ForumDefesa.com

Indústrias de Defesa e Tecnologia Militar => Tecnologia Militar => Tópico iniciado por: Mazagão em Junho 17, 2006, 01:41:49 pm

Título: Soldado do Futuro
Enviado por: Mazagão em Junho 17, 2006, 01:41:49 pm
Boa Tarde a todos,

Algo de interessante que vi na Janes:

Future soldier on trial
Darren Lake

 
According to officials, Finmeccanica company Selex Communications (Stand H32) is poised to move forward with the Italian Army’s Soldato Futuro, with a squad-level trial of the system scheduled for the end of July. The company is hopeful that a successful trial will lead to a rapid progression of the project.

As with the majority of soldier modernisation programmes, the main aim of Soldato Futuro is integration of the individual soldier into the network-centric battlefield and Selex is working closely with the Italian armed forces. A number of systems are being proposed for the Italian programme.

A major component of the project is Selex Communications’ Personal Role Radio (PRR). The radio is a further developed version of the PRR that was delivered to the British Army by Selex’s previous incarnation, Marconi-Selenia Communications. Section commanders will receive a personal data assistant and Soldato Futuro is also set to include biometric sensors measuring heart rate and stress levels.

Finmeccancia’s ambition is to market the Italian solution to other NATO members, in particular those smaller nations without the resources to pursue their own soldier modernisation project. Among the countries being targeted by the Italian company are Bulgaria and Slovenia.

Jane's Eurosatory News Briefs Day Two - 13 June 2006

(http://img118.imageshack.us/img118/4681/a1184ma.jpg) (http://http)

Acho o último parágrafo interessante, Portugal tem algo semelhante ou como sempre espera para ser o último? Neste caso seríamos possivelmente ultrapassados pela Bulgária e Eslovénia  :evil:

Agora toca a ver Portugal jogar.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Leonidas em Junho 18, 2006, 02:38:40 am
Saudações guerreiras

Lembro-me de ver na TV uma apresentação do soldado do futuro há volta de 2010. Na altura era ainda Paulo Portas ministro da defesa. Aparecia a imagem de um sargento vestido a rigor, mas nem metade daquilo que a imagem acima sugere de sofisticação.
Lembro-me de falarem em valores, mas não me lembro de quanto. Há, pelo menos, uma quinzena de países a desenvolverem o soldier of the future.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 19, 2006, 01:02:09 am
Boa noite,

Não me sabe indicar onde possa encontrar mais informção? Será que o projecto ainda existe?

Obrigado e cumprimentos
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 19, 2006, 01:57:47 pm
Eu estive numa recriação histórica no Convento de Mafra onde o Exército pôs uma pequena exposição sobre o Soldado do Futuro. Parece que eles têm mesmo alguns militares destinados ao desenvolvimento desse projecto. Uma nota curiosa é a utilização de um dispositivo indêntico ao usado nas vias verdes para distinguir os amigos dos inimigos.
Título:
Enviado por: NotePad em Junho 19, 2006, 02:48:28 pm
...
Título: Soldado do Futuro.
Enviado por: tsahal em Junho 19, 2006, 05:02:37 pm
Tens algumas fotografias da exposição relativa ao Soldado do Futuro, que possas colocar no Forum?

Obg.
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 19, 2006, 06:48:20 pm
Sim essa também era a minha pergunta, algumas fotos?

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 19, 2006, 06:57:44 pm
O projecto - que não sei em que ponto está - estava a ser desenvolvido na Escola Prática de Infantaria. No site do Exército - http://www.exercito.pt/portal/exercito/ ... sp?stage=2 (http://www.exercito.pt/portal/exercito/_specific/public/allbrowsers/asp/projuactivity.asp?stage=2)
(o link não está a dar, vão à pág. do exército, epi, actividades e está lá)

Quando foi apresentado em 2002 foi alvo de fortes críticas - http://www.correiodamanha.pt/noticia.as ... &idCanal=9 (http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=6008&idCanal=9)
Título:
Enviado por: ricardonunes em Junho 19, 2006, 07:49:04 pm
Pelo menos parece que o projecto ainda não "morreu", vamos ter um representante no "Soldier Technology 2006".
http://www.wbresearch.com/soldiertechno ... genda.html (http://www.wbresearch.com/soldiertechnologyeurope/agenda.html)
Título:
Enviado por: Leonidas em Junho 20, 2006, 12:06:13 am
Saudações guerreiras

Também andei á procura de algo, mas nada. Não tenho nada nem referências a dar sobre esta matéria. Não consigo ver nada de jeito no site do Exército. Nem uma foto, nem um comentário. Nada mesmo. Só o nome ou designação. Se algum de você conseguir ponham aqui a informação.  

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 20, 2006, 12:08:46 am
Sim de facto não morreu, segundo o pequeno resumo:
Citar
The programme currently receives up to e100,000 per annum in funding and employs a team of 10 from the MoD and 50 more from industry and academic institutions. Future funding is currently being confirmed for the period 2008-2010.


Estive também a ler o artigo do Correio da Manhã, imagino que o projecto evoluio desde 2002, e que na altura foi uma apresentação um pouco apressada!

Obrigado pelos "links",
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Leonidas em Junho 20, 2006, 12:25:32 am
Também não consigo ver nada no CM.  :oops: Se for possivel a uma de vós meter o texto para lê-lo agradecia. Mto obr.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 20, 2006, 07:58:04 am
Citar
 
SOLDADO DO FUTURO COM ARMAS VELHAS 2002-08-14 - 23:19:00

O soldado do futuro do Exército português mostrou-se ontem em Mafra. Usava uma pistola Walther P38, da Segunda Guerra Mundial, a espingarda era a G-3 da Guerra do Ultramar, as comunicações não eram por rádio mas sim por telemóvel e tinha a via verde da Brisa como sistema de identificação amigo-inimigo.

   
   
Como toque final, envergava o camuflado mas por cima trazia um colete azul claro, a mochila era de modelo escolar, a duas cores, e dispunha de uns óculos de moto presos por elástico. Estava apresentado o “Soldado do Futuro”.



De facto esperava-se mais para o Dia da Infantaria, organizado pela Escola Prática de Infantaria, tanto mais que fora prometida a divulgação do “Soldado do Futuro”. Mas, afinal, nem chega a ser um projecto e a crer pelo que foi mostrado não passará de um sonho.



O combatente do futuro está a ser estudado por norte-americanos, ingleses e franceses e até agora não se chegou a qualquer conclusão. Sabe-se o que é necessário, quais os equipamentos, quais as armas necessárias, mas os custos são de tal forma exorbitantes que não tem havido avanços concretos.



O próprio peso dos vários equipamentos é ainda um handicap, em particular quando se fala da arma, uma vez que o “Soldado do Futuro” terá que dispor ele próprio de uma arma individual que possa também disparar granadas antipessoal e anticarro. E uma arma com essas características é tudo menos leve, além de que o calibre ainda nem está definido.



SEM COMPROMISSOS



Mas a verdade é que o modelo do “Soldado do Futuro” apresentado ontem pelo Exército resulta, segundo documento do Estado-Maior, apenas de “alguns contactos exploratórios” estabelecidos “sem qualquer compromisso”, com algumas empresas, entre as quais a Brisa - a propósito da via verde.



Nada ainda é concreto, nem sequer a inclusão de verbas na Lei de Programação Militar (LPM), até porque, antes de se partir para o “Soldado do Futuro”, teriam talvez que ser preenchidas as lacunas do presente e que ontem foram bem visíveis durante o desfile que percorreu o centro de Mafra.



E a começar pelas armas anticarro, com o obsoleto canhão sem recuo de 106 mm ainda a ser operado pela Escola Prática de Infantaria (EPI). O canhão há muito que não é anticarro, dada a evolução das blindagens, e o próprio disparo provoca uma tal intensidade de luz e fumo que de imediato denuncia a posição ao adversário.



AS ÁREAS URBANAS



O disparo do canhão obriga, igualmente, a elevadas regras de segurança, uma vez que produz um letal jacto de fogo para a retaguarda. É um risco particularmente grande em zonas urbanas, mas a verdade é que a infantaria portuguesa ainda não dispõe de qualquer tipo de lançador de foguetes para usar em áreas edificadas, que permita ao soldado disparar, por exemplo, um roquete de dentro de um edifício sem correr o risco de ficar carbonizado. E esta é uma realidade actual, não futura, tanto assim que a demonstração de capacidades foi feita na “Aldeia do Camões”, uma zona edificada a simular uma povoação.



De facto, o treino para combate em áreas urbanas é das maiores necessidades sentidas pelos militares desde o conflito da Tchetchénia, mas a verdade é que a “Aldeia de Camões” apenas permite o treino no máximo de uma companhia e o seu reduzido espaço limita o treino à infantaria. Quanto a armas combinadas - infantaria e blindados - não há um único espaço em Portugal onde esse treino possa ser efectivado em condições e a verdade é que o combate em zonas urbanas impõe uma perfeita colaboração entre o infante e os blindados. Uma falha nesta capacidade fez os russos perderem milhares de homens durante o primeiro cerco a Grozni, a capital da Tchetchénia.



Não será por acaso que todos os batalhões e agrupamentos portugueses que partem para as missões no exterior têm que passar pela instrução de combate em áreas edificadas, mas a falta de um espaço próprio para a instrução limita em muito essa capacidade. E, no entanto, o comandante da EPI enumerou ontem as dificuldades e variedades de missões que esperam a infantaria portuguesa. (ver caixa "as missões").



AS MISSÕES



GUERRA CLÁSSICA



“Parece cada vez mais improvável, mas não podemos esquecer que a Guerra do Golfo não aconteceu assim há tantos anos e não estamos livres que surja uma nova crise. A crise do Kosovo provou que não basta o emprego da Força Aérea e que é necessário enviar forças terrestres, particularmente infantaria”.



REPRESÁLIAS



“Teremos que ter capacidade para participar em operações de guerra limitada, que mais não são do que conflitos armados em que os objectivos são limitados e que se poderão traduzir na capacidade de exercer represálias, pôr fim a uma crise, extrair nacionais ou impedir o alargamento desse mesmo conflito”.



CIBERGUERRA



“A luta através da fibra óptica não será a única a acontecer no futuro, mas poderá vir a ter uma importância até agora desconhecida. Este tipo de operações não substituirá, seguramente, as formas clássicas de fazer a guerra mas ganhará, certamente, um papel crucial.



APOIO À PAZ



“Muitas destas operações não requerem o emprego da força mas exigem a presença dos meios militares para garantir a distribuição da ajuda humanitária e fazer respeitar o cessar--fogo ou segurança das tropas”.







ARMAMENTO



Não se pode falar de um “Soldado do Futuro” sem abranger a renovação do armamento, condição necessária à capacidade de operação de um militar. Portugal mantém a HK G-3 com o respectivo calibre de 7,62 mm, enquanto toda a NATO há muito adoptou o calibre de 5,56 mm. Aliás, a G-3 já nem sequer é fabricada, mesmo na Alemanha, que no ano passado começou a receber a nova HK G-36, no calibre 5,56 mm. A não renovação do calibre é particularmente crítica no caso de operações combinadas, tendo em conta o tipo de munição, o 5,56, adoptado por todos os países da NATO, obrigando Portugal a manter uma cadeia logística própria sem poder recorrer a aliados. De uma nova espingarda, no entanto, ainda nada se fala, nem mesmo da pistola, que no “Soldado do Futuro” continua a ser a Walther P38 da Segunda Guerra Mundial. No apoio de fogo as lacunas continuam a ser grandes. A metralhadora HK-21 continua a fazer parte da orgânica, uma vez que a sucessora, a MG-3, não existe em número suficiente. Tem sido comum na Aliança a adopção de metralhadoras de calibre 5,56 mm, para facilitar a logística e reduzir o peso do material a transportar, além da guarnição da arma ficar reduzida a um elemento, em vez de dois, mas a infantaria portuguesa mantém-se como nos anos 60. Os lança-roquetes individuais continuam a ser os M-72, provenientes das sobras norte-americanas, e actualmente incapazes de constituir ameaça a qualquer blindado melhor protegido.



TRANSMISSÕES



Não se pode falar do “Soldado do Futuro”, sem abordar, publicamente, o capítulo das transmissões. E aqui as lacunas são bem mais graves do que no capítulo do armamento. De facto, é possível criar equipamentos de comunicações individuais com recurso à indústria nacional e atribuí-los ao combatente, mas constitui um desperdício de recursos se essa renovação tecnológica não tiver seguimento nos escalões acima. E a verdade é que a esse nível Portugal está muito limitado. Nos estados-maiores, nem que seja de batalhão, a tradicional carta topográfica continua a ser o meio habitual de trabalho, quando o habitual em estruturas militares modernas é já o tratamento informático da informação cartográfica. Os sistemas de comando e controlo, comunicações, computadores e informações (o chamado C4i) constituem a base de todo o trabalho de gestão do campo de batalha, permitindo aceder a informação em tempo real que vão do abastecimento de combustível à informação estratégica, relativa, por exemplo, aos riscos de instabilidade numa determinada zona. É nesse ponto que estamos praticamente a zero e nem mesmo nas transmissões tácticas conseguimos avançar. O Exército ainda não dispõe sequer de um rádio que congregue num único elemente o VHF, o UHF e o HF, o que limita fortemente a operação, por exemplo, com aeronaves.

Carlos Varela


http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=6008&idCanal=9

Aqui fica,

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Luso em Junho 20, 2006, 12:30:48 pm
O silêncio cúmplice das chefias é absolutamente escandaloso e indesculpável!
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 20, 2006, 05:41:16 pm
Luso este é um dos muitos programas em desenvolvimento. Como sabem em Portugal ou se especula muito, ou então fica tudo no segredo dos deuses, não percebo a admiração ou/e escândalo com esta situação...já faz parte da tradição castrense.  :wink:
Título:
Enviado por: Yosy em Junho 20, 2006, 06:44:58 pm
Que excelente artigo Mazagão, muito bem fundamentado. Devia haver mais jornalistas deste calibre a tratar dos assuntos das FAs nos media.
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 20, 2006, 06:56:57 pm
Obrigado ao Lancero por ter posto o "link"  :D
Título:
Enviado por: Miguel em Junho 20, 2006, 07:44:54 pm
qual e vossa ideia falar, em soldados de futuro, quando ainda temos material quase exclusivamente dos anos 1960/1970 :?

no fundo que temos?

O Exército é um museu da US ARMY dos anos 60

A FAP uma companhia de transportes VIP, e serviço publico, com meia duzia de caças para inglés ver....

A ARMADA uma guarda costeira, com material usado e sem qualquer valor

FICA a GNR que agora pode fazer missões de Paz com os seus "NINJAS"
digo isto porque eu considero que a GNR deve ser uma força de defesa de Portugal...e não de exterior como no Iraque..

Enfim não sei para aonde vamos !
Título:
Enviado por: Luso em Junho 20, 2006, 08:40:03 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Luso este é um dos muitos programas em desenvolvimento. Como sabem em Portugal ou se especula muito, ou então fica tudo no segredo dos deuses, não percebo a admiração ou/e escândalo com esta situação...já faz parte da tradição castrense.  :roll:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 21, 2006, 09:56:12 am
Citação de: "Luso"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Luso este é um dos muitos programas em desenvolvimento. Como sabem em Portugal ou se especula muito, ou então fica tudo no segredo dos deuses, não percebo a admiração ou/e escândalo com esta situação...já faz parte da tradição castrense.  :roll:


 :oops:
Título:
Enviado por: MERLIN em Junho 23, 2006, 01:40:24 pm
Os francese ja receberam 350 equipamentos FELIN, e mais 5500 estão previstos para 2007.
cumptos
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 23, 2006, 02:22:57 pm
Já agora ficam aqui algumas informações sobre o equipamente Francês, em Francês.

FELIN (http://http)

FELIN PDF (http://http)

Cumprimentos
Título: "Soldado do Futuro"?
Enviado por: Azraael em Julho 27, 2006, 01:59:37 am
Estava eu a ler uma noticia online...http://www.theengineer.co.uk/Articles/295361/Techno%20warriors%20.htm

Quando me deparo com:

Citar
Several countries are pursuing this vision of a networked infantryman dripping with technology, and, while the US Army's Integrated Future Force Warrior project leads the way in R&D investment and ambition, other nations are making significant headway with their own initiatives. Alongside Slovenia's 21st Century Warrior, Australia's Land 125, Portugal's Soldado do Futuro, Felin in France and the Swedish Markus programme, almost every militarised nation is investigating the concept of the 'future soldier'.


Alguem tem mais informacoes a respeito deste programa?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 27, 2006, 04:15:41 am
Já se tinha falado anteriormente deste programa aqui no forum. É um projecto que está a ser levado a cabo na EPI e que na minha opinião segue muito o que os EUA estão a fazer, com algumas modificações.
Título:
Enviado por: Spectral em Julho 27, 2006, 12:47:51 pm
Há muito pouco tempo aliás :

http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=3987&highlight=soldado+futuro+mafra


OT : hellsing, azrael ;) ?
Título:
Enviado por: Azraael em Julho 27, 2006, 04:13:22 pm
Citação de: "Spectral"
Há muito pouco tempo aliás :

http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=3987&highlight=soldado+futuro+mafra
Thanks!


Citação de: "Spectral"
OT : hellsing, azrael :D
Título:
Enviado por: Spectral em Julho 29, 2006, 01:47:11 pm
Esse avatar é da série não é ? A manga é 1000x melhor  :mrgreen:
Título:
Enviado por: Lancero em Setembro 21, 2006, 05:43:12 pm
Projecto alemão

http://www.army-technology.com/projects/idz/ (http://www.army-technology.com/projects/idz/)

http://www.army-technology.com/contract ... ress9.html (http://www.army-technology.com/contractors/training%2Fstn/press9.html)

(http://img102.imageshack.us/img102/2944/1infantrymanli5.jpg)

E o do Reino Unido

http://www.army-technology.com/projects/fist/ (http://www.army-technology.com/projects/fist/)

(http://img168.imageshack.us/img168/2433/1fistqx4.jpg)


Local correcto :)
Título:
Enviado por: Mazagão em Setembro 21, 2006, 11:00:42 pm
Obrigado pelo "update", continuem sempre que haja novidades.
Título:
Enviado por: Menacho em Setembro 22, 2006, 01:15:52 pm
Combatiente del Futuro en Espanha

Citar
EADS CASA se adjudica el contrato para el diseño y desarrollo del próximo Combatiente del Futuro.

24,5 millones serán invertidos por el Ministerio de Defensa español.
Los soldados españoles dispondrán del equipo personal más avanzado que garantizará la máxima seguridad y eficacia de las futuras misiones.

Madrid, 18 de Septiembre de 2006

La División de Defensa y Seguridad (DS) de EADS CASA, ha sido seleccionada por el Ministerio de Defensa de España como empresa adjudicataria del concurso de la fase de diseño y desarrollo del programa Combatiente Futuro (COMFUT) para el diseño, desarrollo y suministro de un prototipo operativo de Sección del Ejército de Tierra - esta sección estará formada por 36 soldados, distribuidos en tres pelotones. EADS CASA, a través de su unidad Sistemas de Comunicación de Defensa, realizará esta fase del programa en tres años, a partir de 2006 hasta el 2009. En un futuro el Ministerio de Defensa podría llegar a adquirir alrededor de 7.000 unidades de este tipo.

El Ministerio de Defensa ha confiado a la empresa española la ejecución de este programa de I+D, con origen en la Oficina del Programa de la Academia de Infantería de Toledo del Ejercito de Tierra y financiado a través de la Subdirección de Tecnología y Centros (SubTeCen) de la Dirección General de Armamento y Material, con un presupuesto de 24,5 millones de Euros. EADS CASA desempeñará el papel de contratista principal y liderará un grupo de subcontratistas españoles entre los que se encuentran en esta primera fase las empresas Elint, Fedur, GMV, Iturri y Tecnobit.

Pablo de Bergia, máximo responsable de la División Defensa y Seguridad de EADS CASA en España al recibir la comunicación de la adjudicación ha declarado: “Es una gran satisfacción para la división de Defensa y Seguridad el haber sido seleccionados por el Ministerio de Defensa Español para dotar a nuestro Ejército con la tecnología más avanzada que garantice la máxima seguridad y eficacia de nuestros soldados.
Con este contrato el Ministerio de Defensa confirma nuevamente a EADS CASA como la empresa española líder en la integración global de sistemas complejos y multidisciplinares en el ámbito de la defensa y seguridad. Nuestro papel de empresa tractora posicionará al sector industrial español como líder en el ámbito del Combatiente Futuro Europeo”.

Stefan Zoller, miembro del Comité Ejecutivo de EADS y presidente de la División Defensa y Seguridad también ha manifestado “a través de la División de Defensa y Seguridad en España, EADS ha dado un importante paso adelante en la consolidación del desarrollo de nuestro negocio en España, uno de nuestros mercados nacionales más importantes. EADS brindará al equipo español todo el apoyo necesario para el desarrollo de este importante programa. La selección de nuestra tecnología que también está siendo implementada por el Ejército alemán es una clara validación de este nuevo concepto de soldado y confirma la superioridad del sistema”.

El sistema de mando y control constituye uno de los equipos principales del COMFUT, cada miembro del pelotón lo llevará instalado en su uniforme. Un ordenador portatil le proporcionará toda la información de la que necesita, incluyendo mapas, conocimiento del entorno, posición del líder y de los demás miembros del pelotón y objetivos. El soldado podrá enviar y recibir en tiempo real cualquier información. Otro elemento esencial será la conexión entre el casco y el fusil. Una cámara integrada en el arma enviará al visor del casco una información precisa de la situación de su entorno. Un visor especial se utilizará para el combate nocturno.

El COMFUT llevará también un nuevo chaleco antibalas equipado con los necesarios elementos tecnológicos, como las radios, baterías o el telémetro, así como los módulos de supervivencia. Además, la mochila integrada en el chaleco garantizará una mayor movilidad del soldado.

El uniforme del COMFUT también será especial ya que permitirá una reducción de la firma infrarroja y proporcionará superioridad al combatiente en condiciones de poca visibilidad. Este traje garantizará un elevado grado de confort y estabilidad térmica.

La unidad de Sistema de Comunicación de Defensa es el “Centro de desarrollo de sistemas” de EADS y está integrada en la División de Defensa y Seguiridad.

Con unos ingresos de cerca del 5.600 millones de Euros en 2005 y aproximadamente 23.000 empleados en nueve países, DS forma el núcleo de la defensa y seguridad dentro de EADS. Como Integrador de Grandes Sistemas, ofrece soluciones de sistemas integrados para las nuevas misiones a desarrollar tanto por las fuerzas armadas como por las fuerzas de seguridad. Sus actividades se extienden a las áreas de sistemas aeronáuticos integrados de combate y de misión, tanto tripulados como no-tripulados, incluidos los relativos servicios de entrenamiento, así como a los sistemas de misiles, sistemas de gestión de combate en todos los campos, soluciones de seguridad global, redes de comunicación seguras, defensa electrónica, sensores y aviónica y todos los servicios relacionados.

EADS es un líder global en el sector aerospacial, de defensa y servicios relacionados. En 2005 EADS ha generado unos ingresos por valor de 34.200 millones de Euros con una plantilla de más de 113.000 empleados.


Título:
Enviado por: garrulo em Setembro 26, 2006, 10:18:29 am
Cada equipo costará entre 16.000 y 20.000 euros, y el Ejército español podría realizar un pedido de entre 7.000 y 9.000 unidadesEl Ministerio de Defensa ha seleccionado a la División de Defensa y Seguridad de EADS CASA como adjudicataria del diseño y desarrollo del programa para equipar al combatiente del futuro. El ministerio podría adquirir entre 7.000 y 9.000 ejemplares del mismo a un precio de entre 16.000 y 20.000 euros por unidad. La demanda europea de estas dotaciones se calcula en unos 2.000 millones de euros entre los años 2010 a 2015.

Primeros prototipos del combatiente del futuro de EADS CASA
El negocio del combatiente del futuro se acerca a los 2.000 millones de euros en Europa
Ordenador portátil, sistema de mando y control, GPS, conexión entre el casco y el arma (fusil de asalto HK36), cámara integrada en la misma, visor para combate nocturno, chaleco antibalas con baterías, radio, telémetro, módulos de supervivencia, sensores que controlaran su estado médico, temperatura, ritmo cardiaco, nivel de oxígeno en la sangre..., uniforme elaborado con tejido camaleónico para mimetizarse con el entorno y resistente a determinados niveles de agresiones químicas, biológicas o nucleares..., son algunos de los elementos con los que irá equipado el soldado español a partir de 2010.

No es de extrañar por tanto la diversidad de organismos, instituciones y empresas implicadas en el mismo. Tiene su origen en la Oficina del Programa de la Academia de Infantería de Toledo del Ejército de Tierra y se financia a través de la Subdirección de Tecnología y Centros (SubTeCen) de la Dirección General de Armamento y Material (DIGAM), y cuenta con un presupuesto inicial de 24,5 millones de euros para los próximos tres años.

EADS CASA, como contratista principal, dirigirá el proyecto de investigación y desarrollo del equipo con el que se dotará a los combatientes del futuro. En esta primera fase le acompañarán empresas como GMV, Tecnovit, Fedur, Iturri y Elint.

El coste definitivo de cada equipo no se ha fijado todavía, pero las previsiones que se manejan en los primeros estudios realizados oscilan entre 16.000 y 20.000 euros y el Ejército español podría realizar un pedido de entre 7.000 y 9.000 unidades.

Aunque no se alcanzan las cifras de Estados Unidos, cuyo Ejército dispone de un presupuesto de 32.000 euros por unidad, en el horizonte de 2010 a 2015 la demanda en Europa se acercará a los 90.000 equipos, por lo que la cifra de negocio se acercaría a los 2.000 millones de euros. Un bocado muy apetitoso por el que naturalmente también compiten otros países.

Para Stefan Zoller, presidente de la División de Defensa y Seguridad de EADS, el grupo aeronáutico europeo "ha dado un importante paso adelante en la consolidación del desarrollo de nuestro negocio en España, uno de los mercados nacionales más importantes. La selección de nuestra tecnología, que también está siendo implementada por el Ejército alemán, es una clara validación de este nuevo concepto de soldado y confirma la superioridad del sistema".

Por su parte, el máximo responsable en España de esta división, Pablo de Bergia, destaca que una de las razones por las que ha sido considerado el proyecto de EADS es "por la capacidad de agrupación industrial europea que tenemos". En cuanto a la competencia europea, con importantes industrias también de Francia y del Reino Unido en la parrilla de salida, comenta que "al final lo que tendremos que hacer es buscar una armonización del futuro combatiente europeo".

Concertados

No hay que olvidar que se trata de "sistemas de sistemas": comunicaciones, detección, armas..., programas que deberían basarse, según De Bergia, "en la interoperatividad y el trabajo conjunto".

De cualquier manera, el objetivo del proyecto de EADS CASA es "alcanzar el mayor grado posible de nacionalización. Lo ideal sería llegar al 100%, pero no tenemos todas las capacidades, por lo que tendremos que trabajar concertados". Según Pablo de Bergia, "usaremos al máximo el tejido industrial español, y no sólo en esta fase de desarrollo, también en la de producción".

Para Pablo de Bergia, este proyecto es una prueba más de que "España está subida al carro de la modernización y la transformación de sus Fuerzas Armadas" y de que el futuro está en los programas cada vez más interconectados con otros sistemas de defensa.

En el caso del combatiente del futuro español, el arma asignada es el fusil de asalto HK36, con patente alemana y fabricada en España por Santa Bárbara. Pero el mayor peso específico del proyecto tanto en el aspecto tecnológico como en el económico es lo que denominan C3 + I, -comunicación, control y mando (comand en inglés) junto a la información.

Todo parece indicar que la mayor parte de los enfrentamientos bélicos de los próximos años tendrán un componente urbano muy elevado, un factor que se tiene muy en cuenta por tanto en la definición de este equipo, sin perder al mismo tiempo unos niveles mínimos de versatilidad.

De Bergia es consciente de que, aunque se trata de un proyecto marcadamente europeo, "por razones de riesgo fundamentalmente", no hay por qué renunciar a otros mercados como el latinoamericano y aprovechar las sinergias españolas con aquel continente. "En el mundo en el que estamos cualquier programa, por muy nacional que sea su lanzamiento, siempre tiene un objetivo claro de exportación".

Además, es importante también la flexibilidad del mismo En ese sentido, durante los tres primeros años de la fase de desarrollo se irán introduciendo mejoras tecnológicas y en el peso del equipo (que es importantísimo), e incluso una vez alcanzadas las especificaciones finales y aunque se construye sobre ellas, como en cualquier sistema complejo, hay que dejar espacio para modificaciones posteriores, fruto de la innovación continua que exige este sector. "De eso vivimos las empresas de defensa", subraya Pablo de Bergia.

RAMÓN CASAMAYOR - 24-09-2006
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 26, 2006, 10:41:10 am
Já deu para perceber que no futuro o militar vai custar muito mais dinheiro a equipar que agora. Os valores apresentados no projecto Espanhol são colossais, no entanto é esse o futuro. Se Espanha só consegue adquirir 7000 a 9000 destas unidades, imaginem Portugal. Acho que se conseguirmos equipar as nossas unidades de elite já vamos ter muita sorte. No futuro vai haver uma arma que fará toda a diferença (ainda mais do que agora), essa arma chama-se dinheiro!
Título:
Enviado por: p_shadow em Setembro 27, 2006, 02:53:40 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
No futuro vai haver uma arma que fará toda a diferença (ainda mais do que agora), essa arma chama-se dinheiro!


Por isso é que eu digo que já vivemos no "futuro"... :roll:


Cumptos
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 27, 2006, 10:01:22 am
Sem dúvida p_shadow, mas no futuro esta questão será ainda mais premente! Equipar um soldado com um simples equipamento pessoal vai custar tanto como um carro novo!  :shock:
Título:
Enviado por: Get_It em Setembro 30, 2006, 05:09:41 pm
Álbum com fotos de soldados holandeses a testarem equipamento e armamento do estilo "Soldado do Futuro": http://www.dutchdefencepress.com/cat/smp/index.html.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Menacho em Outubro 20, 2006, 09:47:01 am
Caros amigos, en la revista espanhola Soldiers, viene este mes un interesante articulo sobre el soldado del futuro portugues, aqui les dejo la primera pagina, por si es de su interes intenten localizar la revista.

Cumprimentos.

(http://img209.imageshack.us/img209/1931/soldadodefuturois6.jpg) (http://http)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 20, 2006, 11:20:15 am
Sim senhor, o nosso soldado do futuro, QUASE que chega ao nível tecnológico do soldado americano do presente!  :evil:
Título:
Enviado por: Migas em Outubro 20, 2006, 02:14:12 pm
Soldado do futuro equipado com G3?  :lol:
Título:
Enviado por: Migas em Outubro 20, 2006, 02:15:02 pm
Citação de: "Migas"
Soldado do futuro equipado com G3?  :twisted:
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 20, 2006, 06:58:46 pm
Prefiro o DAE ou Rescom do presente ao soldado do futuro... :shock:

(http://img113.imageshack.us/img113/7384/f272uqrk6.th.jpg) (http://http)(http://img158.imageshack.us/img158/6541/braga5xy3.th.jpg) (http://http)

Mas eu percebo que seja diferente equipar 20 ou 30 homens em comparação com 20.000 ou 30.000.
Título:
Enviado por: Yosy em Outubro 20, 2006, 07:18:05 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Sim senhor,. o nosso soldado do futuro, QUASE que chega ao nível tecnológico do soldado americano do presente!  :evil:
Título:
Enviado por: Luso em Outubro 20, 2006, 07:43:49 pm
Show off para o senhor general mostrar serviço e "interesse" e soundbyte para o político responsável.
Tretas.
Título:
Enviado por: Miguel em Outubro 20, 2006, 08:03:23 pm
Bem

Podemos ler isto no artigo da Raids...

Portugal aposta em soluções  mais realistas e aprovadas!

(traduzido do espanhol)
Título:
Enviado por: garrulo em Outubro 20, 2006, 08:13:53 pm
Y me parece muy sensato.Esos futuribles son ganas de gastar y gastar.

Los Taliban para hacernoslas pasar putas, no necesitan de tanto.
Título:
Enviado por: Luso em Outubro 20, 2006, 08:17:41 pm
Citação de: "garrulo"
Y me parece muy sensato.Esos futuribles son ganas de gastar y gastar.


Concordo.
Ora vejam esta, vinda dos EUA...

http://www.defensetech.org/ (http://www.defensetech.org/)

October 20, 2006 12:03 PM | Gadgets and Gear

High-Tech Uniforms Finally Heading to War

A high-tech collection of soldier gear, 15 years and half a billion dollars in the making, will finally make it into battle. The 4th Battalion, 9th Infantry has adopted the Land Warrior suite of wearable electronics, and will take it with them to Iraq when they deploy next year. It's the first time a large group of infantrymen will be tied to the combat network that's connecting so much of the military.

These days, the vasy majority of dismounted soldiers don't even have radios -- let alone the electronic mapping and messaging tools that have become commonplace in most Humvees. That'll change, once the "Manchus" of the 4/9 Infantry don the Land Warrior ensemble.

Radios and GPS locators come standard. A helmet-mounted monocle lets the soldier know he and his buddies are on a satellite-powered map. That same monocle is connected to the weapon sight, so the infantryman can, in effect, shoot around corners. The sight also serves as a long-range zoom, with twelve times amplification. "It makes every rifleman a marksman," Colonel Richard Hansen, Land Warrior's project manager, crows. Night vision, and laser targeting – which once required clunky binoculars, or attachments to the gun -- are now built in, too.

Getting this kind of gear out to troops has taken just about forever. First proposed in 1991, Land Warior went through one clunky, next-to-useless interation after the next. One cost $85,000, and weighed over 40 pounds. Another was way too fragile for combat. Even this version 3.0 (now down to 12 pounds and $30,000 each) has had a bunch of weight, security, and usability issues.

The concerns were so great that the original vision -- giving every soldier a full set of high-tech gear -- has been scrapped. For now, only Manchu team leaders will get the entire Land Warrior ensemble, Col. Hansen tells Defense Tech. Regular riflemen will be equipped with GPS beacons, to let their sergeants and lieutennants know where they are.

It's a small step. But a significant one.
Título:
Enviado por: papatango em Outubro 20, 2006, 09:48:11 pm
Lembro-me de uma reportagem há algum tempo no correio da manhã, em que aparecia um telemóvel e um cartão estilo Via Verde.

De qualquer forma, não deixa de ser de louvar que haja gente que tenta fazer alguma coisa, sabendo-se que normalmente não há meios.

Os projectos que vemos por aí, quando são portugueses, normalmente têm orçamentos de rir.
Quando não há dinheiro para estudar e investigar, não podemos esperar milagres.

É preferível tentar inovar a partir dos meios que existem, que "inovar" no papel

Cumprimentos
Título:
Enviado por: garrulo em Outubro 20, 2006, 09:52:18 pm
Por fín de acuerdo papatango.
Título:
Enviado por: Luso em Outubro 20, 2006, 10:37:17 pm
O absurdo da nossa situação é, a meu ver, pensar-se no futuro quando se ainda se trabalha com as ferramentas do passado e sem vontade clara para adquirir as do presente.
Título:
Enviado por: Marauder em Outubro 21, 2006, 12:02:51 am
Citação de: "Luso"
O absurdo da nossa situação é, a meu ver, pensar-se no futuro quando se ainda se trabalha com as ferramentas do passado e sem vontade clara para adquirir as do presente.


 :conf: O sonho comanda a vida?

Sendo o caso das FA um caso extremo. Enquanto os cães de pavlov salivavam pela comida, os nossos estão sempre a salivar por apenas armamento actual enquanto roem os antigos ossos..
Título:
Enviado por: papatango em Outubro 21, 2006, 01:24:27 am
O armamento é importante, mas também são importantes as comunicações.

Aliás, são de especial importância, e é neste momento que a questão deve ser discutida estudada e analizada.

Vão existir alterações muito profundas no exército, se houver intenção de incorporar futuramente mesmo um pequeno numero de Lopard-2A6.

Os radios e os sistemas de comunicação e intercomunicação  que vão equipar os Pandur, de fabrico da EID, são uma das pontas do sistema.

Ter uma grande capacidade de comunicação com todos os militares, ou melhor, com os comandantes de esquadra ou secção e saber onde eles estão, em cada momento, é tão importante quanto ter uma arma adequada.

Mesmo que as G-36 (ou outra arma) já estivessem atribuidas, as G-36 não têm GPS nem ligação via satélite para disparar.

Do ponto de vista táctico, uma das principais diferenças do soldado do futuro para o actual, é o aumento na capacidade de comunicação, quer entre um mesmo pelotão e companhia, quer com os escalões seguintes.

Para planear isso, não é necessário ter uma G-36 ou uma fatiota com novo padrão.

Mai, é pura e simplesmente ficar parado sem fazer nada e amaldiçoar a vida porque ainda não há armas mais modernas.

A Alemanha planeou as tácticas da Luftwaffe com papagaios e as tácticas da Blitzkrieg com triciclos de madeira, e isso não os impediu de saber aplicar as tácticas quando receberam os tanques a sério.

Penso eu de que...

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Luso em Outubro 21, 2006, 10:56:07 am
Tenho que te dar razão, PT.
Título:
Enviado por: Viriato - chefe lusitano em Outubro 21, 2006, 02:26:19 pm
Pelos comentarios vesse que é dificil mudar um País; como sempre, se faz é porque se faz, se não se faz é porque não se faz, por favor................
Título:
Enviado por: Luso em Outubro 21, 2006, 02:45:15 pm
Citação de: "Viriato - chefe lusitano"
Pelos comentarios vesse que é dificil mudar um País; como sempre, se faz é porque se faz, se não se faz é porque não se faz, por favor................


É verdade. Confesso o meu erro e sobretudo a minha impaciência. Torna-se difícil ver apenas "estudos" e "projectos" que se repetem e que difícilmente se concretizam. Estuda-se muito e faz-se pouco e é isso que a mim me cansa.
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 03, 2006, 04:14:33 pm
- A Floribela dá a que horas?
- Não sei, estou a encomendar um livro na Fnac...

(http://img406.imageshack.us/img406/8507/061101f6890s011wj3.jpg)

Citar
Army Spc. Chad Tobin (left) and Staff Sgt. Stephan Simmins participate in an On-The-Move training exercise in June at Fort Dix, N. J. The exercise featured Air Force technology applied to support the Army?s Future Force Warrior concept, including a goggle-mounted display, a hand-held mouse that activates push-to-talk personal computer voice command software, a backpack personal computer and power system, and rifle-mounted laser range finder. (Courtesy photo/David Darkow)


Foto em alta resolução:
http://www.af.mil/shared/media/photodb/ ... 0S-011.jpg (http://www.af.mil/shared/media/photodb/photos/061101-F-6890S-011.jpg)
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 06, 2006, 03:54:11 pm
Projecto francês:

http://www.army-technology.com/projects/felin/ (http://www.army-technology.com/projects/felin/)

(http://img147.imageshack.us/img147/8410/4felinsoldierdo7.jpg)
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Novembro 06, 2006, 04:15:41 pm
O que é a espingarda de assalto ? Uma FAMAS F1 modificada ??
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 06, 2006, 07:30:18 pm
Citar
The FELIN soldier will be armed with the Giat FAMAS F1 5.56 mm assault rifle, the Giat FR-F2 7.62mm sniper rifle or the FN Herstal Minimi 5.56mm light machine gun.
Título:
Enviado por: ricardonunes em Novembro 28, 2006, 07:58:37 pm
Do MP.net

http://www.armytimes.com/content/static ... 091106.swf (http://www.armytimes.com/content/static/flash/landwarrior/landwarrior091106.swf)
Título:
Enviado por: SSK em Junho 02, 2007, 11:00:05 am
(http://www.defense-update.com/images_new/IBA_bodyarmor.jpg) Brig. Gen. R. Mark Brown, Program Executive Officer Soldier agreed to release a June 2006 test results rebuffing claims that commercially available body armor is supperior to the Interceptor Body Armor the Army issues to warfighters. Gen. Brown said the Army had been reluctant to release test results that could inform the enemy of U.S. capabilities. "Right now, we believe it's critical that our Soldiers have confidence in their equipment and that their families know force protection is the Army's number one priority," Brown said. (more...)
(http://www.defense-update.com/images_new/dragonskin.jpg)Driving the decision to release May 2006 test data is an assertion by Pinnacle Armor Inc. of unfair treatment. The issue surfaced again in this week's investigative report aired by NBC. Pinnacle, based in Fresno, Calif., is the manufacturer of Dragon Skin SOV3000 body armor, which Brown said failed "catastrophically" when it was tested by HB White Labs in Street, Md., one of two labs in the nation certified by the National Institute of Justice. "It failed to stop 13 of 48 [first- or second-round] test shots," Brown said of the testing at H.P. White. "The CEO and vice president of Pinnacle witnessed it. One bullet penetration is cause for failure to meet the Army's standard."

According to Gen. Brown, Pinnacle's Dragon Skin SOV3000 body armor was subject to the same fair and independent testing, in a variety of environmental conditions, as products from the six producers of the Army's current body armor. All six of the current producers passed every test with zero failures, which is the standard. In addition to failing ballistic testing, Dragon Skin is also operationally unsuitable because of its greater weight and bulk and compared with the Army's body armor. Depending on size, Pinnacle is 46% to 70% heavier than the current IBA. "We are trying to make the armor lighter, not heavier," Brown said. It should be noted, however, that DragonSkin provides full side protection with the baseline system, while IBA requires two additional ESBI modules which add more weight to the system.
Título:
Enviado por: SSK em Junho 02, 2007, 11:09:51 am
Where there is no clear 'front line' or 'friendly area', danger may be lurking everywhere and the enemy can strike anytime. Snipers, shooting from elevated levels, illusive Improvised Explosive Devices (IEDs) spraying deadly fragments over a large area, hit-and-run strafing from a passing vehicle or mortar attack from a distance are widely used by insurgents fighting asymmetric warfare. IEDs proved to be effective even when striking armored vehicles, let alone the less protected 'foot patrols'. The myriad of threats requires a holistic approach to personal protection featured in this issue.

(http://www.defense-update.com/images_new/fully-armored.jpg)Personal protective measures are incorporated into body armor suites, helmets and protective eyewear to eliminate much of the risk of high-velocity fragments and projectiles, such as shrapnel and firearms, making previously fatal chest wounds survivable. Eye protection provided by transparent shields made of polycarbonate is also used in tactical goggles and protective eyewear which, when used properly, can prevent most common eye injuries associated with blast and fragments.

Yet, the use of body armor under extreme environmental conditions is physiologically exhaustive, requiring the addition of additional cooling systems to dissipate excessive heat.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 02, 2007, 12:14:00 pm
Citar
(http://www.defense-update.com/images_new/IBA_bodyarmor.jpg)
Brig. Gen. R. Mark Brown, Program Executive Officer Soldier agreed to release a June 2006 test results rebuffing claims that commercially available body armor is supperior to the Interceptor Body Armor the Army issues to warfighters. Gen. Brown said the Army had been reluctant to release test results that could inform the enemy of U.S. capabilities. "Right now, we believe it's critical that our Soldiers have confidence in their equipment and that their families know force protection is the Army's number one priority," Brown said. (more...)

(http://www.defense-update.com/images_new/dragonskin.jpg)

Driving the decision to release May 2006 test data is an assertion by Pinnacle Armor Inc. of unfair treatment. The issue surfaced again in this week's investigative report aired by NBC. Pinnacle, based in Fresno, Calif., is the manufacturer of Dragon Skin SOV3000 body armor, which Brown said failed "catastrophically" when it was tested by HB White Labs in Street, Md., one of two labs in the nation certified by the National Institute of Justice. "It failed to stop 13 of 48 [first- or second-round] test shots," Brown said of the testing at H.P. White. "The CEO and vice president of Pinnacle witnessed it. One bullet penetration is cause for failure to meet the Army's standard."

According to Gen. Brown, Pinnacle's Dragon Skin SOV3000 body armor was subject to the same fair and independent testing, in a variety of environmental conditions, as products from the six producers of the Army's current body armor. All six of the current producers passed every test with zero failures, which is the standard. In addition to failing ballistic testing, Dragon Skin is also operationally unsuitable because of its greater weight and bulk and compared with the Army's body armor. Depending on size, Pinnacle is 46% to 70% heavier than the current IBA. "We are trying to make the armor lighter, not heavier," Brown said. It should be noted, however, that DragonSkin provides full side protection with the baseline system, while IBA requires two additional ESBI modules which add more weight to the system.


Assim está melhor.  :wink:
Título:
Enviado por: Luso em Junho 02, 2007, 12:34:59 pm
Alguns pontos importantes:

- O programa Americano para o Soldadodo Futuro está a patinar, por ser demasiado complexo, caro e pouco prático. Optar-se-á eventalmente por um sistema bastante mais simples (era difícil de adivinhar isto  :roll: );

- Os italianos também têem o seu programa para carregar os seus soldados de tralha, mas o mais curioso - para mim é a nova Beretta, muito parecida com a FN SCAR fisica e conceptualmente.
Título:
Enviado por: Yosy em Junho 02, 2007, 12:50:02 pm
Citação de: "Luso"
Alguns pontos importantes:

- O programa Americano para o Soldadodo Futuro está a patinar, por ser demasiado complexo, caro e pouco prático. Optar-se-á eventalmente por um sistema bastante mais simples (era difícil de adivinhar isto  :roll: );
.


Está a patinar á muito tempo - aquilo é uma debulhadora de dinheiro dos contribuintes. Lembram-se do OICW: http://en.wikipedia.org/wiki/OICW (http://en.wikipedia.org/wiki/OICW) ?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 02, 2007, 12:53:12 pm
Citar
O Exército Italiano está a testar os primeiros 100 kits do programa "Soldato Futuro":

(http://img96.imageshack.us/img96/6624/rotate3vr5.jpg)

(http://img120.imageshack.us/img120/5856/rotate5ru8.jpg)

(http://img120.imageshack.us/img120/8233/rotate4pn7.jpg)

(http://img205.imageshack.us/img205/4982/tordiqu19xz7.jpg)

(http://img503.imageshack.us/img503/7749/tordiqu16oh8.jpg)

(http://img503.imageshack.us/img503/2374/tordiqu11fx5.jpg)
Título:
Enviado por: Nuno Bento em Junho 04, 2007, 12:40:02 am
Mas alguem sabe explicar como é que os pobres coitados dos soldades se podem mexer com tanta tralha.
Não deve dar jeito nenhum para o combate a mobilidade fica muito afectada.
Título:
Enviado por: Ermit em Março 12, 2008, 10:29:13 pm
com bussula e carta topografica poupas 10kg de peso ...  :roll:
Título:
Enviado por: HSMW em Março 19, 2008, 05:06:47 pm
Alguém sabe alguma coisa sobre o projecto Português que está na EPI?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 20, 2008, 10:08:06 am
Da última vez que o vi, ainda estava numa fase digamos...muito embrionária. Acho que a EPI não deve ter os meios humanos, materiais e orçamento à altura para um projecto destes.
Título:
Enviado por: HSMW em Março 21, 2008, 07:51:26 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Da última vez que o vi, ainda estava numa fase digamos...muito embrionária. Acho que a EPI não deve ter os meios humanos, materiais e orçamento à altura para um projecto destes.


Concordo, sozinhos não vão longe... Cerca de duas semanas atrás estive a ver alguns elementos desse projecto.
Estamos muito para trás em relação a outros países mas por outro lado aproveitamos experiência já adquirida em teatros operacionais.
Mas o que mais me impressionou foram os preços elevadíssimos de algumas ferramentas.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 22, 2008, 05:08:02 pm
LA TECHNOLOGIE MILITAIRE FRANCAISE:

http://www.dailymotion.com/video/x3qs6n ... caise_news (http://www.dailymotion.com/video/x3qs6n_la-technologie-militaire-francaise_news)

 :wink:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Setembro 09, 2008, 10:17:55 am
Citar
Os protótipos que vão alterar as capacidades e o visual do combatente começam a ser testados, permitindo que o militar veja através de paredes, tenha melhor armadura e camuflagem, e até métodos de apoio médico incorporados no seu equipamento. Como seria de esperar, os Estados Unidos estão na linha da frente do desenvolvimento destas capacidades.

Portugal, através da NATO e da União Europeia, também trabalha no desenvolvimento daquele que será o combatente do ano 2020. "O objectivo é colocá-lo no terreno por volta de 2015-2020. Por agora, trabalhamos no levantamento das capacidades que o soldado deverá ter", explicou o tenente-coronel Mendes Dias, um dos responsáveis pelo projecto do Exército português do soldado do futuro.

Uma das alterações a introduzir passa por reconhecer o combatente como um sistema, referiu Mendes Dias, "capaz de integrar tudo o que um soldado precisa para ser autónomo no cenário de guerra". Para isso, identificaram-se cinco áreas fundamentais: Letalidade; Sobrevivência, C4I, Mobilidade e Sustentabilidade.

As alterações previstas farão de um normal soldado uma força de guerra capaz de comunicar em tempo real com os restantes companheiros, hierarquias de comando, veículos de apoio aéreo ou terrestre, bem como de ver e identificar alvos com uma precisão nunca antes vista.

"Estamos a falar de capacidades tecnológicas extraordinárias. Mas não podemos esquecer o factor humano. Se tudo isto não for fácil de usar, o homem simplesmente não vai adoptá-las e não terão qualquer utilidade", alertou Mendes Dias.

NA GUERRA COM O COMANDO DA CONSOLA

Uma das muitas empresas fornecedoras de material de guerra, a Raytheon, anunciou que pretende utilizar tecnologia dos videojogos no próximo sistema de veículos aéreos não tripulados. Actualmente, as maiores aeronaves norte-americanas do género, já usadas no Afeganistão ou no Iraque, são manobradas à distância através de um joystick semelhante ao usado em aviões ou helicópteros. O projecto da Raytheon pretende introduzir um comando igual ao utilizado nas principais consolas de jogos, pois facilita o acesso às funções e o controlo.

ADAPTAÇÃO

Há muito que o cenário de guerra tem vindo a mudar, obrigando os militares a uma adaptação constante. Desde o tipo de munição e arma, à carga que o soldado transporta, até às fontes de alimentação, tudo tem de ser pensado ao pormenor para se conseguir a paz.

SOLDADO DO FUTURO

CAPACETE

Protecção total da cabeça com máscara de gás incorporada, visão estereóscopica, ‘night vision’ e projecção de imagens. Comunicação satélite, activação por voz do fato e tradutor instantâneo para várias línguas.

A REALIDADE DE HOJE

A maioria dos sistemas já existem hoje nos capacetes dos pilotos de aviação. O tradutor está ainda em fase de aperfeiçoamento.

ARMA

Ultra leve, dispara quatro balas de 15mm teleguiadas, que perseguem os alvos para além dos calibres convencionais.

A REALIDADE DE HOJE

Mísseis e bombas utilizam um sistema de localização de alvos com laser, que o míssil reconhece e pode até perseguir. O objectivo é aplicar o sistema a balas, através da minitorização.

ARMADURA INTELIGENTE

Ao invés de utilizar o Kevlar, que é pesado, as armaduras do futuro serão compostas por ‘nano-tubos’ inteligentes, que sentem a aproximação da bala e concentram a resistência nesse local.

A REALIDADE DE HOJE

Cientistas conseguiram, com sucesso introduzir fibras musculares com apenas alguns ‘microns’ em tecido. Resta descobrir como irá o material sentir a bala a aproximar-se.

FATO COM CAMUFLAGEM

O tecido do fato será feito de um material que muda de cor consoante o ambiente, reproduzindo o efeito do camaleão.

A REALIDADE DE HOJE

Tintas mudam de cor consoante a luz, nomeadamente em notas e documentos de identificação. O problema prende-se com a maneira como as cores se adaptam às tonalidades.

FORÇA SOBREHUMANA

Um exoesqueleto, com a capacidade de aumentar quatro vezes a força das pernas e costas, ajuda as tropas a conseguirem carregar cerca de 136 kg  através de longas distâncias usando apenas 10% dos músculos. Permitirá também às tropas carregarem armas mais pesadas.

A REALIDADE DE HOJE

Exoesqueletos já existem e permitem levantar grandes pesos com um mínimo de esforço. O problema são as baterias que ainda são muito grandes e pesadas.

www.correiodamanha.pt (http://www.correiodamanha.pt)
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 09, 2008, 01:32:42 pm
Citar
ARMA

Ultra leve, dispara quatro balas de 15mm teleguiadas, que perseguem os alvos para além dos calibres convencionais.


Faróeste  :lol:
Título:
Enviado por: tyr em Setembro 09, 2008, 05:27:33 pm
por acaso o termo balas esta correcto, pois aqui refere se ao que é disparado.

para esclarecer, uma Munição (de espingarda ou pistola) é composta por:
  projectil ou bala; involucro; carga propulsora e fulminante.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 09, 2008, 07:57:26 pm
Se estamos a falar de uma bala (correctamente dito, porque é o projéctil que saí) teleguiada de 15mm, não deixaram de ser um "missil" ou algo similar.
Senão vai ter que se reescrever conceitos
Título:
Enviado por: tyr em Setembro 10, 2008, 01:28:09 pm
um missil tem que ter dois pressupostos para assim poder ser chamado, em primeiro lugar tem que ter um sistema de alteração de trajectória (o que este projectil pelo que esta escrito, possivelmente virá a ter) e em segundo lugar tem que se deslocar por energia gerada pelo próprio (o que não é o caso).

para visualizar melhor, uma bomba guiada, uma granada de morteiro guiada ou um projectil de artilharia guiado não são misseis, apesar de haverem misseis disparados por carros de combate, mas que após o disparo acionam os seus próprios motores (e por isso são misseis).
Título:
Enviado por: raphael em Setembro 12, 2008, 04:22:42 pm
ok... mas como é que a bala/projectil pode ser teleguiada?? Se não tem sistema de propulsão próprio após sair do cano da arma... as estrias do cano, normalmente dextrossum, é que lhe dão o efeito que lhe permite a direcção... além de que 15mm é um calibre anti-carro, se o .50 é 12,7mm... 15mm é um abuso.
Como é que uma arma que disparará projectéis de 15mm pode ser ultraleve?? e qual o tamanho do cano? Se querem adoptar o principio dos misseis e das bombas guiadas por laser... estão a esquecer uma coisa básica a dita arma é para tiro tenso, no terreno, as bombas são lançadas em altitude e caem... e o texto... "miniturização" ou miniaturização.
Na parte do fato com camuflagem devem ter andado a ver o "Predador".
Título:
Enviado por: Instrutor em Setembro 14, 2008, 11:38:30 am
Raphael :roll:
Título:
Enviado por: Luso em Setembro 14, 2008, 01:19:22 pm
Entretanto, o concurso da G3 parece estar no limbo...

Fazer futurologia quando a realidade presente é o que é parece ser um exercício, no mínimo...er... "estranho".
Título:
Enviado por: HSMW em Novembro 10, 2008, 12:01:15 pm
Daquilo que vi era parecido com este
http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/ ... felin.html (http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/sof/soffelin.html)
Título:
Enviado por: nelson38899 em Novembro 10, 2008, 12:04:56 pm
Eu não vi o projecto, mas pelos imagens do link que puseste isso é muito à frente
Título:
Enviado por: HSMW em Novembro 10, 2008, 12:12:20 pm
Mas também disse "parecido", antes fosse igual a este FELIN...  :cry:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Dezembro 16, 2008, 06:41:10 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citar
(http://www.defense-update.com/images_new/IBA_bodyarmor.jpg)
Brig. Gen. R. Mark Brown, Program Executive Officer Soldier agreed to release a June 2006 test results rebuffing claims that commercially available body armor is supperior to the Interceptor Body Armor the Army issues to warfighters. Gen. Brown said the Army had been reluctant to release test results that could inform the enemy of U.S. capabilities. "Right now, we believe it's critical that our Soldiers have confidence in their equipment and that their families know force protection is the Army's number one priority," Brown said. (more...)

(http://www.defense-update.com/images_new/dragonskin.jpg)

Driving the decision to release May 2006 test data is an assertion by Pinnacle Armor Inc. of unfair treatment. The issue surfaced again in this week's investigative report aired by NBC. Pinnacle, based in Fresno, Calif., is the manufacturer of Dragon Skin SOV3000 body armor, which Brown said failed "catastrophically" when it was tested by HB White Labs in Street, Md., one of two labs in the nation certified by the National Institute of Justice. "It failed to stop 13 of 48 [first- or second-round] test shots," Brown said of the testing at H.P. White. "The CEO and vice president of Pinnacle witnessed it. One bullet penetration is cause for failure to meet the Army's standard."

According to Gen. Brown, Pinnacle's Dragon Skin SOV3000 body armor was subject to the same fair and independent testing, in a variety of environmental conditions, as products from the six producers of the Army's current body armor. All six of the current producers passed every test with zero failures, which is the standard. In addition to failing ballistic testing, Dragon Skin is also operationally unsuitable because of its greater weight and bulk and compared with the Army's body armor. Depending on size, Pinnacle is 46% to 70% heavier than the current IBA. "We are trying to make the armor lighter, not heavier," Brown said. It should be noted, however, that DragonSkin provides full side protection with the baseline system, while IBA requires two additional ESBI modules which add more weight to the system.

Assim está melhor.  :wink:


aqui fica o video sobre esta armadura dos tempos modernos

http://www.youtube.com/watch?v=gNY1MtsV ... r_embedded (http://www.youtube.com/watch?v=gNY1MtsVwG8&eurl=http://www.defense-update.com/features/du-2-07/infantry_armor_ergonomics.htm&feature=player_embedded)
Título:
Enviado por: Lightning em Fevereiro 01, 2009, 07:47:07 pm
Citar
Liquid Armor


Flexible full-body protection that could save our troops' lives and limbs is at the top of the list for many researchers and technology companies. One such product could soon make its way to Iraq. As this ScienCentral News video explains, the secret ingredient is a liquid that could turn lightweight material into full-body armor.

Full Liquid Jacket

The current war in Iraq is leaving behind a legacy of wounded soldiers. For every fatality there have been between seven or eight injured -- a number amounting to 18,356 as of June 11, 2006 (U.S. Department of Defense). That's a higher ratio of injured to dead than in any previous American war, a mixed blessing that can largely be attributed to advances in body armor and improved battlefield medical treatment.

A new "liquid armor" could be the solution for protecting the parts of the body that aren't currently covered by standard-issue ballistic vests – arms and legs, where many of these devastating and life-threatening injuries occur. Co-developed by two research teams – one led by Norman Wagner at the University of Delaware, and the other led by Eric Wetzel at the U.S. Army Research Lab in Aberdeen, MD – the liquid technology will soon lead to light, flexible full-body armor.

The liquid - called shear thickening fluid is actually a mixture of hard nanoparticles and nonevaporating liquid. It flows normally under low-energy conditions, but when agitated or hit with an impact it stiffens and behaves like a solid. This temporary stiffening occurs less than a millisecond after impact, and is caused by the nanoparticles forming tiny clusters inside the fluid. "The particles jam up forming a log jam structure that prevents things from penetrating through them," Wagner explains.

Wagner and Wetzel developed a way to specially treat ballistic fabrics, such as Kevlar, with the liquid, making them dramatically more resistant to puncture and much better at reducing blunt trauma.

"We integrate those materials with the fabric itself, imbibe it in a way, such that the shear thickening fluid is not at all evident, it's not a coating on the outside. It's actually intercalated directly into the material," says Wagner.

The stiffening of the liquid allows the energy of an impact to be distributed over a much larger surface area – so the force, rather than being focused on the area of a bullet head, is distributed over the area of the surrounding fabric. Ballistic tests have demonstrated that the treatment can actually prevent bullets from penetrating.

The treated Kevlar is even better at resisting puncture from sharp projectiles, such as knife stabs or shrapnel from roadside bombs. As Wagner explains, Kevlar was never designed to function against puncture.

"Bullet proof vests and Kevlar are not very good against stab threats like puncture that you might see in correctional prison guards or from fragmentation threats on the battlefield," he says.

The treatment of the fabric prevents the fibers from spreading apart or "windowing," which keeps sharp objects from entering. That means that not only would materials treated with shear thickening fluids be better against conventional threats such as bullets, but would also resist puncture from shrapnel. The materials would also remain light – only 20 percent heavier after treatment - and flexible, which means they could be used for much-needed protection of the limbs.

"We can make thin layers of material for use on the arms and legs that remain flexible under normal motion, but become rigid and absorb energy when impacted by a ballistic threat or a knife," Wagner says.

U.S. manufacturer Armor Holdings recently licensed the technology and plans to release its first products by the end of the year.

Wagner says there could also be many civilian applications – like protecting people during car crashes, or making tires sturdier.


http://www.sciencentral.com/articles/vi ... =218392807 (http://www.sciencentral.com/articles/view.php3?type=article&article_id=218392807)
Título:
Enviado por: inox em Fevereiro 17, 2009, 07:56:22 pm
Alguns previews:

(http://finaljudgementcoalition.com/images/20050919141217_future_dessert_soldier.jpg)(http://www.rheinmetall-detec.de/img/idz_es.jpg)

(http://newsimg.bbc.co.uk/media/images/44169000/jpg/_44169195_armour_usarmy_long.jpg)(http://media.share.ovi.com/m1/large/0279/5a3acb12412243739c319e27146410da.jpg)(http://www.cbseyemobile.com/files/cbs.TheMavFan.42636.dd.jpg)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 18, 2009, 10:44:46 am
Estás a misturar fotos/desenhos de várias coisas ao mesmo tempo.
Título:
Enviado por: Maginot em Fevereiro 23, 2009, 04:21:29 pm
Portugal não pode financiar um projecto de grande escala deste tipo. Um bom projecto está em desenvolvimento na Espanha, liderado pela EADS.

Portugal faz bem em desenvolver o seu projecto porque:
- serve para preparar a integração de novas tecnologias que facilitarão um ugrade operacional no futuro
- serve para manter a parte de pesquisa das nossas Forças Armadas em sintonia com o state of the art
- serve para que se possua know-how, para o caso de um dia se avançar para a compra de um produto, se possam ter critérios de escolha baseados em experiência.
Título:
Enviado por: LuisC em Fevereiro 24, 2009, 02:28:12 am
Julgo que será inevitável o desenvolvimento ou a adaptação de um programa de “Soldado do Futuro”.
Caso contrário, como seria possível no futuro integrar as nossas forças com as dos nossos aliados em missões internacionais?

Cumps
Título:
Enviado por: Maginot em Março 03, 2009, 03:14:24 pm
Este projecto EDA, vai desenvolver uma parte do soldado do futuro:


Citar
Contract A-0380-RT GC “MUSAS”

Multi Sensor Anti Sniper System   
Indicative total value:       5.7 million Euro
Duration:       30 months
GMV, Tres Cantos (ES) - Metravib, Limonest (FR) - DS PISA, SAN PIERO A GRADO (IT) - PIAP, Warsaw (PL) - Skysoft, Lisboa (PT) - UoU, Udine (IT)
A sniper is a highly skilled warrior tasked to shoot from a concealed position over longer ranges than regular infantry, and usually shoots at high value. In the recent years, and mainly in asymmetric conflicts, sniper confrontation has proven to be a decisive threat which has to be duly faced. Snipers are used more as a mean to spread terror by indiscriminately shooting even civilian population. Therefore the sniper should be detected before the shooting, but existing techniques have proven to be highly unreliable leading to an unacceptable level of false alarms. The main objective of this proposal is to research different technologies (acoustic and radar sensors, image processing, enhancement of data fusion, inclusion of intelligence information, human machine interface…). Objective is to obtain a real-time reliable estimation of the sniper position before the first shot and disseminate this information in a properly manner optimising the resources for neutralisation. The project will assess different scenarios (military base, convoy and dismounted soldier) and platforms (fixed, wearable, vehicle mounted). It is envisioned to develop a laboratory demonstrator which will show the feasibility of the system and its integration with in future soldier programmes.


http://www.eda.europa.eu/genericitem.aspx?id=370 (http://www.eda.europa.eu/genericitem.aspx?id=370)
Título:
Enviado por: nelson38899 em Abril 20, 2009, 12:37:56 pm
exercito turco


http://www.youtube.com/watch?v=xwHwakYfoSE (http://www.youtube.com/watch?v=xwHwakYfoSE)


(http://img101.imageshack.us/img101/8603/gripodmp8.png)
Título:
Enviado por: David18 em Abril 20, 2009, 03:10:25 pm
Citação de: "inox"
Alguns previews:

(http://finaljudgementcoalition.com/images/20050919141217_future_dessert_soldier.jpg)(http://www.rheinmetall-detec.de/img/idz_es.jpg)

(http://newsimg.bbc.co.uk/media/images/44169000/jpg/_44169195_armour_usarmy_long.jpg)(http://media.share.ovi.com/m1/large/0279/5a3acb12412243739c319e27146410da.jpg)(http://www.cbseyemobile.com/files/cbs.TheMavFan.42636.dd.jpg)



 Quase parece aqueles gajos do jogo Halo
Título:
Enviado por: teXou em Abril 20, 2009, 11:15:39 pm
Os soldados do futuro são os UAV's, UGV's, SWORDS, MARCBOT's, MAARS, UUV's, .....

 :arrow:  Em inglês aqui: "Military Robots and the Laws of War " (http://http)

Os futuros desenvolvimentos dos War-Robot's.
Título:
Enviado por: Captain Lunatic em Maio 25, 2009, 11:24:07 pm
Ainda há pouco tempo, no programa "Armas do Futuro" do Discovery Channel (programa que eu recomendo o visionamento) falaram disto. Há realmente pormenores espectaculares.

Porém faz-me confusão tanta tecnologia. Será difícil um soldado "normal" habituar-se àquela tecnologia toda.
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Maio 26, 2009, 12:27:15 am
Há bastantes aplicações do FCS (a versão "original", americana) que já estão a ser usadas e é uma das razões pelas quais o programa ainda recebe dinheiro do governo dos EUA.
A vantagem é que os engenheiros recebem a informação de volta das tropas e podem fazer alterações.

Costuma sair bastante info mensalmente na revista Defense and Technology International. Há versão on-line que deve ser gratuita. Pus há bastantes meses o link na área "Internet-Jogos...".
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 20, 2009, 08:46:11 pm
Citar
June 10, 2009 by worldef
The Portuguese Army “Sistema de Combate Integrado Soldado do Futuro´´ soldier modernization project will be presented by its programme manager at the WBR organized Soldier Technology 2009 conference and exhibition event to be held in London from June 1 to July 3. The event will highlight as well projects like the IMESS (Switzerland), FELIN (France), IdZ (Germany), MERS (USA), ACMS (Singapore), VOSS (Netherlands), RIFS (Romania), TYTAN (Poland), IAS (Israel), African Warrior (South Africa), Project Land 125 (Australia), FIST (United Kingdom), Warrior 2020 (Finland), MARKUS (Sweden), ISSP (Canada), BEST (Belgium), F-INSAS (India), NORMANS (Norway), ComFut (Spain), Slovenian Future Soldier (Slovenia) and Slovakian and Czech 21st Century Soldier.

http://www.soldiertechnology.com (http://www.soldiertechnology.com)




http://poadu.wordpress.com/page/2/ (http://poadu.wordpress.com/page/2/)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: cromwell em Dezembro 28, 2009, 12:39:04 pm
Citar
Posted on December 22, 2009 by worldef
At Soldier Technology 2010 event to be held in London from May 18 to 21, the Portuguese Army Soldado do Futuro SMP (Soldier Modernization Programme) programme will be highlighted by its project manager, Lieutenant Colonel Rui Dias. The Portuguese officer will do a presentation called “Assessing Portugal´s Plans to Train Infantry to Use Future Equipment´´.

Soldier Technology 2010 is an event organized by WB Research

http://www.soldiertechnology.com (http://www.soldiertechnology.com)

http://poadu.wordpress.com/page/2/ (http://poadu.wordpress.com/page/2/)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Linkxx em Dezembro 28, 2009, 03:55:11 pm
Bem acho que o futuro da guerra passa pela "guerra eletrónica" nomeadamente a exploração do espectro electromágnetico , quem o controlar têm a guerra "quase" ganha :P é um tema interessante , mas não tenho grande informação disponivel para dar a quem não conhece.cumps
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Instrutor em Dezembro 30, 2009, 10:25:20 am
Permita-me discordar... embora aconteca grandes avanços tecnológicos.... ganha a Guerra quem tiver uma arma nuclear e nao tiver medo ou problemas de a lançar sobre o inimigo.... sempre foi assim desde o final da 2ª GM.
Título: Re:
Enviado por: GI Jorge em Julho 10, 2010, 07:16:39 pm
Citação de: "Mazagão"
Citar
 
SOLDADO DO FUTURO COM ARMAS VELHAS 2002-08-14 - 23:19:00

O soldado do futuro do Exército português mostrou-se ontem em Mafra. Usava uma pistola Walther P38, da Segunda Guerra Mundial, a espingarda era a G-3 da Guerra do Ultramar, as comunicações não eram por rádio mas sim por telemóvel e tinha a via verde da Brisa como sistema de identificação amigo-inimigo.
Como toque final, envergava o camuflado mas por cima trazia um colete azul claro, a mochila era de modelo escolar, a duas cores, e dispunha de uns óculos de moto presos por elástico. Estava apresentado o “Soldado do Futuro”.

Tenham medo... Tenham muito medo...
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabecinhas em Julho 11, 2010, 05:07:16 pm
Quando se escreve sem saber...
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: GI Jorge em Julho 11, 2010, 10:12:07 pm
Como até sei qualquer coisita...


http://www.assembly-weu.org/en/document ... 7/1990.php (http://www.assembly-weu.org/en/documents/sessions_ordinaires/rpt/2007/1990.php)
Título: Re:
Enviado por: GI Jorge em Julho 11, 2010, 10:16:59 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Se estamos a falar de uma bala (correctamente dito, porque é o projéctil que saí) teleguiada de 15mm, não deixaram de ser um "missil" ou algo similar.
Senão vai ter que se reescrever conceitos

Esse conceito de uma arma que dispara misseis já foi tentado (penso que anos 60 ou 70, mas nao tenho a certeza) e nao foi uma experiencia assim tao boa...
esse tipo de muniçoes nao deverao ser muito acessiveis nem muito praticas...
Título: Re:
Enviado por: GI Jorge em Julho 11, 2010, 10:31:00 pm
Citação de: "Instrutor"
Acredito muito mais numa arma altamente resistente e leve em carbono com calibres parecidos aos actuais 5,56 com cadencias de tiro muito mais rapidos e carregadores maiores com cerca de 50 projectis em vez dos actuais 20 da G3 :roll:

Peço desculpa pela ignorancia, mas também nao foram fabricados carregadores de 30 projecteis para a g3, para competir com a ak-47 durante a guerra colonial?
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Camuflage em Julho 11, 2010, 11:54:15 pm
Portugal têm tudo para conceber um destes "soldados do futuro" estão é à espera da mama do Estado tal como acontece com o resto do país. As forças armadas devem juntar-se e ter a iniciativa de procurar empresas e universidades, estabelecer protocolos, estudar o terreno e quais as futuras missões. Não é investir em coisas que não servem para levar lá para fora, isso são negociatas para inglês ver e meia dúzia mamarem. Se não podem ter iniciativa, que protestem, quem protesta por salários e agora quer criar um quarto ramo de forças armadas, pode muito bem protestar por inovação e melhoramento da industria militar.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 12, 2010, 11:25:33 am
Que industria militar?
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: pchunter em Julho 14, 2010, 10:16:32 pm
O soldado do futuro em Portugal.
(http://a10.idata.over-blog.com/1/02/26/37/Portugal/Corpo-Expedicionario-Portugues-04.jpg)
:lol:
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 14, 2010, 05:37:11 pm
Um artigo bastante interessante:

 :arrow: http://magpul.com/assets/files/BLOG/Arm ... aredUp.pdf (http://magpul.com/assets/files/BLOG/ArmyTimes_AllGearedUp.pdf)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: nelson38899 em Março 20, 2011, 10:19:42 pm
Citar
(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2011/03/25-empresasdsc_9490-copy.jpg)

A "Milícia" uma das poucas firmas fornecedoras das Forças Armadas que esteve no SEGUREX, apresentou o uniforme camuflado "Multicam" que previsivelmente irá equipar alguns dos militares portugueses que servem no exterior.

Caro Miguel pode me explicar qual o sentido da sua frase e já agora como anda a o concurso das viaturas para os Páras??
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Vimara1 em Março 23, 2011, 06:45:30 pm
Citação de: "nelson38899"
Citar
(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2011/03/25-empresasdsc_9490-copy.jpg)

A "Milícia" uma das poucas firmas fornecedoras das Forças Armadas que esteve no SEGUREX, apresentou o uniforme camuflado "Multicam" que previsivelmente irá equipar alguns dos militares portugueses que servem no exterior.

Caro Miguel pode me explicar qual o sentido da sua frase e já agora como anda a o concurso das viaturas para os Páras??


Gosto muito do novo uniforme mas o capacete....... aï, aï, aï, que coisa horrível. Tenho ouvido que ele era fabricado na espanha!?!? É verdade? Prefiro o antigo capacete do exército português (do tempo de Salazar). A "Milícia" poderia fabricar um capacete "Made in Portugal" inspirado do antigo modelo do exército.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: PereiraMarques em Março 23, 2011, 11:34:17 pm
(http://www.exercito.pt/sites/OGFE/PublishingImages/pintura.JPG)

 :arrow: http://www.exercito.pt/sites/OGFE/Activ ... s/808.aspx (http://www.exercito.pt/sites/OGFE/Actividades/Paginas/808.aspx)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Vimara1 em Março 24, 2011, 08:00:43 am
Citação de: "PereiraMarques"
(http://www.exercito.pt/sites/OGFE/PublishingImages/pintura.JPG)

 :arrow: http://www.exercito.pt/sites/OGFE/Activ ... s/808.aspx (http://www.exercito.pt/sites/OGFE/Actividades/Paginas/808.aspx)

Pois é mas o design dele é espanhol. Prefiro este modelo:

(http://img7.imageshack.us/img7/4783/m40frente.png) (http://http)

(http://img41.imageshack.us/img41/9590/m40lado.png) (http://http)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 24, 2011, 11:04:08 am
Esse capacete é salvo erro italiano (ou pelo menos o desenho é semelhante). Pessaolmente acho-o feio.

Os capacetes acima mostrados na OGFE são Espanhóis? Dúvido.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Vimara1 em Março 24, 2011, 11:51:31 am
Não o capacete é português e eu o acho bonito, para ver o capacete italiano abrir o link:
http://brasil.abatata.com.br/lista_historicas/1073761 (http://brasil.abatata.com.br/lista_historicas/1073761)   (o capacete italiano è o terceiro).
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 24, 2011, 12:07:14 pm
Vimara o site em questão não é um exemplo de precisão histórica. Vi logo ali pelo menos um erro crasso.

Não sou daquelas pessoas que sabe tudo sobre todos os artigos de fardamento e armamento, mas sempre pensei que o capacete em questão fosse de origem italiana, pelo menos o desenho é bastante semelhante ao italiano. Mas uma coisa eu posso garantir-te, o capacete mostrado pelo Pereira é o PASGT Norte-Americano. Muito provavelmente só foram repintados na OGFE.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Vimara1 em Março 24, 2011, 02:35:29 pm
A parte traseira do capacete italiano alevanta um bocado, o que não se verifique no caso do capacete português.
Mais uma prova aqui:  http://www.svmilitaria.com/Italy.htm (http://www.svmilitaria.com/Italy.htm)

Repito para mim gostava de ver "A Milicia" fabricar um outro capacete "made in Portugal" com design português inspirado daquele capacete do tempo de Salazar.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 24, 2011, 02:47:10 pm
A milicia é uma empresa que vende material não construi nada.

 :arrow: http://www.milicia.pt/institucional/marcas.php (http://www.milicia.pt/institucional/marcas.php)

Já a OGFE com algum investimento é que poderia fazer algo (mas isso é algo que eu dúvido muito).

Como disse o capacete actual é o PASGT Norte-Americano, os Fuzos também usam um capacete israelita. Capacetes militares Espanhóis...desconheço que sejam usados em Portugal.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Julho 17, 2011, 11:47:06 pm
http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/sof/sofber1.html (http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/sof/sofber1.html)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: brunopinto90 em Agosto 02, 2011, 10:46:09 am
Esses capacetes são semelhantes aos capacetes alemães na 2GM, não parece?
Não deveríamos ter uns mais modernos.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: typhonman em Outubro 13, 2011, 04:34:30 pm
Citação de: "nelson38899"
Citar
(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2011/03/25-empresasdsc_9490-copy.jpg)

A "Milícia" uma das poucas firmas fornecedoras das Forças Armadas que esteve no SEGUREX, apresentou o uniforme camuflado "Multicam" que previsivelmente irá equipar alguns dos militares portugueses que servem no exterior.

Caro Miguel pode me explicar qual o sentido da sua frase e já agora como anda a o concurso das viaturas para os Páras??

Parece-me porreiro o multi-cam, vou encomendar um para o Airsoft.  c34x
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lightning em Novembro 05, 2011, 11:50:12 am
Citação de: "afonsinho"
Boas a todos!
Abri este topico por ficar ademirado pelo programa soldado do futuro ainda estar em estudo:
http://www.tecminho.uminho.pt/shownews.php?id=365 (http://www.tecminho.uminho.pt/shownews.php?id=365)
Citar
Por fim na proteção pessoal, os têxteis constituídos por fibras estão a contribuir para a preparação do soldado do futuro. O Tenente Coronel Mário Alves, da Escola Prática de Infantaria, traz ao Workshop exemplos concretos onde a aplicação de materiais têxteis à base de fibras estão a contribuir para novas dinâmicas de proteção e sobrevivência militar.
Abs
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: nelson38899 em Novembro 05, 2011, 12:34:03 pm
Após ter visto apresentação posso dizer que ele não apresentou nada relacionado com isso. Foi mais uma apresentação em busca de parcerias.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: afonsinho em Novembro 05, 2011, 03:43:59 pm
Citar
Após ter visto apresentação posso dizer que ele não apresentou nada relacionado com isso. Foi mais uma apresentação em busca de parcerias.
ja era de esperar. por acaso nao tive a oportunidade de a ir ver.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Novembro 13, 2011, 12:57:40 am
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 08, 2014, 04:36:48 pm
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Fevereiro 16, 2014, 01:53:05 pm
Título: Re: "Soldado do Futuro"?
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 20, 2014, 06:43:52 pm
Título: Re: "Soldado do Futuro"?
Enviado por: nelson38899 em Abril 02, 2014, 10:29:55 am
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 16, 2014, 05:32:10 pm
Outros programas em teste:



Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Janeiro 31, 2015, 01:34:16 pm
Revision Future Soldier
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Julho 07, 2015, 02:22:23 am
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 20, 2015, 12:57:27 pm
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 26, 2015, 09:25:33 pm
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Abril 23, 2016, 01:33:11 pm
Awesome New Russian Military Terminator Test Suit Allows You To Walk Directly Through Explosions


Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: olisipo em Abril 26, 2016, 08:57:34 pm


Russian Ratnik System
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Fevereiro 27, 2017, 02:17:55 pm
(http://defence-blog.com/wp-content/uploads/2017/02/17036646_1258267067594569_1655917454_o.jpg)
(http://defence-blog.com/wp-content/uploads/2017/02/17012657_1258267087594567_2045854148_n.jpg)
(http://defence-blog.com/wp-content/uploads/2017/02/16990065_1258267077594568_603480481_o.jpg)
Devtac develops unique full-face combat assault helmet


http://defence-blog.com/news/devtac-develops-unique-full-face-combat-assault-helmet.html
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Julho 04, 2017, 09:38:31 am
Novo conceito russo.
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: ICE 1A+ em Julho 31, 2017, 04:12:30 pm
Com a verdade me enganas............
Obama anunciou e todos riram pensando ser brincadeira

"We are building the iron man"
.
It's 'getting real': Special Ops Iron Man suit takes shape
SOCOM expects ‘Iron Man’ suit testing by summer 2018


 http://www.washingtontimes.com/news/2017/feb/16/special-operations-command-expects-talos-iron-man-/ (http://www.washingtontimes.com/news/2017/feb/16/special-operations-command-expects-talos-iron-man-/)




Citar
SOF AT&L Seeks Industry Partners for Future TALOS Innovations
U.S. Special Operations Command’s Special Operations Forces Acquisition, Technology and Logistics Center provided a status update of the Tactical Assault Light Operator Suit at the 2017 Special Operations Forces Industry Conference in Tampa, Florida, 17 May.
By: U.S. Special Operations Command Office of Communication - 5/24/2017
SOF AT&L Seeks Industry Partners for Future TALOS Innovations
U.S. Special Operations Command’s Special Operations Forces Acquisition, Technology and Logistics Center provided a status update of the Tactical Assault Light Operator Suit at the 2017 Special Operations Forces Industry Conference in Tampa, Florida, 17 May. The suit is intended to offer SOF operators increased survivability, lethality, situational awareness and decreased time to target engagement. Photo by U.S. Marine Corps Staff Sergeant Jayson Price
SOF AT&L Seeks Industry Partners for Future TALOS Innovations
U.S. Special Operations Command’s Special Operations Forces Acquisition, Technology and Logistics Center provided a status update of the Tactical Assault Light Operator Suit at the 2017 Special Operations Forces Industry Conference in Tampa, Florida, 17 May. The suit is intended to offer SOF operators increased survivability, lethality, situational awareness and decreased time to target engagement. Photo by U.S. Marine Corps Staff Sergeant Jayson Price
SOF AT&L Seeks Industry Partners for Future TALOS Innovations
U.S. Special Operations Command’s Special Operations Forces Acquisition, Technology and Logistics Center provided a status update of the Tactical Assault Light Operator Suit at the 2017 Special Operations Forces Industry Conference in Tampa, Florida, 17 May. The suit is intended to offer SOF operators increased survivability, lethality, situational awareness and decreased time to target engagement. Photo by U.S. Marine Corps Staff Sergeant Jayson Price
1
​U.S. Special Operations Command's Special Operations Forces Acquisition, Technology and Logistics Center provided a status update of the Tactical Assault Light Operator Suit at the 2017 Special Operations Forces Industry Conference in Tampa, Florida, 17 May.

The suit is intended to offer SOF operators better protection and enhanced capabilities. These capabilities include increased survivability, lethality, situational awareness and decreased time to target engagement by the operator.

In addition to showcasing the latest TALOS design accomplishments, SOF AT&L used this assembly of more than 400 defense-industry oriented companies to tackle its newest set of challenges in advancing the TALOS and to further explore potential solutions with defense industry firms both large and small.

"SOFIC provides an ideal opportunity to engage with industry," said U.S. Army Col. James D. Miller, director of the TALOS program. "We're able to leverage the eleven thousand attendees and hundreds of defense industry companies here to find solutions that may not have been considered."

Throughout the week SOF AT&L engineers, acquisition experts and SOF operators were on hand to look at potential technologies and provide inputs to existing industry partners as well as explore potential new partnership opportunities. The teams met with some of the defense industries largest and most notable companies as well as small organizations and start-ups for breakout sessions addressing various aspects of suit development.

"We provided two open sessions to educate the greater community about the technology gaps that have emerged over the life of the program," said Miller. "We also met privately with potential technology contributors to assess the potential for system integration. Overall, the individual sessions were successful and they helped us further connect with industry." 

Reaching out to industry is not a new concept for SOF AT&L. It's been part of the center's approach to acquisition since its inception in 1991 and has become deeply ingrained in the organization's ethos.

"We have always sought to accelerate the delivery of innovative TALOS capabilities to the special operations forces warfighter through outreach and collaboration with industry," said Miller.  "USSOCOM is developing revolutionary capabilities — a suit that offers operators better protection, enhanced performance, and improved situational awareness. We have been able to do that in large part to our numerous partnerships with industry."

SOF AT&L established a joint acquisition task force in November 2013 to begin the iterative process of developing TALOS. To tackle the herculean task, USSOCOM assembled a team of SOF operators, technical experts and acquisition professionals to explore and develop the required technologies. The task force was a success and the TALOS team has since produced numerous iterations of the suit with ever-increasing capabilities and effectiveness. The task forces' original charter called for a first article-prototype in the summer of 2018. The team in on track to do just that, and expects the prototype to be available for testing and further advancement of the design.

"The end game for TALOS is to have unprecedented and overmatched capability against the enemy threat," said Miller. "We move closer to that goal with each iteration of the suit. We'll continue to work with our partners in industry to accelerate the delivery of the most effective technologies."

#SOCOM30; Science and Technology; SOF Acquisition, Technology, and Logistics; SOF AT&L; SOF Operators; SOFIC 2017; Special Operations Forces Industry Conference; TALOS; Tactical Assault Light Operator Suit; Tampa
http://www.socom.mil/Pages/SOF-AT-L-Seeks-Industry-Partners-for-Future-TALOS-Innovations.aspx (http://www.socom.mil/Pages/SOF-AT-L-Seeks-Industry-Partners-for-Future-TALOS-Innovations.aspx)
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 23, 2017, 02:42:12 pm
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 28, 2017, 05:57:34 pm
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 02, 2017, 04:35:39 pm
Future Soldier Documentary: How Will The Future Soldier Be Eqipted & Look Like? Military Documentary


Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Março 04, 2018, 12:10:25 pm
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: HSMW em Março 07, 2018, 10:46:35 pm
(https://images01.military.com/sites/default/files/styles/full/public/2018-03/mechanical-arm-1200.jpg?itok=AV7d5PG1)

https://www.military.com/kitup/2018/03/05/army-wants-equip-soldiers-mechanical-arm-reduce-fatigue.html

Não podemos passar essa fase e saltar já para o exoesqueleto? ...  8) ;D
Título: Re: Soldado do Futuro
Enviado por: Lusitano89 em Maio 14, 2019, 11:57:27 pm