvolvimento & Inovação (ID&I) em que o Centro de Investigação da Academia Militar (CINAMIL) participa ativamente.

Berta Cabral ficou particularmente entusiasmada com o projeto FIREND, um projétil de artilharia destinado a combater incêndios em situações atmosféricas adversas, em declive acentuado, com visibilidade reduzida e, disparado à distância, permitindo atingir zonas inacessíveis aos meios terrestres.

Na visita desta sexta-feira à Academia Militar (AM), onde foi recebida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General Carlos Jerónimo, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional fez questão de enfatizar as missões de interesse público levadas a cabo pelos militares, considerando que “esta dimensão representa o desafio de modernidade das Forças Armadas, que têm de estar prontas para as suas missões e devem estar também viradas para as necessidades das pessoas em tempo de paz.”

Na segunda visita a um Estabelecimento de Ensino Superior Militar, depois de ter estado na Academia da Força Aérea, Berta Cabral lançou o desafio: “As capacidades que existem no interior das academias têm de ser mais divulgadas e postas ao serviço das pessoas”, acrescentando “satisfação e regozijo por saber que há muita investigação e muita parceria com a sociedade civil”.

No Palácio da Bemposta, onde funciona a sede da AM, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional assistiu a um brífingue do Comandante, Tenente-General Rodrigues da Costa, que fez um retrato panorâmico da instituição criada em 1837 pelo Marquês Sá da Bandeira, como herdeira da Aula de Artilharia e Esquadria, fundada em 1641. A atual designação é relativamente recente (1959).

A Academia Militar tem 636 alunos, dois terços dos quais pertencem ao Exército e um terço à Guarda Nacional Republicana (GNR), além de alguns bolseiros de países lusófonos. As mulheres são 9 por cento do Corpo de Alunos. Ao longo da história, a AM já formou mais de 15 mil oficiais dos três Ramos das Forças Armadas e da GNR, fornecendo-lhes competências científicas, militares, físicas e comportamentais.

A apresentação das atividades do Centro de Investigação da Academia Militar (CINAMIL) esteve a cargo do responsável, o Coronel Tirocinado Corte-Real Andrade. Além do apoio que presta à Base Tecnológica e Industrial de Defesa (BTID), o CINAMIL é protagonista em 24 projetos diversificados, desde demolições de emergência a aproveitamento de energia geotérmica.

No polo da Amadora da AM, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional conheceu as instalações onde estão concentradas a maior parte das atividades letivas e contactou com os alunos, transmitindo-lhes uma mensagem de incentivo para a “nobre missão que têm de cumprir ao serviço das Forças Armadas e do país, com valores, com ideais e com uma cultura”. Berta Cabral testemunhou o entusiasmo dos cadetes pela forma enérgica como executaram o Grito da AM.

http://www.defesa.pt/Paginas/seadnnaacademiamilitar.aspx
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Março 17, 2014, 09:19:50 am
Essa Berta Cabral..........

 projeteis de artilharia... isso  já existe!




Eu gostava era de ver os F16 no ar sempre que começasse um incêndio florestal!!  deslocar uma companhia de artilharia dava muito trabalho! :mrgreen:

Valha-me Deus! se  já  matam bombeiros com descargas de agua imaginem a bombardearem um incêndio


 
   Este ano o flagelo a começou!

Ontem cerca das 10:45 deflagraram 5 incêndios florestais  em simultâneo na serra de Santa Luzia.
digamos que os incendiários estão a treinar bem a coordenação de meios!


E imaginem.......o problema do costume: falta de acessos. matas sem limpar,. falta de meios .......tudo como sempre!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Março 26, 2014, 11:42:07 pm
Citar
Portugal pondera compra de aviões espanhóis de combate a incêndios

O Governo está a estudar a compra de aeronaves de combate a incêndios usadas em Espanha.

A notícia avançada pela Renascença destaca que o Ministério da Administração Interna, tutelado por Miguel Macedo, está a ponderar a compra dos aparelhos Canadair em segunda mão.

Esta possibilidade permite, tendo em conta que é mais barata do que comprar dois aviões novos como já admitiu o governante, a aquisição de mais de que duas aeronaves.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Abril 11, 2014, 03:33:46 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 16, 2014, 08:12:58 pm
Faltam Pilotos Comandante para os Kamov32 da EMA

 Com o anúncio de extinção da EMA, que deverá estar liquidada em outubro, são vários os pilotos Comandante que têm abandonado Portugal rumo ao estrangeiro em busca de um emprego estável.
Em janeiro passado a EMA contava com nove pilotos de Kamov, número considerado suficiente para as operações de inverno, mas já em fevereiro, com o início da liquidação da EMA, quatro pilotos pediram para sair, pelo que a empresa estatal não tem agora tripulações suficientes para garantir a mais exigente época de verão.

Perante este cenário o Estado acaba de abrir candidaturas para pilotos Comandante de helicópteros pesados Kamov, mas o problema é que em Portugal são muito poucos os pilotos com qualificações para tal, o que constitui um sério risco para o preenchimento dos quadros. E sem pilotos, poderá estar em causa a utilização dos cinco helicópteros Kamov Ka-32 operacionais, para a época de combate a incêndios.

Uma das condições para concorrer é ter no mínimo 2500 horas de voo nos Ka-32, o que restringe em muito o número de candidatos elegíveis.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Maio 16, 2014, 09:29:30 pm
(http://i.imgur.com/tef4JWA.gif)

Agora daqui a umas semanas anunciam que não conseguiram contratar pilotos suficientes para garantir a operação dos Kamov e portanto o Estado contrata uma empresa privada para ter helicópteros "suficientes" para a época dos incêndios. E como já é muito em cima da hora eles tratam de contratar por ajuste directo em vez de concurso público. :D

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 17, 2014, 05:27:31 am
Que é feito dos 10  pilotos do exercito qualificados em kamov32, que sairam da operação dos mesmos  para se qualificarem no  NH90??????

Não ha NH90 por isso ....................

Não me digam que sairam do exercito para ingressar na EMA.........e agora "fugiram" para o estrangeiro  :roll:

PS: com os salários normalmente oferecidos não vão faltar Russos e Ucranianos,   a candidatarem-se.  
Ja nos primeiros anos de operção dos kamov32 foi assim.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Maio 17, 2014, 12:37:58 pm
Para quando drones com voos de longa duração e equipamentos com detectores térmicos para prevenção dos fogos? Ou não há interesse?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 17, 2014, 03:50:31 pm
UI!!!!!
  o CICLOP"!

  investiu-se 1,6 milhões de euros em 18 torres que cobriam 10% o território nacional
  o sistema È muito bom!! deteta e activa automaticamente os meios de socorro
   
 
   neste momento das 18 instaladas so funcionam 3   as outras estão desativadas e sem manutenção.
  custo da manutenção 93 mil euros!  

  20 milhões de euros bastariam para cobrir todo o território nacional com um sistema de deteção totalmente  automatizado que activava os meios de socorro em tempo real ao segundo!
 
  E muito barato ! não compensa!!

  a tecnologia era totalmente portuguesa
  http://www.inov.pt/pages/casestudies/case_2.php
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Maio 17, 2014, 04:59:43 pm
Citação de: "Camuflage"
Para quando drones com voos de longa duração e equipamentos com detectores térmicos para prevenção dos fogos? Ou não há interesse?
Não há interesse (http://http) nem estratégia nacional. Contudo temos a guerra das quintas e a GNR já se anda a chegar à frente nesse sentido:
Citação de: "Jornal SOL"
A GNR também comprou no ano passado uma destas aeronaves, que irá substituir os tradicionais helicópteros na detecção de incêndios, apoio à investigação de acidentes de viação, buscas e salvamentos e gestão de incidentes táctico-policiais.
(Drones proliferam em Portugal sem controlo (http://http))

Entretanto parece que nunca mais se ouviu falar na aquisição de aviões de combate aos incêndios. O governo deve estar à espera que a imprensa ande toda histérica por causa da pior fase dos incêndios para depois voltar a falar do assunto.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 18, 2014, 02:40:56 pm
O mais importante:

 Pouco ou nada se fez no que diz respeito à prevenção

 Continua tudo igual aos outros anos,
 Quando começar a arder, ninguem o para!!    por mais investimento que haja nos meios de  combate!

  Acho que a falta de investimento,  ou a inércia,  neste ponto fulcral serve para alimentar as Quintas de que falas.
  Nem era preciso muito era só aplicar a lei em vigor.....
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Maio 22, 2014, 04:24:33 pm
Resgate com Kamov.  :|
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 22, 2014, 07:44:28 pm
ja e assim ha 2 anos

 

 e tambem fazem emergencias medicas.

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 23, 2014, 04:06:58 pm
Quintas á parte................
o futuro so pode passar pela profissionalização.

Ja viram  pinta da base deles...

 
 
 Porque o grosso do pelotão pede esmola:

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Maio 23, 2014, 10:14:15 pm
Realmente para que se que ser bombeiro voluntário?!
Lidar com tamanha responsabilidade como a vida de alguém! A frustração de não conseguir salvar...
O perigo a que estão sujeitos, o esforço físico em todas a situações...
Abdicar de estar com a família.

E tudo isto à borla ou por um pequeno subsidio na época de maior risco de incêndio?
Merecem muito mais...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: WTTJungle em Maio 23, 2014, 11:08:18 pm
Claro que merecem, e se calhar também merecem mais visibilidade daquela que lhes é dada na medida em que talvez algumas cooperações de bombeiros voluntários cujas dividas não são pagas deveriam ser tomadas em conta pelo MAI ...
Na questão, "para que se quer ser bombeiro voluntário?", para que se quer ser militar?, para que se quer ir trabalhar como médico para o estrangeiro, em países sem condições sanitárias ect etc? A meu ver, mesmo embora possam existir inúmeras razões..., talvez se possa deduzir (ou induzir) que quem vai para bombeiro voluntário o faz: ou pela própria natureza do voluntariado; ou pelo facto de terem presente uma ideologia que os "obrigue", que os guie de forma a que façam da sua vida, missão para salvar a vida e as vidas de outrem; ou mesmo pela defesa (claro que não é defesa militar!) do país, dos interesses da população, e defesa da própria população.
Este assunto é o tipo de assunto que poderá (e irá) revelar fraquezas políticas, e posso já admitir a primeira: o não querer introduzir os meios aéreos na Força Aérea e ao mesmo tempo passar as verbas que iriam ser pagas a empresas privadas. Claro que se pode declarar falta de pilotos para voarem nos meios específicos como o Kamov mas, por exemplo, poderia ser arranjado um acordo, um mini-acordo, uma simples folha que levava pilotos da força aérea a treinarem nos Canadair de algum país Europeu para depois poder-mos ter autonomia a nível de pessoal para o comando das aeronaves para quando recebêssemos a parelha ( se recebermos ). No entanto, os meios aéreos da EMA passaram para a ANPC e daí duvido que saiam para a FA. (Mas penso que já li/ouvi rumores que vão ser pilotos da FA a pilotarem os mesmos... não sei se tal pode ser confirmado até porque ao que aparenta a FA até está a passar por momentos complicados*...) Talvez exista por aí algum nível de criatividade por parte dos Ministros da Defesa Nacional e da Administração Interna... aquelas cabeças iluminadas

*Nota pessoal: pode ser que daqui a dois anos, quando eu concorrer para Piloto-Aviador, exista vaga para mim...  :?:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Maio 24, 2014, 12:36:44 am
Citação de: "HSMW"
Realmente para que se que ser bombeiro voluntário?!
Lidar com tamanha responsabilidade como a vida de alguém! A frustração de não conseguir salvar...
O perigo a que estão sujeitos, o esforço físico em todas a situações...
Abdicar de estar com a família.

E tudo isto à borla ou por um pequeno subsidio na época de maior risco de incêndio?
Merecem muito mais...
Em geral não vale a pena ser bombeiro, mas nalguns casos há quem foi para bombeiro e para a administração dos bombeiros voluntários locais e a agora ganha muito bem e está muito bem colocado para arranjar trabalho aos amigos. De notar que os bombeiros voluntários também têm direito a apoio financeiro para fazerem o ensino superior.

Infelizmente o governo só se preocupa com eles quando a imprensa anda a masturbar-se a ver imagens das pessoas desesperadas e das florestas todas queimadas e as pessoas só se lembram deles quando precisam deles. A piorar a situação é o pessoal que anda lá a aproveitar-se do pouco dinheiro que há, a porcaria que é a organização tanto da ANPC e da APVB, e dos palhaços que agora também andam lá no terreno a mandar e a fazer de conta que percebem do assunto.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 24, 2014, 11:25:21 pm
Ser voluntário e muito mais que apagar incêndios florestais

Os incendios florestais representam menos de 20 % da actividade dos voluntarios.
 Fora das Capitais de Distrito a emergencia pre hospitalar esta quase toda entregue aos voluntarios.
 As Ambulâncias pertencem ao INEM outras são das corporações,  mas que vai la dentro é o Ze bombeiro que tirou o curso por sua conta!
 

 
Citar
*Nota pessoal: pode ser que daqui a dois anos, quando eu concorrer para Piloto-Aviador, exista vaga para mim... :?:

   Primeiro 2500 horas de voo de experiência, depois o curso.
    Tirando pilotos de combate  Não deve haver  trabalho mais difícil que se possa pedir a uma aeronave ou piloto do que apagar incêndios florestais.

  Boa sorte!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: WTTJungle em Maio 25, 2014, 08:45:15 pm
Chaimites, obrigado pelo desejo de sorte, mas esqueci-me de especificar para o que ia(vou) concorrer - lapso meu: Força Aérea.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Maio 30, 2014, 04:54:46 am
Parece que desta vez querem fazer alguma coisa bem feita!

   
Citar


Cobrança de Multas nas Florestas Sai das Câmaras

As autarquias vão deixar de ser responsáveis pela instrução dos autos de contra-ordenação em matéria de risco de incêndio. Ou seja, deixarão de aplicar e cobrar as coimas relativas à falta de limpeza das florestas ou das zonas em redor das habitações. Esta competência passa agora a ser assegurada pela Secretaria-geral do Ministério da Administração Interna. No caso das áreas protegidas, continuará a ser o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas a fazê-lo.

A alteração consta de um decreto-lei que foi publicado na semana passada em Diário da República. E pretende resolver um problema que se vinha verificando nos últimos anos: milhares de autos eram levantados, mas muito poucos terminavam numa decisão e numa condenação, porque as câmaras não davam seguimento aos processos instruídos pela Guarda Nacional Republicana (GNR).

Segundo o Serviço Especial de Protecção da Natureza (SEPNA) da GNR, tenente-coronel Joaquim Delgado, são levantados em média três mil autos por ano, e apenas em 5 a 10% dos casos é aplicada uma decisão. Em alguns casos, essa punição resume-se a uma admoestação escrita.

Segundo o responsável do SEPNA, esta falta de eficácia no processo de contra-ordenação estava a provocar um sentimento de impunidade entre a população que não cuidava dos seus espaços florestais nem os protegia dos incêndios.


   Agora e so fazer uma caça ao perímetro urbano sem limpar!  
   Acho que o MAI vai faturar forte e feio!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Junho 01, 2014, 11:07:13 am
Mas que não entupam os tribunais com isto, é multa tem que ser paga no local e a doer, tal como acontece com as multas rodoviárias, quem quiser contestar que pague primeiro e depois vá a tribunal.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 02, 2014, 11:41:49 am
Militares desbravam terreno para combater incêndios

http://www.jn.pt/live/Atualidade/defaul ... id=3935004 (http://www.jn.pt/live/Atualidade/default.aspx?content_id=3935004)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 06, 2014, 10:22:12 am
Na Republica das Bananas:

     A HeliPortugal vai pedir o arresto da frota da Empresa de Meios Aéreos que operam no combate aos fogos. A companhia avança com um processo em tribunal para ficar com os seis Kamov e três helicópteros ligeiros por falta de pagamento dos serviços e operações nos incêndios. Dívidas na ordem dos 15 milhões de euros. Mas o governo já garantiu que a empresa de meios aéreos está a receber o dinheiro para pagar as dívidas
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: chaimites em Setembro 09, 2014, 09:36:10 pm
Cabeça de Martelo;

 Espero nunca te encontrar a aterrar em cima de mim! :mrgreen:

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Janeiro 29, 2015, 07:09:10 pm
Jornal de Noticias

Dispositivo Aéreo deste ano deverá custar 45,2 milhões de Euros

Orçamento
 - 2006: 25,9 milhões
 - 2014: 44,7 milhões
 - 2015: 45,2 milhões

Será composto por:
 - 6 Helicópteros Pesados Kamov propriedade da ANPC, a operar pela Everjets, custo 11,5 milhões de euros
 - 3 Helicópteros Ligeiros propriedade da ANPC, operados pela Heliportugal, custo 3,2 milhões de euros
 - 33 Helicópteros Ligeiros e Médios alugados à Everjets, custo 8 milhões de euros
 - 8 Helicópteros Ligeiros e Médios alugados à Heliportugal, custo 4,3 milhões de euros
 - 4 Aviões Anfíbios Médios, alugados à Agro-Montiar, custo 2,7 milhões de euros
 - 2 Aviões Anfíbios Pesados (Canadair), alugados à INAER, custo 3,9 milhões de euros
 - 2 Aviões Anfíbios Médios, alugados à Agro-Montiar, custo 1,8 milhões de euros


Frota de Helicópteros do Estado reduzida a metade

3 Kamov estão inoperacionais, um por acidente em setembro 2012, outro está parado desde agosto 2013 por avaria no motor e um novo problema à duas semanas reduziu a frota a metade. Mas se a frota está a 50%, nem por isso a ANPC deixa de ir buscar mais quatro pilotos ao Exército, um Tenente-Coronel e 3 Majores, que não estão certificados para voar nessas aeronaves, para o fazerem o Estado vai ter que gastar mais 300 mil euros. A Everjets vai ficar responsável pela operação e manutenção dos Kamov e vai fornecer os pilotos (a Everjets vai ter que integrar os 28 empregados que permaneciam na EMA).


Compra de Anfíbios sem prazo mas aluguer preenche dispositivo

O dispositivo aéreo está estabilizado até 2017, o dispositivo especial de combate a incêndios florestais (DECIF) deverá prever 50 meios aéreos, dos quais dois aviões anfíbios pesados, foi aberto um concurso anual em 2014 para o aluguer, entre 2015 e 2017 já foi feito um concurso plurianual. Com um custo de 30 milhões de euros por parelha, contra os 3,9 milhões por aluguer anual, a compra visa diminuir a dependência do mercado e da ajuda internacional.

Foram iniciados os procedimentos para a candidatura a fundos europeus, que financiarão a operação a 85%, mas o processo é complexo, exigente, em termos de trabalho técnico, preparação do caderno de encargos, candidatura aos fundos e avaliação das propostas, a compra dos dois aviões não deverá estar concluída nem este ano nem no próximo. O que parece firme é que as tripulações dessas aeronaves serão fornecidas pela Força Aérea Portuguesa, que vai participar na elaboração do caderno de encargos e será responsável pela manutenção dos aparelhos, com as vantagens de diminuição de custos (da ANPC) e da FAP aumentar o número de horas de voo dos seus pilotos.

Frota Kamov deverá ter 5 aeronaves, estão a ser desenvolvidos trabalhos para a reparação dos helicópteros, não estando garantido que a aeronave que se despenhou em 3 setembro 2012 em Ourém venha a ter reparação devido aos danos sofridos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 30, 2015, 02:33:31 pm
Citação de: "chaimites"
Cabeça de Martelo;

 Espero nunca te encontrar a aterrar em cima de mim! :mrgreen:


Já agora e por uma curiosidade (já que não posso responder ao Chaimites), os Russos têm uma força semelhante. Faz todo o sentido em países de tamanho continental como os EUA e a Russia. Para Portugal uma força desta natureza seria desperdiçar dinheiro, visto sermos um país pequeno.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Janeiro 30, 2015, 08:22:02 pm
Se classificassem os fogos florestais como actos de eco-terrorismo e metessem alguns elementos do SIS e PJ a trabalhar e as leis fossem mais duras, não teríamos metade das dores de cabeça nem dos gastos que temos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 31, 2015, 11:17:40 am
Citação de: "Camuflage"
Se classificassem os fogos florestais como actos de eco-terrorismo e metessem alguns elementos do SIS e PJ a trabalhar e as leis fossem mais duras, não teríamos metade das dores de cabeça nem dos gastos que temos.

A PJ já investiga estes crimes, o SIS não parece-me ter meios ou competências para tal.

 :arrow: https://www.google.pt/search?q=PJ+prend ... muUcXsgOAP (https://www.google.pt/search?q=PJ+prende+incendiario&ie=utf-8&oe=utf-8&gws_rd=cr&ei=wrnMVMmwE8muUcXsgOAP)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Janeiro 31, 2015, 12:50:19 pm
Eu sei que já investiga este tipo de crimes, só que como é tido como crime de baixo interesse e pouco impacto na sociedade, isto em termos da lei, poucos meios são alocados. Já se classificarem este crime como terrorismo que é (afecta a sociedade toda e produz não só prejuízos ambientais graves, como doenças do foro respiratório, envolve meios financeiros elevados e a curto/médio prazo durante os invernos fazem-se notar os deslizamentos de terras por exemplo), será feita maior alocação de meios e de pessoal, pois eu não tenho dúvidas que isto se tratam de grandes negócios e interesses, essa canção de que quem atiça fogo a matas é maluco, alcoólico ou idoso já não pega. São demasiados anos apanhar peixe pequeno e sem resultados concretos. Daí que a entrada do SIS e mudança na lei poderá vir a criar uma diferenciação. A minimização dos fogos florestais passa por uma resposta dura dos meios de autoridade.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Janeiro 31, 2015, 06:53:47 pm
Ninguém dê-ia olhos ao Camuflage. Ele é claramente um traidor e um jihadista (ou nazista, ou benfiquista, ou comunista, conforme a altura do ano)! Então não é óbvio que uma extensa investigação a muitos destes casos ia acabar por colocar muitos dos nossos bravos e honrosos políticos/empresários na cadeia por terrorismo? Nunca devemos colocar em perigo a liberdade e o poder da nossa classe política! Vejam só o que já fizeram ao nosso salvador Sócrates. Graças a Deus que as velhotas não percebem destes assuntos e portanto vão votar nele para presidente da república nas próximas eleições. Destruir os nossos heróis do PS/PSD/CDS/BE/FS/... é o que aqueles <inserir grupo de pessoas com senso comum aqui> e <inserir grupo de pessoas que realmente querem o melhor para Portugal aqui> querem!

Sem falar que este Camuflage é claramente um jihadista ao querer meter o SIS a investigar fogos florestais e casos de traição à pátria em vez de investigar os temíveis terroristas em Portugal ou, mais importante ainda, ajudar o Sócrates conforme ele precisar.

[/sarcasmo]

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Março 21, 2015, 03:56:07 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Maio 21, 2015, 06:26:38 pm
Esta o circo armado em Ponte de Lima
 
     Incendio florestal  gigantesco!   no troço do  WRC Rally de Portugal
 
    Rally de Portugal em risco de ser anulado!

 http://pt.blastingnews.com/braga/2015/05/rally-de-portugal-pode-ser-anulado-devido-a-incendio-que-lavra-em-ponte-de-lima-00405479.html
 
  15:36    Acionado Helicóptero Bombardeiro Ligeiro.

21/5    15:45    Comandante das Operações de Socorro (COS): Comandante do Corpo de Bombeiros de Ponte de Lima.

21/5    15:59    Acionado Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais (GRIF01) de Braga.

21/5    16:00    Acionado Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais (GRIF01) do Porto.

21/5    16:20    Acionado Grupo de Reforço para Ataque Ampliado (GRUATA) da Força Especial de Bombeiros (FEB).

21/5    16:20    Mobilizados dois Pelotões de Militares para o Teatro de Operações (TO), para apoio à consolidação da extinção e vigilância ativa pós-incêndio.

21/5    16:30    Incêndio ativo com quatro frentes.

21/5    18:05    2º Comandante Operacional Distrital de Viana do Castelo em trânsito para o Teatro de Operações (TO).

21/5    18:05    Acionado Veículo de Comando e Comunicações (VCOC16) de Viana do Castelo para o Teatro de Operações (TO).


 Afirmo com todas as letras; Foi mão criminosa  para arrasar o WRC no Norte do País!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Maio 21, 2015, 08:30:36 pm
21/5         18:44        Acionado Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais (GRIF01) de Aveiro.
21/5    18:44    Acionado Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais (GRIF01) de Viseu.
21/5    20:00    Incêndio ativo com três frentes.
21/5    20:01    COS - Comandante Operações Socorro: 2º Comandante Operacional Distrital de Viana do Castelo.
21/5    20:01    Posto Comando Operacional (PCO) instalado em Cabração. (N 41º 49´54´´ W 08º 39´43´´)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Maio 22, 2015, 02:44:53 pm
Citação de: "ICE 1A+"
Afirmo com todas as letras; Foi mão criminosa  para arrasar o WRC no Norte do País!

A ser verdade é triste, há gente mesmo "pequenina".
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Maio 24, 2015, 03:05:36 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "ICE 1A+"
Afirmo com todas as letras; Foi mão criminosa  para arrasar o WRC no Norte do País!

A ser verdade é triste, há gente mesmo "pequenina".


 
 Vamos ser "Anjinhos"  
 
 Um gigantesco incêndio florestal  com 4 frentes, surge do nada,  precisamente ao longo dos 23 quilometros da Classificativa  de Ponte de Lima

 Juntamente com outras tentativas de ignição em Caminha e Viana do Castelo  

 Pura Coincidência!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Junho 07, 2015, 07:12:51 pm
Boas,

Há umas quantas semanas os media divulgaram esta info quanto aos meio aéreos para combate aos fogos florestais:

Dispositivo Aéreo deste ano, 2015, deverá custar 45,2 milhões de Euros

Será composto por:
 - 6 Helicópteros Pesados Kamov propriedade da ANPC, a operar pela Everjets, custo 11,5 milhões de euros
 - 3 Helicópteros Ligeiros propriedade da ANPC, operados pela Heliportugal, custo 3,2 milhões de euros
 - 33 Helicópteros Ligeiros e Médios alugados à Everjets, custo 8 milhões de euros
 - 8 Helicópteros Ligeiros e Médios alugados à Heliportugal, custo 4,3 milhões de euros
 - 4 Aviões Anfíbios Médios, alugados à Agro-Montiar, custo 2,7 milhões de euros
 - 2 Aviões Anfíbios Pesados (Canadair), alugados à INAER, custo 3,9 milhões de euros
 - 2 Aviões Anfíbios Médios, alugados à Agro-Montiar, custo 1,8 milhões de euros


Frota de Helicópteros do Estado reduzida a metade

3 Kamov estão inoperacionais, um por acidente em setembro 2012, outro está parado desde agosto 2013 por avaria no motor e um novo problema à duas semanas reduziu a frota a metade. Mas se a frota está a 50%, nem por isso a ANPC deixa de ir buscar mais quatro pilotos ao Exército, um Tenente-Coronel e 3 Majores, que não estão certificados para voar nessas aeronaves, para o fazerem o Estado vai ter que gastar mais 300 mil euros. A Everjets vai ficar responsável pela operação e manutenção dos Kamov e vai fornecer os pilotos (a Everjets vai ter que integrar os 28 empregados que permaneciam na EMA).


Compra de Anfíbios sem prazo mas aluguer preenche dispositivo

O dispositivo aéreo está estabilizado até 2017, o dispositivo especial de combate a incêndios florestais (DECIF) deverá prever 50 meios aéreos, dos quais dois aviões anfíbios pesados, foi aberto um concurso anual em 2014 para o aluguer, entre 2015 e 2017 já foi feito um concurso plurianual. Com um custo de 30 milhões de euros por parelha, contra os 3,9 milhões por aluguer anual, a compra visa diminuir a dependência do mercado e da ajuda internacional.

Foram iniciados os procedimentos para a candidatura a fundos europeus, que financiarão a operação a 85%, mas o processo é complexo, exigente, em termos de trabalho técnico, preparação do caderno de encargos, candidatura aos fundos e avaliação das propostas, a compra dos dois aviões não deverá estar concluída nem este ano nem no próximo. O que parece firme é que as tripulações dessas aeronaves serão fornecidas pela Força Aérea Portuguesa, que vai participar na elaboração do caderno de encargos e será responsável pela manutenção dos aparelhos, com as vantagens de diminuição de custos (da ANPC) e da FAP aumentar o número de horas de voo dos seus pilotos.

Frota Kamov deverá ter 5 aeronaves, estão a ser desenvolvidos trabalhos para a reparação dos helicópteros, não estando garantido que a aeronave que se despenhou em 3 setembro 2012 em Ourém venha a ter reparação devido aos danos sofridos.

Alguém me pode clarificar se os Canadair CL215 ou 415 sempre foram alugados/adquiridos porque depois de ter lido a noticia do Jornal I de 13FEV15, que abaixo anexo, nada mais soube sobre este assunto dos meios pesados de combate a fogos florestais :


A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) abriu um concurso público para o aluguer de quatro aviões canadairs por um período de três anos no valor de mais 17 milhões de euros, segundo o Diário da República.
O anúncio do concurso público foi publicado, na quinta-feira, em Diário da República e destina-se à aquisição dos serviços de manutenção, operação e alocação de quatro aviões anfíbios médios e pesados para missões da ANPC.
De acordo com o Diário da República, a ANPC quer alugar dois aviões anfíbios médios para o período de combate a incêndios florestais entre 2015 e 2017 por 5,4 milhões de euros.
Para o mesmo período, a ANPC abriu também o concurso público para a alocação de dois aviões anfíbios pesados pelo valor de 11,7 milhões de euros.


Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Junho 07, 2015, 08:33:47 pm
E drones? Ah pois isso não conta que viola a privacidade dos criminosos, não importa prevenir importa é garantir postos de trabalho sazonais.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Junho 07, 2015, 11:03:47 pm
Citação de: "Camuflage"
E drones? Ah pois isso não conta que viola a privacidade dos criminosos, não importa prevenir importa é garantir postos de trabalho sazonais.

Claro que conta, mas também não conta ter meios capazes de combater eficazmente os incêndios, ou será melhor como afirma ter postos de trabalho sazonais ???

Vejamos um pequeno pormenor, quantas largadas serão necessárias para se igualar os 6000 kgs de capacidade de um CL215/415, pelos meios ligeiros médios que possuimos ??? Serão três, apenas três efectuadas pelos helis ligeiros, e pelos dromadair ???

Epá, então teremos de ter três pilotos, contra dois do CL, aqui já temos mais 50% de empregos sazonais........... e pelo menos o triplo de pessoal de terra para abastecer, de fuel e liquido e não só, as três aeronaves ligeiras em cada rotação, ao invés do CL215/415.... postos de trabalho sazonais...... muito bom !!

Quanto aos criminosos, penso não serem apenas os que iniciam os fogo,s mas também aqueles que usam indevidamente os nossos impostos e aqueles que continuam a alugar meios aéreos ano após ano num País que sofre anualmente este flagelo e continuamos a " largar umas centenas de litros/kgs em cada ataque obrigando a surtidas atrás de surtidas, queimando combustível e horas de voo, originando maior cansaço das tripulações das aeronaves, quando, se a capacidade de descarga fosse maior, em menos tempo, com menor desgaste para tripulações e bombeiros no terreno, se resolviam muitos dos incêndios florestais, bem mas isto sou eu a falar deixo para os especialistas em  " privacidade " e  " postos de trabalho sazonais " os comentários finais.

Fogo á peça e cuidado com os drones  :wink:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Junho 08, 2015, 09:19:49 pm
Criminosos são pagos de forma direta ou indireta para lançar o fogo, isso não é novidade nenhuma. Acredito que em cada 10 incendiários, 1 seja bêbado, 1 seja maluquinho e os restantes 8 são eco-terroristas bem pagos tanto por alguns (ex)bombeiros, fornecedores de equipamento de incêndios, industria de pellets, empresas que fornecem meios aéreos e quiçá até por elementos da própria Proteção Civil. Quando os intervenientes são os mesmos e a história se repete todos os anos é para começar a suspeitar de todos.

O país tem que apostar na prevenção, coisa que não tem efeito, caso munisse a FAP com drones em condições, conseguiriam monitorizam grande parte do território nacional sensível a fogos florestais 24/7 tendo uma capacidade de resposta enorme, a um custo relativamente baixo. O equipamento existe, já não é uma coisa do futuro e inacessível.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Bravo Two Zero em Junho 09, 2015, 12:12:20 am
E que tal uma reforma no estatuto do bombeiro voluntário e reforço dos meios terrestres?
Todos os anos vemos historias de casos de heroismo como ir para uma ocorrência correndo o risco de perder o posto de trabalho por absentismo forçado, com aquela bela m**** do SIRESP e as "zonas sombra" sem cobertura e com viaturas com 20 e mais anos, muitas já com serviço em França ou Alemanha e com pneus recauchutados e tanques rotos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Junho 18, 2015, 11:03:40 pm
Citar
"Neste momento está apenas em condições de plena operacionalidade um dos cinco Kamov da frota do Estado", refere a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) informou hoje que apenas um dos cinco helicópteros Kamov da frota do Estado está operacional e não garante a entrada de outras duas aeronaves no dispositivo de combate a incêndios deste ano.

"Neste momento está apenas em condições de plena operacionalidade um dos cinco Kamov da frota do Estado", refere a ANPC, adiantando que duas aeronaves vão ser reparadas num "curto espaço de tempo" e as outras duas requerem intervenções mais profundas, "não sendo possível garantir a sua entrada no atual dispositivo".

Para compensar a falta destes meios, a Proteção Civil sublinha que foram adotadas medidas alternativas que "passam pela antecipação da entrada de meios aéreos no dispositivo, nomeadamente helicópteros ligeiros e aviões bombardeios médios".

dn.pt
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Julho 11, 2015, 06:45:28 pm
Protecção Civil detecta desvio de fundos nos bombeiros de Macedo de Cavaleiros
(8 de Julho de 2015)
Citação de: "Lusa, Público"
A época de fogos abre envolta em polémica nos bombeiros de Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança, devido a uma inspecção que aponta um alegado desvio de dinheiros e à rejeição do carismático comandante da corporação.

A Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC) não homologou a nomeação proposta pela direcção da Associação Humanitário dos voluntários de João Venceslau, conhecido na região como comandante Joca, que esteve à frente da corporação durante quase 20 anos.

A decisão seguiu-se à conclusão de uma inspecção da ANPC que detectou um alegado desvio de dinheiros destinados às épocas de incêndios de 2012, 2013 e 2014 e pede a devolução de cerca de cinco mil euros.

"Nós não precisamos de estar a fazer manobras para roubar cinco mil euros", afirmou à agência Lusa António Batista, presidente da direcção que em dois anos garante ter posto em ordem as finanças de uma corporação que devia 300 mil euros e viveu asfixiada sem ninguém que lhe fiasse combustível ou peças para viaturas.

António Batista escusou-se a entrar em pormenores sobre as conclusões da inspecção da ANPC, adiantando apenas que já contestou a mesma e sugerindo que "vão ver as contas de 2013 e 2014" da associação.

Em causa estará um alegado esquema conhecido das corporações de bombeiros e que se prende com a utilização das verbas que ANPC distribuiu para as equipas de combates a incêndios florestais (ECIN).

Cada uma destas equipas é composta por cinco elementos e a Protecção Civil paga 45 euros por elemento que nem sempre irão parar na totalidade ao bolso dos que prestam serviço.

A corporação de Macedo de Cavaleiros chegou a ter afixado no regulamento interno para estas equipas - e observado por inspecções anteriores - que o valor a pagar era de 44 euros. O euro remanescente ia para as chamadas "sobras" e seria usado para compra de equipamento.

Até ao Verão passado, a verba paga pela ANPC às ECIN destinava-se à "manutenção" das equipas, mas nesta época a circular nacional foi alterada e impera o pagamento directo ao elemento.

Os resultados da inspecção feita às contas de Macedo de Cavaleiros terão ditado a não homologação da nomeação de João Venceslau para comandante, embora na época de fogos de 2014 não fosse o responsável pela corporação.
Fonte: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/proteccao-civil-detecta-desvio-de-fundos-nos-bombeiros-de-macedo-de-cavaleiros-1701360

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Julho 13, 2015, 07:23:55 pm
Antigo comandante da Protecção Civil condenado pelo crime de peculato
Citação de: "Ana Henriques, Público"
O antigo comandante da Protecção Civil Gil Martins foi esta segunda-feira condenado a quatro anos e meio de prisão com pena suspensa por desvio de fundos. Os juízes da comarca de Lisboa, que consideraram provado o crime de peculato, condenaram ainda Gil Martins a indemnizar o Estado em 102 mil euros.

Em causa estão verbas do dispositivo de combate aos fogos florestais que foram usadas para pagar refeições em restaurantes – vários dos quais de luxo –, estadias em hotéis, material de fotografia, televisão e vídeo, telemóveis e equipamento informático. Segundo os factos que constavam da acusação, em grande parte provados, entre 2007 e 2009 Gil Martins fez transferir para os Bombeiros Voluntários de Barcarena, na qualidade de comandante da Protecção Civil, fundos superiores aos necessários, que depois utilizou em seu proveito ou de familiares e amigos seus.

[continua]
Fonte: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/antigo-comandante-da-proteccao-civil-condenado-pelo-crime-de-peculato-1701887

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 14, 2015, 12:02:11 pm
Esse tipo devia ter sido proibido de exercer funções na Protecção Civil o resto da vida! :evil:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 14, 2015, 02:54:15 pm
Citar
Helicópteros Kamov. Em sete anos, cinco acidentes

Os helicópteros russos têm dado problemas, mas alguns dos acidentes aconteceram por distracção dos pilotos.
Embates em linhas eléctricas, treinos mal sucedidos, falhas súbitas de motores e descolagens mal calculadas.

http://ionline.pt/artigo/402107/helicop ... Portugal_i (http://ionline.pt/artigo/402107/helicopteros-kamov-em-sete-anos-cinco-acidentes-?seccao=Portugal_i)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Julho 14, 2015, 07:46:11 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Esse tipo devia ter sido proibido de exercer funções na Protecção Civil o resto da vida! :evil:

Se fosse na Alemanha, perdia a reforma das funções públicas que exerceu, bem como ficaria inibido de exercer funções para o Estado num período de 10 anos. Já em Portugal é sempre "pena suspensa", o crime compensa.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Crypter em Julho 14, 2015, 11:05:08 pm
Era mesmo algo tipo isto...  :roll:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 15, 2015, 11:18:34 am
Citação de: "Lightning"
Citar
Helicópteros Kamov. Em sete anos, cinco acidentes

Os helicópteros russos têm dado problemas, mas alguns dos acidentes aconteceram por distracção dos pilotos.
Embates em linhas eléctricas, treinos mal sucedidos, falhas súbitas de motores e descolagens mal calculadas.

http://ionline.pt/artigo/402107/helicop ... Portugal_i (http://ionline.pt/artigo/402107/helicopteros-kamov-em-sete-anos-cinco-acidentes-?seccao=Portugal_i)
Em 2009 sobressaiam aos restantes meios alugados. Vá-se lá perceber isto...  :roll: http://www.bvpacodearcos.pt/v3/index.php/incendios/475-incendios-florestais-helicopteros-kamov-qsobressaemq-da-restante-frota-alugada.html

Citação de: "Camuflage"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Esse tipo devia ter sido proibido de exercer funções na Protecção Civil o resto da vida! :roll:  :mrgreen:  :roll:  :roll:  :roll:
(http://3.bp.blogspot.com/-zKgT51T-EKk/Uhs18CHSATI/AAAAAAAABdY/YKWVDaeTApE/s1600/image001.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/q86/s370x247/1233607_10200745336979860_914611213_n.jpg?oh=1ec07e1768bd09f618f2097b1cf6146b&oe=5608509F&__gda__=1439273644_53fa467429717bfa82323b6fd856127f)
(http://2.bp.blogspot.com/-mT8qd2dFi04/Uhs18JY5tFI/AAAAAAAABcs/n-lGvSHcRE4/s1600/image002.jpg)
(http://1.bp.blogspot.com/-RujMUXKFl1c/ThBMWa_CzdI/AAAAAAAAALo/c9lYQWIYu4s/s1600/retardante.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Julho 15, 2015, 07:03:50 pm
Era assim, mas ainda bem que não é, já foram mencionadas as desvantagens dos retardantes. Prevenção ftw!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 16, 2015, 09:34:46 am
A FAB e a USAF usam água no MAFFS. E continuam a ter as suas F.A. a participarem no combate aos fogos florestais.Além disso a prevenção não elimina a capacidade que umas forças armadas devem ter de intervir, nem que seja em situações de emergência quando os incêndios são muitos e em diversos sítios, como acontece por esse mundo fora, seja com os C130 ou AlIII, e inclusive os C295 (em fase experimental). Mas por cá discute-se ainda o "sexo dos anjos".   :roll:
(http://s2.glbimg.com/bV5xJsfzFZ5__tlTxKGIz01XYBI=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/01/23/fab3.jpg)
(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/notimp/3139/foto%20montagem%20c130.jpg)
(http://4.bp.blogspot.com/-PV9gR-2VeVU/Ud1gePSoIjI/AAAAAAAAMZ8/ese9N77Wko8/s1600/Rick+Sforza.jpg)
(http://3.bp.blogspot.com/-X1793xkmfWA/UmTk8KN8gPI/AAAAAAAADik/qhhLunMaM6k/s1600/image002-719181.png)
(http://3.bp.blogspot.com/-YEdU4VQV5dM/Uq7-G9ZRo8I/AAAAAAAAOZg/Vf0AQrhg_JI/s1600/12_11_2013_1.jpg)
(http://www.aviationtrivia.org/images/AlouetteIII_bucket.jpg)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 16, 2015, 11:45:08 am
Citação de: "mafets"
A Alemanha onde uma serie de Ministros e políticos alemães com o Dr. Wolfgang Schäuble à cabeça, pertencem à direcção de supervisão do KFW que curiosamente vai gerir o fundo de garantia Grega, ou estamos a falar de outra Alemanha (nomeadamente aquela dos média e do milagre económico por única e exclusiva culpa própria, esquecendo por exemplo a discriminação existente com os "ossi" http://www.dw.com/en/germans-still-have-walls-in-heads/a-17131880) ?  :roll: https://www.kfw.de/KfW-Group/About-KfW/Vorstand-und-Gremien/Verwaltungsrat-und-seine-Aussch%C3%BCsse/

A Alemanha e os Alemães tinham uma boa base moral para exigir a austeridade aos restantes parceiros europeus, dado o facto que eles próprios tiveram 10 anos da dita cuja e resultou. Não vou entrarem debate pelo facto de eles terem feito isso em tempos de vacas gordas, estou sim a afirmar que o Ministro Schäuble deixa uma imagem de alguém que está a usar o seu posto politico para obter proveito económico. Na minha terra isso tem um nome...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 16, 2015, 12:01:17 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "mafets"
A Alemanha onde uma serie de Ministros e políticos alemães com o Dr. Wolfgang Schäuble à cabeça, pertencem à direcção de supervisão do KFW que curiosamente vai gerir o fundo de garantia Grega, ou estamos a falar de outra Alemanha (nomeadamente aquela dos média e do milagre económico por única e exclusiva culpa própria, esquecendo por exemplo a discriminação existente com os "ossi" http://www.dw.com/en/germans-still-have-walls-in-heads/a-17131880) ?  :roll: https://www.kfw.de/KfW-Group/About-KfW/Vorstand-und-Gremien/Verwaltungsrat-und-seine-Aussch%C3%BCsse/

A Alemanha e os Alemães tinham uma boa base moral para exigir a austeridade aos restantes parceiros europeus, dado o facto que eles próprios tiveram 10 anos da dita cuja e resultou. Não vou entrarem debate pelo facto de eles terem feito isso em tempos de vacas gordas, estou sim a afirmar que o Ministro Schäuble deixa uma imagem de alguém que está a usar o seu posto politico para obter proveito económico. Na minha terra isso tem um nome...
Aparentemente nas F.A. alemãs que estão nas "lonas" não resultou (resta saber porque, mas não vou entrar por aí).
Citar
Leaked parliamentary report details the shocking state of European nation’s military hardware http://www.theguardian.com/world/2014/oct/07/germany-military-hardware-disrepair-exposure
A questão aqui é que não é apenas o Ministro Schäuble, mas todo um conjunto de políticos e entidades que lucra com isto, seja no resgate, forma como é feito ou nas privatizações (por alguma razão a defesa grega continua pouco afectada mesmo num país sem dinheiro ).  
Citar
This year, Greece plans to spend €3.25 billion on defense, down 46 percent from the 2010 figure. Procurement spending in 2015 will amount to €700 million, down 65 percent from 2010
http://www.defensenews.com/story/defense/policy-budget/2015/01/31/greece-election-defense-cuts/22484505/

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 16, 2015, 12:42:49 pm
Certo, mencionei o dito politico porque ele é a cara da austeridade imposta aos restantes parceiros europeus e porque tem sido o maior opositor do Syriza.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 16, 2015, 03:12:11 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Certo, mencionei o dito politico porque ele é a cara da austeridade imposta aos restantes parceiros europeus e porque tem sido o maior opositor do Syriza.
É verdade, principalmente neste ultimo acordo que calha muito bem por exemplo ao Banco onde tem assento. Mas também não deixa de ser verdade que os cortes de 400 milhões que os Gregos queriam fazer na defesa antes do referendo para salvar as pensões, com franceses e alemães de acordo, foram vetados pela Dr.ª Lagarde e o FMI (que segundo o citado Jornal Alemão  Frankfurter Allgemeine Zeitung, não teria sido a única proposta rejeitada).http://www.infogrecia.net/2015/06/cortes-na-defesa-para-salvar-pensoes-nem-pensar-diz-o-fmi/.  
Citar
Cortes na Defesa para salvar pensões? “Nem pensar!”, diz o FMI
Christine Lagarde, Foto Stephen Jaffe/FMI
14 Junho, 2015
eurocrisenegociações, fmi
O diário alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung revela que o FMI rejeitou uma proposta que já tinha luz verde da Comissão Europeia: cortar no orçamento da Defesa da Grécia o equivalente aos 400 milhões que os credores queriam cortar nas pensões dos gregos.


Na edição de domingo, o FAZ cita sob anonimato fontes “envolvidas nas negociações”, que se dizem incomodadas com uma “situação completamente paradoxal: no fim quem decide o destino da Europa é uma instituição que não representa nenhum país”.

Para além de ter vetado uma proposta que poderia desbloquear um dos “pontos quentes” das negociações, o FMI também é responsabilizado pelas mesmas fontes por outro episódio que irritou Bruxelas e Berlim. Quando os credores prepararam as propostas a fazer à Grécia, que exigiam um saldo primário de 1% do PIB este ano, acordaram uma margem negocial para aceitar como satisfatório um saldo de 0.8%. Só que Lagarde telefonou no dia seguinte a Merkel para fazer marcha-atrás no que se comprometera. Assim, Juncker perdeu margem de manobra quando apresentou a proposta a Tsipras, que reagiu apelidando-a de “inaceitável e absurda”.

Apesar dos avanços e recuos do FMI nas últimas 48 horas, prevê-se que os seus responsáveis regressem à mesa das negociações no domingo para analisar as contrapropostas gregas uma a uma. Este sábado, o ministro grego Nikos Pappas reuniu com o chefe de gabinete de Juncker para preparar esse encontro com o BCE e o FMI, que pode ser decisivo para alcançar um acordo antes da reunião do Eurogrupo.
Agora, independentemente dos defeitos dos alemães, tem as suas F.A. a combater incêndios.  :wink:  
(http://blog.joins.com/usr/t/on/tony4328/1205/4fb9c00473f27.jpg)
(http://de.academic.ru/pictures/dewiki/115/sikorsky_ch-53_04.jpg)
(http://footage.framepool.com/shotimg/780588532-bell-205-uh-1d-fire-fighting-helicopter-firefighting-water-non-urban-scene.jpg)
(http://c8.alamy.com/comp/DGKT9X/bundeswehr-federal-army-helicopter-bell-uh-1d-huey-with-water-tank-DGKT9X.jpg)
Citar
http://footage.framepool.com/en/shot/867155450-thumsee-eurocopter-sa-330-puma-fire-fighting-helicopter-firefighting-water

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 05, 2015, 10:27:09 am
Um exemplo recente de helicopteros militares utilizados no combate aos fogos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 12, 2015, 08:47:09 pm
(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/p180x540/11846681_10204188730069211_7133267082358844890_n.jpg?oh=c7e4007f0b5d6df778450c6fdd9db82d&oe=563C5D6D)

Foto de hoje. Engenharia / Exército.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 15, 2015, 12:40:35 am
(https://scontent-fra3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/11898582_1681973098699943_6694583350818590527_n.jpg?oh=d47daf49f5cdc1292c6edc8edba6c4ce&oe=567833BF)
(https://scontent-fra3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/11899780_1681973198699933_2810041965212400555_n.jpg?oh=c5d11137ce0dc626dc9d6f6c7079a73e&oe=567D9758)


Tanto esforço no combate e no entanto...

Citar
Incêndio florestal deixa de ser "crime de investigação prioritária"
A decisão do Parlamento contraria o parecer enviado pela Procuradora-Geral da República.

O incêndio florestal vai deixar de ser um "crime de investigação prioritária".

A lei que define os objetivos e prioridades da política criminal até 2017 foi aprovada em Junho e entra em vigor em Setembro.

Incluiu o incêndio apenas nas prioridades da prevenção e não da investigação.

A decisão do Parlamento contraria o parecer enviado pela Procuradora-Geral da República.
- See more at: http://www.rtp.pt/noticias/politica/inc ... PJFCk.dpuf (http://www.rtp.pt/noticias/politica/incendio-florestal-deixa-de-ser-crime-de-investigacao-prioritaria_v851193#sthash.fmNPJFCk.dpuf)

E ainda perdem tempo a discutir meios aéreos?!
Eles estão a ca*** para isso!!
As negociatas são para manter!
Os bombeiros e a tropa que se fo***!
Decisão aprovada pela maioria, com a abstenção do PS (que é o mesmo que dizer que sim) com a oposição dos restantes partidos.

Isto merecia uma manifestação.

Uma petição para assinar:  :arrow:  viewtopic.php?f=21&t=9102&start=60#p261531 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=21&t=9102&start=60#p261531)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Agosto 15, 2015, 01:58:35 am
Citar
O incêndio florestal vai deixar de ser um "crime de investigação prioritária".

A lei que define os objectivos e prioridades da política criminal até 2017 foi aprovada em Junho e entra em vigor em Setembro.

Incluiu o incêndio apenas nas prioridades da prevenção e não da investigação.

A decisão do Parlamento contraria o parecer enviado pela Procuradora-Geral da República.

Vê-se que a classe política deve andar preocupada com os resultados dessas investigações. Porquê será? (pergunta retórica...)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Março 03, 2016, 02:00:10 pm
Reparação dos Kamov vai Custar 8,5 Milhões de Euros

Citar
A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, disse hoje, no parlamento, que a reparação dos dois helicópteros Kamov vai custar 8,5 milhões de euros.

No âmbito da discussão da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado para 2016, Constança Urbano de Sousa afirmou aos deputados que, dos três helicópteros pesados do Estado inoperacionais, um está “praticamente destruído” e dois vão ser reparados com um custo de 8,5 milhões de euros.

O resto em:
http://www.bps.pt/2016/03/02/reparacao-dos-kamov-vai-custar-85-milhoes-de-euros/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Abril 08, 2016, 02:45:28 pm
Cada hora de voo de um Kamov custou 35 mil euros
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-04-06-Cada-hora-de-voo-de-um-Kamov-custou-35-mil-euros

Isto de certeza que não são numeros "normais", tem que haver muita gente a "meter ao bolso".

Tenho ideia que mesmo os meios mais caros de operar da Força Aérea como os F-16, P-3, C-130 e EH101 são, valores redondos, os 5.000 euros/hora, o Alouette III é o mais baratinho, anda pelos 500 euros/hora, mas tudo muito longe de 35 mil euros/hora.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Abril 08, 2016, 05:58:03 pm
Cada hora de voo de um Kamov custou 35 mil euros
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-04-06-Cada-hora-de-voo-de-um-Kamov-custou-35-mil-euros

Isto de certeza que não são numeros "normais", tem que haver muita gente a "meter ao bolso".

Tenho ideia que mesmo os meios mais caros de operar da Força Aérea como os F-16, P-3, C-130 e EH101 são, valores redondos, os 5.000 euros/hora, o Alouette III é o mais baratinho, anda pelos 500 euros/hora, mas tudo muito longe de 35 mil euros/hora.

É um roubo descarado, nem um voo comercial de longo curso chega a valores desse género ! :mala: :mala:
Com as despesas de combustível, Catering, MNT, taxas de rota, taxas de aterragem, e de estacionamento se forem aplicadas, caso de N/S e custos de tripulação, nem sei o que te diga não havia companhia que resistisse !! :amazing: :amazing: :amazing:
É mesmo só roubar, esta vilanagem que nos tem desgovernado no seu melhor, se calhar alguém anda a precisar, como o outro disse, de um par de bofetadas !! :G-bigun:

 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Abril 08, 2016, 11:05:05 pm
Vocês não percebem nada disto, pá. Trata-se da versão stealth do Kamov, também conhecida por F-35.  ;D

http://www.businessinsider.com/chart-shows-hourly-cost-of-military-aircraft-2014-12 (http://www.businessinsider.com/chart-shows-hourly-cost-of-military-aircraft-2014-12)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ARIES em Maio 13, 2016, 10:21:57 pm
O que eu ainda mais gosto deste artigo é da fotografia.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/tres-helicopteros-kamov-operacionais-no-arranque-da-epoca-de-fogos-1731862
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Alvalade em Maio 13, 2016, 10:32:07 pm
O que eu ainda mais gosto deste artigo é da fotografia.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/tres-helicopteros-kamov-operacionais-no-arranque-da-epoca-de-fogos-1731862

 :bang: :bang:

Jornalismo não existe em Portugal.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Junho 14, 2016, 12:05:15 am
Isto so mesmo em Portugal!
Quando acertamos e fazemos uma boa compra, porque não ha melhor que o kamov para combate a incendeos florestais, transformamos o bom negocio numa negociata de milhoes onde todos querem deitar a mão a uma fatia do bolo!

Lembro as conversas que tive com o meu amigo chaimites
O Kamov e um "mono" compacto uma besta de carga, com apenas 15 metros de perimetro de helice reabastece em qualquer piscina ou  tanque de agua!  devido ao seu formato compacto e a ausencia de rotor de cauda e carrega como nenhum outro da sua envergadura.
vejam o que dizem dele nos outros paises onde ele  opera!
Querem queimar o kamov porque ele faz o trabalho de 5 helis ligeiros desses que são contratados para a epoca de incendeos.

A Força aerea poderia desempenhar o papel mas APENAS se tivesse uma frota dedicada ao efeito, o combate aos oncendeos nao e compatível em termos de manutenção com os censores e todo o equipamento que um heli militar necessita.  estariamos a degradar equipamento carissimo e que nao faz falta para o combate a um incendeo!
O combate a um incendeo é a tarefa mais dura, a nível de desgaste, que se pode pedir a um helicoptero. 
Imaginem  os motores a aspirar ar sobreaquecido e cheio de particulas de cinza. o desgaste e muito maior do que fazer um simples voo de rotina.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Junho 14, 2016, 10:26:03 am
Isto so mesmo em Portugal!
Quando acertamos e fazemos uma boa compra, porque não ha melhor que o kamov para combate a incendeos florestais, transformamos o bom negocio numa negociata de milhoes onde todos querem deitar a mão a uma fatia do bolo!

Lembro as conversas que tive com o meu amigo chaimites
O Kamov e um "mono" compacto uma besta de carga, com apenas 15 metros de perimetro de helice reabastece em qualquer piscina ou  tanque de agua!  devido ao seu formato compacto e a ausencia de rotor de cauda e carrega como nenhum outro da sua envergadura.
vejam o que dizem dele nos outros paises onde ele  opera!
Querem queimar o kamov porque ele faz o trabalho de 5 helis ligeiros desses que são contratados para a epoca de incendeos.

A Força aerea poderia desempenhar o papel mas APENAS se tivesse uma frota dedicada ao efeito, o combate aos oncendeos nao e compatível em termos de manutenção com os censores e todo o equipamento que um heli militar necessita.  estariamos a degradar equipamento carissimo e que nao faz falta para o combate a um incendeo!
O combate a um incendeo é a tarefa mais dura, a nível de desgaste, que se pode pedir a um helicoptero. 
Imaginem  os motores a aspirar ar sobreaquecido e cheio de particulas de cinza. o desgaste e muito maior do que fazer um simples voo de rotina.

Sem sombra de dúvida, as aeronaves Russas são conhecidas por " Forte e feio " e desde que cumpram a função o resto são tretas !!!!!
No que respeita a este Heli, nem sei como aquela geringonça descola e se mantêm no AR ........ :banana: :banana: :banana: :banana: :banana: :banana: :G-sig: :G-sig: :G-sig: :G-sig: :G-sig:

(http://i1357.photobucket.com/albums/q745/jolumeme/kamov18dd41_zpsgfpir2hc.jpg) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/kamov18dd41_zpsgfpir2hc.jpg.html)

(http://i1357.photobucket.com/albums/q745/jolumeme/Ka-32A11BCCS-HMO_16_zpsnfq2ypvs.jpg) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Ka-32A11BCCS-HMO_16_zpsnfq2ypvs.jpg.html)

estes Helis ............
São desconfortáveis ??? MUITO !!!
Tem espaço interno muito reduzido ??? TEM !!!
Tem grande capacidade de carga suspensa para o seu PMD ????? TEM !!! A maior da sua classe !!
Então porque não temos mais ??????? CORRUPÇÃO !!! Apenas isso !!!

(http://i1357.photobucket.com/albums/q745/jolumeme/408006_zpsbmvhchwq.jpg) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/408006_zpsbmvhchwq.jpg.html)



Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 14, 2016, 11:38:37 am
No que respeita a este Heli, nem sei como aquela geringonça descola e se mantêm no AR ........ :banana: :banana: :banana: :banana: :banana: :banana: :G-sig: :G-sig: :G-sig: :G-sig: :G-sig:

A resposta mais lógica penso que é esta ;D.

(http://img.myconfinedspace.com/wp-content/uploads/2008/06/helicopters-they-can-not-actually-fly-they-just-so-ugly-the-earth-repels-them-500x400.jpg)

Em relação aos Kamov também concordo que me parece a melhor máquina para esse serviço, e quando se fala em por a Força Aérea no combate aos incêndios ia ficar chocado se fosse para colocar o "balde" no EH101, não sei se ia incluir a FAP passar a ter pilotos e mecânicos a tratar dos Kamov, mas se pelo menos tratasse da "gestão" e acabasse com as negociatas, eu já ficava contente.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Junho 15, 2016, 02:23:01 pm
Eu até sugeria outra opção, mas já sei que toda a gente me vai cair em cima. 1) Se os gajos da EMA, da protecção civil e dos bombeiros (chefias) são todos uma cambada de corruptos, mais interessados em negociatas e comissões do que em em fazer o que lhes compete; 2) com a FAP a demonstrar um continuado desinteresse em operar meios que não se enquadram nas suas missões principais (em particular material russo). Porque não atribuir os meios aéreos à GNR?

Afinal de contas, a GNR já dispõe do GISP. Existe ainda a vantagem adicional de uma melhor coordenação quando for necessário empregar os aparelhos em operações policiais da GNR, da PSP, da PJ, ou de qualquer outro OPC. No fundo, seria integrar a EMA na GNR, com a garantia de que as negociatas e a corrupção seriam fortemente diminuídas (enfim, não se pode garantir 100%), com as inerentes poupanças para o Estado e os ganhos de eficácia e eficiência associados a uma organização militar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 15, 2016, 02:56:24 pm
Por mim o GISP não devia sequer existir. Mas não vamos discutir isso pois agora já está.

Tendo os meios aéreos na GNR pergunto:

-Onde seria feita a formação dos pilotos e dos mecânicos?

-A quem pertenceria a base operacional e toda a estrutura de apoio e manutenção? Tancos, Ponte de Sôr...

-O que fariam os meios fora da época de incêndios? Imagino certas situações em que poderiam ser úteis. Mas muito mais seriam na FA.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Junho 15, 2016, 04:41:44 pm
Pois nao sei, mas também posso deixar mais algumas perguntas:

- onde é feita a formação dos pilotos e dos mecânicos da Marinha?
- a quem pertence a base operacional e toda a estrutura de apoio e manutenção dos helis da Marinha?

A mentalidade (ou a falta de carcanhol) da estrutura militar-policial portuguesa não parece favorecer muito a utilização do helicóptero — o automóvel com motorista parece levar a melhor. No entanto, a maior parte das polícias por esse mundo fora, incluindo as do maior grupo económico de que fazemos parte (OCDE), parecem dar alguma importância e uso a esse tipo de plataforma.

Como exemplo, temos a Guardia Civil que, com mais de 40 helis na sua frota, suplanta a totalidade de helis ao serviço das nossas FFAA. Claro que há diferenças de escala (a Espanha tem uma superfície 5 vezes maior que a nossa e uma população 4 vezes maior), mas não me parece que a Espanha tenha helis na Guardia Civil (e no CNP) só para esbanjar dinheiro — até porque helicópteros são coisa que não falta nas suas FFAA.

Mas para ampliar o espectro das comparações, nada melhor do que providenciar um exemplo do outro extremo. A Croácia, que adoro referir, porque são mais pequenos e pobres que nós mas, pasme-se, dispõem de 6 CL-415 na sua força aérea e 8 helicópteros na polícia (e não é for falta de helis na sua força aérea).

Atenção camarada HSMW, acho as suas questões extremamente pertinentes, mas a minha sugestão trata-se apenas de uma ideia inconsequente para animar a conversa, já que na realidade pouco vai mudar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 15, 2016, 08:10:42 pm
Estão a esquecer um interveniente muito poderoso e que ainda não falaram nele sequer. Referiram o poder central (políticos que nos governam), mas esqueceram o poder local, muito, mas muito poderoso. Não é qualquer Ministro que se pode dar ao luxo de dizer "NÃO" a um Presidente da Câmara que lhe bata à porta em Lisboa.

O poder local ganha eleições se controlar as maiores instituições do seu Concelho, a começar pelos seus funcionários, pelas empresas municipais, pelas escolas públicas locais (o Conselho Geral tem uma grande componente de participantes do Município, como Bombeiros, funcionários da escola, professores, representantes dos alunos, CLDS local, etc, etc... um Presidente de Câmara astuto, consegue controlar este Conselho que por sua vez nomeia o Director da Escola), Santas Casas (basta ver quem faz parte da Direcção), Instituições Públicas no local (não esquecer que as pessoas moram nos locais e são influenciáveis), ..... e depois temos as Associações de Bombeiros Voluntários, onde a Direcção é quase sempre da cor política predominante e que por sua vez, esta Direcção vai escolher os elementos do Comando de Bombeiros. Vejam e confiram lá os locais onde é guerras dentro dos Bombeiros Voluntários, não coincide com mudanças da cor política no Município!!!

Aliás, não é por acaso que o Presidente das Associações de Bombeiros é um ex-autarca.........
Ora, fazendo as Associações Voluntárias parte da máquina partidária local, acham mesmo que os incêndios podem ser dirigidos centralmente e passando por cima do poder local?.....

Há sempre uma guerra quando é para escolher os Municípios que vão ter um helicóptero de combate aos incêndios, ou novas ambulâncias, ou novos carros de combate aos incêndios equipados sempre nas mesmas empresas, etc, etc......
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 16, 2016, 01:26:23 pm
Bem dito Viajante, faz-me lembrar a novela do helicoptero do INEM em sair de Macedo de Cavaleiros para Vila Real.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/a-guerra-acabou-o-helicoptero-do-inem-fica-em-macedo-de-cavaleiros-1733369
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 16, 2016, 02:28:49 pm

Atenção camarada HSMW, acho as suas questões extremamente pertinentes, mas a minha sugestão trata-se apenas de uma ideia inconsequente para animar a conversa, já que na realidade pouco vai mudar.

Nunca se sabe pois este fórum é lido por muita gente em funções relevantes.
Porque da minha parte os helicópteros até podem ser entregues aos escuteiros desde que se acabe com este negócio dos fogos!!!
O que acredito que aconteceria é que no 1º Verão após uma tomada de decisão destas os interesses iriam tentar pegar fogo ao país todo para tentar justificar a sua existencial com a falta de capacidade e inexperiência de quem assumiu as novas funções.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 16, 2016, 03:00:27 pm
Bem dito Viajante, faz-me lembrar a novela do helicoptero do INEM em sair de Macedo de Cavaleiros para Vila Real.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/a-guerra-acabou-o-helicoptero-do-inem-fica-em-macedo-de-cavaleiros-1733369

 :G-beer2:

E eu recordo-me muito bem do caso de Lamego, até por ser da região, em que quase tudo o que pertencia aos comandos dos bombeiros da zona, andou de Helicóptero (a gastarem as horas disponíveis para combater incêndios) para as patuscadas, e até para atirarem flores na procissão dos Remédios :)

E apesar de tantos anos passados, o Comandante é o mesmo :)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Junho 18, 2016, 01:46:32 pm
Entretanto podem deixar  uma moedinha na corporação de voluntarios mais proxima.

(http://i68.tinypic.com/71k94g.jpg)

E não se esqueçam que o "Zé" bombeiro voluntário, vai a luta por paixão, não entra nas guerras do camando, dos presidentes de camara, nas guerras das diferentes organizaçoes de bombeiros profissionais e  muito menos nas guerras  dos ministérios, antes pelo contrário, e vitima deles,  e muitos,  se querem botas que não sejam de borracha, pagam-nas do proprio bolso.
Antes de darem o donativo informem-se sobre o organizador do mesmo, não se va dar o caso dele ir parar as mãos do Comando la do sítio............... que depois o usa como lhe der na "real gana".
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 20, 2016, 10:00:55 am
Isto so mesmo em Portugal!
Quando acertamos e fazemos uma boa compra, porque não ha melhor que o kamov para combate a incendeos florestais, transformamos o bom negocio numa negociata de milhoes onde todos querem deitar a mão a uma fatia do bolo!

Lembro as conversas que tive com o meu amigo chaimites
O Kamov e um "mono" compacto uma besta de carga, com apenas 15 metros de perimetro de helice reabastece em qualquer piscina ou  tanque de agua!  devido ao seu formato compacto e a ausencia de rotor de cauda e carrega como nenhum outro da sua envergadura.
vejam o que dizem dele nos outros paises onde ele  opera!
Querem queimar o kamov porque ele faz o trabalho de 5 helis ligeiros desses que são contratados para a epoca de incendeos.

A Força aerea poderia desempenhar o papel mas APENAS se tivesse uma frota dedicada ao efeito, o combate aos oncendeos nao e compatível em termos de manutenção com os censores e todo o equipamento que um heli militar necessita.  estariamos a degradar equipamento carissimo e que nao faz falta para o combate a um incendeo!
O combate a um incendeo é a tarefa mais dura, a nível de desgaste, que se pode pedir a um helicoptero. 
Imaginem  os motores a aspirar ar sobreaquecido e cheio de particulas de cinza. o desgaste e muito maior do que fazer um simples voo de rotina.
Ice, ninguém consciente quer ver um Helicóptero como o Eh101 ou o Lynx a combater incêndios, até porque estes são necessários para outras funções e são poucos para a realidade nacional. Agora, relativamente a outras aeronaves que passaram pela FAP (e colocando os Puma de lado, pois tinham outros sensores também sensíveis ao calor, eram poucos  e eram necessários para as tais outras funções como SAR), tivemos os Al III e Al II, sendo que quantos passaram pela FAP? Não são os melhores meios mas em diversas F.A. fizeram essa função quando não existia mais nada. Por cá. e voltando aos Al II que foram recebidos da Policia Alemã, venderam-nos. Hoje, existem meia dúzia de AL III a voar e o AL II foi retirado, assim como os Puma encaixotados porque ninguém os quis, nem tão pouco faz sentido falar em colocar algum desses helis numa função como combate a fogos. Agora no passado, foi questão de capelinhas e negociatas, mesmo que se tratasse de alguns meios FAP a reforçarem o combate aos incêndios em caso de emergência. E as Forças Aéreas operarem no combate efectivo a incêndios, por esse mundo fora com os SEUS PRÓPRIOS MEIOS a ajudar os bombeiros e populações sempre aconteceu e continua a acontecer (por norma são os helicópteros de transporte, os com equipamento mais sensível, não o fazem), por cá tem de ser uma frota dedicada ao efeito porque? Os Chinock e os H60 por exemplo de diversos países não levam com o calor  em cima, os motores apanham toda a porcaria e continuam a ser chamados para intervir nos fogos e  continuam a ter treino e equipamento para essa função? (https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4b/BGS-Hubschrauber_Alouette_II.jpg)
(https://www.austrianwings.info/wp-content/uploads/2015/09/AirChallenge-Styria-2015-Anton-Wildberger_024-Alouette-III-Bundesheer.jpg)
Em segundo lugar, e penso ser um ponto comum neste forum, ninguém questiona a aquisição dos Kamov (nem dos Ecureuil), mas tudo o resto. Desde negociatas  a manutenção feita em cima do joelho, tudo foi e é permitido. E ira continuar a ser pois os amigos têm de enriquecer, existem contratos assinados até Junho de 2019 e politicamente ninguém tem vontade de mudar. 
(https://img.planespotters.net/photo/318000/original/cs-hml-ema-kamov-ka-32a-11bc_PlanespottersNet_318306.jpg)
(http://i124.photobucket.com/albums/p22/josereislopes/_MG_4772.jpg)
Ponto 3. Por quantos anos foram usados Hidros em SAR e Patrulha Marítima? A própria Bombardier oferece essa opção no Cl415, uma aeronave bastante versátil. Mas se o problema é o melhor desempenho dos helicópteros, a maior parte dos usados em outros paises, alguns em substituição do Al III, por lá combatem incêndios.
Citar
Special missions

Since 2004, the Bombardier 415 MP aircraft has been a proven performer for Search and Rescue (SAR) utility transport, law enforcement and environmental control missions.

http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html (http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html)
(http://www.bombardier.com/content/dam/Websites/bombardiercom/Banners/banner-920x270/ba/bombardier-aerospace-amphibiousaircraft-415mp.jpg/_jcr_content/renditions/cq5dam.web.920.270.jpeg)
(https://c1.staticflickr.com/3/2930/14563905248_b2a48c59cc_b.jpg)   
Até o At802 tem uma versão armada. Quiça não fazia uma perninha nos fogos e andava o resto do tempo atrás das aeronaves que escapam aos F16.,,  ;D ;)
(http://i226.photobucket.com/albums/dd80/cenciotti/Antincendi%20Crisponi/AirTractor_Crisponi.jpg)
(https://img.planespotters.net/photo/423000/original/n2094x-united-arab-emirates-air-force-air-tractor-at-802f_PlanespottersNet_423576.jpg)

Saudações

P.S. Não me parece que colocar os meios aéreos do MAI na GNR seja disparatado. Penso até ser mais viável que continuar como está. Mas temos também a UALE, pintavam-se de camuflado e  até dava para treinar umas inserções o resto do tempo.  ::) ;D
(http://static.panoramio.com/photos/large/6218678.jpg)
P.S.2 - Felizmente quando é para os voluntários tenho uma certa corporação que sei ser idónea. Os valores ficam bem entregues e são usados para a função que se destinam. Felizmente.  ;)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Junho 20, 2016, 11:25:05 pm
Antes de mais, tenho de concordar com o HSMW, o GISP não deveria existir e é um sintoma de como as coisas andam mal organizadas neste país e cheio de capelinhas.

Eu até sugeria outra opção, mas já sei que toda a gente me vai cair em cima. 1) Se os gajos da EMA, da protecção civil e dos bombeiros (chefias) são todos uma cambada de corruptos, mais interessados em negociatas e comissões do que em em fazer o que lhes compete; 2) com a FAP a demonstrar um continuado desinteresse em operar meios que não se enquadram nas suas missões principais (em particular material russo). Porque não atribuir os meios aéreos à GNR?

Afinal de contas, a GNR já dispõe do GISP. Existe ainda a vantagem adicional de uma melhor coordenação quando for necessário empregar os aparelhos em operações policiais da GNR, da PSP, da PJ, ou de qualquer outro OPC. No fundo, seria integrar a EMA na GNR, com a garantia de que as negociatas e a corrupção seriam fortemente diminuídas (enfim, não se pode garantir 100%), com as inerentes poupanças para o Estado e os ganhos de eficácia e eficiência associados a uma organização militar.
Eu há algum tempo atrás também já referi isso e concordo. Faria todo sentido colocar estes meios que são menos adequados para missões militares e que poderiam fazer fora da época de incêndios as missões de interesse público a partir da GNR.

No entanto, não sou grande fá da ideia porque acho que para o nosso país a FAP conseguiria muito bem operar, manter e gerir todos os meios aéreos. Mesmo que se tivesse de subcontratar grande parte da manutenção dos Kamov a privados ou até depender de pilotos civis ou milicianos durante a época de incêndios. Eu acho que o problema não é a FAP demonstrar um interesse em «operar meios que não se enquadram nas suas missões principais (em particular material russo)». O problema mesmo, é a falta de verbas para treinar tripulações e para manter e operar estes meios aéreos. Esse é que o grande problema que leva ao desinteresse por parte da FAP.

Para além disto, outro motivo que me leva a não ser grande fá da ideia de ter a GNR com estes meios aéreos, é o facto da GNR andar a engordar demasiado e a transformar-se num verdadeiro monstro que faz tudo. Faz de polícia, faz de Exército privado para o governo quando o PR não quer enviar forças militares para o estrangeiro (i.e., Iraque), faz de polícia da UE, faz de agência de fiscalização, faz de bombeiros, etc.

Entretanto, aproveito para mandar um bitaite que me lembrei: se os Kamov não fazem muito sentido na FAP, ou onde quer que seja, fora da época de incêndios, então poderiam ficar no Exército onde a sua capacidade de transporte de cargas suspensas sempre iria dar uma ajuda para transporte equipamento e peças de artilharia.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Junho 26, 2016, 07:36:26 pm
O problema dos Kamov nas forças armadas parece que tinha a ver com as certificaçoes NATO dos pilotos
As horas passadas no ar com o kamov não iam contar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 26, 2016, 07:41:52 pm
Contar para o quê?
Metam pilotos em RC...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Alvalade em Junho 26, 2016, 08:39:25 pm
Não podemos usar os Kamov, mas os outros podem usar mi-8 e mi-24?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Junho 26, 2016, 11:56:42 pm
Não podemos usar os Kamov, mas os outros podem usar mi-8 e mi-24?
Sem pesquisar sobre o assunto, talvez porque:
1. Os "nossos" Kamov Ka-32 são uma versão civil;
2. Os Mi-8 e Mi-24 dos outros já foram certificados para padrões NATO;
3. Para não ferir a sensibilidade dos coitadinhos dos países do antigo pacto de Varsóvia.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 30, 2016, 11:08:17 pm
MAFFS em acção.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 09, 2016, 11:47:36 am
Sem comentários

https://www.noticiasaominuto.com/pais/635870/dois-avioes-canadair-espanhois-esperados-em-viana-do-castelo
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: typhonman em Agosto 09, 2016, 11:16:02 pm
Deixa arder...

esta conversa ja enoja todos os anos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 10, 2016, 07:42:28 pm
Os Açores também já enviaram bombeiros para a Madeira e para o Continente, tem aqui a página do Facebook dedicada a esses homens chama-se Missão 16-23.

Não consigo por o link não sei porquê.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Camuflage em Agosto 10, 2016, 08:29:19 pm
O povo segue de férias e está-se marimbando. Se as praias estivessem arder garanto que já haveria medidas de prevenção e muita gente presa. Nem o governo se preocupa, é deixar arder o mato, anormal já é que não arda nada durante o Verão...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 10, 2016, 10:23:46 pm
Vão chegar esta noite a Portugal 5 Canadair de Espanha, Itália e Marrocos, para combaterem os fogos já ao início de amanhã!!!!!
Título: Agarrei-me à carteira
Enviado por: Get_It em Agosto 11, 2016, 01:11:36 am
Ultimamente não tenho andado com grande apetite para contribuir nesta discussão mas aproveito para deixar aqui este artigo de opinião.

Citação de: Henrique Pereira dos Santos, Público
«Temos de fazer com a floresta o que fizemos com a protecção civil há dez anos», terá dito o senhor primeiro-ministro e confesso que a minha primeira reacção foi agarrar-me à carteira.

Há cerca de dez anos, era o senhor primeiro-ministro o ministro da Administração Interna, que é quem manda no sistema de protecção civil.

15 dias de vento Leste bem rijo (em rigor, 14 dias, porque num dos dias o vento rodou 90 graus, e depois voltou a rodar para Leste, o que tornou tudo ainda mais difícil) em 2003 tinham levado a uma área ardida de mais de 400 mil hectares, uma oportunidade de ouro para um ataque cerrado ao governo de então, à desorganização dos bombeiros e trinta por uma linha.

Dois anos depois, em 2005, mais de 200 mil hectares ardidos, umas eleições e aí temos reunida a vontade política para resolver o problema dos fogos.

Foi assim que se criou o Fundo Florestal Permanente, alimentado com uma taxinha nos combustíveis, foi assim que se fez a tal reorganização da protecção civil de que fala agora o senhor primeiro-ministro e foi assim que foram chamados técnicos reconhecidos para fazer um Plano Nacional da Defesa da Floresta contra Incêndios, com muita prevenção prevista e centrada no problema da gestão do território, a montante do combate.

Um território bem ordenado é um bem comum que interessa aos comuns, era a justificação central para a colecta de recursos.

Depois de garantido o apoio político para a revolução na gestão do problema apoiou a aliança entre protecção civil e poder autárquico na luta pelos recursos existentes e a captar, deixando os reais donos do problema, isto é, os gestores do território, essencialmente na mesma. Uma luta diária que deixou uma escola muito enraizada na protecção civil, prolongando-se muito depois da saída do ministro que vergou o então ministro da Agricultura nas opções sobre fogos florestais e destruiu por completo o Plano Nacional de Defesa das Florestas contra Incêndios. Veja-se o recente despacho N.º 9473/2016 de 25 Julho: o tal Fundo Florestal Permanente, o que iria financiar a prestação de serviços ambientais que o mercado não remunera, como a limpeza de matos pelo pastoreio, transfere para a GNR 3,6 milhões de euros para pagar a vigilantes.

O Estado reconhece que na base do problema dos fogos está uma falha de mercado (que não remunera os serviços ambientais prestados no âmbito de actividades económicas pouco competitivas), o Estado decide colectar coercivamente recursos para remunerar adequadamente os serviços prestados pelos donos e gestores do território e do problema e, quando tudo isso está feito, desvia os recursos para se financiar a si próprio.

Primeiro, mansamente, autarquias locais e centros de investigação e, progressivamente, chegando ao coração do Estado: as forças de segurança.

O custo do dispositivo de combate aos fogos passou de 30 milhões anuais para 100 milhões anuais, mas os resultados são, essencialmente os mesmos – embora obtidos com muito mais estilo – porque os donos do problema continuam sem meios para o resolver e porque o dinheiro atirado para cima do problema serviu, nos anos menos maus, para disfarçar a loucura de querer gerir fogos florestais com água e a partir do ar.

(...)
Fonte: https://www.publico.pt/sociedade/noticia/agarreime-a-carteira-1740946 (https://www.publico.pt/sociedade/noticia/agarreime-a-carteira-1740946)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 11, 2016, 01:50:20 am
Esse senhor também esteve a falar na SIC Noticias.

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2016-08-10-Fundo-Florestal-Permanente-nao-pode-servir-para-financiar-a-GNR


Enquanto muita coisa não mudar andamos neste ciclo vicioso, tal como ele diz dá mais impacto ver helicópteros e equipas XPTO do GIPS e FEB, com resultados a curto prazo, do que gastar dinheiro no ordenamento e limpeza da floresta, mas alguns destes incêndios são dantescos, até podiam ter o dobro dos bombeiros que não ia fazer diferença. A Protecção Civil está a tornar-se um monstro, cada vez quer mais meios, mais orçamento.

Ninguém quer saber da prevenção, isso não é "fixe", é como nas policias, cada vez há menos policiamento de proximidade, e cada vez há mais unidades especiais disto e daquilo.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2016, 11:54:30 am
Vão chegar esta noite a Portugal 5 Canadair de Espanha, Itália e Marrocos, para combaterem os fogos já ao início de amanhã!!!!!

As tais aeronaves que não são compradas pelo estado Português, porque não se adequam ao nosso terreno/orografia, para combater os FF ???
Mesmo muito engraçado, andamos a tapar o Sol com uma peneira é o que é, e, enquanto isso os nossso Bombeiros arriscam as suas vidas por esta cambada de incompetentes  !!!
Os (In)decisores políticos devem pensar que somos parvos e acreditamos na canção do bandido !!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 12, 2016, 12:38:38 pm
Metam uma coisa na cabeça de uma vez por todas! avioes não apagam incendeos florestais!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 12, 2016, 03:15:29 pm
Dois aviões russos chegam na madrugada a Portugal

Dois aviões pesados Beriev chegam na madrugada a Portugal vindos da Rússia, ao abrigo do protocolo de proteção civil assinado entre os dois países, disse à Lusa fonte do Ministério da Administração Interna.

(http://thumbs.web.sapo.io/?epic=Zjc5b6IsCOFimqXZZI/GUqh2wPmEmgp+EjvzxLYaBfZ8GyndG+ru6Z8lVfU1lWKj70iqYt3sk+kFAZPn1tWTh2jXBCJfwE8iVEQuTUV1tR12gBg=&crop=center&tv=2&errorpic=transparent&delay_optim=1&W=960&H=540&Q=70&bgcolor=ffffff)

Os dois aviões deverão chegar à base aérea de Monte Real, distrito de Leiria, entre as 04:00 e as 05:00 de sábado, sendo depois deslocados para os locais onde o comando nacional de proteção civil entender serem mais necessários no combate aos incêndios florestais.

O Beriev Be-200 Altair é uma aeronave anfíbia utilizada para combate a incêndios, busca e salvamento, patrulha marítima, carga, e transporte de passageiros, tendo uma capacidade de 12 toneladas (12.000 litros) de água, ou até 72 passageiros.

O distrito de Aveiro era às 10:00 de hoje a zona de Portugal continental que mais meios mobilizava no combate às chamas, com mais de mil operacionais no terreno e vários meios aéreos, segundo a Proteção Civil.

Na lista de "ocorrências importantes" destacadas na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (com mais de três horas e mais de 15 meios de socorro), apenas relativas ao continente, o distrito de Aveiro surge com quatro incêndios ativas.

Às 10:00, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), destacava sete incêndios ativos: quatro no distrito de Aveiro, dois em Vila Real e um em Viana do Castelo.

Fonte: http://24.sapo.pt/article/lusa-sapo-pt_2016_08_12_1658885462_dois-avioes-russos-chegam-na-madrugada-a-portugal
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 12, 2016, 03:21:02 pm
Beriev Be-200 Altair

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2016, 03:22:22 pm
Metam uma coisa na cabeça de uma vez por todas! avioes não apagam incendeos florestais!

E quem é que disse que os apagam ICE 1A???
Claro que não mas facilitam e muito a operação dos meios terrestres mais precisamente em zonas muito acidentadas ou de acessos muito limitados ás viaturas e também nos fogos de grandes proporções onde uma descarga sobre as chamas evita horas de trabalho no solo.

(http://i1357.photobucket.com/albums/q745/jolumeme/9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg.html)

A intervenção dos meios aéreos nos FF para os nossos Bombeiros, é como o apoio aéreo próximo em operações de combate, para as nossas forças, motiva-as e fá-las crer que não estão abandonadas á sua sorte no Mato.

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2016, 03:26:17 pm
Beriev Be-200 Altair


Pensei que fossem dois AN72/74 que viessem mas estes Hidros são um pouco melhores.

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 12, 2016, 03:50:32 pm
Beriev Be-200 Altair


Pensei que fossem dois AN72/74 que viessem mas estes Hidros são um pouco melhores.

Talvez para impressionar e colocar mais uma carta sobre a mesa, numa futura compra :)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2016, 04:43:12 pm
No meio da exaustão, bombeiros têm gesto que emociona a internet

Este animal teve a sorte de encontrar bombeiros solidários.

O drama dos incêndios tem tomado conta do país. Os bombeiros elevados a heróis estão exaustos e as populações assustadas e preocupadas com o futuro. Os desalojados viram as vidas destruídas e as vítimas mortais serão lembradas por todos os que choram as violentas chamas.

No meio da catástrofe, enaltecem-se os atos heroicos e a solidariedade. Prova disso é a imagem de um grupo de bombeiros de Valbom que ajudou um cão, dando-lhe água e percebendo se este se encontrava bem.

(http://i1357.photobucket.com/albums/q745/jolumeme/naom_57acd71fc2fc9_zpspqmk6hfi.jpg) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/naom_57acd71fc2fc9_zpspqmk6hfi.jpg.html)
A fotografia foi partilhada num grupo dos Bombeiros de Valbom e o autor chama-se Filipe Ribeiro, um bombeiro desta corporação.

"Nós estávamos a combater uma das frentes do incêndio quando visualizámos o cão desorientado, imobilizado na área florestal, possivelmente intoxicado pelo fumo. Uma das equipas de combate, neste caso, a minha, dos Bombeiros de Valbom, foi retirar o cão da área da perigo, mantendo outras equipas a combate, nunca descurando o incêndio", começa por contar Filipe Ribeiro ao Notícias ao Minuto.

"Demos água ao animal, retiramos o cão até ao posto de comando onde esteve a fazer oxigénio, entretanto a dona do cão apareceu e levou-o para casa, aparentemente recuperado", concluiu.
    
A equipa de Bombeiros de Valbom foi uma das que esteve a combater o enorme incêndio que está a assolar Gondomar.

https://www.noticiasaominuto.com/pais/637475/no-meio-da-exaustao-bombeiros-tem-gesto-que-emociona-a-internet

Abraços

Título: Incêndios: Ex-secretário de Estado de Costa admitiu «erro grave»...
Enviado por: Get_It em Agosto 12, 2016, 04:58:21 pm
Os bombeiros são elevados a heróis até as coisas acalmarem, depois disso... Até à próxima época de incêndios.

Esta protecção civil anda a ficar muito comunista... quando são os Berievs tudo bem, agora quando é parar adquirir Canadairs...

Incêndios. Ex-secretário de Estado de Costa admitiu «erro grave» na política de defesa da floresta
(11 de Agosto de 2016)
Citação de: Ana Suspiro, Observador
Ascenso Simões, ex-secretário de Estado de António Costa na Administração Interna, reconheceu em 2014, que deixar cair proposta que apostava na prevenção contra incêndios em 2005 foi um "erro grave".

Ascenso Simões, antigo secretário de Estado de António Costa na pasta da Administração Interna, admitiu que foi «um erro grave» não seguir a mudança de paradigma na prevenção e combate aos incêndios florestais, defendida numa proposta técnica entregue ao governo em 2005. Numa tese de mestrado concluída em 2014, o ex-secretário de Estado da Administração Interna (2005-2007), reconhece que a proposta, que dava prioridade à componente de prevenção, acabou por não ser acolhida no plano que veio a ser aprovado pelo executivo de que fez parte, porque a «iniciativa política se mostrou voluntarista e descompensou um caminho coerente de intervenção» e porque se «manteve uma opção pelo derradeiro elemento da cadeia de valor — o combate». Defendeu por isso, oito anos depois, e muito antes da crise que se vive neste verão, que «se tratou de um erro grave».

Apesar destas ressalvas, a tese académica a que o Observador teve acesso, até faz um balanço favorável das alterações introduzidas a partir de 2005 na política de protecção da floresta e combate aos incêndios promovida pelos governos de José Sócrates e aponta os resultados positivos como a redução significativa da área ardida a seguir a 2005. Deixa ainda críticas à actuação do executivo seguinte, do PSD-CDS, que falhou a prevista avaliação e revisão do Plano Nacional de Defesa da Floresta e Combate aos Incêndios em 2012, deixando cair várias medidas de protecção da floresta que tinham sido adoptadas, concluindo ainda que a «política florestal assume de novo a parentalidade pobre da governação».

Não foi possível obter um comentário do actual deputado do PS sobre os pontos que defendeu na tese — Uma visão holística na segurança: Defesa da Floresta 2003/2007, que foi discutida e aprovada na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro em 2015. Ascenso Simões fez a tese anos depois de ter saído do MAI onde foi também secretário de Estado da protecção Civil (2007/2008) e, por fim, secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas (2008/2009).

Em 2005, Portugal vivia o terceiro ano muito complicado em matéria de incêndios florestais. Em Setembro, o governo liderado por José Sócrates recebia a Proposta Técnica de Plano Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios. O documento, pedido pelo executivo anterior, deveria servir de base ao futuro Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios e propunha uma viragem substancial à política até então seguida neste área.

Já esta quinta-feira, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, anunciou a criação de um grupo de trabalho com o objectivo de preparar a reforma da floresta. Mas recuando a 2005.

A proposta, elaborada pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA) partia do pressuposto base de que «a melhor maneira de combater um incêndio consiste em evitar que ele aconteça».

O documento apontava para um conjunto de medidas que colocavam a prevenção no terreno como eixo principal de uma nova política que defendia ainda a separação entre a estratégia de combate virada para a defesa da floresta e a protecção de bens e pessoas, a cargo da protecção Civil. A criação de uma nova autoridade vocacionada para proteger a floresta, com a integração vertical de competências, desde a prevenção e detecção até à primeira resposta, que dependesse directamente de uma alta instância, como o primeiro-ministro, era outra medida defendida.

A proposta previa a criação de um corpo profissional autónomo para desenvolver as operações ligadas à protecção da floresta e propunha um investimento de 678 milhões de euros, a realizar até 2010 — a medida que mais custava era a criação de faixas de gestão de combustível (corredores em que o crescimento da vegetação seria controlado) e de protecção de zonas de interacção entre a floresta e o meio urbano. Para além de um custo, que terá sido considerado elevado pelo poder político, o novo paradigma implicava também mexer na organização das entidades, dos poderes e dos dinheiros vocacionados para esta área.
Mudança de paradigma era correta, mas não teve apoio político

A proposta, que foi pedida pelo governo liderado por Santana Lopes, foi apresentada aos serviços do Ministério da Agricultura em Setembro de 2005. Na sua discussão participaram também membros da Administração Interna, um ministério então liderado por António Costa e onde estava Ascenso Simões como secretário de Estado com a pasta. Oito anos mais tarde, numa tese de mestrado, o antigo secretário de Estado reconhece que esta proposta técnica do ISA, coordenada pelo professor José Miguel Cardoso Pereira, apresentava «uma visão correta do que se apresentava ao nosso país para promover uma mudança de paradigma», que no entanto, «não veio a merecer o apoio que, reconhecidamente reivindicava». Em causa, acrescenta, estava uma opção institucional e um calendário de execução de medidas orientadas para a prevenção e recuperação, pré-supressão e supressão e para as políticas florestal, fiscal e de ambiente.

Os ministérios da Agricultura e Administração Interna, então dirigidos por Jaime Silva e António Costa, respectivamente, determinaram a criação de uma unidade de missão que teve como tarefa «apresentar uma proposta política de Plano de Defesa da Floresta e Combate aos Incêndios (PDFCI) mais adequada à realidade institucional que se vivia».

Ascenso Simões, antigo secretário de Estado de António Costa na pasta da Administração Interna, admitiu que foi «um erro grave» não seguir a mudança de paradigma na prevenção e combate aos incêndios florestais, defendida numa proposta técnica entregue ao governo em 2005. Numa tese de mestrado concluída em 2014, o ex-secretário de Estado da Administração Interna (2005-2007), reconhece que a proposta, que dava prioridade à componente de prevenção, acabou por não ser acolhida no plano que veio a ser aprovado pelo executivo de que fez parte, porque a «iniciativa política se mostrou voluntarista e descompensou um caminho coerente de intervenção» e porque se «manteve uma opção pelo derradeiro elemento da cadeia de valor — o combate». Defendeu por isso, oito anos depois, e muito antes da crise que se vive neste verão, que «se tratou de um erro grave».

Apesar destas ressalvas, a tese académica a que o Observador teve acesso, até faz um balanço favorável das alterações introduzidas a partir de 2005 na política de protecção da floresta e combate aos incêndios promovida pelos governos de José Sócrates e aponta os resultados positivos como a redução significativa da área ardida a seguir a 2005. Deixa ainda críticas à actuação do executivo seguinte, do PSD-CDS, que falhou a prevista avaliação e revisão do Plano Nacional de Defesa da Floresta e Combate aos Incêndios em 2012, deixando cair várias medidas de protecção da floresta que tinham sido adoptadas, concluindo ainda que a «política florestal assume de novo a parentalidade pobre da governação».

Não foi possível obter um comentário do actual deputado do PS sobre os pontos que defendeu na tese — Uma visão holística na segurança: Defesa da Floresta 2003/2007, que foi discutida e aprovada na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro em 2015. Ascenso Simões fez a tese anos depois de ter saído do MAI onde foi também secretário de Estado da Protecção Civil (2007/2008) e, por fim, secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas (2008/2009).

Em 2005, Portugal vivia o terceiro ano muito complicado em matéria de incêndios florestais. Em Setembro, o governo liderado por José Sócrates recebia a Proposta Técnica de Plano Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios. O documento, pedido pelo executivo anterior, deveria servir de base ao futuro Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios e propunha uma viragem substancial à política até então seguida neste área.

Já esta quinta-feira, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, anunciou a criação de um grupo de trabalho com o objectivo de preparar a reforma da floresta. Mas recuando a 2005.

A proposta, elaborada pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA) partia do pressuposto base de que «a melhor maneira de combater um incêndio consiste em evitar que ele aconteça».

O documento apontava para um conjunto de medidas que colocavam a prevenção no terreno como eixo principal de uma nova política que defendia ainda a separação entre a estratégia de combate virada para a defesa da floresta e a protecção de bens e pessoas, a cargo da Protecção Civil. A criação de uma nova autoridade vocacionada para proteger a floresta, com a integração vertical de competências, desde a prevenção e detecção até à primeira resposta, que dependesse directamente de uma alta instância, como o primeiro-ministro, era outra medida defendida.

A proposta previa a criação de um corpo profissional autónomo para desenvolver as operações ligadas à protecção da floresta e propunha um investimento de 678 milhões de euros, a realizar até 2010 — a medida que mais custava era a criação de faixas de gestão de combustível (corredores em que o crescimento da vegetação seria controlado) e de protecção de zonas de interacção entre a floresta e o meio urbano. Para além de um custo, que terá sido considerado elevado pelo poder político, o novo paradigma implicava também mexer na organização das entidades, dos poderes e dos dinheiros vocacionados para esta área.
Mudança de paradigma era correta, mas não teve apoio político

A proposta, que foi pedida pelo governo liderado por Santana Lopes, foi apresentada aos serviços do Ministério da Agricultura em Setembro de 2005. Na sua discussão participaram também membros da Administração Interna, um ministério então liderado por António Costa e onde estava Ascenso Simões como secretário de Estado com a pasta. Oito anos mais tarde, numa tese de mestrado, o antigo secretário de Estado reconhece que esta proposta técnica do ISA, coordenada pelo professor José Miguel Cardoso Pereira, apresentava «uma visão correta do que se apresentava ao nosso país para promover uma mudança de paradigma», que no entanto, «não veio a merecer o apoio que, reconhecidamente reivindicava». Em causa, acrescenta, estava uma opção institucional e um calendário de execução de medidas orientadas para a prevenção e recuperação, pré-supressão e supressão e para as políticas florestal, fiscal e de ambiente.

Os ministérios da Agricultura e Administração Interna, então dirigidos por Jaime Silva e António Costa, respectivamente, determinaram a criação de uma unidade de missão que teve como tarefa «apresentar uma proposta política de Plano de Defesa da Floresta e Combate aos Incêndios (PDFCI) mais adequada à realidade institucional que se vivia».

Citar
Em primeiro lugar porque a proposta técnica tinha uma sustentação que a Resolução do Conselho de Ministros não viria a adquirir, em segundo tempo porque a iniciativa política se mostrou voluntarista e descompensou um caminho coerente de intervenção; por último e em terceiro lugar, porque se manteve uma opção pelo derradeiro elemento da cadeia de valor — o combate».

Ora foi precisamente esta a prioridade assumida pelo então ministro da Administração Interna, António Costa, que quando esta proposta estava a ser discutida anunciou a intenção de lançar com concurso público para a compra ou aluguer de meios aéreos de combate aos incêndios. É certo que o reforço dos meios de combate, não significa necessariamente que se deixe cair a componente de prevenção, mas a realidade dos anos seguintes veio a mostrar um fosso crescente entre os meios financeiros mobilizados para o combate aos fogos e os que têm sido canalizados para a prevenção e reflorestação.

[Continua] (http://observador.pt/2016/08/11/incendios-ex-secretario-de-estado-de-costa-admitiu-erro-grave-na-politica-de-defesa-da-floresta/)
Fonte: http://observador.pt/2016/08/11/incendios-ex-secretario-de-estado-de-costa-admitiu-erro-grave-na-politica-de-defesa-da-floresta/ (http://observador.pt/2016/08/11/incendios-ex-secretario-de-estado-de-costa-admitiu-erro-grave-na-politica-de-defesa-da-floresta/)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 12:21:25 pm

https://www.noticiasaominuto.com/pais/637929/estes-sao-os-avioes-que-estao-a-combater-as-chamas-em-portugal?utm_source=gekko&utm_medium=email&utm_campaign=daily

O Beriev agora, de acordo com esta noticia já abastece, como o CL215/415 .... " A água é recolhida em plano, na horizontal, em barragens, albufeiras ou foz de rios...... ", vá-se saber porqué, se fosse na vertical é que era lindo.
Espanta-me o Canadair estar a salvar Portugal, o tal que não se adequa aos Combates de FF em Portugal, estes servem deve ser por serem estrangeiros, foram apanhados desprevenidos......
Mais do mesmo a nossa imprensa no seu melhor.

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Agosto 13, 2016, 02:44:53 pm
Continuo achar que a prevenção é mais lucrativa que a comprar de aviões e carros de combate a incêndios.

Portugal tem mais gente presa do que no exercito! Porque não utiliza-los para a limpeza do monte??
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 03:39:15 pm
Continuo achar que a prevenção é mais lucrativa que a comprar de aviões e carros de combate a incêndios.

Portugal tem mais gente presa do que no exercito! Porque não utiliza-los para a limpeza do monte??

Não tenho a menor dúvida as equipas de Sapadores Florestais, se forem reforçadas e melhor pagas, evitarão centenas de FF, a perda de milhões de euros em custos e mais importante a perda que seja de """" Apenas """ uma vida HUMANA !!!!

Quanto aos presos, coitadinhos, nessa área nem me  meto não sou jurista mas penso que a legislação teria de mudar mas não deve á muitos amigos poderosos cá fora...... á solta, nos bancos, nos partidos, no futebol, etc...........

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 03:48:42 pm
Vejam bem a rapidez da propagação deste fogo e como ele se transforma em vários, e só pode ser fogo posto.
Não há meios nem é humanamente possível combater este FF atempadamente.

https://www.noticiasaominuto.com/mundo/638131/espanha-jovens-filmam-grupo-a-atear-fogos-video-torna-se-viral
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 13, 2016, 05:50:26 pm
Vejam bem a rapidez da propagação deste fogo e como ele se transforma em vários, e só pode ser fogo posto.
Não há meios nem é humanamente possível combater este FF atempadamente.

https://www.noticiasaominuto.com/mundo/638131/espanha-jovens-filmam-grupo-a-atear-fogos-video-torna-se-viral

Trata-se de projeção de fogo.
É um fenomeno  normal nos incendeos florestais.
Esta é a explicação  para a importancia da limpeza das matas, a frente principal liberta material incandescente que cai a centenas ou mesmo kilometros da frente de fogo!  se encontra combustível da-se uma nova ignição
É assim que ele se torna indomável.
É por isto tambem que os bombeiros não se metem la no meio. esperam por ele junto  de um caminho ou zona limpa de vegetação, ou por vezes, mesmo assim, os apanha desprevenidos e causa vítimas. 
Vê-se nas imagens que sopra vento na direção da projeção.
no local onde e filmado pode nao haver vento, mas pode  acontecer vento forte localmente na frente de fogo devido ao deslocamento das massas de ar  sobreaquecidas pela frente de fogo. 

Este video demonstra tambem o motivo pelo qual muitas das descargas aereas se tornam inuteis, e a importancia delas se efetuarem por um meio que as efetue de forma rápida  e reabasteça o mais rapido possível, senão enquanto vao e vem o incendeo ja saltou a zona da descarga.
video bastante pedagógico para quem nao esta acostumado a ver o fogo de perto.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 13, 2016, 11:50:32 pm
Sim.....Fui voluntário nos meus tempos de juventude,
Eu e os meus camaradas devemos  ter batido o record nacional dos 1500 metros obtaculos, quando  uma cabeça de incendeo devido à mudança de vento começou a projetar-se de forma absolutamente demoníaca! as copas das arvores,  as giestas, o mato, literalnente explodiam nas nossas costas, parecia autocombustão,  parecia que estavamos a ser bombardeados.  Foi largar tudo e correr,  correr, correr........ perdemos carro... mangueiras, material sapador...... mochilas.... bens pessoais.... tudo,  mas chegamos  vivos ....... apenas  com mato espetado no corpo todo. O maior susto da minha vida.

limpem as matas, se não houver combustível em excesso acaba o problema dos incendeos florestais.
Os fogos não vão acabar, mas tornam-se muito mais simples de controlar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 14, 2016, 01:52:46 pm
Sim.....Fui voluntário nos meus tempos de juventude,
Eu e os meus camaradas devemos  ter batido o record nacional dos 1500 metros obtaculos, quando  uma cabeça de incendeo devido à mudança de vento começou a projetar-se de forma absolutamente demoníaca! as copas das arvores,  as giestas, o mato, literalnente explodiam nas nossas costas, parecia autocombustão,  parecia que estavamos a ser bombardeados.  Foi largar tudo e correr,  correr, correr........ perdemos carro... mangueiras, material sapador...... mochilas.... bens pessoais.... tudo,  mas chegamos  vivos ....... apenas  com mato espetado no corpo todo. O maior susto da minha vida.

limpem as matas, se não houver combustível em excesso acaba o problema dos incendeos florestais.
Os fogos não vão acabar, mas tornam-se muito mais simples de controlar.

Tão simples e ninguém o quer fazer porque........................... não dá muito dinheiro a alguns crápulas e FdP !!!!
É com medidas que referes,  que poupariamos muitos milhões, e não se perderiam as vidas que já se perderam, nem os riscos dos nossos BOMBEIROS seriam tão elevados como nestes últimos combates aos FF!!!!
Coloquei em BOLD para quem for responsável leia sem dificuldade e aja, com rapidez e precisão, não deve ser necessário serem génios para desempenhar bem essa missão !!!!!!
 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2016, 02:01:22 pm
Eu ja não pedia mais, se isto fosse respeitado:
(http://i63.tinypic.com/15foxzp.jpg)

Pelo menos acabava o drama humano!
vão dar uma volta aí pelas vossa vizinhança e contem pelos dedos quem realmente se preocupa.
em caso de incendeo na foto acima não ha meios aereos bombeiros o o diabo que salvve a situação!

Em portugal contamos com um cocktail de fatores ideais para nascer a perfect storm.
 
Calor acima  de 30 graus,
humidade relativa abaixo dos 30%,
ventos acima de 30 nós,
 intersses economicos instalados em redor do negocio do fogo.
Piromanos que não se importam de atear fogo por simples parvalheira ou pagos por alguem, floresta abandonada sem limpar e com excesso de combustível. território desordenado e com construção em zonas de risco.

O unico ingrediente do cocktail sobre o qual temos poder é a retirada do combustivel em excesso das matas e florestas
E a gestão da orla das habitações.

Nos incendeos florestais desta semana em viana do castelo perante a gravidade da situação o Comandante das operaçoes de socorro de viana do castelo ordenou aos meios no terreno a defesa casa a casa, era impossível fazer mais alguma coisa. deixar  arder  ate atingir as habitações e ai proteje-las uma a uma. não havia outra alternativa. parar o incendeo era impossível.
Assim  não dá! 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Agosto 14, 2016, 05:04:02 pm
Mais uma vez, volto a frisar que o 'pitch' da prevenção é muito bonito, mas neste país limita-se a ser utilizado para justificar a não aquisição de meios de combate e o adiamento da tomada de decisões. Obviamente que a prevenção iria obviar muitas das situações e resultar numa diminuição do número e magnitude dos FF, mas pensar na quase eliminação dos FF, a ponto de não ser necessária a utilização de meios pesados de combate é, no mínimo, naïf.

Precisamos apostar na prevenção? Sem dúvida! É o primeiro e o mais importante passo a dar! Precisamos de mais profissionais treinados no combate a FF e de meios médios/pesados terrestres e aéreos? Claro que sim, porque quando a prevenção não chega, deixar arder não é uma opção.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2016, 07:31:15 pm
Entretanto os dois aviões russos sofreram acidentes quase em simultãneo
desta destacados para o Geres, um  bateu numa arvore.
ao efetuar uma descarga.
O outro teve problemas a reabastecer provavelmente chque com alguma coisa submersas e teve um princípio de incendeo!
Caso para dizer: pilotos Russos malucos
Estiveram a ser reparados em monte real , um ja esta operacional o outro ainda nao tem praso para voltar a voar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Agosto 14, 2016, 08:12:53 pm
Alguém mencionou anteriormente, neste ou noutro tópico relacionado, que o Estado era o maior proprietário de floresta nacional. Apesar de a minha intuição/memória me dizer o contrário, na altura, não tive paciência para pesquisar e não intervim. Eis que, nem a propósito, sai este artigo interessantíssimo na Visão:

http://visao.sapo.pt/ambiente/opiniaoverde/joaocamargo/eucaliptugal-2-a-invasao=f755700 (http://visao.sapo.pt/ambiente/opiniaoverde/joaocamargo/eucaliptugal-2-a-invasao=f755700)

Portugal tem a menor área pública florestal da Europa, a maior área de eucaliptal da Europa e é o país com maior área ardida da Europa. Podemos dizer que não existe nenhuma relação entre estes factos?

Em Março de 2009 o Ministério do Ambiente preparou um decreto-lei para classificar o eucalipto como planta invasora, impondo restrições ao seu uso. Mas subitamente, essa proposta desapareceu. Poucos anos depois, o mundo mudou e o Ministério do Ambiente fundiu-se com o Ministério da Agricultura. Antes de voltar a separar-se em dois, o Ministério da Agricultura e do Ambiente enviou para o Conselho de Ministros uma proposta que não só já não queria qualificar o eucalipto como planta invasora, como abria a porta à liberalização de facto da plantação de eucaliptos.

Em Espanha, o eucalipto é classificado como uma espécie invasora. Na África do Sul, nos Estados Unidos (Califórnia) e na Nova Zelândia também. Tanto em habitats mediterrânicos como o nosso, como em habitats muito próximos do habitat original do Eucalyptus globulus, este é classificado como uma invasora, tomando-se as devidas providências para evitar a sua difusão. Mas comecemos pelo princípio.

A floresta nacional aumentou constantemente de área no último século e meio. Um dos maiores crescimentos em termos absolutos ocorreu entre 1875 e 1938, em que a área terá aumentado mais de 1 milhão e meio de hectares, com a promoção do montado no Sul e do pinhal no Norte. Em 1938 o governo do Estado Novo implementou o Plano Florestal Nacional, que em contraste com a perspetiva florestal governamental anterior, da estratégia da conservação, começou a voltar-se para a produção (principalmente na fileira da resina).

Os pinheiros eram também encarados como espécie pioneira para desenvolver formas mais evoluídas de florestas, como as espécies autóctones tradicionais. Este plano expandiu a floresta em cerca de 400 mil hectares, principalmente pinhal. Enquanto até 1938 era aos privados que cabia a principal fatia de plantação e orientação estratégica, a partir de então passou a ser o Estado a dominar a plantação, embora a propriedade continuasse a ser avassaladoramente privada (os Serviços Florestais plantavam em terrenos públicos e privados).

Até 1989 o Estado foi o principal encarregado das plantações, com parcerias dos Serviços Florestais com a Portucel, na altura uma empresa pública. A área florestal máxima atingida em Portugal ocorreu perto de 1995, a seguir ao pico de área máxima de pinhal, que terá ocupado uma área de quase 1 milhão e 300 mil hectares. Desde então a área ocupada pela floresta tem decaído ligeiramente.

Até à década de 1970 os incêndios florestais, embora frequentes e normais nas regiões do Mediterrâneo, não eram uma preocupação que dominasse o planeamento e a estratégia do setor florestal. Além da mudança da composição florestal que se verificou nas últimas décadas (havendo finalmente nos últimos anos uma troca do pinheiro-bravo pelo eucalipto como espécie dominante na floresta), a acumulação de contínuos de combustível passou a ser uma constante, pela redução do pastoreio, pelo abandono em massa do meio rural e da agricultura de pequena escala e pela invasão do eucalipto.

A subida acentuada do número de incêndios começou principalmente a partir de metade da década de 80, acompanhando o declínio do pinheiro e o início da subida do eucalipto (tendo o número de ocorrências em média subido de menos de 100.000 por ano até ao final dos anos 80 para mais de 250.000 a partir de 1995).

Portugal é o país da Europa com menor área florestal pública. A Europa tem em média 58,65% da sua área florestal sob propriedade e gestão pública, enquanto Portugal tem menos de 2%. A nível mundial, só há registo de três países com menor área pública florestal do que o nosso: as Ilhas Cook, Barbados e o Uruguai. Mais de 85% das propriedades florestais em Portugal têm menos de 5 hectares.

No Norte e no Centro do país predominam os proprietários de áreas pequenas (1 a 5 ha) e muito pequenas (menos de 1 ha), nas quais estão plantados sobretudo pinheiros e eucaliptos. Esta dimensão mínima é agravada pelo sistema da propriedade "indivisa" que retalha as propriedades por vários coproprietários. Estima-se que a área do território nacional abandonada e de dono desconhecido seja mais de 2 milhões de hectares, perto de 20% do território nacional e maioritariamente floresta. É na zona de minifúndio do Centro e Norte e no Algarve que se encontra a maioria desta área abandonada.

O abandono é o maior promotor da entrada do eucalipto na floresta portuguesa. E esta invasora, instalada maioritariamente em pequenos terrenos privados, de donos desconhecidos e abandonados, ocupa esses terrenos não tanto pelas suas modestas características naturais de planta exótica invasora, mas porque é plantada em largas extensões de floresta de forma desregrada e intensiva, seja pela fileira da celulose diretamente ou pelos pequenos privados que recebem as árvores da fileira da celulose.

Esta invasão constitui a transferência de todo o risco de negócio da plantação de eucaliptal das empresas da fileira da celulose para os pequenos proprietários e para as suas propriedades, assim como para todo o país. E esse risco materializa-se sempre. Sempre que as temperaturas aumentam, que a humidade cai e que o vento sopra, é o país que paga a fava. E a floresta arde, regride, recua em termos de evolução ecológica, empobrece, é abandonada e degradada. O ciclo do abandono - eucaliptização - incêndio - eucaliptização - abandono, tem de ser travado.

Podemos escolher ignorar os dados e discutir as vírgulas. Podemos dizer que a composição de uma floresta, o seu estado de má gestão e abandono nada têm que ver com os incêndios. Podemos dizer que não há nenhuma relação entre a mudança da composição predominante da floresta no país do pinhal para o eucaliptal e o "coincidente" aumento dos incêndios. E podemos até dizer que não existe nenhuma relação entre os factos de Portugal ter a menor área pública florestal da Europa, de ter a maior área de eucaliptal da Europa e de ser o país com maior área ardida da Europa, ano após ano. Mas convém não dizê-lo em voz alta, porque alguém pode estar a ouvir.

Este Verão o Conselho de Ministros aprovou um decreto-lei sobre Ações de Arborização e Rearborização que nem sequer foi debatido no Parlamento. Este decreto tem um impacto potencial de dimensão equivalente ao Plano Florestal Nacional do Estado Novo ou à Campanha do Trigo. Onze pessoas, sentadas numa sala, aprovaram uma lei que desarma o Estado da sua própria capacidade de ação e intervenção sobre o território, promovendo a continuação e o aumento dos incêndios florestais no país e a continuação da instalação de uma espécie exótica como a principal espécie florestal do país.

É necessário travar este decreto. É necessário travar esta invasão. E esse é apenas o primeiro passo para termos a mínima hipótese de conseguir parar as sequelas de má qualidade do filme de terror que ano após ano se produz na floresta nacional.

 

João Camargo

Engenheiro Zootécnico

Engenheiro do Ambiente

Técnico de Intervenção da Liga para a Protecção da Natureza
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 14, 2016, 09:46:59 pm
Ora aí está uma das principais razões deste tema que já queria abordar à algum tempo.

A loucura desorganizada das plantações de eucalipto!!
É por todo o lado! Em extensões continuas a perder de vista, em pequenos terrenos nas serras e nas suas encostas inacessíveis. É eucalipto por todo o lado!!
E é isso mesmo que tem ardido e vai voltar a arder enquanto a floresta não for reorganizada.
Esqueçam Pumas com peças do Yamato a disparar agua.

Esta semana fui enviado para uma operação de rescaldo a 200Km. Só via eucaliptal de uma celulose qualquer...

As prioridades devem ser:

Fim do negócio dos fogos ( Meios aéreos apenas operados pela FA, mais maquinas de rastos para o Exercito para evitar o aluguer de meios.)
Mais vigilância por parte das FA
Reorganização da floresta nacional
 

Mas o que mais me irritou este ano foi esta noticia de 29 de Julho:
Citar
Inverno e Primavera chuvosos explicam ausência de grandes incêndios

Mariana Oliveira

29/07/2016 - 08:13

Números oficiais mostram que até 15 deste mês a área ardida era a mais baixa dos últimos 20 anos. Especialistas atribuem louros à chuva.

Citar
Os termómetros têm teimado em subir nas últimas semanas, mas, mesmo assim, Portugal ainda não registou nenhum incêndio com uma duração superior a 24 horas. Os números oficiais mostram que até 15 deste mês a área ardida era, pelo menos, a mais baixa dos últimos 20 anos. Mas os especialistas não vêem razões para triunfalismos e atribuem os bons resultados essencialmente ao Inverno e à Primavera “extremamente chuvosa” e fria, que atrasou o crescimento da vegetação e impediu que secasse tão rapidamente.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/inverno-e-primavera-chuvosos-explicam-ausencia-de-grandes-incendios-1739726?frm=ult
Passado uma semana começou o descalabro.
Mas para quê estas noticias?!? Não sabiam estar calados?!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2016, 09:53:07 pm
Esta e a segunda vez que os Beriev 200  batem nas copas das árvores em Portugal. em 2006 ao 3° dia de operação um embateu tambem nas copas das árvores e esteve uma semana parado a reparar um motor.
Talvez seja a adaptação dos pilotos ao terreno.
Talvez a querer efectuar boas descargas se aproximem demasiado do solo. 
Largar a agua alto demais, aquela velocidade, inutiliza a descarga,  metade da agua não chega ao solo  :star: :conf: talvez a geografia de algumas zonas não seja a mais adquada para um avião a jato e por conseguinte mais rapido. os dois acidentes  acidentes aconteceram  em zonas montanhosas

Ou então foi  vodka e loucura natural.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 14, 2016, 10:03:37 pm
Ora aí está uma das principais razões deste tema que já queria abordar à algum tempo.

A loucura desorganizada das plantações de eucalipto!!
É por todo o lado! Em extensões continuas a perder de vista, em pequenos terrenos nas serras e nas suas encostas inacessíveis. É eucalipto por todo o lado!!
E é isso mesmo que tem ardido e vai voltar a arder enquanto a floresta não for reorganizada.
Esqueçam Pumas com peças do Yamato a disparar agua.

Esta semana fui enviado para uma operação de rescaldo a 200Km. Só via eucaliptal de uma celulose qualquer...

As prioridades devem ser:

Fim do negócio dos fogos ( Meios aéreos apenas operados pela FA, mais maquinas de rastos para o Exercito para evitar o aluguer de meios.)
Mais vigilância por parte das FA
Reorganização da floresta nacional
 

Mas o que mais me irritou este ano foi esta noticia de 29 de Julho:
Citar
Inverno e Primavera chuvosos explicam ausência de grandes incêndios

Mariana Oliveira

29/07/2016 - 08:13

Números oficiais mostram que até 15 deste mês a área ardida era a mais baixa dos últimos 20 anos. Especialistas atribuem louros à chuva.

Citar
Os termómetros têm teimado em subir nas últimas semanas, mas, mesmo assim, Portugal ainda não registou nenhum incêndio com uma duração superior a 24 horas. Os números oficiais mostram que até 15 deste mês a área ardida era, pelo menos, a mais baixa dos últimos 20 anos. Mas os especialistas não vêem razões para triunfalismos e atribuem os bons resultados essencialmente ao Inverno e à Primavera “extremamente chuvosa” e fria, que atrasou o crescimento da vegetação e impediu que secasse tão rapidamente.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/inverno-e-primavera-chuvosos-explicam-ausencia-de-grandes-incendios-1739726?frm=ult
Passado uma semana começou o descalabro.
Mas para quê estas noticias?!? Não sabiam estar calados?!

Há vários motivos para a plantação de eucaliptos. Dou-te um exemplo concreto, no ano passado o sogro do meu irmão perdeu metade do pinhal que tinha! Ficou desolado, a única fonte de rendimentos dos terrenos desapareceu!!!! Esteve a explicar-me que e "se voltar a reflorestar", provavelmente vai plantar eucaliptos! É que estatisticamente há incêndios no mesmo terreno a cada 20 anos e enquanto o pinhal demora 14 anos a crescer para tornar o corte árvores no único rendimento do terreno, com eucaliptos conseguem obter rendimento em metade do tempo e conseguem fugir à tendência dos fogos!

No entanto, o estado é quem dá as devidas licenças de plantação, para plantar pinheiros, teve de obter a licença para pinheiros, para eucaliptos é necessário nova licença, projecto agrícola, etc......
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 14, 2016, 10:09:37 pm
NVF, concordo, mas faço só um reparo. Há muitos terrenos baldios no país, que até 1974 pertenciam ao estado e que agora na realidade não têem dono. Costumam ser as Juntas de Freguesia a tomar conta dos baldios (o que não deixa de ser uma instituição pública).

Depois há um "abandono" da terra devido à descendência dos donos das terras. Trabalham nas grandes cidades, não estão virados para regressarem ao interior do país (ou até o regresso dos que emigraram) e também é difícil rentabilizar terrenos florestais, principalmente se forem pequenos...... a consequência mais evidente é o abandono das terras. Porque é necessário investir para mais tarde terem alguma rentabilidade e nem todos têem capacidade financeira para tal ou os apoios comunitários só são possíveis para uma área considerável!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2016, 10:21:16 pm
E so Eucaliotos porque eles agradecem o fogo!!! depois de um incendeo às primeiras chuvas onde havia um, rebentam dezenas, ao monte! e ninguem vai la para os cortar e deixar espaço  entre eles, lembro me de ir todos os anos com o meu avô ao monte "mondar"  os eucaliptos. cortava-se tudo. so ficavam os melhores a uma boa distancia uns dos outros.
Hoje ninguem faz isso!   
Por falar em invasoras
Temos aqui na região fe viana do castelo um caso que se esta a tornar alarmante e é pior que os eucaliptos! de seu nome "haquea espinhosa"
uma especie australiana que esta a cobrir por completo a serra D'arga, e a propagar-se de forma descontrolada.
O maior  problema deste arbusto e que ele se reproduz pelo fogo ou quando é contado
quando é queimado  ou cortado liberta  as sementes  que acomulou ao
longo de toda a vida.
É um arbusto que tem espinhos  como agulhas de aço! não serve para nada, nem os animais a usam para abrigos. 
O terreno fica impenetrável para qualquer ser vivo.

(http://i67.tinypic.com/33y5nv6.jpg)

(http://i68.tinypic.com/mucvls.jpg)
 E como todas as australianas é polvora autentica a arder! 
E não ha forma de o destruirem, porque  cada  vez que é morto propaga a  centenas de metros em redor! ha rebentos a aparecer a mais de um quilometro de alguma planta adulta. Esta planta vai dominar as serras do norte do Pais
http://www.publico.pt/ciencia/noticia/florestas-do-litoral-ameacadas-por-praga-do-arbusto-haqueapicante-1474212 (http://www.publico.pt/ciencia/noticia/florestas-do-litoral-ameacadas-por-praga-do-arbusto-haqueapicante-1474212)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Agosto 14, 2016, 10:27:09 pm
A questão das chuvas tardias é interessante; por um lado os incêndios começaram mais tarde, por outro há mais vegetação rasteira e arbustos, i.e., mais massa combustível disponível para arder.  Com a subida das temperaturas e a diminuição da humidade relativa, tem-se aquilo que em inglês se designa por 'perfect storm'.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 07:07:06 am
Esta e a segunda vez que os Beriev 200  batem nas copas das árvores em Portugal. em 2006 ao 3° dia de operação um embateu tambem nas copas das árvores e esteve uma semana parado a reparar um motor.
Talvez seja a adaptação dos pilotos ao terreno.
Talvez a querer efectuar boas descargas se aproximem demasiado do solo. 
Largar a agua alto demais, aquela velocidade, inutiliza a descarga,  metade da agua não chega ao solo  :star: :conf: talvez a geografia de algumas zonas não seja a mais adquada para um avião a jato e por conseguinte mais rapido. os dois acidentes  acidentes aconteceram  em zonas montanhosas

Ou então foi  vodka e loucura natural.

Desculpa que te diga mas tú não sabes do que estás a falar ICE 1A !!!

Se, os CL215/415 não são adequados á nossa orografia, isto dito por especialistas que agora há muitos..........................as tripulações dos beriev que estão a operar em Portugal, foram contactadas por outros especialistas, ou se calhar os mesmos, para fazer estas encenações, papadas e raspagem de algumas arvores, de modo, a que a escolha do  " novo "avião bombardeiro recaia no C390, que até é construido cá, TOSSE, MUITA TOSSE , e fica tudo bem e em família, só, não sabemos é de quem é que são as casas para onde vai o guito das futuras transacções aeronauticas !!!!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 15, 2016, 12:55:28 pm
Esta e a segunda vez que os Beriev 200  batem nas copas das árvores em Portugal. em 2006 ao 3° dia de operação um embateu tambem nas copas das árvores e esteve uma semana parado a reparar um motor.
Talvez seja a adaptação dos pilotos ao terreno.
Talvez a querer efectuar boas descargas se aproximem demasiado do solo. 
Largar a agua alto demais, aquela velocidade, inutiliza a descarga,  metade da agua não chega ao solo  :star: :conf: talvez a geografia de algumas zonas não seja a mais adquada para um avião a jato e por conseguinte mais rapido. os dois acidentes  acidentes aconteceram  em zonas montanhosas

Ou então foi  vodka e loucura natural.

Desculpa que te diga mas tú não sabes do que estás a falar ICE 1A !!!

Se, os CL215/415 não são adequados á nossa orografia, isto dito por especialistas que agora há muitos..........................as tripulações dos beriev que estão a operar em Portugal, foram contactadas por outros especialistas, ou se calhar os mesmos, para fazer estas encenações, papadas e raspagem de algumas arvores, de modo, a que a escolha do  " novo "avião bombardeiro recaia no C390, que até é construido cá, TOSSE, MUITA TOSSE , e fica tudo bem e em família, só, não sabemos é de quem é que são as casas para onde vai o guito das futuras transacções aeronauticas !!!!!

Abraços

  :feliz:
Não  vou entrar em especulações.
Os acidentes apenas demonstram o nível de dificuldade e exigencia do combate aereo  aos incendeos florestais!
E muito bonito fazer umas descargas num festival aereo com um lindo céu azul, mas depois a prática e muito, muito diferente.
Fumo, visibilidade reduzida, alta turbulencia provocada pelas massas de ar quente do incendeo,  terreno descconhecido dos pilotos......
O primeiro acidente demonstrou a perícia dos pilotos, que poderiam ter-se despenhado. O avião perdeu um dos motores e  os pilotos libertaram o combustível para perder peso e ter empucho suficiente para subir e conseguir passar por cima das copas das arvores, ainda assim bateram em alguma, mas conseguiram trazer o avião de regresso á base. uns segundos de reação mais tarde e tinham perdido o avião.
A Questão da Orografia é simples: 
O avião precisa  de  visibilidade e espaço para manobrar.
quando não ha espaço nem visibilidade não atua.
Os beriev ontem de manha  foram desviados  de S.Pedro do sul para o Gerês  por não terem visibilidade soficiente  para manobrar. 
Quanto mais espaço um meio precisa,  mais limitado é
Se a altura óptima da descarga de um beriev   sao 50  metros da copa das arvores,  ele não vai la fazer nada se so conseguir descarregar a 300 ou 400  metros.

PS: a vodka foi so brincadeira!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 01:43:05 pm
Esta e a segunda vez que os Beriev 200  batem nas copas das árvores em Portugal. em 2006 ao 3° dia de operação um embateu tambem nas copas das árvores e esteve uma semana parado a reparar um motor.
Talvez seja a adaptação dos pilotos ao terreno.
Talvez a querer efectuar boas descargas se aproximem demasiado do solo. 
Largar a agua alto demais, aquela velocidade, inutiliza a descarga,  metade da agua não chega ao solo  :star: :conf: talvez a geografia de algumas zonas não seja a mais adquada para um avião a jato e por conseguinte mais rapido. os dois acidentes  acidentes aconteceram  em zonas montanhosas

Ou então foi  vodka e loucura natural.

Desculpa que te diga mas tú não sabes do que estás a falar ICE 1A !!!

Se, os CL215/415 não são adequados á nossa orografia, isto dito por especialistas que agora há muitos..........................as tripulações dos beriev que estão a operar em Portugal, foram contactadas por outros especialistas, ou se calhar os mesmos, para fazer estas encenações, papadas e raspagem de algumas arvores, de modo, a que a escolha do  " novo "avião bombardeiro recaia no C390, que até é construido cá, TOSSE, MUITA TOSSE , e fica tudo bem e em família, só, não sabemos é de quem é que são as casas para onde vai o guito das futuras transacções aeronauticas !!!!!

Abraços

  :feliz:
Não  vou entrar em especulações.
Os acidentes apenas demonstram o nível de dificuldade e exigencia do combate aereo  aos incendeos florestais!
E muito bonito fazer umas descargas num festival aereo com um lindo céu azul, mas depois a prática e muito, muito diferente.
Fumo, visibilidade reduzida, alta turbulencia provocada pelas massas de ar quente do incendeo,  terreno descconhecido dos pilotos......
O primeiro acidente demonstrou a perícia dos pilotos, que poderiam ter-se despenhado. O avião perdeu um dos motores e  os pilotos libertaram o combustível para perder peso e ter empucho suficiente para subir e conseguir passar por cima das copas das arvores, ainda assim bateram em alguma, mas conseguiram trazer o avião de regresso á base. uns segundos de reação mais tarde e tinham perdido o avião.
A Questão da Orografia é simples: 
O avião precisa  de  visibilidade e espaço para manobrar.
quando não ha espaço nem visibilidade não atua.
Os beriev ontem de manha  foram desviados  de S.Pedro do sul para o Gerês  por não terem visibilidade soficiente  para manobrar. 
Quanto mais espaço um meio precisa,  mais limitado é
Se a altura óptima da descarga de um beriev   sao 50  metros da copa das arvores,  ele não vai la fazer nada se so conseguir descarregar a 300 ou 400  metros.

PS: a vodka foi so brincadeira!

Não sei não essa do Vodka foi muito forte ainda vão a tua casa prender-te por falares mal dos pilotos do Putin................ :nice: :nice: :nice: :nice: :nice: :nice:

para que uma operação desta natureza corra menos mal, isto é sem incidentes de maior, é necessário que o equipamento, esteja nas melhores condições, todas as mnt efectuadas, os pilotos conhecam bem os TO's, os circuitos para atacar os FF e respectivas saídas, exista excelente coordenação entre os meios aéreos, frizo esta alinea porque sei a dificuldade de comunicação que existe entre nós ocidentais com o nosso Inglês e o Inglês macarronico, que as tripulações do Leste arranham, é-nos muito dificil entender o que querem pois em geral apenas um el da tripulação fala um Inglês comestivel, o flt engineer é o entalado quase sempre, e saibam as localizações das forças no terreno,

As limitações das aeronaves são inerentes a cada equipamento, sempre diferentes de acft para acft, assim como as suas mais valias, as tripulações de cockpit, essas conseguem fazer a diferença nas situações mais peritlitantes caso dos beriev, e isso deve-se de certeza ao número de horas de voo que tem nos equipamentos para que estão qualificadas.

Eu nem quero imaginar as dificuldades diárias, nos ataques por ar aos FF, durante um dia, fiz parte de uma tripulação portuguesa de um CL215 Espanhol, destacado para Portugal, na decada de 90 e, quando a aeronave mergulha nos fumos e afins para efectuar as largadas, durante uns instantes, não se vê porra nenhuma, os ditos cujos, ficam mais pequenos que azeitonas e as mãos começam a suar em bica, e isto é visto do cockpit só vos digo que é preciso uma CORAGEM ENORME, para combater os FF por ar mas quem os combate no solo não fica atrás das tripulações, nem um cm !!!!!!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 15, 2016, 02:15:12 pm
Mas às  vezes o nivel de improviso chega a pontos que pode originar a catastrofe! no acidente de 2006 ficou provado que foi causado pelas cartas que os pilotos Russos estavam a usar, e que tinham sido retiradas pelas tripulaçoes do GOOGLE. e qu estavam erradas, na carta deles mostrava a barragem com 3500 metros de lençol de agua, quando na realidade so tinha 2300, os pilotos quando se aperceberam que nao tinham espaço para sair dalí descarregaram a agua, tentaram subir á esquerda numa manobra aprertada mas os motores comeram ums ramos de pinheiro. ........... desligaram o que estava em pior estado e conseguiram chegar a monte real com apenas um motor danificado a trabalhar.   
Estes Beriev parecem os A10 dos incendeos!
ja tinha acontecido alguma desgraça se nao fossem tão resistentes.


 mais tarde foram distribuidas cartas do exercito as tripulaçoes Russas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 15, 2016, 04:50:28 pm

Beriev Be-200 em Monte Real - Portugal
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 15, 2016, 09:21:58 pm
 :D
HaHaHaHa
Beriev causa caos na Galiza

Numerosas  chamadas para os serviços de emergencia,
Ambulancias mobilizadas para o local.
Ponte sobre o rio minho cortada, Guardia civil mobilizada,

As informações davam conta que um aviao de passageiros se tinha despenhado no rio Minho que separa portugal de Espanha! 

Afinal tudo nao passou de um grande engano!
era só um beriev que tinha estado a reabastecer no rio!
Os vizinhos Galegos desconheciam de todo o avião e apanharam um valente susto!

http://galego.lavozdegalicia.es/noticia/vigo/2016/08/15/avion-rusocausa-caos-baixo-mino/00031471259794656430420.htm (http://galego.lavozdegalicia.es/noticia/vigo/2016/08/15/avion-rusocausa-caos-baixo-mino/00031471259794656430420.htm)

 ;D
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 10:15:20 pm
:D
HaHaHaHa
Beriev causa caos na Galiza

Numerosas  chamadas para os serviços de emergencia,
Ambulancias mobilizadas para o local.
Ponte sobre o rio minho cortada, Guardia civil mobilizada,

As informações davam conta que um aviao de passageiros se tinha despenhado no rio Minho que separa portugal de Espanha! 

Afinal tudo nao passou de um grande engano!
era só um beriev que tinha estado a reabastecer no rio!
Os vizinhos Galegos desconheciam de todo o avião e apanharam um valente susto!

http://galego.lavozdegalicia.es/noticia/vigo/2016/08/15/avion-rusocausa-caos-baixo-mino/00031471259794656430420.htm (http://galego.lavozdegalicia.es/noticia/vigo/2016/08/15/avion-rusocausa-caos-baixo-mino/00031471259794656430420.htm)

 ;D

muito bom mesmo, os Portugueses do Além Norte, no seu melhor :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:...................
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 16, 2016, 12:15:58 am
uma foto do momento em que o beriev entra rio acima a baixa altitude ! tirada da praia de Moledo,  ele foi reabastecer a VN de  Cerveira  8 kilometros acima

(http://i68.tinypic.com/nvd5dl.jpg)

Os comentarios são qualquer coisa !
"olha a mota a preparar-se para madar parar o avião"
"Car**** que ele leva o cu arrasto"
"faz uma subiadela....."
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 16, 2016, 10:40:58 am
Modo de operar dos Beriev 200:

(http://static.globalnoticias.pt/storage/JN/2016/big/ng7462932.jpg)
(http://static.globalnoticias.pt/storage/JN/2016/big/ng7462994.jpg)
(http://static.globalnoticias.pt/storage/JN/2016/big/ng7462957.jpg)
(http://static.globalnoticias.pt/storage/JN/2016/big/ng7462958.jpg)
(http://static.globalnoticias.pt/storage/JN/2016/big/ng7462959.jpg)

Fonte: http://www.jn.pt/nacional/galerias/interior/como-sao-e-como-operam-os-superavioes-de-combate-a-fogos-5338851.html

Nota: Bem sei que os motores não são turbo-hélice :)
          A reclamação é com o autor das imagens!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 16, 2016, 11:11:27 am
Imagens dos incêndios em Portugal:

(http://mb.web.sapo.io/5932e24043ddb66d2500ebde887a941f3ecf554e.jpg)
(http://mediaserver4.rr.pt/newrr/incendios_nasa_11agosto168045c3.jpg)
Portugal continental

(http://mb.web.sapo.io/c4d4679d4e682f23b146b9f5b77a1e41c613b43b.jpg)
Madeira
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 16, 2016, 02:57:48 pm
Imagens de satélite com as zonas ardidas na Europa.
Desativem o Forecast e activem o MODIS e VIIRS
http://forest.jrc.ec.europa.eu/effis/applications/current-situation/
Citar
WELCOME TO EFFIS

The European Forest Fire Information System (EFFIS) supports the services in charge of the protection of forests against fires in the EU countries and provides the European Commission services and the European Parliament with updated and reliable information on wildland fires in Europe.

E o já conhecido fogos.pt para referência.
https://fogos.pt/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 19, 2016, 04:23:26 pm
Já começou a chuva e a malta esquece o crime dos fogos...
O mesmo que disse no 9Gs digo aqui.

Por mim era assim:

A FAP opera todos os meios aéreos e os de combate aos incêndios, uma esquadra está sediada em Tancos com a missão principal de apoiar o Exército nas missões que forem necessárias de acordo com o planeamento. Apoia a protecção civil quando necessário.
Na época de incêndios é destacada pelo pais conforme necessário.

O Exército continua a ter a missão de fazer a vigilância e o patrulhamento do território, principalmente da floresta nacional não dos eucaliptais das celuloses.
A Engenharia continua com a missão de criar acessos.
A malta dos subsídios de desemprego limpa a mata e o mato que os trabalhos da Engenharia pôs para o lado.

Os vigilantes das torres continuam a ser pagos para lá estar.
Os Escuteiros também podem contribuir e ser subsidiados para tal. Estes não têm qualquer interesse em que a floresta arda.

Relembro esta minha mensagem de 2011 na página 5 deste tópico!!!
Nada mudou e no próximo mês já ninguém se lembra dos fogos...

Agora acrescento o extermínio da espécies invasoras à parte da limpeza da floresta.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 21, 2016, 01:10:07 pm
Ministro da Defesa considera inevitável regresso da Força Aérea ao combate aos incêndios

O ministro da Defesa, José Alberto Azeredo Lopes, disse que considera inevitável o regresso da Força Aérea (FAP) ao combate aos incêndios florestais, numa entrevista publicada hoje pelo Jornal de Notícias.

(http://thumbs.web.sapo.io/?epic=NWE0uaiAT3TDZA0SQ9e9m1VYjoQVuXgAHqrRJa2bu1RwBlOsccWlPBkYnBr1Z7PUfqUSBAeM5LCkDKLqU9vr9O1Vrr/dDbUHzeU7vzkGRIECADY=&crop=center&tv=2&errorpic=transparent&delay_optim=1&W=960&H=540&Q=70&bgcolor=ffffff)

"A Força Aérea não dispõe, neste momento, de capacidades instaladas para participar ativamente no combate aos incêndios. E essa descontinuação do papel da FAP é já antiga. Mas tenho como inevitável que a FAP venha a ser dotada dessa capacidade e o primeiro-ministro [António Costa] coincide nessa abordagem", afirmou Azeredo Lopes ao diário.

Para o ministro, o regresso da FAP é inevitável porque se está agora num "momento crítico de reequipamento".

"Através da Lei de Programação Militar (LPM) ou de outros meios, estamos perante dois desafios categóricos -- mais em relação ao combate aos incêndios", sublinhou.

Segundo o ministro, é necessário, em primeiro lugar, fazer a substituição dos helicópteros Alouette III da FAP, que desempenham funções de treinamento para a FAP e a Marinha e que serão descontinuados em 2018.

"Há uma necessidade imperiosa e que passará, com toda a certeza, pela antecipação da substituição. Tanto mais que o tempo de entrega de um novo helicóptero é no mínimo de 12 meses", avaliou.

"Uma das características desses helicópteros é poderem ser dotados de meios para combate a incêndios. Ou seja, com um custo suplementar mínimo, dota-se o novo helicóptero de uma capacidade que lhe permitirá matar dois coelhos de uma cajadada. E é esse pensamento estratégico que tenho pena que já não tenha sido validado nos últimos anos", acrescentou.

Sobre as estimativas de custos para os aparelhos, Azeredo Lopes afirmou, que "para os helicópteros, há uma estimativa que resulta da LPM: 20 milhões de euros, mais IVA".

Questionado sobre se haveria uma esquadra específica para esta participação no combate aos incêndios, o ministro da Defesa declarou que "não é um modelo organizacional específico".

"Há, sim, meios da Força Aérea e esses meios, na gestão da FAP, implicam um patamar de utilização e eficiência muito superiores", comentou.

Azeredo Lopes indicou que será preciso "otimizar a utilização dos pilotos", com a devida capacitação e, se for preciso, colocá-los "diretamente no combate aos incêndios".

Sobre os custos dessa operação da FAP nos fogos, o ministro disse que serão "custos públicos".

Já a eventual utilização dos helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) "é uma questão que pode vir a colocar-se".

"Ao contrário do que se pensa, não é revolução nenhuma. As forças armadas já têm um papel importantíssimo nas missões de interessa público, na busca e salvamento, no transporte de doentes [...]", referiu ainda.

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, também já demonstrou o seu apoio à possibilidade de a Força Aérea vir a ter capacidade para fazer o combate a incêndios.

No dia 13 de agosto, a ministra sublinhou que será preciso formar os pilotos e também equipar os meios aéreos.

A 14 de agosto, a Força Aérea esclareceu que "não possui meios aéreos que permitam a realização de missões de combate a incêndios", mas admitiu que a capacidade para realização destas missões poderá "vir a materializar-se faseadamente, num futuro próximo".

Fonte: http://24.sapo.pt/article/lusa-sapo-pt_2016_08_21_1020212636_ministro-da-defesa-considera-inevitavel-regresso-da-forca-aerea-ao-combate-aos-incendios

Conclusão: Vamos ter helicópteros novos, antes mesmo de 2018, para substituír os Alouette, que servirão tb para combater incêndios e que vão custar 20 milhões de euros + IVA. É fazer as contas....
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 26, 2016, 11:07:43 am
Canadair a abastecerem no Douro

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 26, 2016, 11:09:32 am
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 26, 2016, 11:12:20 am
Agora dentro de um Canadair, também no Douro:

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 26, 2016, 11:17:36 am
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 29, 2016, 12:19:28 pm
O nome do promotor da petição é me vagamente familiar  ??? ...

http://www.dn.pt/sociedade/interior/peticao-defende-forca-aerea-envolvida-no-combate-aos-fogos-5361484.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 29, 2016, 02:49:03 pm
O nome do promotor da petição é me vagamente familiar  ??? ...

http://www.dn.pt/sociedade/interior/peticao-defende-forca-aerea-envolvida-no-combate-aos-fogos-5361484.html

Isso é bom ou mau?
Estranho estarem a dizer que passou de 9000 assinaturas para 32000 nas ultimas semanas, quando vi que estava em 31000 a meio do mês.
Só se for outra que não esta:
http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 29, 2016, 09:17:46 pm
Onde há fumo há fogo, obrigado jornalistas espanhóis.

Portugal apanhado na batota do ‘cartel do fogo’ Corrupção nos negócios de aluguer de aviões de combate a incêndios custou milhões ao Estado

http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/portugal-apanhado-na-batota-do-cartel-do-fogo


Combate aos fogos florestais alvo de investigação policial

http://www.rtp.pt/noticias/pais/combate-aos-fogos-florestais-alvo-de-investigacao-policial_v943717Um


Cartel de “fogo” espanhol tinha coordenador em Portugal

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/aviacao/detalhe/cartel_de_fogo_espanhol_tinha_coordenador_em_portugal.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Agosto 29, 2016, 11:03:56 pm
O cartel não é nenhuma novidade, já à uns anos atrás tinham saído notícias sobre as empresas combinarem preços.

A única novidade é que em Espanha investiga-se enquanto cá foram protegidos.

Bom era agora ver alguém a pedir explicações como deve ser ao MAI e à Protecção Civil acerca das declarações prévias e sobre todo o negócio do aluguer de meios aéreos.

Cumprimentos,

Onde há fumo há fogo, obrigado jornalistas espanhóis.

Portugal apanhado na batota do ‘cartel do fogo’ Corrupção nos negócios de aluguer de aviões de combate a incêndios custou milhões ao Estado

http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/portugal-apanhado-na-batota-do-cartel-do-fogo


Combate aos fogos florestais alvo de investigação policial

http://www.rtp.pt/noticias/pais/combate-aos-fogos-florestais-alvo-de-investigacao-policial_v943717Um


Cartel de “fogo” espanhol tinha coordenador em Portugal

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/aviacao/detalhe/cartel_de_fogo_espanhol_tinha_coordenador_em_portugal.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 30, 2016, 05:17:05 pm
A Protecção Civil bem que precisava de uma purga...   :N-icon-Gun:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Setembro 04, 2016, 01:41:31 pm
Boas,


Bombardier Announces a Definitive Agreement for the Sale of its Amphibious Aircraft Program to Viking Air Limited

June 20, 2016 - Montréal Aerospace

Bombardier announced today that it has reached a definitive agreement for the sale of its Amphibious Aircraft program to British Columbia-based Viking Air Limited. The agreement covers the Type Certificates for all variants of the aircraft, the CL-215, the CL-215T and the Bombardier 415 aircraft as well as after-market services.

The completion of this transaction is subject to the approval of all required governmental and regulatory authorities and the fulfillment of other customary closing conditions. The transaction is expected to close in the next few months.

“This transaction supports our goal of rebuilding a clear path to profitable earnings growth and cash generation,” said Alain Bellemare, President and Chief Executive Officer, Bombardier Inc. “While the Amphibious Aircraft program is part of our long history, this divestiture positions Bombardier to better focus on our core, higher growth businesses; business jets, commercial aircraft and rail transportation.”

No amphibious aircraft have been produced since December 2015 after Bombardier paused the program. The decision to sell the Amphibious Aircraft program was made after careful deliberation and a rigorous analysis. Viking Air, a long-standing Bombardier collaborator, is the perfect successor to continue to build the value and reputation of the program while ensuring the sustainability of the fleet. Viking Air will provide the right customer support to operators who, given the aircraft’s unique firefighting capabilities, play an essential role in the protection of communities, environment, resources and wildlife.

Bombardier’s amphibious aircraft are emblematic of Canada and are the backbone of many firefighting operations around the world. The Bombardier 415 was launched in 1994 and drew on the success of the earlier CL-215 and CL-215T versions to establish itself as the only purposely built and best firefighting aircraft in the world. Close to 170 Bombardier amphibious aircraft are in service worldwide.

Plans are underway to transfer the 50 Amphibious Aircraft program employees to other parts of the Bombardier organization following the completion of an orderly transition of the business.

About Viking Air Limited
Headquartered in Victoria, BC, Viking is the global leader of utility aircraft, support and services, and manufacturer of the world-renowned Twin Otter. Incorporated in 1970, Viking initially focused on flying boats before developing a repair and modification business in 1983 when de Havilland Inc. selected Viking as its exclusive spare parts manufacturer and distributor for the de Havilland DHC-2 Mk I Beaver, Mk III Turbo Beaver, and DHC-3 Single Otter aircraft. This transformation culminated in 2006, when Viking acquired the Original Type Certificates (manufacturing rights) for all out-of-production de Havilland aircraft from the DHC-1 Chipmunk through to the DASH-7 50 passenger STOL regional airliner.

In 2007 Viking launched the Twin Otter Series 400 production program, and to date over 100 aircraft have been sold to 29 countries worldwide. With a current production rate averaging one new aircraft delivered every 15 business days, the Twin Otter Series 400 is the best-selling next generation 19-passenger aircraft available today.

About Bombardier Specialized Aircraft

Bombardier offers the industry’s widest portfolio of commercial and business aircraft platforms for use as Specialized Aircraft. Bombardier’s CRJ Series regional jets, Q Series turboprops, as well as Learjet, Challenger and Global business jets are in service around the world with more than 45 military, government, security and corporate agencies, and the addition of the all-new C Series aircraft to Bombardier’s portfolio will increase the number of platforms and derivatives available for special mission applications to six and 14 respectively.

As a prime contractor, or in collaboration with leading mission integrators, Bombardier’s Specialized Aircraft team has developed a vast catalogue of mission enabler modifications that, combined with the company’s reliable and proven aircraft platforms, can address every need and mission. The worldwide fleet of 375 Specialized Aircraft is delivering outstanding dispatch reliability and is supported by Bombardier’s global customer services network.

About Bombardier

Bombardier is the world’s leading manufacturer of both planes and trains. Looking far ahead while delivering today, Bombardier is evolving mobility worldwide by answering the call for more efficient, sustainable and enjoyable transportation everywhere. Our vehicles, services and, most of all, our employees are what make us a global leader in transportation.

Bombardier is headquartered in Montréal, Canada. Our shares are traded on the Toronto Stock Exchange (BBD) and we are listed on the Dow Jones Sustainability North America Index. In the fiscal year ended December 31, 2015, we posted revenues of $18.2 billion. News and information are available at bombardier.com or follow us on Twitter @Bombardier.


http://ir.bombardier.com/en/press-releases/press-releases/64283-bombardier-announces-a-definitive-agreement-for-the-sale-of-its-amphibious-aircraft-program-to-viking-air-limited

http://www.casr.ca/doc-news-viking-bombardier-415-tc.htm

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 04, 2016, 11:52:08 pm

Nao estou por dentro das politicas de prevencao e combate aos fogos florestais em Portugal, mas parece-me elementar que tanto o exercito, como prisioneiros e os desempregados devam participar na limpeza das florestas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 05, 2016, 12:09:20 am
Olha que ideia do caraças!! Militares do Exército, os presos e os desempregados!!!  E porque não os da FA ou Marinha? PSP e GNR?
E mais quem para este grupo? Drogados e prostitutas? Os arrumadores de carros e os pedintes?
E já agora o pessoal das CERCI e os velhotes lá do lar que isto não é só enfardar e estar no sofá a ver a TVI...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 05, 2016, 11:00:56 am
Com certeza que sim. A GNR e a PSP tem ocorrencias suficientes para estarem ocupadas, nao e prioridade deles limparem as florestas. O mesmo ja nao acontece com os mocos do exercito. O que andam eles a fazer? Toca la de zelar pelo patrimonio. Prisioneiros e desempregados tambem. Os primeiros como trabalho civico e de sensibilizacao. Quanto aos desempregados com tanto oferta de trabalho voluntariado nem sei como e que o Estado ainda nao se lembrou disto. Pode ser voluntariado ou receberem uma quantia simbolica. A conjugacao destas sinergias garante um mais eficaz prevencao aos incendios e poe gente a mexer-se por uma boa causa. Claro que depois ha sempre os aborrecidos e preguicosos. Esses ficam no quartel a jogar poker, nas filas das reparticoes para receber os subsidios do estado ou nos foruns a mandar as suas chalacas enquanto o pais arde.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Setembro 05, 2016, 12:51:24 pm
Com certeza que sim. A GNR e a PSP tem ocorrencias suficientes para estarem ocupadas, nao e prioridade deles limparem as florestas. O mesmo ja nao acontece com os mocos do exercito. O que andam eles a fazer? Toca la de zelar pelo patrimonio. Prisioneiros e desempregados tambem. Os primeiros como trabalho civico e de sensibilizacao. Quanto aos desempregados com tanto oferta de trabalho voluntariado nem sei como e que o Estado ainda nao se lembrou disto. Pode ser voluntariado ou receberem uma quantia simbolica. A conjugacao destas sinergias garante um mais eficaz prevencao aos incendios e poe gente a mexer-se por uma boa causa. Claro que depois ha sempre os aborrecidos e preguiçosos. Esses ficam no quartel a jogar poker, nas filas das reparticoes para receber os subsídios do estado ou nos foruns a mandar as suas chalacas enquanto o pais arde.

Tanta propaganda Russa deu-te a volta ao cérebro!

Os militares já participação na vigilância das matas e florestas em Portugal. Viana do Castelo já tem à anos protocolos com o exército e não é o único município.

Os desempregados já são contratados pelas juntas e municípios por esse país a fora, para limparem as ruas, estradas e as matas. Não podem é operar em matas privadas, sem o consentimento do dono. Em Inglaterra também deve de haver direitos de propriedade iguais, julgo eu.

Os presos, duvido que a Amnistia Internacional permitisse tal coisa, para além dos custos logísticos só de vigilância..... com um jeitinho e com as tuas ideias ainda punhas os incendiários a limpar as florestas!!!!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 05, 2016, 01:30:53 pm

Como disse na minha introducao neste topico - nao estou por dentro dos mecanismo de proteccao e combate aos incendios em Portugal. Se a situacao na Republica e tal como o Viajante diz entao e melhor que nada. Falou em vigilancia as matas e florestas pelo exercito e a limpeza, os militares fazem-na?

A amnistia internacional manda na Justica portuguesa? Posso ir investigar um pouco, mas nao me parece que ter prisioneiros a limpar as florestas seja uma utopia. Ja deve haver paises a aplicar esse sistema

Quanto a tua paranoia com os russos, sao isto e aquilo, mas la mandaram as aeronaves para ajudar no combate aos fogos

Es pobre e mal agradecido

https://twitter.com/russianembassy/status/765144829047218176
http://visitwinchestervirginia.com/the-government-of-portugal-thanked-emercom-of-russia-for-help-in-fighting-fires/
http://rbth.com/news/2016/08/23/russian-be-200-planes-extinguish-fires-in-2-portugal-settlements_623543
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 05, 2016, 03:30:22 pm

Como disse na minha introducao neste topico - nao estou por dentro dos mecanismo de proteccao e combate aos incendios em Portugal. Se a situacao na Republica e tal como o Viajante diz entao e melhor que nada. Falou em vigilancia as matas e florestas pelo exercito e a limpeza, os militares fazem-na?

A amnistia internacional manda na Justica portuguesa? Posso ir investigar um pouco, mas nao me parece que ter prisioneiros a limpar as florestas seja uma utopia. Ja deve haver paises a aplicar esse sistema

Nem vou estar a colocar todas as acções deste verão portanto ficam aqui duas recentes.
A Engenharia praticamente nem faz outra coisa no Verão e mesmo durante o resto do ano. Já mereciam equipamento mais recente.
As restantes unidades têm o seu encargo operacional ou dão apoio a outras.

(http://vilaverde.net/wp-content/uploads/2016/09/IMG_4098.jpg)
(http://vilaverde.net/wp-content/uploads/2016/09/IMG_4069.jpg)
(http://vilaverde.net/wp-content/uploads/2016/09/IMG_4100.jpg)
http://vilaverde.net/2016/09/04/nobrega-militares-e-comando-dos-bombeiros-de-vila-verde-executam-manobra-de-engenharia-para-evitar-avanco-de-incendio-em-gondomar/

https://www.facebook.com/acontececastanheira/photos/?tab=album&album_id=557211431152409
https://www.facebook.com/Mecanizada/?fref=ts
Quanto aos presos até houve uma polémica recente, pois estes recebiam mais à hora para limpar praias que os bombeiros para combater incêndios.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 05, 2016, 04:12:12 pm
Presos recebem dinheiro para limpar as praias em Portugal? Um absurdo na minha opiniao. Esse trabalho se feito por presos tem que ser nao remunerado. As compensacoes devem ser de outra natureza.

Quanto a limpeza de florestas por prisioneiros parece que os catalaes ja tem algo em pratica
http://eldigital.barcelona.cat/en/my-new-post-3951_49783.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Setembro 05, 2016, 05:02:12 pm
Existe qualquer coisa "esquisita" nesta questão do "a quem pertence a floresta". Primeiro temos o secretário de estado a dizer que 98% da floresta é particular: https://www.publico.pt/sociedade/noticia/as-areas-geridas-pelo-estado-nao-estao-mais-mal-cuidadas-que-o-resto-da-floresta-1604509 (https://www.publico.pt/sociedade/noticia/as-areas-geridas-pelo-estado-nao-estao-mais-mal-cuidadas-que-o-resto-da-floresta-1604509)
Citar
As áreas geridas pelo Estado não estão mais mal cuidadas que o resto da floresta”
MARIANA OLIVEIRA 31/08/2013 - 08:29
Secretário de Estado das Florestas quebra o silêncio para, diz ele, refutar "algumas afirmações semi-incendiárias". Afirma que 98% da floresta portuguesa não pertence ao Estado.
Mas depois temos um trabalho de campo de uma investigadora a dizer que 21,8% são território de alguma forma protegido e portanto mais ou menos gerido pelo estado, mesmo que o mesmo não seja na totalidade o seu proprietário: http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_V_Congresso_APG/web/_pdf/B4_14%20Out_Cristina%20Barbosa.pdf (http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_V_Congresso_APG/web/_pdf/B4_14%20Out_Cristina%20Barbosa.pdf)
Citar
No Continente, a gestão das áreas protegidas é da
responsabilidade do Instituto de Conservação da Natureza, as 44 áreas referidas distribuem-se pelas categorias de Parque Nacional, Reserva Natural, Parque Natural, Paisagem Protegida,
Sítio Classificado, Monumento Natural e Paisagens Protegidas (de âmbito regional),
ocupando uma área de 680 718 hectares, representando cerca de 7,7% do território
continental. Contudo, este valor encontra-se ainda abaixo da média dos países da União
Europeia (12,3%) (Quadro 1).
A gestão das áreas protegidas difere consoante a sua importância. Os Parques
Nacionais, as Reservas Naturais e os Parques Naturais são geridos por comissões directivas
onde estão representados o Instituto da Conservação da Natureza (ICN), as Câmaras
Municipais que têm jurisdição sobre a área e uma comissão consultiva. É obrigatória a
existência de um plano de ordenamento e respectivo regulamento, aprovado por decreto
regulamentar, que possibilite a implementação de uma política de gestão integrada e eficaz.

Tendo em consideração a existência de muitos níveis de sobreposição, constata-se que
Portugal Continental apresenta actualmente 21,8 % do seu território classificado como Área
Protegida, Rede Natura ou Zonas de Protecção Especial.
Mas para dourar a pilula, temos parte dos baldios geridos por associações ou novamente com a participação do Estado: https://www.publico.pt/floresta-em-perigo/prevencao (https://www.publico.pt/floresta-em-perigo/prevencao)
Citar
Houve tempos em que era preciso ter uma senha, passada por um guarda-florestal, para entrar na floresta e para retirar dela o mato. A devolução dos baldios ao povo ocorreu com o fim do Estado Novo, através da Constituição de 1976. Passam a ser administrados num regime de co-gestão, entre os moradores (ou autarquias) e o Estado, ou então em regime de autogestão pelos moradores (ou as autarquias). Essas opções de gestão mantiveram-se com a Lei dos Baldios de 1993, e que está actualmente em vigor.

Hoje existem 1107 unidades de baldios concentradas sobretudo em Vila Real, Viseu e Viana do Castelo, com uma extensão total de 278.100 hectares de área de terreno. "Há uma necessidade urgente de intervenção nos baldios a nível florestal e essa é a nossa maior preocupação", conclui Joaquim Lourenço. Quanto à prevenção de incêndios, o presidente da associação sublinha que a capacidade de actuar no início, tentando cumprir o objectivo de actuar nos primeiros sete minutos tem sido eficaz. "Não tem havido tantos incêndios na zona da serra porque tem havido uma protecção maior, ainda que na zona urbana, mais perto das populações, continue a haver."
E segundo varias fontes a "floresta sem dono" vai de 10 a 20% (este ultimo número para áreas florestais) do total do território nacional: http://www.tvi24.iol.pt/economia/terras-sem-dono/portugal-tem-10-a-20-de-territorio-sem-dono (http://www.tvi24.iol.pt/economia/terras-sem-dono/portugal-tem-10-a-20-de-territorio-sem-dono)
Citar
Em Portugal há entre 10% a 20% de terras sem proprietário privado, conclui um estudo sobre «Cadastro e Propriedade Rústica em Portugal» que vai ser apresentado esta quinta-feira no Porto.

Em entrevista à Lusa, a propósito do novo estudo «Cadastro e Propriedade Rústica em Portugal», Rodrigo Sarmento de Beires admitiu que há, pelo menos, «10%» de terras em Portugal cujos proprietários são desconhecidos. Acrescentou que nas zonas florestais pode chegar-se a valores que «andam na casa dos 20% ou até acima disso».

A grande maioria destas terras pertence ao Estado, que desconhece a sua localização na maior parte dos casos, o que coloca uma série de problemas, desde fiscais à prevenção de incêndios.

«Verificámos (...) que afinal o Estado dispõe ainda de um valioso património imobiliário que lhe cabe gerir, que com toda a probabilidade será bastante vasto, embora muito fragmentado e disperso e por aproveitar, de terras rústicas sem dono e não só, que nos termos da lei lhe pertencem, ou cuja gestão lhe cumpre assegurar, para minorar riscos do seu abandono», refere o estudo.

O autor do estudo sugere ao Governo que seja criado um sistema informático «expedito», «único» e «nacional» para identificar as terras, estimular a sua gestão e prevenir incêndios e ter um melhor aproveitamento dos recursos.

Face aos resultados do estudo, que decorreu ao longo de um ano em Portugal, Rodrigo Sarmento de Beires acredita que a problemática das 'terras de ninguém' pode ser resolvida com a criação de um sistema informático ligando agricultura e ordenamento do território.

«O que é preciso é operacionalizar esse sistema», argumenta, recordando que com a «sorte de estar tudo integrado no mesmo ministério», torna-se mais fácil ligar a agricultura e o ordenamento do território num mesmo sistema informático.

Com a implementação de um sistema informático fácil e acessível, cria-se «uma dinâmica em que os proprietários tenham apoios a preços razoáveis de identificação dos seus prédios», acrescenta o especialista.

Segundo Rodrigo Sarmento de Beires, nas zonas de latifúndio, as terras incultas estão dentro dos prédios e já estão identificadas pelo cadastro.

Nas zonas de propriedade mais repartida, e que existem mais na metade norte do país, as terras estão, todavia, «incultas» e estão fora dos prédios», ou seja, muitas dessas terras constituem frações autónomas em que os proprietários já não sabem bem onde estão e, portanto, acabaram por se desinteressar, explicou.

O especialista refere ainda que a criação de um sistema de identificação das terras serviria também para tornar a floresta portuguesa mais rentável.

«Nós estamos a fazer floresta para trituração, para a forma menos rentável para gerir a floresta (...), mas temos condições para desenvolver o nosso potencial florestal de forma mais interessante e rentável, se for feita a longo prazo», constatou o especialista, reiterando a necessidade da criação de um sistema para identificar as terras sem dono privado.
E tendo em conta que 12% dos terrenos são baldios: http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=3&cid=690&bl=1&viewall=true (http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=3&cid=690&bl=1&viewall=true)
Citar
e os restantes 12% são baldios
Ou seja e se não me falham as contas: 21,8% Reservas administradas de alguma forma pelo estado (82% salvo erro serão mesmo propriedade do mesmo), 12% baldios com parte administrada por associações e também pelo estado e 20 % de terrenos arborizados de quem não se sabe de quem são e onde se situam, mas segundo o investigador citado a maior parte pertencerá também ao Estado (  ::) ) , dá 53,8%. Ou seja, efectivos são 46,2% que de facto são dos privados e o resto a maior parte administrado directo ou indirectamente pelo....Estado. Mais uma vez, contas malfeitas e "números do arco da velha" para tudo servir o deixa arder...  ::)

Cumprimentos
Título: Meios aéreos no combate a incêndios florestais
Enviado por: Get_It em Setembro 05, 2016, 07:50:15 pm
Meios aéreos no combate a incêndios florestais
(5 de Setembro de 2016)
Citação de: António Seabra, Miguel Machado / Operacional
Este ano, infelizmente um dos mais fustigados pela tragédia dos incêndios florestais (IF), a discussão na praça pública estendeu-se, de uma forma mais contundente, à questão do regresso da Força Aérea ao combate aos mesmos, tornando-se rapidamente num tópico de relevo quer na agenda política, como na agenda mediática. Contudo, esta discussão, acalorada como as chamas, foi por diversas vezes inquinada com mitos e falsidades, cujas motivações só podemos atribuir a interesses instalados ou ao desconhecimento do enquadramento da questão. Importa, por isso, e com serenidade, fazer um ponto de situação sobre o assunto, em múltiplas vertentes, para uma melhor abordagem ao tema: é unicamente o que nos move com este modesto contributo.

Quem assina esta introdução e o artigo que agora publicamos é António Seabra, Coronel Técnico de Operações de Detecção e Conduta de Intercepção da Força Aérea Portuguesa na situação de Reserva, desligado do serviço, que a nosso pedido, porque sabíamos dos seus conhecimentos nesta área e do seu descomprometimento pessoal com as envolventes a esta temática. Estamos perante um importante contributo para o conhecimento de muitas particularidades dos meios aéreos no combate a incêndios, que habitualmente não estão disponíveis na imprensa generalista, algumas “esquecidas” pelos protagonistas que têm vindo a público. António Seabra faz perguntas às quais quase e nunca se vêm respostas, recorda números, investimentos, originalidades nacionais – como a Empresa de Meios Aéreos –  escreve porque sabe do que fala. Sendo oficial da Força Aérea, não está neste trabalho, como facilmente se verá da sua leitura, a defender esta ou outra qualquer instituição onde tenha trabalhado, como a Protecção Civil. Está a dar a sua opinião, informada, documentada, sobre o tema e levanta possibilidades que podem (deviam!) ser seguidas em nome do interesse nacional.

[continua] (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Fonte: http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/ (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 05, 2016, 10:39:48 pm

Alem dos catalaes, os americanos tambem recorrem a prisioneiros para combater os fogos

4,000 Prison Inmates Fighting California Wildfires For $2 Per Day
http://www.mintpressnews.com/4000-prison-inmates-fighting-california-wildfires-for-2-per-day/208714/

Ainda ninguem em Portugal se lembrou do mesmo expediente? Valido ou nao? Eu concordo
Título: Re: Meios aéreos no combate a incêndios florestais
Enviado por: mafets em Setembro 05, 2016, 11:04:37 pm
Meios aéreos no combate a incêndios florestais
(5 de Setembro de 2016)
Citação de: António Seabra, Miguel Machado / Operacional
Este ano, infelizmente um dos mais fustigados pela tragédia dos incêndios florestais (IF), a discussão na praça pública estendeu-se, de uma forma mais contundente, à questão do regresso da Força Aérea ao combate aos mesmos, tornando-se rapidamente num tópico de relevo quer na agenda política, como na agenda mediática. Contudo, esta discussão, acalorada como as chamas, foi por diversas vezes inquinada com mitos e falsidades, cujas motivações só podemos atribuir a interesses instalados ou ao desconhecimento do enquadramento da questão. Importa, por isso, e com serenidade, fazer um ponto de situação sobre o assunto, em múltiplas vertentes, para uma melhor abordagem ao tema: é unicamente o que nos move com este modesto contributo.

Quem assina esta introdução e o artigo que agora publicamos é António Seabra, Coronel Técnico de Operações de Detecção e Conduta de Intercepção da Força Aérea Portuguesa na situação de Reserva, desligado do serviço, que a nosso pedido, porque sabíamos dos seus conhecimentos nesta área e do seu descomprometimento pessoal com as envolventes a esta temática. Estamos perante um importante contributo para o conhecimento de muitas particularidades dos meios aéreos no combate a incêndios, que habitualmente não estão disponíveis na imprensa generalista, algumas “esquecidas” pelos protagonistas que têm vindo a público. António Seabra faz perguntas às quais quase e nunca se vêm respostas, recorda números, investimentos, originalidades nacionais – como a Empresa de Meios Aéreos –  escreve porque sabe do que fala. Sendo oficial da Força Aérea, não está neste trabalho, como facilmente se verá da sua leitura, a defender esta ou outra qualquer instituição onde tenha trabalhado, como a Protecção Civil. Está a dar a sua opinião, informada, documentada, sobre o tema e levanta possibilidades que podem (deviam!) ser seguidas em nome do interesse nacional.

[continua] (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Fonte: http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/ (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Muito do qual já se tinha debatido aqui. A titulo de exemplo já tinha sido publicado os dados do uso do Maffs no Brasil:
(http://1.bp.blogspot.com/-ovm-OOW-yL8/UuPNNBQl82I/AAAAAAAAMv0/MgJZjR2Rjgo/s1600/infografico-maffs.jpg)
E as orientações do serviço florestal americano: http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/maffs.HTML (http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/maffs.HTML)
Citar
The U.S. Forest Service contracts with private companies to provide airtankers to drop fire retardant as part of wildfire suppression efforts.  But during periods of high wildfire activity, often, there aren’t enough contracted airtankers to meet demands.  That’s where Modular Airborne Fire Fighting Systems (MAFFS) come in.

MAFFS are portable fire retardant delivery systems that can be inserted into military C-130 aircraft without major structural modifications to convert them into airtankers when needed.

The MAFFS program, created by Congress in the early 1970s, is a joint effort between the U.S. Forest Service and Department of Defense (DoD).  The U.S. Forest Service owns the MAFFS equipment and supplies the retardant, while the DoD provides the C-130 H and J model aircraft, flight crews, and maintenance and support personnel to fly the missions.

There are a total of 8 MAFFS ready for operational use.  The C-130s to fly MAFFS missions are provided by the

153rd Airlift Wing, Wyoming Air National Guard, Cheyenne
145th Airlift Wing, North Carolina Air National Guard, Charlotte
146th Airlift Wing, California Air National Guard, Port Hueneme and the
302nd Airlift Wing, Air Force Reserve, Peterson Air Force Base, Colorado

MAFFS are important because they provide a “surge” capability that can be used to boost wildfire suppression efforts when commercial airtankers are fully committed or not readily available.  They can discharge their entire load of up to 3,000 gallons of retardant in less than five seconds, covering an area one-quarter of a mile long by 100 feet wide, or make variable drops.  Once the load is discharged, it can be refilled in less than 12 minutes.
Os contratos com privados pelo US forest Service (em 2015 estava a ser avaliada a possibilidade de extender o uso do MAFFS a mais  dois C130 adicionais, do USMC e CG (um estava a ser reavaliado): http://fireaviation.com/2015/06/30/the-2015-large-air-tanker-lineup-for-us-forest-service/ (http://fireaviation.com/2015/06/30/the-2015-large-air-tanker-lineup-for-us-forest-service/)
(http://fireaviation.com/wp-content/uploads/2015/06/Air-Tankers-June-2015.jpg)
E o uso do Maffs em redor do mundo: https://en.wikipedia.org/wiki/Modular_Airborne_FireFighting_System (https://en.wikipedia.org/wiki/Modular_Airborne_FireFighting_System)
Citar
MAFFS equipment is stationed at eight locations around the United States. They are considered a "24-hour resource", meaning that when activated, it is expected that it will take 24 hours for the aircraft to arrive on scene, as the C-130s have to be pulled from their regular military duties and fitted with the MAFFS equipment.[10] When needed, regional foresters can request a MAFFS activation after they have ascertained that all available commercial air tankers are assigned to on-going incidents or committed to an initial attack.[11] The National Interagency Coordination Center at the National Interagency Fire Center (NIFC), Boise, Idaho, can activate the MAFFS when all other contract airtankers are committed to incidents or initial attack or are otherwise unable to meet requests for air operations. The request for MAFFS activation is approved by the national MAFFS liaison officer, who is the Forest Service director at NIFC. This request is then forwarded to the joint director of military support at the Pentagon. Governors of states where National Guard MAFFS units are stationed may activate MAFFS for missions within their state boundaries when covered by a memorandum of understanding with the military authority and the Forest Service.[1]

During the 1994 fire season, one of the worst that decade, the four airlift wings equipped with MAFFS flew nearly 2,000 missions and dropped 51,000,000 pounds (23,000,000 kg) of retardant.[12] In 2004, after all the large civilian tankers in the U.S. had been grounded due to safety concerns, MAFFS-equipped C-130s were pre-positioned in western states in anticipation of wildfires.[13] Besides use on U.S. fires, MAFFS has been deployed to Mexico, Europe, Africa and Indonesia. International deployment is initiated by a foreign government's request through the U.S. State Department.[11]

The military is reimbursed for the cost of operating MAFFS flights by the agency having jurisdiction over the fire.[10]

MAFFS is in use in the Colombian Air Force,[12] Brazilian Air Force, Royal Moroccan Air Force and the Royal Thai Air Force C-130s.

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 06, 2016, 12:11:38 am
Presos alemaes tambem participam na limpeza das areas verdes

http://www.baden-tv.com/gefangene-saeubern-pforzheimer-wald-108969/

Ha iniciativas deste genero em Portugal?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Setembro 06, 2016, 12:10:56 pm
Presidente da Autoridade Nacional de Protecção Civil demite-se

Francisco Grave Pereira, à frente da Autoridade Nacional de Protecção Civil desde maio de 2014, demitiu-se esta segunda-feira na sequência do inquérito ao caso dos helicópteros Kamov.


(http://mediaserver4.rr.pt/newrr/kamovruiguerreiro2100e03f.jpg)

Escreve o Público esta terça-feira, 6 de setembro, que o presidente da Proteção Civil, Francisco Grave Pereira, se demitiu na sequência das conclusões de um relatório da Inspecção-Geral da Administração Interna.

As conclusões do inquérito imputavam-lhe falta de zelo na forma como a Autoridade Nacional de Protecção Civil geriu o processo de transferência de seis helicópteros Kamov para a empresa a Everjets, que opera com os mesmos atualmente.

(http://cdn2.obsnocookie.com/wp-content/uploads/2016/09/06110607/20408300_770x433_acf_cropped.jpg)

Francisco Grave Pereira estava à frente da Autoridade Nacional de Protecção Civil  desde maio de 2014.

Segundo a Inspecção-Geral da Administração Interna, escreve o jornal, está em causa a falta de zelo na proteção dos interesses do Estado no processo em causa.

A demissão foi apresentada esta segunda-feira à ministra Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

Este processo, que levou à demissão de Francisco Grave Pereira, foi instaurado em Junho de 2015 pela então ministra Administração Interna, Anabela Rodrigues.

Escreve a Lusa que a ministra da Administração Interna dará mais pormenores sobre o assunto na conferência de imprensa que está agendada para as 12:00, na Proteção Civil, para o balanço operacional intercalar da Fase Charlie do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais de 2016 relativo ao mês de agosto.

Fonte: http://24.sapo.pt/article/sapo24-blogs-sapo-pt_2016_09_06_190214605_presidente-da-autoridade-nacional-de-proteccao-civil-demite-se
http://rr.sapo.pt/noticia/62986/demite_se_presidente_da_proteccao_civil_helicopteros_kamov_na_origem_da_saida
http://observador.pt/2016/09/06/presidente-da-protecao-civil-demite-se/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Setembro 06, 2016, 04:37:05 pm
O estado português ao que parece não aceitou dinheiro da UE para a compra de aviões

http://www.defensa.com/frontend/defensa/portugal-rechazo-50-millones-euros-union-europea-para-compra-vn19396-vst352
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Setembro 06, 2016, 04:53:48 pm
O estado português ao que parece não aceitou dinheiro da UE para a compra de aviões

http://www.defensa.com/frontend/defensa/portugal-rechazo-50-millones-euros-union-europea-para-compra-vn19396-vst352
O Estado Português é mágico. Para comprar três aparelhos precisava de 140 milhões, colocando cada bombardier a custar 46,66 milhões de euros, "apenas" à volta  de mais 10 milhões de euros que o preço normal do avião. Afinal à que pagar as normais comissões, custos do processo, caderno de encargos, contrapartidas, contratos e afins...  ;D :D
Citar
Bombardier 415

Price - Current Price $ 37 million U.S.*

http://www.aircraftcompare.com/helicopter-airplane/Bombardier-415/87 (http://www.aircraftcompare.com/helicopter-airplane/Bombardier-415/87)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 08, 2016, 12:52:55 pm
(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/l/t1.0-9/14199505_1252531378099380_8216284328006627844_n.jpg?oh=7a7550201546e5563ce572cc9a3af486&oe=584AE973)
Citar
Descanso do guerreiro! Quando te queixares que tiveste uma má noite, pensa nos bombeiros que não dormem à noite e nestes militares chulos do estado que estão ao relento para que a tua casa não arda!!

https://www.facebook.com/pages/Monchique-Algarve-Portugal/452283651469932
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Setembro 09, 2016, 11:05:41 am
Perda de confiança na ministra levou presidente da Proteção Civil a demitir-se

O ex-presidente da Proteção Civil disse numa carta enviada à ministra da Administração Interna ter "perdido a confiança institucional" em Constança Urbano Sousa por não lhe ter dado conhecimento das conclusões do inquérito ao caso dos helicópteros Kamov.

(http://thumbs.web.sapo.io/?epic=ZmRlRlDi0L0IEJt50W9U+gpxD5FZdP9xCfIsKKKLLFTgzXVBj9MQB771zIHpXoBmeZrx7GykSWsjbvQ0RbGJWAzzsQpG93y89mQ8R5E446R6ILQ=&crop=center&tv=2&errorpic=transparent&delay_optim=1&W=960&H=540&Q=70&bgcolor=ffffff)

 "Registo com profundo desagrado o facto de Vossa Excelência [ministra Constança Urbano Sousa] ter objetivamente optado por me manter no desconhecimento desta matéria, que se refere diretamente à ANPC e a seus elementos. Considero esta posição de uma absoluta falta de consideração institucional e pessoal, para mim incompreensível e inaceitáveis", frisa Francisco Miguel Grave Pereira numa carta enviada à ministra, a que o Diário de Notícias teve acesso.

Nesse sentido, o ex-presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) realça na carta ter perdido a "confiança institucional" em Constança Urbano de Sousa.

Francisco Miguel Grave Pereira, que pediu a demissão do cargo de presidente da ANPC na terça-feira, afirma na carta ter tido conhecimento no dia 02 de setembro pelo chefe de Estado-Maior do Exército, Rovisco Duarte, do inquérito conduzido pelo Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI).

Na carta, o ex-presidente adianta: "Não podendo ignorar o que a imprensa tem vindo a veicular, não posso deixar de reiterar que as causa do pedido de demissão nada têm a ver com o inquérito da IGAI, cujas recomendações ou conclusões, aparentemente já do domínio jornalístico, ainda desconheço por completo", sublinhou.

O presidente da ANPC demitiu-se do cargo na sequência do inquérito ao caso dos helicópteros Kamov, tendo apresentado o pedido na segunda-feira e que foi aceite pela ministra.

A abertura do inquérito surgiu após a ANPC ter detetado problemas "graves no estado das aeronaves", que ditaram a impossibilidade de os helicópteros estarem em plena condição de serem operados, durante o processo de transferência dos Kamov para a empresa que ganhou o concurso público de operação e manutenção dos aparelhos para os próximos quatro anos.

O inquérito incidia sobre "as circunstâncias descritas e apuradas durante o processo de consignação dos meios aéreos próprios pesados do Estado, tendo em vista o apuramento de responsabilidades a que haja lugar nesse âmbito".

Dos seis helicópteros Kamov da frota do Estado, apenas três estão aptos para voar, estando dois inoperacionais por avaria e outro acidentado desde 2012.

Fonte: http://24.sapo.pt/article/lusa-sapo-pt_2016_09_09_1004429714_perda-de-confianca-na-ministra-levou-presidente-da-protecao-civil-a-demitir-se
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Pedro E. em Setembro 10, 2016, 12:24:02 pm
Three villages evacuated due to wildfire in Portugal
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 13, 2016, 12:34:39 am
Detectadas falhas de segurança nos Kamov  (video)
http://www.rtp.pt/noticias/pais/detetadas-falhas-de-seguranca-nos-kamov_v946694

Dirigentes da Protecção Civil responsabilizados por 99 falhas no controlo dos Kamov (video)
http://www.rtp.pt/noticias/pais/dirigentes-da-proteccao-civil-responsabilizados-por-99-falhas-no-controlo-dos-kamov_n946650

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Novembro 13, 2016, 01:43:50 pm
Emprego de meios nos EUA.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Novembro 16, 2016, 10:55:39 am
Citar
Relatório secreto aponta falhas em mortes de bombeiros

Lacunas na formação, desobediências "que não são toleráveis" nos teatros de operação, falta de coesão e de comunicação e o não uso de equipamentos de proteção no combate aos fogos.

O relatório "Os grandes incêndios florestais e os acidentes mortais ocorridos em 2013", encomendado a especialistas da Universidade Coimbra (UC) a seguir aos grandes incêndios na serra do Caramulo, no verão de há três anos, tece críticas duras à atuação dos bombeiros.

http://www.jn.pt/nacional/interior/relatorio-secreto-aponta-falhas-em-mortes-de-bombeiros-5500078.html?utm_source=jn.pt&utm_medium=recomendadas&utm_campaign=afterArticle&_ga=1.190144296.2030204969.1479290844
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Janeiro 30, 2017, 02:15:16 pm
Não é em Portugal, mas merece ser divulgado, o envio da FEB para o Chile.

http://observador.pt/2017/01/27/portugal-envia-forca-especial-para-apoiar-o-chile-no-combate-aos-fogos-florestais/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 30, 2017, 05:15:39 pm
Não é em Portugal, mas merece ser divulgado, o envio da FEB para o Chile.

http://observador.pt/2017/01/27/portugal-envia-forca-especial-para-apoiar-o-chile-no-combate-aos-fogos-florestais/


Já destaquei essa noticia no topico forças de segurança: noticias ....



>>>>>>   http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=8797.405
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: perdadetempo em Fevereiro 16, 2017, 01:01:21 am
Quando andava à procura de novidades sobre a versão de combate aos fogos do AIRBUS c-295W, encontrei uma noticia  ligada aos incêndios no Chile, por causa do cambão entre empresas espanholas que se dedicam ao negócio de fornecer meios aéreos para apagar fogos que operam no Chile e que também operavam nos mesmos termos em Espanha, Portugal e Itália segundo este site:

http://fireaviation.com/ (http://fireaviation.com/)

E que os Espanhóis parecem confirmar http://www.eldiario.es/andalucia/Cartel-fuego_0_592491121.html (http://www.eldiario.es/andalucia/Cartel-fuego_0_592491121.html)
Citar
...

Un juzgado valenciano define como "organización criminal" a las 14 aeronáuticas implicadas en la trama para controlar la lucha área de incendios

El núcleo duro se hacía llamar Grupo 6 y creó el sistema delictivo hace 15 años en Palma del Río (Córdoba)

La trama de empresas supuestamente corruptas ha logrado introducirse también en los mercados de Portugal, Italia, Francia y Chile
...

Ou ainda melhor neste http://www.elmundo.es/comunidad-valenciana/2016/01/14/5696b0d8268e3e7b268b4627.html (http://www.elmundo.es/comunidad-valenciana/2016/01/14/5696b0d8268e3e7b268b4627.html)
que começa com um suposto e-mail a combinar o "negócio" em Portugal

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Fevereiro 16, 2017, 04:09:03 pm

Ou ainda melhor neste http://www.elmundo.es/comunidad-valenciana/2016/01/14/5696b0d8268e3e7b268b4627.html (http://www.elmundo.es/comunidad-valenciana/2016/01/14/5696b0d8268e3e7b268b4627.html)
que começa com um suposto e-mail a combinar o "negócio" em Portugal

Cumprimentos,

Mas ainda existiam duvidas quanto a isso?  :N-icon-Gun:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Março 02, 2017, 08:17:52 pm
Forças Armadas Vão Integrar o DECIF

https://www.bps.pt/2017/03/01/forcas-armadas-vao-integrar-o-decif/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Abril 05, 2017, 01:55:34 pm
Governo já iniciou procedimento para reparar os dois helicópteros Kamov

http://www.dn.pt/portugal/interior/governo-ja-iniciou-procedimento-para-reparar-os-dois-helicopteros-kamov-5767397.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Abril 05, 2017, 01:57:10 pm
Protecção Civil abre concurso para 25 helicópteros de combate a incêndios só depois do Verão

https://www.publico.pt/2017/04/03/sociedade/noticia/protecao-civil-abre-concurso-para-25-helicopteros-de-combate-a-incendios-mas-so-depois-do-verao-1767542
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Abril 05, 2017, 01:58:16 pm
Caso dos Kamov. Everjets quer 8 milhões do Estado por incumprimento

http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-04-01-Caso-dos-Kamov.-Everjets-quer-8-milhoes-do-Estado-por-incumprimento

Citar
"Grupo de pilotos queixa-se de falta de pagamento

Entretanto um grupo de pilotos alertou que a campanha de combate a incêndios de 2017 está em risco, porque a Everjets ainda não regularizou os pagamentos de 2016, e estes profissionais avisam que não voam nestas condições."
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Abril 21, 2017, 11:18:27 am
Altamente (  Scooping Rio Douro - Canadair CL415 Marrocos ).  ;)


Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Abril 21, 2017, 04:06:16 pm
Altamente (  Scooping Rio Douro - Canadair CL415 Marrocos ).  ;)


Cumprimentos

EXCELENTE AERONAVE muito manobrável e fiável é o que digo a enorme capacidade de carregar os 6000 litros em segundos é simplesmente espectacular. Se ver assim é uma maravilha no cockpit nem te digo o que sentes.............. os ditos as vezes encolhem, encolhem e ficam como azeitonas tais saõ as rapadas que fazem antes das amaragens.

Obrigado por divulgares.

quando não forem necessários nós compramos. :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:
Que bela esquadra de combate aéreo aos incêndios se formava com uns seis aparelhos destes e uma dúzia de helis !!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Abril 25, 2017, 02:33:09 pm
Pelo menos alguém vai fazendo alguma coisa em vez de apenas falar...

Projecto-piloto. “Cortina de árvores” com 12 km cria protecção contra incêndios
(24 de Abril de 2017)
Citar
A Câmara de Arouca está a desenvolver, com cerca de 70 proprietários do concelho, um projecto-piloto que visa criar um corredor florestal de 12 quilómetros apenas com árvores autóctones mais resistentes ao fogo do que o eucalipto.

Segundo revelou à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal, o projecto, a ser monitorizado ao longo de dez anos, arrancará em Setembro com a plantação de cerca de 80 mil árvores dispostas por uma faixa de terreno com 10 metros de largura a partir da estrada, no percurso entre o centro da vila e os passadiços do Paiva.

«Vamos usar cinco espécies de árvores autóctones que são mais resilientes e não deixam crescer grande vegetação sob as suas copas - sobreiros, castanheiros, bétulas, cerejeiras e carvalhos - e depois assumiremos a gestão deste corredor ao longo de dez anos, antes de devolvermos essa responsabilidade aos proprietários», explicou José Artur Neves.

«Nos nossos contactos com os donos dos terrenos, 99% deles mostraram-se entusiasmados com o projecto e só um é que se recusou a participar, por preferir plantar apenas eucalipto, que rende mais financeiramente», observou o autarca.

Mas, realçou, «essa espécie é precisamente a que queremos evitar, não só pelos riscos enormes que representa em caso de incêndio, mas também porque é ela que tem vindo descaracterizar toda a floresta portuguesa».

[continua]
Fonte: http://rr.sapo.pt/noticia/81891/projecto_piloto_cortina_de_arvores_com_12_km_cria_proteccao_contra_incendios (http://rr.sapo.pt/noticia/81891/projecto_piloto_cortina_de_arvores_com_12_km_cria_proteccao_contra_incendios)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Abril 25, 2017, 02:50:13 pm
http://www.correiodamadeira.com/2017/04/helis-dos-testes-ao-combate-incendios.html (http://www.correiodamadeira.com/2017/04/helis-dos-testes-ao-combate-incendios.html)
Citar
Carlos Pereira cumpriu a promessa, chegaram à região os dois hélis de reconhecimento e combate a incêndios vindos das Canárias. Pelo que foi noticiado, falta o avião do continente.

Os dois equipamentos de combate a incêndios florestais, com os registos PH1 CS-HHB e PH2 CS-HF são da empresa HTA, baseada em Loulé e fundada em 1996, para cobrir operações em território português mas, só agora chegaram à Madeira, por especial pressão dos madeirenses após os grandes incêndios. A companhia desenvolve negócios noutros como países, Espanha é um deles, tendo estes hélis vindo das Canárias do Aeroporto de Tenerife Norte, Los Rodeos.

Os dois primeiros equipamentos a chegar são Aérospatiale AS 350 Ecureuil, faltando o avião de testes que deverá chegar nas próximas horas.
(https://3.bp.blogspot.com/-Y63SErvaWP4/WP0bBVlV1cI/AAAAAAAAAEg/PljtwACGCU4hzi64dfk8EHRG-i7KncZ0QCLcB/s640/Helis_Testes_Incendios.jpg)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Abril 25, 2017, 06:43:50 pm
http://www.correiodamadeira.com/2017/04/helis-dos-testes-ao-combate-incendios.html (http://www.correiodamadeira.com/2017/04/helis-dos-testes-ao-combate-incendios.html)
Citar
Carlos Pereira cumpriu a promessa, chegaram à região os dois hélis de reconhecimento e combate a incêndios vindos das Canárias. Pelo que foi noticiado, falta o avião do continente.

Os dois equipamentos de combate a incêndios florestais, com os registos PH1 CS-HHB e PH2 CS-HF são da empresa HTA, baseada em Loulé e fundada em 1996, para cobrir operações em território português mas, só agora chegaram à Madeira, por especial pressão dos madeirenses após os grandes incêndios. A companhia desenvolve negócios noutros como países, Espanha é um deles, tendo estes hélis vindo das Canárias do Aeroporto de Tenerife Norte, Los Rodeos.

Os dois primeiros equipamentos a chegar são Aérospatiale AS 350 Ecureuil, faltando o avião de testes que deverá chegar nas próximas horas.
(https://3.bp.blogspot.com/-Y63SErvaWP4/WP0bBVlV1cI/AAAAAAAAAEg/PljtwACGCU4hzi64dfk8EHRG-i7KncZ0QCLcB/s640/Helis_Testes_Incendios.jpg)

Saudações

Será esse o novo esquema de pintura que a FAP vai usar nos ecureuil ?????? f2x2x
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Abril 27, 2017, 05:30:18 am
E depois até os podem vender em segunda mão à Roménia sem necessidade de mudar a pintura  ;D
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: perdadetempo em Abril 27, 2017, 05:25:06 pm
E depois até os podem vender em segunda mão à Roménia sem necessidade de mudar a pintura  ;D

Ou para o Nepal

http://www.mountainhelicoptersnepal.com/index.php?option=com_content&view=article&id=263&Itemid=100 (http://www.mountainhelicoptersnepal.com/index.php?option=com_content&view=article&id=263&Itemid=100)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Maio 18, 2017, 12:20:49 am
Helicópteros Kamov avariados só estão prontos depois do verão

http://www.jn.pt/nacional/interior/helicopteros-kamov-avariados-so-estao-prontos-depois-do-verao-8483338.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 13, 2017, 03:56:33 pm
Mapas da distribuição dos meios aéreos de combate a incêndios em Espanha:
http://safeplace52.blogspot.pt/2017/06/dispositivo-de-combate-incendios.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 18, 2017, 01:55:05 am
Incêndio de Pedrogão Grande. Há 57 vítimas mortais confirmadas

(http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/06/18014054/22542659_770x433_acf_cropped.jpg)

Mais uma vez os fogos continuam a fazer estragos consideráveis em Portugal!
Quantos mais mortos tem de haver para apostarmos a sério na prevenção e no combate!

Pesar pelas vítimas e pelos familiares.

http://observador.pt/2017/06/17/19-pessoas-morrem-em-incendio-em-pedrogao-grande/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: perdadetempo em Junho 18, 2017, 12:28:23 pm
O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais para 2017 que terá sido aprovado no mês de Abril.

http://www.prociv.pt/pt-pt/PROTECAOCIVIL/LEGISLACAONORMATIVOS/OUTROSNORMATIVOSDIRETIVAS/Documents/DON_2_DECIF_2017.pdf (http://www.prociv.pt/pt-pt/PROTECAOCIVIL/LEGISLACAONORMATIVOS/OUTROSNORMATIVOSDIRETIVAS/Documents/DON_2_DECIF_2017.pdf)

http://www.portugal.gov.pt/media/27242903/20170412-mai-decif.pdf (http://www.portugal.gov.pt/media/27242903/20170412-mai-decif.pdf)

Não que tenha servido de muito às vitimas do que se está a passar actualmente.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Junho 18, 2017, 12:49:55 pm
O último parágrafo acerca da desresponsabilização é que é o nosso verdadeiro problema. Desde que assim continue, nunca nada vai mudar.

Teria sido possível evitar uma tragédia tão grande? Especialista acredita que sim
(18 de Junho de 2017)
Citação de: Alexandra Campos
A pergunta que todos fazem agora é: teria sido possível evitar esta tragédia? Paulo Fernandes, engenheiro florestal e professor no Departamento de Ciências Florestais da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, acredita que pelo menos teria sido possível minimizar a sua dimensão. Desde logo porque era possível antecipar que existia um potencial de factores combinados, como a temperatura elevada, ventos muito fortes e, sobretudo, a instabilidade atmosférica (trovoadas e raios), que já estava prevista há dias, explica. «Uma mistura fatal», sintetiza.

«Estas coisas nunca são totalmente previsíveis, mas o sistema tem de estar preparado. No mínimo, pedia-se que se tivessem encerrado as estradas a tempo e horas», defende o especialista, que se espanta com a surpresa manifestada por vários responsáveis no terreno. «Estou é surpreendido por isto não ter acontecido antes e mais vezes», enfatiza.

Paulo Fernandes faz um paralelo com o que aconteceu em 2003 [ano em que arderam 152 mil hectares de floresta e morreram 21 pessoas], “com incêndios enormes causados por raios” e lamenta que os fogos naturais sejam em Portugal sistematicamente desvalorizados por representarem apenas 2% do total.

«Temos de estar preparados. Em Portugal, não há pessoas especializadas em meteorologia de incêndios, há académicos, mas não há operacionais», diz, notando que qualquer país com este potencial adverso tem de ter pessoas a trabalhar nestas áreas «a tempo inteiro».

Todo o sistema de prevenção e combate a incêndios precisa, aliás, de ser reformado, defende. «Esta originalidade portuguesa de ter fases alfa e charlie não faz sentido hoje. Um sistema moderno não pode estar dependente do calendário, tem de ter flexibilidade para responder sempre que necessário, até por causa das alterações climáticas.»

A própria concepção do sistema, «pulverizado por várias forças com pouca massa crítica, torna tudo mais difícil», acrescenta, lembrando que temos «um sistema muito focado no combate», em que 90% do investimento é para esta área.

(...)

Agora, o que pede é que se retirem ilações desta tragédia. «Acho inconcebível que responsáveis do Governo e até o Presidente da República comecem logo a declarar à queima-roupa que tudo correu muito bem», porque isto, acredita, contribui para «a desresponsabilização».
Fonte: https://www.publico.pt/2017/06/18/sociedade/noticia/teria-sido-possivel-evitar-uma-tragedia-tao-grande-especialista-acredita-que-sim-1776063 (https://www.publico.pt/2017/06/18/sociedade/noticia/teria-sido-possivel-evitar-uma-tragedia-tao-grande-especialista-acredita-que-sim-1776063)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luxo em Junho 18, 2017, 02:14:34 pm
Mais um ano, e Portugal outra vez a pedir ajuda. Os outros, e bem, a responder com os mesmos  meios ( i.e Canadair) que os governantes nao considerem ser util. Cuando os outros precisar, se calhar poderiamos enviar os nossos politicos para explicar-lhes como eles sao burros porque usam meios que nao serve o resto do ano.... :new_argue:
Nao sera tempo de profisionalisar mais os bombeiros (quadros) e por os corpos de bombeiros sobre a alcada dos municipios o inter municipalicar-los?
Nao era tempo de ter os memos meios que os outros paises (helicopteros, avioes anfibios...)  e confiar los as forcas de confianca i.e militares que seja Exercito, Forca Aera, GNR (o a todas estas forcas: helicopteros para os tres e avioes para a FAP) e deixar de inventar (e gastar dinheiro) coisa como a EMA...
Haja vergonha para quem esta a ser bem pago para governar e ter resultados iguais anos apos anos...

Ja se sabe que chave esta na prevencao (ordenamento florestal, limpeza, gestao...) mas, isto antes de dar fruto leva ainda muito anos de combate

P.s :desculpa pela a ortagrafica... Isso e um desabafo de quem ve isto desde de la fora
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Stalker79 em Junho 18, 2017, 08:07:35 pm
O que poderia ter evitado ou pelo menos mitigado o que aconteceu era ter meios aereos suficientes ,mas como sempre estão-se a cagar até as coisas acontecerem.
Se calhar pensam que "pro ano pode ser que não arda" e de qualquer maneira somos quase sempre o pais da europa com maior area ardida.
Há no mercado soluções bastante baratas e simples que deveriam estar na alçada da proteção civil e ser operadas pela força aerea.
Este seguinte é só um exemplo, o Airtractor Fireboss 802, monomotor,um só piloto,carrega o tanque em cerca de 750 metros, menos que um canadair, cerca de 3 milhões de dolares a unidade. Não valerá mais a pena ter meia duzia destes em stand-by do que estar sempre ás esmolas da vizinhança!?

https://airtractor.com/aircraft/at-802f-fire-boss/

 :bang:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 18, 2017, 09:07:15 pm
Lá estamos de novo com a conversa do helicópteros...
Os problemas são muito mais que isso!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 18, 2017, 09:23:50 pm
Se calhar começava pela proliferação de eucalipto e pelo facto de governo após governo se dar incentivos, na ordem dos 18 milhões anuais à plantação dos ditos. Ou porque só hoje o p3cup foi chamado a monitorizar os incêndios, quando os mesmos começaram ontem ao início da tarde. Isto só para dar alguns exemplos...  ::) :o

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Menacho em Junho 19, 2017, 01:46:26 pm
(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/19149390_1297005557074585_8613348790993127886_n.jpg?oh=034c60940568ea0cbd3a37d44e6377fd&oe=599F74F0)

Mis mas sinceras condolencias
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Stalker79 em Junho 19, 2017, 05:05:59 pm
Lá estamos de novo com a conversa do helicópteros...
Os problemas são muito mais que isso!

Neste caso não são helicopteros mas aviões de combate a incendios, que a meu ver deveriam estar sempre em stand-by e não ser utilizados quando a mata já está toda a arder.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 19, 2017, 11:20:22 pm
SIRESP: Sistema de comunicações falhou em Pedrógão Grande?

Ainda no rescaldo da enorme tragédia que aconteceu em solo nacional, é hora de começar a identificar o que falhou ou pelo menos perceber o que poderia ter sido evitado. As opiniões dos “especialistas” são diversas mas os factos levam-nos a começar por analisar o que aconteceu, afinal, ao Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) que custou milhões.

De acordo com as informações, o SIRESP foi imediatamente abaixo e as equipas no terreno tiveram de arranjar alternativas de comunicação.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2017/06/SIRESP_00.jpg)

Na sequência do enorme incêndio que se registou na área de Pedrógão Grande, aquela zona ficou sem comunicações pois o fogo acabou por destruir as antenas. Para este tipo de cenários Portugal dispõe de um Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança só que, segundo as informações, assim que o sistema foi instalado foi de imediato abaixo.

De acordo com o primeiro ministro, a falha do SIRESP comprometeu as comunicações e os operacionais no terreno tiveram que recorrer a meios de comunicação alternativos. Segundo o que foi avançado ontem pelos canais de TV, o problema foi superado ainda durante a noite de sábado, uma vez que a MEO colocou vários carros na rua equipados com antenas móveis que asseguraram a normalização da situação.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2017/06/siresp_02.jpg)

Já hoje o Jornal de Negócios publicou um artigo onde, fonte oficial do gabinete da ministra da administração interna, Constança Urbano de Sousa,  garantiu que “em nenhum momento a rede SIRESP esteve inoperacional” e que “o que aconteceu, no passado sábado, foi que devido ao incêndio que teve início no concelho de Pedrógão, distrito de Leiria, três antenas foram atingidas pelo fogo tendo criado algumas zonas de não cobertura da rede”.

O Gabinete de Constança Urbana de Sousa revelou ainda que foram instaladas antenas móveis “imediatas”, que “garantiram a reposição total do sistema”.
SIRESP: 270 milhões de euros que não funcionam quando é preciso?

De acordo com uma publicação da impressa nacional no ano passado, o SIRESP terá custado, até 2014, nada mais que 270 milhões de euros aos cofres do estado. O Governo de António Costa renegociou o contrato mas a verdade é que o SIRESP tem um historial de problemas e polémicas.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2017/06/esquema_ponto_situacao.jpg)

O SIRESP é composto por:

    502 torres de comunicações que servem um universo de 53 500 utilizadores
    6 comutadores de tráfego
    53 salas de despacho
    2 estações móveis de reforço com sistema de comunicação via satélite


https://pplware.sapo.pt/informacao/siresp-sistema-comunicacoes-falhou-pedrogao-grande/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Igor em Junho 19, 2017, 11:59:27 pm
Sinceramente não consigo entender o reduzido numero de meios aereos pesados do DECIF, existe um elevado numero de meios aereos ligeiros que em incendios de grandes dimensoes a sua eficácia é manifestamente reduzida. Não percebo como é que 2 helis Kamov estejam inoperacionais á mais de dois anos,já para não falar no que se acidentou em 2012 e que ainda não decidiram o seu destino final. Perante isto estamos dependentes anualmente da ajuda externa da união europeia, mas os nossos responsaveis da protecção civil teimam em afirmar que os meios são os mais adequados e suficientes. Enfim estamos em Portugal.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Crypter em Junho 20, 2017, 09:45:17 am
Não me venham com essa treta de que o que aconteceu foi por falta de meios! O fenómeno deste dia trágico foi tão agressivo que NENHUM país do mundo conseguiria eliminar por completo toda e qualquer ameaça sobre a população!! Se se podia ter diminuido a tragédia isso é outro assunto! agora as primeiras horas foram de uma agressividade que eu nunca vi!

Agora que faltam de facto meios próprios, essencialmente aéreos, isso faltam! Continuo a não perceber a porcaria da ideia de andarem à procura no mercado de substitutos do C130 com capacidade de Incêndio!?!? Para quÊ?? Com as nossas dimensões e tipologia de terreno não é preciso inventar nem andar com adaptações!! Nós precisamos a tempo inteiro de 6/8 Canadair (somente o dispositivo aéreo mais eficaz no combate a incêndios florestais) sendo que devia ser criado mesmo uma esquadra dentro da força aérea para combate a incêndios onde estes e mais alguns helis pesados deviam pertencer!!

PQ RAIO NÃO SE FAZ ESTE INVESTIMENTO???? QUANTAS MAIS PESSOAS TÊM QUE MORRER PARA ACABAREM COM A MERDA DO COMPADRIO??

P.s. - desculpem la mas estes dias têm sido dificeis de engolir a porcaria desta pane***** politica e as suas decisões!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 20, 2017, 11:01:13 am
http://www.tsf.pt/sociedade/interior/forca-aerea-exercito-e-marinha-ajudam-na-luta-contra-as-chamas-8571679.html (http://www.tsf.pt/sociedade/interior/forca-aerea-exercito-e-marinha-ajudam-na-luta-contra-as-chamas-8571679.html)
Citar
A Autoridade Nacional de Proteção Civil adianta em comunicado que a Força Aérea Portuguesa, o Exército e a Marinha também estão a apoiar no esforço de combate dos mais de 800 operacionais que se debatem na luta contra as chamas em Pedrógão Grande, na região Centro.

O envolvimento dos militares não é novo no combate aos fogos em Portugal, mas neste caso há mesmo um envolvimento pouco comum da Força Aérea que tem uma aeronave a apoiar os meios de combate, "designadamente fazendo a monitorização da área ardida e a identificação de pontos quentes suscetíveis de gerarem reacendimentos".

A Marinha (através dos Fuzileiros) e o Exército "disponibilizaram meios logísticos diferenciados para reforço às operações que decorrem no terreno".

Recorde-se que o fogo em Pedrógão Grande lavra há mais de 24 horas e tem ainda quatro frentes ativas, já tendo feito pelo menos 60 vítimas mortais.

(http://static.globalnoticias.pt/tsf/image.aspx?brand=TSF&type=generate&name=original&id=8571679&w=700&t=20170618153600)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso em Junho 20, 2017, 12:21:41 pm
Podem morrer 10, 20, 50, 100, etc...
O Governo (este ou outro) não vai tomar medidas e implementá-las.
A natureza do sistema (que vive nas ineficiências do mesmo) não o permite.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 20, 2017, 12:34:31 pm
Ontem no programa prós e contras, quase todos os intervenientes referiram o fenómeno excepcional de Pedrógão Grande e não foi referida a falta de meios, pelo contrário, os "experts" referiram que o principal problema é o ordenamento e que se deve apostar mais na prevenção em contraponto com o combate. Apesar de me parecer de que o ordenamento demora demasiados anos a ter resultados e o combate tem de ser imediato!

Os políticos ficaram contentes por não referirem o facto de andarmos a pedir emprestados meios aéreos todos os anos! Quem ainda colocou em causa o sistema, foi um investigador da UTAD, mas como estava à distãncia.....
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Stalker79 em Junho 20, 2017, 01:12:55 pm
É só por isso que acho que mais meios aereos, mesmo ligeiros, e estou a falar de aviões não helicopteros, poderiam fazer uma grande diferença se estivessem prontos para utilizar ao primeiro sinal de alarme em vez de esperarem que os incendios se tornem incontroláveis. E é preciso lembrar que os Canadairs tem limitações a nivel do espaço em que podem operar além, fo facto que custam 35 milhôes de dolares cada. Como postei acima, o Airtractor FireBoss custa pouco mais de 3 milhões de dolares, leva metade da capacidade do canadair, e enche o "deposito" em 750 metros, o que lhe permite operar em muitos mais locais. Penso que seria mais viável e realista que andarmos a delirar com aviões carissimos que e tem alguma dificuldade em arranjar onde abastecer.


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 20, 2017, 01:44:33 pm
Já agora: http://www.firebossllc.com/index.php (http://www.firebossllc.com/index.php)
(http://www.firebossllc.com/images/gallery/010.jpg)
(http://www.firebossllc.com/images/gallery/008.jpg)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Junho 20, 2017, 03:21:29 pm
Altamente (  Scooping Rio Douro - Canadair CL415 Marrocos ).  ;)


Cumprimentos

EXCELENTE AERONAVE muito manobrável e fiável é o que digo a enorme capacidade de carregar os 6000 litros em segundos é simplesmente espectacular. Se ver assim é uma maravilha no cockpit nem te digo o que sentes.............. os ditos as vezes encolhem, encolhem e ficam como azeitonas tais saõ as rapadas que fazem antes das amaragens.

Obrigado por divulgares.

quando não forem necessários nós compramos. :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:
Que bela esquadra de combate aéreo aos incêndios se formava com uns seis aparelhos destes e uma dúzia de helis !!!

Abraços

E ainda há quem diga que os CL215/415 não tem " espaço " para operar/encher os tanques de 6000 litros a favor dos FB, enfim sempre aprender.........
Quando não nos fizerem falta, ou quando morrerem mais 70 Compatriotas Nossos pelo FOGO, nós adquirimos os acfts !!
Quantas horas depois de solicitados, apareceram os primeiros Canadair/Bombardier ????
Não teria feita toda a diferenças se os tivéssemos e fossem empenhados logo de inicio ???
Se calhar sim, digo eu que sou leigo e naõ percebo nada disto, se calhar SIM !!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 20, 2017, 03:25:11 pm
Um responsável de uma corporação de Bombeiros disse-me hoje que a ANPC tem 2 Canadair, para além de aviões ligeiros a operar!? Não consegui confirmar a informação, mas a pessoa garantiu-me que a ANPC tem de facto esses meios! Não serão os alugados?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Junho 20, 2017, 03:32:30 pm
O que poderia ter evitado ou pelo menos mitigado o que aconteceu era ter meios aereos suficientes ,mas como sempre estão-se a cagar até as coisas acontecerem.
Se calhar pensam que "pro ano pode ser que não arda" e de qualquer maneira somos quase sempre o pais da europa com maior area ardida.
Há no mercado soluções bastante baratas e simples que deveriam estar na alçada da proteção civil e ser operadas pela força aerea.
Este seguinte é só um exemplo, o Airtractor Fireboss 802, monomotor,um só piloto,carrega o tanque em cerca de 750 metros, menos que um canadair, cerca de 3 milhões de dolares a unidade. Não valerá mais a pena ter meia duzia destes em stand-by do que estar sempre ás esmolas da vizinhança!?

https://airtractor.com/aircraft/at-802f-fire-boss/

 :bang:

os meus cinco cêntimos para a discussão FB VS CL215/415.


Specifications (415
Data from Bombardier Aerospace Website
General characteristics

Crew: 2 pilots
Additional Seating: one on jump seat, eight on bench seats
Payload: 6,400lb (2,900 kg)
Length: 65 ft (19.82 m)
Wingspan: 93 ft 11 in (28.6 m)
Height: 29 ft 3 in (8.9 m)
Wing area: 1,080 sq ft (100 sq m)
Airfoil: NACA 4417
Empty weight: 28,400 lb (12,880 kg)
Maximum fuel weight: 10,250 lb (4650 kg)
Maximum takeoff weight (from land, disposable load): 43,850 lb (19,890 kg)
Maximum takeoff weight (from land, non-disposable load): 41,000 lb (18,600 kg)
Maximum takeoff weight (from water): 37,850 lb (17,170 kg)
Max Capacity (Water or Retardant): 13,536 lb (6,140 kg)
Maximum weight after scooping: 47,000 lb (21,360 kg)
Maximum landing weight: 37,000 lb (16,780 kg)
Powerplant: 2 × Pratt & Whitney Canada PW123AF turboprop, takeoff power: 2,380 shp (1,775 kW) each
Performance

Maximum speed: 223 mph (359 km/h (194 kt))
Cruise speed: 207 mph (333 km/h (180 kt))
Stall speed: 78 mph (126 km/h (68 kt))
Range: 1,518 miles (2,443 km)
Service ceiling: 14,700 ft (4,500 m)
Rate of climb: 1,600 ft/min (8.1 m/s)
Takeoff distance (ISA, land): 2,750 ft (840 m)
Takeoff distance (ISA, water): 2,670 ft (815 m)
Landing distance (ISA, land): 2,210 ft (675 m)
Landing distance (ISA, water): 2,180 ft (665 m)
Minimum water depth: 6 ft (1.8 m)

Stalker entre os FB e os Helis ligeiros, mesmo com payload a 50% dos FB, eu optaria sempre pelos Helis Por dois motivos Preponderantes, : polivalência, e capacidade de VERTOL !!

https://en.wikipedia.org/wiki/Canadair_CL-415

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Junho 20, 2017, 03:57:46 pm
Eu continuo  achar que isto se vai manter, independentemente do número de pessoas que morram.

Há muitos interesses, que regulam isto e que lucram com o que está acontecendo!

É interessante ver o bloco de esquerda, que tudo critica  e que gosta de estar na ribalta de todos os assuntos, não defender a compra de equipamentos para a FAP, que permitam ser utilizados no combate  os incêndios.

A meu ver o que importa é o financiamento dos partidos, o resto não interessa.

Basta ver o PCP calado sobre o que aconteceu no BES, simplesmente porque o BES financiava a festa do avante. Porque é que os mesmos defendem a exclusão de IMI para os partidos, apenas porque são o partido que mais lucrou com o 25 de abril, entre outros assuntos!

O que importa é o poleiro.
 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 20, 2017, 04:24:48 pm
Um responsável de uma corporação de Bombeiros disse-me hoje que a ANPC tem 2 Canadair, para além de aviões ligeiros a operar!? Não consegui confirmar a informação, mas a pessoa garantiu-me que a ANPC tem de facto esses meios! Não serão os alugados?
Correcto, são alugados (contrato assinado em 2015 que vai até 2018/19).
(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2016/09/Canadair-SP-DSC_5055.jpg)
Citar
http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/ (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
O que poderia ter evitado ou pelo menos mitigado o que aconteceu era ter meios aereos suficientes ,mas como sempre estão-se a cagar até as coisas acontecerem.
Se calhar pensam que "pro ano pode ser que não arda" e de qualquer maneira somos quase sempre o pais da europa com maior area ardida.
Há no mercado soluções bastante baratas e simples que deveriam estar na alçada da proteção civil e ser operadas pela força aerea.
Este seguinte é só um exemplo, o Airtractor Fireboss 802, monomotor,um só piloto,carrega o tanque em cerca de 750 metros, menos que um canadair, cerca de 3 milhões de dolares a unidade. Não valerá mais a pena ter meia duzia destes em stand-by do que estar sempre ás esmolas da vizinhança!?

https://airtractor.com/aircraft/at-802f-fire-boss/

 :bang:

os meus cinco cêntimos para a discussão FB VS CL215/415.


Specifications (415
Data from Bombardier Aerospace Website
General characteristics

Crew: 2 pilots
Additional Seating: one on jump seat, eight on bench seats
Payload: 6,400lb (2,900 kg)
Length: 65 ft (19.82 m)
Wingspan: 93 ft 11 in (28.6 m)
Height: 29 ft 3 in (8.9 m)
Wing area: 1,080 sq ft (100 sq m)
Airfoil: NACA 4417
Empty weight: 28,400 lb (12,880 kg)
Maximum fuel weight: 10,250 lb (4650 kg)
Maximum takeoff weight (from land, disposable load): 43,850 lb (19,890 kg)
Maximum takeoff weight (from land, non-disposable load): 41,000 lb (18,600 kg)
Maximum takeoff weight (from water): 37,850 lb (17,170 kg)
Max Capacity (Water or Retardant): 13,536 lb (6,140 kg)
Maximum weight after scooping: 47,000 lb (21,360 kg)
Maximum landing weight: 37,000 lb (16,780 kg)
Powerplant: 2 × Pratt & Whitney Canada PW123AF turboprop, takeoff power: 2,380 shp (1,775 kW) each
Performance

Maximum speed: 223 mph (359 km/h (194 kt))
Cruise speed: 207 mph (333 km/h (180 kt))
Stall speed: 78 mph (126 km/h (68 kt))
Range: 1,518 miles (2,443 km)
Service ceiling: 14,700 ft (4,500 m)
Rate of climb: 1,600 ft/min (8.1 m/s)
Takeoff distance (ISA, land): 2,750 ft (840 m)
Takeoff distance (ISA, water): 2,670 ft (815 m)
Landing distance (ISA, land): 2,210 ft (675 m)
Landing distance (ISA, water): 2,180 ft (665 m)
Minimum water depth: 6 ft (1.8 m)

Stalker entre os FB e os Helis ligeiros, mesmo com payload a 50% dos FB, eu optaria sempre pelos Helis Por dois motivos Preponderantes, : polivalência, e capacidade de VERTOL !!

https://en.wikipedia.org/wiki/Canadair_CL-415

Abraços
Por alguma razão os Croatas usam na sua esquadra de meios de combate a incêndios os dois modelos. A própria ANPC através da empresa contratada, usa também os dois aviões, além dos helicópteros. Ou seja, são usados porque um complementa o outro, sobretudo para uns tesos como nós que não podem só ter helis ou Cls (um Fire Boss é 3,5 Milhões um Cl 32 milhões). ;)
Citar
Firefighting Squadron flying CL-415, AT-802A/F FireBoss

https://en.wikipedia.org/wiki/Croatian_Air_Force_and_Air_Defence (https://en.wikipedia.org/wiki/Croatian_Air_Force_and_Air_Defence)

(https://i.ytimg.com/vi/YcxeZVQNK7E/maxresdefault.jpg)
(https://c1.staticflickr.com/1/429/20187173745_307d0e6347_b.jpg)
Citar
https://www.flickr.com/photos/paulofernandes-oneshootland/20187173745 (https://www.flickr.com/photos/paulofernandes-oneshootland/20187173745)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Stalker79 em Junho 20, 2017, 04:36:43 pm
Eu falo no AT FireBoss mesmo por causa do factor economico. Um AT custa um decimo de um Canadair e é mais barato de manter e operar e com menos custos de recursos humanos. E pelo preço de um Canadair comprasse um enxame de AT que serão mais eficazes que apenas um avião. É a minha humilde opinião.
 :G-beer2:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Junho 20, 2017, 05:18:01 pm
Não é uma questão de qual é o melhor aparelho para as nossas necessidades. Ambos são adequados e necessários. Alguns dos países mediterrânicos que são constantemente mencionados possuem ambos os tipos de aparelhos nas suas frotas por alguma razão — complementam-se! Por isso mesmo necessitamos de ambos... para ontem.

Entretanto, parece que acaba de cair um Bombardier em Pedrógão Grande. Esperemos que não hajam mais vitimas mortais :Soldado2:
Este acidente só vem revelar quão difícil e perigoso é o combate a FF. Esperemos que não sirva de argumento para os habituais defensores da prevenção que nada fazem para implementar a tal prevenção.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 20, 2017, 09:15:39 pm
Um responsável de uma corporação de Bombeiros disse-me hoje que a ANPC tem 2 Canadair, para além de aviões ligeiros a operar!? Não consegui confirmar a informação, mas a pessoa garantiu-me que a ANPC tem de facto esses meios! Não serão os alugados?
Correcto, são alugados (contrato assinado em 2015 que vai até 2018/19).
(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2016/09/Canadair-SP-DSC_5055.jpg)

Se vires o DECIF (ver google) na parte dos meios aéreos, aparece lá 2 AVBP (aviões bombardeiros pesados) a operar do aeródromo de Seia, além de 30 e tal outros meios entre helis pesados, médios, ligeiros e aviões AT espalhados por todo o país. Desses meios todos sabe-se que só os Kamov são pertença do estado, e não se deve estar a contar com os enviados por países amigos, portanto todos os outros meios que lá aparecem devem ser alugados.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 20, 2017, 10:11:13 pm
Então afinal não havia avião nenhum?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 20, 2017, 10:28:21 pm
Então afinal não havia avião nenhum?

Pois é um enorme embróglio. A ANPC não perdeu nenhum avião, mas mandaram 1 heli do INEM e um Merlin procurar pelo avião!!!!!! Deve haver alguma confusão para se perder um avião sem se dar conta!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 20, 2017, 11:31:43 pm
Alguém lançou o pânico (jornais ou alguém da ANPC), toda a gente que tem meios aéreos foi logo confirmar se foi algum dos seus, mas por via das dúvidas lança-se uma operação de "BUSCA e salvamento", para confirmar no terreno, se alguma aeronave (de alguém, até podia ser um civil curioso a passear) tinha caído.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 21, 2017, 12:44:29 am
Já se vê o Exército a ter uma roupa mais apropriada para uma zona de incêndios.

(https://scontent.flis8-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/19274933_1364696420286239_6266321276740551742_n.jpg?oh=ce86635020b576c5d153f19f97f50aa4&oe=59E7B442)
(https://scontent.flis8-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/19225890_1364682430287638_5123939937172887407_n.jpg?oh=06e856c0c3c7e196091bfcb6a90ee4d2&oe=599CA562)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 21, 2017, 09:27:32 am
Aí está a bela da sessão fotográfica! A raspar no meio do queimado!!!!!  :N-icon-Axe:

Têm uma fatiota verde mas com reflectores. A mesma que começou a ser distribuída em 2006 para as equipas do Plano Vulcano (vigilância e primeira intervenção).
E é em material ignifugo? E luvas, cógula e capacete florestal?

(https://i1.wp.com/www.bps.pt/wp-content/uploads/2015/03/EPI-FLORESTAL-BOMBEIROS-MUNICIPAIS-TAVIRA-SAFEPLACE52-FIRESHELTER52-II.jpg?fit=1600%2C1202&ssl=1)

Menos que isto é ser negligente!
Com umas chefias que mal percebem de tropa, quanto mais de bombeiros...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 21, 2017, 10:22:52 am
Já parece melhor que esta roupa. Apesar de terem capacete, óculos e luvas...

(http://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/B270710b8/20440054_kUf5E.png)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: nelson38899 em Junho 21, 2017, 06:19:31 pm
Já se vê o Exército a ter uma roupa mais apropriada para uma zona de incêndios.


(https://scontent.flis8-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/19225890_1364682430287638_5123939937172887407_n.jpg?oh=06e856c0c3c7e196091bfcb6a90ee4d2&oe=599CA562)

esta foto parece presidiários a limpar o monte!

Há uma coisa que nunca percebi na tropa, quando estive em mafra fiz GAM, tinha três instrutores, o capitão, o tenente e depois o sargento ou alferes que exemplificava, para quê tantos postos?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 22, 2017, 10:35:08 am
Por cá não serve. Tem de existir sempre alguma razão para ficar tudo como está e uns ganharem milhões à pala da desgraça dos outros... https://www.facebook.com/Emergency-Firefighter-ParamedicEMT-ARFF-and-nice-Firetruck-Ambulance-1848106962126136/?pnref=story (https://www.facebook.com/Emergency-Firefighter-ParamedicEMT-ARFF-and-nice-Firetruck-Ambulance-1848106962126136/?pnref=story)
Citar
Emergency Firefighter Paramedic/EMT ARFF and nice Firetruck-Ambulance

Embedded into local tactics the German engineers of AIR-MATIC, RED DIVISION have developed a unique special vehicle that is truly a quantum leap in fire fighting. The fast and agile tank is the rapid-response (no machine set-up time), go-anywhere rescue-system to easily pick up persons trapped by wildfires. Up to 20 adults can be safely rescued at a time. The vehicle is also equipped with a unique high pressure water technology to extinguish fires effective whilst saving water. The water jet has a wide range, due to the rotation of the nozzles, in combination with the high water-pressure. The fire fighting-machine can be operated from the inside with the help of a monitor and a joystick. The total crew consists just of a driver and an operator. All people are optimally protected inside the vehicle. The multifunctional fire fighting solution also features a dozer blade to create firebreaks, extinguish lingering hotspots, or to remove incendiary obstacles such as burning cars, trees, wreckageOn top the construction by AIRMATIC, RED DIVISION, impresses with on-board oxygen and water support systems plus a extendable light tower with high tech radiators and self-contained power supply for a clear view in smoke.


Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 22, 2017, 10:36:41 am
Já se vê o Exército a ter uma roupa mais apropriada para uma zona de incêndios.


(https://scontent.flis8-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/19225890_1364682430287638_5123939937172887407_n.jpg?oh=06e856c0c3c7e196091bfcb6a90ee4d2&oe=599CA562)

esta foto parece presidiários a limpar o monte!

Há uma coisa que nunca percebi na tropa, quando estive em mafra fiz GAM, tinha três instrutores, o capitão, o tenente e depois o sargento ou alferes que exemplificava, para quê tantos postos?

És pobre e mal agradecido, eu tinha o meu Furriel a exemplificar correndo por dentro do círculo em sentido contrário e o Comandante de Pelotão (Alferes) dava as ordens vocais. Mas isso é para pessoal com cabecinha, vocês se calhar perdiam-se...

:rir:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Junho 22, 2017, 11:40:33 am
La inoperancia de Portugal en la lucha contra los incendios

http://www.elmundo.es/opinion/2017/06/19/5946acec22601da2128b45d3.html (http://www.elmundo.es/opinion/2017/06/19/5946acec22601da2128b45d3.html)

Citar
Portugal se vio ayer asolado por un pavoroso incendio que causó más de 60 muertos. Se trata de la tragedia con más fallecidos en un sólo fuego en casi un cuarto de siglo en el mundo, un dato que revela las dimensiones de un suceso que ha puesto en entredicho la inoperancia y la alarmante falta de recursos del Estado luso para hacer frente a los incendios forestales. Una lacra que cada año azota con especial virulencia al país vecino, sin que se hayan adoptado medidas proporcionales para combatirla.

La Policía Judicial portuguesa cree que una tormenta eléctrica es la causa más probable del fuego, cuya rápida propagación se explica por las "condiciones meteorológicas" adversas, especialmente, por la combinación de las altas temperaturas y fuertes vientos. Decenas de vecinos de la comarca que circunda el término municipal de Pedrogão Grande se vieron atrapados en un infierno de llamas y muchos de ellos perecieron calcinados en los vehículos en los que intentaban huir. Otros murieron carbonizados en plena calle. Las autoridades lusas, completamente desbordadas, movilizaron más de 700 efectivos. Un dispositivo a todas luces insuficiente para controlar, perimetrar y, finalmente, extinguir un incendio de proporciones tan devastadores.

No es de recibo que, en pleno siglo XXI, en un país de la Unión Europea un incendio forestal ocasione un número de víctimas mortales tan elevado. Máxime teniendo en cuenta los antecedentes de los últimos años. Lo que muestra este terrible episodio es que, a día de hoy, Portugal no está preparado para hacer frente al fuego. Ni ha llevado a cabo las labores preventivas idóneas, ni tampoco dispone de un dispositivo óptimo para controlar, perimetrar y extinguir los fuegos, lo que revela no sólo la ineficacia de sus equipos sino una preocupante ausencia de medios. La crisis y el rescate económico han mermado notablemente la capacidad de inversión del Ejecutivo luso. Pero ello no es óbice para desantender una amenaza tan grave y preocupante como la de los incendios, cuyas dramáticas consecuencias exceden el daño medioambiental.

El fuego de Pedrogão Grande, de proporciones insólitas en suelo europeo, ha generado un enorme impacto mundial. Las principales cancillerías, además de la Casa Real española y el Vaticano, expresaron sus condolencias. Y el Gobierno español, tras una conversación telefónica entre Mariano Rajoy y el primer ministro portugués António Costa, envió dos aviones anfibios con 3.500 litros de carga cada uno. Reforzar la cooperación ibérica debería ser una prioridad para ambos países, pero la tragedia lusa permite subrayar el riesgo elevado que también comporta para España la previsión de un verano muy cálido y seco.

Según datos del Ministerio de Agricultura, Alimentación y Medio Ambiente, cada año más de 100.000 hectáreas son arrasadas de media en incendios forestales. Es cierto que los protocolos de coordinación entre administraciones mejoró notablemente a raíz del incendio de Guadalajara en 2005, que causó 11 muertos. Sin embargo, quedan muchas tareas pendientes. Urge mejorar las labores de prevención, mitigando así parcialmente los efectos de la la despoblación y la desertización del campo; además de reforzar las plantillas antiincendios, dotándolas de mayor estabilidad y recursos. Pero, sobre todo, cabe reforzar la legislación en aras de la prevención y del castigo a quien provoca un fuego, especialmente, teniendo en cuenta que el 55% de los incendios forestales en España entre 2001 y 2014, según la Fundación Civio, fue intencionado. La tragedia ocurrida en Portugal debe espolear la toma de decisiones para hacer de la lucha contra el fuego una prioridad en todo el sur de Europa.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 22, 2017, 03:27:11 pm
ABRANTES | RAME ASSEGURA APOIO MILITAR DO EXÉRCITO EM TRÊS INCÊNDIOS DO PAÍS


(http://www.mediotejo.net/wp-content/uploads/2017/06/quadro-640x480.jpg)


http://www.mediotejo.net/abrantes-rame-assegura-apoio-militar-nacional-em-tres-incendios/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Igor em Junho 22, 2017, 05:59:05 pm
Meus caros mais uma vez ficou claramente demonstrada a incapacidade do nosso sistema de combate a incendios, senão vejamos para o combate a estes dois ultimos incendios (Pedrogão Grande e Gois) tivemos a operar em simultâneo 7 meios aereos pesados oriundos da ajuda externa, mesmo com esta ajuda o incendio de Pedrogão Grande demorou cinco dias a ser dominado, agora nem quero imaginar se não existisse disponibilidade destes meios cedidos pela ajuda externa. Face a isto podemos concluir que o nosso DECIF tem certamente em conta os meios do mecanismo europeu, esperando disponibilidade destes, se não houver então deixa-se arder.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 22, 2017, 08:09:16 pm
se não houver então deixa-se arder.

Já há anos que é "deixa arder" e combate-se junto às estradas (que funcionam como corta-fogo) e junto às povoações, desde que aquele grupo de bombeiros morreu no Caramulo que passou a ser "nenhum árvore vale a vida de um bombeiro".
Os meios aéreos também não são "a bala dourada", pois não operam de noite, nem com condições atmosféricas demasiado extremas, houve situações no Pedrogão e Gois em que o fumo era tanto que mesmo de dia os Canadairs e helicópteros não conseguiam operar.

Podemos ter os melhores bombeiros do mundo, mas temos a pior floresta, a pior organizada, a pior limpa, a mais cheia de eucaliptos, e contra isso nem todos os Canadairs do mundo fazem milagres.

E em relação aos meios aéreos acho que eram 9 ou 10, 4 espanhóis, 2 franceses e 2 italianos e pelo menos 1 Marroquino talvez 2. Só não sei se operaram todos ao mesmo tempo ou se os Marroquinos vieram render algum grupo de outro país.

Para mim isto de usar água no combate aos fogos florestais é mais por desespero do que por eficiência, tem que se tirar o mato da frente do fogo, seja com ferramentas de sapador, maquinas de engenharia ou fogo (para quem sabe).
https://www.sapo.pt/noticias/economia/os-incendios-nao-se-combatem-com-agua_5946807f8795257c3d355e4e
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Menacho em Junho 23, 2017, 05:56:43 am
se não houver então deixa-se arder.


E em relação aos meios aéreos acho que eram 9 ou 10, 4 espanhóis, 2 franceses e 2 italianos e pelo menos 1 Marroquino

Espanha envió 6 avioes, 4 Canadair y 2 Air Tractor:

https://www.efe.com/efe/espana/portada/seis-aviones-y-200-militares-espanoles-luchan-contra-el-fuego-en-portugal/10010-3300324

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/19264375_1929824297260899_2458924974565074929_o.jpg?oh=1984c314c48a26521d5073012cdf1dce&oe=59DBCEFA)

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t31.0-8/19388307_1929298907313438_4681079056245348782_o.jpg?oh=da7ff2af447068f6c215d7921c3d863d&oe=59E476B6)

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t31.0-8/19143315_1927290997514229_5243028782629428503_o.jpg?oh=4e976a44c66a7489a3b1124f45a7d988&oe=59D2E32D)

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t31.0-8/19417408_1929298937313435_9048649034945940258_o.jpg?oh=1182a95c7ad4fe21db65314bcf87c6bb&oe=59E01F48)

Cumprimentos

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 23, 2017, 10:11:48 am
E os bombeiros da Galiza não vieram, aqueles que foram barrados na fronteira? Pensava que no dia seguinte tinham conseguido entrar...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 23, 2017, 10:48:10 am
E os bombeiros da Galiza não vieram, aqueles que foram barrados na fronteira? Pensava que no dia seguinte tinham conseguido entrar...

Penso que sim.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Menacho em Junho 23, 2017, 01:45:28 pm
E os bombeiros da Galiza não vieram, aqueles que foram barrados na fronteira? Pensava que no dia seguinte tinham conseguido entrar...

En efecto, finalmente pudieron entrar en Portugal:

http://www.elcorreogallego.es/panorama/ecg/denuncia-correo-obliga-portugal-rectificar-aceptar-ayuda-xunta/idEdicion-2017-06-21/idNoticia-1061182/


http://www.elcorreogallego.es/galicia/ecg/portugal-no-permitio-entrar-pais-convoy-ayuda-contraincendios-xunta/idEdicion-2017-06-20/idNoticia-1061061/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Junho 24, 2017, 03:55:49 pm
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/19429764_456445441385942_1964585416546494242_n.jpg?oh=da8aaca765cd86d47bd3bbd69386724c&oe=59D4EDC3)

Mas no entanto:

Citar
Portugal contratou serviços a cartel espanhol para combate de incêndios
23/6/2017, 9:261.740
58

O jornal El Español avança uma investigação sobre um cartel de combate a fogos que o governo português contratou e que cobrava preços três vezes superiores ao custo do serviço.

http://observador.pt/2017/06/23/portugal-contratou-servicos-a-cartel-espanhol-para-combate-de-incendios/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Junho 24, 2017, 11:27:12 pm
Comprar é caro, alugar é que é bom, até já vem com piloto e a logística toda incluída, não é preciso o trabalho de treinar pessoal.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Junho 26, 2017, 09:52:07 am
Pedrógão Grande. Apoio psicológico está a ser dado por fuzileiros

Fogo destruiu mais de 200 casas, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

(https://cdnimages01.azureedge.net/renascenca/mal_1051024e703.jpg)

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande disse que o único apoio psicológico que tem no terreno está a ser dado pelos fuzileiros da Marinha Portuguesa, que se vão manter no terreno até quarta-feira, pelo menos. “Mas penso que é capaz de não chegar”, desabafou Valdemar Alves.

“Neste momento, temos o apoio psicossocial dos fuzileiros que a Câmara, juntamente com a presidente da Comissão de Coordenação Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa, resolveu pedir. Os fuzileiros da Armada Portuguesa vão ficar até quarta-feira”, afirmou o autarca.

Valdemar Alves disse que estará na segunda-feira com o Presidente da República a quem pedirá para que a Marinha se mantenha no terreno durante mais tempo.

Adiantou ainda que visitou a localidade da Graça e do Nodeirinho, e sublinhou que as pessoas estão a precisar de apoio psicológico, na sequência do incêndio que deflagrou no dia 17 no concelho e que provocou a morte a 64 pessoas, além de mais de 200 feridos e danos avultados no território.

"O apoio [psicológico] não está garantido a longo prazo. Só em caso de catástrofe é que eles [psicólogos dos fuzileiros] avançam. Isto é uma situação que o Governo tem que rever, a função das Forças Armadas, porque está preparada para estas situações" disse.

O autarca reforçou a ideia de que precisa de psicólogos no terreno e acrescentou que vai falar também com o ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, "porque não se pode abandonar esta gente". "Tenho ouvido muita conversa de responsáveis, mas se algum pediu psicólogos, não sei. Fui eu que liguei logo duas ou três horas depois, porque vi a tragédia que íamos ter. Liguei para a Segurança Social, que avançou com algum apoio. Juntaram-se depois outros, voluntariamente, e agora já retiraram, porque não há fogo".

154 militares para segurança e apoio à população


A Marinha Portuguesa confirmou que destacou 154 militares para contribuir para a segurança e apoio imediatos às populações afectadas pelo incêndio que começou em Pedrógão Grande, assim como para a estabilidade psicológica, através de presença visível e apoio diversificado.

Este efectivo tem como tarefas proporcionar uma presença visível junto das populações afectadas e efectuar um levantamento georreferenciado, incluindo o Grupo Data Hora (GDH) dos eventos, da captação das fotografias das zonas ardidas e infra-estruturas destruídas.

Além disso, a Marinha tratará da identidade das pessoas afectadas (nome e idade, desde que seja obtido consentimento prévio), incluindo bens perdidos, doenças crónicas (hipertensão, diabetes, depressão, etc.), que requeiram ajuda mais premente.

“As matas e infra-estruturas ardidas devem ser devidamente fotografadas e marcadas as posições geográficas”, diz também a nota de imprensa.

A informação sublinha ainda que os militares têm ainda por missão distribuir bens de primeira necessidade pela população afectada e participar na colocação de lonas em edifícios que perderam os respectivos telhados.

O efetivo é composto por nove elementos do posto de comandos,96 da Força de Fuzileiros n.º 1 (FFZ1), oito no posto avançado de saúde, 24 na cozinha de campanha, cinco na manutenção, 10 do CIMIC ("Civil Military Cooperation"), um do Centro de Análise Operacional e também um Instituto Hidrográfico.

http://rr.sapo.pt/noticia/87189/pedrogao_grande_apoio_psicologico_esta_a_ser_dado_por_fuzileiros?utm_source=rss
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Junho 26, 2017, 11:43:20 am
https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/ (https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/)
Citar
AMN apoia Marinha em Pedrógão Grande

Durante a semana que passou, uma equipa de Troço Mar da Direção do Combate à Poluição do Mar apoiou a Força de Marinha em Pedrogão Grande com o seu sistema de geo-localização dos militares no terreno.

A solução técnica, operacionalizada com o apoio de uma empresa nacional e instalada no Centro de Operação Móvel da Autoridade Marítima, é um sistema de comunicação digital, baseado em rádio Over IP "RoIP" que disponibiliza importantes ferramentas ás equipas táticas.

Este sistema permite disponibilizar comunicações, localização e informação em tempo real num ou vários centros de despacho, ou via web. O registo e gravação das comunicações e eventos é garantida pelo sistema. Outras vantagens serão o acesso instantâneo às gravações, o reporting, alarmística, links a outros sistemas, geofencing, acesso de smartphones ao sistema, podendo entre outras opções serem localizados e comunicar com os rádios, entre outras poderosas ferramentas
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/19424081_1505798399441338_6112445700063069975_n.jpg?oh=8ed44177463e9686bcafe158e05a6867&oe=59C5BEA3)
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/19399468_1505798426108002_8684152957233123577_n.jpg?oh=e0767a1cf22e5d15449f12fc81a3f528&oe=59E30903)
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/19399100_1505798419441336_7562546712231223657_n.jpg?oh=5ce985c453847cec06e28e706cab1996&oe=59E2EED8)
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/19225770_1505798449441333_7368919605604218142_n.jpg?oh=84270dfe863eaa117bc180bd665d1fe0&oe=59DCB060)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Julho 06, 2017, 11:42:06 pm
Finalmente puseram o dedo na ferida!!!!!!!! Já chega de culpar a trovoada, o siresp e o eucalipto.

Citar
Comandante do quadro de honra dos bombeiros de Leiria não hesita em acusar o governo de ter nomeado boys inexperientes e incompetentes para estarem à frente da proteção civil

https://www.facebook.com/v.tavares1968/videos/1755362274493853/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Julho 13, 2017, 09:03:39 pm
Não tarda nada já la vai quase um Mês e, e, e, e,  nada de nada para os que perderam entes queridos, os que ficaram sem casa, os que ficaram sem emprego, nos FF de Pedrogão Grande.
Estamos a viver uma calmaria como se nada se tivesse passado, como se não houvesse IRresponsáveis, politicos e não só devido á enorme desorganização vivida durante os combates aos ditos FF.

Non passa nada como diriam los Nuestros Hermanos !!!!

É nojento apercebermo-nos que continuamos sem ver nada de nada acontecer, para tentar minorar as enormes feridas, que os sobreviventes deste flagelo carregam, tudo calmo e sereno como se nada tivesse acontecido, os nossos IResponsáveis no seu melhor !

Sessenta e quatro vidas perdidas, porra, sessenta e quatro Portugueses Mortos por um Fogo Florestal e não há responsáveis ?????
Centenas de feridos e é como se tivessem apenas escorregado e caído devido a uma casca de banana, também não há responsáveis por estes feridos ???????
Quinhentas casas destruidas e ninguém foi responsável por nada ?????

Nem uma puta de uma demissão, ninguém teve culpa !!!!!!!
Somos mesmo uma merda de um Povo que nem tomates tem para exigir aos pseudo responsáveis RESPONSABILIDADES NESTA OCORRÊNCIA, SOMOS MESMO UM POVO MANSO !!!!!

Abraços e continuemos a dormir na forma que é do interesse de muitos destes boys e afins !!!!!


 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Julho 18, 2017, 01:18:46 pm


https://www.rtp.pt/noticias/pais/incendio-em-alijo-esta-por-dominar_n1015516

A odisseia de todos os anos continua em força !!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 18, 2017, 10:10:59 pm
Acho que os Espanhóis voltaram a enviar uma força da UME para ajudar.

E um heli ligeiro despenhou-se nos últimos dias, mas sem vítimas, o piloto saiu pelo seu próprio pé.
https://www.rtp.pt/noticias/pais/helicoptero-de-combate-aos-incendios-caiu-na-barragem-de-vila-cha_a1015159
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Julho 25, 2017, 10:51:55 am
Primeiro relatório sobre queda de helicóptero no fogo de Alijó desmente Governo

A 16 de julho, houve um incidente com um helicóptero no incêndio de Alijó. MAI falou em mera aterragem de emergência, mas um primeiro relatório oficial mostra, com imagens, o aparelho destruído.

(http://img.obsnocookie.com/s=w800,pd1/o=80/http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/07/25090414/ng8688471_770x433_acf_cropped.jpg)

A 16 de julho, houve um incidente na barragem de Vila Chã com um dos helicópteros que combatia o incêndio de grande dimensões que deflagrara durante a madrugada em Alijó. De acordo com explicações do Ministério da Administração Interna, que na altura corrigiu as informações veiculadas sobre uma alegada queda, tinha sido apenas uma “aterragem de emergência”. Mais tarde, a Proteção Civil falou num “toque no chão de forma controlada”. Agora, o primeiro relatório sobre o caso do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAAF) desmente o Governo e, de acordo com a TSF, fala claramente num aparelho destruído, comprovando a tese com imagens.

Recapitulemos então o filme dos acontecimentos. Nesse dia, vários órgãos avançaram com a notícia que um helicóptero tinha caído na barragem de Vila Chã durante um reabastecimento, ao mesmo tempo que explicavam que o piloto encontrava-se bem. Na altura, combatiam o fogo de grandes dimensões no concelho de Alijó 150 operacionais, apoiados por 41 veículos, dois helicópteros e dois aviões ligeiros. O comandante distrital de operações de socorro de Vila Real confirmou a queda do helicóptero quando este estava a efetuar os testes de balde.

Todavia, nesse mesmo domingo, uma fonte do Ministério da Administração Interna disse à TSF que não se tinha tratado de uma queda mas sim de “uma aterragem de emergência” por causa de uma avaria. Em paralelo, Patrícia Gaspar, adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil, falou em “incidente”. “Houve uma anomalia com o aparelho, tendo o piloto conseguido ir em segurança até à margem. Nesse momento, deu-se o incidente, com o helicóptero a tocar o chão de forma controlada pelo piloto”, defendeu.

Nesse contexto, a Everjets, que opera os helicópteros ligeiros de combate aos fogos, instaurou um inquérito ao sucedido. “O Conselho de Administração da Everjets já decidiu instaurar um inquérito às circunstâncias do acidente e garante a substituição do aparelho ora acidentado no dispositivo em alerta”, explicou a empresa em comunicado, ao mesmo tempo que contava que o piloto tinha sido conduzido ao hospital por precaução.

Agora, o primeiro relatório sobre o caso do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAAF) desmente o Governo. Como? Fala claramente em aeronave “destruída”. “A aeronave entrou em instabilidade, desconhecendo-se nesta fase da investigação se o aparelho sofreu uma perda de estabilidade ou algum tipo de toque em alguma superfície da represa. Apesar da tentativa por parte do piloto de recuperar a estabilização do voo do helicóptero, o mesmo acabou por girar em volta do eixo vertical tendo as pás do rotor embatido na água. O aparelho tocou o solo e rolou para direita, ficando imobilizado na beira da represa”, argumenta o documento, acompanhado de várias imagens que permitem perceber o estado em que ficou o aparelho.

http://observador.pt/2017/07/25/primeiro-relatorio-sobre-queda-de-helicoptero-no-fogo-de-alijo-desmente-governo/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luxo em Julho 26, 2017, 07:48:46 am
Ontem a França, que tantas vezes ajudou Portugal, pediu a ajuda europeia (mais concretamente 2 canadairs) e a Itália respondeu.
 A noite o governo francês decidiu de comprar 6 aviões bombardeiros de agua suplementares.
 Durante este tempo, em Portugal o governo decide de nada a não ser de pedir outra vez ajuda a Espana e Marrocos.
 Isto esta a ficar vergonhoso de mais...




   



 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 26, 2017, 03:22:09 pm
Ontem a França, que tantas vezes ajudou Portugal, pediu a ajuda europeia (mais concretamente 2 canadairs) e a Itália respondeu.
 A noite o governo francês decidiu de comprar 6 aviões bombardeiros de agua suplementares.
 Durante este tempo, em Portugal o governo decide de nada a não ser de pedir outra vez ajuda a Espana e Marrocos.
 Isto esta a ficar vergonhoso de mais...




 

Essa intenção vem no mínimo de 2016. https://www.flightglobal.com/news/articles/france-eyes-bombardier-415-in-search-for-tracker-r-423499/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/france-eyes-bombardier-415-in-search-for-tracker-r-423499/)

Citar
France eyes Bombardier 415 in search for 'Tracker' replacement
 
24 MARCH, 2016 SOURCE: FLIGHTGLOBAL.COM BY: JAMES DREW -
SACRAMENTO, CALIFORNIA – France’s civil defence agency Sécurité Civile needs to replace its nine long-serving Conair Turbo Firecat fire bombers and might even consider new Bombardier CL-415 Superscoopers, which “paused” production in 2015.

The 58-years-old Firecats were converted from Grumman S-2 Trackers and their type certificate expires in 2020.

Sécurité Civile aerial division chief Victor Devouge says the government intends to retire the twin-engine type between 2018 and 2022 as they reach the end of their structural life limit of 25,000 flight hours, which will require a two-year type certification extension.

In its place, France wants an aircraft that delivers greater volumes of water, "minimises" acquisition and operating costs, and is multirole.

An international call for tenders for a replacement wildfire fighting capability will be published “in the coming weeks”. A contract will be awarded in 2017 for aircraft delivery in 2018, says Devouge, speaking at the Aerial Firefighting International conventional in Sacramento, California this week.

France's firefighting service operates a dozen Superscooper amphibians, and Devouge expressed disappointment that the 415 has paused production due to a lack of orders. The last three aircraft, which can scoop up 6140L (1,621GL) in 12sec, were delivered to Aero-Flite.

While noting that he cannot comment on the Canadian aerospace manufacturer’s decision to close the fixed-wing amphibian’s completion facility in North Bay, Ontario, he notes that “it’s a concern for the countries that operate these fleets”. It might be worthwhile reopening the line if there is a sufficient number of new orders, he says.

There was some discussion about France coordinating any potential 415 order with other prospective operators, if the 415 was indeed the preferred choice to replace the Tracker. One business model, it was noted, could be a cost and time-sharing arrangement with nations in the southern hemisphere.

Alternatives could be the Q400MR Airtanker, since France already operates two examples, or perhaps even Avro RJ85AT tanker.

Devouge says the aerial firefighting branch intends to maintain a mixed fleet of “scoopers and non-amphibious aircraft. It is also looking to incorporate drones for wildfire tracking.

Looking ahead to 2017, the government is also preparing to move its aerial firefighting fleets from the air base at Marseille in France's southeast to Nîmes-Garons, as the centre of extreme fires outbreaks trends westward.


Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Stalker79 em Julho 26, 2017, 05:36:41 pm
Desculpem se já chateio com isto, mas o AT 802 fire boss era uma boas escolha, pelo preço e pela quantidade que se poderia adquirir pelo preço de um canadair.
Sem querer desrespeitar as capacidades do canadair , penso que um "enxame" destes AT-802 seriam mais eficazes em combater varias frentes.

http://imgproc.airliners.net/photos/airliners/1/1/8/1960811.jpg?v=v40
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Julho 26, 2017, 06:06:15 pm
As seis aeronaves encomendadas são Dash 8 da Bombardier que também serão utilizados para transporte - têm dupla capacidade. Os franceses também já tinham três CL-415 encomendados, só que entretanto a produção foi interrompida. Produção essa que deverá ser retomada nos próximos anos pela Viking Air.

Stalker79, o problema dos enxames é que requerem mais pilotos e os CL-415 sempre poderiam ser utilizados para qualificação de pilotos em aeronaves bimotor e para missões de fiscalização marítima.

De resto, Portugal já deveria ter adquirido os seus próprios Canadair para a FAP aos anos... Temos um grave problema de visão estratégica, liderança e do sistema político.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 26, 2017, 10:19:36 pm
As seis aeronaves encomendadas são Dash 8 da Bombardier que também serão utilizados para transporte - têm dupla capacidade. Os franceses também já tinham três CL-415 encomendados, só que entretanto a produção foi interrompida. Produção essa que deverá ser retomada nos próximos anos pela Viking Air.

Stalker79, o problema dos enxames é que requerem mais pilotos e os CL-415 sempre poderiam ser utilizados para qualificação de pilotos em aeronaves bimotor e para missões de fiscalização marítima.

De resto, Portugal já deveria ter adquirido os seus próprios Canadair para a FAP aos anos... Temos um grave problema de visão estratégica, liderança e do sistema político.

Cumprimentos,

Correcto. Está aqui a notícia: http://www.journal-aviation.com/actualites/37630-gerard-collomb-promet-six-dash-8-a-la-securite-civile (http://www.journal-aviation.com/actualites/37630-gerard-collomb-promet-six-dash-8-a-la-securite-civile)

Citar
Gérard Collomb promet six Dash 8 à la Sécurité civile
Léo Barnier
  aujourd'hui à 16h28 | 963 mots

C'était une demande de longue date de la part de la Sécurité civile. Le ministre de l'Intérieur Gérard Collomb a annoncé, le 25 juillet, la commande de six nouveaux avions bombardiers d'eau Dash 8-Q400 MR. Ces avions doivent permettre aux soldats du feu de renouveler un parc vieillissant d'appareils.

Cette annonce intervient alors que d'importants incendies frappent le sud de la France dans le Var, le Vaucluse et la Haute-Corse et que la Sécurité civile atteint les limites capacitaires de sa flotte.
(http://www.journal-aviation.com/actualites/images/JAV20170726165247.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Julho 27, 2017, 09:41:12 am
Mas os Franceses continuam apostados em renovar a sua frota de Cl415. O problema é que a Viking só avança com a produção com uma encomenda de 25 aparelhos. http://france3-regions.francetvinfo.fr/provence-alpes-cote-d-azur/canadair-president-region-paca-interpelle-president-republique-1303079.html (http://france3-regions.francetvinfo.fr/provence-alpes-cote-d-azur/canadair-president-region-paca-interpelle-president-republique-1303079.html)
Citar
Renaud Muselier, président de la région PACA, a appelé le Président de la République Emmanuel Macron à engager des négociations avec l'entreprise canadienne Viking Air pour renouveler la flotte européenne de Canadair, aux côtés des Etats du sud de l'Europe,

La flotte française de Canadair arrive bientôt en fin de vie. L'entreprise Viking Air, en charge de la commercialisation de ces bombardiers d'eau, refuse de reprendre la production si une commande d'au moins 25 appareils ne lui est pas faite. Cela représenterait un investissement de plus d'un milliard d'euros.
(http://france3-regions.francetvinfo.fr/provence-alpes-cote-d-azur/sites/regions_france3/files/styles/asset_list_medium/public/assets/images/2017/07/26/000_pr1t1-3189435.jpg?itok=n0PrZnQg)
Citar
Des pompiers au Portugal se préparent à être survolés par un Canadair le 20 juin 2017 / © Miguel RIOPA / AFP

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Julho 27, 2017, 04:14:33 pm
Foto impressionante do fogo de Mação:

(http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/07/27134432/img_50751_770x433_acf_cropped.jpg)

http://observador.pt/2017/07/27/nisa-ativa-plano-municipal-de-emergencia/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: perdadetempo em Julho 27, 2017, 05:06:00 pm
Pondo as coisa em perspectiva:

(http://wildfiretoday.com/wp-content/uploads/2017/07/Map-PortugalFires_7-26.jpg)
foto satélite de fumo criado por um fogo em Portugal 26 Julho de 2017

artigo de onde a fotografia foi tirada
http://wildfiretoday.com/2017/07/26/large-fires-hit-areas-in-portugal-and-france/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+wildfiretoday%2FThgp+%28Wildfire+Today%29 (http://wildfiretoday.com/2017/07/26/large-fires-hit-areas-in-portugal-and-france/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+wildfiretoday%2FThgp+%28Wildfire+Today%29)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Julho 27, 2017, 10:37:28 pm
Não os comprem que não vale a pena quando não houver floresta...............

http://sicnoticias.sapo.pt/pequenas-grandes-historias/2017-06-21-Como-funcionam-os-Canadair-
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Julho 31, 2017, 12:28:05 pm
Porque é que há florestas que não ardem
http://www.noticiasmagazine.pt/2017/porque-e-que-ha-florestas-que-nao-ardem/

O que os espanhóis que andam nos fogos dizem dos portugueses
http://observador.pt/especiais/o-que-os-espanhois-que-andam-nos-fogos-dizem-dos-portugueses/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Menacho em Agosto 13, 2017, 07:59:56 pm
Portugal pide ayuda a la Unión Europea tras registrar 268 incendios en un mismo

Citar
Las autoridades portuguesas tratan este domingo de atender la cifra récord de incendios que recorren su territorio con ayuda del exterior, incluida España, solicitada ante las preocupantes previsiones meteorológicas para los próximos días.

Aunque Portugal lleva días lidiando con las llamas, la cifra récord de 268 incendios que contabilizó solo este sábado, y el enorme despliegue requerido para hacerle frente -más de 6.550 bomberos- han llevado a las autoridades a pedir ahora refuerzos a, entre otros, la Unión Europea (UE).

Por segunda vez este verano, (la primera fue para atender el incendio de Pedrógão Grande en junio), las autoridades han solicitado ayuda a través del mecanismo europeo de protección civil «por una cuestión de prudencia», explicó la ministra de Administración Interna lusa, Constança Urbano de Sousa.

«El 90% de los incendios, intervención humana»
«La situación no es fácil, hemos tenido muchos focos de incendios», dijo hoy la ministra a medios locales, a los que indicó que las previsiones meteorológicas para los próximos dos o tres días «no son optimistas».

Las altas temperaturas y fuertes vientos, sumados a la fuerte sequía que se registra en gran parte del país, facilitan la propagación de los fuegos, pero no son su causa, remarcó hoy la portavoz de la Autoridad Nacional de Protección Civil (ANPC), Patrícia Gaspar.

Según Gaspar, «el 90 % de los incendios» registrados el sábado «tienen intervención humana, sea de forma intencional o negligente», por lo que reiteró los llamados a la población a no realizar fogatas en territorio rural.

Así las cosas, Portugal amaneció con doce incendios activos que al comenzar la tarde ascendieron a veinte, siendo especialmente grave la situación en el norte y centro del país.

Los distritos de Coimbra, Leiria y Santárem, todos en el centro, son los que más medios concentran, en total más de 1.000 bomberos apoyados por 306 medios terrestres (vehículos) y 17 aéreos.

En el distrito de Santárem se registraban los dos fuegos que más preocupaban a las autoridades, que afectaban a los municipios de Tombar y Ferreira do Zêzere.

Mientras que en Tombar los bomberos conseguían controlar las llamas pasado el mediodía local, enFerreira do Zêzere se han incrementado los medios para hacer frente a la situación, que es ya la más complicada de Portugal con 413 efectivos sobre el terreno.

Parte de la ayuda española, 122 vehículos y 7 medios aéreos

En concreto, el equipo de Emergencia y Respuesta Inmediata enviado por la Comunidad de Madrid (ERICAM), compuesto por quince bomberos junto a los que también se han desplazado a Portugal un médico, un enfermero y dos técnicos en emergencias del Servicio de Urgencias Médicas de Madrid (SUMMA 112).

Consigo portan dos autobombas forestales pesadas, vehículos especialmente diseñados para la lucha contra los incendios forestales y también dos vehículos de apoyo logístico y una UVI móvil.

Al margen de este grupo, también ayudarán a los equipos portugueses dos módulos de la Unidad Militar de Emergencias (UME) y dos aviones enviados por parte del Ministerio de Agricultura y Pesca, Alimentación y Medio Ambiente de España.


Portugal cuenta además con otro avión llegado desde Marruecos, en tanto que ha reforzado la ayuda a los bomberos con 500 militares lusos centrados en evitar que se produzcan reactivaciones, algo que tratan de conseguir con maquinaría especializada que recorre las áreas donde las llamas han sido extintas.

La evolución de las llamas en las últimas horas ha provocado también la evacuación de alrededor de un centenar de personas en varias aldeas repartidas por el país, así como el corte de la A13, vía que une Lisboa con la región del Alentejo (centro) y el Algarve (sur), en las cercanías de Ferreira do Zêzere.

Asimismo, al menos seis personas han resultado heridas por las llamas en el distrito de Santárem, cinco de ellas bomberos

http://www.abc.es/sociedad/abci-portugal-pide-ayuda-union-europea-tras-registrar-268-incendios-mismo-201708131951_noticia.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Menacho em Agosto 15, 2017, 07:06:04 pm
Citar
Los 116 militares y 26 vehículos de la UME continúan colaborando en su segundo día en las labores de extinción de los incendios forestales alrededor de la localidad de Vila de Rei.
Una vez terminados los cometidos asignados ayer por la tarde y la madrugada, en la carretera de Ferreira de Zêzere a Vila de Rei, los efectivos de la Unidad Militar de Emergencias se han centrado esta mañana en sofocar nuevas reproducciones.
Ya por la tarde se les asignó un nuevo sector con la tarea de contener un flanco del incendio a lo largo de la carretera N-2, tarea que llevaron a cabo mediante el ataque directo a las llamas, trabajando conjuntamente con los “bombeiros” de Portugal.
Esta es la cuarta vez que la UME se despliega prestando su apoyo a los servicios de emergencia de Portugal en labores de extinción de incendios forestales.

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20841073_2377542829137901_6257643207754887276_n.jpg?oh=b13b18ce245c0cb62aaddd3d19cf5e5c&oe=59EA9D0A)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20799548_2377542905804560_1567371159041871877_n.jpg?oh=042b1ea39cbb3b5ad77c75dbf4817e73&oe=5A2F1181)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20799122_2377542859137898_6546349033388438322_n.jpg?oh=0f4e2391b463ad65aa80d74be1be9e1f&oe=59EDDD93)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20770356_2377542852471232_161110437641857475_n.jpg?oh=3cbc3e408e5507f59bd8a9d30c0da9a5&oe=5A339973)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20729309_2377245992500918_8963009450498590980_n.jpg?oh=cf502904e2bffe52aff68ca31c1798e5&oe=59F1E408)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20770141_2377246015834249_106646792463197874_n.jpg?oh=86470e55b776f5b1cfa2aea727afb689&oe=5A2264A4)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20800313_2377245995834251_8281902423204559406_n.jpg?oh=13c8bdf3d6c9fc27060f231b4a178a0e&oe=5A257DC7)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20842183_2377246055834245_2719976482667154269_n.jpg?oh=6471e416eb3f87758b934b56d61a387d&oe=5A2BEC1B)

(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20882039_2377246072500910_2035064617424719179_n.jpg?oh=0d79fd11a79af8d1c1757b08a8f8cd4d&oe=5A2BF72B)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 17, 2017, 03:30:28 pm
“Número recorde”: 91 detenções por suspeita de fogo posto

Os dados foram confirmados pela ministra da Administração Interna, após uma reunião na sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil, em que anunciou também o reforço do número de bombeiros. Mação é o incêndio que mais preocupa.

Em 2017, já foram deitas 91 pessoas suspeitas de fogo posto. O dado foi revelado pela ministra da Administração Interna, esta quarta-feira à noite, após uma reunião na sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil. No entanto, Constança Urbano de Sousa considera “prematuro falar em crime organizado”, sublinhando que a GNR e a PJ estão a investigar.

“A maior parte dos incêndios devem-se seguramente à ação humana, seja negligente ou dolosa. Registaram-se 91 detenções este ano. O número de detenções é um recorde em comparação com períodos homólogos”, disse a Constança Urbano de Sousa aos jornalistas, tendo realçado o reforço da vigilância, nomeadamente por parte da GNR e de elementos das Forças Armadas.

A ministra da Administração Interna e o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, (que esta quarta-feira em entrevista ao Expresso Diário explicou porque razão falou em incêndios noturnos causados por “mão não bondosa”) estiveram no comando da Proteção Civil, em Carnaxide, para se “inteirarem do ponto da situação dos incêndios”.

Até 19 de julho, PJ já tinha detido 37 pessoas suspeitas de fogo posto (foram 89 detidos em todo o ano de 2016) e a GNR 23 (mais dois do que o total dos detidos no ano passado). No total, 60 incendiários florestais, cinco vezes mais do que até julho de 2016.

184 INCÊNDIOS NO PAÍS. MAÇÃO E VILA DE REI SÃO OS MAIS PREOCUPAM
Neste momento, lavram 184 incêndios em Portugal. Em Mação, um dos fogos que mais preocupa devido à dimensão, estão a combater as chamas 720 operacionais, mas na próxima horas haverá um reforço de bombeiros. “Estão a chegar reforços a cada minuto. Vai aumentar até 1000”, garantiu Constança Urbano de Sousa. Ao longo do dia, estiveram 14 meios aéreos no terreno.

Tal como em Mação, o incêndio em Vila de Rei também está a preocupar as autoridades, estando no terreno 420 operacionais.

“Temos tidos condições muito propícias aos incêndios. Os casos de Vila de Rei e Mação, os incêndios de hoje já são segundos incêndios”, sublinhou a ministra, que explicou que o vento forte está a dificultar o trabalho devido as projeções do fogo.

O fogo em Mação está a progredir para sul e atingiu já o concelho vizinho de Abrantes, onde já estiveram ativos outros incêndios. A Central Termoelétrica do Pego já ativou mecanismo preventivos e chamou “as equipas de emergência” para prevenir eventuais consequências das chamas.

Segundo o balanço da Proteção Civil, às 19h, desde 9 de agosto há registo de um total de 49 pessoas assistidas e 76 feridos, dos quais 70 são feridos ligeiros e seis são feridos graves (nenhum em perigo de vida).
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 17, 2017, 03:44:17 pm
Governo vai declarar estado de calamidade pública
http://www.tsf.pt/politica/interior/governo-vai-declarar-estado-de-calamidade-publica-8710825.html

O que implica a declaração de calamidade pública?
http://www.tsf.pt/sociedade/interior/o-que-implica-a-declaracao-de-calamidade-publica-8711124.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+TSF-Ultimas+%28TSF+Online+-+Ultimas+%28RSS%29%29
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 17, 2017, 04:12:10 pm
Cerca de 60 militares da Força Aérea no apoio ao combate a incêndios florestais

http://www.dn.pt/lusa/interior/cerca-de-60-militares-da-forca-aerea-no-apoio-ao-combate-a-incendios-florestais-8709337.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 20, 2017, 12:33:35 pm
Juíz decide que homem responsável por atear nove fogos não vai preso
Citar
Crimes ocorreram entre agosto e novembro de 2016

O Tribunal de Aveiro condenou hoje a quatro anos e nove meses de prisão, com pena suspensa, um homem de 39 anos que ateou nove incêndios florestais entre agosto e novembro de 2016, em Águeda.

O arguido, que estava em prisão domiciliária, com vigilância eletrónica, saiu em liberdade do tribunal, após a leitura do acórdão.

Antes, o juiz presidente explicou que o coletivo de juízes decidiu suspender a pena, apesar de as “elevadas” necessidades de prevenção de ordem geral, não o aconselharem.
“Estão ainda bem presentes os últimos incêndios e o pânico e os prejuízos que isso causa nas populações, mas decidimos dar-lhe um voto de confiança, porque o senhor confessou os factos e porque temos a expectativa e a confiança de que não volte a repetir nenhuma conduta desta natureza”, referiu o magistrado.

O tribunal teve ainda em conta o facto de as áreas ardidas serem pequenas e não ter havido “prejuízos relevantes”.

O homem foi condenado por sete crimes de incêndio florestal, dois dos quais na forma tentada, e dois crimes de incêndio.

Durante o julgamento, o arguido mostrou arrependimento e justificou o seu comportamento, alegando que “andava descontrolado”, devido à separação da companheira.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), os incêndios ocorreram em diferentes locais da freguesia de Macinhata do Vouga, no concelho de Águeda, onde o arguido reside.

O MP refere que no início do mês de agosto, com o intuito de “causar comoção nos residentes naquela localidade e nas localidades próximas”, o arguido decidiu passar a atear vários fogos em terrenos de vizinhos seus.

O arguido atuava durante a noite, ateando fogo com recurso a pinhas secas e um isqueiro e, em alguns casos, ficou a ver os populares a combater o incêndio, nada fazendo para apagar as chamas, indica o MP.

Na maioria dos casos, bastou a intervenção de populares para extinguir o fogo, mas em duas situações tiveram de ser chamados os bombeiros para travar a propagação das chamas para zonas florestais e habitações.


(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20914239_1990072287889013_8322227389018222434_n.jpg?oh=60b0f4e423e5b7c5bfd58d2ed6ba8ef7&oe=5A209894)

Enquanto não for eliminada a origem do problema não vale a pena discutir meios aéreos ou se são os militares ou os escuteiros a combater os incêndios.
Crime de incêndio devia ser mesmo considerado terrorismo!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 20, 2017, 07:14:08 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20953981_1501759349883933_3301284265315024056_n.jpg?oh=62077fed82d8c3356e4e35a43db73ca5&oe=5A33766D)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 21, 2017, 12:10:07 pm
(http://img.pixady.com/2017/08/488836_177959231323095541116040796368597870349837n.jpg)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Agosto 21, 2017, 07:35:25 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?

Segundo este site é um helicóptero com registo OE-XTM que terá sido fretado ( diz  que foi contracto com a HELIPORTUGAL  mas deve ser erro ) para o combate a incêndios. Atenção que este site é feito um pouco por entusiastas e poderá ter discrepâncias, por exemplo quem criou a notícia não distinguir a Everjet da Heliportugal. Eu também de certeza que não as conseguia distinguir quando elas se dedicavam aos têxteis em vez dos helicópteros.

http://www.helis.com/database/accidents/ (http://www.helis.com/database/accidents/)

No flight radar vê-se que o helicóptero andaria por cá em 18 de Agosto de maneira que é credível.

https://www.flightradar24.com/data/aircraft/oe-xtm#e8612eb (https://www.flightradar24.com/data/aircraft/oe-xtm#e8612eb)

nota: Segundo os mesmos dados tanto o OE-XTM como o OE-XPP terão sido fretados na mesma altura à HTM-Helitravel Munich para a época de fogos em Portugal.

Cumprimentos,
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Agosto 23, 2017, 08:31:50 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?

Confirmado pela notícia do GIAAP (não é um dos ex-EMA)
Citar
Acidente fatal com o Eurocopter AS350 B3, Registo OE-XTM, em Cabril, Castro d'Aire (Novo)   

Acidente fatal com helicóptero durante operação de combate a incêndios na zona de Cabril, Castro d’Aire, em 20-08-2017

21-08-2017: Na sequência da notificação do acidente recebida no Gabinete, uma equipa de investigação do GPIAAF foi imediatamente mobilizada para o local com vista à recolha de evidências materiais e testemunhais, em conformidade com os procedimentos do Gabinete, trabalhos esses que decorrerão ainda durante o dia de hoje.

Atendendo às características do acidente, será aberto um processo de investigação.

Conforme a prática habitual, dentro de alguns dias será publicada, nesta página, uma Nota Informativa com os dados factuais imediatos do acidente e o âmbito da investigação a realizar pelo GPIAAF.

http://www.gpiaa.gov.pt/ (http://www.gpiaa.gov.pt/)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 24, 2017, 02:23:20 pm
Infelizmente não é só na segurança que os militares andam desleixados, parece que na limpeza também.

http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/populares-de-tancos-queixam-se-que-militares-nao-limpam-terrenos/599ded590cf21d6c5360e4a9
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 24, 2017, 04:00:07 pm
Não era mais fácil, definitivamente mais aconselhado e menos oneroso o Estado, na forma da Força Aérea Portuguesa, possuir a sua própria frota de aeronaves de combate a incêndios do que andar a encher os bolsos a privados? Continuo eu a indagar-me na minha eterna ingenuidade...  ::)

Citar
Governo contrata horas de voo extras para combate a incêndios

Das 71 aeronaves que foram estando disponíveis neste mês de Agosto para combate a fogos, só sete são públicas. Ajuda internacional representou um terço da capacidade aérea de combate, no total.

Liliana Valente   •24 de agosto de 2017, 6:53

Perante a vaga de incêndios em Portugal, o Governo decidiu aumentar o número de horas contratualizadas com as empresas privadas de aluguer de meios aéreos em mais cinco milhões de euros. Mas também fez com que o dispositivo de combate e vigilância a incêndios tenha ganho uma dimensão inédita. No total, nestes dois últimos meses, já operaram em solo português 70 aeronaves. Cerca de um terço deste dispositivo chegou de Espanha, quando solicitado.

Para a época mais grave dos incêndios, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) tinha previsto um dispositivo de 48 aeronaves, sete públicas (seis de combate ao fogo e um helicóptero de coordenação da Força Aérea) e 41 privadas, alugadas - contingente que tem sido reforçado de forma inédita pelo apoio estrangeiro. "No decurso da actual campanha de combate aos incêndios rurais que têm assolado o país, Portugal tem beneficiado da solidariedade internacional sob a forma de auxílio, também, em meios aéreos de combate", diz a ANPC, que contabiliza, no total, um conjunto de 23 aeronaves estrangeiras que já combateram incêndios florestais por cá. A frota espanhola é a maior neste conjunto que tem estado disponível para auxili.

A ajuda que tem chegado de Espanha, no quadro do mecanismo europeu de Protecção Civil e de acordos bilaterais, tem ultrapassado números de anos anteriores. Desde 1 de Julho até ao dia 21 de Agosto, o país vizinho esteve "envolvido no dispositivo de combate aéreo" português com dois aviões médios de carga (que estiveram em Portugal entre 13 e 20 de Agosto), "dois aviões médios anfíbios, seis aviões médios anfíbios, quatro helicópteros ligeiros, quatro helicópteros médios e dois helicópteros pesados". Estes meios, respondeu a ANPC ao PÚBLICO têm sido "empenhados a partir de Espanha", não de forma simultânea, mas sempre que se justifique. A adjunta de operações nacional da ANPC, Patrícia Gaspar, informou nesta quarta-feira que "o contingente terrestre espanhol saiu" de Portugal neste dia. A última equipa da Unidade Militar de Emergência regressou a Espanha e "os meios aéreos ontem [terça-feira] também já não operaram", acrescentou. Além deste apoio em força dos espanhóis, há ainda ajuda internacional de um avião de Marrocos e de dois helicópteros da Suíça (mais um de reserva).

Contudo, a violência dos incêndios levou também a Protecção Civil a decidir contratar mais horas de voo para os meios aéreos portugueses que tem alugados para combater os incêndios. "Até à presente data, não houve reforço de verbas para o aluguer de novos meios aéreos a privados. Houve, sim, a contratação adicional de horas de voo, no montante de 4,890 milhões de euros, associados a contratos já em execução", respondeu a ANPC a perguntas enviadas pelo PÚBLICO sobre o dispositivo aéreo que está operacional neste momento. No último mês registaram-se acidentes com dois helicópteros da empresa Everjets, que aluga meios ao Estado, num deles, em Castro Daire, morreu o piloto português. Estes dois helicópteros foram entretanto substituídos.

Nas últimas semanas, em que os incêndios atingiram proporções graves, a Protecção Civil foi alvo de críticas pela gestão dos meios aéreos por vários presidentes de câmara, mas também pelo deputado do PSD Duarte Marques que acusou a ANPC de "mentir" sobre a alocação de aviões Canadair e de helicópteros ao incêndio em Mação,da semana passada. A ANPC justificou a utilização de aeronaves com uma estratégia de gestão dos meios que passa por não ter os aviões e helicópteros todos em simultâneo a atacar um incêndio, mas a entrarem e saírem do teatro de operações à vez, para que não saiam todos ao mesmo tempo. Isto, porque, admitiu Patrícia Gaspar, os aviões de combate demoram algum tempo a abastecer-se de combustível.

No Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) estão registados três locais para os Canadair (os aviões pesados) se abastecerem - Aveiro, Lisboa e Beja. Contudo, nas respostas ao PÚBLICO, é dito que os aviões pesados têm a possibilidade de se abastecer em Seia, em "qualquer base da Força Aérea" - no DECIF estão registadas quatro bases - e ainda nos aeródromos de Cascais e aeroportos de Faro e Porto. De acordo com o DECIF há ainda 14 centros de meios aéreos que permitem o abastecimento de helicópteros Kamov e vários para os helicópteros ligeiros e médios.

https://www.publico.pt/2017/08/24/politica/noticia/governo-contrata-horas-de-voo-extra-para-combate-a-incendios-1783155

Os nossos vizinhos espanhóis têm estado a dar um auxílio mais do que precioso no combate às chamas, mas foi só a mim que me fez espécie e impressão ver colunas militares do Exército Espanhol em Portugal com a bandeira hasteada? É que corre no meio de muita gente da Proteção Civil que os militares espanhóis atravessaram a fronteira e chegaram cá sem terem sido convidados ou requisitados...  ???
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 24, 2017, 04:18:38 pm
Acho que se tivéssemos poucos fogos, uma esquadra de 12 helis ligeiros com capacidade de bambi bucket talvez fossem suficientes, na Suiça e Alemanha eles usam os Super Pumas com bambi bucket porque só devem ter meia duzia de fogos por ano, são mais que suficientes, mas como aqui é a desgraça que todos sabemos, em que é preciso 50 e tal aparelhos, a Força Aérea não tem capacidade de substituir toda essa estrutura, mas poderia integrar/apoiar essa estrutura, porque é que a Força Aérea Suiça pode apoiar a Protecção Civil portuguesa com helis de combate aos fogos mas a Força Aérea Portuguesa não pode? Talvez isso mude com o novo heli ligeiro da FAP?

Se os espanhóis não foram requisitados é uma falha grave, mas os bombeiros da Galiza foram barrados por esse mesmo motivo, porque estes da UME não foram? Acho estranho, eu penso que eles foram requisitados pelo MAI/ANPC, o que eu acho é que ninguém se deu ao trabalho de informar o MDN de que esta força de combate aos fogos era espanhola mas de origem militar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 24, 2017, 05:22:49 pm
Se tirassem os silvados e os tojos o pessoal andava a rastejar onde? Não pode ser...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 24, 2017, 06:01:35 pm
Se tirassem os silvados e os tojos o pessoal andava a rastejar onde? Não pode ser...

Pelo menos as partes junto a casas e terrenos de outras pessoas, no meio pode continuar tudo como está.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 24, 2017, 07:55:17 pm
Se os espanhóis não foram requisitados é uma falha grave, mas os bombeiros da Galiza foram barrados por esse mesmo motivo, porque estes da UME não foram? Acho estranho, eu penso que eles foram requisitados pelo MAI/ANPC, o que eu acho é que ninguém se deu ao trabalho de informar o MDN de que esta força de combate aos fogos era espanhola mas de origem militar.

Pelo que me contaram, e atenção que vale o que vale, a mais recente presença destes militares do Exército Espanhol não foi requisitada. Eles atravessaram a fronteira pura e simplesmente, e depois de chegados aos cenários de incêndio ninguém teve a coragem (e os cojones) de lhes perguntar que raio é que estavam aqui a fazer. Pelo que me foi dado a entender não se terá tratado de falta de comunicação entre MAI/ANPC e MDN, até porque terão sido todos apanhados de surpresa. E isto que estou aqui a escrever não põe em causa nenhuma da valiosa ajuda que Espanha nos tem prestado, não se trata disso, se bem que na ANPC se fale já que com um Filipe no trono no nosso país vizinho essas coisas sejam de se esperar. Espero eu que tenha sido excesso de voluntarismo do que outra coisa qualquer, naturalmente.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: asalves em Agosto 25, 2017, 02:17:32 pm
Se os espanhóis não foram requisitados é uma falha grave, mas os bombeiros da Galiza foram barrados por esse mesmo motivo, porque estes da UME não foram? Acho estranho, eu penso que eles foram requisitados pelo MAI/ANPC, o que eu acho é que ninguém se deu ao trabalho de informar o MDN de que esta força de combate aos fogos era espanhola mas de origem militar.

Pelo que me contaram, e atenção que vale o que vale, a mais recente presença destes militares do Exército Espanhol não foi requisitada. Eles atravessaram a fronteira pura e simplesmente, e depois de chegados aos cenários de incêndio ninguém teve a coragem (e os cojones) de lhes perguntar que raio é que estavam aqui a fazer. Pelo que me foi dado a entender não se terá tratado de falta de comunicação entre MAI/ANPC e MDN, até porque terão sido todos apanhados de surpresa. E isto que estou aqui a escrever não põe em causa nenhuma da valiosa ajuda que Espanha nos tem prestado, não se trata disso, se bem que na ANPC se fale já que com um Filipe no trono no nosso país vizinho essas coisas sejam de se esperar. Espero eu que tenha sido excesso de voluntarismo do que outra coisa qualquer, naturalmente.

Não sei se é a mesma situação mas
http://www.dn.pt/lusa/interior/incendios-unidade-militar-espanhola-reforca-combate-as-chamas-em-nisa---autarca-8669234.html
Citar
Uma unidade militar espanhola de emergência, com 158 operacionais, vai reforçar esta noite o combate aos incêndios no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, disse a presidente do município, sublinhando que a situação se "mantém preocupante".

A noticia é de 27 Julho
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 25, 2017, 04:47:29 pm
Uma ideia que tive no apoio que o Exército podia dar aos bombeiros, como agora tem havido tantos fogos na zona centro do país, Abrantes, Castelo Branco, etc, temos visto os bombeiros a dormir no chão quase sem apoio nenhum, e no fim de alguns dias de combate, regressam aos seus quartéis de origem, alguns longe como Lisboa ou o norte do país, o que é outro problema pois se o pessoal não estiver bem descansado pode provocar acidentes rodoviários.

O que eu propunha seria, em vez de esse pessoal andar para cá e para lá, o que até aumenta os gastos em combustível, podiam ficar esse período de descanso em Santa Margarida, o quartel do 2ºBIMec até está vazio, um duche, uma noite numa cama, e meio-dia ou 1 dia de descanso, resolver algum problema que houvesse nas viaturas, ia fazer toda a diferença, e recuperava esse pessoal para voltar à luta.

Mas como muitos são voluntários é complicado, muitos deles tem emprego, não podem estar 1 mês fora, se fossem mais profissionais, esses grupos de reforço podiam ficar no terreno, fora das suas áreas de origem muito mais tempo.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 25, 2017, 07:58:07 pm
Do que tenho visto no terreno os espanhóis andam bem lá na frente! Chegavam todos os dias arrasadinhos...
Também trouxeram a sua Cruz Roja ou Cruz Vermelha. Felizmente tal como a nossa não tinham muito trabalho.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Agosto 25, 2017, 10:18:46 pm
Se tirassem os silvados e os tojos o pessoal andava a rastejar onde? Não pode ser...

Pelo menos as partes junto a casas e terrenos de outras pessoas, no meio pode continuar tudo como está.

Em casa de ferreiro, espeto de pau. Já dizia a minha avó.
Mas de salientar que esta unidade de engenharia já anda na prevenção e combate aos incêndios mesmo antes do inicio do verão.

Quanto ao CMSM temos de nos lembrar que está na margem sul do Tejo e os incêndios (e estou a pensar no ultimo de Mação) são quase todos a Norte.
As únicas travessias são pela ponte da Chamusca (longe), a "ponte da CAIMA" http://www.mediotejo.net/constancia-ponte-da-praia-vai-reabrir-a-pesados-mas-nunca-antes-de-2017/.
E o terror das curvas do Tramagal.

Mais fácil seria ter o apoio do RAME em Abrantes. Normalmente os espaços utilizados para dormir nas localidades perto dos incêndios são os pavilhões desportivos.   

Quanto aos bombeiros voluntários muitos metem férias nesta altura para se poderem dedicar às equipas ECIN.

https://www.bps.pt/2015/06/02/ecin-e-elac-constituicao-funcionamento-e-controlo/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Agosto 25, 2017, 10:45:35 pm
Em casa de ferreiro, espeto de pau. Já dizia a minha avó.
Mas de salientar que esta unidade de engenharia já anda na prevenção e combate aos incêndios mesmo antes do inicio do verão.

Claro, mas isso devia mudar, o problema é que não serve de "publicidade" dizer que o RE1 anda a limpar os terrenos militares em Tancos, mas dizer que foi ajudar a câmara municipal x ou y já fica bonito.

Citar
Quanto ao CMSM temos de nos lembrar que está na margem sul do Tejo e os incêndios (e estou a pensar no ultimo de Mação) são quase todos a Norte.
As únicas travessias são pela ponte da Chamusca (longe), a "ponte da CAIMA" http://www.mediotejo.net/constancia-ponte-da-praia-vai-reabrir-a-pesados-mas-nunca-antes-de-2017/.
E o terror das curvas do Tramagal.

Mais fácil seria ter o apoio do RAME em Abrantes. Normalmente os espaços utilizados para dormir nas localidades perto dos incêndios são os pavilhões desportivos.

Eu sei que Santa Margarida fica a sul do Tejo, mas pensava que a passagem do rio fosse mais fácil, falei nessa unidade porque é a maior unidade da região e é sabido que até tem um dos batalhões desactivado, por isso deve ter capacidade de alojamento sobrante, mas essa ideia pode ser aplicada a qualquer unidade, seja Abrantes, Tavira no Algarve ou até mais a norte, Viseu, Vila Real, Chaves, mas desconheço a capacidade que tem que apoiar pessoal além do seu efectivo normal, mas se pudessem apoiar o equivalente a uma companhia, digamos uma centena de bombeiros, já era uma boa capacidade.

Citar
Quanto aos bombeiros voluntários muitos metem férias nesta altura para se poderem dedicar às equipas ECIN.

https://www.bps.pt/2015/06/02/ecin-e-elac-constituicao-funcionamento-e-controlo/

Então seria uma questão da ANPC coordenar isso com o Exército, só se os fogos forem muito longe de onde esses quartéis ficam, só acho que para os grupos que vem de outras regiões do país, que estão vários dias a dormir no chão, comer mal, e sem tomar banho, se tivessem 1 dia de descanso num local com algumas comodidades, seria bom para a moral e recuperação deles.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Agosto 26, 2017, 02:20:41 pm
Penso que a maioria das imagens que se vê dos bombeiros a dormir no chão são quando estes estão de "descanso"/prevenção em aldeias ou posições avançadas e aproveitam para dormir. Pelo que sei quando é possível os bombeiros fazem turnos de prevenção contra reacendimentos em aldeias ou zonas isoladas e é ai que também aproveitam para descansar.

Qualquer das formas não sei se já é o que acontece mas nos turnos de completo descanso o exercito podia criar zonas de dormidas com tendas e camas talvez zonas pequenas e mais próximas das frentes. isto para evitar o deslocamento do carros e equipas para o centro de operações que por vezes fica a vários Kms, que em zonas montanhosos e com os carros pesados se traduzem em horas de deslocação.

A questão é se o exercito tem capacidade e material (em condições) para montar estas zonas de descanso.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: asalves em Agosto 26, 2017, 02:27:02 pm
Se os espanhóis não foram requisitados é uma falha grave, mas os bombeiros da Galiza foram barrados por esse mesmo motivo, porque estes da UME não foram? Acho estranho, eu penso que eles foram requisitados pelo MAI/ANPC, o que eu acho é que ninguém se deu ao trabalho de informar o MDN de que esta força de combate aos fogos era espanhola mas de origem militar.

Pelo que me contaram, e atenção que vale o que vale, a mais recente presença destes militares do Exército Espanhol não foi requisitada. Eles atravessaram a fronteira pura e simplesmente, e depois de chegados aos cenários de incêndio ninguém teve a coragem (e os cojones) de lhes perguntar que raio é que estavam aqui a fazer. Pelo que me foi dado a entender não se terá tratado de falta de comunicação entre MAI/ANPC e MDN, até porque terão sido todos apanhados de surpresa. E isto que estou aqui a escrever não põe em causa nenhuma da valiosa ajuda que Espanha nos tem prestado, não se trata disso, se bem que na ANPC se fale já que com um Filipe no trono no nosso país vizinho essas coisas sejam de se esperar. Espero eu que tenha sido excesso de voluntarismo do que outra coisa qualquer, naturalmente.

Não sei se é a mesma situação mas
http://www.dn.pt/lusa/interior/incendios-unidade-militar-espanhola-reforca-combate-as-chamas-em-nisa---autarca-8669234.html
Citar
Uma unidade militar espanhola de emergência, com 158 operacionais, vai reforçar esta noite o combate aos incêndios no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, disse a presidente do município, sublinhando que a situação se "mantém preocupante".

A noticia é de 27 Julho

O que queria referir com a noticia é que se esta noticia corresponder ao mesmo momento, a comunicação social e a câmara municipal de Nisa já sabia antes da unidade Espanhola chegar. Portanto se foi esta a situação e o exercito não tinha conhecimento, estamos mal porque não houve comunicação, os serviços de informação também não reagiram e fica-se com ideia que ninguém se entende nem fala lá dentro.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Barlovento em Agosto 27, 2017, 08:43:38 pm
Meus caros amigos, despues de leer las tonterías que escriben, creo que me ha dejado de merecer leer este Foro al que tenía en gran estima.

Pensar que los espanhois traspasan la frontera sin haber sido solicitada previamente su ayuda es enfermizo, creo que todos ustedes necesitan una urgente visita al psicólogo.

Les cuento también, que los Canadair pertenecen operativamente a la UME.

Pienso que los espanhois deberían dejar arder todo Portugal y reirse viéndo lo incapaces que son.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Agosto 28, 2017, 12:02:27 am
Meus caros amigos, despues de leer las tonterías que escriben, creo que me ha dejado de merecer leer este Foro al que tenía en gran estima.

Pensar que los espanhois traspasan la frontera sin haber sido solicitada previamente su ayuda es enfermizo, creo que todos ustedes necesitan una urgente visita al psicólogo.

Les cuento también, que los Canadair pertenecen operativamente a la UME.

Pienso que los espanhois deberían dejar arder todo Portugal y reirse viéndo lo incapaces que son.

Sobre o seu último `desejo', digo-lhe que há um provérbio português que diz que vozes de burro não chegam ao céu. Até porque neste momento difícil de Espanha (atentados terroristas) Portugal está claramente ao lado de Espanha.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 28, 2017, 09:58:41 am
Se os espanhóis não foram requisitados é uma falha grave, mas os bombeiros da Galiza foram barrados por esse mesmo motivo, porque estes da UME não foram? Acho estranho, eu penso que eles foram requisitados pelo MAI/ANPC, o que eu acho é que ninguém se deu ao trabalho de informar o MDN de que esta força de combate aos fogos era espanhola mas de origem militar.

Pelo que me contaram, e atenção que vale o que vale, a mais recente presença destes militares do Exército Espanhol não foi requisitada. Eles atravessaram a fronteira pura e simplesmente, e depois de chegados aos cenários de incêndio ninguém teve a coragem (e os cojones) de lhes perguntar que raio é que estavam aqui a fazer. Pelo que me foi dado a entender não se terá tratado de falta de comunicação entre MAI/ANPC e MDN, até porque terão sido todos apanhados de surpresa. E isto que estou aqui a escrever não põe em causa nenhuma da valiosa ajuda que Espanha nos tem prestado, não se trata disso, se bem que na ANPC se fale já que com um Filipe no trono no nosso país vizinho essas coisas sejam de se esperar. Espero eu que tenha sido excesso de voluntarismo do que outra coisa qualquer, naturalmente.

Sinceramente no se de donde sacan las informaciones, la UME  es una unidad militar y como tal no tiene la libertad de coger sus camiones y decir "vamos a Portugal que estamos aburridos", solo se mueven si se los ordena, y solo se les ordena si hay una solicitud previa de Portugal, activando cualquiera de los mecanismos que hay al efecto, en cualquier caso he sido testigo en la frontera de Valencia de Alcántara, parados en la frontera a 4 camiones de Bombeiros espanhois, esperando autorización para entrar en Portugal.....mientras el bosque ardía.
Ya hoy día hay autorización para que las policias espanhola y portuguesa, entren en el pais vecino en persecuciones en caliente, es obvio que lo prioritario es detener al delincuente y no pararse en la frontera a la espera de una autorización...que siempre va a tardar.

Lo que si está claro es que 160 militares con camiones y equipo pesado no entran en Portugal si no tienen permiso o una solicitud, es tan evidente que es absurdo tener que explicarlo, y de verdad si alguien piensa que invadimos Portugal con camiones de bomberos... ::) es para hacérselo mirar por un psiquiatra.

Honestamente não onde eles obter as informações, o UME é uma unidade militar e, como tal, não tem a liberdade de levar seus caminhões e dizer "vamos Portugal que está entediado" só se movem, se eles são ordenados, e só ordenou se houver um pedido de Portugal, ativando qualquer um dos mecanismos de lá para o efeito, em qualquer caso, tenho testemunhado na fronteira de Valencia de Alcántara, em pé sobre a fronteira para 4 caminhões Bombeiros Espanhóis, à espera de permissão para entrar em Portugal. .... enquanto a floresta estava queimando.
Já hoje há autorização para a espanhola ea polícia portuguesa, entrando no país vizinho em perseguição, é óbvio que a prioridade é parar o agressor e não parar na fronteira à espera de permissão ... que vai sempre a tomar.

O que está claro é que 160 caminhões militares e equipamento pesado não entrar em Portugal se eles têm permissão ou um pedido, é tão óbvio que é absurdo ter de explicá-lo, e realmente se alguém pensa que invadiu Portugal com caminhões de bombeiros. ..: :)-lo é deixá-los ver um psiquiatra.

Citar
e depois de chegados aos cenários de incêndio ninguém teve a coragem (e os cojones) de lhes perguntar que raio é que estavam aqui a fazer.

Muuuiiiiiiito sencillo, apagar os incendios a suas florestas, tan sencillo que no hace falta ni coragem ni cojones de preguntar.

 ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) ::) cumprimentos
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ricardonunes em Agosto 28, 2017, 10:56:58 am
Toda esta historia da entrada de militares Espanhóis em Portugal e no mínimo disparatada. Mas e preciso perceber o contexto e o inicio desta nao noticia.

Noticia o expresso a 22 de Agosto

Autoridades portuguesas surpreendidas com presença militar espanhola

(http://images-cdn.impresa.pt/expresso/2017-08-21-veiculos-militares-espanhois-Pedrogao-2/original/mw-860)

(http://images-cdn.impresa.pt/expresso/2017-08-21-veiculos-militares-espanhois-Pedrogao-1/original/mw-680)

legenda do expresso

Fotografia tirada pelo presidente da Comissão Parlamentar de Defesa a um dos veículos militares espanhóis vistos em Pedrógão

Ainda extraído da mesma noticia

Citar
Marco António Costa, o deputado social-democrata que preside à Comissão Parlamentar de Defesa, confirmou também ter testemunhado a presença do contingente espanhol enquanto circulavam por Pedrógão Grande. “Vi e até fotografei com o meu telemóvel”, diz Marco António Costa, contando que as viaturas lhe chamaram a atenção “pelos meios sofisticados que ali estavam”. A pedido do Expresso, o presidente da Comissão Parlamentar de Defesa facultou algumas dessas fotografias, das quais se publicam duas nesta página, sendo bem visível a bandeira espanhola na viatura de transmissões.


Agora eu pergunto, esta gente e estúpida ou querem fazer politica com a desgraça alheia???????

Nao veem noticias?

19/06/2017


Mas eles nao se cansam de entrar por terras Lusas

14/08/2017



Resumindo, tenho pena do Pais ter chegado ao estado a que chegou, pois e muito triste ver esta gentalha a tentar criar dramas políticos para justificar o assento parlamentar




 
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 28, 2017, 02:33:47 pm
Imagino se a "comissão de defesa" soubesse que os Beriev 200 quando vêm a Portugal ficam em Monte Real (para circo nem a barraca falta). ;D :jok:


Cumprimentos
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 28, 2017, 05:58:10 pm
Essa "comissão da defesa" é mais a "comissão do super-tacho".

Cumprimentos,
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ricardonunes em Agosto 28, 2017, 06:31:25 pm
Para descanso do sr. presidente da comissão de defesa nacional, acabo de descobrir que o referido veiculo que lhe causou tanta estranheza no teatro de operações de Pedrogão Grande, e apenas uma Estação Leon A

(http://www.ume.mde.es/Galerias/medios/Imagenes/leon.png)

Citar
Permite materializar el enlace con los diferentes escalones tácticos para ejercer el Mando y Control de la Unidad en la Zona de la Emergencia y dar continuidad al Sistema C2. Proporciona hasta 2 Mbps de enlace satelite militar estatico de apuntamiento automatico, para los sistemas del Puesto de Mando. Además ofrece enlace radio con otros organismos civiles presentes en las emergencias, acceso a red movil en voz y datos, y enlace satelite en movimiento de respaldo (BGAN).

Para mim estranho, e ser a Comissão de Defesa Nacional a deslocar se ao local quando o assunto e civil.


Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 28, 2017, 07:16:26 pm
Para mim estranho, e ser a Comissão de Defesa Nacional a deslocar se ao local quando o assunto e civil.

Devem ter ido ver os militares a dar apoio à Protecção Civil, digo eu assim de cor.
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ricardonunes em Agosto 28, 2017, 07:35:51 pm
Podiam ter aproveitado e em vez de tirar fotografias a veículos suspeitos, tiravam ilações de como utilizar as forças armadas de forma eficaz,  porque esta historia do RAME, a ver se nao passa de mais um GALE, ou depois UALE.

“Tudo como dantes no quartel de Abrantes”


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Agosto 29, 2017, 11:40:46 am
Financial Times diz que incêndios provam “negligência de Lisboa” perante o Interior

(http://oje-50ea.kxcdn.com/wp-content/uploads/2017/06/incendio_pedrogao-925x578.jpg)

Os incêndios que deflagraram no centro do país e que vitimaram mais de 60 pessoas encheram páginas de jornais nacionais e internacionais. O concelho de Pedrógão Grande voou para a imprensa de todo o mundo pelos piores motivos e parece ainda não ter sido esquecido. A edição desta terça-feira do Financial Times culpa os séculos de “centralização” pela “negligência, êxodo rural e sensação de abandono” nas zonas do Interior.

“As feridas expostas pelo desastre e infligidas por décadas de negligência, êxodo rural e afastamento do poder político não podem ser curadas apenas com a ajuda [ondas de solidariedade lançadas depois dos fogos, como apoios do governo e doações] ”, escreve o jornal britânico.

A publicação refere que o presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, considera que as zonas rurais sempre foram ignoradas e que, de acordo com o ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita, os séculos de poder hierárquico focados apenas em Lisboa e enraizados pelo regime autoritário de António Salazar e Marcelo Caetano, entre 1928 e 1974, tornaram Portugal um dos países mais centralizados do continente europeu.

Para o diário londrino, o “sentimento de abandono” do autarca de Pedrógão Grande, um dos municípios mais afetados pelos incêndios de junho, é partilhado por várias aldeias portuguesas pouco povoadas, “onde os habitantes sentem que são comunidades esquecidas que vivem no lado errado de uma divisão profunda entre a costa atlântica urbanizada e o interior pobre e rural”.

O Financial Times frisa ainda que governo local representa apenas 14% do total de gastos públicos e 17% do emprego no setor público, em comparação com média da União Europeia de 25% e 36%, respectivamente.

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/financial-times-diz-que-incendios-provam-negligencia-de-lisboa-perante-o-interior-202251

Até os estrangeiros já perceberam o óbvio, para Lisboa tudo, o resto não importa!
Título: Re: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 30, 2017, 07:45:32 am
El emocionado agradecimiento de un pueblo portugués a militares y bomberos españoles que lo salvaron de un incendio

Citar
Este verano la Península Ibérica se ha visto afectada por numerosos incendios. Portugal ha sido la gran afectada por el fuego, y España prestó una ayuda importante enviando unidades de bomberos y más de 650 efectivos de los cinco batallones de intervención de la UME, del Regimiento de Apoyo e Intervención en Emergencias y del Bata. La labor de estos efectivos no la olvidan especialmente en un pueblo, Salavessa, muy cercano a la frontera con Extremadura.

Con el objetivo de ayudar al país vecino en la lucha contra el fuego. España envió a varios efectivos para que ayudaran a la unidades portuguesas. Bomberos y militares intervinieron en la operación “Portugal IV”. Esta labor ha estado coordinada por más de 650 efectivos de los cinco batallones de intervención de la UME, del Regimiento de Apoyo e Intervención en Emergencias y del Bata.

Además, en esta operación se desplegaron otros medios del Estado español como los aviones anfibios del 43 Grupo del Ejército del Aire y bomberos de las comunidades autónomas de Madrid, Castilla La Mancha y Extremadura.

Fruto de la existosa colaboración con Portugal, durante uno de estos incendios ocurridos en territorio luso, el embajador de España en Portugal ha recibido una carta de agradecimiento a todo el operativo español.

El Confidencial Digital ha tenido acceso a la carta -que se puede leer íntegra aquí-
Citar
http://www.elconfidencialdigital.com/defensa/Carta-agradecimiento-pueblo-Portugues_ECDFIL20170829_0001.pdf
en la que se alaba a todos los miembros del operativo. En el documento se elogia la intervención de los integrantes que extinguieron un incendio en la localidad de Salavessa el pasado 27 de Julio.

“La acción de estos operativos es unánimemente descrita por los habitantes de salavessa como rápida, organizada, eficaz, atenta, y sorprendentemente conocedora de una realidad que no era ni siquiera la de su país”, declara esta autoridad de la localidad.

En el texto son constantes los halagos a los españoles que extinguieron el último incendio en Portugal: “Los operativos demostraron impresionante competencia tanto en el combate directo e inmediato al incendio que rodeaba el pueblo como en las horas siguientes; de respaldo y vigilancia, restituyendo el ánimo a una población temerosa”.

Además,el emisor de la carta resalta la importancia de comunicar a los miembros del operativo su gran actuación: ”No podemos,por estos motivos, dejar de dar conocimiento a vuestra señoría, rogándole que haga llegar a estos operativos nuestro especial y sentido agradecimiento: sua ayuda no será olvidada y quedarán para siempre en la memoria y en el corazón de la gente de Salavessa.

El Jefe de Estado Mayor de la Defensa ha hecho llegar la carta a todos los militares y bomberos que participaron en la extinción del incendio y ha querido hacer extensible el agradecimiento a todo el pueblo español por su apoyo. Asimismo, agradece el extraordinario trato recibido “por todos nuestros vecinos portugueses”.

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Setembro 04, 2017, 11:28:20 am
Justiça investiga ramo português do Cartel do Fogo

Em Espanha já foram detidas mais de duas dezenas de pessoas ligadas ao negócio do combate aos fogos. Empresas que combinariam preços para irem a concursos públicos também operavam em Portugal.


https://www.publico.pt/2017/09/04/sociedade/noticia/justica-portuguesa-investiga-ramo-portugues-do-cartel-do-fogo-1784152
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 05, 2017, 12:00:18 pm

Missão Lira, Vila Real e Bragança | Militares da Marinha apoiam bombeiros
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 07, 2017, 10:35:17 pm
(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20819150_10154616892451050_7044095632347630632_o.jpg?oh=14de19ac55563fd262bf632cdb4270d8&oe=5A56A999)
Citar
Ardem eucaliptais!!??
Questionem a carga a cavalo da GNR sobre os camponeses que defendiam os olivais que iriam ser substituídos de forma criminosa por eucaliptais.
VALPAÇOS, 1989.

Que aconteceu mesmo?  :o
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 08, 2017, 10:20:19 am
Lembro-me disso!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Setembro 08, 2017, 11:09:24 am
Lembro-me disso!

Sabes mais sobre o que aconteceu? Foi no tempo do Cavaco?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Setembro 08, 2017, 11:24:20 am
Também recordo-me do episódio e pouca coisa está disponível na internet.

Uma papeleira queria plantar eucaliptos em Valpaços e chegou mesmo a plantar. Os populares foram lá e arrancaram-nos, mas foram recebidos pela GNR a cavalo.
Entretanto o projecto não avançou porque a população revoltou-se :)

"Em Valpaços::
- população local e ecologistas fizeram uma acção directa onde arrancaram 3 mil pés de eucaliptos que tinham sido plantados;
- GNR tinha montado guarda na propriedade e atacou a população, a cavalo;
- GNR deteve um membro de uma cooperativa agrícola local;
- O projecto não avançou e na propriedade permaneceram apenas algumas pequenas manchas de eucaliptal."

http://pt.indymedia.org/conteudo/editorial/275
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Setembro 20, 2017, 02:54:26 pm

http://observador.pt/2017/09/20/o-guardian-foi-a-pedrogao-grande-e-fez-um-video-emocionante/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Outubro 12, 2017, 04:03:42 pm
Já foi publicado um dos relatórios (o da comissão técnica independente) dos fogos Pedrogão Grande e Gois.
https://www.parlamento.pt/Documents/2017/Outubro/RelatorioCTI12Out2017.pdf

Podem ler tudo ou só a partir do ponto 10, problemáticas e recomendações.

Para aqui no forum deixo o seguinte texto sobre as Forças armadas.
Citar
10.17 REFORÇO DO PAPEL DAS FORÇAS ARMADAS NO APOIO AO
SISTEMA DE PROTEÇÃO CIVIL

As Forças Armadas, sendo agentes de Proteção Civil, não estão devidamente enquadradas nos dispositivos e estão subaproveitadas nas operações de defesa da floresta e de combate aos incêndios rurais. A visita realizada, no âmbito dos trabalhos da Comissão Técnica Independente, à Unidade Militar de Emergências, em Madrid, permitiu analisar um conjunto de possibilidades assumidas, no país vizinho, pelas Forças Armadas.
Não estando o sistema nacional de proteção civil estruturado com uma forte componente das Forças Armadas, é, contudo, possível identificar algumas funções que estas podem desempenhar, beneficiando da coordenação do Regimento de Apoio Militar de Emergência, criado em 2014 e inserido na Estratégia de Defesa Nacional. O exemplo espanhol, embora com outra escala, permite ampliar o papel das Forças Armadas como agente de proteção civil em Portugal.
O Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME), criado no âmbito da reforma Defesa 2020, materializou-se, porém, numa versão minimalista da intenção inicial, pois acabou por não se constituir como uma unidade militar com capacidades, meios e processos dos diferentes ramos das Forças Armadas.
O atual RAME, na situação atual, não tem condições nem capacidade para ser verdadeiramente útil em operações de emergência.
Muitas das iniciativas que poderão ser desenvolvidas pelas Forças Armadas podem constituir um elemento de oportunidade para definir melhor o seu papel no quadro de um modelo futuro nacional de Proteção Civil.

Propostas:
Enquadrar devidamente as mais-valias existentes no âmbito das Forças Armadas no âmbito do SNGIFR, com especial incidência no apoio logístico às
 perações de combate e no rescaldo, nomeadamente:

-> No apoio à coordenação, organização e implementação de toda a logística associada à gestão de ocorrências de carácter excecional com envolvimento de elevado número de meios, designadamente:
 ---> Na confeção e distribuição de refeições;
 --->  Na montagem de locais de descanso e de banhos;
 --->  No fornecimento de energia;
 --->  No fornecimento de iluminação de emergência;
 --->  Na captação e potabilização de água;
 --->  Na instalação de bombas de drenagem de alto débito;
 --->  Nos apoios diversos na área das vias de comunicação;
 --->  Nos apoios diversos na área das construções verticais;
 --->  No apoio diverso na área dos reconhecimentos (itinerários, pontes, áreas urbanas destruídas, etc.);
 --->   No apoio sanitário.
-> No rescaldo e na vigilância de reacendimentos;
-> No patrulhamento de áreas com elevado risco estrutural ou de defesa prioritária, em particular em períodos de elevado risco meteorológico de incêndio;
-> No apoio logístico às populações e em situação de evacuação

Deverá eventualmente definir-se as modalidades para ampliar a intervenção e mobilização de
meios dos diferentes ramos das Forças Armadas, designadamente em operações de prevenção
estrutural e coordenados pela Autoridade Florestal Nacional.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 12, 2017, 05:23:40 pm
O RAME é a invenção mais ridícula dos últimos tempos! Serve para tomar conta dos cavalos da EPC e dar recrutas.
Tem a formação (que foi fazer a Espanha) mas capacidade operacional é igual a todas as outras unidades do Exército.

Ninguém sabe muito bem o que fazer com as FA num cenário de incêndio portanto limitam-se mandar números, quanto mais melhor.
Tirando as unidades de Engenharia que já andam a fazer combate direto aos incêndios, o resto tem muito pouco resultado prático.

Vigilância? A vigilância deve ser feita durante toda a fase de risco elevado de incêndio e não quando já começou a arder. E principalmente nos parques nacionais que não são a mesma coisa que eucaliptais das celuloses.

Não há o mínimo de bom senso nesta questões tal como aconteceu no inicio deste mês. Mesmo com o calor a persistir decidiu-se desactivar 72 torres de vigilância.

http://observador.pt/2017/10/10/torres-de-vigia-das-florestas-encerraram-a-1-de-outubro/


72 das 231 torres de vigia das florestas fechadas a 1 de outubro reabrem esta quarta-feira
10/10/2017

As temperaturas mantêm-se elevadas e só na primeira semana de outubro deflagraram cerca de 900 fogos. Depois das notícias sobre o encerramento dos postos, MAI anuncia que vai reabrir parte deles.

 :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Outubro 13, 2017, 11:35:01 am
Já agora, os Franceses chegaram-se à frente. http://www.leparisien.fr/faits-divers/emmanuel-macron-annonce-l-achat-de-six-avions-gros-porteurs-contre-les-feux-de-foret-06-10-2017-7313919.php?utm_content=buffer40351&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer#xtor=RSS-1481423633 (http://www.leparisien.fr/faits-divers/emmanuel-macron-annonce-l-achat-de-six-avions-gros-porteurs-contre-les-feux-de-foret-06-10-2017-7313919.php?utm_content=buffer40351&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer#xtor=RSS-1481423633)
Citar
Cet investissement de 400 millions d'euros facilitera aussi les évacuations de population et l'acheminement des secours lors des catastrophes.

Emmanuel Macron a annoncé «l'acquisition dès 2018 de six avions polyvalents gros porteurs» pour la lutte contre les feux de forêts et les évacuations sanitaires, vendredi dans un discours de remerciement aux forces mobilisées contre les incendies forestiers et les ouragans. Cet été, la multiplication d'incendies dans le sud-est de la France et la Corse avait ouvert un débat sur les moyens disponibles pour faire face à ce type de catastrophe.
 
Ces nouveaux appareils coûtent «plus de 400 millions d'euros. Ils seront mobilisés pour les feux de forêt mais aussi pour les évacuations sanitaires et le transport de modules de sécurité civile», a expliqué le président. «Nous disposerons ainsi d'une capacité de transports et de projection unique en Europe et en Méditerranée d'environ 600 personnes», a-t-il ajouté.
(http://s1.lprs1.fr/images/2017/10/06/7313919_afp-t63s8_1000x625.jpg)

Pela Viking Air: https://www.facebook.com/vikingairlimited/?hc_ref=ARSv6vOPYEcy2nJqQH53sBIj5pvNOkXOuNEImU7DzdXc4plz1cVt_CEKqCPODeDREFE&fref=nf&pnref=story (https://www.facebook.com/vikingairlimited/?hc_ref=ARSv6vOPYEcy2nJqQH53sBIj5pvNOkXOuNEImU7DzdXc4plz1cVt_CEKqCPODeDREFE&fref=nf&pnref=story)
Citar
In a speech last week recognizing the efforts of those who responded to forest fires and hurricanes, French President Emmanuel Macron outlined his interest in seeing the restart of production of the CL-415 waterbomber (known in Europe as the Canadair).
Citing the increasing need for these types of assets in the context of climate change, President Macron suggested working with his European regional partners to add 20+ brand new CL-415 to the European firefighting fleet by 2022. Viking Air holds the manufacturing rights to the aircraft and has been engaging with government partners in Canada with an aim of restarting production to meet what appears to be growing demand for this aircraft. These new aircraft would be manufactured at facilities in Canada, with a home base in Calgary.
In his speech, President Macron also indicated an intention to purchase 6 multipurpose aircraft in 2018, to support firefighting, search&rescue, and public safety objectives. He also praised the crews operating 23 waterbombers in France for their efforts battling recent wildfires in that region.

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 13, 2017, 12:21:35 pm
Já agora, os Franceses chegaram-se à frente. http://www.leparisien.fr/faits-divers/emmanuel-macron-annonce-l-achat-de-six-avions-gros-porteurs-contre-les-feux-de-foret-06-10-2017-7313919.php?utm_content=buffer40351&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer#xtor=RSS-1481423633 (http://www.leparisien.fr/faits-divers/emmanuel-macron-annonce-l-achat-de-six-avions-gros-porteurs-contre-les-feux-de-foret-06-10-2017-7313919.php?utm_content=buffer40351&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer#xtor=RSS-1481423633)
Citar
Cet investissement de 400 millions d'euros facilitera aussi les évacuations de population et l'acheminement des secours lors des catastrophes.

Emmanuel Macron a annoncé «l'acquisition dès 2018 de six avions polyvalents gros porteurs» pour la lutte contre les feux de forêts et les évacuations sanitaires, vendredi dans un discours de remerciement aux forces mobilisées contre les incendies forestiers et les ouragans. Cet été, la multiplication d'incendies dans le sud-est de la France et la Corse avait ouvert un débat sur les moyens disponibles pour faire face à ce type de catastrophe.
 
Ces nouveaux appareils coûtent «plus de 400 millions d'euros. Ils seront mobilisés pour les feux de forêt mais aussi pour les évacuations sanitaires et le transport de modules de sécurité civile», a expliqué le président. «Nous disposerons ainsi d'une capacité de transports et de projection unique en Europe et en Méditerranée d'environ 600 personnes», a-t-il ajouté.
(http://s1.lprs1.fr/images/2017/10/06/7313919_afp-t63s8_1000x625.jpg)

Pela Viking Air: https://www.facebook.com/vikingairlimited/?hc_ref=ARSv6vOPYEcy2nJqQH53sBIj5pvNOkXOuNEImU7DzdXc4plz1cVt_CEKqCPODeDREFE&fref=nf&pnref=story (https://www.facebook.com/vikingairlimited/?hc_ref=ARSv6vOPYEcy2nJqQH53sBIj5pvNOkXOuNEImU7DzdXc4plz1cVt_CEKqCPODeDREFE&fref=nf&pnref=story)
Citar
In a speech last week recognizing the efforts of those who responded to forest fires and hurricanes, French President Emmanuel Macron outlined his interest in seeing the restart of production of the CL-415 waterbomber (known in Europe as the Canadair).
Citing the increasing need for these types of assets in the context of climate change, President Macron suggested working with his European regional partners to add 20+ brand new CL-415 to the European firefighting fleet by 2022. Viking Air holds the manufacturing rights to the aircraft and has been engaging with government partners in Canada with an aim of restarting production to meet what appears to be growing demand for this aircraft. These new aircraft would be manufactured at facilities in Canada, with a home base in Calgary.
In his speech, President Macron also indicated an intention to purchase 6 multipurpose aircraft in 2018, to support firefighting, search&rescue, and public safety objectives. He also praised the crews operating 23 waterbombers in France for their efforts battling recent wildfires in that region.

Cumprimentos

Quem quer bolota TREPA !!!!!
É a altura certa para o Estado Português se chegar á frente e adquirir também a Viking Air umas unidades para, pelo menos termos alguns meios aéreos mais pesados para combatermos os FF com maior eficácia, sem andarmos constantemente a mendigar por auxilio Externo !!
Como eu referi já há muitos meses atrás o CL215MP é o tal dos talentos especiais e pode ser usado em SAR, que, para nós não tem interesse algum....... ::) ::) ::)
Cheguem-se á frente e pelo menos por uma vez, comprem o equipamento indicado para os Combates aos FF e não só, meus senhores !!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 15, 2017, 09:22:13 pm
(https://screenshots.firefoxusercontent.com/images/55e86dee-d276-4fac-ab60-89b28d758bdb.png)

Como é possível?!?!?!?
Tirado agora mesmo.
https://fogos.pt/#
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 15, 2017, 09:36:30 pm
Acho que já deu para perceber que combater fogos florestais não acaba com eles, tem que se arranjar outra maneira de acabar com eles.
Título: Re: Fogos Florestais OS COMBATES DOS VERÕES
Enviado por: tenente em Outubro 15, 2017, 10:26:15 pm
Acho que já deu para perceber que combater fogos florestais não acaba com eles, tem que se arranjar outra maneira de acabar com eles.

Uma medida que eu proponho é considerar que um incêndio florestal provocado por mão humana seja considerado um acto terrorista e, como tal, tratado de acordo com as leis anti terroristas em vigor.

O País está a ferro e fogo todos os verões e os autores destes actos " Terroristas " não podem ficar impunes, as perdas em Vidas Humanas e bens materiais que estes actos provocam são incalculáveis.

Os nossos Bombeiros todos os anos entram em combate contra estes assassinos, estas guerras tem de ser vencidas custe o que custar, apesar dos nossos combatentes estarem á partida em desvantagem, e, para isso temos de :
A) punir exemplarmente quem origina estes flagelos;
B) reavaliar os meios de protecção e limpeza das florestas;
C) reforçar o efectivo dos guardas florestais;
D) guarnecer os postos de vigia H24 ;
E) COMPRAR meios aéreos ligeiros médios e pesados, para o combate aos FF, alocando-os a um comando único de preferência a FAP;
F) Criar estrutura de comando e responsabilidade do combate FF afecta ás unidades de Bombeiros locais, onde o incêndio deflagra, e não a dependência de reforço dos meios sujeitas a estruturas criadas que do terreno nada conhecem e só atrasam a alocação de meios terrestres ao combate;

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 15, 2017, 10:35:09 pm
(https://screenshots.firefoxusercontent.com/images/55e86dee-d276-4fac-ab60-89b28d758bdb.png)

Como é possível?!?!?!?
Tirado agora mesmo.
https://fogos.pt/

os que eu apanhasse a pegar fogo nunca mais o voltavam a fazer, chamem-me o que quiserem mas os FdP de certeza que ficavam mais curtos............. a cabeça mais perto dos pés, para cortarem as unhas sem precisarem de ocúlos !!

A esta hora ouvi na RPT, dois mortos no FF de Penacova mais vinte e cinco feridos só hoje !!!!
É ou não é uma GUERRA ???

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 15, 2017, 10:47:03 pm
As notícias referem já 3 mortos. E há alguns incêndios descontrolados!!!!

Alguma coisa tem realmente de ser feita, é de mais!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 15, 2017, 10:51:41 pm
Não se fez nada até agora... Ou seja até se fez.
Em 2015 os fogos florestais deixaram de ser de investigação prioritária.
Não dava jeito porque calham na altura das férias judiciais.

https://www.tsf.pt/portugal/interior/bombeiros-e-um-insulto-retirar-os-incendios-florestais-da-lista-de-crimes-de-investigacao-prioritaria-4730430.html
https://radiohertz.pt/actualidade-crimes-de-incendios-florestais-deixam-de-ter-investigacao-prioritaria-bombeiros-falam-em-afronta-e-falta-de-respeito-por-quem-perdeu-a-vida-no-combate/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Outubro 15, 2017, 11:48:38 pm
Com todo o respeito, eu quero é ver como é que eles vão fazer spin a isto desta vez. Será que agora que vai começar a chover já vai dar para uma vez por todas largar este assunto e depois voltamos a repetir esta novela para o próximo ano?

Acho que esta situação em muitos outros países já teria era levado à demissão do PM. Um que tem as suas impressões digitais por tudo que foi política e estratégia relativamente aos fogos florestais e protecção civil nos últimos anos.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 16, 2017, 12:56:07 am
(https://screenshots.firefoxusercontent.com/images/6a65c4cf-fc6c-4fd0-91ce-342c7e3f0afc.png)
O descalabro à uma da manhã.  >:(
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 16, 2017, 09:54:21 am
No distrito de Viseu o céu está irrespirável! Parece noite! Muito fumo no ar, cinza a cair desde ontem à noite. Os carros esta manhã e que dormiram ao relento, ficaram completamente cobertos de cinza! A visibilidade é muito reduzida, devido ao fumo intenso e cinzas que não param de cair!

Aliás estamos a seguir algumas medidas de emergência, como fechar todas as janelas e portas e distribuir água, para obrigar toda a gente a consumir água!

Em 42 anos, nunca recordo uma situação tão trágica como esta! Mesmo dentro dos edifícios é difícil de respirar! Inexplicável!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 16, 2017, 10:31:12 am
Cidade de Braga:
(http://img.obsnocookie.com/s=w800,pd1/o=80/http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/10/16031329/29344631_770x433_acf_cropped.jpg)

Restantes incêndios:
(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=YjI50B7oWXc6+UZpP3SVF707aZuvXP9eNKvdCPUdeN9B1iO4bBp7YTuYwg0u0e8ooUYm2bTYEOgOkWLsLM22GpI4cb+7+n/js+0oTSALtruVeR8=&W=800&H=0&delay_optim=1)

(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=N2U0lkcbBpOqHrSznhvPou/8aStesttEFmwsT9O7wfoSg22lYr0X9d17Wk1pGz/Yo+4CI8o+LQzFIwQ+Nu5nGkq0kHyUoGYAUQFwpnBvqe4E16o=&W=800&H=0&delay_optim=1)

(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=YmI1iFn2kA/GicodKQ3JFGV2I0UQiIHq0cXiT0PDYATjsUU3WB0UHXeXhrodsF1BhBSr7J4IW1+Y7ojXZgXP5egmvzDbBriubK3jhPKhmNznntk=&W=800&H=0&delay_optim=1)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 16, 2017, 10:34:26 am
Vídeo de um condutor a fugir ao incêndio em Vagos (Aveiro):

http://rr.sapo.pt/video/151929/video_mostra_condutor_em_panico_a_fugir_as_chamas_na_a17
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 16, 2017, 11:51:21 am
Cidade de Braga:

Restantes incêndios:
(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=YjI50B7oWXc6+UZpP3SVF707aZuvXP9eNKvdCPUdeN9B1iO4bBp7YTuYwg0u0e8ooUYm2bTYEOgOkWLsLM22GpI4cb+7+n/js+0oTSALtruVeR8=&W=800&H=0&delay_optim=1)

(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=YmI1iFn2kA/GicodKQ3JFGV2I0UQiIHq0cXiT0PDYATjsUU3WB0UHXeXhrodsF1BhBSr7J4IW1+Y7ojXZgXP5egmvzDbBriubK3jhPKhmNznntk=&W=800&H=0&delay_optim=1)

O desrespeito que nós enquanto POVO vamos demonstrando pelo esforço que estes HEROIS, todos os dias efectuam ao defender as vidas e os bens de outrém está bem patente com a inacção deste (DES)governos ao adiar sine die, as consequencias da tragédia de Pedrógão e arredores !!!!

A desorganização, o caos que se tem vivido este anos não tem precedentes, temos andado anos a fio a brincar com o FOGO e os resultados estão á vista, ontem mais umas pedinchices aos Países que possuem meios aereos de combate aos FF dignos desse nome, esta gentinha não tem vergonha alguma e os nossos CONCIDADÃOS pagam esses erros e inação DESTE (DES) governo, com as suas VIDAS !!!!!

Quanto a mim esta situação só tem um responsável máximo o sr Primeiro Ministro !!!!
Se esse senhor tivesse um pouco de vergonha, consciência e acima de tudo respeito pelos falecidos e pelos nossos BOMBEIROS, já se tinha demitido !!

Desculpem o desabafo mas estou mesmo furioso com esta merda de (IR)responsáveis que temos, para eles está tudo bem é só pedir os meios aereos que tudo se resolve mas até lá ..........." non passa nada", INCOMPETENTES E IRRESPONSÁVEIS  !!!!

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso em Outubro 16, 2017, 02:16:56 pm
Creio que o dia de ontem demonstra que a onda de incêndios é artificial, deliberada e sistemática e que denuncia um plano de acção.
Pergunto-me o que anda a fazer o SIS: A vigiar jornalistas, talvez?

Já há uns anos disse aqui que, para além da possibilidade de intervenção estrangeira para pressão política (para receber multidões de migrantes, por exemplo), também existe a possibilidade de actos de sabotagem com origem nos partidos políticos. Com isto não quero desculpabilizar o actual governo que apenas demonstra a fachada de opereta que é o Estado de hoje. Insisto em dizer que o pessoal não faz ideia da fachada que é o Estado.
Depois há coisas que ninguém ousa perguntar, para além das PP´s que o pessoal dos mérdia nunca aborda: porque é que politicamente não se enfrenta abertamente a questão do SIRESP, a falta de cadastro, a falta de meios aéreos da Farsa Aérea, oi burocratas de cidade do Ministro da Agricultura e do Ministério do Ambiente, etc.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 16, 2017, 03:17:23 pm
Creio que o dia de ontem demonstra que a onda de incêndios é artificial, deliberada e sistemática e que denuncia um plano de acção.
Pergunto-me o que anda a fazer o SIS: A vigiar jornalistas, talvez?

Já há uns anos disse aqui que, para além da possibilidade de intervenção estrangeira para pressão política (para receber multidões de migrantes, por exemplo), também existe a possibilidade de actos de sabotagem com origem nos partidos políticos. Com isto não quero desculpabilizar o actual governo que apenas demonstra a fachada de opereta que é o Estado de hoje. Insisto em dizer que o pessoal não faz ideia da fachada que é o Estado.
Depois há coisas que ninguém ousa perguntar, para além das PP´s que o pessoal dos mérdia nunca aborda: porque é que politicamente não se enfrenta abertamente a questão do SIRESP, a falta de cadastro, a falta de meios aéreos da Farsa Aérea, oi burocratas de cidade do Ministro da Agricultura e do Ministério do Ambiente, etc.

Olha que eu tenho a resposta a todas as tuas perguntas Luso !
Simplesmente é tudo farinha do mesmo saco, corruptos, incompetentes, sem saber ponta de corno sobre como se desempenham as funções com responsabilidade e ter as devidas competências para tal desempenho, vejam-se os casos das habilitações e experiências de tantos (IR)responsaveis ultimamente tanto de (des)governos como da ANPC para dar dois exemplos.
Estas situações eram e são expectáveis as formações das grandes maiorias de gestores e outros que tal são na grande maioria dos casos enormes burlas ajudadas pelos apaniguados e amigos do sistema, os tais dos favores, assim tipo Salgado e pandilha, e depois assistimos aos resultados como temos vindo a assistir, com a agravante que no caso dos FF, estamos a falar de dezenas de vitimas mortais, PORTUGUESES MORTOS POR UMA CAMBADA DE IRRESPONSÁVEIS COBARDES E INCOMPETENTES A DESEMPENHAR FUNÇÕES NOS MAIS ALTOS CARGOS DO ESTADO PORTUGUÊS !!!!

Precisamos de mais motivos para obrigarmos estes incompetentes a demitir-se ?????

https://www.noticiasaominuto.com/pais/882486/500-fogos-31-mortos-estado-de-calamidade-e-ministra-nao-se-demite

Se precisamos então somos mesmo um POVO MANSO !!!!!

o POVO  é massa bruta assim dizia Samora Machel em 1975 em alguns comícios que fui obrigado a assistir, e não é que ele tinha razão !!!

QUE DESCANSEM EM PAZ TODOS QUANTOS FALECERAM ESTE ANO VITIMAS DOS FF!!!
FORAM VITIMAS DA INCOMPETÊNCIA, DESLEIXO INCÚRIA,  DAQUELES QUE SUPOSTAMENTE COORDENAM E MANDAM, DISSE MANDAM, NÃO COMANDAM, OS NOSSOS HEROICOS BOMBEIROS, ESSES SIM LUTAM E TENTAM COMPENSAR AS ENORMES LIMITAÇÕES DOS SEUS PSEUDO GOVERNANTES, A ESSES O MEU ENORME AGRADECIMENTO E ETERNO RECONHECIMENTO DO SEU VALOR !!!!!!

Abraços


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: perdadetempo em Outubro 17, 2017, 10:50:24 am
Apenas uma informação para referência futura. A NSPA também pode ser utilizada para tratar do fretamento de helicópteros de combate a incêndios. Não serve apenas para comprar VTLB ou armamento militar

Citar
EUROPEAN FINANCE & AEROSPACE  GRC  5.313.823 € LEASE OF 7 MEDIUM LIFT FIREFIGHTING HELICOPTERS


http://www.nspa.nato.int/PDF/Procurement/Jul17-Sep17.pdf (http://www.nspa.nato.int/PDF/Procurement/Jul17-Sep17.pdf)
3ºpágina 4º linha

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 17, 2017, 12:12:47 pm
Penacova. O abraço da despedida
.......

(http://img.obsnocookie.com/s=w800,pd1/o=80/http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/10/17085418/22571119_770x433_acf_cropped.jpg)

“Eu comando este quartel há mais de 30 anos e nunca vivi nada parecido com isto”, desabafa António Simões. Essa é uma das suas mágoas: ter perdido os dois irmãos – e uma senhora, carbonizada dentro de casa – para as chamas. Isso, e ter ficado à sua mercê quando o fogo lhe roubou o concelho. Foi dos primeiros a encontrar os irmãos. Quando encontrou os dois homens, os corpos estavam prostrados, cabeça com cabeça. Morreram a tentar abraçar-se.

http://observador.pt/2017/10/17/penacova-o-abraco-da-despedida/

(http://img.obsnocookie.com/s=w800,pd1/o=80/http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/10/16230630/23110286_770x433_acf_cropped.jpg)

(http://img.obsnocookie.com/s=w800,pd1/o=80/http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/10/17092922/23072414_770x433_acf_cropped.jpg)

(http://img.obsnocookie.com/s=w800,pd1/o=80/http://s3cdn.observador.pt/wp-content/uploads/2017/10/17083818/22785616_770x433_acf_cropped_770x433_acf_cropped-1.jpg)

(http://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/59e3fd240cf2a3bc49b37965/800)

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&name=original&id=8845781&w=728&h=466&t=20171016000800)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 17, 2017, 12:13:41 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/22528060_1474282745987219_2724108464418904164_n.jpg?oh=b3e3f1fa419a04697fb699ed4f1e4656&oe=5A724D13)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/22449913_1474282752653885_9168319934277045852_n.jpg?oh=acec5adfca48aa0bbd73bb4ed0b8143c&oe=5A79CCDA)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/22449842_1474282762653884_5290424354171678537_n.jpg?oh=c3048263bb7b09ae60ad441e77634d03&oe=5A6EF5CB)


As outras vitimas...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 17, 2017, 02:37:33 pm
Incêndios: como podemos aprender com os espanhóis

Nos últimos cinco dias, a Galiza também tem estado a arder, há registo de quatro mortos e a Junta da Galiza atribui culpa à meteorologia e aos “fogos que vêm de Portugal”. Mas nas últimas três décadas a comunidade espanhola tornou-se um caso de estudo ao mudar o sistema de prevenção e combate aos incêndios, conseguindo diminuir a área ardida para metade (texto publicado na edição do Expresso de 29 de setembro de 2017)

http://expresso.sapo.pt/arquivos-expresso/2017-10-16-Incendios-como-podemos-aprender-com-os-espanhois

Façam o favor de ler o artigo!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 17, 2017, 04:35:57 pm
Relatório Técnico Independente sobre o Grande Incêndio de Pedrógão Grande de Junho de 2017

https://www.parlamento.pt/Documents/2017/Outubro/RelatorioCTI12Out2017.pdf

(https://www.parlamento.pt/Paginas/2017/outubro/CT-Independente-analise-incendios.aspx)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 17, 2017, 08:55:39 pm
http://www.regiaodecister.pt/noticias/respol-tem-investimento-de-50-milhoes-para-pataias
Citar

Respol tem investimento de 50 milhões para Pataias

A Respol Resinas S.A. está a estudar um investimento milionário para a Herdade do Camarção, situada na União de Freguesias de Pataias e Martingança. Depois de ter sido inviabilizado o projeto do golfe, a empresa sediada em Leiria adquiriu a herdade e tem 50 milhões de euros disponíveis para avançar com a construção de um complexo turístico com hipódromo, hotel de luxo e moradias

Coincidência?


E mais outra coincidência...

https://beachcam.meo.pt/newsroom/2017/10/praia-de-mira-ameacada-por-expansao-humana/
 Em causa está a utilização para fins turísticos de 37 hectares de mancha florestal situados a sul da praia

Citar
A Câmara de Mira tem quatro anos para instalar um empreendimento turístico em 37 hectares na Praia de Mira, sob pena de ter de devolver os terrenos florestais ao Estado, segundo um decreto publicado ontem.

( Se bem que não tem fontes portanto não confio. )
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 17, 2017, 09:29:46 pm
http://www.regiaodecister.pt/noticias/respol-tem-investimento-de-50-milhoes-para-pataias
Citar

Respol tem investimento de 50 milhões para Pataias

A Respol Resinas S.A. está a estudar um investimento milionário para a Herdade do Camarção, situada na União de Freguesias de Pataias e Martingança. Depois de ter sido inviabilizado o projeto do golfe, a empresa sediada em Leiria adquiriu a herdade e tem 50 milhões de euros disponíveis para avançar com a construção de um complexo turístico com hipódromo, hotel de luxo e moradias

Coincidência?

Realmente é demasiada coincidência a pretensão da Repsol para um terreno de 600 hectares que ocupa 2 freguesias, para construir um grande empreendimento turístico, com alguns entraves pelo caminho, ter sofrido um enorme incêndio este fim-de-semana. Será que os políticos que nos desgovernam têem 2 dedos de testa para investigar? Já que não são responsáveis por nada do que acontece, não têem nada a perder, não é assim?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 17, 2017, 10:31:40 pm
É por isso que me irrita a conversa dos meios aéreos, se são desta marca ou da outra...
Do SIRESP....
Se que tem de limpar a mata são os militares ou os arrumadores de carros... 

Algo desta dimensão só acontece com fortes interesses económicos por trás. Então antes de vir a chuva lembraram-se de pegar fogo ao país todo? Até o pinhal de Leiria que nunca ardeu?!

E isto tem de ser combatido na origem! Com legislação que impossibilite proveito e negócio com os incêndios. O alugueres de meios, pilotos e tudo o que se pague só se houver fogo.
Que o crime de incêndio passe a ser considerado terrorismo e de investigação prioritária.
Que os terrenos ardidos de floresta não possam ter outra utilização que não a sua reflorestação.

Mas nada se fez nestes anos todos, nada se fez depois de Pedrogão e nada se vai fazer agora sem ser aproveitamento político.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 18, 2017, 11:06:42 am
Ministra da Administração Interna demite-se para “preservar dignidade pessoal”. Costa sob pressão

http://observador.pt/2017/10/18/ministra-da-administracao-interna-demitiu-se/

Depois do violento discurso de ontem do Presidente da República, não restava grande margem de manobra! Já pode ir de férias!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 18, 2017, 01:36:02 pm
Água de Pataias, Alcobaça, contaminada com cinzas dos fogos arrastadas pela chuva


Os Serviços Municipalizados de Alcobaça solicitaram hoje às populações afetadas pelos incêndios para não beberem água da rede pública devido às cinzas arrastadas pelas chuvas dos dois últimos dias.

”Solicita-se a colaboração das pessoas no sentido de não beberem água da torneira sem ser fervida, podendo ser utilizada para banhos e cozeduras”, referem os Serviços Municipalizados de Alcobaça num aviso emitido hoje à população.

Em causa está a qualidade da água em Pataias, Martingança, Burinhosa, Paredes da Vitória, Légua, Falca, Água de Madeiros, Pedro do Ouro e Vale, devido ao arrastamento “de cinzas” resultantes dos dois incêndios que no domingo deflagraram na freguesia de Pataias para a rede pública de abastecimento.

O arrastamento ocorreu na sequência da chuva que caiu no concelho na segunda-feira e na terça-feira, esclarece o aviso.

No intuito de garantir a qualidade da água, os serviços informam já ter “a análise e respetiva desinfeção” e estarem a desenvolver esforços “no sentido de repor a normalidade no abastecimento de água”.

Os fogos que no domingo deflagraram na freguesia de Pataias consumiram pelo menos 2.700 hectares de floresta e destruíram uma dezena de casas de segunda habitação entre a Praia da Légua, Vale Furado e Paredes da Vitória.

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 41 mortos e cerca de 70 feridos (mais de uma dezena dos quais graves), além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

O Governo decretou três dias de luto nacional, entre terça-feira e quinta-feira.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, em junho, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou 64 mortos e mais de 250 feridos.


>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/agua-de-pataias-alcobaca-contaminada-com-cinzas-dos-fogos-arrastadas-pela-chuva
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 18, 2017, 02:45:40 pm
Ministra da Administração Interna demite-se para “preservar dignidade pessoal”. Costa sob pressão

http://observador.pt/2017/10/18/ministra-da-administracao-interna-demitiu-se/

Depois do violento discurso de ontem do Presidente da República, não restava grande margem de manobra! Já pode ir de férias!

PRESERVAR A DIGNIDADE PESSOAL ???????
A ARROGÂNCIA E A PETULÂNCIA NO SEU MELHOR.........., NÃO FICARIA MELHOR SE FOSSE, PARA  " PRESERVAR AS VIDAS HUMANAS DOS PORTUGUESES "  ?????
isto há cá com cada um e uma !!!!!
ONDE PARA O 1º MINISTRO ??????
ESSE SENHOR SÓ TEM QUE SE DEMITIR SE TIVER UM POUCO DE VERGONHA, não nos esqueçamos que foi ele que não deixou que o MAI se demitisse depois do desastre de Pedrogão, nem á segunda o sr larga o poder !!!!!
Mister  " Chamuças " no seu melhor, o poder, o poder...,..... lembra-me o sr Passos Coelho quando ficou aquém da meta nas eleições, o deslumbramento do poder !!!!!

Abraços

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso em Outubro 18, 2017, 04:39:41 pm
Ministra da Administração Interna demite-se para “preservar dignidade pessoal”. Costa sob pressão

http://observador.pt/2017/10/18/ministra-da-administracao-interna-demitiu-se/

Depois do violento discurso de ontem do Presidente da República, não restava grande margem de manobra! Já pode ir de férias!

PRESERVAR A DIGNIDADE PESSOAL ???????
A ARROGÂNCIA E A PETULÂNCIA NO SEU MELHOR.........., NÃO FICARIA MELHOR SE FOSSE, PARA  " PRESERVAR AS VIDAS HUMANAS DOS PORTUGUESES "  ?????
isto há cá com cada um e uma !!!!!
ONDE PARA O 1º MINISTRO ??????
ESSE SENHOR SÓ TEM QUE SE DEMITIR SE TIVER UM POUCO DE VERGONHA, não nos esqueçamos que foi ele que não deixou que o MAI se demitisse depois do desastre de Pedrogão, nem á segunda o sr larga o poder !!!!!
Mister  " Chamuças " no seu melhor, o poder, o poder...,..... lembra-me o sr Passos Coelho quando ficou aquém da meta nas eleições, o deslumbramento do poder !!!!!

Abraços

Abraços

A falta de vergonha, de senso e de... gosto é surpreendente, nos dois: do demitido e no demissor. A repetição do "ai aguentam, aguentam" ou do "sair da zona de conforto" e a calamidade da perda das férias apenas confirmam o tipo de políticos que a nossa vibrante democracia produz.
Só que agora essa falta de gosto é tão gritante que até já ofende a sensibilidade do mais parolão.
Até quando teremos que levar com estes cromos?
Até quando teremos que levar com estes políticos profissionais formados nas jotas?
Ilegalizem as jotas, que diacho!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Outubro 18, 2017, 05:34:15 pm
Esta demissão tardia da ministra foi muito bem pensada e planeada.

Ao o post do HSMW (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9414.msg292405#msg292405) até fico a pensar se este atraso em demitir a MAI não foi para esperar por este grande final para finalmente encerrar este assunto dos fogos florestais com um bode expiatório.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 18, 2017, 05:48:55 pm
Esta demissão tardia da ministra foi muito bem pensada e planeada.

Ao o post do HSMW (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9414.msg292405#msg292405) até fico a pensar se este atraso em demitir a MAI não foi para esperar por este grande final para finalmente encerrar este assunto dos fogos florestais com um bode expiatório.

Cumprimentos,

Sim, não tenho grandes dúvidas de que tinham planeado demitir a Ministra na reunião de Sábado, já com a época dos fogos passada. Associando os factos esquisitos dos grandes fogos em locais onde podem vir a nascer grandes empreendimentos turísticos........ como referiu o HSMW!!!!!

Mas o cartão quase vermelho que ontem o Presidente da República deu ao PM e governo, estragou-lhe as contas! Agora é o PM que fica na panela em lume brando!!!!! Mas até isso não sei se foi propositado, porque ele sabe que o PS está na eminência de ter a maioria absoluta (sondagens) e a oposição está na fase de mudança de líder! Realmente não sei se não foi tudo cozinhado para empurrarem o país para eleições antecipadas!!!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso em Outubro 18, 2017, 10:15:06 pm
Esta demissão tardia da ministra foi muito bem pensada e planeada.

Ao o post do HSMW (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9414.msg292405#msg292405) até fico a pensar se este atraso em demitir a MAI não foi para esperar por este grande final para finalmente encerrar este assunto dos fogos florestais com um bode expiatório.

Cumprimentos,

Sim, não tenho grandes dúvidas de que tinham planeado demitir a Ministra na reunião de Sábado, já com a época dos fogos passada. Associando os factos esquisitos dos grandes fogos em locais onde podem vir a nascer grandes empreendimentos turísticos........ como referiu o HSMW!!!!!

Mas o cartão quase vermelho que ontem o Presidente da República deu ao PM e governo, estragou-lhe as contas! Agora é o PM que fica na panela em lume brando!!!!! Mas até isso não sei se foi propositado, porque ele sabe que o PS está na eminência de ter a maioria absoluta (sondagens) e a oposição está na fase de mudança de líder! Realmente não sei se não foi tudo cozinhado para empurrarem o país para eleições antecipadas!!!!!

Decreto-lei 55/2007, de 12 de Março

Artigo 1.º
1 - Nos terrenos com povoamentos florestais percorridos por incêndios, não incluídos em espaços classificados em planos municipais de ordenamento do território como urbanos, ficam proibidas, pelo prazo de 10 anos, as seguintes acções:
a) A realização de obras de construção de quaisquer edificações;


Queimar para depois se construir é coisa que PODE ser do passado.
Legalmente, são os PDM que dizem onde se pode construir. Para alterar a coisa, é preciso um processo longo, processo que integra a delimitação das áreas percorridas por incêndios.
Embora a coisa possa ser facilitada aldrabando a cartografia dos fogos passados, outros galos cantam porque outros factores concorrem para atribuir edificabilidade aos solos.
Para a coisa acontecer é preciso coisas com PIN ou PIN + ou outras aldrabices que são mais declaradas e descaradas. Portanto este aspecto não me parece ser a principal justificação.

O que depreendo das informações disponíveis, é possível dizer que os fogos foram ateados sistematicamente de modo a conseguir o máximo efeito.
Isto pressupõe:

- Planeamento centralizado, recorrendo a dados obtidos por SIG para detectar as maiores fragilidades;
- Conhecimento e tarimba para conhecer essas fragilidades;
- Conhecimento e tarimba para trabalhar com SIG;
- Conhecimentos e financiamento para implementar o plano;
- Base operacional dispersa pelo País.
- Destes pressupostos, sou levado a especular que:

É alguém que esteve ligado ao aparelho de estado / protecção civil e que tem à sua disposição meios humanos e materiais por todo o país capaz de efectuar uma manobra à escala nacional.

Isto por sua vez, leva-me a suspeitar de:
- Um partido político;
- Uma potência estrangeira servindo-se de uma quinta coluna, e em Portugal há algumas.

Tendo mais para o partido político, já que não conheço pressões internacionais a que o Estado tenha estado sujeito.
Conhecendo bem o nível de psicopatia que reina nos partidos, não me espantaria nada que fosse este o cenário mais provável.

A derradeira pergunta que nos devemos colocar é: Cui bono?

Por exemplo, Rui Rio, tal como o Costa, foi convidado para uma Bilderberg. Terá chegado a altura dele, e há que lhe preparar o caminho?
Isto é só um exemplo que nada quer dizer. Apenas uma possibilidade, um cenário entre tantos.




Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 18, 2017, 10:42:30 pm
Esta demissão tardia da ministra foi muito bem pensada e planeada.

Ao o post do HSMW (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9414.msg292405#msg292405) até fico a pensar se este atraso em demitir a MAI não foi para esperar por este grande final para finalmente encerrar este assunto dos fogos florestais com um bode expiatório.

Cumprimentos,

Sim, não tenho grandes dúvidas de que tinham planeado demitir a Ministra na reunião de Sábado, já com a época dos fogos passada. Associando os factos esquisitos dos grandes fogos em locais onde podem vir a nascer grandes empreendimentos turísticos........ como referiu o HSMW!!!!!

Mas o cartão quase vermelho que ontem o Presidente da República deu ao PM e governo, estragou-lhe as contas! Agora é o PM que fica na panela em lume brando!!!!! Mas até isso não sei se foi propositado, porque ele sabe que o PS está na eminência de ter a maioria absoluta (sondagens) e a oposição está na fase de mudança de líder! Realmente não sei se não foi tudo cozinhado para empurrarem o país para eleições antecipadas!!!!!

Decreto-lei 55/2007, de 12 de Março

Artigo 1.º
1 - Nos terrenos com povoamentos florestais percorridos por incêndios, não incluídos em espaços classificados em planos municipais de ordenamento do território como urbanos, ficam proibidas, pelo prazo de 10 anos, as seguintes acções:
a) A realização de obras de construção de quaisquer edificações;


Queimar para depois se construir é coisa que PODE ser do passado.
Legalmente, são os PDM que dizem onde se pode construir. Para alterar a coisa, é preciso um processo longo, processo que integra a delimitação das áreas percorridas por incêndios.
Embora a coisa possa ser facilitada aldrabando a cartografia dos fogos passados, outros galos cantam porque outros factores concorrem para atribuir edificabilidade aos solos.
Para a coisa acontecer é preciso coisas com PIN ou PIN + ou outras aldrabices que são mais declaradas e descaradas. Portanto este aspecto não me parece ser a principal justificação.

O que depreendo das informações disponíveis, é possível dizer que os fogos foram ateados sistematicamente de modo a conseguir o máximo efeito.
Isto pressupõe:

- Planeamento centralizado, recorrendo a dados obtidos por SIG para detectar as maiores fragilidades;
- Conhecimento e tarimba para conhecer essas fragilidades;
- Conhecimento e tarimba para trabalhar com SIG;
- Conhecimentos e financiamento para implementar o plano;
- Base operacional dispersa pelo País.
- Destes pressupostos, sou levado a especular que:

É alguém que esteve ligado ao aparelho de estado / protecção civil e que tem à sua disposição meios humanos e materiais por todo o país capaz de efectuar uma manobra à escala nacional.

Isto por sua vez, leva-me a suspeitar de:
- Um partido político;
- Uma potência estrangeira servindo-se de uma quinta coluna, e em Portugal há algumas.

Tendo mais para o partido político, já que não conheço pressões internacionais a que o Estado tenha estado sujeito.
Conhecendo bem o nível de psicopatia que reina nos partidos, não me espantaria nada que fosse este o cenário mais provável.

A derradeira pergunta que nos devemos colocar é: Cui bono?

Por exemplo, Rui Rio, tal como o Costa, foi convidado para uma Bilderberg. Terá chegado a altura dele, e há que lhe preparar o caminho?
Isto é só um exemplo que nada quer dizer. Apenas uma possibilidade, um cenário entre tantos.

Que se cumpra a lei e se punam exemplarmente TODOS os responsáveis os que ateiam os fogos, os que não sabem coordenar os nossos combatente e os maus decisores políticos !!!
PENSO QUE NÃO HÁ NINGUÉM ACIMA DA LEI OU HÁ ?????


Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 19, 2017, 12:53:13 am
Espanhol gravou momento em que grupo ateia fogo

Cada vez existem mais provas de que há grupos organizados por detrás dos incêndios florestais. Este momento não foi gravado em Portugal, mas poderia ter sido, já que o vídeo mostra cinco focos de incêndio exatamente à mesma distância, a começar ao mesmo tempo e ao longo da lateral de uma montanha





>>>>>  http://www.tvi24.iol.pt/internacional/espanha/espanhol-gravou-momento-em-que-grupo-ateia-fogo
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Luso em Outubro 19, 2017, 11:39:31 am
Quando a coisa aquece lá aparece o copia-cola do costume, irra!

Já agora, alguns aspectos curiosos:

https://sol.sapo.pt/artigo/570406/chefe-da-protecao-civil-foi-nomeado-contra-o-parecer-dos-generais-

Um oficial escutado pelo SOL que requereu reserva de anonimato aponta: «Leitão é mal amado em muito lugar. Ter sido o primeiro não oficial-general a ir para o cargo é, no mínimo, estranho». O mesmo militar do exército português, todavia, aponta um motivo para esse facto: «Acho que a mulher dele tem algum peso e ele tem chegado onde chegou por causa dela». Já entre operacionais da Proteção Civil ouvidos pelo SOL, a impressão recolhida também não é positiva após oito meses de liderança. E Joaquim Leitão tem, notoriamente, mantido escrupulosa ausência dos holofotes desde a tragédia dos incêndios que despontaram em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, o que ainda agrava as críticas.

Mas quem é a mulher de Joaquim Leitão, o presidente da Proteção Civil que não aparece desde a tragédia de Pedrógão? É Isabel Leitão, uma ‘girl’ do Partido Socialista, que já foi nomeada para uma série de cargos públicos desde o primeiro governo de José Sócrates, passando por diversos ministérios como a Defesa e a Agricultura. Hoje, com Costa, está na Educação como diretora do Departamento de Administração Geral e Contratação Pública.

Ao que o SOL apurou, o casal Leitão mantém uma proximidade pessoal com o atual primeiro-ministro já desde o tempo em que este esteve na Administração Interna. Joaquim Leitão foi, aliás, comandante dos bombeiros sapadores de Lisboa de 2008 a 2013, nomeado precisamente por António Costa quando era presidente da Câmara Municipal. Em 2005, fora adjunto do secretário de Estado da Administração Interna enquanto Costa tinha essa pasta.

A mulher do coronel, Isabel Leitão, foi nomeada em 2009 - já no segundo governo de Sócrates - para vice-presidente da Autoridade Florestal Nacional.


e

http://www.cmjornal.pt/mais-cm/domingo/detalhe/joaquim-leitao-um-coronel-sem-farda
(...)
Seja como for, aqueles que lidam com Joaquim de Sousa Pereira Leitão apontam-lhe sinais contraditórios. Entre elogios à "maneira de ser afável" de "homem simples", identifica-se no reverso da medalha "uma figura apagada" e que não raras vezes se remete de forma voluntária para segundo plano.
(...)
Também ‘costista’ é a mulher, Isabel Leitão, uma transmontana que já foi vice-presidente da Autoridade Florestal Nacional do Ministério da Agricultura. Há quem lhe aponte extrema influência sobre o marido, sendo certo que prevaleceu num assunto de uma família que adora viajar junta. Joaquim Leitão é sportinguista, mas a prole seguiu o benfiquismo materno.
 ::) ::) ::)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 19, 2017, 12:02:55 pm
Apesar do que o Luso escreveu (e muito bem), acredito que vá surgir muito bom empreendimento turístico em áreas ardidas e que infelizmente pouco ou nada mudará no que diz respeito à forma como se encara estes assuntos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 19, 2017, 03:49:43 pm
Com o pico de turismo que se atingiu neste Verão com o Algarve e Sesimbra e outros destinos do género esgotados a nível de alojamento seria de esperar algo do género.
 Os criminosos do costume apenas estão a perder escrúpulos e aquele pinhal todo junto à costa e às praias era um estorvo.
(https://cdnimages01.azureedge.net/renascenca/pinhal_de_leiria_area_ardida10312ae6_base.png)

Mas este incêndio de Leiria é apenas um caso que não deve ser esquecido nem confundido com os restantes.

No interior a realidade é diferente mas quem anda no terreno vê claramente que é  (com a excepção de reacendimentos e projecções) TUDO fogo posto!
 
Depois tudo isto coincidiu com uma fase muito peculiar.
A eleições tinham acabado de ser realizadas.
A chuva vinha na semana seguinte.
A agora até as munições de Tancos apareceram!

Unam os pontos e vejam o que dá.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Outubro 19, 2017, 04:23:34 pm
Não gosto muito de teorias da conspiração mas sobre o pinhal de leiria:

1º Pelo que li há 10 anos que não era limpo, pelo que a carga de combustão era bastante elevada, bastava um pequeno foco para a coisa se tornar incontrolável.

2º Aquilo está altamente protegido por reservas e afins, para construir lá é preciso de o Estado e Autarquias emitam a autorização.

3º O turismo cada vez está mais especializado e os turistas gostam cada vez menos de betão, a construir alguma coisa lá seria algo ligado a natureza, como tal parece-me contra natura destruir o valor principal da região para o turismo.

Mas neste País tudo é possível
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 19, 2017, 04:45:27 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 19, 2017, 09:35:10 pm
Presidente da Proteção Civil demitiu-se
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-19-Presidente-da-Protecao-Civil-demitiu-se
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 19, 2017, 10:44:14 pm
Presidente da Proteção Civil demitiu-se
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-19-Presidente-da-Protecao-Civil-demitiu-se

Já vai muito tarde, muito tarde mesmo, mas posso dizer que trabalhou muito bem  " em prol " dos incêndios, com tamanha incompetência que demonstrou !!!!
Continuo a afirmar que quem se devia demitir era o nosso 1º Chamuça, como responsável máximo do Governo.
Mais de 100 mortos e mais de 500.000 Hectares de área ardida em menos de meio ano não são motivos para uma demissão do 1º ministro de um País ?????
Pergunto o que será então necessário que 1º ministro se demita ????
Quanto é que ele vale ????
um milhar de mortos e 5.000.000 de hectares, dez vezes mais do que nos aconteceu ?????
Cá continua de pedra e cal, a sede do Poder no seu melhor,......... os nossos concidadãos, esses podem morrer á vontade pois são dispensáveis !!!!!

Este ano até ontem ardeu mais de 5% de área de Portugal e, nos últimos cinco anos ardeu 14% de toda a área do nosso País quanto mais tem de arder para considerar estes actos de fogo posto actos terroristas e os julgar como tal ????

Abraços
 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Outubro 19, 2017, 11:27:09 pm
No terreno foi assim

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-10-17-As-comunicacoes-entre-operacionais-no-combate-as-chamas-em-Viseu (http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-10-17-As-comunicacoes-entre-operacionais-no-combate-as-chamas-em-Viseu)

http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/comunicacoes-entre-os-operacionais-no-combate-aos-incendios-em-santa-comba-dao/59e51a940cf2a3bc49b381dc (http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/comunicacoes-entre-os-operacionais-no-combate-aos-incendios-em-santa-comba-dao/59e51a940cf2a3bc49b381dc)

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-10-17-Comunicacoes-entre-operacionais-mostram-que-houve-falta-de-meios-no-terreno (http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-10-17-Comunicacoes-entre-operacionais-mostram-que-houve-falta-de-meios-no-terreno)

http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-17-Bombeiros-no-combate-as-chamas-Estou-a-ficar-sem-agua-vai-ser-um-trabalho-inglorio (http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-17-Bombeiros-no-combate-as-chamas-Estou-a-ficar-sem-agua-vai-ser-um-trabalho-inglorio)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 19, 2017, 11:39:31 pm
Sobre esse senhor (ex) Presidente da ANPC.

Chefe da proteção civil foi nomeado contra o parecer dos generais
https://sol.sapo.pt/artigo/570406/chefe-da-protecao-civil-foi-nomeado-contra-o-parecer-dos-generais-

Opiniões de outros militares e pessoal da Protecção Civil não regem grandes elogios a este senhor, que tem conseguido posições à custa da cunha da esposa, elemento do PS e próxima de António Costa.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 20, 2017, 12:00:33 pm
Proposta de criação de unidade militar para emergências já foi entregue a Marcelo

Documento foi feito por membro da comissão técnica independente que analisou os incêndios de Pedrógão em junho passado.

Cerca de 2500 efetivos dos três ramos das Forças Armadas, capacidades conjuntas, orçamento próprio, comando centralizado na dependência direta do chefe do Estado--Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) e dispositivo descentralizado. É esta, em síntese, a proposta para criar uma Unidade Militar de Emergências de Portugal (UMEP) e que já foi entregue aos presidentes da República e do Parlamento e ao Governo, soube ontem o DN.

O documento, garantiram diferentes fontes ouvidas sob anonimato por não estarem autorizadas a falar do assunto, é assinado por um dos membros da Comissão Técnica Independente (CTI) que elaborou o relatório sobre os incêndios que assolaram Pedrógão Grande e a região centro no verão.

O relatório da CTI, que não inclui aquele documento proposto pelo tenente-general Frutuoso Pires Mateus, já abria a porta à criação da UMEP, tendo como exemplo a Unidade Militar de Emergências (UME) das Forças Armadas de Espanha que a CTI visitou há algumas semanas - e que foi criada após a morte de 11 cidadãos espanhóis num incêndio florestal em Guadalajara.

"O exemplo espanhol, embora com outra escala, permite ampliar o papel das Forças Armadas como agente de proteção civil em Portugal", assinala o relatório da CTI. No capítulo das "Problemáticas e Recomendações", a Comissão alerta ainda que o Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME) do Exército, "na situação atual, não tem condições nem capacidade para ser verdadeiramente útil em operações de emergência".

O general Pires Mateus, que foi responsável pelo projeto e construção dos paióis de Tancos, argumenta na sua proposta que a UMEP "deverá corresponder a um desígnio do Estado português", disse uma das fontes. Na base desse entendimento está a certeza de que Portugal passaria a ter uma unidade militar com capacidades conjuntas, treinada, disciplinada, preparada e dotada de elevado grau de operacionalidade para complementar a ação das forças e serviços civis - tanto em matéria de fogos florestais como outros tipos de emergências (catástrofes ou apoio a outros países, como a UME fez este verão em Portugal).

O documento do general, que outra fonte disse ter sido apresentado sob a forma de "proposta de resolução", sustenta por isso que tanto o Presidente da República como o Parlamento e o Governo devem dar particular "prioridade e importância" a essa unidade - a levantar com "adequados recursos nacionais" e recorrendo a todos os fundos comunitários possíveis.

Na base desse apelo parece estar a noção das resistências suscitadas dentro da Marinha e da Força Aérea à criação dessa unidade no Exército - apesar de os respetivos meios navais e aéreos continuarem a ser operados pelos respetivos ramos, como se tem visto em várias reformas (como a do hospital militar único, por exemplo).

O próprio Conselho de Chefes militares deve igualmente "atribuir a maior importância" à UMEP, disponibilizando-lhe os meios já existentes no conjunto das Forças Armadas - o que implicaria desde logo a extinção do RAME, até porque este regimento cumpre missões que pouco ou nada têm a ver com situações de emergência, assinalaram as fontes.

De acordo com a proposta de Pires Mateus e à luz do que acontece na UME das Forças Armadas espanholas, os meios navais e aéreos ficariam sob controlo operacional da UMEP em certos períodos do ano - significando que nessas alturas não poderiam ser utilizados para quais outras missões. Essa restrição já não se colocaria nos restantes dias do ano.

O general sugere ainda instalar o comando da UMEP em Lisboa (no Regimento de Transporrtes) e batalhões de intervenção em Vila Real, Viseu, Leiria, Abrantes e Beja.

https://www.dn.pt/portugal/interior/proposta-de-criacao-de-unidade-militar-para-emergencias-ja-foi-entregue-a-marcelo-8859135.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 20, 2017, 03:24:38 pm
Por acaso a organização espanhola, sempre me pareceu mais simples que a nossa, e apesar do GIPS português e da UME espanhola terem parecenças, também tem diferenças. Enquanto em Espanha cada região tem os seus próprios bombeiros, que são os primeiros a actuar, em caso de reforço tem a UME que rapidamente chega a qualquer ponto de Espanha (e Portugal), com logística e autonomia que caracterizam as unidades militares. Em Portugal temos como primeira linha os bombeiros locais e em simultâneo temos as equipas helitransportadas do GIPS e FEB (consoante o distrito), depois como reforços temos é grupos de bombeiros voluntários de umas zonas que são agrupados e enviados para outras zonas, e aqui parece-me que nunca funcionamos muito bem, as câmaras municipais nunca cumpriram com o que deviam em apoio aos bombeiros deslocados de outras zonas do país.

Penso que a criação de uma unidade tipo UME em Portugal ainda vai dar muita luta, mas se isso servir para os bombeiros ficarem mais nas suas zonas de actuação (concelho, distrito) onde conhecem bem o terreno e tem o seu próprio quartel em vez de andarem aos trambolhões para cima e para baixo, ficando esta unidade militar mais de retaguarda, com capacidade de projecção para qualquer ponto do país, fiquei admirado com o nível de ambição descrito, com tantos batalhões, eu imaginava um único batalhão em Abrantes, com capacidade de projectar companhias para qualquer ponto do país.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Outubro 20, 2017, 03:59:35 pm
Acho que isto dos fogos vai ser a desculpa perfeita para se aumentar o défice e mais uns quantos ganharem tachos. Novamente andamos a preparar coisas sem ter um plano geral, sem olhar para a big picture
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 20, 2017, 04:28:04 pm
Por acaso a organização espanhola, sempre me pareceu mais simples que a nossa, e apesar do GIPS português e da UME espanhola terem parecenças, também tem diferenças. Enquanto em Espanha cada região tem os seus próprios bombeiros, que são os primeiros a actuar, em caso de reforço tem a UME que rapidamente chega a qualquer ponto de Espanha (e Portugal), com logística e autonomia que caracterizam as unidades militares. Em Portugal temos como primeira linha os bombeiros locais e em simultâneo temos as equipas helitransportadas do GIPS e FEB (consoante o distrito), depois como reforços temos é grupos de bombeiros voluntários de umas zonas que são agrupados e enviados para outras zonas, e aqui parece-me que nunca funcionamos muito bem, as câmaras municipais nunca cumpriram com o que deviam em apoio aos bombeiros deslocados de outras zonas do país.

Penso que a criação de uma unidade tipo UME em Portugal ainda vai dar muita luta, mas se isso servir para os bombeiros ficarem mais nas suas zonas de actuação (concelho, distrito) onde conhecem bem o terreno e tem o seu próprio quartel em vez de andarem aos trambolhões para cima e para baixo, ficando esta unidade militar mais de retaguarda, com capacidade de projecção para qualquer ponto do país, fiquei admirado com o nível de ambição descrito, com tantos batalhões, eu imaginava um único batalhão em Abrantes, com capacidade de projectar companhias para qualquer ponto do país.

Posso estar errado, mas penso que a forma de actuação da UME e meios é completamente diferente da dos nossos GIPS e FEB. Os GIPS e a FEB são unidades de primeira intervenção, com meios ligeiros e com uns extras (NBQ, recuperadores -salvadores, montanha, etc). Já a UME, tem todos esses "extras e os seus meios são sem dúvida bastante mais pesados.

http://www.ume.mde.es/LA_UME_POR_DENTRO/medios/ingenieros/index.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 20, 2017, 05:06:16 pm
Foi o que eu quis dizer com parecenças e diferenças, pois apesar de no papel terem mais ou menos as mesmas capacidades, combate a incêndios, nbq, mergulhadores, etc, funcionam de maneira diferente, no combate à incêndios o GIPS é primeira intervenção, a UME é reserva.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 20, 2017, 10:15:59 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 20, 2017, 11:09:06 pm

É mesmo muito triste ver esta enorme área ardida o Pinhal foi completamente arrasado, destruído, desolação completa !!!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 20, 2017, 11:31:33 pm
Os madeireiros já tratam dele...

http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/tvi24-falou-com-um-incendiario/59ea0a960cf2717e12218818
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Outubro 21, 2017, 12:52:57 am
Pergunto-me se em vez de novas unidades militares (leia-se tachos) não se deveria investir na criação de um corpo profissional de bombeiros florestais? Tipo todos os municípios com uma determinada aérea florestal serem obrigados a ter unidades de sapadores florestais, cuja dimensão seria devidamente proporcional à referida área florestal. A segurança de bens e pessoas num país do dito primeiro mundo não pode estar dependente de voluntariado.

PS: não deixa de ser irónico que o responsável pelo projecto dos paióis de Tancos esteja agora por detrás desta proposta.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 21, 2017, 11:12:13 pm
Pergunto-me se em vez de novas unidades militares (leia-se tachos) não se deveria investir na criação de um corpo profissional de bombeiros florestais? Tipo todos os municípios com uma determinada aérea florestal serem obrigados a ter unidades de sapadores florestais, cuja dimensão seria devidamente proporcional à referida área florestal. A segurança de bens e pessoas num país do dito primeiro mundo não pode estar dependente de voluntariado.

PS: não deixa de ser irónico que o responsável pelo projecto dos paióis de Tancos esteja agora por detrás desta proposta.

No fundo consolidar e difundir o conceito de "bombeiros mistos" já existente...

Citar
Que espécies de Corpos de Bombeiros existem?
Nos municípios podem existir os seguintes corpos de bombeiros:
a) Corpos de bombeiros profissionais;
b) Corpos de bombeiros mistos;
c) Corpos de bombeiros voluntários;
d) Corpos privativos de bombeiros.
Os corpos de bombeiros profissionais têm as características seguintes:
1. São criados, detidos e mantidos na dependência directa de uma câmara municipal;
2. São exclusivamente integrados por elementos profissionais;
3. Detêm uma estrutura que pode compreender a existência de regimentos, batalhões, companhias ou secções, ou pelo menos, de uma destas unidades estruturais;
4. Designam-se bombeiros sapadores.
Os corpos de bombeiros mistos têm as características seguintes:
1. São dependentes de uma câmara municipal ou de uma associação humanitária de bombeiros;
2. São constituídos por bombeiros profissionais e por bombeiros voluntários, sujeitos aos respectivos regimes jurídicos;
3. Estão organizados, de acordo com o modelo próprio, definido pela respectiva câmara municipal ou pela associação humanitária de bombeiros.
Os corpos de bombeiros voluntários têm as características seguintes:
1. Pertencem a uma associação humanitária de bombeiros;
2. São constituídos por bombeiros em regime de voluntariado;
3. Podem dispor de uma unidade profissional mínima.
Os corpos privativos de bombeiros têm as características seguintes:
1. Pertencem a uma pessoa colectiva privada que tem necessidade, por razões da sua actividade ou do seu património, de criar e manter um corpo profissional de bombeiros para autoprotecção;
2. São integrados por bombeiros com a formação adequada;
3. Organizam-se segundo um modelo adequado às suas missões e objectivos.
4. Têm uma área de actuação definida dentro dos limites da propriedade da entidade ou entidades à qual pertencem, podendo actuar fora dessa área por requisição do presidente de câmara no respectivo município, ou da ANPC, quando fora do município, que suporta os encargos inerentes;
5. A sua criação e manutenção constituem encargo das entidades a que pertencem, não sendo abrangidas por apoios da ANPC.

https://www.bombeiros.pt/perguntas-frequentes-2/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 22, 2017, 09:13:26 am
PS: não deixa de ser irónico que o responsável pelo projecto dos paióis de Tancos esteja agora por detrás desta proposta.

Não vou crucificar o homem pois o projecto dos paióis de Tancos não me parece mal, para a época, esse projecto definia que os paióis deviam ter um Pelotão em permanência para fazer segurança, não uma secção que vai lá de vez em quando, ele não tem culpa disso, nem de se terem desleixado na reparação das vedações...

Em relação à actual proposta da UMEP, não me parece que passe a realidade, para já pelo menos.

As 11 medidas do governo
https://www.dn.pt/portugal/interior/pontos-essenciaisincendios-a-reforma-da-protecao-civil-e-a-resposta-de-emergencia-as-vitimas-8863542.html

Mas o Exército e a Força Aérea vão passar a estar mais envolvidos.

Citar
Papel reforçado das Forças Armadas

As Forças Armadas vão passar a ter um papel reforçado no apoio de emergência, ao nível do patrulhamento, tanto na prevenção como no combate aos incêndios, ficando a gestão e a operação dos meios sob alçada da Força Aérea.

Em relação à profissionalização...

Citar
Profissionalização do modelo de combate aos fogos

O Governo pretende retomar a expansão das companhias dos GIPS da GNR, segundo o primeiro-ministro, que considerou que, "ao longo de dez anos", estas companhias GIPS "demonstraram ser uma unidade altamente profissionalizada e capacitada, cujo desenvolvimento contribuirá certamente para o reforço da segurança coletiva".

Um quadro profissional de Comando?? Tipo um Estado-Maior militar?

Citar
foi também decidido que a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) vai ser "definitivamente institucionalizada, com um quadro de profissionais próprios, com carreira própria, com dirigentes designados por concurso".

Também a profissionalização de mais bombeiros, mas não todos.

Citar
Em relação aos bombeiros voluntários, o Governo quer criar em cada associação humanitária de bombeiros voluntários das zonas de maior risco de incêndio, equipas profissionais que sejam com bombeiros formados na escola de bombeiros, que será integrada no sistema formal de ensino, enquanto escola profissional".

O governo parece querer ter mão no SIRESP em vez de ser apenas cliente

Citar
Posição acionista do Estado no SIRESP

O Governo quer que o Estado tome uma posição acionista no SIRESP (Rede de Emergência e Segurança), podendo chegar ao seu controlo, e pretende acionar programas para enterramento de cabos aéreos e limpeza de vias.

Mais Sapadores Florestais

Citar
Reforço da resiliência do território

O ministro do Ambiente anunciou um investimento de cerca de 20 milhões de euros no domínio da resiliência do território, nomeadamente a contratação de 100 equipas de sapadores, 50 vigilantes da natureza e um projeto de voluntariado jovem.

João Matos Fernandes disse o executivo vai replicar o projeto-piloto da Peneda-Gerês (cuja área ardida foi 60% inferior ao ano passado) a outros parques florestais nacionais, comprar de equipamentos e contratar 100 equipas de sapadores nos próximos dois anos, o que corresponde a 500 pessoas (atualmente existem 292 equipas de sapadores).

em relação ao Parque Peneda-Gerês relembro que possui uma força de 50 sapadores florestais que trabalham o ano inteiro nas limpezas da sua área de responsabilidade.

Também um projecto interessante

Citar
Aposta nas biorrefinarias e centrais de biomassa

A implementação de biorrefinarias e a continuação do desenvolvimento de centrais de biomassa por todo o país estão entre as medidas apresentadas hoje para valorizar a recolha de resíduos florestais.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 22, 2017, 09:19:29 am
PS: não deixa de ser irónico que o responsável pelo projecto dos paióis de Tancos esteja agora por detrás desta proposta.

Não vou crucificar o homem pois o projecto dos paióis de Tancos não me parece mal, para a época, esse projecto definia que os paióis deviam ter um Pelotão em permanência para fazer segurança, não uma secção que vai lá de vez em quando, ele não tem culpa disso, nem de se terem desleixado na reparação das vedações...

Em relação à actual proposta da UMEP, não me parece que passe a realidade, para já pelo menos.

As 11 medidas do governo
https://www.dn.pt/portugal/interior/pontos-essenciaisincendios-a-reforma-da-protecao-civil-e-a-resposta-de-emergencia-as-vitimas-8863542.html

Mas o Exército e a Força Aérea vão passar a estar mais envolvidos.

Citar
Papel reforçado das Forças Armadas

As Forças Armadas vão passar a ter um papel reforçado no apoio de emergência, ao nível do patrulhamento, tanto na prevenção como no combate aos incêndios, ficando a gestão e a operação dos meios sob alçada da Força Aérea.

Em relação à profissionalização...

Citar
Profissionalização do modelo de combate aos fogos

O Governo pretende retomar a expansão das companhias dos GIPS da GNR, segundo o primeiro-ministro, que considerou que, "ao longo de dez anos", estas companhias GIPS "demonstraram ser uma unidade altamente profissionalizada e capacitada, cujo desenvolvimento contribuirá certamente para o reforço da segurança coletiva".

Um quadro profissional de Comando?? Tipo um Estado-Maior militar?

Citar
foi também decidido que a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) vai ser "definitivamente institucionalizada, com um quadro de profissionais próprios, com carreira própria, com dirigentes designados por concurso".

Citar
Em relação aos bombeiros voluntários, o Governo quer criar em cada associação humanitária de bombeiros voluntários das zonas de maior risco de incêndio, equipas profissionais que sejam com bombeiros formados na escola de bombeiros, que será integrada no sistema formal de ensino, enquanto escola profissional".

O governo parece querer ter mão no SIRESP em vez de ser apenas cliente

Citar
Posição acionista do Estado no SIRESP

O Governo quer que o Estado tome uma posição acionista no SIRESP (Rede de Emergência e Segurança), podendo chegar ao seu controlo, e pretende acionar programas para enterramento de cabos aéreos e limpeza de vias.

Mais Sapadores Florestais

Citar
Reforço da resiliência do território

O ministro do Ambiente anunciou um investimento de cerca de 20 milhões de euros no domínio da resiliência do território, nomeadamente a contratação de 100 equipas de sapadores, 50 vigilantes da natureza e um projeto de voluntariado jovem.

João Matos Fernandes disse o executivo vai replicar o projeto-piloto da Peneda-Gerês (cuja área ardida foi 60% inferior ao ano passado) a outros parques florestais nacionais, comprar de equipamentos e contratar 100 equipas de sapadores nos próximos dois anos, o que corresponde a 500 pessoas (atualmente existem 292 equipas de sapadores).

em relação ao PNPG relembro que possui uma força de 50 sapadores florestais que trabalham o ano inteiro nas limpezas da sua área de responsabilidade.

Também um projecto interessante

Citar
Aposta nas biorrefinarias e centrais de biomassa

A implementação de biorrefinarias e a continuação do desenvolvimento de centrais de biomassa por todo o país estão entre as medidas apresentadas hoje para valorizar a recolha de resíduos florestais.

ESTAS MEDIDAS SÃO TODAS MUITO BONITAS E MUITO BEM ESCRITAS MAS....... E OS QUE TUDO PERDERAM O QUE VÃO COMER HOJE E DURANTE A PRÓXIMA SEMANA, MÊS, ANO ??????? ONDE VÃO DORMIR HOJE, ESTA SEMANA ESTE MÊS ESTE ANO ?????
ONDE ESTÃO OS RESPONSÁVEIS POR ESTAS DUAS TRAGÉDIAS ??????
A PASSAR AO LADO DISTO TUSO, POR ENTRE OS PINGOS DA CHUVA ??????O
É QUE NÓS, OS OUTROS, OS IRREESPONSÁVEIS, TODOS OS DIAS COMEM, BEBEM, DORMEM EM LOCAIS BONS, NAS NOSSAS CASAS MAS AQUELES QUE TUDO PERDERAM, POR EXEMPLO O BOMBEIRO QUE A COMBATER OS FF FOI INFORMADO QUE A SUA CASA TINHA ARDIDO, ESSES SÃO DISPENSÁVEIS SRS DO DESGOVERNO, NÃO É ????
SE NÃO É OLHEM QUE PARECE E MUITO BEM !!
DEIXEM-SE DE RETÓRICAS E DISCURSOS QUE NA PRATICA EM NADA VÃO DAR,  DEEM O EXEMPLO E SEJAM HUMILDES E AJAM EM PROL DO NOSSO POVO E NÃO DE INTERESSES CAMUFLADOS NOS VOSSOS SERVIÇOS, SAIBAM QUANDO DEVEM PEDIR DESCULPAS E SAIAM, SAIAM DE CENA POIS OS VOSSOS DESEMPENHOS NÃO VALEM UM TUSTO FURADO MEUS SENHORES !!!!!
PARA VÓS A MINHA MAIS PROFUNDA INDIGNAÇÃO E DESPREZO, NÃO VALEIS NADA !!!!!
POVO MANSO É O QUE SOMOS E NÃO PASSAMOS DISTO, BASTA VER O QUE ACONTECEU NA PSEUDO MANIF DE APOIO ÁS VITIMAS DOS INCÊNDIOS PEGARAM-SE Á PANCADA !!!!!!
COITADOS.............. É ASSIM QUE MANIFESTAMOS O NOSSO RESPEITO AOS MORTOS ?????
SOMOS POVO SEM VERGONHA E RESPEITO PELOS NOSSOS CONCIDADÃOS  A COMEÇAR PELOS NOSSOS (DES)governantes !!!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 22, 2017, 09:25:54 am
ESTAS MEDIDAS SÃO TODAS MUITO BONITAS E MUITO BEM ESCRITAS MAS....... E OS QUE TUDO PERDERAM O QUE VÃO COMER HOJE E DURANTE A PRÓXIMA SEMANA, MÊS, ANO ??????? ONDE VÃO DORMIR HOJE, ESTA SEMANA ESTE MÊS ESTE ANO ?????

Isso também está no link, mas não escrevi pois não tinha a ver com o combate e prevenção dos fogos florestais.
Mas continuam a ser medidas politicas bonitas de dizer na tv, vamos ver se saem do papel...

Indemnizações a familiares das vítimas

Reconstrução de casas e empresas

Pagamento de salários e apoio ao emprego

Apoios ao setor agrícola e florestal


Citar
ONDE ESTÃO OS RESPONSÁVEIS POR ESTAS DUAS TRAGÉDIAS ??????
A PASSAR AO LADO DISTO TUSO, POR ENTER OS PINGOS DA CHUVA ??????
POVO MANSO É OQ UE SOMOS E NÃO PASSAMOS DISTO, BASTA VER O QUE ACONTECEU NA PSEUDO MANIF DE APOIO ÁS VITIMAS DOS INCÊNDIOS PEGARAM-SE Á PANCADA !!!!!!
COITADOS.............. É ASSIM QUE MANIFESTAMOS O NOSSO RESPEITO AOS MORTOS ?????
POVO SEM VERGONHA E RESPEITO PELOS SEUS A COMEÇAR PELOS NOSSOS (DES)governantes !!!!

Abraços

Pois, em ultima hipótese podemos mostrar a nossa opinião nas próximas eleições...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 22, 2017, 09:31:26 am
ESTAS MEDIDAS SÃO TODAS MUITO BONITAS E MUITO BEM ESCRITAS MAS....... E OS QUE TUDO PERDERAM O QUE VÃO COMER HOJE E DURANTE A PRÓXIMA SEMANA, MÊS, ANO ??????? ONDE VÃO DORMIR HOJE, ESTA SEMANA ESTE MÊS ESTE ANO ?????

Isso também está no link, mas não escrevi pois não tinha a ver com o combate e prevenção dos fogos florestais.
Mas continuam a ser medidas politicas bonitas de dizer na tv, vamos ver se saem do papel...

Indemnizações a familiares das vítimas

Reconstrução de casas e empresas

Pagamento de salários e apoio ao emprego

Apoios ao setor agrícola e florestal


Citar
ONDE ESTÃO OS RESPONSÁVEIS POR ESTAS DUAS TRAGÉDIAS ??????
A PASSAR AO LADO DISTO TUSO, POR ENTER OS PINGOS DA CHUVA ??????
POVO MANSO É OQ UE SOMOS E NÃO PASSAMOS DISTO, BASTA VER O QUE ACONTECEU NA PSEUDO MANIF DE APOIO ÁS VITIMAS DOS INCÊNDIOS PEGARAM-SE Á PANCADA !!!!!!
COITADOS.............. É ASSIM QUE MANIFESTAMOS O NOSSO RESPEITO AOS MORTOS ?????
POVO SEM VERGONHA E RESPEITO PELOS SEUS A COMEÇAR PELOS NOSSOS (DES)governantes !!!!

Abraços

Pois, em ultima hipótese podemos mostrar a nossa opinião nas próximas eleições...

Somos o País das medidas, medidas para isto, medidas para aquilo, medidas para aqueloutro, enfim tantas medidas e não conseguimos medir nada de jeito é o que é Lightning !!!

Pois podemos mas também sabemos que quem ganha as eleições nem sempre é quem vai governar, digo isto mas não sou de nenhum partido politico acho que não temos ninguém válido para nos governar os competentes pura e simplesmente não se querem conspurcar nos meandros das politiquices !!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 23, 2017, 11:47:56 am
Mais alguns exemplos dos incêndios do fim-de-semana passado no norte e centro do país:

Leiria (Pinhal de Leiria):

Tondela:

Mortágua:

Penacova: (Carros bloqueados em cima de uma ponte)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Outubro 23, 2017, 01:54:11 pm
Incrivel, inacreditável, mas como é que de 48, e não 72, como inicialmente tinha escrito, mea culpa,  aeronaves de Combate aos FF se passa para apenas 18, e está tudo bem ??????
Não houve/há responsáveis por essa malfadada decisão??
Enfim mais do mesmo non passa nada !!!!


https://www.noticiasaominuto.com/pais/886826/governo-reforca-combate-com-mais-17-meios-aereos-ate-ao-fim-do-mes
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 23, 2017, 10:11:50 pm
É o que dá só depender de meios alugados, acabou o aluguer voltam a casa, querem mais tempo paguem.

O governo/MAI/ANPC é que deviam ter alguém com dois dedos de testa, que analisá-se as previsões de meteorológia, e percebesse que vinha aí uma onda de calor e que os meios aéreos disponíveis iam ser insuficientes.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: ICE 1A+ em Outubro 24, 2017, 12:49:33 am

Não gosto de divulgar este tipo de vídeo mas estes homens merecem-no!

Impressionante a forma como atacam o fogo que quase os devora!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Outubro 24, 2017, 12:15:46 pm
O governo/MAI/ANPC é que deviam ter alguém com dois dedos de testa, que analisá-se as previsões de meteorológia, e percebesse que vinha aí uma onda de calor e que os meios aéreos disponíveis iam ser insuficientes.

O IPMA avisou com 72 horas de antecedência a vários organismos (desde autarquias a ANPC e população) que ia ser o pior dia do ano em termos de calor e vento e o risco de incêndio era extremamente alto.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Outubro 24, 2017, 12:29:30 pm
O governo/MAI/ANPC é que deviam ter alguém com dois dedos de testa, que analisá-se as previsões de meteorológia, e percebesse que vinha aí uma onda de calor e que os meios aéreos disponíveis iam ser insuficientes.

O IPMA avisou com 72 horas de antecedência a vários organismos (desde autarquias a ANPC e população) que ia ser o pior dia do ano em termos de calor e vento e o risco de incêndio era extremamente alto.

As autarquias estavam nessa altura nas tomadas de posse dos novos autarcas......... era mais importante nessa altura que os croquetes e champanhe não faltassem nesses dias que o combate aos incêndios!!!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: miguelbud em Outubro 24, 2017, 03:34:11 pm
Artigo bastante interessante

https://www.dinheirovivo.pt/economia/protecao-civil-gasta-mais-de-meio-milhao-um-dia-depois-dos-incendios/

Citar
64 milhões desde 2015
Uma pesquisa efetuada pelo Dinheiro Vivo só aos contratos de aquisição de meios áereos para combate aos incêndios publicados pela ANPC permite concluir que a Proteção Civil já gastou um total de 64,9 milhões de euros, mais os pagamentos respetivos em sede de IVA, em seis contratos.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 24, 2017, 04:17:10 pm
Há 28 anos um povo lutou contra os eucaliptos. E a terra nunca mais ardeu

Em 1989 houve uma guerra no vale do Lila, em Valpaços. Centenas de pessoas juntaram-se para destruir 200 hectares de eucaliptal, com medo que as árvores lhes roubassem a água e trouxessem o fogo. A polícia carregou sobre a população, mas o povo não se demoveu.

(https://www.noticiasmagazine.pt/files/2017/10/01-960x566_c.jpg)
A 31 de março de 1989 o povo de Valpaços invadiu uma quinta no vale do Lila para arrancar os 200 hectares de eucalipto que a Soporcel tinha plantado na região. [Arquivo JN]

Texto de Ricardo J. Rodrigues | Fotografia de Rui Oliveira / Global Imagens

«Foi o nosso 25 de Abril», diz Maria João Sousa, que tinha 15 anos quando a revolução chegou à sua terra. No dia 31 de março de 1989, a rebate do sino, 800 pessoas juntaram-se na Veiga do Lila, uma pequena aldeia de Valpaços, e protagonizaram um dos maiores protestos ambientais que alguma vez aconteceram em Portugal.

A ação fora concertada entre sete ou oito povoações de um escondidíssimo vale transmontano, e depois juntaram-se ecologistas do Porto e de Bragança à causa. Numa tarde de domingo, largaram todos para destruir os 200 hectares de eucalipto que uma empresa de celulose andava a plantar na quinta do Ermeiro, a maior propiedade agrícola da região.

À sua espera tinham a GNR, duas centenas de agentes. Formavam uma primeira barreira com o objetivo de impedir o povo de arrancar os pés das árvores, mas eram poucos para uma revolta tão grande.

(https://www.noticiasmagazine.pt/files/2017/10/02-655x420.jpg)
A polícia respondeu com uma carga à população, mas revelou-se incapaz de travar os avanços de 800 populares sobre a propriedade. [Arquivo JN]

Citar
«Naquele dia ninguém sentia medo. Eles atiravam tiros para o ar e parecia que tínhamos uma força qualquer a fazer-nos avançar», lembra Maria João Sousa.

Maria João, que nesse dia usava uma camisola vermelha impressa com a figura do Rato Mickey, nem deu pelo polícia que lhe agarrou no braço. «Ide para casa ver os desenhos animados», atirou-lhe, mas a rapariga restaurou a liberdade de movimentos com um safanão: «Estava tão convicta que não sentia medo nenhum. Naquele dia ninguém sentia medo nenhum. Eles atiravam tiros para o ar e parecia que tínhamos uma força qualquer a fazer-nos avançar.»

A tensão subiria de tom ao longo da tarde. «Houve ali uma altura em que pensei que as coisas podiam correr para o torto», diz agora António Morais, o cabecilha dos protestos. Havia agentes de Trás os Montes inteiros, da Régua e de Chaves, de Vila Real e Mirandela.

Mas também lá estava a imprensa, e ainda hoje o homem acredita que foi por isso que a violência não escalou mais. Algumas cargas, pedrada de um lado, cacetadas do outro, mas nada que conseguisse calar um coro de homens e mulheres, canalha e velharia: «Oliveiras sim, eucaliptos não».

«Não queríamos arder aqui todos»

A guerra tinha começado a ser preparada um par de meses antes, quando António Morais, proprietário de vários hectares de olival no Lila, percebeu que uma empresa subsidiária da Soporcel se preparava para substituir 200 hectares de oliveiras por eucaliptal para a indústria do papel. «Tinham recebido fundos perdidos do Estado para reflorestar o vale sem sequer consultarem a população», revolta-se ainda, 28 anos depois.

«Nessa altura o ministério da agricultura defendia com unhas e dentes a plantação de eucalipto.» Álvaro Barreto, titular da pasta, fora anos antes presidente do conselho de administração da Soporcel e tornaria ao cargo em 1990, pouco depois das gentes de Valpaços lhe fazerem frente.

(https://www.noticiasmagazine.pt/files/2017/10/05-655x420.jpg)
António Morais foi o cabecilha dos protestos. Percorrendo as aldeias depois da missa foi convencendo o povo que o lucro fácil trairia prejuízos a médio prazo.

«A tese dominante dos governos de Cavaco Silva era que urgia substituir o minifúndio e a agricultura de subsistência por monoculturas mais rentáveis, era preciso rentabilizar a floresta em grande escala», diz António Morais. O eucalipto adivinhava-se uma solução fácil.

Crescia rápido e tinha boas margens de lucro. Portugal, aliás, ganharia em poucos anos um papel de destaque na indústria de celulose e os pequenos proprietários poderiam resolver muitos problemas de insolvência abastecendo as grandes empresas com uma floresta renovada. A teoria acabaria por vingar em todo o país, sobretudo no interior centro e norte. Mas não em Valpaços.

Citar
«Numa região onde a água é tudo menos abundante, teríamos [por causa do eucalipto] problemas de viabilidade das outras culturas», diz António Morais.

«Comecei a ler coisas e percebi que o eucalipto nos traria grandes problemas», continua António Morais. «Por um lado, numa região onde a água é tudo menos abundante, teríamos grandes problemas de viabilidade das outras culturas. Nomeadamente o olival, que sempre foi a riqueza deste povo. E depois havia os incêndios, que eram o diabo. São árvores altamente combustíveis e que atingem uma altura muito grande.»

Na terra quente transmontana o ano são oito meses de inverno e quatro de inferno. O fogo, tinha ele a certeza, chegaria com aquele arvoredo.

Uns meses antes da guerra, começou a conversar sobre o seu medo com algumas das mais relevantes personalidades do vale. Grandes proprietários, políticos da terra, as famílias mais reconhecidas. «Lentamente começou a formar-se um consenso de que o lucro fácil do eucalipto seria a médio prazo a nossa desgraça. Não queríamos deixar secar a nossa terra. E não queríamos arder aqui todos. Tínhamos de destruir aquele eucaliptal, custasse o que custasse.»

Anatomia da conspiração

O núcleo duro estava formado, era constituído por dezena e meia de agricultores capazes de mobilizar o resto do povo. «Aos domingos, íamos às aldeias e no fim da missa explicávamos às pessoas o que podia acontecer à nossa terra», lembra Natália Esteves, descendente de uma família de grandes produtores de azeite feita de repente líder de protesto ecológico. «E também íamos de casa em casa, esclarecer quem não tinha estado nas assembleias.»

Ao início houve renitência, a madeira valeria sempre mais do que a azeitona, e a castanha ainda não rendia o que rende hoje. «Mas tentámos sempre centrar a conversa no que aconteceria daí a uns anos, dizer que os eucaliptos secariam os solos e o povo ficaria refém de uma única cultura, que se alguma coisa corresse mal não teriam mais nada.»

(https://www.noticiasmagazine.pt/files/2017/10/08-655x420.jpg)
João Sousa esteve na organização dos protestos à socapa, era presidente da freguesia da Veiga do Lila. «Dizem que somos um povo sem educação mas afinal nós é que estávamos certos.»
O que mais assustava aquela gente, no entanto, era o fogo. «Onde há eucalipto, tudo arde. E então o povo já não chamava a árvore pelo nome, mas por fósforos.» A primeira batalha estava ganha: tinham o apoio da população.

João Sousa era nessa altura presidente da junta da Veiga do Lila. «Oficialmente não podia dizer que era contra os eucaliptos, nem ir contra a polícia. Mas, quando falava com as pessoas, dizia-lhes o que haviam de fazer», conta agora com uma gargalhada e sem ponta de medo.

Citar
«Vê, nem um eucalipto plantado. E o nosso vale há mais de 30 anos que não arde», diz João de Sousa.

«Então se tínhamos o melhor azeite do país íamos dar cabo dele para enriquecer uns ricalhaços de fora?» Tem 86 anos e uma destreza de 30, hoje estuga o passo para mostrar a zona que podia ter sido caixa de fósforos. «Vê, nem um eucalipto plantado. E o nosso vale há mais de 30 anos que não arde. Se o povo não se tem unido hoje estávamos a viver a mesma desgraça que vimos por esse país fora.»

Essa é aliás a conversa mais recorrente por estes dias no vale do Lila. A tragédia florestal portuguesa dá a este povo a impressão que eles sim, tinham razão há muitos anos, quando o governo e as autoridades lhes diziam o contrário.

«Podem achar que somos gente do campo, sem educação nem conhecimento, mas nós cá soubemos defender a nossa terra», diz o velhote. «Temos chorado muito por esta gente que perdeu vidas e animais e casas. E há uma coisa que o meu povo sabe: se temos deixado ficar os eucaliptos, também hoje choraríamos pelos nossos.»

A guerra

Há uns dias que os combates tinham começado. Ataques furtivos do povo, desorganizadamente, para arrancar pés de eucalipto nos limites do Ermeiro. Duas semanas antes da guerra, no Domingo de Ramos, as coisas aqueceram.

«Juntámos duas centenas de pessoas aqui destas aldeias e os donos da empresa chamaram a GNR», lembra António Morais. «Quando eles chegaram já tínhamos dado cabo de uns bons 50 hectares de eucaliptal.» Nesse dia não houve confrontos, porque o povo fugiu. Mas anunciaram a alto e bom som que voltariam depois da Páscoa.

Esse ataque tinha feito notícia no Jornal de Notícias e trazido uma mão-cheia de jornalistas à terra, nomeadamente Miguel Sousa Tavares, da RTP. «Percebi que as coisas estavam a tornar-se muito grandes e foi então que contactei a Quercus. Precisávamos de ajuda.»

Do outro lado da linha atendeu Serafim Riem, que dirigia o núcleo do Porto da organização ambientalista. O ecologista partiu imediatamente para o terreno. Nesses dias ouviriam do parlamento em Lisboa várias palavras de solidariedade. Sobretudo do PCP, d’Os Verdes e de um jovem deputado socialista chamado José Sócrates.

Agora não valia a pena esconder mais nada. A 31 de março de 1989, domingo depois da Páscoa, o povo juntar-se-ia todo na Veiga do Lila para dar cabo do eucaliptal que restasse. A aldeia enchera-se de jornalistas, havia até um helicóptero a cobrir os acontecimentos do ar.

A direção nacional da Quercus demarcar-se-ia da organização dos protestos através de um comunicado, mas os núcleos do Porto e Bragança encheriam cada um o seu autocarro de ambientalistas carregados de cartazes. Às duas da tarde o sino começou a tocar a rebate. Oito centenas de vozes entoavam «oliveiras sim, eucaliptos não» e largaram por um caminho de terra batida para a quinta do Ermeiro.

Numa hora, foram arrancados 180 hectares de pequenas árvores. «Alguns gozavam com os agentes na cara e levaram umas bastonadas», recorda Natália Esteves.

Não era preciso usar enchadas nem sacholas, os eucaliptos tinham sido plantados há pouco tempo e arrancavam-se com as mãos. A polícia tentava fazer uma linha de defesa, mas duas centenas de agentes não chegavam para aquela gente toda.

Citar
Numa hora, foram arrancados 180 hectares de pequenas árvores. «Alguns gozavam com os agentes na cara e levaram umas bastonadas das boas», recorda Natália Esteves. Os que eram de perto diziam-lhes assim: «Tendes razão, por isso vamos fingir que não vemos.» Viravam as costas e o povo ia subindo o terreno.

Num instante, o casario da quinta tornava-se no último reduto da investida. Uma dezena de guardas saíram a cavalo, era demonstração de força mas não surtiu resultado. A Soporcel tinha construído socalcos para plantar os eucaliptos e, agora, os animais não conseguiam descê-los.

«O povo ia atirando pedras aos guardas, houve um que acertou no cavalo e mandou-o abaixo», diz João Morais. Foi nesse momento que entrou em campo o corpo de intervenção, disposto a levar toda a gente pela frente. «Aí as coisas podiam ter descambado definitivamente.»

Todos por um

A guarda especializada avançava agora colina abaixo com escudos e capacetes. José Oliveira, um agricultor da pequena aldeia de Émeres, tentou escapar pela lateral, mas foi logo caçado pela guarda. No bolso trazia um revólver e foi isso que o tramou. «Levaram-no logo detido para dentro do jipe por posse de arma ilegal», conta agora a sua viúva, Ester.

Aquela detenção marcaria o início do fim da guerra. «As pessoas tinham recuado por causa do corpo de intervenção, mas quando se aperceberam que um dos nossos estava preso começaram a gritar que não arredariam pé enquanto ele não fosse solto», diz João Morais. Ester anui, «foi o vale inteiro que salvou o meu homem.» Agora já não havia pedras, havia gritos. Que libertassem o tio Zé e rápido.

(https://www.noticiasmagazine.pt/files/2017/10/12-655x420.jpg)
Ester Oliveira viu o marido, José Oliveira, ser detido durante os confrontos por posse de arma ilegal. «Foi o povo que o salvou por dizer que não arredava pé enquanto ele não fosse libertado.»
Serafim Reim, o homem da Quercus, é que foi lá negociar a libertação com os guardas. Sobravam menos de 20 hectares de eucalipto, o povo deixá-los-ia em paz se soltassem o velhote. Uma hora depois, houve consenso. Identificaram José Oliveira, caçaram-lhe a arma e mais tarde levaram-no a tribunal, mas naquele dia saiu pelo seu pé para os braços da mulher, e daí para casa.

António Morais, Natália Esteves, João Sousa e mais uma dezena de organizadores do protesto também seriam chamados à barra da justiça, um ano depois enfrentaram acusação de invasão de propriedade privada e foram condenados com pena suspensa.

«Ainda vieram uns engenheiros da Soporcel dizer que retirariam a queixa se nos comprometêssemos a não destruir uma nova plantação de eucalipto. Disse-lhes que nem pensar, aqui nunca teríamos árvores dessas no nosso vale.»

Nas noites seguintes arrancou-se à socapa quase tudo o que faltava, ficaram apenas meia dúzia de hectares a rodear o casario da quinta, mais passível de vigia. A Soporcel acabaria por desistir e vender a propriedade e a família que a comprou, quando ousou confessar a Natália Esteves que pensavam plantar eucaliptos, foram logo avisados: «Se os botais nós os arrancamos.»

Citar
«A única maneira de travar os incêndios em Portugal é reduzir o eucaliptal e substituí-lo pela floresta autóctone», diz o ambientalista Serafim Riem.

Hoje, o Ermeiro é terra de nogueiras e amendoeiras, oliveiras e pinho. Nunca ardeu. Serafim Riem, o ambientalista da Quercus, diz que até hoje a guerra do povo de Valpaços é um marco, a maior ligação jamais vista no país entre o mundo rural e o ativismo ecológico.

«A única maneira de travar os incêndios em Portugal é reduzir drasticamente o eucaliptal e substituí-lo pela floresta autóctone, que não só tem melhor imunidade ao fogo como gera uma riqueza mais diversificada para as populações.»

Naquele 31 de março de 1989, o povo uniu-se e, diz agora, salvou-se. «Nós é que tínhamos razão», repetem uma e outra vez, repetem todos. Às seis da tarde, depois de José Oliveira ser libertado, um vale inteiro voltou pelo mesmo caminho e juntou-se no principal largo de Veiga do Lila. Mataram-se dois borregos e um leitão, abriram-se presuntos e deitaram-se alheiras à brasa, houve até quem trouxesse uma pipa de vinho. A festa durou noite dentro e foi maior do que qualquer romaria de Santa Bárbara.

À volta da fogueira acabariam por juntar-se também os guardas que horas antes defendiam o Ermeiro. E ali ficaram a comer e beber, vencedores e vencidos, que em Trás-os-Montes nunca se nega hospitalidade. Maria João Sousa nunca tinha visto uma coisa daquelas, nem nunca voltaria a vê-la na sua terra. Foi o 25 de Abril da sua gente. «Há lá coisa mais bonita do que uma revolução.»

https://www.noticiasmagazine.pt/2017/valpacos-luta-eucaliptos/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Outubro 24, 2017, 10:44:52 pm
https://www.jornaldeleiria.pt/noticia/pj-incendio-do-pinhal-de-leiria-tera-comecado-num-terreno-co-7410

PJ: incêndio do Pinhal de Leiria terá começado num terreno com lixo. E terá sido uma reactivação.

Porque também somos porcos...

Este tipo de lixeiras faz-me ferver o sangue. Largam os colchões, sofás e entulho junto aos caminhos ou mesmo no pinhal.
Também já tive de apagar um reativação num local destes após rescaldo dos bombeiros.
Madeiras provenientes de obras, frigoríficos, borrachas... Facilmente volta a pegar.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Jorge Pereira em Outubro 25, 2017, 10:30:23 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 30, 2017, 03:50:13 pm
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Outubro 30, 2017, 11:23:21 pm
Reporter TVI
O Cartel do Fogo
http://tviplayer.iol.pt/programa/reporter-tvi/53c6b3483004dc006243bd77/episodio/t4e25
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Daniel em Outubro 31, 2017, 10:41:14 am
Reporter TVI
O Cartel do Fogo
http://tviplayer.iol.pt/programa/reporter-tvi/53c6b3483004dc006243bd77/episodio/t4e25

Vi essa reportagem e só posso concluir o seguinte, 1 muita mafia e corrupção, 2 quando Deus passou para dar a inteligência os nossos políticos não estavão lá (excepto alguns).
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Novembro 07, 2017, 08:28:26 pm
GIPS da GNR passa quase para o dobro

Citar
O GIPS da GNR vai passar dos atuais 600 homens para 1100, uma medida anunciada pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e que se enquadra no reforço das estruturas profissionais envolvidas no combate aos incêndios. O reforço terá lugar já no próximo ano.

https://www.jn.pt/nacional/interior/gips-da-gnr-passa-quase-para-o-dobro-8900699.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 08, 2017, 11:13:02 am
E a FEB?
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Novembro 09, 2017, 09:55:44 am
Sobre a FEB descobri isto.

Ex-secretário de Estado travou reforço da Força Especial de Bombeiros antes dos incêndios
https://www.publico.pt/2017/11/09/politica/noticia/exsecretario-de-estado-travou-reforco-dos-canarinhos-antes-dos-incendios-1791844

O governo diz que quer aumentar a FEB de 261 para 500, mas cancelou um concurso de 40 elementos diz que primeiro tem que criar uma carreira de bombeiro profissional na estrutura da administração publica, até o pagamento do ordenado aos bombeiros da FEB actualmente é uma complicação, é a Escola Nacional de Bombeiros que paga esses ordenados com verba cedida da ANPC.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Novembro 24, 2017, 10:42:54 am
Especialista dos EUA que previu os grandes fogos avisa: “Pode haver mais duas a três temporadas de incêndios como este ano”

Citar
Em 2009, Mark Beighley previu que os incêndios de 2017 podiam acontecer. Agora volta a dizer que podem repetir-se. Critica os bombeiros, as leis contra incendiários e as políticas. E já avisou Costa.

http://observador.pt/especiais/especialista-dos-eua-que-previu-os-grandes-fogos-avisa-pode-haver-mais-duas-a-tres-temporadas-de-incendios-como-este-ano/
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Novembro 24, 2017, 12:47:54 pm
Especialista dos EUA que previu os grandes fogos avisa: “Pode haver mais duas a três temporadas de incêndios como este ano”

Citar
Em 2009, Mark Beighley previu que os incêndios de 2017 podiam acontecer. Agora volta a dizer que podem repetir-se. Critica os bombeiros, as leis contra incendiários e as políticas. E já avisou Costa.

http://observador.pt/especiais/especialista-dos-eua-que-previu-os-grandes-fogos-avisa-pode-haver-mais-duas-a-tres-temporadas-de-incendios-como-este-ano/

Excelente trabalho de Mark Beighley !!!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Novembro 28, 2017, 11:23:42 am
Governo prevê contratar 1000 sapadores florestais até 2019

https://www.dn.pt/portugal/interior/entrevista-incendios-governo-preve-contratar-1000-sapadores-florestais-ate-2019-8944670.html

Governo vai alargar rede profissionalizada de bombeiros a todo o país

https://www.dn.pt/portugal/interior/incendios-governo-vai-alargar-rede-profissionalizada-de-bombeiros-a-todo-o-pais---mai-8943449.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Novembro 30, 2017, 10:34:59 am
A GNR está a ganhar força na Protecção Civil

Coronel da GNR é o novo comandante operacional da Proteção Civil
http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/coronel-da-gnr-e-o-novo-comandante-operacional-da-protecao-civil
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Novembro 30, 2017, 11:21:39 am
A GNR está a ganhar força na Protecção Civil

Coronel da GNR é o novo comandante operacional da Proteção Civil
http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/coronel-da-gnr-e-o-novo-comandante-operacional-da-protecao-civil

e a sucessora fica por perto, para ver como se faz, aprender e, acima de tudo, para efectuar os seus reportes.............................. ;) ;)
O (Des)governo sempre a pensar e proteger os cidadãos/contribuintes, sempre a dar o seu melhor, viu-se e vê-se!!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 05, 2017, 08:40:09 pm
Ecobomba pode ser solução para a reflorestação


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 08, 2017, 12:08:05 am
Sementes lançadas pelo ar para reflorestar áreas afetadas

Uma iniciativa da Take C’Air Crew Volunteers e da Replantar Portugal lançou hoje cerca de 3 700 kg de sementes sobre as áreas afetas pelos incêndios deste verão em Portugal.

Em parceria com a Quercus e a Avitrata, estas associações carregaram um avião Dromader M-18 com sementes de gramíneas e leguminosas, para serem lançadas na região do concelho de Mangualde para ajudar a reduzir a erosão dos solos e promover a biodiversidade em zonas íngremes afetadas pelos incêndios, no que constitui, nas palavras do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, “uma prática diferente” de estabilização de emergência.

Segundo João Branco, presidente da Quercus, esta visa “estabilizar e evitar a erosão” de locais particularmente inclinados e portanto em maior risco de sofrer erosão e derrocadas. “pós caírem no solo”, explicou Branco, as sementes “germinam e criam umas ervas cujas raízes vão agarrar o solo, diminuindo a perda deste quando chegarem as chuvas fortes.”

“No ano passado”, afirmou Freitas, “houve incêndios e só se fez estabilização de emergência a partir de março deste ano”. Desta vez, garante, “estamos a fazer tudo no tempo certo.”

“Esta iniciativa”, garante o secretário de Estado, “já está a gerar, noutros sítios do país, pedidos ao Ministério da Agricultura” para a realização de esforços semelhantes. No entanto, Miguel Freitas alerta que: “Não podemos partir para estender uma técnica que não dominamos e que não conhecemos os seus resultados para o país inteiro”. Nesse sentido, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas irá agora avaliar os resultados da iniciativa.


>>>>> http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/incendios-sementes-lancadas-pelo-ar-para-reflorestar-areas-afetadas-241475
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Dezembro 08, 2017, 02:55:48 pm
Sementes lançadas pelo ar para reflorestar áreas afetadas

Uma iniciativa da Take C’Air Crew Volunteers e da Replantar Portugal lançou hoje cerca de 3 700 kg de sementes sobre as áreas afetas pelos incêndios deste verão em Portugal.

Em parceria com a Quercus e a Avitrata, estas associações carregaram um avião Dromader M-18 com sementes de gramíneas e leguminosas, para serem lançadas na região do concelho de Mangualde para ajudar a reduzir a erosão dos solos e promover a biodiversidade em zonas íngremes afetadas pelos incêndios, no que constitui, nas palavras do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, “uma prática diferente” de estabilização de emergência.

Segundo João Branco, presidente da Quercus, esta visa “estabilizar e evitar a erosão” de locais particularmente inclinados e portanto em maior risco de sofrer erosão e derrocadas. “pós caírem no solo”, explicou Branco, as sementes “germinam e criam umas ervas cujas raízes vão agarrar o solo, diminuindo a perda deste quando chegarem as chuvas fortes.”

“No ano passado”, afirmou Freitas, “houve incêndios e só se fez estabilização de emergência a partir de março deste ano”. Desta vez, garante, “estamos a fazer tudo no tempo certo.”

“Esta iniciativa”, garante o secretário de Estado, “já está a gerar, noutros sítios do país, pedidos ao Ministério da Agricultura” para a realização de esforços semelhantes. No entanto, Miguel Freitas alerta que: “Não podemos partir para estender uma técnica que não dominamos e que não conhecemos os seus resultados para o país inteiro”. Nesse sentido, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas irá agora avaliar os resultados da iniciativa.


>>>>> http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/incendios-sementes-lancadas-pelo-ar-para-reflorestar-areas-afetadas-241475

Relembrem-se por favor, os incêndios foram em Junho e Outubro correcto ?????
Interessantes estes comentários, mas se calhar alguém aprendeu com o que já se fez na Galiza, será ?????
Mais vale tarde que nunca !

No ano passado”, afirmou Freitas, “houve incêndios e só se fez estabilização de emergência a partir de março deste ano”. Desta vez, garante, “estamos a fazer tudo no tempo certo.”
.......do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, “uma prática diferente” de estabilização de emergência.

Abraços


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Dezembro 08, 2017, 03:25:06 pm
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/24991582_1777986708930015_6483205175057250767_n.jpg?oh=d9e463853621fa870abd881e780b72e3&oe=5ACB0867)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/24862527_1777988265596526_4688497403278213682_n.jpg?oh=898e4fe339bc7c937ada1bb60677c1d2&oe=5AC2E5A2)
Entretanto o resultado dos incêndio continua a seguir caminho... 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Dezembro 15, 2017, 11:47:36 am
O Conselho de Ministros aprovou hoje uma resolução que autoriza a realização de despesa, no âmbito de um concurso público internacional, para a contração de meios aéreos de combate a incêndios florestais para 2018 e 2019.

(http://imagizer.imageshack.us/v2/xq90/924/tOACF7.jpg) (https://imageshack.com/i/potOACF7j)

"Esta autorização tem um valor global máximo de cerca de 60 milhões de euros e integra-se no processo de transformação do modelo de acompanhamento do comando e operação de meios aéreos", disse Eduardo Cabrita, na conferência de imprensa realizada após o Conselho de Ministros.

O concurso público internacional plurianual para a contratação de 50 meios aéreos de combate a incêndios florestais é feito pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O ministro destacou os "aspetos inovadores" que vão ser introduzidos em relação aos meios aéreos de combate aos fogos, como o aumento do número de meios disponíveis relativamente ao que existia em anos anteriores, passado de 41 para 50 aeronaves.

Eduardo Cabrita adiantou que os meios aéreos vão também estar disponíveis ao longo de todo o ano e não só no chamado período crítico de incêndios florestais, além de passarem a operar mais horas por dia, ou seja, durante todo o período de luminosidade.

Dos 50 meios aéreos, 14 (10 helicópteros ligeiros e quatro aviões anfíbios médios) vão estar disponíveis todo o ano e realizar a operação diária com referência à existência de luz solar em detrimento das 12 horas por dia, segundo o Ministério da Administração Interna (MAI).

Outro dos aspetos que o ministro classificou como "tecnicamente inovador" passa pela existência de dois aviões ligeiros de avaliação e coordenação, aeronaves que vão "acompanhar e coordenar toda a operação dos vários meios aéreos envolvidos num combate a um incêndio de grande dimensão".

Segundo o governante, a operação destes dois aviões decorre "já do trabalho da unidade de missão que tem vindo a programar o novo modelo de resposta a incêndios rurais".

O ministro disse ainda que este concurso envolve, pela primeira vez, a previsão da existência de um meio aéreo para a Madeira, designadamente um helicóptero ligeiro que vai operar nesta região.

Os 50 meios aéreos que vão ser alugados incluem 38 helicópteros ligeiros, um dos quais para a Madeira, para ataque inicial, seis aviões anfíbios médios, quatro anfíbios pesados para incêndios de grande dimensão e dois aviões ligeiros de avaliação e coordenação.

De acordo com o MAI, 13 helicópteros ligeiros, dois aviões anfíbios pesados e os aviões de coordenação e avaliação vão ser equipados com câmara de videovigilância e de infravermelhos, passando ainda a existir "maior eficiência na utilização dos meios aéreos através do uso de gel extintor e retardante".

Além dos 50 meios aéreos alugados, o combate aos fogos conta ainda com os meios próprios do Estado, sendo que estão aptos a voar seis dos nove existentes, três Kamov e outros três helicópteros ligeiros.

Na conferência de imprensa, o ministro disse ainda que saiu hoje em Diário da República a constituição de um grupo de trabalho, com representantes dos ministérios da Administração Interna e da Defesa, que irá definir, nos próximos 45 dias, como é que a Força Aérea passará, num horizonte de médio prazo, exercer a operação e o comando de meios aéreos de combate a incêndios.

No entanto, sustentou "é fundamental ter a resposta para 2018 e 2019 e foi isso que foi hoje aprovado" esta resolução em Conselho de Ministros.

https://www.noticiasaominuto.com/economia/916690/governa-autoriza-60-milhoes-euros-para-contratacao-de-50-meios-aereos

Pergunto eu se a FAP vai adquirir 05 helis ligeiros por 20 Milhões não se deveria já reforçar essa verba para comprar mais cinco unidades e reduzir o aluguer de helis ligeiros em outros tantos ????
Com os seis helis da PC que deveriam ser oito, ficamos com 56/58 meios Aéreos quanto a mim ligeiros em demasia e poucos médio/Pesados !!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Dezembro 15, 2017, 05:48:38 pm
Pergunto eu se a FAP vai adquirir 05 helis ligeiros por 20 Milhões não se deveria já reforçar essa verba para comprar mais cinco unidades e reduzir o aluguer de helis ligeiros em outros tantos ????
Sim, mas esta conversa toda de meios aéreos (próprios) da FAP a combaterem incêndios é para o inglês ver... O plano é para manter os negócios de aluguer para os amigos.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Dezembro 15, 2017, 07:38:42 pm
Pergunto eu se a FAP vai adquirir 05 helis ligeiros por 20 Milhões não se deveria já reforçar essa verba para comprar mais cinco unidades e reduzir o aluguer de helis ligeiros em outros tantos ????
Sim, mas esta conversa toda de meios aéreos (próprios) da FAP a combaterem incêndios é para o inglês ver... O plano é para manter os negócios de aluguer para os amigos.

Cumprimentos,

Sem qq dúvida, os apaniguados tem de continuar a mamar á conta do contribuinte !!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Dezembro 19, 2017, 12:59:30 pm
Fogos: Governo autoriza despesa de 60 milhões para aluguer de 50 meios aéreos

O dispositivo complementar para os próximos três anos é contratado para fazer face ao crescente risco de incêndios florestais e integra o Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Florestais (DECIF).

(http://oje-50ea.kxcdn.com/wp-content/uploads/2017/06/portugal_incendios_1-925x578.jpg)

O combate aos fogos florestais vai ter 50 meios aéreos alugados em 2018 e 2020  e vão passar a estar disponíveis durante todo o ano aeronaves para fazer face ao “ao crescente risco de incêndios”. Este dispositivo complementar representará um encargo para o Estado da ordem dos 60 milhões de euros nos próximos três, segundo uma resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República.

De acordo com o diploma, o Executivo autoriza a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), durante os anos de 2018 a 2020, “a realizar a despesa até ao montante máximo de  59. 813. 667 euros, a que acresce IVA à taxa legal em vigor”. Em causa está, explica, “o lançamento de procedimento concursal com vista à disponibilização e locação dos meios aéreos que constituem o dispositivo aéreo complementar que integra o dispositivo aéreo da ANPC afeto à prossecução da missão atribuída à administração interna no âmbito do combate aos incêndios florestais”.

Os 50 meios aéreos que vão ser alugados são apontados como” uma ferramenta indispensável no combate aos incêndios florestais”. E incluem  10 helicópteros ligeiros e quatro aviões anfíbios médios, bem como 27 helicópteros ligeiros, dois aviões anfíbios médios, quatro aviões anfíbios pesados, dois aviões de coordenação e um helicóptero ligeiro a afetar à Região Autónoma da Madeira.

Segundo o diploma, estes meios aéreos vão passar a integrar um dispositivo permanente, formado por meios aéreos próprios, e um dispositivo complementar, formado por meios aéreos locados e que estão afectos à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC). O encargo total, a maior fatia, perto de 26 milhões de euros, será afecta a 2018. Para 2019 a despesa ascende a 31,3 milhões e em 2020 será de 2,6 milhões de euros.

Meios aéreos são “ferramenta indispensável”

Sendo os meios aéreos uma ferramenta indispensável no combate aos incêndios florestais, prevê-se a contratação de um total de cinquenta meios aéreos, sendo disponibilizados durante todo o ano 10 helicópteros ligeiros e quatro aviões anfíbios médios”, avança a Resolução do Conselho de Ministros. Dá  ainda conta que o dispositivo previsto integra ainda 27 helicópteros ligeiros, dois aviões anfíbios médios, quatro aviões anfíbios pesados, dois aviões de coordenação e um helicóptero ligeiro a afetar à Região Autónoma da Madeira.

A experiência operacional recolhida ao longo dos últimos anos, segundo o Executivo, permitiu retirar ilações sobre o emprego de meios aéreos locados, “no sentido de reforçar o incremento de utilização de helicópteros ligeiros, em detrimento de helicópteros médios, bem como de reforçar os aviões pesados, de modo a cobrir a totalidade do território nacional”. Igualmente, explica o diploma,  mostram-se necessários meios aéreos de reconhecimento, avaliação e coordenação, com vista a obter maior eficiência e eficácia no combate aos incêndios florestais.

Para o Executivo, a contratualização plurianual tem-se revelado “ajustada a uma gestão flexível” dos meios aéreos e das horas de voo locadas, permitindo um” balanceamento” entre as necessidades determinadas pela conjuntura variável e a disponibilidade de meios. E ainda “um melhor planeamento da despesa e um melhor preço contratual que deverá conter duas componentes, um valor fixo e um valor variável”.

A componente fixa corresponde à disponibilidade permanente de cada aeronave, respetivos equipamentos, tripulação, manutenção e seguros obrigatórios. A componente variável resulta do número de horas de voo a realizar, só sendo pagas as horas efetivamente realizadas. Igualmente se assegura um alargamento do período diário de operação, tendente a permitir que os meios aéreos possam operar enquanto existe luz solar e não apenas 12 horas por dia.

Gestão centralizada na Força Aérea está em estudo

Segundo o diploma, “atendendo ao desígnio de confiar à Força Aérea a gestão centralizada dos meios aéreos de combate aos incêndios florestais, bem como aos contratos plurianuais que terminaram a sua execução entre 30 de setembro e 31 de outubro de 2017, importa, enquanto se procede ao estudo e planeamento da transferência de atribuições”. Objetivo: proceder ao lançamento de novo procedimento com vista a dotar o DECIF em 2018 e 2019 dos meios aéreos que integram o dispositivo complementar.

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/fogos-governo-autoriza-despesa-de-60-milhoes-para-aluguer-de-50-meios-aereos-246786
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Dezembro 19, 2017, 02:38:45 pm
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/24991582_1777986708930015_6483205175057250767_n.jpg?oh=d9e463853621fa870abd881e780b72e3&oe=5ACB0867)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/24862527_1777988265596526_4688497403278213682_n.jpg?oh=898e4fe339bc7c937ada1bb60677c1d2&oe=5AC2E5A2)
Entretanto o resultado dos incêndio continua a seguir caminho...

Pelo que ouvi dizer o negocio só é bom para alguma empresas do sector, grande parte do sector madeireiro está preocupado pois dizem que num futuro a médio prazo  (3/4 anos) não vão ter matéria prima por causa dos incêndios, pois grande parte das árvores que arderam seriam para ser cortadas daqui a 3/4 anos quando atingissem as dimensões necessárias. Eles até já tem uma estimativa da madeira que vão ter de importar para continuar a funcionar durante esse tempo.

Essas empresas do sector até estão a favor do estado controlar a venda da madeira ardida para que exista um registo para onde essa madeira vai e a que preços, pois o que acontece hj em dia é que os privados vendem a quem lhes aparece a comprar e não tem grandes hipóteses de discutir o preço.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Dezembro 19, 2017, 03:31:38 pm
Havia uma reportagem recente  de um telejornal sobre este esquema dos madeireiros e dos incêndios mas ainda não o encontrei...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 19, 2017, 03:40:44 pm
Havia uma reportagem recente  de um telejornal sobre este esquema dos madeireiros e dos incêndios mas ainda não o encontrei...

Não vi, mas sei que mesmo quando uma árvore está queimada o núcleo mantém-se bom, por isso para os madeireiros um incêndio é quase sempre uma boa nova...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: asalves em Dezembro 19, 2017, 04:53:17 pm
Havia uma reportagem recente  de um telejornal sobre este esquema dos madeireiros e dos incêndios mas ainda não o encontrei...

Não vi, mas sei que mesmo quando uma árvore está queimada o núcleo mantém-se bom, por isso para os madeireiros um incêndio é quase sempre uma boa nova...

Sim mas quando se fala em madeireiros depende do sector, pois o grosso dos nossos madeireiros são empresas de papel e transformação de madeira para construção ou mobília. e esses não lhes interessa terem árvores de diâmetro reduzido. As árvores que ardem e que são vendidas ao desbarato muitas vezes não dá para esses.

Segue um link sobre a falta de matéria prima com os incêndios.
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/ja-falta-materia-prima-a-industria-da-madeira-alerta-para-o-impacto-dos-incendios

Edit: para adicionar link
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Dezembro 22, 2017, 11:01:48 am
Importante ver e ouvir este testemunho impressionante. A começar por políticos a acabar em comentadores, passando por associações e afins. Quatro passagens:  "não atribuo culpas a ninguém", "...face à dimensão do fogo e sobretudo devido ao vento nada havia a fazer para combater aquilo...", "a minha esposa, depois de eu lhe ter ligado, ligou para o quartel de bombeiros e foi assim que souberam da nossa situação" e "levei 10 horas a ser evacuado para o Porto, por um helicóptero do INEM que veio de Loulé". Rápidas melhores para este grande bombeiro e espero que recupero totalmente e com as honras que lhe são devidas.

https://www.rtp.pt/programa/tv/p33871/e48 (https://www.rtp.pt/programa/tv/p33871/e48)

Citar
Rui Rosinha
Episódio 48 de 50 Duração: 50 min

Um testemunho de coragem e esperança. O bombeiro Rui Rosinha foi uma das vítimas do incêndio de Pedrógão: ficou rodeado pelas chamas e sobreviveu depois de 14 cirurgias. Porque não se pode esquecer, Rui Rosinha na Grande Entrevista com Vítor Gonçalves.
(https://cdn-images.rtp.pt/EPG/imagens/33871_47580_85846.png?amp;w=270)

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Dezembro 30, 2017, 12:34:52 pm
Programa Nacional de Fogo Controlado vai limpar 10 mil hectares florestais
(29 de Dezembro de 2017)
Citação de: Renascença
O Programa Nacional de Fogo Controlado (PNFC) arranca esta sexta-feira, com o objectivo de limpar 10 mil hectares de floresta em todo o país.

O secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas, explicou à Renascença que o plano consiste em queimadas controladas em áreas circunscritas.

«É a primeira medida que se concretiza no terreno da reforma florestal. O que pretendemos com este plano nacional é usar o fogo a favor da floresta: limpar os matos nas zonas críticas e devidamente escolhidas», afirma.

Miguel Freitas, que fala de «acção inovadora em Portugal», revela ainda que numa primeira fase esta prática vai começar a ser aplicada no Centro e Norte, para depois ser estendida todo o país.

[continua]
Fonte: http://rr.sapo.pt/noticia/101779/um-plano-nacional-inovador-usar-o-fogo-a-favor-da-floresta (http://rr.sapo.pt/noticia/101779/um-plano-nacional-inovador-usar-o-fogo-a-favor-da-floresta)

Fala em acção inovadora, mas ano passado pelos vistos já utilizaram esta técnica em 1500 hectares e agora querem fazer 10 mil.

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 01, 2018, 04:35:56 pm
Depois de um 2017 negro, espera-se que 2018 traga uma reforma na proteção civil


Uma reforma na proteção civil é esperada em 2018, devendo o novo modelo de organização e funcionamento estar finalizado até ao final de março, com a conclusão da nova lei orgânica da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Também nos primeiros meses deste ano devem ser conhecidas as conclusões do grupo de trabalho criado pelo Governo para estudar a transferência do controlo dos meios aéreos de combate a incêndios para a Força Aérea.

O grupo de trabalho, constituído por representantes dos ministérios da Defesa Nacional e da Administração Interna, deverá "definir o modelo" de "gestão centralizada daqueles meios pela Força Aérea, incluindo os que forem eventualmente adquiridos e os que sejam sazonal ou pontualmente necessários", bem como apresentar o modelo, o cronograma, os custos e as eventuais opções associadas.

No entanto, como este novo modelo não deve estar concluído este ano, o Governo já aprovou uma resolução que vai permitir contratar 50 meios aéreos de combate a incêndios florestais para 2018 e 2019, tendo já autorizado 60 milhões de euros para o concurso público internacional.

Em matéria de meios aéreos, há várias novidades previstas para 2018, como o aumento do número de aeronaves, passando de 41 para 50, e do número de horas de voo, bem como a disponibilidade de meios aéreos durante todo o ano para fazer face à imprevisibilidade meteorológica.

Também em 2018 vai começar a operar, pela primeira vez, na Madeira um helicóptero ligeiro de combate aos fogos.

Outra das novidades previstas é o fim das fases de combate a incêndios, estando o Ministério da Administração Interna a preparar uma nova diretiva operacional que acaba com esta divisão de meios disponíveis.

A reforma na proteção civil começou em novembro de 2017, com a nomeação do novo presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, general Mourato Nunes, que tem pela frente a missão de criar um novo modelo e apresentar, até ao final do primeiro trimestre de 2018, uma nova lei orgânica da ANPC.

Este novo modelo deve também articular a prevenção com o combate aos incêndios para que, até ao próximo verão, como afirmou o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, nada fique como dantes, referindo-se aos trágicos fogos de 2017.

Uma ligação estreita com os bombeiros voluntários, nomeadamente na aposta da sua profissionalização, e a criação de um novo modelo para a Escola Nacional de Bombeiros são outros desafios na nova fase de vida da ANPC.

Para 2018, está também previsto um aumento dos operacionais para aproximar a prevenção ao combate, tendo Eduardo Cabrita anunciado um reforço do número de elementos do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR, passando dos atuais 600 para 1.100, e dos guardas florestais, de 300 para 500.

Depois da entrada em funções, em dezembro, dos novos comandantes nacionais de operações de socorro, são também esperadas alterações nos comandos distritais de operações de socorro, tendo o presidente da ANPC já avançado que as mudanças vão ser “cirúrgicas”, feitas atempadamente e “sem choques”.

No final de 2018, a estrutura de missão nomeada pelo Governo para repensar o combate aos incêndios deverá ter preparada a instalação da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais.

Estas são algumas das medidas aprovadas pelo Governo depois do pior ano em incêndios florestais, em que mais de 100 pessoas morreram e 350 ficaram feridos, além dos milhares de euros em prejuízos.


>>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/depois-de-um-2017-negro-espera-se-que-2018-traga-uma-reforma-na-protecao-civil
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 03, 2018, 01:16:48 pm
Número de vítimas mortais dos grandes fogos de 2017 pode ainda subir

Um juiz do conselho de atribuição de indemnizações admite esta hipótese, depois de a Renascença ter noticiado que a Provedoria de Justiça trabalha com uma estimativa de 125 mortos nas tragédias.

Não será surpreendente que o número de mortos dos incêndios de 2017 seja superior ao oficialmente divulgado. A hipótese é admitida por Mário Mendes, que integrou o conselho para a atribuição de indemnizações.

O juiz conselheiro reage à notícia avançada pela Renascença de que a provedora de Justiça trabalha com uma estimativa de 125 mortos (directos e indirectos), um número superior aos 111 (directos e indirectos) já divulgados.

“Não me admira a existência de uma diferença entre os números que neste momento são dados pela Provedoria de Justiça e os números que antigamente eram tornados públicos, uma vez que os critérios da contabilização do número de mortos são da Autoridade Nacional de Protecção Civil e os que resultam dos nossos critérios são diferentes, porque têm as mortes indirectas”, começa por explicar.

Por mortes indirectas são entendidas aquelas que, “não resultando directamente dos incêndios, são determinadas por causas que têm a ver com os incêndios”, explica Mário Mendes.

“É o caso de uma pessoa que foge e é atropelada, uma pessoa que entra em contramão na auto-estrada por uma situação dessas e acaba por falecer, uma pessoa que tem uma doença respiratória e que, por intoxicação pelos fumos, acaba por falecer. Nós considerámos também essas situações”, destaca o juiz conselheiro.

A estimativa de 125 mortos não é o número final de mortos nos grandes incêndios do ano passado. Trata-se de uma estimativa de trabalho que está a ser usada no processo de atribuição de indemnizações às famílias das vítimas. Será necessário averiguar as circunstâncias das mortes, sobretudo das indirectas.

A provedora de Justiça abriu até agora 43 processos de indemnização aos familiares das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande e 15 de Outubro do ano passado. Estes processos correspondem a 81 pedidos apresentados.


>>>>>>  http://rr.sapo.pt/noticia/102054/numero-de-vitimas-mortais-dos-grandes-fogos-de-2017-pode-ainda-subir
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Janeiro 03, 2018, 02:33:28 pm
Pelo menos uma pessoa morreu atropelada quando tentava fugir das chamas, mas como morreu atropelada já não morreu do fogo, para o governo já não conta... Mais os feridos graves que acabaram por morrer nos hospitais...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Janeiro 12, 2018, 11:47:14 am
https://www.helis.com/database/news/s-64e-korea (https://www.helis.com/database/news/s-64e-korea)

Citar
Erickson contracted to build two additional S-64E Aircranes for the Korea Forest Service

South Korea Forest Service ordered 2 more S-64E in addition the one ordered last year. Fitted with glass cockpit, composite main rotor blades and NVG capability are starting to be delivered in Q3 2018

Erickson, January 10, 2018 - PORTLAND, Ore. — Erickson Incorporated, a leading aerospace manufacturer and aerial services company, has been contracted by the Korea Forest Service to build two new Aircranes to supplement the Forest Service’s firefighting capability.

These aircraft are in addition to a previously ordered S64E Aircrane currently under construction at Erickson and due to be delivered in Q3 2018.

The Forest Aviation Headquarters, a subsidiary of the Korea Forest Service, has ordered two additional S-64E models equipped with firefighting tanks, sea snorkels, foam cannons, glass cockpit, composite main rotor blades and NVG capability.

The S-64 Aircrane is well-known in Korea and has a strong reputation for being the most efficient firefighting aircraft in their existing fleet.

Douglas Kitani, CEO and Director of Erickson said, “This was a global competition, and we were competing with manufacturers from around the world. We are pleased to bring the work and jobs to our Southern Oregon facility and apply Erickson’s unique skillset to augment Korea’s firefighting capabilities.”

KFS was the first foreign government that purchased S-64s from Erickson in 2001, and to date it has operated five Aircranes in Korea while maintaining a contract for parts and service support. This new contract brings the total number of orders for the KFS Aircrane fleet to eight, with the expectation of delivering the seventh and eighth aircraft by the end of 2019. The contract award decision was based on the superior performance and reliability of the Aircrane, Erickson’s attention to customer support, and the relationship of trust that has been built with the Korean Forest Service over the past 20 years.

Erickson owns the world’s largest operational S-64 Aircrane fleet of 20 helicopters as part of their total fleet of 50 aircraft. The Aircrane Helitanker is recognized throughout the industry as one of the most efficient and effective fire-fighting aircraft in the world. The S-64 Helitanker is equipped with a 10,000 liter (2,650 gallons) tank capable of rapid snorkeling either fresh or salt water that helps provide an outstanding capability for fire authorities in both the initial attack of fast moving fires and advanced structure protection. It has internal foam mixing capabilities and provides water or retardant dispensation utilizing eight coverage levels. The aircraft can be configured with a water cannon for high rise and structure protection.

As populations and development expand, aerial firefighting over residential properties and structures becomes a more crucial part of the equation. Erickson’s S-64 excels at supporting ground firefighters in the Wildland Urban Interface (WUI), as well as high volume firebombing on large fires.

About Erickson: Erickson is a leading global provider of aviation services and operates, maintains and manufactures utility aircraft to safely transport and place people and cargo around the world. The Company is self-reliant, multifaceted and operates in remote locations under challenging conditions specializing in Defense and National Security, Manufacturing and MRO, and Commercial Aviation Services (comprised of firefighting, HVAC, transmission line, construction, timber harvesting, oil and gas and specialty lift). With roots dating back to 1960, Erickson operates a fleet of more than 50 aircraft, is headquartered in Portland, Oregon, USA, and operates in North America, South America, Europe, the Middle East, Africa, Asia Pacific, and Australia.


This article is listed in :
Sikorsky s-64 CH-54 in KRSallim-cheong
Sikorsky s-64 CH-54 in USErickson
See also Erickson to Build S-64E for Korea Forest Service

(https://i.pinimg.com/originals/e7/59/bf/e759bfeefacf120dfbfc390cba2aaaf6.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Janeiro 16, 2018, 09:42:25 am
"É um erro" copiar Unidade Militar de Emergência espanhola

https://www.dn.pt/portugal/interior/e-um-erro-copiar-unidade-militar-de-emergencia-espanhola-9046465.html
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Janeiro 18, 2018, 10:13:00 pm
Não tem a ver com militares mas o titulo está espectacular

Governo vai criar "cabras sapadoras" para prevenção de incêndios
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/governo-vai-criar-cabras-sapadoras-na-prevencao-de-incendios?utm_campaign=cruzados&utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_content=CM
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Janeiro 19, 2018, 06:55:31 pm
Não tem a ver com militares mas o titulo está espectacular

Governo vai criar "cabras sapadoras" para prevenção de incêndios
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/governo-vai-criar-cabras-sapadoras-na-prevencao-de-incendios?utm_campaign=cruzados&utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_content=CM

Estes iluminados produzem tantas candelas que me cegam. 8) :o
Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Janeiro 20, 2018, 03:43:44 pm
http://www.cm-proencanova.pt/Municipio/Destaque/mapas-com-areas-a-limpar-em-cada-aldeia-disponiveis-na-pagina-do-municipio/3598 (http://www.cm-proencanova.pt/Municipio/Destaque/mapas-com-areas-a-limpar-em-cada-aldeia-disponiveis-na-pagina-do-municipio/3598)
Citar
Mapas com áreas a limpar em cada aldeia disponíveis na página do Município

Até 15 de março, os proprietários de terrenos que confinam com habitações ou aglomerados populacionais têm de fazer a gestão de combustível numa faixa de 50 metros se for habitação isolada ou 100 metros se for aglomerado populacional. O Gabinete de Proteção Civil e Florestas do Município de Proença-a-Nova divulga na página www.cm-proencanova.pt os mapas das localidades do concelho para facilitar a identificação dos terrenos que têm de ser limpos. Além dos 100 metros do aglomerado populacional (identificado a azul), tem também a faixa dos 50 metros (a vermelho) para edificações isoladas e, quando se verifique, os 100 metros em redor dos polígonos industriais.

O Orçamento de Estado para 2018 alterou as datas em que esta gestão de combustível tem de ser feita, pelo que o prazo de 30 de abril foi antecipado para 15 de março, tal como as coimas associadas ao incumprimento: são agora de 280€ a 10.000€ no caso de pessoas singulares e de 1.600€ a 12.000€ no caso de pessoas coletivas. As ações de divulgação realizadas pelo Município em janeiro já deram nota destas alterações na legislação. “O povo diz, e bem, que casa roubada trancas à porta e é o que está a acontecer agora. O Governo encurtou o prazo para 15 de março e isto acontece como força de pressão junto dos cidadãos para haver uma ação prática no território. Essa consciência temos que a ter todos, individualmente, porque somos proprietários e a segurança dos aglomerados populacionais depende de se fazer agora a gestão de combustível”, reforçou o presidente da Câmara Municipal, João Lobo, na ação de sensibilização realizada esta quarta-feira, 11 de janeiro, nos Montes da Senhora.

“Há gente que já não tem força física para fazer a limpeza dos terrenos, há gente que não terá condição financeira e há outros que têm recursos financeiros e força física e não o querem o fazer. Vamos ter que arranjar soluções diferenciadas”, referiu dando o exemplo da Associação de Regantes da Amoreira que, através de quotizações, contratou a limpeza total da aldeia na faixa de proteção antes do incêndio de 2016, e também do Vergão em que vão promover ações em que os habitantes realizarão essa limpeza, mesmo depois do incêndio de 9 de setembro ter passado por parte da aldeia.

Os proprietários confinantes com as estradas regionais ER233 e ER351, com as estradas municipais EM241, EM529-2, EM536, EM544 e EM545-1, e com os caminhos municipais CM1216, CM1334 e CM1338 têm até 28 de fevereiro para fazer a gestão de combustível numa faixa de 10 metros. A partir desta data, a autarquia tem competência para se substituir aos proprietários em incumprimento. “Vamos lançar o concurso público para este e outros sectores este ano porque, como é natural, se andamos a fazer este esforço para mobilizar a população também temos nós que dar o exemplo naquela que é a competência da Câmara”, afirmou João Lobo.

Desde dezembro que já foram realizadas 27 ações de sensibilização sobre incêndios florestais, defesa de pessoas e bens e registo predial com georreferenciação, tendo participado 850 pessoas. Até ao final do mês serão ainda realizadas novas sessões, numa iniciativa conjunta do Município, Juntas e Uniões de Freguesia, GNR – SEPNA e Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova: dia 21 de janeiro em Murteirinha (16h30) e Palhota (18h30) e dia 24 de janeiro em Vale de Água (18h30).

2018-01-11

(http://www.cm-proencanova.pt/Portal/_image.aspx/DGsXt8ufKXqt7p7DuAX1Jm4V2ji8RS4=/Mapas-Gestao-Combustivel)

Saudações
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Janeiro 22, 2018, 08:02:30 pm
Não pode ser... Quem diria?! [/sarcasmo]

PJ confirma mão criminosa no Pinhal de Leiria
(22 de Janeiro de 2018)
Citação de: Lusa, Público
Os dois incêndios que a 15 de Outubro de 2017 devastaram 86% do Pinhal de Leiria tiveram «mão criminosa», disse fonte da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria, adiantando que a investigação ainda não terminou.

Em declarações à Lusa, a fonte da PJ de Leiria não adiantou detalhes sobre o método usado para atear os incêndios que destruíram a grande maioria daquela mancha florestal, frisando que a investigação se mantém e que o inquérito “ainda não terminou”.

No sábado, o jornal Expresso afirmava que num dos incêndios do pinhal de Leiria «foi usado um engenho artesanal para atear o fogo», embora os investigadores não tenham ainda conseguido identificar os autores.

[continua]
Fonte: https://www.publico.pt/2018/01/22/sociedade/noticia/pj-confirma-mao-criminosa-no-pinhal-de-leiria-1800308 (https://www.publico.pt/2018/01/22/sociedade/noticia/pj-confirma-mao-criminosa-no-pinhal-de-leiria-1800308)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Menacho em Janeiro 23, 2018, 11:49:24 am
(https://scontent.fmad3-5.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/26232208_1238677546267291_4223942528390326675_o.jpg?oh=679b5efd1fb6567240d71757890a8ba4&oe=5B262028)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: mafets em Janeiro 28, 2018, 02:48:38 pm
https://www.facebook.com/scalgarve/?hc_ref=ARS8SRZVpO8PPegshWa-f0K0CkOTrQTnBiopW4tsTl04t7MOq6aohMedfOIrK99u-HY&pnref=story (https://www.facebook.com/scalgarve/?hc_ref=ARS8SRZVpO8PPegshWa-f0K0CkOTrQTnBiopW4tsTl04t7MOq6aohMedfOIrK99u-HY&pnref=story)
Citar
FOREST FIRES - CLEANING OF LAND IN 2018 - PLEASE SHARE

If you live in a rural area it is mandatory to clean your land to reduce the risk of forest fires. This MUST be completed by 15th March 2018.

For most properties it means that the area to be cleaned must be 50 metres from exterior masonry of the building.

Failure to do so can mean that you will be fined, which have for this year has been doubled.

Full details of the law concerning the land cleaning requirements, together with the fines for non-compliance can be downloaded in English here.

PLEASE DO NOT LEAVE IT TOO LATE - DO IT NOW

http://www.safecommunitiesportugal.com/…/Protecting-your-ho…
(https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/26904655_1554836171296635_4462797719391718576_n.jpg?oh=db83073acca88200fad5c71af0b54151&oe=5B1C612F)

Cumprimentos
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 28, 2018, 07:37:45 pm
Voluntários plantam mil sobreiros no pinhal de Leiria


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 01, 2018, 02:35:37 pm
Associação diz que Portugal devia ter 800 vigilantes da natureza mas tem um terço


"Os vigilantes da natureza deviam ser muito mais e não este número irrisório. Em Portugal são 241, no total, nos Açores, Madeira, ICNF [Instituto de Conservação da Natureza e Florestas], APA [Agência Portuguesa do Ambiente], CCDR [Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, enquanto um parque qualquer em Espanha tem mais de 200 elementos", afirmou Francisco Correia.

Questionado acerca do número ideal de vigilantes da natureza, o presidente da Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza respondeu que "seria cerca de 600, pelo menos, no continente, mais 100 nos Açores, mais 100 na Madeira, [totalizando] uns 800 no país".

A falta de profissionais e de meios, assim como a formação são temas em debate no XXI Encontro Nacional de Vigilantes da Natureza e nas XV Jornadas Técnicas que se iniciam hoje, ao final do dia, e decorrem até domingo, em Cascais, distrito de Lisboa, com a sessão de sexta-feira a marcar o Dia Nacional do Vigilante da Natureza.

Os organizadores esperam que estas iniciativas contribuam para a análise dos problemas destes profissionais e consigam alertar para a urgência de os resolver.

Vão contar com a participação de representantes de oito países da Europa, além da International Ranger Federation, que reúne todas as associações de vigilantes da natureza do mundo, e da European Ranger Federation (federação europeia dos vigilantes da natureza).

"Um dos problemas mais graves é o número de efetivos que é muito diminuto comparado com os outros países e com as outras forças de fiscalização em Portugal", resume Francisco Correia, acrescentando que "a formação é escassa e os meios ao dispor para cumprir as missões são poucos".

O representante destes profissionais apontou que, "quando se fala de novos vigilantes da natureza é sempre duas dezenas ou duas dezenas e meia de 10 em 10 anos, enquanto para as outras forças de fiscalização é às centenas todos os anos".

Para Francisco Correia esta situação reflete "uma falta de aposta dos governos na conservação da natureza e depois vê-se o que acontece, por exemplo, no rio Tejo, com a poluição, porque não há fiscalização como devia nem há meios para pôr em prática a fiscalização eficaz".

Além da ação relacionada com florestas, nomeadamente na prevenção de incêndios, muito falada nos últimos meses, devido aos grandes fogos de junho e outubro de 2017, os vigilantes da natureza têm outras tarefas, como a recolha de animais feridos e a fiscalização da natureza.

A associação volta a referir, em comunicado, que "muitos dos incêndios que deflagraram durante o ano de 2017 e que resultaram numa enorme tragédia humana e ambiental poderiam ter sido evitados se existisse um número suficiente de vigilantes da natureza no terreno".

Em meados de janeiro, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, disse que o Governo espera duplicar o número de vigilantes da natureza durante a atual legislatura, com um novo concurso ainda este ano para a contratação de mais 25 e a intenção de, em 2019, contratar mais 25.

Portugal continental tem um parque nacional (Peneda-Gerês), 13 parques naturais e nove reservas naturais, de âmbito nacional.

 
>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/associacao-diz-que-portugal-devia-ter-800-vigilantes-da-natureza-mas-tem-um-terco
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Get_It em Fevereiro 08, 2018, 11:11:18 pm
E pronto, a UE já vai resolver um dos problemas por nós.

Novo mecanismo de protecção civil arranca antes do Verão
(8 de Fevereiro de 2018)
Citação de: Maria Lopes / Público
É bem possível que a União Europeia tenha operacional, ainda antes do Verão, um novo mecanismo europeu de protecção civil que ficará sedeado em Bruxelas e que se destina a lidar com desastres naturais, catástrofes e terrorismo. A intenção é ter uma equipa própria de recursos humanos diversificada e especializada que inclui equipas médicas de emergência, assim como uma larga lista de equipamento na qual se incluem aeronaves, bombagem para lidar com inundações, materiais de busca e salvamento em meio urbano e hospitais de campanha, descreveu ao PÚBLICO a eurodeputada socialista Liliana Rodrigues.

O rescUE, que está a ser discutido ainda no âmbito da Comissão de Desenvolvimento Regional (e que tem ainda um longo caminho legislativo a percorrer), teria um orçamento entre os 250 e os 280 milhões de euros anuais. A ideia é complementar o actual mecanismo europeu de protecção civil, que se manteria, e que tem uma natureza voluntária – o que também levanta dificuldades, por exemplo, no Verão, quando vários países estão afectados por incêndios e não conseguem disponibilizar meios para outros. Já o rescUE passaria a ser um instrumento europeu formal, com uma estrutura permanente, que serviria como primeiro ponto de emergência para os Estados-membros.

A intenção é «aumentar a capacidade de resposta da União Europeia em situações de emergência» e também contribuir para o reforço das equipas de protecção civil dos Estados-membros, já que se pretende criar financiamentos de 75% para a formação das estruturas nacionais.

[continua]
Fonte: https://www.publico.pt/2018/02/08/politica/noticia/bruxelas-quer-novo-mecanismo-europeu-de-proteccao-civil-antes-do-verao-1802418 (https://www.publico.pt/2018/02/08/politica/noticia/bruxelas-quer-novo-mecanismo-europeu-de-proteccao-civil-antes-do-verao-1802418)

Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 15, 2018, 03:23:48 pm
Bruxelas promete 50 milhões de euros para a reconstrução após os incêndios


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 20, 2018, 07:15:48 pm
Figueira da Foz desenvolve aplicação informática para gerir limpeza florestal


A autarquia da Figueira da Foz, distrito de Coimbra, desenvolveu uma aplicação informática, que garante ser única no país, para gerir as ações de limpeza de terrenos florestais e faixas de proteção das habitações, disse fonte camarária.

A aplicação, desenvolvida com meios próprios do município com base num sistema de informação geográfica (SIG), que possibilita a georreferenciação de espaços, tem duas versões (umas das quais disponível ao público) e define zonas de intervenção prioritárias, nomeadamente em redor de aldeias e lugares ou relacionadas com habitações isoladas em áreas florestais.

"Ao que sei, somos pioneiros neste tipo de iniciativa", disse à agência Lusa Miguel Pereira, vereador com o pelouro do Gabinete Técnico Florestal da Figueira da Foz.

De acordo com o autarca, a versão pública do sistema, disponível através da página internet do município, permite que qualquer cidadão possa identificar num mapa interativo a sua propriedade - fazendo a pesquisa por freguesia, povoação e rua - e verificar a necessidade de criar faixas de gestão de combustíveis para proteção das habitações e espaços florestais.

Segundo Miguel Pereira, a outra versão do sistema é reservada e apenas acessível, via ‘smartphone' ou ‘tablet', através da georreferenciação, a elementos do Serviço Municipal de Proteção Civil e Gabinete Técnico Florestal, mas também a agentes da PSP e da GNR, 40 dos quais receberam formação para operarem o sistema.

"Permite chegar a um local, tirar uma fotografia e o sistema diz se o terreno está limpo, com a cor verde. Se a cor for amarela, está em processamento e se for vermelha é porque nada ainda foi feito", explicou o vereador.

Para desenvolver a aplicação informática, a autarquia referenciou cerca de 6.500 hectares de zonas de intervenção - cerca de um sexto da área total do concelho, que tem 38 mil hectares - das quais aproximadamente 10% (600 hectares) estão identificadas como pontos críticos e cerca de 150 hectares como de risco máximo.

Na segunda-feira, durante a reunião da autarquia, Miguel Pereira realçou que as sessões promovidas pelo município nas freguesias para divulgar as ações de limpeza florestal e gestão de faixas de combustíveis "estão a decorrer com muita adesão por parte das populações".

"Seremos o concelho que tem mais avançadas as ações de sensibilização, segundo nos foi dito pela GNR Territorial de Coimbra. Temos tido sempre 150 a 200 pessoas [nas sessões], aos dias de semana, fins de semana, domingos depois da missa e aos sábados depois do baile, quase", ilustrou Miguel Pereira.

A aplicação informática desenvolvida pela autarquia da Figueira da Foz é apresentada publicamente na quarta-feira, às 10:30, nos Paços do Concelho.


>>>>>>>>   http://24.sapo.pt/tecnologia/artigos/incendios-figueira-da-foz-desenvolve-aplicacao-informatica-para-gerir-limpeza-florestal
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Fevereiro 21, 2018, 10:44:41 am
Parece que a organização do GIPS vai mudar, vão passar a fazer ataque inicial em todos os distritos do país em vez dos actuais 11, e vão criar companhias de ataque ampliado.
Será que isto vai alterar alguma coisa na FEB?

https://www.tsf.pt/sociedade/interior/gnr-vai-passar-a-combater-incendios-em-todo-o-pais-9129353.html?utm_source=tsf.pt&utm_medium=recomendadas&utm_campaign=afterArticle&_ga=2.178483940.179330065.1519209271-496906799.1519209271
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 21, 2018, 01:37:05 pm
Populações vão receber alertas de incêndios


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 22, 2018, 04:00:34 pm
Câmaras vão poder decidir que tipo de floresta querem no seu concelho


As câmaras municipais vão ter "uma palavra a dizer" sobre as zonas florestal e agrícola que querem nos seus concelhos, revelou hoje, em Évora, o secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel.

Segundo o governante, esta capacidade jurídica vai resultar da transposição das normas dos planos de ordenamento florestal, cujos processos de consulta pública deverão ficar concluídos em julho, para os planos diretores municipais (PDM).

"Será um caminho de ordenamento e de justiça, porque, a partir desse momento, as autarquias e as populações têm uma palavra a dizer naquilo que serão as suas manchas florestais e/ou agrícolas", frisou.

O secretário de Estado falava aos jornalistas no final de uma reunião com autarcas do Alentejo sobre a prevenção de incêndios florestais e ações nas áreas de risco, que decorreu na Universidade de Évora.

Carlos Miguel referiu que, atualmente, os municípios "têm a capacidade jurídica de limitar a propriedade e podem dizer onde é que se constrói e onde é que não se constrói", lamentando que para o que não é urbano "não tenham qualquer poder de ordenamento".

"No futuro, esperamos que as autarquias tenham palavra desde a plantação da árvore até à limpeza da mata e, com isso, teremos olhares mais atentos e também um envolvimento maior das populações sobre a floresta nacional", realçou.

Numa sessão em que também participou o secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, o responsável pela pasta das autarquias locais admitiu que a limpeza da floresta "vai ter um custo" para as câmaras municipais.

"Se há situações em que os municípios vão ser ressarcidos [pelos privados], vai haver situações em que é muito difícil o ressarciamento. Por isso, terá a despesa de limpar e não terá onde ir buscar a verba correspondente a essa limpeza", reconheceu.

Carlos Miguel lembrou que o Governo vai disponibilizar uma linha de crédito de 50 milhões de euros "em condições que serão vantajosas" para os municípios, indicando que a medida deverá ser apreciada e votado no Conselho de Ministros da próxima semana.

O governante disse compreender "os autarcas que querem antecipar-se e avançar já com as limpezas" das florestas, antes de os privados as fazerem, mas alertou que essa postura "não é a melhor pedagogia para o futuro".

"Um privado que tenha um terreno e que está a pensar fazer a limpeza, mas que chega ao seu terreno e já viu que a câmara o limpou sem sequer ter pedido pensará no próximo ano que não vale a pena preocupar-se com a limpeza, porque a câmara municipal vai lá", advertiu.

"A responsabilidade da limpeza da floresta e das áreas de proteção é dos proprietários", sublinhou.


>>>>>>>>> http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/incendios-camaras-vao-poder-decidir-que-tipo-de-floresta-querem-no-seu-concelho
 

Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Fevereiro 22, 2018, 05:05:59 pm
Sempre a empurrar as responsabilidades para o próximo. 'Tá bonito, 'tá...
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Fevereiro 22, 2018, 05:37:42 pm
Câmaras vão poder decidir que tipo de floresta querem no seu concelho


As câmaras municipais vão ter "uma palavra a dizer" sobre as zonas florestal e agrícola que querem nos seus concelhos, revelou hoje, em Évora, o secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel.

Segundo o governante, esta capacidade jurídica vai resultar da transposição das normas dos planos de ordenamento florestal, cujos processos de consulta pública deverão ficar concluídos em julho, para os planos diretores municipais (PDM).

"Será um caminho de ordenamento e de justiça, porque, a partir desse momento, as autarquias e as populações têm uma palavra a dizer naquilo que serão as suas manchas florestais e/ou agrícolas", frisou.

O secretário de Estado falava aos jornalistas no final de uma reunião com autarcas do Alentejo sobre a prevenção de incêndios florestais e ações nas áreas de risco, que decorreu na Universidade de Évora.

Carlos Miguel referiu que, atualmente, os municípios "têm a capacidade jurídica de limitar a propriedade e podem dizer onde é que se constrói e onde é que não se constrói", lamentando que para o que não é urbano "não tenham qualquer poder de ordenamento".

"No futuro, esperamos que as autarquias tenham palavra desde a plantação da árvore até à limpeza da mata e, com isso, teremos olhares mais atentos e também um envolvimento maior das populações sobre a floresta nacional", realçou.

Numa sessão em que também participou o secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, o responsável pela pasta das autarquias locais admitiu que a limpeza da floresta "vai ter um custo" para as câmaras municipais.

"Se há situações em que os municípios vão ser ressarcidos [pelos privados], vai haver situações em que é muito difícil o ressarciamento. Por isso, terá a despesa de limpar e não terá onde ir buscar a verba correspondente a essa limpeza", reconheceu.

Carlos Miguel lembrou que o Governo vai disponibilizar uma linha de crédito de 50 milhões de euros "em condições que serão vantajosas" para os municípios, indicando que a medida deverá ser apreciada e votado no Conselho de Ministros da próxima semana.

O governante disse compreender "os autarcas que querem antecipar-se e avançar já com as limpezas" das florestas, antes de os privados as fazerem, mas alertou que essa postura "não é a melhor pedagogia para o futuro".

"Um privado que tenha um terreno e que está a pensar fazer a limpeza, mas que chega ao seu terreno e já viu que a câmara o limpou sem sequer ter pedido pensará no próximo ano que não vale a pena preocupar-se com a limpeza, porque a câmara municipal vai lá", advertiu.

"A responsabilidade da limpeza da floresta e das áreas de proteção é dos proprietários", sublinhou.


>>>>>>>>> http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/incendios-camaras-vao-poder-decidir-que-tipo-de-floresta-querem-no-seu-concelho

Sempre a empurrar as responsabilidades para o próximo. 'Tá bonito, 'tá...

Mas também não vejo outra solução sem ser resolver a organização da floresta a nível municipal e de freguesia.

Separar zonas de habitação, de zonas agrícolas, das de produção florestal (monoculturas de pinhal e eucaliptal) e das de reserva ecológica (estas sim com o mérito de ser chamadas de florestas).
Casas e casinhas envoltas em eucaliptal que tomou o lugar de terrenos férteis e que antes eram floresta, destruída por sua vez para uso agrícola.

 
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Fevereiro 22, 2018, 11:54:59 pm
Eu estou mais a ver as autarquias a receberem umas 'dádivas' para autorizar a plantação de eucaliptos e depois quando vierem os incêndios o governo limpa (mais uma vez) as mãos. Mas eu sou um gajo pessimista.  ;D
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Fevereiro 23, 2018, 10:44:22 am
Tens razão... É que nem outra coisa seria de esperar...  :-\
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: NVF em Fevereiro 23, 2018, 03:53:11 pm
Atenção que, como princípio, nada tenho contra a descentralização de competências nos municípios, quer na questão florestal quer noutras. Mas, especificamente, em questões de segurança — e quer os FF, como a protecção civil em geral, são questões de segurança nacional — tem que haver um coordenação muito forte por parte do governo central. O país é demasiado pequeno para tantas quintinhas.

Se estivesse à frente desta m***a criava uma corpo nacional de sapadores bombeiros, à semelhança de França e outros países europeus. Acabava-se assim com muita 'mama' e corrupção e passávamos a ter organizações profissionais em todos os níveis da segurança interna. Porque razão temos um SNS, um INEM, PSP, GNR e outros corpos e serviços de PC, todos com abrangência nacional, mas os bombeiros tem que estar repartidos em mais de 300 capelinhas? E não me venham com a treta da tradição  — a desculpa da tradição não pode servir para tudo. Não quero com isto dizer que o voluntariado deixasse de existir por completo; se algumas associações tivessem capacidade para sobreviver melhor para elas, mas serviriam exclusivamente como forças de reserva, chamadas só em situações de maior gravidade.

Just my two cents.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 28, 2018, 06:00:12 pm
É "incompreensível" que ligações de comunicações "não estejam totalmente retomadas", diz Anacom


O presidente da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) classificou hoje de "incompreensível" o facto de as ligações de telecomunicações não estarem totalmente retomadas nas zonas afetadas pelos incêndios do ano passado, salientando que esta é uma matéria "prioritária".

"É incompreensível que as ligações não estejam totalmente retomadas" nas zonas afetadas pelos incêndios, mesmo tendo em conta o tempo necessário para o fazer, afirmou João Cadete de Matos, quando questionado pelos jornalistas sobre o tema durante uma conferência de imprensa, em Lisboa.

Esta é uma situação "que consideramos prioritária, temos pedido total urgência aos operadores nessa reposição das ligações", sublinhou o presidente do regulador das telecomunicações, que afirmou por várias vezes que a Anacom está a acompanhar o que se passa no terreno.

Além disso, "estamos a procurar identificar as situações em que possam ter havido de práticas comerciais entre os operadores que não respeitem as regras ou de práticas comerciais desleais com os consumidores e em qualquer uma das destas situações é um processo que está em curso. Se a Anacom concluir, obviamente, que houve infrações ou práticas comerciais desleais não deixará de aplicar coimas ou de ter as intervenções que considere necessárias para corrigir estas situações", garantiu.

"É, de facto, uma situação que nos preocupa e que tem merecido toda a prioridade das várias direções" do regulador, sublinhou.

Para o João Cadete de Matos, é uma "prioridade que todos os portugueses que foram afetados pelos incêndios tenham repostas às suas ligações como tinham anteriormente e nas condições que tinham, se esse for o seu desejo", prosseguiu.

"O que não é aceitável é que passado vários meses essas ligações não estejam repostas" e "é incompreensível que possam haver novos incidentes por ausência de comunicações, ninguém entenderia que em 2018 este problema não merecesse prioridade total da parte de todos", adiantou.

João Cadete de Matos explicou que a Anacom está a monitorizar as zonas afetadas pelos incêndios e que todos os operadores têm de fazer um reporte das localidades que estão sem acesso a comunicações e estão também obrigados a informar o regulador quando essa reposição é realizada.

Disse que no final de janeiro a Altice Portugal comunicou que tinha "sido completada a reposição integral da rede das comunicações", mas acontece que posteriormente ficou esclarecido que a cobertura era de 99,5% e não de 100%.

"Significa que há aqui uma pequena franja de reposição de ligações que não terá ainda sido concluída", afirmou.

Cadete de Matos disse ainda que perante queixas de alguns clientes das zonas afetadas de que não lhes estaria a ser possibilitada a reposição da ligação de telefone fixo como tinham anteriormente, a Anacom deslocou-se aos locais, salientando estar em contacto permanente com os presidentes das juntas de freguesia.

"Relativamente à questão da reposição dos contratos de telefone fixo recebemos já esta semana a garantia da Altice de que estava assegurada essa reposição", adiantou.

Sobre o grupo de trabalho criado na sequência dos incêndios, o presidente da Anacom disse que este tem estado a funcionar para que a população portuguesa possa receber avisos sobre este tipo de catástrofes.

"Estamos convictos de que obviamente vai depender da capacidade técnica dos operadores de telecomunicações que esses avisos possam acontecer, como é desejo do Governo. Foi isso que foi solicitado à Anacom, que colaborasse no projeto de forma a tornar possível fazer esses avisos à população antes do verão, significa que dispomos de poucos meses para concretizar esse projeto", adiantou.

O presidente da Anacom disse ainda que já tiveram lugar reuniões de trabalho a nível técnico "para encontrar as soluções que tornem possível" que os avisos sejam implementados "a mais breve trecho".


>>>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/incendios-e-incompreensivel-que-ligacoes-de-comunicacoes-nao-estejam-totalmente-retomadas-diz-anacom
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 01, 2018, 02:23:08 pm
Monumento na Marinha Grande vai perpetuar incêndio que destruiu Pinhal de Leiria


A Marinha Grande vai ter um monumento para perpetuar o incêndio que em 2017 destruiu grande parte do Pinhal de Leiria, disse hoje à agência Lusa o escultor Fernando Crespo, que está a desenvolver o trabalho.

“A peça, com 12 metros de altura, cerca de quatro andares, pretende que seja avassaladora tal como avassaladora foi a desgraça. Pretendia que a dimensão fosse tão perturbante para o espetador como a tragédia foi para a população”, afirmou Fernando Crespo, natural de Vieira de Leiria, no concelho da Marinha Grande.

O artista plástico, que desde criança se habituou “a contemplar aquela imensidão florestal”, confessou que o incêndio de 15 de outubro de 2017 foi “um bocado traumático”, tendo-lhe ocorrido na ocasião “criar qualquer coisa que simbolizasse aquela desolação”.

“Não conseguia ficar indiferente”, declarou, referindo que “propôs à Câmara o trabalho depois de a presidente do município [Cidália Ferreira] ter anunciado a vontade de fazer um memorial alusivo à tragédia”.

A escultura, em aço pintado, contempla dois cenários, sendo que “na primeira moldura gigante surgem silhuetas carbonizadas numa posição invertida, percebendo-se que são elementos vegetais”, explicou Fernando Crespo.

“Na base terá um triângulo, que é o ponto de ignição e vai estar permanentemente iluminado como se fosse uma brasa incandescente”, declarou, concretizando que o objetivo é que simbolize “o ponto de partida destas tragédias, que é minúsculo, mas tem esta dimensão destruidora”.

Uma outra moldura, do mesmo tamanho, “apresenta-se vazia e inclinada, totalmente carbonizada, numa situação de expectativa em relação ao futuro”, adiantou, satisfeito por ter sido manifestado “entusiasmo pela peça, sobretudo pela sua dimensão dramática”.

“A peça vai ter no topo a inscrição ‘in memoriam’ e na parte inferior Marinha Grande e a data do incêndio”, adiantou, esclarecendo que a escultura deverá ficar instalada numa rotunda próxima das Finanças.

A residir em Coimbra, Fernando Crespo tem trabalhos de arte pública um pouco por todo o país e também no estrangeiro, sendo um dos seus últimos trabalhos um coração gigante, instalado junto ao Santuário de Fátima e inaugurado por ocasião do centenário dos acontecimentos na Cova da Iria.

A Lusa contactou a Câmara Municipal da Marinha Grande sobre este projeto, mas não obteve resposta.

A Mata Nacional de Leiria, também conhecida por Pinhal de Leiria e Pinhal do Rei, é propriedade do Estado. Tem 11.062 hectares e ocupa dois terços do concelho da Marinha Grande. A principal espécie é o pinheiro bravo.

O incêndio de 15 de outubro de 2017 destruiu cerca de 80 por cento da mata.


>>>>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/monumento-na-marinha-grande-vai-perpetuar-incendio-que-destruiu-pinhal-de-leiria
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: HSMW em Março 02, 2018, 09:16:05 pm
Já circula petição para suspender a decisão apressada e à tuga da "limpeza das matas".

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT88475

3. À revisão da iniciativa legislativa em termos que permitam salvaguardar, pelo menos, os arbustos, árvores e arvoredos que:
a) formem parte de cursos de água (galerias ripícolas);
b) formem parte de corredores ecológicos;
c) pertençam ao género Quercus, ou a outras espécies de folhosas autóctones;
d) pelo seu porte, enquadramento ou história, revistam particular valor estético, paisagístico ou patrimonial;
e) formem parte de sebes ou delimitações de terrenos;
f) constituam pomares, olivais, soutos, nogais ou amedoais;
g) pertençam a parques, jardins ou alamedas.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 13, 2018, 07:15:40 pm
Quatro mil voluntários plantam 70 mil pinheiros no Pinhal de Leiria


Mais de quatro mil voluntários de todo o país vão plantar 70 mil pinheiros no Pinhal de Leiria no sábado e formar a bandeira nacional com chapéus-de-chuva.

A seis dias do evento ‘O Pinhal é a Nossa Bandeira’, que decorre no sábado, estavam já inscritos quase 4.500 voluntários de todo o país, que irão plantar os 70 mil pinheiros oferecidos por diversas empresas e entidades, afirmou à agência Lusa um dos elementos da organização, Alexandra Serôdio.

"A nossa expectativa é a de que o número seja maior, tendo em conta o enorme interesse que as pessoas têm manifestado, sobretudo desde o passado fim de semana. No entanto, o número de participantes vai depender das condições climatéricas e não sabemos como vai estar o tempo", salientou Alexandra Serôdio.

A plantação que irá decorrer no talhão 256 do Pinhal de Leiria, ao longo de cerca de 30 hectares, que foi destruído pelo incêndio de 15 de outubro de 2017, decorrerá entre as 10:00 e as 11:30, prevendo-se que às 12:00 seja formada a Bandeira Nacional Humana com chapéus-de-chuva.

Segundo uma nota da organização, a iniciativa pretende assinalar o Dia Mundial da Árvore e ajudar a reflorestar o Pinhal de Leiria - dizimado em mais de 80% pelo fogo de 2017.

Tendo como parceiros estratégicos o exército Português e a Força Aérea, o evento "O Pinhal é a Nossa Bandeira", é organizado pelas empresas de produção de eventos It's Happening (Marinha Grande) e Agency Model's (Leiria) e coorganizada pela Câmara Municipal da Marinha Grande.

A este grupo juntaram-se ainda mais de 50 empresas do país que contribuíram com a aquisição dos pinheiros e dos chapéus-de-chuva.

A Federação Portuguesa de Atletismo, o IAPMEI, Juventude Vidigalense, União de Leiria, Sporting Clube Marinhenses, Clube de Atletismo da Marinha Grande, Corpo Nacional de Escutas e Escoteiros de Portugal são algumas das entidades que também se associaram a esta iniciativa de caráter social.

 
>>>>>>>>   https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/quatro-mil-voluntarios-plantam-70-mil-pinheiros-no-pinhal-de-leiria
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 14, 2018, 12:28:28 pm
De facto, acho que já não há mais nada para dizer...

Citar
Governo cede e gasta o mesmo por menos serviços nos meios aéreos

https://www.publico.pt/2018/03/14/politica/noticia/governo-cede-e-gasta-o-mesmo-dinheiro-por-menos-servicos-nos-meios-aereos-de-combate-a-incendios-1806512
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Março 14, 2018, 06:59:56 pm
Ex-director da Everjets assume que empresa recorria a “toupeiras”
https://www.publico.pt/2018/03/12/sociedade/noticia/exfuncionario-da-everjets-assume-que-empresa-recorria-a-toupeiras-1806409
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 15, 2018, 12:45:42 pm
Projeto de cabras sapadoras arranca hoje em Santa Maria da Feira

(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=OTVhYZwe6zlmLOM6aLpOkbobUv9KsoQaraj10cRw76VdVD/pTDDKOco+yVeg4nScjuMx3uiLdEdsID9m3bWd1TibI4Lki3hu0t81fB5EZvK79tY=&W=800&H=0&delay_optim=1)


Um projeto-piloto de cabras sapadoras, cujo principal objetivo é a limpeza de terrenos para prevenir incêndios, arranca hoje em Fiães, Santa Maria da Feira, disse a engenheira zootécnica Ana Catarina Fontes, responsável pelo plano.

A fonte explicou à Lusa que se trata de uma parceria entre a Câmara da Feira, a Universidade de Trás-os-Montes (UTAD) e a Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM).

O projeto "consiste em colocar animais - que estão no local desde terça-feira - num terreno pertencente à Câmara Municipal e avaliar a capacidade de limpeza desses mesmos animais naquele terreno. Ou seja, vamos avaliar, ao longo do tempo, a quantidade de matéria combustível naquele terreno. Todas as semanas faremos essa análise e, no final, tiramos várias conclusões", afirmou Catarina Fontes.

Essas conclusões passam pela quantidade de matéria combustível no terreno, a quantidade que os animais ingerem, e também a criação de "um algoritmo que vai permitir, através de imagens aéreas, calcular a quantidade [de matéria combustível] que exista noutros terrenos", sendo esta uma forma de "avaliar se os terrenos estão limpos ou precisam de uma intervenção.

O objetivo principal, segundo contou Ana Catarina Fontes, é “avaliar o tempo que os animais demoram a limpar uma área de terreno”, estando a engenheira neste momento “à procura de mais parcerias com instituições, que possam usar estes dados no futuro”, sublinhando que este empreendimento poderá ser “vantajoso para empresas que se dedicam a limpeza de terrenos e produção de biocombustível”.

"Neste momento noto alguma preocupação de proprietários em limpar terrenos. Mas que é certo é que a obrigatoriedade não termina hoje, 15 de março. Essa preocupação deve prevalecer. Nós preocupamo-nos mais com a manutenção. Essa preocupação deve ser permanente", destacou, acrescentando que os "rebanhos podem manter os terrenos limpos todo o ano".

O presidente da Câmara de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa, mostrou confiança no sucesso do projeto e revelou que acolheu a ideia da "jovem licenciada" Ana Catarina Fontes convencido de que esta é “uma solução interessante” para o futuro da limpeza da floresta

“Do ponto de vista ambiental, penso que é a melhor solução possível porque não temos combustíveis, não temos impacte ambiental negativo e mesmo até para limpar terrenos com alguns declives, penso que as cabras são uma solução razoável", disse.

A autarquia tem também a sua quota-parte de interesse no sucesso do projeto, visto que há "três freguesias consideradas como zonas prioritárias de risco de incêndio", e esta é uma das soluções que vai estudar.


>>>>>>>>>  https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/projeto-de-cabras-sapadoras-arranca-hoje-em-santa-maria-da-feira
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 15, 2018, 03:16:17 pm
Afinal não há multas, anuncia António Costa


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Ramos em Março 15, 2018, 03:43:12 pm
Se alguém conseguir esclarecer qual o ponto em que estamos com respeito à contratação de meios aéreos para combate a incêndios, depois de ler a resolução do Conselho de Ministros 192/2017….
https://dre.pt/pesquisa/-/search/114380263/details/maximized?print_preview=print-preview
É que quanto mais leio, mais confuso fico…
Afinal, em que é que ficamos?
1 - Estava previsto contractar 50 meios aéreos de combate a incêndios. Desses, apenas 10 tinham sido contractados até ao mês de Março. Do que tem sido noticiado nos últimos dias, os restantes 40 meios (previstos e não contractados), vão sê-lo, com um custo de cerca de 49 milhões de Euros, mas com menos horas de vôo incluídas no contracto. Se é assim:
- Qual é o custo final total de contratação da totalidade dos meios aéreos previstos?
- Qual a quantidade final que estará disponível? Que tipos de meios vão estar disponíveis (são o anunciados 38 helicópteros ligeiros, 6 aviões anfíbios médios, 4 aviões anfíbios pesados e 2 aviões de comando e controlo)?
- Desses, que meios (quantidade e tipo), vão estar disponíveis ao longo de todo o ano?
2 – Os meios próprios do Estado acrescem aos meios acima descritos (6 Kamov e 7 Ecureil)?
3 – Qual é a situação operacional dos Kamov? E dos Ecureil, já agora?
4 – Os tais 60 milhões não estavam previstos como verba plurianual?
5 – Se se trata de uma verba plurianual, e prevendo-se, de acordo com a resolução acima do conselho de ministros, uma redução significativa da mesma já para 2020, tal significa que existe por parte do Estado a intenção objectiva de compra de meios aéreos nos dois próximos anos? Ou estará o Estado a ver se “empurra com a barriga” este assunto para a frente, na esperança de que, entretanto, São Pedro vá ajudando?
Depois de tudo o que se passou no ano passado, este assunto deveria estar a ser tratado pelo Estado “com pinças”, e não de uma forma que, no mínimo, se pode classificar de muito pouco transparente.

Já agora, os meus 50 cêntimos para a discussão dos meios aéreos de combate a incêndios…
O valor médio de aquisição de um helicóptero ligeiro AW 109 bimotor novo anda à volta dos 5 milhões de € a unidade. O que quer dizer que com cerca de 100 milhões de Euros se conseguiriam adquirir 20. Já agora, e de acordo com o site Business Jet Traveler (www.bjtonline.com), o valor médio anual de custo fixo de operação da aeronave, com uma estimativa de utilização da mesma em 381 horas de vôo / ano, é de cerca de 396 mil USD (ou seja, 320 mil Euros, o que dá um custo fixo médio por hora de vôo de cerca de 840 €).   
Com os tais 20 helicópteros ligeiros conseguir-se-ia, entre outras coisas: resolver de uma vez por todas a (também) vergonhosa história do concurso de contratação de meios aéreos para o INEM e colocar lá 4 destes helicópteros ligeiros em permanência; dar formação em aeronaves de asa rotativa aos pilotos militares de todos os ramos; apoiar as autoridades policiais; combater fogos florestais; apoiar o protecção civil noutras missões de interesse público; executar outras  missões militares (como por exemplo, o transporte aéreo táctico).

No capitulo dos helicópteros médios, temos no mercado aquele que considero ser a melhor opção em termos de versatilidade, o Bell 412 EP, que custa novo cerca de 11 M USD, ou seja, cerca de 9 M € a unidade. Alternativamente, um Sikorsky S70 (bastante utilizado no combate a fogos florestais nos EUA), custa novo cerca de 13 M USD a unidade (10,5 M €). Com cerca de 100 milhões de Euros poder-se-ia dispor de 10 helicópteros médios novos, que permitiriam: ter 1 unidade sediada na Madeira para evacuação médica, combate a fogos florestais, apoio a operações policiais, e outros missões de interesse público; ter 1 unidade sediada em Ovar para SAR; ter 2 unidades ao serviço do INEM (com maior capacidade de transporte, autonomia e  raio de acção do que os AW109), uma baseada no Porto e outra em Lisboa; ter as restantes unidades disponíveis para combate a fogos florestais e outras missões de interesse público.
Ainda de acordo com dados publicados pela Business Jet Traveler, são os seguintes os custos fixos de operação de cada uma das referidas aeronaves: cerca de 503.000 USD / ano (407.000 €), para o Bell 412, com base em 391 horas de vôo anuais (cerca de 1.041 € por hora de vôo), e de 620.000 USD (502.000 €), para o S-70, baseados em 357 horas de vôo anuais (com um custo fixo por hora de vôo de cerca de 1.410 €).
Para as funções de vigilância, coordenação de meios, comando e controle, 4 King Air 350 (novos custam entre os 5 e os 6 milhões de € a unidade). Para além das missões atrás referidas, serviriam também para dar formação a pilotos numa fase de transição das aeronaves mono para as plurimotores, para calibração de equipamentos e para o transporte de órgãos ou evacuação médica urgente em distâncias que um helicóptero não pode cobrir. O custo de aquisição da referida frota de 4 aeronaves seria algo a custar, no limite, cerca de 25 M €. Já agora, o custo de operação fixo estimado por aeronave, com base em 409 horas de vôo anuais, é de cerca de 355.000 USD (à volta de 288 .000 €).
Ou seja: com um investimento de aquisição de 215 a 230 M €, e um custo de operação fixo de 13 a 14 M € anuais, conseguir-se-ia dispor de uma frota de 34 aeronaves que permitiriam:
- Resolver a maior parte das necessidades do País em matéria de aeronaves de combate a fogos florestais
- Resolver a totalidade das necessidades do País em matéria de aeronaves de suporte ao Serviço Nacional de Saúde e à emergência médica
- Resolver a totalidade das necessidades do País em termos de formação complementar de pilotos militares em aeronaves de asa rotativa e em aeronaves plurimotores
- Resolver a totalidade das necessidades do País no que respeita à existência de aeronaves para suporte de outras actividades de protecção civil
- Resolver a totalidade das necessidades do País em matéria de suporte aéreo a operações policiais
E se algum dia a Viking Air decidir reabrir a linha de produção e puser no mercado o sucessor do CL 415, acho que deveríamos estar entre os primeiros países a fazer uma encomenda firme de 3 a 4 aeronaves.
Cumprimentos,
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Março 15, 2018, 09:36:20 pm
De facto, acho que já não há mais nada para dizer...

Citar
Governo cede e gasta o mesmo por menos serviços nos meios aéreos

https://www.publico.pt/2018/03/14/politica/noticia/governo-cede-e-gasta-o-mesmo-dinheiro-por-menos-servicos-nos-meios-aereos-de-combate-a-incendios-1806512

Com apenas dois CL215/415 e oito AT802 o combate mais musculado está em risco, já devem estar a contar com os reforços vindos de Espanha, França, Italia e Marrocos,
vamos continuar anos a fio com os contratos de aluguer de meios Aereos, dá mais jeito aos amigos !

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/fpqAhV.jpg) (https://imageshack.com/i/pofpqAhVj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/XHl2MQ.jpg) (https://imageshack.com/i/pnXHl2MQj)

Devemos andar a nadar em dinheiro, pois andamos anualmente, a encher o a alguns gulosos é o que é, o nosso dinheiro é esbanjado sem qq tipo de pudor, responsabilidade e utilidade, os milhões que se deitam á rua são tantos que ao fim de trinta e poucos anos desta saga, se contabilizarmos os custos totais a uma média de 30 milhões p/ ano, e, se retirassemos 10% do valor final tinhamos guito para uns vinte Helis a 5 milhões p/ unidade, essa é que é a verdade, 100 milhões em trinta anos, três milhões e pouco por ano, apenas isso nada mais e estariamos bem melhor do agora estamos, VINTE HELIS LIGEIROS, os suficientes para a FAP + INEM + Combates aos FF, por exemplo 08 + 04 + 08 respectivamente, o que me dizem, era um espectáculo !!



(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/WRIzM1.png) (https://imageshack.com/i/pmWRIzM1p)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/ndYQeU.jpg) (https://imageshack.com/i/pnndYQeUj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/hWDuWm.jpg) (https://imageshack.com/i/pnhWDuWmj)





Abraços e que S. Pedro nos ajude !!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lightning em Março 19, 2018, 03:18:31 pm
Protecção Civil escapa a pagar 10,3 milhões à Everjets por causa dos Kamov
https://www.publico.pt/2018/03/19/sociedade/noticia/proteccao-civil-escapa-a-pagar-103-milhoes-a-everjets-por-causa-dos-kamov-1807113
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 20, 2018, 07:00:09 pm
Estado português paga 31 milhões de euros em indemnizações


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 21, 2018, 08:17:02 am
Queimadas e fogo posto entre as principais causas dos fogos de outubro


As queimadas e o fogo posto foram as duas principais causas das mais de 900 ignições registadas nos incêndios de outubro, revelou hoje o relatório da Comissão Técnica Independente aos incêndios, que considera também preocupante o número de reacendimentos.

O número de total de ignições (de fogachos e de incêndios florestais e agrícolas) iniciadas nos dias 14, 15 e 16 de outubro de 2017 e registadas no Sistema de Gestão de Informação de Incêndios Florestais (SGIF), do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) “foi de 206, 495 e 213 respetivamente”, revelou a comissão técnica independente aos incêndios no relatório entregue no Parlamento.

Para a comissão técnica, estes números são “excessivos tendo em conta a capacidade do dispositivo de combate em fazer face a um grande número de ocorrências simultâneas”, mas não diferem “significativamente dos valores históricos” verificados entre 2001 e 2017.

O relatório conclui que entre “as causas mais frequentes” das ignições estão as queimadas, responsáveis por “33,0% das ocorrências determinadas dos dias 14 a 16 de outubro e por 30,9% no período de referência”.

Quanto ao incendiarismo (ato de provocar voluntariamente um incêndio), o relatório atribui-lhe 35,9% das ignições nos três dias de outubro, contra “32,5% no período de referência”.

Os reacendimentos surgem como responsáveis por “23,6% das ocorrências nos três dias de outubro em comparação com 18,0% no período de referência”.

A comissão técnica concluiu assim que “o padrão de distribuição das ocorrências por causas (em outubro) foi muito semelhante ao que se verificou no conjunto das ocorrências com causa determinada no período 2001-2017”, mas considera “preocupante a tendência da importância crescente dos reacendimentos”.

Segundo a comissão, as queimadas mostraram nos últimos anos “uma tendência de decréscimo”, mas as percentagens invertem-se no que respeita ao “uso” para que são efetuadas.

O número de queimadas investigadas ao longo dos anos “permite saber se foram realizadas de forma extensiva para limpeza de solo agrícola, florestal, de áreas urbanizadas ou de caminhos, acessos e instalações”, para “renovação de pastagens”, para “penetração em áreas de caça e margens dos rios”, ou, se pelo contrário, foram efetuadas “de forma localizada em amontoados, as designadas borralheiras”, explica.

Da comparação de dados, a comissão concluiu que “algumas das causas tiveram um peso semelhante nos dias de outubro e no período de referência 2002-2017”, nomeadamente a queima de amontoados ou borralheiras (12,1% contra 12,5% no período de referência) e das queimadas extensivas associadas à limpeza do solo florestal (10,1% contra 12,5%).

Em contrapartida, registam-se “grandes diferenças entre as queimadas associadas à limpeza de solo agrícola e à renovação de pastagens”, pode ler-se no relatório que demonstra que “a causa da renovação das pastagens foi muito mais baixa (31,3% contra 50,5% no período de referência), enquanto a percentagem de causas associadas à limpeza do solo agrícola foi muito mais elevada (37,4% contra 14,8%)”.

Assim, embora a distribuição das ocorrências pelos principais tipos de causas em outubro seja muito semelhante à do período de referência, “as razões associadas às queimadas parecem ter sido de natureza bastante distinta”, sustenta a comissão.

O relatório sublinha que tal situação “parece suportar a hipótese de que a necessidade de limpeza de solo agrícola e a proximidade anunciada de precipitação poderão ter conduzido a um aumento de ocorrências em períodos do dia que os agricultores possam ter considerado como menos problemáticos”, mas que, por falta da precipitação esperada (que tinha sido considerada como possível pelas previsões meteorológicas) e por velocidades do vento inesperadas (mas que tinham sido previstas), “tenham originado incêndios de difícil controlo”.

A comissão técnica independente que analisou os grandes incêndios rurais de 2017 entregou hoje no parlamento o relatório dos fogos de outubro, envolvendo oito distritos das regiões Centro e Norte.

O documento, que atualiza para 48 o número de mortos nesse mês, conclui que falhou a capacidade de “previsão e programação” para “minimizar a extensão” do fogo na região Centro (onde ocorreram as mortes), perante as previsões meteorológicas de temperaturas elevadas e vento.


>>>>>>>>>>  https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/queimadas-e-fogo-posto-entre-as-principais-causas-dos-fogos-de-outubro
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 26, 2018, 12:15:49 pm
Para as Forças Armadas é sempre tudo na ordem dos 20 ou mesmo 10 milhões de euros, para o aluguer de meios a privados é que a bolsa fica mais gorda...

Forças Armadas investem 10 milhões de euros no combate aos fogos
http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/dez-milhoes-para-a-tropa-na-guerra-contra-o-fogo?ref=HP_Grupo1
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Lusitano89 em Março 26, 2018, 12:27:11 pm
Replantar a mais velha floresta de Portugal


Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Março 26, 2018, 02:40:14 pm
A FAP anda a treinar o combate a incêndios com o C-295? Avistei um a sobrevoar a barragem do Vilar a menos de 100 metros da água/chão!!!!!!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 26, 2018, 05:58:49 pm
A FAP anda a treinar o combate a incêndios com o C-295? Avistei um a sobrevoar a barragem do Vilar a menos de 100 metros da água/chão!!!!!!

Que se conheça, não. No ano passado, no rescaldo - e a quente - da tragédia dos incêndios, falou-se na hipótese de poder vir a dotar no futuro o C-295M de um kit de combate às chamas que a Airbus ainda anda a certificar, mas essa tema não mais foi abordado e muito provavelmente tratou-se, isso sim, de um soundbyte para arquivar algures do que uma proposta séria e concreta. Depois falou-se no reaproveitamento dos C-130 juntamente com o KC-390, e alguém lhes deve ter dito que neste momento na FAP o C-295 é valioso demais para empregar nessa missão.

Conforme avançou hoje o CM, o C-295M tal como o P-3C CUP+ serão usados apenas como plataformas multi-sensores para detecção e controlo de fogos florestais, e não para combate directo. Têm havido, de facto, vários relatos como o do Viajante nas últimas duas semanas, e o que se tem falado será das duas uma: ou missões de treino de navegação táctica a baixa altitude, ou de treino da tripulação e operadores de sensores para a época de incêndios. É tudo o que sei neste momento.
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Março 26, 2018, 07:56:00 pm
A FAP anda a treinar o combate a incêndios com o C-295? Avistei um a sobrevoar a barragem do Vilar a menos de 100 metros da água/chão!!!!!!

Que se conheça, não. No ano passado, no rescaldo - e a quente - da tragédia dos incêndios, falou-se na hipótese de poder vir a dotar no futuro o C-295M de um kit de combate às chamas que a Airbus ainda anda a certificar, mas essa tema não mais foi abordado e muito provavelmente tratou-se, isso sim, de um soundbyte para arquivar algures do que uma proposta séria e concreta. Depois falou-se no reaproveitamento dos C-130 juntamente com o KC-390, e alguém lhes deve ter dito que neste momento na FAP o C-295 é valioso demais para empregar nessa missão.

Conforme avançou hoje o CM, o C-295M tal como o P-3C CUP+ serão usados apenas como plataformas multi-sensores para detecção e controlo de fogos florestais, e não para combate directo. Têm havido, de facto, vários relatos como o do Viajante nas últimas duas semanas, e o que se tem falado será das duas uma: ou missões de treino de navegação táctica a baixa altitude, ou de treino da tripulação e operadores de sensores para a época de incêndios. É tudo o que sei neste momento.

Segundo me foi comunicado por pessoal do AT1 a segunda hipotese é a correcta o treino do pessoal navegante/tripulações para os voos visuais que irão empreender neste verão passa por essas fases o que acho correcto e que lhes trarão dividendos Operacionais quando se iniciarem as hostilidades Incendiárias.
A nossa FAP no seu melhor apesar das graves lacunas em meios Humanos e materiais vão cumprindo como podem, pena é que os politicos não aprendam e lhes sigam o exemplo, CUMPRINDO O QUE PROMETEM !!!!!

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 27, 2018, 01:24:23 pm
(...) ou de treino da tripulação e operadores de sensores para a época de incêndios. É tudo o que sei neste momento.

E para acrescentar, depois de ter falado com pessoal da 502, identificação dos possíveis pontos de recolha de água e reconhecimento das condições da área circundante aos mesmos, e daí a necessidade dos voos serem efectuados a baixa altitude.  ;)
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Março 27, 2018, 03:13:40 pm
(...) ou de treino da tripulação e operadores de sensores para a época de incêndios. É tudo o que sei neste momento.

E para acrescentar, depois de ter falado com pessoal da 502, identificação dos possíveis pontos de recolha de água e reconhecimento das condições da área circundante aos mesmos, e daí a necessidade dos voos serem efectuados a baixa altitude.  ;)

Hoje estava de máquina à espera e não passaram, enquanto esperava :(
A barragem do Vilar é utilizada por todos os hidroaviões, para abastecerem de água, quando há algum incêndio que esteja mais afastado do rio Douro. Como a albufeira tem uns 10km em linha recta, no verão praticamente todos os dias é utilizada para abastecerem. Cheguei a fotografar 7 hidroaviões em fila a abastecer, 3 canadair e 4 tractors.... até ao por do sol! O C-295 não quer ficar na foto :(
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Março 29, 2018, 10:27:08 am
Everjet não descarta influência diplomática na saída dos russos

A empresa que gere os helicópteros do Estado afirma que uso no combate aos incêndios está “irremediavelmente comprometido”

(https://cdn1.newsplex.pt/media/2018/3/29/632612.jpg?type=artigo)

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) ordenou ontem o encerramento das instalações onde os três Kamov do Estado, sob gestão privada da Everjet, estavam estacionados por alegada circulação indevida de material. Em consequência, os técnicos russos da empresa fabricante dos helicópteros retornaram ao país de origem. Em comunicado, a Proteção Civil afirmou que a decisão tomada foi a “única medida” para “acautelar os bens da ANPC e o interesse público”. A ANPC disse ainda que pediu os “necessários esclarecimentos” e que, “caso se encontrem reunidas as condições”, o hangar retornará à normalidade.

 A época dos incêndios aproxima-se e a situação surpreende e preocupa a Everjet. “Estamos surpreendidos com uma decisão destas, que é no mínimo caricata numa altura em que não há meios aéreos e estamos a um mês e 15 dias de começar o DECIF [Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais]”, disse Ricardo Miguel Dias, gestor da Everjet, ao i.

A empresa estava a colaborar com uma equipa de técnicos russos da empresa fabricante dos helicópteros. “Estávamos a trabalhar em contrarrelógio para termos os três helicópteros prontos para a campanha, com uma equipa técnica da Kamov, a fabricante dos helicópteros, cá a trabalhar, que neste momento já saiu do país”, disse Ricardo Dias. Ao contrário do que foi inicialmente relatado, a equipa de técnicos russos não foi expulsa pelo Estado português, mas abandonou o país por se ter sentido “espoliada e indignada por ter sido expulsa de um hangar onde estava a trabalhar em prol de uma situação de emergência nacional”. “Saíram, já foram embora e não voltam”, assegurou. A equipa da Kamov era composta por cinco técnicos, a que se juntam 25 da empresa subcontratada pela Everjet, a Heliavionics, tendo alguns já abandonado também o país. O não retorno das equipas poderá colocar em causa a operacionalidade dos helicópteros, visto terem de ser eles a “assinar as grandes inspeções”, garantiu o gestor.

Questionado sobre se esta decisão da Proteção Civil poderá estar de alguma forma relacionada com a expulsão de diplomatas russos, Ricardo Dias disse “preferir não ir por aí”, mas admite que, pessoalmente, considera “estranho” e não descarta essa possibilidade, apesar de não saber mais pormenores. “São aeronaves russas, foram compradas à Federação Russa. Há problemas gravíssimos de peças que são vitais e do Estado [português] que estão bloqueadas na Rússia, que estão também a prejudicar a operação em Portugal. O Estado, teoricamente, estaria a resolver o problema na Rússia”, afirmou. Para o gestor, existe uma “junção de forças que nós também não percebemos e, de facto, é uma decisão caricata e surpreendente”. “Pode haver ligação, pode. Nós não sabemos.”

A empresa também não sabe o que as autoridades poderão estar a fazer dentro do hangar. “Está-nos vedado o acesso aos helicópteros, aos fornecedores, a tudo. Não sabemos o que se está a passar dentro do hangar. Podem estar a abrir os helicópteros, não fazemos a mínima ideia”, confessou.

Entretanto, a empresa aguarda por mais informações da Proteção Civil para poder decidir o que fazer. “Estamos à espera de comunicações da própria Proteção Civil que nos digam o que pensam fazer. Depois, e mediante isso, o nosso departamento jurídico irá agir em conformidade”, disse Ricardo Dias. E não tem boas perspetivas: “O dia 15 de maio [início da época dos incêndios] está irremediavelmente comprometido.”

https://ionline.sapo.pt/606102

Os kamov são uma novela!
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Março 29, 2018, 11:58:40 am
(...) ou de treino da tripulação e operadores de sensores para a época de incêndios. É tudo o que sei neste momento.

E para acrescentar, depois de ter falado com pessoal da 502, identificação dos possíveis pontos de recolha de água e reconhecimento das condições da área circundante aos mesmos, e daí a necessidade dos voos serem efectuados a baixa altitude.  ;)

Hoje estava de máquina à espera e não passaram, enquanto esperava :(
A barragem do Vilar é utilizada por todos os hidroaviões, para abastecerem de água, quando há algum incêndio que esteja mais afastado do rio Douro. Como a albufeira tem uns 10km em linha recta, no verão praticamente todos os dias é utilizada para abastecerem. Cheguei a fotografar 7 hidroaviões em fila a abastecer, 3 canadair e 4 tractors.... até ao por do sol! O C-295 não quer ficar na foto :(

Pois foi Sr Viajante mas as fotos aqui nicles, o Sr não postou aqui nada para o pessoal do fórum degustar !!! ;) :) :)

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: tenente em Março 29, 2018, 12:03:06 pm
Everjet não descarta influência diplomática na saída dos russos

A empresa que gere os helicópteros do Estado afirma que uso no combate aos incêndios está “irremediavelmente comprometido”

(https://cdn1.newsplex.pt/media/2018/3/29/632612.jpg?type=artigo)

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) ordenou ontem o encerramento das instalações onde os três Kamov do Estado, sob gestão privada da Everjet, estavam estacionados por alegada circulação indevida de material. Em consequência, os técnicos russos da empresa fabricante dos helicópteros retornaram ao país de origem. Em comunicado, a Proteção Civil afirmou que a decisão tomada foi a “única medida” para “acautelar os bens da ANPC e o interesse público”. A ANPC disse ainda que pediu os “necessários esclarecimentos” e que, “caso se encontrem reunidas as condições”, o hangar retornará à normalidade.

 A época dos incêndios aproxima-se e a situação surpreende e preocupa a Everjet. “Estamos surpreendidos com uma decisão destas, que é no mínimo caricata numa altura em que não há meios aéreos e estamos a um mês e 15 dias de começar o DECIF [Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais]”, disse Ricardo Miguel Dias, gestor da Everjet, ao i.

A empresa estava a colaborar com uma equipa de técnicos russos da empresa fabricante dos helicópteros. “Estávamos a trabalhar em contrarrelógio para termos os três helicópteros prontos para a campanha, com uma equipa técnica da Kamov, a fabricante dos helicópteros, cá a trabalhar, que neste momento já saiu do país”, disse Ricardo Dias. Ao contrário do que foi inicialmente relatado, a equipa de técnicos russos não foi expulsa pelo Estado português, mas abandonou o país por se ter sentido “espoliada e indignada por ter sido expulsa de um hangar onde estava a trabalhar em prol de uma situação de emergência nacional”. “Saíram, já foram embora e não voltam”, assegurou. A equipa da Kamov era composta por cinco técnicos, a que se juntam 25 da empresa subcontratada pela Everjet, a Heliavionics, tendo alguns já abandonado também o país. O não retorno das equipas poderá colocar em causa a operacionalidade dos helicópteros, visto terem de ser eles a “assinar as grandes inspeções”, garantiu o gestor.

Questionado sobre se esta decisão da Proteção Civil poderá estar de alguma forma relacionada com a expulsão de diplomatas russos, Ricardo Dias disse “preferir não ir por aí”, mas admite que, pessoalmente, considera “estranho” e não descarta essa possibilidade, apesar de não saber mais pormenores. “São aeronaves russas, foram compradas à Federação Russa. Há problemas gravíssimos de peças que são vitais e do Estado [português] que estão bloqueadas na Rússia, que estão também a prejudicar a operação em Portugal. O Estado, teoricamente, estaria a resolver o problema na Rússia”, afirmou. Para o gestor, existe uma “junção de forças que nós também não percebemos e, de facto, é uma decisão caricata e surpreendente”. “Pode haver ligação, pode. Nós não sabemos.”

A empresa também não sabe o que as autoridades poderão estar a fazer dentro do hangar. “Está-nos vedado o acesso aos helicópteros, aos fornecedores, a tudo. Não sabemos o que se está a passar dentro do hangar. Podem estar a abrir os helicópteros, não fazemos a mínima ideia”, confessou.

Entretanto, a empresa aguarda por mais informações da Proteção Civil para poder decidir o que fazer. “Estamos à espera de comunicações da própria Proteção Civil que nos digam o que pensam fazer. Depois, e mediante isso, o nosso departamento jurídico irá agir em conformidade”, disse Ricardo Dias. E não tem boas perspetivas: “O dia 15 de maio [início da época dos incêndios] está irremediavelmente comprometido.”

https://ionline.sapo.pt/606102

Os kamov são uma novela!

A paneleirice que para aqui vai, então não tiveram tempo demais para os ter, os KA32, operacionais ???
HÁ quanto tempo se anda a falar das reparações destes Helis ??
Agora dizem que o empenhamento dos Kamov nos combates aos FF está comprometido ?????
Deixem-se de merdas, a utilização destes helis sempre esteve comprometida, não foi feito nada de nada no que toca a reparações nestas aeronaves, andaram a encanar a perna á râ para ver o que dava esta novela ninguém decidiu nada de nada e a responsabilidade agora vai como sempre morrer solteira, é sempre assim mas a factura vai aparecer aos contribuintes ó se vai !

Abraços
Título: Re: Fogos Florestais
Enviado por: Viajante em Março 29, 2018, 12:34:30 pm