ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Exércitos/Sistemas de Armas => Exército Brasileiro => Tópico iniciado por: Paisano em Março 01, 2009, 06:18:53 pm

Título: Notícias do Exército Brasileiro
Enviado por: Paisano em Março 01, 2009, 06:18:53 pm
Título:
Enviado por: migbar2 em Março 01, 2009, 09:31:52 pm
Muito bom! Simples e eficaz sem duvida nenhuma.
Título:
Enviado por: Paisano em Março 07, 2009, 05:27:11 pm
As Origens do Exército Brasileiro

Fonte: http://www.exercito.gov.br/01inst/Historia/index.htm (http://www.exercito.gov.br/01inst/Historia/index.htm)

Citar
Desde os primórdios da colonização portuguesa na América, desenvolveu-se em terras brasileiras uma sociedade marcada pela intensa miscigenação. O sentimento nativista aflorou na gente brasileira, a partir do século XVII, quando brancos, índios e negros, em Guararapes, expulsaram o invasor estrangeiro. O Exército, sempre integrado por elementos de todos os matizes sociais, nasceu com a própria Nação e, desde então, participa ativamente da história brasileira.

Nas décadas posteriores ao descobrimento do Brasil, a Força Terrestre foi representada pelo povo em armas nas lutas pela sobrevivência, conquista e manutenção do território.

Em verdadeira simbiose da organização tática portuguesa com operações irregulares, índios, brancos e negros formaram a primeira força que lutou e expulsou os invasores do nosso litoral. Portanto, a partir da memorável epopéia de Guararapes (1648), não havia apenas homens reunidos em torno de um simples ideal de libertação, mas sim, as bases do Exército Nacional de uma Pátria que se confirmaria a 7 de setembro de 1822.

A união entre a coroa lusa e a espanhola, em 1580, que tornou as terras da América pertencentes a um só rei e senhor, permitiu o alargamento da base física da colônia portuguesa, pela extraordinária ação exploradora empreendida pelas Entradas e Bandeiras. Naquela época, os portugueses, estimulados por notável visão estratégica, buscaram fixar os limites da colônia em acidentes geográficos bem nítidos e o mais possível a Oeste. Assim, no interior da Amazônia, nos pampas sulinos e nos confins dos sertões, à medida que avançava a marcha desbravadora dos bandeirantes, surgiam fortes e fortins – sentinelas de pedra a bradar: "esta terra tem dono!".

Após a Independência, em 1822, a atuação do Exército Brasileiro, internamente, foi decisiva para derrotar todas as tentativas de fragmentação territorial e social do País. A manutenção da unidade nacional, penosamente legada por nossos antepassados, é decorrente das suas ações, em particular, da atuação do Duque de Caxias. Desse modo, ontem, como hoje, prevaleceu a necessidade de segurança e integração nacionais, reflexo da vontade soberana do povo, expressa, como ideal intangível, nas Constituições brasileiras de todos os tempos.

Já no âmbito internacional, participou vitoriosamente do conflito que, na segunda metade do século XIX, ocorreu no cone sul do continente sul-americano: a Guerra da Tríplice Aliança.

Em decorrência da sintonia permanente que o Exército sempre teve com a sociedade brasileira, seu papel foi decisivo na Proclamação e na Consolidação da República. Naquele período particularmente conturbado, os militares desempenharam papel de moderação, idêntico ao exercido pelo Imperador na monarquia, garantindo a sobrevivência das instituições.

Após a I Guerra Mundial, o Exército experimentou um período de soerguimento profissional, que iria completar-se com a contratação, em 1920, da Missão Militar Francesa. Porém, foi a obra ciclópica de Rondon, interligando os sertões interiores aos grandes centros, reconhecida internacionalmente como conquista da humanidade, o que mais marcou esse início de século.

A II Guerra Mundial trouxe modificações significativas na evolução do Exército Brasileiro. Em 1942, em resposta ao torpedeamento de vários de seus navios mercantes, o Brasil declarou guerra às potências do Eixo.

Em 1944, o País enviou para o teatro de operações europeu uma força expedicionária organizada em curto espaço de tempo, sob o comando do General Mascarenhas de Moraes. Designada para operar na Itália, durante o tempo em que esteve em combate, compondo o V Exército dos Estados Unidos da América, a Divisão brasileira sofreu mais de 400 baixas por morte em ação. Antes que o conflito terminasse, havia feito mais de 15.000 prisioneiros de guerra e capturado duas divisões inimigas.

Na Itália, a FEB cobriu-se de glórias, combatendo tropas aguerridas, ao lado de soldados calejados por anos de campanha. Nada ficaria a dever a uns e outros. As glórias colhidas em Monte Castello, Montese e Fornovo, e em tantas outras ações, estão gravadas com letras de sangue na História Militar brasileira. Aos nossos pracinhas devemos, em difícil hora, a garantia da dignidade de nossa Pátria.

A partir dos anos 60, o Exército passou por importantes transformações. Acompanhando o acelerado desenvolvimento econômico e industrial do País, realizou consideráveis investimentos em Ciência e Tecnologia, o que permitiu fornecer à tropa equipamentos e armamentos projetados e fabricados pelas indústrias nacionais, particularmente viaturas blindadas. Além dessa evolução tecnológica, foi renovado o sistema de instrução e foram estruturadas as atuais divisões de exército e brigadas, combinações de tropas mais leves e flexíveis, consentâneas com as peculiaridades do ambiente operacional brasileiro.

Honrando compromissos internacionais assumidos, o Brasil já se fez ou está presente em inúmeras operações de manutenção da paz em diversas partes do mundo.

Na atualidade, o Exército Brasileiro consolida sua individualidade. Exercita e desenvolve uma doutrina militar genuinamente nacional, gerada com base em perspectivas de emprego realistas, e tem procurado evoluir sua concepção estratégica de maneira compatível com as demandas do futuro.

O Exército honra no presente os exemplos legados por Caxias – seu Patrono –, cultiva suas mais caras tradições e cumpre, diuturnamente, seu sagrado dever de preservar a soberania e a integridade do Brasil.
Título:
Enviado por: Paisano em Março 07, 2009, 05:41:18 pm
Brasão:

(http://www.exercito.gov.br/01inst/Historia/simbnac/brasaoeb/imagem/image004.gif)
Fonte: http://www.exercito.gov.br/01inst/Histo ... indice.htm (http://www.exercito.gov.br/01inst/Historia/simbnac/brasaoeb/indice.htm)
Título:
Enviado por: Paisano em Março 07, 2009, 05:46:47 pm
Capitão-Mor Pedro Teixeira - O conquistador da Amazônia

Fonte: http://www.exercito.gov.br/03ativid/Ama ... 041106.htm (http://www.exercito.gov.br/03ativid/Amazonia/0041106.htm)

Citar
"Tomo posse destas terras, se houver entre os presentes alguém que a contradiga ou a embargue, que o escrivão da expedição o registre."

Pedro Teixeira nasceu na Vila de Cantanhede, situada a cerca de 20 km ao Nordeste de Coimbra – Portugal, em 1587. Pouco se conhece sobre sua família e primeiros anos de vida. Sabe-se que desde criança foi muito forte, adquirindo na fase adulta uma compleição invejável que o tornou talhado para a vida agreste.

Após a expulsão dos franceses do Maranhão em fins de 1615, o governo português determina o envio de uma expedição à foz do rio Amazonas, com vistas a consolidar sua posse sobre a região. A força expedicionária lusa foi constituída por três companhias. Como subalterno de uma delas, seguia o então alferes Pedro Teixeira.

A 12 de janeiro de 1616, a tropa entrou na Baía de Guajará. Desembarcou numa ponta de terra firme, onde desde logo foram iniciadas as obras de instalação e defesa. Em local bem selecionado, foi erguido o Forte que tomou o nome de Presépio, origem da atual cidade de Belém.

O destemido desbravador prossegue prestando inestimáveis serviços à coroa portuguesa. Combate holandeses e ingleses em muitas refregas, bem como realiza várias entradas de exploração dos sertões amazônicos.

A maior de todas as suas façanhas teria início em outubro de 1639. À frente de 2.500 pessoas, entre militares, índios e familiares, empreende viagem de exploração da calha do rio Amazonas, partindo de Belém. Empregando cerca de 50 grandes canoas, atinge Quito, no Equador, e regressa a Belém depois de haver percorrido mais de 10.000 km de rios e trilhas. Com esse feito – um dos maiores de nossa história – contribuiria para assegurar a posse de vasta porção da bacia amazônica por parte de Portugal.

Como reconhecimento pelos seus 25 anos de profícuos serviços ao Rei de Portugal, Pedro Teixeira foi nomeado para o cargo de Capitão-Mor do Grão-Pará. Tomou posse em fevereiro de 1640. Infelizmente, sua gestão foi curta, durando até maio de 1641. A 4 de julho desse ano faleceu na mesma Belém que auxiliou a fundar e consolidar.

Mais de três séculos após sua morte, os empreendimentos de Pedro Teixeira ainda nos causam admiração. As lutas travadas contra os invasores estrangeiros e a exploração da bacia amazônica fizeram-no um dos maiores heróis da então Colônia no século XVII.

Por isso, sua figura deve representar o símbolo da luta pela preservação da soberania brasileira sobre a Amazônia.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 02, 2009, 02:52:15 pm
Citar
Exército - Viatura Blindada de Transporte
de Pessoal Média sobre Rodas (VBTP-MR)


Alexandre Beraldi


Este é o novo nome do projeto antes chamado Urutu III, sendo que um estudo conceitual feito pelo DCT com base nos requisitos elaborados pelo EB resultou numa maquete que demonstra as linhas gerais do novo blindado que irá equipar o Exército Brasileiro num futuro próximo.

Das nove versões estudadas pelo DCT, oito serão na versão 6x6, sendo estas:

- Viatura Transporte de Pessoal: capaz de transportar o motorista, o atirador que opera a torre de controle remoto, o Comandante do carro e mais dez combatentes em assentos individuais, frente a frente;
- Viatura Socorro: com facilidades como guindaste e guincho;
- Viatura Oficina: transportando motorista, atirador, Comandante e mais três mecânicos;
- Viatura Comunicações: com motorista e mais cinco operadores de comunicações;
- Viatura Posto de Comando: transportando motorista, atirador, Comandante de Companhia ou de Batalhão e mais três auxiliares;
- Viatura Diretora de Tiro: transportando motorista, atirador, Comandante e mais três observadores de artilharia/esclarecedores;
- Viatura Morteiro de 120mm: com uma guarnição de quatro homens operando um morteiro semi-automático de 120mm que dispara através de uma escotilha no teto da viatura; e
- Viatura Ambulância: capaz de transportar, além do motorista, um médico, um enfermeiro, duas macas e quatro combatentes sentados.

A nona versão será 8x8, para ter mais facilidade de trafegar por terrenos desconhecidos: é a Viatura de Reconhecimento, que substituirá a viatura Cascavel, sendo esta versão equipada com uma torre CMI Defense CT-CV, armada com um canhão de 105mm de nova geração que utiliza munição de alta pressão, com desempenho similar àquela de 120mm convencional.

Fonte: http://www.defesanet.com.br/laad07/3_eb_vbtp-mr.htm (http://www.defesanet.com.br/laad07/3_eb_vbtp-mr.htm)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 15, 2009, 01:24:27 pm
Citar
ESP:
Taurus apresenta fuzil de tecnologia israelense


Roberto Godoy

 

O fuzil do futuro já está pronto, em produção na fábrica das Forjas Taurus, no Rio Grande do Sul. É leve, compacto, de alta precisão, robusto e cheio de equipamentos eletrônicos - uma lente de aproximação, visor noturno e designador laser. Resultado da parceria entre a empresa brasileira e a Israel Weapon Industry (IWI), o Tavor-21 é considerado a melhor arma de assalto do mundo. A versão da Taurus será apresentada na LAAD. O investimento no projeto é de US$ 22 milhões.

O vice-presidente do grupo, Jorge Py Velloso, espera encomendas das Forças Armadas do Brasil e prepara uma ofensiva de vendas na América Latina "para o único produto do genêro da sétima geração tecnológica, amplamente provado em combate". O Tavor foi criado para as Forças Especiais israelenses. O desenvolvimento, iniciado em 1991, só chegou ao modelo final dez anos mais tarde, em 2001. A exportação mais recente foi feita para a Índia: 3.070 fuzis por US$ 20 milhões, ou cerca de US$ 6,5 mil a peça. Esse valor é a composição da conta de peças de reposição e treinamento do pessoal técnico. Velloso ressalta que "o preço final, aqui, será mais competitivo". O Tavor pode substituir, ao menos na tropa de elite brasileira, o velho FAL 7.62, que adota conceitos dos anos 1950. A nova arma, calibre 5.56, pesa 3,6 kg. Tem alcance efetivo de 500 metros e cadência de 750 a 900 disparos por minuto. À prova d?água, realiza tiro único e dois tipos de rajadas. Usa carregadores de 20, 25 ou 32 munições. Leva lança-granadas de 40 milímetros. O corpo é de polímero não metálico de alta resistência. O sistema de separação estanque do mecanismo de funcionamento autoriza algumas façanhas, uma delas é permitir ao combatente mergulhador emergir da água atirando. O Comando do Exército inicia os testes de avaliação no Campo de Marambaia em duas semanas. A Taurus está lançando na LAAD dois outros produtos de emprego militar, a pistola PT 809, calibre 9mm, leve e dotada de recursos como travas triplas com carregador de 13 a 15 projéteis. A pistola PT 709, construída com o mesmo material avançado, foi desenhada para pilotos de combate - pequena e leve, facilita a acomodação no macacão de voo.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 13, 2009, 04:35:05 pm
Citação de: "Piffer"
Fotos fresquinhas do CPC: http://vootatico.com.br/archives/2231 (http://vootatico.com.br/archives/2231)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 24, 2009, 10:51:41 am
(http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/noticias/img/2006/tf05.jpg)


À tarde, no tiro de campo, os caçadores tinham que acertar cinco alvos em distâncias que variavam entre 300 e 700 metros. Ao ser indicado o alvo, a dupla de caçadores tinha dois minutos para avaliar a distância, o vento, realizar os demais cálculos que envolvem o tiro e por fim disparar.

(http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/noticias/img/2006/tc01.jpg)

(http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/noticias/img/2006/t03.jpg)

(http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/noticias/img/2006/tc02.jpg)

video: http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/noticias/videos/stress.wmv

Resultados do exercicio: http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/result.html (http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/result.html)
Título:
Enviado por: brunoreis em Junho 24, 2009, 03:31:56 pm
Grande sniper, sim sra  :)
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Junho 24, 2009, 05:26:51 pm
De quem é que é suposto ser a foto usada no alvo? De um camarada? Ou de um "jagunço" qualquer? :mrgreen:

(http://www.fuerzascomando2009.eb.mil.br/noticias/img/2006/tf05.jpg)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 24, 2009, 08:15:28 pm
Uma coisa que ressalta à vista é que esta prova é mais virada para a capacidade individual do militar do que própriamente as qualificações do mesmo. Aposto que há muito instrutor da EPI (usando uma escola prática que não é parte das "Tropas Especiais") que faria muito boa figura!

O 1º lugar do Brasil, para mim era esperado, basta saber como eles fazem a selecção e formação dos militares que compõe a Brigada. Agora o 6º lugar dos US SF, do Chile e da Argentina...tanta garba e...nada. :lol:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 25, 2009, 03:18:03 pm
Exército brasileiro vence competição militar com 20 países das Américas, em Goiânia, e se firma como realidade para atuar em conflitos regionais

Isabel Fleck

 

Por seis dias, os sete militares mais bem preparados das forças especiais de 21 países das Américas deram, em Goiânia, uma pequena demonstração do que cada Exército é capaz. Com diferentes táticas, armas e equipamentos, eles passaram pelas mesmas provas e enfrentaram os mesmos obstáculos. A equipe brasileira foi a que melhor combinou capacidade física com habilidades militares, e conquistou o primeiro lugar. Mais do que a vitória, no entanto, o Brasil comemora a projeção do seu Exército, depois dos bons resultados na competição, realizada pela primeira vez no país.

Para o governo brasileiro, vencer Exércitos como os dos Estados Unidos e da própria Colômbia (1)— campeã invicta nas últimas três competições e que tem sido patrocinada nos últimos nove anos por Washington — representa muito mais do que ter uma equipe bem preparada. Mostra à grande potência militar do continente que o Brasil tem propriedade não só para atuar, mas também para liderar esforços conjuntos em situações de conflito na região.

Do lado norte-americano, o interesse foi confirmado pela grande presença militar do país, representado pelo Comandante de Operações Especiais dos EUA, Eric Olson, e por uma delegação de quase 60 pessoas. “Esse tipo de encontro nos permite dividir ideias de como melhor trabalhar juntos, em um nível estratégico. E nós queremos trabalhar com outros países, queremos dialogar e aprender com cada um”, confirmou o porta-voz do Comando Sul do Exército norte-americano, Armando Hernandez.

Mas se o encontro militar serviu como “vitrine” para as forças especiais brasileiras, também foi útil para ajudar a integrar os exércitos de países da região que fazem parte do Conselho de Defesa Sul-Americano, idealizado pelo Brasil. Das 12 nações que compõem a União de Nações Sul-Americanas (Unasul), oito participaram da competição — com exceção de Venezuela, Bolívia, Guiana e Suriname. “Essa troca de experiências que ocorre aqui é muito importante, pois favorece o aumento da confiança entre os exércitos. No caso de uma operação conjugada (no futuro), as equipes já se conhecem, o que facilita muito o trabalho”, observou o porta-voz da Brigada de Operações Especiais, Luís Gustavo Stumpf.

O capitão da equipe chilena, tenente Raul Saez, concorda que o encontro ajuda a criar um clima de confiança na “base”. “O melhor de tudo é a interação com outras equipes, outras culturas. E dessa interação acaba surgindo um grupo de amigos que, ano a ano, se encontra nessa competição”, disse Saez. Já o líder do time da Nicarágua, capitão Rodolfo González, destaca a possibilidade de reavaliar técnicas militares como um dos pontos positivos do encontro. “Do ponto de vista tático, a competição é muito importante, porque se aprendem técnicas de outro Exército que podem ser aplicadas ao nosso”, revelou.

 

TÁTICAS

Enquanto os 147 militares que formavam as 21 equipes suavam a farda nas provas de resistência e de habilidades técnicas, comandantes das forças especiais de cada país participavam de um seminário sobre táticas antiterror e metodologias usadas em ambientes de conflito, como o Iraque e o Haiti. Para os participantes, a oportunidade é de aprender com os acertos dos outros países, que são revelados a portas fechadas. “Aqui, tiramos muitos ensinamentos que vão nos ajudar a melhorar nossa doutrina e a preparar nosso soldado”, admite o general Ricardo de Matos Cunha, 1º subchefe do Comando de Operações Terrestres.

O militar afirma que a experiência brasileira no Haiti também vem sendo acompanhada com atenção pelos outros países. “Não é de hoje que o Brasil tem se projetado internacionalmente, principalmente na parte militar. As nossas atuações em operações de paz, desde a década de 1950, quando fomos para o Canal de Suez, e depois na América Central, na África e, principalmente, no Haiti, nos garantem uma posição de destaque no concerto dos exércitos internacionais”, destacou.

 

(1) PLANO COLÔMBIA

Desde 2000, os EUA ajudam o combater o narcotráfico e os grupos armados por meio do Plano Colômbia. Nesse período, Washington já investiu US$ 5 bilhões no Exército do país sul-americano, se tornando o maior destino de ajuda militar dos EUA fora do Oriente Médio. O Plano Colômbia foi decisivo para capacitar as Forças Armadas colombianas: os efetivos aumentaram 50%, o setor de inteligência se refinou e a aquisição de modernos helicópteros e aviões, inclusive Supertucanos brasileiros, deu mobilidade às tropas. Os EUA tiveram papel decisivo nos recentes resgates de reféns das Forças Armadas Revolucionárias da

Colômbia (Farc).

Sem moleza

Como são algumas das provas realizadas pelas forças especiais

 

Assalto combinado

A equipe é dividida em dois grupos. Logo após o primeiro “varrer o local” com um tiro, o outro simula a entrada em uma casa dominada por sequestradores ou terroristas. São avaliadas a agilidade e a pontaria dos militares, que devem ter atenção com os reféns.

 

Pista de obstáculos

O tempo é o principal adversário nessa pista onde os militares precisam escalar paredões, rastejar sobre a areia, sair de um fosso de mais de 2m de profundidade e atravessar trechos com cordas.

 

Natação

De farda, os militares caem na água para nadar 300m com obstáculos.

 

Marcha orientada

Os participantes levam cerca de três horas para completar a prova. A meta é marchar 20km carregando uma mochila de 15kg e armamento.

 

Evento aquático

Uma das provas mais difíceis, já que intercala trechos terrestres e aquáticos. Os militares devem carregar o bote no qual vão remar por toda a extensão de um lago, carregar um ferido, nadar com uma mochila de 20kg e atirar em alvos a diferentes distâncias.

 

Tiro de  campo

A equipe de caçadores tem 10 cartuchos para acertar cinco alvos pré-posicionados a distâncias desconhecidas[/quote]

 :arrow: http://www.youtube.com/watch?v=-wtt8sUz ... r_embedded (http://www.youtube.com/watch?v=-wtt8sUz8Ws&feature=player_embedded)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 27, 2009, 10:51:05 am
:shock:  :D

PORRA!!!
Título:
Enviado por: Portucale em Junho 27, 2009, 05:57:57 pm
Parece que os Brasileiros sabem o que querem………
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 30, 2009, 02:39:34 pm
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
EXTRATO DE CONVÊNIO

Espécie: Convênio Nº 00005/2007. Nº Processo: 0714500.

Concedente : DEPARTAMENTO DE CIENCIA E TECNOLOGIA,

Unidade Gestora: 160076, Gestão: 00001.
Convenente : FUNDACAO RICARDO FRANCO, CNPJ nº 02.519.717/0001-70.

Objeto: Avaliação do protótipo e a produção do lote piloto (16 unidades)
da viatura blindada transporte de pessoal média de rodas, 6x6
(VBTP-MR).

Valor Total: R$ 26.320.000,00,

Valor de Contrapartida: R$ 50.000,00,
Valor a ser transferido ou descentralizado no exercício em curso : R$ 4.984.560,00,
Valor previsto para exercícios subseqüentes: R$ 21.285.440,00.

Crédito Orçamentário: PTRES: 3562,

Fonte Recurso: 0100000000, ND: 445039,
 
Num Empenho: 2009NE900149.

Vigência: 30/06/2009 a 11/12/2011.
Data de Assinatura: 29/06/2009.
Signatários: Concedente : DARKE NUNES DE FIGUEIREDO, CPF nº033.922.107-06,
Convenente : EDIVAL PONCIANO DE CARVALHO, CPF nº 027.827.317-34.
(SICONV - 29/06/2009)
Título:
Enviado por: 2dmaio em Julho 04, 2009, 10:22:47 pm
O Exército informou que os helicópteros Pantera (CAvEx), terão uma versão armada com metralhadora .50 e foguetes Avibrás SBAT-60. Ainda não foi divulgado quantos helicópteros serão modificados.

http://www.helibras.com.br/detProdutos. ... a=M&area=D (http://www.helibras.com.br/detProdutos.asp?codProduto=29&linha=M&area=D)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 21, 2009, 04:15:02 pm
Pelos visto o EB vai adquir MI-35 tal como a FAB já tinha adquirido.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 13, 2009, 12:01:22 pm
:arrow: http://www.youtube.com/watch?v=MGTbQwBISFw (http://www.youtube.com/watch?v=MGTbQwBISFw)
Título:
Enviado por: João das Caldas em Agosto 13, 2009, 01:04:06 pm
O pdf estava bonito sim senhor, mas como grande parte dele não é mais que pura especulação, é esperar para ver.. Não estou a ver o Tio Lula a remodelar ou inovar nada (militarmente), não é daí que vêm os votos.

Mesmo assim parecer estar tudo no bom caminho (teoricamente), até a missão no Haiti parecer estar a ser positiva :)
Título:
Enviado por: Daniel em Agosto 13, 2009, 05:00:01 pm
Cabeça de Martelo
Citar
http://www.youtube.com/watch?v=MGTbQwBISFw (http://www.youtube.com/watch?v=MGTbQwBISFw)


Excelente video, fiquei surpreso confesso, muito bom mesmo, creio que o brasil neste momento só peca pela falta de caças, força Brasil. c34x
Título:
Enviado por: Templário em Agosto 20, 2009, 07:35:39 pm
Citação de: "Paisano"
Capitão-Mor Pedro Teixeira - O conquistador da Amazônia


http://www.youtube.com/watch?v=M9e_A_Ys21s

Expedição que contou muitos indios-nativos, entre colonos lusos eurobrasileiros e alguns padres portugueses e espanhois que o acompanharam.

Gostava de ter acesso ao resto do documentário de TV - que deve ser uma ponte entre o passado e a evolução moderna do Brasil

Herói de Portugal e Brasil e da história comum, como Antonio Raposo Tavares, Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhangüera, Manuel Preto, Dias Pais e muitos, muitos outros cujo o nome merece ser lembrado.
Título:
Enviado por: Paisano em Setembro 04, 2009, 10:17:07 pm
Exército, esse desconhecido*

Fonte: http://defesabrasil.com/site/noticias/e ... hecido.php (http://defesabrasil.com/site/noticias/exercito/exercito-esse-desconhecido.php)

Citar
O Brasil tem Exército, instituição nacional permanente. Isso é bom para todos os brasileiros, em qualquer situação.

Em certa ocasião, um general norte-americano me pediu que comparasse o Exército brasileiro ao de seu país. Respondi-lhe que o meu Exército era nacional, comprometido com a manutenção da paz ao longo de um arco de fronteira com dez nações, articulado nos três níveis da administração do país e a última barreira na manutenção da lei e da ordem. Ele me agradeceu e disse que minha resposta tinha sido muito útil. Imagino que sim, mas sempre achei que, de alguma forma, ela podia ser útil à minha sociedade.

Compreender por que um Exército é nacional fica mais fácil identificando o que não o faz assim. Há os que se portam como forças de ocupação em seu próprio território, alheios às comunidades locais. Outros se equilibram em frágeis arranjos pós-guerras civis que se refletem na sua heterogênea composição étnica, ideológica ou sectária.

Uns são instrumentos exclusivos de grupos ou indivíduos, sendo empregados à revelia da sociedade a que nominalmente servem. Alguns não têm uma história correspondente à evolução da nacionalidade, tamanhas as rupturas ocorridas, e há os que falharam na sua missão de proteger a sociedade de seus inimigos internos e externos, comprometendo a soberania e o seu exercício.

Isso para não falar das forças mercenárias que defendem interesses políticos e econômicos ao redor do planeta sem nenhum compromisso cívico, moral ou ético.

Um Exército faz parte da estrutura de uma sociedade e é difícil concebê-la politicamente organizada sem ele. Mais do que combater, um Exército sintetiza o monopólio da violência pelo Estado no mais elevado nível.

Por ser uma organização regida por normas relativamente duradouras e por atender a uma demanda social básica (segurança), o Exército é uma instituição. Regras de controle social sobre ele incidem para que cumpra sua destinação e obedeça às autoridades constituídas na forma da lei. É um dos instrumentos da política, sem sê-lo partidário.

Os Exércitos são constituídos essencialmente por soldados. Ao longo da história, o ethos individualista e heroico do guerreiro deu lugar à ética da submissão voluntária às ordens dos comandantes. Assim, disciplina e hierarquia se conjuminaram à coragem e à determinação para permitir a manobra, a combinação de fogo e movimento que a ciência militar levou ao estado da arte no último conflito mundial.

É central no trabalho de Max Weber a tese da extensão da disciplina militar à sociedade, "dando origem a toda disciplina".

É compreensível, portanto, que políticos, empresários e comentaristas recorram a metáforas militares. Menos compreensível é a perda da consciência nacional no "espírito do povo" tornada possível, dentre vários motivos, pela percepção insuficiente da sociedade brasileira a respeito do seu Exército, na verdade, o nosso Exército, a que me referi como "meu" em minha resposta ao general.

O Brasil tem história e a ventura de haver caminhado pelo seu lado certo, ficando ao largo de guerras de conquista, totalitarismos e genocídios.

Mais antiga do que está acostumada a se enxergar, a nação conquistou a sua independência por meio de uma guerra que não apagou o legado colonial de lutas da população na defesa de seu território, cultura e patrimônio, obrigada depois a travar outras circunscritas aos mesmos propósitos.

Revisitar esse passado sem revisionismo ajudaria a construir o conhecimento histórico que nos tem faltado para produzir o conhecimento necessário ao desenvolvimento de nossa sociedade.

O Brasil tem Exército, instituição nacional permanente, como a Marinha e a Aeronáutica, organizada com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do presidente da República, e ele destina-se à defesa da pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

Isso é bom para todos os brasileiros, em qualquer situação.

*Sérgio Paulo Muniz Costa é historiador. Foi delegado do Brasil na Junta Interamericana de Defesa, órgão de assessoria da OEA (Organização dos Estados Americanos) para assuntos de segurança hemisférica.[/i]
Título:
Enviado por: Paisano em Setembro 04, 2009, 10:34:11 pm
Batalhão Pedro Teixeira

Fonte: http://www.exercito.gov.br/06OMs/Infant ... indice.htm (http://www.exercito.gov.br/06OMs/Infantar/Batalhao/Selva/2bis/indice.htm)

Citar
2º Batalhão de Infantaria de Selva - Batalhão Pedro Teixeira

(http://www.exercito.gov.br/06OMs/Infantar/Batalhao/Selva/2bis/Imagens/2bisl.gif)

O 2º BIS, criado em 1969 e sediado em Belém, é uma das mais tradicionais organizações militares do Exército, tendo um de seus elementos formadores, o 15º Batalhão de Caçadores, participado da Campanha da Tríplice Aliança.

Possui como patrono a figura impoluta do português Pedro Teixeira, cujos feitos ganharam dimensão nacional. O historiador luso Jaime Cortesão afirmava que “as expedições de Raposo Tavares e Pedro Teixeira são os fatos que primeiro e melhor conduzem à delimitação do território brasileiro”.

O 2º BIS vangloria-se em ostentar a denominação histórica de “Batalhão Pedro Teixeira”, o grande reconhecimento a esse inigualável devoto da Amazônia.

Estandarte do 2º BIS

“Forma retangular, tipo bandeira universal. Campo em verde, representativo da arma de Infantaria. Em brocante e em abismo, um escudo português peninsular, de goles, com bordadura de prata, encimado de virol de goles e prata, sobreposto às insígnias da arma de Infantarria, de ouro. O escudo contém em brocante, três manoplas em roquete, de prata. Encimando o conjunto, a denominação histórica “Batalhão Pedro Teixeira”, em arco e em prata. Nos cantões destro e sinistro do contra-chefe, de prata, as divisas “Avaí” e “Lomas Valentinas”. Franja em ouro em toda a volta do campo. Laço militar nas cores nacionais, tendo inscrito, em caracteres de ouro, a designação militar da unidade.”

(http://www.exercito.gov.br/06OMs/Infantar/Batalhao/Selva/2bis/Imagens/estandar.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Outubro 31, 2009, 03:59:35 pm
Citar
KMW entrega oficialmente o primeiro Carro de Combate LEOPARD 1A5 ao Exército Brasileiro

        - Total de 220 carros serão fornecidos ao Brasil provenientes dos estoques do Exército Alemão até 2012.
        - KMW recondiciona o veículo na Alemanha e dará apoio no Brasil


Kassel, 29 Outubro 2009 – No dia 28 de Outubro de 2009, a Krauss-Maffei Wegmann (KMW) entregou oficialmente o primeiro dos 220 carros de combate LEOPARD 1A5 ao Exército Brasileiro nas instalações da companhia em Kassel, Alemanha. Os carros de combate (CC) são originários das reservas do Exército Alemão e foram recondicionados e modernizados ao estado da arte neste ano. As entregas de todos os sistemas ocorrerão até 2012.
(http://www.defesanet.com.br/yy/afv/leo/leopard_1a5_dm.jpg)
http://www.defesanet.com.br/afv1/leo_1.htm# (http://www.defesanet.com.br/afv1/leo_1.htm#)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Novembro 28, 2009, 11:42:39 pm
Citar
(http://img5.imageshack.us/img5/5351/torreaumentadal.jpg)
Brasilia, 27 de noviembre (Télam).- El gobierno brasileño anunció la fabricación de 2.000 vehículos blindados para el Ejército, por unos 3.500 millones de dólares en los próximos veinte años, inversión que se enmarca en la nueva Estrategia Nacional de Defensa lanzada el año pasado.
"El presidente autorizó el inicio del proyecto Guaraní, de vehículos blindados, que va a substituir todo el sistema de movilidad de Ejército", declaró el ministro de Defensa, Nelson Jobim, consignó la agencia Ansa.
El blindado Guarani, de 18 toneladas, que puede transportar por tierra y agua hasta 11 militares, es propulsado por un motor diesel y su diseño permite la colocación de un cañón o ametralladora. La primera unidad será construida en 2010.
Los blindados serán fabricados por la empresa Fiat Iveco, vencedora de la licitación en 2007, en su planta de Sete Lagoas, estado de Minas Gerais.
En tanto, el Ejército recibió el miércoles a una delegación rusa que ofreció detalles sobre baterías antiaéreas.
Esa fuerza también estudia la compra de misiles, aviones no tripulados y sistemas de radares para los pelotones amazónicos. (Télam)
http://www.elpatagonico.net/index.php?i ... 23&sec=ext (http://www.elpatagonico.net/index.php?item=viewlast&ref=ultimas&id=46623&sec=ext)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Paisano em Dezembro 16, 2009, 12:24:19 am
(http://www.defesanet.com.br/yy/md/md_09dez09.jpg)
Fonte: http://www.defesanet.com.br (http://www.defesanet.com.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 16, 2009, 10:00:41 am
Vejam onde está os Pára-qedistas e as Operações Especiais/Comandos... mesmo no meio do território Brasileiro.

Há um aumento na tropa na fronteira e uma reposisionação no Território Nacional.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 02, 2010, 12:03:46 am
Teste ao novo carro de combate brasuca

(http://i46.tinypic.com/2n7jqsj.jpg)
http://poadu.files.wordpress.com
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 06, 2010, 01:13:11 pm
A história de um grande senhor:


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 06, 2010, 01:37:02 pm
Citação de: "Marino"
O Globo:
Entre o céu e o inferno

Penetramos na disputada Brigada de Infantaria Paraquedista, que terá a sede mudada do Rio para o centro do país

Por Chico Otávio

(http://oglobo.globo.com/fotos/2010/04/04/04_MHG_rio_pequedes3.jpg)

O vexame é grande, mas já foi pior. O museu da unidade guarda a forca onde os voluntários eram obrigados a botar a cabeça e anunciar a desistência.

Agora, tempos mais amenos, basta subir ao pedestal, expor o rosto na pequena abertura que dá para o campo de instrução e tocar um sino. Menos um.

Não há quem desça de lá de cabeça erguida. Ainda assim, todos querem correr o risco. Parece o treinamento de “Tropa de elite”, só que sem o Capitão Nascimento.

O sonho de todos é fazer parte da Brigada de Infantaria Paraquedista, a mais famosa tropa especial das Forças Armadas, e marchar com os lendários coturnos marrons, projeto de vida que não perde o encanto para jovens das periferias do Rio de Janeiro.

(http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/04/04/penetramos-na-disputada-brigada-de-infantaria-paraquedista-que-tera-sede-mudada-do-rio-para-centro-do-pais-916243912.asp#)

Somente naquele dia, foram 13 badaladas. As desistências, agravadas pelo calor severo, chegariam na primeira etapa (testes físicos) a 30% do total de voluntários do curso básico para oficiais e sargentos. Entre os que ficam, alguns recorrem ao direito a um atendimento médico durante a etapa para deixar o campo de instruções sem ter de subir ao pedestal. Um deles passa mancando por um oficial, que ironiza: — Isso parece pé-pretismo.

É uma alusão pejorativa ao soldado comum, que usa botas pretas e não tem o status do paraquedista.

— Para ser paraquedista, o voluntário não pode ter medo do solo ou pena do corpo — emenda o oficial.

Quem superar as provações, incluindo a terrível ginástica com toros, peça cilíndrica de ferro puro, erguida dezenas de vezes nos exercícios, chegará aos quatro saltos exigidos para receber o brevê e ao privilégio de usar as botas marrons e ostentar no peito o distintivo das asas de prata.

Mas a turma que se forma agora pode ser uma das últimas a festejar a formatura na Vila Militar do Rio. O projeto Braço Forte, lançado pelo Exército com as diretrizes para a reorganização da força, prevê a transferência da brigada para o Planalto Central, junto com os aviões de transporte da Força Aérea.

Formada por 15 quartéis com um total de cinco mil homens, a brigada dos soldados voadores da Vila Militar, em Deodoro, Zona Oeste, é movida por adrenalina. Logo no primeiro batalhão, uma placa expõe a política do lugar: “Tropa para homens de coragem e determinação.” A tensão faz parte da rotina, a ponto de existir um plano de pressão psicológica para a tropa. Afinal, em casos de conflitos, os paraquedistas são a primeira força a ser empregada, razão pela qual seus integrantes devem estar prontos para o lançamento na frente de combate em no máximo 48 horas.

De três a quatro vezes ao ano, a brigada testa sua capacidade de mobilização. Sem aviso prévio, os comandantes acionam o Plano de Chamada, que consiste em ativar uma teia de ligações telefônicas para achar todos os soldados, onde estiverem.

Desde 1944, quando o então capitão Roberto de Pessoa, primeiro paraquedista militar brasileiro, concluiu o curso nos Estados Unidos (no ano seguinte, ele ajudaria a fundar a brigada no Rio), a unidade acumulou poucas e discretas experiências de combate real.

Uma delas foi a campanha do Araguaia, confronto entre patrícios no regime militar dos anos 70. A outra, igualmente secreta, foi o lançamento de unidades na região do Rio Traíra, na fronteira da Amazônia brasileira com a selva colombiana, em retaliação ao ataque-surpresa dos guerrilheiros das Farc a um posto militar, em 1991.

Em tese, a decisão de transferir a brigada para o centro do país é uma estratégia de defesa. Além de ficar perto de Brasília, encurtaria a distância de áreas prioritárias, como a Amazônia. Outra razão é o crescente aumento do tráfego aéreo civil no Rio de Janeiro, que atrapalha as operações com as aeronaves de lançamento de tropas do Campo dos Afonsos.

Todavia, há outra motivação, mais reservada, para a saída da cidade: a preocupação do Exército com a cobiça do narcotráfico carioca no recrutamento, para as suas fileiras, do valente e bem treinado soldado pequedê.

Longe do Rio, o Exército estaria livre do risco. Mas, enquanto a mudança não acontece, a brigada reforça, a cada ano, os cuidados para impedir a contaminação. Já nos processos de seleção, o serviço de inteligência da unidade infiltra agentes entre os candidatos para checar se algum deles está envolvido, direta ou indiretamente, com o tráfico de drogas.

Até mesmo o endereço declarado pelo candidato é investigado, incluindo visitas ao local de residência. Este cuidado pode determinar o corte imediato do interessado, caso se verifique que ele mora em comunidades acossadas pela violência.

O futuro destino da brigada ainda não foi definido, mas estão cotadas as cidades de Anápolis (GO), Palmas (TO) e o Triângulo Mineiro.

No Rio, ficaria apenas uma brigada leve, com menos soldados e equipamentos.

Mas não há prazo definido para a transferência.

Paraquedistas veteranos concordam com a mudança, mas temem que os futuros soldados, recrutados em cidades do centro do país, mudem o perfil da corporação: — Apesar dos perigos que o Rio oferece, os recrutas daqui são espertos e versáteis. Se viram bem em qualquer situação, ao contrário dos garotos de lá — diz um oficial.

A brigada oferece dois cursos básicos, um para oficiais e sargentos e outro para recrutas.

Desde que foi fundada, em 1945, já receberam o brevê 77.740 paraquedistas.

A peneira começa sempre no ano anterior, quando seis mil voluntários, de 18 e 19 anos, se alistam na brigada. Até o fim do processo, cinco mil vão ficar pelo caminho, reprovados pelo exame médico-dentário (jovens com menos de 1,60 metro ou problemas de visão são automaticamente descartados), entrevistas sócio-psicológicas, pesquisa social (avalia a origem do candidato) e o primeiro exame físico, onde só passa quem conseguir subir numa corda de três metros, correr 2,2 mil metros em 12 minutos e fazer inúmeros saltos da torre, flexões e barras.

Em março, mês da incorporação, os mil selecionados passam a ser recrutas, mas terão de marchar os quatro meses seguintes, até o primeiro salto, de coturnos pretos.

A maior parte dos inscritos mora em bairros próximos, nas zonas Norte e Oeste, e em municípios da Baixada Fluminense.

Poucos chegaram ao ensino médio, perfil que faz do paraquedista um soldado privilegiado: sem boa instrução, o pequedê ganha R$ 800 mensais (o vencimento de um cabo chega a R$ 2 mil) e tem mais chance do que qualquer outro, após o serviço militar, de conseguir emprego na vida civil, principalmente na área de segurança privada — uma história já registrada no documentário “PQD”, de Guilherme Coelho.

A sargento Marília Gomes de Carvalho, de 28 anos, queria tanto ser paraquedista que, quando se candidatou (na época, já estava no Exército), recorreu a um treinador pessoal para ajudá-la a superar as provas físicas. Desde 2007 na brigada, Marília, moradora de Campo Grande, já acumula 14 saltos. Ela garante que não tem medo do que faz, porque confia nas instruções que recebe e no equipamento.

 

Mas nem todos da família pensam o mesmo.

— Nunca conto para minha mãe quando vamos voar. Só depois — diz ela.

Nas primeiras semanas, o recruta recebe a instrução militar tradicional, na qual aprende a marchar e fazer ordem unida, junto com a preparação física para o curso básico de paraquedismo.

Após outro teste físico, ele ingressa na área de estágio, um amplo e rústico centro de instruções onde se qualificará para o primeiro salto. São, seguramente, as duas mais difíceis semanas de preparativos.

Nessa fase, pelo menos 50 soldados não resistem aos rigores dos exercícios e tocam o sino da desistência.

— Já vai tarde — zomba um dos instrutores.

Apesar de toda a pressão, temperada pelos gritos e apitadas dos instrutores, os recrutas aprendem ali que a brigada é a mais democrática das unidades militares, porque, quando a tropa pula, todos os paraquedistas (oficiais e praças) são iguais no ar, e um depende do outro para uma descida segura.

— Já vi um general receber ordens de um sargento, que era o mestre-salto daquele avião mdash; conta um veterano paraquedista.

Como a pista de pouso, vizinha à brigada, e as aeronaves pertencem à Aeronáutica, o tal campo de instrução é o diferencial da brigada na Vila Militar.

O lugar é uma espécie de fitness rudimentar, com pesos de cimento, barras castigadas pela ferrugem e outras peças rústicas, como os toros de ferro — substitutos dos dormentes de trem usados no passado.

Mas ninguém se preocupa com as aparências. O que importa é a carga física e a capacidade de superação do recruta.

Ambulâncias com equipes atentas acompanham toda a jornada. Quando o calor é muito forte, o risco de intermação (estado mórbido produzido pelo calor) pode suspender a instrução.

Foi dali, garantem seus comandantes, que saíram no fim dos anos 70 os primeiros quadros do famigerado Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM. Outro filho da unidade é o antigo Batalhão de Forças Especiais do Exército, hoje transformado também em brigada.

Além das torres de saltos simulados, são atrações do campo as réplicas camufladas de três aviões usados no lançamento de paraquedistas (Bandeirantes, Hércules e Amazonas). Embora reproduzam as fuselagens originais, os protótipos, toscos, nem de longe compõem uma base aérea cenográfica. Servem apenas para reproduzir, na “aeronave”, todas as etapas que precedem o pulo.

Se resistir às duas semanas de estágio no campo, o recruta está apto para o momento mais importante dos quatro meses de instrução: o salto semiautomático, a 330 metros de altitude, na própria pista dos Afonsos.

Os militares brasileiros operam basicamente com dois tipos de salto. O mais difícil é o salto livre, feito a grandes alturas (até 11 mil metros), no qual o próprio militar aciona o paraquedas retangular, podendo direcionálo e aterrar em “áreas restritas”.

 

Já o salto mais simples é chamado de semiautomático porque o paraquedas é aberto sozinho, quatro segundos após o pulo, por uma fita conectada à aeronave.

Certa ocasião, nos anos 1990, essa fita não arrebentou, e um paraquedista, preso do lado de fora do avião, acabou arrancando com o corpo o leme de profundidade do aparelho. Era um Bandeirantes C-95 da FAB, que lançava paraquedistas na Restinga de Marambaia e virou imediatamente de cabeça para baixo, caindo instantes depois sobre uma casa no Recreio.

Quatro militares morreram, inclusive o responsável indireto pelo acidente, mas outros sete paraquedistas a bordo conseguiram saltar e sobreviver.

Um deles contou que teria oferecido um paraquedas ao mecânico, que preferiu ficar a bordo.

Hoje, em saltos semiautomáticos, o mestre-salto, militar responsável pela checagem do equipamento e pelo lançamento da tropa, incorporou uma faca a seu equipamento essencial.

— Se um paraquedista ficar preso e a situação colocar em risco a aeronave e seus tripulantes, não tenho dúvida: corto a corda e mando ele embora — diz um dos mais experientes da brigada.

Outro risco, instantes após o salto, é de entrelaçamento, situação que impede a abertura completa dos paraquedas.

Como o salto semiautomático é curto, para evitar que o militar seja abatido no ar em situações de combate, restaria pouco tempo para o acionamento manual do paraquedas reserva.

Além dos quatro saltos obrigatórios para o brevê, os paraquedistas terão ainda, no último pulo da série, de simular o assalto a uma força inimiga, seguida de uma marcha de combate que pode chegar a até 15 quilômetros, carregando todo o equipamento e armamento, que pesam cerca de 60 quilos.

Uma vez formados, os militares têm direito a ficar até seis anos em quartéis da brigada antes de ir para a reserva. Nesse período, precisam dar, no mínimo, quatro saltos por ano para não perder os conhecimentos adquiridos.

No mês passado, 480 paraquedistas aguardavam, num galpão chamado “rodoviária”, o momento de embarcar nos dois Hércules C-130 que faziam as operações naquele dia. Como chovia fino, parte do grupo, frustrada, foi mandada de volta à caserna, porque os oficiais temiam o desgaste dos paraquedas, que a cada secagem perdem a capacidade de reter o vento em seu tecido.

Agora, os que ficam não escondem a ansiedade que antecede a decolagem. O avião levanta voo e faz uma longa curva pelo flanco esquerdo da pista. Do alto, as portas abertas exibem os poucos edifícios, as casas e muitos barracos da Zona Oeste. O barulho dos motores, que invade a cabine, é ensurdecedor.

O paraquedista precursor (o primeiro a pular) se agacha e observa a manobra com a cabeça para fora do Hércules. Na gíria da brigada, ele “cheira o vento”. Ao verificar que o avião está na rota, comunica ao piloto, por intermédio do mecânico.

O mestre-salto, em seguida, dá uma ordem antes de contar o número de paraquedistas: — Preparar, levantar, enganchar.

 

Verificação de equipamento.

Em seguida, grita: — À porta! Os olhos do precursor, primeiro da fila, que se agarra à porta, se concentram nas lâmpadas comandadas pelo piloto.

Em segundos, a vermelha se apaga, substituída pela verde. O precursor, então, berra: — Já! E salta, seguido pelos demais companheiros.

Sonhando alto Num centro de instruções rústico (à esquerda), que simula as saídas do avião, militares se preparam antes de entrar numa aeronave de verdade (abaixo): a decisão de transferir a brigada para o centro do país é uma estratégia de defesa, mas há outras razões, como o crescente aumento do tráfego aéreo civil no Rio e a preocupação do Exército com a cobiça do narcotráfico no recrutamento dos valentes e bem treinados pequedês

Tiro e queda Depois dos saltos (abaixo), uma equipe especial cuida da dobragem dos paraquedas (à esquerda): além dos quatro pulos obrigatórios, os paraquedistas terão ainda, no último da série, de simular o assalto a uma força inimiga, seguida de uma marcha de combate que pode chegar a 15 quilômetros, carregando todo o equipamento e armamento, que pesam cerca de 60 quilos; no ar, no entanto, oficiais e praças são todos iguais e um depende do outro
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Paisano em Abril 19, 2010, 10:50:41 pm
(http://4.bp.blogspot.com/_dTibRPk7UfE/S8uohPDG4KI/AAAAAAAABYU/KBST6XcsI4g/s1600/batalha+de+gurarapes+%283%29.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: marcelo bahia em Abril 28, 2010, 09:31:38 am
Citar
Lula confirma encomenda de 2.044 veículos blindados Guarani para o Exército brasileiro

Exército e Iveco assinam contrato de produção da VBTP-MR Guarani.

Exército
Escrito por Defesa Brasil
Qui, 17 de Dezembro de 2009 21:38

Acordo prevê a fabricação no Brasil de 2.044 unidades.

Da Redação

Foi assinado nesta sexta-feira (18/12), em Brasília, o contrato de produção do Projeto da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Média de Rodas (VBTP-MR). O General-de-Exército Fernando Sérgio Galvão, Chefe do Estado-Maior do Exército e o Presidente da IVECO, Marco Mazzu assinaram o acordo no Gabinete do Comandante do Exército, no Quartel-General do Exército, no Setor Militar Urbano (SMU). O contrato prevê a fabricação no Brasil de 2.044 unidades da VBTP-MR em um período de 20 anos.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 19, 2010, 11:01:27 am
Citação de: "jauro"
NA SELVA
(http://www.53bis.eb.mil.br/2010/fev/ebas/imagens/3_jpg.jpg)
(http://www.53bis.eb.mil.br/2010/fev/ebas/imagens/4_jpg.jpg)
(http://www.53bis.eb.mil.br/2010/fev/ebas/imagens/6_jpg.jpg)
(http://www.53bis.eb.mil.br/2010/fev/ebas/imagens/7_jpg.jpg)
(http://www.53bis.eb.mil.br/2010/fev/ebas/imagens/8_jpg.jpg)
(http://www.53bis.eb.mil.br/2010/fev/ebas/imagens/10_jpg.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 30, 2010, 11:21:47 am
Novo Fuzil Imbel

 :arrow: http://pbrasil.wordpress.com/2010/06/30 ... zil-imbel/ (http://pbrasil.wordpress.com/2010/06/30/exclusivo-novo-fuzil-imbel/)

Vamos ver se é melhor do que o MD-2.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Agosto 01, 2010, 11:58:27 pm
Citar
Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande recebe viaturas Marruás-Agrale

Foi realizada no dia 17 de julho, a bordo do Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande, a cerimônia de recebimento das viaturas Marruás-Agrale, presidida pelo Vice-Almirante Arthur Pires Ramos, Comandante do 5° Distrito Naval.

O Comando de Material de Fuzileiros Navais concluiu o processo de especificação das viaturas operativas de meia tonelada, sendo designadas cinco destas para o Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande.
(http://www.mar.mil.br/menu_h/noticias/Com5DN/imagens/autoridades_recebemviatura.gif)
(http://www.mar.mil.br/menu_h/noticias/Com5DN/imagens/apresentacao_viatura.gif)
http://www.mar.mil.br/menu_h/noticias/Com5DN/gptRSrecebeviaturas.htm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 14, 2010, 04:10:57 pm
Pela primeira vez, mulheres fazem o curso de guerra na selva do Exército

 :arrow: http://video.globo.com/Videos/Player/Es ... TO,00.html (http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1335625-7824-PELA+PRIMEIRA+VEZ+MULHERES+FAZEM+O+CURSO+DE+GUERRA+NA+SELVA+DO+EXERCITO,00.html)

Pode-se ver a nova espingarda-automática Brasileira no video.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2010, 03:09:05 pm
Uma página com fotografias espectaculares do Exército Brasileiro na Selva Amazónica:

 :arrow: http://www.lost.art.br/cigs.htm (http://www.lost.art.br/cigs.htm)

Cliquem para o lado direito e não para baixo para verem as restantes fotografias.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Upham em Outubro 01, 2010, 04:03:45 pm
Boa tarde!

Citação de: "Cabeça de Martelo"
Uma página com fotografias espectaculares do Exército Brasileiro na Selva Amazónica:

c34x

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2010, 04:08:20 pm
Afirmativo. Como houve umas mortes durante um Curso da Guerra na Selva no CIGS, o Exército deixou 2 Sargentos fazerem o curso. Fica bem na foto e assim o pessoal pode sempre dizer que se as mulheres fazem, não deve ser assim tão duro. Na prática elas não são tão pressionadas e tem bastantes abémias (segundo contaram-me). Muitas dessas fotos são com os instrutores do CIGS. Esses animais são perfeitos para aquela região, praticamente não precisam de cuidados, carregam uma carga enorme, enfim exactamente o que eles precisam.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: corapa em Outubro 01, 2010, 04:38:46 pm
Esta um militar nosso a frequentar o curso actualmente.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2010, 04:59:38 pm
Comando? Já vi um video no youtube em que aparecia um Oficial dos Rangers (Tenente?) a fazer o dito curso.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: corapa em Outubro 01, 2010, 06:59:09 pm
Exacto, é do CTOE.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 23, 2010, 02:34:48 am
SantaCatarinaBR - Reportagem sobre segundo lote de Leopard 1a5 (06/09/2010) RBSTV-RS
-
Reportagem do dia 06/09/2010 sobre segundo lote de carros de combate Leopard 1a5 que chegou em RS.
-
Vinte oito carros de combate Leopard, duas viaturas blindadas de Engenharia Escola de Motorista, além de dispositivos de simulação de engajamento tático, foram desembarcados ontem no Porto Novo, em Rio Grande. O terceiro lote de uma importação feita pelo Exército Brasileiro, por meio do Projeto Leopard, foi embarcado no navio República Argentina em Hamburgo, na Alemanha. A embarcação atracou no cais do Porto Novo ao meio-dia de domingo, mas o desembarque ocorreu na manhã de ontem. A operação foi acompanhada por integrantes de diversas organizações militares, todas pertencentes ao Comando Militar do Sul.
-
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 23, 2010, 02:35:26 am
SantaCatarinaBR - Curso Leopard 1a5 em Santa Maria RS
-
Estágio de instrutor de tiro da VBC Leopard 1A5 realizado no campo de tiro do Barro Vermelho ( Rosário do Sul RS).
Centro de Instrução de Blindados( Santa Maria RS)
-
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 23, 2010, 02:36:03 am
SantaCatarinaBR -  Roberto Godoy fala sobre ASTROS 2020, AV/MT-300 e AVIBRAS
-
Reportegem exibida dia 04/08/2010 no TV ESTADÃO, o jornalista Roberto Godoy  fala sobre o desenvolvimento do novo
ASTROS 2020 e do míssil de cruzeiro AV/MT-300, ele também comenta a crise que abalou a AVIBRAS e a sua recuperação com venda de ações para o estado.
-
A Avibras e o Exército firmaram parceria para desenvolver um conjunto lançador de foguetes de artilharia de saturação. A nova arma, o sistema Astros 2020, utiliza mísseis com alcance de 300 km.
-
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Novembro 09, 2010, 09:38:55 pm
(http://illiweb.com/fa/i/smiles/suspect.gif)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 11, 2010, 03:58:58 pm
Explicação em relação ao video:

Citar
Bom eu vou tentar dar uma explicação lógica para a cena estranha.

Era um reconhecimento de itinerário (muito comum para tropa de cavalaria mecanizada). O inimigo deixou uma arma automatica batendo a rua para ganhar tempo. O Gc fez contato com a automatica, a VBTP disparou e neutralizou com a .50 e o GC desembarcou para avaliar a situação. Mas não me pareceu um assalto. Se aquilo foi um assalto, foi um assalto meio estranho. Bastava dar a volta pelo morro e pegava a automatica pela retaguarda. Acho que só desembarcaram para avaliar a situação e embarcou novamente. Acho que é isso.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: ACADO em Novembro 13, 2010, 05:09:23 am
A pergunta aqui é:
Porque é que 2 homens so com uma metralhadora em .308 haveriam de atacar um blindado????

tudo o resto tb seria descutivel, mas so por ai ve-se q quem planeou a coisa nao pensou muito bem a coisa. Mas pronto, temos de dar o desconto.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Novembro 28, 2010, 09:39:42 pm
SantaCatarinaBR - Blindados fabricados no Brasil na década de 80: MBT Osorio , MBT Tamoyo e VBTP Charrua

MBT EE-T1 OSÓRIO:
O MBT (Medium battle tank) EE-T1 Osório foi um carro de combate pesado (MBT -- Main Battle Tank), desenvolvido na década de 80 pela empresa brasileira Engesa, produtora dos famosos EE-9 Cascavel e EE-11 Urutu, que estão em uso ainda em vários países. Projetado com financiamento próprio para fazer parte de uma concorrência para a Arábia Saudita, em Julho de 1987, um protótipo do Osório com canhão de 120mm competiu com o britânico Challenger, o americano M1 Abrams e o francês AMX-40, derrotando todos os oponentes. Em 1988, no Abu Dhabi, o Osório repetiu a façanha, desta vez derrotando também o MBT italiano C-1 Ariete. Quando os Sauditas estavam prestes a fechar negócio, os EUA entraram em campo, alegando que o Brasil não respeitava acordos internacionais e, principalmente, que negociava com nações consideradas inimigas pelos EUA. A Arábia Saudita acabou não fechando o acordo com a ENGESA e terminou por comprar o M1 Abrams mesmo.
O restante da história quase todo mundo já conhece: a Engesa acabou falindo, porque investiu sozinha no projeto do carro e o Exército Brasileiro não tinha dinheiro para comprá-lo (cada um custava cerca de US$ 1 milhão). Anos depois da falência da empresa, dois dos protótipos do Osório quase viraram sucata, mas hoje estão preservados, aos cuidados do EB.

MBT TAMOYO:
O MBT (Medium battle tank) Tamoyo era o verdadeiro blindado de origem nacional para o Exército Brasileiro (ao passo que o Osório era um veículo de exportação). Seu projeto foi desenvolvido pela Bernardini S.A. Indústria e Comércio com o apoio do Centro Tecnológico do Exército (CTEx). Os estudos começaram em 1979 na mesma época que a empresa desenvolvia o processo de repontencialização dos M-41 do EB. O primeiro protótipo ficou pronto em tempo recorde e foi apresentado em 7 de maio de 1984. Melhorias foram acrescentadas e erros corrigidos. Assim nasceu os Tamoyo II (que aparece no vídeo acima) e o Tamoyo III. Mas o final da história todos conhecem. O EB acabou não adquirindo o veículo e a Bernardini fechou as portas em 2001.

VBTP CHARRUA:
O VBTP Charrua foi concebido visando dar uma maior flexibilidade e grande agilidade as unidades de Fuzileiros Blindados do Exercito, pois possui também a capacidade de ser anfíbio, podendo transpor rios e lagos com grande facilidade, coisa comum no extenso território brasileiro

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Canachi em Novembro 29, 2010, 11:07:29 am
MBT(carro de combate principal).
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 29, 2010, 05:53:04 pm
MBT? Ó meus senhores vamos lá falar Português, tanto em Portugal como no Brasil chama-se a isso Carro de Combate. :|
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: papatango em Novembro 29, 2010, 09:52:11 pm
Além de que, MBT, quer dizer Main Battle Tank e não Medium Battle Tank.

O termo é discutível, evidentemente. Este tipo de viatura é normalmente designado em inglês de «Tank» ou tanque.
Em Portugal, e creio que no Brasil também, adoptou-se a designação francesa (que apareceu ao mesmo tempo da inglesa, para os carros médios e ligeiros). Os franceses deram-lhe o nome de «Char», traduzido para carro.

O problema, é que na língua portuguesa a palavra carro transformou-se em sinónimo de automovel/viatura, o que em francês se designa voiture/automobile.
No entanto, insiste-se na utilização do «termo carro de combate» para designar o «Char» francês.

É típico também o facto de os militares continuarem a falar de uma «peça anti-carro», para designar uma peça anti-tanque. Como o carro na língua portuguesa é apenas uma viatura, qualquer peça é anti-carro e a designação acaba ficando completamente obsoleta e desprovida de sentido prático.
Já na língua francesa, anti-char, continua a fazer todo o sentido, porque os franceses continuam a chamar os tanques de «char» e em francês «char» não é sinónimo de carro.

Em Portugal somos especialmente conservadores e desprovidos de imaginação, ao ponto de continuarmos a chamar de autometralhadora uma viatura 8x8 armada com uma peça de 105mm.

Precisaremos de outra reorganização feita por militares estrangeiros para alterar algumas das designações :roll:  :roll:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Novembro 30, 2010, 05:10:36 am
Nossa o "MBT (Medium battle tank)" deu mais assunto que o video... :mrgreen:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 30, 2010, 08:47:01 am
Desculpa-me lá Santa Catarina, mas o Exército Brasileiro usa o termo Carro de Combate e não essa designação anglo-saxónica. Vamos começar a chamar os bois pelos nomes... :wink:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: AtInf em Novembro 30, 2010, 11:47:59 am
Citação de: "papatango"
Em Portugal somos especialmente conservadores e desprovidos de imaginação, ao ponto de continuarmos a chamar de autometralhadora uma viatura 8x8 armada com uma peça de 105mm.
Desculpem-me a ignorância, mas chamamos autometralhadora a qual viatura?
Autometralhadora uma 8x8 armada com uma peça de 30mm ( Pandur ) ainda vá, mas 8x8 e com 105mm???
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: ShadIntel em Novembro 30, 2010, 12:25:07 pm
Citação de: "AtInf"
Desculpem-me a ignorância, mas chamamos autometralhadora a qual viatura?
Autometralhadora uma 8x8 armada com uma peça de 30mm ( Pandur ) ainda vá, mas 8x8 e com 105mm???
A confusão vem da designação do GAM (Grupo de AutoMetralhadoras), hoje integrado no Regimento de Cavalaria nº6. O nome da unidade nunca foi mudado desde os tempos das AML-60/-90 de origem francesa.

Hoje em dia, são os V-150 (que estava previsto serem substituídos pelos Pandur com peça de 105mm), que são indirectamente designados por... autometralhadoras.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Janeiro 03, 2011, 05:24:27 am
Um interessante exercício de criatividade do artista 3D Gino Marcomini.

Aviso aos mais incautos: de acordo com o site do artista "nada do que está exposto aqui tem ligação com o projeto do veículo real. As proporções do veículo, assim como seus equipamentos e demais detalhes foram feitos a partir de referências fotográficas, inclusive tendo como referências outros veículos. O conteúdo desta página não apresenta qualquer vínculo com as empresas que estão participando do desenvolvimento deste veículo."


(http://www.oxygino.com/site/wp-content/uploads/2010/12/Oxygino_IVECO_VBTP-MR-01.jpg)

(http://www.oxygino.com/site/wp-content/uploads/2010/12/Oxygino_IVECO_VBTP-MR-02.jpg)

(http://www.oxygino.com/site/wp-content/uploads/2010/12/Oxygino_IVECO_VBTP-MR-03.jpg)

(http://www.oxygino.com/site/wp-content/uploads/2010/12/Oxygino_IVECO_VBTP-MR-05.jpg)

(http://www.oxygino.com/site/wp-content/uploads/2010/12/Oxygino_IVECO_VBTP-MR-06.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 06, 2011, 12:59:13 pm
Citar
CIGS – Projeto Búfalo

(http://www.politicaexterna.com/wp-content/uploads/2011/01/CentrodeInstruodeGuerranaSelvaProjetoBfalo.jpg)

Hiram Reis e Silva, Itacoatiara, AM, 31 de dezembro de 2010.

Colunista parceiro e  colaborador do Plano Brasil


 “A selva não pertence ao mais forte e sim ao mais habilidoso, ao mais resistente e ao mais sóbrio”


- Transporte de Material em ambiente de Selva

Baseado em publicações da Divisão de Doutrina e Pesquisa do CIGS

O Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) ,desde a sua criação, procurava solucionar a questão do transporte de armas, munição, água, rações e equipamentos por frações de tropa empenhadas em operações na selva. A procura de um meio de transporte eficiente e de baixo custo baseou suas pesquisas na utilização de bicicletas e animais de carga que pudessem ser adestrados para esse fim.

A primeira tentativa realizada, durante o Comando do Coronel Gélio Fregapani, pretendia utilizar uma anta treinada desde pequena para se adaptar às necessidades operacionais observadas pelas tropas na Amazônia. Foi adaptada uma cangalha especial fixada às costas do animal dentro da qual se colocavam pequenos pesos, mas o animal jamais se adaptou e corcoveava até se ver livre da carga, não se sujeitando ao adestramento.

Nos idos de 1983, foi desenvolvido um projeto utilizando-se muares. O animal foi conduzido para a Base de Instrução Número 1, localizada no quilômetro 55 da Rodovia AM 010. Depois de serem estabelecidas metas e um cronograma de trabalho, iniciou-se a fase prática. O primeiro teste avaliou o comportamento do muar sob uma carga de 60 quilos de suprimentos, montado sobre cangalhas confeccionadas com palha. O animal deveria realizar um deslocamento “através selva” de, aproximadamente, 2.000 metros. Ao chegar ao primeiro socavão, a cerca de 800 metros da base, onde existia um chavascal, o animal empacou e se negou a ir em frente. Como os muares apresentavam sérios problemas de natureza veterinária e limitações para vencerem obstáculos naturais bastante comuns na selva amazônica, o projeto foi abandonado pela inaptidão do animal para o ambiente de selva.

Mais recentemente, no ano de 2000, a Divisão de Doutrina e Pesquisa desenvolveu outro projeto empregando a bicicleta para o transporte de carga. Esta idéia surgiu a partir do estudo de técnicas especiais utilizadas pelos vietcongs na guerra contra os USA, no final da década de 60 e início dos anos 70. As resistentes bicicletas de fabricação soviética eram viáveis no Vietnã, onde a fisiografia da selva possibilitava a abertura de trilhas e o largo emprego da mão de obra farta e barata. Devido ao grande esforço físico despendido pelo homem para empurrar a bicicleta, ela não foi aprovada como sendo uma opção para a logística no interior da selva.

- Histórico do Projeto Búfalo

Com a continuidade dos estudos chegou-se finalmente ao búfalo, animal já adaptado com sucesso na Amazônia, rústico e com diversas características que foram ao encontro das necessidades militares para o emprego de animais. O chamado Projeto Búfalo nasceu em 2000, e tem demonstrado ser uma das soluções para as necessidades das tropas de selva brasileiras devido à resistência do animal, sua adaptação ao ambiente e, principalmente, à sua capacidade de transportar 400 kg ou mais de carga no lombo, ou até três vezes isso, quando tracionando carroças.

A primeira e única informação a respeito do emprego do búfalo, que não fosse para o consumo humano, foi baseada em uma foto de um cartão postal. Neste cartão retratava-se a utilização do animal para fins de patrulhamento pela 5ª Companhia Independente da Polícia Militar (5ª CIPM ) na cidade de Soure, na ilha do Marajó- PA. Foram realizados alguns contatos preliminares para tentar viabilizar a doação e o transporte de um animal de Soure para o CIGS. Devido ao alto custo e a falta de um contato mais aproximado, optou-se por tentar conseguir um animal nas proximidades de Manaus. Foi doado um casal de búfalos com 4 meses de idade, da raça Mediterrâneo. Os animais foram transportados de Itacoatiara para o CIGS no dia 12 de junho de 2000 e, imediatamente, enviados para a Vila do Puraquequara e, de lá, em embarcação boiadeira, até a Base de Instrução Número 4. A Divisão de Doutrina e Pesquisa apresentou ao Comandante uma proposta de trabalho que permitiu dar os primeiros passos para o Projeto, único no mundo, empregando-se animais selvagens para o transporte de carga no interior da floresta.

Desde o início, foi observado que todos os militares envolvidos deviam possuir algumas características que viessem a facilitar o andamento dos trabalhos, tais como: paciência – para enfrentar a teimosia que os animais apresentavam para realizar determinadas atividades; rusticidade – para encarar as dificuldades do terreno por onde os animais se deslocavam; vigor físico – para empurrar, puxar, carregar o material, as carroças, os bolsos carregados com material, nadar com os animais nos igarapés etc. Além dessas características, deve demonstrar desprendimento e iniciativa – para enfrentar as reações adversas apresentadas pelos animais que eram inusitadas e, muitas vezes, com relativo risco para a integridade física do homem, cabendo a eles decidirem qual a melhor forma de se atingir o objetivo proposto. Com relação ao efetivo a ser empregado no Projeto, pode-se concluir que é necessário um homem para cada animal, na fase de adestramento, ou seja, desde os primeiros passos com a condução na corda, trabalho nas trilhas, nos igarapés, na alimentação dentre outras inúmeras atividades.

- Colete Tático Transportador

No início do Projeto, o objetivo primordial era domesticar os animais, passando para eles características que viessem a facilitar o cumprimento das metas estabelecidas na Proposta de Trabalho apresentada. Desde a fase inicial, foi buscado o desenvolvimento de um colete que pudesse acondicionar o material que iria ser carregado, ou seja, no primeiro momento era fundamental que o animal se acostumasse com algo sobre o seu lombo. Para tanto, foi desenvolvido um tipo de colete denominado pela equipe como “colete tático transportador”. Os coletes desenvolvidos permitiram que fossem administrados gradativos pesos sobre o lombo dos búfalos, acondicionados em bolsos de tamanhos variados – todos confeccionados em lona bastante resistente.

(http://www.politicaexterna.com/wp-content/uploads/2011/01/bufalo.jpg)

Com o andamento dos trabalhos, houve a necessidade de aprimoramento destes materiais. A cada nova investida na selva, uma nova idéia surgia e era aplicada de imediato. Com o início dos trabalhos de tração, houve a necessidade de aquisição de carroças especificamente fabricadas para este fim. Procurando-se conhecer a viabilidade e a adequação dos animais para o transporte humano, foram adquiridas, da ilha de Soure -PA, duas celas especificamente fabricadas para este fim.

- Conclusão

A experiência de emprego de tropa de carregadores, durante a Operação Mura, realizada pelo 1º Batalhão de Infantaria de Selva no ano de 2000, utilizando-se militares do 12º Batalhão de Suprimentos para compor esta fração, mostrou que o homem não suportou, como se esperava, as adversidades do terreno. Após 10 dias de deslocamento com um peso médio de 30 Kg para ressuprir cachês em pontos locados dentro da área de combate, a tropa se encontrava estafada e sem condições de prosseguir na missão. Aliado a este fato, cabe ressaltar que além de ter que carregar o material a ser ressuprido, o carregador tem que levar o seu material individual (ração, munição, material de higiene, roupa de muda, dentre outros). Assim, os 30 Kg que serão ressupridos mais o material do homem, eleva-se para cerca de 41,5 kg. Verificou-se que a média de deslocamento de uma tropa a pé em terreno variado, que é de 1km/h, ficou reduzida a 0,6 km/h, tendendo a diminuir, à medida que parte da tropa apresentava sintomas de estafa, impondo-se a necessidade de se dividir o peso entre aqueles homens que ainda permaneciam na missão de carregadores.

(http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:16jmVdmud_6erM:http://www.exercito.gov.br/05notic/paineis/2007/10out07/img/visparlam9.jpg&t=1)

O emprego tático do búfalo em operações na selva tem por objetivo tê-lo como um colaborador, um facilitador, enfim um meio alternativo para o transporte das mais variadas cargas possíveis. Dessa forma, sua colaboração está em retirar o peso do homem, economizando esforços por parte da tropa empregada no ressuprimento, possibilitando a manutenção e o aumento do poder de combate, alongando a permanência do homem em condições de combater por mais tempo e em melhores condições. Poderá estar enquadrado em fração de qualquer nível ou com uma equipe de ressuprimento sem restrições quanto ao horário de emprego, bem como no terreno a ser percorrido, tendo em vista que o animal tem boa visão à noite e já é adaptado à vida aquática. Quanto à alimentação, não há necessidade de grandes preocupações da tropa em querer ressupri-lo, pois ele come de tudo e possui a capacidade de sintetizar proteínas de vegetais inferiores, precisando de pouco complemento alimentar, o qual ele mesmo poderá transportar.

Solicito Publicação

Coronel de Engenharia Hiram Reis e Silva

Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA)

Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS)

Acadêmico da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (AHIMTB)

Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS)

Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional


Site: http://www.amazoniaenossaselva.com.br (http://www.amazoniaenossaselva.com.br)

E–mail: hiramrs@terra.com.br

Fonte Plano Brasil.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 22, 2011, 11:20:31 am
O passado, o presente e o futuro da cavalaria no Exército Brasileiro:

 :arrow: http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/FBEBP.pdf (http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/FBEBP.pdf)

Muito interessante!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: alfagis em Fevereiro 22, 2011, 10:35:07 pm
Biba,

Estive a ler o documento e fiquei desiludido.

Acho que é um trabalho fraquito, uma mera compilação de factos históricos e dados que se conseguem com maior ou menor facilidade na Internet. Até os dados sobre os veículos brasileiros (Osorio, Tamoyo, Charrua) eu tinha já há mais de quinze anos de umas edições da Planeta Agostini. E quando havia oportunidade de desenvolver um bocado e colocar opiniões fundamentadas, como o porquê de os tanques serem actualmente tão bem vistos na guerra urbana e não o serem antigamente, o autor passa à frente. Também seria interessante que tivesse dissertado sobre a reorganização, nomeadamente de terem dois tipos de brigadas que são afinal a mesma coisa ou da relocalização das bases, mas mais uma vez silêncio.

E depois há pouco critério com que os dados são colocados, por exemplo nas características definidoras dos modernos carros de combate é incluído o carregador automático, o que é no mínimo discutível (pouca fiabilidade do sistema, redução da elevação ou depressão da arma principal e principalmente redução demasiadada tripulação já muito sobrecarregada). Como disse, é discutível, mas acho que precisamente deveria ser discutido neste documento.

Por fim, certas coisas são ditas de uma forma... Por exemplo, quando fala do Sherman escreve que este foi o tanque mais utilizado pelas forças aliadas. Pedi a uma pessoa (que não sabe nada destas coisas) que lêsse a ver se entendia o mesmo que eu do texto. Isto é, o texto dá a entender que o tanque foi o mais utilizado por ser de qualidade superior. Ora sabemos que longe disso, o Sherman foi o mais utilizado mercê da grande capacidade industrial e logística dos EU.

Seja como for, é sempre bom conhecer mais um link para estas coisas.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 16, 2011, 05:49:35 pm
Citação de: "Cross"
Citação de: "Cavaleiro Teutônico"
Achei essas imagens em uma busca no google:

(http://i421.photobucket.com/albums/pp299/ashidani/IA2-762.jpg)
IA2 762

(http://i421.photobucket.com/albums/pp299/ashidani/IA2.jpg)
IA2 556

(http://i421.photobucket.com/albums/pp299/ashidani/IA2-556.jpg)
IA2 556

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: GI Jorge em Março 16, 2011, 09:35:56 pm
Lá bonita ela é.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 19, 2011, 01:30:33 pm
Tropa destacada para a protecção do Obama ao Brasil:

Citação de: "Pablo Maica"
(http://i53.tinypic.com/2nvvwo2.jpg)
(http://i54.tinypic.com/9s467p.jpg)
(http://s7.tinypic.com/ok52rq.jpg)
(http://i51.tinypic.com/2465g75.jpg)
(http://i52.tinypic.com/211vuog.jpg)


Um abraço e t+ :D
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Abril 13, 2011, 07:44:34 pm
SantaCatarinaBR - LAAD 2011, Fuzil Imbel IA2, Blindado Iveco VBTP-MR Guarani e radar SABER M60

Reportagem do dia 13/04/2010 sobre as novidades que o Exército Brasileiro apresenta na LAAD 2011. Entre elas: Nova família de blindados, nova família de fuzis IA2 e a aquisição de um moderno sistema de deesa antiaérea.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: marcelo bahia em Abril 19, 2011, 05:34:53 pm
Impressionante o desempenho do IA2!! :shock:

Sds.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 20, 2011, 02:39:26 pm
Citação de: "marcelo bahia"
Impressionante o desempenho do IA2!! :shock:

Sds.

Na verdade é um desempenho perfeitamente normal:




etc.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: marcelo bahia em Abril 24, 2011, 07:28:48 am
Ok.

Mas se você está comparando com o desempenho da HK-416 e o SCAR, então é porque o desempenho do IA2 não poderia ser classificado como "normal". Veja bem. Eu não estou dizendo que o IA2 trouxe um desempenho inovador ou nunca visto antes, apenas afirmando que me surpreendeu bastante. Foi muito mais do que aquilo que eu esperava. Depois da Imbel ter desenvolvido aquela merda que o antecedeu, o MD-97, o desempenho do IA2 não deixa de assustar.

Sds.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 04, 2011, 06:34:04 pm
Citação de: "Bravo"
Facas de Campanha IMBEL - IA2 e AMZ

IA2 – IMBEL Modelo A2
(http://i51.tinypic.com/2rykrjr.jpg)

AMZ – Amazônia
(http://i52.tinypic.com/dpa1id.jpg)


Origem


As pesquisas de mercado da IMBEL, em 2008, identificaram a demanda das Forças Armadas brasileiras por uma faca com requisitos militares, importante instrumento de trabalho do soldado em campanha. Foi constatado que as facas usadas por soldados brasileiros eram cópias importadas ou modelos civis adaptados a desenhos militares.

As Facas de Campanha IA2 e AMZ têm origem nas Facas-Baioneta que foram desenvolvidas para os novos fuzis IA2, projetadas apara atender às severas condições do uso militar.

Os requisitos operacionais foram obtidos nas pesquisas feitas junto aos usuários finais da Brigada de Operações Especiais,  da Brigada Paraquedista e dos guerreiros de selva.

O design obedeceu as linhas dos fuzis IA2, com traços mais retos, com as mesmas cores das novas armas e com cuidadosa ergonomia.




Dois modelos: IA2 e AMZ


O modelo IA2 (IMBEL, modelo A2) tem dimensões equilibradas para multiuso, sugerida para tropas de apoio ao combate, logísticas, guarnições de blindados, unidades de PE, de guarda e forças policiais.

O modelo AMZ (Amazônia) foi inicialmente desenvolvido para uso do soldado da Amazônia. Tem peso e dimensões projetados para atender aos trabalhos individuais em área de selva, sem afetar a agilidade do soldado. Entretanto, nos testes das facas de campanha, as Facas AMZ mostraram-se as mais indicadas para uso militar em qualquer ambiente operacional.


O que as facas IA2 e AMZ têm?

As facas de campanha IA2 e AMZ são resistentes à corrosão e permitem tanto golpes de impacto quanto cortes precisos. O tipo de aço e o tratamento térmico foram projetados para equilibrar flexibilidade a torções com a dureza para deter o fio e, se necessário,  recuperá-lo em campanha.

O pomo do punho, em formato de bico de águia, além de ajudar a reter a faca na mão do soldado, permite o uso para martelagem. O punho foi projetado para resistir ao ressecamento e tem alta resistência a impactos ou abrasão.

As bainhas caracterizam as facas IA2 e AMZ como instrumentos de trabalho em campanha. As bainhas são resistentes à umidade, robustas, leves e possuem características fundamentais para conservar a faca de campanha: uma forte mola interna reduz os ruídos nos deslocamento e sua estrutura permite que a água escorra pelo orifício do cadarço. Os cadarços são os mesmos usados em pára-quedas.

São possíveis dois tipos de conexão no equipamento individual: uma presilha de aço para acoplagem rápida no equipamento e uma alça para instalação direta no cinto. Isso permite a acoplagem aos diversos tipos de coletes usados por tropas em operações urbanas.

A ligação da alça com o corpo da bainha recebe o reforço de uma fita de segurança interna para o caso de eventuais danos nos rebites. Este uma solução pouco visível, que será notada somente nos momentos de uso intenso, portanto, de maior necessidade.

Esses características colocam as Facas de Campanha IA2 e AMZ no nível das melhores facas do mercado internacional militar.


Testes das Facas de Campanha

Além dos exaustivos testes de fábrica, realizados na Seção de Pesquisa da Fábrica de Itajubá, as facas de campanha IA2 e AMZ foram testadas por todos os alunos e instrutores do Curso de Comandos e do Curso de Selva, do Exército Brasileiro, em 2010.

Um total de 152 facas foram submetidas aos dois cursos operacionais de maior exigência em campanha do Exército Brasileiro. As facas resistiram sem danos ou quebras. Os relatos dos usuários ficaram acima da expectativa dos desenvolvedores, que esperavam identificar eventuais pontos de fragilidade, naturais em um produto novo. Os requisitos obtidos nas pesquisas, ainda em 2008, foram validados pelos usuários.

Algumas sugestões surgiram desse uso e foram implementadas nas atuais facas de campanha. Um exemplo é o pomo em formato de “bico de águia”, com um fiador para garantir o uso seguro da faca em ambiente aquático, sugestão dos alunos do Curso de Selva.

As Facas de Campanha IA2 e AMZ foram expostas aos competentes colaboradores da Revista Magnun, com os resultados publicados na sua edição Nr 110. Os testes e a reportagem foram do Sr Hélio Barreiros, estudioso e profundo conhecedor das armas e da cutelaria.

Fonte: http://www.imbel.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=124&Itemid=151&lang=pt

Video: http://www.youtube.com/imbelbr
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 14, 2011, 02:17:35 pm
Citar
Com apenas R$ 20 mi anuais, professores Pardais criam Exército do futuro

Centro Tecnológico cria radar que será usado nas Olimpíadas, novo blindado para a PM do Rio, carro 4x4 aerotransportável e monóculo de visão térmica - Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro 12/05/2011 08:00

O radar Saber será usado nas Olimpíadas de 2016 e na Copa do Mundo

(http://i0.ig.com/fw/xr/l8/ug/xrl8uggd27t75aq0yj36l1t3.jpg)

(http://i0.ig.com/fw/dz/ac/hc/dzachcs4ndb6lonlga3eq5ehs.jpg)

Com escassos R$ 20 milhões anuais de orçamento, o Centro Tecnológico do Exército (CTEx) é o principal órgão responsável pela pesquisa e desenvolvimento de projetos tecnológicos da Força e conta principalmente com seus “professores Pardais” para criar novos produtos de Defesa para o País. O CTEx se vale hoje de convênios com a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) responsável por 70% dos recursos e maior parceira nos últimos cinco anos, e a Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro).

Adaptando-se às circunstâncias, os cerca de 700 militares 15% deles oficiais engenheiros e civis do centro desenvolvem, entre outras coisas, novos veículos blindados para a polícia, carros aerotransportados para paraquedistas, monóculo de visão térmica e um radar de baixa altitude que será usado nos Jogos Mundiais Militares este ano, na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016.

A “menina dos olhos” do coronel Roberto Castelo, assessor da subchefia do CTEx, é o radar móvel Saber M60, que tem o objetivo de integrar sistema de defesa antiaérea de baixa altura e proteger pontos sensíveis como indústrias, usinas e instalações governamentais, no raio de 60km e altura até 5km. Montável em 15 minutos e pesando 200kg, identifica aviões e helicópteros.

O aparelho é ligado a um centro de comando e controle instalado em furgão também feito pelo CTEx, e conectado ao sistema de defesa antiaérea do Exército. Quando a ameaça é identificada, a unidade antiaérea mais adequada para fazer a proteção recebe o alerta. Basta um clique de mouse para revelar a posição do avião, altura, distância e o ângulo em relação ao centro de operações antiaéreas, e disparar.

De acordo com o Exército, o Saber é o mais moderno do mundo em sua classe. O radar foi criado para complementar a defesa antiaérea, porque muitas aeronaves escapam dos radares tradicionais, voltados para maiores altitude, em especial em regiões montanhosas. “Fecha 100% da cobertura e está com uma procura muito grande”, disse o coronel Castelo, que participou do projeto.

(http://i0.ig.com/fw/2l/1j/n7/2l1jn7nl6dmj8iy0n259mx1l1.jpg)
Blindado projetado pelo CTEx, a pedido do governo do Rio, pode ser usado pelo Bope

O CTEx também criou o protótipo da nova geração de blindados que pode passar a ser usado pelo Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e por outras unidades da Polícia Militar do Rio, em substituição aos atuais Caveirões. Menor, mais robusto e ágil, o Vespa 02 (Viatura Especial de Patrulhamento) foi financiado pela Faperj, a pedido do governo do Rio e seguindo especificações da PM e já passou por testes na Restinga da Marambaia. (link)

Destinado a operações em favelas, é robusto, tem blindagem para fuzis, seteiras (buracos para pôr o cano das armas e disparar), proteção do cofre do motor e capacidade para oito homens, além do motorista e um passageiro no frente. O novo modelo introduziu a pestana (capa de aço no parabrisa), com acionamento interno e aumentou a parte interna, agora com capacidade para transportar oito policiais. É mais alto que os anteriores, pesa 7,2 toneladas e atinge 100 km/h. Como “luxos”, tem ar-condicionado, sirene e tração nas quatro rodas, para facilitar a circulação em aclives e declives e garante a aderência, evitando derrapagem.

“É uma solução customizada e ouvi bastante o Bope, que participou dos requisitos. É um projeto para atender a baixo custo e usa chassi e motor a diesel da Volks. Temos capacidade de fazer, preço interessante, Não será preciso importar”, disse o major Paulo Aguiar, responsável pelo projeto, cujo custo foi de R$ 430 mil. Além do emprego em segurança pública, uma variante do veículo também pode ser adaptada futuramente para o uso do Exército em missões de Paz da ONU.

O primeiro Vespa foi apresentado em 2007 e ficou mais conhecido como “Caveirinha”. Era menor e voltado para o patrulhamento de vias especiais, não para incursões em favelas. Quebrou durante o uso pela PM nos 60 dias em que ficou com a corporação. Segundo o Exército, o problema foi causado pelo uso inadequado do carro. O motorista teria tentado passar, em alta velocidade, por cima de uma mureta que divide as pistas da Avenida Brasil. “Nenhum carro é indestrutível”, disse o major Aguiar, que atuou nos dois projetos, com mais três engenheiros.

(http://i0.ig.com/fw/bb/5b/x0/bb5bx0fb7mq7pccybwssfbpp6.jpg)

Outro veículo, com propósitos completamente diversos é outro lançamento do CTEx, o “Gaúcho”, parceria binacional com o Exército da Argentina – para otimizar recursos e aumentar a escala de produção –, feito só com componentes do Mercosul. Uma espécie de jipe aberto, com tração e suspensão independente nas quatro rodas, o veículo trafega em qualquer terreno e servirá para ações de reconhecimento. Parece com jipes dos Comandos em Ação, brinquedos que fizeram sucesso nos anos 80 e 90.

“O Gaúcho é 100% mobilidade e 0% blindagem. Além disso, é praticamente uma viatura descartável, que pode ser deixada no terreno”, explicou o major Santoro, gerente do projeto.

O carro foi desenhado para poder ser empilhado sobre outro, permitindo o transporte de até cinco unidades em aviões Hércules, e lançamento ao solo com paraquedas. O veículo, que porta uma metralhadora MAG 7.62mm e duas armas leves anticarro. O protótipo custou R$ 270 mil, mas esse valor deve baixar cerca de 30% com a escala de produção. O Brasil vai adquirir apenas cerca de 100 a 200 unidades, para a Brigada de Infantaria Paraquedista.

(http://i0.ig.com/fw/6e/va/kd/6evakd70mq37qphz440fmacje.jpg)

Outra inovação do centro é o míssil superfície-superfície anticarro de combate (comumente chamado de tanque de guerra) guiável por feixe laser, com alcance de 3 km. O operador pode corrigir a mira do míssil após o disparo, mudando a posição do lançador e apontando-o ao alvo que tenha se deslocado (um carro de combate, por exemplo). “É uma arma sofisticada, de alto valor tático”, disse o coronel Castelo. A arma pode ser carregada por um homem pesa 8kg, sem o míssil, e 23kg, com e, por ser pequena, se camufla no terreno, funcionando com tripé.

(http://i0.ig.com/fw/bx/h0/fv/bxh0fvx40og9rwyofiscj9c8.jpg)

Com propósito semelhante, o CTEx desenvolveu também a Arma Leve Anticarro (Alac), de ombro. Conhecida como bazuca, tem alcance útil de até 500 metros e dispara munição de 84mm, que perfura blindagens de até 30cm e detona munição a temperatura de até 1000ºC. É uma arma descartável e de baixo custo, equivalente à sueca AT-4 ou à argentina M-57.

Lembra-se do filme “O Predador”, em que a besta protagonista via os soldados independentemente da camuflagem e do escuro? O CTEx desenvolveu equipamentos de visão térmica, como o usado no reparo (suporte) de metralhadora (.50” ou 7.62mm) automatizado para viaturas blindadas sobre rodas ou lagartas.

Mais que equipamento de visão noturna, a câmera com imagem termal é mais avançado que o de visão noturna, porque é capaz de mostrar imagens sem nenhuma luminosidade, enquanto a outra funciona intensificando luz residual. Além disso, consegue identificar alguém escondido atrás de folhagem mesmo durante o dia, por exemplo.

Outro equipamento é o monóculo Olhar VDN-X1, para observação diurna ou noturna, mesmo em condições de neblina ou cobertura de fumaça. Pode ser acoplado em capacetes, metralhadoras e fuzis.

Para quem pergunta por que o Brasil precisa investir em tecnologia se pode comprar material já pronto e mais barato, o coronel Castelo já tem uma resposta pronta.

(http://i0.ig.com/fw/3n/jv/mw/3njvmw9jfq52hui47g8vou6e1.jpg)
Para o coronel Castelo, do CTEx, país com aspiração internacional precisa investir em tecnologia de Defesa

“Todo país que aspira a uma posição de destaque precisa ter o domínio sobre tecnologia de defesa. Não é preciso ter tudo, mas sim deter o conhecimento para produzir, se necessário. Pode ter origem importada, mas precisa ter indústria de defesa e competência para fazer, atualizar e acompanhar a última tecnologia. Defesa não é barato”, disse.

Castelo citou como exemplo a proibição, pelos EUA, da venda de aviões Tucano pelo Brasil para a Venezuela porque tinham componentes norte-americanos.

A indústria de Defesa do Brasil já teve uma posição internacional relevante. Para Castelo, a queda se deveu muito mais ao fim da Guerra Fria do que à redemocratização dom País. “Houve muito material excedente dos dois blocos e saturou o mercado com produtos usados muito baratos. A indústria que não tinha mercado interno se enfraqueceu."

Fotos: Leonardo Ramos

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/r ... 73362.html (http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rj/com+apenas+r+20+mi+anuais+professores+pardais+criam+exercito+do+futuro/n1596945073362.html)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 28, 2011, 04:22:25 pm
Fotos tiradas pelo Túlio do DB:

Citação de: "Túlio"
Senhores, algumas dúvidas que me ocorreram:


(http://img192.imageshack.us/img192/7023/cav007800x600.jpg)

O M-60 veio preparado para operar em ambiente NBC? Leiam o que está escrito na ampliação...


(http://img30.imageshack.us/img30/1452/cav007nbc.jpg)


Nunca li nada a respeito... :?  8-]


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


(http://img202.imageshack.us/img202/6334/cav127visor800x375.jpg)

Que visor é esse no Leo1A5? Só um periscópio comum ou tem termal/NVG/telêmetro?


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Estou viajando ou vi uma bandeira de Portugal no Carrousel da Cavalaria Hipo?

(http://img405.imageshack.us/img405/3063/cav083tuga.jpg)
(http://img835.imageshack.us/img835/1829/cav062tuga.jpg)


É tuga mesmo ou herança tradicional?

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


(http://img830.imageshack.us/img830/8571/cav126torre800x587.jpg)


Detalhe legal sobre a 'casca' lateral extra de blindagem na torre do Leo1A5. Mas parece ser feita por fundição e aparafusada, resolve algo?


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


(http://img809.imageshack.us/img809/4892/cav130painelagrale800x4.jpg)

Painel do Marruá. Havia uma porção lá, pensei que o EB havia comprado umas poucas unidades...


(http://img593.imageshack.us/img593/2618/cav129marru.jpg)

Marruá operacional.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Junho 28, 2011, 05:14:41 am
SantaCatarinaBR - Ctex Centro Tecnologico de Exercito , REMAX , ALAC , MSS 1.2 , SABER M60
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Julho 01, 2011, 07:35:21 pm
SantaCatarinaBR - 8 Blindados Leopard 1A5 chegando em Santa Maria - RS (ClicRBS)

O Parque Regional de Manutenção, em Santa Maria, recebeu oito blindados Leopard 1A5, na tarde de sábado(25/06). Eles fazem parte do quinto lote de viaturas adquiridas pelo programa de renovação da frota do Exército Brasileiro. Conforme a 3ª Divisão do Exército (DE), outros 30 carros de combate devem chegar à cidade esta semana.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 05, 2011, 11:14:36 am
Citação de: "binfa"
EB - Faca do Pára-quedista

(http://www.bdainfpqdt.eb.mil.br/eventos/Imagens/Atualiz%2006_06_11/faca.jpg)

Força Estratégica do nosso Exército, a Brigada de Infantaria Pára-quedista é capaz de atuar em qualquer parte do território nacional. Essa condição exige que os combatentes aeroterrestres tenham materiais capazes de auxiliá-los no cumprimento das mais variadas missões. Entre esses, destaca-se uma faca que seja, ao mesmo tempo, resistente, rústica e versátil. O Comando da Bda Inf Pqdt decidiu realizar um sonho antigo e criou a FACA DO PARAQUEDISTA. Para isso, foi estabelecida uma parceria com um dos mais renomados cuteleiros do País: Sr Ricardo Vilar (criador do Facão do Guerreiro de Selva). Desde que foi criada, a FACA DO PARAQUEDISTA se transformou no objeto mais cobiçado de todo "PQD" da ativa e da reserva; até de civis e de amigos da nossa querida Bda Inf Pqdt.

Algumas informações sobre a FACA DO PARAQUEDISTA:
- comprimento: 32,5cm
- comprimento da lâmina: 19,5cm
- largura da cruzeta: 7,5cm
- comprimento da bainha: 38,5cm
- material da bainha: couro legítimo
- valor: R$ 330,00 (trezentos e trinta reais) à vista ou 3x (cheque) R$ 110,00 (cento e dez reais).

Obs: os paraquedistas terão seus nomes de guerra e números gravados a "laser" na lâmina.

Àqueles que desejarem, a FACA DO PARAQUEDISTA está em exposição na Seção de Comunicação Social da Bda Inf Pqdt (Av General Benedito da Silveira, s/nº, Vila Militar, Rio de Janeiro-RJ).

Mais informações: (21) 2457-1030 (de 2ª a 5ª feira, das 09:30h às 16:30h; e às 6ª feiras, das 09:30h às 12:00h) ou pelo e-mail: http://www.facebook.com/paraquedista.exercito (http://www.facebook.com/paraquedista.exercito)

credito: http://www.bdainfpqdt.eb.mil.br (http://www.bdainfpqdt.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Julho 13, 2011, 10:45:52 pm
Citar
Rio de Janeiro – No período de 17 a 20 de maio, o Centro de Avaliações do Exército (CAEx) acompanhou a realização de testes antiminas executados na avaliação da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal – Média de Rodas (VBTP-MR) – Guarani.

Os testes foram realizados pela empresa IBD, acompanhada por especialistas da Divisão de Veículos de Defesa da IVECO do Brasil, no Campo de Provas da empresa TDW, localizado na cidade de Schrobenhausen, na República Federal da Alemanha.

Durante o teste, a viatura foi submetida à explosão de minas anticarro de seis quilogramas de explosivo do tipo trinitrotolueno (TNT), sendo a primeira sob a roda mais próxima do motorista, e a segunda, sob a roda mais próxima do banco da guarnição.

Os efeitos das explosões na tripulação e guarnição da viatura blindada foram medidos, por meio de manequins padronizados, de acordo com requisitos estabelecidos em normas internacionais, que simulam as dimensões, as proporções de peso e articulação do corpo humano (dummies). Os manequins foram devidamente fardados e equipados com capacete e colete à prova de balas, conforme situação de combate a ser enfrentado pelos ocupantes do Guarani.

O teste evidenciou que a viatura possui elevada capacidade de proteção à integridade física da guarnição embarcada contra ameaça antiminas. Cabe acrescentar que a viatura Guarani utilizada para testes é fabricada especificamente para este fim, apenas com a blindagem e rodas.

http://www.defesanet.com.br/terrestre/noticia/1851/BLINDADOS---Guarani-realiza-testes-antiminas
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Julho 14, 2011, 05:42:20 am
Exército Brasileiro dispara sistema lançador de foguetes
11/07/2011

(Infodefensa.com) R. Caiafa, Belo Horizonte (Brazil) – Foguetes com maior poder de alcance e carro de comando e controle totalmente digitalizado. Novidades apresentadas pelo Comando Militar do Planalto (grande comando do Exército Brasileiro) nas instalações do 6° Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes (6ª GLMF), em Formosa, cidade do estado de Goiás, e próxima a Brasília. Quatro veículos Astros II lançaram 11 tiros de demonstração no último dia sete de julho.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/07/ASTROS-II-1.jpg)

A nova geração de carro de comando e controle do Sistema Astros II apresenta painel digitalizado e controles auto-programáveis, permitindo ao comando de artilharia disparar mísseis com apenas um toque no botão. Segundo o coronel EB Artilheiro Valério Langer “Com as novas tecnologias, os comandantes farão tudo com mais rapidez e certeza do que estão executando.

O novo carro de comando e controle vai permitir a execução dos disparos com mais agilidade através do acréscimo de grande capacidade computacional agregada ao veículo, entregue de fábrica equipado com GPS integrado, aumentando bastante a precisão, e rádio criptografado, impedindo que os inimigos entendam as conversas entre os soldados e comandantes da operação.”

Desenvolvidos pela empresa brasileira Avibras ao longo das últimas duas décadas, os veículos do Sistema Astros foram projetados, construídos e entregues ao Exército Brasileiro representando um investimento de R$1,4 bilhões. Considerado um dos melhores sistemas lançadores de foguetes de artilharia de saturação de área da atualidade (alcance entre 30 km a 80 km), os veículos Astros também foram vendidos para alguns países do oriente médio, golfo pérsico e na Ásia, tornando-se assim um sucesso. Nos últimos 20 anos, o faturamento na exportação do sistema chegou a R$ 150 milhões ao ano, o que representa 80% do faturamento da empresa Avibras.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/07/ASTROS-II-2.jpg)

Cada bateria alinha em média oito veículos lançadores, veículo remuniciador, veículo de serviço (oficina) e veículos especiais de comando e controle do tiro e serviços de comunicações. Os foguetes variam do SS-30 (30 km) até o SS-80 (80 km) e uma bateria tem capacidade de lançar 196 tiros SS-30 em 16 segundos.

Este poder de fogo, entregue com dois mil foguetes, não pode ser vendido separadamente e não sai por menos de R$100 milhões, e este valor não inclui radares, treinamento de pessoal e assistência pós venda. Altamente eficaz, o Astros apresenta alta mobilidade e capacidade de infligir pesados danos a concentrações de tropas do inimigo, alvos estratégicos como indústrias, refinarias e usinas geradoras de energia, e no caso do 6º GLMF, o sistema tem a importante missão de defender Brasília, capital do Brasil.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
SantaCatarinaBR - Sistema ASTROS II ( AVIBRAS ) realiza lançamento de foguete terra-terra

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Julho 24, 2011, 07:06:11 am
Essa semana foi feito outro lançamentos de foguetes... vou buscar os vídeos e portar aqui.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: brunopinto90 em Agosto 02, 2011, 10:44:00 am
São uns dos melhores lançadores de foguetes da actualidade!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Agosto 03, 2011, 09:35:26 pm
SantaCatarinaBR - Tiro real Leopard 1A5BR (HD) ( FONTE - DNTV - DEFESANET )

FONTE: DEFESANET
http://www.defesanet.com.br/dntv#/100/T ... pard-1A5BR (http://www.defesanet.com.br/dntv#/100/Tiro-real-Leopard-1A5BR)

Tiro real com o carro de combate Leopard 1A5BR no polígono de tiro do EB, na região denominada Barro Vermelho, localizada no Campo de Instrução Barão do São Borja (CIBSB).
Rosário do Sul - RS

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 06, 2011, 02:45:30 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 11, 2011, 03:26:41 pm
SantaCatarinaBR - IVECO VBTP-MR Guarani ( Urutu III ) com torreta de 30mm UT30BR

O VBTP Guarani é fruto de uma licitação de 2007 promovida pelo Exército Brasileiro e vencida pela Iveco. O projeto total envolverá recursos da ordem de R$ 120 milhões, incluindo a unidade de produção. Além disso, outros R$ 35 milhões serão empregados pela FPT Powertrain, empresa do grupo Fiat Industrial, para a produção do motor diesel de 9 litros a ser utilizado no projeto VBTP (e por outros modelos Iveco).

O primeiro protótipo do VBTP Guarani foi desenvolvido no Brasil por uma equipe conjunta do Exército Brasileiro e da Iveco, além de especialistas da Comau, empresa de engenharia automotiva do Grupo Fiat, num total de 30 pessoas. Boa parte do grupo realizou treinamento especial na Iveco Defence Vehicles, na Itália, uma divisão internacional da Iveco que projeta e produz diversos veículos militares, incluindo modelos similares ao VBTP brasileiro. Neste treinamento foram abordados conhecimentos específicos deste tipo de veículo nas áreas de engenharia, qualidade, logística, compras, tecnologia, funilaria, montagem e pós-venda. Um exemplo são os técnicos em solda de aço balístico da carroçaria do modelo.

O VBTP Guarani é um veículo blindado anfíbio de 18 toneladas e tração 6x6, capaz de transportar 11 militares. Ele mede 6,91 metros de comprimento, 2,7 metros de largura e 2,34 metros de altura. O veículo possui características inéditas. Modelos deste tipo normalmente possuem carroçaria monobloco, mas o VBTP usa chassi em longarinas de aço, com o que o veículo ficou mais alto em relação ao solo, o que oferece algumas vantagens operacionais, como maior capacidade de proteção anti-minas.

Comparado ao modelo em uso hoje pelo Exército Brasileiro, o VBTP Guarani traz vantagens como proteção blindada superior, maior mobilidade, maior capacidade de transposição de trincheiras, maior capacidade de degrau vertical, maior vão livre, suspensão independente hidropneumática, sistema de freio com disco duplo e ABS. Por dentro tem melhor ergonomia, ar condicionado, GPS, sistema automático de detecção e extinção de incêndio, capacidade de operação noturna de série, sistema de detecção de laser.

Ele pode ser equipado com torre de canhão automático ou de metralhadora, operada por controle remoto. Ele pode ser aerotransportado por um avião tipo Hercules C-130.

O VBTP Guarani servirá, ainda, como plataforma base de uma família de blindados médios de rodas que poderá ter até mais dez versões diferentes, incluindo veículos de reconhecimento, carro de combate, socorro, posto de comando, comunicações, morteiro leve, morteiro pesado, central diretora de tiro, oficina e ambulância.

Boa parte dos componentes do protótipo e do lote piloto de 16 veículos será importada, mas o projeto tem como diretiva elevar o conteúdo nacional acima dos 60%, com o objetivo de reduzir custos de produção e de manutenção. Segundo a Iveco, essa meta pode ser alcançada porque o parque nacional de fornecedores é de alta qualidade em termos de componentes automotivos e motores.A cadeia produtiva deve envolver cerca de 110 fornecedores diretos e até 600 indiretos.
 
IVECO

A Iveco projeta, produz e vende uma ampla gama de caminhões leves, médios e pesados, ônibus, veículos para aplicações militares, fora de estrada, bombeiros, defesa civil etc. A Iveco emprega 25.000 pessoas e possui 23 fábricas em 10 países do mundo, utilizando excelente tecnologia desenvolvida nos cinco centros de pesquisa e desenvolvimento. A empresa opera na Europa, na China, Rússia, Austrália e América Latina. Mais de 5.000 mil concessionárias e pontos de serviços, distribuídos em 160 países, garantem suporte técnico onde quer que um produto Iveco esteja em serviço.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 11, 2011, 03:28:28 pm
SantaCatarinaBR - InbraFiltro Gladiador - Blindado Multiuso de Alta Performance

O Grupo InbraFiltro apresenta no evento o blindado leve sobre rodas Gladiador, já em versão cabeça de série, em fase de comercialização.  Destinado às múltiplas utilizações das forças armadas ou da segurança pública, civil ou militar de qualquer país, o Multiuso 4x4 Nível IV é uma alternativa eficaz e extremamente segura para missões de variadas complexidades, como transporte e escoamento de tropas com agilidade.

Muito competitivo, o blindado, de tecnologia 100% brasileira, superou similares desenvolvidos na Alemanha, EUA, França, Rússia, entre outros, alcançando o melhor resultado em comparação com produtos semelhantes nos quesitos peso/performance, capacidade/blindagem e deslocamento/consumo, conseguindo pontuação muito superior à concorrência no índice específico de avaliação "Ação de Choque".

Pesando aproximadamente sete toneladas, com capacidade para transportar até oito ocupantes incluindo o motorista, o modelo possui diversas aplicações em missões de reconhecimento, ataque ou defesa, conforme a necessidade das forças. Entre os equipamentos que podem ser acoplados, destacam-se vários armamentos e diversos lançadores de granada e fumaça.

Além disso, possui escudo defletor inferior para proteção contra minas terrestres, faróis protegidos, inexistência de parafusos e dobradiças nas faces externas da carroceria, sistema de arrefecimento do motor sob o capô, para-lama dianteiro e fechamento do para-lama traseiro em material não balístico, visando romper explosões de minas terrestres e evitar o tombamento do veículo.

"Nossa empresa está muito satisfeita com o resultado final desse importante e, sem dúvida, complexo projeto. O Gladiador exigiu de nossa equipe muita persistência e estudo, já que foi submetido, durante cinco anos, a séries completas de testes de engenharia para verificar a existência de vulnerabilidade antes de ser homologado pelo Exército Brasileiro", comenta o presidente do Grupo InbraFiltro, Jairo Candido.

O valor da versão básica é de cerca de US$ 350 mil. Sendo indicado para qualquer tipo de solo, o BLSR alcança até 105 Km/h e é equipado com motor MWM de 185 cavalos.

Neste projeto, a integração da engenharia mecânica e chassi é Agrale.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 13, 2011, 04:39:30 am
SantaCatarinaBR - Reportegen sobre a Operação Formosa ( 30/09/2011 - TVNBR )

Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil (foto) realizam, no período de 18 a 30 de setembro, no Campo de Instrução de Formosa, um treinamento de grande vulto. O exercício, denominado OPERAÇÃO FORMOSA 2011, tem por finalidade contribuir para a manutenção da condição de pronto-emprego dos meios dos Fuzileiros Navais, sendo o maior treinamento realizado pela Marinha do Brasil no Planalto Central.

A OPERAÇÃO FORMOSA 2011 envolve aproximadamente 2.000 militares, Aeronaves, Carros de Combate, Veículos Blindados de Transporte de Tropas, Veículos Anfíbios sobre Lagartas, Mísseis Anti-Carro, Mísseis Superfície-Ar, Veículos Aéreos Não-Tripulados (VANT) e Artilharia, entre outros meios de combate, que serão empregados de forma integrada em manobras militares.

Será também simulada uma Operação Anfíbia, considerada a mais complexa das operações militares. Visando a assegurar máximo realismo, todo o armamento será sempre empregado com a utilização de munição real. O exercício reveste-se de grande importância para o Corpo de Fuzileiros Navais, que, conforme determina a Estratégia Nacional de Defesa, é a força de caráter expedicionário por excelência.

Assim, a manutenção de sua condição de pronto emprego exige treinamento em variados ambientes operacionais, tais como áreas urbanas, selva, áreas ribeirinhas e cerrado. Esta condição de prontidão constante materializa a capacitação da Marinha do Brasil na proteção da Amazônia Azul e na defesa das instalações navais, portuárias, arquipélagos e ilhas oceânicas, além de assegurar a capacidade de atuação em Operações Internacionais de Paz e em Operações Humanitárias, em qualquer lugar do mundo, como é o caso do Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais presente hoje no Haiti.

A existência de forças permanentemente prontas tem permitido à Marinha do Brasil responder imediatamente a um amplo espectro de crises, que variam desde o apoio aos Órgãos de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, na ocupação dos morros, em menos de doze horas após o acionamento, até o envio de assistência humanitária ao Chile, incluindo a montagem de um Hospital de Campanha, em menos de 48 horas, por ocasião do terremoto que atingiu aquele país em 2010.

No dia 30 de setembro, será realizada uma Demonstração Operativa que permitirá obter uma visão geral sobre o exercício realizado e sobre algumas capacidades da Marinha do Brasil e do Corpo de Fuzileiros Navais, em especial. Na ocasião, que contará com a presença de diversas autoridades civis e militares, todos os sistemas de armas utilizados durante o exercício serão empregados. Será também disponibilizada visita aos blindados utilizados nas operações nos morros do Rio de Janeiro, ao Hospital de Campanha, bem como às baterias de artilharia, que estarão desdobradas no terreno.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 17, 2011, 11:03:57 pm
SantaCatarinaBR - Tiro real de canhão 30 mm executado pelo Blindado VBTP-MR Guarani

No dia 11 de outubro, o Centro de Avaliações do Exército (CAEx) realizou uma exposição dos mais recentes materiais de emprego militar a serem adotados pela Força Terrestre. Na ocasião, foi realizada a demostração de tiro real da nova Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Guarani.A Viatura Blindada de Transporte de Pessoal -- Média de Rodas (VBTP-MR), Guarani, atualmente em fase de avaliação no CAEx, pesa 18 toneladas, tem capacidade para transportar onze militares, é anfíbia, possui proteção balística contra munição calibre 7,62 mm perfurante e pode alcançar a velocidade de 100 km/h. Dotada de uma torre com canhão 30 mm, o Guarani executou disparos em alvos fixos a 150, 500 e 1.500 m, e atingiu precisamente alvos móveis localizados a 1.000 m, rastreando-os automaticamente por meio de mira eletrônica. A VBTP Guarani é um projeto do Centro Tecnológico do Exército em parceria com o Consórcio Fiat-Iveco. Fonte EB.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Outubro 18, 2011, 08:35:43 pm
SantaCatarinaBR - Tiro Real do Blindado Guarani e recebimento dos radares SABER M60 (EN - VIDEO2)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 04, 2011, 11:10:55 am
Citar
1º Esquadrão de Cavalaria Pára-quedista – Avaliação de Armamento
 
Rio de Janeiro (RJ)
No mês de outubro, o 1º Esquadrão de Cavalaria Pára-quedista foi designado pelo Centro de Avaliação do Exército (C A Ex) para realizar avaliação técnica do protótipo do Fuzil de Assalto 5,56 IMBEL A2, nas diversas situações de emprego operacional. O Fz Ass 5,56 IA2 foi projetado pela IMBEL destinando-se às Forças Armadas, Forças Auxiliares e à exportação.
(http://www.exercito.gov.br/image/journal/article?img_id=1132218&t=1320343649968)
(http://www.exercito.gov.br/image/journal/article?img_id=1132219&t=1320343649972)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 23, 2011, 02:25:51 pm
O antes e depois:

Citação de: "marcelo bahia"
Crédito: Jornal O Vale.

(http://guerranaselva.ovale.com.br/wp-content/uploads/2011/11/Fz-Ass-556-IA2-PEQ.jpg)
(http://guerranaselva.ovale.com.br/wp-content/uploads/2011/11/NOVO-FUZIL-2.jpg)
(http://guerranaselva.ovale.com.br/wp-content/uploads/2011/11/NOVO-FUZIL-5.jpg)
(http://guerranaselva.ovale.com.br/wp-content/uploads/2011/11/NOVO-FUZIL-6.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 24, 2011, 03:41:42 pm
Citação de: "Pablo Maica"
Parece que alguns IA-2 ja foram entregues na brigada paraquedista.

1º Esquadrão de Cavalaria PQD:

Notar o lançador M203.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/11/PQD-11-580x435.jpg)



Um abraço e t+ :D
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 06, 2011, 11:05:57 am
Citar
Brigada de Infantaria Pára-quedista lança Adam

(http://www.radefesa.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2011/11/MG_2300.jpg)

No último dia 18 de novembro, o cão Adam ganhou os noticiários ao ser lançado de uma aeronave da Força Aérea Brasileira durante a “Operação Saci”. Ao aterrar em segurança na ZL de Itaguaí e prosseguir com sua missão, Adam coroou um trabalho que vinha sendo desenvolvido há algum tempo pela Brigada de Infantaria Pára-quedista.

Com oito anos de idade, Adam já é um veterano na Brigada, tendo atuado inclusive na Operação Arcanjo realizada nos Complexos do Alemão e da Penha. Antes de iniciar na atividade aeroterrestre, o rottweiler já realizava todas as missões previstas para um cão de guerra em proveito do 36º Pelotão de Polícia do Exército Pára-quedista: patrulha, faro, ações de GLO e guarda.

Adam foi selecionado para o salto por ser um animal com boa estrutura óssea e em plenas condições físicas. A partir daí, ele passou por um treinamento muito semelhante ao realizado pelos militares durante a formação básica pára-quedista no Centro de Instrução pára-quedista General Penha Brasil. Tal como qualquer pára-quedista, na torre Adam adaptou-se a altura e a dinâmica do salto; no balanço treinou aterragem; e no falso avião teve contato com a movimentação dentro da aeronave antes do salto. O treinamento que durou aproximadamente um mês e meio costuma levar os militares a exaustão, mas para Adam, tudo não passa de uma grande diversão ao lado de seu cinófilo, o Cabo Januário do 36º Pelotão de Polícia do Exército Pára-quedista.

(http://www.radefesa.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2011/11/MG_2302.jpg)

(http://www.radefesa.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2011/11/MG_2310.jpg)

Para garantir a segurança do cão durante o salto, uma equipe do Batalhão Dobragem, Manutenção de Pára-quedas e Suprimento pelo Ar entrou em ação. O velame desenvolvido para Adam é menor que o tradicional T-10 utilizado pela Brigada e seu equipamento foi sendo aprimorado a partir de muitos testes, até que a configuração ideal fosse alcançada. Uma espécie de boudrie, totalmente ajustado aos 50kg do cão, foi desenvolvido para garantir conforto e segurança ao novo pára-quedista.

“A idéia de recapacitar a Brigada a utilização do animal é uma oportunidade impar para a atividade aeroterrestre. Podemos levar o cachorro para qualquer lugar do Brasil onde formos empregados dentro da proposta de Força de Ação Rápida do Exército Brasileiro”, declarou o TEN Bianco, Comandante do 36º Pelotão de Polícia do Exército Pára-quedista.

Adam não foi o primeiro cão a ser empregado pela Brigada de Infantaria Pára-quedista, quem visitar o Museu Aeroterrestre terá a oportunidade de conhecer o “Cão Piloto”, primeiro cão lançado pelos pára-quedistas do Exército Brasileiro. O endereço do museu é Av General Benedito da Silveira, s/nº, Vila Militar, Rio de Janeiro.

(http://www.radefesa.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2011/11/MG_2330.jpg)

(http://www.radefesa.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2011/11/MG_2325.jpg)

(http://www.radefesa.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2011/11/21.jpg)

http://www.radefesa.com.br/wordpress/?p=1835 (http://www.radefesa.com.br/wordpress/?p=1835)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Trafaria em Dezembro 06, 2011, 07:19:12 pm
No Brasil o canito salta mesmo sozinho, tadinho!  :D
Acho que não é bem saltar, é mais aturado pela boda fora...
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 07, 2011, 12:07:18 pm
Cá em Portugal o bichano tem direito a todas as mordomias,  ele é "motorista privado" e tratadora 24 horas por dia em qualquer situação... :twisted:  :lol:

(http://i205.photobucket.com/albums/bb309/Mergeri/ETP/DSC05584.jpg)

(http://i205.photobucket.com/albums/bb309/Mergeri/ETP/untitled.jpg)

(http://i205.photobucket.com/albums/bb309/Mergeri/ETP/DSC05756.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Trafaria em Dezembro 07, 2011, 01:37:13 pm
Do lindo e do bom!
Se fosse cão também me voluntariava para a tropa!  :mrgreen:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Dezembro 17, 2011, 04:32:11 am
Exército apresenta 1º simulador de voo para helicópteros feito no Brasil

Simulador ajuda reduzir custos de treinamento, que antes eram feitos fora do país. Projeto custou R$ 3 milhões e vai treinar 250 pilotos do Exército.

O Exército apresentou o primeiro simulador de voo para helicópteros totalmente desenvolvido no Brasil. O simulador de voo de helicópteros, batizado de 'shefe', foi todo desenvolvido no Brasil e parece uma esfera de quatro metros de diâmetro.

O realismo atinge o nível de qualidade dos melhores simuladores disponíveis no mundo. As imagens reproduzem a topografia de várias regiões brasileiras.

O capitão Fantonelli explica que os instrumentos dão aos pilotos a sensação de comandar um helicóptero. "A sensação é de que está voando mesmo."

O projeto custou R$ 3 milhões e levou quatro anos para ficar pronto. Todos os comandos são processados por um programa de computador, que controla as imagens e os equipamentos chamados de atuadores.

A esfera, que pesa uma tonelada, parece solta no ar. Principalmente com um repórter no comando. "Eu nunca mais vou reclamar do piloto do helicóptero da Globo que faz balançar o Globocop”, fala César Menezes.

Num treinamento de verdade, os sacolejos são de propósito. "Quando ele olha para um equipamento do painel, numa determinada condição de voo, ele vai identificar o comportamento do motor da aeronave exatamente como é o comportamento na realidade”, explica o gerente do projeto, major Marcelo Nunez.

Os treinamentos custavam para o exército US$ 1.700 mil por hora de voo, sem contar viagem e hospedagem, já que o simulador usado até agora, fica na França. Um equipamento vai treinar todos os 250 pilotos da aviação do Exército Brasileiro.

Simulador permite preparar as tripulações para situações de emergência, que não podem ser treinadas no ar porque o risco seria muito grande.

São eles que resgatam vítimas de inundações e deslizamentos de terra e dão apoio a operações como as que foram feitas em favelas do Rio de Janeiro.

“Aviação é experiência, hora de voo. É imprescindível que os pilotos estejam voando mais e com o simulador vamos conseguir fazer isso”, avisa o comandante de aviação do Exército, general Eduardo Diniz.

FONTE: G1 - http://g1.globo.com/jornal-da-globo/not ... rasil.html (http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2011/12/exercito-apresenta-1-simulador-de-voo-para-helicopteros-feito-no-brasil.html)

SantaCatarinaBR - Exército apresenta 1º simulador de voo para helicópteros feito no Brasil |G1
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Dezembro 17, 2011, 11:49:04 pm
Avibras recontrata funcionários após fechar contrato com as Forças Armadas

Previsão é abrir 300 novas vagas de emprego até o ano que vem

Funcionários demitidos no início do ano pela Avibras, em São José dos Campos, vivem na expectativa. A empresa fechou um contrato com as Forças Armadas e está recontratando esses trabalhadores.

Marcelo é um dos 150 demitidos pela fábrica durante a crise no início deste ano. Mesmo sendo uma mão de obra especializada, o montador de mísseis teve que se virar com outro emprego. “Dessa última vez que eu saí, é a quinta vez que estou aqui, estava trabalhando como montador de móveis”, conta o operador de produção, Marcelo Campos Mota.

Agora, dez meses depois da dispensa, ele foi chamado de volta e está em um grupo de 20 recontratados. É o primeiro sinal de que as coisas estão melhorando para a Avibras, empresa de São José dos Campos especializada na fabricação de mísseis, plataformas de lançamento e blindados para uso militar. O Sindicato dos Metalúrgicos acredita que a unidade deva voltar a ganhar destaque como geradora de empregos na região.

“A Avibras, que era retaguarda do processo, hoje a médio-longo prazo é o melhor cenário para a região e para os trabalhadores”, afirma Donizete de Almeida, do Sindicato dos Metalúrgicos.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda O projeto do míssil Astro 2020 é a esperança da fábrica, tem como alvo a defesa do território nacional. Ao todo os novos contratos deverão chegar a R$ 1 bilhão. R$ 45 milhões já foram liberados pelo governo federal, e parte desse dinheiro será usada para resolver acertos trabalhistas.

“A utilização desse dinheiro é fundamentalmente para que a gente acerte os salários de final de ano e comece a liquidar os salários atrasados”, explica o presidente da Avibras, Sami Youssef Hassuani.

Os contratos de exportação de produtos militares prometem ajudar, mas a recuperação da Avibras agora está apoiada sobre as encomendas das Forças Armadas Brasileiras. A expectativa é de que, já no ano que vem, os investimentos do Governo Federal recuperem toda a força de produção da fábrica.

“Temos alguns contratos com a Marinha do Brasil, também muito importante para a empresa, com a Aeronáutica do Brasil. Acreditamos que só com esses contratos poderemos continuar recontratando no início do ano, numa faixa de até 50 novos empregos. Nossa expectativa é de criarmos até 300 novos empregos em 2012”, afirma o presidente da Avibras.

VIDEO: [/b]

FONTE: Vnews

OBS: É o míssil ar-ar A-Darter Aos 1:18m do vídeo?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Dezembro 18, 2011, 12:13:51 am
Citação de: "SantaCatarinaBR"
-
É um missil ar-ar A-Darter aos 1:18m?

Imagens retiradas do vídeo:

(http://img811.imageshack.us/img811/1224/adarter1.jpg)
(http://img808.imageshack.us/img808/4458/adarter2.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Dezembro 18, 2011, 12:18:03 am
Parece ser o que está escrito na lateral.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 04, 2012, 12:46:24 pm
Citar


PORTARIA NORMATIVA Nº 3.885-MD, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011.
Dispõe sobre o estabelecimento de Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC) para os produtos de defesa comuns às Forças Armadas e suas aquisições.

O MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal, e tendo em vista o disposto no inciso XVII do art. 1º do Anexo I do Decreto nº 7.364, de 23 de novembro de 2010, no Decreto nº 6.703, de 18 de dezembro de 2008, e na Portaria Normativa nº 1.065-MD, de 28 de junho de 2010, resolve:

Art. 1º Ficam aprovados os Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC) das Forças Armadas anexos a esta Portaria Normativa.

Art. 2º As aquisições dos fuzis de que trata esta Portaria Normativa serão realizadas pelas respectivas Forças e coordenadas pelo Ministério da Defesa.

Art. 3º Os Comandos das Forças Armadas deverão revogar os dispositivos afetos ao que dispõe esta Portaria Normativa.

Art. 4º Esta Portaria Normativa entra em vigor na data de sua publicação.
ANEXO I

REQUISITOS OPERACIONAIS CONJUNTOS (ROC) DO FUZIL LEVE DAS FORÇAS ARMADAS (ROC – Nº 01/ 2011)

TÍTULO

FUZIL LEVE CALIBRE 5,56 milímetros – Fz Lv Cal 5,56 mm

DESCRIÇÃO DOS REQUISITOS

Os requisitos abaixo foram obtidos pela consolidação das características operacionais e técnicas comuns de emprego das três Forças Armadas constantes em suas documentações orientadoras e normativas após reuniões de coordenação realizadas no Ministério da Defesa, em 2011.

Os requisitos estão divididos em absolutos, desejáveis e complementares. Os absolutos são obrigatórios no armamento e seus acessórios. Os desejáveis, não obrigatórios, devem ser buscados no armamento pelo incremento da operacionalidade e por proporcionarem maior flexibilidade e conforto ao atirador. Podem, até, já estar implementados, valorizando o item avaliado. Os complementares, não obrigatórios ou desejáveis, valorizam a escolha do armamento sem desequilibrar sua avaliação (ex: escolher a cor do polímero em azul).

a. Absolutos (RA)

1) Ter calibre 5,56 mm e poder usar os cartuchos padrão OTAN (5,56 mm x 45 mm) em seus variados tipos (comum, perfurante, traçante, lançamento de granadas de bocal e festim).

2) Ser empregado em combate sob quaisquer condições climáticas e ambientais existentes na área operacional do continente, devendo inclusive permitir o funcionamento imediato após imersão em água doce ou salgada.

3) Ser fácil e rapidamente desmontado e montado, para manutenção de limpeza ou correção, sem o auxílio de ferramentas.

4) Possuir índice de disponibilidade, em operações, acima de 90%.

5) Ser portátil e de emprego individual.

6) Ser alimentado por carregador, com capacidade mínima de 30 cartuchos.

7) Possuir alça de mira que possibilite o ajuste do tiro, com regulagem de incrementos de no máximo 100 metros, abrangendo, no mínimo, de 0 a 200 metros.

8 ) A massa de mira deve possuir dispositivo que permita sua proteção e possibilite o enquadramento inicial do alvo.
9) Possuir dispositivos que permitam as correções do tiro em alcance e direção, sem a utilização de ferramentas especiais.

10) Possuir suporte padrão que permita a acoplagem de acessórios e dispositivos ópticos e optrônicos de tiro e observação (tipo dovetail dimensions trail ou trail interface system ou MIL-SPEC 1913 ou trilhos Picatinny).

11) Poder acoplar acessório lançador de granadas 40 mm x 46 mm (OTAN) e outras.

12) Possuir bandoleira de transporte, regulável, que proporcione o transporte a tiracolo ou em bandoleira, com conforto e auxilie durante a tomada da pontaria e o disparo.

13) Possuir quebra-chamas que possa ser utilizado, também, para o lançamento de granadas de bocal (AP/AC) e poder fixar supressor de ruídos de tiro (silenciador).

14) Ter comprimento total, com coronha estendida e sem baioneta, que não ultrapasse 900 mm.

15) Ter comprimento, com a coronha rebatida e/ou recolhida e sem baioneta, que não ultrapasse 700 mm.

16) Ter peso, com o carregador vazio, do tipo reto ou do tipo curvo, e sem acessórios, que não ultrapasse 3.500 gramas.

17) Ter alcance de utilização para a execução dos tiros com precisão, sem o uso de dispositivos ópticos e optrônicos de, pelo menos, 200 metros.

18) Ter alcance útil, capaz de causar dano a um combatente, pelo menos, na faixa de 200 a 600 metros.

19) Ser a força necessária para pressionar a tecla do gatilho e a realizar o disparo, entre 30 e 40 Newtons.

20) Possuir guarda-mato para proteção da tecla do gatilho.

21) Apresentar as seguintes cadências, mínimas, de tiro:
a) técnica: 600 tiros por minuto;
b )prática em tiro contínuo: 100 tiros por minuto; e
c) prática em tiro intermitente: 60 tiros por minuto.

22) Possuir seletor de tiro de fácil utilização com, no mínimo, as posições de tiro automático, tiro intermitente e posição de segurança, podendo a seleção ser feita com uma única mão.

23) Ter dispositivo que possibilite o encurtamento do fuzil sem impedir o acionamento do seletor de tiro previsto no RA no 22 ou a execução do tiro.

24) Ter dispositivo que impeça o disparo se não houver o completo trancamento da arma ou ocorrer qualquer anormalidade no mecanismo de disparo, de alimentação ou carregamento.

25) Possuir dispositivo que possibilite a colocação e a retirada do carregador com uma única mão.

26) Possuir alavanca de manejo, com punho pouco saliente, ergonômica, que permita o engatilhamento inicial e o manejo, para abertura ou fechamento da caixa da culatra. Durante o tiro, a alavanca deverá permanecer imóvel.

27) Apresentar funcionamento normal, quando utilizado sob condições adversas, como chuva, areia, água (doce e salgada) etc.

28) Possuir punho, coronha, guarda-mão e chapa da soleira de forma anatômica e de material resistente a impactos e refratário ao calor.

29) Todas as peças devem possuir resistência contra corrosão provocada pelos diversos meios encontrados no teatro de operações.

30) Todas as peças, metálicas ou não, devem ser foscas para evitar a reflexão de qualquer fonte de luz.

31) Possuir acessório que permita a utilização dos cartuchos de festim, possibilitando a realização do tiro nas mesmas condições constantes do RA no 22.

32) Possuir, como acessório, material para limpeza.

33) Possuir local para acondicionar o material de limpeza.

34) Possuir ferramentas, equipamentos e dispositivos calibradores, conforme definido no manual técnico, para todos os escalões, identificando-os conforme o uso por escalão, em condições de acompanhar as primeiras unidades distribuídas à tropa.

35) Não permitir o disparo acidental, mesmo quando carregado e destravado, em quedas de até 2 metros de altura.

36) Cano com vida útil, mínima, de 6.000 tiros.

37) Possuir baioneta ou faca-baioneta e respectiva bainha com dispositivo de fixação no equipamento individual.

38) Possibilitar o tiro com a baioneta ou faca-baioneta, fixada no fuzil.

39) Possuir manuais de operação, técnicos e outros, em língua portuguesa.

40) Possuir catálogo de suprimento contendo número do fabricante, discriminação e desenhos de todas as peças, componentes e sobressalentes, escrito em língua portuguesa.

41) Possuir protetor do gatilho (guarda-mato) de dimensões suficientes para uso de luvas.

b. Desejáveis (RD)

1) Possibilitar o uso de carregadores de maior capacidade.

2) Sistema de pontaria com pontos impregnados de material fosforescente à prova de água e dos produtos de lubrificação, para realizar visada em condições de pouca luminosidade.

3) Ter a possibilidade de ser transportado de forma equilibrada com apenas uma das mãos.

4) Possuir acessório adicional para municiar, de forma rápida, os carregadores.

5) Cano da arma com tratamento interno para aumentar a vida útil e facilitar a limpeza.

6) Possuir seletor de tiro conforme RA no 22 acrescido de posição para rajada de 3 tiros.

7) Não permitir ignição espontânea de cartucho na câmara por aquecimento do cano.

8 ) Permitir que o atirador empunhe o fuzil através do “spot” ou “stock weld” mesmo que utilize dispositivos ópticos e optrônicos de tiro e observação.

9) Possuir um dispositivo que permita ao usuário controlar, mesmo em poucas condições de luminosidade, a quantidade de cartuchos existentes no carregador.

10) Possuir seletor de tiro e alavanca de manejo, para canhoto e destro.

11) Possuir acessório que possibilite acoplar os carregadores entre si, formando conjunto capaz de ser carregado na arma.

12) Possuir proteção na janela de ejeção do estojo, que não permita a entrada de material estranho no interior do fuzil.

c. Complementares (RC)

1) Poder ser confeccionado com o polímero em cores peculiares das Forças.

2) Possuir estojos de lona personalizados ou outro material para cada Força, para transporte dos carregadores e com dispositivo de fixação no equipamento individual.

3) Permitir a customização de seus acessórios.

ANEXO II

REQUISITOS OPERACIONAIS CONJUNTOS (ROC) DO FUZIL MÉDIO DAS FORÇAS ARMADAS (ROC – Nº 02/ 2011)

TÍTULO

FUZIL MÉDIO CALIBRE 7,62 milímetros – Fz Cal 7,62 mm

DESCRIÇÃO DOS REQUISITOS

Os requisitos abaixo foram obtidos pela consolidação das características operacionais e técnicas comuns de emprego da Marinha do Brasil e Exército Brasileiro constantes em suas documentações orientadoras e normativas após reuniões de coordenação realizadas no Ministério da Defesa, em 2011.

Os requisitos estão divididos em absolutos, desejáveis e complementares. Os absolutos são obrigatórios no armamento e seus acessórios. Os desejáveis, não obrigatórios, devem ser buscados no armamento pelo incremento da operacionalidade e por proporcionarem maior flexibilidade e conforto ao atirador. Podem, até, já estar implementados, valorizando o item avaliado. Os complementares, não obrigatórios ou desejáveis, valorizam a escolha do armamento sem desequilibrar sua avaliação (ex: escolher a cor do polímero em azul).

a. Absolutos (RA)

1) Ter calibre 7,62 mm e poder usar os cartuchos padrão OTAN (7,62 mm x 51mm) em seus variados tipos: comum, perfurante, traçante, lançamento de granadas de bocal e festim.

2) Ser empregado em combate sob quaisquer condições climáticas e ambientais existentes na área operacional do continente, devendo inclusive permitir o funcionamento imediato após imersão em água doce ou salgada.

3) Ser fácil e rapidamente desmontado e montado, para manutenção de limpeza ou correção, sem o auxílio de ferramentas.

4) Possuir índice de disponibilidade, em operações, acima de 90%.

5) Ser portátil e de emprego individual.

6) Ser alimentado por carregador, com capacidade mínima de 20 cartuchos.

7) Possuir alça de mira que possibilite o ajuste do tiro, com regulagem de incrementos de no máximo 100 metros, abrangendo, no mínimo, de 0 a 200 metros.

8 ) A massa de mira deve possuir dispositivo que permita sua proteção e possibilite o enquadramento inicial do alvo.

9) Possuir dispositivos que permitam as correções do tiro em alcance e direção, sem a utilização de ferramentas especiais.

10) Possuir suporte padrão que permita a acoplagem de acessórios e dispositivos ópticos e optrônicos de tiro e observação (tipo dovetail dimensions trail ou trail interface system ou MIL-SPEC 1913 ou trilhos Picatinny).

11) Poder acoplar acessório lançador de granadas 40 mm x 46 mm (OTAN) e outras.

12) Possuir bandoleira de transporte, regulável, que proporcione o transporte a tiracolo ou em bandoleira, com conforto e auxilie durante a tomada da pontaria e o disparo.

13) Possuir quebra-chamas que possa ser utilizado, também, para o lançamento de granadas de bocal (AP/AC) e poder fixar supressor de ruídos de tiro (silenciador).

14) Ter comprimento total, com coronha estendida e sem baioneta, que não ultrapasse 1100 mm.

15) Ter comprimento, com a coronha rebatida e/ou recolhida e sem baioneta, que não ultrapasse 850 mm.

16) Ter peso, com o carregador vazio, do tipo reto ou do tipo curvo, e sem acessórios, que não ultrapasse 4.500 gramas.

17) Ter alcance de utilização para a execução dos tiros com precisão, sem o uso de dispositivos ópticos e optrônicos de, pelo menos, 200 metros.

18) Ter alcance útil, capaz de causar dano a um combatente, pelo menos, na faixa de 200 a 600 metros.

19) Ser a força necessária para pressionar a tecla do gatilho e a realizar o disparo, entre 30 e 40 Newtons.

20) Possuir guarda-mato para proteção da tecla do gatilho.

21) Apresentar as seguintes cadências, mínimas, de tiro:
a) técnica: 600 tiros por minuto;
b )prática em tiro contínuo: 100 tiros por minuto; e
c) prática em tiro intermitente: 60 tiros por minuto.

22) Possuir seletor de tiro de fácil utilização com, no mínimo, as posições de tiro automático, tiro intermitente e posição de segurança, podendo a seleção ser feita com uma única mão.

23) Ter dispositivo que possibilite o encurtamento do fuzil sem impedir o acionamento do seletor de tiro previsto no RA no 22 ou a execução do tiro.

24) Ter dispositivo que impeça o disparo se não houver o completo trancamento da arma ou ocorrer qualquer anormalidade no mecanismo de disparo, de alimentação ou carregamento.

25) Possuir dispositivo que possibilite a colocação e a retirada do carregador com uma única mão.

26) Possuir alavanca de manejo, com punho pouco saliente, ergonômica, que permita o engatilhamento inicial e o manejo, para abertura ou fechamento da caixa da culatra. Durante o tiro, a alavanca deverá permanecer imóvel.

27) Apresentar funcionamento normal, quando utilizado sob condições adversas, como chuva, areia, água (doce e salgada) etc.

28) Possuir punho, coronha, guarda-mão e chapa da soleira de forma anatômica e de material resistente a impactos e refratário ao calor.

29) Todas as peças devem possuir resistência contra corrosão provocada pelos diversos meios encontrados no teatro de operações.

30) Todas as peças, metálicas ou não, devem ser foscas para evitar a reflexão de qualquer fonte de luz.

31) Possuir acessório que permita a utilização dos cartuchos de festim, possibilitando a realização do tiro nas mesmas condições constantes do RA no 22.

32) Possuir, como acessório, material para limpeza.

33) Possuir local para acondicionar o material de limpeza.

34) Possuir ferramentas, equipamentos e dispositivos calibradores, conforme definido no manual técnico, para todos os escalões, identificando-os conforme o uso por escalão, em condições de acompanhar as primeiras unidades distribuídas à tropa.

35) Não permitir o disparo acidental, mesmo quando carregado e destravado, em quedas de até 2 metros de altura.

36) Cano com vida útil, mínima, de 6.000 tiros.

37) Possuir baioneta ou faca-baioneta e respectiva bainha com dispositivo de fixação no equipamento individual.

38) Possibilitar o tiro com a baioneta ou faca-baioneta fixada no fuzil.

39) Possuir manuais de operação, técnicos e outros, em língua portuguesa.

40) Possuir catálogo de suprimento contendo número do fabricante, discriminação e desenhos de todas as peças, componentes e sobressalentes, escrito em língua portuguesa.

41) Possuir protetor do gatilho (guarda-mato) de dimensões suficientes para uso de luvas.

b. Desejáveis (RD)

1) Possibilitar o uso de carregadores de maior capacidade.

2) Sistema de pontaria com pontos impregnados de material fosforescente à prova de água e dos produtos de lubrificação, para realizar visada em condições de pouca luminosidade.

3) Ter a possibilidade de ser transportado de forma equilibrada com apenas uma das mãos.

4) Possuir acessório adicional para municiar, de forma rápida, os carregadores.

5) Cano da arma com tratamento interno para aumentar a vida útil e facilitar a limpeza.

6) Possuir seletor de tiro conforme RA no 22 acrescido de posição para rajada de 3 tiros.

7) Não permitir ignição espontânea de cartucho na câmara por aquecimento do cano.

8 ) Permitir que o atirador empunhe o fuzil através do “spot” ou “stock weld” mesmo que utilize dispositivos ópticos e optrônicos de tiro e observação.

9) Possuir um dispositivo que permita ao usuário controlar, mesmo em poucas condições de luminosidade, a quantidade de cartuchos existentes no carregador.

10) Possuir seletor de tiro e alavanca de manejo, para canhoto e destro.

11) Possuir acessório que possibilite acoplar os carregadores entre si, formando conjunto capaz de ser carregado na arma.

12) Possuir proteção na janela de ejeção do estojo, que não permita a entrada de material estranho no interior do fuzil.

c. Complementares (RC)

1) Poder ser confeccionado com o polímero em cores peculiares das Forças.

2) Possuir estojos de lona personalizados ou outro material para cada Força, para transporte dos carregadores e com dispositivo de fixação no equipamento individual.

3) Permitir a customização de seus acessórios.

(Esta Portaria se encontra publicada no DOU nº 241, de 16 DEZ 11 – Seção 1).



http://www.forte.jor.br/ (http://www.forte.jor.br/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 06, 2012, 10:56:15 am
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 05, 2012, 11:05:56 am
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 11, 2012, 06:32:40 pm
:arrow: http://www.alide.com.br/joomla/componen ... a-o-brasil (http://www.alide.com.br/joomla/component/content/article/75-extra/3599-reviravolta-na-proposta-dos-misseis-antiaereos-russos-para-o-brasil)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 24, 2012, 05:52:28 pm
:arrow: http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012 ... antes.html (http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012/05/exercito-explora-area-na-fronteira-onde-nunca-havia-pisado-antes.html)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 22, 2012, 05:57:26 pm
Citar
Jornada Doutrinária CMS Carro de Combate dos RCB Por Roberto Caiafa / Helio Higuchi / Paulo Roberto Bastos 22/6/2012

O Futuro dos RCB em Discussão

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0795.jpg)
O Futuro dos RCB em Discussão
 
Entre os dias 18 e 22 de junho, o Comando Militar do Sul (CMS), realizou um seminário com o objetivo de discutir a futura viatura a ser adotada pelos seus três Regimentos de Cavalaria Blindado (RCB), discutindo as características táticas que a viatura deverá possuir para poder realizar as missões sob a responsabilidade da unidade de choque das Brigadas de Cavalaria Mecanizada.

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0124.jpg)
A mística da Cavalaria avançando pelos Pampas Gaúchos - Centro de Instrução de Blindados

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC1001.jpg)
Simulador Sintético do Leopard 1A5, Cento de Instrução de Blindados

Atualmente, o Exército Brasileiro (EB) possui quatro RCB, sendo três deles no Rio Grande do Sul (4º RCB, em São Luiz Gonzaga; 6º RCB, em Alegrete; e 9º RCB, em São Gabriel), e um no Mato Grosso do Sul (20º RCB, em Campo Grande), este subordinado ao Comando Militar do Oeste (CMO).

Com o programa Leopard 1A5 BR, o EB planejava padronizar sua frota de carros de combate (CC) com o blindado alemão Leopard 1, pois os novos 1A5 iriam equipar os Regimentos de carros de Combate (RCC). Os 1Be (conhecido no EB como Leopard 1A1), seriam transferidos para os RCB e os M60A3 TTS seriam baixados. Porém, devido à rápida obsolescência e inoperância dos Leopard 1Be, cuja operacionalidade ficou restrita a poucas dezenas, insuficientes para equipar quatro RCB, os planos tiveram que ser mudados. Pensou-se em diminuir o numero de blindados nos RCC para poder compor os RCB com os 1A5, mas as exigências contratuais de manutenção desses veículos, estabelecidas com a Krauss-Maffei Wegman (KMW), tornaram essa proposta inviável. A solução encontrada foi manter em funcionamento 28 CC M60A3 TTS, no 20º RCB, e equipar os RCB do Sul com 36 Leopard 1Be (12 para cada).

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0756.jpg)
Leopard 1Be (foto: Roberto Caiafa)

O problema para o CMS, além da reduzida quantidade de veículos nas unidades, é a baixa disponibilidade pelo mau estado de conservação dos carros, bem como a impossibilidade de obter peças sobressalentes, sobretudo no sistema de estabilização do canhão (do modelo SABCA, que equipou somente os Leopard 1 utilizados na Bélgica).
 
Assim, o EB alocou uma verba de R$ 2 milhões para a revitalização desses CC, para conseguir manter um grau mínimo de operacionalidade. Entretanto, ficou patente que aquele valor é insuficiente para a recuperação dos 36 blindados, pois foi orçado um custo individual de R$ 200 mil. Durante o seminário foram debatidas as dificuldades quanto aos Leopard 1Be e como melhor aproveitar aqueles recursos. Por outro lado, no dia 20, terceira jornada do evento, a KMW apresentou quatro propostas que não deixaram de surpreender:

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0484.jpg)
(Foto: Roberto Caiafa) O veículo blindado Boxer na versão de transporte de infantaria

1ª. Aquisição de um lote de blindados KMW Boxer 8X8, equipados com canhão de 105mm,  a qual foi recusada pelo fato de se entender que o veículo do RCB deverá ser sobre lagartas;

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//Leo2A4KMW01.jpg)
Leopard 2A4 (foto: KMW)

2 Adquirir um lote de CC Leopard 2A4, de segunda mão, e recuperados pela KMW, nos mesmos moldes dos 1A5, que seriam transferidos para os RCC, enquanto que os 1A5 passariam para os RCB. Isso também foi declinado pela quase unanimidade dos presentes, devido ao alto custo operacional e pelas dimensões desses veículos;

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//Leopard1A5.ConbanderaBrasil400.jpg)
Leopard 1A5 (Foto: Exército Brasileiro)

3°. Adquirir mais um lote de 120 CC Leopard 1A5, de segunda mão, metade oriunda dos estoques ainda existentes na Alemanha (informação que causou surpresa, pois teoricamente não existiria mais nenhum) e o restante de um terceiro país (provavelmente Grécia, Itália ou Turquia), que também seriam recuperados pela KMW, como os atuais. Esta oferta foi a que mais agradou;

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0077.jpg)
Protótipo conceito de carro médio de combate de até 40 toneladas apresentado pela KMW (foto: Roberto Caiafa)

4º. E, a mais surpreendente, o desenvolvimento conjunto, entre a KMW e o EB, nos moldes do PFBMR, e a fabricação, lá em Santa Maria, de uma nova família de blindados sobre lagartas, incluindo um CC médio (40/45 toneladas), equipado com um canhão de 105mm, que teria um alto grau de comunidade de peças com o Leopard 1. Para melhor ilustrar foram apresentados slides sobre uma proposta similar apresentada no passado.

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0073.jpg)
A proposta envolve o desenvolvimento e fabricação em Santa Maria, RS (Foto: Roberto Caiafa)

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0074.jpg)
Uma nova família de blindados desenvolvida no Brasil, a proposta da KMW (fotos: Roberto Caiafa)

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//_DSC0085.jpg)
Apesar de diversas ideias e conclusões terem sido tiradas desses cinco dias, deve-se lembrar que esse seminário foi criado por um comando operacional e não pelo gestor.  Portanto, as conclusões dali emanadas não têm o peso de uma decisão, levando apenas as discussões a uma esfera mais abrangente, apresentando soluções. É esperar para ver o que o futuro trará.

http://www.tecnodefesa.com.br/materia.php?materia=238 (http://www.tecnodefesa.com.br/materia.php?materia=238)

A solução 3 e 4 são de todo as preferidas.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: SantaCatarinaBR em Julho 28, 2012, 04:01:13 am
SantaCatarinaBR - Uma reporter visita a fabrica da imbel e atira com o novo fuzil imbel ia2 (SBT)

Conheça a fábrica que produz e testa armas usadas pelo Exército Brasileiro e pelo FBI

Unidade da Imbel em Itajubá fabrica dispositivos, armas e equipamentos para forças policiais de todo o mundo

Cintia Godoy - TV Alterosa
(http://alterosa-new.estaminas.com.br/noticias/fotos/20120718190640813.jpg)
18 de julho de 2012 — As armas usadas pelo Exército e pelas polícias de vários estados brasileiros são testadas em Minas Gerais. Itajubá, no Sul do estado, abriga uma das cinco sedes da Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel) espalhadas pelo território nacional. A fábrica produz munições, explosivos e equipamentos de comunicação, além de armamento leve e pesado.

Reprodução TV Alterosa
(http://alterosa-new.estaminas.com.br/noticias/fotos/20120718191937376.jpg)
Repórter se arriscou na pontaria

O principal cliente da Imbel é o Exército Brasileiro, seguido pelas forças policiais de várias unidades da Federação. A empresa, vinculada ao Ministério da Defesa, foi fundada há 70 anos e exporta equipamentos para os Estados Unidos e países da Europa, África e Ásia. Um dos dispositivos fabricados na cidade mineira foi escolhido como arma oficial do FBI, a principal agência de serviço secreto norte-americana.

A repórter Cintia Godoy esteve na unidade da Imbel em Itajubá e revela detalhes sobre esta fábrica de excelência mundial em armamentos. Assista:

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Daniel em Agosto 13, 2012, 12:28:30 pm
Brasil só tem munições para uma hora de guerra
Exército sem capacidade de resposta, alertam generais


Citar
O Brasil só tem munições para uma hora de guerra, segundo uma reportagem da Globo, divulgada nesta segunda-feira. Desde 2008, então com Lula da Silva no poder, a situação militar pouco evoluiu, mesmo depois de assinado um plano de Estratégia Nacional de Defesa (END), que previa o reequipamento das Forças Armadas, visando, simultaneamente, o assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

O Exército, que possui o maior efetivo entre as três forças (203 mil militares), está em situação de degradação, com munições disponíveis para apenas uma hora de guerra, segundo relato dos generais.

Este braço armado, por exemplo, usa a mesma espingarda automática, o FAL (Fuzil Automático Leve), há mais de 45 anos. Por motivos estratégicos, os militares não divulgam o total em stock, mas mais de 120 mil unidades terão mais de três décadas de uso.

Carros, barcos e helicópteros são, também, escassos nas bases militares. O nível de obsolescência dos meios de comunicações ultrapassa os 92 por cento, sendo que mais de 87 por cento dos equipamentos nem pode ser mais usado, segundo um documento a que a Globo teve acesso.

E nem a roupa escapa. Até ao início de 2012, as fardas dos recrutas eram importadas da China e desbotavam após poucas lavagens.

A Estratégia Nacional de Defesa considera prioritárias a proteção da Amazónia, o controlo das fronteiras e o reequipamento das tropas, no sentido de garantir mobilidade e rapidez na resposta a qualquer risco, mas a defesa cibernética e recuperação da artilha antiaérea também estão entre as principais preocupações.

Apenas este ano vai ser testado o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), que visa vigiar mais de 17 mil quilómetros de fronteiras com dez países. O teste ocorrerá na fronteira do Mato Grosso do Sul com o Paraguai e Bolívia.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, já disse que quer elevar gradualmente os gastos com defesa para a média dos demais países do Brics (Rússia, Índia e China), que é de 2,4%, de modo a que o Brasil possa ter maior peso no cenário internacional.

«Perdemos a nossa capacidade operacional e a obsolescência é grande. Por isso, um dos nossos projetos visa a recuperação da capacidade operacional. Até 2015, deveremos receber 10 biliões de reais só para isso [quatro mil milhões de euros», revelou o general Schneider Filho, responsável pelos estudos da END no Estado-Maior do Exército.

Relativamente às munições, o general Maynard Marques de Santa Rosa, ex-secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa, e que passou recentemente à reserva, garantiu que o Brasil «possui munições para menos de uma hora de combate».

«A quantidade que temos sempre foi a mínima. Ela quase não existe, principalmente para pistolas e espingardas automáticas. Os carros de combate e grande parte do armamento foram comprados nas décadas de 70, 80. Existe uma ideia errada de que não há ameaça. Mas se ela surgir, não teremos tempo para reagir», alertou o general Carlos Alberto Pinto Silva, ex-chefe do Comando de Operações Terrestres (Coter), que coordena todas as tropas do país.

«Nos últimos anos, o Exército só tem conseguido adquirir o mínimo de munição para a instrução. Os sistemas de guerra eletrónica (rádio, Internet e celular), a artilharia e os blindados são de geração tecnológica superada. Mais de 120 mil espingardas automáticas têm mais de 30 anos de uso. Não há recursos suficientes», defendeu Santa Rosa.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Agosto 13, 2012, 02:23:25 pm
Planos de submarinos nucleares... caças de nova geração...
E a realidade é um porta-aviões sem aviões e um exército sem munições...  :N-icon-Axe:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 14, 2012, 10:55:22 am
Esse artigo tem muitos pontos que não batem certo.

Citar
Este braço armado, por exemplo, usa a mesma espingarda automática, o FAL (Fuzil Automático Leve), há mais de 45 anos. Por motivos estratégicos, os militares não divulgam o total em stock, mas mais de 120 mil unidades terão mais de três décadas de uso.

Tretas, eles mantêm a fábrica a produzir e ainda recentemente fabricaram mais uns milhares e recauchutaram mais uns milhares. Basta ver as fotografias da tropa Brasileira no Haiti com FAL com cano mais pequeno. Para além disso os IA2 (a versão 7.62 e 5.56mm) estão quase a sair.

Citar
Carros, barcos e helicópteros são, também, escassos nas bases militares. O nível de obsolescência dos meios de comunicações ultrapassa os 92 por cento, sendo que mais de 87 por cento dos equipamentos nem pode ser mais usado, segundo um documento a que a Globo teve acesso.

Receberam os Leopard 1 A5 da Alemanha depois de terem sido totalmente revistos e os Alemães montaram no Brasil todo um complexo para a manutenção dos bichos. O EB recebeu à pouco tempo mais umas lanchas norte-americanas (em pequeno número) para a amazónia e se há unidade que tem sido apoiada no Exército, tem sido os helicópteros. Quem dera muito país europeu ter o número de helicópteros que eles têm.

Citar
E nem a roupa escapa. Até ao início de 2012, as fardas dos recrutas eram importadas da China e desbotavam após poucas lavagens.

Pois é, mas o incrível é que eu nunca vi fotografias de militares com o camuflado rasgado na rabo, já em Portugal vi ao vivo e a cores... :roll:  
Para além disso essa informação está incorrecta, o tecido vem da China, o fabrico (corte e costura) é feito no Brasil. Se o Exército acha que o seu camuflado não é lá grande coisa, use o da FAB que segundo os próprios brasileiros é o melhor dos 3 Ramos.

Citar
«A quantidade que temos sempre foi a mínima. Ela quase não existe, principalmente para pistolas e espingardas automáticas. Os carros de combate e grande parte do armamento foram comprados nas décadas de 70, 80. Existe uma ideia errada de que não há ameaça. Mas se ela surgir, não teremos tempo para reagir», alertou o general Carlos Alberto Pinto Silva, ex-chefe do Comando de Operações Terrestres (Coter), que coordena todas as tropas do país

Em relação às munições não posso falar nada por não tenho dados, mas eles acabaram de receber CC, depois há os Guarani (VBTP 6x6 de fabrico Brasileiro), os I A2, etc.

Eu acho que este artigo e as declarações desse General estão mais para o "dêem-nos mais qualquer coisinha", do que "não temos qualquer capacidade real de fazer seja o que for".

Em relação ao PA, segundo tenho lido os aviões estão em plena modernização, o grande problema é mesmo o dito cujo estar a 100% (coisa que é cada vez menos provável de acontecer). Foram parvos e compraram um PA Francês… e a marinha francesa nem sequer consegue manter o PA que tem actualmente!
O programa que realmente é o sumulo de tudo o que pode correr mal é o FX-2, ai sim, é uma situação que vai para além do tolerável! No DB já estão a debater o FX-3 e há “foristas” que na brincadeira dizem que o FX-3 não sai, só o FX-4!!!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 23, 2012, 04:57:46 pm
Citar
Brasil importa centro de 'guerra virtual' da Espanha LUISA BELCHIOR COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, EM MADRI 23/08/2012 - 05h00

O Brasil está importando da Espanha tecnologia de guerra para montar sua própria indústria de defesa.

A transferência de know-how e equipamentos virá com a construção de dois centros de treinamento e simulação de tiros e conflitos por uma empresa espanhola para o Exército.

A meta é preparar os militares, que hoje treinam abaixo da capacidade, para guerras tradicionais, uma preocupação que surgiu com recentes descobertas de campos de petróleo e o interesse crescente de investidores estrangeiros, segundo disseram à Folha integrantes das Forças Armadas.

Os centros de treinamento, construídos por uma empresa espanhola ao custo de R$ 13 milhões, funcionarão em Resende (RJ) e Santa Maria (RS) e começam a operar no início de 2014.

Neles, o Exército poderá simular todos os tipos de disparos, de revólver a canhão, e em qualquer tipo de cenário, criado virtualmente. É um treinamento ainda inédito no país e o primeiro a integrar todos os tipos de artilharia.

(http://f.i.uol.com.br/folha/mercado/images/12235915.gif)

Os disparos serão todos a laser, o que vai baixar a zero o custo para o treino de tiros. Hoje, o orçamento médio anual do Exército para munições é de R$ 49 milhões. Disparar apenas uma granada custa mais de R$ 500.

"Na minha época, um grupo de artilharia disparava 600, 700 tiros ao ano em treinamento. Agora, não passa de 60", disse o general do Exército Antonio Mourão, responsável pelo contrato.

A partir de 2014, os soldados brasileiros poderão fazer até 50 mil disparos virtuais. Também poderão simular combates individuais, com uma mochila com GPS que emite um sinal sonoro quando o soldado é atingido por um tiro a laser e ainda contabiliza o número de disparos realizados, munição disponível e capacidade para continuar no combate depois de atingido.

"Atualmente, centros de treinamento disparam muito menos do que deveriam, por falta de dinheiro e por estar em zonas de conflito, como no Rio", completou o general do Exército Fernando Vasconcellos.

Ambos estiveram em Madri para conhecer o andamento do projeto e as instalações da empresa que construirá os centros, a Tecnobit.

Desde o ano passado, há 12 militares na Espanha para aprender o funcionamento do centro de treinamento.

No centro de treinamento que a empresa construiu para o Exército espanhol, em Madri, militares são preparados para integrar a tropa espanhola no Afeganistão. O local reproduz a geografia do país e a dinâmica de possíveis enfrentamentos nele.

HAITI

No caso do Brasil, os cenários mais usados serão o de guerras tradicionais, mas os dois centros também vão simular operações no Haiti, ocupações em favelas cariocas e vigilância das fronteiras.

"Mas o foco será em guerras convencionais. Embora seja hoje improvável, as Forças Armadas têm de estar preparadas", disse o general Mourão, que conheceu o modelo de treinamento virtual em 2000 e desde então vinha tentando convencer o Ministério da Defesa a construí-lo.

Em 2010, o governo liberou verba, e uma licitação foi feita, na qual a espanhola Tecnobit saiu vencedora.

"O projeto é bom para o Brasil porque são métodos de treinamento realistas, flexíveis e complexos e sem danos ao ambiente e custos adicionais, por serem virtuais", disse o diretor da Tecnobit América, Carlos Hernández.

Além de construir os centros, a espanhola vai transferir toda a tecnologia do funcionamento deles e de construção dos equipamentos para o Brasil.

Com o know-how em mãos, o Brasil pretende exportar o modelo para países da América Latina. Equador e Paraguai já estão interessados, de acordo com o Exército.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/11 ... anha.shtml (http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1141744-brasil-importa-centro-de-guerra-virtual-da-espanha.shtml)
Título: Exército simula combate gritando ruído de tiros
Enviado por: perry rhodan em Agosto 28, 2012, 06:41:37 pm

Exército simula combate gritando ruído de tiros



Com orçamento reduzido, numa pindaíba que é uma das maiores de sua história, o Exército brasileiro se vê agora na contingência anedótica de substituir as balas de festim por recursos onomatopeicos. A ordem é economizar, por esse motivo, agora, no treinamento de combate em algumas unidades militares, os tiros são simulados como em brincadeiras infantis, gritando o ruído das rajadas: “Ra-ta-po-po!”


Nem de festim

Oficiais generais temem que muitos dos integrantes do Exército concluam o período de treinamento sem disparar um único tiro.

Pindaíba

O general Augusto Heleno disse certa vez que no Exército falta verba até para gasolina, em eventual deslocamento de tropas à fronteira.

Melhor ser PM

As Forças Armadas têm os salários achatados. No DF, um PM iniciante ganha mais que um capitão do Exército com nove anos na caserna.

Bolso vazio

“Grevistas de sangue azul”, como Dilma chama fiscais da Receita e da Vigilância Sanitária, ganham 60% a mais que generais do Exército.

FONTE:Coluna do Cláudio Humberto
http://www.claudiohumberto.com.br/principal/ (http://www.claudiohumberto.com.br/principal/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 02, 2012, 03:29:31 pm
Citar
Entrega dos Morteiros 120 mm M2 R ao DCA[/color]
23 de agosto de 2012  

Rio de Janeiro (RJ) - No dia 23 de agosto de 2012 (Quinta-Feira), o Arsenal de Guerra do Rio, Arsenal D. João VI, com apoio logístico de transporte prestado pelo Estabelecimento Central de Transportes (ECT), realizou a entrega de 30 (trinta) Morteiros Pesado 120 mm M2 Raiado (Mrt P 120 mm M2 R) ao Depósito Central de Armamento (DCA). Esses morteiros permanecerão no DCA até que sejam distribuídos à Força Terrestre.

(http://www.agr.eb.mil.br/imagens/ect.jpg)

Já foram distribuidos mais de 200 por todo o Exército Brasileiro. Material feito lá e não comprado no estrangeiro.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 02, 2013, 04:30:35 pm
Citar
Brasil e Rússia estudam parceria em sistemas antiaéreos
Brasília, 01/02/2013 – As Forças Armadas brasileiras poderão contar com modernos sistemas antiaéreos fabricados pela Rússia. Uma delegação composta por militares e empresários brasileiros esteve em Moscou, no fim de janeiro, para conhecer os equipamentos.

A viagem incluiu visitas à estatal russa Rosoboronexport, que gerencia contratos de exportação de material de defesa, indústria que produz o sistema Pantsir-S1, e Kupol, fabricante do sistema Tor-M2E e Tor-M2KM. As transações deverão envolver também a instalação de fábrica e transferência tecnológica para o Brasil.

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, que liderou a comitiva brasileira no périplo em Moscou, acredita no sucesso das negociações. “Temos interesse na aquisição de três baterias de mísseis Pantsir-S1 nível médio e duas baterias de mísseis Igla. O que precisamos agora é apresentar a proposta à presidenta da República”, disse.

Segundo De Nardi, o tema deverá ser abordado durante a visita do primeiro ministro russo, Dmitri Medvedev, ao Brasil, no fim deste mês.

Em dezembro passado, a presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Defesa, Celso Amorim, estiveram em Moscou, em missão oficial. Na oportunidade, Brasil e Rússia divulgaram comunicado conjunto manifestando o interesse em reforçar a parceria dos dois países na área de defesa.

A ida de militares e empresários da indústria de defesa à capital russa foi um desdobramento da agenda cumprida pela comitiva brasileira em dezembro. A viagem foi articulada pelo EMCFA, com o apoio da embaixada brasileira na Rússia.
Na ocasião, o chefe do EMCFA foi recebido pelo general coronel Valery V. Guerassimov, chefe do Estado-Maior Conjunto daquele país.

Ao término da série de visitas e reuniões, foi produzida uma ata com os principais tópicos acertados pelas partes. Segundo o general De Nardi, o documento reafirma o interesse mútuo em uma parceria de “direitos iguais” na área de defesa e expressa a disposição russa em oferecer transferência da tecnologia “sem qualquer caixa preta e restrições”.

Além dos militares, a delegação brasileira contou com a participação de representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; BNDES; Agência de Desenvolvimento da Indústria; bem como executivos das empresas Odebrecht Defesa e Segurança, Mectron, Embraer Defesa e Segurança, Avibrás e Logitec Consultoria em Logística.

Fotos: Ministério da Defesa da Rússia
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
61 3312-4070

 :arrow: https://www.defesa.gov.br/index.php/ult ... antiaereos (https://www.defesa.gov.br/index.php/ultimas-noticias/8589-01-02-2013-defesa-brasil-e-russia-estudam-parceria-em-sistemas-antiaereos)

Segundo as más línguas, esta aquisição vai para a frente por dois motivos, os eventos desportivos que vão acontecer no Brasil nos próximos tempos e o fim do embargue à carne brasileira na Rússia. Cá como lá, a Defesa é a última das prioridades.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 20, 2013, 10:45:01 am
O Emprego da Companhia de Precursores Paraquedista nas Ações nos Complexos do Alemão e da Penha

 :arrow: http://usacac.army.mil/CAC2/MilitaryRev ... 010POR.pdf (http://usacac.army.mil/CAC2/MilitaryReview/Archives/Portuguese/MilitaryReview_20120430_art010POR.pdf)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Maio 06, 2013, 01:45:01 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: José Tagus em Maio 18, 2013, 05:56:45 pm
Fonte (http://http).

Citar
Na selva, Brasil busca estender seu alcance

Curso brasileiro de guerra na selva recebe soldados da região e de outros continentes no momento em que País quer espalhar sua influência em partes do mundo em desenvolvimento

O major José Maria Ferreira sorria enquanto listava as ameaças à sobrevivência humana na selva envolvendo este posto militar remoto na Amazônia brasileira. Ele começou com as piranhas, que se escondem nos rios, e as cobras como a surucucu, a mais longa cobra venenosa do hemisfério ocidental. Então, ele falou a respeito das criaturas silenciosas, incluindo a formiga-cabo-verde, encontrada em colônias na base das árvores. Sua picada, de acordo com vítimas, dói tanto quanto ser baleado e a dor dura 24 horas.

Sorrindo ainda mais, Ferreira descreveu a leishmaniose, a doença causada por picadas da mosca de areia, as febres por picadas de mosquitos, como a malária e a dengue e, finalmente, rabdomiólise, uma condição causada por exercício extremamente extenuantes. Isso leva a danos nos rins e à degradação do tecido muscular esquelético, as vítimas podem identificar seu início quando a urina se torna marrom escuro.

"Ficamos preocupados quando isso acontece", disse Ferreira, 42, o porta-voz do Centro de Instrução de Guerra na Selva do Brasil, que está entre as instituições mais exigentes de seu tipo nos trópicos. "Essa coloração marrom significa 90% de chance de morte."

Estranhamente, dezenas de soldados das unidades militares de elite brasileiras, assim como membros das forças de operações especiais de todo o mundo, competem todo ano pelas cobiçadas vagas nos cursos do centro, que está emergindo como uma figura principal da ambição do Brasil de espalhar sua influência em partes do mundo em desenvolvimento, especialmente na América Latina e África.

Nos cursos que duram cerca de nove semanas, os instrutores fazem com que os soldados cumpram algumas árduas tarefas. Os soldados devem realizar longas caminhadas pela floresta, nadar em águas infestadas de jacarés e piranhas e sobreviver por vários dias sem comida, caçando seus próprios alimentos.

Os instrutores também privam os soldados de sono, gritando insultos contra eles quando eles mostram sinais de fadiga, e forçando-os a brigarem uns com os outros.

"Tem sido uma experiência muito, muito difícil e cansativa", disse o tenente Djibil Toure, 26, um dos quatro oficiais subalternos de uma unidade de operações especiais do exército do Senegal enviados para participar do curso este ano.

Mais:  Brasil faz megaoperação militar nas fronteiras com Argentina, Uruguai e Paraguai

Após o término do curso, Toure disse que conselheiros militares brasileiros planejam viajar para o Senegal, onde sua unidade está envolvida na luta contra a insurgência do Movimento das Forças Democráticas de Casamance.

Para o Brasil, a oportunidade de treinar soldados africanos ajudará a melhorar ainda mais seu perfil no outro lado do Atlântico, num momento em que o comércio está crescendo entre o Brasil e os países africanos. Além do Senegal, Angola começou a enviar soldados para o centro, comumente chamado de CIGS.

O Brasil também disponibilizou os cursos para os países em seu próprio hemisfério, para países como Argentina, Venezuela, Guiana e Suriname. Mesmo a França, que possui soldados na Guiana Francesa, uma região ultramarina que compartilha uma fronteira na Amazônia com o Brasil e os Estados Unidos, ocasionalmente, envia soldados para participar do treinamento.

Formar uma força militar que permitirá ao Brasil construir sua soberania sobre a Amazônia, cerca de 60% dela se encontra no Brasil e está sendo urbanizada a um ritmo acelerado, continua sendo a principal prioridade do centro. O programa se concentra em lidar com os desafios colocados pelo tráfico de cocaína, o desmatamento ilegal, a mineração não autorizada de ouro e diamantes, e a ameaça de incursões de guerrilheiros da Colômbia que procuram refúgio.

A tarefa de preparar os soldados para missões no Brasil ou no exterior é em grande parte deixada para o tenente-coronel Mario Augusto Coimbra, o instrutor-chefe no Centro de Instrução de Guerra na Selva do Brasil.

Coimbra, um conhecedor auto-descrito do uísque Jack Daniels, recentemente passou um período de férias no Texas caçando porcos selvagens e possui uma coleção de facas de combate, particularmente a faca nepalesa kukris, em seu escritório.

"O Rambo não conseguiria terminar este curso", disse Coimbra, 44. "Pois ele é um individualista. Para realmente sobreviver na selva você precisa trabalhar em equipe."

Ainda assim, mesmo as equipes formadas durante o curso inevitavelmente acabam diminuindo. Dos 100 participantes que iniciaram o curso este ano, restaram apenas 53 participantes quando atingiram a metade do trajeto. Médicos e psicólogos monitoram constantemente os soldados, solicitando sua remoção se eles parecem estar muito cansados ou doentes. A última morte foi em 2008, quando um soldado desmaiou enquanto nadava.

Em uma tarde recente, muitos dos participantes pareciam magros e com olheiras, pois foram obrigados a correr em formação sob chuva incessante. Todos eles tinham seus crachás removidos de seus uniformes, e foram atribuídos números pelos instrutores.

No. 14, o tenente Caio Nicoli Calggario, do Espírito Santo, parecia exausto quando perguntado a respeito do curso. Ele disse que um dos piores momentos ocorreu durante a fase de sobrevivência, quando alguns soldados esfomeados comeram as larvas encontradas na árvore de coco de babaçu.

"Eu dormi 10 minutos na noite passada", disse ele, olhando para o chão. "É difícil caçar quando você está cansado."

Por Simon Romero
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 22, 2013, 02:22:51 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 25, 2013, 03:54:23 pm
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2013/05/Gepard-desembarcando-no-rio-CCSE.jpg)

http://www.forte.jor.br/2013/05/23/desembarque-dos-primeiros-8-gepard/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 14, 2013, 10:58:22 am
Guarani – Veja sua construção passo a passo

 :arrow: http://www.defesaaereanaval.com.br/?p=21861 (http://www.defesaaereanaval.com.br/?p=21861)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 26, 2013, 02:52:22 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 04, 2013, 12:39:23 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 10, 2013, 10:03:06 am
Reparem na espingarda-automática:

Citação de: "Bravo"
(http://farm6.staticflickr.com/5334/9692894411_a9fcc0ea7f_b.jpg)

(http://farm4.staticflickr.com/3787/9692959673_6abb24249d_b.jpg)


(http://farm3.staticflickr.com/2879/9696173984_cc439aa097_b.jpg)


São Paulo/SP - Desfile de 7 de Setembro (Paulo Guereta)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Setembro 14, 2013, 01:41:56 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 05, 2013, 03:04:22 pm
Novo modelo de camuflado e botas para o Exército Brasileiro.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=3605755&t=1380886869097)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=3605741&t=1380886869081)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 30, 2013, 04:21:33 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Novembro 03, 2013, 10:36:46 am
http://www.forte.jor.br/2013/11/02/exercito-brasileiro-adota-fuzil-imbel-ia2/

Citar
Art. 1º Adotar, para o Exército Brasileiro, o Fuzil de Assalto calibre 5,56mm IMBEL A2, fabricado pela INDÚSTRIA DE MATERIAL BÉLICO DO BRASIL (IMBEL).

Parágrafo único. A referida adoção é decorrente da decisão tomada na Reunião Decisória Especial à Distância encerrada em 18 de outubro de 2013.
(http://2.bp.blogspot.com/-Nrj0PLqynWk/Tr4Uh-OchlI/AAAAAAAAFow/lD5RiZGNsIg/s1600/IA-+2+3993.jpg)
(http://file.netmarble.com/img/Forum/56/2013/04/28/20130428203336.jpg)
(http://i1.ytimg.com/vi/fzM894I4Lpw/maxresdefault.jpg)
(http://2.bp.blogspot.com/-xDMErks2FTQ/Tr4Uf8X-DYI/AAAAAAAAFoo/54h5f1aaRus/s1600/IA-2+PQD-2.jpg)

http://landcombatcb.blogspot.pt/2011/11/imbel-ia-2-um-adeus-ao-velho-fal.html

 :G-beer2:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 05, 2013, 10:58:12 am
A ML vai ser a Minimi. Até o Brasil já está a começar a substituir a FAL por uma espingarda-automática 5.56mm! Enquanto que em Portugal... :roll:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Novembro 17, 2013, 03:36:45 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Dezembro 23, 2013, 09:41:03 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Dezembro 27, 2013, 04:59:20 pm
(http://img18.imageshack.us/img18/2751/bpp7.jpg)
IA2 5,56mm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 27, 2013, 05:16:12 pm
Ui, o que tu foste fazer... :roll:

Ah, eles querem exportar as mesmas. Reportagem é que não pode haver! :N-icon-Axe:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Abril 13, 2014, 10:56:25 am
http://www.forte.jor.br/2014/04/11/avibras-apresenta-novo-veiculo-militar-em-jacarei-sp/
Citar
‘TUPI’ PASSARÁ POR POR TESTES DO EXÉRCITO E DEVE PARTICIPAR DE UMA LICITAÇÃO. EMPRESA DIZ QUE PROJETO PODE GERAR CERCA DE MIL EMPREGOS NA REGIÃO.
http://www.forte.jor.br/2014/04/12/avibras-amplia-instalacoes-para-producao-de-blindados/
Citar
Avibras amplia instalações para produção de blindados
(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2014/04/19577.jpg)
(http://pbrasil.files.wordpress.com/2010/02/ini.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 13, 2014, 11:24:21 am
http://www.forte.jor.br/2014/05/12/agata-8-comeca-operacao-na-fronteira-com-mobilizacao-de-30-mil-militares-das-forcas-armadas-2/
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/05/%C3%81gata-8.png)
(http://lacerdanews.com.br/wp-content/uploads/2013/05/AGATA.jpg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2013/05/agata_interna03.jpg)
(http://www.brasil247.com/images/cache/1000x357/crop/images%7C2%7C59%7C25987bca7068b5e56d3d29756189678fb1e70e94.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 04, 2014, 03:46:22 pm
Citar
Academia Militar das Agulhas Negras conduziu o Estágio Básico do Combatente de Montanha

Resende (RJ) – De 26 de maio a 6 de junho, a Seção de Instrução Especial (SIEsp) da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) conduziu o Estágio Básico do Combatente de Montanha, que contou a com a presença de 30 Aspirantes Fuzileiros Navais da Escola Naval, 15 Cadetes de Intendência da Academia da Força Aérea (AFA) e seis cadetes estadunidenses da Academia Militar de West Point, promovendo uma aproximação ainda maior entre as Academias nacionais e estrangeira e fortalecendo laços para a interoperabilidade das três Forças Armadas.

Além dessa interação, outro destaque do Estágio foi a presença de quatro Cadetes do segmento feminino da AFA, o que permitiu à AMAN coletar importantes dados acerca da inserção da mulher na Linha de Ensino Militar Bélica, evento planejado no Exército para 2018.

Durante as duas semanas, homens e mulheres enfrentaram condições meteorológicas extremas, com temperaturas que chegaram aos -7º C, ventos superiores a 70 km/h e chuva forte.

Com essas condições e com um público-alvo tão variado, a AMAN buscou o apoio do Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército para realizar a atividade com a máxima segurança, coletando amostras de sangue e monitorando em tempo real a situação cardíaca dos estagiários. Dessa forma, ao final do exercício todos os setores envolvidos com o projeto de inserção da mulher na Linha de Ensino Militar Bélica puderam dispor de dados confiáveis para que novos parâmetros voltados para o treinamento militar feminino sejam estabelecidos.

Outra novidade do Estágio foi a presença da primeira mulher como instrutora a integrar o Corpo de Cadetes. A Capitão farmacêutica Maria Cecília Freitas Almeida, única Guia de Cordada do Exército, foi designada pelo Comando da AMAN para compor a equipe de instrução da SIEsp, permitindo que a comissão para inserção da mulher na Linha de Ensino Militar Bélica avaliasse de perto os efeitos desse novo padrão de relacionamento instrutor-estagiário em situações de fadiga e estresse físico e psicológico.

Ao final do Estágio, 12 Aspirantes da Escola Naval e 14 Cadetes da Academia da Força Aérea foram brevetados Escaladores Militares, em uma cerimônia que contou com a presença de representantes das três Academias Militares brasileiras.

http://www.eb.mil.br/web/midia-impressa ... 7RNH_ldWgY (http://www.eb.mil.br/web/midia-impressa/noticiario-do-exercito?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-3&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=3&_56_groupId=16541&_56_articleId=5341822#.U7RNH_ldWgY)

O mais incrivel não é o facto dos Cadetes de West Point não terem chegado ao fim, mas sim só um dos Cadetes da FAB não ter chegado ao fim e nem metade dos Cadetes dos Fuzos Brasileiros terem conseguido. :shock:  :shock:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Agosto 10, 2014, 09:16:33 pm
Citar
WASHINGTON, Jun 11, 2014 - The State Department has made a determination approving a possible Foreign Military Sale to Brazil for M109A5+ upgrade kits and associated equipment, parts, training and logistical support for an estimated cost of $110 million. The Defense Security Cooperation Agency delivered the required certification notifying Congress of this possible sale on Jun 11, 2014.

The Government of Brazil has requested a possible sale of 40 M109A5 kits to upgrade 40 M109A5 Self Propelled Howitzers to the M109A5+ configuration, spare and repair parts, support equipment, tools and test equipment, personnel training and training equipment, publications and technical documentation, U.S. Government and contractor technical, engineering, and logistics support services, and other related elements of logistics and program support. The estimated cost is $110 million.

The proposed sale will contribute to the foreign policy and national security of the United States by helping to improve the security of Brazil, which has been, and continues to be, an important force for regional stability and economic progress in South America.

Brazil will use this equipment to modernize its artillery capability and enhance the Brazilian Armed Forces’ readiness. The reconfigured howitzers will provide the Brazilian Army with a much needed upgrade to this capability while further enhancing interoperability with U.S. and other military forces. Brazil will have no difficulty absorbing this equipment into its armed forces.

The proposed sale of this equipment and support will not alter the basic military balance in the region.

The principal contractor will be BAE Systems in York, Pennsylvania. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.

Implementation of this proposed sale will require two (2) U.S. Government or contractor representatives to travel to Brazil for a period of up to one (1) year to provide assistance during the upgrade of these 40 vehicles. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.

There will be no adverse impact on U.S. defense readiness as a result of this proposed sale.

This notice of a potential sale is required by law and does not mean the sale has been concluded.

Citar
WASHINGTON, Jun 11, 2014 - The State Department has made a determination approving a possible Foreign Military Sale to Brazil for M113A2MK1 upgrade kits and associated equipment, parts, training and logistical support for an estimated cost of $131 million. The Defense Security Cooperation Agency delivered the required certification notifying Congress of this possible sale on Jun 11, 2014.

The Government of Brazil has requested a possible sale of 434 M113A2MK1 Kits to upgrade M113 Armored Personnel Carriers (APCs) to the M113A2MK1 configuration, spare and repair parts, support equipment, tools and test equipment, personnel training and training equipment, publications and technical documentation, U.S. Government and contractor technical, engineering, and logistics support services, and other related elements of logistics and program support. The estimated cost is $131 million.

The proposed sale will contribute to the foreign policy and national security of the United States by helping to improve the security of Brazil, which has been, and continues to be, an important force for regional stability and economic progress in South America.

Brazil will use this upgrade equipment to modernize and improve its fleet of armored personnel carriers. The M113A2MK1 APCs will provide the Brazilian Army with a more reliable, agile, and effective infantry vehicle capability. Brazil will have no difficulty absorbing this equipment into its armed forces.

The proposed sale of this equipment and support will not alter the basic military balance in the region.

The principal contractor will be BAE Systems in York, Pennsylvania. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.

Implementation of this proposed sale will require two U.S. Government or contractor representatives to travel to Brazil for a period of up to seven years to provide technical assistance during the upgrade of the 434 vehicles.

There will be no adverse impact on U.S. defense readiness as a result of this proposed sale.

This notice of a potential sale is required by law and does not mean the sale has been concluded.

http://www.dsca.mil/major-arms-sales/brazil-m109a5-upgrade-kits
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Novembro 11, 2014, 12:38:18 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Novembro 22, 2014, 10:18:13 am
http://www.forte.jor.br/2014/11/21/exercito-brasileiro-vai-escolher-seu-veiculo-blindado-4x4/
Citar
Quatro empresas do setor têm até meados de dezembro para entregar ofertas ao Exército Brasileiro para um lote inicial de 32 veículos táticos blindados 4×4, na sequência de um pedido de propostas lançado em outubro.

A Iveco Veículos de Defesa da Itália, juntamente com sua Iveco América Latina, a Avibras do Brasil unida à francesa Renault Trucks Defense, a BAE Systems Land Systems da África do Sul, e AM General dos Estados Unidos aliada à Plasan de Israel, estão prontas para participar da competição.

A Iveco propôs o Light Multirole Vehicle (LMV); a Avibras o Tupi, que é baseado no veículo Sherpa Light Scout da Renault Trucks Defense; A BAE Systems Land Systems da África do Sul oferta seu RG32LTV (Light Tactical Vehicle); e a AM General e Plasan o MLTV-BR (Modernised LTV-Brazil). Esses veículos foram anteriormente testados extensivamente no Brasil pelo Centro de Avaliações do Exército.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/11/Avibras-Tupi1.jpg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/08/IrishArmyRG-32M2.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Novembro 28, 2014, 09:47:28 am
http://www.forte.jor.br/2014/11/24/helibras-entrega-mais-um-helicoptero-ec725-para-as-forcas-armadas/
Citar
EXÉRCITO BRASILEIRO RECEBE SUA QUINTA AERONAVE DESTE MODELO

A Helibras realizou, nesta semana, a entrega do quinto helicóptero EC725 ao Exército Brasileiro. Essa é a sétima aeronave que a empresa entregou às Forças Armadas este ano e faz parte das 50 unidades adquiridas pelo Ministério da Defesa, no âmbito do programa H-XBR, que prevê a absorção de novos conhecimentos e tecnologias de produção no Brasil do EC725.

Essa aeronave conta com sistemas para visão noturna, blindagem reforçada, guincho duplo, gancho para carga externa, sistema de rapel, fast roping e grape para incursões e extrações de tropas com maior agilidade. Além de sistemas seguros de comunicação e de sistemas de última geração de navegação, a aeronave dispõe de um piloto automático de quatro eixos que, juntos, diminuem a carga de trabalho da tripulação, o que a faz ficar mais dedicada à missão. Os helicópteros do Exército são utilizados em apoio logístico, transporte de pessoal e missões humanitárias.
(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2013/11/EC725-BRA-17-em-voo-foto-Helibras.jpg)
(http://2.bp.blogspot.com/-FJeNtyVtIWw/UGzi9y9411I/AAAAAAAAHAs/bl5H0p1ai6s/s1600/EC725+FAB2_Helibras+Divulga%C3%A7%C3%A3o-001.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Janeiro 11, 2015, 12:23:46 pm
http://www.forte.jor.br/2015/01/08/avibras-atrasa-salarios-de-dezembro-e-amplia-licenca-de-15-mil-funcionarios/
Citar
Funcionários da Avibras, considerada uma das maiores indústrias de defesa do Brasil, reclamam que a empresa prorrogou por mais uma semana a licença remunerada de todos os 1,5 mil trabalhadores da fábrica de Jacareí (SP) e ainda não pagou os salários de dezembro. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, os trabalhadores prometem retomar a greve deflagrada em dezembro caso os pagamentos não sejam feitos no próximo dia 12, nova data marcada para o retorno à fábrica. Após a paralisação, a empresa concedeu licença remunerada aos trabalhadores. Segundo o sindicato, a empresa alega que não tem capital de giro para pagar os salários. Procurada, a Avibras não comentou.
http://www.forte.jor.br/2015/01/09/avibras-nota-de-esclarecimento-090115/
Citar
Ao contrário do que foi publicado nesta sexta-feira, dia 9 de janeiro na imprensa, a Avibras Indústria Aeroespacial esclarece que a atual situação financeira da empresa, principalmente o atraso no pagamento dos salários de seus colaboradores, não tem qualquer ligação com o corte orçamentário anunciado pelo Governo Federal. É importante ressaltar que o Governo Federal, sobretudo o Ministério da Defesa, é parceiro indissolúvel das empresas de defesa, principalmente da Avibras, investindo na preservação da independência tecnológica do País, na garantia da soberania, do patrimônio nacional e da integridade territorial.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/01/greve_avibras_2-580x381.jpeg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/12/Astros-2020-580x386.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 07, 2015, 10:14:46 am
http://www.forte.jor.br/2015/02/06/helicopteros-de-ataque-exercito-brasileiro-concorda-em-tambem-testar-o-airbus-tiger/
Citar
A direção da empresa Helibras está tentando viabilizar junto ao grupo europeu Airbus, uma sessão de testes no helicóptero Tiger para os oficiais do Grupo de Ensaios em Voo (GEA) do Comando de Aviação do Exército (CAVEX) do Brasil, incumbidos de avaliar os principais modelos de helicópteros de ataque disponíveis no mercado.

A Força Terrestre brasileira planeja adquirir 36 aeronaves de asas rotativas de ataque em três lotes de 12 unidades cada um – o primeiro no período de 2016 a 2019, conforme o estipulado pelo Plano de Obtenção de Capacidades Materiais definido pelo Plano Estratégico do Exército.

Até agora, os modelos que disputam a preferência dos militares brasileiros são o T-129 Mangusta modernizado – de desenho italiano –, o americano AH-1Z Viper (sucessor do conhecido AH-1 Super Cobra), e o russo Mi-28NE.

Em setembro do ano passado, um piloto do GEA viajou à Rússia, acompanhado do então Comandante de Operações Terrestres, general de exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas – novo comandante do Exército – e do Comandante do CAVEX, general de brigada Achilles Furlan Neto, para testar o Mi-28NE.
Exista dinheiro...  :twisted:
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2012/05/Aussie-Tiger-ARH-20110717.jpg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/01/Mi-28-Havoc.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 07, 2015, 10:45:14 am
Eles estão a ficar com uma bruta salada de frutas...
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 19, 2015, 11:22:26 am
The New York Times: Brazilian Military’s Crucible: Jungle Warfare Instruction

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-K999/20130507-BRAZIL-slide-K999-jumbo.jpg)

A Brazilian soldier practiced rappelling from a helicopter as part of the Jungle Warfare Instruction Center, a course offered by the Brazilian Army in the Amazon rainforest.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-NPBW/20130507-BRAZIL-slide-NPBW-jumbo.jpg)

A French soldier prepared to rappel from a helicopter. Dozens of soldiers from elite Brazilian military units, as well as members of special operations forces from around the world, vie each year for coveted spots in the courses at the center.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-GJEC/20130507-BRAZIL-slide-GJEC-jumbo.jpg)

In courses lasting about nine weeks, instructors submit soldiers to an array of punishing tasks. The soldiers must endure long hikes through the jungle, swim in waters infested with caiman and piranha and survive for several days without rations, hunting or foraging for their own food.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-H1E6/20130507-BRAZIL-slide-H1E6-jumbo.jpg)

Instructors also deprive soldiers of sleep, roaring insults at them when they show signs of fatigue, and force them to engage in hand-to-hand combat with one another.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-VNS6/20130507-BRAZIL-slide-VNS6-jumbo.jpg)

Throughout it all, soldiers rest (when permitted) in hammocks pitched on trees deep in the forest, where they are often soaked by heavy rains or bedeviled by the ear-piercing groans of howler monkeys.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-MM5X/20130507-BRAZIL-slide-MM5X-jumbo.jpg)

The program originated in 1964 after a Brazilian officer, who attended a similar course once operated by the United States Army in Panama, sought to create an instruction center tailored to the conditions of the Brazilian rain forests.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-M6TX/20130507-BRAZIL-slide-M6TX-jumbo.jpg)

Training a military force that will allow Brazil to assert its sovereignty over the Amazon region, about 60 percent of which is in Brazil and which is urbanizing at a rapid pace, remains the center’s priority.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-SQ48/20130507-BRAZIL-slide-SQ48-jumbo.jpg)

The program focuses on the challenges posed by cocaine trafficking, illegal deforestation, the unauthorized mining of gold and diamonds and the threat of incursions by rebels from Colombia.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-6JP3/20130507-BRAZIL-slide-6JP3-jumbo.jpg)

Soldiers not taking part in the course cooked barbecue steak to be shared among participants.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-DTJI/20130507-BRAZIL-slide-DTJI-jumbo.jpg)

A Brazilian soldier showed a comrade an injury to his knee. Of 100 participants who began the course this year, just 53 were left at the midway point. Doctors and psychologists constantly monitor the soldiers, requesting their removal if they appear too fatigued or sick.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-WVZR/20130507-BRAZIL-slide-WVZR-jumbo.jpg)

Heavy rain clouds approached the canopied rain forest enveloping this remote military outpost in the Amazon.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-SSXG/20130507-BRAZIL-slide-SSXG-jumbo.jpg)

The threats to human survival here are myriad: piranhas, pit viper, and the formiga-cabo-verde, called the bullet ant in English and found in colonies at the base of trees. Its sting, according to victims, hurts about as much as being shot and lasts for a good 24 hours.

(http://graphics8.nytimes.com/images/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL-slide-JO7R/20130507-BRAZIL-slide-JO7R-jumbo.jpg)

“Rambo couldn’t finish this course,” said Lt. Col. Mário Augusto Coimbra, the chief instructor at the jungle warfare center. “It’s because he’s an individualist; to truly survive in the jungle you need to be a team.”

Fonte: http://www.nytimes.com/slideshow/2013/0 ... ZIL.html#1 (http://www.nytimes.com/slideshow/2013/05/06/world/americas/20130507-BRAZIL.html#1)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 29, 2015, 12:10:16 am
Exército recebe munição 30mm da CBC para emprego no Guarani

Vídeo divulgado pelo Exército Brasileiro (EB) na quarta-feira, 25 de março, mostra o recebimento  dasnovas munições 30 mm que serão utilizadas pelas Viaturas Blindadas Guarani. A munição é fornecida pela Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC).

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 29, 2015, 12:16:29 am
Guerreiros do Pantanal:

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 29, 2015, 12:24:56 am
Comando de Operações Especiais - Túnel de vento é utilizado na preparação de tropas especiais

O Comando de Operações Especiais utiliza um túnel de vento - o primeiro instalado na América Lática - para o treinamento de queda livre. O treinamento em túnel de vento é importante para os militares que realizam infiltração por meio de salto livre operacional, cada hora no túnel de vento equivale a 100 saltos.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 31, 2015, 09:31:08 am
Faz-nos falta um túnel de vento na ETP!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2015, 08:24:39 pm
http://www.defesanet.com.br/defesa/noti ... az-da-ONU/ (http://www.defesanet.com.br/defesa/noticia/18581/Brasil-sedia-painel-sobre-operacoes-de-paz-da-ONU/)

(http://www.defesanet.com.br/images/resize/site/upload/news_image/2015/03/24981.jpg/800/600/false/true/)

BRASIL SEDIA PAINEL SOBRE OPERAÇÕES DE PAZ DA ONU

O Centro Militar de Convenções e Hospedagens da Aeronáutica (CEMCOHA) recebe nesta segunda (30/03) e terça-feira (31/03) o Painel Independente de Alto Nível sobre Operações de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU). Com a participação de 16 países, o evento, realizado em Salvador, reúne representantes da América Latina e do Caribe para apresentação de propostas que visam atualizar o manual de operações de paz da ONU. Todos os debates do seminário serão enviados para o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, em maio.

O líder do painel é José Manuel Ramos-Horta, presidente do Timor-Leste entre 2007 e 2012. Ele ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1996 pelo esforço em terminar com a opressão no seu país.

Na mesa de abertura do evento, Ramos-Horta enfatizou que as missões dessa natureza devem permanecer como ferramenta eficaz de manutenção da paz, mas ponderou que é preciso pensar em novas formas de se adaptar aos desenhos políticos atuais.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 01, 2015, 02:50:18 pm
Tiro real de míssil e canhões da Artilharia Antiaérea

As unidades de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro encerraram o ano de instrução com um exercício de tiro real. Assista aos tiros do míssil Igla S, canhões Boffors 40 mm e Oerlikon 35 mm, e da viatura blindada Gepard.

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Abril 06, 2015, 05:37:26 pm
Hoje comemoram-se 631 anos sobre a Batalha dos Atoleiros, que opôs Portugal a Castela. Este é também um legado que pertence ao Exército Brasileiro e ao povo do Brasil.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 07, 2015, 08:34:45 pm
Citação de: "NVF"
Hoje comemoram-se 631 anos sobre a Batalha dos Atoleiros, que opôs Portugal a Castela. Este é também um legado que pertence ao Exército Brasileiro e ao povo do Brasil.

 :P  :G-beer2:  :G-beer2:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 08, 2015, 04:23:35 pm
SISFRON: Superior consciência situacional


(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/10/Sisfron.jpg)

Na última quinta feira, 13 de novembro de 2014, o Exército Brasileiro inaugurou oficialmente as instalações do Sistema de Monitoramento e Vigilância de Fronteiras, em seu projeto piloto de implantação, na cidade de Dourados (MS), sede da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, unidade pertencente ao Comando Militar do Oeste (a Brigada Guaicurus possui a maioria de suas organizações desdobradas na faixa de fronteira com o Paraguai, ou mais de 600 Km). Na ocasião, a reportagem de Tecnologia & Defesa, presente ao evento, acompanhou demonstrações em tempo real das capacidades operacionais do sistema e uma mostra geral de equipamentos entregues.

O comandante do Exército Brasileiro, o general-de-exército Enzo Peri, em seu discurso a tropa formada, destacou os avanços obtidos pelo projeto, especialmente o grande conteúdo nacional em equipamentos e tecnologias da indústria de defesa brasileira, já entregues e funcionais. Durante a cerimônia militar, tanto o comandante do CMO, general-de divisão Juarez Aparecido de Paula Cunha, quanto o comandante da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, general-de-brigada Rui Yutaka Matsuda, observaram que a introdução do SISFRON naquela região de fronteira está trazendo uma nova e revolucionária capacidade operacional às unidades responsáveis pela sua defesa, proteção e policiamento.

Presentes na inauguração o comandante da Aeronáutica, brigadeiro-do-ar Juniti Saito, o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general-de-exército José Carlos De Nardi, o contra-almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, comandante do 6º Distrito Naval, o general-de-exército Marco Antonio de Farias, chefe do Comando Logístico (COLOG), o chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, general-de-exército Sinclair James Mayer, o general-de-divisão Aderico Visconde Pardi Mattioli, diretor do departamento de Ciência e Tecnologia Industrial (DECTI), autoridades federais, estaduais e do município de Dourados, oficias das forças armadas, forças auxiliares do estado do Mato Grosso do Sul, empresários e representantes de empresas que atuam no SISFRON, e convidados.

Uma sessão de palestras aberta pelo comandante do CMO apresentou detalhes operacionais do SISFRON, cabendo ao presidente da Savis Tecnologia e Sistemas S.A, Marcus Tollendal, uma detalhada apresentação dos aspectos técnicos e institucionais do projeto “Considerando o investimento necessário e tempo previsto de implementação, que é de 10 anos, o SISFRON, nomeado como um grande sistema de sistemas, será capaz de trazer grande retorno a sociedade brasileira, na medida em que uma efetividade de menos de 4% frente o custo em vidas e dinheiro causado pelo tráfico de drogas e crimes transfronteiriços já significaria um tremendo avanço na diminuição dos índices de violência nas grandes cidades brasileiras, fazendo do SISFRON um elemento estratégico para toda a estrutura de segurança pública por toda a nação.

As capacidades em terra, na água, no ar e nas chamadas infovias estão trazendo novas e importantes habilidades para o Exército, aumentando a integração interagências governamentais e fomentando um grande conteúdo nacional (mais de 75%), gerando empregos de grande especialização e movimentando um segmento estratégico do Estado Brasileiro, a Defesa Nacional”. E refletindo o momento vivido pelo mercado de defesa doméstico, o executivo acrescentou  “Na atualidade, estamos verificando vários movimentos entre empresas e consórcios formados para atuarem, dentre outros programas, no SISFRON.

O Consórcio TEPRO, do qual a Savis faz parte, está plenamente confiante na sua capacidade de oferecer as melhores condições na integração de uma miríade de necessidades em serviços, suporte logístico, manutenção, gerenciamento de sistemas e introdução de novas e avançadas tecnologias, nacionais ou estrangeiras obtidas através de processos de transferência veiculados a ações de off-set muito bem elaboradas. Sob a égide da Embraer, as empresas do Consórcio vem cumprindo suas metas de contrato permitindo assim ao Exército e demais forças envolvidas atuarem de forma mais eficiente”

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2014/12/RVC_7068.jpg)

O ponto culminante das palestras foi a demonstração em tempo real realizada com todos os recursos disponíveis e já entregues ao CMO e à 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada. Na simulação exibida numa grande tela da sala de situação, uma viatura “batedora” escoltando um pequeno caminhão suspeito, foi acompanhada a distância por um helicóptero Esquilo da Aviação do Exército equipado com o sistema Eagle Eye (Olho de Águia), transmitindo imagens on-line dos seus sensores FLIR e câmeras de TV CCD para o centro de operações móvel, que também recebe imagens das diversas viaturas e até dos soldados empenhados na missão (combate-câmera), tudo com geo-referenciamento no terreno com atualização constante na carta digital.

Toda essa informação foi repassada pelas infovias para o centro de comando e controle da 4ª Brigada, e de lá para a sede do CMO em Campo Grande, que por sua vez, seguindo a cadeia de comando, poderia repassar on-line toda a ação até Brasília, permitindo inclusive o acompanhamento presidencial. O veículo batedor é abordado, não sem antes alertar o caminhão, que tenta escapar por uma via vicinal, comuns naquela região fronteiriça. Patrulhas equipadas com jipes Marruá capazes de realizar e receber o mesmo tipo de transmissão, e orientadas pela fusão dos dados geridos pelos centros de comando e controle, realizam a interceptação do suspeito. Essa ação ocorre em grande velocidade e pode ter essa dinâmica fluida tanto de dia quanto a noite, em quaisquer condições climáticas, seja com helicópteros, seja com aeronaves remotamente pilotadas e dotadas de sensores adequados a missão.

A tropa em terra, além de toda a tecnologia da informação e conectividade, está recebendo itens como óculos de visão noturna, novos acessórios e complementos ao uniforme, novos e modernos rádios digitais de grande capacidade, visores termais, terminais de comunicação satelital e retransmissão de sinais, e os novos fuzis IMBEL IA2 calibre 5,56 mm estão, aos poucos, assumindo o lugar dos veteranos FAL 7,62 mm mais antigos. A demonstração foi uma prova convincente das novas possibilidades que o SISFRON confere as forças envolvidas na defesa das fronteiras do País.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2014/12/RVC_6942.jpg)

Mostra de Material

A mostra de material montada na área externa do aquartelamento da 4ª Brigada estava formada, majoritariamente, por produtos de fabricação nacional. Na frota exposta, veículos Marruá na versão patrulha, transporte, ambulância e adaptados para acomodar shelters com equipamentos integrados de comunicações, inteligência de sinais e outros; caminhões Volkswagen, Ford, Iveco e Mercedes Benz configurados como veículo oficina, estação de lubrificantes, veículo cisterna, veículo muque (guindaste), veículo logístico, transporte de tropas ou como centros de comando e controle móveis; ônibus especialmente configurado para transporte de pelotão de choque PE e seu equipamento; blindados Urutu (em fase de substituição pelo VBTP-MR 6×6 Guarani) e Cascavel, viaturas Toyota especialmente adaptadas e militarizadas, etc.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2014/12/RVC_7308.jpg)

Entre os sensores e equipamentos de comunicações, optrônicos e demais recursos tecnológicos, foram exibidos o radar SENTIR da BRADAR, atualmente sendo testado com câmeras de vigilância acopladas; equipamentos de comunicações satelitais do SISCOMIS e antenas rádio de transmissão de dados e vozes da Harris usadas em conjuntos com rádios Falcon II e III, rádios Motorolla de diversos modelos e capacidades de emprego, todos com criptografia, terminais táticos da Harris, toughbooks robustecidos da Panasonic, câmeras individuais para os soldados, e uma série de outros equipamentos avançados. As autoridades conheceram cada um desses implementos, ficando positivamente impressionadas com a grandeza e complexidade dos sistemas que integram o SISFRON.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2014/12/RVC_7218.jpg)

Outra novidade anunciada durante a mostra de material é a iminente adoção de aeronaves remotamente tripuladas (ARP) pela 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (tipos 0 e 1, de nível tático pelotão e companhia), para fins de estabelecimento da doutrina de emprego, determinação das cargas pagas transportadas e do pacote de sensores a ser empregado. ARPs também deverão integrar o 9º Grupo de Artilharia de Campanha (9º GAC), baseada em Nioaque (MS). O emprego de ARPs não só maximiza a vigilância com maior flexibilidade no uso, como libera os helicópteros Esquilo equipados com o “Olho de Águia” para participação em situações de maior complexidade operacional e que demandem a presença de aeronaves tripuladas na ação.

Roberto Caiafa

Fonte: http://tecnodefesa.com.br/sisfron-super ... tuacional/ (http://tecnodefesa.com.br/sisfron-superior-consciencia-situacional/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 08, 2015, 04:44:53 pm
Fotos

(https://c2.staticflickr.com/6/5606/15459066280_276f8c47b1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5597/15024490533_1648306334_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3941/15644657495_bf0de6c11a.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3934/15459072390_65470b2de8_b.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2014/11/23385.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2014/11/23382.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5615/15458522088_7c88e4ed14_b.jpg)

(http://www.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2014/11/sis_inter2-600x280.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2015/01/24120.jpg)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/10933807_10205723199669480_8444428764892792545_n_zps2u9u8pwf.jpg) (http://http)

(http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2f/Sistema_Integrado_de_Monitoramento_de_Fronteiras_(Sisfron)_(15644658735).jpg)

(http://folhamilitaronline.com.br/wp-content/uploads/2014/11/SISFRON-O-mais-moderno-Sistema-4.jpg)

(http://www.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2014/11/sisfron-600x399.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 08, 2015, 04:53:24 pm


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 08, 2015, 04:56:27 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Abril 14, 2015, 09:29:18 pm
Exclusive: Boeing eyes possible Chinook helicopter sale to Brazil

Citar
(Reuters) - The Brazilian Army has expressed interest in buying a handful of Boeing Co (BA.N) CH-47 Chinook helicopters, the company said on Wednesday, saying that it continued to view Brazil as an important partner for defense and commercial projects.

"We have had some early discussions about the Chinook with the Brazilian Army," Boeing spokesman Scott Day said, when asked about a potential CH-47 sale to Brazil. Day declined to give any details, but said the potential order was "not a large one."

Ties between the United States and Brazil are starting to recover from deep strains caused last year after documents leaked by former National Security Agency contractor Edward Snowden showed that Washington had spied on Brazilian President Dilma Rousseff and other world leaders.

After the incident, Roussef canceled a state visit to the United States and Brazil scrapped plans to buy Boeing F/A-18 fighter jets, but the Brazilian leader has since indicated she is ready to move on.

The State Department has already approved several other possible U.S. weapons sales to Brazil this year, calling the country "an important force for political stability and economic progress in South America."

The potential weapons deals include a $169 million deal for 16 AGM-84L Harpoon missiles, also built by Boeing; 40 upgrade kits for M109A5 self-propelled howitzers built by the U.S. unit of BAE Systems (BAES.L); and three UH-60M Black Hawk helicopters built by Sikorsky Aircraft, a unit of United Technologies Corp (UTX.N), in a deal valued at about $145 million.

Day said Boeing viewed the Chinook discussions with Brazil as "pretty positive" and said the company believed the workhorse twin-rotor helicopters would provide the Brazilian army a lot of good capacity.

"We still view Brazil as a very important country for Boeing," he said.

Chris Raymond, vice president of business development for Boeing's defense division, declined to comment on the possible Chinook sale to Brazil after an event in Washington on Tuesday evening.

But he underscored the company's continued commitment to the Brazilian market, highlighting a broad partnership agreement that the company signed with Brazilian aircraft maker Embraer (EMBR3.SA), and its decision to open an office in Sao Paolo.

http://www.reuters.com/article/2014/10/16/us-boeing-brazil-helicopters-idUSKCN0I503120141016

Entretanto, parece que este negócio foi fechado com grande celeridade e já se prepara a chegada das primeiras unidades:

https://www.youtube.com/watch?v=aTq73su-gkE
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 17, 2015, 04:01:25 am
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Abril 21, 2015, 10:38:46 am
http://www.forte.jor.br/2015/04/19/agencia-de-noticias-diz-que-exercito-nao-comprara-agora-o-pantsir-s-1-russo/
Citar
Um despacho da agência de notícias espanhola EFE, datado desta quarta-feira, 15 de abril (reproduzido no dia seguinte pelo site da Revista Exame), informa que, por enquanto, o Ministério da Defesa do Brasil pretende apenas alugar algumas baterias do sistema de defesa antiaéreo russo Pantsir S-1 – que o governo de Moscou insiste, há quase três anos, em vender ao Exército brasileiro.

O Pantsir integrará o esquema de proteção das Olimpíadas do Rio de Janeiro, que acontecerão dentro de, aproximadamente, 500 dias.

Segundo a EFE, a informação foi dada pelo próprio titular da Pasta da Defesa, ministro Jaques Wagner, que alegou “questões orçamentárias” para justificar a solução do aluguel – acordo, segundo ele, “semelhante” ao obtido pelo Comando da Aeronáutica para ter cerca de uma dezena de caças Gripen C, enquanto suas unidades aguardam a chegada de 36 aeronaves versão NG (28 monoplaces e oito biplaces).

A compra desse conjunto de armas antiaéreas custaria cerca de 1 bilhão de dólares ao governo brasileiro.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2012/06/pantsir-s1-580x435.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Johnnie em Abril 21, 2015, 03:05:28 pm
Essa ultima noticia é pura propaganda para consumo interno ao mais puro estilo soviético para demonstrar que a Russia é imune a quaisquer embargos que lhe venham a ser decretados .  :roll:

Uma pena no entanto pois têm alguns sistemas de armas bem interessantes
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 21, 2015, 09:41:03 pm
Formatura do Dia do Exército Brasileiro:

O Dia do Exército celebra a vitória brasileira contra os holandeses na Batalha de Guararapes, nas proximidades de Recife (PE). É o marco do nacionalismo brasileiro.

Em 1648, para expulsar as forças invasoras, índios, brancos e negros se uniram, comandados por Felipe Camarão, Vidal de Negreiros e Henrique Dias, representantes dos três principais grupos étnicos do Brasil. Hoje, a área do combate, preservada em parque nacional, pertence ao município de Jaboatão dos Guararapes.

A partir de Decreto Presidencial de 24 de março de 1994, foi instituído o dia 19 de abril como data oficial da instituição.

Atualmente, o Exército conta com cerca de 200 mil militares que trabalham sob a missão de preparar a Força Terrestre para defender a pátria e garantir a lei e a ordem; participar de missões internacionais (por exemplo, as de manutenção da paz); e apoiar a política externa do Brasil.


(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2015/04/Presidenta_dilma-rousseff_-cerimonia_exercito_brasilia12-850x566.jpg)

(http://imguol.com/c/noticias/2015/04/16/16abr2015---a-presidente-dilma-rousseff-participou-da-cerimonia-comemorativa-do-dia-do-exercito-e-de-imposicao-da-comenda-da-ordem-do-merito-militar-em-brasilia-na-mensagem-em-comemoracao-a-data-a-1429190629879_956x500.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2015/04/Presidenta_dilma-rousseff_-cerimonia_exercito_brasilia08-850x566.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2015/04/dia-exercito_brasilia03-850x565.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2015/04/dia-exercito_brasilia04-850x515.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2015/04/dia-exercito_brasilia07-850x565.jpg)

(http://pbs.twimg.com/media/CC-R5DkWEAAt8Gh.png)

(http://pbs.twimg.com/media/CC9iSf4WAAAfYtw.jpg)

(http://cdn.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2012/04/Ex%C3%A9rcito-Brasileiro.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 02, 2015, 12:45:34 pm
http://www.forte.jor.br/2015/05/01/janes-diz-que-exercito-brasileiro-esta-prestes-a-autorizar-novo-lote-de-viaturas-guarani/
Citar
O site noticioso IHS Jane’s, pertencente ao reputado grupo editorial britânico Jane’s, informou nesta terça-feira (28.04), que o Exército brasileiro está prestes a autorizar a Iveco Veículos de Defesa, sediada em Sete Lagoas, estado de Minas Gerais, a produzir mais um lote de viaturas blindadas anfíbias sobre rodas para transporte de pessoal Guarani 6 x 6.

De acordo com um artigo (Brazilian Army expected to order additional 6×6 vehicles) do correspondente do IHS Jane’s em Lisboa, Victor Barreira, dos 2.044 veículos Guarani que a força terrestre brasileira contratou à Iveco em dezembro de 2009, para serem entregues até o ano de 2031, apenas 188 tiveram sua fabricação autorizada até agora.

O ritmo das encomendas é ditado, claro, pela disponibilidade orçamentária. Mas a produção, apesar de gradual, não está parada. Sessenta blindados ordenados em dezembro do ano passado devem ser aprontados até o fim de maio.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2013/07/20130626_VBTP-MR-Guarani2.jpg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/03/Guarani-4.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 06, 2015, 10:46:07 pm
http://www.forte.jor.br/2015/05/06/corte-no-orcamento-do-exercito-ira-diminuir-exercicios-e-treinamentos-na-regiao-sul/
Citar
Reunião na próxima semana deve confirmar redução de 40%

O Exército Brasileiro terá cortes no orçamento desse ano. A expectativa é que chegue à 40%. Aqui na região o Comando Militar do Sul já trabalha com a redução de exercícios de campo e treinamentos. Na próxima semana haverá uma reunião no Ministério da Defesa que confirmará qual será o tamanho do corte.

Segundo o General Antonio Hamilton Martins Mourão, alimentação, saúde e vestimentas terão as verbas mantidas. Já a manutenção de batalhões e operações terão menos dinheiro. Por exemplo, a Operção Ágata, que combate crimes de fronteira, será suspensa.

Os dados foram apresentados em encontro com a imprensa no Quartel General na manhã desta terça-feira (5).
Ui. Cortes de 40%. Lá se vai o resto dá moral... :roll:
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/05/Dados-foram-apresentados-em-encontro-com-a-imprensa.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Luso em Maio 07, 2015, 11:35:27 am
40%...
Isso não anuncia, declaradamente, uma situação orçamental gravíssima?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 07, 2015, 11:37:46 am
Citação de: "Luso"
40%...
Isso não anuncia, declaradamente, uma situação orçamental gravíssima?

Claro que sim, mas não é nada que já não tenha acontecido no passado. O pior é que as Forças Armadas Brasileiras estão completamente espalhadas pelo território, sendo muitas vezes a única instituição que dá apoio às populações.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 07, 2015, 01:13:10 pm
Arrego!

Mas acho que as unidade operacionais (Brigada Paraquedista, Operações Especiais, Aeromóvel, Batalhões de Infantaria de Selva) os cortes devem ser mais "suaves".
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 07, 2015, 02:19:23 pm
Citação de: "Vitor Santos"
Arrego!

Mas acho que as unidade operacionais (Brigada Paraquedista, Operações Especiais, Aeromóvel, Batalhões de Infantaria de Selva) os cortes devem ser mais "suaves".

As unidades da FAR (penso que sejam a Brigada de Operações Especiais, a Brigada de Infantaria Pára-quedista, 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel), 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) e o 52º Batalhão de Infantaria de Selva), pela sua natureza gastam muito mais dinheiro que as restantes unidades do EB e também são as que por norma sentem menos os cortes, mas de qualquer maneira vão sentir. 40% é demasiada fruta!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 07, 2015, 02:39:00 pm
Enquanto isso:

CCOPAB prepara o 22º Batalhão Brasileiro para a Missão de Paz no Haiti

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/04/Imagem-1-CCOPAB-MINUSTAH..jpg)

Desde o último dia 13 de abril, o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) está aplicando o Exercício Avançado de Operações de Paz (EAOP) em conjunto com os integrantes do 22º Batalhão de Infantaria de Força de Paz (BRABAT 22), que atuarão na Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH).

Nessa etapa da preparação, o propósito é apresentar cenários que simulem tanto a realidade do país de destino da tropa, quanto situações que possam ocorrer durante a missão, como por exemplo, visita de autoridades, resgate de membros da MINUSTAH sequestrados e manifestações populares. Durante todo o processo, os integrantes do BRABAT 22 estão sendo avaliados em todos os níveis, ou seja, Estado-Maior, Subunidades, Pelotões e Grupos de Combate.

No EAOP, aproveita-se o apoio de militares que já fizeram parte de contingentes anteriores para observar, avaliar e controlar os incidentes do ambiente real e, principalmente, para ajudar na aplicação de doutrinas e atualizar, com suas experiências, a atuação nos cenários encontrados no país caribenho.

Participaram do EAOP, que seguiram até o dia 24 de março, 850 militares que integram o 22º contingente do BRABAT, sendo 174 da Marinha, 665 do Exército e 11 da Força Aérea. Além disso, também tomaram parte do estágio, em funções como direção, figuração e segurança, 287 (duzentos e oitenta e sete) militares de outras Unidades.

O CCOPAB, como única Organização Militar do País credenciada pela Organização das Nações Unidas (ONU), prepara contingentes e observadores para as missões de paz no exterior e esse trabalho tem contribuído para que o Brasil seja ainda mais reconhecido por seu trabalho, não apenas no Haiti, mas em outras missões sob a égide da ONU.

Fonte:   http://tecnodefesa.com.br/ccopab-prepar ... -no-haiti/ (http://tecnodefesa.com.br/ccopab-prepara-o-22o-batalhao-brasileiro-para-a-missao-de-paz-no-haiti/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 07, 2015, 02:47:48 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "Vitor Santos"
Arrego!

Mas acho que as unidade operacionais (Brigada Paraquedista, Operações Especiais, Aeromóvel, Batalhões de Infantaria de Selva) os cortes devem ser mais "suaves".

As unidades da FAR (penso que sejam a Brigada de Operações Especiais, a Brigada de Infantaria Pára-quedista, 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel), 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) e o 52º Batalhão de Infantaria de Selva), pela sua natureza gastam muito mais dinheiro que as restantes unidades do EB e também são as que por norma sentem menos os cortes, mas de qualquer maneira vão sentir. 40% é demasiada fruta!

Maiores explicações:

Gen Mourão: Cortes / Fronteiras / GLO / Política

O GEx Antônio Hamilton Martins MOURÃO, comandante do Comando Militar do Sul (CMS), recebe a imprensa e não se furta a comentar assuntos polêmicos

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2015/05/25524_resize_620_380_true_false_null.jpg)
O General-de-Exército O General-de-Exército Antônio Hamilton Martins MOURÃO, comandante do Comando Militar do Sul, CMS. Foto CMS

O General-de-Exército Antônio Hamilton Martins MOURÃO, comandante do Comando Militar do Sul (CMS), recebeu a imprensa na Quartel-General do CMS, em Porto Alegre, na manhã de terça-feira (05ABR).

O GEx Mourão tem sido o mais ativo dos membros do Alto-comando em dar suas opiniões, mesmo em assuntos sensíveis. Muitos analistas o consideram como a voz do atual comandante do Exército General-de-Exército Eduardo Villas Boas.

Isto já pautado no início da sua apresentação, quando mencionou, que devido aos cortes orçamentários estimados para o ano de 2015, a Operação Ágata, ocorrerá somente na área de Fronteira com o Paraguai.

Cortes Orçamentários

A crise financeira que o leva Governo Federal a enxugar o Orçamento Geral da União poderá reduzir em 40% as verbas para o Exército em 2015. Valor estimado pelo Comando do Exército.

- Como teremos menos recursos, teremos menos capacidade de aprestamento, treinaremos menos, estaremos menos capacitados e com menos verba para manutenção de equipamentos. É como uma bola de neve. Cada operação será com menos meios - lamentou o general de Exército Antônio Hamilton Martins Mourão.

O aperto nas finanças deve tirar dos cofres do Exército R$ 880 milhões dos R$ 2,2 bilhões até então previstos para despesas de custeio deste ano nos oito comandos regionais. Além desse corte, o governo Federal também embolsou ou melhor incorporou ao Orçamento Geral cerca de R$ 190 milhões, do fundo do Exército, relativos a receitas próprias do Exército.

A redefinição de gastos em cada comando será decidida em uma reunião do Alto-Comando do Exército, na próxima semana, em Brasília. O certo é que não pode haver cortes com alimentação, saúde, despesas com material de consumo como fardamento, entre outras prioridades. A área de ensino do Exército também não é atingida pelos cortes.

Além de operações, o CMS estuda medidas de economia como redução do horário de expediente para gastar menos com água e luz.

Operações nas Fronteiras

Uma das consequências do corte orçamentário será a  suspensão de ações de fronteira no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, previstos na Operação Ágata, afetando importante instrumento de combate ao ingresso de drogas na Região Sul.
 
Parte importante lançado pela própria Presidente Dilma Rousseff e coordenado pelo VP Michel Temer, o Plano Estratégico de Fronteiras (PEF) tinha as Operações Ágata como o ponto alto.

De área de fronteiras subordinada ao CMS, são 2.400 km. Destes a Operação Ágata atuará em somente 186km, parte da fronteira com o Paraguai. Também inclui a Usina Hidrelétrica Binacional de Itaipu.

(http://www.defesanet.com.br/images/resize/site/upload/news_image/2015/05/25527.jpg/800/600/false/true/)

Questionado sobre o impacto da  medida no combate ao tráfico no Estado, o general disse que pretende reforçar outras ações, como a Operação Fronteira Sul, contando com efetivos disponíveis, alocados nas cidades fronteiriças.

Com a desarticulação das Forças de Segurança, da Argentina, e a necessidade de deslocar forças para a Grande Buenos Aires, o narcotráfico tem agido quase que livremente na fronteira com o Brasil e Uruguai.  São 1.222 km de fronteiras com a Argentina.

O GEx Mourão mencionou que parte das missões serão incorporadas na Operação Fronteira Sul. Porém, com os cortes e contigenciamento não há certeza de que isto posso ocorrer.

Ficamos sem capacidade de cumprir uma parcela das nossas atividades. Mas é importante destacar que a missão do Exército neste processo ( controle do narcotráfico) é secundária, esporádica. O combate às drogas é uma questão de saúde pública, de investimentos em comunidades e também está ligado aos organismos de segurança pública. O Estado tem de agir como um todo. Se não fizer isso, vamos enxugar gelo indefinidamente - enfatizou Mourão.

Estrutura do CMS

O Comando Militar do Sul ostenta o lema “Elite do Combate Convencional”. E realmente tem uma parcela significativa de contingente e equipamento do Exército Brasileiro.

São seguintes os números do CMS:

- 54.000 Militares (Aprox ¼ da Força Terrestre)
- 162 Organizações Militares
- 90 % dos blindados sobre Lagartas
- 75% dos blindados sobre rodas

A 3ª Divisão de Exército (DE) com sede, em Santa Maria (RS), é considerada a unidade mais poderosa abaixo do Rio Grande (fronteira EUA-México).

A 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada (Cascavel/PR) é a grande unidade onde estão sendo definidos os conceitos doutrinários e operacionais da Infantaria Mecanizada com a introdução do blindado Guarani.

Realocação de Unidades

Está prevista a a movimentação de uma Brigada de Cavalaria Mecanizada (Bda C Mec), dos três localizadas no Rio Grande do Sul, para a região do Planalto Central. Perguntado se seria a 3ª Bda C Mec, Bagé, o General Mourão tergiversou e indicou, que poderia ser a 2ª Bda C Mec, de Uruguaiana.

Operações Continuadas

Embora preparado para o Combate Convencional, algumas unidades do CMS, estão em missão continuada “na Não Guerra”, desde o primeiro semestre de 2014 com a participação na Operação São Francisco (Complexo da Maré) e posteriormente enviadas ao Haiti.

A necessidade viaturas blindadas de lagartas e rodas nas missões de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) tem colocado sempre em ações membros do CMS.

Na Maré está em uso Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP) modernizada ao padrão M113BR pelo Parque de Regional de Manutenção 5 (Pq R Mnt/5). As viaturas já percorreram centenas de quilômetros dentro da Maré.  

Olimpíadas

São previstos (com tendência de acréscimo) o emprego de 38.000 militares das Forças Armadas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro 2016.

O CMS deverá enviar mais de 2000 militares ao Rio de Janeiro.

Centro de Avaliação e Adestramento

Este é um item que será discutido na semana que vem na reunião do Alto-Comando. O Cetro de Avaliação e Adestramento, localizado em Santa Maria, necessita de uma decisão forte do Exército. São investimentos de 500 Milhões em quatro anos. Já foram investidos 15 Milhões de Euros no Simulador de Fogo, que já foi instalado em Resende e até no final do ano deverá estar funcionando em Santa Maria.

Ação política

Respondendo sobre ao que os manifestantes pedem a intervenção do Exército na Vida Nacional, o General Mourão repassou a vida do Brasil desde a República, com o Marechal Deodoro da Fonseca, Getúlio Vargas, que estudou no Colégio Militar de Porto Alegre e foi um ditador. Porém, ninguém  trocou o nome das ruas.

A intervenção militar, na vida política, é coisa do passado, complementou o Comandante Militar do Sul.

Fonte: http://www.defesanet.com.br/terrestre/n ... -Politica/ (http://www.defesanet.com.br/terrestre/noticia/19033/Gen-Mourao--Cortes---Fronteiras---GLO---Politica/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Maio 09, 2015, 05:30:37 pm
Corte no orçamento adia entrega de helicópteros

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/09/EC-725-em-montagem-em-Itajub%C3%A1-na-inaugura%C3%A7%C3%A3o-hangar-montagem-Helibras-foto-Nun%C3%A3o-Poder-A%C3%A9reo.jpg)

Citar
Os cortes no orçamento executados pelo governo federal bateram na porta do Ministério da Defesa e os impactos são percebidos em contratos já assinados. A chamada nova realidade orçamentária esticou em dois anos o prazo de entrega das 50 aeronaves encomendadas à Helicópteros do Brasil S.A (Helibras), montadas em Itajubá, no Sul de Minas, em um contrato de 1,9 bilhão de euros, com prazo inicial de entrega prevista para 2017, mas estendido para 2019.

A Helibras e a Força Área Brasileira (FAB) confirmaram a postergação do prazo pela necessidade de ajuste ao orçamento do governo federal. A FAB informou que está em curso a revisão do contrato, mas não detalhou se haverá outras alterações, além do prazo. O contrato foi firmado com o Ministério da Defesa em 2008.

A Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (Copac) da FAB já recebeu 15 das aeronaves EC-725, que fazem parte do Projeto H-XBR: quatro para a Marinha do Brasil, cinco para o Exército Brasileiro e seis para a FAB. “Atualmente o contrato está sendo revisto para adequação à nova realidade orçamentária do país. A previsão é de que a entrega da última aeronave aconteça em 2019”, diz a FAB, em nota.

Gradualmente a Helibras executa a nacionalização do helicóptero, que já atingiu 100% de mão de obra local e, por força de contrato, até a entrega da última unidade a aeronave deverá ter 50% de conteúdo nacional. A nacionalização do setor é calculada pelo valor dos produtos fornecidos pelos fabricantes locais e não o seu peso.

O último evento de nacionalização foi a validação da produção do primeiro punho do rotor do EC-725 feito pela fornecedora brasileira Toyo Matic, em Bragança Paulista. São 14 empresas nacionais em processo de transferência de tecnologia com companhias estrangeiras para se tornarem fornecedoras da Helibras nesse projeto. Outras 23, também brasileiras, suprem as demandas da fabricante de aeronaves.

Para atender ao contrato, a Helibras aportou R$ 420 milhões na construção de um novo hangar de 11 mil metros quadrados, em sua planta em Itajubá, para abrigar a linha de montagem do EC-725. O valor também inclui o treinamento de funcionários brasileiros na França, onde é a sede da controladora da Helibras, e a vinda de técnicos estrangeiros para acompanhar a implantação da nova linha no país.

FICHA TÉCNICA DO EC-725
Peso máximo de decolagem: 11.200 quilos
Capacidade de transporte: dois pilotos e 29 combatentes
Velocidade: 261 quilômetros por hora
Autonomia: alcance máximo de 1.282 quilômetros.

http://www.aereo.jor.br/2015/05/04/corte-no-orcamento-adia-entrega-de-helicopteros/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 09, 2015, 08:33:16 pm
Helicóptero de general brasileiro é alvejado no Congo

(http://www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/Denel-Oryx-2.jpg)
Helicópteros Oryx, semelhantes ao que levava o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, comandante das tropas da ONU no Congo (Foto: Denel Aviation)

Helicóptero que levava o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, comandante das tropas da ONU na República Democrática do Congo (antigo Zaire), foi alvo de tiros de grupos rebeldes na segunda-feira (4). A aeronave teve de fazer um pouso de emergência em uma pista de pouso próxima.

Segundo o general, os tiros, efetuados pelo grupo rebelde Forças Democráticas Aliadas (ADF), atingiram o tanque de combustível do helicóptero, que começou a vazar, mas não pegou fogo.

O ataque contra o helicóptero que levava o general brasileiro ocorreu quando a aeronave sobrevoava uma área montanhosa na região de Beni, em Kivu do Norte. Segundo Santos Cruz, nas últimas semanas, o ADF matou mais de 300 pessoas na região, muitas a machadadas e com facões.

(http://www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/General-Santos-Cruz-do-Brasil-comanda-miss%C3%A3o-no-Congo-600x435.jpg)
General Santos Cruz, do Brasil, comanda missão no Congo (Foto: Sylvain Liechti/ONU/divulgação)

“Essas coisas fazem parte do trabalho. Faz parte da vida. Houve um problema que percebemos na hora e teve que ser resolvido rápido. O piloto conseguiu pousar em uma pista próxima e saímos bem. Mas o fato de termos sidos atingidos mostra que estávamos perto do local onde se escondem. O nível de emoção não tem importância”, disse Santos Cruz por telefone ao G1, afirmando não ter sentido medo no momento. O oficial disse que não contou para a família que passou pelos apuros no Congo.

“Estávamos sobrevoando uma área montanhosa em busca de um local em que estariam escondidos e deram sorte ao nos atingir. Possivelmente usaram um fuzil, porque não estávamos muito alto”, lembra.

“Eu não sinto nada, quando estamos no meio, levamos tiro e tem que seguir, fazer o que tem que fazer. Já passei por tantas situações e sei o que é isso”, diz o general.

Antes de ir para o Congo, Santos Cruz comandou por dois anos a missão de paz da ONU no Haiti, liderando operações de soldados brasileiros para a pacificação da favela mais violenta do país caribenho, Cité Soleil, em 2007.

Tristeza com morte de soldados

Santos Cruz diz que ainda não contou para a mulher e os filhos, que moram em Brasília, sobre o ocorrido. “Eu estou ótimo como sempre. Não contei ainda para minha família, mas vou ter que explicar”, brinca ele. “Você sai da situação e nem fala mais sobre aquilo, o trabalho continua, toma banho, dorme e tem problemas maiores para resolver”, afirma ele, referindo-se a novas operações que a ONU fará agora contra o grupo rebelde.

O general não quis dizer o modelo do helicóptero, que é cedido por países que integram a missão de paz da ONU no país. Atualmente, Santos Cruz comanda 21 mil soldados na MONUSCO (Missão das Nações Unidas para Estabilização da República Democrática do Congo), que é a única operação internacional da ONU com autorização para atacar, prender e matar criminosos que invadem cidades e massacram civis.

No dia seguinte ao ataque ao general, o mesmo grupo emboscou soldados da Tanzânia a serviço da ONU. Dois militares foram mortos e outros treze feridos. “A emoção para mim mais forte é quando perco soldados, vejo soldados baleados. Eles estão sob meu comando, são meus homens. Isso sim produz emoção, fico muito triste, é mais forte do que um ataque pessoal”, entende.

Segundo o general, o fato de o grupo rebelde estar atacando a ONU demonstra que os trabalhos das forças internacionais estão fazendo efeito. “A mentalidade criminal é matar todo mundo que tem que matar, demonstrar que tem força e poder através da violência. Mas estamos chegando perto, só mostra que estamos chegando”, defende.

(http://www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/Denel-Oryx-3.jpg)

Fonte:  http://www.cavok.com.br/blog/helicopter ... -no-congo/ (http://www.cavok.com.br/blog/helicoptero-de-general-brasileiro-e-alvejado-no-congo/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Maio 09, 2015, 10:18:01 pm
Carta aberta do DefesaNet ao ministro da Fazenda Joaquim Levy

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2015/05/25540_resize_620_380_true_false_null.jpg)

Citar
Senhor ministro Joaquim Vieira Ferreira Levy,

Enviamos esta carta ao Engenheiro Naval,que na sua carreira tem assumido a postos relevantes nas áreas de finanças.

Como profissional ativo do setor financeiro, acostumou-se com este mundo frio dos números  e foco nos resultados financeiros, políticas essas que o Ministério da Fazenda se pauta hoje para sanear o Estado brasileiro, atuando como nos antigos tempos do Fundo Monetário Internacional (FMI), pode estar lhe atrofiando o conceito de uma nação soberana.

É sobre isso que vamos tratar neste documento público, senhor Levy. A desestruturação, no primeiro momento, com as sucessivas “pedalas” feitas pelo governo no cumprimento do acordado com as empresas.  Agora passa para o desmonte promovido por sua pasta nos setores de Defesa e Aeroespacial. Assemelha-se  com a frieza e crueza com que um a um os projetos de defesa e tecnologia nos anos 80, foram solapados na indústria brasileira e que mergulhou os setores de tecnologia desse país em sua Idade Média, numa Era das Trevas!

A perda da empresa ELETROMETAL causou um dano irreparável na área de siderurgia e metalurgia até hoje não recomposto.

As políticas implantadas agora reproduzem o espectro daquele trágico momento. Ao Sistema Financeiro e Público proteções imensas em garantias.

Enquanto isso nossa indústria se despedaça e o que restará será  entregue à ferocidade dos cães famintos: dos empréstimos, às taxas de mercado e ao calote. Essa tríade maldita, gêmea siamesa do mitológico Cérbero, que guardava as portas do inferno impedindo quem estava no local de sair.

Depois de uma comemorada PEC da Defesa,  da Estratégia Nacional da Defesa (END), quando deslumbrou-se o ressurgimento com o vigor necessário da indústria de materiais de defesa, aeronáutica e espacial e um período de prosperidade, com rearranjos empresariais altamente produtivos e atrativos para parcerias internacionais, numa verdadeira ‘Renascença Florentina” que esse segmento não via desde os anos 80, quando teve início da aniquilação da emergente indústria de defesa e aeroespacial brasileira.

Ministro Levy,  de todos os grandes países em extensão territorial somos o que mais carece de aporte contínuos de recursos e de uma vasta recuperação de nosso poder de dissuasão, seja qual for a situação. Veja pelos investimentos no BRICS em relação aos países de grandes fronteiras, como Rússia, China e Índia. Investíamos o equivalente a 1,5% do PIB contra 2,5%  dos outros países. Apesar de pouco relacionados aos outros, havia investimentos, mesmo que fossem para cobrir um imenso abismo de décadas como setor à míngua. Agora voltamos para o cenário sem horizonte, numa situação terrível e paralisante para o setor.

Sua área de formação a indústria naval e agora também a do petróleo correm enormes riscos atuais e no seu futuro.

Quem gera empregos,  alimenta as famílias que formam essa imensa nação, é a indústria, e quem alimentará os nossos filhos e netos no futuro é a indústria de tecnologia. Não gere instabilidade ministro, gere segurança, pois só assim o país poderá produzir e crescer!

Na semana que passou ocorreram grandes comemorações na sede da Lockheed Martin, empresa que produz as aeronaves de transporte  Hercules C130. Viram, o seu futuro competidor próximo de jogar a toalha no ringue, antes mesmo de começar o primeiro assalto.

O próprio governo admite que  deu o calote de 500 milhões de reais no projeto e a EMBRAER está com sérios problemas na continuidade deste projeto.  O mais ambicioso na história da indústria da aeronáutica brasileira  São mais de 1.000 engenheiros e 10.000 técnicos envolvidos no projeto KC-390.

Quanto aos helicópteros, senhor Ministro Levy, a empresa HELIBRAS luta para salvar empregos de engenharia, próximos da dilapidação dentro de monstruoso calote dado nos créditos da empresa pelo governo.

Quanto aos submarinos, pelo que levantamos são quase 2 Bilhões em calote.


Muitos cantos de sereia, belas e formosas, soam  nos seus ouvidos neste momento. Porém, suas melodias sinalizam a dor e o descrédito das futuras gerações neste país de criar e evoluir.

Não podemos deixar o Brasil à mercê do folclore que num país pacifico não há necessidade de investir em defesa. Só uma defesa forte garante a paz, senhor ministro, inclusive a própria soberania. Que se faça o ajuste fiscal necessário, mas com prudência e visão estratégica, não um economicismo, que leve ao calote e a destruição de nosso poder de resistência em um mundo em profunda crise e ávido por recursos naturais, os quais temos de sobra.

E não destrua o futuro de nossos filhos e netos. Isso é de uma irresponsabilidade que beira ao crime de lesa pátria !

O Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI) divulgou há um ano, os seus registros de WORLD MILITARY EXPENDITURE, 2013. DefesaNet apresentou os pontos relevantes do estudo do SIPRI. Ele foi analisado com a devida e cuidadosa atenção pois começa a mostrar definições importantes nas principais nações que investem em Defesa no Mundo.

 O estudo compilou os dados de 172 países que mostraram um gasto mundial em Defesa de U$ 1,747 trilhão de Dólares, uma queda de 1,9 % comparado com 2012. (Link Matéria )

Os países do BRICS, com exceção da África do Sul, todos estão a frente do Brasil.  Na América latina, Colômbia (+13%), Honduras (+22%) e Paraguai (+33%), vêm expandindo significativamente seus orçamentos militares. Segundo o SIPRI, os gastos militares na região registraram um crescimento real (descontada a inflação) de 2,2% em 2013 e de 61% nos últimos dez anos .
Definitivamente, ministro Levy, o calote na indústria e recessão não ajudará o Brasil a se recuperar e muito menos se posicionar com uma potência emergente. Estamos sim voltando aos tempos do garrote do FMI, agora internado nas entranhas de Brasília e do governo federal.

Não considere o silêncio disciplinado dos militares e obsequioso das entidades de classe como endosso à esta política.

O Campo de Pistóia ruge, pois não foi para isso, que lutaram e venceram há 70 anos.
 
DefesaNet
Brasília DF, 07 Maio 2015

http://www.defesanet.com.br/bid/noticia/19039/Carta-aberta-do-DefesaNet-ao-ministro-da-Fazenda-Joaquim-Levy/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Luso em Maio 10, 2015, 12:10:11 am
Citação de: "NVF"
Carta aberta do DefesaNet ao ministro da Fazenda Joaquim Levy

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2015/05/25540_resize_620_380_true_false_null.jpg)

Citar
Senhor ministro Joaquim Vieira Ferreira Levy,

Enviamos esta carta ao Engenheiro Naval,que na sua carreira tem assumido a postos relevantes nas áreas de finanças.


Oy vey...  :roll:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 10, 2015, 08:06:15 pm
(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2015/05/25543_resize_620_380_true_false_null.jpg)

Nota Ministério da Defesa

Brasília DF, 07 Maio 2015

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, que se encontra em viagem oficial à Europa para as comemorações dos 70 anos da vitória dos aliados sobre o nazifascismo, esclareceu hoje, que não esteve reunido com os comandantes das Forças Armadas, na semana passada, para tratar de contingenciamento do orçamento em até 50%.

Wagner informou não há nenhuma definição sobre os referidos cortes, e que aguarda a assinatura do decreto presidencial que estabelecerá o novo orçamento.

O ministro informou que tem conversado com a presidenta Dilma Rousseff sobre os principais projetos tocados pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica na tentativa de preservá-los.

Lembrou ainda que o setor de Defesa tem recebido os maiores volumes de investimentos nos últimos 12 anos em comparação ao passado atingindo a marca de 1,5% do PIB (Produto Interno Bruto).

Para ele, é necessário entender a necessidade do ajuste fiscal do governo, e visualizar a que possibilidade de contingenciamento de recursos é um desafio que será enfrentado pelo Ministério da Defesa, e todos os demais ministérios.

Para o ministro é necessário aguardar o decreto presidencial e evitar especulações sobre valores.

Fonte: http://www.defesanet.com.br/defesa/noti ... da-Defesa/ (http://www.defesanet.com.br/defesa/noticia/19042/Nota-Ministerio-da-Defesa/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 10, 2015, 08:58:09 pm
Ah, é claro que esta lamentavelmente falhou de ser postada. Enfim, lá me vai garantir mais uns "mimos" do outro lado do Atlântico, isto porque os misseis Pantsir que já estavam comprados afinal não vêm, para já antes das olimpíadas... :G-beer2:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 11, 2015, 03:06:26 pm
2º Batalhão de Aviação do Exército

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 12, 2015, 06:07:44 pm
Celebração do Dia da Vitória, 70 anos do final da Segunda Guerra Mundial

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/05/tumbslide.jpg?resize=752%2C490)

No dia de hoje, 8 de maio, é comemorado o Dia da Vitória da Segunda Guerra Mundial no cenário da Europa. Já se foram 70 anos desde que a Alemanha Nazista se rendeu às tropas aliadas após ter sua capital, Berlim, invadida pelo Exército da União Soviética.

Em vários países as celebrações são realizadas com homenagens e discursos lembrando os difíceis anos em que o mundo sofria com o maior conflito bélico do século XX.

No Brasil essa celebração é feita no Rio de Janeiro, no Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, e tradicionalmente reúne veteranos e unidades militares das três forças, além de autoridades civis.

(http://i1.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/05/11.jpg)

Estiveram presentes os Comandantes da Marinha, Almirante Eduardo Leal Ferreira Bacellar, e o Comandante do Exército, General Eduardo Dias Villas Bôas. O Ministro do Trabalho Manoel Dias também prestigiou a cerimônia.

Como tradição a celebração foi aberta com uma salva de canhões, e contou com a entrega da Medalha da Vitória, imposta a militares e civis que prestaram serviços relevantes em missões operacionais e constitucionais.

Logo após foi realizada a homenagem ao soldado desconhecido, com a colocação de uma coroa de flores no tumulo localizado aos pés do grande número 2 romano, que se destaca no Monumento.

(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25012/i1558155027114157.jpg)

(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25012/i1558154930174809.jpg)

(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25012/i155815492858091.jpg)

(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25012/i155815515253735.jpg)

(http://cdn2.img.br.sputniknews.com/images/96/93/969363.jpg)

(http://cdn1.img.br.sputniknews.com/images/96/96/969678.jpg)

(http://cdn1.img.br.sputniknews.com/images/96/96/969600.jpg)

(http://cdn2.img.br.sputniknews.com/images/96/92/969223.jpg)



Fonte:  http://portaldefesa.com/celebracao-do-dia-da-vitoria/ (http://portaldefesa.com/celebracao-do-dia-da-vitoria/)


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 13, 2015, 10:42:14 pm
Indústria de Defesa no Brasil:

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 15, 2015, 09:28:28 am
http://www.forte.jor.br/2015/05/14/aviacao-do-exercito-realiza-treinamento-especial-para-as-olimpiadas/
Citar
Militares do Comando de Aviação do Exército (Cavex), em Taubaté (SP), estão sendo treinados para ações de combate ao terrorismo e situações de risco. Os exercícios simulam a atuação do grupo durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Os voos das 12 aeronaves foram feitos na região de Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo.

De acordo com o Exército, foram três semanas de simulações de operações de embarque e desembarque de tropas especializadas, transporte de cargas externas, reconhecimento e navegação noturna. Participaram desta etapa do treino, que termina nesta semana e tem ênfase em voo noturno, 270 militares.
“Estão sendo utilizados cinco tipos de aeronaves, equipamentos de apoio como material de combate a incêndio, abastecimento, salvamento aéreo e resgate, óculos de visão noturna, entre outros”, explicou o tenente-coronel Cícero Ubiratan de Oliveira Santos, chefe da sessão de Comunicação Social do Cavex.

O treinamento passou ainda pelas cidades de Resende (RJ) e Lins (SP). Segundo o Comando de Aviação do Exército, até o período das Olimpíadas deverão ser realizados novos exercícios.

“As operações buscam se aproximar ao máximo da realidade que a Aviação poderá encontrar nas Olimpíadas”, afirmou ainda o tenente-coronel.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/05/operacao_luas1.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 15, 2015, 02:34:27 pm
Brigada de Operações Especiais

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 22, 2015, 04:21:48 pm
Tropas sairão do Haiti até o fim de 2016

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/06/FAB-Haiti.jpg)

O governo do Brasil vai retirar, até o fim de 2016, as tropas que atuam na Minustah, a missão de paz das Nações Unidas no haiti. O ministro da Defesa, Jaques Wagner, disse nesta quinta-feira (21), em audiência no Senado, que a decisão foi tomada pela ONU, que pretende fazer a retirada total dos militares em serviço no país caribenho, inclusive aqueles de outras nacionalidades.

“No ano que vem, a previsão é de retirada total das forças não só do Brasil, mas das Nações Unidas. Neste ano, inclusive, vários oficiais de outros países da América do Sul já foram comunicados do seu retorno”, afirmou Wagner. O Brasil chefia a Minustah desde sua criação, em 2004, após uma revolta popular que derrubou o então presidente Jean Bertrand Aristide.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/07/Haiti-Brasil.jpg)

Segundo o ministro, há 1.343 militares brasileiros atuando hoje no país, número que será reduzido para 850 até o fim deste ano, antes da retirada total. Em junho de 2015, a previsão do Ministério da Defesa é que o número já esteja em 970 brasileiros no haiti. Wagner disse que a retirada será gradativa, com os militares brasileiros deixando por último a cidade de Porto Príncipe, capital haitiana.

Os soldados de outros países, que atuam nas demais cidades do haiti, vão se retirar antes da saída total dos brasileiros em 2016. Wagner disse que a missão do Brasil no haiti completou dez anos no ano passado com gastos de R$ 2,3 bilhões –dos quais R$ 1 bilhão foram reembolsados pela ONU.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/06/EB-no-Haiti2.jpg)

“Há um investimento líquido de R$1,3 bilhão [do governo brasileiro]. É uma missão humanitária que já tem porta de saída e data prevista para acabar”, afirmou o ministro aos senadores.

Fonte: http://www.revistaoperacional.com.br/md ... Q.facebook (http://www.revistaoperacional.com.br/md/tropas-sairao-do-haiti-ate-o-fim-de-2016-revelou-ministro-jaques-wagner/#.VV819WHbjPQ.facebook)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Maio 22, 2015, 09:50:56 pm
Citar
Iveco Latin America, subsidiária da CNH Industrial, cogita agora paralisar as atividades na fábrica de veículos de defesa, localizada na mesma cidade. A suspensão das atividades poderá ocorrer já no mês que vem, caso a empresa não receba do Exército Brasileiro novas encomendas do blindado Guarani. A medida seria mais uma conseqüência do contingenciamento proposto pelo governo federal, em busca do ajuste fiscal.

Está previsto para hoje o anúncio dos cortes no Orçamento da União que, segundo estimativas do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deverá ficar entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões.

O contingenciamento está relacionado à necessidade do governo de promover o reequilíbio das contas públicas, de maneira a atingir a meta de superávit primário. Para 2015, o objetivo é poupar 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) para todo o setor público (governo, estados, municípios e estatais), o equivalente a R$ 66,3 bilhões.
http://www.defesanet.com.br/guarani/noticia/19205/Iveco-pode-parar-linha-de-blindados/


Citar
Urutu vai ganhar nova vida
Veículo militar produzido pela extinta Engesa, e que fez sucesso na década de 80 e 90, ganha novo motor e transmissão automática

Dado como acabado, já que as unidades existentes há anos estavam estacionadas nos pátios dos batalhões do Exército Brasileiro, o blindado Engesa EE-11 Urutu pode retornar à ativa. O veículo, destinado ao transporte de tropas, também tem como uma das suas principais características o fato de ser anfíbio, mesmo pesando 13 toneladas. Essas qualidades justificaram, em grande parte, sua aceitação pelas forças armadas de vários países da Amé­­­­­rica Latina.Devido a seus atributos, o Exér­­cito Brasileiro optou por reativar os 226 Urutus e mais de 600 Cas­cavel (blindado de concepção me­­cânica semelhante à do Urutu) que estão em inatividade.
http://www.gazetadopovo.com.br/automoveis/urutu-vai-ganhar-nova-vida-c7efmv13r5kwtqpq89g9rs11q

há coisas que não percebo, então anda-se a comprar uma coisa nova e depois ainda se vai gastar dinheiro num veículo em fim de vida.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 23, 2015, 11:38:51 am
É uma medida paliativa, já que vai demorar ainda muito tempo a equipar todas as brigadas que eles pretendem com o Guarani. Ainda por cima agora que eles estão a cortar tudo e a adiar ao máximo novos contractos, entregas, etc.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Menacho em Maio 23, 2015, 09:07:43 pm
Fuertes recortes en materia de inversiones para Defensa en Brasil

Citar
(defensa.com) La dureza de los recortes  podría afectar a diversos programas en curso. El importe asignado al Ministerio de Defensa para la gestión de las inversiones en el Programa Nacional de Defensa es inferior en más de un 50% de lo que fue efectivamente destinado para estos fines hasta abril de 2014. El año pasado, cerca de 1,6 mil millones de dólares ya habían sido aplicados en las iniciativas del programa.

El Sistema de Control del Espacio Aéreo Brasileño (SISCEAB), por ejemplo, recibió en abril sólo el 2% (12 millones) del monto autorizado para la iniciativa en el presupuesto - casi 600 millones de dólares. El resto de los fondos transferidos al SISCEAB (99 millones) es la descarga contable de los gastos de años anteriores. Preocupa el tema en tal sentido de cara a la actual problemática en materia de seguridad en lo que hace a aviación general y deportiva, con accidentes o incidentes semanales.

Otra de las iniciativas, antes prioritaria y cuyas transferencias de fondos están prácticamente estancadas, es la que prevé la instalación definitiva del astillero y base naval para la construcción y mantenimiento de submarinos convencionales y nucleares en Itaguaí. De los 450 millones de dólares autorizados por la Ley de Presupuestos para ello, sólo el 8% se desembolsó hasta abril. El valor incluye los compromisos pendientes de pago. El año pasado, 220 millones ya se habían invertido en la iniciativa para el mismo período.

Los planes para la adquisición y desarrollo del avión reabastecedor y carguero Embraer  KC-390 también se han visto gravemente afectados. El programa recibió sólo un 7% de los 550 millones de dólares autorizados originalmente, frente al 17% de ejecución en el presupuesto del año pasado. No resultaría extraño en este contexto, si una alternativa civil carguera de vuelta se debiera volver a considerar, tal como se negoció en 2007 con el proyecto entonces aún en el papel, con la Empresa Brasileña de Correos y Telégrafos (ECT) o clientes similares.

Los 350 millones autorizados en el presupuesto 2015 para la compra de 36 aviones de combate Gripen con armamento, simuladores de vuelo y otros servicios de integración de sistemas, mayoritariamente realizados en Brasil,  ni siquiera están comprometidos para un pago posterior. El programa de helicópteros Caracal para las tres Fuerzas Armadas también fue ralentizado, al menos  durante dos años, para poder culminar entregas ya programadas.

El dispositivo de control fronterizo SISFRON con el que ya  ya ha comenzado un tramo en la frontera occidental de Brasil debe proceder con velocidad mucho menor, así como el lanzamiento del programa para suplantar los entrenadores "Universal T-25", de la Fuerza Aérea, por los Novaer SAVIS o similares, mientras que, durante LAAD, desde el propio Ministerio de Defensa se reconocía la ralentización del programa naval PROSUPER, para obtención de medios de  superficie (fundamentalmente fragatas y buques logísticos). (Javier Bonilla)

 
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Maio 23, 2015, 11:03:22 pm
A aviação do exército brasileiro não usa aviões, apenas helicópteros, devido a questões legais. Não é esperado por isso nenhum kc390 ou super tucano para o exército brasileiro. :roll: http://www.defesabr.com/Eb/eb_avex.htm

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 27, 2015, 01:54:50 am
FAL começa a ser aposentado para dar lugar ao IMBEL IA-2

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/03/fal-parafal.jpg)

Adotado nos anos 60 como o fuzil de assalto padrão do Exército Brasileiro, o FAL começa a ser aposentado para dar lugar ao IA2, criado e desenvolvido como parte da política de incentivo à indústria nacional de armamentos. Mais curto e mais leve, com 85 cm e 3,4 kg sem o carregador –contra 1,10 m e 4,2 kg do FAL–, o IA2 foi idealizado e vem sendo aperfeiçoado desde 1995 pela Imbel (Indústria de Material Bélico do Brasil), empresa pública vinculada ao Ministério da Defesa, em sua fábrica de Itajubá (MG).

A aposentadoria completa do FAL vai depender do ritmo de compras, mas a Imbel informou que o Exército já determinou “a adoção oficial” do IA2, o que projeta uma troca total de 140 mil armas. A viabilidade comercial e técnica do fuzil é parte do sonho de setores das Forças Armadas de tornar a defesa nacional forte o suficiente para se declarar independente de fornecedores internacionais.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/03/Imbel-AI2.jpeg)

“No mínimo para inibir ameaças externas, não que vamos nos tornar beligerantes. Para defender a Amazônia, por exemplo. Essa dissuasão, um país continental como o Brasil precisa ter”, disse o chefe do Departamento Comercial da Imbel, o coronel da reserva Celestino Kenyu Kanegusuku.

Após a ordem do Exército de adotar o IA2, a Imbel aguarda medida semelhante na Marinha e na Aeronáutica. A Folha apurou que ambas relutam em tirar de circulação seus fuzis, por hábito e confiança nos mesmos. A Imbel já vendeu ao Exército cerca de 6.000 unidades. Outras 5.000 devem ser adquiridas até o fim do ano.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/03/Rafael_-46-copy.jpg)

O novo fuzil, em versão carabina (com tiro semiautomático), foi vendido também à Polícia Militar paulista, à Polícia Civil mineira e à Força Nacional, vinculada ao Ministério da Justiça. Questionada sobre a comparação do desempenho do IA2 com outros fuzis em ambientes úmidos, como na Amazônia, a Imbel informou que o fuzil foi a única arma do gênero “submetida a exames oficiais desta natureza”.

Fonte:    http://www.revistaoperacional.com.br/ex ... mbel-ai-2/ (http://www.revistaoperacional.com.br/exercito/fal-comeca-a-ser-aposentado-para-dar-lugar-ao-imbel-ai-2/)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 27, 2015, 12:40:30 pm
Sei...ou seja, vocês têm favelas e morros com dezenas de milhares de pessoas cada, em que o estado não chega, cheias de gangs fortemente armadas e a culpa é algo que aconteceu à 500 anos atrás.

Se é assim, porque é que por exemplo Cabo Verde não tem esse problema? :arrow: http://www.operacional.pt/grupo-de-oper ... abo-verde/ (http://www.operacional.pt/grupo-de-operacoes-tacticas-da-policia-judiciaria-de-cabo-verde/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 27, 2015, 01:55:53 pm
Caro Cabeça de Martelo;

Onde foi que você tirou esta pérola de que Cabo Verde (TSC TSC TSC) está melhor do que o Brasil?

Que raios de comparação é esta, entre um País continente e algumas ilhotas no meio do Atlântico?

Mais uma vez não generalize as coisas. As favelas do Rio de Janeiro não resumem o Brasil. Na minha cidade, por exemplo, são mais de 1,3 milhão de habitantes (quase três vezes mais do que Cabo Verde... TSC) e aqui não há favela.

Discordando do Barral, as mazelas brasileiras atuais não são culpa dos colonizadores tugas, mas há uma influência direta, e isto é inegável. Você citou aí os colonos alemães e italianos que para cá migraram, fazendo uma análise fria, ainda bem que esta gente aportaram por aqui. Desenvolveram o Sul do Brasil e as seguintes gerações já começaram a se espalhar em todo o Brasil levando desenvolvimento. Por falar nisso, será que lá em Blumenau, Santa Catarina, cidade tipicamente germânica, está pior do que Cabo Verde? Acho que não :evil: , mas o braço longo do E.B também sabe agir nas sombras, ou seja, sei de "notícias" de que fantasmas já andaram a buscar algumas miseráveis almas, e creio que ainda vão continuar a arrebatar tantas outras por lá. :twisted: Acho melhor parar por aqui.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 27, 2015, 02:23:37 pm
Citação de: "Roland Barral"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Pois... pois... os Tugas são fooooooooooooo...

Mas a pergunta ficou em aberto, é que Cabo-Verde não é propriamente um país de brancos e no entanto eles estão muito melhor do que vocês. Ah, sem Italianos, sem Alemães...

Você pode me dizer se Cabo Verde teve algum tipo de "acumulação primitiva de capital"?? tem que ver se isso ocorreu por lá, pois é isso que leva um país a se desenvolver, o Brasil nunca teve a oportunidade de criar uma acumulação primitiva de capital por esse motivo: modelo de colonização.

Tem que ver o que ocorreu no passado com Cabo Verde. Improvável que Portugal tenha algo a ver com o eventual sucesso deste país.

Portanto quando há algo negativo, são os sacanas dos Tugas, quando há algo de positivo, nós não temos nada a haver com a coisa. Mas é claro, faz todo o sentido...NOT! :roll:

Já agora, Cabo-Verde tornou-se independente em 1975...
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 27, 2015, 02:27:32 pm
Citação de: "Roland Barral"
Rapaz, vou te falar uma coisa antes que aquele cara do coturno feche este tópico. (ele ama fazer isso)

Eu sabia que a TAP está para ser vendida, e que a Azul e a Avianca querem comprar, até aí tudo bem, trata-se de uma empresa privada sendo vendida a outra empresa privada.

Ocorre que eu não sabia uma coisa: a TAP não é uma empresa privada, é uma empresa estatal, eu descobri isso aqui, fiquei estarrecido com isso, e o  pior, a maioria por aqui se não todos defendem que a TAP continue sendo estatal, rapaz, isso é coisa de Australopithecus.

Nunca imaginei que ainda pudesse existir um país no mundo onde uma empresa de aviação civil fosse estatal e ainda defendida em seu status quo.

Isso explica um pouco a diferença entre EUA e Brasil.

Não vou mais comentar nada antes que o cara do coturno bata por aqui.

Pois, mas por exemplo eu não, mas há quem defenda e?! Sabes o que é coisa de "Australopithecus", é ter um director que é Brasileiro que agarra numa empresa e que TODOS os investimentos que faz (por norma no Brasil), tornam-se enormes elefantes brancos que só dão prejuízo. Vê lá, os "racistas" dos Portugueses como são sacanas para os Brasileiros que até vendem empresas e entregam outras que são vitais para o país nas mãos de pessoas dessa nacionalidade.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 27, 2015, 02:36:29 pm
Citação de: "Vitor Santos"
Caro Cabeça de Martelo;

Onde foi que você tirou esta pérola de que Cabo Verde (TSC TSC TSC) está melhor do que o Brasil?

Por exemplo:

http://www.globalstat.eu/en/GlobalStat/ ... 33-RANKING (http://www.globalstat.eu/en/GlobalStat/Governance/Corruption%2b%2b%2bGovernance%2b%28general%29/Control%2bof%2bCorruption%2bIndex-333-RANKING)

Portugal - 38.º
Cabo-Verde - 41.º
Brasil - 75.º

Citar
Que raios de comparação é esta, entre um País continente e algumas ilhotas no meio do Atlântico?

A mesma comparação que vocês fazem entre o Brasil e Portugal.

Citar
Mais uma vez não generalize as coisas. As favelas do Rio de Janeiro não resumem o Brasil. Na minha cidade, por exemplo, são mais de 1,3 milhão de habitantes (quase três vezes mais do que Cabo Verde... TSC) e aqui não há favela.

Certo, eu por acaso não conheço as favelas do Rio, mas conheço Vitória e um pouco o estado de ES.

Citar
Discordando do Barral, as mazelas brasileiras atuais não são culpa dos colonizadores tugas, mas há uma influência direta, e isto é inegável. Você citou aí os colonos alemães e italianos que para cá migraram, fazendo uma análise fria, ainda bem que esta gente aportaram por aqui. Desenvolveram o Sul do Brasil e as seguintes gerações já começaram a se espalhar em todo o Brasil levando desenvolvimento. Por falar nisso, será que lá em Blumenau, Santa Catarina, cidade tipicamente germânica, está pior do que Cabo Verde? Acho que não :roll:


Citar
Voltando ao Tópico do E.B:

Esta foi a maior cagada que já fizeram foi colocar tropas do Exército para "pacificar" o Complexo de favelas da Maré no Rio de Janeiro. Ou seja, colocaram os leões para caçar porém antes arrancaram-lhe as garras. Por conta de questões legais nossos F.E não podem matar :twisted: Acho melhor parar por aqui.
[/quote]

Não podem matar?... pouco. :lol:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 27, 2015, 05:50:04 pm
Citar
Por exemplo:

http://www.globalstat.eu/en/GlobalStat/ (http://www.globalstat.eu/en/GlobalStat/) ... 33-RANKING

Portugal - 38.º
Cabo-Verde - 41.º
Brasil - 75.º

O que me consta este índice é sobre controle de corrupção (Control of Corruption Index), não sobre IDH ou PIB per Capta.

Citar
E eu pensava que o Sul tinha forte emigração Portuguesa, com destaque para os Açoreanos. É que da ilha do meu pai saiu ainda nos anos 50 um navio cheio de gente para aí. Uma coisa extraordinária é nos EUA haver um estado (Flórida), onde 40% das ganadarias são propriedade de Portugueses e Luso-descendentes e ninguém nega o valor dessa gente, mas no Brasil... são apenas os Italianos e Alemães que são uma mais-valia.

Você está correto. Em Florianópolis (Santa Catarina) e Porto Alegre (Rio Grande do Sul) houve grande imigração açoreana. Assim, os açoreanos convivem e conviveram com os outros imigrantes, como alemães, italianos, poloneses e espanhóis que também ajudaram a desenvolver o Sul do Brasil. Não é verdade que somente os chucrutes e os carcamanos são uma mais-valia, isso não tem nada haver. Ocorre que o povoamento e o dinamismo econômico deles se sobressaíram na região Sul do Brasil.

Citar
Não podem matar?... pouco.


É nas sombras que a faca brilha e a caveira sorri  :twisted: . São ações longe das lentes de repórteres fotográficos e das câmeras de cinegrafistas. A fachada do Estado de direito cobra tal liturgia.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 27, 2015, 05:57:53 pm
Citar
Onde foi que você tirou esta pérola de que Cabo Verde (TSC TSC TSC) está melhor do que o Brasil?

E eu dei-te um aspecto, entre muitos outros onde Cabo-Verde está melhor.

Segurança é outro aspecto, já que estamos a falar de uma operação de segurança pública.

Citar
É nas sombras que a faca brilha e a caveira sorri  . São ações longe das lentes de repórteres fotográficos e das câmeras de cinegrafistas. A fachada do Estado de direito cobra tal liturgia.

As ROE neste tipo de missões é e deve ser sempre muito restrita. O problema que se coloca segundo o artigo acima, é da cumplicidade de alguns militares com as gangs.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: lexivia em Maio 27, 2015, 06:09:52 pm
Quando se fala da responsabilidade acerca de áreas muito pobres com as características das favelas, tem a haver com muita coisa que vai para além dos modelos de (neo)colonização. Tem a haver com a introdução de modelos europeus de cidade em ambientes bem diferentes dos europeus e muito a haver com rápidos crescimentos económicos saltando várias etapas segundos as lógicas de desenvolvimento tradicionalmente europeias. Estes crescimentos são tão rápidos que criam graves desequilíbrios na sociedade com fraca equidade pois não há capacidade de resposta para criara condições vs oportunidades disponíveis e consequentemente grandes migrações para grandes centros populacionais sem capacidade acolher todos, que tem sido uma tendência de crescimento exponencial no globo.
Estudem geografia humana.
Vários países em todo o Mundo têm esses problemas e  não foi por serem colonizados.

Abraço!
Lexivia
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Menacho em Maio 27, 2015, 06:32:17 pm
Iveco podría suspender el montaje de los Guaraní si Brasil no destina a tiempo más recursos financieros

(http://www.defensa.com/images/stories/noticias/2015/6/guarani.jpg)

Citar
(defensa.com) Iveco América Latina está considerando paralizar las actividades en su planta de vehículos de defensa brasileña, en Lagoa Santa. La suspensión de las actividades podría producirse el próximo mes si la empresa no recibe nuevas órdenes del blindado Guaraní para el Ejército brasileño. La medida sería una consecuencia más de las severas medidas propuestas por el gobierno federal en la búsqueda de un ajuste fiscal. Está previsto un anuncio oficial de los recortes en el presupuesto de Brasil, de acuerdo con estimaciones del ministro de Hacienda, Joaquim Levy, que se espera supere los 25.000 millones de dólares.

La contingencia se relaciona con la necesidad del gobierno de fomentar un reequilibrio de las cuentas públicas a fin de lograr la meta de superávit primario. Para 2015 el objetivo es ahorrar el 1,2% del Producto Interno Bruto (PIB) en todo el sector público (gobierno, estados, municipios y empreas públicas), equivalente a R $ 66.3 mil millones. A través de su oficina de prensa, Iveco informó que el cierre de la unidad no está confirmado, si bien admitió que tal vez sea necesario dado que la fecha límite para el mantenimiento de la línea de producción sin nuevos pedidos termina el próximo mes. El trabajo se suspendería hasta  la reanudación de las inversiones por parte del Ejército Brasileño, el único comprador del vehículo.

Sin embargo, el fabricante aclara que la detención de actividades no tiene nada que ver con las operaciones de la unidad de producción de vehículos comerciales ligeros y pesados. El anuncio señala que son operaciones distintas e independientes  y estas  continúan  con normalidad hasta la definición de lo que se decidirá con respecto  a la unidad de blindados. La fábrica se inauguró en junio de 2013 con inversiones iniciales de 40 millones de dólares, con el fin de empezar a satisfacer la demanda del Ejército brasileño. Desde entonces, casi 140 unidades del modelo fueron entregadas . La planta tiene capacidad para producir 115 unidades por año, alcanzando 200 bajo exigencias adicionales.

El fabricante en algunas oportunidades ha sido contactado por países como Argentina (que prometió comprar 14 unidades), Chile, Colombia y Angola, que estaban interesados en adquirir el modelo Guaraní. Sin embargo, el único contrato de ejecución firme se produjo con el Ejército Brasileño, que también tiene intereses está la comercialización en el exterior del vehículo. Existe una carta de intención actual con Líbano para un pedido integrado  junto a otros productos Iveco.

En 2007, Iveco ganó la licitación para proveer, hasta 2030, un lote de 2044 blindados- en diferentes versiones- al Ejército. El modelo Guaraní representa a la familia Vehículo Blindado de Transporte de Personal Mediano sobre Ruedas (VBTP-MR) y sustituye a los anteriores  modelos Engesa  Urutu,  actualmente en uso en las Fuerzas Armadas brasileñas, algunos siendo ligeramente modernizados e inspeccionados. El contenido de los nuevos vehículos es de 90% nacional, con  proveedores de diferentes regiones de Brasil. Hoy en día, la cadena de suministro cuenta con  unos 102 proveedores , generando 300 empleos directos y mil indirectos.

El fabricante confirmó el aporte de 220 millones de dólares como resultado de las  ventas comerciales nacionales hasta 2016. El complejo  de Sete Lagoas  ya está recibiendo la mayor parte de los fondos para la inversión en equipos de alta tecnología; proyectos de investigación, desarrollo e innovación, así como la construcción de un distrito industrial de proveedores y un campo de pruebas, en lo que hace a vehículos convencionales. Sólo las inversiones en investigación, desarrollo e innovación se aproximán 80 millones, mientras que la inversión total en el campo de pruebas en el municipio de la región llega a 8 millones. Los otros 155 millones está siendo divididos entre todas las restantes operaciones del  grupo en Brasil, mientras se aguarda una decisón para la división Defensa. (Javier Bonilla)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 01, 2015, 02:29:17 pm
1º Esquadrão de Cavalaria Paraquedista

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/12/Esqd-C-Pqdt.png)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/12/Esqd-C-Pqdt.2.png)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/12/Esqd-C-Pqdt.3.png)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Opera%C3%A7%C3%A3o-Pandu%C3%AD.2.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Opera%C3%A7%C3%A3o-Pandu%C3%AD.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 05, 2015, 06:29:41 pm
A Viatura Leve de Emprego Geral Aerotransportável (VLEGA) CHIVUNK:

Desenvolvida para atender às necessidades doutrinárias e operacionais das Forças de Ação Rápida do Exército Brasileiro.
Sua grande versatilidade permite adaptá-la para realizar ações de ressuprimento, transporte de material, evacuação de feridos e lançamento de fios.
A tração total e a robustez da suspensão independente nas quatro rodas conferem à viatura excepcional mobilidade.

As dimensões da VLEGA CHIVUNK permitem que 4 viaturas sejam transportadas simultaneamente em uma aeronave C-130 ou KC-390.
O lançamento de pára-quedas ou o lançamento em vôo de baixa altura constituem também grande vantagem dessa inovadora solução.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2013/08/tres_chivunks.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2013/08/c+03-lado-esquerdo-do-chivunk.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2013/08/c+-frente-do-p02.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 05, 2015, 06:47:38 pm
MILITARES BRASILEIROS COMBATEM NO LÍBANO

Dentre as diversas missões de paz nas quais o Brasil se faz representar, recentemente a Forca Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) veio a somar mais uma oportunidade da Força Terrestre Brasileira de participar internacionalmente do esforço de promover a paz. Trata-se de uma longa operação e que na atualidade conta com contingentes militares de 37 países para buscar a estabilidade na porção sul daquele país.

A UNIFIL constitui-se em uma das missões de paz mais longas da história da ONU, tendo sido ativada em 1978. Em virtude das hostilidades de grupos palestinos estabelecidos dentro do Líbano, que realizavam ações militares e terroristas dentro de Israel desde o inicio da década de 1970, o Estado de Israel invadiu o sul do Líbano em 1978, ocupando toda a área ao sul do Rio Litani.

Atualmente, a UNIFIL possui o efetivo de 10.236 peacekeepers, oriundos dos seguintes países: Alemanha, Armênia, Áustria, Bangladesh, Bielorrússia, Bélgica, Brasil, Brunei, Camboja, China, dentre outros.

Os militares do EB estão integrados em uma das duas brigadas multinacionais existentes na UNIFIL. A brigada que controla o chamado Sector East da missão se encontra sob comando do Ejercito de Tierra de Espana, na denominada “Operação Libre Hidalgo XXII”. Tal brigada foi estabelecida com base na Brigada de Infantaria Mecanizada “Guzmán El Bueno X” (BRIMZ X), sediada na cidade de Córdoba, sul da Espanha.

Mais:  http://eblog.eb.mil.br/?p=3718 (http://eblog.eb.mil.br/?p=3718)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/03/imagem4.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/03/imagem5.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/03/imagem7.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 08, 2015, 12:11:23 am
Cavex (Comando de Aviação do Exército)

(http://www.meon.com.br/files/media/originals/20140602_cavex_bavex_tropa_copa_helicopteros_flavio_pereira.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/media/originals/20140602_cavex_bavex_tropa_copa_helicopteros_flavio_pereira_6.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23837/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23834/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23847/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23833/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23840/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23844/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23846/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23843/620-421-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23849/620-413-0-0.jpg)

(http://www.meon.com.br/files/c/23850/620-413-0-0.jpg)


(http://www.meon.com.br/files/c/23841/620-413-0-0.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 08, 2015, 12:15:16 am
Os Felinos do Exército Brasileiro

Os AS365 K Pantera, ou HM-1, como são designados na Aviação do Exército (AvEx), constituem a espinha dorsal dos Helicópteros de Manobra (HM) da AvEx. Hoje, 34 das 36 aeronaves adquiridas em 1988 continuam em serviço nos quatro Batalhões de Aviação do Exército (BAvEx) e no Centro de Instrução de Aviação do Exército (CIAvEx). Capaz de transportar três tripulantes e até nove soldados equipados, a tarefa primordial do HM-1 é emprego geral, o que inclui missões de helitransporte, apoio, EVAM, infiltração e exfiltração de tropas especiais de pronto emprego. Para autoproteção eles podem empregar metralhadoras FN MAG calibre .30 pol (7,62 mm) ou M3P .50 pol (12,7 mm). Hoje, o HM-1 é o helicóptero mais empregado nas missões de apoio e suporte às operações terrestres. Na foto vemos a linha de voo da 1ª Esquadrilha de Helicópteros de Emprego Geral (1ª EHEG) do 2º BAvEx, sediado na Base de Aviação do Exército de Taubaté (BAvT). A BAvT, construída especificamente para a reativação da AvEx, abriga desde o seu início aeronaves HM-1 e, em 2014, as unidades ali sediadas começaram a receber o Super Pantera, como está sendo chamada a versão modernizada AS365 K2.

A estrutura operacional da AvEx é hoje formada por quatro BAvEx e pelo CIAvEx. O 1º e 2º BAvEx e o CIAvEx estão sediados na BAvT. Já o 3º BAvEx está localizado em Campo Grande (MS) e o 4º BAvEX em Manaus, ambos juntos às Bases Aéreas de Campo Grande e de Manaus, respectivamente. Essas unidades aéreas abrigam a atual frota de helicópteros do Exército, composta por 33 HA-1 (HB350 L1/AS550 A2), 34 HM-1 (AS365 K/K2), 4 HM-2 (S-70A), 8 HM-3 (AS532 EU) e 5 HM-4 (EC725 BR-B). No CIAvEx são formados os novos pilotos do EB, empregando-se aeronaves HA-1 e HM-1. Os quatro batalhões possuem uma estrutura idêntica, formada por uma Esquadrilha de Reconhecimento e Ataque (EHRA), equipada com HA-1, e duas Esquadrilhas de Helicópteros de Emprego Geral (EHEG), dotada de helicópteros HM-1, HM-2, HM-3 ou HM-4 Jaguar. Em Taubaté, o 1º BAvEx está equipado com os HA-1, HM-1 e HM-4 e o 2º BAvEx com os HA-1, HM-1 e HM-3. Em Campo Grande, o 3º BAvEx emprega aeronaves HA-1 e HM-1, possuído apenas uma EHEG ativada. Por fim, em Manaus, não há uma EHRA ativada, apenas duas EHEG, equipadas com HM-1, HM-2 e HM-3.

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/01.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/02.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/03-Poster.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/04.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/05.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/07.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/wp-content/uploads/2015/02/06.jpg)

Fonte: http://eblog.eb.mil.br/?p=3592#sthash.8oKnvKAy.dpuf (http://eblog.eb.mil.br/?p=3592#sthash.8oKnvKAy.dpuf)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 08, 2015, 02:47:31 pm
VISITA DO MINISTRO DA DEFESA AO COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA (CMA)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16519597270_6e80494763_b_zpsppnlq1yn.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16087047893_10856b9cfe_b_zpszlubhrni.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16107602833_4809551e08_b_zpsad5cybk3.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16715049991_3c1df3c5b2_b_zpsjfov0wdj.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16716322451_654685a732_b_zpsldzukaye.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16528748058_fb204b2bd9_b_zpsarcwjyft.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16520272617_1cb701b4d8_b_zpsueu3ydkn.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16690416016_5fbc38558f_b_zpsvkl1tadn.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16095280844_8ba5bf6c71_b_zps9pkkukuz.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16105236474_dfe9ae6f68_b_zpstwdpzr8y.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16509045027_b50fe4858f_b_zpsyuqqvrws.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16727554245_4fc92b76a1_b_zpswi0egs3s.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16084662544_4dd343be81_b_zpspnuwjy2u.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/16716327375_156c7b7976_b_zpsh8zejety.jpg) (http://http)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: PereiraMarques em Junho 08, 2015, 03:20:00 pm
Citação de: "mafets"
http://www.janes.com/article/51988/us-army-once-again-seeks-new-ifv-designs
Citar
The US Army has awarded about USD57 million between BAE Systems Land and Armaments and General Dynamics Land Systems for conceptual design work on a future fighting vehicle (FFV) that could potentially replace the Bradley infantry fighting vehicle.

Engano no tópico?  :G-beer2:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Junho 08, 2015, 03:25:21 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "mafets"
http://www.janes.com/article/51988/us-army-once-again-seeks-new-ifv-designs
Citar
The US Army has awarded about USD57 million between BAE Systems Land and Armaments and General Dynamics Land Systems for conceptual design work on a future fighting vehicle (FFV) that could potentially replace the Bradley infantry fighting vehicle.

Engano no tópico?  :wink:

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Junho 09, 2015, 10:17:48 am
http://www.forte.jor.br/2015/05/06/corte-no-orcamento-do-exercito-ira-diminuir-exercicios-e-treinamentos-na-regiao-sul/
Citar
O Exército Brasileiro terá cortes no orçamento desse ano. A expectativa é que chegue à 40%. Aqui na região o Comando Militar do Sul já trabalha com a redução de exercícios de campo e treinamentos. Na próxima semana haverá uma reunião no Ministério da Defesa que confirmará qual será o tamanho do corte.

Segundo o General Antonio Hamilton Martins Mourão, alimentação, saúde e vestimentas terão as verbas mantidas. Já a manutenção de batalhões e operações terão menos dinheiro. Por exemplo, a Operção Ágata, que combate crimes de fronteira, será suspensa.
Em vez de determinados indivíduos supostamente brasileiros que por aí andam a escreverem constantemente baboseiras (entre outros "mimos") e a fazerem de conta que tudo está bem nas forças armadas brasileiras, deviam-se preocupar era com estas noticias... :roll:
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/05/Dados-foram-apresentados-em-encontro-com-a-imprensa.jpg)
Comentários de Brasileiros  conscientes:
Citar
Claudio Moreno
6 de maio de 2015 at 16:01 #
Lamentável!

Você combate como você treina!

CM
Citar
Este e o golpe de misericordia nas Forccas Armadas Brasileiras.

O Brasil esta sem capacidade para se defender em seu proprio territorio, e muito menos enganjar qualquer inimigo do outro lado das fronteiras.

Lamentavelmente os militares estao cada vez mais servindo so como enfeites.

Isso virou um cabide de emprego para muita gente. A funcao dos militares esta ficando relegada aos desfiles de 7 de Setembro….e muito minguado por sinal.
Entretanto, a revista Verde-Oliva do Exercito Brasileiro, que poder ser consultado online no site indicado (tem de ser um português a dar conhecimento desta excelente revista, quem diria :twisted: : http://www.eb.mil.br/web/noticias-e-multimidia/revista-verde-oliva
(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6456151&t=1431457083104)
Citar
edição 2015
(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6185346&t=1423746310953)
Citar
uma das 4 edições de 2014
(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6185112&t=1423743079173)
Citar
edição de 2013

Cumprimentos  :twisted:

P.S. Não baixo ao nível de quem não o tem, e recorre ao insulto e ao escárnio porque não tem argumentos para debater defesa. E continuarei sempre a postar sobre as Forças Armadas do Brasil o que bem entendo. Temos pena c34x
(https://andradetalis.files.wordpress.com/2014/12/sao-pauloprotestos-forc3a7as-armadas.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 09, 2015, 05:38:55 pm
O Jaguar brasileiro – HM-4 Jaguar

(http://historiamilitaronline.com.br/wp-content/uploads/2015/05/IMG-20140829-WA0000.jpg)

O silêncio no terreno é absoluto, o grupo de combate espera pacientemente em sua posição. Armados, equipados e camuflados, esses homens estão prontos para avançar sobre o inimigo a qualquer instante.

Ao longe um ruído que lhes é familiar posta todos em alerta, está vindo! A tropa já exaurida pela missão executada ganha novo ânimo. Todos tomam sua posição para garantir a segurança de uma pequena clareira no meio de um matagal. A cada instante o barulho aumenta, a ansiedade toma conta, o inimigo pode estar perto.

Logo, um vulto imenso passa por sobre a clareira, retorna e pousa. É um HM-4 Jaguar, helicóptero de origem francesa baseado no Airbus EC725, com um detalhe, fabricado no Brasil. Assim que o pouso é efetuado, a tropa toma posição, os mecânicos saltam para fora da aeronave com o rotor ainda ligado e iniciam a preparação para o embarque. Rapidamente os soldados tomam posição e embarcam. Tranquilamente o monstro de metal ergue voo e retorna a base.

Essa típica cena é comumente vista em filmes de guerra ou em áreas de combate, porém ocorreu realmente em uma fazenda na região sul. Na Semana do Soldado, um desses helicópteros Jaguar atuou em missões por batalhões do sul do país (a missão em questão era de exfiltração), para adestrar as tropas terrestres com esse mais novo meio das forças armadas. Um desses batalhões foi o 62º Batalhão de Infantaria, localizado em Joinville. Durante o tempo que ficou baseado no batalhão, o helicóptero foi aberto a visitação.

(http://historiamilitaronline.com.br/wp-content/uploads/2015/05/IMG_20140823_212431.jpg)

O Jaguar é realmente um gigante. Possui capacidade para 31 pessoas em seus quase 20 metros de comprimento (sendo 29 combatentes e 2 pilotos), decola com 11.000 kg e tem autonomia para 909 km. É utilizado também pela Petrobras para transporte entre as plataformas petrolíferas, demonstrando sua robustez. Apesar do tamanho e da potência, voar nele é uma sensação agradável e prazerosa, demonstrando-se firme no voo, mesmo com ventos contrários (experiência própria do autor).

O plano do governo federal é de adquirir cerca de meia centena de helicópteros, o que daria as forças terrestres uma grande capacidade de locomoção e de missões possíveis, já que ele é capaz de executar missões de transporte, reconhecimento, busca e salvamento entre outras.

Além do Brasil, que detém o know-how da aeronave, e da França que a produz originalmente, mais cinco países o empregam: Indonésia, Cazaquistão, México, Malásia e Tailândia.

(http://historiamilitaronline.com.br/wp-content/uploads/2015/05/21823.jpg)

Fonte:  http://historiamilitaronline.com.br/201 ... rasileiro/ (http://historiamilitaronline.com.br/2015/05/31/o-jaguar-brasileiro/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 09, 2015, 05:58:44 pm
Aviação do Exército na Amazônia

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030633896_1240c3f510_b_zpsdefukpml.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030638283_8fd2c8acaf_b_zpsoaadhv9b.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030639522_f54b739839_b_zpslqxb3u6v.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030643737_5637068ae4_b_zpsi0xh9ipo.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030641699_1d699d65fc_b_zpsk8ldzrra.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030638621_e418bd2367_b_zpsj02fupt2.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030650898_b5c9c749a6_b_zpss3yueqrd.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8903761691_9307ef8948_b_zpsgdnkbkp6.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030655140_22cbca9339_b_zpsppr4pl9k.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8030656697_a0aaf99956_b_zps8swzo6jd.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8903760089_6444e80252_b_zpsns0j3pwf.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8904379332_3c9cdfcc13_b_zpsz55mqvo4.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8903761347_679bcf71ae_b_zpsebqhwca9.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8904379172_0c870825a2_b_zpsp6gpmegr.jpg) (http://http)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Junho 10, 2015, 11:02:11 am
http://www.forte.jor.br/2015/06/09/com-40-da-frota-de-veiculos-renovada-exercito-busca-agora-capacidade-operativa-plena/
Citar
Viaturas – Desde 2012, o governo federal já injetou cerca de 2 bilhões de Reais (uns 650 milhões de dólares) no conjunto de planejamentos de caráter estratégico hoje reunidos sob a sigla OCOP. O dinheiro veio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado no segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Desse total, aproximadamente 1,5 bilhão de Reais foram aplicados na aquisição de 8.500 veículos terrestres de diferentes modelos (de caminhões-tanque de 1.500 litros a cozinhas de campanha), procedimento que, de acordo com os cálculos da 4ª Subchefia do Estado-Maior do Exército, promoveu a modernização de 40% da frota do Exército brasileiro.

Nesse novo conjunto de viaturas 6.500 têm mais de 1,5 tonelada, mas a “estrela da companhia” é a viatura de carga de 10 toneladas, 6×6, produzida pela empresa MAN por solicitação do Projeto OCOP, concebida para transportar obuses de 155 mm ou material pesado das unidades da Arma de Engenharia.

O Exército calculou que precisará de 120 desses veículos.

Atribuições – O EPEx foi criado em 2012, para realizar a gestão do portfólio de projetos estratégicos (PEE) e das Parcerias Público-Privadas do Exército.

Entre as suas atribuições está o gerenciamento dos projetos Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), Sistema Integrado de Proteção de Estruturas Estratégicas Terrestres (PROTEGER), OCOP, Guarani, Astros 2020, Defesa Antiaérea e Defesa Cibernética.

Cabe também ao EPEx participar do processo de obtenção de fontes de financiamento para esses programas.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/06/MAN-6x6-01-580x387.jpg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/06/rossetti_man_vw_exercito-580x386.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Junho 10, 2015, 01:52:55 pm
De todos os brasileiros que cá andam, o Vitor Santos é dos melhores! Não vejo o porquê de tanta raiva!

Quanto ao exercito brasileiro tenho verificado que o mesmo está a precisar de uma reestruturação, principalmente ao nível das bases e de armamento. Falta uniformização de equipamentos existe uma enorme variedade de equipamentos para a mesma função.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 10, 2015, 03:07:27 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Los Alamos"
Citar
por Vitor Santos » terça 09 jun, 2015 4:58 pm

Meu amigo, guarda essas fotos para vocês, ninguém te aguenta mais.

De todos os brasileiros que cá andam, o Vitor Santos é dos melhores! Não vejo o porquê de tanta raiva!

Quanto ao exercito brasileiro tenho verificado que o mesmo está a precisar de uma reestruturação, principalmente ao nível das bases e de armamento. Falta uniformização de equipamentos existe uma enorme variedade de equipamentos para a mesma função.

Caro Nelson,

Reestruturação de base está ocorrendo. Quando digo "ocorrendo" não é plano futuro, é agora. O maior exemplo foi a implantação da Brigada de Operações Especiais no Centro do País, e o mesmo deve ocorrer com a Brigada Paraquedista, ou seja, em breve será deslocada para o coração do País. Atualmente o Exército é dividido por 8 grandes Comandos com unidade e subunidades em 12 regiões militares e 8 brigadas operacionais: Infantaria Mecanizada, Aeromóvel, Aviação de Exército, Garantia da Lei e da Ordem (GLO), Infantaria de Selva, Montanha, Paraquedista e Operações Especiais. Além dos batalhões e regimentos especializados (Guarda Presidencial, Polícia do Exército, Cavalaria de Guarda, Infantaria de Selva, Fronteira, Química, Biológica, Radiológica e Nuclear).

Não vejo tanta falta de padronização em equipamentos. Pelo contrário. Os velhos, mas eficientes FAL, Para-FAL e FAP por enquanto ainda é o fuzil padrão, até a entrada total dos Imbel IA2. Nosso "Main Battle Tank" é o Leo 1A6 (apesar de ainda termos os Leo 1A1 "belgas" e M-60). O orgulho da artilharia de campanha ainda é o sistema Astros II e agora temos o 2020, sua versão avançada. Os obuses auto-propulsados são os M-108 (105mm) e M-109 (155 mm). Sabe Deus quando vai se completar a substituição total dos blindados sobre rodas 6x6 Engesa Cascavel e Urutu pelos Guarani 6x6 juntamente com sua versão de reconhecimento que será 8x8, dotado de canhão 105mm. Fora isto, o Exército ainda vai de longos anos com os M113. A artilharia anti-aérea continua com Igla, no momento haverá a entrada dos RBS 70. O Exército opera 36 Gepards 1A2, canhões Bofors 40mm e Oerlikon 35mm. Quem sabe o governo não toma juízo e fecha logo o acordo com os russos para aquisição dos Pantsir-S1.  

O padrão do camuflado é o mesmo em todo o Brasil (o País é continental, abriga vários tipos de vegetações como Cerrado que é a nossa savana, Caatinga, o nosso semi-desértico, Amazônia e etc), a única exceção é a farda em couro para Caatinga, vegetação inóspita repleta de arbustos espinhosos. É só observar os fardamentos dos demais exércitos sul-americanos, uma verdadeira salada, uma "mistureba" de woodland, com  multicam, enfim, não há uma identidade clara.

Na aviação do Exército a fabricante matriz ainda é a Helibrás, subsidiária da EADS/Eurocopter, é só observar o inventário:

Helibras Fennec (HA-1)
Helibras HB 350 (HA-1)
Helibras Pantera (HM-1)
Sikorsky UH-60L (HM-2)
Eurocopter Cougar (HM-3)
EC.725BR Caracal

 :arrow:  https://www.youtube.com/watch?feature=p ... -2Gencu4jE (https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=8-2Gencu4jE)

Emfim, trata-se de um Exército grande (cerca de 230 mil militares ativos) e algumas Organizações Militares (OMs) tem um certo grau de liberdade para se adaptar a região e local, mas no final das contas é o mesmo Exército desde Guararapes - a batalha em que portugueses, brasileiros filhos de portugueses, indígenas e negros africanos lutaram lado a lado para expulsar os invasores holandeses, nasce aí o Exército Brasileiro.

(http://4.bp.blogspot.com/-jVszaqc4BzU/U__RG9UTQPI/AAAAAAAAbGI/pnCXoBTUQpk/s1600/Victor_Meirelles_-_'Battle_of_Guararapes',_1879,_oil_on_canvas,_Museu_Nacional_de_Belas_Artes,_Rio_de_Janeiro_2.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 10, 2015, 03:24:39 pm
Centro de Instrução de Blindados (CI Bld): : O Regime de Utilização Máximo (RUM) e as alternativas de adestramento

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/IMG_7633.jpg)

Com a aquisição das Viaturas Blindadas de Combate Carro de Combate (VBCCC) Leopard 1A5 BR, o Exército Brasileiro firmou um contrato de obrigações referente à manutenção dos índices de disponibilidade com a empresa alemã Krauss-Maffei Wegmann (KMW), algo até então inédito para a tropa blindada.

O contrato instituiu um novo conceito de manutenção e de controle da frota, dentro do denominado Suporte Logístico Integrado (SLI), que estabelece normas entre o contratante (Exército Brasileiro) e a contratada (KMW) a serem seguidas. De acordo com esta nova realidade, uma abreviatura se tornou parte do dia a dia dos Regimentos de Carro de Combate: o RUM (Regime de Utilização Máximo), que impõe limites tanto para as distâncias que cada VBCCC pode percorrer, quanto para o número de tiros que podem ser realizados anualmente.

De início, esta imposição foi um choque, pois era parte da rotina dos Regimentos de Carros de Combate (RCC) o livre trânsito dos carros, tanto no aquartelamento quanto nos campos de instrução e a livre possibilidade de realizar exercícios de tiro. Contudo, o que inicialmente não foi visto com bons olhos pelos pelotões, um impacto na cultura institucional da tropa blindada, veio a trazer muitos benefícios, sobretudo pela maior disponibilidade dos CC.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/IMG_7439.jpg)

Em meados da década de 1990, quando os Leopard 1A1 e os M 60 A3 TTS foram adquiridos, este conceito não foi incorporado. Os CC eram utilizados sem a preocupação relativa às distâncias a percorrer. Quanto ao uso do canhão, os Leopard 1A1 possuíam um limite de tiros a serem realizados, que era registrado por um contador existente na torre.

As Viaturas Blindadas Especiais Escola, utilizadas exclusivamente para a formação e manutenção dos padrões dos motoristas, também contam com um RUM diferenciado, permitindo que os RCC realizem a instrução de conduta auto com uma carga satisfatória e possam certificar os motoristas já existentes pelo menos duas vezes no ano.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Leopard_1_school_driver_heavy_tracked_armoured_recovery_vehicle_Belgium_Army_Belgian_640.jpg)

A aquisição de simuladores, no mesmo pacote de compra dos CC, e a sua distribuição para as Organizações Militares de Corpo de Tropa (OMCT), além dos estabelecimentos de ensino, tornou a utilização destes dispositivos parte da rotina dos militares. Hoje em dia, as guarnições dos RCC passam uma carga horária extensa nos simuladores antes de utilizar as suas VBCCC, evitando danos causados por imperícia e desperdício de combustível e de munição.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Simulador-KMW1.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/KMW_LFME-580x386...jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/KMW_LFME-580x386.jpg)

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/ge ... stramento/ (http://www.revistaoperacional.com.br/geopolitica/doutrina-opiniao/cibld-o-regime-de-utilizacao-maximo-rum-e-as-alternativas-de-adestramento/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Junho 10, 2015, 03:38:10 pm
10 de Junho – Dia da Arma de Artilharia

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Artilharia_EB_02.jpg)

A Artilharia é uma das Armas Combatentes do Exército Brasileiro, cuja missão é apoiar as unidades que compõem a Função de Combate Movimento e Manobra, destruindo ou neutralizando alvos que ameacem o êxito de uma operação. Desta forma, a Arma de Artilharia é responsável por apoiar e proteger os escalões de manobra, por meio de fogos e de proteção.

A primeira atribuição é materializada na Artilharia de Campanha (tubo, foguetes e mísseis), cujo objetivo é realizar o emprego coletivo e coordenado de fogos cinéticos e não-cinéticos orgânicos da Força ou o emprego conjunto, integrado pelos processos de planejamento e coordenação de fogos.

Sua presença nos combates modernos tem influenciado sobremaneira o desenrolar de conflitos, como ficou patente em diversos eventos da atualidade (Ucrânia, Afeganistão, Mali e Congo). Comemora-se o dia da Artilharia em 10 de junho, data de nascimento do insigne Marechal Emílio Luís Mallet, patrono da Arma. Nascido no ano de 1801, na cidade de Dunquerque (França), chegou ainda jovem ao Brasil e foi convidado por D. Pedro I a ingressar nas fileiras do Exército Nacional.

 Inserida no Processo de Transformação da Força Terrestre, a Artilharia engaja-se diretamente em dois projetos estratégicos: Defesa Antiaérea e ASTROS 2020. A Artilharia Brasileira será alçada à Era do Conhecimento com a aquisição do obuseiro M109 A5 + BR, que mobiliará o 3º GAC AP e o 5º GAC AP e que está sendo adquirido devido ao PEEx Recuperação da Capacidade Operacional. A Artilharia continua sendo, atualmente, o grande e nobre fator na decisão do combate. Moderna, ágil, silenciadora e vibrante, por meio de suas bocas de fogo, entre clarões, carrega a sinistra melodia da batalha e o poder de definir a quem a glória pertencerá.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/04/astros-II.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Obuseiro-M109.jpg)

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/ex ... rtilharia/ (http://www.revistaoperacional.com.br/exercito/10-de-junho-dia-da-arma-de-artilharia/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 07, 2015, 04:06:03 am
Ministro da Defesa conhece projetos da Avibras e da Mectron

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Imagem-1-Min.Def_.Avibras-Mectron.jpg)

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, visitou duas importantes indústrias da área de defesa sediadas no Vale do Paraiba (SP); Avibras e Mectron. Após as visitas, o ministro assegurou que a pasta vai continuar lutando para permitir os investimentos necessários à continuidade dos principais projetos, apesar do momento de ajuste fiscal.

“Esse ano é de ajuste e vai ser um ano diferente. Mas, com o apoio da presidenta Dilma e da nossa equipe do Ministério da Defesa (MD), estamos conseguindo administrar o ‘touro’, que significa o controle orçamentário para que a indústria de defesa continue sendo estimulada a produzir”, disse o ministro.

Segundo ele, o governo tem seu ritmo e as indústrias também têm o seu, mas os interesses são comuns, ou seja, o desenvolvimento tecnológico dos produtos de defesa nacionais.

O presidente da Avibras, Sami Youssef Hassuani, agradeceu o apoio que o MD tem dado junto à FINEP e ao Banco do Brasil. Para ele, a visita do ministro deu chance à empresa de mostrar a sua tecnologia nacional e a força de trabalho altamente capacitada. O presidente da Avibras destacou que a maior meta da empresa é continuar desenvolvendo a tecnologia brasileira nos produtos de defesa.

Na visita, o ministro conheceu o processo de fabricação do Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) Falcão, de mísseis de tecnologia nacional e o sistema Astros 2020.

Encarregado de gerenciar o projeto Astros 2020, o general de brigada José Júlio Dias Barreto disse que o desenvolvimento do sistema Astros coloca o Brasil num patamar elevado, pois trata-se de equipamento 100% brasileiro produzido por uma empresa nacional.

Para Wagner, o Astros 2020 é a última palavra em tecnologia militar para a defesa terrestre e sua produção continuará apesar da rigidez orçamentária. “Vamos continuar ajudando dentro das nossas possibilidades”, afirmou.

A Avibras é uma empresa de engenharia que apresenta soluções tecnológicas nacionais e possui 16 plantas. O ministro caminhou por uma hora e meia para conhecer seus produtos e a capacidade de produção da empresa. Chamou atenção do ministro, a equipe especializada da empresa formada por 1.446 profissionais, com idade média de 39 anos.

Mectron

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Imagem-2-Min.Def_.Avibras-Mectron.jpg)

Ao visitar a Mectron, o ministro conheceu o laboratório de desenvolvimento do projeto MANSUP com exposição de protótipo do míssil nacional antinavio, que alcança alvos posicionados a até 70 quilômetros de distância em um tempo de quatro minutos.

Ele também conheceu o laboratório de equipamentos de comunicação. Na ocasião, se inteirou do conceito de operações do sistema de Comunicação segura Link BR2 que permite a interoperabilidade entre as Forças Armadas, além dos protótipos do RDS (Radio Definido por Software).

O ministro elogiou o sistema que permite o domínio tecnológico em “forma de onda” que trafega pela rede com alto desempenho, além da segurança e criptografia dos dados.

Jaques Wagner também esteve no laboratório de teste dos mísseis ar-ar A-Darter de curto alcance e o míssil anti-irradiação MAR-1 usado em missões de supressão de defesas antiaéreas inimigas, tendo como principais alvos radares de superfície.

Fonte:  http://tecnodefesa.com.br/ministro-da-d ... a-mectron/ (http://tecnodefesa.com.br/ministro-da-defesa-conhece-projetos-da-avibras-e-da-mectron/)

Míssil de cruzeiro AV-MT300 e foguete SS-150 de 150km de alcance:

(https://farm1.staticflickr.com/489/19158285006_da12262e7b_o.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/398/18998275849_9e7e361103_o.jpg)

(http://farm1.staticflickr.com/413/18998274879_0bb3744a3f_o.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 07, 2015, 02:02:17 pm
Tropas Especiais do Exército Brasileiro - Caatinga

(https://farm9.staticflickr.com/8762/17238884743_c604ca0385_c.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8897/17236737124_2315ca262d_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8830/17856390402_4d3afced8a_b.jpg)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/964018_796171987076398_1417736753_o_zps7vozu2fm.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Sem%20tiacutetulo_zpsgx6gm8pp.png) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/129-4_4_zpsiq97b8jx.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Caatinga2_zpssces9amz.png) (http://http)


(https://farm6.staticflickr.com/5571/15049909845_b4d3507d0a_b.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/1403230_761322800561317_717823963_o.jpg)

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//Imbel_IA2_caatinga.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 08, 2015, 11:46:37 am
REMAX apresentado ao Exército Brasileiro

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/07/Imagem-2-REMAX-ARES.jpg)

Militares do Exército Brasileiro reunidos no 33º Batalhão de Infantaria Mecanizada (33º BI Mec), unidade sediada em Cascavel (PR), receberam entre os dias 22 e 26 de junho, treinamento de operação e manutenção (1º escalão) correspondente ao Reparo de Metralhadora Automatizado X (REMAX).

Trata-se de uma estação de armas remotamente controlada, totalmente estabilizada para metralhadoras .50 e 7,62 mm, desenvolvida pelo Centro Tecnológico do Exército (CTEx) em parceria com a ARES Aeroespacial e Defesa S/A. Projetado de acordo com os requisitos do Exército Brasileiro, o REMAX é um sistema de armas destinado a equipar os novos Veículos Blindados deTransporte de Pessoal (VBTP) Guarani.

Esse programa de treinamento coordenado pela equipe de Suporte Logístico Integrado (SLI) da ARES é considerado mais um marco significativo na nova fase do projeto. Esse foi o primeiro contato do usuário com o REMAX .“Os primeiros treinamentos são muito proveitosos tanto para a tropa quanto para a empresa, pois é o momento de perceber a expectativa do usuário e receber as críticas de quem realmente irá usar o sistema ao longo de sua vida dentro da força” ponderou Heitor Chagas, gerente de suporte logístico da ARES.

Durante o curso foram ministradas instruções teóricas e práticas, e os militares tiveram a oportunidade de operar o sistema e os avanços desde a primeira versão.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/07/Imagem-3-REMAX-ARES.jpg)

Foram habilitados e certificados 14 militares, entre oficiais e praças, integrantes do 30º, 33º e 34º BI Mec, do 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado e do 15º Batalhão Logístico. Os militares habilitados no curso farão parte da Avaliação Complementar e Doutrinária do Sistema REMAX a ser realizada pelo Exército Brasileiro.

Ao final do curso foi realizado um exercício de tiro real que contemplou cenários de tiro parado e em movimento. O exercício contou com a presença do Comandante da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada (15º Bda Inf), general de brigada Paulo Roberto de Oliveira, do comandante do 33° BI Mec, coronel Paulo Geraldo Madureira Rocha, do avaliador operacional do Centro de Avaliações do Exército, major Leandro Nery Alves Vargas, e outros oficiais.

Histórico do Projeto

Em 2006 a ARES foi contratada pelo Exército Brasileiro para pesquisa e desenvolvimento de uma Estação de Armas Remotamente Controlada (EARC) para uso nos veículos do Projeto GUARANI. Em 2009, foram apresentados dois protótipos que foram aprovados em 2012 nas avaliações de tiro (parado e em movimento) e de resistência. Neste mesmo ano, foi assinado o contrato para produção do lote piloto de 76 unidades.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2013/11/DSC0375.jpg)

Fonte: http://tecnodefesa.com.br/remax-apresen ... rasileiro/ (http://tecnodefesa.com.br/remax-apresentado-ao-exercito-brasileiro/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 09, 2015, 02:34:22 pm
Exército transfere para Ponta Grossa a 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea

A 11º Bateria de Artilharia Antiaérea foi transferida para Ponta Grossa, com 16 viaturas blindadas Gepard. Unidade está alojada dentro do 3º Regimento de Carros de Combate

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/07/26476_resize_800_600_false_true_null.jpg)

O Exército Brasileiro transferiu a 11º Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada, integrante da 11º Brigada de Infantaria Leve, de Itu (SP) para Ponta Grossa, onde a organização militar passa a fazer parte da 5º Brigada de Cavalaria Blindada. O grupo é formado por 16 viaturas blindadas, de origem alemã, Gepard M1A2 equipada com dois  canhões Oerlikon 35 mm KDA. Cada canhão tem 310 tiros  para AA e 20 tiros para AT (anticarro).  O engajamento do alvo ocorre a 3.000 a 5.000 m com rajadas de 20 a 40 tiros. Além de uma equipe de 16 militares que formam o núcleo da divisão que está sediada dentro do 3º Regimento de Carros de Combate, no bairro Contorno.

“A transferência aconteceu porque Ponta Grossa é um ponto estratégico e a bateria fica mais próxima da divisão que faz parte, a 5º Brigada de Cavalaria Blindada, em Curitiba”, explica o comandante da 11º Bateria de Artilharia Antiaérea, Major Fornasin. Dos 16 antiaéreos Gepard que formam a organização, 5 já estão em Ponta Grossa e os demais ainda estão sendo transferidos.

Cada Gepard é manuseado por um motorista e dois operadores. O veículo dispara 1.100 tiros por minuto, pesa 47,5 toneladas e conta com um radar que detecta aviões há 15 km de distância. O alcance das armas do Gepard chega há 5 km e o calibre dos tubos de disparo é de 35 mm.

O Exército Brasileiro comprou da Alemanha em 2013, por um valor de R$ 37 milhões de euros, 36 antiaéreos Gepard, cursos para manusear as máquinas, munição, oficinas, simuladores e suporte logísticos por 15 anos, segundo informações do comandante Fornasin. A partir de agosto, os 16 veículos devem estar em Ponta Grossa.

Fonte: http://www.defesanet.com.br/leo/noticia ... ntiaerea-/ (http://www.defesanet.com.br/leo/noticia/19645/Exercito-transfere-para-Ponta-Grossa-a-11%C2%AA-Bateria-de-Artilharia-Antiaerea-/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 09, 2015, 02:42:41 pm
Potencial Antiaéreo

Os planos de mobiliar a modernizar a defesa antiaérea do Exército Brasileiro dentro do Projeto Estratégico Defesa Antiaérea surgiu o Gepard 1 A2 como uma opção de baixo custo e atendendo a rápida disponibilidade.

Para isto  foram adquiridos 37 carros de combate Gepard. O material irá dotar as Baterias Antiaéreas das Brigadas Blindadas do Exército. Os Gepard foram distribuídos para unidades subordinadas à 6ª Brigada de Infantaria Blindada, localizada no Rio Grande do Sul, e também para a Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea no Rio de Janeiro.

A avaliação do Exército Brasileiro levou à solução de Artilharia Antiaérea em vez de mísseis pela sua pronta resposta e a possibilidade de tratar contra alvos móveis e de pequena seção visível ao radar como os UAVs e Drones.


Características Técnicas

O carro tem autonomia de 550 km com uma velocidade máxima de 65 km/h. Possui um tanque de 985 litros fazendo uma média de 600 metros por litro. Contém dois motores, o do chassi e o auxiliar(APU), de 90 HP, que é responsável por alimentar de energia  os sistemas de observação, radares e a torre do blindado.

Sem preparação ele cruza num vão de 0,75 metros, com vedação para não entrar água e demais ajustes pode chegar a 2,25 metros. Pode cruzar um obstáculo de  60 graus na frente e 30 graus de lateral. A blindagem de 20 milímetros.

As funções do atirador e chefe podem se confundir, pois enquanto um atira o outro está fazendo uma varredura do espaço aéreo. O que facilita isso são os periscópios que trabalham de maneira independente.Juntamente com o Gepard, o Exército Brasileiro comprou um simulador para treinamento das tripulações.

O conjunto motor-transmissão, suspensão e lagartas é o mesmo para o Gepard 1A2 e Leopard 1A5Br.

(https://farm6.staticflickr.com/5581/18644534639_716f31be18_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3779/18825607122_98a327d617_c.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5608/18804443096_50609aff51_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3731/18208122674_09447027ae_c.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5324/18825612362_4cc9a0d99e_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3697/18833377471_8d0047a97e_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3798/18804450776_0b96c65a63_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3791/18643029520_98d344b0d8_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3896/18825640772_187909a1af_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3789/18830718585_62e9d242f1_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3693/18643032630_cd7d512404_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3953/18208155414_5c19bbf2a8_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3840/14863341978_06f0b875e3_c.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 10, 2015, 11:25:39 pm
AMAN — ACADEMIA MILITAR DAS AGULHAS NEGRAS

(http://www.defesabr.com/Ensino/EB_AMAN_Portao_Monumental.jpg)

A Academia Militar das Agulhas Negras - AMAN, é um estabelecimento da linha de ensino militar bélico de nível superior, do Exército Brasileiro, responsável pela formação dos oficiais da ativa, futuros chefes militares, das Armas de Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações, do Serviço de Intendência e do Quadro de Material Bélico. Com um curso de duração de quatro anos, tem seu currículo estruturado com Matérias de cunho estritamente militar (Ensino Profissional) e matérias de formação universitária comuns às faculdades civis (Ensino Universitário).

Depois desses quatro anos, acontece a entrega do espadim. O Duque de Caxias foi chefe militar e estadista, sendo hoje reverenciado como Patrono do Exército Brasileiro. A espada dele, Marechal Luiz Alves de Lima e Silva, é entregue miniaturizada ao Cadete, em solenidade especial, como símbolo da honra militar, além de representar o fim de uma difícil etapa vencida. A AMAN existe desde 1944 e está localizada às margens da Rodovia Presidente Dutra (Rio-São Paulo), km 306, no município de Resende, Estado do Rio de Janeiro, regiaõ sudeste do Brasil. A Academia foi plantada à sombra do pico das Agulhas Negras, que lhe empresta o nome, e junto ao rio Paraíba do Sul. Ela encontra-se a meio caminho das duas maiores cidades do país, Rio e São Paulo.

As instalações da AMAN já impressionam desde o lado de fora, com seu enorme Portão Monumental e jardins à sua volta. É tudo muito amplo e bonito. Tudo é feito visando a formação do Cadete, jovem estudante militar e futuro oficial, sendo preparado para comandar as forças do Exército Brasileiro no futuro. O investimento feito em cada aluno é muito alto, mas o retorno ao país não tem preço.

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/fotos%20aerea%20145_04_zpsn8ksa5kq.gif) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/academia_militar_das_agulhas_negras_by_bfestevao-d6av146%20-%20Coacutepia_zpsp06kqulm.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/9599925738_c3f47e8780_b%20-%20Coacutepia_zpsluorispm.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/9597134963_66bd6dcb2f_b%20-%20Coacutepia_zps3kduxqpr.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/9599926868_fe98de0717_b%20-%20Coacutepia_zpsrofymstu.jpg) (http://http)

(https://farm4.staticflickr.com/3923/15042057795_71972329c0_c.jpg)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/espadim-blog%20-%20Coacutepia_zps3btuciqn.jpg) (http://http)



(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/espadim2010-ii%20-%20Coacutepia_zpsipsnif8d.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/9599926508_7ee444e280_b%20-%20Coacutepia_zpssigf6ugu.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/15737289280_bbf6915461_b%20-%20Coacutepia_zps53nh5ivb.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/15302358004_0bf5249faa_b%20-%20Coacutepia_zpsavpwiwvk.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/15737138508_5d14a80622_b%20-%20Coacutepia_zpsq4sfbp3j.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/15302356924_68765a940b_b%20-%20Coacutepia_zps2yt1n7rz.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/15737138508_5d14a80622_b_zpsymqprnom.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/15898782306_184cd7caba_b%20-%20Coacutepia_zpsmoswpltn.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/espadim2010-ii_zpsnf5phhaz.jpg) (http://http)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 12, 2015, 05:35:20 pm
Defesa Antiaérea do Exército Brasileiro

O Projeto do Sistema Integrado de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro foca todos os itens integrantes de um sistema de AAe de baixa e média altura (10.000m).
 
A formatação do projeto coube ao  General-de-Exército Sinclair James MAYER (promovido em Março 2011) e atual Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia. Como ex-comandante  1ª Brigada de Artilharia Antiaérea(1ª BDA AAAe), o Gen MAYER tem conhecimento das principais demandas..
 
O desdobramento da 1ª BDA AAAe, indica a enorme deficiência de cobertura de defesa Aérea do Exército Brasileiro. A Brigada está desdobrada em 4 estados (SP, RS, RJ e MG)  e Distrito Federal.
 
É dado como certo que muitas soluções de compromisso serão necessárias para atender aos exíguos prazos. Lembrar que os eventos começam já, em 2012, com a RIO +20 (evento para comemorar os 20 anos da ECO92).

Os Meios

São previstas a aquisição de dois tipos de sistemas de mísseis. Um tipo MANPADS  para curta distância e outro para média altura.
 
1 – MANPADS – Man Portable Air Defense System – O Brasil emprega dois tipos: o russo Igla, em uso pela FAB e Exército  e o europeu MBDA Mistral em uso pelo Corpo de Fuzileiros Navais. Concorre o Sueco SAAB RBS70.

(https://farm6.staticflickr.com/5575/15049651332_c05b021811_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3906/14863277989_a6798e1d63_c.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3804/18825601952_923afcf34a_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3848/18210048333_2e9f9f2039_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3669/18830685415_b208e6389b_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3790/18825611262_60d791436b_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8639/16036853273_bcfce19b5c_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3762/18644544389_368380f94b_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3950/18830706275_2bc84495fb_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3809/18642970498_857e681e0f_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3801/18804464376_062db5a251_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5587/18208140794_ed7f21c9e9_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3887/18804468306_ee2d9069f1_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8646/16656740535_290328acd9_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5530/18642974568_5a71ac1f2a_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3823/18825677042_e8675c46fc_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3813/18208189234_0b573d49eb_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5480/18825678402_6d877a6a8c_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5565/18643033998_e67478f97f_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5499/18210135393_65f640957a_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3834/18644624739_4421f83353_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3700/18643084070_514b618738_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5616/18804516796_818b734d2d_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8615/16469356060_efa4b1146f_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3886/18643083740_8642a04575_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5612/18208209284_879eb64a69_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 14, 2015, 06:28:36 pm
Presidente em Exercício Michel Temer visita o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6705568&t=1436559188204)

No dia 9 de julho, a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (4ª Bda C Mec) recebeu a visita do Presidente em Exercício, Michel Temer, acompanhado do Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, e de comitiva.

O Presidente em Exercício visitou o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), que está sendo implantado em Dourados, desde outubro de 2014, e visa monitorar toda a área de fronteira do País.

Na oportunidade, o General de Brigada Rui Yutaka Matsuda, Comandante da 4ª Bda C Mec, ministrou uma palestra e demonstrou as capacidades do Sistema de Monitoramento de Fronteiras, em andamento na Brigada Guaicurus.

Em seguida, o Senhor Michel Temer pôde acompanhar uma exposição de material e equipamentos que compõem o SISFRON e percorreu estandes de entidades parceiras no desenvolvimento de projetos de Segurança e Capacitação.

Parte da comitiva realizou deslocamento aéreo para a região do Posto Capey, onde verificou os meios do SISFRON no terreno.

A atividade contou com as presenças de autoridades das esferas federal, estadual e municipal, como o Governado do Mato Grosso do Sul, Deputados Federal e Estadual, e o Prefeito Municipal de Dourados.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6705569&t=1436559188353)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6705571&t=1436559188449)

Fonte: http://www.eb.mil.br (http://www.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 14, 2015, 07:04:26 pm
Família de jipes Agrale Marruá

(https://farm4.staticflickr.com/3925/14863284770_8482eda2c4_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3864/14863278600_750781a722_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2906/14054546229_5c32213a37_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5036/14237862221_dbbaeb8cf7_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2935/14238892522_f94f75c9b6_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2922/14237822551_b345f083a2_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2903/14054456278_f6791228ef_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2912/14217855306_4f33fae6ee_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2928/14083945679_fbf2c5534a_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5115/14268485862_4c411ac5be_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2897/14083982767_7a2a7bef4c_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3825/14285970585_162a76040b_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5563/14054482480_d608523541_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5571/14863341440_f8e7d7b421_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8469/8408877764_1319b2d046_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7387/9025021692_fe01302ca7_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3720/9694821326_778bffb08b_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8462/7952402100_fefa7410e5_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6208/6125541958_4f0f456e3a_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2912/14099445387_4c54fc1aa1_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2938/14305815763_7ffa78d08d_b.jpg)

(http://www.7rcmec.eb.mil.br/images/noticias/2013/Out/viaturas_novas/DSC04704.JPG)

(http://www.7rcmec.eb.mil.br/images/noticias/2013/Out/viaturas_novas/DSC04701.JPG)

(https://farm3.staticflickr.com/2606/4135968410_25ebf38da6_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8571/16655741212_d7de899534_b.jpg)

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//DSC_2276.JPG)

(http://www.esa.ensino.eb.br/maxinforma/fotoNoticia/fo_1164.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 16, 2015, 08:39:22 pm
Compra de mísseis russos para a defesa antiáerea fica para 2016

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/07/pantsirs.jpg)

Contrato é estimado em US$ 1,3 bilhão e abrange três conjuntos completos do avançado sistema de artilharia Pantsir S1

As Forças Armadas do Brasil terão, sim, um novo sistema de defesa antiaérea – é o Pantsir S1, russo, em negociação bilateral há três anos. Mas, não agora. A previsão é de que o contrato de aquisição, estimado em US$ 1,3 bilhão, seja assinado até março de 2016. O equipamento não será utilizado na segurança dos Jogos Olímpicos do Rio.

A discussão envolve a reciprocidade comercial por meio das importações de produtos brasileiros pela Rússia. Dilma Roussef e o presidente Vladimir Putin trataram do assunto pela primeira vez em 2012.

Cada uma das forças – Exército, Marinha e Aeronáutica – receberá uma bateria do sistema.

O tema foi abodado com certa descrição, durante a semana, Ufá, no encontro dos dirigentes dos Brics, segurndo revelou ao Estado um diplomata da embaixada brasileira. De acordo com o funcionário, o acerto – definido como sendo cooperação militar -, depende de haver provisão dos recursos orçamentários, o que acontecerá só no ano que vem.

O equipamento combina lançadores de mísseis e canhões de controle eltrônico. É considerado muito moderno. O governo decidiu pela compra de três bateria do Pantsir S1, de médio alcance. Cada conjunto padrào é composto por seis carretas lançadores semi blindadas, e mais os veículos de apoio: carro de comando-controle, radar secundário, remuniciadores e unidade meteorológica.

O radar de detecção localiza os alvos na cadência de 10 deles por minuto em uma área de 36,5 quilômetros. O tempo de reação é estimado em 20 segundos. Cada disparador é carregado com 10 mísseis 57E6. Leva, ainda, dois canhões de 30mm de tiro rápido – com acessórios digitais que permitem localizar e abater aeronaves no limite entre 15km e 20km, voando a até 15 mil metros de altitude.

Preço final. O preço final pode ser reduzido, acreditam especialistas do Ministério da Defesa. A análise das especificações e do contrato vem se arrastando desde fevereiro de 2013. As primeiras entregas serão feitas 18 meses após a assinatura do termo definitivo.

Certos componentes do Pantsir, podem ser substituídos por equivalentes feitos no Brasil. As carretas de tração integral, por exemplo, seriam trocadas pelo modelo 6×6 da Avibrás Aeroespacial, de São José dos Campos, que utiliza os veículos no conjunto Astros-2, lançador de foguetes livres. O radar de campo também pode vir a ser trocado pelo Saber M200, de 200km de raio de ação. Produzido pela BraDar, subsidiária da Embraer Defesa e Segurança, rastreia até 0 objetivos simultaneamente, priorizando a reação pelo grau de ameaça.

Há uma segunda parte na transação, envolvendo aencomenda de duas baterias de outro míssil russo, Igla, na versão S/9K38, a mais recente da arma antiáerea leve disparada do ombro de um só soldado.

Fonte: http://www.planobrazil.com/compra-de-mi ... para-2016/ (http://www.planobrazil.com/compra-de-misseis-russos-para-a-defesa-antiaerea-fica-para-2016/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 16, 2015, 09:26:34 pm
Vida na elite: comandos do EB se aprimoram no uso das armas e na infiltração aeroterrestre

(https://farm4.staticflickr.com/3911/14863162159_86c4a3b68d_b.jpg)

Junho foi um mês dureza para o efetivo do 1º Batalhão de Ações de Comandos (1º BAC), unidade de elite do Exército brasileiro sediada em Goiás, pertencente ao Comando de Forças Especiais da força terrestre.

Na segunda semana – entre os dias 8 e 12 – o de junho, a unidade executou um treinamento de “tiro de armas coletivas”. O adestramento foi realizado no Campo de Instruções de Formosa (GO), e coroou a fase de “Capacitação Técnica e Tática do Efetivo Profissional”, no que se refere a seu armamento orgânico.

Os comandos realizaram exercício de tiro diurno e noturno com a metralhadora MAG 7,62 mm, a metralhadora MINIMO, calibre 5,56 mm, o morteiro de 81 mm, o fuzil Colt M4, também de 5,56 mm, e as armas anticarro AT-4 e o canhão Carl Gustaf de 84 mm.

Dez dias depois, destacamentos de Ações de Comandos, se empenharam na chamada Operação Condor – um treinamento de avaliação das capacidades individual e coletiva dos militares da unidade. Ele também se enquadra na “Capacitação Técnica e Tática do Efetivo Profissional” do 1º BAC, e vem sendo executado há vários anos.

Mês passado, devidamente armadas e equipadas, as frações de tropa percorreram uma distância de 100 km, em marcha orientada, iniciada após infiltração aeroterrestre, por meio de salto semiautomático, na região de Planalmira (GO).

Durante seu itinerário, as equipes executaram oito oficinas: infiltração aeroterrestre e reorganização na zona de lançamento; orientação e topografia em campanha; ações terrestres em contato com o inimigo; comunicações; primeiros socorros e atendimento pré-hospitalar em combate; técnica de navegação e infiltração aquática de superfície; armamento, munição e tiro (armamentos coletivo e individual) e explosivos e demolições.

Além de constituir uma avaliação, o exercício permite o desenvolvimento da liderança nas pequenas frações de operações especiais.

Mergulho –Na força terrestre brasileira, as incursões contra alvos de valor estratégico, são doutrinariamente concebidas, planejadas e executadas pelos comandos do 1º BAC, que é preparado para executá-las em qualquer ambiente operacional: selva, montanha, caatinga e pantanal. Em terra firme e em ambientes aquáticos.

Os militares da unidade cumprem um “Estágio de Mergulho Básico” – onde aprendem técnicas básicas de mergulho e são habilitados a executarem missões de resgate e de buscas de pessoal e material –, e um “Estágio de Mergulhador de Combate”, que os capacita a operações de sabotagem, destruição e reconhecimento com o emprego do equipamento de mergulho de circuito fechado de oxigênio.

O Curso de Ações de Comandos tem a duração de 12 semanas, e é considerado um dos cursos operacionais mais exigentes das Forças Armadas. O currículo do curso inclui organização e emprego dos comandos; armamento, munição e tiro; topografia; comunicações; explosivos e destruições; combate em áreas edificadas; natação utilitária; combate corporal e especialização em ações nos ambientes operacionais de selva, caatinga, montanha e pantanal.

Haiti – Originário do Destacamento de Ações de Comandos, criado em 1968, que por vários anos ficou subordinado à Companhia de Forças Especiais da Brigada de Infantaria Para-quedista, o 1º BAC conta, hoje, com três Companhias de Ações de Comandos – cada uma enquadrando três destacamentos de ações de comandos (DAC), comandados por tenentes. Além dessas três companhias a unidade engloba um destacamento de Reconhecimento e Caçadores e uma companhia de comando e apoio.

O efetivo do 1º BAC é uma informação classificada, mas sabe-se que não é inferior a 300 militares. Sua organização flexível lhe permite cumprir missões de reconhecimento especial e de contraterrorismo.

Nos últimos 40 anos, os comandos do Exército atuaram na guerrilha do Araguaia, em uma incursão punitiva contra guerrilheiros das Forças Armadas da Colômbia em território colombiano – região do rio Traíra –, e em áreas de alto risco da capital do Haiti que se encontravam sob o controle de grupos paramilitares.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/07/comanhaiti.jpg)

Fonte: http://www.planobrazil.com/vida-na-elit ... terrestre/ (http://www.planobrazil.com/vida-na-elite-comandos-do-eb-se-aprimoram-no-uso-das-armas-e-na-infiltracao-aeroterrestre/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 17, 2015, 06:17:24 pm
Visita de Comitiva Alemã ao Comandante do Exército

No dia 15 de julho, no Quartel-General do Exército, em Brasília, uma comitiva alemã esteve em visita ao Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas.

Integravam a comitiva o Vice-Ministro do Ministério Federal de Economia e Tecnologia e Coordenador de Assuntos Marítimos do Governo Federal Alemão, Sr Uwë Beckmeyer, e cerca de quinze empresários da área de Tcnologia de Segurança e Defesa. A visita foi motivada pelo interesse na troca de experiências e de pontos de vista dos Projetos Estratégicos do Exército, bem como na possibilidade de cooperação entre Brasil e Alemanha na área de Tecnologia e Defesa.

São sete os Projetos Estratégicos do Exército: Sistema de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), Proteger, Guarani, Astros 2020, Obtenção da Capacidade Operacional Plena (OCOP), Defesa Antiaérea e Defesa Cibernética.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6746831&t=1437144047815)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6746833&t=1437144047952)

Fonte: http://www.eb.mil.br/ (http://www.eb.mil.br/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 17, 2015, 06:30:37 pm
A Experimentação Doutrinária da Infantaria Mecanizada

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/07/26611_resize_800_600_false_true_null.jpg)

A 15ª Brigada de Infantaria Motorizada é a Grande Unidade precursora do Projeto Estratégico Guarani. Em consequência, o então 33º Batalhão de Infantaria Motorizado foi designado para ser a Organização Militar responsável pela execução de todas as atividades inerentes à experimentação doutrinária.

O 33º Batalhão de Infantaria Mecanizado realizou instruções de navegabilidade e flutuabilidade da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Média de Rodas – Guarani como parte da qualificação de Comandantes de Carro e Motoristas da referida viatura. A atividade ocorreu na represa do Rio Iguaçu, em Boa Vista da Aparecida (PR), com o acompanhamento de um efetivo de engenheiros da Iveco.

Dentre os Projetos Estratégicos do Exército (PEE), o Projeto Guarani busca desenvolver a Nova Família de Blindados de Rodas (NFBR), destinada a equipar as futuras Unidades de Infantaria Mecanizada, bem como substituir os blindados utilizados atualmente pelas Unidades de Cavalaria Mecanizada.

No ano de 2010, o Estado-Maior do Exército (EME) escolheu a então 15ª Brigada de Infantaria Motorizada (15ª Bda Inf Mtz) para ser a precursora desse importante processo de transformação. Sediada na cidade de Cascavel (PR), essa Grande Unidade (GU) possui uma ampla subárea de proteção integrada sob seu encargo, que abrange a tríplice fronteira com o Paraguai e a Argentina.

A subárea engloba, ainda, várias estruturas estratégicas terrestres, com destaque para a Usina Binacional de Itaipu, considerada a maior hidrelétrica do mundo em geração de energia.


Experimentação do Pelotão de Fuzileiros Mecanizados

Ainda em 2010, o EME aprovou as diretrizes para a implantação, em caráter experimental, da Base Doutrinária da Brigada de Infantaria Mecanizada e do Batalhão de Infantaria Mecanizado. Em consequência, o então 33º Batalhão de Infantaria Motorizado (33º Btl Inf Mtz), sediado em Cascavel (PR), foi designado para ser a organização militar (OM) responsável pela execução de todas as atividades inerentes à experimentação doutrinária, iniciadas com o Pelotão de Fuzileiros Mecanizado (Pel Fuz Mec), a partir de 2012.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/07/26612_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Durante as atividades desenvolvidas, o 33º Btl Inf Mec utilizou cinco Viaturas Blindadas de Transporte de Pessoal (VBTP) Urutu, repotencializadas pelo Arsenal de Guerra de São Paulo. Cabe destacar a importância desse material de emprego militar (MEM) para o projeto da Infantaria Mecanizada, pois foi largamente empregado durante toda a experimentação doutrinária, sendo que, naquela oportunidade, foi constituído o primeiro Pel Fuz Mec do EB.

No contexto da experimentação doutrinária, merecem destaque: estágio de formação de motoristas de VBTP Urutu, qualificação do Pel Fuz Mec, exercício de Marcha para o Combate e Ataque Coordenado do Pel Fuz Mec, defesa móvel do Pel Fuz Mec e exercício de emprego do Pel Fuz Mec em Operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

A execução dessas atividades permitiu que fossem respondidos os Elementos Essenciais de Informações Doutrinárias (EEID), estabelecidos pelo EME, bem como proporcionou a apresentação de uma proposta de experimentação doutrinária da Companhia de Fuzileiros Mecanizada (Cia Fuz Mec), que seria iniciada no ano seguinte. Além disso, foram levantados dados e informações relevantes para a elaboração das propostas iniciais do Quadro de Cargos do Pelotão de Fuzileiros Mecanizado e do Programa Padrão de Qualificação do Cabo e do Soldado Fuzileiro Mecanizado.


Experimentação da Companhia de Fuzileiros Mecanizados

No ano 2013, foi dado prosseguimento à experimentação doutrinária, com foco na Cia Fuz Mec. Cabe ressaltar que essas atividades coincidiram com o início das obras de adequação ao Projeto da Infantaria Mecanizada na área do aquartelamento do 33º Batalhão de Infantaria Motorizado. Em 24 de maio de 2013, foi realizada, no âmbito da 15ª Brigada de Infantaria Motorizada, uma formatura que marcou a transformação daquela GU em Infantaria Mecanizada.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/07/26613_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Com base na Diretriz Complementar de Experimentação Doutrinária foram estabelecidos novos EEID e o 33º Batalhão de Infantaria Motorizado planejou e executou diversas tarefas, com destaque para as seguintes:

- Qualificação da Cia Fuz Mec, estágio de formação de motoristas de VBTP Urutu;
- Experimentação doutrinária em ambiente virtual no Centro de Instrução de Blindados (CIBld);
- Exercício de ataque coordenado da Cia Fuz Mec;
- Cursos de capacitação e de navegação da VBTP-MR Guarani no Centro de Avaliações do Exército (CAEx) e no Centro de Instrução de Blindados;
- Exercício de Ataque à Localidade da Cia Fuz Mec;
- Operação Laçador na Usina Hidrelétrica de Salto Caxias;
- Demonstração de Ataque Coordenado da Cia Fuz Mec para 400 oficiais-alunos e instrutores da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), e,
- Participação da Cia Fuz Mec no Exercício do Período de Adestramento Avançado da 5ª Região Militar/5ª Divisão de Exército.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/07/26614_resize_800_600_false_true_null.jpg)


Exercício Tático em Ambiente Virtual realizado pelos Comandantes de Fração de uma Companhia de Fuzileiros Mecanizados

Assim, encerrou-se o ano de instrução no que se refere à experimentação doutrinária e, fruto desse sucesso, foi elaborada a proposta do anteprojeto da Cia Fuz Mec e, em reunião com integrantes do Comando Militar do Sul, da 15ª Bda Inf Mec e do 33º Btl Inf Mec, foi consolidada a proposta do Quadro de Cargos do Batalhão.

O Futuro da Infantaria Mecanizada

Pela sua localização estratégica, a 15ª Bda Inf Mec também está inserida em outros três importantes PEE: o Projeto Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), o Projeto Proteger e o Projeto da Obtenção da Capacidade Operacional Plena da Força Terrestre (OCOP). Por esse motivo, a Brigada tem sido contemplada com novos MEM e recebido consideráveis recursos do escalão superior.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/07/26615_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Tudo isso serve de estímulo aos seus integrantes, que são os principais responsáveis por operacionalizar todo esse imenso processo de transformação. da Cia Fuz Mec, estágio de formação de motoristas de VBTP Urutu, experimentação doutrinária em ambiente virtual no Centro de Instrução de Blindados, exercício de ataque coordenado da Cia Fuz Mec, cursos de capacitação e de navegação da VBTP-MR Guarani no Centro de Avaliações do Exército e no Centro de Instrução de Blindados, exercício de Ataque à Localidade da Cia Fuz Mec, Operação Laçador na Usina Hidrelétrica de Salto Caxias, demonstração de Ataque Coordenado da Cia Fuz Mec para 400 oficiais-alunos e instrutores da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, e participação da Cia Fuz Mec no Exercício do Período de Adestramento Avançado da 5ª Região Militar/5ª Divisão de Exército, reunião com integrantes do Comando Militar do Sul, da 15ª Bda Inf Mec e do 33º Btl Inf Mec, foi consolidada a proposta do Quadro de Cargos do Batalhão.

Em 2014, a Brigada prosseguiu com as atividades de experimentação doutrinária, dessa vez com foco no nível batalhão. No mês de março de 2014, o 33º Btl Inf Mtz recebeu o primeiro Lote de Experimentação Doutrinária (LED) da VBTP-MR Guarani.

Para marcar esse fato histórico, foi realizada uma grande formatura na Guarnição de Cascavel, que contou com a presença do Ministro de Estado da Defesa e do Comandante do Exército, dentre outras autoridades civis e militares. Ainda nesse mesmo ano, concluiu-se a 1ª fase das obras da Infantaria Mecanizada no 33º Batalhão.

Fonte: http://www.defesanet.com.br/doutrina/no ... ecanizada/ (http://www.defesanet.com.br/doutrina/noticia/19732/A-Experimentacao-Doutrinaria-da--Infantaria-Mecanizada/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 18, 2015, 08:04:54 pm
1° Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear

(http://1.bp.blogspot.com/-f4uUWLKRRoo/UXMDOvvapmI/AAAAAAAAGRU/0bs9cwowq9Q/s1600/nossodistintivo2013.gif)

Em 31 de dezembro de 1987, a Companhia Escola de Guerra Química foi extinta e foi criada a Companhia de Defesa Química, Biológica e Nuclear, que manteve sua sede na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Sua subordinação, entretanto, passou à Diretoria de Especialização e Extensão. No período de setembro a dezembro de 1987, a Organização Militar deslocou-se para a cidade de Goiânia (GO) para atuar no acidente ocorrido com o radioisótopo Césio 137. A origem da Companhia de Defesa Química, Biológica e Nuclear (Cia DQBN) remonta ao ano de 1953, oportunidade em que foi criada a Companhia Escola de Guerra Química, aquartelada nas dependências da Escola de Instrução Especializada (EsIE). Inicialmente, a Companhia ficou subordinada ao Grupamento de Unidades-Escola (GUEs).

Nos anos de 2001 e 2006, a Companhia realizou a descontaminação biológica do material das tropas que cumpriram missão de paz no Timor Leste e no Haiti, respectivamente.

(https://farm4.staticflickr.com/3899/15049531732_09f0290099_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8816/18203269412_015035f973_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7737/18206914145_87eaff93ba_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8861/18208104931_f71f216461_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8781/18203270062_0743b1716b_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7766/18208108541_607c759834_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7738/18180432116_17c7c62ba2_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8654/16469353430_356001cd9d_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8612/16036849533_d2f34ea3d4_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7742/17584301384_01c4bc386f_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7732/17584301594_e86758ba27_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7792/17584301874_f4e87fd671_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8673/16630819306_c714f54c57_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 20, 2015, 03:25:00 pm
Avibras e Iveco finalistas do VBMT-LR

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/11/Avibras-Tupi1.jpg)

A DIRETORIA DE FABRICAÇÃO (DF), Órgão do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro torna pública a realização de Chamada para negociação e orientação para apresentação da Proposta Técnico-Comercial Final referente ao processo de Obtenção por Nacionalização da Viatura Blindada Multitarefa – Leve de Rodas (VBMT-LR).

As empresas AVIBRÁS Divisão Aérea e Naval S.A. e IVECO LATIN AMERICA LTDA deverão comparecer na Diretoria de Fabricação, situada na Praça Duque de Caxias, nº 25 – 7º andar, Centro, Rio de Janeiro (RJ), no dia 04 de agosto de 2015, em horário de expediente (das 08:00h às 16:00h), com pessoal legalmente constituído e tecnicamente habilitado, para recebimento de instruções necessárias à apresentação das respectivas Propostas Técnico-Comerciais Finais e retirada da minuta do contrato.

As citadas empresas deverão entregar as Propostas Técnico-Comerciais Finais, em envelope lacrado, às 14h do dia 18 de agosto de 2015 na Diretoria de Fabricação.
Gen BDAMAURO GUEDES FERREIRA MOSQUEIRA GOMES

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2013/02/IVECO-LMV-LAAD-2011.jpg)

Fonte: http://www.forte.jor.br/2015/07/20/avib ... o-vbmt-lr/ (http://www.forte.jor.br/2015/07/20/avibras-e-iveco-finalistas-do-vbmt-lr/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 22, 2015, 02:28:48 pm
Em visita ao Haiti, ministro da Defesa elogia atuação brasileira no país caribenho

(http://www.defesa.gov.br/arquivos/2015/mes07/mhaiti_inter2.jpg)

Ao visitar hoje (21), pela primeira vez, as tropas brasileiras no Haiti, o ministro da Defesa, Jaques Wagner, destacou que os 11 anos de participação brasileira na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) contribuíram para "ajudar a reconstrução nacional do país, que vai além da estabilização política e militar". Para ele, a participação das tropas brasileiras na Missão não se restringiu apenas ao aspecto militar e da segurança pública, mas "deu maturidade para avaliar os riscos do presente e do futuro, para cada vez mais valorizar a democracia e a convivência pacífica entre os povos".

O Brasil tem o comando dos 15 países que estão no Haiti na Missão. As forças de paz contam com 850 militares brasileiros das três Forças Armadas e é o maior contingente empregado em atividades desta natureza. Ao todo, contando o Batalhão de Engenharia, hospital e apoio são 2.370 homens, incluindo os 850 da tropa.

O tema dos encontros da visita do ministro foi a retirada gradual das tropas - que já vem ocorrendo desde 2012, acompanhando a evolução da situação interna do país e de acordo com resolução da Organização das Nações Unidas (ONU). Jaques Wagner percorreu as áreas de operações da Missão e os projetos setoriais de impacto social, junto dos comandantes da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira; do Exército, general Eduardo Dias Villas Bôas; e da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato.

"Desenvolvemos um amplo programa de cooperação bilateral e triangular para ajudar a criar condições efetivas de recuperação social, econômica e da infraestrutura do país", afirmou o ministro diante das tropas.

Entre os projetos realizados, Wagner apontou os de reconstrução de estradas, desenvolvimento agrícola, distribuição de merenda escolar, combate à violência contra mulheres, treinamento de bombeiros e policiais, programa de imunização, educação de crianças e jovens.

(http://www.defesa.gov.br/arquivos/2015/mes07/mhaiti_inter1.jpg)

O ministro assistiu a apresentação do comandante da Força Militar da Missão (Force Commander), general José Luiz Jaborandy. O general informou que já existe um consenso básico que sugere a renovação do mandato da Minustah por mais um ano, até a eleição do novo presidente do Haiti. Em seguida, Wagner se reuniu com o ministro da Defesa do Haiti, Lerner Renauld, e almoçou com as tropas no refeitório do Brabat.

Depois, fez homenagens aos Peacekeepers, os Capacetes Azuis, como são chamados os que servem no Haiti, e aqueles que morreram no cumprimento da missão. "Vocês são motivo de orgulho para as Forças Armadas, para o Ministério da Defesa e para o Brasil", elogiou o ministro. Hoje, o país participa de dez das 17 missões de paz da ONU.

Jaques Wagner depositou coroa de flores em memória dos militares mortos em serviço e também das vítimas do terremoto de 2010. Em 12 de janeiro daquele ano, o terremoto deixou 250 mil feridos, 1,5 mil desabrigados, 200 mil mortos (sendo 21 brasileiros, entre eles 18 militares da Minustah). Ao final, ele teve encontro com a representante da ONU no Haiti e chefe da Minustah, Sandra Honnoré.

Fonte:  http://www.defesa.gov.br/noticias/16323 ... -caribenho (http://www.defesa.gov.br/noticias/16323-em-visita-ao-haiti-ministro-elogia-atuacao-brasileira-no-pais-caribenho)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 22, 2015, 02:49:47 pm
(https://farm9.staticflickr.com/8601/16656762955_20a0bab26b_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8600/16655366071_620d27975c_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8648/16034450864_953ce96951_o.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8630/16656762815_70789fbb3e_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8610/16449470107_b67438d112_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8626/16469366210_d936eebd1f_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8570/16036862443_a7e6515b66_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8644/16469345050_b8f9b6fa62_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3898/14872121809_d496a2df0b_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3920/14872137079_e36549d58d_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3910/15035986486_673f2ac8df_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5585/14872404460_7ef2677b18_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3838/14872243727_85aa93d493_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5565/14872395900_444d82d16d_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3920/15058681502_9ec36cdba7_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3887/15035706006_499d617a19_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3885/14872125847_7ccbce2b9a_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3853/14871976390_65a0f6e4c7_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5592/14872083517_4231cc3507_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5592/14872021637_14f1b473b9_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5596/15055506091_2b18ae3f84_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3896/14871884900_f72c353d3b_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5557/15035534176_ae8f8805c6_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3885/15058154482_4ab365e76b_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3870/15058143362_ca0b43e07e_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3867/15035459846_91b18f55c8_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5589/15058036172_5fe1f13db2_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3899/14871875958_9ab5dac7cf_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3858/14871713500_637493d0be_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5587/15035577056_8d297975b6_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3885/15057670672_4e79634bf1_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3926/15057999902_ed1c8fffb2_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3912/15035330066_70eecc1c5d_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3884/15058083242_ea60e5e915_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3907/14871777980_207d219226_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3862/15058191202_dfe49d9469_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 23, 2015, 12:48:17 pm
Aeromóvel

(https://farm6.staticflickr.com/5332/17859087465_9030048c72_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5326/17672824659_374a3f1195_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8837/17671554750_ab5bf157cc_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8856/17832748006_5e4a14289a_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5554/14863213989_51923d7b1b_o.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7755/17586315303_5fda25ec74_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7731/18206921515_d9a0028407_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8576/16469204368_c23b0a96aa_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8570/16656781105_ac87b4d56e_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8595/16449468527_70102ce774_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8864/18208116601_392eb623bb_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7738/17586318493_0cd3fdcd6f_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 24, 2015, 03:57:01 am
Selva!

(https://farm4.staticflickr.com/3924/15038186092_7249bbfd59_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3884/14863307168_3ae3de20da_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3088/2833040158_e43464d5a1_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3284/2832206181_3ba3d9db7e_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3908/15049930105_b77e85299f_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7378/16475296022_0f83109d2d_o.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Julho 24, 2015, 02:32:13 pm
http://www.forte.jor.br/2015/07/23/misseis-mss-1-2-ac-sao-lancados-com-sucesso-durante-preparacao-para-a-avaliacao-do-lote-piloto/
Citar
LOTE-PILOTO FORNECIDO PELA ODEBRECHT DEFESA E TECNOLOGIA/MECTRON AO EXÉRCITO ESTÁ SENDO AVALIADO AO LONGO DE 2015

Dois bem sucedidos lançamentos, realizados em 05 de maio e 01 de julho de 2015, no Centro de Avaliações do Exército – CAEx, em Guaratiba/RJ, deram continuidade à preparação para o processo de avaliação do lote-piloto do Sistema de Armas Míssil Superfície-Superfície Anticarro MSS 1.2 AC entregue em 2013 e 2014 ao Exército Brasileiro pela Mectron, empresa controlada pela Odebrecht Defesa e Tecnologia.

Equipes técnicas do CTEx – Centro Tecnológico do Exército e da Mectron realizaram os lançamentos e obtiveram dados para, dentre outros aspectos técnicos/operacionais, avaliação dos novos giroscópios desenvolvidos e fabricados em 2015 para atualização dos mísseis.

Ambos lançamentos foram realizados contra alvos fixos posicionados a uma distância de 1.500 metros. Os disparos foram “remotos”, ou seja, sem a presença de um atirador, na medida em que um dos aspectos técnicos que estava em avaliação era a rigidez mecânica do sistema e a confiabilidade dos novos giroscópios.

O sucesso alcançado nestes lançamentos ratifica o trabalho do CTEx e da Mectron na preparação para a primeira fase da avaliação do lote piloto, a ser realizada até o final do ano, incluindo lançamentos de vários mísseis contra alvos em diferentes condições de condicionamento e emprego.

O MSS 1.2 AC é um sistema de armas para lançamento de míssil superfície-superfície, anticarro, de médio alcance, guiado a laser, para uso por tropas em solo ou embarcado em viaturas. É composto pela munição (míssil e tubo lançador) acoplada a uma unidade de tiro para mira e disparo, resultando em um sistema leve, de fácil transporte e rápida entrada/saída de posição. Sua guiagem do tipo “beam-rider” é altamente imune a contramedidas e seu sistema de propulsão, que não deixa rastro de fumaça, proporciona segurança ao atirador evitando que sua posição de tiro seja identificada.

Além de munições e unidades de tiro, também foram entregues ao Exército equipamentos de teste e simuladores para treinamento de atiradores.

DIVULGAÇÃO: CDN Comunicação
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/12/Atirador-MSS-1_2-1280x931.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 27, 2015, 03:45:18 pm
Centro Conjunto de Operações da Paz do Brasil

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6767147&t=1437580907216)

No dia 16 de julho, o Comandante de Militar do Leste, General Fernando Azevedo e Silva, visitou o Centro Conjunto de Operações da Paz do Brasil (CCOPAB), com o objetivo de conhecer o trabalho desenvolvido pelo Centro. Acompanhando a visita, também estiveram presentes: o Comandante da 1ª Divisão de Exército, General Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereria; o Comandante da Brigada Paraquedista, General William Georges Felippe Abrahão; e o Comandante da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada Escola, General Jorge Antônio Smicelato. Os Generais assistiram a uma uma palestra institucional que abordou um histórico da criação do CCOPAB, sua missão, subordinação, organização, a metodologia de ensino, o processo de avaliação e a certificação no Exercício Avançado de Operações de Paz, o estágio atual de consolidação da Doutrina de Operações de Paz, a importância das parcerias com as Universidades e Institutos de pesquisa, e a ação das Equipes Móveis de Treinamento. Ato contínuo, a comitiva visitou as instalações do Centro.

Fonte: http://www.eb.mil.br (http://www.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 27, 2015, 03:48:49 pm
BAE Systems vai atualizar 236 blindados M113 do Exército Brasileiro por US$ 54,6 milhões

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/12/M113A2-Mk1-M113BR.jpg)

O Departamento de Defesa dos EUA informou que a BAE Systems foi premiada com um contrato de US$ 54,665 milhões de preço fixo pelo Foreign Military Sales, para atualizar 236 veículos blindados M113  para o Brasil.

O trabalho será realizado em Minneapolis e Hopkins, Minnesota; Santa Clara, Califórnia; e Emporia, Kansas, com data de conclusão estimada em 31 de dezembro de 2018.

Fonte: http://www.forte.jor.br/2015/07/25/bae- ... 6-milhoes/ (http://www.forte.jor.br/2015/07/25/bae-systems-vai-atualizar-236-blindados-m113-do-exercito-brasileiro-por-us-546-milhoes/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Julho 28, 2015, 09:43:45 am
http://www.forte.jor.br/2015/07/24/mpfdf-pede-anulacao-de-contratos-do-exercito-para-compra-de-capacetes-balisticos/
Citar
ESTUDOS TÉCNICOS REVELARAM QUE EQUIPAMENTOS QUE CUSTARAM R$ 44 MILHÕES NÃO GARANTEM SEGURANÇA AOS MILITARES

Os Ministérios Públicos Federal (MPF) e Militar (MPM) pediram na Justiça a anulação de seis contratos firmados entre o Comando Logístico do Exército e a empresa Glágio do Brasil LTDA para o fornecimento de 44 mil capacetes balísticos à instituição. A solicitação consta de ação civil pública em tramitação da 16ª Vara Federal, que já analisa uma outra medida referente ao assunto. Indícios de irregularidades na contratação da empresa justificam os pedidos do MPF. Um relatório técnico aprovado por integrantes do Exército, durante a fase de licitação, atestou que os produtos não ofereciam segurança aos militares. Mesmo assim, os capacetes foram considerados aptos e, em seguida, adquiridos pela instituição. Juntos, os contratos representam um custo de R$ 44,2 milhões aos cofres públicos.

Assinam a ação o procurador da República Douglas Kirchner, além de três integrantes do MPM, onde as aquisições do Exército já são alvo de investigação. No documento, os autores detalham o processo que levou à compra dos capacetes. A aquisição ocorreu por meio de pregão eletrônico realizado no início de 2014. Como condição para que a empresa disputasse a licitação, o edital previa que os produtos fossem aprovados em avaliação técnica de blindagem. Para os investigadores, a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército Brasileiro não poderia ter atestado a idoneidade da Glágio do Brasil LTDA para fornecer capacetes balísticos no nível IIIA.

O principal argumento é que a aprovação da empresa pela diretoria contraria o Relatório Técnico Experimental (Retex 2578/10) aprovado por dois Tenentes Coronéis do Exército. O documento afirma que, embora não tenham sido perfurados, os equipamentos apresentaram “grande deformação”, inclusive na placa testemunho, que simula o centro do cérebro de agente humano. “De maneira contraditória e sem atender o mínimo de segurança a seus usuários, o equipamento de proteção militar fornecido pela empresa foi aprovado pelo Exército Brasileiro”, reiteram os autores, em um dos trechos da ação judicial.

Outro aspecto mencionado pelos procuradores refere-se a problemas envolvendo o processo de avaliação adotado pela União para autorizar a fabricação e comercialização desse tipo de equipamento no mercado nacional. Embora tenha afirmado que seguem o padrão norte-americano, o Exército e a Glágio do Brasil “não cumpriram minimamente os padrões de testes exigidos pelas normas do Departamento de Justiça dos EUA”, conforme frisam os investigadores.

Outra irregularidade apontada na ação refere-se ao teste balístico de atenuação de impacto. Previsto em norma adotada pelo Exército, o procedimento, que serve para avaliar a capacidade de absorção do impacto causado pelo projétil na coluna cervical do usuário do capacete, não é realizado pelo Centro de Avaliação do Exército.

Com base nos indícios de que os capacetes fornecidos pela empresa Glágio do Brasil não oferecem segurança aos militares, os procuradores sustentam que – ao firmar os contratos – a União feriu os princípios constitucionais da economicidade e da eficiência. Os procuradores sustentam, ainda, que a decisão do Exército de comprar equipamentos que não atendem às exigências de segurança, expõe os militares a riscos diários e pode causar prejuízos milionários ao Estado.

Na ação, os procuradores pedem que a medida liminar que suspendeu os pagamentos referentes a dois empenhos (já determinada pela Justiça Federal) seja estendida a todos os contratos firmados entre o Exército e a empresa desde o ano 2010, e que os mesmos sejam anulados por determinação judicial. Os autores da ação solicitam, ainda, que o Exército seja obrigado a fazer a troca dos capacetes balísticos GB 55 nível III e que a empresa Glágio do Brasil seja condenada a ressarcir à União dos valores gastos na aquisição dos equipamentos.
Ação civil pública 40734-85.2015.4.01.3400.

FONTE: Justiça em Foco
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/07/capacete-ACH-200-580x388.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 28, 2015, 10:39:15 am
Capacetes e coletes balísticos que não cumprem a sua função é o pão nosso de cada dia no Brasil. Ainda recentemente morreu um policia porque o seu colete balístico foi perfurado por um projétil que no papel nunca teria essa capacidade. :evil:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 28, 2015, 02:48:54 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Capacetes e coletes balísticos que não cumprem a sua função é o pão nosso de cada dia no Brasil. Ainda recentemente morreu um policia porque o seu colete balístico foi perfurado por um projétil que no papel nunca teria essa capacidade. :roll:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 31, 2015, 04:15:39 am
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Julho 31, 2015, 10:07:30 pm
Lote final de Gepard está a caminho do Brasil

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/07/Imagem-2-Gepard-EB-Ultimo-lote.jpg)

Os últimos oito sistemas de canhões autopropulsados para combate antiaéreo SPAAGs (conforme sigla em inglês) KMW Gepard 1A2, do lote de 34 unidades adquirido para o Exército Brasileiro, devem chegar ao Rio de Janeiro em 20 dias. Essas unidades deverão embarcar para o Brasil na próxima semana.

Fabricados pela alemã Krauss-Maffei Wegmann (KMW), esses sistemas foram comprados dos estoques das Forças Armadas da Alemanha para o Exército Brasileiro em maio de 2013 por US$ 41 milhões.

Após o desembarque, o último dos seis lotes entregues será submetido a um processo de recepção especial antes de juntar-se à frota existente na 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada, sediada em Ponta Grossa (PR).

Fonte:  http://tecnodefesa.com.br/lote-final-de ... do-brasil/ (http://tecnodefesa.com.br/lote-final-de-gepards-esta-a-caminho-do-brasil/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 04, 2015, 06:10:49 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 05, 2015, 01:40:10 pm
Comando Militar do Planalto conduz solenidade de substituição da Bandeira Nacional e realiza exposição temática

No dia 2 de agosto, o Exército Brasileiro conduziu a solenidade de substituição da Bandeira Nacional, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, sob a coordenação do Comando Militar do Planalto (CMP). A cerimônia ocorre no primeiro domingo de cada mês, a fim de manter acesa a chama do civismo e de incentivar o culto aos símbolos nacionais.

O público presente prestigiou uma exposição com o tema “Exército Brasileiro – Raízes, Valores e Tradições na área do Comando Militar do Planalto”, mostrando materiais de emprego militar, uniformes e armamentos tradicionais, e contando a história do Exército na área do Planalto Central.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6829990&t=1438718922784)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6829991&t=1438718922999)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6829992&t=1438718923251)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6829993&t=1438718923397)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6829994&t=1438718923536)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6829998&t=1438718924106)

Fonte www.eb.mil.br (http://www.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 11, 2015, 01:43:39 pm
Militares chineses querem aprender a lutar na selva com o CIGS

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/08/Brazilian_FN_FALs.jpg)

Militares chineses solicitaram assistência do Exército Brasileiro no desenvolvimento das suas próprias capacidades de treinamento de guerra na selva, noticiou o site Defense News.

Conversando com repórteres em julho, o coronel Alcimar Marques de Araújo Martins, comandante do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) informou que a China tinha se organizado recentemente para enviar um grupo de oficiais e sargentos para serem treinados no CIGS, mas eles cancelaram sua participação em favor de uma abordagem alternativa.

“Eles já nos pediram para fornecer um número de instrutores e nossa experiência de guerra na selva para auxiliá-los no desenvolvimento de seu próprio programa na China”, disse ele. Não houve qualquer indicação quanto ao imediatismo de tal cooperação ou o número de instrutores a serem enviados.

Fonte:  http://www.forte.jor.br/2015/08/10/mili ... om-o-cigs/ (http://www.forte.jor.br/2015/08/10/militares-chineses-querem-aprender-a-lutar-na-selva-com-o-cigs/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 14, 2015, 04:25:33 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 14, 2015, 04:48:29 pm
Brigada de Infantaria Pára-quedista

(https://farm8.staticflickr.com/7674/17112220612_1f28099faf_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7718/17113811515_3e563cac4a_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8810/16926011648_5a3a1f7a5e_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8721/17112623652_39e7d251cc_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7669/16926242498_d6ef9165d8_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7637/17113374971_eddfb2c579_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8714/16493877823_9c1cbac1a4_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8763/16906626867_1b8993dfd9_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8713/16493862323_31f673e60a_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8692/17113997145_f13edcbc89_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7692/17113985045_3fba0ebd2e_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7671/17088023946_2f904cb093_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7677/16493823723_b44fc79b40_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8761/16493817293_842d4f6dda_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8798/16926370880_9e2eb0d1a9_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7698/16926132218_754d9bfb05_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8729/16926357750_9132fb48d6_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8746/16906524077_8297e37934_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8733/17087929326_598ed92395_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8820/16926081098_8f314b50fe_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7719/16906480117_ffc074f6c4_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7692/16906459217_966e95e9da_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8709/16926281670_631cc1fa13_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7703/16926275630_e1b04ae23f_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8784/16906468417_247d5f9c69_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8798/17113639051_a44dc23330_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7622/16491850094_00ef7286fb_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8718/17113602831_5932999ddd_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7608/16928004679_a909fe545d_b.jpg)

Créditos: Roberto Caiafa
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 14, 2015, 04:55:38 pm

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 15, 2015, 12:13:20 am
Brigada Paraquedista saltando sobre massa d’água na Amazônia

(https://farm6.staticflickr.com/5552/13956110736_cbc3f24987_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7192/13979203595_ef53b11c9b_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7424/13979554594_87b1753047_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7243/13979412424_94d845c42b_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2901/13979116065_127909282c_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7133/13975881312_c1d98e94e4_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2905/13979074655_38dd1110c1_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2909/13975842032_d6e665b987_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2903/13999022503_f68fe6270a_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5460/13955902236_ec7324193b_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2915/13975864942_7d0708b35f_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7419/13956072406_2ea4cd5c5f_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7363/13975765461_0e8d02c819_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7414/13956137996_3b0129604f_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5534/13976021082_723d7b0dbc_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7363/13975765461_0e8d02c819_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7403/13998933693_e0f892839c_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2912/13998913753_de5ddb0e3c_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7387/13998908253_39f2e194f9_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7527/16342565741_f5d3ab0e80_b.jpg)

Créditos: Roberto Caiafa
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 16, 2015, 04:17:32 am
(https://farm9.staticflickr.com/8635/16655387981_b5ae84c104_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8569/16469207268_7383626b4a_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8674/16449492947_73c43eae2e_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8620/16034472854_841ef9aa66_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8608/16449490647_a43efa3dfa_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8610/16470616959_de31bf7c68_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8676/16469385910_5348aca187_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8674/16469203458_c47669a805_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8601/16655383611_d8f2155fa8_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8617/16469382710_c8254cd06f_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5552/15026935136_9ff393cc09_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5558/15049552632_6067eda496_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7659/16691574154_a8d190a42e_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 16, 2015, 04:00:24 pm
(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25739/i15813142735557541)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/08/Imagem-2-Paraq.Ex%C3%A9rcito.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/08/Imagem-3-Paraq.Ex%C3%A9rcito.jpg)

(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25739/i1581314281817397610)

(http://www.fab.mil.br/sis/enoticias/imagens/pub/25739/i158131428348888912)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 17, 2015, 03:21:43 pm
Forças Especiais / Comandos

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=3770535&t=1382383478087)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=3770534&t=1382383478069)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13774_resize_620_380_true_false_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13771_resize_620_380_true_false_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13773_resize_620_380_true_false_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13775_resize_620_380_true_false_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13772_resize_620_380_true_false_null.jpg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/fuzil-m16-com-lancador-de-granada/@@images/755bf9d5-9c76-48f0-8e6a-fa1dc2947230.jpeg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/militar-cacador-sniper-do-exercito-brasileiro/@@images/85293d88-283e-49c9-9b05-7e3e307d8fed.jpeg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/fuzil-de-assalto-556-ia2/@@images/749880df-3a80-449d-b0e7-17d47cf7a68c.jpeg)

(https://farm9.staticflickr.com/8320/7945391348_3b0d2315e5_b.jpg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/militar-de-tropa-especial-com-oculos-de-visao-noturna/@@images/4005e4a5-6fd5-4ee9-8bfd-3414816ec43d.jpeg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 20, 2015, 12:58:54 pm
4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha realiza Simpósio de Doutrina e Brevetação de combatentes de montanha

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6929730&t=1440017671896)

A 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha (4ª Bda Inf L Mth), Brigada 31 de Março, realizou, no dia 13 de agosto, o Projeto MANITU: um dia inteiro de atividades com os objetivos de fortalecer a mística do combatente de montanha e promover o desenvolvimento da doutrina de emprego da tropa de montanha.

Representantes de diversas organizações militares estiveram no 10º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha para participar do V Simpósio de Doutrina de Montanha da 4ª Bda Inf L Mth, Grande Unidade que se transformou, recentemente, de Brigada Motorizada para Brigada Leve de Montanha. Durante o seminário, foram debatidos o papel da Bda Inf Mth no contexto de transformação da Doutrina Militar Terrestre, a geração da capacidade de operar em ambientes de montanha, entre outros temas.

Uma cerimônia noturna registrou a brevetação de 634 novos militares montanhistas. Os oficiais, subtenentes, sargentos, cabos e soldados que concluíram o Estágio Básico de Combatentes de Montanha 2015 foram formados pelo 10º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha, de Juiz de Fora; pelo 11º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha, de São João del-Rei; e pelo 32º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha, de Petrópolis.

Durante a solenidade, os pioneiros montanhistas e o compositor da Canção do Combatente de Montanha Coronel Marcelo Alvares de Souza foram homenageados. Também foi feita a entrega da premiação da Prova do Combatente de Montanha, uma operação em que o militar percorre cerca de 60 km em 48 horas, desempenhando diversas atividades, como transposição de curso d’água, técnicas de montanhismo, evacuação de feridos, combate simulado, entre outros.

Estiveram presentes à formatura o Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia, General de Exército Juarez Aparecido de Paula Cunha, o Comandante da 4ª Região Militar, General de Divisão Mario Lucio Alves de Araújo, o Diretor-Presidente da Indústria de Material Bélico, General de Divisão R/1 Celso José Tiago, o Chefe do Centro de Operações do Comando Militar do Leste, General de Brigada Antonio Carlos de Souza, e demais convidados.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6929725&t=1440017671439)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6929726&t=1440017671497)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=3820895&t=1383765192428)

(http://1.bp.blogspot.com/-ZaLblr4P-rg/VdI7K8HEq8I/AAAAAAAArw0/5W6ICkZGgO0/s640/57.jpg)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6929731&t=1440017671945)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 20, 2015, 01:24:12 pm
Montanha

(https://farm6.staticflickr.com/5563/15049895655_b37cdd1fcd_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7713/17126207508_462d5004f8_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3841/18644735250_b336a1dc69_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3922/18835119371_3893cdc339_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5445/18806190796_aeb9b77a12_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5501/18644739870_0bc01757eb_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5340/18644695968_6c2afb7156_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5520/18835130501_87122c6a42_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3789/18211811713_c1186ed17a_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3682/18806213466_2b0f6607c1_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3669/18827378372_a27b9f817d_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3794/18644782970_5cdbcff28d_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3933/18835299641_266a4daaab_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3886/18646411429_c52cf86650_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3855/18644902148_72ed8a2da2_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5495/18212007593_234a525ddc_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3878/18212898033_19ffeb965c_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5505/18212006203_a2825ac667_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3724/18827385962_d589d3e5a4_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 21, 2015, 03:37:56 pm
Ministro da Defesa visita Brigada de Infantaria Pára-quedista

(https://farm6.staticflickr.com/5643/20749543452_402290411d_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/583/20732670386_81e6b98afc_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5681/20749544722_1998161a8c_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5751/20749541352_2916603097_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/628/20749542502_edc9e516b9_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/691/20749544082_8cc0e82aa0_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 24, 2015, 10:11:24 pm
2ª Bateria de Artilharia Antiaérea – Escola de Fogo de Instrução

Santana do Livramento (RS) – Entre os dias 27 de julho e 8 de agosto, 2ª Bateria de Artilharia Antiaérea (2ª Bia AAAe) participou da Escola de Fogo de Instrução (EsFI) da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, no Campo de Instrução de Formosa (GO) e realizou uma visitação à cidade de Brasília.
 
O exercício contou com a participação de todas as organizações militares de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro. Os militares da Unidade tiveram contato com o que há de mais moderno em termos de material antiaéreo no Exército Brasileiro, como o Radar SABER M-60 e os novos centros de operações antiaéreas eletrônicos, equipamentos totalmente desenvolvidos pela indústria nacional.
 
Na EsFI assistiram demonstrações de tiros do canhão automático antiaéreo 40 mm C/70 BOFORS, do míssil RBS 70, da viatura blindada de combate Gepard 1A2, do sistema de foguetes ASTROS e ainda, a 2ª Bia AAAe realizou o primeiro tiro real com o míssil IGLA S 9K338, armamento de dotação da Bateria.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6937235&t=1440164265789)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6937237&t=1440164265893)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6937238&t=1440164265953)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 24, 2015, 10:15:10 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 26, 2015, 02:55:47 pm
Comemoração pelo dia do Soldado no QG do EB em Brasília:

(https://farm1.staticflickr.com/712/20692137050_832fe45c8c_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5705/20887316961_e17a2e8f9e_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/568/20693348569_0d81c61864_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5778/20693346169_051a341845_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5671/20693350649_06d4fc660a_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5720/20693430489_cb0a62848b_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/753/20259051073_59be36ca4d_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5706/20692092828_236ab00fb5_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/638/20880171605_59fa169ea5_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5624/20257574814_9c321a7b86_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/640/20870406852_ce1af7534c_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/774/20692009440_4b1ff82b4d_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/600/20692097738_8a08d89f45_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5642/20692011800_91de18e1d2_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/574/20692099758_bccf0b4c6f_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/626/20259054793_9653df1eca_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 27, 2015, 01:52:41 pm
2ª Batalhão de Aviação do Exército

(https://farm3.staticflickr.com/2930/14239127441_7c44bc9e8c_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5039/14055773687_843c163d21_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3766/14256315274_3477407e6d_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2909/14256286864_8cf37299e4_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2930/14069970659_2e0c8ea1bc_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3802/14069948070_ece7336efe_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3781/14276534073_b7862aeb3f_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2905/14256338265_843ebdd895_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5153/14252543141_91c9f4251d_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3760/14252580051_54368edf91_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5490/14276720853_9ec3dc67c9_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3698/14069914830_ac440425c6_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3808/14233375076_8c45eb2419_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5238/14069840359_23226ba466_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2907/14253153381_7765322d18_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5547/14254225972_60be56bb01_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5504/14069659107_cb8988dd65_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3680/14255835574_43d64df406_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3669/14256207655_0fdc6c08c5_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5153/14252874331_96116ac460_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3721/14233030026_ef3234a1bb_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2934/14069475589_d6f8b50667_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2909/14255985165_940b6e6ff5_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3761/14069341890_1dbb65247f_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3676/14276112503_a9bb09748a_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2897/14275958493_5a6f9402b4_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3739/14252566811_3b416b432f_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2904/14056572378_a6493c36e1_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5583/14069335917_bbe59c7a1b_b.jpg)

Créditos: Roberto Caiafa
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 27, 2015, 04:27:00 pm
VTRs e carros de combate em uso pelo E.B

(https://farm9.staticflickr.com/8814/17697419720_25c483c620_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2887/9642057392_a862619ee7_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8247/8662927563_26be81d3ac_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3827/9638851845_527ea43d23_b.jpg)

(https://farm3.staticflickr.com/2828/9638857623_25694136ac_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8299/7809940440_53267a9338_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5580/14981904930_ab7fe59da7_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3866/15168192712_6c48da8147_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8462/7952402100_fefa7410e5_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8308/7810193370_50e4e0013b_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8440/7810253684_a54f98fb4d_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8435/7810225614_0459a7e89e_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8304/7810206804_8b6c97bafd_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3736/11563118375_3525b8d1fe_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7025/13762460545_561efc5cb0_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3724/13762840104_0b592edcd6_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5556/15168558335_c9bd3a5428_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6203/6125007739_646537e3db_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3800/9642061002_8d48a53b1b_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6184/6125549358_a156b6b5db_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6186/6125000423_c6f0002936_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6208/6125541958_4f0f456e3a_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6204/6125540286_ec6e9efe53_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6078/6125539182_07957d5e29_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6066/6125533614_556d790cf7_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6193/6109815737_edbb2fe07f_b.jpg)

(https://farm7.staticflickr.com/6121/5955807967_498beded1d_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5252/5540845450_5aeb968ff5_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4127/4968296315_7028e74c66_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4145/4968753726_ee4557b82d_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4086/4968751470_3a1fd8009a_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4128/4960728791_75551a66b0_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5092/5540843856_060cbc7551_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4128/4968298353_5a247279fd_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4087/4968124907_d32f7b0b0d_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 27, 2015, 04:36:28 pm
(https://farm6.staticflickr.com/5175/5540284813_03729a997a_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5060/5540283759_e7b68038ec_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7331/16547104076_4ebff42000_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8589/16342896101_f0390a1aa5_o.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8574/16652638436_2f8cf253b2_b.jpg)

(https://farm9.staticflickr.com/8613/16116642604_e1680ec2c6_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7637/16867447485_a53807a0be_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7761/17394976112_9869997f8a_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4120/4821485138_345f4b1e58_b.jpg)

(https://farm5.staticflickr.com/4081/4821545086_5fa97b40fc_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 28, 2015, 01:11:22 am
Brigada de Operações Especiais

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 28, 2015, 01:15:57 am
Solenidade do Dia do Soldado em Brasília

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 29, 2015, 12:51:32 am

Senhor!
Tu que ordenaste ao Guerreiro de Selva
Sobrepujai todos os vossos oponentes
Dai-nos hoje da floresta:
A sobriedade para persistir;
A paciência para emboscar;
A perseverança para sobreviver;
A astúcia para dissimular;
A fé para resistir e vencer.
E dai-nos também,Senhor,
A esperança e a certeza do retorno
Mas se defendendo esta brasileira Amazônia
Tivermos que perecer,ó Deus
Que façamos com dignidade
E mereçamos a vitória!


Selva!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 29, 2015, 05:15:42 pm
Aniversário da Escola de Sargentos das Armas

Três Corações (MG) – No dia 21 de agosto de 2015, a Escola de Sargentos das Armas (EsSA) realizou uma solenidade comemorativa aos seus 70 anos, período em que já formou mais de 30.000 sargentos combatentes de carreira e aperfeiçoou mais de 5.000 sargentos, incluindo da Força Aérea Brasileira e de Nações Amigas.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6961187&t=1440772873210)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6961188&t=1440772873268)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6961189&t=1440772873327)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6961190&t=1440772873373)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6961191&t=1440772873411)

Fonte:  www.eb.mil.br (http://www.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 29, 2015, 05:23:22 pm


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 30, 2015, 10:29:06 pm
A “Escola de Aço” do Brasil

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata1.jpg)

Reportagem de Tecnologia & Defesa visitou o Centro de Instrução de Blindados general Walter Pires (C I Bld), em Santa Maria. Logo à entrada, o brado de “Aço!” por parte da guarda desperta a curiosidade. Uma caminhada até o pavilhão de comando, e inúmeras referências históricas sobre blindados no Brasil podem ser apreciadas, como uma escultura do Renault FT-17, o pioneiro, ou um amontoado de engrenagens, roletes e outras peças de metal, soldadas umas às outras, dando a forma de um corcel puro sangue. Na sala do comandante, uma bela pintura retrata um esquadrão de carros de combate Leopard avançando pelos Pampas enquanto cruza com um cavaleiro gaúcho. Cenas de uma das mais recentes organizações militares do Exército Brasileiro.

Criado em 11 de outubro de 1996, e ativado no dia 01 de janeiro de 1997, o C I Bld surgiu como um dos vetores de modernização previstos no Sistema de Planejamento do Exército (SIPLEX 6) de maneira a servir de base, de mola propulsora e fator de profissionalização do tema blindados no Exército Brasileiro (EB). Suas raízes reportam à Companhia de Carros de Assalto (de 1921, com os Renault FT-17), do capitão José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, passando pelo Esquadrão de Autometralhadoras (de 1938, com o FIAT Ansaldo CV-3 35 II), do capitão Carlos Flores de Paiva Chaves, vindo a embasar-se no Centro de Instrução de Motorização e Mecanização (CIMM/1939), primeiro centro voltado à instrução de blindados e implantado para preparar oficiais e sargentos com conhecimentos técnicos e táticos, tornando-os aptos a ministrar a instrução de viaturas motorizadas e mecanizadas nas unidades especiais, nos corpos de tropa e nas formações de serviço.

 :arrow: Matéria na íntegra: http://eblog.eb.mil.br/index.php/notici ... o-brasil-2 (http://eblog.eb.mil.br/index.php/noticias/4175-a-escola-de-aco-do-brasil-2)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata2.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata8.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata4.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata5.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata6.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2015/07/elata3.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 30, 2015, 10:53:20 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 30, 2015, 11:14:16 pm



Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 31, 2015, 06:29:03 pm
Morre General brasileiro comandante de missão da ONU no Haiti

General do Exército, José Luiz Jaborandy Júnior tinha 57 anos. Militar ocupava o cargo desde março do ano passado

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/08/27396_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Morreu neste domingo (30), aos 57 anos, o general do Exército, José Luiz Jaborandy Júnior, comandante militar da missão da ONU no Haiti. O brasileiro assumiu a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah) em 15 de março do ano passado em substituição ao general Edson Leal Pujol.

A informação da morte foi confirmada ao G1 pelo filho do militar. Jaborandy teria sofrido um infarto fulminante durante uma viagem do Haiti a Manaus, onde iria conhecer sua neta, nascida há poucos meses. Ainda não há informações sobre o funeral do general.

Carreira

Antes de atuar no Haiti, a última missão de Jaborandy foi comandar a 8ª Região Militar, em Belém (PA), ligada ao Comando Militar do Norte. Ele ingressou no Exército Brasileiro em 1976 e se formou pela Escola de Comando e Estado-Maior do Brasil e pelo Instituto de Estudos Superiores Militares de Portugal.

Jaborandy também já serviu como assessor parlamentar do Gabinete do Comandante do Exército. Além de ter sido observador militar do Grupo de Observação das Nações Unidas na América Central (Onuca), em 1991, e da Missão de Observação das Nações Unidas em El Salvador.
 
Fonte: http://www.defesanet.com.br/ph/noticia/ ... -no-Haiti/ (http://www.defesanet.com.br/ph/noticia/20192/Morre-General-brasileiro-comandante-de-missao-da-ONU-no-Haiti/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 01, 2015, 03:10:49 pm
Revitalização das Viaturas Blindadas EE-9 Cascavel

O Arsenal de Guerra de São Paulo, dando prosseguimento, a sua atividade-fim, realizou o tiro técnico do canhão 90 mm das Viaturas Blindadas EE-9 Cascavel, finalizando mais uma etapa do processo de revitalização dessas viaturas.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6966774&t=1441035349367)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6966773&t=1441035349366)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=6966772&t=1441035349364)

Fonte: www.eb.mil.br (http://www.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 02, 2015, 06:23:20 pm
Divisão de Importação e Exportação da Base de Apoio Logístico realizam desembaraço alfandegário

No dia de 31 de agosto de 2015, os militares da Divisão Importação e Exportação de Material, da Base de Apoio Logístico do Exército, realizaram do desembaraço alfandegário do 6º lote de VBC DAAe 1 A2 GEPARD e acessórios de bordo, adquirido pelo Exército Brasileiro e que foram desembarcados no Porto do Rio de Janeiro-RJ.

Além disso, a Base de Apoio Logístico do Exército, ficou responsável pelo também pelo transporte dos blindados até o Parque Regional de Manutenção da 1ª Região Militar (Pq R Mnt/1ªRM) onde serão preparados para o tiro técnico que será realizado pelo Batalhão de Manutenção de Armamento.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Ultimo-lote-dos-Gepards-3.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Ultimo-lote-dos-Gepards-5.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Ultimo-lote-dos-Gepards-1.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Ultimo-lote-dos-Gepards-4.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Ultimo-lote-dos-Gepards-2.jpg)

Fonte: http://www.revistaoperacional.com.br/ex ... g.facebook (http://www.revistaoperacional.com.br/exercito/divisao-de-importacao-e-exportacao-da-base-de-apoio-logistico-realizam-desembaraco-alfandegario/#.Vecu-PkarJg.facebook)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Setembro 04, 2015, 09:41:42 am
http://www.forte.jor.br/2015/09/01/1a-brigada-de-infantaria-de-selva-rodizio-dos-4o-e-5o-pelotoes-especiais-de-fronteira/

Citar
Boa Vista – No dia 28 de agosto, o Comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, General de Brigada Carlos Alberto Mansur, acompanhou o rodízio do arejo realizado nos 4º e 5º Pelotões Especiais de Fronteira (Surucucu e Auaris, respectivamente), que são acessíveis apenas por modal aéreo, por intermédio do Plano de Apoio da Amazônia, com o apoio da Força Aérea Brasileira. Além do rodízio de pessoal, foram transportados aos pelotões gêneros alimentícios e materiais diversos para o conforto e bem-estar dos militares e famílias que moram naquelas localidades.

FONTE: 1ª Bda Inf Sl
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/09/rod%C3%ADzio-dos-4%C2%BA-e-5%C2%BA-Pelot%C3%B5es-Especiais-de-Fronteira-580x354.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 04, 2015, 02:00:33 pm
Casa nova: 6ª Bateria de Artilharia Antiaérea já tem pavilhão só para manter os Gepard

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/09/Casa-nova.png)

A 6ª Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada, de Santa Maria (RS) – orgânica da 6ª Brigada de infantaria Blindada (sediada na mesma cidade) –, já tem pronto um pavilhão oficina construído, especialmente, para prover a manutenção das suas 16 viaturas de defesa antiaérea Gepard 1A2 (VBC D AAe Gepard 1A2).

O edifício já foi vistoriado por oficiais da 3ª Subchefia do Estado-Maior do Exército e do Centro de Doutrina do Exército.

Duas Portarias do Exército datadas de 25 de junho de 2013 promoveram mudanças em baterias de Artilharia Antiaérea do sul do Brasil.

A primeira transformou a antiga 11ª Bateria AAe Leve em 11ª Bateria AAe Leve Autopropulsada, transferindo-a à subordinação da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada de Ponta Grossa, dotada de carros de combate Leopard 1A5.

A outra mudança foi feita na 6ª Bateria de Artilharia AAe, de Santa Maria, convertida em 6ª Bateria de Artilharia AAe Autopropulsada – mantendo-se, nesse caso, a subordinação à 6ª Brigada Blindada.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/09/Casa-Nova2.png)

Copa – Os carros de defesa antiaérea foram adquiridos aos estoques do Exército da República Federal da Alemanha, dentro de um planejamento que teve início ainda em 2011.

O Exército comprou 34 unidades, ao preço total de R$ 78,4 milhões de Reais. O emprego imediato das viaturas será na defesa do espaço aéreo brasileiro, particularmente durante grandes eventos.

Os oito primeiros Gepard chegaram ao Brasil no primeiro semestre de 2013. Metade desse lote foi encaminhada ao bairro Perpétuo Socorro, sede da 6ª Bateria, em Santa Maria. Já nesse ano os blindados da Bateria participaram do esquema de segurança montado pelo governo federal para a Copa das Confederações.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/09/Casa-nova51.jpg)

Fonte: http://www.planobrazil.com/casa-nova-6a ... os-gepard/ (http://www.planobrazil.com/casa-nova-6a-bateria-de-artilharia-antiaerea-ja-tem-pavilhao-so-para-manter-os-gepard/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 07, 2015, 06:36:33 pm
Companhia de Precursores Pára-quedista

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/v/t1.0-9/547552_632997943427674_589305917_n.jpg?oh=08733d6ade57ebb9b081580f1791533c&oe=5666EB1C&__gda__=1453971523_11e7e957160892a1e45e19ba5f2c51a7)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/10156040_913331375394328_7276776688932642085_n.jpg?oh=80cf3ae17d7e1b2979e4cd8558eb9155&oe=56AB89FF)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/10978668_849286738465459_5335087341076671575_n.jpg?oh=37481d2c5421b8176d1d5694fce78b18&oe=56A86BD7&__gda__=1449351869_d7bdedbeb1d48f696de0a434f9cd9fd5)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/10437564_849286678465465_8547479585041812573_n.jpg?oh=6d2304b1b52b8e9c7fbc442d144ae73a&oe=566FF4F2&__gda__=1453971835_a381b69a6fd388cd2e024ad2169f3805)

(http://www.tecnodefesa.com.br/admin/public/files//PARADA02.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/11000593_849286215132178_5754888421667053847_n.jpg?oh=8f89ad50196d4fd1957ec73e6be82630&oe=565D92D7&__gda__=1450451084_eeda66528e544a9f0e60425ba934d19c)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/10968498_849286181798848_2209396305440483299_n.jpg?oh=dea5ad99c41b53f18b8469e4859499c9&oe=565DFB69&__gda__=1449161055_49fcc871817327487853200120700aba)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/1454566_849285585132241_4190438533855674051_n.jpg?oh=be52204baa8074728e66f7fceb84d4af&oe=56A5386E)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfl1/v/t1.0-9/1504535_632997536761048_573571685_n.jpg?oh=3c418958bca4ad65b8bf266334f4f664&oe=5663554F&__gda__=1450328390_b7e927f1fda8dc2b395992a3dd2633b0)


(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/v/t1.0-9/11880333_944854422242023_8960489716606506622_n.jpg?oh=f975dc72c9aa58b664fc41b9b597961c&oe=566FA4DF)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/10984562_929379677122831_1819116648849822012_n.jpg?oh=20638e16eb7d9397b88c06bb8c459787&oe=565D5979&__gda__=1449270803_8d03fe8259549b6a674b2f6fc0324993)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/1525029_632997970094338_1489144209_n.jpg?oh=67ca17b57f2fba68e1bca8d9e4e3fe0a&oe=567B952C&__gda__=1449138181_fd4c286823c5d81c1045bc672c3074ff)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/v/t1.0-9/1520720_632997906761011_1255694534_n.jpg?oh=713a277a9788748ba6500f362e551e86&oe=566FC8F7)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/1468518_632997353427733_1367326881_n.jpg?oh=603c2e0931e05e008fbd1a30d1f1f19d&oe=56730F1B)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/1526630_632997283427740_319622837_n.jpg?oh=8a529545eb47164ab740ba519037ced7&oe=567090C1&__gda__=1449414834_1fb05788e06723f2256e78e9724c2348)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xat1/v/t1.0-9/1524823_632997210094414_922594794_n.jpg?oh=5e1373043f9b792ac54cde0ed8e83f42&oe=565D859C&__gda__=1449461457_6ff8c67f186a8c11b69e8980c6683a43)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1468518_632997080094427_733619860_n.jpg?oh=ed04c53fc6cd25000fc9b76e2383eef6&oe=56749F4E)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/999278_632997056761096_2085215994_n.jpg?oh=164da4569a95f01ce79834d0d8949d1a&oe=56AB6044)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/1522225_632997746761027_1119025079_n.jpg?oh=8c8f1eabca2628f3cdaae7b1de7fdd85&oe=566976C8&__gda__=1449626412_a2bb27b3fc4fa9917ae381e59aaadd5c)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xta1/v/t1.0-9/1505369_632997763427692_49351016_n.jpg?oh=8014aa9e9641321d127bc8c9553a2f25&oe=56705EB9)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/1497543_632997793427689_606427645_n.jpg?oh=d4c6994781d0ac959219fd5ae900a8ad&oe=565F69CA&__gda__=1448970057_1e1b59139866b49559fc8fe10494a5c9)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/1507710_632997816761020_1245615531_n.jpg?oh=7ddf4c78642a1ccc427d5cadb692f125&oe=56A8E3CF)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1468720_632997833427685_1036181494_n.jpg?oh=02ff5e3841e98ac40ac250679e30b23c&oe=56AB314B)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/1486647_632997883427680_1417079418_n.jpg?oh=d601d0131ccb50e939246b0df04e8087&oe=567AAF1D&__gda__=1453715900_5387ecfe56c13cb1fe64dec102aa9f0c)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1546116_632997913427677_1028439810_n.jpg?oh=7b84828590b2bc05100d8912a0a28c2f&oe=56AA2CDB)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/1526254_632997380094397_1633014509_n.jpg?oh=f6f95a939cb00bbf189cbbf116497ccc&oe=566425ED)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/1535441_632997426761059_985415078_n.jpg?oh=6b3a789a24b5196607de5e3f9b85081e&oe=56A495C8)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/994673_632997490094386_862784147_n.jpg?oh=5d1f3eeb39bd915410a3bbe50822cc1c&oe=567611C3&__gda__=1454035218_613a31b56d4ab98aab6e675d228fa11c)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/1486901_632997583427710_189483660_n.jpg?oh=9907eb40dfb0046edda0728865758336&oe=566CFDF6&__gda__=1450901194_190926870477b3ffe6f3ea139ba06714)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/1499557_632997646761037_892741792_n.jpg?oh=c788ecbda68055052ee16ba62e5e29ea&oe=56A676E3)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/1497565_632997710094364_803667355_n.jpg?oh=56c0a5104770785a2287e45ade2a7068&oe=56613EDB&__gda__=1449082792_fa1b3106752cd56b05dba9b70a396a06)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/1477977_632996913427777_2101282382_n.jpg?oh=e1d3d1562429468cb0040d7a8216730e&oe=5679B5B5&__gda__=1449990006_20c42cd8e5885fd9e7e3136fe5805e86)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/1482775_632996886761113_643220693_n.jpg?oh=4cf8dd31fef8cf6328a8e8b76c82d741&oe=5662E135)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/1531972_632996796761122_1394878146_n.jpg?oh=21658624e0caa4465bf9f716aa4b43f4&oe=5663D24C&__gda__=1450447717_dd56f5ed1cf75de5aecd9d83cbb8a1af)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/1453525_632996633427805_17098199_n.jpg?oh=dd51cd69f5c1a10fc6aa5ac2fc94c663&oe=566272A1&__gda__=1453773961_6d993fdd3bc267acf10c9d55b505a844)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/1503482_632996806761121_1118765609_n.jpg?oh=a8f6aaacb801894b9e858dc6faba6940&oe=56AA8000&__gda__=1449353427_b4bc1d2767204bd2b5988b211339deb0)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/578612_430571740336963_83590924_n.jpg?oh=566f503f3b5c6a7d5d8ff81a1c7094c7&oe=56AA86BD&__gda__=1453701199_29e19bd0292ea2e0a45c7fe0208cf696)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/407701_430531073674363_1842078817_n.jpg?oh=7e2a96c5a891ef7096db041abaa55211&oe=566C3DA4&__gda__=1453853421_d3f25a07e5e3749b340a42a81c6bf8ab)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/1656149_664296326964502_347963863_n.jpg?oh=098c5b7a2bf73d99a7795eb4519ab920&oe=56A7279D&__gda__=1450419182_0524978507b97bdc4722d98741cdcfcb)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/1948252_664296130297855_1673630073_n.jpg?oh=7ebe5481ba0cf2a0a19416ded898195a&oe=56799D28&__gda__=1448986828_d8f26f1942b3d6c9379c7afe58f2d170)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/1960047_664296013631200_102746587_n.png?oh=91b7f6a8c96013129a05a8ccafb3b8d3&oe=56ABD247&__gda__=1450487822_c80b15f7164e47593a2d4326c534f85c)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/1966815_664295940297874_654295995_n.png?oh=2c153a6048d5536a68b8b56ffa90678e&oe=56A5E8AE&__gda__=1453636071_0425aa315ef1a441a765c60880e9d3ad)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 08, 2015, 02:11:52 pm
E.B no desfile cívico-militar de 7 de Setembro de 2015 em Brasília

(https://farm1.staticflickr.com/603/21033371450_5ca2dd16b9_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5697/21229438601_5afef76964_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5825/21033586828_fa8318a734_b.jpg)

(https://farm1.staticflickr.com/763/20600360633_70ea4ec244_b.jpg)

(https://farm8.staticflickr.com/7442/9694874902_e58ac4bbef_b.jpg)

(http://www2.planalto.gov.br/centrais-de-conteudos/imagens/desfile-civico-militar-de-7-de-setembro-em-comemoracao-ao-dia-da-independencia/copy6_of_desfile-06/@@images/db579ac6-74f2-4c4e-b9fa-fef0ddbfeb7f.jpeg)

(https://farm4.staticflickr.com/3916/15169520246_7b83329d20_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5581/15005749329_e8a354d22e_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5698/21034383918_82f17e3767_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5677/20599591454_965fa0840a_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5621/20599591014_3b5feef56e_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3720/9694821326_778bffb08b_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5736/21034380028_48392f3a9b_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3861/15169510746_5bbc0a08c4_b.jpg)

(https://farm4.staticflickr.com/3675/9694821596_ebd5b2d938_b.jpg)

(https://farm6.staticflickr.com/5721/21195237226_c3132315ed_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 10, 2015, 07:24:41 pm
Desfile cívico-militar 7 de setembro — Rio de Janeiro

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-5.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-28.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-27.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-7.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-6.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-12.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-14.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-21.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-93.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-141.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-143.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-144.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-145.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-142.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-147.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-148.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-149.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-150.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-154.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-88.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-155.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-158.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-159.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-160.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-161.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-163.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-164.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-165.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-166.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Desfile-C%C3%ADvico-Militar-07-09-2015-169.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 11, 2015, 10:05:49 pm
Exército Brasileiro em Combate no Haiti:

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 11, 2015, 10:10:02 pm
6ª Brigada Infantaria Blindada disposta no Campo de Desfile

(https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/11999021_1068500333190045_6127714132060729834_n.jpg?oh=63fb3c656ddb064d2ebf73825e60fe53&oe=566C4D47)

(https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/11217505_1068500429856702_2764608257436262112_n.jpg?oh=7e8c075069160063fa8bc59c3e12accc&oe=5673D818)

(https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/12003134_1068500509856694_8378779853461134510_n.jpg?oh=c43b5dc3433cc4958313035bdfa24d3d&oe=56A799B5)

(https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/v/t1.0-9/11986354_1068500523190026_2128985604038099571_n.jpg?oh=58f9ceb1e939d6421afef94910b093a5&oe=5669E4D8)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12002927_1068500533190025_8620431663466682129_n.jpg?oh=56789ee67982e246d33667fbdefc9bbf&oe=566CBCB5&__gda__=1449975368_c40b0e6e3259d329cd3fbff63cd65693)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/12006180_1068500426523369_8332599718820625717_n.jpg?oh=ef21c77079c87612bea1a473bf0e7e22&oe=56627600&__gda__=1449853776_76d6d37217c3eaab057325f5460ec063)

(https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/10629660_1068500539856691_7070627526770908307_n.jpg?oh=43840f31486a2a235e077cf80de9d84d&oe=565D0600)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 15, 2015, 06:17:07 pm
Exército Brasileiro estuda aquisição de obuses autopropulsados

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Imagem-2-EB-ObusAutopropulsado.jpg)

O Exército Brasileiro está estudando a viabilidade e definição de características para uma possível compra de um modelo de sistema de artilharia autopropulsado dotado de obus como parte do seu Projeto Estratégico  Guarani. Após concluir os estudos, a Força irá esboçar o conceito de emprego, requerimentos operacionais básicos e requisitos técnicos, segundo informou uma fonte envolvida com o PE Guarani.

O sistema está destinado a fornecer fogo pesado e de precisão à longas distâncias para infantaria mecanizada, proporcionando mobilidade tática estendida, manobrabilidade e cobertura para tropas.

A configuração atualmente considerada para esse sistema corresponde à plataformas 6×6 ou 8×8 sobre rodas portando um canhão de calibre 155mm. Também deverá ser requisitada a integração com a rede de comando e controle.

Ivan Plavetz
Fonte: Jane’s Defence Weekly
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 16, 2015, 12:58:01 pm
Novos Soldados Comandos de 2015

o 1° Batalhão de Ações de Comandos realizou a brevetação dos novos Soldados Comandos do Exército Brasileiro, durante a qual, 43 militares receberam seus gorros pretos com a caveira e o punhal. A cerimônia foi prestigiada por autoridades civis e militares.

O Curso de Formação de Cabo Comandos (CFCC) é o programa de treinamento mais completo e difícil que os soldados do Exército podem realizar. Por ocasião do curso, os alunos devem superar situações que representam a máxima imitação do combate, em ritmo de operações continuadas, quando são expostos a extremas dificuldades de caráter físico, inseridos em um ambiente de pressão psicológica controlada, gerando uma avaliação sob os mais precisos critérios.

O CFCC começou a ser ministrado pela Força Terrestre em 1984 e até a presente data foram qualificados 859 Soldados Comandos.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7046394&t=1442350324955)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7046389&t=1442350324890)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7046390&t=1442350324891)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7046391&t=1442350324893)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7046387&t=1442350324888)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7046392&t=1442350324944)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 18, 2015, 03:09:15 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 18, 2015, 09:07:23 pm
Brasil oficializa escolha do PANTSIR S1


(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/09/27619_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Em discussão há vários anos a quisição do Sistema de Defesa Aérea PANTSI S1 é oficializado pelo Brasil

Agora é oficial: o PANTSIR S1 será o míssil de média altitude das Forças Armadas Brasileiras. A decisão foi comunicada pelo vice-presidente Michel Temer ao primeiro-ministro da Rússia, Dimitri Medvedev durante a VII Reunião da Comissão Russo-Brasileira de Alto Nível de Cooperação, realizada em Moscou nesta quarta-feira (16SET15). A compra, no entanto, depende da existência de recursos e só deve ser realizada em 2016 ou 2017. (Ver Comunicado Conjunto VII CAN BR-RU)
 

A questão foi decidida em julho, pouco depois da participação da presidente Dilma Rousseff na Cúpula do BRICS, em Ufa. Na última semana daquele mês, o Capitão-de-Mar-e-Guerra Alvaristo Nagem Dair Junior, adido de Defesa na capital russa, entregou o Pedido de Proposta (Requirement for Proposal — RFP) oficial na sede da Rosoboronexport, estatal responsável pela exportação de material militar.

O documento, com 200 páginas, preparado pela Comissão Permanente de Avaliação do Avião de Combate (COPAC), solicita preços, condições de financiamento, offsets e transferência diretas de tecnologia para o fornecimento de três baterias formadas por quatro veículos lançadores, oito remuniciadores, três unidades de controle e três radares de aquisição, além de um total superior a 240 mísseis 57E6-E.

As negociações, por enquanto, incluem total transferência de tecnologia, permitindo a fabricação de sistemas 100% nacionais em um prazo de até seis anos depois da assinatura do contrato. Espera-se um custo de US$ 1 bilhão por todo o pacote. Se for do interesse brasileiro, a Federação Russa pode oferecer pacotes mais econômicos, com menor transferência de tecnologia, mas mais adequados à crise financeira vivida pelo Brasil.

O pagamento das baterias será por meio de compensações comerciais. Desta forma, a fabricante do PANTSIR S1, a empresa Tula, receberia em rublos. Por sua vez, o Brasil pagaria em reais aos exportadores interessados em fazer negócio com a Rússia. O Brasil tem um grande superávit com o parceiro, que se ampliou em 2014,  quando a União Europeia e os Estados Unidos impuseram sanções financeiras contra Moscou, em represália à ocupação da Crimeia, território ucraniano, pela Federação Russa.

A resposta do presidente Vladimir Putin foi impor embargo às importações de produtos agrícolas e industriais da União Europeia, o que criou uma crise no setor rural do Velho Continente e abriu uma janela de oportunidade para colocar produtos brasileiros no mercado russo.


(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/09/27620_resize_800_600_false_true_null.jpg)

O Sistema PANTSIR S1

O PANTSIR S1, não tem equivalente no mercado ocidental. Ele pode ser disparado em movimento enquanto protege colunas em deslocamento. Neste modo, as viaturas empregam seus radares de gestão de tiro, com alcance superior a 30 km, para detectar possíveis ameaças. Em posição defensiva, a bateria pode ser instalada em terreno em menos de dez minutos.

Os lançadores são controlados remotamente por uma unidade de tiro alimentada por dois radares de aquisição com alcance superior a 80 km. O sistema é capaz de acompanhar 40 alvos e cada lançador pode adquirir e acoplar quatro alvos por vez. A guiagem é feita por feixe laser emitido pelo lançador. O míssil recebe os dados por um sensor colocado na cauda, o que o torna imune a contramedidas eletrônicas ou infravermelho.

Cada lançador dispõe de 12 mísseis com 12 recargas, suplementados por dois canhões de 30 mm, com capacidade para engajar aviões, mísseis de cruzeiro, munições guiadas e VANTs . O baixo custo e a simplicidade do míssil é uma das vantagens do sistema, permitindo seu armazenamento por longos períodos sem cuidados especiais. Todos os sistemas ocidentais empregam mísseis concebidos para combate aéreo ou para uso naval, caros e com grandes exigências de armazenamento.

A escolha do PANTSIR S1 abre caminho para uma maior cooperação entre Brasil e Rússia para o desenvolvimento de novos produtos adequados à América Latina e países do Terceiro Mundo em geral. Já existem conversas entre a MECTRON, empresa da Odebrecht Defesa e Tecnologia (ODT), que deve coordenar a implantação do sistema no Brasil, e a ROSTEC neste sentido.

Outras empresas nacionais, inclusive a AVIBRAS, devem se beneficiar desta parceria, que pode resultar na criação de um substituto para o míssil S-125 NEVA-M (SA-3 GOA).

Fonte: http://www.defesanet.com.br/br_ru/notic ... ANTSIR-S1/ (http://www.defesanet.com.br/br_ru/noticia/20340/Brasil-oficializa-escolha-do-PANTSIR-S1/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 21, 2015, 01:59:22 am
Operação Centauro 2015

O Exército Brasileiro está realizando, no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB) pelo período de duas semanas, de 14 a 23 de setembro, um dos maiores exercício de simulação integrada da América Latina, denominado Operação Centauro.

Envolve a realização das simulações viva, virtual e construtiva em um mesmo ambiente de integração.

O ponto mais desafiador desse Exercício de Simulação Integrada organizado pelo Comando de Operações Terrestres do Exército (COTER), com a participação  do Centro de Avaliação de Adestramento do Exército (CAAdEx), é a distancia de 150 km entre a Manobra Viva, que ocorre em Saicã, Centro de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), com as Simulações Virtual e Construtiva, que ocorrem em "real time" no Centro de Instrução de Blindados (CI Bld) e Centros de Adestramento Simulado de Postos de Comando (CAS-PC), em Santa Maria.

Coube ao COTER em parceria com a empresa  SAAB a  responsabilidade de estruturarem este Exercício de Simulação Integrada.Utilizando o software Wise, de desenvolvimento da SAAB,  que converte e converge todos os dados dos três tipos simulação para uma mesma "linguagem", criando assim um ambiente único e formando uma ação mútua e compartilhada entre as simulações, ou seja o que acontece na Virtual afeta nas Viva e Construtiva e vice e versa. Para a Operação Centauro a empresa SAAB enviou desde a Suécia cerca de 1,5 tonelada de equipamentos e sensores.

Fonte:  http://goo.gl/RtJWDy (http://goo.gl/RtJWDy)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xat1/v/t1.0-9/12004935_1074208709285874_5751775300301547726_n.jpg?oh=2ca2d72ee141b553f59af75652a883f7&oe=569A07DB&__gda__=1453510355_b0ff63b07d229783980a74d5d8d0116d)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/12036537_1074208682619210_4476906252316753933_n.jpg?oh=794077d1bc0521394148e943f37a4d3a&oe=565D494B)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtl1/v/t1.0-9/11214133_1074208679285877_7940261793636765643_n.jpg?oh=06d041e9dee5ed4ca49998654b8ade1d&oe=565FE9EA)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/12027785_1074208705952541_1846725562695963006_n.jpg?oh=d74eb8ae9a62080729e11ff2f29a0b53&oe=566AB9E4&__gda__=1453892463_535cf8b484e7241aa2d88f452b845808)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12020044_1074208845952527_2924957717221505698_n.jpg?oh=2cfd34ea9b1ccf6da320cfe8ac959eb2&oe=5660E01C)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtl1/v/t1.0-9/12003203_1074208755952536_8343237601636818903_n.jpg?oh=c51000430348fcd1418398d60a079d46&oe=56AAA990&__gda__=1449741219_b1f7e565c376a8bc74c3d8d0c601f66e)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpl1/v/t1.0-9/12003925_1074208842619194_2928740578396830689_n.jpg?oh=a714282b2e64f55f8f9a9aefa9046c4b&oe=5695B782)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/11149572_1074208879285857_346318315752785639_n.jpg?oh=26249cbaa9b7ce438787783bf1e0c011&oe=56995A9C&__gda__=1453051684_ad7ca8295c607b564f26f4499fd33b97)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/11204456_1074208872619191_6420636915171966524_n.jpg?oh=5641957d49c7f551da62f3bfada17bc7&oe=566B4B41&__gda__=1452501009_cb4c8b8b716b7649c2aee62d19a478d4)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12004935_1074208979285847_696618048919280396_n.jpg?oh=722bfbabf764d4c2379f95d9a31bfb38&oe=56697912&__gda__=1453344411_456c9f3e2cb78fe21a1ee3e901822c93)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12047095_1074209025952509_6811121909672858572_n.jpg?oh=86999242f1a512d96255593d1a01a5c8&oe=56A9F654&__gda__=1449439913_f71823a277aa15c57ae93d530c58b926)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xta1/v/t1.0-9/12039711_1074209015952510_2635903493002875141_n.jpg?oh=f99ecbd704432832538fef7edbfdd5e8&oe=566B2632)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xla1/v/t1.0-9/11987064_1074209052619173_8390035192574097935_n.jpg?oh=1283653f18044965acddd42e0f1b18ab&oe=56645D73&__gda__=1453442749_d92b43f67b5996fe5507c76cfbbc461e)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xal1/v/t1.0-9/12002030_1074209075952504_7157409752562906805_n.jpg?oh=2e98fade9dc7ac4901a093bcbe42db97&oe=56A4AA21&__gda__=1453242893_a79fbcca4a1650556b03a6039617a0d2)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/v/t1.0-9/11226012_1074209102619168_8000914424380202490_n.jpg?oh=7e98d5888d7da83a996227bff9e9bfd8&oe=56941036)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/12009574_1074209149285830_2774183780953820864_n.jpg?oh=b77407896e7461dc2b44318850b764d4&oe=569AAD43&__gda__=1453094931_64a6bf6c878fec75c67e07829a29a441)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/12011349_1074209145952497_1317528161352400978_n.jpg?oh=ca12751a192c47224efca9b5505015e3&oe=569F96AB)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/12047115_1074209189285826_8523355594689304193_n.jpg?oh=0bd112e850f34b3b08ba1db448b05674&oe=56A40C7A)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xal1/v/t1.0-9/12002030_1074209169285828_2757330106761286927_n.jpg?oh=df8cd1f28a240f2e72771137dd2b2513&oe=5669A9C1)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Setembro 21, 2015, 10:09:34 am
http://www.forte.jor.br/2015/09/19/brasil-deve-comprar-sistema-russo-pantsir-s1-de-defesa-antiaerea-em-2016/
Citar
O governo brasileiro deve oficializar em 2016 um contrato para compra de três unidades do sistema de defesa antiaérea Pantsir-S1, de fabricação russa. O encaminhamento do acordo, no valor de US$ 500 milhões, foi confirmado pelo embaixador do Brasil na Rússia, José Antonio Vallim Guerreiro, e por empresários da área de Defesa às margens da visita do vice-presidente Michel Temer a Moscou, onde se encontrou com o primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, na quarta-feira, 16.

A viagem da delegação liderada por Michel Temer ocorreu entre o domingo e a quarta-feira. O vice-presidente viajou a Moscou acompanhado de seis ministros do PMDB, mas não do ministro da Defesa, Jaques Wagner, cuja presença chegara a ser anunciada. Mesmo com a ausência da principal autoridade da área no setor de Defesa, entretanto, as negociações para a aquisição do sistemas Pantsir-S1 evoluíram.

De acordo com a agência de notícias pública russa Ria Novosti, o acordo para a compra das baterias antiaéreas deve ser concluído em 2016. A previsão foi confirmada em Moscou pelo embaixador brasileiro. “Segundo as informações que tenho, o contrato será assinado no próximo ano, em um contrato total de US$ 500 milhões”, afirmou Guerreiro, que indicou a perspectiva de compra de três unidades dos veículos. O Serviço Federal para Cooperação Técnica-Militar da Rússia também confirma a iminência do negócio.

Carência. A transação foi um dos objetos de conversações na 9ª Reunião da Comissão Intergovernamental de Cooperação (CIC) Brasil-Rússia, realizada esta semana, com a presença de Temer. Segundo informações obtidas pelo Estado durante o evento, o negócio pode prever oito anos de carência no pagamento – o que reduziria o impacto orçamentário de curto prazo, sem comprometer o momento de ajuste fiscal no Brasil.

No entanto, de acordo com um empresário brasileiro da área de armamentos presente em Moscou, o custo pode variar “até US$ 700 milhões, dependendo das exigências de transferência de tecnologia que podem ser feitas pelo Ministério da Defesa”.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/09/Pantsir-S1-580x406.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 24, 2015, 07:31:02 pm
Leopard I: generalidades sobre as munições usadas pelo EB

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/12/Leopard-I-firing.jpg)

Tiro 105mm APDS-T; Tiro 105mm HEAT; Tiro 105mm HEP-T; Tiro 105mm Fumígeno (WP); Tiro 105mm Fumígeno (HC); Tiro 105mm de treinamento;

 :arrow:   http://www.forte.jor.br/2011/12/14/leop ... s-pelo-eb/ (http://www.forte.jor.br/2011/12/14/leopard-i-generalidades-sobre-as-municoes-usadas-pelo-eb/)


(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/12/Leopard-I-firing-2.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 24, 2015, 08:06:28 pm
Fotos disponibilizadas no Instagram do E.B:

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/8iop_zpsoga8jwza.png) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/qwer_zpsgshcgnzu.png) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/fghj_zpsraitht64.png) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/bnm_zpsph1bedju.png) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Sem%20tiacutetulo_zpswy3m7pbs.png) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/cvbn_zpsvto78ihc.png) (http://http)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Setembro 25, 2015, 02:29:30 pm
http://www.forte.jor.br/2015/09/25/brasil-corre-risco-de-regredir-40-anos-na-defesa-alerta-comandante-do-exercito/
Citar
O comandante do Exército, o general Eduardo Villas Bôas, alertou hoje (24), em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), que todos os projetos da área da Defesa vem sofrendo com fortes atrasos por causa dos cortes orçamentários e que isso representa um “risco real” de uma grande regressão nessa área.

— Podemos retornar a uma situação de 30, 40 anos atrás, quando éramos a oitava maior indústria de Defesa do mundo, e tudo foi perdido. Mais dois anos nessa situação e todo o esforço pode se perder — alertou durante o debate, sugerido pelo senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES).

O comandante do Exército fez questão de defender o ministro da Defesa, Jaques Wagner, que, na opinião dele, tem se esforçado para reduzir o impacto desses cortes sobre a pasta. Villas Bôas garantiu que o ministro tem pleno conhecimento do quadro hoje existente.

Diante da gravidade dessa situação, o presidente da CRE, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), informou que vai buscar junto ao Ministério da Defesa e ao próprio Exército definir quais projetos são os prioritários, para que recebam as emendas da Comissão no Orçamento 2016.

Relator do Livro Branco da Defesa — documento público que expõe a visão do governo sobre o tema da defesa, a ser apresentado à comunidade nacional e internacional —, Ricardo Ferraço criticou Jaques Wagner por, segundo ele, estar hoje mais envolvido com a crise política do que com a crise que atinge a própria indústria de Defesa no país. O senador Informou que há vários dias vem tentando se reunir com o ministro, “mas sem sucesso”.

Fronteiras

Um dos principais pontos abordados durante a reunião foi o atraso na implantação do Sistema Integrado de Monitoramento das Fronteiras (Sisfron).

O programa começou a ser implantado em 2013, com prazo de conclusão de 10 anos, mas, segundo Ferraço, se for mantido o cronograma atual de repasses, esse projeto só estará finalizado daqui a 60 anos. O senador acredita que tudo que foi planejado e começou a ser realizado a partir da gestão de Nelson Jobim na pasta (2007-2011) está hoje “em colapso”.

— O quadro hoje é de desemprego, atraso tecnológico e perda de mercados em virtude da orgia fiscal praticada pelo governo em outras áreas — lamentou Ferraço.

Villas Bôas confirmou que o atraso no Sisfron também é o que mais lhe preocupa. Ele revelou que apenas 7,2% dos investimentos previstos até agora foram feitos.

Para o general, a atuação dos cartéis internacionais ligados ao tráfico de drogas é hoje a maior ameaça à sociedade brasileira. O Sisfron será um elemento forte de dissuasão e combate à atuação desses grupos quando estiver em funcionamento. E para o general, hoje milhões de brasileiros sofrem a consequência direta do desguarnecimento das fronteiras, por onde entra a droga responsável por 80% da criminalidade urbana, segundo dados da Polícia Federal.

De acordo com o comandante do Exército, já foi detectada a atuação desses cartéis na região amazônica, inclusive com a plantação e cultivo de drogas na região fronteiriça.

— Isso é extremamente preocupante, pois são grupos muito violentos e com um grande poder de corrupção das instituições — informou, temendo que ocorra em nosso país fenômenos que já fazem parte do cotidiano de outra nações latinas.

Programas em atraso

Indagado pelos senadores, o general Eduardo Villas Bôas detalhou o atraso existente em outros programas.

A senadora Ana Amélia (PP-RS) mostrou sua preocupação com a grande vulnerabilidade existente no país na área de defesa cibernética. Ela citou especificamente o caso de espionagem feita pela Agência Nacional de Segurança dos EUA sobre a presidente Dilma Rousseff e outras autoridades.

O general concordou e classificou essa área hoje como “fundamental”. Apenas durante a Copa do Mundo, revelou o comandante do Exército, foram neutralizados 756 ataques contra o aparato cibernético utilizado na organização do evento. E disse que a maior utilidade de se preparar nessa área é o resguardo de sua infraestrutura industrial.

VIllas Bôas também destacou a grande ameaça que ronda hoje todos os programas relacionados ao desenvolvimento de mísseis, foguetes e blindados. O comandante reiterou que um país que é a oitava maior economia do mundo, relevante em nível mundial e com a presença de efetivos em diversas nações (Haiti, Líbano, Congo e outras), não pode ficar desguarnecido.

— São áreas geradoras de empregos altamente qualificados e grandes exportadoras — frisou.

Democracia

Os senadores pediram a opinião do general sobre a presença de manifestantes em protestos populares que pedem o “retorno do regime militar”. Para ele, a sociedade brasileira amadureceu democraticamente e “não precisa ser tutelada”. Para ele, parte desses manifestantes na verdade clamam por gestões baseadas em valores, e que a classe militar seria percebida por eles como “portadores desses princípios”.

— Temos compromisso com a legalidade e com a estabilidade, jamais seremos agentes de instabilidade. Nossa missão é clara e determinada pela Constituição — definiu Villas Bôas, recebendo elogios dos senadores Aloysio Nunes Ferreira, Ana Amélia, Tasso Jereissati (PSDB-CE), Edison Lobão (PMDB-MA) e José Agripino (DEM-RN).

FONTE: Agência Senado
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/09/O-comandante-do-Ex%C3%A9rcito-o-general-Eduardo-Villas-B%C3%B4as-580x384.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 28, 2015, 04:37:41 am
Guarani 6x6 VBTP-MR

(https://c2.staticflickr.com/8/7677/16493279373_a338f76750_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7298/10470834726_6174cda97a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3815/10470833506_c19a4c93c2_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2822/10470835366_a516472027_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7313/10470832906_369d44cd73_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2856/10470827604_77e2b6f916_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5508/10470828886_55c1c95bf9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3665/10470811024_e9b75514ec_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7409/10470809904_89749f8f2c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3695/10470812056_3e2757fccf_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3669/10471007603_8e9b572216_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7394/10470807715_d547589bb3_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2830/10470996463_1e7770033f_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2881/10470818186_e77561d2d0_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7351/10470799365_bf0e9abbb2_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8785/17112762491_ce4120d3c2_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 29, 2015, 09:56:30 pm
9º Grupamento Logístico realiza o Transporte do Carro de Combate M 60 para Boa Vista

No dia 12 de setembro, o 9º Grupamento Logístico (9º Gpt Log) deu início à pioneira missão de transporte de uma viatura Blindada de Combate CC M 60 A3 TTS, do 20º Regimento de Cavalaria Blindado de Campo Grande (MS) para a Guarnição de Boa Vista (RR), com um trajeto tem cerca de 8.480 km.

A missão faz parte do Projeto M 60 e da experimentação doutrinária, versando sobre a Nova Logística Militar Terrestre, em desenvolvimento pelo Comando do Exército.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7087731&t=1443553366468)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7087732&t=1443553366523)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7087735&t=1443553366690)

Fonte: www.eb.mil.br (http://www.eb.mil.br)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 29, 2015, 11:23:08 pm
Aeromóvel

(https://c2.staticflickr.com/4/3106/2294125328_518a410bf5_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2034/2294517986_41f4402be1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3152/2296232765_8a8e53d480_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3148/2616648112_6e91923074_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3163/2641001218_58c24e423b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3180/2641062332_a8751f788b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3029/2615827577_9907fd609c_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2212/2659570188_7ffeb1cace_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3033/3043466359_7ee2720a10_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3248/3043388543_991f438497_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3196/3043363759_b1e02ea331_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3521/3318512445_6fd647c09a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3389/3319349124_202865d7fb_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3440/3318539509_08b4dd568d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3301/3319399192_4087c85618_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3636/3319430398_a6e729f748_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3455/3319436224_c4fae065ab_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3426/3319446434_fa0aa4958c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3170/2641029182_90b84edc14_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3153/2658765535_23fa736212_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3025/2731483251_94866163a7_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 03, 2015, 07:44:20 pm
MBT M 60 enviados a fronteira Norte do Brasil

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/27799_resize_800_600_false_true_null.jpg)

O dia 29 de Setembro 2015 é um dia histórico para a Arma da Cavalaria do Exército Brasileiro. Neste dia uma Viatura Blindada de Combate Carro de Combate (VBC CC) M60 A3TTS, do 20º Regimento de Cavalaria Blindado (RCB), de Campo Grande (MS), disparou sete vezes o seu canhão de 105mm, no Lavrado (terreno similar ao cerrado de Goiás),  em Roraima (RR).

A 1ª Brigada de Infantaria de Selva conduziu o tiro da Viatura Blindada de Combate CC M-60A3TTS,  realizado na Serra do Tucano, Município de Bonfim, próximo à capital Boa Vista do Estado de Roraima. É a primeira vez na história, que um Carro de Combate opera e dispara no Teatro de Operações da Amazônia e no extremo setentrional do Brasil.

O transporte de um Carro de Combate, pesando mais de 50 toneladas, desde a cidade de Campo Grande (MS), até Boa Vista (RR), é um evento, mesmo para os dias de hoje, digno de um Bernardo Sayão (Desbravador da Amazônia que construiu a Rodovia Belém – Brasília).

Além dos disparos também foram realizados testes de mobilidade no terreno e identificar o comportamento de um veículo de lagarta, e de 50 toneladas, no terreno típico da região, o Lavrado.  Terreno seco e firme com características similares ao cerrado goiano e até o pampa gaúcho.

O deslocamento

No dia 12 de setembro, uma plataforma de transporte do 9º Grupamento Logístico (9º Gpt Log) deu início à pioneira missão de transporte de uma Viatura Blindada de Combate CC M 60 A3 TTS, do 20º Regimento de Cavalaria Blindado, de Campo Grande (MS) para a Guarnição de Boa Vista (RR), com um trajeto previsto de  cerca de 8.480 km.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/27812_resize_800_600_false_true_null.jpg)

O Objetivo

O Objetivo traçado pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e o Comando do Exército é o de levantar custos, tempo e principais pontos para o planejamento de deslocar um esquadrão ou até um Regimento de Carros de Combate (RCC), em caso de necessidade para a Região Amazônica.

Este deslocamento seria em apoio ao 12º  Esquadrão de Cavalaria Mecanizado sediado em Boa Vista,( RR),  equipado com viaturas Cascavel e Urutu que compõem a 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Bda Inf Sl), criado na década de 1980.

A escolha do M-60A3TTS (Tank Thermal Sight) foi pela unidade estar mais próxima (Campo Grande), que as demais unidades equipadas com o VBC CC Leopard1A5Br localizadas mais ao Sul, nos Estados do Paraná e Rio Grande do Sul.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/27800_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/27801_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/27802_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Fonte:   http://www.defesanet.com.br/doutrina/no ... rasileira/ (http://www.defesanet.com.br/doutrina/noticia/20443/TOA---CC-Dispara-na-Amazonia---Dia-Historico-para-a-Cavalaria-Brasileira/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 03, 2015, 07:57:22 pm
U.S. and Brazil M88 Joint Vehicle Inspection

September 15, 2015

By USASAC Public Affairs


As the U.S. Army winds down operations in Afghanistan and Iraq, some of the excess military equipment is finding a new home with military allies. Recently members of the Brazilian Army traveled to Anniston Army Depot in Alabama to inspect M88 Recovery vehicles under a security assistance program called "Excess Defense Articles" or EDA. Some of these M88s have been in the U.S. Army inventory since the 1960's and are no longer needed by U.S. forces. Of the 12 recovery vehicles available, four vehicles were selected by the Brazilian Army representatives.

http://www.army.mil/article/155457/U_S_ ... nspection/ (http://www.army.mil/article/155457/U_S__and_Brazil_M88_Joint_Vehicle_Inspection/)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 06, 2015, 10:37:02 pm
4º Batalhão de Infantaria Leve

No dia 4 de outubro, o 4º Batalhão de Infantaria Leve participou do Domingo Aéreo 2015, na Cidade de São Paulo. O evento, coordenado pelo IV Comando Aéreo Regional, contou com a exposição de aeronaves, de produtos de defesa, de viaturas e de materiais de emprego militar destinados ao Pelotão COBRA do Batalhão, pertencente ao Projeto Combatente Brasileiro (COBRA), conduzido pelo Estado­-Maior do Exército. Este projeto estratégico consiste capacitar e realizar experimentação doutrinária com pelotões de fuzileiros, equipando-os com armamentos avançados, meios optrônicos e outros produtos de defesa de alta tecnologia, aumentando, ao longo de seis anos, o poder dissuasório da Força Terrestre. Assim, foram expostos o fuzil de assalto 5,56 mm IA2 IMBEL, a pistola 9 mm GC MD1 IMBEL, a faca de campanha amazônia IMBEL, as submetralhadoras 7,62 mm MINIMI e 5,56 MINIMI, a mira holográfica HDS­3AA, a luneta amplificadora HDS­1, a lanterna tática TF 150L, a filmadora tática, o rádio portátil Falcon III e o kit de primeiros socorros.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7094701&t=1444156812153)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7094703&t=1444156812156)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7094704&t=1444156812158)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 08, 2015, 01:44:10 pm
Brasil irá criar uma nova Força Expedicionária para atuar em missões internacionais

(http://tvdoservidorpublico.com/wp-content/uploads/2015/04/exercito-marinha-brasil-missao-de-paz-onu-organizacao-nacoes-unidas-haiti.png)

O Exército Brasileiro (EB) criará uma Força Expedicionária (F Expd) para apoiar de forma permanente a participação do Brasil em missões no exterior. A constituição da nova força está na fase de definição da organização, estrutura e preparação para atuar, a ser concluída em 2016, informou o Coronel Fernando Civolani Lopes, Chefe do Estado-Maior da Segunda Divisão de Exército (2ª DE), com sede em São Paulo. Em 2014, os comandos do Estado Maior do EB e de Operações Terrestres (COTER), em Brasília, começaram as análises sobre a criação da F Expd, subárea do Projeto Estruturante do novo Sistema Operacional Militar Terrestre (SISOMT).

“O principal objetivo é a prontidão, para podermos atuar em vários contextos. Hoje precisamos mobilizar nossas unidades a cada missão que o Brasil é demandado”, explicou o Cel Civolani. “Com uma estrutura sempre preparada a atuar, o Brasil obtém mais respeito de organismos internacionais e valoriza seu pleito para integrar o Conselho de Segurança das Nações Unidas.” No modelo em vigor, o EB aciona uma organização militar em cada um dos oito comandos militares (Sul, Sudeste, Leste, Oeste, Nordeste, Amazônia, Planalto e Norte), que mobilizam seus efeitos e fazem a preparação para atender a uma missão.

Em janeiro deste ano, o Estado Maior e COTER determinaram que se iniciasse o planejamento para a implantação da F Expd, “Com isso, a Força Expedicionária foi oficializada, e agora começamos a desenhar a sua organização. A sede será na Segunda Divisão de Exército”, afirmou o Cel Civolani. Em junho deste ano, a Segunda Divisão sediou a quarta reunião do núcleo da F Expd, que teve a participação de comandantes do Comando Militar do Sudeste, da Força Militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização na República Democrática do Congo (MONUSCO) e do COTER. Em 2015 e 2016, ocorrerão estudos, montagem do cronograma e levantamento financeiro e logístico para a futura estrutura.

Dentro da fase de estudos, um seminário de 14 a 18 de setembro foi organizado e sediado pelo COTER, em Brasília, reunindo adidos de defesa da Alemanha, Canadá, Espanha e França, representantes do Ministério da Defesa do Brasil, Força Aérea (FAB) e Marinha. “Os países amigos, as força coirmãs e os organismos do EB têm um grande conhecimento nas suas áreas e experiências que são de grande valia para a definição do modelo [da F Expd]”, declarou o Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx). O evento serviu para colher subsídios aos procedimentos da nova organização cuja implantação é prevista para 2022, informou o Cel Civolani, que participou do seminário.

A F Expd deverá ter condições de prover pronta resposta para, isoladamente ou em conjunto (com organismos internacionais) salvaguardar interesses nacionais ou atuar em Operações de Amplo Espectro que abrangem desde ações humanitárias de guerra à pacificação, segundo o CCOMSEx. A capacidade da nova força cumpre ainda preceitos do capítulo 1 do Livro Branco da Defesa Nacional publicado em 2012 e que reúne as funções e ações das forças de defesa do país.

“A F Expd defenderá os interesses nacionais e as pessoas, os bens e os recursos brasileiros no exterior contribuirá para a manutenção da paz e da segurança internacionais e intensificará a projeção do Brasil no concerto das nações e sua maior inserção nos processos decisórios internacionais”, explicou o CCOMSEx.

A nova Força Expedicionária

O CCOMSEx identificou “17 missões internacionais mais relevantes” com participação de militares do EB desde 1948, estão no rol a participação de 1.175 militares na força de emergência das Nações Unidas (UNEF I) no cessar fogo e retirada das forças armadas da França, Grã-Bretanha e Israel no Canal de Suez e Península do Sinai, entre 1957 e 1967. O Brasil atua hoje em campanhas da ONU para a Estabilização no Haiti (Minustah), na Força Interina da ONU no Líbano (UNIFIL), e as missões das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO) e no Timor Leste (UNTAET).

O Cel Civolani esclareceu que a nova unidade terá atribuições e inserção em contextos diferentes que mobilizaram a primeira Força Expedicionária Brasileira (FEB). A FEB foi especialmente criada para atuar entre julho de 1944 e maio de 1945 na campanha na Itália, ao lado dos Aliados (Inglaterra, França e Estados Unidos), o Brasil ingressou na Segunda Guerra Mundial após o ataque da Alemanha – que integrava o Eixo – a embarcações brasileiras na costa marítima nacional. A FEB reuniu cerca de 25.000 homens e foi dissolvida com o fim da guerra.

“Ela acabou pois os objetivos para os quais foi estruturada haviam sido atingidos, com a rendição das forças inimigas”, explicou o Cel Civolani. O nome da nova unidade remete à memória sobre a FEB mas os contextos e as peculiaridades são outros, mas admito que é inevitável a referência.

Estrutura e ação da F Expd

Organizações militares da Segunda Divisão de Exército deverão ser as sedes da Força Expedicionária devido à vocação estratégica. São brigadas de infantaria leve, que seguem um treinamento mais especializado, voltado à garantia da lei e da ordem, por exemplo, explicou o Cel Civolani. A 11ª e a 12ª Brigadas de Infantaria Leve, com sede, respectivamente, em Campinas e Caçapava, no estado de São Paulo, são candidatas a liderar a implantação do subprojeto. As unidades vão organizar e executar a primeira experimentação doutrinária, marcada para 2017. “O exercício simulará uma situação de crise internacional ou missão humanitária”, informou o Cel Civolani.

A F Expd deve ter inicialmente constituição de batalhão com 1,000 militares em 2022, primeiro ano da atuação da força. Depois a organização deve evoluir para uma brigada com 3,000 militares em que agregariam mais aptidões, como infantaria, apoio de fogo e logística. Esse último estágio é previsto para 2030. O CCOMSEx informa que a F Expd deverá contar ainda com veículos blindados, para aumentar a capacidade e possibilidades de atuação.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Soldados-brasileiros-da-MINUSTAH-patrulham-bairro-de-Bel-Air-em-Porto-Pr%C3%ADncipe-Haiti.2.jpg)

“As necessidades de material serão levantadas no futuro. As estruturas operacionais deverão priorizar maior proteção coletiva, velocidade e letalidade seletiva”, detalhou o CCOMSEx, “Os veículos serão dotados de meios de comando e controle que permitam a consciência situacional até o nível de combatente individual, e seremos o núcleo responsável pelos diversos ciclos que comporão a operação da F Expd – mobilização (reunir os homens), preparo, emprego (ação em campo) e desmobilização”, detalha o Chefe da 2ª DE. “Mas todas as tropas do EB no país poderão atuar.”

A concepção da operação prevê que simultaneamente quatro batalhões estejam envolvidos, “para ter sempre uma força pronta a atuar”, explicou o Cel Civolani. Com isso, haverá um batalhão envolvido em cada ciclo. “A grande evolução é a preparação e prontidão, pois mobilizar leva tempo. Este é o enfoque da nova Força Expedicionária.”

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Soldados-brasileiros-da-MINUSTAH-patrulham-bairro-de-Bel-Air-em-Porto-Pr%C3%ADncipe-Haiti..jpg)

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/20 ... E.facebook (http://www.revistaoperacional.com.br/2015/md/brasil-ira-criar-uma-nova-forca-expedicionaria-para-atuar-em-missoes-internacionais/#.VhVT594aFME.facebook)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 08, 2015, 07:21:36 pm
Curso de qualificação da tropa no canhão sem recuo de 84 mm

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Canh%C3%A3o84ABRE.jpg)

Trinta militares dos três batalhões de Infantaria orgânicos da 4ª Brigada de Infantaria Leve (Montanha), de Juiz de Fora (MG) – o 10º Batalhão de Infantaria de Montanha, sediado na própria Juiz de Fora, o 11º Batalhão de Infantaria de Montanha, de São João Del Rei (MG), e o 32º Batalhão de Infantaria de Montanha, sediado em Petrópolis (RJ) – completam, nesta quinta-feira (08.10), no campo de instrução do Exército que fica na Remonta, em Juiz de Fora, o treinamento que iniciaram na segunda passada (05.10) com o canhão sem recuo de 84 mm Carl Gustaf, de fabricação sueca.

O adestramento dos militares está sob a responsabilidade de instrutores do 10º Batalhão – Batalhão Marechal Guilherme Xavier de Souza –, e a atividade é supervisionada e apoiada pelo Comando da 4ª Brigada.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Canh%C3%A3o84-pessoalmais-distante.jpg)

A vocação do 10º Batalhão para o treinamento de militares que não pertencem ao seu efetivo é antiga. Em 2006 a unidade começou a formar os sargentos de carreira do Exército brasileiro.

Mas a sua rotina básica está baseada na prática do montanhismo militar, atividade aplicada no chamado “Estágio Básico de Combatente de Montanha que a unidade proporciona a militares do Exército, da Marinha, da Força Aérea e de órgãos de Segurança Pública.

A arma Carl Gustaf equipa o Exército brasileiro há quase 20 anos. Ela tem 1,1 m de comprimento e pesa 8,5 kg. Operada por dois homens, pode fazer até seis disparos por minuto, lançando diferentes tipos de projetis por distâncias que variam de 600 a cerca de 2.000 m.

Sua eficiência, inclusive para o combate a viaturas blindadas, fez desse canhão equipamento das chamadas Forças de Ação Rápida do Exército Brasileiro.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Canh%C3%A3o84homemsozinho1.jpg)


Fonte: http://www.planobrazil.com/termina-hoje ... -de-84-mm/ (http://www.planobrazil.com/termina-hoje-nas-montanhas-de-minas-curso-de-qualificacao-da-tropa-no-canhao-sem-recuo-de-84-mm/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 08, 2015, 07:26:45 pm
Jane’s diz que Exército brasileiro quer dar a pelo menos 100 mil dos seus homens o status de profissionais COBRA

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/CobraABRE.jpg)

O Exército Brasileiro planeja concluir até o final do ano a etapa inicial de seu projeto de modernização Combatente Brasileiro (COBRA), que visa  dotar a tropa com as últimas tecnologias aplicáveis ao desempenho individual do soldado.

De acordo com o correspondente do IHS Jane’s Defence Weekly em Istanbul, Victor Barreira, uma fonte da Força Terrestre Brasileira revelou que, até 2021, sua corporação pretende reequipar cerca de 100 mil militares do Exército no padrão COBRA. Entretanto, esse cronograma pode ser retardado em função das sérias restrições orçamentárias que afetam (e afligem) os chefes militares e suas organizações.

Um sub-projeto batizado de COBRA 1.0 foi iniciado em 2014 para comprar itens de equipamento individual do combatente para um efetivo de 160 militares.

Este sub-projeto foi criado para identificar e avaliar equipamentos cuja eficiência é medida pela proteção, grau de letalidade, de sobrevivência, nível de consciência situacional, de comunicação e capacidade de observação e de recursos de mobilidade que conferem.

Segundo Barreira, o sistema Sagem FELIN, já adotado pelo Exército francês para modernizar o equipamento dos seus combatentes, foi apresentado por mais de uma vez aos chefes militares brasileiros.

À etapa COBRA 1.0 irá se seguir o programa COBRA 2020, que será implementado em diferentes fases a partir do ano que vem.

O objetivo do COBRA 2020 será desenvolver tecnologias brasileiras de qualificação do combatente do Exército, por meio da cooperação entre os centros de pesquisa da Força Terrestre com a Base Industrial de Defesa, instituições científicas civis e as universidades.

O projeto COBRA foi desenvolvido no âmbito de um Projeto Estratégico do Exército denominado Obtenção da Capacidade Operacional Plena (PEE OCOP), e está sendo executado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia da Força Terrestre, sob a supervisão direta do Estado-Maior do Exército.

Suas metas são ambiciosas: apresentar soluções flexíveis, modulares, adaptáveis ​​e simples, capazes de prover as tropas brasileiras com maior interconectividade, maior interoperabilidade e melhor ergonomia quando operando em região montanhosa, área de selva, perímetro urbano, no pantanal e no cerrado, bem como em teatros de operação fora do Brasil.

Fonte: http://www.planobrazil.com/janes-diz-qu ... ais-cobra/ (http://www.planobrazil.com/janes-diz-que-exercito-brasileiro-quer-dar-a-pelo-menos-100-mil-dos-seus-homens-o-status-de-profissionais-cobra/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 08, 2015, 07:33:12 pm
(https://c2.staticflickr.com/8/7508/15607079257_1a81bee312_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8565/16649460768_63a1912c9a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7644/16649672470_6958d79c8a_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8721/16217068253_ca12e09b95_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7616/16835953431_f5ebcebbd1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7590/16649437208_5c0da45983_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7608/16650713749_8daa1fda5b_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8591/16216876043_bccffbc699_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8695/16649418820_5c88bb85db_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 11, 2015, 07:37:43 pm
Centro de Instrução e Operações na Caatinga

(http://2.bp.blogspot.com/-FF3IZHQErBo/UJR4BIR9YjI/AAAAAAAACX4/QWKOUu608bo/s1600/ciopc2.png)

O Centro de Instrução e Operações na Caatinga (CIOpC) é, atualmente, o estabelecimento destinado à formação do Combatente de Caatinga do Exército Brasileiro. Ele é vinculado ao 72º Batalhão de Infantaria Motorizado, possui um campo de instrução para as atividades de formação do aluno e o Parque Zoobotânico da Caatinga, que é o seu apoio para as instruções sobre a fauna e a flora. No CIOpC são ministrados o Estágio de Adaptação à Caatinga, com duração de uma semana, e o Estágio de Adaptação e Operações na Caatinga, com duração de duas semanas.
 
As atividades de instrução desenvolvem-se em ritmo intenso e buscam reproduzir as condições de combate em área de Caatinga. Muitas lições são ensinadas aos soldados do Exército no Centro, que se situa em um imóvel da União conhecido por Centro de Instrução Fazenda Tanque do Ferro (CIFTF). A área do CIFTF é de 2.817,51ha e se localiza próximo a Jutaí, a 108 km de Petrolina (PE). O Centro está totalmente inserido em área coberta pelo bioma caatinga e é afastado dos grandes centros urbanos. Tais características fazem desse Campo de Instrução um local perfeito para o desenvolvimento da doutrina e da pesquisa a respeito das operações militares em ambiente operacional de caatinga.
 
Os soldados que fazem o estágio no CIFTF são distribuídos em vários batalhões do Exército no País. Por ano, são desenvolvidos em média sete estágios. Os alunos devem passar por ele para conhecer o ambiente onde a Unidade está inserida. Além disso, outras organizações militares, como a Brigada de Infantaria Paraquedista, sempre enviam militares para treinamento.
 
Os estágios de adaptação à caatinga duram até 15 dias e, nesse período, os militares recebem instruções sobre alimentos de origem vegetal e animal, o processo de orientação na caatinga (bússola e GPS), os efeitos do calor e primeiros socorros e as características da área de operações. Após uma semana de aula, os futuros combatentes de caatinga recebem uma missão e é aí que colocam em prática todos os fundamentos adquiridos durante a semana de instrução. Na Fazenda Tanque de Ferro, que serve como base para o Centro de Instrução, há uma estrutura composta por alojamentos, casa-sede, copa, enfermaria e salas para instruções.

(http://2.bp.blogspot.com/-BA00-EMUWps/UuKYvLsMhHI/AAAAAAAADP0/xPcM5lNKvIU/s1600/troca.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/-nh_J96fymNE/VcI7GbE7v1I/AAAAAAAADxY/ywJMjuleRrw/s1600/Imagem5.png)

(http://3.bp.blogspot.com/-0oFZncQSpjA/VcI67CP4xPI/AAAAAAAADw8/o8cFXXrTNnw/s1600/Imagem2.png)

(http://3.bp.blogspot.com/-o0GR35YDrpU/VcI7EFN4pjI/AAAAAAAADxI/_QYZQXek1i4/s1600/Imagem4.png)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7102916&t=1444403347496)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7102917&t=1444403347540)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7102919&t=1444403347639)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7102920&t=1444403347680)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 11, 2015, 08:05:24 pm
Brigada de Operações Especiais: 1ª Batalhão de Forças Especiais / 1ª Batalhão de Ações de Comandos

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/601819_606535949364301_70478343_n_zpsd36e916b.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/428756_606536372697592_1712321571_n_zpsbb28f9d7.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/249141_606535682697661_608747512_n_zps6aec74e2.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/189475_606536409364255_1240406962_n-Coacutepia_zps29fbac86.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/183125_606535646030998_137608328_n-Coacutepia_zps92d2c7c4.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/opsrt_zpsddc8afe4.png)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Opordd_zpsf9a0f7af.png)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/iuioh_zpsd6636275.png)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/opp_zps38147d5f.png)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Semtiacutetulo_zps08d8b852.png)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Brasilop_zps7f3291c5.png)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/Aprestamento017.jpg) (http://http)


(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/formaspa005.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/DSCF1534.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/DSCF1565-1.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/DSCF1564-1.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/DSCF1558.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/DSCF1559.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/pqd14.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/163532_606535242697705_2106715431_n-Coacutepia_zps3660f3a5.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/601914_606535379364358_170596816_n_zpsbf322c50.jpg) (http://http)

(http://i213.photobucket.com/albums/cc145/fredpanzer/283982_606535582697671_1379149791_n_zpsaa49f27c.jpg) (http://http)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 12, 2015, 03:35:28 pm
Brigada de Infantaria Pára-quedista

(https://c1.staticflickr.com/1/746/21866318789_4afddda61b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5755/22040443902_dc0daf4463_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/632/21864673660_3ac5dc7364_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5755/21431720943_23e477a423_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5772/22052864235_dc4a1af7d4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5745/22026680396_8b764e228a_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/682/21430057084_3550f197de_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/612/21430062574_e7658e9de0_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5647/22052912365_bc38475835_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5659/21430077744_94bc5fdc23_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5737/21431782223_f5881c9bd7_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5811/21865030398_ab2d001355_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/670/21864661130_c583748860_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/664/22040439442_a0fb2e052c_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/696/21431789853_56791b1ea2_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/632/21865038768_290a030147_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/603/22063218161_5fa6f813dc_k.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5626/22026765666_d87112b99b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5679/22040548812_0e6eed6855_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5760/21866056969_4a3bfca833_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5788/21865401368_315546f6e9_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/684/22040557602_0c10a3f845_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5749/22052969225_4237b1b2bf_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5622/21866068049_c47644709f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5682/22062946891_b321b2740c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5726/21865122108_8a16cde41b_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/641/22026831146_2c86d134e0_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5789/21865129848_7cff51244f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5766/22026846986_5d2eca0069_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5730/22062966291_7b910f4ee9_k.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5788/21864859470_247df5290b_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 14, 2015, 01:59:16 pm
52º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS): Força de Ação Rápida do Comando Militar do Norte

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Marabatirocomfuma%C3%A7a.jpg)

O efetivo do 52º Batalhão de Infantaria de Selva, unidade sediada no município paraense de Marabá que compõe a Força de Ação Rápida (FAR) do Comando Militar do Norte (CMN), teve um mês de setembro intenso.

De 28 de setembro a 2 de outubro, a tropa realizou o Estágio Básico do Combatente Força de Ação Rápida (EBCFAR)  na área de instrução do batalhão.

O treinamento contou com a participação dos grupos de combate das Companhias de Fuzileiros de Selva, e da Companhia de Comando e Apoio dessa organização militar, e teve quatro principais objetivos:

proporcionar a ação de comando em todos os níveis;
avaliar o aprendizado da instrução do efetivo variável;
desenvolver a liderança do comandante de pequenas frações; e
avaliar a capacitação técnica do efetivo profissional.

Ao longo das diferentes etapas do adestramento, os grupos de combate passaram por oficinas de (a) apronto operacional, (b) patrulha de emboscada, (c) patrulha de reconhecimento, (d) orientação diurna, (e) maneabilidade, (f) comunicações, (g) primeiros socorros, (h) tiro de fração, (i) módulo de tiro/entrada tática, (j) montagem de armamento e (k) pista de obstáculos.

Foz do Amazonas – Na semana anterior – entre os dias 22 e 25 – o 52º BIS foi empenhado na Operação Foz do Amazonas, também desenvolvida em sua área de instrução.

A meta central do exercício foi realizar o adestramento do efetivo profissional da unidade.

O contingente foi empenhado em uma marcha para o combate fluvial, em marcha a pé através selva, e num pernoite em ambiente de selva, além de ser incumbido da instalação de base de combate e de receber instruções dirigidas, especificamente, ao pessoal da área administrativa.

Carl Gustaf – A 18 de setembro, o batalhão encerrou o Estágio Setorial do Canhão Sem Recuo de 84 mm Carl Gustaf  M3 e de arma antitanque AT4 para oficiais, Subtenentes e sargentos. Os dois equipamentos são de fabricação do grupo SAAB, sueco.

O Estágio transcorreu no período de 10 a 18 de setembro formando 19 instrutores e armeiros. O comandante do 52º BIS, tenente-coronel Marcelo da Silva Pinto, e o instrutor do sistema Carl Gustaf, Gunde Olof, entregaram os certificados de conclusão do estágio aos militares adestrados nos equipamentos suecos. O armamento da unidade também é composto por outros itens típicos de uma tropa de Infantaria da qual se requer prontidão permanente e grande mobilidade: morteiros de 60 mm, metralhadoras pesadas e armas portáteis automáticas.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Marab%C3%A1combatentessentadossujos.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Marab%C3%A1tropaformada.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Marabaajudaaoferido.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Marabatirocomatiradoresdejoelhos.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/10/Marabadefuzisempunho.jpg)

Fonte:  http://www.planobrazil.com/especial-52o ... -setembro/ (http://www.planobrazil.com/especial-52o-bis-forca-de-acao-rapida-do-comando-militar-do-norte-tem-um-super-setembro/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 15, 2015, 04:55:39 am
(https://c2.staticflickr.com/4/3911/14863162159_86c4a3b68d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5552/15026935136_9ff393cc09_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3864/14863278600_750781a722_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5558/14863338608_66de86af89_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3884/14863362818_8272b55ab5_b.jpg)

(http://1.bp.blogspot.com/-nwQacXmS2dc/U3Ul8YPjDdI/AAAAAAAAAPU/0P5sbAYStUM/s1600/IMG_13117678863535-1.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3845/15049983685_d34f9bfbb4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3894/14863280839_3bdec43596_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3903/15018356726_4cbd6e37e4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3892/14854627589_5d7161d1f9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5561/15042156225_54ca2cafe3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5562/15027000036_2776ef3cc3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3842/15049641692_d06bffa36b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3890/15027008766_ede528c054_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3882/15035512571_25ca75f93f_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Outubro 15, 2015, 11:39:04 am
http://www.forte.jor.br/2015/10/14/comandante-do-exercito-afirma-ver-risco-de-crise-social/
Citar
“Estamos vivendo situação extremamente difícil, crítica, uma crise de natureza política, econômica, ética muito séria e com preocupação que, se ela prosseguir, poderá se transformar numa crise social com efeitos negativos sobre a estabilidade”, afirmou o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas; “E aí, nesse contexto, nós nos preocupamos porque passa a nos dizer respeito diretamente”, prosseguiu.

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirma ver risco de a atual crise virar uma “crise social” que afetaria a estabilidade do país, o que, segundo ele, diria respeito às Forças Armadas.

“Estamos vivendo situação extremamente difícil, crítica, uma crise de natureza política, econômica, ética muito séria e com preocupação que, se ela prosseguir, poderá se transformar numa crise social com efeitos negativos sobre a estabilidade”, afirmou. “E aí, nesse? contexto, nós nos preocupamos porque passa a nos dizer respeito diretamente”, prosseguiu.

Villas Bôas deu as declarações em inédita videoconferência na sexta (9) para 2.000 oficiais temporários da reserva, os R2.

Em nota sobre a declaração, a instituição citou artigo da Constituição que afirma que as Forças Armadas “destinam-se à defesa da pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”, sob autoridade presidencial.

FONTE: Brasil247

http://www.forte.jor.br/2015/09/25/brasil-corre-risco-de-regredir-40-anos-na-defesa-alerta-comandante-do-exercito/
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/01/General-Eduardo-Dias-da-Costa-Villas-B%C3%B4as-580x457.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Outubro 15, 2015, 02:55:32 pm
Simples aviso à navegação ou ameaça velada de golpe militar?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Outubro 15, 2015, 03:06:29 pm
Citação de: "NVF"
Simples aviso à navegação ou ameaça velada de golpe militar?
Dois em menos de um mês e vindo do comandante do Exército certamente que tem algum significado.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/09/O-comandante-do-Ex%C3%A9rcito-o-general-Eduardo-Villas-B%C3%B4as.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 15, 2015, 03:09:43 pm
Citação de: "NVF"
Simples aviso à navegação ou ameaça velada de golpe militar?

Nem uma coisa nem outra. O Brasil não é o Egito e muito menos a Indonésia, no que se refere à estabilidade política e presença das Forças Armadas no controle político da nação — apesar dos indonésios e egípcios terem, respectivamente, FFAAs melhores equipadas e capacitadas do que as brasileiras.

Palavras do general e comandante do Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas ao Jornal Correio Braziliense:

Citar
O que acha dos manifestantes que defendem intervenção militar?

É curioso ver essas manifestações. Em São Paulo, em frente ao Quartel-General, tem um pessoal acampado permanentemente. Eles pedem “intervenção militar constitucional” (risos). Queria entender como se faz. Interpreto da seguinte forma: pela natureza da instituição, da profissão, pela perseguição de valores, tradições etc. A gente encarna uma referência de valores da qual a sociedade está carente. Não tenho dúvida. A sociedade esgarçou seus valores, essa coisa se perdeu. Essa é a principal motivação de quererem a volta dos militares. Mas nós estamos preocupados em definirmos para nós a manutenção da estabilidade, mantendo equidistância de todos os atores. Somos uma instituição de Estado. Não podemos nos permitir um descuido e provocar alguma instabilidade. A segunda questão é a legalidade. Uma instituição de Estado tem de atuar absolutamente respaldada pelas normas em todos os níveis. Até para não termos problemas com meu pessoal subordinado. Vai cumprir uma tarefa na rua, tem um enfrentamento, fere, mata alguém, enfim... não está respaldado. E aí, daqui a pouco, tem alguém meu submetido na Justiça a júri popular. Terceiro fator: legitimidade. Não podemos perder legitimidade. O Exército tem legitimidade por quê? Porque contribui para a estabilidade, porque só atua na legalidade. Pelos índices de confiabilidade que a sociedade nos atribui, as pesquisas mostram repetidamente, colocam as Forças Armadas em primeiro lugar. E, por fim, essa legitimidade vem também da coesão do Exército. Um bloco monolítico, sem risco de sofrer qualquer fratura vertical. Por isso as questões de disciplina, de hierarquia, de controle são tão importantes para nós. O Exército está disciplinado, está coeso, está cumprindo bem o seu papel.

 :arrow:   http://www.correiobraziliense.com.br/ap ... llas.shtml (http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2015/09/27/internas_polbraeco,500267/nao-cabem-atalhos-na-constituicao-diz-comandante-do-exercito-villas.shtml)  
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 15, 2015, 03:39:24 pm
Helibras faz primeiro voo do Pantera modernizado no Brasil

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/10/Pantera-K2-primeiro-voo.jpg)

A Helibras realizou na última terça-feira (13) o primeiro voo de um helicóptero Pantera totalmente modernizado pela empresa no Brasil. Assista ao vídeo do primeiro voo no canal oficial da Helibras no Youtube.

Na presença do Diretor de Material de Aviação do Exército (DMAvEx), General Pedro Paulo de Mello Braga e do Comandante da Aviação do Exército (AvEx), General Achilles Furlan Neto, a aeronave realizou os testes em voo depois de ter passado por todas as etapas da modernização, executadas por mecânicos e técnicos brasileiros no hangar de manutenção da fábrica da empresa em Itajubá (MG).

Esse foi o terceiro Pantera K2 do Exército que passou por intervenção, mas o primeiro cuja estrutura original foi totalmente modernizada, uma vez que os dois primeiros helicópteros recebidos pela Força em 2014 foram reconstruídos a partir de novas células. Esses primeiros, inclusive, completaram neste mês 1.000 horas de voo.

Para realizar o trabalho de modernização, os mecânicos de manutenção da Helibras realizaram um treinamento na Airbus Helicopters que os capacitou a efetuar grandes intervenções nas aeronaves da família Dauphin. O chamado “on the job training” trouxe para os profissionais brasileiros o domínio de novos e importantes conhecimentos, que permitiram que a unidade colocada ontem em voo passasse por todas as etapas de modernização no Brasil com as equipes qualificadas pela empresa.

Dentro do espírito de parceria entre Helibras e Exército, em 2010 dois engenheiros da Aviação também passaram por uma integração de seis meses nas instalações da Airbus Helicopters em Marignane – França junto às equipes da Airbus Helicopters e da Helibras. Em 2016, seis militares da manutenção da AvEx permanecerão na Helibras para acompanhar o processo de modernização de uma aeronave e assim realizar o treinamento do cliente “on the job training”.

Agora, o helicóptero vai para a etapa de pintura e finalizações antes de ser entregue ao Exército, o que deverá ocorrer nos próximos meses.


Programa de Modernização

O programa para modernização dos 34 helicópteros Pantera da Aviação do Exército Brasileiro, adquiridos em 1988 vai dar às aeronaves mais 25 anos de vida útil e é bastante vantajoso para o operador.

O serviço tem um custo de 35% menor do que o valor de um helicóptero novo e, após as intervenções, as aeronaves terão um aumento de 400 kg na capacidade de carga paga em operação em áreas restritas (em comparação ao modelo anterior), maior velocidade (260 km/h contra 220 km/h) e alcance (660 km contra 550 km).

Novos e modernos sistemas de comunicação e aviônicos vão garantir a atualização dos helicópteros e das missões da corporação. A unidade em modernização na Helibras foi equipada com novas cablagens, novo capô do motor, novo motor Arriel 2C2CG, com 40% a mais de potência, além de um novo painel Glass Cockpit com piloto automático de quatro eixos, permitindo mais autonomia, maior velocidade e menor carga de trabalho aos pilotos.

DIVULGAÇÃO: Convergência Comunicação Estratégica

Fonte: http://www.aereo.jor.br/2015/10/14/heli ... no-brasil/ (http://www.aereo.jor.br/2015/10/14/helibras-faz-primeiro-voo-do-pantera-modernizado-no-brasil/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Outubro 19, 2015, 11:01:18 am
http://www.forte.jor.br/2015/10/17/exercito-realiza-operacao-de-adestramento-da-tropa-com-uso-dos-novos-blindados-guarani/
Citar
A partir deste sábado (17), o Exército realiza a Operação Treme Cerrado. A atividade consiste em um grande adestramento de tropa e acontece no Campo de Instrução de Formosa, a 100 km de Brasília (DF). Na ocasião, alguns carros de combate Guarani serão utilizados pela primeira vez em uma ação dessa natureza.

Os blindados encontram-se na 3ª Brigada de Infantaria Motorizada, sediada em Cristalina (GO). Também vai ser empregado o Sistema de Lançadores Múltiplos de Foguetes Astros 2020. A tecnologia possui capacidade de disparo de diferentes calibres em uma mesma plataforma e atinge alvos localizados a até 80 km de distância. O Guarani e o Sistema Astros são parte dos projetos estratégicos da Força Terrestre.
Outro equipamento que será usado no exercício é o Radar Saber M60. Ele acompanha alvos aéreos por meio de emissão de radiofrequência. Ao longo da semana, estão previstas manobras, tiros de foguetes e artilharia e saltos de paraquedistas.

Coordenada pelo Comando Militar do Planalto (CMP), a Operação Treme Cerrado tem o objetivo de adestrar as tropas do CMP em combate, para manter o pronto-emprego dos recursos humanos e materiais do Exército. Ao todo, estão empenhados na missão 2 mil militares de quartéis situados em Tocantins, Goiás, Distrito Federal e Triângulo Mineiro.

FONTE: MinDef
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/03/Guarani-1-580x386.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 20, 2015, 01:57:37 pm
Sargentos do Exército Brasileiro ministram palestra na US Army Sergeants Major Academy

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Sargentos-do-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro-ministram-palestra-na-United-States-Army-Sergeants-Major-Academy2.jpg)

No dia 15 de outubro, o 2° Sargento Clayton dos Santos e o 2° Sargento Mauricio da Silva Souza ministraram uma palestra sobre a República Federativa do Brasil na United States Army Sergeants Major Academy (USASMA), no Fort Bliss, Texas (Estados Unidos da América), para um auditório com mais de 500 pessoas, incluindo autoridades do Exército dos Estados Unidos, militares de 37 países e alunos do curso. Os dois militares brasileiros são alunos do Curso Sergeant Major, que é reconhecido mundialmente pela excelência na formação de líderes. O curso teve início em março deste ano e prosseguirá até junho de 2016. A palestra abordou informações sobre o Brasil, como geografia, política, Forças Armadas e turismo. Ao término, os dois sargentos foram parabenizados pela desenvoltura e pela diversidade do conteúdo apresentado, engrandecendo o nome do Exército Brasileiro.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Sargentos-do-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro-ministram-palestra-na-United-States-Army-Sergeants-Major-Academy5.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Sargentos-do-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro-ministram-palestra-na-United-States-Army-Sergeants-Major-Academy7.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Sargentos-do-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro-ministram-palestra-na-United-States-Army-Sergeants-Major-Academy3.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Sargentos-do-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro-ministram-palestra-na-United-States-Army-Sergeants-Major-Academy.jpg)

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/20 ... r-academy/ (http://www.revistaoperacional.com.br/2015/exercito/sargentos-do-exercito-brasileiro-ministram-palestra-na-us-army-sergeants-major-academy/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 20, 2015, 02:03:32 pm
Artilharia: Operação Sentinela Alerta

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5182.jpg)

Com a direção do general-de-brigada Edson Diehl Ripoli, comandante da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército (AD/1), tendo como objetivo adestrar elementos do sistema de apoio de fogo do Exército Brasileiro, a Operação Sentinela Alerta, realizada no Campo de Tiro da Barragem, Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende (RJ), contou com a participação da Bateria de Comando da AD/1 e de três grupos de artilharia de campanha equipados com obuseiros auto-rebocados, um do modelo M-114 M1A1, de calibre 155 mm (11º Grupo de Artilharia de Campanha “Regimento Montese”), e dois do tipo M-101, de calibre 105 mm (14º Grupo de Artilharia de Campanha “Grupo Fernão Dias”, e o 21º Grupo de Artilharia de Campanha “Grupo Monte Bastione”). O 8º Grupo de Artilharia de Campanha Pára-quedista (com o obuseiro leve Oto Melara, de 105 mm) participou como convidado.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5174.jpg)

O exercício também serviu para a Fábrica de Comunicações e Eletrônica da IMBEL apresentar o seu novo sistema computadorizado de comando e controle para a função de combate fogos (direção e coordenação de tiro), denominado Gênesis.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5188.jpg)
O Gênesis da IMBEL.

Esse sofisticado equipamento, de completo domínio tecnológico por parte da empresa, traz a Artilharia do Exército Brasileiro (EB) para o século 21 (quarta geração). O Gênesis atende as Armas de Infantaria (morteiros), Cavalaria (autopropulsados) e Artilharia (auto-rebocados) aumentando exponencialmente a consciência situacional devido à grande velocidade na aquisição e envio de dados precisos dos alvos plotados pelos observadores avançados (OA), usando o terminal de observação e ligação (TOL), um optrônico sofisticado de grande precisão e funcionamento automatizado.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5231.jpg)
O terminal de observação e ligação (TOL), item primordial do Genesis, é utilizado pelos observadores avançados para plotar os alvos encontrados no terreno, calcular sua posição e enviar esses dados para a bateria de obuseiros, na retaguarda.

A marcação desses alvos na carta topográfica do comando da bateria e demais cálculos necessários é feita no computador tático do GAC (Co Tat/GAC), e a distribuição das ordens de fogo para as peças, através do computador portátil de direção de tiro (CPDT). Em cada obuseiro, a guarnição recebe e visualiza essas informações no terminal de visualização da peça (TVP). Tudo com elevado nível de automação, conectividade e segurança de operação, dessa forma eliminando a necessidade de complexas tabelas e cálculos manuais como realizado tradicionalmente.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5153.jpg)
O general-de-brigada R1 Marco Felício e o coronel de artilharia R1 Costa e Silva realizam o tiro com obuseiro 155mm M114 M1A1 do 11º GAC

O Campo de Tiro da Barragem recebeu seis movimentos (cenários táticos com alvos específicos), dentro de um ambiente simulado de conflito entre dois países fictícios, com grandes embates entre etnias rivais causando dezenas de vítimas civis (crise humanitária) e colocando em alerta as Nações Unidas e as suas forças de paz para lá enviadas, comandadas pelo Brasil.

Numa escalada, cada movimento simulava uma situação onde a cobertura de fogos pela Artilharia fez toda a diferença entre prosseguir ou fracassar na missão, especialmente para a Infantaria à frente no terreno. Comboios de viaturas inimigas, posições hostis detectadas por ARPs, veículos blindados do adversário se deslocando, lançadores de foguetes de grande alcance e mesmo veículos específicos transportando líderes das forças rebeladas em fuga, todos foram batidos pelos obuses dessas quatro unidades, a distâncias médias de 10 Km.

O Campo de Tiro da Barragem recebeu seis movimentos (cenários táticos com alvos específicos), dentro de um ambiente simulado de conflito entre dois países fictícios, com grandes embates entre etnias rivais causando dezenas de vítimas civis (crise humanitária) e colocando em alerta as Nações Unidas e as suas forças de paz para lá enviadas, comandadas pelo Brasil.

Numa escalada, cada movimento simulava uma situação onde a cobertura de fogos pela Artilharia fez toda a diferença entre prosseguir ou fracassar na missão, especialmente para a Infantaria à frente no terreno. Comboios de viaturas inimigas, posições hostis detectadas por ARPs, veículos blindados do adversário se deslocando, lançadores de foguetes de grande alcance e mesmo veículos específicos transportando líderes das forças rebeladas em fuga, todos foram batidos pelos obuses dessas quatro unidades, a distâncias médias de 10 Km.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5411.jpg)
Oto Melara 105mm do 8º GAC PQDT

O último movimento, que envolvia a eliminação do terrorista líder e sua escolta, fugindo em veículo blindado, teve regulação e eficácia a 100%, tiro realizado pelo 8º GAC. Os alvos inimigos foram eliminados, demonstrando a operacionalidade e excelente adestramento dos grupos da AD/1, em que pese a “idade” do material empregado e seu alcance relativamente escasso em comparação com equipamentos mais modernos utilizados por Forças Armadas de outros países.

Com o emprego do Genesis, o EB atualiza o comando e controle do tiro de Artilharia, uma necessidade latente, como observou o general-de-brigada Diehl: “O Genesis está sendo introduzido em um momento muito importante para a Artilharia como um todo. Quando a entrega dos 36 VBCOAP M109 A5 BR começar, em 2016, teremos um obuseiro autopropulsado de 155 mm capaz de entrar em posição e atirar em 45 segundos, executando nove disparos, saindo de posição para evitar os fogos de contra bateria, entrando em nova posição a pelo menos 800 metros de distância da anterior, e disparando mais nove granadas, tudo isso em apenas oito minutos e meio.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5434.jpg)

O M109 A3, de modelo mais antigo, enquanto isso, nem atirou ainda, pois precisa de 11 minutos para realizar seu primeiro tiro após entrar em posição. Essa velocidade e independência operacional é fruto de uma moderna e atualizada suíte de sensores e computadores instalados nos M109 A5 BR, formando um sistema de direção e coordenação de tiro altamente eficaz e muito rápido, desde a aquisição do alvo até a sua eliminação.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/RVC_5336.jpg)

Fonte:  http://tecnodefesa.com.br/artilharia-op ... la-alerta/ (http://tecnodefesa.com.br/artilharia-operacao-sentinela-alerta/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 20, 2015, 02:06:41 pm
O Brasil e as operações de paz da ONU

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Boinas-azuis-brasileiros-no-Haiti.jpeg)

Há quase 70 anos, o Brasil vem desempenhando um importante papel na história das operações de paz. Dados revelam que, entre 1948 a 2015, o País participou de 50 missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), o que corresponde a 70% do total aprovado. Ao todo, o governo brasileiro autorizou e financiou o desdobramento de pouco mais de 46 mil profissionais uniformizados (militares e policiais) para trabalhar sob a bandeira azul da ONU. Desses, cerca de 86% participaram de missões nos últimos 25 anos, o que evidencia o valor conferido às operações de paz por parte de governos mais recentes.

Existem pelo menos duas maneiras de analisar o caminho percorrido pelo Brasil nas missões de paz da ONU. A primeira é mais ampla e compreende toda a contribuição brasileira, desde a primeira até hoje, ou seja, entre 1948 e 2015. A segunda é mais específica e confere destaque aos últimos 25 anos – além de ser o período mais recente, é também quando o engajamento fica mais dinâmico e é durante o qual se tem acesso a dados desagregados por mês e por tipo de profissional engajado (militar ou policial).

Ambas as abordagens são complementares e revelam dados importantes sobre os padrões de comportamento passados e presentes, que podem refletir no futuro da política externa para essas questões. O início da participação do Brasil se confunde com as próprias origens das missões de paz da ONU, no fim da década de 1940. Foi baixo o engajamento do País durante o regime militar (1964-1985), com a manutenção de um punhado de oficiais na função de observadores, com a notável exceção do desdobramento de três contingentes em uma missão da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Esse período de baixa participação coincide com o auge da Guerra Fria, quando o congelamento do Conselho de Segurança da ONU (CSNU) também dificultou a autorização de novas missões. Nos anos 1990, tanto o CSNU como o Brasil retornam com mais dinamismo às operações de paz. A natureza da maioria das missões se tornou mais ampla e multidimensional. Pressionado pela ONU, o Brasil começou a desdobrar também policiais militares, primeiro em Angola (1991) e em Moçambique (1993), e depois em várias outras missões.

Nos anos 2000, as primeiras mulheres passaram a integrar os contingentes brasileiros em missões de paz. A pioneira foi ao Timor Leste, em 2003, e em seguida dezenas de mulheres participaram de outras cinco missões. O número máximo foi alcançado em março de 2012, quando 30 mulheres brasileiras estavam em diferentes missões, ao mesmo tempo. Outro aspecto refere-se ao número de militares e policiais no terreno. O total de brasileiros em missões de paz aumentou exponencialmente desde os anos 1990, com o desdobramento de companhias e/ou batalhões em Angola (1995-1997), Timor Leste (1999-2005), Haiti (2004-presente) e Líbano (2011-presente).

Embora o auge da participação brasileira em toda a história tenha ocorrido entre 2010 e 2012, sobretudo por causa do engajamento na missão no Haiti, os altos índices perduram até hoje. O Brasil também optou por participar de um número maior de missões na virada do século. Em 2000, o País participava de três missões, enquanto que em 2015 o número de missões com brasileiros subiu para 10, evidenciando um crescimento de 333%, além disso se em 2000 a representação brasileira alcançava 18,75% do total de missões da ONU, em 2015, depois de apenas 15 anos, essa porcentagem chegou a notáveis 62,5%.

A análise da trajetória brasileira nas operações de paz indica que já não é possível voltar aos padrões anteriores à década de 1990 sem altos custos políticos. Os dados evidenciam que, nos últimos 25 anos, e principalmente a partir dos anos 2000, o Brasil alcançou um perfil internacional tão elevado que não pode diminuí-lo drasticamente sem que isso afete a própria dinâmica da paz e da segurança internacional. Ou sem que isso afete a posição relativa do País na ordem global. É importante que o governo atual tenha consciência da grandeza deste papel, a fim de que mantenha elevado o perfil brasileiro nos próximos anos.

FONTE: CartaCapital, Por: Eduarda Hamann, Coordenadora do Programa de Consolidação da Paz do Instituto Igarapé

Fonte: http://www.revistaoperacional.com.br/20 ... az-da-onu/ (http://www.revistaoperacional.com.br/2015/geopolitica/o-brasil-e-as-operacoes-de-paz-da-onu/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 21, 2015, 02:32:07 pm
(http://1.bp.blogspot.com/-mOETpminXnU/Vii9xaUb-cI/AAAAAAAAL20/WEUxgvQvwhc/s1600/7.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 21, 2015, 07:23:37 pm
(http://wellington.hol.es/gallery/d88ea02c5c19e7b6b26683cd04ef94f1_800x400.jpg)

SELVA!
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 21, 2015, 09:10:11 pm
A experimentação doutrinária da Bateria de Busca de Alvos

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Imagem-1-SARP-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro.png)

Entre os dias 01 e 02 de outubro de 2015, a 3ª Subchefia do Estado-Maior do Exército (3ª SCh EME/Doutrina) acompanhou o Exercício de Experimentação Doutrinária da Bateria de Busca de Alvos (Bia BA) conduzida pelo Comando Militar do Oeste (CMO).

A Bia BA está sendo implantada no 9º Grupo de Artilharia de Campanha (9º GAC), sediado em Nioaque (MS) e o exercício visou adestrar a seção que emprega o Sistema de Aeronave Remotamente Pilotado (SARP), material de emprego militar (MEM) recém adquirido pelo Exército Brasileiro.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Imagem-2-SARP-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro.png)

A atividade iniciou com uma apresentação sobre o projeto de implantação da Bia BA e o recebimento do SARP categoria 1 Horus FT 100, visita às instalações e a uma exposição de material e, na jornada seguinte, exercício prático com a utilização de todo o sistema.

O Horus FT100 é uma aeronave sem piloto desenvolvida e fabricada pela FT Sistemas de São José dos Campos. Trata-se de uma plataforma de voo tipo “olhos da tropa”, que pode ser facilmente transportada por dois soldados.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Imagem-3-SARP-Ex%C3%A9rcito-Brasileiro.png)

O SARP foi projetado para ser empregado em missões típicas de curto alcance realizadas por pelotões, companhias ou até batalhões. A suíte de sensores do Horus FT100 é composta normalmente de um sistema de imageamento eletro-óptico e infravermelho, designador de alvos laser, sistema de inteligência de sinais (SIGINT) e equipamento de aerofotogrametria. Seu alcance útil situa-se entre 9 e 15 quilômetros.

Ivan Plavetz

http://tecnodefesa.com.br/a-experimenta ... -de-alvos/ (http://tecnodefesa.com.br/a-experimentacao-doutrinaria-da-bateria-de-busca-de-alvos/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 22, 2015, 06:21:33 pm
6° GRUPO DE MÍSSEIS E FOGUETES NA OPERAÇÃO TREME CERRADO

O 6º Grupo de Mísseis e Foguetes que tem a missão de realizar fogos contra alvos táticos, operacionais e até mesmo estratégicos, a fim de proporcionar à Força Terrestre o maior poder de fogo disponível. Normalmente, realiza fogos sobre estruturas estratégicas, centros de gravidade ou alvos de grande dimensões e longos alcances, conforme sua vocação para saturação de área. Pode, ainda, complementar o apoio de fogo prestado pela artilharia de tubo, executando fogos de aprofundamento do combate, bem como realizar os fogos em apoio às operações conjuntas.

Atualmente, o sistema ASTROS realiza fogos com os foguetes SS-09 TS, SS-30, SS-40 e SS-60, com alcance mínimo de 6,3 Km para o foguete SS 09-TS e com alcance máximo de 70,4 Km para o foguete SS-60, em altitude ao nível do mar. Os alvos mais compensadores para os foguetes são relacionados à interdição do campo de batalha, à artilharia inimiga, às concentrações de tropas ou de blindados, postos de comando, materiais de engenharia e instalações logísticas.

Na Operação Treme Cerrado, no Campo de Instrução de Formosa, a 6º Bateria de Mísseis e Foguetes, conforme foi denominada para o exercício, recebeu a missão de realizar fogos de saturação contra a Base logística Terrestre inimiga. Para o cumprimento desta missão foram disponibilizados 1 (um) Foguete SS-60, 16 (dezesseis) Foguetes SS-40, 05 (cinco) Foguetes SS-30 e 66 (sessenta e seis) Fgt SS 09-TS.



(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/820/461/operacao-treme-cerrado-abre-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-4/crise-economica-do-pais-faz-exercito-priorizar-atividades.jpg)

(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/819/546/operacao-treme-cerrado-galeria-2-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-3/operao-treme-cerrado.jpg)

(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/819/546/operacao-treme-cerrado-galeria-3-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-6/operao-treme-cerrado.jpg)

(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/819/546/operacao-treme-cerrado-galeria-4-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-12/operao-treme-cerrado.jpg)

(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/819/546/operacao-treme-cerrado-galeria-5-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-10/operao-treme-cerrado.jpg)

(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/819/546/operacao-treme-cerrado-galeria-6-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-13/operao-treme-cerrado.jpg)

(http://image.fatoonline.com.br/image/v2/flex/819/546/operacao-treme-cerrado-galeria-7-formosa-go-22-10-2015-cadu-gomes-18/operao-treme-cerrado.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 28, 2015, 06:25:33 pm
1º Batalhão de Ações de Comandos participou do exercício da Patrulha Cambriana

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos4.jpg)

De 21 a 24 de outubro, o Exército Brasileiro participou do Exercício da Patrulha Cambriana, nas montanhas do País de Gales (Reino Unido). No exercício deste ano, as patrulhas, inseridas dentro do contexto tático da guerra híbrida, realizaram atividades de reconhecimento e percorreram mais de 60 km em terreno de montanha. A patrulha do 1º Batalhão de Ações de Comandos obteve a medalha de prata, concedida às patrulhas que lograram completar todo o exercício com muito bom aproveitamento. Participaram do exercício cerca de 126 patrulhas do Reino Unido e 21 patrulhas internacionais.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos2.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos3.jpg)

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/20 ... cambriana/ (http://www.revistaoperacional.com.br/2015/exercito/1o-batalhao-de-acoes-de-comandos-participou-do-exercicio-da-patrulha-cambriana/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 30, 2015, 12:21:34 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 30, 2015, 12:26:25 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 01, 2015, 02:51:41 am
Comandante da Escola de Blindados do Exército do Canadá vem ao CI Bld em busca de Intercâmbio

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/28325_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Nos dias 26 e 27 de outubro, o Tenente-Coronel Chris Hutt , comandante da Royal Canadian Armoured Corps School (RCACS), esteve reunido com o Comandante e os oficiais do Centro de Instrução de Blindados General Walter Pires, com a finalidade de estabelecer uma futura cooperação entre os dois estabelecimentos de ensino.

A intenção e que, durante seis meses, militares canadenses venham para Santa Maria, enquanto militares do C I Bld irão para o Canadá, como parte de um intercâmbio de instrutores.

Durante a visita, o TC Hutt conheceu a estrutura do C I Bld e a sua organização, a sua missão, os tipos de cursos, o Parque de Simulação e discutiu as oportunidades de cooperação mútua. Após, o Comandante do RCACS apresentou a sua escola, com destaque para as oportunidades de cooperação.

O Exército do Canadá teve, recentemente, um destacada participação no Afeganistão, utilizando Carros de Combate Leopard 2 A6.

As experiências adquiridas pelas torpas blindadas canadenses foram aproveitadas pelo Exército Alemão, para a modernização dos seus CC Leopard 2A6, para a versão 2A7.

A visita do Comandante da Escola de Blindados do Canadá ao CI Bld revela um crescente interesse internacional nas práticas da Tropa Blindada do Brasil, sendo que neste ano o Centro General Walter Pires recebeu, por dois meses, um Tenente-Coronel Alemão e está com um oficial e um sargento chilenos e um oficial e um sargento argentinos.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/28326_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/28328_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/10/28323_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Fonte:   http://www.defesanet.com.br/leo/noticia/20697/Comandante-da-Escola-de-Blindados-do-Exercito-do-Canada-vem-ao-CI-Bld-em-busca-de-Intercambio/

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 04, 2015, 12:52:46 pm
Teste de M-113 modernizados em campo de instrução

No dia 07 de outubro, a equipe do DefesaNet pôde ver de perto o ciclo de testes que marca a etapa final de modernização dos blindados M-113 nas instalações do Parque Regional de Manutenção/5, PrRMnt/5, em Curitiba (PR). As atividades do começo do mês marcam a conclusão dos trabalhos nas últimas oito unidades, totalizando os 150 carros previstos no primeiro contrato firmado entre o governo brasileiro, o governo dos Estados Unidos e a empresa BAE Systems. Os testes aconteceram no campo de instrução do Exército, a 33km de Curitiba, em direção à Serra da Graciosa.

A modernização dos blindados M-113 do Exército Brasileiro é resultado da parceria firmada entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos, e da empresa BAE Systems. Os trabalhos começaram em 2012 com a construção de um protótipo fabricado com mão-de-obra americana. No ano seguinte, foi estabelecida a linha de montagem no Parque Regional de Manutenção/5 em Curitiba.

Em outubro deste ano foi finalizado o primeiro contrato para a modernização de 150 unidades, que serão repassadas a vários batalhões de infantaria blindada como o: 29º BIB de Santa Maria (RS), o 7º BIB de Santa Cruz do Sul (RS), o 13º BIB de Ponta Grossa (PR) e o 20º BIB de Curitiba.

O acordo entre governos e BAE System, no formato FMS (Foreign Military Sales), tem vantagens como redução do custo dos kits de peças para modernização, transferência de tecnologia e acesso ao repertório de engenharia da empresa que, junto com a Divisão Técnica do Parque/5, já concebeu diversas soluções e elementos customizados para o M-113BR totalmente adaptado às necessidades doutrunárias do EB, como as lagartas de borracha, que permitem operação no asfalto, e farois de LED, mais econômicos e duráveis.

Segundo a diretoria do Pq Mnt/5, a previsão é de que os kits de modernização para o segundo contrato – que prevê 236 unidades – cheguem ao Brasil em novembro deste ano. A linha de montagem em Curitiba deve voltar a operar em ritmo total entre janeiro e fevereiro do ano que vem.


(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28379_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28376_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28384_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28383_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28382_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28381_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28380_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28378_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28377_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/11/28385_resize_800_600_false_true_null.jpg)



Fonte:    http://www.defesanet.com.br/doutrina/noticia/20726/DefesaNet-acompanha-teste-de-M-113-modernizados-em-campo-de-instrucao-proximo-a-Curitiba/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 05, 2015, 01:18:11 pm
(http://pbs.twimg.com/media/B8MoIirIYAA1AOO.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 09, 2015, 02:49:19 pm
(https://c1.staticflickr.com/1/697/21912024533_9884c21fef_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/778/21386671774_d1ac05045c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7635/16806296591_c39a1a9d4f_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8574/16652638436_2f8cf253b2_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5175/5540284813_03729a997a_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8782/17074928639_ba0835e845_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3925/15159962971_20f9185ed4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5571/14976280280_ba90e5bd1b_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8589/16342896101_f0390a1aa5_o.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 09, 2015, 08:24:16 pm
(https://c2.staticflickr.com/4/3845/15049983685_d34f9bfbb4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3913/15026985636_76949a6fcf_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5593/14863346948_660b5ce21a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3859/15026921136_c969021801_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3917/14863092657_e123502dde_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8647/16655759922_cb8244f1cb_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8636/16655386421_2c9fe06947_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8573/16630846596_1ddc857dbb_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8575/16630840996_807d687f05_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8588/16470615139_a2988f440f_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8594/16469385100_fd074646b0_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8657/16656782495_2934ec232f_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 10, 2015, 01:05:38 pm
1º Batalhão de Infantaria Motorizado – Tiro de Morteiro 60 mm

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/1%C2%BA-BI-Mtz-3.jpg)

No dia 4 de novembro, a 1ª Companhia de Fuzileiros do 1º Batalhão de Infantaria Motorizado (Escola) realizou o tiro de morteiro 60 mm, com suas respectivas peças, no Campo de Provas da Marambaia.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/1%C2%BA-BI-Mtz-1.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/1%C2%BA-BI-Mtz-2.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/1%C2%BA-BI-Mtz-4.jpg)

Fonte:   http://www.forte.jor.br/2015/11/09/1o-batalhao-de-infantaria-motorizado-tiro-de-morteiro-60-mm/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 10, 2015, 05:53:52 pm
Exército Brasileiro vai avaliar helicópteros T- 129 Mangusta e AW 149

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Figura1.jpg)

De acordo com nota publicada recentemente no Diário Oficial da União, militares do Exército Brasileiro pertencentes aos quadros do Grupo de Ensaios e Avaliações (GEA) da Aviação do Exército (AvEx) irão avaliar em Milão, na Itália, entre os dias 21 e 29 deste mês, helicópteros de ataque T-129 Mangusta e de transporte AW 149, ambos produzidos pela Agusta Westland.

Essas atividades estão inseridas dentro dos projetos estratégicos do Exército Brasileiro visando colher informações sobre potenciais vetores a serem utilizados como aeronave dedicada de ataque e novos helicópteros de transporte de tropas. Não se trata, ainda, de um processo de aquisição.

A equipe do GEA verificará o atendimento dos Requisitos Operacionais Básicos das aeronaves propostas e emitirá o relatório destes testes ao escalão superior.

A decisão por uma nova fase será do Comando do Exército. Outras aeronaves já foram testadas pelo GEA e outras ainda serão, de acordo com as propostas dos fabricantes e a demanda do Comando do Exército.

No âmbito desse programa estão sendo avaliados os seguintes modelos:

Helicópteros de ataque:

T-129 Mangusta modernizado (Agusta Westland)

Mi-28NE (Russian Helicopters)

AH-1Z Viper (Bell Helicopter)

Helicópteros de transporte:

AW-139 (Agusta Westland)

AW-149 (Agusta Westland)

AW-101 Merlin (Agusta Westland)

UH-1Y Venon (Bell Helicopter)


Fonte:    http://tecnodefesa.com.br/eb-vai-avaliar-helicopteros-t-129-mangusta-e-aw-149/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Novembro 11, 2015, 03:01:33 pm
http://www.forte.jor.br/2015/11/09/16o-grupo-de-artilharia-de-campanha-autopropulsado-operacao-farroupilha-3a-fase/ (http://www.forte.jor.br/2015/11/09/16o-grupo-de-artilharia-de-campanha-autopropulsado-operacao-farroupilha-3a-fase/)
Citar
São Leopoldo (RS) – Entre os dias 26 e 29 de outubro, o 16º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado participou da 3ª Fase da Operação Farroupilha, na cidade de Butiá (RS). O exercício teve por finalidade adestrar o Grupo, conforme o planejamento de fogos do Comando de Artilharia do Exército.
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/3%C2%AA-Fase-da-Opera%C3%A7%C3%A3o-Farroupilha-1.jpg)
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/3%C2%AA-Fase-da-Opera%C3%A7%C3%A3o-Farroupilha-3.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 12, 2015, 12:57:03 pm
(EsACosAAe) — Tiro real no estande do Centro de Avaliações do Exército

A Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea (EsACosAAe) é uma organização militar reconhecida, no Brasil e no exterior, como um conceituado centro de doutrina  de Artilharia. Esta reputação, construída ao longo de 81 anos de existência, fundamenta-se no uso das mais modernas técnicas de aprendizagem, baseadas na nova didática da modernização do ensino, desenvolvidas em instalações modernas e equipadas com avançados meios auxiliares de instrução.

Os exercícios de planejamento no terreno (PLANEX) e as escolas de fogo (EsFI) consolidam o aprendizado e conferem aos cursos e estágios um caráter essencialmente prático e objetivo. Neste contexto, cabe a a divisão de ensino da EsACosAAe prover as bases necessárias para as atividades de planejamento, programação, coordenação, execução, controle e avaliação do ensino e da aprendizagem. Para que todo este sistema funcione em prol de uma eficiente política de ensino, a divisão  é subdividida em Seção Técnica de Ensino, Seção Psicopedagógica, Seção de Meios Auxiliares e Publicações, Seção de Pós-Graduação e Seções de Ensino.


(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-1.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-2.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-3.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-9.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-10.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-11.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-12.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-14.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-15.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-17.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-19.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-22.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-23.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-24.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-43.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-51.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-52.jpg)

http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-53.jpg(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-54.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-55.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-57.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-58.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Escola-de-Fogo-Esacossae-59.jpg)

fonte:   http://www.revistaoperacional.com.br/2015/exercito/esacosaae-realiza-exercicio-de-tiro-real-no-estande-do-centro-de-avaliacoes-do-exercito/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 12, 2015, 08:11:46 pm
13º Regimento de Cavalaria Mecanizado – Tiro das Armas de Uso Coletivo

Entre os dias 2 e 6 de novembro, o 13º Regimento de Cavalaria Mecanizado realizou, na cidade de Três Corações (MG), uma jornada de tiro com o emprego do armamento coletivo de dotação do Regimento. Foram realizados tiros com canhão 90 mm, morteiro 120 mm, morteiro 81 mm, metralhadora .50 e granada de bocal.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/13%C2%BA-Regimento-de-Cavalaria-Mecanizado-4.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/13%C2%BA-Regimento-de-Cavalaria-Mecanizado-1.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/13%C2%BA-Regimento-de-Cavalaria-Mecanizado-2.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/13%C2%BA-Regimento-de-Cavalaria-Mecanizado-3.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 13, 2015, 08:42:13 pm
Exército participa de Exercício da OTAN em Portugal

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7158614&t=1447369219480)

Com dois observadores militares, o Comando de Operações Terrestres (COTER) participou do Exercício Conjunto Trident Juncture 2015, da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), na região de Santa Margarida, em Portugal, no período de 2 a 5 de novembro.

O Exercício envolveu um efetivo de 36.000 participantes, oriundos de 30 nações aliadas e parceiras, e ocorreu simultaneamente na Espanha, na Itália, em Portugal, no Mar Mediterrâneo e no Oceano Atlântico.

O Trident Juncture foi um dos maiores exercícios da OTAN ocorridos nos últimos 12 anos e teve por finalidade demonstrar capacidades operativas de Forças Navais, Terrestres, Aéreas e Especiais em um cenário de guerra do combate moderno. O Exercício também adestrou e certificou a Força de Resposta da OTAN (NRF), bem como testou elementos da Força-Tarefa Conjunta de Elevada Prontidão (VJTF), ou Força Ponta de Lança (Spearhead Force), que será ativada em 2016.

O COTER foi representado pelo Cel Romão, da 1ª Subchefia, que esteve acompanhado pelo Ten Cel Vinícius, do Curso de Infantaria da ESAO.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7158615&t=1447369219483)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7158616&t=1447369219485)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7158617&t=1447369219488)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 13, 2015, 08:55:18 pm
(https://c1.staticflickr.com/9/8712/16691441474_420967bd93_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8747/17313449141_7958672beb_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7697/17127670839_973e5337e2_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8800/17312056692_aa40275280_b.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/a/a9/Opera%C3%A7%C3%A3o_Amaz%C3%B4nia_2014_%2815584458075%29.jpg/1024px-Opera%C3%A7%C3%A3o_Amaz%C3%B4nia_2014_%2815584458075%29.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7400/11332065156_5c99fb7fa5_b.jpg)



(http://www.aviacionargentina.net/foros/attachment.php?attachmentid=18613&d=1400279351)

(https://c1.staticflickr.com/9/8586/16630842196_d409911e54_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 13, 2015, 09:06:31 pm
(http://i1.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/capa-III.jpg?resize=1300%2C550)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 17, 2015, 05:05:13 pm
Aviação do Exército —  incursão aeromóvel em Mato Grosso do Sul

Durante os dias 23, 24 e 25 de setembro, os municípios de Coxim e Pedro Gomes, localizados ao norte do estado de Mato Grosso do Sul, foram palco de um cenário de conflito fictício. Através de adestramento de incursão aeromóvel, o Comando Militar do Oeste (CMO) pode aprimorar, por meio de uma Força Tarefa, o treinamento operacional da Aviação e Batalhão de Infantaria Aeromóvel subordinada ao seu Comando. O 3º Batalhão de Aviação do Exército (3º BAvEx), localizado em Campo Grande, e Quadragésimo Sétimo Batalhão de Infantaria (47º BI), lotado na cidade de Coxim distante a 255 km da Capital. Nessa operação, o CMO contou ainda com o apoio de aeronaves e tripulações do 2º Batalhão de Aviação do Exército (2º BAvEx) de Taubaté-SP, cidade sede da Aviação do Exército Brasileiro. Para a realização do adestramento foram deslocadas para Coxim quatro aeronaves de transporte HM-1 Pantera (AS 365 K), sendo duas de cada Batalhão. Os helicópteros partiram do 3º BAvEx.

(http://i1.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/Pantera-frente-parabrisa.jpg)

(http://i2.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/3-pantera-pouso-.jpg)

(http://i2.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/2-pantera-pouso-.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/Fenestron-perfil.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/3-bavex-II.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/3-bavex.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/3-bavex-III.jpg)

(http://i2.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/4-Pantera-aproxima%C3%A7%C3%A3o.jpg)

(http://i1.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/4-Pantera-aproxima%C3%A7%C3%A3o-perto.jpg)

(http://i1.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/10/3-pantera-pouso-desembarque-.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/4-pantera-pouso-desembarque-.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/10/3-pantera-pouso-desembarque-II-.jpg)

(http://i1.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/pantera-pouso-desembarque-III-.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/tropa-posi%C3%A7%C3%A3o.jpg)

(http://i2.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/pantera-pouso-desembarque-.jpg)

(http://i2.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/HM-1-decolagem.jpg)

(http://i0.wp.com/portaldefesa.com/home/wp-content/uploads/2015/09/equipe-SAR-II.jpg)

Fonte:  http://portaldefesa.com/aviacao-do-exercito-realiza-adestramento-de-incursao-aeromovel-em-ms/#!prettyPhoto/26/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 17, 2015, 06:16:54 pm
Forças de Operações Especiais se preparam para as Olímpiadas 2016

O Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro realiza, até esta sexta-feira (13), treinamento conjunto com as Forças Armadas, visando garantir a segurança dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016. O adestramento integra as unidades de Operações Especiais da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, e tem como tema o combate urbano e ações contraterrorismo.

Coordenado pelo Ministério da Defesa junto ao Comando de Operações Especiais do Exército (Copesp), o exercício teve inicio, no último domingo (14), e ocorre na sede do Copesp, em Goiânia (GO). Além das Forças Armadas, integrantes da Força Nacional e da Policia Rodoviária Federal também participam do treinamento, que possui dentre os principais objetivos fomentar a integração na atuação conjunta das Forças e das agências públicas de segurança.

O coronel Alessandro Visacro, comandante do 1º Batalhão de Forças Especiais (1º BFEsp), que integra o Copesp, expõe em quais situações o treinamento desempenhado no local é utilizado pelos militares. “Em Operações de Garantia da Lei da Ordem (GLO), operações de patrulhamento faixa de fronteira e operações urbanas”, exemplifica. O BFEsp é um centro de comando operativo da Força Terrestre responsável por planejar e conduzir as operações especiais.

Uma das ações realizadas durante o treinamento foi a entrada tática, que é o momento em que os militares das Forças Especiais adentram em compartilhamentos, simulando ações de combate urbano. Cerca de dez militares percorrem os cômodos mobiliados com objetos e alvos de papelão e entram ação atirando com munição real, conforme as instruções passadas anteriormente pelos orientadores. Estes compartilhamentos fazem parte da estrutura física do Copesp e são usados para oferecer maior realidade a esses tipos de treinamento.

Os integrantes das Forças Especiais possuem nível diferenciado em relação aos outros militares e podem ser considerados a tropa de elite das Forças. O tenente Thiago Pontes de Miranda do Batalhão de Ações de Comando de Operações do Exército conta um pouco sobre a experiência de participar desta equipe. “Para mim tem grande valia porque quando atuava na tropa convencional não adquiria a experiência operacional que estou obtendo aqui”, compara.

O adestramento

O treinamento conjunto contraterrorismo e de combate urbano contou com a participação das Forças de Operações Especiais da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, dentre eles; o Comando de Operações Especiais do Exercito (1º Batalhão de Forças Especiais e 1º Batalhão de Ações de Comandos); o Esquadrão de Aeroterrestre de Salvamento da Força Aérea Brasileira; o Batalhão de Forças Especiais, da Força de Fuzileiros da Esquadra, e o Grupo de Mergulhadores de Combate da Marinha do Brasil.


Mais:  http://www.defesa.gov.br/noticias/17424-forcas-de-operacoes-especiais-se-preparam-para-as-olimpiadas-2016

(https://scontent-lga3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtf1/t31.0-8/12241080_908636602562707_2928093928983988233_o.jpg)

(https://scontent-lga3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xta1/t31.0-8/12095144_908636775896023_9086746743301654620_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/t31.0-8/12238014_908636952562672_1735714004386702519_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/t31.0-8/12247952_908637019229332_5796835531717064185_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xft1/t31.0-8/12247866_908637065895994_7693304050864060544_o.jpg)

(http://www.defesa.gov.br/arquivos/2015/mes11/co_inter1.jpg)

(http://www.defesa.gov.br/arquivos/2015/mes11/co_inter2.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t31.0-8/12248232_908637179229316_5894851879011245797_o.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 20, 2015, 11:57:27 am
Forças de Operações Especiais se preparam para as Olímpiadas 2016

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t31.0-8/12248232_908637179229316_5894851879011245797_o.jpg)

Militar de Operações Especiais da Marinha, Exército e Força Aérea.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 20, 2015, 03:35:13 pm
Forças de Operações Especiais se preparam para as Olímpiadas 2016

(https://scontent.fudi1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/12227741_1640162326271546_2264314536453203854_n.jpg?oh=be47a625c9e9e3479a1bb3315ed5ce11&oe=596CE509)

Militar de Operações Especiais da Marinha, Exército e Força Aérea.

Perfeitamente. O elemento à esquerda portando uma HK 416 é do Grupo de Mergulhadores de Combate (Grumec) da Marinha do Brasil. O do centro, com uma carabina Colt M4 é um F.E do Exército. Já o da direita, o elemento portando uma Sig SG 551, é do PARA-SAR da FAB. Notar as diferentes tonalidades de cores dos camuflados destes militares. 
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 20, 2015, 03:50:59 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 23, 2015, 03:06:19 pm
Aviação do Exército

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/560.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/561.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/562.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/563.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/564.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/565.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/566.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/525.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/526.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/527.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/528.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/529.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/530.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/531.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/518.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/519.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/520.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/521.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/522.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/523.jpg)

(http://www.cjvanderende.com/uploads/processed/524.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 24, 2015, 04:56:12 pm
Militares de Selva brasileiros ministram na China mais de 200 horas de instrução sobre suas táticas e técnicas

Quatro militares do Exército brasileiro – dois capitães e dois subtenentes – conduziram, entre os dias 26 de outubro e 17 de novembro, um Estágio de Operações na Selva para 50 cadetes da Academia de Forças Especiais do Exército de Libertação Popular da China, sediada na cidade de Guangzhou.

O Estágio consistiu em mais de 200 horas de instrução sobre técnicas e táticas de Guerra na Selva, distribuídas em quatro fases: Vida na Selva, Técnicas Especiais, Módulo Didático de Patrulha e Operações.

A equipe de instrutores esteve formada pelo capitão Charles Paulo Araújo, do 1º Batalhão de Infantaria de Selva; pelo capitão Derek Rondon Brasil, do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS); pelo subtenente Mário Pacheco Cordeiro Alves, do Comando de Fronteira de Roraima e 7º Batalhão de Infantaria de Selva; e pelo subtenente Clemilson Alves de Lima, da Companhia de Comando da 12ª Região Militar.

Foi a primeira vez que uma equipe de instrutores de Operações na Selva do Brasil trabalhou em solo chinês.

A coluna INSIDER já havia informado, no primeiro semestre, sobre o interesse dos militares chineses em conhecer os procedimentos desenvolvidos pelo CIGS.

A ideia inicial era de que alguns militares chineses frequentassem o Centro de Instrução, em Manaus. Entretanto, pouco depois, os próprios chineses solicitaram que o adestramento fosse feito pela via contrária: o deslocamento de militares brasileiros até a China.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/11/Guangabreabre.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/11/Guangtreinonacaixadeterra.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/11/Guangtreinamentonocampocomcartazes.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/11/Guangbrasilechinesesnoterreno.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/11/Guangtreinamentoarmasautom%C3%A1ticas.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/11/Guangoficialnafrentedamesa.jpg)

Fonte:  http://www.planobrazil.com/militares-de-selva-brasileiros-ministram-na-china-mais-de-200-horas-de-instrucao-sobre-suas-taticas-e-tecnicas/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 25, 2015, 02:04:04 pm
9º GAC – Exercício com a Reserva Mobilizável

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/9%C2%BA-GAC-1.jpg)

De 9 a 20 de novembro, o 9º Grupo de Artilharia de Campanha realizou, no Campo de Instrução de Betione (Miranda/MS), um exercício com a Reserva Mobilizável do Exército, no qual os militares convocados executaram tiro de metralhadora .50, metralhadora MAG, granada de bocal, tiro direto de Artilharia com obuseiro 105mm AR, e o funcionamento dos subsistemas de Artilharia.

O Chefe do Centro de Operações do Comando Militar do Oeste, General Carlos Sérgio Camara Saú, acompanhou as atividades.


(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/9%C2%BA-GAC-2.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/9%C2%BA-GAC-3.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 25, 2015, 02:06:18 pm
52º BIS apoia adestramento do 1º Batalhão de Ações de Comandos

O 52° Batalhão de Infantaria de Selva apoiou o adestramento do 1º Batalhão de Ações de Comandos, ministrando instruções de operações em ambiente de selva e com apoio logístico nas ações realizadas pelos Comandos na região de Carajás.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/52%C2%BA-BIS-1.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/52%C2%BA-BIS-4.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/52%C2%BA-BIS-3.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/11/52%C2%BA-BIS-2.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 25, 2015, 06:27:02 pm
(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/09/3572.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/09/3574.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/09/3576.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/09/3573.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3804.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3803.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3807.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3808.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3806.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3812.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3816.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3817.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3814.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3815.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3820.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/07/2303.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/07/2302.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/07/2239.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/07/2240.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/07/2242.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/07/2243.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 25, 2015, 06:33:17 pm
Brigada de Infantaria Paraquedista —  Salto sobre o Rio Negro na Amazônia

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Novembro 26, 2015, 11:42:07 am

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3806.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3820.jpg)

Gosto de comparar as diferenças nestas fotos.  ;)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 26, 2015, 01:34:30 pm

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3806.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3820.jpg)

Gosto de comparar as diferenças nestas fotos.  ;)

Então. Trata-se de duas versões do Leopard 1. Os dois da fotografia superiora, tratam-se de Leopard 1A5, vindos dos estoques do Exército Alemão. O da foto do quadro inferior é um Leopard 1A1, comprados no final da década de 1990, dos estoques do Exército Belga. Há rumores que os 1A1 serão baixados no curto prazo. O E.B tem planos de, junto com a KMW Krauss-Maffei Wegmann, desenvolver um tanque armado de um canhão 120 mm de pelo menos 54 toneladas. Deverá ser uma versão nacionalizada do Leopard 2. Contudo são planos para o longo prazo já que, atualmente, o E.B passa por problemas de monta financeira.

Inclusive é bom lembrar que a KMW abriu uma oficina de manutenção de blindados em solo brasileiro, na cidade de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul:

Citar
Multinacional alemã KMW recebe a tão esperada licença para operar na nova sede em Santa Maria

(http://diariodesantamaria.rbsdirect.com.br/imagesrc/17440522.jpg?w=620)

A fabricante alemã de blindados Krauss-Maffei Wegmann (KMW) do Brasil recebeu, finalmente, a sua licença de operação concedida pela Fepam, que é o último documento que faltava para iniciar os trabalhos na nova sede da empresa, erguida às margens da BR-287, na saída para São Pedro do Sul. A KMW do Brasil tem contrato com o Exército para fazer a manutenção dos blindados Leopard 1A5, que haviam sido comprados pelo Brasil do Exército da Alemanha.

http://diariodesantamaria.clicrbs.com.br/rs/economia-politica/noticia/2015/07/multinacional-alema-kmw-recebe-a-tao-esperada-licenca-para-operar-na-nova-sede-em-santa-maria-4796612.html
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 26, 2015, 06:10:38 pm
Exército deve extinguir quatro unidades e cortar pela metade efetivo de outras quatro

A 302ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada no final de outubro, não tratou apenas da remoção do General Mourão do Comando Militar do Sul. O principal tema abordado foi a adequação da Força aos cortes orçamentários dos dois próximos anos.
As medidas estudadas são bastante severas e incluem desativações e transformações de Organizações Militares e redução drástica do efetivo de recrutas.

Hibernação e Desativação

Hibernação Total (HT) e Hibernação Parcial (HP) são as expressões da moda na cúpula do Exercito. Diversas OM poderão ficar sem efetivo em algumas subunidades (HP), outras sem efetivo nenhum (HT), por tempo indeterminado. Ao menos um batalhão e três subunidades poderão ser desativados.

Fora

Não seriam atingidas pelas medidas as Unidades dos Comandos Militares do Norte e da Amazônia. Também estariam de fora os Batalhões de Engenharia, de Polícia do Exército, de Guardas e Logísticos e as subunidades isoladas de Cavalaria, Engenharia e Comunicações. A tropa de pronto emprego também não seria afetada.

Depois dos Jogos Olímpicos

As ações que envolvem unidades envolvidas diretamente com a Olimpíada só seriam implementadas após os Jogos.

Sai, recruta!

Para manter uma subunidade funcionando, o Exército gasta em torno de R$ 837 mil por ano, fora o custo com 60 recrutas (em média) que chega a R$ 780 mil. O valor total ultrapassa R$ 1,6 milhões anuais. A intenção é economizar R$ 97 milhões anualmente, através da ‘racionalização’ de 60 subunidades.

FONTE: montedo.com

http://www.forte.jor.br/2015/11/26/exercito-deve-extinguir-quatro-unidades-e-cortar-pela-metade-efetivo-de-outras-quatro/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 01, 2015, 02:31:17 pm
Estado-Maior do Exército visita Regimento de Inteligência do Exército Espanhol

Nos dias 19 e 20 de novembro, uma equipe do Estado-Maior do Exército (EME) realizou uma visita ao Regimento de Inteligência Nr 1 do Exército Espanhol, na cidade de Valência (Espanha).

No início da primeira jornada, realizada nas dependências do Acuartelamiento San Juan de Ribera, a comitiva assistiu a uma apresentação das peculiaridades do Regimento, organização militar ímpar do Exército Espanhol. Na sequência, foram feitas exposições e visitas ao Grupo de Inteligência, ao Centro de Integración y Difusión de Inteligencia e à Unidad de Operaciones Psicológicas.

No último dia, os militares visitaram o local onde estava se desenvolvendo o Exercício de Adestramento das Unidades de Inteligência do Exército Espanhol – Operación Doble Llave/2015 –, considerado como o maior exercício de adestramento no campo de Inteligência Humana e Contra-Inteligência (HUMINT/CI) que se realiza no âmbito das Forças Armadas Espanholas e que conta também com Grupos de Inteligência dos Estados Unidos da América e da Bélgica.

 
Fotos: ADIDEFEx Espanha

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7193361&t=1448480906223)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7193362&t=1448480906322)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7193363&t=1448480906383)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 04, 2015, 08:20:45 pm
ASTROS 2020 – EB Adquire Fieldguard 3 Fire Control

A empresa alemã Rheinmetall anunciou a encomenda do Fieldguard 3 Sistema de Rastreamento e Medição pelo Exército Brasileiro para o Projeto Estratégico do Exército (PEE)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/12/28820_resize_800_600_false_true_null.jpg)

O Exército Brasileiro decidiu pelo sistema de Controle de Tiro e Rastreamento Fieldguard 3 Fire Control da empresa alemã Rheinmetall. Esta encomenda está incluída em um contrato de 2012, que totaliza o valor total, incluindo o peças de reposição no valor de €52 milhões (cerca de R$ 400 milhões). As entregas iniciaram em Maio de 2015 e serão completadas em Setembro de 2016.

O programa foi concebido em parceria da AVIBRAS Aeroespacial e a empresa Rheinmetall para as munições de longo alcance do PEE Astros 2020 Lançador Múltiplo de Foguetes. O Fieldguard 3 tem um alcance de até 100 Km.

O sistema ASTROS II em produção desde os anos 80 usava um sistema de controle da empresa suíça Contraves, que hoje integra o grupo Rheinmetall.

Está previsto que seja adquirido mais oito ou dozes unidades de Controle de Tiro Fieldguard 3. As fotos mostram o protótipo em testes já montados em um chassi Tatra como adotado atualmente pelo Exército Brasileiro

O programa ASTROS 2020 é considerado um dos sete Projetos Estartégicos do Exército Brasileiro. Prevê o desenvolvimento de novas munições como o Míssil AV-TM 300 e a munição terminal guiada AV-SS40G.

As demais munições atualmente em uso estão sendo aperfeiçoadas:
 

- SS-30 (30km alcance)
- SS-40 (40km alcance)
- SS-60 (60km alcance)
- SS-80 (80km alcance)
 

As primeiras unidades de produção da equipadas com o Fieldguard 3 deverão ser entregues ao Exército Brasileiro em 2017-2018.


(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/12/28821_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Fonte: http://www.defesanet.com.br/doutrina/noticia/21014/ASTROS-2020-%E2%80%93-EB-Adquire-Fieldguard-3-Fire-Control/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 07, 2015, 02:57:05 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 09, 2015, 03:17:04 am
Parque Regional de Manutenção/5 conclui modernização do primeiro lote de M113BR

Em 1º de dezembro, o Parque Regional de Manutenção/5 apresentou oficialmente a Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP) M113BR de número 150, o que caracterizou o encerramento da primeira fase do Projeto de Modernização desse modelo de viatura.

Esse blindado, em especial, conclui a linha de montagem do primeiro contrato na modalidade Foreign Military Sales e encerra com sucesso o primeiro lote de fabricação.

Durante este processo, iniciado em 2010, a organização militar (OM) de manutenção enfrentou grandes desafios: o estabelecimento da linha de produção da VBTP M113BR; a transferência das viaturas blindadas de Combate M60A3TTS, que o Parque/5 gerenciava, para o Comando Militar do Oeste; e uma lista de testes de campo e de padrões mínimos de desempenho para aprovação do protótipo e do lote piloto no Centro de Avaliação do Exército.

O processo completo de modernização de uma viatura dura cerca de quatro meses, passando por etapas encadeadas e precisas que, ao seu final, levam ao desenvolvimento de um blindado em estado de novo, totalmente modificado e reforçado, com características únicas e potência compatível às demandas da Força.

As VBTP M113BR vêm sendo distribuídas aos batalhões de Infantaria blindados (29º BIB, 7º BIB, 13º BIB e 20º BIB) desde dezembro de 2013, já tendo sido empregadas com êxito na Operação São Francisco (Complexo da Maré/ Rio de Janeiro), como um exemplo.

Já na segunda fase do Projeto, cujo contrato contempla a modernização de mais 236 VBTP M113B, as dotações orgânicas de todas as Unidades da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada (Ponta Grossa/PR), e da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (Santa Maria/RS), serão completadas.

A meta atual do Parque Regional de Manutenção/5 é reorganizar sua linha para aumentar a produção anual de 60 para 80 VBTP M113BR. Para isso, novos equipamentos foram adquiridos pela Diretoria de Material e um novo Pavilhão de Blindados foi construído, o que, aliado ao treinamento dos novos integrantes do Parque, permitirá o sucesso continuado do Projeto.

Os primeiros contêineres referentes ao segundo lote de produção têm previsão de chegada ao Brasil em fevereiro de 2016, o que possibilitará a retomada da produção em março do ano vindouro.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217435&t=1449606541665)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217436&t=1449606541714)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217437&t=1449606541767)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217438&t=1449606541814)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217439&t=1449606541850)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217441&t=1449606541923)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217443&t=1449606542010)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217444&t=1449606542062)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217445&t=1449606542110)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217446&t=1449606542146)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 09, 2015, 03:23:57 am
Exercício Integrado de respostas em desastres naturais e antropogênicos

O exercício teve como cenário fictício um ataque com emprego de explosivos a um ônibus em área urbana. Logo após o incidente, forças de segurança que estavam próximas ao local ajudaram a retirar as vítimas (atores) menos graves – chamadas de verdes, segundo o método de triagem.

Estes profissionais também orientam as pessoas para que se afastem do veículo, devido à possibilidade de uma segunda explosão de bomba. Além do controle das vítimas verdes, as forças de segurança iniciam o isolamento do local do incidente e informam o Centro de Operações, que aciona meios necessários para atuação, como o Esquadrão Antibombas da Polícia Civil e as equipes do Centro de Coordenação de Prevenção e Combate ao Terrorismo (CCPCT).

As equipes do CCPCT são compostas por militares do 1º Batalhão de Forças Especiais e por uma equipe do 1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN), ambos do Exército.
Ainda durante a simulação, os feridos (atores) mais graves foram transportados de helicóptero para o Hospital da Força Aérea, no Galeão. Com a evacuação completa dos feridos, o Comando de Incidentes faz a desmobilização de seus meios (ambulâncias, viaturas, cavalaria etc), porém mantém a área isolada para perícia.


(https://c1.staticflickr.com/1/717/23468711506_2ddf89daec_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/672/23386335182_b2d370da10_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5651/23126865419_242de80565_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/752/23468716566_a8d2e0baa1_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/665/23386340362_3c67be1aaf_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/637/23386340612_beeab77316_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5738/23468717556_9be25359c0_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5770/23126867259_eea81755fa_b.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 09, 2015, 04:01:30 am
1º Batalhão de Ações de Comandos

(http://files.1-batalhao-de-acoes-de-comandos.webnode.com/200000011-9aaf89ba75/BAC%20Gif%20medio-pequeno%202.png)

O 1º Batalhão de Ações de Comandos (1° BAC) é uma unidade especialmente organizada, equipada e adestrada para o planejamento, condução e execução de ações Diretas. Possui mobilidade tática e estratégica, de acordo com os meios de transporte postos à sua disposição.

É uma tropa altamente qualificada a operar sob circunstâncias e ambientes impróprios ou contra-indicados para  o  emprego de elementos de  forças convencionais,  sendoapta a cumprir variadas missões estratégicas e tidas como operacionalmente críticas. Para isso, integra a Força de Atuação Estratégica do Exército Brasileiro.
 
O Batalhão, criado em 2002, está localizado na cidade de Goiânia-GO, e é subordinado ao Comando de Operações Especiais.

O que são Ações de Comandos
 
Ações de Comandos, também conhecida como Ação Direta no ambito das Operações Especiais, são normalmente agressivas, realizadas por meio de tropa qualificada, de valor e constituição variáveis, através de uma infiltração por terra, mar ou ar, contra alvos de valor significativo, localizados em áreas hostis ou sob controle do inimigo.
 
Missão
 
O 1° BAC tem como missão realizar ações de captura, resgate, eliminação e interdição de alvos compensadores do ponto de vista estratégico, operacional ou tático, situados em área hostil ou sob o controle do inimigo, em tempo de crise ou conflito armado, visando contribuir com a consecução de objetivos políticos, econômicos, psicossociais ou militares. Para cumprir tais missões, o Batalhão é organizado de forma a ter garantidas as seguintes possibilidades:
 
- realizar infiltrações e exfiltrações terrestres, aéreas e aquáticas;
- atuar em qualquer ambiente operacional, particularmente em regiões semi-áridas, de montanha, de pântano e de selva;
- conduzir fogo terrestre, aéreo e naval;
- participar, em conjunto com outras Forças Especiais;
- realizar operações irregulares;
- realizar operações de reconhecimento especial, principalmente em proveito próprio;
- assessorar outras forças quanto ao emprego dos elementos operacionais de comandos, bem como quanto a técnicas, táticas e procedimentos peculiares a essa tropa.


(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/1bac.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/13niver_BAC/02.png)

(http://www.copesp.eb.mil.br/images/imagens_bac/novos_comandos/article8.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/34/Militares_desfilam_na_cerim%C3%B4nia_de_posse_do_general_Vilela_no_Comando_de_Opera%C3%A7%C3%B5es_Terrestres_%28Coter%29._%287945391348%29.jpg/1024px-Militares_desfilam_na_cerim%C3%B4nia_de_posse_do_general_Vilela_no_Comando_de_Opera%C3%A7%C3%B5es_Terrestres_%28Coter%29._%287945391348%29.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/banners/Condor_baner.png)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/campo.basico2015/01.png)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/campo.basico2015/02.png)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/ap.curso.cacador/02.png)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/ap.curso.cacador/01.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/sem.verde.2015/01.png)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/sem.verde.2015/02.png)

(http://3.bp.blogspot.com/-qtis6sXZisU/TZTEWK9lrZI/AAAAAAAAAas/jsYAbAz-ZPI/s1600/1%25C2%25BA-BAC.jpg)

(http://1.bp.blogspot.com/-8udBKs7wnqc/UWb_iTE8KgI/AAAAAAAAEIU/r-rScHc-w6w/s1600/article.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/12/BAC-1.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/06/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos-2.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/06/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos-3.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/06/1%C2%BA-Batalh%C3%A3o-de-A%C3%A7%C3%B5es-de-Comandos-4.jpg)

(http://farm1.static.flickr.com/132/324189766_e654c08792_o.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c4/HA-1_Pantera_of_the_Brazilian_Army._Demo_in_the_city_center_of_Brasilia_%2811091705124%29.jpg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/fuzil-m16-com-lancador-de-granada/@@images/755bf9d5-9c76-48f0-8e6a-fa1dc2947230.jpeg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/militar-cacador-sniper-do-exercito-brasileiro/@@images/85293d88-283e-49c9-9b05-7e3e307d8fed.jpeg)

(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/fuzil-de-assalto-556-ia2/@@images/749880df-3a80-449d-b0e7-17d47cf7a68c.jpeg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/elionai/article.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/elionai/article1.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/elionai/elionai.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 09, 2015, 04:47:33 pm
AS565 Panther — HM-1 Pantera armado de casulos de foguetes

(http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAANfCuxju8x8X5X_8_KUoPSZ2Qg-VTBSmjQRWynATqkTVoKpTh7Yr1mSzJa-kGvSoiwy8XtV8D7TQuPctzX2v8vcAm1T1UJDsP39Z4YiVRnT-vvqaR6GG0hQc.jpg)

(http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAPx7zhoGeLmx0vkuSjJ1fSIg8evvD_8U4bIoBL3NKz3wPQWZ0Aw1ZcP2AL86hTgpNelOuA-juQTa6fkNxLbYkacAm1T1UB_uNhDWVx1bVA5iXMFCHoXNW-Dc.jpg)

(http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAEERK0faBs5f_ZPJnfIru8iQFctWZGG1sjfOgW7YDf5NPPxebuGCBWyRNEJXyGSUCg3poicm72Ulx9Hb6aFbLIIAm1T1UMPQb_JgP-4eJYKQsrcEUmd4-KET.jpg)

(http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAIKA6y7uOkwTd-UqpHKG92KzNdzJzOqqd6Athis-UJcdzmnowhqSfZ9mDBmCYje5BuD6HrcGRGOabx48Zak_x-sAm1T1UPlcpij9a42e3ih2rLZU_Ngc47bb.jpg)

(http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAC03rLLdTD6aC7tlAqOC6N5FECKAKXqO5WAnIPj1j1HoALHLMmYTZQFRjwgg3sk7BPwsR9f_vwRLMeiZ3aQaTScAm1T1UNh8I3OjmjSFflTPTrapeCPsYxTy.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 09, 2015, 06:07:24 pm
16° Esq C Mec realiza transposição de curso d’água

Nos dias 1º er 2 de dezembro, o 16° Esquadrão de Cavalaria Mecanizado realizou, na represa da Fazenda Zanchet, seu primeiro teste de navegabilidade das viaturas blindadas de transporte de pessoal Guarani, possuidoras de capacidade anfíbia, com a velocidade de até 9 km/h, juntamente com uma guarnição de 11 militares embarcados.

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/12/16%C2%B0-Esq-C-Mec-4.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/12/16%C2%B0-Esq-C-Mec-3.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/12/16%C2%B0-Esq-C-Mec-1.jpg)

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2015/12/16%C2%B0-Esq-C-Mec-2.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 10, 2015, 12:12:24 pm
1º Esquadrão de Cavalaria Leve – 1º helitransporte de VTL Marruá AM 11

No dia 26 de novembro, durante a Operação Agulhas Negras (OPAN), na cidade de Cunha (SP), foi realizado pela primeira vez o helitransporte de uma viatura de transporte leve Agrale Marruá AM 11. A viatura é dotação do Pelotão de Exploradores do 1º Esquadrão de Cavalaria Leve (Aeromóvel) e foi transportada por uma aeronave Super Cougar, do 1º Batalhão de Aviação do Exército, que mais uma vez se torna pioneiro na história do Exército Brasileiro.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217901&t=1449682596426)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217902&t=1449682596427)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217903&t=1449682596428)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7217904&t=1449682596430)



Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 13, 2015, 04:51:00 pm
(https://poadu.files.wordpress.com/2009/12/img_9169.jpg)

(http://www.brdefesa.com/data/imagegallery/a2cfa12a-54af-f26d-96aa-001b6a9610ac/027ec442-f012-ba0e-d13f-b5265440d105.jpg)

(https://poadu.files.wordpress.com/2009/12/img_9204.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 13, 2015, 05:05:15 pm
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2012/05/7319.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 13, 2015, 05:16:58 pm
(http://www.defesanet3.hospedagemdesites.ws/site/upload/news_image/2013/08/14801.jpg)

(http://www.defesanet3.hospedagemdesites.ws/site/upload/news_image/2013/08/14802.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2014/05/20062.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13658.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2013/05/13657.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 13, 2015, 05:48:26 pm
Fennecs modernizados somam mil horas de voo

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/12/Imagem-1-Fennec.Mod_.1000h.jpg)

Os seis helicópteros Fennec modernizados e entregues pela Helibras para a Aviação do Exército (AvEx) até o último mês de novembro, já completaram mil horas de voo em operações do Comando do Exército. De acordo com a Helibras, a AvEx irá receber outras quatro unidades até final de dezembro, totalizando 10 aeronaves modernizadas.

Com essa disponibilidade, a partir de janeiro o Centro de Instrução da Aviação do Exército (CIAvEx) já poderá emprega-los na instrução de pilotos para que as tripulações se familiarizem com as novas tecnologias e sistemas empregados após a modernização, principalmente com os novos aviônicos digitais e piloto automático.


(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/12/Imagem-3-Fennec.Mod_.1000h.jpg)

Mais quatro unidades dos helicópteros Fennec da AvEx já estão na fábrica da Helibras e passando pelo processo de inspeção C e modernização. As entregas dessas aeronaves estão marcadas para começar no segundo trimestre de 2016.

O processo de modernização contratado pelo Exército garante mais 25 anos de capacitação para missões de treinamento, reconhecimento, ataque e segurança, agregando mais tecnologia e aumentando disponibilidade e potência nas atividades.

A primeira unidade do Fennec modernizado foi entregue pela Helibras em 2014. O último helicóptero do contrato envolvendo 36 unidades  tem previsão para entrega em 2019.


Fonte: http://tecnodefesa.com.br/fennecs-modernizados-somam-mil-horas-de-voo/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 14, 2015, 01:31:08 pm
Cerimônia da Declaração dos Aspirantes a Oficial da AMAN

(https://c1.staticflickr.com/1/761/22793821243_14594c7b18_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/648/23338428971_ce62d35bab_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5706/23125221730_dfd04d2566_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5640/23394810416_ef26b11679_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/632/23420992375_5e03f4710d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5816/23394804876_1dbb7c4502_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/659/23125203510_177120fe48_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5737/23343836191_7bdb9de5ee_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 15, 2015, 01:12:25 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 15, 2015, 02:07:56 pm
Embarcações do Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (CECMA)



Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 15, 2015, 09:04:30 pm
Festa Nacional da Cavalaria

Parque Histórico Marechal Manoel Luis Osorio foi o palco da Festa Nacional da Cavalaria. A Festa tem por objetivo comemorar, em âmbito nacional, o dia da Arma de Cavalaria, data marcada pelo nascimento de seu ilustre Patrono, o Marechal Osorio, nascido em 10 de maio de 1808, na Fazenda Conceição do Arroio, local onde hoje situa-se o Parque Osorio.

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/906235_584751914898225_504095951_o.jpg)

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xlp1/t31.0-8/887468_584751961564887_143721650_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/t31.0-8/967049_584751931564890_1101114283_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/t31.0-8/966767_584752028231547_1414533626_o.jpg)

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/t31.0-8/621062_584752024898214_582895555_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/10392352_999407030099376_2594567240583877870_n.jpg?oh=6a5693906a1e67bddace953582bc85eb&oe=5718BA0F)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlf1/t31.0-8/906699_584752058231544_1140017715_o.jpg)

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/t31.0-8/976011_584752094898207_674835356_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/t31.0-8/919621_584752144898202_1087462363_o.jpg)

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-prn2/t31.0-8/621188_584752194898197_2071393497_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/966084_584752284898188_231975794_o.jpg)

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/t31.0-8/906655_584752304898186_516174039_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlt1/t31.0-8/906327_584752468231503_1663342475_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/t31.0-8/922136_584752564898160_258050381_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/t31.0-8/919419_584752588231491_1537309412_o.jpg)

(https://scontent-atl3-1.xx.fbcdn.net/hphotos-prn2/t31.0-8/966792_584752661564817_1062135105_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/t31.0-8/906196_584752701564813_237668826_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/t31.0-8/919336_584752714898145_1635014238_o.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 16, 2015, 01:35:19 pm
23° Contingente Brasileiro de Força de Paz no Haiti – Operação Anchante

No contexto do período eleitoral haitiano, o BRABAT 23 realizou a Operação Anchante, nas regiões de Bois Neuf e Projeto Drouillard, em Cité Soleil. O objetivo da operação foi reduzir a criminalidade a níveis mínimos, de forma a manter um ambiente seguro e estável durante o processo eleitoral na área de  responsabilidade do Batalhão.

A Operação constou de intensificação do patrulhamento, onde todas as Subunidades percorreram as principais ruas naquelas localidades, a fim de demonstrar para a população local a capacidade operativa do novo contingente.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218566&t=1449762259878)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218567&t=1449762259880)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218568&t=1449762259881)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218569&t=1449762259882)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218570&t=1449762259883)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218571&t=1449762259885)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7218572&t=1449762259886)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 16, 2015, 01:52:21 pm
(http://3.bp.blogspot.com/-ZFbAFgig2mc/VNUmHyJtXxI/AAAAAAAAGAs/vhc86tXRuvg/s1600/10420327_1592730244295256_2861737346195201437_n.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/-c6Sc1uq0iKY/VNUmg6fkrfI/AAAAAAAAGA0/_A2xvPmnQdw/s1600/310953185_1592730247628589_4458584626683180710_n.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/-oa3K9Qv9kzQ/VNUmp8jG-uI/AAAAAAAAGBU/yyD6Xzhz93o/s1600/510387681_1592730274295253_7323287006311930264_n.jpg)

(http://1.bp.blogspot.com/-dDDPZek9Co4/VNUmteB8bHI/AAAAAAAAGBo/zGNhYuGUz7E/s1600/810370800_1592730240961923_271261632135906195_n.jpg)

(http://2.bp.blogspot.com/-8wgSjTbX5ng/VNUmuNK-6TI/AAAAAAAAGB0/ZswcHGJZCUE/s1600/910968297_1592730254295255_8914556608518442429_n.jpg)

(http://3.bp.blogspot.com/-UcyxQUOjCkw/VNUmq52OrSI/AAAAAAAAGBc/rLCDddkgF-E/s1600/610955209_1592730277628586_7430523694043356199_n.jpg)

(http://3.bp.blogspot.com/-woKdYmUrPl8/VNUmrwn-JPI/AAAAAAAAGBk/6x8OCHfPAP8/s1600/710981159_1592730234295257_525897805999789822_n.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2014/10/22673.jpg)

(http://3.bp.blogspot.com/-2P2G_5SvqCQ/VOU5Hq-MV0I/AAAAAAAAGd0/N70w3gv0PGs/s1600/310356025_1597654710469476_1313121661669861336_n.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 16, 2015, 08:22:17 pm
(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/t31.0-8/906487_691724490867633_1208949024_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1403090_691724487534300_1400505356_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t31.0-8/1410696_691724454200970_2023658020_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1403359_691724430867639_1361957092_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/t31.0-8/882022_691724374200978_34289622_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1402870_691724364200979_1092664563_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/t31.0-8/1466013_691724350867647_2058780137_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1465912_691724214200994_1570779273_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/t31.0-8/1401133_691724190867663_699956210_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1401956_691724157534333_2051143675_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/t31.0-8/919494_691724120867670_548353402_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/t31.0-8/10669014_887519954621418_6611632143615541340_o.jpg)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-prn2/t31.0-8/1397612_691724107534338_513684044_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1400258_691724100867672_552061474_o.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 18, 2015, 08:44:10 pm
Acordo de cooperação para concluir projeto do radar SABER M200

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/12/Imagem-2-Acordo-SABERM200.jpg)

Foi celebrado o acordo de cooperação entre o Centro Tecnológico do Exército (CTEx), Fundação de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Exército Brasileiro (FAPEB) e a empresa BRADAR Indústria S.A (pertencente ao Grupo Embraer), com a finalidade de estabelecer as bases de  cooperação mútua, cujo propósito é executar a quarta e última etapa do projeto do radar SABER M200, incluindo a aplicação dos recursos do Fundo Tecnológico (FUNTEC) a serem disponibilizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Segundo o formato do acordo, caberá ao CTEx, dentre outras atribuições, especificar os requisitos necessários dos profissionais que serão contratados pela FAPEB e executar diretamente e/ou contratar serviços de engenharia necessários à quarta etapa do projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D) do radar SABER M200. À FAPEB caberá gerir os recursos financeiros oriundos do BNDES, realizando os processos aquisitivos, efetuando os registros contábeis, controlando o patrimônio e procedendo às prestações de contas. A BRADAR ficará encarregada de executar os serviços contratados pelo CTEx.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2015/12/Imagem-1-Acordo-SABERM200.jpg)

O SABER M200 é um radar tridimensional de defesa antiaérea de longo alcance que emprega tecnologias no estado da arte de varredura eletrônica para detecção e acompanhamento de aeronaves. Seu projeto foi  iniciado em 2008 e contou com financiamento das etapas anteriores da Financiadora de Estudos e Projetos  (FINEP).

Fonte: http://tecnodefesa.com.br/acordo-de-cooperacao-para-concluir-projeto-do-radar-saber-m200/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 19, 2015, 05:32:36 pm
Exército deve substituir munições para missões na selva a partir de 2016

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/foto_3_EMjtDAv.jpg)

Munição mais leve e mais barata será usada pelos Batalhões de Infantaria. Testes ocorreram nesta quinta-feira (17), no 1º BIS, em Manaus

O Exército Brasileiro testou, pela primeira vez no país, uma nova munição para ser usada em 2016, nesta quinta-feira (17), em Manaus. Menor, mais leve e mais barata, a nova munição perfurante calibre 556 deve substituir as anteriormente usadas pelos Batalhões de Infantaria de Selva na Amazônia. A alternativa pretende otimizar o trabalho dos combatentes na floresta.

Segundo o Comandante Militar da Amazônia, General Guilherme Theophilo, a proposta da troca é falicitar as missões na selva. Com a nova munição, o armamento chega a pesar 1,5 Kg a menos.

“O calibre 556 é mais leve para se transportar na selva que a 762. Nossas patrulhas são de longa duração no meio da selva, somam de 8 a 10 dias e, quanto mais a gente aliviar aquele peso que o combatente já leva, melhor. A mochila que ele leva já pesa 30kg e a gente vai aliviar [o peso transportado] na munição”, disse o comandante.

Durante a tarde, a nova munição passou pelo primeiro teste em solo brasileiro, no 1º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS). Ela já chegou a ser utilizada em campo pela 2ª e 16ª Brigada de Infantaria de Selva, na Operação São Joaquim, que ocorreu na fronteira do Brasil com a Colômbia no início de dezembro.

Mesmo em tamanho menor que a de calibre 762 – utilizada atualmente pelo exército -, a nova munição mostrou melhor desempenho nos testes. “A dúvida seria se essa munição teria o mesmo efeito que a 762, que é maior, mais pesada e mais cara. Então foi desenvolvida uma nova munição 566 com o mesmo poder de penetração. Vimos que ela [556] se comportou muito bem, empatou na maioria dos testes e ganhou em dois”, contou.

As duas munições foram testadas nos mesmo alvos. A 556 chegou a perfurar um alvo situado atrás de um muro de concreto, além de penetrar uma placa metálica de 11 mm. “Ela se comporta da mesma forma que a 762, mas com a vantagem de ser mais leve e menor, de modo que a gente possa dentro de um carregador levar 30 tiros invés de 20”, completou.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/foto_1_eCCUsca.jpg)

Fonte: http://www.planobrazil.com/exercito-deve-substituir-municoes-para-missoes-na-selva-a-partir-de-2016/

http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2015/12/exercito-deve-substituir-municoes-para-missoes-na-selva-partir-de-2016.html
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 19, 2015, 06:18:41 pm
3ª Divisão de Exército - “Divisão Encouraçada” na Operação Ibicuí

A Operação tem por objetivo adestrar os comandos e os Estados-Maiores das Grande Unidades participantes e executar, no terreno, ações táticas em um quadro de combate convencional. Aproximadamente 5.200 militares estão participando do Exercício e estão sendo utilizadas mais de 1.100 viaturas, sendo 156 Blindados.

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/10311770_877200688986678_551124226181195165_n.jpg?oh=f8b72ba56f4043be4f0a27c35b87993b&oe=5710D5C1&__gda__=1460274065_3106ef231712e62fdccf3d0a08a39c8a)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/1912354_877200665653347_7577642183741458481_n.jpg?oh=3b3521ba1f091fd1665dc602f913725f&oe=56D5BE0D&__gda__=1457334131_4059cfb7f7f74a518b38a7336266edd5)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/68116_877200635653350_270627368729653102_n.jpg?oh=9e16a620e1c15fc9b5c79dd2b09b1d38&oe=56D86150&__gda__=1456959240_775fa03e22733d6de9893f6c6177e21b)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/10419023_877200615653352_7585440420701349896_n.jpg?oh=10e73dc1619362c60f15cb8b0b4d3a22&oe=570E0C5B&__gda__=1457434247_c9c9d2271f7a4a342400826f7779bcb9)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/v/t1.0-9/10384443_877200412320039_7808869586170004310_n.jpg?oh=bf051684eba15182bb82d449c21b0199&oe=56DAF2B0&__gda__=1457307808_e262b964c555239be4f2696a6e45195e)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/10378001_877200262320054_1137106700772920791_n.jpg?oh=69c03e70c507b6fedfeb9526c32ca3b4&oe=56DA2E1D)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xta1/v/t1.0-9/1010412_877200222320058_1092249074463138866_n.jpg?oh=1a1dcec92b97a0bb5eedef6d9de2e8cb&oe=570EA862)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/10530666_877200175653396_2798163913172154274_n.jpg?oh=2f790b99c8d70f000f1f2c8b26c14462&oe=57154803)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t1.0-9/10603697_877200078986739_149773138270812445_n.jpg?oh=5180e85eaf7af444c2a780836f29b642&oe=57112B6C&__gda__=1460464517_9e3a234ed0c5db16f4bf6c6864cf9323)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/1779703_877200062320074_2105524927625098804_n.jpg?oh=3818bed7927cf3aa6950b298bfe34587&oe=56DA3AE5)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/1780803_877200042320076_1389714008150677764_n.jpg?oh=e5f07ac72e66380bde92509950729320&oe=570A4EBA&__gda__=1460396740_994e3d4bd5b0501d553e3f8e68b66544)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/10527801_877199992320081_8407912589427206163_n.jpg?oh=ff4558c07bb0d4aa89fddbee964eaf4e&oe=5716A95A)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/10438137_877199958986751_8704547858699355208_n.jpg?oh=83950e3272bad1a861d53150cb1d5bdf&oe=5719D614)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1377278_877199955653418_3809904597104996597_n.jpg?oh=005bef5c50f3bc6d5e9d099e79034308&oe=571EA918)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xal1/v/t1.0-9/10660087_877199922320088_5438981572497945766_n.jpg?oh=7ffb9db5e9357547904c65efaae5f0b6&oe=57158ADB&__gda__=1457531020_407df3c53708bfd867c13ed2ec70a342)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/1512716_877199872320093_7043030671692311725_n.jpg?oh=9dbc28a0d3c15851e952e2f4d3a3ce94&oe=571A48E5)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/10659421_877199828986764_2641230790123722652_n.jpg?oh=93271677868e06b8792d48404806383d&oe=5717C9D5&__gda__=1457297261_9e8feee249a734d37d36a16c9bd09dfd)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/v/t1.0-9/10418363_877199798986767_3110499072712967496_n.jpg?oh=e2eb2e0d73e52a8b6931941765c22bc1&oe=57182901)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlp1/v/t1.0-9/10660374_877199762320104_2463844932797330519_n.jpg?oh=48ca472520f7e6fbc80d00f063a742ae&oe=56D5059D&__gda__=1461830031_b231ce665a4a1141a080a99bb956ac2a)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/10414469_877199678986779_2980470131440257934_n.jpg?oh=34375e82c41b050965188c6432c74a0e&oe=57113982&__gda__=1461679028_1f1214cde749323de9202fe024ae524c)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t1.0-9/10710683_877199645653449_4869069339504769716_n.jpg?oh=ea5acf616a6b031df50bf8f2ce573d28&oe=56D52231&__gda__=1461298635_c4ad8d5e8ba650f8d8346dbdeac6b626)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/16784_877199622320118_4952229495003874592_n.jpg?oh=8ccbce6cf8a721f1f035397c35298edd&oe=570D69D2&__gda__=1456739519_893475ba80514821ec8a566e9d15829a)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/1380737_877199598986787_592259512404103720_n.jpg?oh=3c3e43f7793ba4bfd3f346a0cc156997&oe=57195286&__gda__=1461091513_25132de2b87b66ac057c8d87de568c4a)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/10730159_877199548986792_8085937093039936702_n.jpg?oh=863db7c81776c6d02a274e9262fb1d9c&oe=56DA20CE&__gda__=1457254215_1fcd656bcd67ee11e8d3ca7bfaf3f67b)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/10245356_877199518986795_309488507293322758_n.jpg?oh=0dbf4be5e30d7a8488f7dbea90aaee2c&oe=570A6C84&__gda__=1461138758_7fb50b82e3eccbbbc43285fb18bfe8dd)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/1899959_877199478986799_4387323475266902502_n.jpg?oh=b3111fb132b955db10b5dc7e0c2b35c8&oe=56DF4937)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/1236851_877199428986804_6195544045700162352_n.jpg?oh=068aea482454d676ef950d31d38fc57b&oe=5720455E&__gda__=1461734432_c0123fd6b45ae3ef5016a78082d6d097)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/v/t1.0-9/1962715_877199282320152_7479080330399022323_n.jpg?oh=a90e23b479da8f80e9e72bb738931acb&oe=571428D2)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 20, 2015, 07:41:29 pm
Módulo de Telemática Operacional (MTO) do Exército Brasileiro

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/mto_campo_3_634642215.jpg)

O Módulo de Telemática Operacional (MTO) permite a comunicação de dados, voz e imagens no campo de batalha.
Foi construído de modo a ser operado remotamente ou embarcado na Viatura de Comando e controle (VCC) especialmente desenvolvida para proporcionar flexibilidade e robustez às operações militares.

O MTO possibilita às comunicações militares via rádio integração à rede pública de telefonia fixa ou celular, transmissão de vídeo a dezenas de quilômetros, acesso à Internet a até 100 km de distância da base de operações, emprego de tecnologia VoIP e integração a qualquer cenário remoto através de sistemas de comunicações via satélite.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/mto_campo_980446280.jpg)

• Integração desenvolvida no CTEx
• Rádios HF, VHF e UHF
• Modem ADSL e DSLAM
• Integração de voz via rádio/fio/celular
• Rede sem fio 802.11 a/b/g
• Repetidoras 802.11 a/b/g com painéis solares
• Voz sobre IP
• Geradores a diesel com supressão de ruído
• Rotas de comunicações redundantes
• Seleção automática da rota mais eficiente
• Aerotransportável em aeronave C-130

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/mto_campo_2_222574013.jpg)

O Sistema é montado sobre o veículo Marruá AM23 – VTNE ¾ Ton, com capacidade para carga de 1.275kg. O MTO foi utilizado em diversas oportunidades em apoio as Forças Armadas, como a 3º Cúpula do Mercosul em 2012, Copa do Mundo 2014, também será utilizado na Olimpíadas 2016 na cidade do Rio de Janeiro.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/shelter_mto_107945029.png)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2015/12/article_II_482361993.jpg)

Fonte: http://www.planobrazil.com/mtomodulo-de-telematica-operacional-do-exercito-brasileiro/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 20, 2015, 08:00:01 pm
(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpl1/v/t1.0-9/1558386_773707472669334_3882159091545834296_n.jpg?oh=5f4b474a98b3d4a5e8bc5e7f04844c10&oe=56DB176E)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/10150720_773708062669275_2692999648694926345_n.jpg?oh=83c1b5c8e1af648c1c94425474247433&oe=5709D4F3)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/1010694_765449626828452_460677971838435209_n.jpg?oh=8b0a38c42c4a8cb85cf5e4c800648a9a&oe=571C07BF)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/10258957_765449613495120_1488537962625563062_n.jpg?oh=db278276fc36c66643281b53a33e5d2d&oe=5717CD4C&__gda__=1460900119_90b8f3b921b0f734b84dd601897a35ec)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/v/t1.0-9/10176257_765449573495124_799760209926558033_n.jpg?oh=34efb398d3529fefbb37c4f61a1adf5c&oe=571F03DA)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/10153015_765449560161792_9028120578934551887_n.jpg?oh=755a91dd5e823e99f3e2172d774e939d&oe=56DDA27C)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/1491739_765449550161793_6952864989315610797_n.jpg?oh=17d972983afa0039dc6e2753a1118833&oe=572112DC&__gda__=1456877973_b40529c9bfc5bcc4d103b7f51749d44b)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/10255361_773708106002604_1173592444630690696_n.jpg?oh=4bcae91ba0dbb051f8f46c1e0f9ae82d&oe=57223254&__gda__=1461298018_0b8647b7d5a641bcd35e0e902c05c7ca)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/10288723_773708132669268_138030523031123548_n.jpg?oh=56914151ea65f588001601cbea3172e7&oe=57091614)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/10250307_773708139335934_6762295591977156240_n.jpg?oh=8a61c58d3129030b16144aff223774fa&oe=56D6D167&__gda__=1460541777_c106961d95c4daa2eaba41d617a60526)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/v/t1.0-9/10330490_773708172669264_250533659349261684_n.jpg?oh=775213327f99cfdf2b70f76d9552eb60&oe=56D622AA&__gda__=1460487211_bb6afa64ec16f3edcb310b3f1c107c91)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/10178008_773708572669224_59462665989513741_n.jpg?oh=c1c78c8b252c703557fb017d7f4a4b2a&oe=570B28E1)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/10256515_773708579335890_1099543730885087158_n.jpg?oh=28e08cc0bcab36345f1a1057d65c26fb&oe=5712E3BE)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/10303738_773708586002556_1722761722752071003_n.jpg?oh=03099febc4b88fe4d0eb9676f2530ba6&oe=570A7759)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xal1/v/t1.0-9/10294478_773708619335886_1251550803100740475_n.jpg?oh=361d54afb5b64846bedd14449a1909b3&oe=5722841F)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/1902783_773708636002551_3687137197902287380_n.jpg?oh=785404842b6e845bcf528b69e0e03cad&oe=56D44B09&__gda__=1460979912_cad8d50aa6dbe0673bb34d7559c55fd5)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/v/t1.0-9/1661859_773708662669215_278200464138635921_n.jpg?oh=47405631aa274451c4eaf7136daddd81&oe=571B964A&__gda__=1460837072_d2fcb557b60912cfe8f35ddf00811707)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/v/t1.0-9/10171826_773708692669212_5374016670853921758_n.jpg?oh=e912a0407104d58cce6a4c0c2a56368f&oe=571D8980)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/v/t1.0-9/10154048_773708752669206_3935092760240454214_n.jpg?oh=d3cea360ae0906d6c33b98bfbf65a408&oe=571B7036&__gda__=1457356602_5bb6ce0c5a08fd907a63b730d132c5a4)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t1.0-9/10329289_773708782669203_5649502013700002087_n.jpg?oh=2d914890a96ffe0bf6f3e53d67f4cafc&oe=56DA0487&__gda__=1460825981_870a9da43990cc0284a3d114f1ac9894)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/10277762_773708819335866_7440058307027465508_n.jpg?oh=f49562dc3ce5d3ad8961e5ce2ef53942&oe=571FCB8C&__gda__=1461339709_438a08a439275775eeace86abef99cab)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-prn2/v/t1.0-9/10329289_773708849335863_1113737290679729364_n.jpg?oh=5e67943c13bc50e4723cf48b96ce47b5&oe=5715B7F6)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 22, 2015, 06:40:53 pm
(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1009728_687904107916338_356645963_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1102701_687904094583006_269380306_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1462755_687904017916347_708849146_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/t31.0-8/1421099_687904007916348_1735983100_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1398526_687904004583015_118266852_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t31.0-8/1400785_687903944583021_842873553_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1412587_687903877916361_1430940642_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t31.0-8/1399767_687903861249696_498484689_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1397550_687903847916364_1067350850_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/t31.0-8/893357_687901824583233_2073045767_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1415569_687901784583237_762794611_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t31.0-8/1410701_687901741249908_1294122337_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-prn2/t31.0-8/885297_687901707916578_846505377_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1398912_687901704583245_1060029740_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/t31.0-8/967119_687900637916685_938600116_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/t31.0-8/1400713_687900557916693_207298851_o.jpg)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/t31.0-8/1400400_687900534583362_643862255_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/1399012_687900321250050_500183574_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/t31.0-8/1462560_687900274583388_198938590_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t31.0-8/1400550_687900211250061_504656709_o.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/t31.0-8/963919_687899974583418_1045537069_o.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 06, 2016, 02:04:57 pm
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/1002980_458537874245601_1025457234_n.jpg?oh=5a22a08421ab045d8558cbbec284b7fa&oe=57040006&__gda__=1464094001_2809b8063cf9451a3f2ee227bd1e8288)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 07, 2016, 03:55:18 pm
(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/12489_970512752988804_8410283078958953759_n.jpg?oh=4cf0286afe164c563ce12db12bed8135&oe=57011D76)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/10624890_970512749655471_9061510239466183896_n.jpg?oh=497659134c0678f65875fe6b550b328a&oe=57484F9F&__gda__=1460660905_907c9c79686859d5cbf5128388e6fbc6)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/11071671_970512736322139_5868798799230457253_n.jpg?oh=3a60c77b577add4324d873ac5694d3d8&oe=57104E98&__gda__=1460464425_78c47a3eac4d1a0507bd375a0879f782)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/11081046_970512652988814_3701266955125825836_n.jpg?oh=18d8b4e3a13438084277be799f4cc800&oe=570E9656)



Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 07, 2016, 04:04:20 pm
A Simulação de Combate na Guarnição de Santa Maria / RS

(CCOMSEx) A guarnição de Santa Maria (RS), sede da 3ª Divisão de Exército, experimenta, desde o final da década de 1990, a utilização de sistemas de simulação de combate. O emprego de modernos e eficazes equipamentos, associado a outros meios auxiliares de última geração com baixo custo de utilização, tem credenciado a cidade de Santa Maria como referência nacional, no tocante ao uso de dispositivos de simulação para a qualificação e o adestramento de oficiais e praças do Exército Brasileiro (Oficial).


(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/10308380_859625127410901_2164165931701004763_n.jpg?oh=f2f859f40009066980c932e3120f564a&oe=5705357B)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/10399990_859625074077573_5293716552007850047_n.jpg?oh=c57bd78c49251044bc96c9353f26da62&oe=570C3EBC)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/10402468_859624934077587_8585053193864215710_n.jpg?oh=cd84cd31534e97e050c90aef8d02b769&oe=5716D1AD&__gda__=1463837220_5eaea16940eecfbfe0587f28821b0c5f)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/10384843_859624794077601_7875767983744737657_n.jpg?oh=6b972719907e9b215b6006aa2882bc39&oe=57116B93)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/10342773_859624764077604_1356877165619772148_n.jpg?oh=c613cbd073748ea7a0994115c4f66b23&oe=56FB7FDB&__gda__=1460631789_e5999790eddd15caac2071b1751d6bcf)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xal1/v/t1.0-9/10678615_859624754077605_7552883227490479678_n.jpg?oh=11185c5c2acb40e3b8094e7ef5feaac6&oe=5742FC3D&__gda__=1459811434_3b26a3b16493029e303c568c8b3eae30)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/v/t1.0-9/10696395_859624614077619_3457089509471694702_n.jpg?oh=bac7f020ec11cdf698170684fee85463&oe=571608BB&__gda__=1464243383_caa804e780244962768c1bfd54ad5534)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t1.0-9/10606467_859622980744449_4444924865007083637_n.jpg?oh=5968157565c11facec816c7974f82b14&oe=570B34D3&__gda__=1460409897_859d3d17d19d2625f247e59655f7dda4)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xlp1/v/t1.0-9/1450055_859622684077812_7477599204388337821_n.jpg?oh=a7207a15afe16771e8d26ff872a45c8e&oe=570C5E6E)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/v/t1.0-9/10339573_859622250744522_1048886185128644433_n.jpg?oh=c89f3e44c4bf192923a848bec50b747e&oe=56FF4AEA)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/10686768_859622204077860_1666228253725591778_n.jpg?oh=cc7a979cf19c6fcac5ca088d2d412195&oe=570775C5&__gda__=1459419673_70278ad8b9b54c61b9a77f27c7befee5)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtp1/v/t1.0-9/10628603_859622150744532_2645589572141071292_n.jpg?oh=e48d925320e1076757a85533e81c7012&oe=5743FDFA)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash2/v/t1.0-9/10703887_859622134077867_1722341742024157353_n.jpg?oh=c2b1b6fcd5c2f79fb6efabbc734b5dae&oe=57121D73&__gda__=1461126015_5cb03d792aa19d90b982652f4ebd7147)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 07, 2016, 04:16:42 pm
(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/v/t1.0-9/941020_1272269232800002_1902154160737693613_n.jpg?oh=94a188294ed02d2d5b3b922bc440facf&oe=5706A4AA)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 07, 2016, 05:38:19 pm
Pilotos do Exército realizam treinamento em simulador do H225M

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/01/Imagem-1-H225M-simulador.jpg)

O primeiro grupo de militares do Exército Brasileiro a passar por treinamento no Centro de Treinamento e Simuladores (CTS) da Helibras, no Rio de Janeiro, contou sua experiência no Full Flight Simulator (FFS) do helicóptero H225M.

O treinamento foi ministrado no Brasil pelos instrutores da Helibras, Sergio Khalil e Alexandre Anselmo. Contando com base de dados visuais do Brasil, os comandantes militares puderam realizar as atividades sob as mesmas condições de temperatura, solo e paisagem de onde operam os helicópteros da Aviação do Exército.

Em 2016, o treinamento continuará com outros grupos do Exército e também  oficias da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira (FAB).


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 10, 2016, 07:15:21 pm
Leopard: 41 Viaturas recuperadas

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7302907&t=1452263455888)

No dia 5 de janeiro, o Parque Regional de Manutenção da 3ª Região Militar (Pq R Mnt/3) finalizou o Projeto de Recuperação das Viaturas Blindadas de Combate (VBC-CC) Leopard 1A1, que tinha por finalidade recuperar 41 carros de combate adquiridos do Exército Belga na década de 1990.

Para que essa missão fosse concluída no prazo estipulado, foi necessária a criação de uma Força Tarefa de Manutenção, estruturada com a participação de militares dos 4°, 6º e 9º Regimentos de Cavalaria Blindados, organizações militares de destino das viaturas recuperadas. Esse trabalho conjunto é um testemunho da força da união entre Unidades Operacionais e Logísticas para o cumprimento das missões mais desafiadoras.

Hoje, cada Regimento de Cavalaria Blindado (RCB) conta com um esquadrão de VBC CC Leopard 1A1, além de possuir, em seus quadros, militares experientes para manutenir rotineiramente essas viaturas. No entanto, o Pq R Mnt/3 é a Unidade Logística encarregada das missões de recebimento, manutenção e suprimento de todo o material do Projeto Leopard, tornando-se assim a OM de referência para as viaturas dessa família de blindados.

A solenidade de finalização do Projeto contou com a presença dos Comandantes dos RCB envolvidos. Durante a formatura, a última viatura blindada de combate Leopard 1A1 recuperada, pertencente ao 9° RCB, desfilou pela Alameda Gen Napion, representando todos os demais carros de combate recuperados pelo Parque.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7302908&t=1452263455948)

Fonte: http://migre.me/sF02e
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Janeiro 10, 2016, 07:37:51 pm

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3806.jpg)

(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2011/10/3820.jpg)

Gosto de comparar as diferenças nestas fotos.  ;)

Então. Trata-se de duas versões do Leopard 1. Os dois da fotografia superiora, tratam-se de Leopard 1A5, vindos dos estoques do Exército Alemão. O da foto do quadro inferior é um Leopard 1A1, comprados no final da década de 1990, dos estoques do Exército Belga. Há rumores que os 1A1 serão baixados no curto prazo. O E.B tem planos de, junto com a KMW Krauss-Maffei Wegmann, desenvolver um tanque armado de um canhão 120 mm de pelo menos 54 toneladas. Deverá ser uma versão nacionalizada do Leopard 2. Contudo são planos para o longo prazo já que, atualmente, o E.B passa por problemas de monta financeira.

Inclusive é bom lembrar que a KMW abriu uma oficina de manutenção de blindados em solo brasileiro, na cidade de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul:
Mais 41. Então afinal os A1 ainda estão para durar.


Citar
para manutenir rotineiramente

 :N-icon-Axe:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 11, 2016, 11:52:18 am
Citar
Mais 41. Então afinal ainda os A1 ainda estão para durar.

Esta é uma crônica. Com a verba abalada pelos cortes efetuados pelo governo, o EB vai prolongar por muitos anos ainda a vida operacional dos Leopard 1A1. Há também os M60 que estão concentrados no Mato Grosso do Sul perto com a fronteira do Paraguai e Bolívia.

Os Leopard 1A1 adquiridos da Bélgica utilizavam sistema de controle de tiro próprio, auxiliado por visão termal para tiro noturno. O Leopard 1A1 foi a primeira versão do tipo usada pelo Exército Brasileiro, que possui mais de 200 carros da versão IA5 BR.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/01/leopard-2.jpg)



Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 11, 2016, 12:16:20 pm
Por falar nisso...

Modernização: sem dinheiro para pensar em máquinas novas, Exército quer os seus helicópteros HM-1 Pantera voando até 2040

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2014/09/Pantera-EB-credito_Helibras.jpg)

O Exército brasileiro receberá, este ano, mais quatro helicópteros AS 365K Pantera modernizados para a versão K2 Super Pantera, com o novo motor Arriel 2C2CG – mais potente –, novo piloto automático digital, equipamento de visão noturna e um dispositivo de proteção corta-cabos (que evita acidentes no caso de um choque com fios da rede elétrica).

O Comando de Aviação do Exército (CAVEX) possui 34 aeronaves tipo HM-1 Pantera, de “emprego geral”, usadas desde 1989, primordialmente, para o transporte de destacamentos de Infantaria Aeromóvel e frações de combatentes de elite pertencentes ao Comando de Operações Especiais. Desse total três foram já revitalizadas.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/Panther-paineldeinstrumentosLIGADO.jpg)

A decisão de estender a vida útil dos aparelhos, tomada há quase sete anos, correspondeu à avaliação dos chefes militares de que seria difícil obter recursos para a importação de helicópteros de projeto mais moderno. Assim, a Força Terrestre espera que, mediante o serviço de revitalização que vem sendo feito pela companhia Helibras, os seus Super Panteras possam voar até o início dos anos de 2040.

Carga útil – O terceiro helicóptero modernizado foi entregue ao 2º Batalhão de Aviação do Exército, da cidade de Taubaté (SP), quatro dias antes do Natal.

Como os demais, ele teve sua potência aumentada em 40%. Os novos motores Arriel não são apenas mais poderosos; eles também se revelam mais eficientes quando se mede o consumo de combustível em relação à carga útil transportada.

O AS 365K do Exército transporta 4.150 quilos; sua versão K2 vai carregar de 4.300 a 4.500 kg.


Isso quer dizer que, no lugar de embarcar apenas oito militares (com limitações no equipamento individual de cada um deles), o Super Pantera aceitará nove combatentes e ainda conseguirá operar em melhores condições de segurança do que à época em que voava com apenas oito.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/Pantherhelic%C3%B3pterode-r%C3%A9.jpg)

Avaliação – O Exército está gastando 349,35 milhões de Reais para remodelar os seus aparelhos Pantera. Os dois primeiros a serem revitalizados, entregues em 2014 – cinco anos após a assinatura do contrato para o serviço –, foram praticamente reconstruídos, recebendo uma estrutura externa completamente nova, além de melhorias na aviônica e em outros sistemas.

Isso permitiu que eles fossem submetidos à chamada “Avaliação Técnico-Operacional”: cerca de 150 missões em uma dúzia de cidades da Amazônia, da Região Centro-Oeste (cerrado) e de áreas frias do sul do país, que apresentavam condições ambientais inteiramente diversas.

Feitas essas provas, a terceira aeronave já não precisou mais ter sua estrutura externa trocada, embora seus equipamentos sejam absolutamente os mesmos daquelas que serviram como protótipo da versão K2.


Fonte:  http://www.planobrazil.com/modernizacao-sem-dinheiro-para-pensar-em-maquinas-novas-exercito-quer-os-seus-helicopteros-hm-1-pantera-voando-ate-2040/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 11, 2016, 05:05:19 pm
Selva!

(http://i.imgur.com/FnXeWJT.jpg)

(http://i.imgur.com/nBVEr9M.jpg)

(http://i.imgur.com/JLcy2Oh.jpg)

(http://i.imgur.com/IddZYZ5.jpg)

(http://i.imgur.com/zErPG67.jpg)

(http://i.imgur.com/Q08H15y.jpg)

(http://i.imgur.com/vM3omVK.jpg)

Fonte: http://imgur.com/a/SiRuU
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 12, 2016, 02:12:40 pm
Exército recebeu 10º Fennec modernizado

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/01/decima-unidade_Renato-Olivas-ALTA-02.jpg)

A Helibras encerrou 2015 com a entrega ao Exército do 10º helicóptero Fennec modernizado pela empresa. A cerimônia oficial de entrega foi realizada em dezembro, na fábrica de Itajubá (MG), quando o presidente da Helibras, Richard Marelli, recebeu a visita do comandante da Aviação do Exército (AvEx), General Achilles Furlan Neto.

A expectativa é de que os Fennec modernizados comecem a ser utilizados pelo Centro de Instrução da Aviação do Exército (CIAvEx) na formação dos novos pilotos da AvEx, já com os novos sistemas empregados após a conclusão do trabalho de retrofit.


Fonte: http://www.forte.jor.br/2016/01/07/exercito-recebeu-10o-fennec-modernizado/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 12, 2016, 02:14:39 pm
Helibras entrega Pantera K2 modernizado no Brasil

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/01/Pantera-K2.jpg)

No mês de dezembro, a Helibras entregou mais uma unidade do Pantera modernizado. O helicóptero AS365 K2 recebido pela Aviação do Exército (AvEx) foi o primeiro a passar por todo o processo de modernização no Brasil, na fábrica da Helibras, em Itajubá (MG).

A aeronave havia realizado, em outubro, seu primeiro voo de testes no país após os trabalhos.

Na fábrica da Helibras, quatro outras células já passam pela fase de inspeção para receber os sistemas modernizados. Neste ano, militares da manutenção da AvEx acompanharão o processo na empresa como treinamento para trabalhar com os novos componentes da aeronave.


(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2014/09/Novo-painel-pantera_Helibras.jpg)

Com essa unidade, o Exército inicia 2016 com três Pantera K2 sendo dois deles reconstruídos (a partir de novas células) e o terceiro modernizado, mantendo suas estruturas principais. Os helicópteros já estão em operação em Taubaté, interior de São Paulo.

Somente no mês de dezembro, a Helibras entregou 5 helicópteros modernizados à Força, sendo 4 Fennecs e 1 Pantera K2.


Fonte: http://www.forte.jor.br/2016/01/11/helibras-entrega-pantera-k2-modernizado-no-brasil/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 12, 2016, 04:49:52 pm
(https://c1.staticflickr.com/9/8569/16034451754_93e19e9a63_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8605/16656765835_74050acd69_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8607/16469189288_cf74100902_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8669/16034453484_5e6dc852eb_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8658/16656767975_f29a2e6536_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8638/16630831776_f440bac59d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5570/14863165387_835af06f13_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 13, 2016, 01:16:58 pm
Projeto Visão de Futuro do Centro de Avaliação do Adestramento do Exército (CAAdEx)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 13, 2016, 07:45:07 pm
Primeiro tiro operacional com o sistema RBS 70 da Saab no Brasil

(http://image.saab.com/globalassets/scaled/1170x780x2/globalassets-regional-websites-brazil-rbs-brazil-3.jpg)

Reconhecido mundialmente, o sistema Míssil de Baixa Altura Telecomandado RBS 70 compõe a Artilharia Antiaérea de mais de 20 países, dentre eles, o Brasil.

Desenvolvido na década de 1970, mais de 1,6 mil postos de tiro e 17 mil mísseis já foram entregues aos respectivos usuários. Com eficácia superior a 94%, ou seja, a cada 100 mísseis disparados, mais de 94 alvos são abatidos, o RBS 70 utiliza um facho laser como sistema de direção do míssil, o que o torna imune a interferências, em qualquer ambiente operacional. Portátil, pode ser montado e operado com facilidade por uma guarnição composta por três homens.

Além de postos de tiro, o contrato com o Brasil incluiu simuladores de adestramento, equipamentos de visão noturna e de testes, sobressalentes, cursos de capacitação e mísseis MK2, que têm alcance de 7 quilômetros, teto de emprego de 4.000 metros e velocidade máxima de Mach 2, ou seja, duas vezes a velocidade do som. “Ficamos muito satisfeitos em atender aos requisitos da Estratégia Nacional de Defesa com o RBS 70”, afirmou Bo Torrestedt, presidente da Saab na América Latina.

“O sistema RBS 70 proverá a defesa antiaérea das tropas da Força Terrestre e das infraestruturas estratégicas do País”, explicou o Comandante da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, General de Brigada João Chalella Júnior, informando também que o sistema dotará as unidades de Artilharia Antiaérea Orgânicas da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea e das Baterias de Artilharia Antiaérea das Brigadas de Infantaria e Cavalaria Mecanizada.

De acordo com o General Chalella, a Artilharia Antiaérea do Exército é empregada em situações de crise, guerra ou quando não há combate tradicional, mas uma ação efetiva do poder militar, conhecida como situação de não-guerra. “Os Jogos Olímpicos de 2016 enquadram-se em situação de não-guerra, portanto, há a previsão de emprego da Artilharia Antiaérea no evento”, explicou.


(http://image.saab.com/globalassets/scaled/1170x780x2/globalassets-regional-websites-brazil-rbs-brazil-4.jpg)

Fonte: http://saab.com/pt/region/brasil/sobre-a-saab/historias/historias-saab-brasil/2016/sistema-rbs-70-na-artilharia-antiaerea-do-exercito-brasileiro/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 20, 2016, 01:25:21 pm
Comando Militar do Norte — 2º Batalhão de Infantaria de Selva

(https://c2.staticflickr.com/2/1527/24285850292_f30ace4590_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1525/24285850782_c770cc56a8_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1688/24098472990_5e90d8480e_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1488/23765882104_f4a7664357_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1670/23767291163_3a476b24ae_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1584/23767292443_c96e35a4b2_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1476/24367867226_cc751cc2e0_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1473/24311618521_5d175966d4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1495/23765888624_19dbf2a0b8_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1624/24026278439_a252fe83e6_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1544/24311622521_1b4cf5a89e_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1568/23767301683_35ef75a33d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1572/24098489460_463aea51f8_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1595/24367880826_4783cccccd_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1704/24026288129_4ed8d86e35_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1498/24367884556_a2b15478e6_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1532/24026291729_48dd4f4286_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1577/24026306769_8eefdc5cd5_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1648/24026308839_635b8da9a1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1684/24098511830_3496031a29_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1510/23767329973_b26f59da38_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1689/24285892432_3a68ec0ff5_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 20, 2016, 01:43:09 pm
Comando Militar do Norte incorpora ‘ferry-boat’ de 36 m de comprimento para elevar sua capacidade operacional

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/Ferryadistancia.jpg)

O Comando Militar do Norte apresentou ao Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, na manhã da terça-feira da semana passada (12.01), na cidade de Belém (PA), o ferry boat Tenente Daniel Bazoli, embarcação de 36 m de comprimento, 10 m de largura e capacidade de transportar 250 toneladas de carga, que irá elevar o nível de operacionalidade daquele Comando.

O ferry boat foi alocado à flotilha fluvial de transporte logístico do 8º Depósito de Suprimento, subordinado à 8ª Região Militar, que se encontra sob o comando do general de divisão Humberto Francisco Madeira Mascarenhas.

O barco é tripulado por 17 militares (que contam com seis camarotes e uma suíte a bordo) e pode operar por 16 dias consecutivos (375 horas) sem precisar parar para ser reabastecido ou receber manutenção.

Ele transporta dois contêineres frigorificados de 40 pés, quatro contêineres climatizados de 20 pés, e está equipado com circuito de câmeras, GPS e rádios de comunicação. A aquisição do Tenente Daniel Bazoli se insere nos objetivos estratégicos organizacionais a serem cumpridos pela 8ª Região, focados na elevação do nível de operacionalidade do Comando Militar do Norte, proporcionando maior segurança e melhores condições de trabalho às tripulações de sua frota.

A meta final é aumentar a flexibilidade do transporte fluvial logístico na Amazônia Oriental.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/Ferryatracadonocais.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/Ferrycomconteineresmelhor.jpg)

Fonte: http://www.planobrazil.com/marinha-verde-oliva-comando-militar-do-norte-incorpora-ferry-boat-de-36-m-de-comprimento-para-elevar-sua-capacidade-operacional/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 20, 2016, 06:52:58 pm
Guerreiros de Selva - 24 horas de treinamento em 120 segundos:


Reparem a bandeira do fardamento do militar aos 1:13s.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 24, 2016, 07:28:59 pm
(https://c2.staticflickr.com/2/1663/24480059316_782247455c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1494/24210696280_4847440621_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1628/23879453923_9bc0f807aa_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1648/24506255585_e0757b0f58_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1714/23878074574_46216a3512_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1482/24210706310_eab407c6af_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1554/24138505309_440e6a3e13_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1616/24423905341_e35dbe7d09_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1499/24138514689_f11d18ebec_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1474/24506275145_2480193beb_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1547/23879478693_31c21e6552_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1567/24210725280_d5770c44c8_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1515/23879481953_635ac9ddbf_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1622/24506285715_db0cd6f3a9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1667/24423927861_3acfcd8647_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1455/24210742230_34b281e6c7_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1481/24138551029_fcc8136c5b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1487/24480124506_d44289836a_b.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 24, 2016, 07:38:27 pm
(https://c2.staticflickr.com/2/1472/24397957042_122414a9f9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1490/23879442453_ee8bc7fc6d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1599/23879443903_d8f4fcba51_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1470/24506245435_cab13e9bed_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1573/24138490219_1ae8571a8c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1550/24210693590_9c3bc3120d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1495/24210695050_be03776732_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: HSMW em Janeiro 24, 2016, 07:47:00 pm
Comando Militar do Norte — 2º Batalhão de Infantaria de Selva
(https://c2.staticflickr.com/2/1684/24098511830_3496031a29_b.jpg)
Excelentes fotos.
Que estandartes são estes?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 25, 2016, 12:49:55 am
Comando Militar do Norte — 2º Batalhão de Infantaria de Selva
(https://c2.staticflickr.com/2/1684/24098511830_3496031a29_b.jpg)
Excelentes fotos.
Que estandartes são estes?

Caro HSMW, de fato são fotos interessantes.

Enquanto aos estandartes trata-se das 12 bandeiras históricas do Brasil. Vamos enumerá-las:

Ordem de Cristo

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Ordem-Cristo.jpg)

A primeira bandeira hasteada em solo brasileiro foi a da Ordem de Cristo. A Ordem de Cristo era uma associação rica e poderosa, que patrocinou as grandes navegações portuguesas. A cruz de Cristo estava pintada nas velas da frota de Pedro Álvares Cabral e o estandarte da Ordem esteve presente no descobrimento de nossa terra, participando das duas primeiras missas.

Bandeira Real

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Real.jpg)

A Bandeira Real vigorou de 1500 a 1521. A bandeira do Primeiro Reino de Portugal, também usada nos barcos da esquadra de Pedro Álvares Cabral, participou de todos os acontecimentos importantes havidos em nossa terra até 1521. Embora fosse a oficial, essa bandeira cedia espaço para a da Ordem Militar de Cristo, sendo usada nas expedições no mar e nas embarcações. Foi a primeira vez que apareceu o escudo de Portugal.

Bandeira de D. João III

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Dom-Joao-III.jpg)

A Bandeira de D. João III vigorou de 1521 a 1616, aproximadamente. Era a bandeira de Portugal usada durante o reinado de Dom João III, o “Colonizador”. Tomou parte em importantes fatos de nossa história, como as expedições exploradoras e colonizadoras, a instituição do Governo Geral na Bahia em 1549 e a posterior divisão do Brasil em dois Governos, um com sede no Norte e outro com sede no Sul.

Bandeira do Domínio Espanhol

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Dominio-Espanhol.jpg)

A Bandeira do Domínio Espanhol vigorou de 1616 a 1640. Foi a bandeira portuguesa usada na ocupação espanhola. Foi criada por Felipe II, rei da Espanha, em 1616. Deveria ser hasteada em Portugal, enquanto nas colônias ainda vigorava a Bandeira de D. João III. Esta bandeira assistiu às invasões holandesas no Nordeste e ao início da expansão bandeirante, propiciada, em parte, pela União Ibérica.

Bandeira da Restauração

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Restauracao.jpg)

A Bandeira da Restauração vigorou de 1640 a 1683. Também conhecida como “Bandeira de D. João IV”, foi instituída logo após o fim do domínio espanhol. A ideia era caracterizar o ressurgimento do Reino Lusitano sob a Casa de Bragança. O fato mais importante que presidiu foi a expulsão dos holandeses do território brasileiro. A orla azul alia, à ideia de pátria, o culto de Nossa Senhora da Conceição, que passou a ser a Padroeira de Portugal, no ano de 1646.

Bandeira do Principado do Brasil

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Principado-Brasil.jpg)

A Bandeira do Principado do Brasil vigorou de 1645 a 1816. Esta foi a primeira bandeira criada especialmente para o Brasil. D João IV conferiu a seu filho Teodósio o título de “Príncipe do Brasil”. Mesmo assim, não devemos ver essa bandeira como sendo a primeira bandeira de nossa nacionalidade, pois, não éramos uma nação soberana. Ela foi criada devido ao título recebido pelo filho do rei e não como representação de nossa nação.

Bandeira de D. Pedro II, de Portugal

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Pedro-II-Portugal.jpg)

A Bandeira de D. Pedro II, de Portugal vigorou de 1683 a 1706. Essa bandeira possui o escudo real encimado pela coroa real fechada, mas com uma nova forma. Esta bandeira foi usada no auge das expedições dos bandeirantes. É interessante atentar para a inclusão do campo em verde (retângulo), que voltaria a surgir na Bandeira Imperial e foi conservado na bandeira atual, adotada pela República.

Bandeira Real do Século XVII

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Real-Seculo-XVII.jpg)

A Bandeira Real do Século XVII vigorou entre 1600 e 1700. Ela foi usada como símbolo oficial do Reino, ao lado de outros três pavilhões já citados: a Bandeira da Restauração, a do Principado do Brasil e a Bandeira de D. Pedro II, de Portugal.

Bandeira do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Reino-Unido-Portugal.jpg)

A Bandeira do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve vigorou de 1816 a 1821. Após a vinda da família real para o Brasil em 1808, o Brasil passou por várias transformações, e entre elas, a elevação a Reino Unido. Criado em 1815, o Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve só ganhou uma bandeira em 13 de maio de 1816. O Brasil está representando nessa bandeira pela esfera de ouro, em campo azul.

Bandeira do Regime Constitucional

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Regime-Constitucional.jpg)

A Bandeira do Regime Constitucional vigorou de 1821 e 1822. A Revolução do Porto, de 1820, fez prevalecer em Portugal os ideais liberais da Revolução Francesa, abolindo a monarquia absoluta e instituindo o regime constitucional, cujo pavilhão foi criado em 21 de agosto de 1821. É nesse contexto, que as Cortes (parlamento português) criaram esta nova bandeira. Foi a última bandeira lusitana a tremular no Brasil.

Bandeira Imperial do Brasil

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Imperial-Brasil.jpg)

A Bandeira Imperial do Brasil vigorou de 1822 a 1889. Criada por um decreto de 18 de setembro de 1822, logo após a independência do Brasil, esta bandeira era composta de um retângulo verde e nele, inscrito, um losango ouro, ficando no centro deste o Escudo de Armas do Brasil. O autor desta bandeira foi o pintor Jean Baptiste Debret, com colaboração de José Bonifácio de Andrada e Silva. As estrelas representavam as províncias brasileiras.

Bandeira Provisória da República

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Provisoria-Republica.jpg)

A Bandeira Provisória da República vigorou de 15 a 19 de novembro de 1889. Esta bandeira foi criada provisoriamente, como substituição à bandeira imperial, assim que foi proclamada a república, em 15 de novembro. A bandeira republicana, que copiava a norte-americana, teve uma vida curtíssima: apenas quatro dias. Foi hasteada na redação do jornal “A Cidade do Rio”, após a proclamação da República, e no navio “Alagoas”, que conduziu a família imperial ao exílio.

Bandeira Nacional

(http://img.historiadigital.org/2012/05/Bandeira-Nacional.jpg)

A Bandeira Nacional está em vigor desde 19 de novembro de 1889. Por este motivo, a data é comemorada com o o Dia da Bandeira. A atual bandeira nacional foi projetada em 1889 por Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos, com desenho de Décio Vilares. No lugar da coroa imperial, eles colocaram a esfera azul-celeste e a frase “Ordem e Progresso”, escrita em verde, lema positivista do século XIX.

Há uma portaria do Exército que determina o uso das bandeiras históricas nos cerimoniais militares. Entretanto, elas não são hasteadas, apenas conduzidas por tropa em solenidades militares. Os Símbolos Nacionais são o retrato vivo do Brasil: de nossa terra, de nossa gente.

Cada organização Militar ( OM ) deverá possuir, no mínimo, dois exemplares da Bandeira Nacional. Uma delas será hasteada no mastro principal, utilizando-se a outra em formaturas e desfiles. O exemplar usado nas formaturas e desfiles é guardado com mastro e talabarte, na vertical, em um armário envidraçado e em local visível e de destaque no gabinete do Comandante, Chefe ou Diretor.

Idêntico procedimento deverá ser adotado com relação aos Estandarte-Históricos, se a OM possuir.

(https://c2.staticflickr.com/8/7450/13854771925_26c00830a1_b.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 25, 2016, 09:07:59 pm
Ativação do 23º Contingente no Haiti

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7261132&t=1451499663711)

Foi realizada a ativação do 23º Contingente Brasileiro de Força de Paz (CONTBRAS) da Organização das Nações Unidas (ONU). O Coronel Gustavo Henrique Dutra de Menezes, transmitiu o Comando do Contingente do Batalhão de Infantaria (BRABAT) ao Coronel Ricardo Pereira de Araujo Bezerra. Na mesma oportunidade, o Capitão de Fragata Alexandre da Costa Lopes e o Tenente-Coronel Carlos Otávio Krawutschke Cardoso assumiram, respectivamente, as funções de Comandante do Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais (Gpt Op FN) e da Companhia Brasileira de Engenharia de Força de Paz (BRAENGCOY).
A solenidade contou com a presença de oficiais-generais das Forças Armadas brasileiras, dentre eles o Force Commander da Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo, General de Divisão Santos Cruz, e o Force Commander da MINUSTAH, General de Divisão Ajax Porto Pinheiro.

A partir de agora, o 23ª Contingente do BRABAT tem a responsabilidade de manter a excelência do trabalho desenvolvido pelos contingentes anteriores que, ao longo de onze anos, mantiveram o ambiente seguro e estável no Haiti.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 25, 2016, 09:32:59 pm
Haiti

(https://c1.staticflickr.com/7/6030/5937710406_d48261a7f1_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6008/5937710610_11551f3838_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6026/5937152605_0542166c4c_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6014/5937711198_d5dedd8853_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6146/5937711472_5b4b1b3939_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6024/5937153445_d062311c11_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6009/5937712288_ce076dc19b_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6020/5937712682_71e3793083_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6144/5937154743_8685bb44e2_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6124/5937714642_2eb77101a9_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 27, 2016, 12:03:59 pm
Jane’s diz que Exército brasileiro anunciará ‘em poucos dias’ o vencedor do programa VBMT-LR

Uma reportagem do grupo editorial britânico Jane’s publicada na web nesta segunda-feira (25.01), informa que o Exército anunciará “em poucos dias” (in the next few days) o nome do modelo de veículo tático que a corporação adotará.

A Força Terrestre fará uma primeira aquisição de 32 unidades da viatura escolhida, e espera que os primeiros exemplares possam ser recebidos a tempo de serem empregados no dispositivo de segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, dentro de sete meses.

Em julho do ano passado, a Diretoria de Fabricação do Exército anunciou que o short list referente ao Programa Viatura Blindada Multitarefa – Leve de Rodas (VBMT-LR) estava composto pelos modelos LMV (Light Multirole Vehicle) proposto pela Iveco Veículos de Defesa da Itália, juntamente com a Iveco América Latina; e o Tupi, viatura baseada no Sherpa Light Scout da Renault Trucks Defense, oferecido pela empresa paulista Avibras em parceria com a Renault.

Líbano – O correspondente do grupo Jane’s em Londres, Victor Barreira, atribui suas informações ao coronel do Exército brasileiro José Henrique de Cássio Ruffo, gerente do Projeto Estratégico Guarani.

O programa VBMT-LR é parte do Projeto Estratégico Guarani, e foi implementado, em ritmo acelerado, entre os anos de 2013 e 2014, quando o Exército trabalhava com a perspectiva de ter que enviar um batalhão de Infantaria para a Força das Nações Unidas no Líbano – plano que acabou sendo desativado.

Seus requisitos são de um veículo classe 4×4, com peso máximo de oito toneladas e capacidade de carga de uma tonelada, apto a transportar uma guarnição de cinco combatentes, além de exigências de blindagem e sobrevivência (especialmente no caso de explosivos enterrados na via) para os tripulantes em nível excepcional.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/IvecoLMV.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/IvecoTupi.jpg)

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/01/IvecocomGuarani.jpg)

http://www.planobrazil.com/janes-diz-que-exercito-brasileiro-anunciara-em-poucos-dias-o-vencedor-do-programa-vbmt-lr/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 27, 2016, 12:07:52 pm
54° Batalhão de Infantaria de Selva — Resgate de indígena

O Grupo de Busca e Salvamento do 54° Batalhão de Infantaria de Selva saiu, na manhã do dia 20 de janeiro, em missão de resgate de um indígena da etnia Tenharim, desaparecido nos arredores da Aldeia próxima ao Rio Marmelos. Os militares partiram após ambientação e ordem emitida pelo comandante do grupamento.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7353678&t=1453831690217)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7353679&t=1453831690218)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7353680&t=1453831690220)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 28, 2016, 08:55:23 pm
Comando Militar do Sul - General Leal Pujol assume o Comando da Elite do Combate Convencional

Ocorreu, no dia 26 de janeiro, no 3º Regimento de Cavalaria de Guarda, a solenidade de passagem do cargo de Comandante Militar do Sul do General de Exército Antônio Hamilton Martins Mourão ao General de Exército Edson Leal Pujol.

A cerimônia foi presidida pelo Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, e contou com a presença de autoridades civis e militares, de militares da ativa e da reserva e de convidados, totalizando mais de mil pessoas.


(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/12650890_1146242515415826_704506182009141634_n.jpg?oh=be47c99733f8f41938bcded9d669edfd&oe=57290B14)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/12631469_1146242602082484_9210428434875521785_n.jpg?oh=8cbaa66d2668d488bd2e72e20e6208d6&oe=572D885F&__gda__=1462368377_3ec837368a21dc086631df73334ec36f)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlp1/v/t1.0-9/12552522_1146242652082479_34111063193612394_n.jpg?oh=3b46a296785ecc06de0ca2744a5e06ed&oe=57425581&__gda__=1463463676_21fa45d00531b0ca562196b09384620c)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/12565359_1146242692082475_7223986634322754272_n.jpg?oh=e7210163e18ef0465d1509e951a3f62d&oe=57379AA8&__gda__=1462840824_349176f7edb02380f0dd4354d38dc005)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/v/t1.0-9/12592324_1146242715415806_8737215855008439299_n.jpg?oh=38427926f07f477cf8af76302cd526e0&oe=573431A0)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/v/t1.0-9/12645125_1146242742082470_2180572739029916411_n.jpg?oh=2542ca439ab6069d456e8e557bae2823&oe=5740D121)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/12650888_1146242755415802_4789597376605416902_n.jpg?oh=4866843578b581733dbb4c50dbea29a5&oe=57394601&__gda__=1463301159_688540bb14824c5f7d8a27d4ba503c28)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12654423_1146242778749133_6592542578673794795_n.jpg?oh=8d33199382301914342fedb925f44bc3&oe=5731D276)

Fonte: http://www.defesanet.com.br/terrestre/noticia/21426/CMS---General-Leal-Pujol-assume-o-Comando-da-Elite-do-Combate-Convencional/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 30, 2016, 02:41:44 am
Intercâmbio Doutrinário com o Exército Alemão

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/dastaque+inter+2+%28640x432%29.jpg/37c879d2-b2a5-4766-a3dd-0c59daf87ff2?t=1454009239000)

No dia 20 de janeiro de 2016, ocorreu, no Comando de Operações Terrestres (COTer), uma formatura de boas-vindas ao Tenente-Coronel Frank Schindler, oficial do Exército Alemão que está  realizando intercâmbio doutrinário.

A solenidade contou com a presença do General de Divisão César Augusto Nardi de Souza, de oficiais-generais e de militares do COTer.

O Ten Cel Frank Schindler terá suas atividades coordenadas pelo Centro de Doutrina do Exército e realizará visitas agendadas às Subchefias do COTer, permanecendo no intercâmbio por um período de dois meses.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7364206&t=1454013725378)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7364207&t=1454013725380)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 30, 2016, 02:44:45 am
Operação Eclésia III é desencadeada pelos capacetes azuis do Brasil

O 23º Contingente do Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT 23), que atua na Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), desencadeou a operação Eclésia III, visando ao segundo turno das eleições presidenciais do Haiti.

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/IMG_0083.JPG/1bcac1df-66d3-469c-a14f-5fb88a7eac93?t=1453832514000)

A tropa brasileira apoiou a polícia das Nações Unidas (UNPOL) e a Polícia Nacional Haitiana (PNH) na segurança da Capital Porto Príncipe, no Sudeste e no Sul do País. Nos municípios de Jacmel e Marigot, o BRABAT fez escolta de materiais eleitorais e protegeu o aeroporto da cidade, que abrigava urnas de votação e estava sob a ameaça de manifestantes.
 
O Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais realizou patrulhas em Petit-Goave e Gressier, no Departamento Oeste do país. Dois pelotões da Força de Reação Rápida (QRF – sigla em inglês) ficaram prontos para atuar em casos de emergência de segurança em qualquer ponto do Haiti. “Foi um período muito conturbado, mas o BRABAT se desdobrou em toda a capital, conseguimos preservar o material que transportamos. A missão foi cumprida e o nosso Brasil foi muito bem representado pela tropa”, avaliou o comandante do Batalhão, Cel Ricardo.
 
A Companhia de Engenharia Brasileira de Força de Paz (BRAENGCOY) também foi empregada para facilitar o deslocamento das tropas da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo o Comandante da BRAENGCOY, TC Cardoso, quatro equipes deslocaram-se para Saint Marc, Cabo Haitiano, Morne Casse e Hinche. “A nossa função era remover qualquer obstáculo que, por ventura, viesse a impedir a passagem da tropa do Chile, do Uruguai e do Peru”, informou.
 
Uma onda de protestos violentos, ao longo da semana, acabou pressionando as autoridades haitianas a adiarem novamente o segundo turno das eleições, que deveria ocorrer no domingo, dia 24 de janeiro. Enquanto isso, os guerreiros da paz seguem com as patrulhas diuturnamente, mantendo o ambiente seguro para a população.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7354077&t=1453838333189)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7354079&t=1453838333279)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7354080&t=1453838333327)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 30, 2016, 02:54:27 am
Solenidade de passagem de cargo dos Comandantes da 2ª Região Militar e da 2ª Divisão de Exército no QG do Comando Militar do Sudeste (CMSE)

(https://c2.staticflickr.com/2/1521/24284749189_bd99aa0eb1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1457/24024350254_2851be99ae_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1690/24570297891_0544b86061_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1504/24652494875_538dc6e8d0_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1623/24570316721_62ba0d751e_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1691/24544143472_17102553fe_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1504/24544135452_6c72c40072_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 30, 2016, 03:21:37 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1638/24398252512_07420e9ea7_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1499/24396623782_4b3280413a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1472/23879761143_a55de464b7_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1577/24398275362_0123ea78a3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1445/24480020096_2c9e3c5a0e_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1618/24397931432_d1b5d46300_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1634/24506219645_aea3342403_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1457/24423863631_7e5672f9f8_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 31, 2016, 02:28:26 am
Exército Brasileiro apoiam esforços de desminagem na Colômbia

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/01/29461_resize_800_600_false_true_null.jpg)

As Forças Armadas do Brasil estão ampliando seu envolvimento no processo de desminagem na Colômbia, onde cooperam com as Forças Armadas do país nessas ações desde a última década. Em 2015, os militares brasileiros passaram a colaborar mais intensamente no processo com a criação do Grupo de Assessores Técnicos Interamericanos na Colômbia (GATI-CO), que busca ajudar os civis e as Forças Armadas da Colômbia no controle de qualidade da desativação e remoção das minas terrestres.

Em 27 de outubro, 16 oficiais colombianos concluíram o 1º Curso de Monitores Nacionais de Desminagem Humanitária do GATI-CO, que durou cinco semanas. A Capitã do Exército Colombiano Adriana Osorio Cifuentes, primeira mulher a se formar em um curso como esse na Colômbia, ficou em primeiro lugar nas avaliações. Para 2016, o GATI-CO planeja mais cursos, incluindo dois para monitores internos, dois para supervisores internos e um para civis que irão monitorar a qualidade do trabalho feito pelas organizações não governamentais (ONGs) credenciadas pelo governo colombiano.

Experiência internacional

O Brasil acumula experiência em desminagem através de atividades em outros países. O Exército Brasileiro (EB) adquiriu esse conhecimento durante as Missões de Verificação das Nações Unidas em Angola (UNAVEM I, II e III) de 1988 a 1997. Dos anos 1990 até 2010, o Brasil também participou da Missão de Assistência para a Remoção de Minas na América Central, assim como da Missão de Assistência para a Remoção de Minas na América do Sul, ainda em execução.

“Os militares brasileiros possuem uma reconhecida capacidade técnica em desminagem humanitária, fruto da experiência adquirida com a participação nas missões da ONU e da OEA [Organização dos Estados Americanos], do acompanhamento da evolução das técnicas de detecção e dos equipamentos empregados, e pelo estudo e aporte das normas internacionais”, explica o Coronel Eustáquio Alves da Costa Neto, agregado de Defesa do Exército Brasileiro na Colômbia.

O EB começou o trabalho de desminagem na Colômbia em 2005, através do Grupo de Monitores Interamericanos na Colombia (GMI-CO), da Junta Interamericana de Defesa (JID), com 42 brasileiros entre os 51 militares integrantes. Desde 2009, o grupo é composto exclusivamente por militares brasileiros.

“O GMI-CO foi criado para auxiliar as tropas colombianas a adquirir capacidade em desminagem humanitária e assegurar o cumprimento dos padrões internacionais”, diz o Cel Eustáquio. “Os oito pelotões do Exército colombiano que conformam o Batalhão de Desminado (BIDES) e o pelotão da Infantaria de Marinha foram capacitados pelo GMI-CO. O apoio do GMI foi fundamental para a desminagem de 80 áreas civis e de 35 bases militares, permitindo o retorno de milhares de colombianos às suas terras no campo.”

Mais de 20.000 minas desativadas

Desde 2007, os militares desativaram 1.624 minas no país, segundo a Direção para Ação Integral contra Minas Antipessoais (DAICMA). Além disso, desminadores militares do Corpo de Engenheiros do Exército, dos grupos de Manuseio de Artefatos Explosivos e das Equipes de Explosivos e Demolições desativaram 19.008 dispositivos. Muitos desses foram implantados por grupos guerrilheiros, como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e o Exército de Libertação Nacional, além de outros grupos ilegais.

Cinco cidades colombianas – El Dorado, em Meta; Zambrano, em Bolívar; San Carlos e San Francisco, em Antioquia; e San Vicente de Chucurí, em Santander – que concentram cerca de 70.000 colombianos foram declaradas livres de minas. OA objetivo do governo é desminar totalmente o país até 2021, o que iria melhorar fortemente a segurança pública, uma vez que 11.423 pessoas foram vítimas de minas terrestres – 2.148 fatais – de 1990 a dezembro de 2015, segundo a DAICMA.

Autoridades militares estimam que, para cada 5.000 minas terrestres que as forças de segurança desativam, um desminador morre e dois ficam feridos, segundo o Cel Eustáquio. Isso explica por que a Colômbia liderou o mundo em número de vítimas militares em 2014, com 156 feridos e 31 mortos, segundo a Campanha Internacional para Banir Minas Terrestres.


Fonte: http://www.defesanet.com.br/al/noticia/21440/Exercito-Brasileiro-apoiam-esforcos-de-desminagem-na-Colombia/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 31, 2016, 02:58:56 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1469/24396856572_35b629d43f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1640/24137387539_b5020bf43b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1668/24505159995_13932b9bca_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1559/23878360233_d9f21e61b9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1645/23878371453_416b20468c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1704/24422801571_172e0be641_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1576/23878433213_6df851442d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1719/23878539533_32e9ce4654_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1698/24505352485_31b85271d3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1619/24479158976_660c4544ac_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1454/24397080732_0fdd76a091_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1466/23877237194_0ee9a89cb2_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1515/24423084421_36bb29161c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1472/23878624873_9b99d22522_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1540/24479234836_b13473a0c9_b.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 31, 2016, 03:07:53 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1567/24504892485_f0ce8e0ef5_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1636/24209352160_b56ec2a26e_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1695/24396627702_151c90a25f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1554/24422546501_e52cb0a63f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1659/24397169632_659d2c5be9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1526/24423092221_af2d6a9f14_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1677/24505468785_1d9041eeb3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1667/24397196482_a8c100020e_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 01, 2016, 01:36:08 pm
1ª Brigada de Infantaria de Selva tem novo comandante

Ocorreu a passagem de Comando da 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl) “Brigada Lobo D´Almada”. A solenidade foi presidida pelo General de Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira e foi abrilhantada com a presença da Exma Sra. Suely Campos, Governadora do Estado de Roraima, Exma Sra. Maria Helena Veronese, Deputada Federal, General de Divisão Antonio Maxwell de Oliveira Eufrásio Comandante da 12ª Região Militar, demais autoridades civis, militares e convidados.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/01/IMG_8812.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/01/IMG_8855.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/01/IMG_8735.jpg)

Fonte:   http://www.revistaoperacional.com.br/2016/exercito/1a-brigada-de-infantaria-de-selva-tem-novo-comandante/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 02, 2016, 03:50:21 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 02, 2016, 04:10:19 pm
(https://c2.staticflickr.com/2/1580/24504916545_8741e48904_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1615/23878116853_1a8b68c1fe_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1531/24209373520_d4d05177eb_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1616/24504942655_517a7fc942_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1641/23876767464_93fd646e76_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1572/24209405370_583db98f30_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1546/24422608101_4d6ba59a45_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1618/24396702932_51e547d60d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1641/23878189543_22d6ce3271_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1512/23878191553_83c34c8cf4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1602/23878204003_e4f270da06_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1534/24504999185_a1a0da2113_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1456/24505070605_f8e4b86da3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1480/24209521310_8d6a165cac_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1514/24422731481_4b3b5e9b3f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1638/24209525720_144f575b8f_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2016, 04:20:23 pm
Desembarque de Mísseis Igla para o EB

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/Ba-Ap-Log-Ex.jpg)

No dia 27 de Janeiro de 2016, a Divisão de Importação e Exportação de Material (DIEM), da Base de Apoio Logístico do Exército (Ba Ap Log Ex), realizou uma Operação de Desembarque de Mísseis Igla oriundos da Federação Russa. O processo alfandegário levou  sete dias para ser consolidado.

FONTE: Ba Ap Log Ex
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2016, 04:21:44 pm
Exército Brasileiro quer aeronaves de asa fixa

(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/PZL-Mielec_M-28B_PT_Bryza_1TD.jpg)

A Empresa Sikorsky Aircraft recebeu, no dia 16 de dezembro de 2015, a visita de uma comitiva de cinco militares do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), que visitou a sede da empresa, em Stratford (Connecticut). Os visitantes foram recebidos pela Sra Kate Grammer, Business Acquisition Manager, e pelo Sr Vaugham Askue, Project Engineer. A visita foi acompanhada por João de Souza Dantas e pelo Coronel R1 João Luiz de Negreiros Guerra, ambos executivos da Powerpack, representante da Sikorsky no Brasil.

Durante a visita, os oficiais puderam conhecer as linhas de produção dos helicópteros Black Hawk UH-60M, destinados ao Exército, à Força Aérea e aos Fuzileiros Navais dos Estados Unidos da América. O Sr Stephen Owen, Chief Engineer – International Programs, realizou uma apresentação sobre o Black Hawk S-70i, a moderna versão tipo exportação do consagrado helicóptero militar. A comitiva visitante teve, também, a oportunidade de se familiarizar com o avião bimotor M-28, produzido pela PZL Mielec, subsidiária da Sikorsky na Polônia.

Por sua versatilidade, capacidade de carga e rusticidade, o M-28 pode atender ao projeto de aquisição de aeronaves de asa fixa para o Exército, uma vez que requer pistas curtas para pouso e decolagem. O Exército Brasileiro opera quatro helicópteros Black Hawk S-70A desde 1998, quando foram empregados na missão de paz na fronteira entre Peru e Equador. Encerrada essa operação, as aeronaves foram incorporadas ao 4º BAvEx, em Manaus (AM), onde permanecem, assegurando confiabilidade e operacionalidade às missões na Amazônia. A Força Aérea Brasileira possui uma frota de 16 helicópteros Black Hawk UH-60L.

A Sikorsky Aircraft Corporation é uma empresa de aviação líder no fornecimento de soluções inovadoras no projeto, fabricação e serviço de helicópteros militares e comerciais. Fundada em 1923, a Sikorsky Aircraft mantém-se fiel ao legado de Igor Sikorsky, com constantes iniciativas de desenvolvimento de tecnologia que estão mudando a cara da indústria. Com programas de desenvolvimento incluindo o demonstrador da tecnologia X2™, os helicópteros S-70i™ Black Hawk, o CH-53K de carga pesada e o S-76D™, a Sikorsky Aircraft continua a explorar e apresentar tecnologia de ponta para os mercados comercial e militar.

A Sikorsky foi adquirida recentemente pela Lockheed-Martin, uma das maiores empresas globais nos setores aeroespacial, de defesa, de segurança e de tecnologia.


Fonte: http://www.forte.jor.br/2016/02/03/37715/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 04, 2016, 05:39:11 pm

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 04, 2016, 07:22:16 pm
Exército Brasileiro quer aeronaves de asa fixa


Isso aí não vai causar fricção com a FAB, como aconteceu no passado?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 04, 2016, 08:41:46 pm
Exército Brasileiro quer aeronaves de asa fixa


Isso aí não vai causar fricção com a FAB, como aconteceu no passado?

Eu acho que não. Este é um projeto antigo do Exército cujas necessidades suplantam as fricções com a FAB.
Pelo que já li, por sua capacidade de carga consideravelmente maior que a dos helicópteros, as aeronaves de asa fixa terão um papel preponderante no apoio aos destacamentos fincados nas áreas de divisa internacional, consideradas mais remotas e necessitadas de aprovisionamento.

Os aviões da FAB abastecem os pelotões de fronteira uma vez por mês, ou, em alguns casos, uma vez a cada três semanas. A entrada em operação dos aviões do Exército permitirá que tais voos sejam mais frequentes.

O Plano Estratégico do Exército 2016-2019, incluiu a criação de Unidade Aérea de Asa Fixa entre as providências de “Mobilidade Estratégica” que devem garantir à Força Terrestre brasileira capacidade de “Pronta Resposta Estratégica” — uma das nove “capacidades militares terrestres” elencadas como prioritárias nesse período.

As aeronaves de asa fixa estariam reservadas às missões de ligação e observação, transporte e lançamento de paraquedistas.
O Exército vai explorar ao máximo a possibilidade de empregar as mesmas aeronaves já utilizadas pelo Comando da Aeronáutica. A “comunalidade de meios” facilitaria um dos objetivos da Força Terrestre: obter que seus aviões possam ser acolhidos para revisão, manutenção (preventiva e intempestiva) e modernização em oficinas de grande porte da FAB, como o PAMA-SP (Parque de Material Aeronáutico de São Paulo).

Os oficiais do Exército examinam, por exemplo, a conveniência de suas unidades de asa fixa compartilharem o espaço de bases aéreas hoje operadas pela FAB, usufruindo, assim, de hangares e da infraestrutura logística já existentes. E analisam também a possibilidade de emprego do seu pessoal na coordenação do espaço aéreo.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 04, 2016, 11:51:23 pm
Obrigado pela explicação, caro Vítor. No entanto, me parece que o que o EB pretende é simplesmente ampliar o que a FAB já faz actualmente e até usufruir da infraestrutura desta. Ora, o mesmo objectivo poderia ser facilmente atingindo através da obtenção de aeronaves adicionais por parte da FAB. Parece-me um objectivo pouco ambicioso e facilmente contrariável politicamente se a FAB assim o quiser. Esperemos que não seja o caso e que o EB leve a sua avante.

Cumps.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 05, 2016, 01:08:43 pm
Obrigado pela explicação, caro Vítor. No entanto, me parece que o que o EB pretende é simplesmente ampliar o que a FAB já faz actualmente e até usufruir da infraestrutura desta. Ora, o mesmo objectivo poderia ser facilmente atingindo através da obtenção de aeronaves adicionais por parte da FAB. Parece-me um objectivo pouco ambicioso e facilmente contrariável politicamente se a FAB assim o quiser. Esperemos que não seja o caso e que o EB leve a sua avante.

Cumps.

Acredito que, se houver recursos disponibilizados, o EB se inclinará na aquisição de aeronaves de asa fixa do tipo C-295 e Cessna 208B Grand Caravan. É esperar para ver. 
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 05, 2016, 06:47:59 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 10, 2016, 10:28:21 am
Roberto Godoy?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 10, 2016, 11:37:50 am
E no entanto de acordo com vários militares BRASILEIROS que eu falo ele não percebe a ponta de um corno do que fala. 8)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 10, 2016, 01:51:12 pm
E no entanto de acordo com vários militares BRASILEIROS que eu falo ele não percebe a ponta de um corno do que fala. 8)

É o mesmo que diz que o Saab Draken era o melhor avião do mundo no seu tempo. Quais Mirage quais carapuça, vitorias aéreas — não interessa! O que importa é que é sueco que, por esta altura, é a melhor coisa do mundo pois fabricam Gripen.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 10, 2016, 02:38:09 pm
"""""militares BRASILEIROS """"" Quais, rapaz?

Deve ser mais fácil falar com Mourinho...

Roberto Godoy é jornalista respeitado, trabalha no Grupo Estado, foi convidado especial na Globo News para comentar os trinta anos da guerra das Malvinas... já viste algum peladeiro desse tal de Cavok ou similar na Globo?

Comentadores há muitos, isso não quer dizer que eles saibam o que estão a falar. Esse aí era gozado pelos meus vários contatos no Brasil.

Citar
Foi ele que falou sobre os voos do AMX a partir do Rio Grande do Sul até o extremo norte do país, umas 6 horas de voo ou mais, se for na balada do C-130 muito mais, sem escalas e com vários reabastecimentos em voo com sua carga máxima de bombas, destruição de pistas clandestinas e outros alvos, nessa época, até um funcionário da CIA que andava por aqui foi questionado para que o Brasil precisava praticar esse tipo de voo tão longo e se  tinha invadido território de outros países para praticar bombardeios, este funcionário da CIA apenas respondeu que o Brasil caso fosse solicitado, estava preparado para atacar alvos a longas distâncias e dentro de territórios de países amigos, e deu como exemplo bombardear "alvos terroristas", já que o terrorismo é um problema mundial.

... sem palavras, não vale mesmo a pena. :N-icon-Axe:

Citar
Você sabe por que o AMX italiano tem um canhão de 20 mm e o brasileiro tem  duas bocas de fogo de 30 mm? pois é.. pergunte a esses """militares BRASILEIROS""" com quem vossa senhoria conversou.. eles devem saber...

O que eu sei é que o vosso AMX só conseguiu chegar ao patamar do AMX Italiano agora com esta modernização da Embraer, porque até então a electrónica ficava muito atrás. A razão pela diferença de canhões é facilmente explicável porque os EUA negou a venda dos ditos ao Brasil e por isso tiveram que recorrer a armamento Francês que tem muito menos cadência de tiro (1000 e poucos tpm contra os 6000 do Vulcan).
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 10, 2016, 04:13:48 pm
Voltando ao tópico acerca do Exército Brasileiro:

Emirados se interessam por sistemas aéreos pesquisados no Brasil, mas o Exército gostaria que parceria resultasse na exportação de equipamentos terrestres

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/Emirados%C3%A1rabev%C3%AAexposi%C3%A7%C3%A3odearmamento.jpg)

A delegação militar dos Emirados Árabes Unidos que se encontra no país para conhecer a Base Industrial de Defesa brasileira (BID), tem um interesse prioritário em sistemas aéreos – como os monomotores de treinamento primário da empresa Novaer, mísseis ar-terra, ar-ar, terra-terra e anti-navio das empresas Mectron e Avibras, kits de guiagem de bombas aéreas produzidos no pólo aeroespacial de São José dos Campos (SP) e os projetos de radares da companhia Bradar –, mas tal anseio ainda não atende, completamente, as expectativas dos seus anfitriões.

De acordo com uma fonte do Ministério da Defesa ouvida pela coluna INSIDER, o grupo de oficiais que recepcionou os árabes no Quartel-General do Exército, nesta segunda-feira (01.01), gostaria que os visitantes também abrissem perspectivas de aquisição para a família de viaturas blindadas Iveco Guarani, e a linha de armamento portátil da Imbel (Indústria de Material Bélico do Brasil).

Na avaliação dos chefes da Força Terrestre, tanto a Iveco quanto a Imbel estão com a sua comercialização no exterior em estágio muito aquém daquilo que seria necessário para o reinvestimento na produção. O caso que mais preocupa é o da Iveco, em função dos cortes orçamentários que forçaram o Exército a reduzir drasticamente as encomendas dos carros Guarani.

E quando o Exército brasileiro não compra, a solução é exportar…

Objetividade – Os Emirados são, reconhecidamente, importantes consumidores de armamentos, e por isso a comitiva que representa as suas Forças Armadas – chefiada pelo brigadeiro-general Moubarak Ali Abdulla Annayadi, vice-chefe da Força Aérea e da Defesa Aérea, e formada por mais nove militares – foi recebida com grandes atenções no Setor Militar Urbano, em Brasília.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/Emirados%C3%A1rabecheganoQGdoEx%C3%A9rcito.jpg)

O Exército foi, contudo, formal no anúncio da visita. Segundo um texto publicado em seu portal, os representantes das Forças Armadas dos Emirados visitaram o QG para “discutir uma agenda de cooperação bilateral com o Brasil, em matéria de defesa, dentro de uma vertente comercial”.

No Quartel-General do Exército, o brigadeiro Annayadi e seus companheiros ouviram uma palestra sobre a linha de viaturas Guarani, ministrada pelo Coronel de Cavalaria Carlos Alberto do Couto Ramos Fico, Assistente do Escritório de Projetos do Exército, e outra apresentada pelo coronel (da reserva) Newton Raulino, diretor de Mercado da Imbel.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/Emiradosgruponafrente-docarroGuarani.jpg)

Na plateia, além dos visitantes, estavam o Subchefe de Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa, general Fernando Rodrigues Goulart, e o diretor do Departamento de Catalogação de Produtos de Defesa, vice-almirante Antônio Carlos Guerrero; bem como o presidente da IMBEL, general (da reserva) Celso José Tiago, e o chefe do Gabinete de Planejamento e Gestão do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, general Luís Henrique.

Mas a surpresa só veio no compromisso seguinte – uma reunião bilateral no Ministério da Defesa –, quando o chefe da delegação visitante, brigadeiro Annayadi, foi ainda mais direto que qualquer um dos seus anfitriões ousaria ser: “Estamos aqui para fazer negócios. Temos muitas oportunidades para trabalharmos juntos”. Isso era tudo que o ministro da Defesa Aldo Rebelo e seus assessores queriam ouvir.

O vice-chefe da Força Aérea dos Emirados e sua comitiva tiveram a oportunidade de acompanhar também uma explanação do vice-presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde), Carlos Afonso Gambôa.

Na verdade, a expectativa, no Ministério da Defesa, não é só pela venda de produtos da Base Industrial de Defesa às Forças Armadas dos Emirados, mas também por acordos que possam assegurar recursos dos Emirados aos principais programas militares brasileiros.


(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/EmiradostodosemtornodamesanoMinDef-1.jpg)

http://www.planobrazil.com/emirados-se-interessam-por-sistemas-aereos-pesquisados-no-brasil-mas-o-exercito-gostaria-que-parceria-resultasse-na-exportacao-de-equipamentos-terrestres/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 10, 2016, 04:16:58 pm
‘Jane’s’ diz que o Exército tem planos de comprar 200 unidades do blindado de reconhecimento que for escolhido para substituir o Cascavel

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/Aminvistobemdefrenteotima-1.jpg)

Uma reportagem do editor da IHS Jane’s International Defence Review, Christopher F. Foss, publicada na web nesta segunda-feira (08.02), informa que o Exército brasileiro planeja adquirir 200 unidades da Viatura Blindada de Reconhecimento – Média sobre Rodas (VBR-MR) que for escolhida para substituir, a longo prazo (e de acordo com a disponibilidade financeira), as centenas de veículos ENGESA EE-9 Cascavel 6×6 que mobíliam as unidades de Infantaria Mecanizada e de Cavalaria da Força Terrestre.

Em seu texto – intitulado Brazil details new ARV (“Brasil detalha novo ARV”) – Foss atribui suas informações ao general de brigada Guido Amin Naves, atual chefe do Escritório de Projetos do Exército, que, no dia 25 de janeiro, proferiu uma palestra no evento IQPC International Armoured Vehicles 2016, que aconteceu em Londres.

O general Amin assumiu a chefia do Escritório de Projetos do Exército no dia 30 de março de 2015. Antes disso, serviu no Estado-Maior do Exército e no comando da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea.

Na entrevista a Foss, ele confirmou que existem quatro competidores em disputa pelo contrato de fornecimento da torre dotada de canhão de 105 mm para o novo Armoured Reconossaince Vehicle (ARV) requerido por sua corporação: a empresa belga CMI (Cockerill Maintenance & Ingénierie) Defence, que oferece a torre Cockerill CT-CV 105 HP; a China North Industries Corporation (NORINCO) com a ST1; a conhecida Oto Melara, que apresenta a HITFACT 105; e a sul-africana Denel Land Systems, que oferta a MT 105.

Requisitos – Entre todos os modelos de torre, um dos mais conhecidos é o da Oto Melara – HITFACT 105 – que já equipa o famoso carro 8×8 Centauro, do Exército italiano.

A torre a ser adquirida pela Força Terrestre brasileira será montada sobre o chassis de uma Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (Tropas) – Média sobre Rodas (VBTP-MR) 6×6 Guarani, produzida pela multinacional italiana Iveco em Minas Gerais.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/AminCascaveisemdesfile.jpg)

Os pontos-chave do carro ARV requerido pelo Exército brasileiro são:

Alto nível de mobilidade;
Canhão de 105 mm estabilizado para o uso de munição standard NATO (Otan) com cerca de 30 projetis;
Peça de artilharia integrada a um sistema de controle de fogo (fire-control system, ou FCS) computadorizado;
FCS que incorpore designador de alvos a laser, capaz de engajar alvos de dia e à noite;
Metralhadora coaxial de 7,62 mm;
Uma nova couraça em aço totalmente soldada;
Autonomia de 600 km;
Sistema de Proteção NBC para a tripulação do veículo;
Sistema de proteção balística e anti-minas terrestres; e
O mesmo tipo de equipamento de comando e controle usado na fabricação da viatura Guarani.
A coluna INSIDER apurou que os dois modelos de torre que reúnem as preferências dos oficiais do Exército envolvidos nessa análise são a da CMI Defence e a da Oto Melara, mas o produto da sul-africana Denel também impressiona bem; o único modelo que parece descartado, nesse momento, é o da Norinco.


Fonte: http://www.planobrazil.com/janes-diz-que-o-exercito-tem-planos-de-comprar-200-unidades-do-blindado-de-reconhecimento-que-for-escolhido-para-substituir-o-cascavel/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 10, 2016, 06:01:36 pm
Como é que alguém vem para um fórum dizer tanta asneira junta e esperar ter alguma credibilidade?! Se não sabes, não digas que sabes, que tu apenas debitas informação errada.

Diz-me uma coisa, se os canhões de 30mm são isso tudo, então explica porque é que o Super Tucano tem apenas 2 Brownings 12.7mm nas asas?

Tu sabes que um radar pode fazer muito mais que auxiliar à intercepção de outros aparelhos, certo?! Pesquisa aí as características do radar que a Embraer vai meter nos vossos AMX e depois vem cá falar, ok.

E já agora, apesar de saber que não vais pesquisar nada de nada, porque não tens essa capacidade, mas deixo a dica, vai ao youtube e pesquisa por lá um Oficial da FAB a mostrar toda uma série de coisas que o Brasil viu vedado pelos EUA (desde o tão famosos chipe, passando por outras coisas).
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 10, 2016, 06:12:53 pm
Voltando ao tema, é inegável que as Forças Armadas Brasileiras deram passos gigantes na última década. VBTP a rodas, espingarda-automática, EPI, etc; agora falta quantidade e mais variedade.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 10, 2016, 06:17:21 pm
AGM-84 Harpoon? Isso aconteceu em que década?

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 10, 2016, 06:26:11 pm
AGM-84 Harpoon? Isso aconteceu em que década?

A FAB adquiriu recentemente 16 Harpoon II para os seus P-3. Mas o mais hilariante é que os americas recusaram o Vulcan não uma mas duas vezes, isto segundo fontes brasileiras, obviamente. Mas deixa estar Martelo porque tu é que és tosco, ele até sabe do que está a falar...

http://www.naval.com.br/blog/2011/03/12/vulcan-phalanx-na-mb/ (http://www.naval.com.br/blog/2011/03/12/vulcan-phalanx-na-mb/)
http://www.aereo.jor.br/2010/01/20/vulcan-o-canhao-do-amx-italiano/ (http://www.aereo.jor.br/2010/01/20/vulcan-o-canhao-do-amx-italiano/)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 10, 2016, 08:02:35 pm
Brigada de Infantaria Pára-quedista realiza a brevetação de Paraquedistas Honorários

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/saci2015.4.jpg)

A Brigada de Infantaria Pára-quedista realizou uma solenidade de brevetação de paraquedistas honorários do Exército Brasileiro. A cerimônia foi executada na região da Zona de Lançamento (ZL) Aquática de Juturnaíba (Silva Jardim/RJ), durante o salto da Força-Tarefa Binguá na área de responsabilidade da Operação Saci. Foram agraciados militares da Alemanha, Argentina, Colômbia e de Portugal, por terem realizado saltos semi-automáticos de aeronave militar brasileira na ZL de Afonsos, no dia 8 de novembro. Na mesma cerimônia, sete paraquedistas brasileiros foram agraciados como paraquedistas honorários pelos exércitos alemão e argentino.

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/saci2015.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/saci2015.3.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/saci2015.2.jpg)

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/2015/exercito/brigada-de-infantaria-paraquedista/brigada-de-infantaria-para-quedista-realiza-a-brevetacao-de-paraquedistas-honorarios/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 11, 2016, 10:10:31 am
AGM-84 Harpoon? Isso aconteceu em que década?

A FAB adquiriu recentemente 16 Harpoon II para os seus P-3. Mas o mais hilariante é que os americas recusaram o Vulcan não uma mas duas vezes, isto segundo fontes brasileiras, obviamente. Mas deixa estar Martelo porque tu é que és tosco, ele até sabe do que está a falar...

http://www.naval.com.br/blog/2011/03/12/vulcan-phalanx-na-mb/ (http://www.naval.com.br/blog/2011/03/12/vulcan-phalanx-na-mb/)
http://www.aereo.jor.br/2010/01/20/vulcan-o-canhao-do-amx-italiano/ (http://www.aereo.jor.br/2010/01/20/vulcan-o-canhao-do-amx-italiano/)

Então deixa-me cá ver, ele quer comprovar que não houve embargo Norte-Americano num projecto do principio da década de 80 com uma aquisição feita à pouco tempo?! :o
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 11, 2016, 10:12:14 am
Brigada de Infantaria Pára-quedista realiza a brevetação de Paraquedistas Honorários

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2015/11/saci2015.4.jpg)

A Brigada de Infantaria Pára-quedista realizou uma solenidade de brevetação de paraquedistas honorários do Exército Brasileiro. A cerimônia foi executada na região da Zona de Lançamento (ZL) Aquática de Juturnaíba (Silva Jardim/RJ), durante o salto da Força-Tarefa Binguá na área de responsabilidade da Operação Saci. Foram agraciados militares da Alemanha, Argentina, Colômbia e de Portugal, por terem realizado saltos semi-automáticos de aeronave militar brasileira na ZL de Afonsos, no dia 8 de novembro. Na mesma cerimônia, sete paraquedistas brasileiros foram agraciados como paraquedistas honorários pelos exércitos alemão e argentino.

Fonte:  http://www.revistaoperacional.com.br/2015/exercito/brigada-de-infantaria-paraquedista/brigada-de-infantaria-para-quedista-realiza-a-brevetacao-de-paraquedistas-honorarios/

Só faltou uma fotografia que mostra-se o/s Paraquedista/s Portugues/es.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 11, 2016, 10:20:11 am
Voltando ao tema, é inegável que as Forças Armadas Brasileiras deram passos gigantes na última década. VBTP a rodas, espingarda-automática, EPI, etc; agora falta quantidade e mais variedade.

VBTP a rodas?  amigo, os engenheiros do IME na década de 80 fizeram foi o Osório....

Espingardas??? kkk... exportamos sistemas de saturação de área desde os anos 80.. hoje estamos no ASTROS 2020... com esse bicho aí com alcance divulgado de 300 Km...

Aqui no continente ninguém nem sonha em fabricar essas coisas...

Vou nessa....

Diz-me uma coisa, quantos países adquiriram o Osório? A empresa que desenvolveu o dito CC aconteceu-lhe o quê? Que CC são usados actualmente no vosso Exército?

PS: sim, eu sei a resposta a todas estas questões, é apenas para comprovar mais uma vez que vossa excelência não percebe nada disso e que só sabe desconversar.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 11, 2016, 08:01:24 pm
Fábrica da KMW será inaugurada em março de 2016

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/02/predio_fabrica_KMW_vista_Interna_CAIAFA.jpg)

Prevista para acontecer em outubro de 2015, e adiada devido as péssimas condições climáticas que se abateram sobre a região sul do Brasil no final de 2015, a inauguração da fábrica da multinacional alemã de veículos blindados Krauss-Maffei Wegmann (KMW), construída às margens da BR-287 (a três quilômetros do campus da Ulbra), na cidade de Santa Maria, tem uma nova data, nove de março próximo, com a presença do presidente mundial da empresa, o alemão Frank Haun, e de autoridades de Santa Maria e do Exército Brasileiro.

As sofisticadas instalações erguidas servirão a manutenção completa de todos os sistemas que fazem de parte de um carro de combate de rodas ou de esteiras, de blindados de transporte e de veículos pesados/especializados.

Cerca de 240 viaturas blindadas de combate Leopard 1A5 BR, incluindo versões especializadas de treinamento, apoio, resgate/ambulância e lança pontes, serão mantidas por essa unidade industrial da empresa alemã.


(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/02/KMW_LEOPARD_1A5_BR_CAIAFA.jpg)

Além da manutenção desses blindados, (incluindo os 36 blindados Gepard 1A2 antiaéreos armados com canhões de 35 mm), a KMW segue com planos futuros para fabricar outros tipos de veículos em Santa Maria, que é a sede da multinacional para atender toda a América Latina.

Entre as propostas, um blindado 4×4 sobre rodas para equipar forças de segurança, e o desenvolvimento conjunto com o Exército Brasileiro de uma nova família de carros de combate, destinados a substituírem os Leopard 1A5 BR ao final da próxima década.


A fábrica

As construções prontas englobam uma estação de lavagem e recolhimento de líquidos e efluentes originados dos blindados (recolhimento e tratamento subterrâneos), um anexo hermeticamente selado para a realização de trabalhos de descontaminação de viaturas (uma por vez), e o prédio principal dotado de pé direito imenso, climatização com ar-condicionado e aquecedores, ambos rigidamente controlados para manter em 22º a temperatura interna, duas pontes rolantes de 25 toneladas cada, e estações de trabalho para atender até doze carros (seis + seis), tudo servido por iluminação com amplo uso de luz natural, tornando o ambiente o mais funcional possível.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/02/estacao_lavagem_predio_descontaminacao_viaturas_KMW_Sta_Maria_CAIAFA.jpg)

O piso, tanto internamente quanto externamente, está preparado para suportar o peso de centenas de toneladas por metro quadrado, o que significa que ali podem ser realizadas tanto atividades previstas de manutenção dos Leopard e Gepard já existentes (e mesmo de modelos de outros fabricantes), como a montagem ou fabricação de outros tipos de veículos blindados.

O terreno já tem reservado o espaço do quarto prédio, previsto para a próxima fase, de expansão das instalações, e para a construção da pista de testes, extensa o suficiente para permitir que os blindados acelerem ao máximo para frear bruscamente na sequência, testando assim suspensão, freios e sistema de giroestabilização da torre, no caso de carros de combate Leopard 1A5.

A KMW, através de parcerias com instituições acadêmicas da região, vem buscando atender outros nichos de mercados como o fornecimento e mantenimento de sofisticados equipamentos de treinamento e seus simuladores.


(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/02/LFMS-BR_unidade_optronica_CAIAFA.jpg)

As modernas instalações se revestem de um caráter inédito, porque é a primeira vez que uma subsidiária tem uma fabrica fora da Alemanha, consolidando assim a posição de Santa Maria como centro operacional e logístico da KMW para o Brasil e a América do Sul.

Fonte:  http://tecnodefesa.com.br/fabrica-da-kmw-sera-inaugurada-em-marco-de-2016/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 11, 2016, 08:06:55 pm
15ª Companhia de Infantaria Motorizada – Tiro Embarcado Lancha Guardian 25

Nos dias 3 e 4 de fevereiro, a 15ª Companhia de Infantaria Motorizada realizou diversas atividades operacionais voltadas ao aprimoramento técnico-profissional de seu efetivo. Ressalta-se a realização do tiro “embarcado” nas Lanchas Guardian 25, embarcações táticas de alta performance, com vocação para o emprego em ações de interceptação que integram o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).

O exercício ocorreu no Rio Paraná, na região do município de Santa Helena, com o emprego do armamento de dotação individual e armas pesadas, inclusive metralhadora antiaérea .50. A atividade contou com o apoio do 4º Pelotão da 5ª Companhia de Polícia Ambiental.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7379831&t=1455220544194)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7379832&t=1455220544196)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7379833&t=1455220544197)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7379834&t=1455220544199)

Fonte: EB
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 11, 2016, 10:49:32 pm
Fábrica da KMW será inaugurada em março de 2016

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/02/predio_fabrica_KMW_vista_Interna_CAIAFA.jpg)

Fonte:  http://tecnodefesa.com.br/fabrica-da-kmw-sera-inaugurada-em-marco-de-2016/

Há propostas concretas feitas pela KMW para desenvolver no Brasil um CC especificamente feito para o EB. Basicamente algo nas mesmas linhas que o vosso VBTP a rodas Guarani.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 12, 2016, 03:07:11 am
Citar
Há propostas concretas feitas pela KMW para desenvolver no Brasil um CC especificamente feito para o EB. Basicamente algo nas mesmas linhas que o vosso VBTP a rodas Guarani.

Perfeitamente, seria um CC dotado de uma torre com canhão 120 mm. Isso se o panorama econômico estiver favorável até lá.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 12, 2016, 03:17:51 am
Operação Alligator garante segurança durante transmissão da Presidência do Haiti

Nos dias 6 e 7 de fevereiro, o 23º Contingente do Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT 23), que atua na Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), desencadeou a Operação Alligator, que envolveu cerca de duzentos e quarenta militares do Exército e da Marinha, integrantes do Batalhão.

A tropa brasileira ocupou pontos estratégicos da Capital Porto Príncipe, a fim de manter o ambiente seguro e estável, para que a cerimônia de transmissão do cargo de Presidente da República do Haiti ocorresse em um clima de normalidade.

O Ex-Presidente Michel Martelly entregou o cargo, no último domingo, dia 7 de fevereiro, após um acordo para formar um Governo Provisório. O Parlamento elegerá um Presidente provisório que governará por 120 dias, até que o segundo turno das eleições presidenciais seja realizado em 24 de abril.


(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/G10_0723.JPG/297cc5d3-5f3a-414d-9bdd-4e22c0ba42f7?t=1455126363000)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7389140&t=1455204744587)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7389141&t=1455204744704)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7389142&t=1455204744763)

Fonte: EB
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 12, 2016, 03:31:45 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1461/24235649342_5cb8336ba2_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/620/22282677960_6a7eb3d813_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/643/22481620191_0931a3ac65_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5641/22444635326_d8fdd22a40_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/759/22470649895_18662c7382_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5811/21847928654_fc360e6089_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/749/22194081175_762230ea2c_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/633/21573080263_559f443efa_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5783/22007145389_735619112a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5803/21122295795_8f7b32e8c5_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 13, 2016, 08:19:34 pm
(https://c2.staticflickr.com/2/1445/24505613865_8690e36a53_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1700/23877432634_6e22d9a946_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1604/24397338862_dfd8a53be4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1687/24137874429_889e48a490_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1627/24210077980_f468bce973_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1502/24397359282_4f2a5ec734_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1596/24479377356_d468694db9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1681/24479383026_0d39ed5699_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1485/24479394496_0ddac9f536_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1654/23877419994_c55037156f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1521/24423241271_2412e3c835_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 13, 2016, 08:29:19 pm
(https://c2.staticflickr.com/2/1506/24506204745_84738ec735_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1670/24138449189_24318b0a61_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1701/23878137384_c403dc6326_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1649/24423974921_0f4c5b38d3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1571/24138581399_bc637186a1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1703/24506340225_d44100a315_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1479/24138584649_5d2bd68ebf_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1486/24210794220_c22a8bfeda_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1516/24210799850_8658f47075_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1610/24138599779_c6f502d543_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1441/24480180736_71b7a35880_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1463/24480195136_675cbc7c4c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1447/24424043351_dc9e387cca_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1565/23878246374_953c3d9df3_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 13, 2016, 08:34:13 pm
(https://c2.staticflickr.com/2/1635/24480249866_81b3780876_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1606/23879640403_b3325a3287_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1562/23878257294_9b1e258846_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1499/24398157062_9af8eb3449_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1710/24138692549_3c50c6e480_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1590/24506454635_c4eaa540b8_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1708/23879661813_da0cde187d_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 15, 2016, 04:16:45 am


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 15, 2016, 04:23:28 pm
http://www.forte.jor.br/2016/02/03/37715/ (http://www.forte.jor.br/2016/02/03/37715/)
Citar
Connecticut (EUA) – A Empresa Sikorsky Aircraft recebeu, no dia 16 de dezembro de 2015, a visita de uma comitiva de cinco militares do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), que visitou a sede da empresa, em Stratford (Connecticut). Os visitantes foram recebidos pela Sra Kate Grammer, Business Acquisition Manager, e pelo Sr Vaugham Askue, Project Engineer. A visita foi acompanhada por João de Souza Dantas e pelo Coronel R1 João Luiz de Negreiros Guerra, ambos executivos da Powerpack, representante da Sikorsky no Brasil.

Durante a visita, os oficiais puderam conhecer as linhas de produção dos helicópteros Black Hawk UH-60M, destinados ao Exército, à Força Aérea e aos Fuzileiros Navais dos Estados Unidos da América. O Sr Stephen Owen, Chief Engineer – International Programs, realizou uma apresentação sobre o Black Hawk S-70i, a moderna versão tipo exportação do consagrado helicóptero militar. A comitiva visitante teve, também, a oportunidade de se familiarizar com o avião bimotor M-28, produzido pela PZL Mielec, subsidiária da Sikorsky na Polônia.

Por sua versatilidade, capacidade de carga e rusticidade, o M-28 pode atender ao projeto de aquisição de aeronaves de asa fixa para o Exército, uma vez que requer pistas curtas para pouso e decolagem. O Exército Brasileiro opera quatro helicópteros Black Hawk S-70A desde 1998, quando foram empregados na missão de paz na fronteira entre Peru e Equador. Encerrada essa operação, as aeronaves foram incorporadas ao 4º BAvEx, em Manaus (AM), onde permanecem, assegurando confiabilidade e operacionalidade às missões na Amazônia. A Força Aérea Brasileira possui uma frota de 16 helicópteros Black Hawk UH-60L.

A Sikorsky Aircraft Corporation é uma empresa de aviação líder no fornecimento de soluções inovadoras no projeto, fabricação e serviço de helicópteros militares e comerciais. Fundada em 1923, a Sikorsky Aircraft mantém-se fiel ao legado de Igor Sikorsky, com constantes iniciativas de desenvolvimento de tecnologia que estão mudando a cara da indústria. Com programas de desenvolvimento incluindo o demonstrador da tecnologia X2™, os helicópteros S-70i™ Black Hawk, o CH-53K de carga pesada e o S-76D™, a Sikorsky Aircraft continua a explorar e apresentar tecnologia de ponta para os mercados comercial e militar.

A Sikorsky foi adquirida recentemente pela Lockheed-Martin, uma das maiores empresas globais nos setores aeroespacial, de defesa, de segurança e de tecnologia.
Aviões de asa fixa? Mas o exercito com tantos projectos que tem em mãos, dificuldades em acabar alguns como o Mt300 (só para citar um de muitos exemplos http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/MEB.pdf (http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/MEB.pdf)  ), agora também quer aviões de asa fixa ? Sem comentários...  ::) :o
(http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/PZL-Mielec_M-28B_PT_Bryza_1TD.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 16, 2016, 12:18:44 pm
Eu até percebo a necessidade, a questão é se há orçamento para tal.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 16, 2016, 12:21:08 pm
Eu até percebo a necessidade, a questão é se há orçamento para tal.

Exato. A questão de materializar a aviação de asa fixa no EB é orçamentária. O planejamento para tal já existe.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 16, 2016, 12:54:19 pm
Citar
Aviões de asa fixa? Mas o exercito com tantos projectos que tem em mãos, dificuldades em acabar alguns como o Mt300 (só para citar um de muitos exemplos http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/MEB.pdf  ), agora também quer aviões de asa fixa ? Sem comentários...

Pois é, mafets, pelo menos o EB já conta com uma aviação. É de asas rotativas? Sim. Mas é uma aviação ::)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/12654667_915667635168745_8092733253949234941_n.jpg?oh=8c2296f66012f33eafffd13121b5a737&oe=572F2257)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 16, 2016, 01:21:46 pm
Exército realiza a substituição da Bandeira Nacional na Praça dos Três Poderes

"Hoje, nós acompanhamos uma das cerimônias de substituição da Bandeira Nacional mais bonitas que eu já vi", declarou o Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas. O toque dos clarins anunciou a presença da mais alta autoridade, o Gen Villas Bôas, que passou em revista à tropa, constituída por militares do "Batalhão Força de Paz Haiti" (BRABAT/24) e pela "Companhia de Engenharia de Força de Paz" (BRAENGCOY/24), oriundos do Comando Militar do Planalto e da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada. Dentre os presentes, destacaram-se embaixadores e oficiais adidos.

Uma coroa de flores foi depositada no monumento com um capacete azul, em memória dos militares que doaram suas vidas em favor da paz. O toque de silêncio comoveu a assistência e a tropa em forma.

O Hino Nacional, cantado por todos, acompanhou o hasteamento da Bandeira Nacional pelos 286 metros do mastro. A Bandeira substituída, já gasta pelo tempo, foi arriada ao som do Hino à Bandeira. O coral de alunos do Colégio Militar de Brasília entoou diversas canções, durante o evento. Organizações militares do Comando Militar do Planalto montaram uma exposição com veículos e com materiais de emprego militar, atraindo a atenção do público presente. Um Centro de Comando e Controle Móvel, caminhão equipado com tecnologia que possibilita o contato remoto, permitiu que o General Villas Bôas conversasse com o Comandante do BRABAT/23 no Haiti.


(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+interno+EDI_3608.jpg/54596dea-38fe-49d7-b7c0-617fe745c505?t=1455563885000)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7401542&t=1455564010286)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7401543&t=1455564010365)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2016/02/FRP_Cerminonia-de-troca-de-bandeiras-na-praca-dos-3-poderes-em-Brasilia_14022016006-850x566.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2016/02/FRP_Cerminonia-de-troca-de-bandeiras-na-praca-dos-3-poderes-em-Brasilia_14022016008-850x566.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2016/02/FRP_Cerminonia-de-troca-de-bandeiras-na-praca-dos-3-poderes-em-Brasilia_14022016003-682x1024.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 16, 2016, 04:25:13 pm
Eu até percebo a necessidade, a questão é se há orçamento para tal.

Exato. A questão de materializar a aviação de asa fixa no EB é orçamentária. O planejamento para tal já existe.
Parabéns. E se falta dinheiro para as funções básicas mandam os oficias do exercito para uma fábrica de helicópteros piscar o olho a aviões? É sempre porreiro ir até aos states. Então se o projecto entrasse era como os Oficiais da Marinha na March Aviation (a propósito, não querem também dar uma ala aérea aos escoteiros, já agora triplicavam as funções da Fab por outras organizações)...  ;D
Citar
Aviões de asa fixa? Mas o exercito com tantos projectos que tem em mãos, dificuldades em acabar alguns como o Mt300 (só para citar um de muitos exemplos http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/MEB.pdf  ), agora também quer aviões de asa fixa ? Sem comentários...

Pois é, mafets, pelo menos o EB já conta com uma aviação. É de asas rotativas? Sim. Mas é uma aviação ::)

(https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/12654667_915667635168745_8092733253949234941_n.jpg?oh=8c2296f66012f33eafffd13121b5a737&oe=572F2257)
E? Então por o Brasil ter uma marinha fluvial com unidades do exercito e da marinha, Portugal também deveria ter, para caçar patos na fronteira e impedir o contrabando de castanholas para terras lusitanas?  ;D Azar, o tiro saiu-te pela culatra.  :P  Sempre fui contra a UALE e defensor de ou helicópteros na FAP ou no máximo um comando conjunto que fornecesse helis para as Forças Armadas conforme as suas necessidades. Mas é normal que quem só posta a "grandeza da nação" numa concordância com tudo o que é feito, lhe passe ao lado os foristas que discordam destes meandros oficiais e forçosamente positivistas em prol da nação. ::)
http://www.defesaaereanaval.com.br/lancamento-do-missil-av-mt-300-matador/ (http://www.defesaaereanaval.com.br/lancamento-do-missil-av-mt-300-matador/)
Citar
Para quem ainda não viu o míssil AV-MT 300 “Matador” em um
lançamento real, seguem duas imagens.
Mas a propósito o Av-mt-300 sai ou não sai? É que desde o  lançamento de Abril de 2014 já lá vão quase 2 anos pouco se sabe. Se calhar antes de irem "brincar aos aviões" convinha o colocar sem serviço, depois de tanto real já investido. Digo eu, que até sou Português  ;)
(http://cdn2.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2014/04/MTC-300-foto-2.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 16, 2016, 05:44:30 pm
Citar
E? Então por o Brasil ter uma marinha fluvial com unidades do exercito e da marinha, Portugal também deveria ter, para caçar patos na fronteira e impedir o contrabando de castanholas para terras lusitanas?  ;D Azar, o tiro saiu-te pela culatra.  :P  Sempre fui contra a UALE e defensor de ou helicópteros na FAP ou no máximo um comando conjunto que fornecesse helis para as Forças Armadas conforme as suas necessidades. Mas é normal que quem só posta a "grandeza da nação" numa concordância com tudo o que é feito, lhe passe ao lado os foristas que discordam destes meandros oficiais e forçosamente positivistas em prol da nação.

Cada país tem sua particularidade. Mas que o EB tem uma aviação própria ativa e operativa isso é fato inegável. E, contra fatos, não há argumentos. E, não me interessa saber os motivos nos quais forças terrestres de outros países não possuem sua própria aviação. E, não vou perder meu tempo discutindo isso com você.

Citar
Mas a propósito o Av-mt-300 sai ou não sai? É que desde o  lançamento de Abril de 2014 já lá vão quase 2 anos pouco se sabe. Se calhar antes de irem "brincar aos aviões" convinha o colocar sem serviço, depois de tanto real já investido.


Até onde me consta o míssil ainda está em desenvolvimento. O projeto é levado a cabo pelo EB e pela Avibrás. Se houve cortes que afetaram o andamento do projeto, não disponho de tal informação — deduzo também que, você, cidadão português, tampouco sabe a respeito. Caso queira sanar a dúvida entre em contato com a Avibrás: Telefone: +55 12 3955-6000.

(https://www.avibras.com.br/site/images/os_imagegallery_198/original/misseis-tm-e-150-02.jpg)

(https://www.avibras.com.br/site/images/os_imagegallery_198/original/missil-tm-producao.jpg)

(https://www.avibras.com.br/site/images/os_imagegallery_198/original/tiro-tm-300.jpg)

Citar
AV-TM 300

Míssil Tático de Cruzeiro com alcance de 300 km

A mais nova versão do Míssil Tático AV-TM com alcance de 300 km, movido a turbina, está em fase final de desenvolvimento e certificação.

(https://www.avibras.com.br/site/images/nossos_produtos/sistemas_defesa/TM_300_Retoque.jpg)

Fonte: https://www.avibras.com.br/site/nossos-produtos-e-servicos/sistemas-de-defesa/av-tm-300.html
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 17, 2016, 12:16:13 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 17, 2016, 04:10:12 pm
Essse AV-TM 300 é um grande monstro mesmo. Mas há algo nesse história que não pega. Outros mísseis de cruzeiro do mesmo tamanho e massa, mas com ogiva significativamente maior, têm alcances bem superiores. Ou a Avibrás e o EB estão a esconder as verdadeiras capacidades desse AV-TM 300, ou então ainda estão a aprender a tecnologia.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 17, 2016, 06:24:15 pm
Essse AV-TM 300 é um grande monstro mesmo. Mas há algo nesse história que não pega. Outros mísseis de cruzeiro do mesmo tamanho e massa, mas com ogiva significativamente maior, têm alcances bem superiores. Ou a Avibrás e o EB estão a esconder as verdadeiras capacidades desse AV-TM 300, ou então ainda estão a aprender a tecnologia.

Caro NVF, pelas pesquisas que fiz e li, o alcance do AV-TM 300 limitado a apenas 300 quilômetros, se deve a estratégia da Avibrás de exportá-lo. Se não me engano há tratados internacionais que versam a respeito do alcance deste tipo de míssil que o limita em 300 quilômetros.

Noutras palavras: a limitação do alcance do míssil obedece ao Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis – MTCR (Missile Technology Control Regime). Assim o míssil de cruzeiro AV-TM-300 como o próprio nome identifica tem um alcance de 300km e uma capacidade de carga limitada a 500kg máxima.

Fora isso, deve haver sim questões tecnológicas pendentes, levando em consideração que o míssil ainda está em desenvolvimento.

Apesar de tudo, enxergo o projeto como promissor.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 17, 2016, 09:07:24 pm
Esse argumento não faz muito sentido, pois podiam fazer uma versão nacional com alcance de 1000 km ou mais e as versões de exportação podiam sempre ser de alcance limitado.

E que tratados são esses? É que há misseis de cruzeiro no mercado com alcance de 600 km, ou mais, que já foram exportados com sucesso — como, por exemplo, o Tomahawk americano e o SCALP EG/Storm Shadow franco-britânico. O MTCR, que eu saiba, aplica-se somente à exportação de mísseis (com especial ênfase em mísseis balísticos). Além disso não tem força de tratado internacional. De qualquer modo, obrigado pela resposta e, especialmente, por ter verificado esse assunto para benefício de todo o fórum.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 18, 2016, 01:58:26 am
Citar
Esse argumento não faz muito sentido, pois podiam fazer uma versão nacional com alcance de 1000 km ou mais e as versões de exportação podiam sempre ser de alcance limitado.

E que tratados são esses?


Se não me engano  — minhas informações são precárias, mas tenho quase certeza absoluta que — o Brasil é signatário de um acordo internacional que proíbe a comercialização de mísseis de cruzeiro com mais de 300 quilômetros de alcance ou 500kg de explosivos. Mas seu desenvolvimento ou fabricação não é proibido. Tal acordo foi assinado quando Fernando Henrique Cardoso era presidente.

Porém, o documento não tem nenhuma obrigação legal, ou seja, o Brasil se decidir, pode sim vender mísseis com alcance acima de 300 quilômetros ou com carga explosiva superior a 500kg. Porém, caso o País venda mísseis com alcance superior a 300 km e de carga explosiva maior do que 500, ele ficaria em descrédito por desrespeitar um acordo assinado junto à comunidade internacional.

Por exemplo, os mísseis Caliber russos têm alcance maior do que 300 Km. Se o Brasil vier adiquiri-los, por força do dito tratado, os mísseis russos deveriam se limitar a 300 km de alcance e 500 kg de carga explosiva. Isso, caso o Brasil opte a respeitar a tratativa na qual é signatário.

Levando em consideração o tamanho do AV-TM 300 e o jato TJ1000 (fabricação brasileira) que o propulsiona, dá mesmo para desconfiar que o alcance possível do míssil pode ser significativamente maior do que 300 Km. Faço esta ilação justamente pela lógica da dimensão do artefato apresentado na foto. Há espaço mais do que suficiente para carregar combustível no imenso corpo do míssil se observado melhor pelas fotos.

Citar
É que há misseis de cruzeiro no mercado com alcance de 600 km, ou mais, que já foram exportados com sucesso — como, por exemplo, o Tomahawk americano e o SCALP EG/Storm Shadow franco-britânico.

Incluiria aí nesta lista o míssil teuto-sueco Taurus  KEPD 350 de 300 km e 500 km de alcance, em serviço nas forças aéreas alemãs e espanholas, implantados são operados nos caça bombardeiros Panavia Tornado, Boeing F-18 e Eurofighter Typhoon.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 18, 2016, 02:45:49 pm
Citar
E? Então por o Brasil ter uma marinha fluvial com unidades do exercito e da marinha, Portugal também deveria ter, para caçar patos na fronteira e impedir o contrabando de castanholas para terras lusitanas?  ;D Azar, o tiro saiu-te pela culatra.  :P  Sempre fui contra a UALE e defensor de ou helicópteros na FAP ou no máximo um comando conjunto que fornecesse helis para as Forças Armadas conforme as suas necessidades. Mas é normal que quem só posta a "grandeza da nação" numa concordância com tudo o que é feito, lhe passe ao lado os foristas que discordam destes meandros oficiais e forçosamente positivistas em prol da nação.

Cada país tem sua particularidade. Mas que o EB tem uma aviação própria ativa e operativa isso é fato inegável. E, contra fatos, não há argumentos. E, não me interessa saber os motivos nos quais forças terrestres de outros países não possuem sua própria aviação. E, não vou perder meu tempo discutindo isso com você.

Citar
Mas a propósito o Av-mt-300 sai ou não sai? É que desde o  lançamento de Abril de 2014 já lá vão quase 2 anos pouco se sabe. Se calhar antes de irem "brincar aos aviões" convinha o colocar sem serviço, depois de tanto real já investido.


Até onde me consta o míssil ainda está em desenvolvimento. O projeto é levado a cabo pelo EB e pela Avibrás. Se houve cortes que afetaram o andamento do projeto, não disponho de tal informação — deduzo também que, você, cidadão português, tampouco sabe a respeito. Caso queira sanar a dúvida entre em contato com a Avibrás: Telefone: +55 12 3955-6000.

(https://www.avibras.com.br/site/images/os_imagegallery_198/original/misseis-tm-e-150-02.jpg)

(https://www.avibras.com.br/site/images/os_imagegallery_198/original/missil-tm-producao.jpg)

(https://www.avibras.com.br/site/images/os_imagegallery_198/original/tiro-tm-300.jpg)

Citar
AV-TM 300

Míssil Tático de Cruzeiro com alcance de 300 km

A mais nova versão do Míssil Tático AV-TM com alcance de 300 km, movido a turbina, está em fase final de desenvolvimento e certificação.

(https://www.avibras.com.br/site/images/nossos_produtos/sistemas_defesa/TM_300_Retoque.jpg)

Fonte: https://www.avibras.com.br/site/nossos-produtos-e-servicos/sistemas-de-defesa/av-tm-300.html
Claro, v.exma só discute o sexo dos anjos (não quer discutir defesa de outros países num forum de defesa português, então está cá a fazer o que? se só quer discutir defesa brasileira fique num do Brasil, ou melhor, como só posta "coisa boa" vá para o site do MDB. Isso é que era e concerteza que em momentos de aperto eles agradecem   ::)  ). Quando existe perguntas pertinentes "joga para canto". Típico. ;D Já agora, como o dinheiro investido num míssil dessa dimensão mas com capacidade reduzidas tendo em conta outros modelos (acordos internacionais? Preocupavam-se com isso quando vendiam ao Iraque de Sadam? Agora é que restringem o alcance de um míssil de cruzeiro a ser desenvolvido à uma década  :P ), sugiro que seja você como contribuinte brasileiro a saber do projecto. Ou também não lhe interessa saber o que faz o MDB com o dinheiro dos seus impostos? É que se a si não lhe interessa, mesmo quando lhe perguntam directamente, muito menos a mim que pago impostos em e para portugal (a propósito, não lhe digo o que sei vindo directamente de conterrâneos seus a propósito de atrasos e projectos do MDB que vão para a gaveta, porque não o quero ver "encabolado"). Aliás, é um Mistério saber afinal o que lhe interessa além de cultivar a imagem do "está tudo bem no Brasil" e "responder torto" quando são feitas perguntas efectivas e sem irem na onda do positivismo brasileiro  ;)
http://www.forte.jor.br/2016/02/16/15a-cia-inf-mtz-tiro-embarcado-em-lancha-guardian-25/ (http://www.forte.jor.br/2016/02/16/15a-cia-inf-mtz-tiro-embarcado-em-lancha-guardian-25/)
Citar
Guaíra (PR) – Nos dias 3 e 4 de fevereiro, a 15ª Companhia de Infantaria Motorizada realizou diversas atividades operacionais voltadas ao aprimoramento técnico-profissional de seu efetivo. Ressalta-se a realização do tiro “embarcado” nas Lanchas Guardian 25, embarcações táticas de alta performance, com vocação para o emprego em ações de interceptação que integram o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).

O exercício ocorreu no Rio Paraná, na região do município de Santa Helena, com o emprego do armamento de dotação individual e armas pesadas, inclusive metralhadora antiaérea .50. A atividade contou com o apoio do 4º Pelotão da 5ª Companhia de Polícia Ambiental.
E depois do exercício de fogo Chinês, com a caça abatida foram fazer uma patuscada...  ;D ;D
(http://i2.wp.com/www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/15%C2%AA-Cia-Inf-Mtz-1.jpg?w=640)
(http://i1.wp.com/www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/15%C2%AA-Cia-Inf-Mtz-3.jpg?w=640)

Saudações  ;)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 18, 2016, 03:18:05 pm
Caro João da Ega (leia-se mafets), não perderei tempo com você.

(http://profile.ak.fbcdn.net/hprofile-ak-snc4/174064_100001993576523_2884312_n.jpg)

Por favor pare de poluir o tópico do EB com textos longos, pedantes e chulos.

Passar bem! ;D



 
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 18, 2016, 03:28:53 pm
Caro João da Ega (leia-se mafets), não perderei tempo com você.

(http://profile.ak.fbcdn.net/hprofile-ak-snc4/174064_100001993576523_2884312_n.jpg)

Por favor pare de poluir o tópico do EB com textos longos, pedantes e chulos.

Passar bem! ;D
Ora aqui está a tal revelação. E mais sai mais um "piropo". Mas como encaro ser provocado pelo dengue ou zika "passa-me ao lado", e eis que citando o Brasileiro Modelo aqui do forum defesa coloco mais  "textos longos, pedantes e chulos", oriundos da própria imprensa de terras de verá cruz ::) ::)
http://www.forte.jor.br/2016/02/16/28o-blog-revisao-preventiva-de-viaturas-do-sisfron/ (http://www.forte.jor.br/2016/02/16/28o-blog-revisao-preventiva-de-viaturas-do-sisfron/)
Citar
Dourados (MS) – No dia 4 de fevereiro a Concessionária Autorizada AGRALE, localizada no 28º Batalhão Logístico, recebeu a visita técnica da montadora com a finalidade de realizar revisões, cobertas pela garantia, em oito viaturas Marruá MTO (Módulo de Telemática Operacional). As viaturas são empregadas no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (SISFRON), cujo propósito é fortalecer a presença e a capacidade de ação do Estado na faixa de fronteira.

A implantação da concessionária no Batalhão viabilizou as manutenções preventivas das viaturas Marruá, pois a empresa possui apenas uma filial em Campo Grande, localizada a aproximadamente 230 km de Dourados.
(http://i1.wp.com/www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/28%C2%BA-BLog-2.jpg?w=640)

Saudações (menos para o Vítor, o "positivista" do forum defesa. grande entendido em pescarias e passar graxa no MDB)  ;)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 18, 2016, 03:59:00 pm
Polémicas à parte, gostei da referência Queiroziana  :G-beer2:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 18, 2016, 04:06:04 pm
Polémicas à parte, gostei da referência Queiroziana  :G-beer2:

Gostastes? Eça de Queirós é um dos meus escritores favorito. Dono de uma obra esplêndida.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 18, 2016, 04:14:27 pm
Polémicas à parte, gostei da referência Queiroziana  :G-beer2:

Gostastes? Eça de Queirós é um dos meus escritores favorito. Dono de uma obra esplêndida.
Quem diria. Poderia jurar que era Jorge Amado...  ;)
(http://essaseoutras.xpg.uol.com.br/wp-content/uploads/2013/09/capit%C3%A3es-da-areia-livro-de-jorge-amado.jpg)
Polémicas à parte, gostei da referência Queiroziana  :G-beer2:
Já deves ter ganho um amigo brasileiro para toda a vida. E quiça uma passagem de avião para futura pescaria em terras de verá cruz junto de uma das mais míticas personagens do Final Fantasy, de nome Vivi... ;D ;D
http://www.eb.mil.br/web/midia-impressa/noticiario-do-exercito/-/asset_publisher/IZ4bX6gegOtX/content/capacitacao-de-pilotos-do-sistema-de-aeronave-remotamente-pilotado?redirect=http%3A%2F%2Fwww.eb.mil.br%2Fweb%2Fmidia-impressa%2Fnoticiario-do-exercito%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_IZ4bX6gegOtX%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-1%26p_p_col_pos%3D2%26p_p_col_count%3D3 (http://www.eb.mil.br/web/midia-impressa/noticiario-do-exercito/-/asset_publisher/IZ4bX6gegOtX/content/capacitacao-de-pilotos-do-sistema-de-aeronave-remotamente-pilotado?redirect=http%3A%2F%2Fwww.eb.mil.br%2Fweb%2Fmidia-impressa%2Fnoticiario-do-exercito%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_IZ4bX6gegOtX%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-1%26p_p_col_pos%3D2%26p_p_col_count%3D3)
Mas já que estou (e passo a citar) "a poluir o tópico do EB com textos longos, pedantes e chulos" aqui vai mais outro... :P :P
Citar
O treinamento contou com o apoio de técnicos da empresa FT Sistemas S/A, sediada em São José dos Campos (SP), e constou de missões simuladas de lançamento, voo de cruzeiro, detecção de alvos e recolhimento do Sistema FT 100, que foi padronizado pelo Exército Brasileiro para atender às mais diversas missões, como busca de alvos, apoio às infiltrações, monitoramento, vigilância, reconhecimento e acompanhamento de comboios, dentre outras.

A primeira aeronave remotamente pilotada de fabricação nacional a ser exportada faz parte do Sistema FT100, e, hoje, voa, também, sobre o território de nações amigas.

A operação desse tipo de aeronaves com o Sistema SARP faz parte da Experimentação Doutrinária da Bateria de Busca de Alvos, conduzida pelo 9º Grupo de Artilharia de Campanha.
 
Fotos: 9º GAC

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+interno+17+FEV.JPG/6614642b-f502-4790-917b-dc0b7858b75e?t=1455732102000)

Cumprimentos  ;)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 18, 2016, 04:32:22 pm
Não sejas ciumento, mafets. Também estou farto de me rir com a comparação do vivi, entre outras. Desde que os 'insultos' não ultrapassem umas referências culturais estamos todos bem e contentes.  :G-beer2:
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 18, 2016, 04:40:36 pm
João da Ega, também gosto de Jorge Amado, Érico Veríssimo, Guimarães Rosa, Mario de Andrade, Machado de Assis (o maior de todos os escritores brasileiros), mas Eça.. Este está em local de destaque na minha humilde prateleira.

Brindemos, ó boca do inferno...

(https://queirosiana.files.wordpress.com/2013/04/selton-melo-como-joc3a3o-da-ega.jpg)

 :G-Ok: f2x2x
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 18, 2016, 04:49:43 pm
João da Ega, também gosto de Jorge Amado, Érico Veríssimo, Guimarães Rosa, Mario de Andrade, Machado de Assis (o maior de todos os escritores brasileiros), mas Eça.. Este está em local de destaque na minha humilde prateleira.

Brindemos, ó boca do inferno...

(https://queirosiana.files.wordpress.com/2013/04/selton-melo-como-joc3a3o-da-ega.jpg)

 :G-Ok: f2x2x

Vivi, isto é um forum de defesa não propriamente o compêndio literário da terra. Veja lá se  atina que não me interessa para nada saber o que tem na sua prateleira, à excepção dos livros de defesa que é coisa que v.exma pouco fala por aqui  ;) Mas já agora e em sua honra ;D :


Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 18, 2016, 05:15:55 pm
Saudações João da Ega

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 19, 2016, 01:25:26 am
Falando sério agora...

Épica vitória brasileira na 2ª Guerra Mundial completa 71 anos

Os veteranos da Força Expedicionária Brasileira (FEB) que combateram durante a 2ª Guerra Mundial foram homenageados hoje em solenidade de comemoração ao 71⁰ aniversário da Tomada de Monte Castelo, no centro-norte da Itália. A conquista do Brasil foi relembrada em solenidade no Batalhão da Guarda Presidencial, em Brasília.

A cerimônia teve início com um minuto de silêncio em respeito aos integrantes da FEB mortos durante a batalha. No evento, também houve a execução da canção do expedicionário. Os ex-combatentes coronel Nestor da Silva, 98 anos, e o tenente Vinicius Vênus Gomes da Silva, 90, desfilaram em continência ao comandante Militar do Planalto, general Cesar Leme Justo. Outros quatro ex-combatentes também estiveram presentes: coronel Mário Raphael Vannuteli, capitão Severino Francisco de Oliveira, tenente Vasco Duarte Ferreira e tenente Vinicius Vênus Gomes da Silva. O 2⁰ sargento Timoteo Dias de Souza foi representado pela família, que compareceu à solenidade.

A Tomada de Monte Castelo é lembrada pela ocasião em que as tropas brasileiras escreveram uma importante página da história dos aliados na 2ª Guerra Mundial. O papel da FEB foi desalojar os alemães de Monte Castelo, até então impenetrável e bem defendida, com o inimigo em posição dominante. A batalha teve início pela manhã, com o emprego da 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária, que enfrentou todo tipo de dificuldades, como minas terrestres, frio extremo, terra lamacenta e fogo inimigo. Compondo o IV Corpo do Exército dos Estados Unidos, sob o comando do general Willis D. Crittenberger, a FEB tomou o monte, tornando possível a vitória dos aliados. No total, 20,4 mil alemães foram capturados pelas tropas brasileiras.

A cerimônia foi presidida pelo comandante Militar do Planalto, general Cesar Leme Justo e teve participação de generais, comandantes de organizações militares e de autoridades civis e militares.


FEB na Itália

A FEB chegou à Itália com o primeiro contingente em julho de 1944, o qual entrou na fase final de preparação e teve seu batismo de fogo em 16 de setembro daquele ano, atuando com êxito contra posições avançadas alemãs diante da cadeia de montanhas dos Apeninos.

Naquele momento, o norte da Itália estava nas mãos da Wehrmacht (forças armadas da Alemanha), que vinha conduzindo uma eficaz ação retardadora de nível estratégico, desde a Sicília, aproveitando as sucessivas linhas de alturas ao longo da península italiana, onde eram excelentes as condições de defesa. Seu objetivo era impedir o acesso ao sul da Alemanha, já engajada em uma luta mortal, ao leste, contra a antiga União Soviética, e ao oeste, contra os demais aliados.

Os aliados tinham o 5⁰ Exército dos Estados Unidos, a oeste, e o 8 ⁰ Exército Britânico, a leste, os dois enquadrando tropas de seus países e de outros aliados. A FEB foi enquadrada pelo 4⁰ Corpo de Exército do 5⁰ Exército de Campanha dos Estados Unidos.


FONTE: http://www.defesa.gov.br/noticias/18307-epica-vitoria-brasileira-na-2-guerra-mundial-completa-71-anos


(https://c2.staticflickr.com/2/1512/24483047254_ab92f9d53f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1702/25087378646_158094a6b1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1703/25020414771_63a7317efe_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1599/24486855793_db433310e1_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1512/24486854053_04a3880238_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1525/24818066660_f8321d690c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1475/25113695685_caf4067317_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Fevereiro 19, 2016, 04:22:26 pm
Saudações João da Ega

Devolvo o cumprimento VIVI (destemido na condução das suas F.A do Brasil, fantasiosas ou não lhe interessa, contra os prevaricadores do poder Brasileiro no forum defesa)  ;D ::)
Mas voltando ao cerne da questão, entretanto o 2ª RC mec foi realizar um "Giro Técnico de viaturas Cascavel", que segundo o forista Carlos Alberto Soares merece a resposta: "É senão “engripa !"  enquanto que o forista Juarez explica: " Como estas viaturas estão paradas, partes mecânicas sofrem com corrosao e umidade, e quando se da gira com elas as partes superiores do motor, dos eixos e da transmissão são lubrificados, paralelamente eles devem ter retirado todo o combustível, passando por um decantador a fim de retirar a água presente nele em função do tempo e da temperatura. "...  ;)
http://www.forte.jor.br/2016/02/18/2o-rcmec-giro-tecnico-de-viaturas/ (http://www.forte.jor.br/2016/02/18/2o-rcmec-giro-tecnico-de-viaturas/)
Citar
São Borja (RS) – No dia 4 de fevereiro, o 2º Regimento de Cavalaria Mecanizado realizou um giro técnico das viaturas blindadas, com o objetivo de elevar os índices de disponibilidade das viaturas.
(http://i2.wp.com/www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/02/2%C2%BA-RCMec-7.jpg?w=640)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 19, 2016, 06:40:57 pm
Exército em atuação no Sudão do Sul

O Sudão do Sul vive um momento bastante conturbado em sua história. A situação em todo o país é bastante preocupante, em face das instabilidades existentes entre as tropas do Governo e a oposição, tanto na esfera política como na militar. Esse cenário gera para a população sudanesa um quadro caótico de miséria e de descaso no qual praticamente toda a população vive sem qualquer tipo de esperança.

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque_interno+Sud%C3%A3o.jpg/5597319e-d1d5-432d-b17a-9f6f1a3f7635?t=1455891341000)

Assim, as Nações Unidas, por meio da UNMISS (United Nations Mission in South Sudan) são o único alento para cerca de 10 milhões de sul-sudaneses refugiados da guerra, provendo alimentos, remédios, proteção de civis, água, infraestruturas e dignidade para crianças, mulheres e idosos.

O Exercito Brasileiro tem, atualmente, seis militares participando dessa Missão, que é considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) a segunda mais perigosa do mundo, atrás somente da missão no Congo.

Dentre as principais atribuições desenvolvidas pelos Oficiais de Ligação Militar (MLOs – Military Liasion Officers), podem ser destacadas as seguintes:

a. atuar como oficial de ligação entre a UNMISS, os militares do Governo do Sudão do Sul (SPLA) e os militares opositores (SPLA-IO);
b. escoltar comboios humanitários em todo o pais sul-sudanês;
c. patrulhar e realizar observação nas áreas de maior tensão entre as partes oponentes;
d. apoiar aos diferentes setores e organizações humanitárias que integram a UNMISS; e
e. prover a proteção de civis refugiados de guerra.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7416393&t=1455891541071)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 19, 2016, 06:42:44 pm
(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/11407260_1014230101950402_5702447296507479348_n.jpg?oh=e2373c6a302b20dfa78af6449f34cb50&oe=576CDEBD&__gda__=1466497412_ffed8b1fc2b5f6db09d1e83bc8997536)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/11667259_1032702880103124_5275506491575095191_n.jpg?oh=657f9db6fc4ce09528b9f292c9f028cf&oe=572B3471)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/20318_1028573690516043_5575261466631808298_n.jpg?oh=be9a4a779d8bed9a52879223783e91e4&oe=572E4F52)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/11709559_1028573653849380_521033664287160134_n.jpg?oh=901a0dd529ee9890cc4a9a0094228674&oe=572943E9)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtl1/v/t1.0-9/11222585_1028573677182711_2853238348324755266_n.jpg?oh=2e818795424642c30d5c87141d5642c9&oe=57594F99&__gda__=1465918122_1b959e0f0492ab790ce68857ed157196)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/11204459_1027857233921022_8717213013836690576_n.jpg?oh=bc550de31595c1264f36ec73a1cb78d9&oe=572C4D9C&__gda__=1466361652_aab5e103d171aa66772c7ad5e2302363)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 19, 2016, 06:45:19 pm
(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/11145219_1048646935175385_5011431510120976416_n.jpg?oh=3db5f9f656e8ac405e307ee960ff4627&oe=5726D4B6&__gda__=1462656542_2217ce1e078e7cd1d6e0037f9d3a2bd9)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/11251883_1048647228508689_4422854545163045028_n.jpg?oh=2ec39341ad52d462bced3b2448b05e88&oe=5764093E&__gda__=1462434817_6dc81abd0028a4dbd7d0795e2386cb96)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/11204869_1048647215175357_8180164002871221865_n.jpg?oh=92a8daa0728f5b7bedfb6948d66fccc0&oe=57668359)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/11822708_1048647231842022_6499803909863589235_n.jpg?oh=c80032c8277fdc5ce6d2c28465fc3ed0&oe=57680320&__gda__=1466240031_9853264cbf60d001baf87a4881bd93b5)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/11825738_1046732948700117_2023496045896031290_n.jpg?oh=133438b6f62a96e99c9bc616d75a844f&oe=57650396&__gda__=1466725405_cd1eb27037b8a5e289aac0609c4ef53a)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 19, 2016, 06:48:20 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 19, 2016, 07:07:08 pm
O remanescente Carro de Combate EE-TII Osório —  Fabricante: Engesa

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/11027933_1068735986499813_120021506439732214_n.jpg?oh=d1cea9f58b30b3d91ae7adabae90b7f3&oe=572E8828)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/229899_492357854137632_1406045701_n.jpg?oh=15120622ac70596b9fdb782efdad999c&oe=576C464B)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/199704_468180436555374_1591608777_n.jpg?oh=d9082ae8fb2a76558377517d168f886d&oe=576C97E9&__gda__=1465637944_4721607557673037b90f14315b27270b)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/399583_468180459888705_1624491183_n.jpg?oh=854136d1b83a904d9cd5869af7f24a2f&oe=576B5D5B&__gda__=1461944786_52dd025c2d97ae5c475ad154ef638c87)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t1.0-9/545876_468180483222036_853339731_n.jpg?oh=c866580b3824c165bd80ed57dd824959&oe=5724A592&__gda__=1465276124_1f7dacd767adb7ce5eef7fc04cc335fb)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/394533_468180493222035_719543850_n.jpg?oh=dfbb539253a88306e050929a2b715cb0&oe=57573CD4)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/200448_468180506555367_1925594205_n.jpg?oh=c5d653016ebcfa594bf50c5aa9299377&oe=57606C97)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mayo em Fevereiro 21, 2016, 06:08:10 am
Porque que foi que Portugal não comprou os VCI brasileiros e foi par os Pandur ?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 21, 2016, 08:41:12 pm
Presumindo que se refere aos Guarani, o requerimento do EP era para uma viatura 8x8 e os Guarani são 6x6. Além disso, quando o programa das viaturas 8x8 para o EP se iniciou ainda não existiam Guarani.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 23, 2016, 04:09:56 pm
Presumindo que se refere aos Guarani, o requerimento do EP era para uma viatura 8x8 e os Guarani são 6x6. Além disso, quando o programa das viaturas 8x8 para o EP se iniciou ainda não existiam Guarani.

Como bem explicado, a VBTP-MR Guarani 6x6 é anterior ao Pandur II 8x8 do EP. Além disso, o blindado brasileiro (de coração italiano, já que seu motor é um Iveco) segue diretrizes traçadas pelo próprio Exército Brasileiro, ou seja, trata-se de uma plataforma customizada para as demandas daquela Força.



Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 23, 2016, 04:14:06 pm
Companhia de Precursores celebra 65 anos

O “ninho dos cardeais” está em festa! No último dia 22 de fevereiro, a Companhia de Precursores Pára-quedistas completou seu 65º aniversário. A solenidade contou com a presença de ilustres precursores como o Gen Div José Alberto Abreu, antigo comandante da 1ª DE; do Gen Bda William Georges Felippe Abrahão, comandante da Brigada de Infantaria Pára-quedista; e do Gen Bda Kleber Nunes de Vasconcellos, diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército. Em uma formatura marcada pelo espírito de corpo característico desta tropa especializada, antigos comandantes da unidade e precursores de todos os tempos puderam confraternizar com os militares que compõem o efetivo atual da Companhia, relembrando histórias e transmitindo valores e tradições.

A história da unidade conhecida como berço das operações especiais do Exército Brasileiro tem início quando o então 1º Ten Eng Celso Nathan Guaraná de Barros foi enviado ao Fort Benning, nos Estados Unidos, a fim de realizar o ainda recente curso de Pathfinder do Exército Americano, o Brasil tinha o primeiro contato com a especialidade. Após seu regresso, iniciou-se um cuidadoso trabalho para a criação da doutrina que iria conduzir o trabalho do Precursor Pára-quedista no Brasil. Com a formação da primeira turma de Precursores Paraquedistas no Brasil, foi criado, em 1951, o Pelotão de Precursores, subordinado diretamente à Companhia de Comando da então Escola de Paraquedistas. A década de cinqüenta foi marcada por avanços constantes como o primeiro lançamento rádio, realizado em 1952, e o primeiro lançamento noturno com o precursor precedendo a tropa. Nesse período, os precursores foram muito empregados também em missões de salvamento e resgate nos locais mais remotos do país.


(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/02/20160222_104529-copy.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/02/20160222_093706-copy.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/02/20160222_101140-copy.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/02/20160222_101145-copy.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2016/02/20160222_101959-copy.jpg)

Fonte: http://www.revistaoperacional.com.br/2016/exercito/companhia-de-precursores-celebra-65-anos/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 23, 2016, 04:31:52 pm
Há uma ligação histórica entre o curso Brasileiro e o curso Português. Nos anos 50 houve vários Oficiais Portugueses que foram aí fazer vários cursos Aeroterrestres, incluindo esse.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: NVF em Fevereiro 24, 2016, 03:32:26 am
Presumindo que se refere aos Guarani, o requerimento do EP era para uma viatura 8x8 e os Guarani são 6x6. Além disso, quando o programa das viaturas 8x8 para o EP se iniciou ainda não existiam Guarani.

Como bem explicado, a VBTP-MR Guarani 6x6 é anterior ao Pandur II 8x8 do EP. Além disso, o blindado brasileiro (de coração italiano, já que seu motor é um Iveco) segue diretrizes traçadas pelo próprio Exército Brasileiro, ou seja, trata-se de uma plataforma customizada para as demandas daquela Força.

Como assim? O concurso das viaturas 8x8 foi lançado em 2002 e o contrato de fornecimento das Pandur II foi assinado em 2005. As Pandur II começaram a ser entregues em 2006 ou 2007, enquanto o contrato de fornecimento das Guarani só foi assinado em 2012, com as primeiras unidades entregues em 2014.

Talvez o vosso programa se tenha iniciado antes do português, mas as viaturas não existiam até há 2 anos atrás.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 24, 2016, 10:26:20 am
Presumindo que se refere aos Guarani, o requerimento do EP era para uma viatura 8x8 e os Guarani são 6x6. Além disso, quando o programa das viaturas 8x8 para o EP se iniciou ainda não existiam Guarani.

Como bem explicado, a VBTP-MR Guarani 6x6 é anterior ao Pandur II 8x8 do EP. Além disso, o blindado brasileiro (de coração italiano, já que seu motor é um Iveco) segue diretrizes traçadas pelo próprio Exército Brasileiro, ou seja, trata-se de uma plataforma customizada para as demandas daquela Força.

Posterior, penso que tenha sido um lapso do Vitor, já que lendo o resto da frase o sentido era dizer o inverso. O Guarani é um produto da Iveco feito no Brasil e que foi pensado desde o inicio para se ajustar às linhas mestras do Exército Brasileiro. Em principio vai arrancar para breve uma nova versão 8x8 da mesma viatura.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 24, 2016, 01:04:27 pm
Presumindo que se refere aos Guarani, o requerimento do EP era para uma viatura 8x8 e os Guarani são 6x6. Além disso, quando o programa das viaturas 8x8 para o EP se iniciou ainda não existiam Guarani.

Como bem explicado, a VBTP-MR Guarani 6x6 é anterior ao Pandur II 8x8 do EP. Além disso, o blindado brasileiro (de coração italiano, já que seu motor é um Iveco) segue diretrizes traçadas pelo próprio Exército Brasileiro, ou seja, trata-se de uma plataforma customizada para as demandas daquela Força.

Posterior, penso que tenha sido um lapso do Vitor, já que lendo o resto da frase o sentido era dizer o inverso. O Guarani é um produto da Iveco feito no Brasil e que foi pensado desde o inicio para se ajustar às linhas mestras do Exército Brasileiro. Em principio vai arrancar para breve uma nova versão 8x8 da mesma viatura.

Tens razão. Na ânsia de responder acabei me equivocando. O Guarani é posterior ao Pandur II do EP. Portanto, as primeiras viaturas foram entregues ao 33º Batalhão de Infantaria Mecanizada (33º BIMec) em março de 2014:

Citar
Guarani: novo blindado do Exército Brasileiro tem seu primeiro lote entregue no Paraná

Cascavel (PR), 24/03/2014 – O Exército Brasileiro passou a contar a partir desta segunda-feira (24) com um moderno e poderoso instrumento para operações militares de ataque, defesa, patrulhamento e missões de paz: a Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP-MR) Guarani.

O primeiro lote com 13 veículos foi entregue oficialmente ao 33º Batalhão de Infantaria Mecanizado, em Cascavel, oeste paranaense, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Defesa, Celso Amorim, e do comandante do Exército, general Enzo Martins Peri.

Desenvolvido a partir de pesquisas empreendidas por diferentes unidades do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, a família de blindados Guarani está sendo produzida em parceria com a multinacional italiana Iveco, que construiu um módulo industrial para esse fim na cidade de Sete Lagoas (MG). A propriedade intelectual do Guarani – que tem a previsão de ser exportado – é do Exército Brasileiro.


FONTE: http://www.defesa.gov.br/noticias/8394-defesa-guarani-novo-blindado-do-exercito-brasileiro-tem-seu-primeiro-lote-entregue-no-parana

(https://c2.staticflickr.com/8/7254/13411813523_0babba7c30_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2827/13411801533_a0a6b9a8d7_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2822/13411800573_4ba9bbf792_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2814/13411685075_735217a738_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2884/13412044334_d6ee6a3aec_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7423/13411793023_48b1cb8e99_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7185/13411676375_2baaf33d45_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3737/13411675365_e63430eb6c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3834/13411670255_388787de95_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3832/13412026874_e09843e458_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3834/13412024794_3bfebb8404_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3718/13411644205_4a99472ef7_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 25, 2016, 12:45:24 am
Panorama Haiti: BRABAT desencadeou a Operação Brooklyn – Boston na região de Cité Soleil

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/11148350_1118177094869187_1916995000566395311_o.jpg)

Porto Príncipe (Haiti) – No dia 19 de fevereiro, o 23º Contingente do Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT 23), que atua na Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), desencadeou a Operação Brooklyn – Boston na região de Cité Soleil.

Com o emprego de um efetivo de cerca de 220 militares brasileiros, reforçados por integrantes da Polícia das Nações Unidas (UNPOL) e por componentes da Polícia Nacional Haitiana (PNH), a atividade teve por objetivo manter os índices de criminalidade baixos na área de responsabilidade do Batalhão.

Durante a operação, as Companhias, peças de manobra da Unidade, intensificaram o patrulhamento em todas as ruas das localidades em questão, demonstrando a presença da tropa brasileira e transmitindo sensação de segurança à população local.

Além dos avançados materiais de emprego militar utilizados no cumprimento de missões de manutenção da paz, foram empregadas três Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), a fim de contribuir com a proteção da tropa durante a operação.

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/02/12768363_1118176051535958_6936440645016795160_o.jpg)

Fotos: BRABAT 23

Fonte: Exercito Brasileiro
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 25, 2016, 01:05:30 am
Cite Soleil Patrol

A team of Brazilian UN peacekeepers, UN polioce and Haitian National police officers take part in a foot and motorized patrol of parts of Cite Soleil, a large and sometimes volatile slum on Haiti's capital, Port au Prince.

(https://c2.staticflickr.com/2/1538/25240047155_ccecc87b91_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1564/25121778992_fe09817753_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1460/24872417009_75cdfe480b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1702/24609425304_12d43e2b26_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1599/24944472850_c3ca321dfd_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1458/25146890311_6bbb77bbd9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1568/24613257723_48cecc56a9_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1705/24872375139_d6e540f97b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1587/25213761466_f560b71b34_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 25, 2016, 03:09:18 am
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 28, 2016, 01:29:55 pm
Exército Brasileiro inaugura Sistema de Simulação de Apoio de Fogo na AMAN

O Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, esteve na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), no dia 19 de fevereiro, para a inauguração do Sistema de Simulação de Apoio de Fogo (SIMAF). Também esteve presente à cerimônia o Sr Luiz Furnell Abaunz, presidente da Tecnobit, empresa de origem espanhola responsável pelo desenvolvimento do sistema.

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque-interno+aman.jpg/c4aebb17-230e-451f-8959-eb7874db46d4?t=1456489967000)

Baseado no Simulador de Artilharia (SIMACA) utilizado pelo Exército de Terra da Espanha na Academia de Artilharia de Segovia, o SIMAF está destinado ao treinamento conjunto ou modular de todos os subsistemas da Artilharia de Campanha do Exército Brasileiro – meteorologia, topografia, observação, busca de alvos, logística, comunicações, direção e coordenação de tiro e linha de fogo – em uma tríplice vertente: ensino, adestramento e doutrina. As demais armas que compõem o apoio de fogo também podem ser plenamente atendidas pelo SIMAF.

O sistema facilita o treinamento em condições que imitam o combate em diversas áreas, como a preparação e a análise de missões, o reconhecimento do terreno, o levantamento de alvos, a preparação e a execução das ordens de tiro, além da observação e de correções do desencadeamento de fogo.

Utilizando a simulação como um complemento de instrução para a realização do tiro real de artilharia, o SIMAF também possibilitará a economia no emprego dos recursos humanos, materiais e financeiros, uma vez que trará uma significativa redução do consumo de munição e combustível para os deslocamentos até as posições de tiro, no desgaste dos materiais de emprego militar e dos riscos à segurança. Contribuirá, ainda, para a preservação do meio ambiente junto às áreas destinadas à execução dos tiros reais, em virtude da redução do número de granadas lançadas.

Na AMAN, o simulador foi instalado em um complexo construído para esse fim, com auditório, sala de reunião, posto do instrutor, central de tiro, centro de coordenação de apoio de fogo, três postos de observação (com cenários inspirados em regiões de caatinga, terreno convencional e urbano) e linha de fogo (com oito obuseiros), dentre outros espaços.

Além do Sistema inaugurado na AMAN, outro centro de simulação foi construído em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O projeto surgiu a partir da Diretriz para Implantação do Sistema de Simulação para o Ensino (SIMENS), do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx). O contrato, firmado com a Tecnobit em 2010, permitiu a realização de um dos projetos de simulação mais abrangentes do mercado de defesa e pioneiro na América Latina.


(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7434565&t=1456498582047)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 29, 2016, 07:38:41 pm
Gen Kiyofumi Iwata: Sisfron é “magnifico” e pode servir de referência para o Japão

Apesar de país ser arquipélago cercado pelo mar, chefe do Estado Maior das Forças Terrestres de Auto Defesa disse que projeto similar pode ser adotado para monitoramento no Japão

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/02/29873_resize_800_600_false_true_null.jpg)

O general Kiyofumi Iwata, chefe do Estado Maior das Forças Terrestres de Auto Defesa do Japão, considerou o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira) um “projeto magnifico”. O oficial esteve no dia 25/FEV/2016 em Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, para conhecer o sistema que está sendo implantado pelo Exército em Mato Grosso do Sul, na faixa de fronteira entre Mundo Novo e Bela Vista.

Iwata ficou pouco mais de uma hora na cidade. A agenda dele na Brigada Guaicurus deveria começar às 9h, mas atrasou uma hora e meia porque o avião que o trouxe a Mato Grosso do Sul teve de pousar em Campo Grande, já que o aeroporto de Dourados estava fechado por causa da nebulosidade.

“É um projeto magnífico, pois permite que uma extensa fronteira, como a brasileira, possa ser monitorada através de meios de alta tecnologia”, afirmou Iwata em entrevista coletiva. Os diálogos, tanto na entrevista quanto no contato com os oficiais brasileiros, foram feitos através de um tradutor.

Projetado para os 17 mil quilômetros da fronteira brasileira, o Sisfron começou a ser implantado em 2012 e o projeto-piloto funciona desde 2014 em Mato Grosso do Sul. O sistema deveria receber R$ 1 bilhão por ano, pelo prazo de 11 anos, mas o programa vem sendo tocado com orçamento anual inferior a R$ 300 milhões.

No início deste mês, o ministro da Defesa Albo Rebelo disse em Dourados que o Sisfron, assim como outros projetos do governo, recebe menos dinheiro por causa do contingenciamento de verbas, mas garantiu que essa realidade não deve atrasar a previsão de implantação total até 2023.

Parceria – Kiyofumi Iwata citou como de grande importância a cooperação que o Sisfron permite entre o ente miliar e a sociedade civil, através de parceria com universidades e empresas.

Em Dourados já foi implantado o Polo Sisfron, que oferece cursos profissionalizantes para militares do Exército com apoio das universidades locais e do Sistema S.

Fronteiras do Japão – Questionado se o Sisfron poderia servir de modelo para um projeto semelhante no Japão, Kiyofumi Iwata disse que seu país tem características geográficas diferentes do Brasil, pois é um arquipélago com quase sete mil ilhas e suas fronteiras são marítimas.

Entretanto, o oficial japonês disse que o conhecimento que teve do sistema implantado pelo Exército brasileiro será levado a seu país e pode servir de referência para desenvolvimento de projetos similares.

O Japão é considerado uma grande potência militar e as Forças Terrestres de Auto Defesa foram criadas após o fim do ataque japonês aos Estados Unidos, na Segunda Guerra Mundial.


FONTE: http://www.defesanet.com.br/fronteiras/noticia/21698/Gen-Kiyofumi-Iwata--Sisfron-e-%E2%80%9Cmagnifico%E2%80%9D-e-pode-servir-de-referencia-para-o-Japao/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 29, 2016, 07:55:04 pm
Frota de aeronaves do Exército é modernizada pela Helibras

A Aviação do Exército está ampliando e modernizando sua frota de aeronaves em diferentes projetos que envolvem a única fabricante de helicópteros na América Latina, a Helibras. No mês de abril passado, o Exército Brasileiro (EB) recebeu sua quarta unidade do EC725, membro mais recente da família Cougar e com grandes evoluções em relação a versão anterior, como o peso máximo de decolagem que pode chegar a 11 toneladas, contra nove toneladas do AS532, atingindo 839 km de alcance.

Além do novíssimo EC725, o EB passou a operar as duas novas unidades do Pantera K2, modernizado pelas equipes de engenharia e manutenção da Helibras. Essas foram totalmente reformadas, incorporando o que há de mais avançado em equipamentos, com um ganho de vida útil de mais 25 anos de atividades.

O novo helicóptero foi batizado de Super Pantera K2. “A modernização de aeronaves militares como esta vem sendo utilizada em frotas que envolvem bens de alta tecnologia e elevado valor de aquisição, como é o caso de helicópteros, aviões e navios. Foi um trabalho bastante intenso e desafiador pois criamos uma versão totalmente nova do Pantera, diferente das já existentes em operação no mundo”, afirmou o presidente da Helibras, Eduardo Marson.

Por ter sido desenvolvido no Brasil, este é o primeiro helicóptero a passar por uma certificação totalmente nacional. Isso porque, para os modelos já existentes em outros países, como é o caso de todos os helicópteros comercializados no Brasil hoje, o Departamento de Certificação Técnica Aeronáutica realiza uma avaliação tendo como base as certificações internacionais já concedidas à aeronave. Para esta, não havia uma certificação anterior, sendo necessários extensos testes e ensaios em voo para verificar as capacidades, que mudaram drasticamente com o novo motor implantado. A certificação brasileira representa um marco para o País.


(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2014/09/IMG_0304.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2014/09/Pantera-EB-credito_Helibras.jpg)

(http://eblog.eb.mil.br/images/uploads/2014/09/Pantera-e-Fennec-EB-cr%C3%A9dito_Helibras.jpg)


FONTE: http://eblog.eb.mil.br/index.php/noticias/4124-frota-de-aeronaves-do-exercito-e-modernizada-pela-helibras
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Março 03, 2016, 10:40:38 am
http://www.forte.jor.br/2016/03/01/defesa-antiaerea-dos-jogos-olimpicos-2016/ (http://www.forte.jor.br/2016/03/01/defesa-antiaerea-dos-jogos-olimpicos-2016/)
Citar
Guarujá (SP) – Por intermédio do Projeto Estratégico do Exército (Defesa Antiaérea), foram adquiridos, no ano de 2015, diversas unidades de tiro do moderno sistema de defesa antiaérea RBS 70, de origem Sueca, e que estão atualmente em emprego nos Grupos de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro. A aquisição, além de reequipar os Grupos de Artilharia Antiaérea com o que existe de mais moderno no segmento de defesa antiaérea de baixa altura, terá utilização na segurança contra vetores aéreos durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

O míssil do sistema RBS 70 possui qualidades que o tornam importante para o emprego em áreas urbanas, como a portabilidade (o sistema é composto pelo míssil e por um mecanismo de disparo), a visão termal (possibilidade de emprego noturno), o telecomando (guiado ativamente pelo atirador, por um facho de laser) e o alcance de até 5,5 km.

Com o emprego desse material, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, assim como o Exército Brasileiro, demonstra o seu preparo para a atuação em Grandes Eventos.
(http://i1.wp.com/www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/03/1%C2%AA-Bda-AAAe-1.jpg?w=640)
(http://i2.wp.com/www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2016/03/1%C2%AA-Bda-AAAe-2.jpg?w=640)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 07, 2016, 01:59:08 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 08, 2016, 12:49:04 pm
(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/12347607_1111734162199995_1394756337068654860_n.jpg?oh=b7da0764885f2a1b34bd34277875f50b&oe=574A8F89)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/12341039_1111734138866664_8033334747773874264_n.jpg?oh=871a5c915425c30c2ecc1eb3748c7d22&oe=574C4A28)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xla1/v/t1.0-9/12299220_1111734122199999_317356980205438402_n.jpg?oh=5198159243f4052ed0bce530479cdf44&oe=576429A1&__gda__=1469021452_597a8a5fbdab45e3b3e3a7a7950f1ce8)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/12347789_1111734085533336_6822515673340698863_n.jpg?oh=516a0f4ec222ffaa0ffbca7c113dcd94&oe=575352F4&__gda__=1464924764_de6da3b1ea685fdbf5a620f55cd4cfcf)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xal1/v/t1.0-9/12347893_1111734068866671_5028077681725725226_n.jpg?oh=3ba3b09e8c579118ee261d50fe7be37d&oe=57924206)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 08, 2016, 12:53:16 pm
Operação Centauro - 2015

O Exército finalizou com sucesso a integração dos três tipos de Simulações; virtual, construtiva e viva, em manobra realizada no interior do Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB) – Saicã, em Rosário do Sul/RS.

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xlt1/v/t1.0-9/12074493_1079388742101204_1721263622585922774_n.jpg?oh=6ccb3fb6014cbd63e6342db3bf403a0a&oe=5763BD67)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xta1/v/t1.0-9/12079499_1079388738767871_5897097154220136032_n.jpg?oh=1eed99e43c72b934243a1d44f904b8e6&oe=575EF402)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xat1/v/t1.0-9/12039721_1079388718767873_822723485910065019_n.jpg?oh=00464d6aac3283ee43fea4584b8fefc5&oe=574A916E&__gda__=1465265585_6d7b749374c6ba9605327d6b74fbaa1b)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xat1/v/t1.0-9/12096169_1079388648767880_5440161566196602803_n.jpg?oh=b6acefe91c05bdf80e011c960337080e&oe=574D892B)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/12079527_1079388625434549_4237765289045343914_n.jpg?oh=a32bb327c703e60422d565548afbcbc8&oe=57623ACF&__gda__=1465138409_9c77821a8d1aef0c8ec8520f8a9f0f79)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/12074986_1079388608767884_2636795512283176311_n.jpg?oh=e546fcdd5bf4a8fdda7780ec8fc35913&oe=575827BD&__gda__=1469504667_82e69c81bc0ef257efbc48455fa9ed48)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlp1/v/t1.0-9/12074564_1079388578767887_8879199725753723635_n.jpg?oh=59fe26f6f55a7e5ae9fb98c9a9ba2273&oe=5791A8A8&__gda__=1465808829_20ed1128fdd52519d67509e4b348cd71)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12079571_1079388575434554_1023387313356282944_n.jpg?oh=3eae1b0f8d251d0b9f1a518b4442ddd2&oe=5756A678&__gda__=1465497733_51869d40ef4226b953ffa063c5b60e6e)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12046794_1079388538767891_7676047229585667374_n.jpg?oh=e053b7d461f47fece8238fd43729851f&oe=57502259&__gda__=1469233572_644f14c7570c8571d004441dd5feff8b)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12096366_1079388462101232_5998279721682322191_n.jpg?oh=94290073489a14550aae7dcc1777c5c0&oe=574DA072&__gda__=1469606287_2dbae284039bf401b6be65e759f319df)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtp1/v/t1.0-9/12074991_1079388572101221_8606936519727861841_n.jpg?oh=483812c436d0eabd85d4a22934afb98e&oe=57505CF4)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/v/t1.0-9/12074697_1079388612101217_6633189994469266599_n.jpg?oh=e3376752dc23396367f90218f940b63e&oe=5790159D&__gda__=1465381563_79f1398407340ff071af711d7354e9a6)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/12038500_1079388628767882_3081359367366147997_n.jpg?oh=9fb1e54385990ab7180cca30a757e91a&oe=5798A95A&__gda__=1464696487_af02b12e0e18a42c0db6ebc043b9d863)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 09, 2016, 12:48:51 pm
Centro de Instrução de Guerra na Selva – CIGS comemora Dia Internacional da Mulher

"Senhor, Tu que ordenaste ao guerreiro da selva: Sobrepujai todos os vossos oponentes..." esse é início da Oração do Guerreiro de Selva, que foi proferida pela 1º Ten Camila Tochetto no dia oito de março, Dia Internacional da Mulher. A honra de estar à frente da tropa do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), local onde é formado os melhores guerreiros de selva do mundo, não é apenas uma homenagem a esse dia tão especial, mas de confirmação em face às conquistas que o segmento feminino vêm alcançando.
 
Desde Maria Quitéria, patrona o Quadro Complementar de Oficiais, até os dias de hoje, as mulheres honram a farda verde-oliva. A sensibilidade, o sorriso no rosto, o batom, as unhas pintadas e outras características especificamente femininas não as tornam frágeis, apenas diferentes. Prova disso é que desempenham diversas atividades na área militar. São Paraquedistas, Veterinárias, Médicas, Farmacêuticas, Psicólogas, Especialistas em Montanhismo, Atletas, Administradoras, Instrutoras, Pedagogas, ou seja, estão em todos os quartéis, desempenhando as mais diversas e difíceis tarefas.
 
Até pouco tempo atrás, muitas dessas tarefas lhes eram negadas, ante a justificativa de que não suportariam as dificuldades. No entanto elas mostraram e continuam mostrando do que são capazes. A abertura de concursos militares para as escolas da linha bélica para as mulheres, a partir deste ano de 2016, representa não só novas oportunidades, mas amadurecimento da instituição na forma de tratamento e reconhecimento pelas conquistas das mulheres.

 
O CIGS se orgulha de suas militares e presta homenagem a todas pelo Dia Internacional das Mulheres.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7450726&t=1457468339386)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7450725&t=1457468339361)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7450727&t=1457468339407)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7450724&t=1457468339239)

Fonte: http://migre.me/tbnub
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 09, 2016, 08:34:22 pm
KMW inaugura sede em Santa Maria

Solenidade de abertura é acompanhada CEO da KMW, Frank Haun[/i]

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/03/29975_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Foi inaugurada na manhã de hoje (09MAR2016) a sede industrial da alemã KMW do Brasil. Seis anos após a empresa sinalizar que viria para Santa Maria (RS). A inauguração das instalações da  gigante alemã na área de defesa,  foi acompanhada  autoridades políticas e militares, além de do CEO da KMW alemã, Frank Haun.

Presentes ao evento o General-de-Exército Pujol, Comandante CMS, representando o Comandante do Exército, General-de-Divisão Cardoso, 3ª DE, e General-de-Brigada Castro, 6ª BInfBld.

O Comandante do Exército General-de-Exército Villas Boas está em viagem ao exterior.

O presidente da KMW do Brasil Christian Böge e o CEO  Frank Haus detalharam em seus discursos a expectativa de ampliar as atividades no Brasil.  O objetivo é de oferecer o blindado Dingo ao Brasil.

Gepard

A solenidade também teve a entrega oficial da primeira de 8 viaturas blindadas antiaéreas GEPARD, contendo o novo upgrade contratual, trabalhos estes realizados 100% em solo brasileiro pela KMW do Brasil.

Esta modernização coloca o Gepard empregado pelo Exército Brasileiro no mesmo nível dos atualmente em uso pela Bundesheer (Exército Alemão).

Os Gepard serão usados nas operações de segurança dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

Impacto em Santa Maria

O prefeito de Santa Maria, Cesar Schirmer declarou:

– Do ponto de vista industrial, Santa Maria será dividida entre antes e depois da KMW. O projeto da empresa para a América do Sul é significativo e passa por Santa Maria. O futuro vai demonstrar que essa data será um marco na nossa história.

A KMW do Brasil mantém um Contrato de Suporte Logístico (CSL) para a frota de viaturas Blindadas de Carros de Combate Leopard 1A5BR e seus derivados em uso pelo Exército Brasileiro.


(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/03/29976_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/03/29977_resize_800_600_false_true_null.jpg)

FONTE: http://www.defesanet.com.br/leo/noticia/21778/KMW-inaugura-sede-em-Santa-Maria-/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 10, 2016, 06:00:40 pm
GAC sedia treinamento com foco na Rio 2016

Cerca de 80 oficiais do 1º Batalhão de Aviação do Exército Brasileiro (BAvEx) participam desde segunda-feira, no 12º GAC de Jundiaí, de um treinamento específico de técnicas de infiltração e extração vertical de tropas com o intuito de preparar os militares para atuar na segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto deste ano. O treinamento faz parte da Operação Fumaça.

Três modernos helicópteros do Exército, entre eles um imponente Jaguar de 11 toneladas e capacidade para 30 militares, são utilizados no treinamento. “Por conta do seu tamanho, o Jaguar normalmente é utilizado no transporte das tropas. Já o Esquilo é mais usado em operações de reconhecimento e ataques”, explicou o tenente-coronel Sazdjian, comandante do 1º BAvEx.

Segundo o tenente Sazdjian, o 12º GAC de Jundiaí foi escolhido por conta da proximidade da base do Batalhão de Aviação de Taubaté (interior de São Paulo) e por conta da boa receptividade da população. “Outro fator relevante para a escolha é a abundância de áreas propícias à atividade aérea”, acrescentou o tenente.

De acordo com Sazdjian, este tipo de treinamento ocorre todos os anos, mas em 2016 ele foi intensificado por conta dos Jogos Olímpicos. “Dentro de duas semanas faremos também uma operação semelhante no Rio de Janeiro, sede dos Jogos”, adiantou.

Honra - Para o tenente-coronel Messias, comandante do 12º GAC, é uma honra para Jundiaí receber uma etapa do treinamento de profissionais altamente qualificados do Exército. “Além de contribuir para a formação das tropas, o treinamento também acaba servindo como incentivo para que outros militares se interessem pela Aviação do Exército. Temos três tenentes do 12º
GAC que já demonstraram interesse em fazer o curso de piloto militar”, comentou.

O tenente-coronel Messias ressaltou a importância da receptividade da população jundiaiense. “Donos de fazendas na cidade, como a Iporanga, Rio das Pedras e Estância Santa Rita de Cássia, permitiram que algumas ações fossem realizadas em suas propriedades. Isso reflete a confiança da comunidade no 12º GAC”, destacou. Também contribuíram nesta fase da Operação Fumaça tropas do 20º GAC de Barueri, totalizando mais de 120 militares envolvidos, completou Messias.


(http://www.jj.com.br/galerias/fotos/1000/codigo_0001333/2016-03-10_10-29-26_5.jpg)

(http://www.jj.com.br/galerias/fotos/1000/codigo_0001333/2016-03-10_10-30-04_1.jpg)

(http://www.jj.com.br/galerias/fotos/1000/codigo_0001333/2016-03-10_10-29-26_1.jpg)

(http://www.jj.com.br/galerias/fotos/1000/codigo_0001333/2016-03-10_10-29-26_2.jpg)

(http://www.jj.com.br/galerias/fotos/1000/codigo_0001333/2016-03-10_10-29-26_3.jpg)

(http://www.jj.com.br/galerias/fotos/1000/codigo_0001333/2016-03-10_10-29-26_4.jpg)

FONTE: http://www.jj.com.br/noticias-27644-gac-sedia-treinamento-com-foco-na-rio-2016
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 11, 2016, 01:53:15 pm
(https://c2.staticflickr.com/4/3709/11432587076_b255dcc781_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3762/11432559924_e6f19f061f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7291/11432559914_529b1f5c7b_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2882/11432586866_5d8d1e12ef_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2854/10857945743_c21442dddb_b.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 11, 2016, 01:58:03 pm
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/12805736_1679363569018088_4137523044361688717_n.jpg?oh=c1ec788878936bd9d228ab201e66e0fc&oe=578EB375&__gda__=1469564709_7ca4251ec1cdec6ea5ca9aaf3b297128)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpt1/v/t1.0-9/12832397_1679363579018087_6607066376554971504_n.jpg?oh=1be28df89cdd1e454177925eb38161b3&oe=578D89D6&__gda__=1465436758_1b69fb424c87d8c52f775d4e234731e0)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtl1/v/t1.0-9/12832322_1679363392351439_9027945593300473153_n.png?oh=032597c6e9fa0da527cf496d2e3b31e5&oe=57935D7E&__gda__=1464555597_7876432acc56e29d405f3724f282eb16)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpl1/v/t1.0-9/12800174_1679363745684737_4962382793762706033_n.jpg?oh=677ac8d00889827202d834fdfc7d45bd&oe=57503B41)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/12814167_1679363989018046_1486723920462468789_n.jpg?oh=78256469b3d81598add345d953699251&oe=575C0F7B&__gda__=1465318099_1fd219f354987fb904daa797804279e6)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlt1/v/t1.0-9/12804887_1679363912351387_8952553818191525169_n.png?oh=0dcf415990f2444ca4b01b0906c1b7ca&oe=574D711E&__gda__=1465672762_97a2852254b273fc4f23a21ff1fb1aa8)

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/10366077_1679364452351333_257392420255843555_n.jpg?oh=831abe880dc676ed66fd20171ad38262&oe=57577111&__gda__=1464610208_1376deb9baefa864d25b83fe99065ce5)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpl1/v/t1.0-9/1948047_1679364505684661_7218544693288347473_n.png?oh=108c99abd520a66e967c2f1f33b83f6d&oe=578BD56B&__gda__=1468723943_e6bbca83e8e8a69704e768a8c4496362)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpl1/v/t1.0-9/12800213_1679364572351321_3267251051732335565_n.jpg?oh=6290ab372bea5f7fd7f37b92ec7bd73e&oe=57531746&__gda__=1464910562_ee3ce28dae8bf6d6e45328201afc57a8)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 12, 2016, 01:52:00 am
Aditância de Defesa e do Exército no Peru – Instrução de Paraquedismo da Escola de Paraquedismo do Exército

Lima (Peru) – O 1º Tenente Raphael Carvalho de Miranda e o 1º Sargento Carlos Henrique Pereira, militares do Exército Brasileiro que desempenham a função de instrutor e monitor de paraquedismo militar na Escola de Paraquedismo do Exército do Peru, ministraram instruções e realizaram salto semi-automático de formação para os cadetes da Escola Militar de Chorrilhos, durante o 1º Curso Básico de Paraquedista do ano de 2016.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7456682&t=1457696954418)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7456683&t=1457696954452)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7456684&t=1457696954480)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7456685&t=1457696954504)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 12, 2016, 01:59:41 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1542/24507231003_f908a734a1_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 15, 2016, 12:39:13 pm
Defesa antiaérea: Planejamento logístico e operacional para os Jogos Olímpicos

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Imagem-1-Planej.Log_.-AAAe.jpg)


Entre os dias 14 e 18 de março, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (1ª Bda AAAe) realizará reunião para detalhamento do emprego dos meios orgânicos dos Grupos de Artilharia Antiaérea para a defesa antiaérea dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016. Os comandantes de organizações militares do Exército Brasileiro  que participarão da defesa antiaérea do evento estarão presentes na reunião.

Entre as organizações militares orgânicas da 1ª Bda AAAe que serão empregadas figuram o 1º Grupo de Artilharia Antiaérea (Rio de Janeiro/RJ), o 2º Grupo de Artilharia Antiaérea (Praia Grande/SP), o 3º Grupo de Artilharia Antiaérea (Caxias do Sul/RS), o 4º Grupo de Artilharia Antiaérea (Sete Lagoas/MG), o 11º Grupo de Artilharia Antiaérea (Brasília/DF), o Núcleo do Batalhão de Manutenção e Suprimento de Artilharia Antiaérea (Osasco/SP) e, ainda, organizações militares de Artilharia Antiaérea orgânicas de Brigadas de Infantaria, como a 5ª Bateria de Artilharia Antiaérea Leve (Osasco/SP), a 9ª Bateria de Artilharia Antiaérea (Macaé/RJ), a 14ª Bateria de Artilharia Antiaérea (Olinda/PE) e a 21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Paraquedista (Rio de Janeiro/RJ).

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Imagem-2-Planej.Log_.-AAAe.jpg)
Sistemas VBC DAAe KMW Gepard 1A2 devem juntar-se a outros meios de defesa antiaérea nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. (Imagem: 1ª Bda AAAe.)

Ainda em fase de estudo logístico, o emprego da 6ª Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada (Santa Maria/RS) e da 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada (Ponta Grossa/PR), orgânicas respectivamente da 6ª Brigada de Infantaria Blindada e da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada, possibilitará que as Viaturas Blindadas de Combate de Defesa Antiaérea (VBC DAAe) KMW Gepard 1A2, recentemente adquiridas pelo Exército Brasileiro, possam somar na defesa antiaérea dos grandes eventos deste ano.

Ivan Plavetz

FONTE:  http://tecnodefesa.com.br/defesa-antiaerea-planejamento-logistico-e-operacional-para-os-jogos-olimpicos/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 15, 2016, 12:41:14 pm
Sistema RBS70 para defesa antiaérea dos Jogos Olímpicos 2016

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Imagem-1-Ex%C3%A9rcitoBras.RBS70..jpg)

Por intermédio do Projeto Estratégico do Exército (Defesa Antiaérea), foram adquiridos, no ano de 2015, diversas unidades de tiro do moderno sistema de defesa antiaérea RBS 70, de origem sueca, e que estão atualmente em emprego nos Grupos de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro.

A aquisição, além de reequipar os Grupos de Artilharia Antiaérea com o que existe de mais moderno no segmento de defesa antiaérea de baixa altura, terá utilização na segurança contra vetores aéreos durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Imagem-2-Ex%C3%A9rcitoBras.RBS70..jpg)
O sistema de defesa antiaérea RBS 70 destaca-se pela portabilidade e possibilidades de emprego. (Imagem: Exército Brasileiro)

O míssil do sistema RBS 70 possui qualidades que o tornam importante para o emprego em áreas urbanas, como a portabilidade (o sistema é composto pelo míssil e por um mecanismo de disparo), a visão termal (possibilidade de emprego noturno), o telecomando (guiado ativamente pelo atirador, por um feixe de laser) e o alcance de até 5,5 quilômetros.

Com o emprego desse material, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (1ª Bda AAAe), assim como o Exército Brasileiro, demonstra o seu preparo para a atuação em grandes eventos.

Ivan Plavetz

FONTE:  http://tecnodefesa.com.br/sistema-rbs70-para-defesa-antiaerea-dos-jogos-olimpicos-2016/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 16, 2016, 01:04:41 pm
4ª Brigada de Infantaria de Montanha – Apronto Operacional dos JOP 2016

Juiz de Fora (MG) – No período de 8 a 11 de março de 2016, foi realizada a inspeção do apronto operacional das Unidades que fazem parte do Comando de Defesa Setorial (CDS) – Maracanã, por ocasião dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 no Rio de Janeiro. Foram inspecionadas pelo Comandante da 4ª Brigada de Infantaria de Montanha, General de Brigada Eduardo Paiva Maurmann, as seguinte organizações militares: 32º BIMth (Petrópolis), 11º BI Mth (São João Del Rei), 4ª Cia Com Mth (Belo Horizonte), 10º BIMth, 17º B Log Mth, 4º GAMth, 4º Esqd C Mth e Cia C/4ª Bda Inf L (Juiz de Fora).

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7463573&t=1458132079716)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7463574&t=1458132079756)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7463575&t=1458132079784)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7463576&t=1458132079809)

Fonte: 4ª Bda Inf Mtn
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 16, 2016, 01:06:55 pm
1º Batalhão de Ações de Comandos – Visita de comitiva do BRABAT 24

Goiânia (GO) – No dia 3 de março de 2016, o 1º Batalhão de Ações de Comandos (1° BAC) recebeu uma comitiva de integrantes do 24º Contingente do Batalhão Brasileiro de Infantaria de Força de Paz (BRABAT 24), juntamente com militares do Comando de Operações Terrestres  (COTER). A visita teve por finalidade acompanhar e orientar a preparação do Destacamento de Operações de Paz (DOPAZ) integrante do BRABAT 24, que ocorre sob a responsabilidade do 1º BAC.
A programação do evento incluiu uma apresentação sobre o cronograma de preparação do Destacamento, bem como sobre as capacidades operativas, tarefas e ações que o DOPAZ pode cumprir quando integrado ao BRABAT 24. Em seguida, os militares da comitiva percorreram uma exposição de armamentos e equipamentos orgânicos do DOPAZ, finalizando com a verificação de uma instrução de tiro.

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/DSC_0064.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/DSC_0071.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/DSC_0081.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/DSC_0091.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/DSC_0137.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/NewDSC_0140.jpg)

(http://www.1bac.eb.mil.br/images/artigos/2016/visita_brabat24/DSC_0153.jpg)

Fonte: 1° BAC
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 18, 2016, 05:55:56 pm
REMAX oficialmente adotado pelo Exército Brasileiro

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Imagem-1-REMAX-EB.jpg)

De acordo com a Portaria Nº 065 EME, o Exército Brasileiro adota oficialmente o sistema de armas  REMAX. De acordo com a fabricante, o REMAX possibilitará uma nova dimensão à Força Terrestre Brasileira e Defesa Nacional, potencializando o poder de combate e garantindo segurança da tropa embarcada que realiza a operação no interior da viatura.

O REMAX é uma estação de armas remotamente controlada giro-estabilizada controlada remotamente para metralhadoras 12,7 mm e 7,62 mm que foi desenvolvida a partir dos requisitos do Exército Brasileiro por meio de parceria da ARES com o CTEx (Centro Tecnológico do Exército). Trata-se de um projeto ambicioso iniciado em 2006 com a promessa de desenvolvimento da primeira estação de armas 100% nacional.

Ivan Plavetz

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/remax-oficialmente-adotado-pelo-exercito-brasileiro/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 18, 2016, 06:06:40 pm
SISTEMA ASTROS 2020

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-7.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-6.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-9.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-10.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-11.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-12.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-13.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-14.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-15.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-16.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-19.jpg)

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/photo-gallery/Astros-20.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 19, 2016, 06:54:39 pm
Apronto Operacional (Foi assim para a Copa do Mundo 2014)

(http://imagens2.ebc.com.br/HW5W2C1dTdvNtXs4TDse2tM1TQU=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917912-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0604.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/huf31XVpfpGutcPg8NsKPfSHomE=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917913-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0605.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/zS6neTxfQmfzE1XyaNu-fn7DznA=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917888-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0580.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/a9Gq8cCbMWPBLU2gxzHTUxwiBBo=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917889-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0581.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/FivCVhGS2VUXrC23p09gm--lHu4=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917890-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0582.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/LJz611JZtxbVe7f3M_RiFUZ2-xA=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917892-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0584.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/ke7KR_XiQn-k9fi-BHeqTB4nRwg=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917893-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0585.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/ylw7QvxtNuTHm71A7iIuMufI-yk=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917895-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0587.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/O5OAh5JJwFLmcfmF3seNaftGSk0=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917898-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0590.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/_UgXVK7IldAEnqhi5GPL95w2Ljg=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917901-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0593.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/lUOlcyaD7ZJI-tBnxfT3QuGXxF0=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917902-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0594.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/6Ot-MlG1MjLtJHjQy2kRn8Gzb7s=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917905-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0597.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/wfIYzaSJ6mBLB3Phjc1190wl8Fo=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917909-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0601.jpg)

(http://imagens2.ebc.com.br/iNHZroh7wDorqD95fuJANQM8Dck=/fit-in/1280x720/filters:watermark(http://imagens.ebc.com.br/abr_watermark.png,1,1,96)/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/fotos/917911-opera%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520copa_0603.jpg)


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 19, 2016, 06:57:28 pm
(http://www.aen.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/39788/SimulaEx5.JPG)

(http://www.aen.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/39788/SimulaEx6.JPG)

(http://www.aen.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/39788/SimulaEx7.JPG)

(http://www.aen.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/39788/SimulaEx8.JPG)

(http://www.aen.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/39788/SimulaEx15.JPG)

(http://www.aen.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/39788/SimulaEx16.JPG)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 19, 2016, 07:13:41 pm
Companhia de Precursores Pára-quedistas (Cia Prec Pqdt)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 21, 2016, 08:08:25 pm
14ª Companhia de Comunicações Mecanizada – Estágio de Operação dos Sistemas de Comando e Controle do SISFRON

No período de 7 a 11 de março, a 14ª Companhia de Comunicações Mecanizada conduziu o 1º Estágio de Operação dos Sistemas de Comando e Controle do SISFRON/2016 para as organizações militares diretamente subordinadas (OMDS) à 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada. O objetivo foi capacitar os Pelotões de Comunicações das OMDS a operarem o moderno Sistema Tático de Comunicações da Brigada.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7471587&t=1458575700573)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7471588&t=1458575700595)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7471589&t=1458575700620)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 22, 2016, 02:11:21 pm
Visita de oficiais alunos do curso Internacional de Estudos Estratégicos (CIEE)

O Batalhão de Apoio às Operações Especiais realizou exposição de materiais, na ocasião da visita de oficiais alunos do curso Internacional de Estudos Estratégicos (CIEE) ao Comando de Operações Especiais, tendo como objetivo apresentar aos oficiais a missão, a estrutura e as atividades desenvolvidas.

(http://www.copesp.eb.mil.br/images/Artigos_BApOpEsp/DSC07196.JPG)

(http://www.copesp.eb.mil.br/images/img04.jpg)

FONTE: http://www.copesp.eb.mil.br/index.php/editoria-b/baoe/127-visita-de-oficiais-alunos-do-curso-internacional-de-estudos-estrategicos-ciee
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 27, 2016, 05:15:27 am
Brasil é referência internacional na formação de militares em missões de paz

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Imagem-1-CCOPAB-ONU...........jpg)

O Centro Conjunto de Operações de Paz (CCOPAB), do Ministério da Defesa, recebeu o quarto certificado do Departamento de Operações de Manutenção da Paz das Nações Unidas. Com a certificação, o CCOPAB se torna centro de excelência internacional na formação de militares para missões de paz, sob a égide das Nações Unidas (ONU).

“O Brasil é o primeiro país da América do Sul a possuir este certificado, que se soma a outros”, declarou o almirante Ademir, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).

Criado em 2010, o CCOPAB possui cursos e exercícios regulares para o desempenho de militares em diversas atividades em operações de paz da ONU. Atualmente são ministrados o Curso de Observador Militar, Curso de Oficial de Estado-Maior (staff officer), Exercício Avançado de Operações de Paz, e agora, por último, foi introduzido o curso de Polícia das Nações Unidas.

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/brasil-e-referencia-internacional-na-formacao-de-militares-em-missoes-de-paz/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 27, 2016, 05:51:36 am
Brigada de Infantaria Pára-quedista no Comando Militar da Amazônia (CMA)

(http://i.imgur.com/htrXR9o.jpg)

(http://i.imgur.com/2O62PvH.jpg)

(http://i.imgur.com/ZdYnNsL.jpg)

(http://i.imgur.com/w9mlw58.jpg)

(http://i.imgur.com/clvnhpf.jpg)

(http://i.imgur.com/AsOpisX.jpg)

(http://i.imgur.com/cksKQpe.jpg)

(http://i.imgur.com/yLctDPj.jpg)

(http://i.imgur.com/Jmk3aXP.jpg)

(http://i.imgur.com/eLNzwJY.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 27, 2016, 06:06:04 am
(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-37.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-36.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-65.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-66.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-53.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-58.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-57.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-38.jpg)

(http://www.iphotoeditora.com.br/photochannel/wp-content/uploads/2014/10/photo_-3.jpg)

FONTE: http://iphotochannel.com.br/fotografia-documental-2/2014/10/06/como-e-o-trabalho-de-um-fotografo-do-exercito/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 27, 2016, 06:15:39 am
(http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/militar-equipado-com-radio-mallet-e-fuzil-de-assalto-5-56-ia2/@@images/image.jpeg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 27, 2016, 06:51:10 am
(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2014/11/@exercito543-850x564.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2014/11/MAC_1891-2-850x566.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2014/11/MAC_1893-2.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2014/11/MAC_1935-850x566.jpg)

(http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2014/11/@exercito538-850x564.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 28, 2016, 08:07:53 pm
Projetos estratégicos do Exército Brasileiro

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 30, 2016, 03:44:42 pm
Brasileiros em missão no Líbano recebem Medalha das Nações Unidas

Madri (Espanha) – No dia 18 de março, na Base Miguel de Cervantes, sede da Brigada Multinacional do Setor Leste, foi realizada a cerimônia de imposição da Medalha das Nações Unidas aos militares que cumpriram os requisitos de elegibilidade como membro da Força Interina da Organização das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL).

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+Libano.jpg/86bdd8d4-5ca1-4b9b-b1eb-97434b9fea41?t=1459193736000)

A solenidade foi presidida pelo Force Comander da Missão, General de Divisão Luciano Portolano (da Itália), e contou com a presença de várias autoridades civis e militares, que foram recepcionadas pelo Comandante da Brigada, General de Brigada Juan Martin Cabrero (da Espanha). Dentre os convidados, destacam-se o Comandante da Força Tarefa Marítima da UNIFIL, Contra-Almirante Cláudio Henrique Mello de Almeida; o Chefe de Operações Marítimas da UNIFIL, Capitão de Mar e Guerra Hebert do Nascimento Orenpuller; e o Ministro-Conselheiro Henrique Ferraro, representando o Embaixador do Brasil no Líbano.

A UNIFIL tem por missão precípua o monitoramento da área sul do Líbano e sua fronteira com Israel, conforme acordo assinado entre esses países e a Organização das Nações Unidas (ONU), assegurando a retirada das Forças Israelenses da região e o retorno da paz, da segurança e da efetiva autoridade do Governo Libanês em todo o seu território. O Contingente agraciado é o terceiro enviado pelo Exército Brasileiro para essa Missão e deverá permanecer desdobrado até o próximo 21 de maio.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7480999&t=1459195663397)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7481000&t=1459195663447)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Março 30, 2016, 03:46:50 pm
1º BAC realiza adestramento interagências

Entre os dias 14 e 18 de março, o 1º Batalhão de Ações de Comandos (1º BAC) realizou um treinamento interagências na cidade de Belo Horizonte (MG), com o objetivo de estreitar laços com as instituições e agências que integrarão os esforços de enfrentamento ao terrorismo durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+1%C2%BA+BAC.JPG/f2252ea2-7d2d-4682-8f68-c85c65920078?t=1459281786000)

Participaram do adestramento 45 militares do 1º BAC, integrantes da Companhia de Ações de Comandos CHARLIE e do Destacamento de Reconhecimento e Caçadores, como também do Grupo de Ações Táticas Especiais da Polícia Militar de Minas Gerais (GATE/PMMG) e agentes do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal.

O evento foi coordenado pelo Centro de Coordenação Tático Integrado (CCTI) de Belo Horizonte, órgão de assessoramento quanto às ações de prevenção e combate ao terrorismo, integrado por operadores Comandos e Forças Especiais, que estará subordinado ao Coordenador de Defesa de Área (CDA) de Belo Horizonte, com foco nas competições olímpicas de futebol nessa Capital.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7483442&t=1459284103106)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7483443&t=1459284103161)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7483444&t=1459284103207)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 01, 2016, 06:48:09 pm
21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista realiza Operação Santa Cruz 2016

Rio de Janeiro (RJ) – A 21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista (21ª Bia AAAe Pqdt), no período de 28 de março a 1º de abril, realizou a Operação Escudo I, denominada Operação Santa Cruz 2016. A Operação consistiu no adestramento de todos os sistemas da artilharia antiaérea (sistema de armas, de controle e alerta, de comunicações e logístico) e serviu como preparação da Bateria para o cumprimento de sua missão durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+21+bia+aaae.JPG/b933808b-2b13-4463-b264-13ee44551afe?t=1459523426000)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7490422&t=1459523559513)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7490423&t=1459523559563)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7490424&t=1459523559641)

Fonte:21ª Bia AAAe
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: mafets em Abril 04, 2016, 02:30:51 pm
http://www.assuntosmilitares.jor.br/2016/03/14-companhia-de-comunicacoes-mecanizada.html (http://www.assuntosmilitares.jor.br/2016/03/14-companhia-de-comunicacoes-mecanizada.html)
Citar
Dourados (MS) – No período de 7 a 11 de março, a 14ª Companhia de Comunicações Mecanizada conduziu o 1º Estágio de Operação dos Sistemas de Comando e Controle do SISFRON/2016 para as organizações militares diretamente subordinadas (OMDS) à 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada. O objetivo foi capacitar os Pelotões de Comunicações das OMDS a operarem o moderno Sistema Tático de Comunicações da Brigada.
(https://4.bp.blogspot.com/-rUGwh8H0Rmk/Vv2encBEWbI/AAAAAAAA9UA/fIcxf0g38nEWZWI9toHk5icVJ62CJ6_jQ/s400/Assuntos%2BMilitares%2B%25288%2529.jpg)
(https://4.bp.blogspot.com/-Veyrr1sIB3k/Vv2enQWw8VI/AAAAAAAA9T8/-H82pifJcbw2Pe7pt3Z_ef0ZnJAaAG-RQ/s400/Assuntos%2BMilitares%2B%252811%2529.jpg)

Saudações
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 04, 2016, 08:48:41 pm
HAITI

(https://c1.staticflickr.com/9/8475/8113347520_fc6c57244c_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8043/8113345596_7a3102b1b8_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8470/8113340613_58f77ee62a_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8188/8113370128_313c2f8661_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8054/8113367485_e36edf2783_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8190/8113380001_a604a29306_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8465/8113395635_eb4c6a1c5e_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8185/8113406686_31b3cecc37_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8052/8113405916_2de8cab355_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8332/8113407174_af54c3c756_b.jpg)

Créditos: Manoel Kipissy
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 05, 2016, 07:55:21 pm

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 06, 2016, 03:08:02 pm
Exército Brasileiro adota o reparo REMAX 3 da Ares Aeroespacial, para as Viaturas Blindadas Guarani

(https://4.bp.blogspot.com/-QTZEbwCy2UU/VwQJCAXwYkI/AAAAAAAAAp8/rrsqbRGXwWEdJBsA3U--JhW9jPo8ypiYQ/s1600/phoca_thumb_l_remax3.jpg)

O Exército Brasileiro concluiu as avaliações técnicas e operacionais do Reparo Automatizado de Metralhadora X, terceira versão (REMAX 3), formalizando sua adoção por meio da Portaria nº 006 – EME, de 08 de março de 2016. A ação é decorrente da decisão tomada na 1ª Reunião Extraordinária do Conselho Superior de Transformação (CONSUT), encerrada em 03 de fevereiro de 2016.

O REMAX é um Sistema de Armas desenvolvido pelo Centro Tecnológico do Exército (CTEx) em parceria com a empresa Ares Aeroespacial e Defesa S.A. Ele é constituído de um reparo com acionamento elétrico e controlado remotamente por um operador localizado dentro da viatura. Concebido para equipar viaturas blindadas sobre rodas (4x4 ou 6x6) e sobre lagartas (M113), este Sistema pode receber metralhadoras 7,62 mm ou 12,7 mm (.50). Até o presente momento o Exército já adquiriu 81 sistemas.

A REMAX

O REMAX é uma estação de armas remotamente controlada giro-estabilizada controlada remotamente para metralhadoras 12,7 mm e 7,62 mm que foi desenvolvida a partir dos requisitos do Exército Brasileiro por meio de uma parceria da ARES com o CTEx (Centro Tecnológico do Exército). Trata-se de um projeto ambicioso iniciado em 2006 com a promessa de desenvolvimento da primeira estação de armas 100% nacional. Hoje é uma realidade no Exército Brasileiro e já equipa as primeiras unidades da viatura blindada sobre rodas média VBTP-MR 6X6 Guarani. Além de equipar a viatura média 6X6 o REMAX será irá equipar às futuras viaturas de reconhecimento 4x4 do Exército Brasileiro.

Especificações Técnicas da REMAX:

Tipos de Metralhadoras: M2HB 12,7mm ou MAG 7,62mm;
Armamento Adicional: Lançador de Granadas Fumígenas de 76mm x 4 tubos;
Sensores Ópticos: Possui duas Câmeras, uma Diurna com Sensor CCD, Campo de Visada 42° a 1,6° e Resolução de 768 x 576 pixels e uma Câmera Termal Não refrigerada 8 - 12µm, Campo de Visão 4,6° e 14,3° e Resolução de 640 x 480 pixels;
Telêmetro Laser: Tipo Classe 1M Eye safe, Cumprimento de Onda 1,54µm;
Amplitude de Movimento: Alcance de 50m a 5km ±5m (Alvo OTAN) , Azimute de N x 360° e Elevação de -20° a +60°;
Precisão de Estabilização: >1 mrad (1σ);
Peso: Sobre o teto 217 Kg (sem arma); Abaixo do teto 42 kg;
Altura da Torre: 863mm.

(https://2.bp.blogspot.com/-mYK2F9JjTvU/VwQI_wwqz0I/AAAAAAAAAp8/3UCcJdV92TY2SmT26X4uQyp9BjPPrMVPw/s1600/phoca_thumb_l_guarani.jpg)

(https://2.bp.blogspot.com/-hDexGQq6vEs/VwQJHeUBy3I/AAAAAAAAAp8/5_A2hWrU_AshGhSncVxwHX2aR8tYCnSMA/s1600/remax-05.jpg)

(https://3.bp.blogspot.com/-MvYRtZuW9w0/VwQJDZ0ojZI/AAAAAAAAAp8/e1_0Kp2uaWQ9w5oNKavTxIRFyTVtYpH2A/s1600/phoca_thumb_l_sala.jpg)

(https://3.bp.blogspot.com/-AlVBR0wxpBg/VwQI_ivNvaI/AAAAAAAAAp8/-0dUOzhKyYUVdaALxWf4bxxVnjT08GF9Q/s1600/phoca_thumb_l_foto.jpg)

(https://3.bp.blogspot.com/-DgZBTH5ah00/VwQJJNAY9wI/AAAAAAAAAp8/vVpSCMhX5zAdI_QcCAfB2RDGy3KpVi3Mw/s1600/remax-08.jpg)

(https://2.bp.blogspot.com/-no3VZM3TOF8/VwQJEFFyY1I/AAAAAAAAAp8/qEUzq2vieMUDa9kOKm3yFZ4C_D1lTCoGg/s1600/remax-02%2B%25281%2529.png)

FONTE: http://orbisdefense.blogspot.com.br/2016/04/exercito-brasileiro-adota-o-reparo.html
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 06, 2016, 09:21:41 pm

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 09, 2016, 09:14:01 pm
Estado-Maior do Exército – III Conferência Bilateral de Estado-Maior Brasil – Portugal

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7500277&t=1460124907624)

Lisboa (Portugal) – No período de 22 a 24 de março, em Lisboa, ocorreu a III Conferência Bilateral de Estado-Maior entre Portugal e o Brasil (III CBEM). O  principal objetivo da reunião era estreitar os laços de cooperação e amizade, e incrementar medidas de confiança mútua entre os participantes. Dentre outras atividades, foram ministradas palestras de interesse das duas nações, como: “O Exército Português” e “Capacidades Short Range Air Defense (SHORAD) na copa do Mundo FIFA 2014”.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7500278&t=1460124907663)

Os trabalhos culminaram com a assinatura da Ata da III CBEM pelo Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército Português, Tenente-General Antônio Noé Pereira Agostinho, e pelo 5º Subchefe do Estado-Maior do Exército Brasileiro, General de Divisão Joarez Alves Pereira Junior, na qual ficaram definidos os acordos estabelecidos entre os dois Exércitos para o biênio 2017/2018.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 10, 2016, 02:54:36 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1692/25469368963_6e09400c9d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1463/25467214274_14d8083018_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1532/25979465862_33ebd1db78_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1502/25798960110_3bffce4d11_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1711/26005090661_c16271b603_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1709/26005494561_07c20095fc_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1673/25466971464_8f43712244_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1491/26005366981_da0726459b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1561/25979224972_7f2716b1bb_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1558/26071781185_257791d340_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1493/25468930513_b8f19ae25d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1555/25466860714_4187d3541e_b.jpg)

Créditos: Roberto Caiafa
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 14, 2016, 07:56:30 pm
3ª Brigada de Infantaria Motorizada – Entrega do Gorro Azul do BRABAT 24

No dia 11 de abril, o Comandante da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada (3ª Bda Inf Mtz), General de Brigada Heber Garcia Portella, acompanhado do Comandante nomeado do 24º Contingente do Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT 24), Coronel José Arnon dos Santos Guerra, presidiu a formatura de entrega do gorro azul aos integrantes do Batalhão Porto Príncipe.
 
Estiveram em forma 672 militares, que se encontram concentrados na cidade de Cristalina, Goiás, desde o dia 4 de abril, realizando instruções para a Missão de Paz no Haiti. A formatura também teve por objetivo marcar a distribuição do adesivo ponto vermelho (red dot) a todos os militares da Unidade, com vistas a incrementar a mentalidade de segurança na instrução e no serviço.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7509190&t=1460580950096)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7509191&t=1460580950157)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7509192&t=1460580950203)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 14, 2016, 08:04:33 pm
Operação Pão de Açúcar (Mais fotos)

Como parte dos treinamentos visando a segurança da cidade durante os Jogos Olímpicos, o Exército realizou no Rio a Operação Pão de Açucar, utilizando aeronaves modernas e equipes que já vêm sendo treinadas para missões especiais.

O objetivo foi treinar o grupo de 160 militares no terreno dos Jogos para que conheçam pontos estratégicos do município. A ação, que será realizada até o dia 8, conta com militares do 1º e do 2º batalhões de Aviação do Exército (1º e 2º BAvEX), que ficam em Taubaté (SP) e com 14 helicópteros.

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/12932590_1202087713164639_627146417510995250_n.jpg?oh=7660c67dcbb1d197e5f270b59a3cd5a9&oe=57B1DDE3)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xlp1/v/t1.0-9/12963870_1202087703164640_7043631737205114074_n.jpg?oh=2066900e025a71168153624ee7cdfa68&oe=57BACD66)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/12928306_1202087656497978_1414251466955731504_n.jpg?oh=2d6e2cfeb3cf4dd9f746da535b02ef58&oe=57797955)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/12932893_1202087626497981_904945669683289812_n.jpg?oh=4b35f0174ad814a8a222ad75197c6662&oe=5777B0FD)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/12924414_1202087579831319_8735959763999258793_n.jpg?oh=d394619e0edc4de02cb420e21508dea4&oe=57B5985E)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/12924523_1202087556497988_3919912281519262629_n.jpg?oh=11332464c9cd67f3809f11db8f8c7832&oe=57BB48E5)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xlf1/v/t1.0-9/12963483_1202087493164661_5251598208247689238_n.jpg?oh=0c8b49d4ee09e9e44c7995772bd09c97&oe=57AC160E)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/1958406_1202087453164665_3133358852337119484_n.jpg?oh=99651b67662093117aa99102f217fbc7&oe=57B1E54E)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/12924435_1202087446497999_8806133321828445848_n.jpg?oh=0640fac11a2e0b012389db1469884201&oe=57BF9E32)

(https://scontent.frao1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xlp1/v/t1.0-9/12974491_1202087399831337_5643084450022086638_n.jpg?oh=158e08889d47493cbeeef3fccf0f38a0&oe=57BC2AA0)

FONTE:   Defesanet


Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: nelson38899 em Abril 15, 2016, 10:59:15 am
Citar
The Brazilian Army has selected Iveco Defence Vehicle's Light Multirole Vehicle (LMV) armoured vehicle as the winner of its Viatura Blindada Multitarefa - Leve de Rodas (VBMT-LR) programme, the service's Projects Procurement Office (EPEx) told IHS Jane's on 14 April.

The army is soon expected to enter negotiations with the company towards signing a contract for an initial 32 vehicles in multirole configurations.

The LMV submitted by Iveco Latin America was selected over the Avibras Tupi, a local version of Renault Trucks Defense Sherpa Light Scout vehicle.

Iveco's contract is to also include logistics support, spares, and on-the-job training. The vehicles in troop transport configuration must include provisions for government-furnished communications, smoke grenade launchers, a protected weapon mount, and an ARES Aeroespacial & Defesa REMAX (Reparo de Metralhadora Automatizado X) remote-controlled weapon station.

http://www.janes.com/article/59533/brazilian-army-selects-iveco-lmv-as-its-new-4x4-vehicle
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 15, 2016, 03:18:43 pm
CONFIRMADO: Exército anuncia escolha da viatura 4×4 Iveco LMV

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/04/IvecovencenoEBpinturacamufladalindo.jpg)

O site noticioso IHS Jane’s Defence Weekly postou, nesta sexta-feira (15.04) que o Exército brasileiro informou ter escolhido a viatura leve IVECO LMV 4×4 como equipamento-padrão das suas colunas expedicionárias, especialmente daquelas que serão designadas para os futuros contingentes da Força Terrestre incumbidos de integrar as forças de Imposição da Paz sob o patrocínio da Organização das Nações Unidas (ONU).

A informação do grupo britânico Jane’s (publicada na reportagem intitulada Brazilian Army selects Iveco LMV as its new 4×4 vehicle) foi obtida pelo jornalista português Victor Barreira, correspondente em Istambul, mas já havia sido noticiada, com exclusividade, a 28 de janeiro passado, pela coluna INSIDER, do Plano Brasil (leia “EXCLUSIVO: Avaliação técnica e de capacidade industrial dá a vitória ao carro Iveco LMV no Programa VBMT-LR, mas decisão depende de Aldo Rebelo”).

(http://www.planobrazil.com/wp-content/uploads/2016/04/IvecovencenoEBABREABREABRE.jpg)

A reportagem do IHS Jane’s lembra que a proposta da multinacional italiana Iveco, que possui unidade fabril em Minas Gerais, superou a versão brasileira do Renault Trucks Defense Sherpa Light Scout, conhecida como Avibras Tupi.

O contrato a ser assinado pelo Exército comprometerá a Iveco com o fornecimento de apoio logístico, suprimentos e treinamento de pessoal para a manutenção dos veículos.

Na configuração para o transporte de tropas o carro, que é classificado como viatura leve multitarefas, deve ser entregue com facilidades para a instalação de sistemas de comunicações, lançadores de granadas de fumaça e o pedestal que servirá de base a uma estação de armamento do tipo ARES Aeroespacial & Defesa REMAX (Reparo de Metralhadora Automatizado).

FONTE:   http://www.planobrazil.com/confirmado-exercito-anuncia-escolha-da-viatura-4x4-iveco-lmv-conforme-a-coluna-insider-antecipou-no-fim-de-janeiro/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 15, 2016, 10:03:48 pm
IVECO LMV (O novo blindado 4x4 do EB)

(https://c2.staticflickr.com/4/3903/15385137752_c28d42fe5f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3903/15385510205_7d04644872_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2946/15198730319_535bec7c15_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3885/15198892718_4099e2b243_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/3/2942/15385464765_6828d3fc3c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7540/16267586336_d7bcdfca19_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7474/15671112174_2c361c5ffb_b.jpg)

Créditos: Roberto Caiafa
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 16, 2016, 10:58:45 am
É uma excelente viatura.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 18, 2016, 04:29:16 am
É uma excelente viatura.

Realmente é uma viatura excepcional. Resta saber se a quantidade a ser adquirida será alargada.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 18, 2016, 04:50:40 am
32º Grupo de Artilharia de Campanha, grupo D. Pedro I

O 32º Grupo de Artilharia de Campanha, grupo D. Pedro I, cultua as tradições históricas do país, do Exército e da artilharia brasileira. A organização militar possui relação com o passado por ser herdeira do Corpo de Artilharia Montada da Corte. Ela atuou na campanha estratégica no território da Guiana Francesa, onde Dom João, então príncipe regente de Portugal, buscou posição favorável para a recuperação do território, invadido pelas forças Napoleônicas.

Única unidade de artilharia no Brasil da época, atuou, também, no Dia do Fico e na Campanha Cisplatina, de 1825 a 1828, sendo, portanto, organização militar ativa na consolidação da independência do Brasil.

O Corpo de Artilharia da Corte também é ícone para a artilharia brasileira não apenas por ter sido a primeira unidade da arma, mas, também, por ser a escolhida pelo jovem francês Emílio Luiz Mallet para o seu ingresso no Exército Brasileiro. Emílio Luiz Mallet tornou-se Marechal, após anos de campanhas no sul do país, sendo reconhecido como o patrono da Artilharia do Brasil.

Em 06 de abril de 1960, a 1° Bateria Independente de Canhões Automáticos de 40mm, até então sediada na cidade do Rio de Janeiro, foi transferida para Brasília, ocupando instalações provisórias de madeira, às margens do Lago Paranoá, próximo onde hoje se encontra o Palácio do Planalto. Em 1º de janeiro de 1974, transformou-se em 32º Grupo de Artilharia de Campanha, única unidade da Arma de Artilharia do Planalto Central. Em 1979, o 32º GAC foi o escolhido para abrigar as tradições do Corpo de Artilharia da Corte.  FONTE:   http://www.defesa.gov.br/noticias/19699-grupo-dom-pedro-i-comemora-56-aniversario

(https://c2.staticflickr.com/2/1638/25825755194_22234db6dc_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1603/26338282862_859ba37341_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1522/26157758840_d36fd6f7a6_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1539/25825745704_3c81f2f7c2_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1550/26430908285_9dc77eb9c5_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1629/26338567532_7a6f95ef34_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1664/26430907705_792ed3706b_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1632/26364406671_06824dd070_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1626/25825757384_f859991967_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1532/26430594385_d198b72dbb_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1518/26157773060_51a056847f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1599/26430615515_531b0dab5d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1699/26338275422_d3088901c3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1537/25827808733_58345db151_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1501/26338277732_3e99f52097_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1675/26404686776_6093a36817_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 18, 2016, 11:29:53 pm
3ª Companhia de Forças Especiais – Homenagem ao General Thaumaturgo

A 3ª Companhia de Forças Especiais, Unidade de elite do Exército Brasileiro na Amazônia, realizou uma cerimônia de batismo e inaugurou um espaço cultural e um busto em uma homenagem ao General de Brigada Thaumaturgo Sotero Vaz, no dia 15 de abri.

O evento contou com a participação do Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas; do Comandante Militar da Amazônia, General de Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira; do Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio; e dos comandantes, chefes e diretores das Unidades do Exército em Manaus. Os convidados de honra, na ocasião, foram os familiares do General Thaumaturgo, falecido em 2015.
 

A 3ª Companhia de Forças Especiais, a partir dessa data, passou a se chamar Companhia General Thaumaturgo. "Nada mais justo do que essa homenagem a um militar que foi um exemplo de vida para todos nós da Força Terrestre", comentou o General Villas Bôas.

"Vi a emoções dos familiares do General Thaumaturgo e disse para a viúva que a dor da perda é muito grande, mas, se ele fosse um homem que tivesse passado em branco por essa vida, não estaria recebendo essas homenagens hoje", disse o Prefeito de Manaus.

Além do batismo da Companhia de Forças Especiais, que recebeu o nome de “General Thaumaturgo”, e do busto do General, a Companhia também inaugurou um espaço cultural com as fardas e equipamentos utilizados pelo General Thaumaturgo durante sua vida no Exército, principalmente quando comandou o Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) e o 1° Batalhão de Infantaria de Selva (1° BIS).

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7516199&t=1461004962498)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7516200&t=1461004962556)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7516201&t=1461004962620)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7516202&t=1461004962676)

FONTE: EB
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 22, 2016, 01:48:03 am
Dia do Exército é comemorado em Brasília

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+formatura.jpg/824526f8-5aa9-4a2d-b0b7-c32e3dc6ed98?t=1461087381000)

No dia 19 de abril, uma formatura militar comemorou o Dia do Exército na Capital federal. Autoridades civis e militares, como o Ministro do Estado da Defesa, Aldo Rebelo, e o Chefe do Estado-Maior Geral da Argentina, General de Divisão Diego Luis Suñer, estiveram presentes na comemoração dos 368 anos da Instituição.
 
Durante a solenidade, o Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas,  fez a leitura da Ordem do Dia, destacando a Batalha dos Guararapes: “a epopeia dos Guararapes, que hoje celebramos, amalgamou negros, brancos e índios, grupos étnicos matrizes de nosso povo, em torno do nascente sentimento de nacionalidade que os lançou, de armas em punho, a defender aquela terra que já identificavam e amavam como a sua Pátria.”

FONTE: EB
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 22, 2016, 01:57:23 am
(https://c2.staticflickr.com/2/1535/26474902721_d2ef7fb4e2_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1460/26474904771_efce9915e4_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1547/25936000984_39627f7be3_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1478/25938059803_c0befbb978_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1575/25938066463_78aaa44d4c_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1688/26474907871_3ee76dfa1f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/2/1484/25935998624_ab3db8273f_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 24, 2016, 02:59:28 am
Batalhão da Guarda Presidencial – Tiro de Combate Urbano

O Batalhão da Guarda Presidencial conduziu, no dia 5 de abril, a instrução de Tiro de Combate Urbano para os alunos do Curso de Formação de Sargentos Temporários (CFST/2016), no estande de Tiro General Darcy Lázaro. Essa sessão tem como objetivo principal nivelar conhecimentos e aprimorar técnicas, táticas e procedimentos a serem empregados por pequenas frações em operações militares em ambiente urbano, em um quadro de defesa externa.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7508929&t=1461181060364)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7508930&t=1461181060365)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7508931&t=1461181060369)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7508932&t=1461181060371)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 24, 2016, 03:11:35 am
Centro de Instrução de Blindados  - Campo de Instrução de Santa Maria (CISM-RS)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2011/10/3914_resize_620_380_true_false_null.jpg)

O Centro de Instrução de Blindados (CI Bld) General Walter Pires, localizado atualmente na cidade de Santa Maria, no coração do Rio Grande do Sul,  é uma das mais recentes organizações militares do Exército Brasileiro.

Foi criado em 11 de outubro de 1996, vindo a ser ativado no dia 01 de janeiro de 1997 para ser um dos vetores de modernização (Núcleo de Modernidade) previstos no Sistema de Planejamento do Exército de maneira a servir de base, de mola propulsora e fator de profissionalização do Núcleo de Blindados.

Em consonância à reestruturação das tropas blindadas que tiveram uma maior concentração na região sul do Brasil, o CI Bld teve sua sede alterada no ano de 2003, da cidade do Rio de Janeiro - RJ, para a cidade de Santa Maria-RS, sendo a transferênciafísica concluída em 2004. Suas instalações, a exemplo da antiga sede, localizam-se próximo ao Campo de Instrução de Santa Maria (CISM-RS), vindo a solucionar a questão de proximidade a centros urbanos como ocorria no Rio de Janeiro.
 
Além dessa vantagem, o campo de instrução oferece excelentes condições para o desenvolvimento das instruções, que por essência são eminentemente práticas, tornando-o mais próximo possível da realidade.

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/391750_480554655317952_529231398_n.jpg?oh=94c79c0a5120b74ee74f9ef1d391db99&oe=57732376&__gda__=1467199911_1e59c05f1dfafbbb6c3bc2cbc81b21eb)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/306602_480554688651282_301443168_n.jpg?oh=7cc9a664b2fa80532448f76dfe76a94f&oe=57BCD636&__gda__=1470743015_c5010444add9d3dfeef9b085e3415243)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/247342_480554808651270_616690712_n.jpg?oh=d445a0dc4b8aef01ebe555bae63b700b&oe=577409AF&__gda__=1471231623_8852dc9303262ca7c8a5835b62b5b8c7)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtl1/v/t1.0-9/542233_480554841984600_1850315817_n.jpg?oh=96db1a78be47bf2481cb5eae6f23b115&oe=57C02958)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/429194_480554871984597_1386004569_n.jpg?oh=2f653e5b939518163c9fa21f9ceab85a&oe=5777DECC&__gda__=1471839773_03dfc48685dd04172c7ee54e9e4ee3ec)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/149653_480554888651262_754122108_n.jpg?oh=7ed9b71cdf652e071a041bd7d1068e35&oe=5772AF39)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/385599_480554915317926_1012823578_n.jpg?oh=d46783d6da974457954ce7ac80973fb5&oe=57B8F2EF&__gda__=1471919974_63f9f73e487f20e58888bbf02a485f5d)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/74805_480554945317923_119022954_n.jpg?oh=f0f30b0ef5bafc7d6a38f373e8c85b8c&oe=57BD65AE)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/246397_480554968651254_2121560311_n.jpg?oh=fa264e9d7a49a4dac3f458a794ab213e&oe=57AF05A3&__gda__=1471360464_8c6e5fbe2ec0b90e39195c3f26775b3e)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/383393_480555008651250_1229319118_n.jpg?oh=6ad68246beb98b658b4b8efccb143ebb&oe=57AF077F&__gda__=1467199662_eb43aac5eb3b77c17bf9d3670fe32f03)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/199486_480555021984582_1669981926_n.jpg?oh=be65882ca4b8fc85d37b1abe2d0ba000&oe=57734BC9&__gda__=1472147752_e387f3d6298ade6853da24b95449d3bf)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/420540_480555038651247_1437031822_n.jpg?oh=6d11ac68fc16baed9cc53e9c47157b3f&oe=57A6BFB3&__gda__=1467385338_2a4df6f711a1c0682cff52569b6b8736)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/527469_480555055317912_1605009948_n.jpg?oh=591c08ab650b21f080ae485f90d1f6ae&oe=57748FFC&__gda__=1471589677_eba8ef2212f57a652788d97b3ddfdd92)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/399646_480555071984577_318071281_n.jpg?oh=db58c2edb4e801fba4076161952023ed&oe=57BF6954)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/v/t1.0-9/536230_480555101984574_1174367506_n.jpg?oh=aa1f60311dc670ee02311d4fe79e4646&oe=57B3A010&__gda__=1470403910_f91792a74ced8bef41255bfbb56dd067)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/208090_480555128651238_2040411747_n.jpg?oh=4d34f26de5a8eed27768f230e2df43eb&oe=57A47A6E&__gda__=1470219919_333057f57f59c11901a35a81c51767bb)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/v/t1.0-9/603184_480555205317897_49199345_n.jpg?oh=305e84825eddbac82be56887062d252b&oe=5773D43A)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/v/t1.0-9/483463_510167342356683_112920819_n.jpg?oh=0f1fa7bb2fa2bff5dae99ff7c4f12502&oe=57B5EA3F)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/164900_614484021925014_1926014971_n.jpg?oh=7efd8aa23deb3910ecda89d6cc387250&oe=57A373E8)

Fotos: Defesanet
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 24, 2016, 03:25:29 am
(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xta1/v/t1.0-9/10710652_861182310588516_2119505650423255449_n.jpg?oh=7523ea0829cad5516152f909293fe6f8&oe=57A0B7F2&__gda__=1471448187_837d061778faefa41eb22c2e3902ac82)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-ash2/v/t1.0-9/10704028_861182257255188_1402291323409955593_n.jpg?oh=c5ca6548bfce43e83c95a5919137d604&oe=57AE1684)

Iveco LMV (4x4) e VBTP-MR Guarani (6x6). A nova cara do transporte blindado sobre rodas do E.B. 
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Johnnie em Abril 25, 2016, 02:23:38 pm
Boas Vitor qual a lógica de manter a camo europeia nos Leo? Não é demasiado escura para o vosso teatro de operações?
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 25, 2016, 03:51:32 pm
Boas Vitor qual a lógica de manter a camo europeia nos Leo? Não é demasiado escura para o vosso teatro de operações?

Então Johnnie, o camuflado dos Leo 1A5 brasileiros é o padrão alemão, e não se sabe ao certo o porque foi mantido, já que eles  receberam pintura nova após recuperação/revisão na Alemanha, antes do embarque rumo ao Brasil. O mesmo ocorre com os Gepard 1A2:

(https://cdn1.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2013/06/Gepard5.jpg)

Lembro que na época foi oferecido por parte dos alemães o camo no padrão do EB, em duas cores, mas...

Em relação ao tom escuro do camuflado alemão, até que se adapta bem ao TO brasileiro que é concentrado ao Sul, ou seja, em áreas de vegetação tipo Pampa (pradarias) que é comum ao Sul do Brasil, Uruguai e norte da Argentina.

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2012/05/7318.jpg)

Neste tipo de vegetação (imensos campos abertos e com poucos obstáculos naturais e de relevo plano) não há muitas matas fechadas como na região amazônica que é, praticamente, inviável o uso massivo de carros de combate.

 
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 26, 2016, 11:07:21 am
Boas Vitor qual a lógica de manter a camo europeia nos Leo? Não é demasiado escura para o vosso teatro de operações?

O sul do Brasil é muito diferente do que tu possas imaginar.
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 27, 2016, 06:34:55 pm
Centro de Instrução de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Imagem-1-CIECnst.jpg)

O Centro de Instrução de Engenharia de Construção (CIECnst) atualmente é o único estabelecimento de ensino da Força Terrestre que tem, como missão precípua, a formação e aperfeiçoamento técnico-profissional dos quadros oriundos da Engenharia de Construção do Exército Brasileiro.

Desde a sua criação, que se deu por meio da Portaria nº 108-Cmt Ex, de 1º de março de 2005, o CIECnst é responsável pela capacitação de integrantes das organizações militares de Engenharia, sobretudo daquelas ligadas ao Sistema de Obras de Cooperação, no tocante às técnicas peculiares das atividades da Engenharia de Construção. Além de atender às demandas internas, o CIECnst tem recebido, também, militares das outras Forças, de nações amigas e de outros órgãos públicos ao longo de seus pouco mais de dez anos de existência.

O CIECnst está sediado na cidade de Araguari (MG), na região do Triângulo Mineiro, e funciona dentro das instalações do 2º Batalhão Ferroviário (antigo 11º Batalhão de Engenharia de Construção), subordinado administrativa e operacionalmente. Além disso, o CIECnst encontra-se subordinado também ao Departamento de Engenharia de Construção, que é o órgão gestor do Curso de Equipamento de Engenharia para oficiais e sargentos; ao Comando Militar do Planalto, gestor dos estágios gerais; à Diretoria de Obras de Cooperação, que atua como órgão de coordenação dos estágios setoriais; e, finalmente, à Diretoria de Educação Técnica Militar, de quem recebe orientação técnico-pedagógica.

Reconhecido nacional e internacionalmente, o CIECnst hoje é um centro de excelência no que diz respeito à formação e ao preparo dos recursos humanos que atuam nas diversas frentes de trabalho da Engenharia de Construção do Exército Brasileiro, nos mais longínquos rincões do País.

Ivan Plavetz

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/centro-de-instrucao-de-engenharia-de-construcao-do-exercito-brasileiro/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 27, 2016, 06:51:41 pm
Engenharia de Construção do Exército Brasileiro

(https://c2.staticflickr.com/4/3846/14863373168_79cbcbb2d1_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/474/19531831781_cb980262f0_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/510/19339698458_82f144a49d_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/430/18905098474_21702611bf_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3741/19531824181_6da59e467d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3834/19339652498_a28e786746_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/4/3834/19339679508_6772713c68_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/534/19527651685_7bebfba803_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8636/16036888343_88972faa20_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8616/16449496967_1b41b15a4e_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8589/16655765062_2bf9a7e972_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8626/16630851416_dda22e63d7_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8583/16036887473_0e51dcd800_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8617/16630851106_3e999794fc_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8565/16656786285_90c736c2ff_b.jpg)
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 27, 2016, 07:08:28 pm
(https://c2.staticflickr.com/6/5556/15168558335_c9bd3a5428_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5580/14981904930_ab7fe59da7_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/7/6078/6125009049_f67a2ffdb9_b.jpg)

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 28, 2016, 01:38:13 am
Exército Brasileiro e Exército Venezuelano no Monte Roraima

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30601_resize_800_600_false_true_null.jpg)

A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl) comemorou o Dia do Exército no topo do Monte Roraima.

No dia 15 de abril, uma equipe da 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl), "BRIGADA LOBO D´ALMADA", e do 6º Batalhão de Engenharia de Construção (6º BEC), composta por 10 militares, iniciaram, juntamente com militares da Fuerza Armada Nacional Bolivariana (FANB), uma patrulha binacional rumo ao topo do Monte Roraima.
 
A finalidade da referida expedição era hastear a bandeira do Brasil no topo do Monte Roraima, no dia 19 de abril, Dia do Exército Brasileiro.

Antes da partida, as equipes de ambos países participaram de uma formatura no marco BV-8 (Brasil-Venezuela), onde foram hasteadas as bandeiras dos países participantes e posteriormente dirigiram-se ao Esquadrão de Cavalaria Motorizado, localizado na cidade venezuelana de Santa Elena de Uairen, a fim de participarem de um "briefing".

A equipe da 1ª Bda Inf Sl foi recepcionada no “Escuadrón de Caballería Motorizado  “Cnel. Hermenegildo Mujica Ramos”, localizado na cidade de Santa Elena de Uairén, Estado Bolívar. A unidade integra a 51 Brigada de Infantería de Selva GUASIPATI.

A expedição
 
Ao grupo de militares da 1ª Bda Inf Sl e 6º BEC incorporam  membros da  51 Brigada de Infantería de Selva, da FANB. O lenço preto representa as tropas de selva da Venezuela.
 
Após 4 dias de marcha os dois grupos chegaram ao topo do Monte Roraima. Devido a força dos ventos foi impossível hastear a bandeira brasileira.

Os grupos retornaram à cidade de Santa Elena de Uairén, Estado Bolívar, por helicóptero da FANB.

No dia 20 de abril, uma comitiva da 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda inf Sl), esteve na cidade de Santa Elena de Uairén, para recepcionar a equipe que explorou e escalou o Monte Roraima com a finalidade de hastear a bandeira do Brasil no Dia do Exército.
 
Na oportunidade, estiveram presentes o General-de-Brigada Algacir Antonio Polsin, Comandante da 1ªBda Inf Sl; militares das organizações militares de Boa Vista e familiares dos militares que realizaram a expedição. O evento foi marcado com condecorações e entrega de lembranças de ambos países.

O Monte Roraima
 
O monte Roraima é um tepui, um tipo de platô cercado por falésias, típico do planalto das Guianas. Divide-se entre três países: Brasil a leste (5% de sua área), Guiana ao norte (10%) e Venezuela ao sul e oeste (85%). Com 2.783 metros o Monte Roraima é o 8º pico em altura do Brasil.


(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30608_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30599_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30600_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30603_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30605_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30607_resize_800_600_false_true_null.jpg)

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2016/04/30604_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Fonte:  http://www.defesanet.com.br/toa/noticia/22236/BR-VE---Exercito-Brasileiro-e-FANB-no-Monte-Roraima/
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 28, 2016, 01:35:07 pm
Comando Militar do Planalto

(http://www.eb.mil.br/documents/16541/7350672/destaque+CMP+anivers%C3%A1rio.jpg/51e854e7-48d1-45cb-be89-a1aea8ec6a72?t=1461788703000)

Brasília -  No dia 27 de abril, foi realizada uma solenidade em comemoração aos 56 anos do Comando Militar do Planalto (CMP) e da 11ª Região Militar (11ª RM). Com foco na segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, a cerimônia contou com a participação de militares e uma demonstração de equipamentos que serão empregados na segurança dos grandes eventos deste ano, como a passagem da Tocha Olímpica pela Capital Federal.

Militares da Força Planalto (FORPLAN) participaram da formatura, portando os armamentos e equipamentos para a segurança dos eventos olímpicos. A FORPLAN é composta por tropas subordinadas e vinculadas ao CMP, como o Batalhão da Guarda Presidencial, o Batalhão de Polícia do Exército de Brasília e o Regimento de Cavalaria de Guardas. Após a formatura, a Companhia de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear e um destacamento de Operações Especiais Contraterror, Unidades militares que terão importante participação na segurança da passagem da Tocha Olímpica, fizeram uma exposição de equipamentos e materiais a serem empregados na segurança.

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7527578&t=1461789843018)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7527579&t=1461789843069)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7527580&t=1461789843114)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7527581&t=1461789843170)

(http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=7527582&t=1461789843215)

FONTE: EB
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 28, 2016, 03:16:20 pm
(https://c1.staticflickr.com/1/728/22701934031_a4478dec09_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/771/22502852200_ca85bca97d_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5686/22069643423_58571a0b9c_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/762/22690817595_426e547a29_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/759/22677576052_00dd12a917_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/643/22677614842_3f152f7b89_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/580/22691186615_364785e611_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/638/22677656662_ecdbd1a007_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5672/22069803113_d7859c6f5f_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/1/774/22503021470_bb3e9415c7_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5693/22677551792_a98fa87347_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5686/22664833766_6847fe130a_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/6/5766/22502974100_06959aa451_b.jpg)

Créditos: Roberto Caiafa

Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Abril 28, 2016, 08:51:59 pm
Brigada de Infantaria Pára-quedista

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci2.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci3.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci4.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci5.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci7-2.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci8.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci9.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci10.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci11.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci12.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci14.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci15.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci16.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci17.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci18.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci19.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci22.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci23.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci24.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci26.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci27.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci30.jpg)

(http://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2012/11/saci31.jpg)

FONTE: Revista Operacional
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 03, 2016, 10:32:04 pm
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 04, 2016, 05:53:15 am
(https://c2.staticflickr.com/8/7400/15856621333_12a84dca08_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7396/16289100228_9b9b4b95d1_b.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlf1/v/t1.0-9/13103486_1703085813312530_16980991536153752_n.png?oh=49bb38f7b5aa92ad8d0871c728dcbd77&oe=57AC803C&__gda__=1470177910_87a2755d2805788896f235ae94c77224)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13133351_1703085833312528_2300431197885190295_n.jpg?oh=960609ce98a1c2707c6b99736a408a0e&oe=57B041BA)

(https://c1.staticflickr.com/9/8659/16290419167_687c2c09ae_b.jpg)

Créditos: Manoel Kipissy
Título: Re: Exército Brasileiro
Enviado por: Vitor Santos em Maio 04, 2016, 06:08:16 am
(https://c2.staticflickr.com/8/7423/15866148844_33ae6ae50f_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7355/15853974494_a98eaf2bd8_b.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlf1/v/t1.0-9/13178539_1703087459979032_5932945678256231015_n.jpg?oh=62b421bb5f2f4d84b802487784cddb5e&oe=57E1FA32&__gda__=1471452073_e75dc74b044795a051efb35fe8ed8be7)

(https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/13174016_1703087373312374_4429780740437269615_n.jpg?oh=f3be0239e0fce435e9c2c3db2bfbe2a9&oe=579D6D96)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlp1/v/t1.0-9/13139276_1703087366645708_8485682233583315196_n.png?oh=d0cf156b1e83e580a430f20e1fd1e258&oe=57A8BB42&__gda__=1469849687_28581b2355a4128bb8fae476bc038bf1)

(https://c1.staticflickr.com/9/8624/16289098470_549d9f0533_b.jpg)

(https://c1.staticflickr.com/9/8667/15853664134_b276d4a139_b.jpg)

(https://c2.staticflickr.com/8/7302/16290656139_1754a1f6ab_b.jpg)

Créditos: Manoel K