Mensagens recentes

Páginas: 1 [2] 3 4 5 6 7 ... 10
11
Marinha no ForumDefesa.com / Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
« Última mensagem por mafets em Hoje às 02:59:21 pm »
Entretanto...

Citar
Belgium, Portugal, the Netherlands sign up for new M-class IFF systems

The navies of Belgium, Portugal and the Netherlands have signed a contract with Thales for the delivery of new Mode 5 and Mode S identification friend or foe (IFF) systems for their Karel Doorman-class frigates.

The upgrade to the latest NATO IFF standard will enable the vessels to perform military missions with increased dependability and integrity (Mode 5), and better identify civil aircraft (Mode S).

The upgrade will also include the civil Mode S to generate a comprehensive recognized air and surface picture.

According to Thales, the platforms will be fully operational from 2020.

In addition to the supply of identification systems, the contract includes the adjustment of the current LW08 radar systems and the delivery of a user interface for stand-alone control.

The Netherlands sold two of its eight M-class frigates to Belgium and another two to Portugal. As a result, Belgian and Portuguese requirements were taken into consideration as well as the requirements of the Royal Netherlands Navy.

The contract includes an option for three more new generation identification systems for the Vasco Da Gama frigates of the Portuguese Navy.

“We leverage the latest technologies to provide naval forces around the world with the means to better identify air targets and enhance tactical preparedness so they can make the right decisions at the right time. The new generation identification systems will include an advanced user interface to support stand-alone control,” said Gerben Edelijn, CEO, Thales in the Netherlands.

Note-se que para as VdG é opcional porque além de não haver guito, o risco de abater aviões inimigos com os Sea Sparrow deve ser diminuto.

https://navaltoday.com/2018/10/19/belgium-portugal-the-netherlands-sign-up-for-new-m-class-iff-systems/

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide-defence/radiocom/news/naval-forces-belgium-portugal-and-royal-netherlands-navy-rely-new

Ainda eles não se lembraram de tirar os harpoon e passar a destruir navios com os Sea Sparrow...  ;D ;)

https://en.wikipedia.org/wiki/TCG_Muavenet_(DM_357)

Citar
Saratoga fired two Sea Sparrow missiles at Muavenet. The first missile struck in the bridge, destroying it and the Combat Information Center. The second missile struck in the aft magazine but did not detonate. The explosion and resulting fires killed five of the ship's officers and injured 22. Nearby US Navy ships responded in aid to the Turkish ship which was now without leadership. Fire and rescue teams boarded the ship and put out the fires in the bridge and the aft magazine preventing any secondary explosions.

https://turkishnavy.net/2018/10/02/lest-we-forget-dm-357-tcg-muavenet-5/





Saudações

P.S. Nem todos ;)



12
Marinha no ForumDefesa.com / Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
« Última mensagem por NVF em Hoje às 02:45:18 pm »
À muito que venho dizendo que esta MLU é uma palhaçada pegada, sobretudo às VDG. Mas para "dourar a pílula" com 2 fragatas dignas desse nome, ainda vão adquirir um abastecedor e um LPD. Ou seja, com isto nem se quisermos ir à Patagónia Argentina, chatearmos os argies (até com os Pucara e Pampa nos dão uma coça, já para não falar do que resta daquela marinha, e ainda nos conquistam a Madeira)...  :o ::) :P ;)

Cumprimentos

Oh mafets, também não é preciso exagerares. Para esses até as VdG chegam sem entrarem em combate, porque os navios Argies afundam-se nos portos pelos seus próprios meios :mrgreen:
13
Marinha no ForumDefesa.com / Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
« Última mensagem por NVF em Hoje às 02:42:15 pm »
Entretanto...

Citar
Belgium, Portugal, the Netherlands sign up for new M-class IFF systems

The navies of Belgium, Portugal and the Netherlands have signed a contract with Thales for the delivery of new Mode 5 and Mode S identification friend or foe (IFF) systems for their Karel Doorman-class frigates.

The upgrade to the latest NATO IFF standard will enable the vessels to perform military missions with increased dependability and integrity (Mode 5), and better identify civil aircraft (Mode S).

The upgrade will also include the civil Mode S to generate a comprehensive recognized air and surface picture.

According to Thales, the platforms will be fully operational from 2020.

In addition to the supply of identification systems, the contract includes the adjustment of the current LW08 radar systems and the delivery of a user interface for stand-alone control.

The Netherlands sold two of its eight M-class frigates to Belgium and another two to Portugal. As a result, Belgian and Portuguese requirements were taken into consideration as well as the requirements of the Royal Netherlands Navy.

The contract includes an option for three more new generation identification systems for the Vasco Da Gama frigates of the Portuguese Navy.

“We leverage the latest technologies to provide naval forces around the world with the means to better identify air targets and enhance tactical preparedness so they can make the right decisions at the right time. The new generation identification systems will include an advanced user interface to support stand-alone control,” said Gerben Edelijn, CEO, Thales in the Netherlands.

Note-se que para as VdG é opcional porque além de não haver guito, o risco de abater aviões inimigos com os Sea Sparrow deve ser diminuto.

https://navaltoday.com/2018/10/19/belgium-portugal-the-netherlands-sign-up-for-new-m-class-iff-systems/

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide-defence/radiocom/news/naval-forces-belgium-portugal-and-royal-netherlands-navy-rely-new
14
Marinha no ForumDefesa.com / Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
« Última mensagem por mafets em Hoje às 02:39:13 pm »
À muito que venho dizendo que esta MLU é uma palhaçada pegada, sobretudo às VDG. Mas para "dourar a pílula" com 2 fragatas dignas desse nome, ainda vão adquirir um abastecedor e um LPD. Ou seja, com isto nem se quisermos ir à Patagónia Argentina, chatearmos os argies (até com os Pucara e Pampa nos dão uma coça, já para não falar do que resta daquela marinha, e ainda nos conquistam a Madeira)...  :o ::) :P ;)

Cumprimentos
15
Marinha no ForumDefesa.com / Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
« Última mensagem por NVF em Hoje às 02:37:08 pm »
Vamos ficar ao nível da Bélgica.

Nem por isso. Dentro de 5 a 7 anos, a Bélgica vai ter duas fragatas 'state of the art' e seis MCM novos.

O que me surpreende é que só agora o pessoal está a acordar, quando há três anos que se sabia disto -- como o tenente bem apontou! Ha três anos que alguns de nós andam a dizer que vamos ter dos NPOs mais bem armados do mundo. Temos condições para, com três navios com 30 anos, dominar toda a costa de africana entre o Marrocos e a África do Sul (com esses dois países é melhor não nos esticarmos muito).
16
Marinha no ForumDefesa.com / Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
« Última mensagem por typhonman em Hoje às 02:08:10 pm »
Vamos perder 3/5 da capacidade de combate de alta intensidade

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

a descer até ao zero naval

Já em 2015 se sabia, que essa redução das capacidades combativas das VdG, iria acontecer.

https://www.defensemedianetwork.com/stories/portuguese-navy-plans-modernization/

Abraços

Pelo que li no artigo do DN, planeiam fazer o MLU as Vasco da Gama, para durarem mais 20 anos, ou seja, teremos fragatas com a linda idade de 47 anos.

Lentamente, caminha-se para o zero naval de capacidade oceânica de superfície.

Vamos ficar ao nível da Bélgica.
17
Portugal / Re: Orçamentos Anuais do Ministério da Defesa
« Última mensagem por Lightning em Hoje às 12:45:26 pm »
Defesa com aumento de 17,5%

Para combate a incêndios estão reservados 49 milhões de euros.

https://www.publico.pt/2018/10/16/politica/noticia/defesa-com-aumento-de-175-1847729
18
Mundo / Re: União Europeia
« Última mensagem por Cabeça de Martelo em Hoje às 12:30:15 pm »
Bruno Maçães diz que Emmanuel Macron receia aproximação entre Lisboa e Pequim

O ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Bruno Maçães, disse hoje que a França está a tentar conter qualquer tipo de aproximação entre Lisboa e Pequim durante a próxima visita de Xi Jinping a Portugal.

“O presidente [Emmanuel] Macron tem uma estratégia muito dura contra a China, no sentido de conter a influência chinesa na Europa e é ele que está a falar com o Governo português e a tentar que o Governo português não se aproxime da China”, disse à agência Lusa Bruno Maçães.

Maçães, autor do livro “O Despertar da Eurásia” refere-se em concreto à iniciativa da República Popular da China “Belt and Road” (“Cintura e Rota”, numa evocação da antiga ‘Rota da Seda’), de âmbito económico e comercial, e que pretende o estabelecimento de cinturas envolventes, estradas e corredores abarcando "potencialmente" todos os países e regiões entre o Atlântico e o Pacífico.

“A questão fundamental é a visita do presidente Xi Jinping e se Portugal se vai associar à iniciativa chinesa ou não. Tanto quanto sei, o Governo português continua a hesitar, não há debate público nenhum sobre o assunto”, lamenta Bruno Maçães que sublinha também os receios da Alemanha.

“Outro grupo importante, com o qual eu falei nos últimos dois anos é a indústria alemã que está em ‘modo de pânico’ quanto à ascensão chinesa porque a China dos velhos tempos que fabricava cópias imperfeitas de produtos ocidentais acabou e está agora a entrar em áreas onde era suposto a Alemanha ser líder: veículos autónomos, robótica, inteligência artificial. Os planos alemão e chinês para os próximos dez anos são quase copiados um do outro”, afirma.

Maçães, atualmente professor de ciências políticas na universidade Renmin em Pequim e no Hudson Institut nos Estados Unidos, acrescenta que Portugal está no centro destas "discussões" por causa da visita do presidente chinês entre os dias 04 e 05 de dezembro.


“Há nesta altura, muito por detrás das cenas, uma movimentação intensa para saber se Portugal se junta à iniciativa chinesa da nova ‘Rota da Seda’ (“Belt and Road”) com pressões a chegar da Alemanha e da França para não o fazer. Vemos aqui a capacidade chinesa para projetar a sua influência até ao outro lado da ‘Eurásia’”, frisa.

Para Maçães, os planos chineses são agora muito mais ambiciosos e estão relacionados com o aumento da influência na Europa porque, diz, a China “já é capaz” de projetar-se na Europa e Portugal “seria uma peça importante porque seria o primeiro país da Europa Ocidental a juntar-se à iniciativa da nova ‘Rota da Seda’” criando uma perceção de divisão na União Europeia.

“Essa é a razão pela qual a França e a Alemanha têm colocado pressão sobre Lisboa, mas, claramente, a China já tem capacidade para interferir nos assuntos internos europeus”, sublinha.

Para o ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus, entre 2013 e 2015 (Governo PSD/PP), Portugal tem muito a beneficiar com a China porque tratando-se de uma economia pequena o acesso dos produtos portugueses ao mercado chinês pode ser positivo.

“Veja-se o exemplo da Suíça que conseguiu assinar um acordo de comércio livre com a China que lhe dá condições muito favoráveis nos relógios e nos chocolates num mercado de 1,5 mil milhões de consumidores”, refere adiantando que defende uma posição de coesão do bloco europeu.

“A Europa deve manter-se unida em relação à China. Eu sou a favor de um acordo comercial União Europeia - China que pode demorar 10 ou 15 anos a ser negociado, mas, quando estive no Governo, vi que não há apetite nenhum por este tipo de negociação. O acordo está numa gaveta, mas não é negociado. Mas apesar de tudo, num acordo as coisas são controladas, são negociadas e se deixarmos o processo entregue ao caos e ao conflito não leva a nada e é isso que está a acontecer agora”, considera o académico.

Além das questões relacionadas com a República Popular da China o livro “O Despertar da Eurásia” elabora o conceito sobre o “super-continente” cujo eixo se está a deslocar para oriente.

O texto tem como fio condutor o relato de uma longa viagem realizada pelo autor por vários países e regiões entre a Europa e a Ásia e aprofunda também a questão da Rússia e os planos do Kremlin de associação à China e a criação da União Euroasiática, defendida pelo chefe de Estado, Vladimir Putin.

Maçães relata igualmente os bastidores da Cimeira da Associação Oriental de Vilnius, em novembro de 2013, em que participou como membro do Governo português concluindo que o encontro representou “um empurrão da União Europeia” para oriente destinado a entrar em conflito com a Rússia e que Moscovo “estava também a abrir as asas”.

“O Despertar da Eurásia – Em Busca da Nova Ordem Mundial”, de Bruno Maçães (Temas e Debates / Círculo de Leitores) é lançado hoje, em Lisboa.

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/bruno-macaes-diz-que-emmanuel-macron-receia-aproximacao-entre-lisboa-e-pequim
19
Portugal / Re: Fogos Florestais
« Última mensagem por Lightning em Hoje às 12:27:45 pm »
Governo prepara-se para acabar com comandos distritais da Protecção Civil

Num ante-projecto de alteração da Lei Orgânica da Protecção Civil, o Governo cria comandos regionais.

https://www.publico.pt/2018/10/16/politica/noticia/governo-preparase-para-acabar-com-comandos-distritais-da-proteccao-civil-1847605
20
Força Aérea Portuguesa no ForumDefesa.com / Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Última mensagem por Lightning em Hoje às 12:25:13 pm »
Força aérea começa a gerir meios aéreos de combate a fogos em Janeiro

Resolução do Conselho de Ministros estabelece que os contratos passem para a Força Aérea, mas limpos de problemas financeiros ou jurídicos, o que afecta sobretudo os contratos dos Kamov.

https://www.publico.pt/2018/10/23/politica/noticia/forca-aerea-comeca-gerir-meios-aereos-combate-fogos-janeiro-1848520
Páginas: 1 [2] 3 4 5 6 7 ... 10