ForumDefesa.com

Forças de Segurança e Policiais de Elite => Forças de Segurança => Tópico iniciado por: P44 em Agosto 20, 2008, 01:55:45 pm

Título: Lista de Crimes
Enviado por: P44 em Agosto 20, 2008, 01:55:45 pm
Da maneira que isto está bem podemos ir fazendo uma lista, de certeza que vai ser actualizada diariamente... :roll:


este é o mais recente, até agora...
Citar

Setúbal: Ourivesaria assaltada e proprietário baleado
20 de Agosto de 2008, 13:01

Setúbal, 20 Ago (Lusa) - Uma ourivesaria de Setúbal foi assaltada hoje por volta das 12:00 e o proprietário foi baleado, revelou fonte policial à Agência Lusa.

As circunstâncias do assalto ainda não estão totalmente esclarecidas mas no local estão já equipas da PSP e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

A ourivesaria está selada e o ferido foi transportado para o Hospital de Setúbal, acrescentou a mesma fonte.

De acordo com populares, o proprietário da "Jóias Bocage", na Rua de Santa Catarina, terá sido baleado com dois tiros.

GR/CP.

Lusa/fim.
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 22, 2008, 09:31:26 am
Polícia  

 
Mais seis crimes violentos e um assalto "fantasma"

Assaltantes disparam para intimidar vítimas. Falso alarme no Porto mobilizou vários polícias

NUNO SILVA, ANDRÉ CORDEIRO, LILIANA GONÇALVES, CATARINA LEITE e JOSÉ CARLOS PEREIRA

A criminalidade violenta que assola o país teve esta quinta-feira mais seis casos conhecidos. E já marca o subconsciente dos portugueses. Exemplo disso mesmo foi o assalto "fantasma" a uma carrinha de valores no centro do Porto.

O alerta para a PSP chegou à hora do almoço, por volta das 12.30 horas. Uma pessoa dava conta de que um veículo "suspeito", de matrícula estrangeira, estaria a seguir uma carrinha de valores da Esegur, que entretanto estacionou junto ao supermercado Pingo Doce, na Praça da República, no Porto, para ali proceder à recolha de dinheiro.

Com o inédito ataque a uma viatura da Prosegur em Aljustrel (em que foram usados explosivos) ainda na memória, a Polícia não facilitou. Em poucos minutos, a praça ficou tomada por vários carros-patrulha e elementos das forças de intervenção. "Havia agentes com coletes e armados de "shotguns" (caçadeiras). Via-se que levaram bem a sério a denúncia", contou ao JN um comerciante. "Perguntei aos polícias se estava segura e disseram-me que sim, mas para permanecer na loja", acrescentou outra testemunha do aparato.

Mas no local já não se encontrava qualquer viatura suspeita nem havia sinais de eventuais assaltantes. Os próprios tripulantes da carrinha da Esegur "não se aperceberam de nada", ou seja, de que poderiam correr risco de assalto, adiantou uma testemunha. Azar tiveram os condutores de dois carros que passavam na praça, e que, com a confusão, se envolveram em pequenas colisões. Passada a agitação, a viatura de transporte de valores seguiu destino, mas agora sob escolta da PSP, como "medida cautelar", segundo fonte policial.

Bem a sério, quatro indivíduos armados e encapuzados assaltaram e sequestraram, ontem à tarde, o condutor de uma carrinha de distribuição de tabaco, junto ao café Falésia, em Arcozelo, Vila Nova de Gaia.

Tudo aconteceu depois do condutor ter retirado o dinheiro da máquina de tabaco, que estava no interior do café, e ter-se dirigido à carrinha para ir buscar mais cigarros. Foi nessa altura que os assaltantes bloquearam a entrada do café com o automóvel em que se faziam transportar.

Segundo o proprietário do café Falésia, Fernando Godinho, os assaltantes só ameaçaram duas pessoas, para além do condutor da carrinha de distribuição: "Ameaçaram um senhor que estava sentado na esplanada e uma senhora que estava na paragem (do outro lado da rua) e que tinha um telemóvel e uma máquina fotográfica na mão".

Em seguida, o grupo terá obrigado o distribuidor de tabaco a entrar na carrinha. "Mete-te dentro da carrinha já, ou eu lixo-te, que eles já me estão a conhecer!", terão dito, levando depois a vítima até um local a 200 metros do café, onde lhe roubaram mercadoria num valor ainda não apurado, pondo-se em fuga no mesmo automóvel em que chegaram. Segundo apurou o JN, os assaltantes "deixaram" o proprietário do estabelecimento accionar o alarme que imediatamente alerta as autoridades.

Um grupo de encapuzados tentou assaltar, ontem de manhã, a ourivesaria Neves, em Vilar do Pinheiro, Vila do Conde, efectuando vários disparos de caçadeira contra as montras, mas o proprietário conseguiu impedir a investida, accionando as grades de protecção.

Na altura, cerca das 11.45 horas, encontravam-se na ourivesaria Paulino Neves (dono do estabelecimentos), Carlos Neves (filho) e e o neto, de 10 anos, que já tinha assistido a um assalto à mesma ourivesaria há três anos e que ficou em pânico. "Quando dei conta de que estavam a querer entrar e começaram a dar tiros, accionei logo a grande para que descesse", explicou Carlos Neves.

Carla Cruz, moradora, testemunhou a tentativa de assalto. "Fui à janela e vi dois indivíduos encapuzados dentro de um carro escuro, junto aos ecopontos, e outros dois a darem tiros contra a ourivesaria.

Quando fui à porta para pedir ajuda passaram os quatro em alta velocidade". Os assaltante acabaram por desistir e puseram-se em fuga num Nissan Primera preto.

Três homens assaltaram, ontem de manhã, a serralharia "Profilógico", na Rua de Angeiras, Lavra, Matosinhos, roubando 300 euros em dinheiro. O assalto ocorreu por volta das 10.30 horas, quando dois dos assaltantes entraram no estabelecimento fazendo-se passar por clientes.

Segundo um funcionário, que não estava na serralharia na altura do assalto, um dos indivíduos terá ficado perto da porta, enquanto o outro pedia "um orçamento para umas portas". No momento em que o colega de serviço se preparava para fornecer o contacto do proprietário, o indivíduo apontou-lhe uma arma de fogo, exigindo o dinheiro em caixa. "Apanharam o dinheiro e não quiseram saber de mais nada", contou o funcionário.

Após o assalto, os dois homens puseram-se em fuga, num Fiat Uno preto, sem chapa de matrícula, onde estaria o terceiro elemento à espera, tomando a direcção da A28. O JN tentou contactar o proprietário da serralharia, mas este não estava disponível para prestar declarações.

Pela segunda vez em menos de dois meses, a Farmácia Nova de Jugueiros, em Felgueiras, foi assaltada à mão armada. Desta vez, com tiros. O assalto aconteceu anteontem, por volta das 19 horas. Dois encapuzados entraram de rompante no estabelecimento e dispararam logo um tiro contra o tecto. De seguida, deslocaram-se até à caixa e obrigaram a funcionária a dar-lhes o dinheiro todo. No entanto, deram conta da presença de dois clientes, que já se encontravam na farmácia. Os assaltantes ter-se-ão intimidado e dispararam um segundo tiro, sem causar feridos.

"Eu estava com dois clientes, quando eles entraram e dispararam logo um tiro. Quanto ao dinheiro, só posso dizer de que foi uma pequena importância. Eles fugiram a correr, mas não posso precisar se havia outro no carro, à espera", contou a funcionária.
 
JN
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 22, 2008, 11:51:53 am
É agora que a extrema-direita vai começar a ganhar votos :roll:
Título:
Enviado por: Laruschuie em Agosto 22, 2008, 11:54:31 am
Citação de: "Cabecinhas"
É agora que a extrema-direita vai começar a ganhar votos :roll:


Não duvido. Não sei é se esses senhores têm algumas ideias que realmente possam ajudar a resolver a situação, ou se é só velhas cantigas...
Título:
Enviado por: LM em Agosto 22, 2008, 12:49:52 pm
Citação de: "Cabecinhas"
É agora que a extrema-direita vai começar a ganhar votos :roll:


Lembra-me uma frase que li sobre os terroristas de esquerda do Uruguai: "Cavaram a sepultura da democracia e cairam lá dentro"... esta mistura de falta de confiança no futuro do modelo económico da Europa, esta sensação de impunidade e de falta de segurança/justiça ainda vai acabar com tudo. Ainda nos vamos lembrar que "Democracy, the worst governmental system except for all the others"
Título:
Enviado por: André em Agosto 24, 2008, 12:13:04 am
Dois assaltos à mão armada em cafés de Guimarães

Três indivíduos de cara tapada assaltaram, sexta-feira à noite, dois cafés no concelho de Guimarães, tendo efectuado diversos disparos, disse hoje à Lusa fonte policial.
«Ver dois homens a entrar no café, de cara tapada e com armas na mão foi a pior sensação da minha vida», disse à Lusa uma cliente do café MofDof, na Costa, em Guimarães. «Dois homens entravam no café e levavam a máquina registadora, enquanto um terceiro homem ficava no automóvel», confirmou a fonte policial.

O primeiro assalto realizou-se no café Tazi, na vila de Brito. Nesse incidente, um dos assaltantes disparou um tiro à entrada do café e voltou a fazer novos disparos à saída do estabelecimento.

Com cerca de 500 euros na sua posse, os assaltantes voltaram a disparar depois de um dos clientes do café ter «atirado» uma cadeira para a frente do automóvel em que seguiam, disse uma testemunha.

«Foi tudo muito rápido e muito horrível», sublinhou a mesma fonte que, por motivos de segurança, solicitou o anonimato. Os assaltantes escaparam depois num Opel Corsa vermelho, segundo a fonte. A Policia Judiciária de Braga está a investigar os roubos que envolveram disparos.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Agosto 24, 2008, 01:18:59 am
Romena detida por roubo de várias Playstation

Uma mulher de nacionalidade romena foi hoje detida em Santarém por furto de «consolas» num estabelecimento comercial da cidade, disse à Agência Lusa fonte da PSP.

Segundo disse a mesma fonte, a mulher, com 22 anos de idade, «estava munida de um saco forrado que impedia a detecção eletrónica do material que procurava furtar, num valor total de 1.007 euros».

O proprietário do estebelecimento comercial «desconfiou que alguma coisa não estaria bem», disse à Lusa esta fonte policial, acrescentando que, «na sequência de um pedido para analisar o conteúdo do saco que a mulher queria fazer passar foram encontradas várias Playstations no valor total de 1.007 euros».

Na sequência da detenção em «flagrante delito», o empresário que estava em vias de ser lesado chamou a PSP e apresentou uma queixa formal contra a cidadã romena.

Segundo fonte da PSP, «o Procurador analisou e decidiu que a mulher vai ficar detida até segunda-feira, dia em que será apresentada ao Juíz do Tribunal de Santarém para julgamento em processo sumário».

Lusa
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2008, 02:33:46 pm
Setúbal: Estação dos CTT assaltada à mão armada
26 de Agosto de 2008, 12:05

Lisboa, 26 Ago (Lusa) - A estação de Correios de Monte Belo, em Setúbal, foi hoje de manhã assaltada à mão armada por duas pessoas encapuzadas, que não provocaram quaisquer danos físicos aos clientes nem aos funcionários, revelou um responsável dos CTT.

Em declarações à Agência Lusa, Fernando Serrano Marante, do gabinete de imprensa dos CTT, disse apenas que a estação de Monte Belo foi "assaltada às 10:50 por dois individuos encapuzados", não dando quaisquer detalhes sobre a duração do assalto nem sobre o número de clientes presentes na loja no momento do crime.

"Também não tenho informação sobre valores roubados, mas a verdade é que nunca são muito altos porque nunca há muito dinheiro nas estações", garantiu o responsável.

A Lusa contactou a Polícia Judiiciária, que está a acompanhar o caso, para saber mais detalhes mas até ao momento não obteve qualquer informação.

SIM.

Lusa/FIM
Título:
Enviado por: pmdavila em Agosto 26, 2008, 03:53:28 pm
Assaltantes estavam armados e encapuzados
Dois homens armados assaltaram banco Millennium BCP na Tapada das Mercês
26.08.2008 - 15h45 Lusa


Dois homens assaltaram hoje à mão armada o Banco Millennium BCP da Tapada das Mercês, em Sintra, levando 750 euros, segundo fonte da PSP.

De acordo com a mesma fonte, o assalto ocorreu às 9h30 e os dois homens encapuzados ameaçaram os funcionários com uma pistola, conseguindo roubar 750 euros.

Após o assalto os dois homens fugiram a pé, tendo a polícia chegado ao local dois minutos depois de ser chamada.
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2008, 08:40:15 pm
O Barra da Costa é que falou bem na TVI, andam meia dúzia de parvos a levantarem-se cedo para ir trablahar e depois serem roubados...já não bastava serem esses , os honestos, a pagarem os impostos que sustentam os parasitas que aprovam as leis que protegem os criminosos!
Título:
Enviado por: luis89 em Agosto 27, 2008, 06:03:37 pm
epa tambem concordo, infelizmente nao e so em portugal, parece que esta assim em todo o mundo, e ainda falamos mal do brasil e a sua corrupção nas susas forças policiais, mas tambem na europa ta indo por esse caminho  :(
Título:
Enviado por: Gina em Agosto 27, 2008, 06:34:09 pm
Eu se chumbar nas provas vou ingressar no mundo do crime!!!! :lol: Roubar e ter luxo de borla... e mesmo que vá parar à prisão, luxo de borla! Sim, porque andamos nós a pagar para esses malandros comerem :lol:  
"Ah e tal mas então aonde é que havemo de pôr os criminosos?!?!" Não metem! Aliás, metam, uma bala em cada um e aposto que a criminalidade diminui que é um instante! Estes crimes não acabam porque, por mais que as nossas forças de segurança trabalhem bem, os sacanas estão sempre cá fora porque conseguem dar a volta nomeando a lei nº tal do artigo X.P.T.O.! Passado uns tempos PIMBA voltam a fazer o mesmo... até magoarem alguém, vão dentro uns anos, saiem, e o ciclo começa outra vez... O governo anda a formar polícias e guardas para quê???? Mete-os a todos com rédea curta!!!! Deviam ter rédea curta com os marginais!!!! Eu, por exemplo, quero ir para lá arrumar com a escumalha... mas para trancar à chave, não é arrumar para depois o governo os pôr cá fora!!! Deve ser uma frustração para os agentes e guardas, que andam a dar o couro à sociedade, ver sair em liberdade os indíviduos que deteram... Desde já peço desculpa a alguém mais sensível, mas eu passo-me com certas cenas... e andar a sustentar criminosos quando a vida já é difícil para me sustentar a mim e a vê-los passear na rua como se fossem patrões tira-me do sério!

Bjito*
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 28, 2008, 10:55:05 am
Pois eu acho que se deveria investir fortemente na área da construção civil, nomeadamente ao nivel de...prisões...e colocar lá o pessoal honesto, ao menos ficavamos ao abrigo desta escumalha que anda aí á solta nas ruas, e como os juizes gostam de os pôr todos cá fora, ao menos o cidadão honesto e cumpridor ficava abrigado... :roll:
Título:
Enviado por: Gina em Agosto 28, 2008, 12:00:40 pm
E bastava uma vila... não era preciso uma prisão de honestos do tamanho de uma cidade... afinal cada vez são menos!!!!! Ou os criminosos cada vez mais!!!  :?  Enfim...
Título:
Enviado por: André em Agosto 28, 2008, 12:46:44 pm
Caixa Multibanco roubada do Tribunal de Cascais durante a noite

Uma caixa Multibanco foi roubada, esta madrugada do Tribunal de Cascais, depois de a porta principal ter sido arrombada e de o alarme do edifício não ter sido accionado.

Uma funcionária ouvida pela TSF adiantou que o alerta foi dado pelas responsáveis pela limpeza, que entraram ao início da manhã, seis horas depois de o segurança ter terminado o seu turno, às 24:00.

A porta principal do Tribunal foi arrombada e a caixa Multibanco, localizada no «hall» de entrada do edifício, foi levada sem que fosse deixado qualquer vestígio.

Um outro funcionário, citado pela Agência Lusa, adiantou que as câmaras de vigilância não estão a funcionar nas melhores condições.

«O alarme não disparou e as câmaras de vigilância não têm qualidade. A pessoa pode estar a um metro de distância e não ser reconhecida», afirmou.

Devido aos trabalhos da PSP, o Tribunal abriu com meia hora de atraso, cerca das 09:30, mas a polícia ainda está no local a recolher informações.

TSF
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 28, 2008, 02:36:16 pm
mas o boliqueime-man :mrgreen: já se pronunciou...fico muitooooooooo mais descansado....

já agora, o "governo" ainda existe??????
Título:
Enviado por: legionario em Agosto 30, 2008, 12:58:35 am
Ja agora, e para que nao passe despercebido, quero aqui lembrar o assalto (mas assalto com mais classe, diga-se...) que o Banco Comercial Portugues fez a desenas de milhar de honestos trabalhadores e de pequenos empresarios que foram "convidados" pelo referido banco a fazerem créditos na instituiçao para comprar açoes do mesmo BCP . Era condiçao " sine quanon" para o banco lhes emprestar o dinheiro que tinham pedido e que precisavam realmente ! Ou seja : eu peço um emprestimo ao BCP para dinamizar o meu negocio, e o BCP diz-me : sim senhor, mas ja agora faça (subentenda-se :  tem que fazer ! )outro empréstimo para comprar aqui umas açoes do nosso banco !

Como toda a gente sabe, as açoes do BCP perderam metade do valor (ou menos...). Muitas pessoas tiveram que vender as açoes ao desbarato por causa da crise que se vive actualmente, mas o valor das mesmas nao chega para pagar o emprestimo contratado, ou seja, ja nao têm as açoes e continuaram a pagar por elas .

Porque é que nao metem na prisao os vigaristas responsaveis de tais roubos ? a começar pelo filho dum dos bosses do BCP que se abotoou com nao sei quantos milhoes de euros ?

Porque nao metem na prisao os ladroes, que sendo detentores de cargos publicos e politicos roubam descaradamente o Zé povinho com as suas mordomias e os seus salarios completamente delirantes que nao merecem ?

E porque nao metem na prisao os autores das leis que permitem que toda a merda do mundo entre na nossa terra ?

Eu se um dia tiver numa situaçao em que trabalhando, o meu salario nao de para dar de comer à minha familia, vou fazer o quê ? pedir para a porta da Sé ? naaaaaaaaaa!
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 30, 2008, 11:24:17 am
legionário, fale com o Joe Berardo :wink:
Título:
Enviado por: legionario em Agosto 30, 2008, 02:18:59 pm
O  "Joe" ? esse arrivista festivo é tao vigaro como os outros !

faço minhas as palavras do Cristo : " é mais facil um camelo passar por um buraco duma agulha, do que um rico entrar no reino dos céus" ! :):):)
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 03, 2008, 11:46:25 am
Posto de combustíveis em Alcochete assaltado
Hoje às 11:09

 Um grupo de três homens assaltou o posto de combustíveis da Repsol, em Alcochete, na noite de terça-feira, segundo a GNR, tendo ameaçado a funcionária com pedras.
O assalto ocorreu pouco depois das 23:00 horas, ameaçando partir os vidros e ferir a empregada do posto de combustíveis. Os três homens levaram o dinheiro em caixa e vários maços de tabaco.

Durante a madrugada de hoje o posto de abastecimento junto à Ponte Vasco da Gama, sentido Alcochete/Lisboa, também foi assaltado com recurso a armas de fogo, tendo sido levada a máquina de Multibanco e o dinheiro que estava na caixa registadora.

O secretário de Estado adjunto da Administração Interna, José Magalhães, e a direcção da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC) reúnem-se esta manhã para debater medidas destinadas a combater a onda de assaltos a bombas de gasolina.

Durante o ano de 2006, as autoridades registaram 222 assaltos a postos de abastecimento de combustível, tendo a ANAREC contabilizado até agora 241 roubos, acrescentando que muitos deles nem são comunicados.

TSF
Título:
Enviado por: Lancero em Setembro 09, 2008, 05:39:18 pm
Um grupo de páras entreteu-se esta madrugada à pancada com brasileiros em Tomar, o que parece já ser comum (recentemente tinham sido militares belgas também com brasileiros).
Um militar ficou ferido com gravidade ao ser esfaqueado no pescoço.
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 10, 2008, 09:05:32 am
E aquele ontem em Portimão, que desatou aos tiros dentro da Esquadra? giro hein.... :roll:

http://dn.sapo.pt/2008/09/10/cidades/ve ... esqua.html (http://dn.sapo.pt/2008/09/10/cidades/venda_terreno_motivou_disparos_esqua.html)
Venda de terreno motivou disparos na esquadra


JOSÉ MANUEL OLIVEIRA  
Portimão. Um homem de 31 anos que estava a apresentar uma queixa à PSP foi ontem baleado na esquadra de Portimão por um indivíduo a quem tinha vendido um terreno florestal. O negócio complicou--se e terá motivado o crime. Foi uma agente que conseguiu agarrar o suspeito, de 55 anos, quando este já se encontrava na rua. A vítima encontra-se entre a vida e a morte no hospital

Vítima queria devolução de verba de negócio

Problemas num negócio relativo à venda de um terreno florestal, situado no concelho de Monchique, estarão, segundo apurou o DN, na origem de conflitos entre dois homens, que culminaram, ontem, cerca do meio-dia, com um deles a ser atingido, pelo menos, com três disparos de um revólver de munições de calibre .22, efectuados pelo outro no interior da esquadra da PSP de Portimão, quando ambos aguardavam o atendimento para apresentar queixas.

O agressor, de 55 anos, viúvo e residente naquela cidade, com um filho deficiente, acabou por ser detido por uma agente de serviço já a cerca de 20 metros do edifício. Foi entregue à Polícia Judiciária, que tomou conta das investigações, devendo ser ouvido hoje no Tribunal de Portimão. Já a vítima, de 31 anos, que mora em Torres Vedras, após ter sido "estabilizada" no bloco operatório do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio (CHBA), em Portimão, seguiu de helicóptero, cerca das 20.00, para o Hospital de S. José, em Lisboa, onde está ao cuidado de equipa de neurocirurgia.

"O prognóstico é muito reservado", disse ao DN fonte do CHBA. Uma das balas atingiu o indivíduo num ouvido, tendo-lhe provocado um traumatismo craniano. Os restantes disparos causaram traumatismos na face e no abdómen.

De acordo com informações recolhidas pelo DN, os dois homens tinham celebrado um contrato no valor de cerca de 120 mil euros relativo à venda de uma propriedade florestal, com o objectivo de extracção de madeira. Há um mês, o comprador, a vítima dos disparos, ter-se-á atrasado no pagamento mensal (à volta de 20 mil euros) e o dono do terreno acabou por vendê-lo a uma terceira pessoa.

Ao sentir-se enganado, a vítima pediu a devolução do dinheiro que já tinha dispendido. Perante o conflito, ambos decidiram queixar-se um do outro na PSP de Portimão, o que não chegou a acontecer devido aos disparos à queima-roupa. Entretanto, segundo apurou o DN, o agressor estaria a ser pressionado por um funcionário de uma empresa de cobranças difíceis e adquiriu uma arma ilegal, com a qual cometeu o crime.

Em conferência de imprensa, ontem à tarde, em Faro, o intendente Jorge Cabrita limitou-se a ler o comunicado que distribuiu aos jornalistas, recusando responder à maioria das questões. Referiu que "apesar dos elementos policiais posicionados" na esquadra da PSP, "e sem que nada o fizesse prever, o agressor empunhou um revólver e efectuou disparos na direcção da vítima", sem especificar.

"Uma agente policial, de forma pronta e com risco para a sua integridade física, reagiu de imediato e imobilizou o suspeito, fazendo com que largasse a arma e com isso evitando que efectuasse mais disparos, sendo posteriormente auxiliada por outros elementos que se encontravam nas instalações, efectivando-se a sua detenção", acrescentou.
Título:
Enviado por: Gina em Setembro 10, 2008, 11:11:21 am
Ah mulher de armas!!!!!
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 11, 2008, 07:57:37 am
VERGONHA! :evil:

Citar
11 Setembro 2008 - 00h30

Portimão: Juiz desqualifica tentativa de homicídio proposta pelo MP

Atirador em liberdade

O juiz de instrução do círculo de Portimão mandou ontem em liberdade o homem que baleou um indivíduo na esquadra da PSP da cidade e o deixou entre a vida e a morte. O atirador vai aguardar o decorrer do inquérito sujeito a Termo de Identidade e Residência, com apresentações diárias no local do crime e proibido de contactar a vítima e familiares desta e de se ausentar do concelho sem autorização prévia do tribunal.


O arguido está indiciado pelos crimes de detenção de arma proibida e homicídio simples na forma tentada. O Ministério Público pediu, além da posse de arma ilegal, que fosse indiciado por homicídio qualificado na forma tentada. O juiz desqualificou a tentativa de homicídio depois de ouvir o arguido durante uma hora e dez minutos. O suspeito não tem cadastro e "estava a ser ameaçado e perseguido [ver caixa]; e depois actuou emocionalmente", explicou o seu advogado, Silva Brito. A medida de coacção, fundamentada em quatro páginas, acabou por ter como principal preocupação precaver o perigo de fuga.

Quando interpelado, o suspeito disse: "Estou proibido de falar e não estou com disposição." Já no exterior do tribunal ainda hesitou, mas não respondeu à pergunta se estava arrependido. O advogado, questionado sobre se esse arrependimento tinha sido demonstrado em tribunal, respondeu: "Ele disse que sim, embora o Ministério Público tenha entendido que não."

IRMÃ DA VÍTIMA PEDE QUE SEJA FEITA JUSTIÇA

V.G. foi atingido por quatro tiros, dois deles na cabeça. Está internado nos Cuidados Intensivos do Hospital de S. José, em Lisboa. Segundo fonte hospitalar, o seu estado clínico é "muito grave e com prognóstico reservado". É o mais novo de quatro irmãos, tem um filho menor de idade e está divorciado. Negoceia no ramo automóvel em Torres Vedras e é visto pelos vizinhos como um homem calmo e trabalhador. Afamília sabia que tinha ido a Portimão, "para receber dinheiro que lhe deviam desde há cinco anos", num negócio de abate e corte de árvores. Filomena Gomes, irmã, acredita que "o agressor já devia ter tudo premeditado", porque, diz, já várias vezes chamara o irmão e não lhe entregara dinheiro. "Esperamos que seja feita justiça", concluiu.

NEGÓCIO DE 120 MIL EUROS

J.J., 55 anos, baleou V.G., 31, por causa de um negócio de madeira fechado há cinco anos. O primeiro vendeu árvores ao segundo, no valor de 120 mil euros. Recebeu 20 mil por madeira levada e um cheque pré-datado de 100 mil euros pela que se seguiria. Mas os incêndios em Monchique destruíram as árvores. J.J. devolveu o cheque pré-datado. Há um mês, V.G. reapareceu a exigir não 20 mas 40 mil euros. J.J. terá sido perseguido e ameaçado e, por medo, comprou uma arma ilegal. Anteontem, J.J. foi ameaçado em casa por V.G. e mais dois cobradores. Quando se cruzaram na esquadra, abriu fogo.  

PORMENORES

DISPOSIÇÃO

O arguido enviuvou há um ano e mostra sinais de perturbação. De manhã cumprimentou os jornalistas com nervosismo jovial. Conversou muito com os inspectores da PJ e fez gestos amplos perante o juiz.

ACONSELHADO

Foi o advogado quem aconselhou o arguido a ir à esquadra, para ver se a PSP tinha levantado auto da ocorrência matinal em sua casa. Oadvogado não o podia acompanhar nesse dia.

GESTO

A vítima estava na esquadra. Terá apontado o dedo indicador ao arguido em discussão. E este fez cinco disparos de revólver

Paulo Marcelino / Lusa



Que país é este?
Título:
Enviado por: Gina em Setembro 11, 2008, 04:15:38 pm
De gente doida?!?
Título:
Enviado por: FoxTroop em Setembro 11, 2008, 07:17:10 pm
Bem...... Pelo que li aqui.....Se andasse a ser perseguido e ameaçado e ainda por mais virem à minha própria casa....... Não sei não se também não arranjava um canhangulo na candonga.....
Título:
Enviado por: André em Setembro 16, 2008, 01:56:12 pm
Padre assaltado e agredido por encapuzados ...

O pároco de Arcos de Valdevez queixou-se segunda-feira na GNR contra dois indivíduos que assaltaram a sua residência munidos de uma faca, agrediram-no com uma cadeira partiram-lhe a cana do nariz, após o que lhe roubaram 200 euros.

«Foi terrível. Usaram de uma violência extrema, entraram pela residência paroquial dentro aos pontapés, ameaçaram matar-me a mim, à minha irmã e a um outro sacerdote que estava a jantar connosco, pareciam loucos à procura de dinheiro», disse hoje, à Lusa, o padre João Gomes, 74 anos.

Segundo o pároco, o assalto deu-se pelas 20:30 de sexta-feira, quando os indivíduos bateram «normalmente» à porta, «sem obviamente levantar qualquer suspeita».

«Estavam encapuzados e munidos de uma faca com uma lâmina de grandes dimensões, agrediram-me com uma cadeira na cara, partindo-me a cana do nariz, e começaram como loucos à procura de dinheiro», disse João Gomes.

Acrescentou que Levaram o dinheiro que a irmã tinha na bolsa e obrigaram-no a dar-lhes também todo o dinheiro que tinha no bolso, referente às missas que tinha celebrado nesse dia.

«No total, foram cerca de 200 euros», disse.

Naquela paróquia há 35 anos, o padre João Gomes vai reformar-se esta semana, tendo no domingo sido alvo de uma festa de despedida e de uma homenagem que reuniu cerca de 500 pessoas.

«Na sequência do assalto, fui assistido no Centro de Saúde de Arcos de Valdevez e depois no Centro Hospitalar do Alto Minho, em Viana do Castelo, mas mesmo assim não quis deixar de marcar presença nessa festa, para agradecer todo o carinho que os paroquianos sempre me dedicaram ao longos destes anos«, salientou.

O padre septuagenário confessou este foi o primeiro assalto do género que registou ao longo dos 35 anos em que esteve à frente daquela paróquia.

«Furtos em caixas de esmolas há muitos, mas um assalto assim, com esta violência, foi a primeira vez», disse.

Lusa
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Setembro 16, 2008, 10:43:44 pm
Esta lista não parara de crescer. É o resultado de mexidas irresponsáveis ao Código Penal e, sobre tudo, ao Código do Processo Penal.

Muitos (i)responsáveis por essas mudanças já vieram a público dizer que a actual onda de criminalidade não tem nada a ver com essas revisões, argumentando que muitos dos crimes actualmente cometidos são obra de indivíduos que nunca estiveram em prisão preventiva.

Quem lida diariamente com tudo o que de pior há na sociedade sabe que essa é uma falsa questão. O cerne da questão é a “garantia psicológica” que existe na sociedade de que se alguém é apanhado a delinquir as consequências são muito leves, quando não são mesmo nulas. É o chamado “sentimento de impunidade”. Perante isto, e perante uma retaguarda que só estraga o trabalho das diversas forças de segurança, estas pouco (por muito que façam) podem fazer. Não podemos ter um polícia em cada bomba de gasolina, em cada joalharia, em cada banco, etc.
Título:
Enviado por: Gina em Setembro 17, 2008, 12:39:45 pm
Toda a gente já chegou à conclusão de que a criminalidade está a aumentar em Portugal... principalmente em postos de combustíveis, estações de correio, ouriversarias e dependências bancárias...
A corrupção e o tráfico de armas também aumentaram, mas normalmente o "público" em geral só tem conhecimento daquilo a imprensa (principalmente a da televisão) mostra...
Mas se prestarmos atenção ao rádio, aos jornais, pesquizar um bocadinho na net os jornais de outras cidades e reportagens feitas pelas mais variadas fontes, apercebemo-nos que aquilo que a televisão mostra não é nada a comparar com a realidade... até nos apercebemos que que Portugal tem uma onda de violência à muitos anos e não é a novela que os portugueses pintavam...
Entre os crimes cujos números aumentaram destacam-se a corrupção, o tráfico de armas proibidas e o roubo por esticão. Lendo vários relátórios efectuados por diversas entidades competentes, ou que se dizem tal! ,os maiores aumentos verificaram-se mesmo nestas duas áreas: a detenção e tráfico de arma perigosa, subiu 20% e a corrupção em 10,5%. A acompanhar esta tendência está também o aumento da criminalidade geral... e os crimes ditos "novos crimes"...
Entre os números que baixaram destaque para os homicídios e as violações.Também o sector económico viu o número de crimes aumentar. O crime de extorsão aumentou 19,9% e o de associação criminosa 2,5%. Neste mesmo âmbito, também se verificou um aumento na falsificação do Euro, com mais 18,9% de ocorrências criminosas em 2006.

Também as autoridades não escaparam ao crescimento da criminalidade.

Em relação às cidades mais inseguras, é de salientar a presença das principais cidades portuguesas. Lisboa, Porto, Setúbal, Faro, Braga e Aveiro são os distritos com maior índice de criminalidade, ao mesmo tempo que Braga, Faro e Setúbal foram os que registaram o maior aumento de crimes.

O aumento da criminalidade está directamente relacionado com as recentes alterações ao Código de Processo Penal que fizeram com que fossem colocados em liberdade muitos cadastrados perigosos!
O Governo é o principal responsável por esta situação calamitosa e para tentar remediar o mal que causou com essas alterações legislativas, apresenta agora 15 medidas propagandísticas que se destinam apenas a mascarar a negra realidade e a criar uma falsa sensação de segurança.
A principal medida a tomar de imediato seria a do alargamento da medida de coacção de prisão prisão preventiva, a todos os crimes violentos sem excepção.
Outra estratégia a adoptar seria a imediata obrigatoriedade de todos os reclusos prestarem trabalho a favor da comunidade mesmo em meio prisional. Como é sabido os reclusos perdem hábitos de trabalho durante o cumprimento das penas que lhes são cominadas e uma vez em liberdade voltam quase sempre à vida do crime!

Bjito*
Título:
Enviado por: André em Setembro 18, 2008, 05:43:54 pm
PSP prende homem que atirou cocktail molotov a uma esquadra

A PSP de Vila do Conde deteve um homem que pouco antes tinha atirado um engenho incendiário, tipo cocktail Molotov, contra a esquadra local, disse hoje à Lusa fonte do Comando Metropolitano do Porto da PSP.

O incidente ocorreu cerca das 16:30 de quarta-feira, quando o detido, um homem de 23 anos, atirou uma garrafa de vidro contendo um líquido inflamável (vulgo cocktail Molotov) contra a esquadra da PSP local, a qual não chegou a atingir, já que caiu no passeio fronteiro.

O homem, que reside em Vila do Conde e indicou ser empresário têxtil, foi imediatamente detido pelos elementos policiais e compareceu hoje no Tribunal da Póvoa de Varzim, para interrogatório policial e aplicação das medidas de coacção adequadas.

A Lusa não conseguiu, até ao momento, obter daquele tribunal informação sobre as medidas de coacção aplicadas ao suspeito.

O cocktail Molotov é uma arma incendiária artesanal química geralmente utilizada em protestos e guerrilhas urbanas, sendo a sua composição mais eficiente constituída por um quarto de ácido sulfúrico com três quartos de gasolina comum.

Apesar da sua construção artesanal, esta arma pode até destruir alguns tipos de blindagem.

A sua denominação deriva do nome do diplomata russo Vyacheslav Mikhailovich Molotov, cujo nome foi ironicamente atribuído a esta arma química pelos finlandeses à época da invasão soviética de seu país, durante a Segunda Guerra Mundial.

Também na madrugada de 15 de Julho último, cerca das 3h00, o posto da GNR da vizinha cidade da Póvoa de Varzim foi atingido com dois disparos de uma arma de calibre 6,35, um dos quais chegou mesmo a atingir uma máquina no interior das instalações policiais.

Fonte policial disse que os disparos foram feitos por homens aparentando entre 30 e 40 anos.

Na altura, a hipótese de represália foi equacionada pelas autoridades, uma vez que o incidente surgiu na sequência de uma apreensão de armas no Bairro D. Luís, na Póvoa de Varzim.

Lusa
Título:
Enviado por: triton em Setembro 18, 2008, 06:54:07 pm
eu defendo é a CHACINA DA CANDELÁRIA, devia era de aconter CHACINA DE LISBOA E ETC.. era encostar os homicidas a uma parede e meter-lhes um bala de G3 na testa.

já estou farto destes crimes todos, esta malta não trabalha e depois rouba, mas isto é o quê?
desculpem-me a expressão, mas andam os governantes a fod*rem-se uns aos outros enquanto bobmbas de gasolina, ourivesarias e caixas multibanco e etc.. a serem roubadas :x . nos tempos da PIDE não havia a violência que há hoje, hoje em dia é só violência e ninguem faz nada
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 18, 2008, 06:57:24 pm
Bem hoje acordas-te do avesso! :shock:
Título:
Enviado por: André em Setembro 18, 2008, 08:44:23 pm
Citação de: "triton"
eu defendo é a CHACINA DA CANDELÁRIA, devia era de aconter CHACINA DE LISBOA E ETC.. era encostar os homicidas a uma parede e meter-lhes um bala de G3 na testa.

já estou farto destes crimes todos, esta malta não trabalha e depois rouba, mas isto é o quê?
desculpem-me a expressão, mas andam os governantes a fod*rem-se uns aos outros enquanto bobmbas de gasolina, ourivesarias e caixas multibanco e etc.. a serem roubadas :shock:  :wink:
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Setembro 18, 2008, 09:21:03 pm
Citação de: "triton"
eu defendo é a CHACINA DA CANDELÁRIA, devia era de aconter CHACINA DE LISBOA E ETC.. era encostar os homicidas a uma parede e meter-lhes um bala de G3 na testa.

já estou farto destes crimes todos, esta malta não trabalha e depois rouba, mas isto é o quê?
desculpem-me a expressão, mas andam os governantes a fod*rem-se uns aos outros enquanto bobmbas de gasolina, ourivesarias e caixas multibanco e etc.. a serem roubadas :arrow: Não havia um multibanco em cada esquina
 :arrow: Fazias 18 anos, enfiavam-te uma G3 ao ombro e ias para as provincias ultramarinas numa comissão de 2 anos.
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 19, 2008, 12:35:04 pm
:idea:

 :arrow: http://www.correiodamanha.pt/Noticia.as ... 1916DD7676 (http://www.correiodamanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181&contentid=B075BC4B-986E-4F98-97E3-B11916DD7676)
Título:
Enviado por: Silent_Storm em Setembro 20, 2008, 12:07:56 am
http://www.tvi.iol.pt/informacao/noticia.php?id=992689 (http://www.tvi.iol.pt/informacao/noticia.php?id=992689)

Eu fui  :twisted:
Título:
Enviado por: André em Setembro 21, 2008, 05:27:00 pm
Leveza das medidas de coacção para criminosos violentos preocupa representantes das autoridades ...

Os agentes da autoridade estão preocupados com a brandura das medidas de coacção aplicadas a suspeitos de criminalidade violenta, como aconteceu com um ucraniano apanhado com um arsenal que ficou em liberdade, e apelam a uma mudança de mentalidade.

O ucraniano detido pela PJ da Guarda com 42 detonadores, seis cartuchos de gelamonite (explosivos), três armas de fogo, duas armas brancas e mais de três centenas de munições de vários calibres, ficou sujeito a várias medidas de coacção, entre as quais apresentações periódicas às autoridades, embora a posse de explosivos, com uma moldura penal de 2 a 8 anos, cumprisse um dos pressupostos para determinar a aplicação de prisão preventiva, face às alterações impostas pelo novo Código Penal.

"O que acontece é que a lei é garantística em relação aos direitos dos arguidos e somos minimalistas na sua aplicação, ou seja, há a tendência para aplicar sempre as medidas menos gravosas para os arguidos", afirmou à Lusa Carlos Anjos, presidente da ASFIC (Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal, pelo que não ficou surpreendido com a decisão do juiz.

"É uma tendência dos tribunais portugueses", salientou, justificando que "isto acontece por não termos tido um historial de grande criminalidade"

Mas, alertou, "se não queremos que Portugal tenha problemas criminais graves semelhantes aos de outros países, temos de olhar de maneira diferente para determinados fenómenos como é o caso das armas".

Carlos Anjos sublinhou que existe grande quantidade de armas a circular em Portugal, inclusivamente de grande calibre, na maioria oriundas de países de Leste, e que é difícil controlar estas transacções: "As pessoas ainda não se convenceram que o mundo mudou e que nenhum país europeu controla as suas fronteiras terrestres. Por isso, nenhum país sabe o que sai ou entra nas suas fronteiras".

O dirigente da ASFIC apelou a uma mudança da sociedade face a esta nova realidade, e que passa também pelo sistema judicial.

"Quando a aplicação da justiça se faz de forma tão moderada, o sinal que se dá não é de preocupação, é de ligeireza e, até, de alguma compreensão".

O Presidente da Associação Profissional da Guarda (APG/GNR), José Manageiro, manifestou por seu turno "um sentimento de revolta" e apontou os riscos de desmotivação e frustração junto dos agentes da autoridade que a libertação dos criminosos provoca.

"É difícil não sentir algum sentimento de revolta quando muitos de nós perdem a vida no exercício das suas funções, para levar a tribunal os criminosos que depois são logo libertados pelas circunstâncias da lei", lamentou.

"Com estas alterações legislativas, temos a sensação de que andamos sempre a prender os mesmos, porque são libertados e voltam a cometer crimes. Isto causa-nos grande preocupação e leva a uma grande desmotivação e frustração por parte dos agentes da autoridade", acrescentou Manageiro.

"Como é possível este cidadão ter ficado em liberdade?", questionou, referindo-se ao ucraniano. "Ninguém entende isto, nem a polícia nem os cidadãos".

O presidente da APG/GNR entende, por isso, que "algo deve ser feito, ou a nível da alteração da lei ou da alteração do comportamento dos magistrados".

O presidente da Associação Juízes pela Cidadania (AJpC) Rui Rangel não se quis pronunciar sobre este caso em concreto, mas criticou "o legislador que criou dificuldades e impedimentos na aplicação da prisão preventiva", numa alusão ao novo Código Penal que cumpre este mês o seu primeiro ano de vigência.

Para o juiz desembargador da relação de Lisboa, a questão é política: "o Governo é que não quer assumir o ónus de alterar o modelo da prisão preventiva".

O novo Código Penal trouxe algumas alterações relativamente aos fundamentos para a aplicação da prisão preventiva.

Esta medida só pode ser aplicada se for pedida pelo Ministério Público (as medidas decretadas pelo juiz não podem ser mais gravosas do que as do MP), se a moldura penal para o crime em questão for superior a cinco anos de prisão (na anterior versão do CPP era de 3 anos) e se houver perigo de continuação da actividade criminosa, perigo de perturbação do inquérito ou de alteração da prova, perigo de fuga, ou perigo de ser gravemente colocada em causa a ordem pública face à actividade criminosa.

Lusa
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 24, 2008, 01:13:34 pm
:evil:  coitadinho , só foi pena não lhe terem logo limpo o sebo, a ver se estes criminosos começam a ter medo!
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 24, 2008, 02:16:17 pm
Possivelmente... é o rir!

Nas imagens da SIC vêsse mesmo os populares a meter as mãos no óleo  :lol: só tive pena foi de não estarem lá os outros todos a servir de óleo.
Ainda falta os outros que foram corridos a chumbo pelos velhos caçadores quando invadiram as propriedades destes.
Ainda dizem que a justiça popular não traz os seus frutos.
Título:
Enviado por: TOMSK em Setembro 25, 2008, 01:22:57 am
Citação de: "Cabecinhas"
Possivelmente... é o rir!

Nas imagens da SIC vêsse mesmo os populares a meter as mãos no óleo  :wink:
Ahh, já agora...sou a favor :!:
Título:
Enviado por: LM em Setembro 25, 2008, 10:37:41 am
Citação de: "TOMSK"
(...)
Se tudo continuar como está no momento, para breve caminhamos para a célebre justiça popular.
Será um bom tópico de discussão :!:


Eu sou contra.

Aliás o impedir um assalto e/ou tentar na ausencia das autoridades reter assaltantes julgo que não tem nada a ver com justiça e é legal.
Título:
Enviado por: TOMSK em Setembro 25, 2008, 10:48:30 am
Citação de: "LM"
Citação de: "TOMSK"
(...)
Se tudo continuar como está no momento, para breve caminhamos para a célebre justiça popular.
Será um bom tópico de discussão :!:

Eu sou contra.

Aliás o impedir um assalto e/ou tentar na ausencia das autoridades reter assaltantes julgo que não tem nada a ver com justiça e é legal.



Pessoalmente acredito que meia dúzia de "chapadas" bem metidas num criminoso têm um efeito bastante mais dissuador do que uma identificação policial.

Mas isso sou eu :!:
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 25, 2008, 02:00:24 pm
Sentido das Letras / Copyright 2008 - 9/25/2008 12:01 PM
Jovens delinquentes barricam-se com paus e pedras em Lisboa
Os jovens barricaram-se no Centro de Reinserção da Bela Vista.


Um grupo de “sete ou oito” delinquentes barricaram-se com paus, pedras e ferros no Centro de Reinserção da Bela Vista, o que obrigou à intervenção da polícia, adiantou o comando metropolitano de Lisboa da PSP, de acordo com a TSF.

A situação terá saído do controlo e os funcionários decidiram chamar a polícia que conseguiu acalmar os ânimos. Cerca de duas horas depois tudo tinha voltado à normalidade.

Desconhece-se as idades dos jovens barricados e os motivos que levaram a esta situação. O centro recebe jovens entre os 16 e os 18 anos. A PSP ainda se encontra no local.
Título:
Enviado por: dremanu em Setembro 25, 2008, 11:12:59 pm
Eu lembro-me que há uns tempos atrás li um relatório qualquer, que foi feito pela ONU, ou por uma outra organização qualquer não-governamental, que se dedica a este tipo de estudos, onde indicavam que, Portugal e Estados Unidos tinham as maiores populações prisionaís no mundo ocidental.

Ora, sabendo quem está no governo, aposto que estas leís forem feitas de propósito só para que estas estatísticas sejam reduzidas, e para que Portugal não apareça nestes relatórios, pois assim, na mente desta gente, se torna um país mais moderno, progressivo, respeitador dos direitos humanos, etc, e tal.

Sinceramente, o pessoal em Portugal tem o que merece. Quantas das vitimas de crime não teram votado no PS (Partido dos Sacanas), ou em comunas, ou no bloco da esquerda? E não só as vítimas do crime, quantos agentes de segurança não teram votado nessa corja de pilantras? Assim, não há que se queixar, a corrupção continua, e o pessoal está a colher o que semearam.

Bem feito! Tomara que se instale o caos completo, quanto mais crime, quanto mais miseria, melhor, talvez assim o pessoal acorde para a realidade.
Título:
Enviado por: AJ em Setembro 26, 2008, 01:09:36 am
Citação de: "dremanu"
Eu lembro-me que há uns tempos atrás li um relatório qualquer, que foi feito pela ONU, ou por uma outra organização qualquer não-governamental, que se dedica a este tipo de estudos, onde indicavam que, Portugal e Estados Unidos tinham as maiores populações prisionaís no mundo ocidental.

Ora, sabendo quem está no governo, aposto que estas leís forem feitas de propósito só para que estas estatísticas sejam reduzidas, e para que Portugal não apareça nestes relatórios, pois assim, na mente desta gente, se torna um país mais moderno, progressivo, respeitador dos direitos humanos, etc, e tal.

Sinceramente, o pessoal em Portugal tem o que merece. Quantas das vitimas de crime não teram votado no PS (Partido dos Sacanas), ou em comunas, ou no bloco da esquerda? E não só as vítimas do crime, quantos agentes de segurança não teram votado nessa corja de pilantras? Assim, não há que se queixar, a corrupção continua, e o pessoal está a colher o que semearam.

Bem feito! Tomara que se instale o caos completo, quanto mais crime, quanto mais miseria, melhor, talvez assim o pessoal acorde para a realidade.


Dremanu, o problema não pode ser reduzido uma questão partidária! A título de exemplo, os problemas inerentes à PSP não se limitam a opções políticas do actual governo ou mesmo do anterior. É algo crónico, que tem vindo a acontecer de governo após governo, e que neste últimos anos, com a situação de ruptura social, tornou-se demasiado empolado para se conseguir abafar.

Tudo se resume a uma mentalidade política que prima pelo desrespeito total pelo cidadão e pelas regras em favor do cidadão.
Os actuais políticos são o resultado de uma escola praticada durante anos, que defende os poderosos, aqueles que têm algo a esconder, e que não sentem qualquer tipo de restrição moral em alterar as regras democráticas em favor dos seus joguinhos de extorção financeira.

A política portuguesa tornou-se o covil, o antro, a toca de cobras venenosas, capazes de tudo em seu proveito, sem olhar a possíveis danos a milhares, senão milhões de cidadãos do seu país.

Um dos exemplos mais berrantes, foi ter sido necessário ocorrer uma sucessão de casos escandalosos de criminosos violentos não colocados em prisão preventiva, para alguns indivíduos do sistema virem expôr aos media que, se calhar, o actual Código Penal foi redigido para proteger a classe política no que respeita à prisão preventiva.

Para sarar esta ferida social é necessário remover o podre da sociedade, e não me refiro somente aos delinquentes, mas sim sobretudo aos políticos e pseudo-intelectuais com poderes atribuídos pelos seus amiguinhos. Esses sim são os verdadeiros criminosos da nossa República!
Título:
Enviado por: TOMSK em Setembro 26, 2008, 01:59:22 am
Citar
Para sarar esta ferida social é necessário remover o podre da sociedade, e não me refiro somente aos delinquentes, mas sim sobretudo aos políticos e pseudo-intelectuais com poderes atribuídos pelos seus amiguinhos. Esses sim são os verdadeiros criminosos da nossa República!


Nem mais.
Título:
Enviado por: Gina em Setembro 26, 2008, 10:52:43 am
Já lá vai o tempo em que a política era, sobretudo, uma troca de ideias entre pessoas interessadas no bem do país... Hoje, a política é uma disputa entre pessoas com poucas ou nenhumas ideias  :?
Não sou especialista em política, mas também o Estado não mo paga para ser nem me dá carros de topo de gama para andar a passear… por isso mantenho-me no meu lugar com as minhas simples opiniões…

Bjito* :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Setembro 26, 2008, 11:33:30 am
Citação de: "AJ"

Dremanu, o problema não pode ser reduzido uma questão partidária! A título de exemplo, os problemas inerentes à PSP não se limitam a opções políticas do actual governo ou mesmo do anterior. É algo crónico, que tem vindo a acontecer de governo após governo, e que neste últimos anos, com a situação de ruptura social, tornou-se demasiado empolado para se conseguir abafar.

Tudo se resume a uma mentalidade política que prima pelo desrespeito total pelo cidadão e pelas regras em favor do cidadão.
Os actuais políticos são o resultado de uma escola praticada durante anos, que defende os poderosos, aqueles que têm algo a esconder, e que não sentem qualquer tipo de restrição moral em alterar as regras democráticas em favor dos seus joguinhos de extorção financeira.

A política portuguesa tornou-se o covil, o antro, a toca de cobras venenosas, capazes de tudo em seu proveito, sem olhar a possíveis danos a milhares, senão milhões de cidadãos do seu país.

Um dos exemplos mais berrantes, foi ter sido necessário ocorrer uma sucessão de casos escandalosos de criminosos violentos não colocados em prisão preventiva, para alguns indivíduos do sistema virem expôr aos media que, se calhar, o actual Código Penal foi redigido para proteger a classe política no que respeita à prisão preventiva.

Para sarar esta ferida social é necessário remover o podre da sociedade, e não me refiro somente aos delinquentes, mas sim sobretudo aos políticos e pseudo-intelectuais com poderes atribuídos pelos seus amiguinhos. Esses sim são os verdadeiros criminosos da nossa República!


AJ , subscrevo inteiramente, a culpa é desta classe politica de criminosos.

Eles bem se insultam no parlamento mas depois vão almoçar todos juntos.
Título:
Enviado por: André em Outubro 13, 2008, 12:21:20 pm
Jovem atingido por um tiro na mão em tentativa de carjacking

Um homem de 23 anos foi atingido a tiro, domingo à noite, numa mão na sequência de uma tentativa de assalto por carjacking na zona de Felgueiras.

O jovem, residente em Penafiel, está internado em ortopedia no Hospital Padre Américo, em Penafiel, disse à Lusa fonte hospitalar.

A tentativa de assalto ocorreu cerca das 23h00, no Monte da Senhora da Aparecida, freguesia de Pinheiro, concelho de Felgueiras, local habitualmente frequentado à noite por casais de namorados.

A vítima estava dentro da sua viatura acompanhado por uma jovem, quando foi abordado por dois homens, um dos quais armado.

O jovem resistiu às ameaças, recusando-se a sair do carro, apesar do vidro do lado esquerdo e o volante terem sido partidos pelos assaltantes na sequência do confronto físico.

A vítima acabou por ser atingida, na mão esquerda, por um tiro disparado por um dos assaltantes.

Apesar de ferido, o jovem conseguiu pôr o carro a trabalhar, conduzindo-o até ao quartel dos Bombeiros da Lixa, situado a cerca de cinco quilómetros do local do acidente, onde pediu ajuda.

Foi ainda neste local que contou o que lhe tinha acontecido.

Segundo fonte dos bombeiros, foi de imediato transportado ao Hospital Padre Américo, onde deu entrada cerca das 23h35 e onde aguarda uma intervenção cirúrgica.

O automóvel encontra-se no quartel dos Bombeiros Voluntários da Lixa, onde foi deixado pela vítima, aguardando a chegada de inspectores da Polícia Judiciária.

A jovem que se encontrava na viatura não sofreu ferimentos, mas os assaltantes levaram a sua carteira.

Lusa
Título:
Enviado por: AJ em Outubro 20, 2008, 10:46:36 pm
Comentem:

http://www.24horasnewspaper.com/total.p ... 73&link=09 (http://www.24horasnewspaper.com/total.php?numero=2973&link=09)
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 21, 2008, 08:20:51 am
Citação de: "AJ"
Comentem:

http://www.24horasnewspaper.com/total.p ... 73&link=09 (http://www.24horasnewspaper.com/total.php?numero=2973&link=09)


a impunidade no seu melhor... :roll:

isto tá bom é para os criminosos
Título:
Enviado por: P44 em Novembro 13, 2008, 02:48:28 pm
:Palmas:

11 Novembro 2008 - 00h30

Citar

Barreiro: Comerciante abate assaltante com seis tiros
“Dava-lhe uma medalha”


Todos defendem o comerciante. E alguns até o elogiam pela "coragem que teve" quando, na madrugada de domingo, atirou a matar sobre o homem que o assaltara minutos antes. Francisco Marques, o dono do Snack-bar Pintarola, na Quinta da Lomba, Barreiro, tem o apoio dos vizinhos, clientes – e por decisão do tribunal aguarda julgamento à solta. Confessou e o juiz entende que não há perigo de fuga.


'Até lhe dava uma medalha', diz o vizinho do rés-do-chão, elogiando Francisco. 'Se mais fizessem o mesmo, as prisões não estavam tão cheias, e isto estava bem melhor.' Carlota, igualmente moradora no número 20 da rua CapitãoTenente Oliveira e Carmo, diz que o comerciante é boa gente. Vive no sexto andar há alguns anos, não muitos, e 'é muito simpático. Diz sempre bom--dia e boa-tarde.'

Orlando Jesus mora no mesmo andar de Francisco. E costumava encontrá-lo quando, de madrugada, saía para o trabalho. Orlando distribui pão. Sai de casa pelas 04h00, quando o comerciante costuma chegar. 'Muitas vezes fica à espera que eu tire o carro para pôr o dele', conta Orlando, elogiando o acto do comerciante. 'Sabe, é que ainda no outro dia um gajo quis fazer-me a folha', alega, acrescentando que há poucos dias assaltaram uma casa na rua.

Junto ao snack-bar, na rua Lopo Soares de Albergaria, populares também falam sobre o homicídio. Dizem não ter memória de o Pintarola já ter sido assaltado e lamentam a detenção do ‘Chico’. 'Se fez bem? Claroquesim. Defendeu-se', justificaum cliente que se recusa identificar.

ASSALTANTE ABATIDO ERA SEGURANÇA EM DISCOTECA

Francisco Marques, com 54 anos, disparou vários tiros sobre Rui Borda d’Água, de 36 anos, que não resistiu aos ferimentos. O comerciante usou uma arma de recreio – uma pistola calibre .22 – que tinha em casa. O homicídio ocorreu pelas 06h50 na rua Miguel Bombarda, onde minutos antes Francisco deixara Rui. Segundo fontes policiais, Francisco ainda tinha a porta do snack-bar aberta quando Rui chegou. No meio da conversa, o rapaz pediu-lhe boleia e foi quando se encontravam na viatura que Rui sacou de uma navalha e ameaçou Francisco. Roubou-lhe o telemóvel e dinheiro. Depois coagiu o comerciante a regressar ao snack-bar onde roubou 50 maços de tabaco. Novamente na rua Miguel Bombarda, Rui sai do carro e Francisco vai a casa buscar a pistola. Regressa ao local onde deixou o ladrão e procura-o. Encontra-o e dispara sobre ele entre seis a sete tiros. É detido pela PSP, no local, com a arma no bolso. Segundo fontes policiais, Rui não tinha cadastro. Populares garantem que morava no Lavradio e era segurança numa discoteca.

OUTROS CASOS

S. JOÃO DA PESQUEIRA

Alguns moradores de S. João da Pesqueira tentaram linchar, na noite do dia 12 de Outubro, quatro alunos de países africanos que eram acusados de agredir três pessoas.

PALMELA

Cerca de vinte residentes e trabalhadores de Lagameças, Palmela, apanharam dois dos quatro homens que furtaram um carro e assaltaram um café e um supermercado no dia 15 de Maio.

ALHOS VEDROS

Populares da vila de Alhos Vedros ajudaram as autoridades a apanhar jovens que se envolveram em desordens e agressões no centro da vila, no dia 24 de Setembro.

PONTA DELGADA

O Tribunal de Ponta Delgada, nos Açores, condenou a cinco anos de prisão, com pena suspensa, um comerciante acusado de ter morto um assaltante, de 22 anos, no dia 22 de Setembro de 2007, na ilha de São Miguel.


CM
Título:
Enviado por: ShadIntel em Dezembro 12, 2008, 12:21:26 pm
Citação de: "doubleedge"
Filho de Sócrates foi assaltado perto de casa
11/12/2008, 13:39 por P.Vitor

Zona de Telheiras
Filho de Sócrates foi assaltado perto de casa
O filho mais novo do primeiro-ministro, José Sócrates, foi assaltado na passada sexta-feira, perto de casa em Telheiras, por quatro indivíduos que o ameaçaram com facas

Eduardo Fava Pinto de Sousa de 13 anos estava acompanhado com um outro adolescente da mesma idade quando foram atacados pelos ladrões que lhe roubaram um telemóvel e um iPhone, avança o 24Horas.

O alerta para a PSP terá sido feito pelo próprio filho do primeiro-ministro mas ainda não foi apresentada qualquer queixa, tendo as vítimas seis meses para o fazerem.

Fonte da PSP disse que nenhum dos menores ofereceu resistência e que não havia ferimentos a registar, de acordo com o 24Horas.

A mãe, Sofia Fava já confirmou o assalto mas o pai, José Sócrates ainda não fez qualquer declaração sobre o assunto.

SOL

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Socied ... _id=119674 (http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=119674)
Título:
Enviado por: AJ em Dezembro 12, 2008, 08:01:29 pm
Citação de: "ShadIntel"
Citação de: "doubleedge"
Filho de Sócrates foi assaltado perto de casa
11/12/2008, 13:39 por P.Vitor

Zona de Telheiras
Filho de Sócrates foi assaltado perto de casa
O filho mais novo do primeiro-ministro, José Sócrates, foi assaltado na passada sexta-feira, perto de casa em Telheiras, por quatro indivíduos que o ameaçaram com facas

Eduardo Fava Pinto de Sousa de 13 anos estava acompanhado com um outro adolescente da mesma idade quando foram atacados pelos ladrões que lhe roubaram um telemóvel e um iPhone, avança o 24Horas.

O alerta para a PSP terá sido feito pelo próprio filho do primeiro-ministro mas ainda não foi apresentada qualquer queixa, tendo as vítimas seis meses para o fazerem.

Fonte da PSP disse que nenhum dos menores ofereceu resistência e que não havia ferimentos a registar, de acordo com o 24Horas.

A mãe, Sofia Fava já confirmou o assalto mas o pai, José Sócrates ainda não fez qualquer declaração sobre o assunto.

SOL

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Socied ... _id=119674 (http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=119674)


Claro que não apresenta queixa. Por esta hora o paizinho já lhe ofereceu dois novos telemóveis, melhores que os que tinha. Com pais assim, também eu queria ser roubado de tempos em tempos.
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 02, 2009, 01:24:47 pm
Seis assaltos por mês a carrinhas de valores
Portugal foi em 2007 o terceiro país europeu com mais crimes do género

Portugal foi, no ano de 2007, o terceiro país da Europa com mais assaltos no sector do Transporte e Tratamento de Valores, com 83 ataques, e uma média de seis por mês, segundo indica um boletim do Banco de Portugal, citado pelo «Jornal de Notícias».

No topo desta criminalidade está o Reino Unido, com 1059 ataques, seguido da França, com 91. Em termos relativos, Portugal apresenta a maior «taxa de risco» da Europa, refere no texto o director da Esegur, Julio de la Sen.

Em apenas uma década, o nosso país passou de dois ataques, em 1998, para 83, em 2007, sendo que os valores furtados cresceram de 174 mil euros, em 1998, para 2,6 milhões de euros, em 2007.

A situação piorou desde 2005, com um aumento nesse ano de 70 por cento dos crimes, realçando o autor do texto, o impacte «significativo» numa indústria que «factura 65 milhões de euros».

Os dados parciais de 2008 revelam uma situação «mais preocupante», refere noutro texto o director de operações da Prosegur, destacando 100 assaltos a bancos, no primeiro semestre (108 em todo o ano de 2007) com verbas furtadas na ordem dos 500 mil euros.

Uma caixas multibanco assaltadas a cada dois dias

O mesmo responsável dá conta de 50 assaltos a carrinhas de transporte de valores, com um prejuízo de 3,1 milhões de euros, bem como de um assalto a cada dois dias a caixas de multibanco, no valor de 800 mil euros.

Nota de 50 euros a mais contrafeita em Portugal

De acordo com o boletim do Banco de Portugal, até ao final de Novembro de 2008, a nota de 50 euros foi a mais contrafeita em Portugal (3396 unidades), em sintonia com a tendência de 2007, mas ao arrepio da Zona Euro, onde a nota de 20 euros liderou. A moeda de dois euros foi a mais falsificada.

A falsificações encontradas em Portugal apresentavam uma qualidade reduzida por serem reproduzidas com recurso ao «inject», ao contrário da Zona Euro onde as notas, reproduzidas em «offset», apresentavam uma elevada qualidade.


http://diario.iol.pt/sociedade/carrinha ... -4071.html (http://diario.iol.pt/sociedade/carrinhas-de-valores-bancos-dinheiro-assaltos-multibanco-criminalidade/1028270-4071.html)
Título:
Enviado por: AJ em Janeiro 02, 2009, 08:01:43 pm
Citação de: "P44"
Seis assaltos por mês a carrinhas de valores
Portugal foi em 2007 o terceiro país europeu com mais crimes do género

Portugal foi, no ano de 2007, o terceiro país da Europa com mais assaltos no sector do Transporte e Tratamento de Valores, com 83 ataques, e uma média de seis por mês, segundo indica um boletim do Banco de Portugal, citado pelo «Jornal de Notícias».

No topo desta criminalidade está o Reino Unido, com 1059 ataques, seguido da França, com 91. Em termos relativos, Portugal apresenta a maior «taxa de risco» da Europa, refere no texto o director da Esegur, Julio de la Sen.

Em apenas uma década, o nosso país passou de dois ataques, em 1998, para 83, em 2007, sendo que os valores furtados cresceram de 174 mil euros, em 1998, para 2,6 milhões de euros, em 2007.

A situação piorou desde 2005, com um aumento nesse ano de 70 por cento dos crimes, realçando o autor do texto, o impacte «significativo» numa indústria que «factura 65 milhões de euros».

Os dados parciais de 2008 revelam uma situação «mais preocupante», refere noutro texto o director de operações da Prosegur, destacando 100 assaltos a bancos, no primeiro semestre (108 em todo o ano de 2007) com verbas furtadas na ordem dos 500 mil euros.

Uma caixas multibanco assaltadas a cada dois dias

O mesmo responsável dá conta de 50 assaltos a carrinhas de transporte de valores, com um prejuízo de 3,1 milhões de euros, bem como de um assalto a cada dois dias a caixas de multibanco, no valor de 800 mil euros.

Nota de 50 euros a mais contrafeita em Portugal

De acordo com o boletim do Banco de Portugal, até ao final de Novembro de 2008, a nota de 50 euros foi a mais contrafeita em Portugal (3396 unidades), em sintonia com a tendência de 2007, mas ao arrepio da Zona Euro, onde a nota de 20 euros liderou. A moeda de dois euros foi a mais falsificada.

A falsificações encontradas em Portugal apresentavam uma qualidade reduzida por serem reproduzidas com recurso ao «inject», ao contrário da Zona Euro onde as notas, reproduzidas em «offset», apresentavam uma elevada qualidade.


http://diario.iol.pt/sociedade/carrinha ... -4071.html (http://diario.iol.pt/sociedade/carrinhas-de-valores-bancos-dinheiro-assaltos-multibanco-criminalidade/1028270-4071.html)


Porreiro, pá!
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 02, 2009, 08:04:26 pm
Louvado seja o Magalhães!
Título:
Enviado por: LM em Fevereiro 19, 2009, 10:15:02 am
CM 19/Fev/2009 (http://http)

PJ de Lisboa já conta 180 assaltos violentos

Trinta presos só em Janeiro e mais cerca de metade já este mês são a resposta da secção de roubos da Polícia Judiciária de Lisboa à última vaga de crime em toda a zona a sul das Caldas da Rainha até Évora, excepto Setúbal, sendo que há casos de assaltos violentos com vários meses e que são agora resolvidos depois de obtidas provas. Este ano, apurou o CM, a PJ de Lisboa já registou 180 assaltos com armas de fogo –120 em Janeiro e mais de 60 só este mês.

A média de participações feitas a uma brigada de prevenção na área dos roubos ronda, por semana, os 30 assaltos à mão armada, sendo que entre 28 de Janeiro e o último dia 4 foram registados 40 roubos violentos na Grande Lisboa – o período de tempo com mais assaltos desde o início deste ano. Apesar de os números do crime violento em 2008 só serem formalmente divulgados através do Relatório Anual de Segurança Interna, os assaltos à mão armada "estão claramente a disparar na Grande Lisboa e sobretudo na zona de Setúbal", segundo fonte policial.

Além do fenómeno "preocupante" da Margem Sul do Tejo, a polícia está sobretudo atenta à crescente onda de criminalidade violenta associada "a bairros sociais de Loures e Linha de Sintra".

APONTAM AS ARMAS À CABEÇA PARA INTIMIDAR

A forma de intimidação habitualmente utilizada pelos assaltantes passa por apontar as armas de fogo à cabeça das vítimas – que, em pânico, não oferecem qualquer resistência e rapidamente entregam o dinheiro, bem como todos os objectos de valor que lhes são exigidos. Ultimamente, a par dos assaltos à mão armada a estabelecimentos comercias, tem-se assistido a um alastrar de roubos a residências – mas que nem por isso a violência é menor.

Nestes casos, e como há um maior tempo de actuação, os assaltantes retiram todos os bens e ainda amordaçam as vítimas, entre várias agressões e ameaças de morte. Só esta semana, o CM já noticiou três casos de assaltos a casas, onde as vítimas, de faixa etária variada, são sujeitas a várias formas de coacção física e psicológica. n M.P.

GANGS ARMADOS NÃO PARAM DE ATACAR NA MARGEM SUL

Apesar da detenção de vários suspeitos de crimes violentos e da morte de um assaltante ligado ao ‘gang do multibanco’, os roubos à mão armada não param na Margem Sul do Tejo. As autoridades não revelam os números, mas é raro o dia em que não há registo de assaltos.

Bancos, ourivesarias, restaurantes, cafés, supermercados, lojas e residências são os mais afectados, mas nem as empresas com segurança e os tribunais estão a salvo – como nos casos do Tribunal de Setúbal, Portucel e Alstom.

Recorde-se, por exemplo, o final de tarde de dia 9. Bastaram duas horas para que diferentes grupos cometessem cinco assaltos e todos no centro de Setúbal. Ao mesmo tempo, nos arredores da cidade, ocorreram mais três crimes semelhantes.

PORMENORES

MENORES NO CRIME

Uma parte "considerável" dos assaltos à mão armada são cometidos na Grande Lisboa por grupos de menores, "rapazes de 15, 16, 17 anos" que atacam com "grande violência".

RAPIDEZ DE ACTUAÇÃO

Além da extrema violência utilizada, os assaltantes são muito rápidos a retirar os objectos de valor.

CAÇADEIRAS E PISTOLAS

As vítimas reconhecem as armas com que são ameaçadas, identificando sobretudo as caçadeiras e as pistolas.

Henrique Machado
Título: Agente da PSP esfaqueado à porta da esquadra
Enviado por: Gina em Março 09, 2009, 04:05:24 pm
"Um agente da PSP de S. João da Madeira foi esta madrugada esfaqueado no pescoço, alegadamente em retaliação por um caso antigo.
Segundo fonte próxima do agente policial, este estava de sentinela na entrada da esquadra, por volta da 01:00, quando foi atacado pelas costas e ferido no pescoço, com um corte de 1 centímetro de profundidade por 15 de comprimento.
O autor da facada terá sido um indivíduo que já se encontrava nas proximidades da esquadra há várias horas - "a rondar, à espera de uma oportunidade" - mas que, quando questionado sobre a sua presença no local, "desviava sempre o assunto".
A agressão "deu-se por vingança", adianta a mesma fonte.
Em 2008, as buscas que a PSP de S. João da Madeira levou a cabo no acampamento cigano do Parrinho (na mesma cidade) resultaram na apreensão de uma caçadeira que estava na posse de um familiar do alegado atacante.
Terá sido esse o motivo para a retaliação desta madrugada, cerca de um ano depois de efectuadas as buscas.
O agente da PSP agredido foi transportado para o Hospital de S. Sebastião, em Santa Maria da Feira, onde foi suturado. Regressou depois a casa, onde se encontra a recuperar bem.
A mesma fonte afirma que foi a "agilidade e destreza" da vítima que impediu que a facada tivesse consequências piores.
"Outro polícia, mais velho, poderia não ter sabido reagir tão bem", continua.
A mesma desenvoltura também permitiu ao agente manietar de imediato o alegado atacante, que logo depois foi algemado pelos polícias que estavam a pouca distância da vítima.
O atacante foi detido na PSP de S. João da Madeira e, porque em causa está um crime com arma branca, foi depois entregue à Polícia Judiciária.
Vai ainda hoje ser presente ao Tribunal de S. João da Madeira, onde às 10:30 já se aglomerava grande número de familiares." Jornal de Notícias


Ainda bem que a PSP lhe tinha tirado a caçadeira e não a faca senão agora seria agredido a tiro  :?
Título:
Enviado por: P44 em Março 10, 2009, 05:13:22 pm
ai ox comunax  :twisted:

Citar
PCP critica António Costa e apela ao combate à impunidade dos criminosos
10 de Março de 2009, 15:34

O secretário-geral do PCP apelou hoje ao combate à impunidade dos criminosos e acusou o Governo de tomar «medidas securitárias», negligenciando o policiamento de proximidade e as consequências penais imediatas.

Jerónimo de Sousa comentou os distúrbios recentes no bairro Portugal Novo (Lisboa) numa audição sobre a segurança das populações, criticando o desinvestimento no policiamento de proximidade, reflectido no encerramento de várias esquadras na capital.

A calma voltou ao Bairro Portugal Novo, nas Olaias«As esquadras estão degradadas e em vez de serem reparadas o que faz o Governo? Se as instalações estão más, fecham-se», acusou.

O líder comunista questionou «a degradação do serviço público policial e do policiamento de carácter preventivo» e associou a criminalidade ao «vazio da autoridade de Estado».

Mas acrescentou também que os problemas de segurança dos cidadãos não se resolvem apenas com medidas policiais, numa crítica implícita às declarações do presidente da câmara de Lisboa que classificou os incidentes como «um caso de polícia».

«Qual é a alternativa que se coloca às crianças e aos jovens perante uma total ausência de equipamentos? Para o presidente da câmara é apenas um caso de polícia», disse o secretário-geral do PCP, imputando responsabilidades a António Costa.

O presidente do município foi igualmente criticado por nunca ter convocado uma reunião do Conselho Municipal de Segurança, apesar de vários pedidos nesse sentido, uma «omissão» que já tinha sido denunciada pela bancada social-democratas da Assembleia Municipal.

Jerónimo de Sousa exigiu ao Governo «melhores condições de trabalho e de serviço» para os profissionais de polícia e a «aprovação de medidas que diminuam o sentimento de impunidade dos criminosos e que os incentiva a prosseguir estas práticas», nomeadamente consequências penais imediatas e maior celeridade na Justiça.

«É fundamental alterar as orientações a nível de segurança interna. É preciso um salto qualitativo do policiamento de proximidade e uma maior visibilidade», apelou o dirigente do PCP considerando que é um erro tirar a polícia dos bairros problemáticos.

As repercussões sociais da crise económica também não foram esquecidas: «num quadro de previsível agravamento da situação social, ficamos com um sentimento de inquietação profunda em relação às questões de segurança», lembrou Jerónimo.

SAPO/Lusa


http://noticias.sapo.pt/infolocal/artigo/983970.html (http://noticias.sapo.pt/infolocal/artigo/983970.html)
Título:
Enviado por: André em Março 13, 2009, 02:01:24 pm
Fafe: Homem morto em assalto a bomba de gasolina


Um homem de 44 anos, proprietário de uma bomba de gasolina, foi hoje encontrado morto em casa, por familiares, alegadamente vítima de homicídio violento, por ladrões que assaltaram o posto de combustíveis, disse à Lusa fonte policial.

A fonte adiantou que a vítima foi encontrada nos fundos da casa, situada na cidade junto à Variante, com sinais de que terá sido agredido na cabeça com um pau ou com outro objecto contundente.

A casa encontra-se toda remexida pelo que as autoridades concluíram que o ladrão ou ladrões assaltaram a bomba de gasolina da Repsol e, dado que o proprietário se terá apercebido do roubo, foram a sua casa com a mesma intenção.

A fonte adiantou que a GNR e a PJ de Braga já estiveram no local para recolher elementos sobre o crime.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Março 15, 2009, 11:16:51 pm
Idosa de 87 anos atacada e violada em casa


(http://www.correiodamanha.pt/imgs/ca967162-b341-4feb-88dd-fecb0766bf67_738D42D9-134C-4FBE-A85A-DA00E83FDC20_750DBA49-644F-4FE6-82E7-4775CC0951DA_img_detalhe_noticia_pt_1.jpg)

Maria Augusta, de 87 anos, de Castelo Branco estava sozinha e não conseguiu resistir. "Pensei que morria, quando ouvi o estrondo da porta do quarto", diz. O homem entrou pelo telhado, agrediu-a, rasgou-lhe a roupa, amarrou-lhe uma perna à cama com um lençol e violou-a.

CM
Título:
Enviado por: P44 em Março 19, 2009, 11:24:59 am
Caldas da Rainha: Tribunal Judicial assaltado - PSP
19 de Março de 2009, 10:51

Caldas da Rainha, Leiria, 19 Mar (Lusa) - O Tribunal Judicial de Caldas da Rainha foi assaltado esta madrugada, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Leiria da PSP, situação que impediu a sua abertura antes das 10:30.

A mesma fonte explicou que "neste momento os agentes procedem a diligências no interior do espaço no sentido de apurar se foi alguma coisa furtada e se há danos", desconhecendo-se, ainda, a forma como os suspeitos acederam ao interior do edifício.

Uma funcionária do Tribunal adiantou que "há danos", sendo visíveis "portas e fechaduras arrombadas".

A mesma funcionária esclareceu que "houve objectos furtados", mas não soube precisar quais.

SYR.

Lusa/fim
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 20, 2009, 07:05:50 pm
Para os que pensam que a segurança depende só das forças de segurança.

Citação de: "Ivo Carvallho"

O juízo do juiz

Por mais que tente, por mais que me expliquem, por mais que leia e releia as normas do Código do Processo Penal, não consigo compreender como é que alguém que mata a mulher com seis facadas e o faz em frente à filha da vítima, uma criança de dez anos, consegue a proeza de não ficar em prisão preventiva. Por mais que me esforce, não consigo imaginar sequer o terror em que vive aquela criança ao saber que o padrasto pode visitá-la tranquilamente um destes dias, na Mexilhoeira Grande, Portimão, sabe-se lá com que propósito. Porque nem disso ficou impedido.

Os legalistas acharão a tese populista. Porque nenhum juiz age contrariamente ao espírito da lei. E, como tal, Pedro Frias - o juiz do caso - deve ter tido uma razão muito forte para não ter decretado a prisão preventiva do suspeito de um crime de sangue. Mais a mais, dirão ainda, o novo Código do Processo Penal veio diminuir a capacidade de os magistrados aplicarem a mais gravosa das medidas de coacção.

Desconheço os fundamentos da decisão do juiz Pedro Frias, mas não tenho dúvida nenhuma que o senso comum se inclinará a classificá-la, digamos assim, de demasiadamente permissiva. Porque beneficia o arguido e não a vítima (ou, se quisermos, prejudica duplamente uma criança que perdeu a mãe de uma forma bárbara). Neste caso, aparentemente, o crime compensou: a única obrigação do presumível homicida é apresentar-se diariamente às autoridades. E não ir, já agora, se não for incómodo, para muito longe do sol algarvio.

Por que é que isto acontece? Basicamente, porque o arguido soube servir-se bem da lei. Aconselhou-se devidamente com um advogado e, um dia depois de alegadamente ter cometido o crime, entregou-se às autoridades, cortando, assim, pela raiz a hipótese de lhe ser decretada a prisão preventiva com base no risco de fuga. Recebeu uma mera notificação para comparecer no tribunal no dia seguinte, mas só resolveu aparecer dois dias depois. Mesmo assim, o juiz endossou-lhe as chaves de uma liberdade muitíssimo pouco condicionada.

Pedro Frias é o mesmo juiz que não decretou prisão preventiva a um homem que disparou três tiros contra outro dentro de uma esquadra de Portimão, alegando, de acordo com os relatos transcritos nos jornais, que o agressor tinha agido emocionalmente. A vítima, essa, vive agora as emoções como tetraplégica.

Pedro Frias é o mesmo juiz que decretou prisão preventiva a um homem acusado de furtar um telemóvel e é o mesmo juiz que demorou pouco mais de uma hora a também ordenar preventiva ao desequilibrado que roubou um camião em Lagos, matou uma mulher e atropelou outras oito pessoas.

Servem estes exemplos, sobretudo o último, para fazer supor que não se está perante nenhum padrão comportamental e mais perante uma questão de estilo. Mas esta discricionariedade de juízos comporta múltiplos perigos: passa um sinal de impunidade para os criminosos, um sinal de impotência para as forças da autoridade e, mais grave do que tudo, um sinal para as vítimas de que se a lei dos tribunais não acaba com o seu sofrimento o melhor é enveredarem pela menos convencional mas mais certeira lei dos homens. No fundo, fazendo justiça pelas próprias mãos e não pelas mãos dos outros.




 :evil:
Título:
Enviado por: André em Março 25, 2009, 05:48:57 pm
Homem morto a tiro em tentativa de assalto a CTT de Oeiras


Um homem de 61 anos foi hoje baleado mortalmente à saída dos CTT de Oeiras por três encapuzados que tentaram assaltar aquela estação de correios, disse à agência Lusa fonte policial.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP adiantou que existem ainda poucas informações sobre a ocorrência, que está entregue à PJ, mas que testemunhas oculares revelaram que o homem foi morto cerca da 15:10 quando saía da estação de correios de Oeiras.

De acordo com os relatos das testemunhas transmitidos à PSP, os três encapuzados fugiram a pé, não se sabendo ainda se estava alguma viatura à sua espera nas imediações.

Ao incidente ocorreu uma viatura do INEM e o caso está entregue à PJ que procede a investigações no local. Segundo as fontes policiais, o assalto não chegou a concretizar-se.

Lusa
Título:
Enviado por: HSMW em Abril 04, 2009, 12:54:47 am
Em Março 08 houve a noticia de um segurança do Colombo que foi esfaqueado. Algum sabe dos resultados da investigação ou o caso ficou por ali?
Encontrei informação que confirma o suicídio, como se fizesse sentido um suicídio com 3 facadas e depois de um dia de trabalho.  :roll:
Título:
Enviado por: Silent_Storm em Abril 08, 2009, 08:41:52 pm
Um gajo matar-se depois de um dia de trabalho é que não... na melhor das hipóteses seria antes de entrar ao serviço  :twisted:
Título:
Enviado por: Captain Lunatic em Maio 04, 2009, 11:42:54 am
Polícia caldense morto no Algarve

Um agente da PSP de Lagos, natural das Caldas da Rainha, foi morto com um tiro na cabeça, por assaltantes de uma caixa Multibanco em Portimão.

O grupo de assaltantes oriundo de Sevilha (Espanha), composto por sete elementos encapuzados, tentou furtar a caixa Multibanco do hipermercado Ecomarché de Budens, concelho de Vila do Bispo, por volta das 4h45 do passado domingo.

Os criminosos faziam-se transportar num Opel Astra, de matrícula espanhola. Dirigiram-se a Silves, tendo assaltado um armazém, de onde levaram um Mercedes C220 e junto de um café de Budens roubaram uma carrinha Ford Transit. Na zona de Portimão, apoderaram-se de um auto-reboque, com o qual, em marcha-atrás, destruíram a porta metálica do supermercado e retiraram a caixa Multibanco.

Na altura, um militar da GNR, num carro particular à civil, passou na zona e foi alvo de um disparo. O militar buscou um lugar seguro e ripostou. O gang deixou a caixa, o reboque e a Transit, optando pela fuga a alta velocidade em direcção a Lagos, onde a PSP tinha, entretanto, montado uma barreira.

Quando enfrentaram a barreira policial, na primeira rotunda do Nó de Lagos da Via do Infante, houve nova troca de tiros com os assaltantes e foi nesse momento que o agente da PSP foi atingido mortalmente.

De acordo com o Comando da PSP de Faro, os dois veículos em que seguiam os assaltantes chegaram à barreira policial, constituída também por dois veículos, quando um dos carros da polícia ainda se estava a posicionar. Os dois carros fugitivos - que eram perseguidos por uma viatura da GNR - chegaram a reduzir a velocidade, dando a ideia de que iam parar, acelerando repentinamente, forçando a passagem pela berma, por onde escaparam. Ao mesmo tempo, um dos assaltantes efectuava disparos à queima-roupa, na sequência dos quais o agente Sérgio Patrício Martins, de 49 anos, posicionado junto da sua viatura, foi atingido na cabeça.

Presume-se que o grupo de assaltantes seja o mesmo que na passada quinta-feira tentou remover uma caixa Multibanco de uma bomba de gasolina em Faro, envolvendo-se em tiros com a GNR e conseguindo escapar ileso. O mesmo grupo terá também roubado uma caixa Multibanco num posto de gasolina em Silves, a 24 de Novembro. Nas três ocorrências os indivíduos actuaram com idêntico “modus operandis”, com a utilização de viaturas furtadas de altas cilindradas e actuação com violência.

Sérgio Martins é o quarto agente da PSP morto desde o início do ano e o terceiro a ser baleado na cabeça. Em Fevereiro, um agente foi morto durante uma patrulha na Cova da Moura, concelho da Amadora. No mês seguinte, dois agentes foram mortos quando interpelaram um homem, no Bairro da Falagueira, também na Amadora.

Perante este cenário, “o Governo nada faz”, acusou, em comunicado, a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP).

Para os profissionais da PSP, "o elevado número de mortes e agressões sofridas pelos agentes de polícia em serviço exigem medidas que salvaguardem a sua integridade física e tranquilidade dos seus familiares".

A ASPP/PSP exige igualmente que "as punições previstas para os crimes de agressão e morte aos polícias se tornem evidentes, e que não se dê alento aos indivíduos marginais às normas sociais e aos deveres de cidadania num Estado de direito".

No comunicado, a associação exige ainda que "seja revisto o regulamento do uso da força e utilização das armas de fogo" e considera que o texto em vigor é "um incentivo a esses criminosos".

“O Governo não tomou qualquer medida no sentido de proteger a polícia”, argumentou também o presidente do Sindicato Nacional da Polícia (SNP), Armando Ferreira, acrescentando que “a polícia está a bater no fundo, com a falta de alguém que nos defenda”.

O presidente do sindicato afirmou ainda que no nosso País “há falta de formação da polícia em situações de tiroteio, perseguição e imobilização de viaturas” e considerou que os grupos de criminosos armados preferem vir para Portugal, e não para Espanha, porque têm consciência da falta de poder da polícia portuguesa, designadamente para “poder abrir fogo”.

O Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP) admitiu poder vir a responsabilizar criminalmente o ministro da Administração Interna e outros responsáveis políticos pelo "laxismo existente nas condições de trabalho" concedidas aos agentes em serviço.

"Só começando a responsabilizar política e criminalmente os responsáveis políticos poderemos acabar ou fazer diminuir estas tragédias que ciclicamente ocorrem", disse o delegado do SPP no Algarve, António Cartaxo.

O dirigente sindical garantiu que, nos próximos dias, o SPP vai analisar a viabilidade jurídica de responsabilizar os titulares de cargos políticos responsáveis pela área das polícias e o próprio director nacional da PSP.

Em comunicado, o SPP atribui as causas profundas de acontecimentos como o do passado domingo à "incúria, desleixo, negligência e insensibilidade" dos responsáveis políticos da área da polícia.

"Não nos conformamos apenas com as lamentações e os sentidos pêsames à família que já se adivinham vir aí da parte dos responsáveis políticos e tutelares da polícia", adianta o comunicado, observando ser necessário "muito mais do que isso para que os polícias deixem de morrer em acções policiais onde deviam ter todas as condições de protecção material ao seu dispor".

Em conferência de imprensa, o director nacional adjunto da PSP, António Chumbinho, garantiu que “os procedimentos policiais e os recursos humanos postos no terreno em Lagos foram os correctos e adequados”. Invocando um possível prejuízo das investigações, o responsável escusou-se a mais pormenores.

A família do polícia assassinado em Lagos foi apanhada de surpresa pela notícia da sua morte, embora tivesse consciência da profissão de risco que tinha. “Era uma pessoa destemida mas ponderada e dizia que ‘só tenho de morrer onde tiver de morrer”, contou Maria dos Anjos Martins, cunhada do chefe da PSP.

O sobrinho Marco Martins apontou que era “uma pessoa que não gostava de violência, era pacato e cumpria o dever com justiça”, sublinhando que “guardava bem o segredo profissional e não contava muitas histórias da sua actividade”.

Luís Martins, irmão do agente, recordou que “ele fez a tropa e sempre quis ser polícia, o que conseguiu”.

Sérgio Patrício Martins pertenceu ao Grupo de Operações Especiais (GOE) durante doze anos e após um acidente de moto que o levou a abandonar esta força especial, prestou serviço na esquadra da PSP das Caldas da Rainha, onde um dos cunhados desempenha funções na secção de trânsito.

Como gostava do Algarve, há onze anos pediu transferência para Lagos, onde fixou residência e morava com a esposa e dois filhos, de 13 e 22 anos. De dois em dois meses regressava às Caldas da Rainha, onde também tinha casa e onde se concentra a família do casal.

Na sua folha de serviços constam ainda serviços prestados nos Açores e numa missão de paz da PSP durante vinte meses na ex-Jugoslávia.

O funeral realizou-se na passada terça-feira, num cemitério das Caldas da Rainha. O comando da PSP tem prestado “um serviço impecável” no acompanhamento da viúva, Maria da Conceição, pelo que tem sido transmitido por familiares que se deslocaram ao Algarve. A viúva, doméstica, diz que já nada a prende a Lagos e o regresso definitivo da família às Caldas da Rainha está para breve.


http://www.oesteonline.pt/noticias/noti ... ?nid=10932 (http://www.oesteonline.pt/noticias/noticia.asp?nid=10932)
Título:
Enviado por: Lancero em Maio 04, 2009, 02:59:58 pm
^^
Essa notícia é de Dezembro de 2005.
Os assassinos já foram condenados.
Título:
Enviado por: Captain Lunatic em Maio 04, 2009, 03:57:42 pm
Citação de: "Lancero"
^^
Essa notícia é de Dezembro de 2005.
Os assassinos já foram condenados.

Ei, desculpa lá. Vi a notícia num Blog e nem reparei na data, como foi postada há uns dias pensei que fosse recente, deve ter sido erro do blogista também.

Desculpa lá estar-te a tratar por tu, não sei se gostas.
Título:
Enviado por: Captain Lunatic em Maio 21, 2009, 05:18:00 pm
Gang KDP lidera pequeno crime


Albufeira: Suspeitos de furtos e roubos por esticão

São muito jovens, quase todos adolescentes, e lideram a pequena criminalidade em Albufeira. Actuam sobretudo na cidade onde, este fim-de-semana, na zona de Montechoro, terão ‘feito’ cerca de uma dezena de residências, de onde furtaram plasmas (o seu alvo principal), telemóveis e algum ouro. Mas são também suspeitos de roubos por esticão a turistas, sobretudo no Verão, e também não desdenham o furto de viaturas. Há cerca de um mês, terão agredido, com um bastão, um militar da GNR e, há um ano, outro, à cabeçada.

Autodenominado KDP (sigla de ‘Kinta da Palmeira’, o bairro onde quase todos os seus elementos residem), o gang está referenciado por dezenas de crimes em Albufeira, mas a sua actividade é também conhecida em Armação de Pêra e Carvoeiro. A GNR reconhece-lhe "identidade própria e alguma organização", tendo fonte do Comando admitido estarem a decorrer "mais de uma dezena de inquéritos" com ele relacionados.

Desde o seu aparecimento, há cerca de ano e meio, a actuação do KDP tem constituído uma dor de cabeça para as autoridades, moradores e empresários locais. Comerciantes de Albufeira referiram ao CM, sob anonimato, temer que o gang "se torne, com o tempo, igual ao da Bela Vista, em Setúbal". E fonte policial admite que "se a Justiça não lhes puser travão, estes jovens evoluirão no mundo da marginalidade".

No bairro da Quinta da Palmeira, o silêncio é a palavra de ordem mas alguns moradores, também sob anonimato, admitiram ao CM ter algum receio do grupo, razão pela qual optam por "não deixar os seus filhos sair à rua, de noite", altura em que as cerca de duas dezenas e meia de elementos do KDP (sobretudo rapazes mas também raparigas), "enchem o largo do Centro de Emprego e outras zonas do bairro, bem como as imediações das Piscinas Municipais, a fumar charros e a fazer barulho". Grafittis com tags nas paredes e no pavimento confirmam, aliás, ser aquele o seu território.

PERSEGUIRAM GNR E AGREDIRAM-NO COM BASTÃO

Há cerca de um mês, um GNR do Posto de Albufeira foi agredido com um taco de basebol por dois elementos do KDP. Estava à civil e em tempo livre, caminhando na zona da Piscina Municipal, mas foi reconhecido. Fugiu e foi perseguido até ao estacionamento do Posto, onde os dois elementos foram detidos. Saíram em liberdade. Há um ano, outro militar do posto foi também agredido por elementos do gang. As agressões sugerem actos de vingança, a militares isolados, pelo forte empenho que a GNR local tem tido no combate ao gang.

PORMENORES

ORGANIZAÇÃO

Com idades entre os 13 e os 20 anos (os mais velhos são os líderes naturais), os KDP revelam organização. Furtam em grupo e fazem contravigilância, com recurso a auto-rádios, para detectar a GNR.

INTERNET

Bonés na cabeça, meias sobre as calças: a imagem de marca dos KDP, alguns dos quais se identificam, na internet, como ligados ao grupo da Quinta da Palmeira. O sentido de identidade é claro.


in Correio da Manhã
Título:
Enviado por: Silent_Storm em Junho 09, 2009, 12:48:46 pm
(http://img145.imagevenue.com/loc817/th_48345_CM_26MAI09_122_817lo.jpg) (http://http)

Mais uma detida para o curriculum...
Título:
Enviado por: Treespirit em Junho 12, 2009, 12:40:29 am
Não vou falar onde foi o sitio que vi, porque poderia revelar as pessoas envolvidas no caso.

Vi ontem à noite uma situaçao engraçada um elemento do CI agrediu um agente da psp fora de serviço que conheço de vista.

A situaçao foi a seguinte esse agente da psp estava na sua vida, a sair à noite e estava noma zona ao pe de uns bares a discutir com a sua namorada ou mulher, mas nada de anormal como nos vemos todas as noites, estavama falar um pouco altoe apareceram 2 agentes do CI que estavam de patrulha e foram la dizer de uma maneira ameaçadora para eles se calarem.
O homem que já estava exaltado disse pra ele sair dali que não tinha nada a ver com o assunto, disse isto aos berros e o CI não gostou e deu lhe com o cacetete duas vezes nas pernas.

Depois instalou se ali uma confusão dos diabos, ele identificou se e os amigos dele que estavam a sair a noite foram lá e ouve uma embrulhada dos diabos depois apareceram logo uma data de CI's e a situaçao acalmou se e la ficou tudo bem.

Se ele não fosse policia tinha levado um enfardamento dos diabos, disso não tenho a menor dúvida.

Agora pergunto uma coisa, mas que imagem é esta que a policia dá aos outros cidadãos?
Título:
Enviado por: Treespirit em Junho 12, 2009, 12:46:52 am
.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Junho 14, 2009, 11:23:30 pm
Citação de: "Keyone"
É com enorme pena que vejo a situação miseravél em que se encontra Portugal na defesa dos seus cidadãos que trabalham para viver e acabam assaltados ao fim de um dia de trabalho estafante.
 Eu como militar fui assaltado e não a meio de por um termo final a esta situaçao agravada que se encontra Portugal.
Pergunto me as forças que temos quer policiais e militares não podem por um rumo a este País ?
 Será que ainda há Portugueses em Portugal?
Título: Eu só peço um Portugal seguro
Enviado por: Keyone em Junho 14, 2009, 11:40:27 pm
Eu só peço um Portugal seguro temos tanta policia tanto militar gastamos imenso dinheiro só peço segurança mais nada quero viver tranquilo e não com medo
Título:
Enviado por: ShadIntel em Julho 05, 2009, 06:52:13 pm
Citação de: "SLBFaNaTiC"
05 Julho 2009 - 17h48

Após responderem a uma ocorrência
Amadora: Dois polícias baleados
Dois polícias foram baleados este domingo no bairro de Santa Filomena, na Amadora, depois de terem respondido à chamada de uma ocorrência no local e de terem sido "recebidos a tiro".



A notícia foi avançada por uma fonte da PSP à versão online do canal TVI24, que adiantou que os dois agentes foram 'atingidos na face', mas 'estão fora de perigo', tendo sido transportados para o Hospital de S. José, em Lisboa.

O bairro de Santa Filomena está agora a ser cercado pela PSP.


http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... EE2663DD76 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021&contentid=244A3080-9106-4350-86CB-9FEE2663DD76)
Título:
Enviado por: Açoriano em Agosto 27, 2009, 03:12:14 pm
Ladrões violentos com ajuda do Estado

A viagem sozinho a Fátima corria bem até que, de noite, ‘António’ decidiu parar só para tentar comer qualquer coisa. Voltou com um hamburguer ao carro e, sentado ao volante, mal se distraiu já tinha uma pistola e facas apontadas à cabeça. Acabou sequestrado hora e meia pelos quatro homens que, enquanto roubaram o que puderam do seu multibanco, ainda o espancaram e fecharam-no dentro da mala do carro. A Polícia Judiciária já apanhou três, mas uma juíza libertou-os. E continuam a viver do Rendimento Social de Inserção. De resto, há muito que conciliam os enormes rendimentos no mundo do crime com uma vida recheada de subsídios à custa do Estado – que vai pagando sempre, apesar dos longos registos criminais por roubo, furto e tráfico de droga. Um deles até já cumpriu duas penas de prisão por vários crimes violentos.

http://www.correiodamanha.pt/Noticia.as ... D2D091678C (http://www.correiodamanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181&contentid=6DE2B680-325F-4D26-B0D3-A8D2D091678C)
Título:
Enviado por: Açoriano em Agosto 27, 2009, 03:18:52 pm
Citação de: "Açoriano"
A Polícia Judiciária já apanhou três, mas uma juíza libertou-os. E continuam a viver do Rendimento Social de Inserção. De resto, há muito que conciliam os enormes rendimentos no mundo do crime com uma vida recheada de subsídios à custa do Estado
Eu não sei se isso é uma anedota ou uma adivinha :amazing:
Roubam, espancam e continuam a viver às custas de quem trabalha.
Isso anda tudo revirado :shock:
Título:
Enviado por: pxcastro em Agosto 27, 2009, 06:15:28 pm
O senhor Paulo Portas tem cartazes a dizer:
"PORQUE É QUE OS CRIMINOSOS TÊM MAIS DIREITOS QUE OS POLÍCIAS?"
Resposta: Porque vivem e "trabalham" em Portugal.
É muito simples, sr. Portas.
Título:
Enviado por: pxcastro em Agosto 28, 2009, 12:23:39 pm
Disparou 3 vezes em seco contra GNR a quem tirou arma
Guarda só não morreu porque agressor não puxou culatra.Quatro militares e três irmãos feridos em confronto em Fafe
00h24m
CARLOS RUI ABREU

Dois militares da GNR de Fafe, chamados a uma desavença entre vizinhos, foram agredidos. A um, tirararam-lhe a arma, que lhe encostaram à barriga e dispararam três vezes, em seco; se tivessem puxado a culatra, matavam-no.

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia ... id=1346373 (http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1346373)
Título:
Enviado por: BLZ_xFAP em Agosto 28, 2009, 01:29:42 pm
Hahahaha, isto é cada história...não sei se sabem do proprietário de um café em Lousada que deu tiros de caçadeira a 4 assaltantes que iam roubar a máquina do tabaco à frente dele, 2 fugiram e outros 2 ficaram feridos, é óbvio que vai sobrar para o homem e os gatunos devem ter que se apresentar numa esquadra qualquer de vez em quando...

http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 99B8C21FBF (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&contentid=17A368EB-FB50-4977-82E8-1399B8C21FBF)
Título:
Enviado por: BLZ_xFAP em Agosto 28, 2009, 01:32:40 pm
Citação de: "pxcastro"
Disparou 3 vezes em seco contra GNR a quem tirou arma
Guarda só não morreu porque agressor não puxou culatra.Quatro militares e três irmãos feridos em confronto em Fafe
00h24m
CARLOS RUI ABREU

Dois militares da GNR de Fafe, chamados a uma desavença entre vizinhos, foram agredidos. A um, tirararam-lhe a arma, que lhe encostaram à barriga e dispararam três vezes, em seco; se tivessem puxado a culatra, matavam-no.

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia ... id=1346373 (http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1346373)


Desculpem lá, mas depois de ver esta só digo que não tenho pena nenhuma se começarem a agir à "USA" mode...
Título:
Enviado por: pxcastro em Agosto 28, 2009, 02:22:41 pm
Com maneira de agir à "USA" e com um código penal leve como o nosso, a unica coisa que se arranja é os guardas e agentes serem ainda mais os "maus da fita".
Título:
Enviado por: BLZ_xFAP em Agosto 28, 2009, 02:31:23 pm
Citação de: "pxcastro"
Com maneira de agir à "USA" e com um código penal leve como o nosso, a unica coisa que se arranja é os guardas e agentes serem ainda mais os "maus da fita".


Eu queria dizer depois da revisão do código penal, claro...da maneira como está, não vale de nada agir à bruta realmente. Aliás, nem vale a pena usarem arma de fogo, praticamente não a podem usar e correm sempre o risco de os larápios tirarem-na do coldre e serem eles a disparar contra os agentes e ainda alegarem legítima defesa...
Título:
Enviado por: Açoriano em Agosto 28, 2009, 02:37:06 pm
Citação de: "pxcastro"
Disparou 3 vezes em seco contra GNR a quem tirou arma
Guarda só não morreu porque agressor não puxou culatra.
Que já não há respeito quase nenhum pelas autoridades, isso já sabemos, mas chegar ao ponto de tirar a arma ao militar e disparar contra o mesmo…
Se o gajo puxa a culatra já tínhamos mais um para a conta.
Tentam abater um agente da autoridade como quem dá dois tiros num coelho, isto não tarda nada e está como a favelas brasileiras.
Título:
Enviado por: BLZ_xFAP em Agosto 29, 2009, 02:41:18 pm
Prato especial do dia na linha de Sintra:

http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... omentarios (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&contentid=A0FE76B1-363E-4A8B-94C6-305B90812CDD&goComments=21#comentarios)
Título:
Enviado por: BLZ_xFAP em Setembro 07, 2009, 03:33:39 pm
Mais um:

http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 11E7857A27 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&contentid=4A3CE87D-DA75-4A30-AC11-F411E7857A27)