ForumDefesa.com

Economia => Países Lusófonos => Brasil => Tópico iniciado por: J.Ricardo em Maio 04, 2005, 06:25:47 pm

Título: EMBRAER
Enviado por: J.Ricardo em Maio 04, 2005, 06:25:47 pm
Citar
EMBRAER EXPANDE SEU PORTFÓLIO DE JATOS EXECUTIVOS
Embraer lança os jatos Very Light e Light


São José dos Campos, 3 de maio de 2005 – A Embraer anunciou hoje que está fortalecendo a sua posição no mercado de aviação executiva com novos produtos e serviços. O primeiro passo para expandir seu portfólio de produtos é a complementação da oferta do Legacy com jatos para as categorias Very Light e Light.

Criada recentemente, a categoria Very Light é composta por aeronaves que transportam entre 6 e 8 pessoas ou até 10.000 libras (4.536 kg). O segmento Light, já estabelecido, é composto de jatos que usualmente transportam até 8 ou 9 pessoas.

A Embraer vai oferecer uma completa gama de soluções integradas de serviços para apoiar a expansão do portfólio de produtos. No futuro próximo, a Empresa revelará essas soluções, que abrangerão desde vendas até o suporte integral ao cliente.

“O Legacy abriu caminho para a construção do nome Embraer no mercado de aviação executiva. Esta foi uma experiência enriquecedora da qual lições valiosas foram extraídas.

O conhecimento acumulado irá moldar a nossa entrada nos segmentos de jatos Very Light, Entry e Light, mantendo a Embraer na vanguarda do desenvolvimento de novos produtos e da inovação”, disse Maurício Botelho, Diretor-Presidente da Embraer.

A inserção da Embraer nas categorias Very Light e Light foi aprovada pelo Conselho de Administração da Empresa em abril. O investimento nos novos jatos totalizará US$ 235 milhões. Este programa será suportado por parceiros, instituições financeiras e pela própria geração de caixa da Embraer. Baseada em análises minuciosas de mercado, a Embraer estimou demanda por aproximadamente 3.000 jatos Very Light, Entry e Light na próxima década.

Esta estimativa não inclui o mercado de táxi aéreo.

“A Embraer se compromete a fazer investimentos de longo prazo neste negócio para assim oferecer produtos revolucionários e soluções completamente integradas a uma sofisticada clientela. Nosso objetivo é construir uma pujante unidade de negócio para a aviação executiva, bem como a infra-estrutura global para sustentá-la”, disse Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente - Mercado de Aviação Executiva da Embraer.

Os jatos Very Light e Light serão os melhores da sua classe. Conforto superior,
desempenho excepcional e baixo custo de operação constituem requisitos imprescindíveis no projeto desses jatos.

Eles serão projetados para alta utilização e alta disponibilidade. A funcionalidade da cabine de comando e as qualidades de vôo das duas novas aeronaves permitirão a operação por apenas um piloto, e uma fácil transição para pilotos menos experientes.

O jato Very Light da Embraer transportará até oito pessoas e será equipado com o motor PW617F da Pratt & Whitney Canada, que tem 1.615 libras de empuxo. Com quatro pessoas a bordo e velocidade máxima de Mach 0,7, o alcance do jato Very Light é de 1.160 milhas náuticas (com reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas). O avião é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 41.000 pés de altitude.

O jato Very Light deverá entrar em serviço em meados de 2008 e terá preço de US$ 2,75 milhões, nas condições econômicas de 2005.

O jato Light será equipado com o motor PW535E da Pratt & Whitney Canada, que tem 3.200 libras de empuxo. Confortavelmente acomodando até nove pessoas, o alcance do jatoLight será de 1.800 milhas náuticas (reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas) com seis pessoas a bordo, e sua velocidade máxima será de Mach 0,78. O avião também é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 45.000 pés dealtitude.

O jato Light deverá entrar em serviço em meados de 2009 e terá preço de US$ 6,65 milhões, nas condições econômicas de 2005 Embraer lança os jatos Very Light e Light
Título: Embraer abre nono centro de manutenção em Gavião Peixoto
Enviado por: JLRC em Julho 13, 2005, 01:55:55 pm
Embraer Opens New Service Center in Gavião Peixoto Site
 
 
(Source: Embraer; issued July 12, 2005)
 
 
 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, Brazil --- Embraer announced today it opened a new service center for maintenance, repair and overhaul of Embraer aircraft at its Gavião Peixoto site, 230 miles from São José dos Campos, State of São Paulo, where the company’s headquarters are located.  
 
The new service center, with 32,300 square feet, complies with Brazilian aeronautical regulations as well those laid out by the Federation Aviation Administration (FAA) of the U.S. and the European Aviation Safety Agency (EASA) of Europe.  
 
Currently, there are 48 employees at the new service center, some of whom were transferred from Embraer’s São José dos Campos Unit. By the end of 2005, it is estimated that 74 people will be working at the new facility.  
 
Embraer has five service centers. In Brazil, they are located in São José dos Campos, Gavião Peixoto and Botucatu, where the crop-duster aircraft Ipanema is produced. In the Northern Hemisphere, there is one in Nashville, U.S., and another in Alverca, Portugal.  
 
The Gavião Peixoto site occupies an area of 6.56 square miles, of which 1.15 square mile is being re-forested with native species of vegetation. Gavião Peixoto has seven buildings, being five hangars and two administrative offices. The total built area is 478,000 square feet.  
 
 
Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A.) is the world’s leading manufacturer of commercial jets up to 110 seats with 35 years of experience in designing, developing, manufacturing, selling and providing after sales support to aircraft for the global airline, Defense and Corporate markets. With headquarters in São José dos Campos, state of São Paulo, the Company has offices and customer service bases in China, France, Portugal, Singapore and the United States. Embraer is among Brazil’s leading exporting companies. As of March 31, 2005 Embraer had a total workforce of 16,409 people, including the employees of OGMA in Portugal, and its firm order backlog totaled US$ 9.9 billion.  
 
-ends-
Título:
Enviado por: J.Ricardo em Outubro 07, 2005, 12:20:18 pm
O DESIGN DO INTERIOR DOS JATOS VERY LIGHT E LIGHT

BMW Group Projetará Interiores dos Jatos VLJ e LJ
Embraer vislumbrou um interior espaçoso com o máximo
de conforto e acabamento refinado


São José dos Campos, 6 de outubro de 2005 – A Embraer anunciou hoje que escolheu a BMW Group DesignworksUSA para conceber o design interior dos recém lançados jatos Very Light e Light. Inspirada por pesquisas feitas junto a pilotos, donos de aeronaves, operadores e executivos, a Embraer vislumbrou um interior espaçoso com o máximo de conforto e acabamento refinado. Sempre com o proprietário / operador em mente, a Embraer concebeu uma cabine de comando harmoniosamente integrada ao interior da aeronave.

A BMW Group DesignworksUSA forneceu a solução de design interior que cria serenidade no momento do embarque, através de uma atmosfera de simplicidade e elegância conferidas na primeira impressão. Iluminação e poltronas relaxantes aumentam a sensação de conforto e funcionalidade. Outros itens a bordo incluem o lavabo privativo, copa, mesa executiva, além de entretenimento e aparato de comunicação ao alcance dos dedos do passageiro.

“Em estreita colaboração com o cliente e com a BMW Group DesignworksUSA, o projeto final de interior reflete os requisitos dos clientes, combinando estilo e funcionalidade”, disse Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente para o Mercado de Aviação Executiva da Embraer. “Por meio do desenvolvimento integrado em parceria, a seção transversal da aeronave foi aumentada para oferecer mais espaço para as pernas e conforto pessoal ao ocupante, tornando o melhor avião ainda superior.”

“A BMW Group DesignworksUSA está encantada por ter feito esta parceria com a Embraer para conceber o design interior dos programas VLJ e LJ”, disse Neil Booker, Vice-Presidente da BMW Group DesignworksUSA. “Esses programas de design nos permitem alavancar o conhecimento acumulado na concepção de interiores de meios de transporte, e desta forma ajudar a Embraer a definir o futuro de viagens em jatos leves.”

Modelos em tamanho real dos novos interiores serão mostrados na convenção anual da National Business Aviation Association (NBAA), a ser realizada em Orlando, Estados Unidos, entre 9 e 11 de novembro, no Estande 5559.



Os Jatos Very Light e Light


Os jatos Very Light e Light serão os melhores da sua classe. Conforto superior,
desempenho excepcional e baixo custo de operação constituem requisitos imprescindíveis no projeto desses jatos.

Ambas as aeronaves oferecem aos pilotos e passageiros conforto e estilo sem paralelo em suas categorias. A sensação relaxante do ambiente é aumentada pelas generosas janelas e a maior cabine de suas respectivas classes. A bordo, há uma copa, lavabo privativo, além de comunicação e entretenimento por satélite.

A funcionalidade da cabine de comando e as qualidades de vôo das duas novas aeronaves permitirão até mesmo a operação por apenas um piloto. Aproveitando a herança do projeto do avião Legacy, os jatos Very Light e Light serão construídos para alta utilização e alta disponibilidade. Essas características tornam o VLJ da Embraer particularmente adequado para operação no mercado de táxi aéreo.

O jato Very Light da Embraer transportará até oito pessoas e será equipado com o motor PW617F da Pratt & Whitney Canada, que tem 1.615 libras de empuxo. Com quatro pessoas a bordo e velocidade máxima de Mach 0,7, o alcance do jato Very Light é de 1.160 milhas náuticas (com reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas). O avião é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 41.000 pés de altitude.

O jato Very Light deverá entrar em serviço em meados de 2008 e terá preço de US$ 2,75 milhões, nas condições econômicas de 2005. O jato Light será equipado com o motor PW535E da Pratt & Whitney Canada, que tem 3.200 libras de empuxo. Confortavelmente acomodando até nove pessoas, o alcance do jato

Light será de 1.800 milhas náuticas (reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas) com seis pessoas a bordo, e sua velocidade máxima será de Mach 0,78. O avião também é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 45.000 pés de altitude.

O jato Light deverá entrar em serviço em meados de 2009 e terá preço de US$ 6,65 milhões, nas condições econômicas de 2005.

Para mais informações, visite o site http://www.embraerexecutivejets.com

(http://www.defesanet.com.br/imagens/vlj_lj)
Light Jet e Very Light Jet

(http://www.defesanet.com.br/imagens/lj_x_1.jpg)
Light Jet

(http://www.defesanet.com.br/imagens/vljx.jpg)
Very Light Jet
Título:
Enviado por: Maginot em Novembro 15, 2005, 01:26:00 pm
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA
Título:
Enviado por: J.Ricardo em Fevereiro 20, 2006, 02:52:13 pm
Citar
SALÃO AERONÁUTICO DA ÁSIA
Aeronave de treinamento militar será apresentada no
Asian Aerospace 2006

(nota Defesa@Net recomendamos a leitura do release na versão em
inglês liberado pela Embraer, mais rico em informações -http://www.defesanet.com.br/embraer/super_tucano_asia_06_e.htm)


São José dos Campos, 17 de fevereiro de 2006 – A Embraer presentará o avião de treinamento militar Super Tucano pela primeira vez no continente asiático. O turboélice será exibido no Asian Aerospace 2006, um dos três maiores eventos de aviação do mundo.

O salão aeronáutico abre em 21 de fevereiro no Changi Exhibition Center, em Cingapura.

Os sistemas de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (ISR) da Embraer serão igualmente promovidos no evento.

A Empresa apresentará também Luiz Carlos Aguiar, recém-empossado Vice-Presidente Executivo para o Mercado de Defesa e Governo, que aparecerá pela primeira vez em um show aéreo depois de assumir o cargo, em dezembro último. Até então, Aguiar exercia a função de Presidente do Conselho de Administração da Embraer.

Após o show, o Super Tucano fará uma turnê de demonstração na Ásia e Oriente Médio, quando várias forças aéreas terão a oportunidade de avaliar o avião. A aeronave partiu do Brasil no início de fevereiro e percorreu 11.500 milhas náuticas (21.298 km).

A Embraer prevê uma demanda de 150 a 200 aeronaves Super Tucano na Ásia e Oriente Médio nos próximos cinco anos.

Super Tucano

O Super Tucano é uma evolução da plataforma do Tucano. Atualmente, 650 Tucanos estão em operação em cerca de 17 forças aéreas pelo mundo, inclusive no Brasil, Grã Bretanha, França, Egito e Kuwait.

A Força Aérea Brasileira (FAB) encomendou 99 aviões Super Tucano, dos quais 25 já estão em operação. A frota realiza missões avançadas de treinamento e também é utilizada juntamente com oito aeronaves ISR no programa SIVAM.

Em dezembro de 2005, a força aérea da Colômbia encomendou 25 Super Tucanos para ataque leve, marcando a primeira exportação deste avião realizada pela Embraer.


http://www.defesanet.com.br/embraer/super_tucano_asia_06.htm

(http://www.defesanet.com.br/imagens/embraer/super_tucano/cockpit_x.jpg)
Título: Embraer: Notícias
Enviado por: Marauder em Julho 11, 2006, 04:53:50 pm
Citar
Embraer vende oito aviões à Mandarin Airlines

A brasileira Embraer, a quarta maior fabricante mundial de aviões e accionista das OGMA, anunciou na segunda-feira a venda de oito jatos à empresa Mandarin Airlines, de Taiwan.


Os aparelhos foram vendidos por contrato de leasing assinado com a GE Commercial Aviation Services (GECAS), com entregas programadas para o segundo semestre de 2007.

Citado num artigo da Lusa-Brasil, Michael Lo, presidente da companhia, disse que estes novos Embraer 190/195 foram escolhidos para serem os principais componentes da futura frota da Mandarin Airlines.

A empresa aérea utilizará os Embraer para substituir aviões Focker 100 e Focker 150 em ligações domésticas, além de pretender desenvolver outras rotas de curta distância na Ásia.

A Mandarin Airlines é uma subsidiária da China Airlines e realiza 65 partidas diárias para 19 destinos em Taiwan e restante região.

Em 2002, uma parceria com a China Aviation Industry Corporation permitiu à Embraer criar a sua primeira unidade no estrangeiro: a Harbin Embraer Aircraft Industry Company.

Esta empresa está localizada na cidade de Harbin, capital da província de Heilongjiang, no nordeste da China.

11-07-2006 10:24:23


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=69334 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5Fdigital/news.asp?section_id=6&id_news=69334)
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Agosto 11, 2006, 08:11:22 am
Do Diário Económico:

Citar
Embraer assina acordo para o fabrico de peças para aviões em Portugal
A construtora aeronáutica brasileira anunciou hoje que assinou um acordo de cooperação industrial com Portugal, nos termos do qual a sua filial portuguesa OGMA vai fabricar as estruturas dos aviões da empresa.

DE com AFP

"A Embraer vai realizar estudos com vista a uma cooperação com a OGMA, com o objectivo de desenvolver a sua capacidade de projectar e fabricar estruturas dos aviões para o mercado mundial", adianta a Embraer em comunicado hoje emitido.

O protocolo do acordo foi assinado pela Embraer com a OGMA e a Agência Portuguesa para o Investimento (API), na ocasião da visita oficial do primeiro-ministro José Sócrates ao Brasil.




http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/ ... 79092.html (http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/diarioeconomico/internacional/empresas/pt/desarrollo/679092.html)
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Agosto 11, 2006, 08:19:50 am
Entretanto, no Público de hoje:

Embraer adia decisão de construir aviões
11.08.2006 - 07h57   Ricardo Dias Felner PÚBLICO São Paulo
 


Afinal tudo não passou de um processo de intenções. O primeiro-ministro português sairá do Brasil sem qualquer garantia de que a Embraer, líder mundial no sector da aeronáutica e principal accionista das Ogma, venha a construir componentes de aviões em Portugal.

O gabinete de José Sócrates, antes da visita oficial, havia anunciado que o acordo com a Embraer seria "muito importante", um dos pontos altos da viagem - em paralelo com o protocolo que deverá ser hoje assinado entre a Galp e a Petrobras.

Ontem, contudo, durante a visita da comitiva oficial à sede da empresa em São João do Campo, perto de São Paulo, ficou a saber-se que se trata apenas de um compromisso com as Ogma para a realização de estudos no sentido de "projectar e fabricar estruturas de aeronaves". Às intenções do Governo, a Embraer, terceira maior construtora de jactos particulares, respondeu "vamos ver".

Um responsável do staff do primeiro-ministro disse ao PÚBLICO que a decisão deverá ser tomada até ao final do ano. Mas o assessor de imprensa da empresa brasileira, Ricardo Santos, disse desconhecer qualquer prazo, reconhecendo apenas o objectivo "de avaliar" o investimento na construção de estruturas para aviões através das Ogma.

Questionado pelos jornalistas, Sócrates voltou a manifestar o desejo de que a Embraer possa vir a criar um "cluster aeronáutico" em Portugal, realçando que o acordo é "um primeiro passo nessa nova ambição".

O ministro da Economia, Manuel Pinho, falando ao PÚBLICO, reforçou a ideia, já expressa pelo primeiro-ministro, de que a entrada da Embraer nas Ogma fora uma "aposta estratégica" de Lisboa, no sentido de que as antigas oficinas de manutenção aeronáutica se tornassem numa "unidade mais importante".

Durante a visita ao Brasil - que hoje termina -, Sócrates tem repetido que um dos principais objectivos é levar mais investimento brasileiro para Portugal. O primeiro-ministro referiu essa intenção no Palácio do Planalto, após a reunião com Lula da Silva, e voltou a salientá-lo anteontem à noite, num jantar no consulado português em São Paulo. Falando para dezenas de responsáveis de grandes empresas sediadas no Brasil e em Portugal, lembrou que, se já existem perto de 600 empresas portuguesas implantadas no Brasil, empregando perto de 110 mil trabalhadores, esse investimento não tem a mesma expressão em Portugal. "Portugal é também um bom destino" para a "crescente internacionalização da economia brasileira", apelou.

Nessa ocasião, o primeiro-ministro inaugurou um centro virtual de distribuição de produtos portugueses, um investimento da Cisa Trading, que pretende aumentar as exportações nacionais para o Brasil.

Ainda no âmbito das diligências governativas no sector da economia, o ministro das Obras Públicas, Mário Lino, encontrou-se com o ministro da Defesa brasileiro para o persuadir a aumentar as linhas aéreas entre os dois países (actualmente 47 ligações semanais). De acordo com Lino, o Congresso brasileiro ainda não ratificou o protocolo bilateral, já aprovado por Portugal em 2003. Brasília parece mais preocupada em diversificar as rotas aéreas, tendo proposto uma ligação entre Lisboa e Brasília, que Portugal ainda está a estudar.

Durante a visita de hoje a uma plataforma da Petrobras, no Rio de Janeiro, a Galp e a petrolífera brasileira deverão concretizar os termos de uma nova cooperação, que prevê a prospecção de petróleo na costa alentejana. O PÚBLICO viajou a convite do gabinete do primeiro-ministro



http://publico.clix.pt/shownews.asp?id= ... idCanal=31 (http://publico.clix.pt/shownews.asp?id=1266913&idCanal=31)

Um tiro em falso............coisa pródiga neste cantinho à beira mar
Título:
Enviado por: pedro em Agosto 11, 2006, 09:29:16 am
Outro tiro na culatra. :wink:
Título:
Enviado por: J.Ricardo em Agosto 30, 2006, 05:25:27 pm
Citar
30/08/2006 - 10h58
Embraer fecha contrato de US$ 2,7 bi para vender cem aviões à China
Da Redação
Em São Paulo

A Embraer anunciou nesta quarta-feira a venda de cem jatos para a quarta maior empresa aérea da China, o Grupo HNA, no valor de US$ 2,7 bilhões, segundo preço de tabela das aeronaves, mas pode haver desconto pela quantidade envolvida.

De acordo com comunicado da fabricante brasileira, a HNA comprou 50 jatos ERJ-145 e 50 aviões modelo 190. As entregas das aeronaves começam no segundo semestre do próximo ano.

Os aviões Embraer 190 têm 106 assentos e serão produzidos na sede da empresa no Brasil em São José dos Campos (SP). Trata-se das primeiras aeronaves desse modelo a serem vendidas a empresas da China territorial.

Os aviões ERJ 145, de 50 assentos, serão produzidos na China, na Harbin Embraer Aircraft Industry, uma joint-venture estabelecida em 2003 entre a Embraer e a chinesa China Aviation Industry Corporation 2. O contrato viabiliza a continuidade das operações da Embraer na China, que estavam abaixo do esperado.

Até 30 de junho, a Embraer havia entregue 163 E-Jets (família de jatos em que está classificado o Embraer 190) e 858 aviões comerciais ERJ 145 em todo o mundo. Os E-Jets e os ERJ 145 voam atualmente para mais de 70 empresas aéreas em 43 países.
Título:
Enviado por: sierra002 em Agosto 30, 2006, 05:36:31 pm
En cuanto lleguen los despiezaran y los copiaran. De aquí a un año en China fabricaran las copias de los Embraers y diran que lo habían creado ellos.
Título:
Enviado por: Marauder em Setembro 06, 2006, 12:22:31 am
Citar
Embraer vende 50 jactos a companhia norte-americana

A Embraer anunciou esta terça-feira a venda de 50 jactos executivos para a empresa norte-americana Magnum Jet, com sede em Houston, por 137,5 milhões de dólares (cerca de 107,4 milhões de euros).


O contrato assinado entre as duas empresas inclui ainda a opção de compra de outros 50 jactos executivos do modelo Phenom 100, o que poderá elevar o valor total da encomenda para 275 milhões de dólares (cerca de 215 milhões de euros).

A empresa norte-americana deverá receber os primeiros jactos executivos, com capacidade para até quatro passageiros, no início de 2009, informou a fabricante brasileira de aeronaves em comunicado.

«A Embraer está honrada pela escolha do Phenom 100 pela Magnum Jet e satisfeita por oferecer a solução ideal para o seu negócio», disse o vice-presidente da Embraer, Luís Carlos Affonso, citado no comunicado.

Na semana passada, a Embraer havia anunciado a venda de 100 aviões para o grupo HNA, quarta maior empresa aérea da China, por 2,7 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros), com entregas a partir de Setembro de 2007.

A companhia chinesa adquiriu 50 aviões do modelo ERJ 145, com capacidade para 50 assentos, e outros 50 aviões do modelo 190, com 106 assentos.

No dia 10 de Agosto, a OGMA e o Estado português assinaram um acordo de «cooperação industrial» com a Embraer, que se compromete a avaliar «futuras oportunidades» para a empresa portuguesa se tornar parceira no fabrico de material aeronáutico.

O acordo foi assinado durante a visita do primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, à fábrica da Embraer, na cidade de São José dos Campos, a 90 quilómetros de São Paulo.

A Embraer é, em consórcio com a EADS, o maior accionista da OGMA, detendo ambos perto de 65% do capital daquela empresa portuguesa, instalada em Alverca, arredores de Lisboa.

A Embraer emprega actualmente cerca de 17.500 trabalhadores nas suas unidades no Brasil, China, Europa e Estados Unidos da América, com uma carteira de pedidos firmes de 10,2 mil milhões de dólares (7,98 mil milhões de euros).

Criada há 37 anos, a Embraer já produziu cerca de 3.900 aviões, que hoje operam em 70 empresas aéreas em 43 países. De 2006 a 2025, a Embraer projecta construir 7.950 aviões.

Diário Digital / Lusa

05-09-2006 19:53:48

de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=71260 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5Fdigital/news.asp?section_id=6&id_news=71260)
Título:
Enviado por: projetociclone em Outubro 05, 2006, 03:31:53 pm
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA


   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 05, 2006, 03:52:04 pm
Citação de: "projetociclone"
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA

   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter


 :shock:

E também gostava de saber o que é "qualquer coisa", é que já se produzem "coisas" nas OGMA.
Título:
Enviado por: JLRC em Outubro 05, 2006, 07:43:48 pm
Citação de: "projetociclone"
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA

   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter


Era giro neste caso significa "era engraçado".
Título:
Enviado por: Luso em Outubro 05, 2006, 10:45:14 pm
Citação de: "projetociclone"
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA

   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter


Era porreiro
Era bestial
Era... legal (legau)
Título:
Enviado por: Luso em Maio 08, 2007, 09:30:53 pm
Para trabalho duro...

http://www.defensetech.org/ (http://www.defensetech.org/)

Citar
May 8, 2007 08:39 AM

The COIN Aircraft Comeback

The Iraqi air force in two years will be flying a new fleet of single-engine turboprops as counter-insurgency (COIN) aircraft. See the contract solicitation, posted by the US Air Force, here.

The requirement limits the potential bids to companies that have an aircraft that a) is already in wide use and b) is powered by the Pratt & Whitney Canada PT6 engine.

That narrows the bidders to four that Defense Tech can think of: the Embraer EMB-314 Super Tucano, the Hawker Beechcraft AT-6 Texan, the Korean Aerospace KO-1 Wong Bee and the Pilatus PC-9M.

Not to play favorites, but Defense Tech humbly suggests this means there are only two serious candidates: the AT-6 and EMB-314 -- with the AT-6 gaining a huge advantage from the "Made in America" sticker stamped on the program's marketing literature.

But don't count out the Brazilians with the Super Tucano. Expect the executives in Sao Jose Dos Campos to propose moving the EMB-314 assembly -- or opening a second production line -- to Florida, if they win the contract.

Keep your eye on this program. This could be the first of many such requirements for a dedicated counter-insurgency aircraft fleet to come down the line, both abroad and in the US.

A reader commented on The Dew Line a few weeks ago:

"The T-6 is a trainer, and attempts by Hawker Beechcraft (or whatever it's called this week) to remodel it as an armed platform are not convincing. That's not what it was designed to do.

"Remember, the T-6 is just a Pilatus PC-9 and the original Swiss design is forbidden by law from being armed...anyone with armed PC-9s has made their own, alternative, arrangements. So flying in combat is not in its genes. Attempts by Raytheon to compare the armed T-6 with the F-15 were met with an embarrassed silence at one show I remember, not so long ago.

"The Super Tucano on the other hand was designed to be a combat aircraft from Day 1 – that’s why it makes a lousy trainer because it’s so big and heavy. The Brazilians deploy it into Amazon dirt strips to fight drug smugglers, it has guns (not an “internal gun pod” but two 0.50-cals in the wing), it can carry air-to-air missiles and has a very sophisticated (data linked) cockpit (thank you Elbit). In its class the Super Tucano is probably the aircraft you want to go to war in."

Also, see my colleague John Croft's account of his recent experience flying the AT-6 here on FlightGlobal.com.

I'll just note that an armed variant of the T-6A is flown by the Hellenic Air Force, but lacks internally mounted guns in favor of a 50-cal pod.

-- Stephen Trimble


Eu vejo potencialidades aqui mas como é tudo chover no molhado...
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 29, 2010, 07:10:57 pm
Embraer definirá futuro de fábrica na China até Dezembro


A Embraer, terceira maior fabricante mundial de aviões, anunciou hoje que decidirá até dezembro o futuro da sua fábrica na China.

O vice-presidente financeiro e de relações com investidores da Embraer, Luiz Carlos Aguiar, salientou que ainda não há uma definição sobre o futuro da unidade, mas que o caminho deve ser a desativação, pela falta de encomendas no mercado chinês.

"As últimas entregas estão previstas para o primeiro trimestre [de 2011]", afirmou o executivo, na apresentação de resultados do terceiro trimestre.

Desde 2000, a fabricante mantém uma unidade na China em associação com a Aviation Industries of China (Avic), para a fabricação do ERJ-145, com capacidade para 50 lugares.

A proposta da fabricante brasileira é obter a autorização das autoridades para fazer um avião maior, para 120 passageiros, mas a China está a desenvolver aviões próprios.

Recentemente, a companhia brasileira criou uma empresa para prestar assistência aos seus clientes, um investimento de 18 milhões de dólares (12,9 milhões de euros), com sede em Pequim.

No terceiro trimestre, a Embraer registou lucros de 220 milhões de reais (93,2 milhões de euros), uma quebra de 3,68 por cento em relação ao período homólogo de 2009, na sequência da valorização da moeda brasileira em relação ao dólar.

Nos nove primeiros meses deste ano, a fabricante acumula um lucro de 365,7 milhões de reais (155 milhões de euros, uma quebra de 51,08 por cento em relação ao mesmo período de 2009).

A Embraer deverá iniciar este ano a construção de duas fábricas em Évora, com início das operações previsto para 2012.

Em setembro, o Governo português e a fabricante anunciaram a participação de Portugal no programa de desenvolvimento do jato de transporte militar KC-390.

O acordo assinalou o início das negociações para a entrada de empresas portuguesas no projeto e na fabricação do novo avião, bem como para a futura aquisição de seis aeronaves para equipar a Força Aérea Portuguesa.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: reij em Novembro 11, 2010, 11:53:01 am
ja que estamos falando de embraer a noticia do dia é a seguinte
a embraer acaba de vender mais 8 aviões supertucanos para indonesia, o que representa a estreia do supertucano na região asia-pacifico

http://oglobo.globo.com/economia/mat/20 ... 998463.asp (http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/11/10/embraer-vende-oito-avioes-super-tucano-para-indonesia-922998463.asp)

a embraer realmente é um orgulho para todos os brasileiros não sei por que o governo brasileiro não encerra esse FX-2 e encomenda aviões a embraer
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 11, 2010, 02:44:47 pm
Porque a Embraer ainda não tem capacidade e Know-How para fazer um caça moderno e capaz. Uma coisa é um KC-390, avião que não fugirá muito ao que a Embraer já faz actualmente, outra coisa é um caça.
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: papatango em Novembro 11, 2010, 11:45:28 pm
A EMBRAER foi curiosamente uma criação do governo militar.
Mas como o Cabeça de Martelo disse, a Embraer não tem tecnologia para produzir um caça, também porque o Brasil não dispõe da capacidade tecnológica para desenvolver os sistemas que transformam uma aeronave de combate, num caça moderno. Se não fosse assim, não tinham dado tanta enfase à transferência de tecnologia.

Em termos de produção de aeronaves a jacto, a Embraer apenas participou na montagem do AMX, cujo projecto já estava terminado quando a Embraer entrou. Também montou o Xavante, mas isso não é suficiente para desenhar caças.
A Embraer produziu até hoje quatro aviões base, que sairam dos seus projectos próprios e que podem ser considerados realmente brasileiros:

1 - Embraer 110 «Bandeirante»
2 - Embraer 312 Tucano / ALX Super Tucano
3 - Embraer 120 «Brasilia» e EMB-121 «Xingu» turboprop que derivou para o EMB-145/ERJ-145 a jacto via projecto CBA-123 (que não chegou a ser produzido)
4 - Embraer 175 - De que deriva o EMB-190/195 e que é a base para o KC-390 de asa alta.
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 17, 2010, 07:55:57 pm
Embraer acorda com empresa chinesa financiamento de aeronaves


A Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) anunciou hoje a assinatura de um acordo de financiamento com a chinesa Avic International Leasing, para financiamento de aeronaves, que pode alcançar 1,5 mil milhões de dólares nos próximos cinco anos.

Segundo a Embraer, o acordo pretende criar oportunidades de financiamento para a venda de aeronaves da empresa na China e no mercado internacional.

A fabricante brasileira informou ainda por meio de comunicado que a Avic Leasing lidera o mercado chinês de financiamento, com activos de leasing de mais de 1,2 mil milhões de dólares e uma frota de 62 aeronaves.

A Embraer espera que a procura chinesa por jactos regionais alcance as 950 unidades nos próximos 20 anos, com uma procura maior por modelos com capacidade para 91 a 120 passageiros.

A companhia brasileira já entregou 77 de um total de 105 pedidos para a China, tornando-se uma grande fornecedora de aviões de até 120 lugares no país.

Num outro comunicado divulgado hoje sobre as perspectivas para o mercado chinês até 2029, a Embraer informa que a economia da China "cresce a largos passos e alimenta o desenvolvimento do mercado de aviação regional, que gera grandes oportunidades para empresas da indústria de aviação".

Esta afirmação foi feita pelo Presidente da Embraer na China, Guan Dongyuan, à margem da oitava Exibição Internacional Aeroespacial e de Aviação da China, Airshow China 2010, realizada de 16 a 21 de Novembro na cidade chinesa de Zhuhai, província de Guangdong.

"Continuaremos a entregar produtos com a mais moderna tecnologia e oferecendo serviços diferenciados para este mercado promissor, demonstrando o nosso comprometimento com o desenvolvimento da China", declarou Guan Dongyuan.

A Embraer é uma empresa líder na fabricação de jactos comerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a empresa também tem escritórios e instalações industriais no Brasil, China, EUA, França, Portugal e Singapura.

Fundada em 1969, a Embraer fabrica e vende aeronaves para os segmentos de aviação comercial, aviação executiva e defesa.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Março 21, 2011, 06:11:04 pm
Alitalia compra 20 jactos à Embraer por 336 milhões de €€€


A Embraer e Alitalia concluíram um acordo para a entrega de quinze jactos Embraer 175 e cinco Embraer 190, através de um negócio de leasing estruturado por terceiros, divulgou hoje em comunicado a empresa de aviação brasileira.

"Beneficiando-se de uma ampla reorganização, a Alitalia está a desenvolver a sua rede regional para atender a novos mercados e demandas de passageiros", disse Frederico Fleury Curado, director-presidente da Embraer, citado na nota.

O valor da venda de todas as aeronaves deve chegar a 793 milhões de reais (335,8 milhões de euros), segundo o preço de cada aeronave a ser negociada.

O início das entregas dos jactos para a Alitalia está previsto para o terceiro trimestre de 2011.

"O Embraer 175 será configurado com 88 assentos e o Embraer 190 com 100, ambos numa única classe. Os aviões serão utilizados nas rotas domésticas e europeias da companhia aérea e ficarão baseados em sete aeroportos italianos: Catânia, Fiumicino (Roma), Linate e Malpensa (Milão), Nápoles, Turim e Veneza.

As 20 aeronaves novas substituirão, gradualmente, a actual frota da empresa, composta por 16 aviões regionais, contribuindo para o aumento da oferta de voos directos em rotas curtas e médias, em resposta à procura de mercado.

O grupo de jactos da Embraer dos modelos 170 a 190 é composto por quatro aparelhos comerciais, com capacidades de 70 a 122 lugares.

Segundo a empresa brasileira, "as aeronaves são o fruto de um projecto de engenharia avançado, que apresenta desempenho destacado, grande economia operacional, baixo nível de emissão de poluentes e uma ampla cabine de passageiros sem os indesejados assentos do meio."

A Embraer, terceira maior fabricante mundial de aviões, deverá iniciar este ano a construção de duas fábricas em Évora, com início das operações previsto para 2012.

Em Setembro de 2010, o Governo português e a fabricante anunciaram a participação de Portugal no programa de desenvolvimento do jacto de transporte militar KC-390.

A Embraer é, em consórcio com a EADS, o maior accionista da portuguesa OGMA, detendo ambos 65% do capital daquela empresa portuguesa.

O Estado português detém os restantes 35% da OGMA, através da holding Empordef.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Abril 12, 2011, 12:23:42 am
Embraer vai ser autorizada a fabricar aviões na China


A fabricante de aeronaves brasileira, Embraer, deverá ser uma das beneficiadas com a visita da presidente Dilma Rousseff à China, país onde a empresa possui uma fábrica que corre o risco de ser fechada.

Segundo informações da BBC Brasil, o embaixador brasileiro em Pequim, Clodoaldo Hugueney, adiantou que o governo chinês fechou um acordo que autoriza a Embraer a produzir outros tipos de aeronaves na sua sede em Harbin.

A Embraer entrou no mercado chinês em 2002, em parceria com a empresa estatal Avic (Aviation Industries of China), e desde então fabrica apenas um único modelo, o ERJ-145, de 50 lugares, cuja procura tem vindo a diminuir nos últimos anos.

A autorização, que poderá ser anunciada a qualquer momento, permitirá à empresa brasileira produzir o jato executivo Legacy 600 e 650, ambos de 13 lugares.

De acordo com a mesma fonte, duas empresas chinesas, a China Southern e a Hebei Airlines, pretendem aproveitar a ocasião para anunciar a compra de aviões comerciais EMB 190, fabricados pela Embraer, no Brasil.

A empresa brasileira explicou que os modelos Legacy 600 e 650 têm maior procura no mercado de aviação executiva.

Em 2008, a empresa fez um pedido ao governo chinês para iniciar a produção do jato comercial Embraer 190, de cem lugares, mas não obteve autorização.

O motivo seria o interesse chinês em desenvolver a sua própria aeronave deste tipo e evitar a concorrência da fabricante brasileira.

Os jactos Legacy, que deverão passar a ser produzidos na China, fazem parte do mercado de aviação executiva e possuem, portanto, outro tipo de público-alvo, diferente dos jactos comerciais com mais lugares, como o modelo que teve o pedido recusado pelo governo.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Março 21, 2012, 06:00:44 pm
Embraer tem prejuízo de 70 milhões no último trimestre de 2011


A Embraer, fabricante brasileira de aviões, teve prejuízos de 171,6 milhões de reais (71,25 milhões de euros) no último trimestre do ano passado face a lucros de 208 milhões de reais (86,4 milhões de euros) no mesmo período de 2010.

A terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo divulgou o seu balanço anual na noite de terça-feira. Os motivos para o mau resultado no quarto trimestre foram, segundo a empresa, o pedido de concordata da AMR, que controla a American Airlines, e cancelamentos de jactos executivos.

Sem o que chamou de "eventos extraordinários", a Embraer atingiria no período um resultado positivo de 445,1 milhões de reais (184,8 milhões de euros), informou em comunicado.

O mau resultado influenciou o lucro total obtido no ano que terminou em 2011 em 156,3 milhões de reais (64,9 milhões de euros). O valor representa uma queda de 72,75% comparado com os 573,6 milhões de reais (238,16 milhões de euros) do ano anterior.

A carteira de encomendas, considerando o total de entregas e os novos pedidos, terminou o ano com 15,4 mil milhões de dólares (11,6 mil milhões de euros), perto dos 15,6 mil milhões de dólares (11,75 mil milhões de euros) do ano anterior.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 923 milhões de reais (383,2 milhões de euros) em 2011, menos do que os 1,07 mil milhões de reais (444,3 milhões de euros) de 2010. Já a receita líquida do ano foi de em 9,86 mil milhões de reais (4,09 mil milhões de euros), mais do que os 9,38 mil milhões de reais (3,89 mil milhões de euros) apurados no ano anterior.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: HSMW em Maio 12, 2012, 01:50:42 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Junho 06, 2012, 09:21:07 pm
Embraer desiste de produzir aviões de médio curso


A brasileira Embraer anunciou hoje que vai abandonar os planos para construir aviões de médio curso, para se concentrar na produção de aeronaves mais pequenas.

A construtora de aviões brasileira Embraer, que controla a empresa portuguesa OGMA, anunciou hoje que vai abandonar os planos para construir aviões de médio curso, para se concentrar na produção de aeronaves mais pequenas.

"Levámos a cabo estudos de mercado, falámos com muitos clientes, e não vemos qualquer justificação para os planos" de construção de aviões regionais, afirmou Paulo César Silva, que lidera a divisão de aviação comercial do grupo brasileiro.

O responsável da Embraer, citado pela agência noticiosa France Press, frisou que a nova estratégia do grupo passa pela melhoria da oferta na gama de aviões mais pequenos, deixando assim os de médio curso que têm, normalmente, entre 130 e 160 lugares.

"Vamos redesenhar a nossa linha E-jets, para manter a liderança no mercado dos aviões entre 70 e 120 lugares", referiu Paulo César Silva.

A construtora europeia Airbus e a norte-americana Boeing já conquistaram parte do mercado de médio curso e de curta distância, com os modelos A320 Neo e 737 Max, respectivamente, estando a canadiana Bombardier também a entrar no mercado.

A Embraer que, em Portugal, para além de controlar a OGMA, detém uma fábrica de produção de peças aeronáuticas, afirma ter 43% do mercado mundial de aviões regionais, contra os 28% que a Bombardier diz possuir.

A Embraer anunciou também recentemente que vai realizar o primeiro voo demonstrativo de um avião totalmente movido a biocombustível, produzido de cana-de-açúcar brasileira, no próximo dia 19, à margem da conferência das Nações Unidas para o desenvolvimento sustentável, a Rio+20.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: HSMW em Junho 13, 2012, 04:05:12 pm
Citar
An Embraer E-Jet equipped with GE engines and operated by Azul Linhas Aéreas will be powered by renewable fuel produced by Amyris. Biofuel produced from a sustainable feedstock - sugar cane - via cutting-edge technology. An alternative to petroleum-based fuels.
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 06, 2012, 06:28:56 pm


Embraer Defense and Security has today delivered four light attack and tactical training A-29 Super Tucano aircraft to Indonesia's Air Force at a ceremony held in its facility in Gavião Peixoto, São Paulo, Brazil.
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 14, 2012, 05:10:31 pm
Embraer aposta em jactos de luxo e Jackie Chan contra crise na Europa


O lançamento de novos aparelhos, o conforto para os passageiros e o crescimento de novos mercados, como a China, são as apostas da brasileira Embraer para alcançar uma participação maior no mercado global de aviação executiva. Segundo a previsão da empresa, que hoje detém 14% do mercado, a facturação global nos próximos 10 anos poderá chegar a 260 mil milhões de euros. Porém, caso a crise económica se intensifique, essa fatia pode diminuir mais de 20%, ficando próxima dos 200 mil milhões.

A preocupação da Embraer com a crise que afecta a Europa é visível, mesmo com os Estados Unidos a responder por 50% do mercado mundial e a China a surgir como um mercado gigante para a empresa.

«Existe um movimento positivo global, mas a crise no mercado europeu acaba por contaminar os negócios», afirma o vice-presidente de operações do segmento de aviação executiva, Marco Túlio Pellegrini.

A empresa pretende ampliar a participação no mercado multimilionário da aviação civil com o início das entregas dos novos aviões Legacy 500 e Legacy 450, previstos, respectivamente, para o fim de 2013 e fim de 2014.

Este ano, cerca de dois terços dos investimentos totais previstos, de 650 milhões de dólares, serão voltados para a pesquisa e desenvolvimento dos dois modelos.

Como forma de contornar a crise, umas das apostas mais altas da Embraer foi ter fechado uma parceria com Jackie Chan. O actor possui um aparelho da empresa e deve ser o rosto da operadora aérea brasileira no continente asiático.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 01, 2012, 01:32:07 pm




Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 28, 2012, 06:05:22 pm


São José dos Campos, Brasil, 27 de novembro de 2012 - A Embraer voou pela primeira vez o Legacy 500, marcando o início de uma nova geração de jatos executivos. Ele elevará, sem dúvida, o padrão da indústria para projetos futuros em relação à tecnologia, desempenho, estilo e conforto.
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 12, 2013, 01:52:03 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Março 16, 2013, 06:11:39 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: HSMW em Julho 05, 2013, 10:01:04 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: HSMW em Julho 16, 2013, 06:02:49 pm
Muito bom!!  :G-beer2:
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: HSMW em Agosto 04, 2013, 02:39:50 pm
Mas agora sem o Jackie Chan...  :?
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: HSMW em Dezembro 19, 2013, 09:39:13 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 18, 2014, 03:07:57 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Julho 31, 2014, 07:58:43 pm
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Março 30, 2015, 04:35:45 pm
Embraer recebe encomenda milionária da Air France-KLM


A empresa brasileira Embraer anunciou hoje, através de um comunicado à imprensa, o pedido de 17 aeronaves feito pelo grupo Air France-KLM, num valor de 764 milhões de dólares (705 milhões de euros).

O pedido à empresa aeronáutica brasileira inclui quinze jactos E175 (com capacidade para 88 passageiros) e dois aviões E190 (114 passageiros) para a KLM Cityhopper, uma subsidiária regional da KLM.

"O contrato também inclui opções para 17 E-Jets adicionais para a KLM Cityhopper ou para a HOP!, que é uma subsidiária regional da Air France", indicou o comunicado.

Segundo a nota, o contrato poderá chegar aos 1,5 mil milhões de dólares (cerca de 1,38 mil milhões de euros), no caso de todas as opções serem concretizadas.

Estas 17 aeronaves vão juntar-se "aos 28 E190 que actualmente operam com a KLM Cityhopper, substituindo os 19 jatos Fokker F70, que a companhia aérea está a retirar de operação", informou a Embraer.

De acordo com a empresa brasileira, a entrega do primeiro E190 está programada para ocorrer até ao final do ano e o primeiro E175 vai se juntar à frota da KLM Cityhopper no primeiro semestre de 2016.

A decisão da KLM Cityhopper de adquirir mais E-Jets é um grande endosso e a confirmação de que o E-Jets são os aviões mais eficientes, confortáveis e de menor custo operacional no segmento de 80 a 110 passageiros", disse Paulo César Silva, presidente da Embraer Aviação Comercial, citado no comunicado.

A KLM Cityhopper opera cerca de 300 voos diários para a KLM.

Esses voos servem cidades em toda a Europa, 54 das quais são essencialmente destinos de negócios. Todos os dias, cerca de 18 mil passageiros voam em aviões da KLM Cityhopper.

A Embraer tem duas fábricas em Évora, sul de Portugal - produzem estruturas metálicas e de compósitos - que foram inauguradas a 21 de Setembro de 2012, após um investimento de quase 180 milhões de euros.

Lusa
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: mafets em Junho 06, 2015, 09:45:53 am
Não há crise não. Vamos ver como as empresas e companhias aéreas saem da mesma... :roll:
http://www.aereo.jor.br/2015/06/05/governo-suspende-plano-de-auxilio-a-aviacao-regional/
Citar
O Brasil vai suspender o Programa de Aviação Regional, lançado em 2012 para apoiar o desenvolvimento das ligações aéreas internas, e que tem sido fundamental para o desenvolvimento do negócio da Embraer e da Azul. Em causa está a necessidade de Brasília de equilibrar as contas públicas, avança a Bloomberg citando fonte da assessoria económica da presidente Dilma Rousseff.

O programa, que previa apoios na ordem dos 7,3 mil milhões de reais (2,3 mil milhões de euros) na construção ou reestruturação de aeroportos por todo o Brasil, destinava-se a servir as rotas com pouca oferta e foi considerado como um estímulo à Embraer já que se destinava igualmente a subsidiar metade de todos os assentos em aviões com 120 lugares.

Além da Embraer, também a Azul, controlada por David Neeleman e a principal companhia regional do Brasil, sairá penalizada pela suspensão do plano de apoio à aviação regional. Já em Abril, a imprensa brasileira dava conta da intenção da companhia aérea de cortar rotas e mesmo avançar com despedimentos, caso o programa não chegasse ao terreno.

De acordo com o “Valor Económico”, a Azul definiu em 2014 uma lista com cerca de 20 destinos, dos 103 servidos pela companhia, que não cumpriam os critérios de rentabilidade necessários e que por isso poderiam ser encerrados. Já no início deste ano, a companhia acabaria por cancelar os voos para as cidades que apresentavam maiores prejuízos.

Em Fevereiro deste ano, David Neeleman admitia numa entrevista à revista “Exame” que se o governo brasileiro queria manter os voos regionais, então a Azul “precisa de subsídios” e que sem o Programa Nacional de Aviação Regional o crescimento da ‘low cost’ passaria de 20% para cerca de 10%.
(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/09/E-Jet-E2-foto-3-Embraer.jpg)
(http://cdn.chickenorpasta.virgula.uol.com.br/content/uploads/2014/05/11210809/DAVID-NEELEMAN-FOTO.jpg)

Saudações
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: NVF em Junho 07, 2015, 03:47:33 am
Analysis: Brazil, Iraq defence cooperation talks could mean Brazilian exports

Citar
Iraqi Foreign Minister Ibrahim Al-Jaafari met with Brazilian Minister of Defence Jaques Wagner in Brasilia on 2 June, mainly to seek Brazilian military support for Iraq in its fight against the Islamic State by exploring potential defence cooperation and procurement programmes. No further details of the meeting were released.
ANALYSIS

Al-Jaafari is seeking to obtain equipment and supplies for the embattled Iraqi armed forces. Brazil's defence industries can offer new Embraer EMB-314 Super Tucano close air support fighters, IVECO Defesa VBTP-MR Guarani 6x6 armoured personnel carriers (APCs), Agrale Marrua 4x4 light vehicles, Artillery SaTuration ROcket System (ASTROS) II multiple rocket launchers, 84 mm GESPI ALAC anti-tank weapons, and BRADAR M60 SABER tactical air defence radars.

http://www.janes.com/article/52034/analysis-brazil-iraq-defence-cooperation-talks-could-mean-brazilian-exports
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Lusitano89 em Junho 16, 2015, 11:42:07 am
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Vitor Santos em Junho 27, 2015, 03:38:23 pm
No gosto da realeza! Legacy 600 da Embraer vira jato oficial da Rainha Elizabeth II

(http://www.meon.com.br/files/media/originals/legacy_rainha2.png)

O novo jato que transporta oficialmente a Rainha Elizabeth II é joseense e ganhou as manchetes dos jornais britânicos durante a semana. O Embraer Legay 600 pertence a Daniel Levy, proprietário do Tottenham Hotspur, time de futebol da capital inglesa, Londres - o empresário realiza a locação da aeronave para a família real britânica.

O primeiro voo oficial [veja vídeo abaixo] foi durante uma viagem para a Alemanha, onde Elizabeth, 89 anos, e seu marido, o príncipe Philip, 94 anos, visitaram campos de concentração nazista e tiveram encontros com sobreviventes do Holocausto.

Pela imprensa inglesa, o Legacy 600 foi definido como luxuoso e "com uma impressionante cabine interior, que proporciona conforto e privacidade de fazer qualquer viagem tão relaxante quanto possível para até 13 passageiros".

As cores da aeronave ainda são as oficias do clube de futebol inglês, assim como o prefixo. O valor pago pela aeronave não foi divulgado.

Legacy 600
O Legacy 600 foi projetado a partir da plataforma do ERJ-135, que por sua vez, teve seu projeto com base no ERJ-145, introduzindo assim o conceito de "família de modelos", os E-Jets.

O Legacy é uma sofisticada aeronave bimotor executiva de médio porte e alcance intercontinental, de construção convencional em alumínio e ligas metálicas e com motorização turbofan, com capacidade para transportar com muito conforto 12 ou 15 passageiros, dependendo da configuração adotada.

Ficha técnica
Capacidade:  12 ou 15 passageiros
Tripulação: 1 piloto, 1 co-piloto e 1 comissária
Motorização / Legacy 600 (potência): 2 X Rolls Royce AE3007A (7.426 libras/cada)
Alcance: Aprox. 5.700 quilômetros
Velocidade de cruzeiro: Aprox. 810 km/h
Pista pouso: Aprox. 1.999 metros (lotado / dias quentes / tanques cheios)
Teto de serviço: Aprox. 12.000 metros
Comprimento: Aprox. 26 metros

Fonte:  http://www.meon.com.br/noticias/regiao/ ... ign=buffer (http://www.meon.com.br/noticias/regiao/no-gosto-da-realeza-legacy-600-da-embraer-vira-jato-oficial-da-rainha-elizabeth-ii-veja-video?utm_content=buffer682f3&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer)
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Vitor Santos em Julho 21, 2015, 03:26:24 pm
Embraer alcança backlog recorde no 2º trimestre de 2015

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2009/12/e-jets-foto-embraer.jpg)

No final do segundo trimestre de 2015 (2T15), a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) da Embraer (NYSE: ERJ; BM&FBOVESPA: EMBR3) chegou ao patamar de USD 22,9 bilhões, o maior da história da Empresa. No final do trimestre anterior, em 31 de março de 2015, a carteira de pedidos firmes totalizava USD 20,4 bilhões.

No 2T15, a Embraer entregou 27 jatos para o mercado de aviação comercial e 33 para o de aviação executiva, totalizando 60 aeronaves – ante 58 aeronaves entregues no mesmo período no ano passado.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/07/Embraer-Record-Backlog.jpg)

O principal destaque do trimestre foram os USD 2,6 bilhões em pedidos firmes, pelo atual preço de lista, anunciados durante o Paris International Air Show. O valor inclui sete E190 para a chinesa Colorful Guizhou Airlines; oito E175 para a americana SkyWest Airlines, que serão operadas pela Alaska Airlines; dez E175 para a United Express; além de 15 E190-E2 e dez E195-E2 para a empresa de leasing estadunidense Aircastle – sem considerar as opções e direito de compra previstos nos contratos.

Em maio, a Embraer já havia anunciado pedidos da Tianjin Airlines para 22 aeronaves (20 E195 e dois E190-E2), o que tornou a companhia a primeira aérea chinesa a adquirir os E-Jets E2. No mesmo período, outro contrato havia sido anunciado com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. para a venda firme de 30 jatos E195-E2.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/07/Embraer-Record-Backlog-2.jpg)

Fonte: http://www.aereo.jor.br/2015/07/15/embr ... e-de-2015/ (http://www.aereo.jor.br/2015/07/15/embraer-alcanca-backlog-recorde-no-2o-trimestre-de-2015/)
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: mafets em Agosto 03, 2015, 09:42:24 am
http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/09/Su-24-foto-via-Expressen-580x323.jpg
Citar
A fabricante de aeronaves Embraer revisou para baixo sua previsão para a receita em 2015 nesta quinta-feira e estendeu o cronograma para seu jato de transporte militar KC-390, diante da redução do orçamento do governo federal para o setor em meio ao ajuste fiscal.

Com isso, a Embraer agora espera as primeiras entregas do cargueiro KC-390 no primeiro semestre de 2018 ante prazo originalmente estabelecido para o segundo semestre de 2016.

Após voo inaugural em fevereiro, a campanha de ensaios em voo do KC-390 agora está prevista para começar no terceiro trimestre de 2015 e deve durar em torno de 18 a 24 meses, recebendo a certificação até o final de 2017, disse a fabricante no balanço do segundo trimestre.

A empresa está trabalhando no cargueiro sob encomenda do governo brasileiro. O avião, o maior já desenvolvido e produzido no Brasil, é resultado de acordo firmado em 2009 com a Força Aérea Brasileira (FAB).

O presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, disse em teleconferência com analistas que os cortes de defesa estão concentrados no KC-390 e na modernização de caças, que terão seu escopo reduzido.

O governo ainda deve cerca de 370 milhões de dólares em recebíveis que a Embraer está trabalhando para obter, disse Curado.

O executivo acrescentou não esperar que as receitas de defesa se recuperem no ano que vem, mas que não vê “novas surpresas” do governo brasileiro afetando seus contratos de defesa no ano que vem. Além disso, afirmou que não deve haver novos cortes da projeção de receita no segmento de defesa da Embraer em 2015.

FONTE: Reuters (somente parte da matéria original foi transcrita)
(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/04/KC-390-foto-divulga%C3%A7%C3%A3o-Embraer-580x374.jpg)

Saudações
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 19, 2015, 07:17:54 pm
Há 46 anos era criada a Embraer

(http://i2.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/06/Embraer.jpg?resize=600%2C335)

A Embraer foi fundada em 19 de agosto de 1969 pelo engenheiro Ozires Silva, militar formado pelo ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica, com o desenvolvimento do primeiro avião chamado de Bandeirante.

(http://i0.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/08/1_2-Fabrica_q_ser%C3%A1_fabricado_o_Bandeirante_media.jpg?resize=600%2C448)

(http://i0.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/08/1_3_-_Bandeirante_IPD_6504_alta.jpg?resize=600%2C424)

Dez anos depois a Embraer conquistou grande relevância no cenário internacional com projetos dos aviões Brasília, Xingu e Bandeirante.

Em 1994, no governo do Itamar Franco, a economia do Brasil vivia uma crise. A estatal foi então privatizada. O presidente Ozires Silva liderou o leilão e reestruturou a administração da empresa. A Embraer se tornou a mais importante companhia negociada na Bolsa de Valores de São Paulo, a Bovespa, sendo denominada blue chips, que é a que mais rende a acionistas e funcionários.

(http://i1.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/08/Ozires-Silva.jpg?resize=600%2C338)

Com uma receita líquida de mais de R$ 12 bilhões, a empresa passou em 2012 à quarta posição mundial no setor, abaixo da principal concorrente, a canadense Bombardier, da Airbus que é um consórcio europeu e da norte-americana Boeing.

Essa queda para a quarta posição foi uma decisão estratégica para ampliar o mercado na linha executiva e de defesa. Essa estratégia levou a Embraer a ser a empresa que mais cresceu, em 2012.

(http://i1.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/08/1_capa1_media.jpg?resize=608%2C912)

Hoje, é a terceira maior fabricante de jatos do mundo, perdendo apenas para a Boeing e a Airbus. É a maior empresa brasileira na área de exportação, além de ser líder mundial de vendas no mercado de jatos.

(http://i1.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/E-Jets-E2-Embraer-600x386.jpg?resize=600%2C386)

Com um patrimônio de mais de R$ 17 bilhões possui 46% de suas ações sendo negociadas na Bolsa de Valores de Nova York e 54% na Bovespa.

(http://i0.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/06/A-29-Super-Tucano-FOTO-Sgt-Resende-FAB-2.jpg?resize=600%2C399)

(http://i0.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/08/1_030301_0176_b_RGB.jpg?resize=600%2C481)

(http://i2.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/08/1_AGS_000347_media.jpg?resize=600%2C400)

Por meio das empresas de segurança e defesa, a Embraer ajuda o Brasil a proteger as fronteiras. O maior cliente é a Força Aérea Brasileira, atuando no monitoramento de cerca de 650 km de fronteira nas divisas entre Brasil, Paraguai e Bolívia.

(http://i0.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/Aeronave-de-transporte-militar-KC-390-por-ocasi%C3%A3o-do-seu-primeiro-voo-realizado-no-dia-03.02.2015-na-cidade-de-Gavi%C3%A3o-Peixoto-SP-Foto-Embraer-1.jpg?resize=600%2C401)

Fonte:  http://www.cavok.com.br/blog/ha-46-anos ... a-embraer/ (http://www.cavok.com.br/blog/ha-46-anos-era-criada-a-embraer/)
Título: Re: Embraer: Notícias
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 23, 2015, 03:17:22 pm
EMBRAER REVELA PRIMEIROS DETALHES DO E190-E2

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/E190-E2_00101.jpg)

A aviação é um meio que suga dinheiro para poder transportar passageiros e cargas pelos céus, seja em curtas ou longas distâncias. O combustível é caro (e os preços não param de subir) e a manutenção de aeronaves exige peças valiosas e profissionais habilitados (e bem pagos). Para reduzir essa conta, as fabricantes nunca cessam as atualizações em seus aviões e sempre buscam formas de reduzir esses custos para continuar agradando seus clientes.

É o que a Embraer está fazendo neste momento com os jatos da série E-Jets, que em breve estreará a nova geração “E2”. O primeiro modelo, um E190-E2 na fase final de construção, foi apresentado nessa terça-feira (20), em São José dos Campos (SP), durante a “Conferência de Operadores Embraer”, que reuniu mais de 50 companhias aéreas e demais envolvidos no projeto.

A entrega do o primeiro E190-E2 está prevista para o primeiro semestre de 2018. O modelo E195-E2, o maior da família, tem estreia programada para 2019, enquanto o E175-E2, o “caçula”, deve voar em 2020 completando o programa de atualização dos E-Jets. O investimento da Embraer para atualizar os jatos comerciais é avaliado em US$ 1,7 bilhão.


(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/E190-E2_007.jpg)

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Painel_head-up_display.jpg)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2016, 04:02:22 pm
EMBRAER TEM MELHOR RESULTADO EM CINCO ANOS

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1_IMG_1893_alta.jpg)

Apesar da crise econômica no Brasil, a Embraer registrou em 2015 seu melhor resultado em cinco anos. A fabricante entregou 221 aeronaves no ano passado, sendo 101 jatos comerciais e 120 modelos executivos. O aparelho mais comercializado foi o E175, que somou 82 entregas.

Esse resultado final não seria possível graças a boa performance no último trimestre de 2015, quando a fabricante entregou 33 jatos comerciais e outros 45 modelos executivos, superando em uma unidade a meta estipulada.

Os destaques do último trimestre de 2015 foram a assinatura de um pedido firme para 19 jatos E175 efetuado pela companhia aérea SkyWest, que serão operados por meio de um acordo de compra de capacidade (CPA – Capacity Purchase Agreement, em inglês) com a Delta Airlines. Houve também a confirmação de duas opções por E175 adicionais para a KLM, do contrato com 17 pedidos firmes e 17 opções anunciado em março do ano passado.

Na aviação executiva, os destaques dos último três meses de 2015 foram o início das entregas do novo jato Legacy 450 e o contrato com a Emirates Flight Training Academy para cinco jatos Phenom 100E, com opção para mais cinco aeronaves do mesmo modelo. Ainda nesse período, a Embraer ainda entregou o primeiro Phenom 100E a um cliente na China.


(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/E-Jet-E2-foto-3-Embraer.jpg)

E a Embraer também recebeu uma série de encomendas por novas aeronaves. Segundo comunicado, a empresa tem 513 pedidos firmes por aeronaves a entregar, entre modelos da linha atual E-Jet e a nova geração E-Jet 2, que tem estreia prevista para 2018. Os pedidos realizados em 2015 são avaliados em US$ 22,5 bilhões.

O melhor resultado da Embraer foi registrado em 2010, quando 246 aeronaves foram entregues. Os números divulgados pela empresa incluem apenas aviões comerciais e executivos. Modelos de uso militar, como o Super Tucano, não entram nesse balanço.


Fonte:    http://airway.uol.com.br/embraer-tem-melhor-resultado-em-cinco-anos/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2016, 04:07:00 pm
JACKIE CHAN É O PRIMEIRO CLIENTE DO LEGACY 500 NA CHINA

Segundo jato executivo Embraer adquirido pelo ator chinês pode voar por mais de 5.700 km e custa cerca de US$ 21 milhões

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2016/02/Legacy_500_JackieChan-9.jpg)

Jackie Chan se tornou o primeiro cliente a receber um jato executivo Embraer Legacy 500 na China, informou a Embraer nesta segunda-feira (1). Esse novo jato, aliás, já é o segundo adquirido pelo ator, que também é o embaixador da empresa no mercado chinês.

“Nos últimos anos, meu Legacy 650 trouxe-me experiências de viagem fantásticas e grande conveniência, permitindo-me fazer mais gravações e trabalhos filantrópicos pelo mundo. Tenho certeza de que o desempenho do novo Legacy 500 excederá novamente minhas expectativas, se tornando um confortável lar e escritório móvel para mim”, relata Jack Chan, em comunicado da Embraer.

A relação entre Jackie Chan e a Embraer vem desde 2012, quando ele recebeu um Legacy 650 como cliente-lançador dessa aeronave na China. “Acredito que a escolha do Jackie Chan reflete a mudança de pensamento entre os clientes chineses, de que um jato executivo de médio porte pode atender a maior parte das necessidades de negócios com alta eficiência e maior flexibilidade”, contou Gua Dongyuan, presidente da “Embraer China”.


Jackie Chan nas alturas

O Legacy 500 é considerado um dos jatos mais modernos de sua categoria, dos jatos executivos mid-size (médios). A aeronave, no mercado desde 2014, pode transportar entre oito a 10 passageiros e realizar longas viagens: o modelo tem autonomia de 5.788 km voando a 950 km/h de velocidade de cruzeiro.

O Legacy 500 é um dos poucos aviões civis do mundo equipado com controles “full fly-by-wire”, tecnologia que automatiza os comandos da aeronave – aeronaves convencionais utilizam sistemas hidráulicos e cabos. Em plena potência, os dois motores turbofan do Legacy geram mais de 3.100 kgfm de empuxo, o que permite ao jato pode passar dos 1.000 km/h.

A aeronave executiva da fabricante brasileira é avaliada em cerca de US$ 21 milhões.


(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2016/02/Legacy_500_JackieChan-11.jpg)

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2016/02/Legacy_500_JackieChan-12.jpg)

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2016/02/Legacy_500_JackieChan-13.jpg)

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2016/02/MG-1043-jpg_035528.jpg)


Fonte: http://airway.uol.com.br/jackie-chan-e-o-primeiro-cliente-do-legacy-500-na-china/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2016, 04:11:11 pm
EMBRAER ENTREGA 300º JATO PHENOM 300

Jato executivo lançado em 2010 é o mais vendido no mundo na categoria de acesso ‘light’

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/300thPHABRE.jpg)

Lançado em 2010, o “jatinho” Embraer Phenom 300 rapidamente se tornou um dos aviões mais vendidos do mundo e o preferido do setor executivo. E os números que o digam: a fabricante brasileira celebra nesta terça-feira (20) a entrega do 300º exemplar da aeronave, a um cliente particular nos Estados Unidos.

Entre janeiro e setembro deste ano, a Embraer já entregou 47 modelos Phenom 300, volume que deve aumentar até o final de 2015, uma vez que tradicionalmente a maior parte das entregas de novas aeronaves acontece no último trimestre do ano. Em 2014, a empresa entregou 73 unidades do jato executivo e no ano anterior foram mais 60 exemplares.



Com esse volume de vendas, a Embraer passou a liderar o segmento de jatos “light” (modelos de pequeno porte) e hoje detém cerca de 60% do mix na categoria.

Os 300 Phenom estão espalhados por 28 países em todos os continentes e, segundo a Embraer, a frota acumula mais de 250 mil horas de voo sem ocorrência de incidentes técnicos.

A carreira do principal jato executivo da Embraer permaneceu intacta até julho deste ano, quando um modelo Phenom 300 caiu nos arredores do aeroporto de Blackbushe, na Inglaterra, matando os quatro ocupantes a bordo, entre eles membros da família Bin Laden – relatório sobre o acidente apontam falha humana.

Receita de sucesso

A Embraer entrou há pouco tempo no setor de aeronaves executivas, mas já detém uma participação significativa e um variado leque de produtos. A empresa estrou no setor em 2001 com a série Legacy, que são aeronaves baseadas em modelos da família ERJ, responsáveis por inserir a fabricante brasileira no mercado da aviação comercial a jato.


(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1_IMG_1893_alta.jpg)

Também foi criado o Lineage 1000, versão executiva do E 190, hoje um dos principais jatos comerciais da Embraer. Mas o produto que realmente recheou a carteira de pedidos da empresa foi o Phenom, atualmente oferecido nas versões ‘100’ e ‘300’.

O Phenom 100 estrou primeiro, com a primeira entrega em 2008, e teve ótima aceitação no mercado e em 2014 a Embraer já havia entregado mais de 300 unidades desse modelo. A versão 100 é o que se pode dizer de jato “de entrada” da empresa brasileira: custa cerca de US$ 4,2 milhões e na configuração normal transporta quatro passageiros.

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Phenom_300_Light_Executive_Aircraft_Baggage.jpg)

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1_P100_Tiffany-Scheme-01.jpg)

(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Phenom_300_Light_Executive_Jet_Cockpit.jpg)

O Phenom despertou a atenção do mercado por suas inovações. O jatinho da Embraer possui recursos de “jatões”: o principal são os controles ‘fly-by-wire’, que dão a aeronave um alto nível de automação, tornando os voos mais seguros e reduzindo o trabalho dos pilotos – não à toa o Phenom é certificado para ser operado somente por um piloto.

A versão 300, que hoje é o principal jato executivo da Embraer em volume de vendas, estreou em 2010 e roubou a cena dos principais produtos do segmento, como o Bombardier LearJet e o Cessna Citation, que lideram a categoria “light” por décadas.

Desempenho

O Phenom 300 é um dos jatos executivos de pequeno porte mais eficientes e versáteis do mundo, podendo ser operado em pequenos aeroportos. Tem autonomia para voar por 3.100 km e alcança a velocidade máxima de 840 km/h a 13.500 metros de altitude.


(http://airway.uol.com.br/wp-content/uploads/2015/10/1_AE_PH3_001158_a_copy_alta.jpg)

A cabine, em configuração normal, leva seis passageiros acomodados em poltronas executivas com sistema de entretenimento e opção de conversão em leitos. Como todos os outros jatos executivos da Embraer, o Phenom 300 pode ser customizado de acordo com o gosto do cliente, que pode ser um milionário procurando pelas próprias asas ou uma empresa de táxi aéreo, que oferece esse tipo de aeronave para transporte executivo.

O modelo custa aproximadamente US$ 8,5 milhões (cerca de R$ 23 milhões), um valor equivalente aos de seus concorrentes, que ainda utilizam tecnologias da geração anterior.



Fonte: http://airway.uol.com.br/embraer-entrega-300o-jato-phenom-300/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 12, 2016, 08:39:37 pm
EMBRAER: expansão em Portugal

(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2015/06/26113_resize_800_600_false_true_null.jpg)

A Embraer está expandindo as atividades das suas fábricas instaladas em Évora,Portugal, para atender a produção de peças e componentes para os novos aviões da companhia: o Legacy 450, o Legacy 500, da aviação executiva, os jatos comerciais E2 e o cargueiro militar KC-390. A empresa brasileira investirá 150 milhões de euros com o apoio de recursos de fundos liberados pela Comissão Europeia, como parte de um programa para estimular o investimento no país europeu, segundo Miguel Frasquilho, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (Aicep). Pelo programa, a companhia poderá recuperar, ao final do processo, 25% do investimento na forma de benefícios fiscais, de acordo com Frasquilho.

A Embraer não confirmou a informação, mas declarou que os investimentos em Portugal fazem parte do alinhamento entre as prioridades deste país e a estratégia industrial da companhia. Frasquilho, porém, afirma que a empresa já se candidatou ao fundos. "A Embraer, que é um investidor de referência em Portugal, vai reforçar sua presença em nosso país com um investimento de 150 milhões de euros e concorre a esses fundos."

Segundo ele, a Comissão Europeia disponibilizou cerca de US$ 10 bilhões para subsidiar investimentos em tecnologia e inovação em Portugal, entre 2014 e 2020. Frasquilho esteve no Brasil no fim em maio para tentar estimular outras empresas brasileiras a se aproveitar dos fundos europeus e investir por lá. O Brasil foi a principal fonte de investimentos diretos em Portugal em 2014, com cerca de US$ 3,5 bilhões. "Nós gostaríamos de reforçar esse montante", disse.

Em 2012, a Embraer a também foi beneficiada com recursos de fundos comunitários de Portugal para realizar o investimento total de 177 milhões de euros, aplicado na construção das fábricas de Évora. Segundo a empresa, a criação dos dois centros de excelência em Évora contribuem para apoiar o governo de Portugal no plano de estabelecer, na sua base industrial, uma oferta competitiva em nível global para o setor aeronáutico. Inauguradas em 2012, as unidades de Évora são responsáveis pelo fornecimento de materiais compósitos e metálicos para os jatos E2 e jatos executivos.

Em Évora, a Embraer também produz as longarinas e os painéis  de revestimento das asas do KC-390, assim como o estabilizador vertical e o estabilizador horizontal da aeronaves. A fábrica da Ogma, em Alverca, uma subsidiária da Embraer em Portugal, também produz partes do KC-390. O fornecimento dos painéis da fuselagem central, carenagens para os trens de pouso, as portas dos trens de pouso principais e os profundores do KC-390 é feito em conjunto com a portuguesa EEA (Empresa de Engenharia Aeronáutica).

A Embraer explicou que a parceria industrial que fechou com Portugal para o programa do KC-390 está focada no trabalho com a EEA. A parceria foi motivada pela assinatura de uma carta de intenção de compra, pelo governo português, para seis aeronaves KC-390.

Segundo a mídia portuguesa, autoridades brasileiras querem levar o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho para o voo inaugural da aeronave, em visita que ele deve fazer a Brasília ainda neste ano.


FONTE: http://www.defesanet.com.br/embraer/noticia/19420/EMBRAER--expansao-em-Portugal/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 17, 2016, 06:52:57 pm
Embraer projeta demanda de 1.570 novos jatos de 70 a 130 assentos na região da Ásia-Pacífico nos próximos 20 anos

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/embraer195companyjet_embraer.jpg)

A Embraer Aviação Comercial divulgou hoje, no Singapore Airshow, a previsão de mercado para a região da Ásia-Pacífico, que inclui a China. A Companhia acredita que as companhias aéreas vão encomendar cerca de 1.570 novos jatos no segmento de 70 a 130 assentos nos próximos 20 anos (no valor de USD 75 bilhões, a preços de lista), o que representa 25% da demanda mundial para o segmento no período. De acordo com as perspectivas globais de mercado para o segmento de 70 a 130 assentos divulgadas pela Embraer, nas próximas duas décadas, todo o mercado vai demandar 6.350 novos jatos a categoria, que é avaliada em USD 300 bilhões no período.

O mercado da Ásia-Pacífico se tornará mais rico, competitivo e aberto, estimulando ainda mais as companhias aéreas a buscar maior eficiência do sistema, diferenciação de marca e melhores níveis de serviço. Neste contexto, o segmento de jatos de 70 a 130 assentos desempenhará papel fundamental no apoio ao desenvolvimento intra-regional na Ásia-Pacífico.

“Estamos mostrando às companhias aéreas o benefício de afastar-se de um mercado lotado e buscar oportunidades em mercados que estão atualmente carentes, ou sem serviço algum, onde os rendimentos são também mais fortes, passando de um a dois dígitos”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO, Embraer Aviação comercial.

A região da Ásia-Pacífico tem experimentado rápido desenvolvimento social e econômico nas últimas décadas. A expansão acima da média da economia da região, com uma taxa de crescimento anual do PIB projetada em 4,1% para os próximos 20 anos, combinada com o aumento da urbanização e mudanças nos padrões demográficos, resultará em aumento do rendimento familiar e aumento dos gastos discricionários, incluindo viagens aéreas.


(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/cockpit-e-Jets-e2-dreammaker-1280x905.jpg)

Segundo aponta o estudo, a ascensão das companhias aéreas de baixo custo (Low Cost Carrier – LCC) foi uma resposta direta e natural para o aumento da demanda por viagens aéreas na região na última década. Porém, o grande aumento de capacidade tem influenciado os preços das passagens e criou uma nova dinâmica: um ciclo vicioso, onde rendimentos menores forçam custos unitários mais baixos, levando a aeronaves maiores que adicionam capacidade, o que leva a taxas de ocupação mais baixas e descontos maiores nas tarifas. Reduzir as tarifas para compensar a queda de passageiros tem limites, e concentrar-se principalmente nas receitas auxiliares não é uma estratégia de negócio sustentável. Já há sinais de saturação; apesar do crescimento de 8,6% no número de passageiros por quilômetro transportado (RPK, na sigla em inglês) em 2015, estima-se que as operadoras da região tenham obtido uma margem líquida que de apenas 2,9%, em média, impulsionado pelo preço mais baixo do petróleo. A rentabilidade permanece indefinida para as empresas asiáticas que enfrentam o desafio de excesso de capacidade.

A Embraer vê oportunidades inexploradas na Ásia-Pacífico, onde mais de 250 mercados, ou 30% dos mercados exclusivos de narrow-bodies, são servidos com menos de uma frequência diária. Mercados como estes seriam melhor servidos com jatos de 70 a 130 assentos, com base no número médio de passageiros por decolagem. Além disso, 37% da capacidade intra-regional é oferecida por turboélices em rotas com cerca de 400 quilômetros, que são mais adequados para operações com jatos, devido à maior produtividade, melhor economia operacional e conforto superior aos passageiros.

A substituição de frotas mais antigas é outra oportunidade na região, onde existem mais de 250 jatos na categoria de 50 a 150 assentos com mais de 10 anos de idade, que se tornarão alvos para substituição no futuro próximo.

A Embraer Aviação Comercial está presente em 11 países da Ásia-Pacífico, com mais de 20 clientes e mais de 200 aeronaves voando na região. A família de E-Jets já registrou mais de 1.700 pedidos e mais de 1.200 entregas até à data, e está em serviço com cerca de 70 clientes de 50 países. No segmento de 70 a 130 lugares, a Embraer tem uma participação global de mercado de 51% das encomendas e 62% das entregas desde 2004.



Fonte:  http://www.aereo.jor.br/2016/02/17/embraer-projeta-demanda-de-1-570-novos-jatos-de-70-a-130-assentos-na-regiao-da-asia-pacifico-nos-proximos-20-anos/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 18, 2016, 12:03:19 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 24, 2016, 01:50:11 pm
Embraer E2, o novo jato da empresa brasileira,nos preparativos para o roll-out:

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/12745563_10208752781447131_2529898644571890768_n.jpg?oh=8775ab09941c926cf6599751505bd69e&oe=575B16FA&__gda__=1465273263_e669fa32c44909aec826041b2c18e621)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 24, 2016, 01:53:32 pm
Phenom 300 da Embraer é o jato executivo mais entregue no mundo pelo terceiro ano consecutivo

(http://i0.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Phenom_300_Flight-04.jpg)

O Phenom 300 da Embraer foi o jato executivo mais entregue no mundo em 2015 pelo terceiro ano consecutivo, com 70 aeronaves sendo recebidas por clientes ao redor do globo.

“Gostaríamos de agradecer nossos clientes pela confiança e fidelidade, que possibilitou ao Phenom 300 ter aceitação global desde o seu lançamento”, disse Marco Tulio Pellegrini, Presidente e CEO da Embraer Aviação Executiva. “O projeto da família Phenom teve como base os mais sofisticados requisitos da indústria, combinando atributos de uma aeronave imbatível. Ter a aeronave mais entregue do mundo pelo terceiro ano consecutivo é um verdadeiro reconhecimento de que fomos fiéis ao compromisso de desenvolver aeronaves inovadoras para atender às necessidades dos operadores.”

Reconhecido como um dos mais desejados jatos leves por empresas de propriedade compartilhada, serviços de fretamento, departamentos de voos corporativos e pilotos proprietários, o Phenom 300 já possui uma frota de 320 jatos em operação em 28 países e acumula cerca de 300.000 horas de voo. O Phenom 300 também foi o jato executivo mais entregue em 2013 e 2014.

A Associação dos Fabricantes de Aviação Geral (GAMA, na sigla em inglês) divulgou recentemente o seu relatório anual referente às entregas e faturamento do setor em 2015, mostrando que a participação de mercado da Embraer Aviação Executiva, em termos de entregas, subiu para 17%. No ano passado, a Empresa entregou 120 jatos executivos, incluindo aeronaves da família Phenom, Legacy e Lineage, o maior volume dos últimos cinco anos.


Sobre o Phenom 300

O Phenom 300 tem desempenho entre os melhores jatos da categoria light, com velocidade máxima de cruzeiro de 453 nós (839 km/h) e um alcance de 3.650 quilômetros (1,971 milhas náuticas) com seis ocupantes nas condições NBAA IFR. Com a melhor razão de subida e desempenho de pista da sua classe, o Phenom 300 tem custos de operação e de manutenção menor do que seus concorrentes. A aeronave voa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros), propulsionada por dois motores Pratt & Whitney Canada PW535E, com 3.360 libras de empuxo cada.

O Phenom 300 oferece uma cabine espaçosa, projetada em parceria com o BMW Group DesignworksUSA e o maior bagageiro de sua categoria. As maiores janelas de sua classe proporcionam luz natural abundante na cabine e no toalete. O conforto dos assentos, com capacidade de reclínio e amplo movimento é acentuado pela melhor pressurização de cabine entre os jatos leves (altitude máxima de 6.600 pés). O Phenom 300 oferece zonas de temperatura distintas para pilotos e passageiros, uma ampla galley, opções de comunicação de voz e de dados e um sistema de entretenimento.

A cabine de comando permite operação por um só piloto e oferece a opção avançada Prodigy Touch Flight Deck. Os recursos tipicamente encontrados em categorias superiores são ponto único de reabastecimento, manutenção externa do toalete e uma elegante escada.


(http://i0.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Phenom_300_Cabin.jpg)

(http://i1.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Phenom_300_FlightDeck_G3000b.jpg)

(http://i0.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Phenom_300_Ramp-01.jpg)

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2016/02/23/phenom-300-da-embraer-e-o-jato-executivo-mais-entregue-no-mundo-pelo-terceiro-ano-consecutivo/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 24, 2016, 01:55:15 pm
Irã quer comprar 50 aviões da Embraer em negociações com governo brasileiro, diz fonte

(http://i2.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Embraer_190.jpg)

O governo iraniano tem interesse em comprar 50 aviões da fabricante brasileira Embraer EMBR3.SA e mais de 100 mil táxis a gás de montadoras brasileiras, informou à Reuters uma fonte do Palácio do Planalto nesta segunda-feira.

O governo do Irã também quer comprar ônibus e caminhões brasileiros, em um pacote de negócios que começou a ser tratado em outubro, quando o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, foi ao Irã com uma comitiva de 30 empresários. A negociação teve sequência há duas semanas, em um encontro entre a presidente Dilma Rousseff e o embaixador do Irã no Brasil, Mohammad Ali Ghanezadeh Ezabadi.

Na semana passada, Monteiro afirmou em entrevista à Reuters que o Brasil pretende triplicar o comércio com o Irã nos próximos três anos, especialmente na área de alimentos, proteínas e transportes, e considera aceitar o uso de outras moedas nas transações em vez do dólar, como o euro, para evitar barreiras financeiras. A meta é alcançar uma corrente comercial de 5 bilhões de dólares nesse período.

A compra de aviões da Embraer já está em negociação. O Irã precisa repor toda a frota de aviação, depois de anos de embargo em que foi impedido de fazer importações. Depois de fechar um negócio de 114 Airbus, o país precisa também repor a frota de aviação regional.

Além disso, o país precisa repor toda a frota de táxis, caminhões e ônibus do país. Inicialmente, a fonte havia informado que seriam 60 mil táxis, mas depois retificou o número para mais de 100 mil.

De acordo com a fonte palaciana, estão sendo negociados ainda acordos nas áreas de nanotecnologia, microbiologia e aeroespacial. Há, ainda, a possibilidade de investimentos iranianos na compra de refinarias no Brasil.


FONTE: Reuters
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 25, 2016, 09:01:33 pm
E190-E2 rollout

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlf1/v/t1.0-9/12791066_789936201111879_1295892354364689271_n.jpg?oh=397064c4abe2f96bcdc566176aab1da1&oe=57595B4C&__gda__=1464778803_e593331f02e960806bd8fb0cb8f69628)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpl1/v/t1.0-9/12742849_789936174445215_1040363894558550607_n.jpg?oh=bdc7e101c4b27996c93fe11e466b6412&oe=576D367C&__gda__=1465283568_02f6635bc161181214814cadc3590079)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12745944_789936167778549_305552281180178632_n.jpg?oh=720ee4f048020247fecdf303c7161c98&oe=576B47E3)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/10424261_789936221111877_5434648535987486614_n.jpg?oh=0a7dde1f28cdfc68ca2e81a62e6fce44&oe=5771A03B)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlt1/v/t1.0-9/12717910_789936441111855_4881445005378548691_n.jpg?oh=88326e8970d73ba831ae3f31b29ccfb8&oe=57511873&__gda__=1465596514_6d8f571dd15b83c6383c3f2baf825963)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/10487412_789936451111854_5487964905396392532_n.jpg?oh=33cb5608d772fe49fa83ef1098309dfc&oe=5726C0AD)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpl1/v/t1.0-9/12743969_789936274445205_7843598824838026603_n.jpg?oh=6ee0e8af857f6d4be7538740cc711096&oe=5754B997&__gda__=1466035483_06e7f4a51ccebb60aaded153a2826904)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12745604_789936397778526_1739098394395568092_n.jpg?oh=1f9ff5f38c06130ac88dbb67cb2eb207&oe=5725C17A)

(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/10626639_789936297778536_2067748599032513895_n.jpg?oh=261fee69e26980742630f8221bc8f5ca&oe=5767DDC7&__gda__=1464879387_5a3443b276d4e4ae11087a1d5f271899)

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/12734102_789936554445177_4817583970361107614_n.jpg?oh=d46d01e320a54c27d6fbca8ad2cd06ff&oe=5752F5AD&__gda__=1465718727_a568160e1831d9eb668ae73be8c7a279)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/12321653_789936444445188_6406349264193671018_n.jpg?oh=143e3e02d6baa3f20aded85d30007ce4&oe=5724CDDA&__gda__=1466021986_6d52e3dcba26fdddc518d099b0b8b9c9)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/v/t1.0-9/12745965_789936384445194_7856538317583521007_n.jpg?oh=b52ead577ca26e43903d29fe5cca746c&oe=574FF2E9&__gda__=1465915058_3ec2c260d5c856bf81ab24d72a1b4cec)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlt1/v/t1.0-9/619_789936841111815_687977351679156330_n.jpg?oh=46bb00c35de4aaf1db08eb6bf457b3ca&oe=5766A172&__gda__=1466515048_aa2958d3da40dca09395f63781b0966c)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xft1/v/t1.0-9/12734212_789936944445138_8235490238772996683_n.jpg?oh=4c17577355384c6f36430feea5dc2c45&oe=574EF683&__gda__=1464776457_1255ca512ce724c2867173f58e567b85)

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/v/t1.0-9/12790875_789937121111787_8820119814141751148_n.jpg?oh=e92880df8beeeeec10f9cda252c20f61&oe=5723255C)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/1916105_789938704444962_6274823291647722942_n.jpg?oh=2a6a033c276e923b604a8a7d87f39620&oe=576233A0&__gda__=1466583137_11c104969c3ae3350a80340a31303722)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlt1/v/t1.0-9/12744673_789938721111627_7732314789556434370_n.jpg?oh=a81ef059cf9d53d730035f9641aa8806&oe=575230CB&__gda__=1466460890_f82a7a9539016e08c0644b4b58124646)


Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 26, 2016, 07:03:04 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Março 11, 2016, 11:43:26 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 12, 2016, 03:24:45 pm
Not a valid vimeo URL
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 12, 2016, 03:25:56 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 12, 2016, 03:54:11 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: mafets em Maio 20, 2016, 09:41:45 am
http://www.aereo.jor.br/2016/05/17/gripen-para-botswana-pode-se-transformar-super-tucano/ (http://www.aereo.jor.br/2016/05/17/gripen-para-botswana-pode-se-transformar-super-tucano/)
Citar
Super Tucanos

No início do processo de aquisição de um novo caça para Botswana, em 2014, o país procurou auxílio dos Estados Unidos e sondou a possibilidade de comprar algum caça norte-americano via programa FMS (Foreign Military Sales). Os Estados Unidos se recusaram terminantemente a vender caças a jato para o país africano, que passou a estudar outras propostas.

Em fevereiro deste ano o mesmo periódico de Botswana que anunciou as conversas com os suecos também informou que brasileiros haviam estado no país africano para demonstrar o Super Tucano da Embraer.

Também foi informado que o presidente Ian Khama visitou a Coreia do Sul no ano passado e um dos assuntos tratados foi a possível venda do jato KAI T-50/FA-50.

Segundo a The Business Weekly & Review de Botswana um Super Tucano custa metade do preço de um T-50. Já um Gripen custaria cinco vezes mais que um Super Tucano.

O presidente de Botswana pretende decidir pelo novo avião até o final deste ano.
(http://i2.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/05/botswana.gif)

Saudações
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 25, 2016, 01:55:26 am
E2 First Flight - Best Moments

Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 25, 2016, 01:57:37 am
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 25, 2016, 02:01:04 am
TAP Express é o primeiro operador de E-Jets em Portugal

(http://i1.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/05/1_E190_Nice.jpg)

Lisboa, Portugal, 24 de maio de 2016 – A TAP é a companhia aérea mais recente a operar a família de E-Jets da Embraer na Europa. A empresa iniciou ontem voos regulares com o jato E190 a partir de Lisboa para vários destinos da sua Rede intra-europeia. O primeiro voo, TP488, partiu de Lisboa com destino a Nice, na França. A companhia aérea iniciou a incorporação de nove jatos usados deste modelo à frota nos últimos meses. Os aviões vão operar sob a marca TAP Express.

“É com extrema satisfação que adicionamos a TAP Express à crescente família de operadores de E-Jets”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO, Embraer Aviação Comercial. “Com o melhor custo operacional na categoria de jatos até 100 assentos, o E190 trará muito mais eficiência e flexibilidade às operações da TAP Express, além de oferecer um conforto sem igual aos passageiros.”

A entrada em serviço do E190 faz parte da estratégia de renovação da frota regional da TAP, que passa assim a operar sob a nova marca comercial TAP Express, em substituição da designação Portugália PGA Airlines, cujo objetivo é dar maior consistência à marca e produto TAP, reforçando a sua identidade comercial.

“No âmbito da renovação integral da sua frota regional e da melhoria do produto e serviços oferecidos, é com grande expectativa que a TAP lança em operação os novos E190, os quais proporcionam uma nova dimensão de conforto e modernidade que vai surpreender os nossos passageiros. Os novos E190 são aviões extremamente atuais, de tecnologia avançada e maior autonomia, que nos permitem abrir novas rotas e chegar a novos mercados, garantindo uma operação mais fiável e mais flexível, com melhores níveis de economia e eficiência. Com a sua entrada em serviço, a TAP Express passa a dispor da frota mais nova no segmento de mercado que serve, posicionando-se assim mais competitivamente face às congéneres”, afirmou Fernando Pinto, Presidente Executivo da TAP.

A companhia aérea utilizará os E190 para substituir jatos Fokker 100, aviões que tinham mais de 25 anos de serviço na empresa. Os E190 estarão configurados com 106 assentos.

A Embraer é a única fabricante a desenvolver uma moderna família de quatro aviões especificamente para o segmento de 70 a 130 assentos. Desde o lançamento do programa, a Embraer registrou cerca de 1.700 encomendas e mais de 1.200 entregas, com os E-Jets redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais, operando em toda uma gama de aplicações de negócios, com cerca de 70 clientes de 50 países. Coletivamente, os E-Jets já acumularam mais de 15 milhões de horas de voo.

FONTE:   http://www.aereo.jor.br/2016/05/24/tap-express-e-o-primeiro-operador-de-e-jets-em-portugal/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 03, 2016, 03:46:35 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 03, 2016, 03:59:13 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 11, 2016, 01:50:14 pm

 :G-Ok: :G-beer2:
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 24, 2017, 01:32:05 pm
S7 Airlines, da Rússia, é o novo integrante da família de E-Jets

(http://www.embraer.com/PublishingImages/press-releases/E170_S7Airlines.jpg)

Citar
Amsterdã, Holanda, 22 de dezembro de 2016 – Poucas semanas após receber os Certificados de Tipo das autoridades russas para os jatos E170 e E175, a Embraer anuncia que a S7 Airlines será a primeira operadora do E170 no país. A companhia aérea assinou um acordo com a GE Capital Aviation Services (GECAS) para o leasing de 17 jatos usados E170, não afetando, portanto, a carteira de pedidos da Embraer. A companhia aérea começará a receber as aeronaves no primeiro trimestre de 2017.

“Novamente, Embraer e GECAS se unem para fornecer aeronaves ao mercado russo”, disse Arjan Meijer, Chief Commercial Officer, Embraer Aviação Comercial. “Damos as boas-vindas à S7 Airlines à crescente família de operadores de E-Jets. Estamos muito satisfeitos em ver o E170 em operação com uma das maiores empresas aéreas russas, apoiando-a na expansão das rotas pela Rússia. A S7 é agora a operadora com a maior malha fora de Moscou servindo mercados regionais e intra-regionais.”

“Os novos E170 nos permitirão ganhar impulso no desenvolvimento do transporte aéreo regional. Vemos grande potencial nesse segmento. Hoje, o transporte aéreo está concentrado em Moscou, e os passageiros das cidades da região de Ural muitas vezes têm de voar para o Extremo Oriente por meio de uma conexão em Moscou. Os primeiros Embraer serão baseados no aeroporto Novosibirsk Tolmachevo, que está muito bem localizado para servir como eficiente ponto de conexão para outras regiões. O novo tipo de aeronaves nos permitirá lançar voos a partir de cidades pequenas e difíceis de alcançar, onde o uso de aviões de médio alcance é impossível”, disse Vladimir Obyedkov, CEO da S7 Airlines.

“A introdução do E170 na frota da S7 é o resultado de nossa análise aprofundada das crescentes necessidades da companhia aérea”, disse Alec Burger, Presidente e CEO da GECAS. “O E170 oferece um firme desempenho operacional e é adequado para ajudar a S7 a servir o mercado russo.”

Os E-Jets já estão bem estabelecidos em vários países da região, como Polônia, Finlândia e Bulgária, e também nos países da CEI (Comunidade de Estados Independentes), com clientes da Embraer operando E-Jets no Cazaquistão, Azerbaijão, Bielorrússia, Ucrânia e Moldávia. O E190 e o E195 foram certificados pela Rússia em 2012, e a Saratov Airlines vem voando o E195 desde 2013.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos. A Companhia possui 100 clientes em todo o mundo operandos os jatos das famílias ERJ e de E-Jets. Somente para o programa de E-Jets, a Embraer já registrou mais de 1.700 pedidos firmes e 1.300 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais por meio da operação em uma gama de aplicações de negócios.

FONTE: http://www.embraer.com/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/S7-Airlines,-da-R%C3%BAssia,-%C3%A9-o-novo-integrante-da-fam%C3%ADlia-de-E-Jets.aspx
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 24, 2017, 01:34:38 pm
Embraer assina contrato com a Widerøe, da Noruega, para até 15 aeronaves E2

(http://www.embraer.com/PublishingImages/press-releases/Wideroe%20190-E2.jpg)

Citar
Dublin, Irlanda, 16 de janeiro de 2017 – A Embraer assinou um contrato com a norueguesa Widerøe, maior companhia aérea regional da Escandinávia, para até 15 jatos da família E2. O contrato consiste de três pedidos firmes para o E190-E2 e direitos de compra para outras 12 aeronaves da família E2. A flexibilidade nos direitos de compra para os jatos E175-E2, E190-E2 e E195-E2 dará à Widerøe a capacidade de aumentar sua frota com uma nova geração de aeronaves de 80 a 130 assentos, de forma a melhor ajustar a capacidade às necessidades do mercado.

O pedido tem um valor potencial de até USD 873 milhões, a preço de lista, se todos os direitos de compra forem exercidos. Os três pedidos firmes para jatos E190-E2 foram incluídos na carteira da Embraer do quarto trimestre de 2016.

“É sempre um momento importante para a Embraer quando adicionamos uma nova companhia aérea à nossa família de operadores. É ainda mais gratificante fazer parte de uma mudança de patamar nas operações desse cliente, já que a nova geração E190-E2 também representará a primeira adição de aviões a jato na frota da Widerøe. As oportunidades que se apresentam no futuro, tanto para a Embraer como para a Widerøe, à medida que a companhia aérea busca crescer e ir além das operações com aviões turboélice, são promissoras. Uma ótima maneira de começar 2017”, disse Arjan Meijer, Chief Commercial Officer (CCO) da Embraer Aviação Comercial.

Sobre a Widerøe

A Widerøe é a maior companhia aérea regional da Escandinávia, com uma equipe de 3.000 funcionários e um faturamento de 4,4 bilhões de coroas norueguesas (NOK). A empresa transporta cerca de 3 milhões de passageiros por ano e voa para 46 destinos nacionais e internacionais.
A Widerøe opera mais de 450 voos diários e opera para um número de aeroportos mais de duas vezes maior na Noruega do que qualquer outra companhia aérea. Hoje, nossa rede é composta por 60% de rotas comerciais e 40% de rotas PSO (Obrigações dos Serviços Públicos, na sigla em inglês).

FONTE: http://www.embraer.com/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/Embraer-assina-contrato-com-a-Wider%C3%B8e-da-Noruega-para-at%C3%A9-15-aeronaves-E2.aspx
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 24, 2017, 01:37:25 pm
Embraer atinge metas com entrega de 108 jatos comerciais e 117 executivos em 2016

Citar
São José dos Campos - SP, 13 de janeiro de 2017 – A Embraer entregou 32 jatos para o mercado de aviação comercial e 43 para o de aviação executiva, sendo 25 jatos leves e 18 jatos grandes, ao longo do quarto trimestre de 2016 (4T16). Assim, a Empresa encerrou o ano com 108 aeronaves entregues para o mercado de aviação comercial e 117 para o mercado de aviação executiva, sendo 73 jatos leves e 44 jatos grandes, cumprindo as estimativas informadas ao mercado ao longo do ano (de 105 a 110 jatos comerciais, de 70 a 80 jatos executivos leves e de 35 a 45 jatos executivos grandes).

O total de 225 aeronaves para esses dois mercados representa o maior volume de entregas dos últimos seis anos. Em 31 de dezembro, a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) totalizava USD 19,6 bilhões.

FONTE: http://www.embraer.com/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/Embraer-atinge-metas-com-entrega-de-108-jatos-comerciais-e-117-executivos-em-2016.aspx
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Janeiro 24, 2017, 01:40:48 pm
Airlink se torna primeira companhia aérea da África do Sul a adquirir os E-Jets

(http://www.embraer.com/PublishingImages/press-releases/Airlink.jpg)

Citar
Amsterdã, Holanda, 19 de janeiro de 2017 – A Airlink, maior companhia aérea regional independente da África do Sul, está se unindo à família de operadores de E-Jets. A empresa aérea adquiriu cinco E-Jets, sendo três E170 e dois E190 da ECC Leasing, subsidiária integral da Embraer. A Airlink começará a receber os aviões no primeiro semestre de 2017.

A Airlink já opera uma grande frota de jatos ERJ – em dezembro, a empresa aérea começou a adicionar 11 jatos ERJ 140 à sua frota. Até o final de 2017, a empresa estará operando 30 ERJs, incluindo os três modelos – ERJ 135, ERJ 140 e o ERJ 145.

Rodger Foster, CEO da Airlink, afirmou: “este é o início da implementação de uma bem planejada estratégia de crescimento e modernização da Airlink que inclui a substituição de nossa frota atual de Avros RJ85 nos próximos três anos. A estratégia exige um total de 13 E-Jets e estamos no processo de buscar no mercado o restante dessa frota, o que exigirá oito jatos E190 adicionais. As características de desempenho únicas da família de E-Jets permitirão que a Airlink atue no ambiente desafiador da região, incluindo operações em pistas curtas, altas temperaturas e altitudes elevadas (“hot and high”), ao mesmo tempo em que se adequa à capacidade e prevê crescimento.”

A Embraer está presente no continente africano desde 1978, quando entrou em operação o primeiro turboélice Bandeirante. Atualmente, existem 127 aeronaves da Embraer em operação com 39 companhias aéreas em 19 países africanos, desempenhando um papel vital na conectividade da região.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais até 130 assentos. A Companhia possui 100 clientes em todo o mundo operando os jatos das famílias ERJ e de E-Jets. Somente para o programa de E-Jets, a Embraer já registrou mais de 1.700 pedidos firmes e 1.300 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais por meio da operação em uma gama de aplicações de negócios.

Sobre a Airlink

A Airlink é a maior companhia aérea regional independente no sul da África, conectando mais passageiros a cidades pequenas e médias, além de centros regionais, do que qualquer outra companhia aérea local. A Airlink liga 36 destinos em nove países africanos.

A companhia transporta atualmente mais de 1,4 milhão de passageiros em 44.800 voos por ano. A Airlink mostrou crescimento em cada ano de sua existência. O perfil dos passageiros da empresa representa aproximadamente 30% de lazer e 70% de negócios.

Os destinos de negócios da Airlink incluem várias capitais africanas, como Antananarivo, Lusaka, Harare; capitais de províncias como Pietermaritzburg, Polokwane, Bloemfontein, Kimberley e Nelspruit; e cidades industriais como Upington, Phalaborwa, Ndola, Tete, Sishen, Nampula, Beira, Pemba e Bulawayo. Além disso, a Airlink oferece alguns destinos turísticos exóticos como Cidade do Cabo, Mthatha, George, Windhoek, Delta do Okavango (Maun), Chobe River (Kasane), Livingston, Skukuza, Vilanculos e Nosy Be.

O principal centro de operações da Airlink é Joanesburgo, onde o cronograma de voos tem como objetivo atender às complexidades da demanda do mercado e é especificamente concebido para satisfazer as necessidades de viagem ponto a ponto, ao mesmo tempo em que compatibiliza a conectividade com as chegadas e partidas da sua principal parceira de 20 anos, a South African Airways, e todas as outras companhias aéreas associadas à IATA.

FONTE: http://www.embraer.com/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/Airlink-se-torna-primeira-companhia-a%C3%A9rea-da-%C3%81frica-do-Sul-a-adquirir-os-E-Jets.aspx
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 31, 2017, 06:37:25 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: mafets em Fevereiro 03, 2017, 10:16:49 am
Podia o governo da Argentina pedir aos privados algum guito para uns caças... ;D ;)

Citar
http://www.aereo.jor.br/2017/02/02/phenom-100-da-embraer-inicia-operacao-na-argentina/ (http://www.aereo.jor.br/2017/02/02/phenom-100-da-embraer-inicia-operacao-na-argentina/)

São José dos Campos – SP, 2 de fevereiro de 2017 – Dois jatos executivos Phenom 100 iniciaram recentemente operações na Argentina, marcando a entrada da Embraer no mercado de aviação executiva local. Os primeiros aviões privados da companhia registrados no país estão sendo utilizados em voos de fretamento e particulares. O Phenom 100, aeronave da categoria de entrada, já teve 340 unidades entregues em todo o mundo, sendo mais de 100 somente na América Latina.

“Estamos muito animados com o início das operações dos jatos Phenom 100 na Argentina, mercado que vive um momento de recuperação. Os jatos executivos da Embraer são modernos, confortáveis, com grande capacidade de bagagem, baixo custo operacional e de fácil operação, ideais para a aviação executiva argentina”, disse Gustavo Fonseca, Diretor de Vendas da Embraer Aviação Executiva para a América Latina.

No último mês de janeiro, a autoridade aeronáutica argentina (Administración Nacional de Aviación Civil de Argentina – ANAC) certificou o Centro de Serviços da Embraer em Sorocaba (SP) para manutenção da linha completa de jatos executivos da Embraer com matrícula do país, incluindo esses dois Phenom 100 usados. Em breve, uma oficina autorizada também deve ser homologada em Buenos Aires.

O Phenom 100 tem capacidade para quatro passageiros na configuração padrão, mas pode transportar até 7 passageiros com um único tripulante. Seu alcance de 2.182 km permite voos sem escalas de Buenos Aires até São Paulo, Santiago ou Bariloche.

A Embraer conta com 70 centros de serviços em todo o mundo para atender os mais de 1.100 jatos executivos da marca que voam atualmente em 63 países.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/Phenom100_Ext_009_2100x1400_300_RGB-1024x683.jpg)

Saudações
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 07, 2017, 02:05:37 pm

Embraer Historical Center
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Fevereiro 10, 2017, 11:18:22 pm
Desculpem não resisti


Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 24, 2017, 02:27:04 pm
Phenom 300 da Embraer é novamente o jato executivo mais entregue no mundo

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/05-HDR_phenom_300-1024x682.jpg)

Citar
São José dos Campos, SP, 23 de fevereiro de 2017 – A Embraer Aviação Executiva entregou 63 jatos Phenom 300 em 2016, o maior volume entre todos os modelos de jatos executivos da indústria no ano, de acordo com o relatório da GAMA (General Aviation Manufacturers Association), entidade americana que representa o setor. Este é o quarto ano consecutivo em que o Phenom 300 alcança esta marca, tendo acumulado 266 entregas desde 2013, uma margem de 11% sobre o segundo jato mais entregue no mesmo período.

“Mais uma vez estamos muito felizes pelo Phenom 300 ter recebido reconhecimento tão importante do mercado. Ficamos muito gratos aos nossos clientes pela validação, tanto do projeto original desta aeronave, como por todas suas contribuições de melhorias, que fizeram este jato se tornar o melhor de sua classe”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, CEO da Embraer. “A reafirmação da confiança dos nossos operadores reitera nosso compromisso de entregar a melhor experiência ao cliente”.

Em apenas sete anos de operação, a frota de Phenom 300 está prestes a alcançar a marca de 400 aeronaves, tendo mantido uma fatia de mais de 50% de mercado na categoria de jatos leves desde 2012. A aeronave está em operação em 30 países e acumula perto de 500 mil horas de voo. A Embraer está investindo continuamente na competitividade do Phenom 300, com melhorias no seu conforto, tecnologia e eficiência operacional.

O Phenom 300 é um dos jatos leves mais velozes, tendo estabelecido vários recordes de velocidade reconhecidos pela NAA (National Aeronautic Association) e pela FAI (Federation Aeronautique Internationale).

Sobre o Phenom 300

O Phenom 300 tem desempenho entre os melhores jatos da categoria light, com velocidade máxima de cruzeiro de 453 nós (839 km/h) e um alcance de 3.650 quilômetros (1,971 milhas náuticas) com seis ocupantes nas condições NBAA IFR. Com a melhor razão de subida e desempenho de pista da sua classe, o Phenom 300 tem custos de operação e de manutenção menor do que seus concorrentes. A aeronave voa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros), propulsionada por dois motores Pratt & Whitney Canada PW535E, com 3.360 libras de empuxo cada.

O Phenom 300 oferece uma cabine espaçosa, projetada em parceria com o BMW Group DesignworksUSA e o maior bagageiro de sua categoria. As maiores janelas de sua classe proporcionam luz natural abundante na cabine e no toalete. O conforto dos assentos, com capacidade de reclínio e amplo movimento é acentuado pela melhor pressurização de cabine entre os jatos leves (altitude máxima de 6.600 pés). O Phenom 300 oferece zonas de temperatura distintas para pilotos e passageiros, uma ampla galley, opções de comunicação de voz e de dados e um sistema de entretenimento.

A cabine de comando permite operação por um só piloto e oferece a opção avançada Prodigy Touch Flight Deck. Os recursos tipicamente encontrados em categorias superiores são ponto único de reabastecimento, manutenção externa do toalete e uma elegante escada.

Sobre a Embraer Aviação Executiva

A Embraer é uma das maiores fabricantes de jatos executivos do mundo, tendo entrado neste segmento de mercado a partir de 2000, com o lançamento do jato Legacy. A Embraer Aviação Executiva foi constituída em 2005. Seu portfólio, o mais amplo da indústria, é formado pelos jatos Phenom 100, Phenom 300, Legacy 450, Legacy 500, Legacy 650E e Lineage 1000E. A frota da Embraer Aviação Executiva excede a marca de 1000 jatos, que estão em operação em mais de 60 países. Os clientes são apoiados por uma rede global de 70 centros de serviços entre próprios e autorizados, complementados por um Contact Center 24/7.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/P300_-_WT_Scheme_C_-_View_01_-_7_Seat_Stowage.jpg)

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/Phenom_300_Flight_Deck-1-1024x682.jpg)

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2017/02/23/phenom-300-da-embraer-e-novamente-o-jato-executivo-mais-entregue-no-mundo/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 09, 2017, 02:31:52 pm
Embraer apresenta o E195-E2 - O jato comercial de nova geração mais eficiente no mundo

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/E195-2-1.jpg)

Citar
São José dos Campos, SP – 7 de março de 2017 – A Embraer apresentou nesta terça-feira, em cerimônia realizada na unidade da Empresa em São José dos Campos, a maior aeronave da segunda geração da família de E-Jets e também o mais eficiente avião comercial do mundo para rotas domésticas: o E195-E2. Com voo inaugural previsto para os próximos meses, o jato deverá entrar em serviço no primeiro semestre de 2019.

“O E195-E2 tem potencial de mudar significativamente o perfil de frota das companhias aéreas em todo o mundo. Tendo custo por viagem 20% menor e custo por assento similar ao de aviões maiores, o E195-E2 torna-se o avião ideal tanto para crescimento de empresas regionais como complementação de frota de empresas de baixo custo e de linhas principais”, disse John Slattery, Presidente & CEO, Embraer Aviação Comercial.

O E195-E2 tem três fileiras a mais de assentos quando comparado ao E195 da atual geração, podendo ser configurado com 120 lugares em duas classes de serviço, ou até 146 em classe única. A aeronave também tem aumento significativo de alcance, de mais de 800 quilômetros (450 milhas náuticas), o que possibilitará viagens de até 4.500 quilômetros (2.450 milhas náuticas) de distância.

A aeronave tem uma asa desenvolvida especialmente para o modelo, com o maior alongamento entre jatos de corredor único, aumentando a eficiência de consumo de combustível. Além de uma especificação mais equilibrada, a Embraer usou toda a experiência de mais 17 milhões de horas voadas nos E-Jets atuais, com uma frota de mais 1.300 unidades, para chegar a um projeto de otimização para o E2. Por exemplo, sendo concebido com uma combinação inteligente de materiais, o E195-E2 consegue ter capacidade de transportar 10% mais passageiros que o concorrente direto e ainda assim ter o mesmo peso.

“Introduzimos na comprovada plataforma de E-Jets todas as novas tecnologias que agregam valor aos clientes. Um exemplo é a quarta geração de fly-by-wire que permitiu a redução de 20% da área da empenagem, minimizando o arrasto e o peso,” explica Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente de Operações, Embraer Aviação Comercial. “O avião terá uma economia de até 24% de consumo e 20% nos custos de manutenção por assento quando comparado ao atual E195. Parte dessa economia será atingida pela nova tecnologia de motores, mas o grande diferencial competitivo do E195-E2 está na otimização da estrutura e dos seus vários sistemas.”

A Embraer vai utilizar dois aviões na campanha de certificação do E195-E2. O primeiro protótipo será utilizado nos ensaios de aerodinâmica e desempenho, enquanto o segundo avião, que também deve realizar o voo inaugural até o fim deste ano, será empregado na validação de tarefas de manutenção e de interior.

Desde o lançamento, os E2 alcançaram 690 pedidos, dos quais 275 firmes, sendo 90 para o E195-E2, e de 415 opções e direitos de compra, tendo entre seus clientes companhias aéreas e empresas de leasing. Atualmente, a família de E-Jets opera com cerca de 70 clientes em 50 países, sendo líder global no segmento até 130 assentos, com mais de 50% de participação de mercado.

Com investimento de USD 1,7 bilhão, o programa E2 foi lançado em junho de 2013 e reforça o compromisso da Embraer em investir continuamente na linha de jatos comerciais e manter a liderança de mercado no segmento de 70 a 130 assentos.

Sobre a Embraer Aviação Comercial

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos. Cerca de 900 aviões da família ERJ 145 de jatos regionais foram entregues a companhias aéreas desde sua introdução no mercado, em 1996. A família de E-Jets inclui quatro aeronaves que têm entre 70 e 130 assentos. Com engenharia avançada, alto grau de eficiência, cabines ergonômicas e espaçosas com dois assentos por fileira, além de atraente economia operacional, o E170, o E175, o E190 e o E195 estabeleceram um novo padrão na categoria. Desde que os E-Jets entraram em serviço, a Embraer recebeu mais de 1.700 pedidos firmes para esta família de aeronaves e mais de 1.300 E-Jets já foram entregues.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/E195-2-2.jpg)

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2017/03/07/embraer-apresenta-o-e195-e2-o-jato-comercial-de-nova-geracao-mais-eficiente-no-mundo/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 09, 2017, 03:27:12 pm
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35197.jpg)
(http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2017/03/35199.jpg)
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35198.jpg)
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35202.jpg)
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35200.jpg)
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35221.jpg)
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35204.jpg)
(http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/03/35201.jpg)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 19, 2017, 03:11:56 am
Embraer Legacy 450: novo recorde de velocidade entre Califórnia e Havaí

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/L450_Exterior-Clouds-02_2100x1604_300_RGB.jpg)

Citar
Melbourne, Florida, 16 de março de 2017 – O jato executivo Legacy 450 estabeleceu novo recorde de velocidade em voos entre a Califórnia e o Havaí, de acordo com a Agência Aeronáutica Nacional dos Estados Unidos (NAA – National Aeronautic Association). A viagem para o Havaí foi a primeira, tanto para a aeronave como para os passageiros da AirSprint, empresa canadense baseada em Calgary, que opera a maior frota de aeronaves de propriedade compartilhada, e que também é o cliente lançador do Legacy 450 no Canadá. Os voos de demonstração foram realizados com tripulação da Embraer, partindo de Oakland, na Califórnia, até Maui, no Havaí, com dois pilotos, quatro passageiros, e 136 kg de bagagem, retornando para São Francisco.

“Participar do voo em que o Legacy 450 estabeleceu um recorde de velocidade pro Havaí foi uma experiência singular”, disse James Elian, Presidente e COO da AirSprint. “Temos orgulho do nosso papel nas vidas pessoais e profissionais de canadenses bem-sucedidos. Nossos clientes de propriedade compartilhada confiam em nós, diariamente, para levá-los com colegas e familiares para destinos de negócios bem como de lazer. Com o Legacy 450 na nossa frota, temos como elevar a experiência dos nossos clientes com mais velocidade e acesso direto a destinos mais distantes, como o Havaí, com conforto e luxo sem precedentes. É motivo de grande orgulho oferecer esta incrível aeronave aos nossos clientes”.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/Legacy500_450_Cockpit-44-throttle-cool_2100x1348_300_RGB.jpg)

O primeiro voo partiu de Oakland International Airport (KOAK) em 5 de dezembro de 2016, às 11:53 (PST), com reservas de combustível acima do exigido para operação NBAA IFR assim como para operações críticas. O voo teve duração de 5 horas e 14 minutos, cobrindo uma distância de 3.907 km (2,428 milhas), registrando seu voo mais longo até o presente. Em apenas 25 minutos de voo, a aeronave atingiu sua altitude planejada de cruzeiro, de 43 mil pés.

A aeronave aterrissou em Kahului Airport (PHOG), em Maui, às 15:04 (HST) com abundante reserva de combustível (1.134 kg ou 2.500 lb), tendo consumido apenas 3,946 kg (8,700 lb) a uma taxa de aproximadamente 243 galões por hora de voo. A maior velocidade atingida em voo foi de 450 nós ou 834 km/h (518 mph), sustentando ventos de proa de 58 nós. De acordo com a NAA, a aeronave registrou uma velocidade média de 724,06 km/h (449.91 mph), estabelecendo o recorde de velocidade para o trajeto.

O voo de retorno do Havaí teve início em 6 de dezembro, às 8:05 (HST), com apenas três passageiros e o mesmo volume de bagagem. O voo teve duração de 4 horas e 27 minutos, cobrindo uma distância de 3.829 km (2,379 miles). A aeronave aterrissou em San Francisco International Airport (KSFO) às 14:54 (PST) com considerável reserva de combustível 1.497 kg (3,300 lb). A mais alta velocidade atingida em voo foi de 533 nós ou 987 km/h (613 mph), com ventos de cauda de 24 nós. A NAA ratificou a velocidade média de 846,34 km/h (525.89 mph) obtida pela aeronave como recorde para o percurso.

O Legacy 450 tem alcance de 5.371 km (2,900 nm) com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, podendo operar em até Mach .83 com altitude máxima de 45 mil pés.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/Legacy_450_SN020_Interior-16_2100x1400_300_RGB.jpg)

DIVULGAÇÃO: Embraer

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2017/03/16/embraer-legacy-450-novo-recorde-de-velocidade-entre-california-e-havai/http://www.aereo.jor.br/2017/03/16/embraer-legacy-450-novo-recorde-de-velocidade-entre-california-e-havai/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 30, 2017, 03:33:46 am
Embraer voa E195-E2, jato de nova geração mais eficiente no mundo, antes do previsto

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/E195-E2-First-Flight-03.jpg)

Citar
São José dos Campos, SP – 29 de março de 2017 – Dez meses após o primeiro voo do E190-E2, a Embraer realiza o voo inaugural de mais uma aeronave da segunda geração da família de E-Jets antes da previsão inicial. Nesta quarta-feira, decolou pela primeira vez o jato E195-E2, maior integrante da família e também o mais eficiente avião comercial do mundo para rotas domésticas. O voo, originalmente programado para o segundo semestre deste ano, ocorreu apenas três semanas após a cerimônia de apresentação da aeronave.

“Com nível de eficiência único, o E195-E2 oferece aos nossos clientes a oportunidade de desenvolver novos mercados com maior lucratividade sem comprometer a competitividade de custo unitário. É uma máquina de geração de resultado”, disse John Slattery, Presidente & CEO, Embraer Aviação Comercial.

Com custo por viagem 20% menor e custo por assento similar ao de aviões maiores, o E195-E2 é o avião ideal tanto para o crescimento de empresas regionais quanto para a complementação de frota de empresas de baixo custo e linhas principais (mainline). O avião terá uma economia de até 24% de consumo e 20% nos custos de manutenção por assento quando comparado ao E195 atual.

O E195-E2 decolou às 11h22, hora local, das instalações da Embraer em São José dos Campos e voou durante duas horas, marcando assim o início da campanha de certificação da aeronave. A tripulação, formada pelos pilotos Márcio Brizola Jordão e José Willi Pirk, além dos engenheiros de voo Celso Braga de Mendonça e Mario Ito avaliou o desempenho da aeronave, qualidade de voo e o comportamento de sistemas tais como o piloto automático, fly-by-wire e retração do trem de pouso.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/E195-E2-First-Flight-06.jpg)

“Com uma envergadura de 1.4 metros maior que o do E190-E2, o E195-E2 torna-se a aeronave com maior alongamento entre jatos de corredor único, aumentando assim sua eficiência de consumo de combustível ”, explica Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente de Operações, Embraer Aviação Comercial. “Aplicamos a experiência de mais 17 milhões de horas voadas e a base de clientes de mais 100 clientes de jatos para desenvolver o E195-E2 com o custo total mais competitivo na indústria.”

A Embraer utilizará dois aviões na campanha de certificação do E195-E2. O primeiro protótipo será utilizado nos ensaios de aerodinâmica e desempenho, enquanto o segundo avião, que também deve realizar o voo inaugural até o fim deste ano, será empregado na validação de tarefas de manutenção e de interior. A entrada em serviço comercial está planejada para 2019, com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras.

O E195-E2 tem três fileiras adicionais de assentos em comparação com o E195 atual, podendo ser configurado com 120 lugares em duas classes de serviço, ou até 146 assentos em classe única. A aeronave também tem aumento significativo de alcance com relação ao modelo atual, de mais de 800 quilômetros adicionais (450 milhas náuticas), o que possibilitará viagens de até 4.500 quilômetros (2.450 milhas náuticas) de distância.

Os E2 alcançaram 275 pedidos firmes, sendo 90 para o E195-E2, além 415 opções e direitos de compra e cartas de intenção, totalizando 690 compromissos de companhias aéreas e empresas de leasing. Atualmente, a família de E-Jets opera com cerca de 70 clientes em 50 países, sendo líder global no segmento até 130 assentos, com mais de 50% de participação de mercado.

DIVULGAÇÃO: Embraer

http://www.aereo.jor.br/2017/03/29/embraer-voa-e195-e2-jato-de-nova-geracao-mais-eficiente-no-mundo-antes-do-previsto/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Março 30, 2017, 10:37:36 pm
Embraer voa E195-E2, jato de nova geração mais eficiente no mundo, antes do previsto

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/E195-E2-First-Flight-03.jpg)

Citar

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/E195-E2-First-Flight-06.jpg)

“Com uma envergadura de 1.4 metros maior que o do E190-E2, o E195-E2 torna-se a aeronave com maior alongamento entre jatos de corredor único, aumentando assim sua eficiência de consumo de combustível ”, explica Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente de Operações, Embraer Aviação Comercial. “Aplicamos a experiência de mais 17 milhões de horas voadas e a base de clientes de mais 100 clientes de jatos para desenvolver o E195-E2 com o custo total mais competitivo na indústria.”


O E195-E2 tem três fileiras adicionais de assentos em comparação com o E195 atual, podendo ser configurado com 120 lugares em duas classes de serviço, ou até 146 assentos em classe única. A aeronave também tem aumento significativo de alcance com relação ao modelo atual, de mais de 800 quilômetros adicionais (450 milhas náuticas), o que possibilitará viagens de até 4.500 quilômetros (2.450 milhas náuticas) de distância.


DIVULGAÇÃO: Embraer

http://www.aereo.jor.br/2017/03/29/embraer-voa-e195-e2-jato-de-nova-geracao-mais-eficiente-no-mundo-antes-do-previsto/

O B753 só tem 54.40m de comprimento, ou seja mais 13,00m que o E195E2, com 41,50m de comprimento, portanto a Embraer está a falhar quando diz que é a maior aeronave de corredor único "......  E195-E2 torna-se a aeronave com maior alongamento entre jatos de corredor único ..... " desculpem mas não é verdade !!!

Cumprimentos
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2017, 02:07:08 am
Citar
O B753 só tem 54.40m de comprimento, ou seja mais 13,00m que o E195E2, com 41,50m de comprimento, portanto a Embraer está a falhar quando diz que é a maior aeronave de corredor único "......  E195-E2 torna-se a aeronave com maior alongamento entre jatos de corredor único ..... " desculpem mas não é verdade !!!

Tudo bem. Válido registro. O importante é que a Embraer está sempre inovando. :G-beer2: 8)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Março 31, 2017, 09:04:50 am
Citar
O B753 só tem 54.40m de comprimento, ou seja mais 13,00m que o E195E2, com 41,50m de comprimento, portanto a Embraer está a falhar quando diz que é a maior aeronave de corredor único "......  E195-E2 torna-se a aeronave com maior alongamento entre jatos de corredor único ..... " desculpem mas não é verdade !!!

Tudo bem. Válido registro. O importante é que a Embraer está sempre inovando. :G-beer2: 8)

CLARO, CLARO, Se para si está tudo bem para uma empresa que, para inovar até pode mentir.................OK, quanto a mim não estará, mas cada um fica com a opinião de valer tudo para tentar vender um produto....... enfim cada macaco no seu galho e salve-se quem puder como o outro dizia.  :conf: :down:
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2017, 02:01:02 pm
A Embraer não precisa mentir para inovar. Você próprio sabe disso.

Enquanto isso, a "mais nova mentira" da Embrear que, em breve, estará operando nos principais aeroportos do mundo:


8) :G-Ok:
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2017, 03:40:54 pm
Citar
O B753 só tem 54.40m de comprimento

A propósito. O que seria B753? Quis dizer Boeing 757? Se sim, realmente ele tem 54 metros de comprimento mas, este avião foi retirado da linha produção da Boeing a muito, muito tempo.

Pouquíssimas companhias aéreas operam o 757. Salvo algumas raridades como o "Trump Force One", um avião executivo:

(https://i.ytimg.com/vi/gaARX0NYXlk/maxresdefault.jpg)

Portanto, acho que deve ter ocorrido uma falha de interpretação ou um pequeno lapso (perdoável, diga-se de passagem) de quem deu esta declaração questionada por você.

Além disso, esta "divergente" informação não compromete o magistral E195-E2 e tampouco, a magnitude e representatividade com credibilidade global da Embraer.  ;)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Alvalade em Março 31, 2017, 03:43:11 pm
757-300
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Março 31, 2017, 05:35:16 pm
Citar
O B753 só tem 54.40m de comprimento

A propósito. O que seria B753? Quis dizer Boeing 757? Se sim, realmente ele tem 54 metros de comprimento mas, este avião foi retirado da linha produção da Boeing a muito, muito tempo.

Pouquíssimas companhias aéreas operam o 757. Salvo algumas raridades como o "Trump Force One", um avião executivo:

(https://i.ytimg.com/vi/gaARX0NYXlk/maxresdefault.jpg)

Portanto, acho que deve ter ocorrido uma falha de interpretação ou um pequeno lapso (perdoável, diga-se de passagem) de quem deu esta declaração questionada por você.

Além disso, esta "divergente" informação não compromete o magistral E195-E2 e tampouco, a magnitude e representatividade com credibilidade global da Embraer.  ;)

Sr Victor Santos o sr deve ser um especialista sobre assuntos de aeronaves não é ???
Então o sr não sabe o que é um B753 ????
Pois olhe eu trabalho com esses bichinhos e outros, muitos outros, ao vivo e a cores directamente há trinta anos e não percebo nada mas aqui estou a aprender consigo................ mas olhe que não me enganei quando disse que era um 753 e sabe porque ????

A Embraer não precisa de defensores oficiosos sr Victor Santos, ainda por cima sem sequer saber o que dizem...........a qualidade dos equipamentos da Emb falam por si, o sr nunca me ouviu nem leu algo escrito por mim a dizer mal das aeronaves da Embraer, pois não ????

PS o último 757 foi entregue pela Boeing em 2005.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2017, 06:29:09 pm
Citar
A Embraer não precisa de defensores oficiosos sr Victor Santos

Longe disto. Realmente a Embraer não precisa de minha defesa e, como você próprio atesta, a qualidade das aeronaves falam por elas. 

E meu pseudônimo se assina VITOR Santos. Não ViCtor.

Mais: de fato, vossa excelência não precisa aprender nada comigo e dispenso saber onde opera vosso ofício.

2005? Faz tempo, hein, amigão? :jaja:
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Março 31, 2017, 07:50:48 pm
Citar
A Embraer não precisa de defensores oficiosos sr Victor Santos

Longe disto. Realmente a Embraer não precisa de minha defesa e, como você próprio atesta, a qualidade das aeronaves falam por elas. 

E meu pseudônimo se assina VITOR Santos. Não ViCtor.

Mais: de fato, vossa excelência não precisa aprender nada comigo e dispenso saber onde opera vosso ofício.

2005? Faz tempo, hein, amigão? :jaja:

Lamento o erro ortográfico.
Não tenha dúvidas meu caro, no que diz respeito a aeronaves consigo nada aprendo, tenho algumas qualificações aeronáuticas e olhe que não foram conseguidas em fóruns.
quanto ás perguntas sobre o 753, vi que vossa senhoria não respondeu, mas ok, eu entendo............ele quase não opera em companhias, e faz um tempão que não é produzido, desde 2005, não é ?????
wilco sr Vitor Santos.
 
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2017, 08:26:05 pm
Citar
tenho algumas qualificações aeronáuticas e olhe que não foram conseguidas em fóruns

Irmãos Wright e Santos Dumont devem se orgulhar de vosso vulto. Por falar nisso te ensinaram que a Embraer comercializa e divulga seus produtos por meio de engodos? Acho que não, hein capitão Boeing... (http://images.uncyc.org/pt/b/b9/Capitaoboing.jpg)

Citar
olhe que não foram conseguidas em fóruns.

Ainda bem, né? ;)

Citar
quanto ás perguntas sobre o 753, vi que vossa senhoria não respondeu, mas ok, eu entendo

O tópico é sobre a Embraer, não da Boeing.

Citar
wilco sr Vitor Santos.

Passar bem! Volte sempre!
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Março 31, 2017, 09:12:38 pm
Citar
tenho algumas qualificações aeronáuticas e olhe que não foram conseguidas em fóruns

Irmãos Wright e Santos Dumont devem se orgulhar de vosso vulto. Por falar nisso te ensinaram que a Embraer comercializa e divulga seus produtos por meio de engodos? Acho que não, hein capitão Boeing... (http://images.uncyc.org/pt/b/b9/Capitaoboing.jpg)

Citar
olhe que não foram conseguidas em fóruns.

Ainda bem, né? ;)

Citar
quanto ás perguntas sobre o 753, vi que vossa senhoria não respondeu, mas ok, eu entendo

O tópico é sobre a Embraer, não da Boeing.

Citar
wilco sr Vitor Santos.

Passar bem! Volte sempre!

Já começa a derivar sr Vitor Santos, mas com certeza que sabe o que é uma deriva na aviação .......é o que está a fazer !!!!!
È típico quando não sabemos responder derivamos.............fugimos da rota e começamos a gastar mais combustível, e ás tantas ficamos secos e fazemos uma papada...........é típico, quando não sabemos fugimos...... com o dito á seringa, assim é fácil e muito conveniente, caro sr, é muito fácil !!!!!

Claro que o tópico é sobre a Embraer mas  apraz-me falar consigo, estou sempre a aprender, e.........muito !!!!

Saúde e fogo á peça
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Alvalade em Março 31, 2017, 09:26:38 pm
Tenho algumas suspeitas.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 31, 2017, 10:26:54 pm
Citar
Tenho algumas suspeitas.

Diga aí as suas suspeitas. Aliás, eu suspeito de suas suspeitas.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Alvalade em Março 31, 2017, 10:33:09 pm
Citar
Tenho algumas suspeitas.

Diga aí as suas suspeitas. Aliás, eu suspeito de suas suspeitas.

Fazes bem.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 04, 2017, 02:17:33 pm
Embraer entrega o primeiro Phenom 100EV

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/04/Phenom100EV_2100x1400_300_RGB.jpg)

Citar
São José dos Campos – SP, 3 de abril de 2017 – A Embraer Aviação Executiva entregou o primeiro jato Phenom 100EV, no dia 31 de março, para um cliente não revelado dos Estados Unidos. A nova aeronave foi certificada pela ANAC, no Brasil e a americana FAA. Evolução do Phenom 100, que chegou ao mercado em 2008, o Phenom 100EV oferece um desempenho superior com novos aviônicos e motores modificados.

“A chegada do Phenom 100 ao mercado em 2008 estabeleceu um novo padrão para a indústria, elevando as expectativas dos clientes a respeito de um jato executivo leve”, disse Michael Amalfitano, CEO da Embraer Aviação Executiva. “A evolução do nosso primeiro projeto totalmente dedicado para a aviação executiva reflete nosso comprometimento em ouvir os clientes para continuar oferecendo aeronaves revolucionárias e com mais valor para o mercado”.

A aclamada suíte aviônica Prodigy Touch, que foi apresentada ao mercado pelo jato Phenom 300, agora equipa também o novo Phenom 100EV. Os motores PW617F1-E da Pratt & Whitney, do Canadá, modificados, oferecem mais velocidade e desempenho superior, principalmente em operações em aeroportos localizados em grandes altitudes e elevadas temperaturas.

Com mais de 350 aeronaves voando em 37 países, o Phenom 100 é reconhecido por pilotos-proprietários, corporações, empresas de fretamento e de propriedade compartilhada por ter sido projetado para alta utilização e baixos custos operacional e de manutenção. A aeronave é também considerada a ideal para preparação de pilotos em operações multimotor e tem sido utilizada por academias de treinamento de voo em todo o mundo.

Sobre o Phenom 100EV

O Phenom 100 EV tem motores Pratt & Whitney Canada PW617F1-E, com 1.730 libras de empuxo, chegando a 405 nós (750 km/h) em velocidade de cruzeiro e até 15% mais empuxo em aeroportos elevados e com altas temperaturas, o que equivale a mais alcance e menor tempo de subida. A aeronave tem alcance de 1.178 milhas náuticas (2,182 km) com quatro passageiros e reservas NBAA IFR.

A cabine de comando permite operação com um só piloto, com alerta situacional elevado pela interface homem-máquina da aviônica Prodigy Touch, baseada no Garmin G3000, com painéis maiores e de alta resolução, telas divisíveis e novo radar meteorológico.

O Phenom 100 EV é a evolução da aeronave mais espaçosa de sua classe, com melhorias no interior, tais como novo perfil do corredor para aumentar o espaço e tomadas reposicionadas com carregadores USB. A aeronave apresenta onze opções de design do interior, luz natural abundante a partir de amplas janelas, inclusive no lavabo privativo, um recurso tipicamente visto somente em aeronaves maiores, assim como no caso do compartimento de bebidas, a escada integrada e o maior compartimento de bagagem de sua classe.

DIVULGAÇÃO: Embraer

http://www.aereo.jor.br/2017/04/03/embraer-entrega-o-primeiro-phenom-100ev/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 12, 2017, 04:13:33 am
Embraer recebe clientes para celebrar 20 anos de operação do jato ERJ 145

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/04/ERJ-145-03.jpg)

Citar
Rio de Janeiro, RJ – 11 de abril de 2017 – Como parte das comemorações dos 20 anos de operação comercial do jato ERJ 145, de 50 assentos, a Embraer recebe, a partir de hoje, quase 30 operadores da família de jatos para dois dias de conferência (Embraer Operators Conference – EOC) no Rio de Janeiro. O primeiro voo comercial do ERJ 145 ocorreu no dia 6 de abril de 1997 com a Continental Express, dos Estados Unidos.

“O ERJ 145 significou o renascimento comercial da Embraer, abrindo caminho para o desenvolvimento de novos programas, como o de E-Jets, que levou a Empresa à liderança do mercado de aviação comercial de jatos até 130 assentos”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, Presidente & CEO da Embraer. “Pessoalmente, tenho grande carinho pelo programa, que me trouxe à Embraer. Participei de praticamente todas as campanhas de vendas do jato como diretor de financiamento aos clientes.”

A família de jatos ERJ 145 é composta pelo ERJ 145 (50 lugares), ERJ 135 (37 lugares), ERJ 140 (44 lugares) e o ERJ 145 XR (versão de longo alcance da versão 145). Desde a entrada em operação, a família ERJ 145 acumulou mais de 27 milhões de horas voadas e quase 730 milhões de passageiros transportados, sendo utilizada por mais de 120 operadores diferentes.

Nos últimos sete anos, a base global de clientes do ERJ quase dobrou, aumentando de 39 operadores, em 2010, para 70 atualmente. No mesmo período, a aplicação e utilização dos modelos ERJ cresceu em mercados emergentes como a África, onde a frota aumentou de 16 unidades em 2010 para quase 60 em 2017.

Robusta e com excelente histórico de operação, a plataforma ERJ é um sucesso na aviação comercial, com quase 900 unidades entregues, além de ter aplicações nos mercados de aviação executiva, com os jatos Legacy 600 e Legacy 650, e também de defesa, como AEW&C, multi-intel e patrulha marítima para o segmento de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (Intelligence, Surveillance and Reconnaissance – ISR, na sigla em inglês).

No total, mais de 1.200 aviões da plataforma ERJ 145 já foram entregues em todo o mundo, o que coloca o programa ERJ entre os mais bem-sucedidos na indústria aeronáutica.

DIVULGAÇÃO: Embraer

http://www.aereo.jor.br/2017/04/11/embraer-recebe-clientes-para-celebrar-20-anos-de-operacao-do-jato-erj-145/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 03, 2017, 03:35:03 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 12, 2017, 06:40:05 pm
(https://cdn1.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2017/06/E195-E2-profit-hunter.jpg)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 19, 2017, 04:30:28 am

A bordo do Embraer Lineage 1000, o maior jato executivo do mundo
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 19, 2017, 01:22:17 pm

E195-E2: The Birth of The Profit Hunter
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 20, 2017, 04:39:10 pm
(https://cdn2.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2017/06/Embraer_PAS2017.jpg)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 23, 2017, 03:39:21 am

Pilots Warm Up | Paris Airshow 2017
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 24, 2017, 05:18:39 pm
... A hora do show:


:G-beer2:
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 05, 2017, 08:40:39 pm

Por Dentro do Embraer Lineage 1000 em Detalhes
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 11, 2017, 09:06:20 pm
Embraer na Labace 2017 em São Paulo

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/08/Embraer-Executive-Jets.jpg)

Citar
São José dos Campos-SP, 9 de agosto de 2017 – O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, recebe na próxima semana as mais recentes inovações em tecnologia, design de interiores e serviços que a Embraer traz para o mercado global de aviação executiva. Entre os destaques estão a família Legacy 450/500, a mais avançada da categoria de aeronaves de médio porte, e o Phenom 300, o jato executivo mais vendido do mundo nos últimos quatro anos. A mostra inclui ainda o Phenom 100, o modelo líder do mercado brasileiro e o Legacy 650, única aeronave do mercado com 10 anos de garantia, que pode levar confortavelmente até 14 passageiros em três ambientes de cabine.

As aeronaves estarão em exposição de 15 a 17 de agosto durante a Labace (Latin American Business Aviation Conference & Exhibition), maior feira de aviação executiva da América Latina, que este ano completa 15 anos. O evento é organizado pela ABAG (Associação Brasileira de Aviação Geral), entidade que reúne as principais empresas do segmento de aviação geral no país, desde fabricantes de aeronaves, fornecedores de peças, táxi aéreo e escolas de formação de pilotos.

“Num país de dimensões continentais como o Brasil, a aviação executiva desempenha um papel estratégico para o desenvolvimento econômico. Nossos clientes, dos mais variados setores produtivos e de serviços, se utilizam desse meio diariamente para prospecção de negócios e visita às operações e fornecedores dentro e fora do país. De forma ágil, eficiente e segura ganha-se assim produtividade no dia a dia entre a ligação de cidades que não são atendidas ou são parcialmente servidas pelo transporte aéreo regular”, disse Gustavo Teixeira, diretor de vendas da Embraer Aviação Executiva para América Latina. “A Embraer tem a satisfação em contribuir diretamente para o desenvolvimento e modernização da frota de jatos em operação no país, trazendo para o mercado nacional e internacional uma nova geração de jatos inovadores com muito mais conectividade, tecnologia, conforto e baixo custo operacional”.

Durante a Labace, a Embraer também promoverá suas inovações na área de serviços, que colocam a companhia no topo das pesquisas de satisfação do cliente. Com a maior estrutura de suporte instalada no Brasil, os clientes dos 180 jatos executivos Embraer de matrícula nacional contam com uma ampla rede de oficinas próprias e autorizadas e representantes técnicos pelo país, central de atendimento e engenharia na sede da companhia em São José dos Campos-SP, centro de treinamento de pilotos em Guarulhos-SP, e amplo estoque de peças nacionalizadas. Além disso, a Embraer oferece no aeroporto de Sorocaba-SP, uma gama de serviços para proprietários de modelos de aeronaves de todas as marcas, como salas VIP, escritórios, lounges de embarque, hangaragem, coordenação de abastecimento de combustível e serviços de limpeza dedicados.

Confira abaixo as características e diferenciais de cada jato executivo Embraer em exposição na Labace 2017:

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/02/Phenom100_Ext_009_2100x1400_300_RGB.jpg)

O Phenom 100 é o jato que revolucionou a categoria de entrada dos jatos executivos contemporâneos. Com novos aviônicos e motores modificados, a aeronave oferece agora ainda mais velocidade e desempenho superior, principalmente em aeroportos de regiões com condições de baixa densidade de ar em razão de temperaturas altas e elevada altitude. Ele oferece uma comodidade diferenciada frente a qualquer competidor de sua classe e uma relação de desempenho e custo operacional imbatível, podendo levar confortavelmente quatro passageiros e dois pilotos ou até oito ocupantes (incluindo tripulação em operação de piloto único), conforme a configuração de interior. A aeronave atinge velocidade máxima de 750 km/h, alcance de 2.182 km (São Paulo-Recife) e requer uma única parada para manutenção ao ano ou a cada 600 horas de voo, um recorde para a categoria. O Phenom 100 é o modelo de jato executivo de maior frota no Brasil, com 93 aeronaves registradas.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Phenom_300_Flight-04.jpg)
Phenom 300

O Phenom 300 detém a marca de jato executivo mais vendido do mundo nos últimos quatro anos consecutivos. Apresenta a cabine mais ampla da sua categoria, levando tipicamente de 8 a 11 ocupantes (incluindo tripulação – sendo que a operação também pode ser com piloto único). Com um desempenho excepcional, tem velocidade máxima de 839 km/h e alcance de 3.650 km, sendo capaz de cumprir a rota São Paulo-Santiago sem paradas. Seu baixo custo de operação é comparável ao de um avião turboélice bimotor e também requer somente uma única parada para manutenção ao ano ou a cada 600 horas de voo.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/08/Legacy-500-foto-Embraer.jpg)
Legacy 500

O Legacy 500 trouxe um conceito extremamente inovador para a categoria de jatos médios (midsize), sendo o único jato entre seus pares a ter controle de voo completamente digital fly-by-wire, tecnologia de ponta usada até então somente em modelos de aeronaves com mais que o dobro do seu preço ou caças militares. O alcance de 5.788 km permite que o Legacy 500 cubra todo o território brasileiro e a América do Sul, a partir de São Paulo, ou voos para os EUA ou Europa com uma única parada para reabastecimento. É capaz de operar em pistas extremamente curtas, como no aeroporto de Angra dos Reis. Apresenta um revolucionário design de interior, refinado, moderno, funcional e silencioso, integrado a uma ampla cabine de piso plano com 1,83m da altura por 2,08m de largura. O Legacy 500 é capaz de transportar de oito a doze passageiros, dependendo da configuração interna escolhida.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/03/Legacy500_450_Cockpit-44-throttle-cool_2100x1348_300_RGB.jpg)
Cockpit do Legacy 450/500

O Legacy 450 compartilha de todos os atributos tecnológicos, de espaço, design e desempenho do Legacy 500. Com alcance de 5.371 km, pode voar para Bogotá, a partir de São Paulo ou chegar até os Estados Unidos com uma única parada para reabastecimento. Pode levar até 9 passageiros e atinge altitude de 45 mil pés. Recentemente, o jato estabeleceu um recorde de velocidade em um voo entre a Califórnia e Havaí, de acordo com a NAA, associação aeronáutica dos Estados Unidos. O voo de volta para San Francisco durou 4 horas e 27 minutos e teve velocidade máxima de 987 km/h.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/05/Legacy_650E_04.jpg)
Legacy 650E

O Legacy 650E é um jato executivo clássico da categoria “large”. Chegou ao mercado em 2010 com uma autonomia de voo de 7.222 km e aviônica avançada. Com três áreas de cabine distintas, o Legacy 650 possui a maior cabine, cozinha e lavabo em sua classe. O compartimento de bagagem líder da categoria é totalmente acessível durante o voo. O sistema de gerenciamento da cabine é altamente intuitivo e eleva a experiência durante o voo. A excelente conectividade, alta definição e Apple TV integrada criam a melhor experiência possível para até 14 passageiros a bordo. A nova versão “E” do Legacy 650 traz atualizações tecnológicas e de automação, mantendo o reconhecido excepcional custo operacional. A nova garantia de 10 anos ou 10 mil horas de voo é sem precedentes na indústria.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/11/Legacy650E_flightDeck.jpg)
Cockpit do Legacy 650E

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2017/08/09/embraer-na-labace-2017-em-sao-paulo/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 17, 2017, 10:18:53 am
Gosto bastante do design do Phenom 100.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 03, 2017, 01:28:51 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Outubro 14, 2017, 02:10:50 pm
Embraer Legacy 450 e Legacy 500: inovações em conforto e conectividade

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/10/Legacy_450_SN020-35_2100x1222_300_RGB.jpg)
Legacy 450

Citar
Las Vegas, Nevada, 9 de outubro de 2017 – A Embraer anunciou hoje inovações nos jatos executivos Legacy 450 e Legacy 500 durante edição 2017 da NBAA-BACE (National Business Aviation Association’s Business Aviation Conference and Exhibition), convenção e exposição da aviação executiva realizada em Las Vegas, nos Estados Unidos. Lançados em 2008, o Legacy 500 e Legacy 450 entraram no mercado em 2014 e 2015, respectivamente. As inovações anunciadas hoje incluem preparação para o Sistema de Navegação Aérea Futura (do inglês FANS—Future Air Navigation System) e novas opções em conectividade e assentos.

“O Legacy 450 e Legacy 500 têm revolucionado o segmento médio da aviação executiva oferecendo valor incomparável aos clientes”, disse Michael Amalfitanto, presidente da Embraer Aviação Executiva. “Isso é um reflexo direto do nosso DNA inovador ao mesmo tempo em que caminhamos rumo à nova visão de nos tornarmos a marca mais desejada da aviação executiva”.

Em apoio à FAA (Federal Aviation Administration) e seus investimentos em NextGen para a modernização do Sistema Aeroespacial Nacional nos Estados Unidos, a Embraer agora está oferecendo aos clientes de Legacy 450 e Legacy 500 a tecnologia FANS 1/A+, que permite comunicação via conexão de dados entre pilotos e controle de tráfego aéreo. Este item opcional estará disponível para clientes do Legacy 450 e Legacy 500 agora no quarto trimestre de 2017 e também pode ser incorporado em aeronaves já em serviço.

Mais um avanço em comunicações para o Legacy 450 e o Legacy 500 é o mais moderno sistema de conectividade ar-terra da Gogo, o AVANCE L5, que permite que clientes da Embraer se beneficiem de taxas mais altas de velocidade de acesso à Internet via redes 4G. O sistema AVANCE L5 permite conectividade de downlink de até 9.8Mbps, com cobertura total dos Estados Unidos continental e áreas do Alaska e do Canadá. No primeiro trimestre de 2018, esta opção estará disponível para clientes de Legacy 450 e Legacy 500.

Completando as melhorias nestas aeronaves revolucionárias, o DNA de design da Embraer introduz ainda mais conforto via seleção ampliada de opções em assentos para o Legacy 450 e o Legacy 500. A intensa interação com clientes resultou em inovações ergonômicas por meio de melhorias no design dos apoios de pernas, ajuste lombar, aquecimento e massagem, e a adição de suportes laterais nos apoios para cabeça. Os novos assentos também oferecerão mais opções de personalização de estilos de costura, texturas de materiais de couro e aplicações de cores. Estas novas opções estarão disponíveis para clientes recebendo suas aeronaves no segundo semestre de 2018.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/10/Legacy_450_500_New_Sew_Styles_2100x1182_300_RGB.jpg)

Sobre o Legacy 450

O Legacy 450 é um jato executivo da categoria mid-light com uma cabine de passageiros de 1,83m de altura e de piso plano, sendo a melhor em sua classe. Quatro poltronas totalmente reclináveis podem ser convertidas em dois leitos para repouso completo em uma altitude de cabine de 1.828m (6.000 pés). O sistema opcional de entretenimento a bordo inclui um sistema de vídeo de alta definição, som surround e várias opções de entrada de áudio e vídeo. Sistemas de comunicação de voz e dados também são opções disponíveis. A cabine de passageiros possui também na entrada um refreshment center (armários para armazenamento de bebidas, alimentos e outros utensílios), um lavabo privativo ao fundo e uma área interna para bagagem de mão. O espaço total para bagagem é o maior na categoria.

O Legacy 450 é o primeiro jato executivo de sua categoria equipado com sistema de comandos de voo eletrônico full fly-by-wire, manche lateral de controle (sidestick) e a suíte de aviônicos Rockwell Collins Pro Line Fusion em quatro telas planas LCD de alta resolução, de 15,1 polegadas, completamente digital, além de funcionalidades como cartas e mapas eletrônicos Jeppesen e visão sintética. Recursos opcionais incluem o E2VS (Embraer Enhanced Vision System), que contém o HUD (Head-Up Display) e o EVS (Enhanced Vision System).

O Legacy 450 é equipado com dois modernos motores Honeywell HTF 7500E, de baixo consumo de combustível. Com quatro passageiros e reservas IFR NBAA, o Legacy 450 é capaz de voar 2.900 milhas náuticas (5.371 quilômetros), o que permite voos sem escalas de São Francisco a Honolulu, São Paulo a Bogotá, Moscou para Mumbai, Nova Deli para Cingapura, Cingapura para Pequim, Pequim para Kuala Lumpur, ou Hong Kong para Alice Springs (Austrália).

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/10/Legacy_500_-_New_Seat_Style_2100x1182_300_RGB.jpg)
Assentos com novo estilo no Legacy 500

Sobre o Legacy 500

O Legacy 500 tem a melhor cabine de passageiros da sua categoria, com 1,83m de altura, similar às de algumas aeronaves na categoria super midsize. Oito poltronas podem ser convertidas em quatro leitos para repouso completo em uma altitude equivalente de cabine de 6.000 pés. O sistema de entretenimento a bordo inclui vídeo de alta definição, som surround, várias opções de entrada de áudio e vídeo, sistema de gerenciamento de cabine, e três opções de comunicação de voz e conectividade.

O Legacy 500 é o primeiro jato midsize totalmente equipado com sistema de comandos de voo digital, baseado na tecnologia full fly-by-wire, com manche lateral de controle (sidestick) e a suíte de aviônicos Rockwell Collins Pro Line Fusion em quatro telas planas LCD de alta resolução, de 15 polegadas, completamente digital, com planejamento gráfico de voo, além de opções como autobrakes, e o E2VS (Embraer Enhanced Vision System), o qual combina o Head Up Display (HUD) e o Enhanced Vision System (EVS).

O Legacy 500 é capaz de voar a 45.000 pés (13.716 m) de altitude e é equipado com dois motores Honeywell HTF7500E, os mais ecológicos de sua classe. Decolando de uma pista tão curta quanto 4.084 pés (1.245 m), o Legacy 500 tem um alcance de 3.125 milhas náuticas (5.788 quilômetros), com quatro passageiros a bordo, nas condições NBAA IFR, o que permite voos sem escalas, de São Paulo a Caracas (Venezuela), Los Angeles (EUA) a Honolulu (Havaí), Teterboro (EUA) a Londres (Inglaterra).

DIVULGAÇÃO: Embraer

http://www.aereo.jor.br/2017/10/10/embraer-legacy-450-e-legacy-500-inovacoes-em-conforto-e-conectividade/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 27, 2017, 02:40:14 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 13, 2017, 05:34:58 pm

Vídeo: Vmu tail strike test do E190-E2
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 15, 2017, 11:00:02 am
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 15, 2017, 11:03:49 am
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 15, 2017, 11:13:44 am

 :G-beer2: (http://g5sl.com.br/images/bandeira-brasil.png)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 21, 2017, 08:17:52 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 21, 2017, 10:36:15 pm
Não será venda, mas sim uma associação:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1945145-temer-da-aval-a-negociacoes-mas-descarta-venda-de-controle-da-embraer.shtml

Até porque o governo brasileiro tem poder de veto. Além disso, a venda pura e simplesmente seria duramente rechaçada pela FAB.

Ou seja, a parceria Boeing/Embraer é natural em face da parceria Airbus/Bombardier.

Nada mais do que isso.

(http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2017/12/atualiza%C3%A7%C3%A3o.jpg)

Citar
Presidente Temer nega a venda da empresa, mas não se opõe a uma associação entre as duas empresas. Militares monitoraram movimentação de executivos da Boeing em Brasília nas últimas semanas. Spotters de Brasília registraram a presença de jatos BBJ da Boeing no Aeroporto Internacional de Brasília, mas ninguém esperaria que se tratava de uma negociação tão ampla e importante entre a entre as duas empresas.

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/urgente-deu-no-the-wall-street-journal-boeing-negocia-a-compra-da-embraer/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 21, 2017, 10:50:08 pm
Citar
Governo não vai permitir que Embraer passe a ser controlada pela Boeing

Fontes, porém, não descartam algum tipo de associação entre as empresas

https://oglobo.globo.com/economia/governo-nao-vai-permitir-que-embraer-passe-ser-controlada-pela-boeing-22219429
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 22, 2017, 09:52:03 am
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 23, 2017, 07:23:23 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 28, 2017, 09:01:03 pm
Fatia do governo e regras em estatuto podem ser barreiras para venda da Embraer

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/03/E195-E2-First-Flight-03-1024x640.jpg)

Citar
Analistas do Morgan Stanley acreditam ainda que a ‘golden share’ do governo brasileiro pode constituir um impedimento para um acordo potencial
Karin Sato, O Estado de S.Paulo

A fatia do governo na Embraer e as regras do estatuto da companhia podem representar um obstáculo para a venda completa da companhia brasileira, avaliaram os analistas do banco Morgan Stanley, em relatório. Para eles, uma venda completa é improvável, mas uma parceria relativa à família de aeronaves E-Jets pode ser fechada.

“Dado o interesse do governo em manter o controle da Embraer, além dos obstáculos decorrentes dos estatutos da empresa (embora estes possam ser ajustados, na nossa opinião), achamos que é mais provável que a Boeing e a Embraer formem algum tipo de joint venture na divisão Comercial. Essa parceria pode implicar que a Boeing adquira uma grande participação minoritária na Embraer ou uma participação de 50% na divisão comercial”, diz o banco em relatório.

“Em cenários desse tipo, ainda acreditamos que a ação pode ter valorização com base em sinergias potenciais e potencial de preço de aquisição favorável para a participação. Atualmente, o valor de mercado da Embraer é de US$ 4,5 bilhões, apenas cerca de 2,5% do valor de mercado da Boeing”, acrescenta.

Os analistas do Morgan Stanley acreditam ainda que a golden share, ações de classe especial, do governo brasileiro pode constituir um impedimento para um acordo potencial. “Lembramos aos investidores que os ativos da Embraer (tangíveis ou não, como grandes plantas, inteligência de engenharia, tecnologia, desenvolvimento de equipamentos/sistemas de defesa, entre outros) são muito estratégicos para o governo local.”

Os analistas do Morgan Stanley acreditam ainda que a golden share, ações de classe especial, do governo brasileiro pode constituir um impedimento para um acordo potencial. “Lembramos aos investidores que os ativos da Embraer (tangíveis ou não, como grandes plantas, inteligência de engenharia, tecnologia, desenvolvimento de equipamentos/sistemas de defesa, entre outros) são muito estratégicos para o governo local.”

Outro obstáculo são as regras de uma eventual OPA. “Reconhecemos que os estatutos da empresa poderiam ser revisados, mas na sua forma atual representam um obstáculo considerável para uma mudança de controle. Os estatutos colocam algumas obrigações aos acionistas que se tornarem detentores de mais de 35% do capital social. Até 15 dias após atingir o limite de 35%, eles devem enviar um pedido ao governo brasileiro para iniciar uma oferta pública de aquisição das ações restantes”, diz o texto.

Conforme os analistas, se o governo o negar, o acionista terá que vender as ações em excesso em 30 dias. Se aceitar, uma oferta pública para todas as ações deve acontecer em 60 dias.

FONTE: Estadão / http://www.aereo.jor.br/2017/12/27/fatia-do-governo-e-regras-em-estatuto-podem-ser-barreiras-para-venda-da-embraer/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Dezembro 30, 2017, 01:26:52 pm
Fatia do governo e regras em estatuto podem ser barreiras para venda da Embraer

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/03/E195-E2-First-Flight-03-1024x640.jpg)

Citar
Analistas do Morgan Stanley acreditam ainda que a ‘golden share’ do governo brasileiro pode constituir um impedimento para um acordo potencial
Karin Sato, O Estado de S.Paulo

A fatia do governo na Embraer e as regras do estatuto da companhia podem representar um obstáculo para a venda completa da companhia brasileira, avaliaram os analistas do banco Morgan Stanley, em relatório. Para eles, uma venda completa é improvável, mas uma parceria relativa à família de aeronaves E-Jets pode ser fechada.

“Dado o interesse do governo em manter o controle da Embraer, além dos obstáculos decorrentes dos estatutos da empresa (embora estes possam ser ajustados, na nossa opinião), achamos que é mais provável que a Boeing e a Embraer formem algum tipo de joint venture na divisão Comercial. Essa parceria pode implicar que a Boeing adquira uma grande participação minoritária na Embraer ou uma participação de 50% na divisão comercial”, diz o banco em relatório.

“Em cenários desse tipo, ainda acreditamos que a ação pode ter valorização com base em sinergias potenciais e potencial de preço de aquisição favorável para a participação. Atualmente, o valor de mercado da Embraer é de US$ 4,5 bilhões, apenas cerca de 2,5% do valor de mercado da Boeing”, acrescenta.

Os analistas do Morgan Stanley acreditam ainda que a golden share, ações de classe especial, do governo brasileiro pode constituir um impedimento para um acordo potencial. “Lembramos aos investidores que os ativos da Embraer (tangíveis ou não, como grandes plantas, inteligência de engenharia, tecnologia, desenvolvimento de equipamentos/sistemas de defesa, entre outros) são muito estratégicos para o governo local.”

Os analistas do Morgan Stanley acreditam ainda que a golden share, ações de classe especial, do governo brasileiro pode constituir um impedimento para um acordo potencial. “Lembramos aos investidores que os ativos da Embraer (tangíveis ou não, como grandes plantas, inteligência de engenharia, tecnologia, desenvolvimento de equipamentos/sistemas de defesa, entre outros) são muito estratégicos para o governo local.”

Outro obstáculo são as regras de uma eventual OPA. “Reconhecemos que os estatutos da empresa poderiam ser revisados, mas na sua forma atual representam um obstáculo considerável para uma mudança de controle. Os estatutos colocam algumas obrigações aos acionistas que se tornarem detentores de mais de 35% do capital social. Até 15 dias após atingir o limite de 35%, eles devem enviar um pedido ao governo brasileiro para iniciar uma oferta pública de aquisição das ações restantes”, diz o texto.

Conforme os analistas, se o governo o negar, o acionista terá que vender as ações em excesso em 30 dias. Se aceitar, uma oferta pública para todas as ações deve acontecer em 60 dias.

FONTE: Estadão / http://www.aereo.jor.br/2017/12/27/fatia-do-governo-e-regras-em-estatuto-podem-ser-barreiras-para-venda-da-embraer/

Bom dia caro amigo Vitor.

Será que o negócio da Embraer com a Boeing não se vai fazer?

Tem noção que este se concretizar a Industria Aeronautica Brasileira morre e não vão receber os Caças Saab Gripen mas os Boeing F-18? E que a independência militar Brasileira desaparece?

Gostava de ouvir os seus comentários sobre este assunto, pois a questão é verdadeiramente crítica.

Melhores cumprimentos,

Jean-Pierre.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Dezembro 30, 2017, 07:36:51 pm
Citar
Bom dia caro amigo Vitor.

Será que o negócio da Embraer com a Boeing não se vai fazer?

Tem noção que este se concretizar a Industria Aeronautica Brasileira morre e não vão receber os Caças Saab Gripen mas os Boeing F-18? E que a independência militar Brasileira desaparece?

Gostava de ouvir os seus comentários sobre este assunto, pois a questão é verdadeiramente crítica.

Melhores cumprimentos,

Jean-Pierre.

Primeiramente, obrigado pela cordialidade e pela pergunta.

Não há menor possibilidade de a BOEING assumir o controle total da Embraer por causa da Golden Share do governo brasileiro. Ademais, o próprio presidente da República Federativa do Brasil, Michel Temer, já sinalizou que não permitirá tal ação. O ministro da Defesa também disso o mesmo em recente entrevista e, pelo que parece, os militares, em especial da FAB, estão pressionando o governo para que o controle total não seja da BOEING.

Ainda não há informações mais concretas acerca das negociações que se avançam.

O que espero é uma JOINT VENTURE ou uma parceria comercial para que a BOEING possa comercializar em sua cadeia de produção e venda, os E-JETS da EMBRAER em mercados que a EMBRAER ainda não tem tanta força - especialmente na Ásia. Na realidade, aparentemente, o que a BOEING quer da EMBRAER são os E-JETS para contrapor os C-SERIES da BOMBARDIER que, por sua vez, teve suas operações comerciais atreladas à da AIRBUS (que entrou de vez no mercado de jatos regionais cuja liderança é da EMBRAER).

Enquanto à Divisão de Defesa e Segurança da EMBRAER esta não vai deixar de existir e muito menos passará ao controle de uma empresa estrangeira.

Em relação ao KC-390, este é de propriedade da FAB (todo o financiamento veio dos cofres da Força Aérea Brasileira), ou seja, foi feito sob medida para atender aos militares brasileiros.

Já o SAAB GRIPEN E não será substituído pelo F-18 SUPER HORNET para equipar a FAB. Isso está fora de cogitação. Pelo simples fato de seu custo de operação ser exorbitantemente maior ao que se estima para o GRIPEN E.  Além disso, não trata-se apenas de uma aquisição de ‘prateleira’, a FAB está adquirindo tecnologia e, a EMBRAER, a possibilidade de fabricá-los no Brasil para possíveis outros clientes. Lembre-se: O GRIPEN E da FAB terá sensores, painel e armas específicas para a FAB.   

A SAAB e a BOEING são parceiras no projeto T-X da USAF. Contudo, não há nenhuma ligação fora disso que implique a parceria EMBRAER e SAAB para montar 15 caças em solo brasileiro (transferência de tecnologia), dos 36 GRIPEN E encomendados pelo Brasil, para dotar os esquadrões de caça da FAB.

Temos que aguardar novas informações para que possamos ter um veredicto mais substancial a respeito.
Particularmente queria que esta parceria fosse limitada a uma JOINT VENTURE. Espero que não haja a compra e tomada total do controle da EMBRAER pelos norte-americanos. Isso significaria o fim da EMBRAER como empresa estratégica brasileira e o sepultamento do maior orgulho nacional.

A EMBRAER significa ao Brasil o que a Volkswagen, BMW, Merecedes-Benz significam para a Alemanha, a RENAULT, Grupo PSA e a Dassault Aviation para a França, Grupo FIAT para a Itália, Navantia e Banco Santander para a Espanha, Samsung e Hyundai para a Coréia do Sul e a Honda, Mitsubishi, Nissan, Toyota e Sony ao Japão.

Acredito que nenhum dos respectivos governos desses países supra citados autorizaria a aquisição destas marcas por grupos estrangeiros.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Dezembro 30, 2017, 08:54:03 pm
Caro amigo Vitor.

Espero muito sinceramente que tenha razão.

O meu receio é que perante um maço de notas e promessas, os administradores, os acionistas e os decisores políticos esqueçam tudo aquilo porque lutaram a vida toda!...assisto a isso todos dias!...

A única maneira de evitar que isso acontece é o povo Brasileiro acompanhar esse negócio de manhã à noite, de modo a evitar surpresas desagradáveis!...

A Embraer é um verdadeiro caso de sucesso que representa imenso para o Brasil e que a meu ver também interessa muito a Portugal.

Seria uma pena enorme perder-se esta empresa que representa tanto para tantos, passar a representar tanto para uma meia centena!...

Tenham presente que o que a Boeing e os seus parceiros estiverem a congeminar, eles não vos vão contar!...por ventura já andam a congeminar este negócio à vários anos!...Provavelmente desde que perderam o negócio dos F 18...

O acompanhamento deste assunto pelos Brasileiros dever ser permanente e detalhado.

Melhores cumprimentos,

Jean-Pierre.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Dezembro 30, 2017, 09:49:25 pm
Só mais um ponto em relação a este assunto.

Aquilo que muito pomposamente se chamou Globalização nada mais foi do que um acordo entre as Multinacionais Americanas e a China para permitir a essas grandes empresas entrar no mercado Chinês, em que este país exigiu como contrapartida a abertura do mercado Americano aos produtos Chineses!...

O resultado desse acordo, para benefício de algumas grandes empresas Americanas se sacrificou o resto da economia Americana e depois de todo o Ocidente!...

Na realidade não há concorrência entre empresas no mercado mundial mas uma farsa!...

As empresas Ocidentais tem todo o género de obrigações (e bem) e o Oriente (e a China em particular) produz sem regras nem obrigações nenhumas ao ponto de trabalhar com uma mão-de-obra quase escrava...obviamente que sem preocupações com os trabalhadores, nem com o ambiente, nem com a propriedade intelectual podem conquistar facilmente grandes parcelas de mercado a nível mundial...com prejuízo de resto do mundo, especialmente dos países desenvolvidos...

As Multinacionais Americanas quando pressionaram para que se realizassem estes acordos sabiam bem que iam por em causa as economias dos seus países, mas não estiveram preocupados com isso!...

Pelo que o Brasil e a Embraer tem um adversário pela frente que não podem subestimar de modo algum...as multinacionais Americanas já andam nisto à muitos anos!...

Se não forem os Brasileiros a defender o seu interesse, mais ninguém o fará!...

Num momento de dificuldade económica tudo vacila!...veja-se a EDP em Portugal - receberam 1.000 milhões e num dia perdeu-se o controlo de uma empresa que levou mais de 100 anos a construir, com muito trabalho de milhares de Portugueses!...
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 31, 2017, 12:58:36 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 03, 2018, 04:24:45 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Janeiro 04, 2018, 09:42:37 pm

nunca tive a menor dúvida quanto às intenções da Boeing!...
mas o interesse dos Americanos não é na Embraer, nem nos seus jactos regionais!...
o interesse é apenas em fazer descarrilar o negócio dos SAAB Gripen!...
depois virá a segunda fase - oferecer os F 18 de novo!...
é isso que conta - tudo o resto é folclore!...
mas não deixa de me espantar a agressividade da Boeing!...
e espanta-me muito mesmo!...
os Brasileiros é melhore tomarem MUITO CUIDADO com esta história!...
senão serão comidos vivos, dentro da sua própria casa!...
e não é preciso muito - basta uns maços de notas nos sítios certos!...
só isso!...e vai TUDO DE VELA!...
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Janeiro 06, 2018, 07:37:16 pm
...para dar uma ideia do que está aqui em causa, vejam no You Tube o que os Americanos fizeram aos Canadianos nos anos 50, em relação ao avião de intercepção Avro Arrow...
...esse avião ainda hoje seria imbatível em alguns aspectos!...
...vão ver e logo percebem o que a Embraer enfrenta!...
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: mafets em Janeiro 10, 2018, 10:57:05 am
http://www.aereo.jor.br/2018/01/03/o-globo-ministro-da-aval-acordo-da-embraer-incluindo-area-de-defesa/ (http://www.aereo.jor.br/2018/01/03/o-globo-ministro-da-aval-acordo-da-embraer-incluindo-area-de-defesa/)
Citar
Raul Jungmann diz que é necessário apenas preservar sigilo de operações
Por Geralda Doca / Ana Paula Ribeiro / João Sorima Neto

BRASÍLIA e SÃO PAULO – O governo brasileiro pode vir a apoiar uma parceria mais ampla entre a americana Boeing e a Embraer — que envolva também projetos das Forças Armadas, além da linhas de produção comercial (aeronaves civis). Segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann, desde que o acordo tenha cláusulas que preservem o sigilo, não há restrições. O Brasil, destacou o ministro, só não abrirá mão do controle da companhia porque isso significaria “flexibilizar a soberania nacional”.

— É possível fazer uma parceria ou promoção comercial também na área militar, desde que seja resguardado o sigilo, caso a caso. Só não faremos alienação, venda ou transferência do controle — disse o ministro.

O governo tem uma golden share, classe especial de ações que permite o veto em questões estratégicas. Jungmann ressalta que os países não repassam o controle das empresas que atuam na fabricação de equipamentos de Defesa.

O ministro disse ainda o governo ainda não recebeu uma proposta concreta da Boeing, mas que a expectativa em torno das tratativas é positiva:

— A Defesa torce para que essa parceria avance — ressaltou.

Mesmo sem um modelo definido para a parceria com a Boeing, como compra de ações ou associação, a Embraer pretende manter conversas com o governo para mostrar o melhor caminho para a empresa, o que poderia render frutos para o país. Segundo uma fonte, a fabricante americana defende que é possível encontrar um modelo em que o sigilo e a autonomia da operação na área de Defesa sejam preservados.

— O importante é que houve a sinalização de que é possível ter um arranjo na área de Defesa em que sejam mantidos os aspectos de sigilo, interesse estratégico e soberania. Esse tipo de arranjo já ocorre na Austrália e no Reino Unido, onde a Boeing tem parcerias — disse a fonte, que falou sob condição de anonimato.

Nestes casos, a Boeing cumpre uma série de protocolos para que não ocorra a circulação de informações relativas à segurança dos países em que atua. Procuradas, as empresas não comentaram o assunto e se limitaram a informar que não há novidade desde a divulgação do comunicado do último dia 21, quando ambas afirmaram estudar uma associação.

MAIS ACESSO A MERCADOS

Internamente, a Embraer vê de forma favorável a associação com a Boeing num mercado que vem se consolidando. O segmento de aviões regionais vem ganhando novos concorrentes de China e Rússia, e a canadense Bombardier fez acordo recente com a europeia Airbus.

Segundo o ministro Jungmann, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento na área de Defesa são muito elevados. Ele afirma que o cargueiro tático KC-390, desenvolvido pela Embraer, só avançou porque o governo investiu R$ 6 bilhões e se comprometeu a comprar 28 aeronaves do modelo. O acordo com a Boeing também teria potencial de elevar a competitividade da companhia brasileira no segmento de aviões civis, como o E-195.

— Ter a Boeing olhando para o KC-390 e o E-195 é muito positivo — disse uma fonte ligada à Aeronáutica.

Segundo uma fonte que acompanha as negociações, a parceria cria um novo cenário para a venda de produtos:

— O KC-390 é um avião que pode aumentar a participação da Embraer em um segmento mais rentável. Mas para isso é preciso uma estrutura comercial que a Boeing tem de sobra. Será possível impulsionar a venda de produtos ao mercado americano.

Outro argumento é que a associação tem potencial para intensificar a aproximação comercial entre Brasil e EUA:

— Quando se tem uma indústria estratégica envolvida, você acaba tendo uma aproximação comercial.

Para Carlos Soares, analista da Magliano, a operação facilitaria a compra de equipamentos, insumos e troca de tecnologia.

Já o diretor do sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Herbert Claros, criticou a negociação:

— Temos certeza de que a negociação incluirá tanto a área de jatos executivos quanto a de Defesa, já que Boeing e Embraer têm parceria para a venda do KC-390 no exterior. Isso preocupa porque defendemos, além da preservação dos empregos, a manutenção da soberania da Embraer no segmento de Defesa.

FONTE: O Globo
(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2016/03/KC-390-em-voo-no-interior-de-S%C3%A3o-Paulo-foto-FAB-Sgt-Batista-640x439.jpg)

Saudações
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Janeiro 10, 2018, 10:20:28 pm
...ora aí está!...
...basta untar as mãos algumas personagens chave, que elas fazem o resto!...
...como disse Raul Jungmann diz que é necessário apenas preservar sigilo de operações!...
...isto é, tudo será feito pela calada!...
...quando derem por ela, já está!...
...enfim, parece que os Brasileiros vão se lixar em grande!...
...quando estava a chegar a um resultado de relevo, tiram-lhes o tapete!...
...a ver vamos, como diria o cego!...
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lightning em Janeiro 27, 2018, 09:34:43 pm
Pareceria entre Boeing e Embraer pode afetar transferência de tecnologia de caças suecos para o Brasil

Ministro da Defesa se reuniu com Saab para garantir que acordo seja preservado mesmo com uma eventual fusão do fabricante brasileiro com o norte-americano

http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/ministro-da-defesa-se-reune-com-executivos-da-saab_3762.html
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Janeiro 29, 2018, 10:49:35 pm
Pareceria entre Boeing e Embraer pode afetar transferência de tecnologia de caças suecos para o Brasil

Ministro da Defesa se reuniu com Saab para garantir que acordo seja preservado mesmo com uma eventual fusão do fabricante brasileiro com o norte-americano

http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/ministro-da-defesa-se-reune-com-executivos-da-saab_3762.html

...O ministro da Defesa do Brasil, quando sair do governo terá um belíssimo emprego numa empresa Americana, por compensação por ter traído os seus compatriotas!...
...os Estados Unidos agradecem, obviamente os serviços prestados!...
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2018, 01:22:31 pm
Embraer participa do Singapore Air Show

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/02/E-Jet-E2-Tigre-1.jpg)

Citar
A Embraer vai promover a nova família de jatos E-Jet E2 no mercado asiático no Singapore Air Show. A feira que começa no dia 6 de fevereiro é uma das maiores do mundo e possibilita aos fabricantes demonstrarem seus produtos no mercado de maior crescimento atualmente.

A Embraer levará um dos protótipos do E-Jet E2 com a pintura de um tigre, animal símbolo do continente.

A expectativa é alavancar os pedidos para a nova geração dos E-Jets. O E195-E2, na configuração de alta densidade, oferece até 146 lugares, com custo por assento inferior aos de aviões como o Airbus A320 e Boeing 737 NG.

Segundo John Slattery, Presidente e CEO da unidade de Aviação Comercial da Embraer, em entrevista ao site FlightGlobal, o principal foco do fabricante brasileiro deverá ser as empresas aéreas de baixo custo.

A Embraer espera ampliar para 100 o número de empresas aéreas que operam a família E-Jet globalmente, além de ampliar o total de pedidos para a geração E2.

O protótipo que será exibido no evento foi batizado de Profit Hunter, em alusão à capacidade de gerar lucros da nova família.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/02/E-Jet-E2-Tigre-2.jpg)

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2018/02/01/embraer-participa-do-singapore-air-show/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2018, 01:25:45 pm
Affinity recebe quinto Embraer Phenom 100 para treinamento dos militares do Reino Unido

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/02/Affinity-Embraer-Phenom-100.jpg)

Citar
O quinto e final Embraer Phenom 100 do Reino Unido, adquirido no âmbito do Military Flying Training System (MFTS), chegou à base Cranwell da Royal Air Force em Lincolnshire em 30 de janeiro.

A Affinity Flying Services aceitou o primeiro dos Phenoms em julho de 2017, com o tipo realizando a instrução de tripulações multimotor de asa fixa.

“Os pilotos militares do Reino Unido aprenderão os fundamentos do voo multimotor no Phenom antes de se formarem em seus tipos de esquadrão da linha de frente, como o Airbus A400M e o Boeing P-8 Poseidon”, diz a Affinity. O bimotor fabricado no Brasil fornece um significativo passo à frente das plataformas de treinamento anteriores”, acrescenta. A RAF atualmente usa o Beechcraft King Air 200 no papel, que está sendo desativado.

Enquanto isso, o Flight Fleets Analyzer mostra que a Affinity está perto de completar sua frota de 23 instrutores elementares G120TP encomendados à Grob Aircraft, também em apoio do programa MFTS. Dezesseis do tipo estão agora em uso.

A Affinity – um empreendimento conjunto estabelecido pela Elbit Systems UK e KBR – também fornecerá 10 treinadores básicos Beechcraft T-6C Texan II a partir deste ano, com o tipo a ser baseado na RAF Valley em Anglesey, no norte do País de Gales.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/02/Embraer-Phenom-100-cockpit.jpg)

FONTE: FlightGlobal / http://www.aereo.jor.br/2018/02/01/affinity-recebe-quinto-embraer-phenom-100-para-treinamento-dos-militares-do-reino-unido/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2018, 01:27:06 pm
Embraer e Boeing vão criar uma terceira empresa

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Boeing-Embraer-4.jpeg)

Citar
A Embraer aceitou a segunda proposta da Boeing para o modelo de parceria entre as companhias. A brasileira e a americana vão criar uma terceira empresa, que ficará encarregada da operação comercial da fabricante de aviões. O segmento será desenvolvido pelas duas. A parte militar do negócio, que travava a combinação entre as empresas, ficará de fora, continuará sob o comando exclusivo do governo brasileiro.

A negociação evoluiu muito bem a partir dessa nova proposta da Boeing. O modelo atende ao interesse das duas partes. Embora ainda seja necessária uma série de estudos, esse é o ponto de partida para que o negócio seja fechado.

Em entrevista no meu programa na GloboNews, o ministro Raul Jungmann contou ter pedido ao executivo financeiro da Boeing que fosse criativo na proposta. O governo busca uma forma de manter o controle sobre o braço militar da Embraer;

— O governo quer que dê certo, ele torce para dar certo. Inclusive eu me reuni com o CFO, o financeiro da Boeing e sua equipe, e eu disse, encontre uma maneira, sejam criativos. A gente aposta nesta parceria porque o mercado aeronáutico global está mudando e é importante tanto para a Embraer quanto para a Boeing. O nosso problema é que o controle, se ele passa para outro país, as nossas decisões ficam exatamente subordinadas àquele país. Por exemplo, se o Congresso americano amanhã decidir que não é de seu interesse o desenvolvimento de um reator nuclear […], se ele tem o controle da Embraer isso está rompido. Se ele resolve mudar o sistema de controle aéreo todo brasileiro, ele tem o controle sobre isso.

FONTE: O Globo / http://www.aereo.jor.br/2018/02/02/embraer-e-boeing-vao-criar-uma-terceira-empresa/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2018, 01:31:08 pm

E2 Maximum Braking Energy

 :G-beer2:
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: jpthiran em Fevereiro 03, 2018, 03:26:23 pm
Embraer e Boeing vão criar uma terceira empresa

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Boeing-Embraer-4.jpeg)

Citar
A Embraer aceitou a segunda proposta da Boeing para o modelo de parceria entre as companhias. A brasileira e a americana vão criar uma terceira empresa, que ficará encarregada da operação comercial da fabricante de aviões. O segmento será desenvolvido pelas duas. A parte militar do negócio, que travava a combinação entre as empresas, ficará de fora, continuará sob o comando exclusivo do governo brasileiro.

A negociação evoluiu muito bem a partir dessa nova proposta da Boeing. O modelo atende ao interesse das duas partes. Embora ainda seja necessária uma série de estudos, esse é o ponto de partida para que o negócio seja fechado.

Em entrevista no meu programa na GloboNews, o ministro Raul Jungmann contou ter pedido ao executivo financeiro da Boeing que fosse criativo na proposta. O governo busca uma forma de manter o controle sobre o braço militar da Embraer;

— O governo quer que dê certo, ele torce para dar certo. Inclusive eu me reuni com o CFO, o financeiro da Boeing e sua equipe, e eu disse, encontre uma maneira, sejam criativos. A gente aposta nesta parceria porque o mercado aeronáutico global está mudando e é importante tanto para a Embraer quanto para a Boeing. O nosso problema é que o controle, se ele passa para outro país, as nossas decisões ficam exatamente subordinadas àquele país. Por exemplo, se o Congresso americano amanhã decidir que não é de seu interesse o desenvolvimento de um reator nuclear […], se ele tem o controle da Embraer isso está rompido. Se ele resolve mudar o sistema de controle aéreo todo brasileiro, ele tem o controle sobre isso.

FONTE: O Globo / http://www.aereo.jor.br/2018/02/02/embraer-e-boeing-vao-criar-uma-terceira-empresa/

Caro amigo Vitor.

Há uma coisa que não entendo neste negócio - a Embraer consegui chegar até aqui sozinha (ou quase)!...
Agora já não consegue avançar mais, depois de ter percorrido este caminho todo?
É na fase adulta que não consegue progredir?...
Para mim este negócio não faz sentido para o Brasil...
Nem na versão de uma empresa conjunta para a Área Comercial!...
Basicamente, vão repartir os lucros com outros e ter a intromissão de outros!...
Até prova do contrário, esse negócio nada traz de bom para o Brasil - nada.
Se tiver alguma informação que possa mostrar o contrário e queira partilhar connosco agradeço.
Cumprimentos,

Jean-Pierre.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2018, 07:17:59 pm
Citar
Caro amigo Vitor.

Há uma coisa que não entendo neste negócio - a Embraer consegui chegar até aqui sozinha (ou quase)!...
Agora já não consegue avançar mais, depois de ter percorrido este caminho todo?
É na fase adulta que não consegue progredir?...
Para mim este negócio não faz sentido para o Brasil...
Nem na versão de uma empresa conjunta para a Área Comercial!...
Basicamente, vão repartir os lucros com outros e ter a intromissão de outros!...
Até prova do contrário, esse negócio nada traz de bom para o Brasil - nada.
Se tiver alguma informação que possa mostrar o contrário e queira partilhar connosco agradeço.
Cumprimentos,

Jean-Pierre.

Boeing e Embraer tiveram que unir forças para contrapor a aliança Airbus e Bombardier.

O acordo, como noticiado, parece dar sinal que se resumirá ao setor da aviação comercial de ambas. Portanto, não me parece prejudicial à Embraer por um simples motivo: o poder da Boeing em abrir novos mercados para aeronaves comerciais (E190-E2) de corredor único é muito grande. Há ainda mercados que os jatos da Embraer não chegaram.

Além disso, a Boeing planeja a participação da Embraer no desenvolvimento do Boeing 797 (New Midsize Airplane). 

Se de fato o negócio se limitar à uma Joint Venture, acho salutar. Pelo menos a Embraer (incluindo a Embraer Defesa e Segurança) não será "engolida" pela Boeing.

Minha preocupação era em relação aos projetos militar da empresa brasileira que poderia ficar subalterna ao ânimo dos norte-americanos (leia-se Congresso).
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Fevereiro 03, 2018, 07:22:26 pm
Testes em voo confirmam o E190-E2 como o avião mais eficiente de corredor único

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/05/E190-E2-primeiro-voo-1.jpg)

Citar
Dublin, Irlanda, 22 de janeiro de 2018 – O E190-E2, primeiro avião da nova geração da família de E-Jets, se aproxima da certificação e a Embraer anuncia alguns resultados finais dos testes em voo, confirmando que a aeronave é melhor do que a especificação original e ainda mais eficiente do que outras aeronaves de corredor único. Com relação ao consumo de combustível, o E190-E2 provou ser 1,3% melhor do que originalmente esperado, o que representa uma melhoria de 17,3% em relação ao E190 de geração atual e quase 10% melhor que seu concorrente direto.

Operando com o menor nível de ruído e emissões externas, o E190-E2 torna-se, assim, o avião mais ecológico do segmento.

Rodrigo Silva e Souza, Vice-Presidente de Marketing da Embraer Aviação Comercial, disse: “isso significa que, quando nosso primeiro operador, a Widerøe, operar o voo inaugural do E190-E2, no próximo dia 24 de abril, de Bergen para Tromsø, será o primeiro voo em serviço do jato narrowbody mais eficiente e ecológico do mundo. Esta é uma conquista imensa para a nossa equipe e significa valor adicional entregue aos nossos clientes.”

Os resultados dos testes em voo também confirmaram que o desempenho de decolagem do E190-E2 também é melhor que a especificação original. O alcance da aeronave a partir de aeroportos com altas temperaturas e grande altitudes (Hot and High, no termo em inglês), como Denver e Cidade do México, aumenta 600 milhas náuticas em comparação com aeronaves de geração atual. Já o alcance a partir de aeroportos com pistas curtas, como London City, na Inglaterra, também aumenta em mais de 1.000 milhas náuticas, permitindo que a aeronave alcance destinos como Moscou, na Rússia, e no norte da África sem paradas.

O E190-E2 também se torna a aeronave com os intervalos de manutenção mais longos no mercado de aviões de corredor único com 10 mil horas de voo para atividades básicas de manutenção sem limite de calendário para utilizações típicas de E-Jets. Isso significa 15 dias adicionais de utilização da aeronave em um período de dez anos em comparação com os E-Jets da geração atual.

Outro objetivo-chave do programa no qual o E190-E2 obteve melhores resultados do que as expectativas iniciais é o tempo de treinamento de transição dos pilotos. Os pilotos de E-Jets de geração atual precisarão de apenas 2,5 dias de treinamento e sem necessidade de simulador de voo completo para voar o E2. “Reduzir a carga de treinamento na transição para pilotos de E1 é outra grande redução tanto em tempo quanto em custos para nossos operadores. Isso, combinado com a maior eficiência de combustível da família E2 e a menor emissão de ruído, torna o E2 o avião mais econômico em seu segmento por qualquer medida”, explica Silva.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais com até 150 assentos. A companhia conta com 100 clientes em todo o mundo operando os jatos das famílias ERJ e E-Jets. Apenas para o programa de E-Jets, a Embraer registrou mais de 1.800 pedidos firmes e 1.400 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais por meio da operação em uma vasta gama de aplicações de negócios.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer / http://www.aereo.jor.br/2018/01/24/testes-em-voo-confirmam-o-e190-e2-como-o-aviao-mais-eficiente-de-corredor-unico/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 26, 2018, 04:07:33 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Março 14, 2018, 03:12:49 pm
Sobretaxa do aço imposta pelos EUA poderá afetar acordo Embraer-Boeing


O acordo entre Embraer e Boeing poderá ser usado como barganha nas duas pontas da negociação em torno da sobretaxa de 25% ao aço importado imposta pelos Estados Unidos. A expectativa de técnicos do governo brasileiro e representantes do setor privado é que, de um lado, o Brasil acenará com a não permissão da operação entre as duas fabricantes de aeronaves caso os produtos siderúrgicos não sejam excluídos da medida protecionista.

>>>>>>>>>  http://www.cavok.com.br/blog/sobretaxa-do-aco-imposta-pelos-eua-podera-afetar-acordo-embraer-boeing/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Março 29, 2018, 07:26:23 pm

Pioneer Flights
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 05, 2018, 02:27:05 pm
Widerøe, da Noruega, recebe o primeiro jato E190-E2 no mundo

(http://aviationtribune.com/wp-content/uploads//2018/04/01-wideroe-emb195e2-Embraer.jpg)

Citar
São José dos Campos - SP, 4 de abril de 2018 – A Embraer e a Widerøe, maior companhia aérea regional da Escandinávia, celebram hoje a entrega da primeira aeronave E190-E2 fabricada em uma cerimônia realizada na sede da Embraer, em São José dos Campos. A companhia aérea norueguesa começará a voar com o novo avião em rotas domésticas no final deste mês.

O E190-E2 é o primeiro aviões de nova geração de E-Jets, composta por três aeronaves de 80 a 146 assentos, a serem introduzidas até 2021. O E190-E2 da Widerøe está configurado com 114 assentos em um layout de classe única. A Widerøe fez um pedido para até 15 E-Jets E2, sendo três firmes para o E190-E2 e direitos de compra para mais 12 E2. O valor total do pedido, se todos os direitos forem exercidos, é de aproximadamente US$ 873 milhões.
 
“O E190-E2 é uma aeronave impressionante. É o avião ideal para a Widerøe, que está introduzindo jatos pela primeira vez nos 84 anos de história da empresa”, disse Stein Nilsen, CEO da Widerøe. “Estou convencido de que nossos passageiros vão adorar a cabine, nossas equipes de operações vão adotar a nova tecnologia, enquanto nosso time financeiro apreciará a economia que a aeronave traz. Acredito que todos vão celebrar conosco, como o cliente de lançamento, o fato de sermos a primeira companhia aérea a voar com o avião mais ecologicamente amigável, com o menor ruído e emissões entre as aeronaves da sua categoria.”

“Este é um dia histórico para o programa de E-Jets e para a Embraer. A entrega deste E2 marca a continuação de uma verdadeira história de sucesso na aviação global. Estou honrado pelo fato de a Widerøe - uma companhia aérea tão respeitada e experiente - ser nossa operadora de lançamento”, disse John Slattery, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “Também tenho o prazer de dar as boas-vindas à Widerøe como nosso novo cliente da Embraer e quero agradecer ao Stein e sua equipe pelo apoio prestado no último ano, trabalhando em conjunto conosco como parceiros para entregar hoje este avião. Planejo estar na aeronave quando entrar no espaço aéreo norueguês na próxima semana e estou realmente ansioso por isso!”

O E190-E2 recebeu a Certificado de Tipo em 28 de fevereiro. Foi a primeira vez que um programa aeronáutico com o nível de complexidade do E2 recebeu o Certificado de Tipo das três das maiores autoridades aeronáuticas internacionais simultaneamente: a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a Federal Aviation Administration (FAA) e a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (European Aviation Safety Agency - EASA).

O E190-E2 apresenta novos motores com elevada taxa de derivação, asas e trem de pouso completamente novos. Comparado à primeira geração do E190, 75% dos sistemas da aeronave são novos. A Embraer anunciou recentemente alguns resultados finais de testes em voo confirmando o E2 como a aeronave de corredor único mais eficiente do mercado. Em termos de consumo de combustível, o E190-E2 provou ser 1,3% melhor do que originalmente esperado, o que representa uma melhoria de 17,3% em relação ao E190 de geração atual.

O E190-E2 também se torna assim o avião mais ambientalmente amigável na categoria, com o menor nível de ruído externo e emissões. Resultados de testes em voo confirmaram que o desempenho de decolagem do E190-E2 também é melhor que a especificação original. O alcance da aeronave a partir de aeroportos com altas temperaturas e grandes altitudes (Hot and High, no termo em inglês), como Denver e Cidade do México, aumenta 600 milhas náuticas em comparação com aeronaves de geração atual. Já o alcance a partir de aeroportos com pistas curtas, como London City, na Inglaterra, também aumenta em mais de 1.000 milhas náuticas, permitindo que a aeronave alcance destinos como Moscou, na Rússia, e no norte da África sem paradas.

O E190-E2 também terá os intervalos de manutenção mais longos no mercado de aviões de corredor único, com 10 mil horas de voo para atividades básicas de manutenção sem limite de calendário para utilizações típicas. Isso significa 15 dias a mais para utilização da aeronave em um período de dez anos, comparado à atual geração de E-Jets. Outro ganho chave é o tempo de treinamento de transição para pilotos. Pilotos da atual geração de E-Jets precisarão de apenas dois dias e meio de treinamento sem necessidade de um simulador de voo completo para estarem qualificados a operar um E2.

A frota de E190-E2 da Widerøe terá o apoio do Programa Pool de peças de reposição, que abrange mais de 300 componentes. O Programa, que apoia atualmente mais de 40 companhias aéreas em todo o mundo, foi concebido para permitir que as companhias aéreas minimizem seus investimentos iniciais em caros estoques de peças de reposição e tirem proveito da experiência técnica da Embraer e da vasta rede de provedores de serviços para reparos de componentes. Os resultados são uma significativa economia nos custos de reparo e estoque, redução no espaço necessário para armazenamento e eliminação de recursos necessários para gerenciamento de reparos, além de garantia dos níveis de desempenho.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais com até 150 assentos. A companhia conta com 100 clientes em todo o mundo operando os jatos das famílias ERJ e E-Jets. Apenas para o programa de E-Jets, a Embraer registrou mais de 1.800 pedidos firmes e 1.400 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais por meio da operação em uma vasta gama de aplicações de negócios.

Sobre a Widerøe

A Widerøe é a maior companhia aérea regional da Escandinávia, com três mil funcionários e um faturamento de 3.5 bilhões de coroas norueguesas (NOK). A companhia transporta cerca de 2.8 milhões de passageiros por ano e voa para 46 destinos nacionais e internacionais.

A Widerøe opera mais de 450 voos diários e atende mais que o dobro de aeroportos na Noruega do que qualquer outra companhia aérea. Atualmente, nossa rede consiste em 60% de rotas comerciais e 40% rotas de Obrigações de Serviços Públicos (PSO, em inglês).

Sobre os E-Jets E2s

Os E-Jets E2s representam o melhor da nova tecnologia em uma plataforma comprovada. A aplicação de tecnologias avançadas para motores, asas e aviônicos diferencia os E-Jets E2, oferecendo às companhias aéreas os aviões mais eficientes nesta categoria, ao mesmo tempo em que mantém a comunalidade com os E-Jets atuais. As melhorias incluem uma nova asa aerodinamicamente avançada, de formato único e com maior alongamento, além de aprimoramentos de sistemas e aviônicos, incluindo a quarta geração de comandos de voo fly-by-wire, e os motores de alto desempenho da Pratt & Whitney PurePowerTM Geared Turbofan (PW1700G no E175-E2, PW1900G no E190-E2 e E195-E2). Esta combinação resulta na mais eficiente família de corredor único, com redução de dois dígitos no consumo de combustível, emissões, ruído e custos de manutenção, além de aumento de produtividade devido ao menor tempo de inatividade em manutenções agendadas. Os E-Jets E2 serão capazes de ter custo por assento semelhante ao de aeronaves narrow-body maiores remotorizadas, com um custo por viagem significativamente menor, criando oportunidades de desenvolvimento de novos mercados com risco reduzido e o dimensionamento correto da frota. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019 e, o E175-E2, em 2021.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

FONTE:https://embraer.com/br/pt/noticias#/906328-widere-da-noruega-recebe-o-primeiro-jato-e190-e2-no-mundo
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 10, 2018, 03:45:01 am

Episode 01: KC-390 by Embraer
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 10, 2018, 03:59:29 am

E190-E2 to Widerøe Delivery Celebration
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 10, 2018, 04:00:37 am

Entrega do Primeiro Embraer E 190-E2 para Companhia Aérea da Noruega
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Abril 10, 2018, 04:05:18 am

KLM Intern on a Mission - Embraer Ferry Flight
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 12, 2018, 08:32:58 pm
Embraer X Revela Primeiro Conceito do eVTOL

(http://www.segurancaedefesa.com/images/DreamMaker-estadio-embraer-X-2.JPG)

Citar
A Embraer X, uma organização da Embraer dedicada ao desenvolvimento de negócios disruptivos, revelou hoje o primeiro conceito do veículo elétrico de decolagem e pouso vertical, conhecido pela sigla em inglês eVTOL. A apresentação foi feita durante o evento Uber Elevate 2018, em Los Angeles, nos Estados Unidos. A Embraer X está envolvida em vários projetos, incluindo o desenvolvimento de conceitos do eVTOL por meio de uma cooperação com a Uber e outras empresas para explorar oportunidades de negócios no ecossistema Uber Elevate.

“Temos nos destacado em nossa jornada de quase 50 anos introduzindo inovações na indústria da aviação e entregando verdadeiro valor aos clientes”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, Presidente & CEO da Embraer. “Somos incansáveis em nossa busca pelo crescimento contínuo e por meio da Embraer X iremos gerar inovações disruptivas e acelerar a criação de novos negócios com o potencial de crescimento exponencial. A mobilidade urbana está prestes a ser transformada e estamos determinados a ter um papel fundamental nesse importante mercado”.

O conceito do eVTOL apresentado na Uber Elevate Summit 2018 representa uma aeronave com a missão de servir passageiros em um ambiente urbano, com base em segurança, experiência do passageiro, acessibilidade econômica e com baixo impacto para as comunidades, em termos de emissões e ruído.

“Estamos desenvolvendo soluções para trazer transporte aéreo sob demanda para áreas urbanas e assim melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas. Nossa colaboração com as principais partes interessadas irá acelerar a chegada desse novo ecossistema”, disse Antônio Campello, Presidente & CEO da Embraer X. “Esse é um exemplo de como a Embraer X está comprometida com a ampla exploração de produtos e serviços que possam revolucionar os negócios de transporte aéreo”.

O primeiro conceito de eVTOL da Embraer X revelado hoje é o resultado da extensa interação com potenciais passageiros urbanos de transporte aéreo sobre suas expectativas de experiência, da capacidade das equipes da Embraer e da colaboração com várias empresas e instituições. A Embraer X continuará a engajar comunidades para acelerar o desenvolvimento de soluções desejadas para esse novo mercado.

Ao longo das cinco últimas décadas, a Embraer projetou, desenvolveu e certificou perto de 50 modelos de aeronaves, entregando mais de 8.000 para 100 países. A frota da Embraer acumulou mais de 50 milhões de horas voadas. Com base na experiência da Embraer e de seus sólidos relacionamentos de longa data com autoridades de certificação de aeronaves em todo o mundo, a Embraer X irá assegurar que os requisitos de segurança do projeto atenderão e excederão os mais altos padrões da indústria.

FONTE: http://www.segurancaedefesa.com/index.php/using-joomla/extensions/components/content-component/article-categories/105-destaques/806-embraer-x-revela-primeiro-conceito-do-evtol

(http://www.segurancaedefesa.com/images/VTOL_HeliPad_02-1.JPG)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 07, 2018, 03:22:16 am
Embraer e Boeing anunciam acordo para criação de nova empresa de aviação comercial

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Boeing-Embraer-1.jpg)

Companhias devem estabelecer parceria estratégica para acelerar crescimento aeroespacial global

Citar
CHICAGO & SÃO PAULO, 5 de julho, 2018 – A Boeing (NYSE: BA) e a Embraer (B3: EMBR3, NYSE: ERJ) anunciaram que assinaram um Memorando de Entendimento para estabelecer uma parceria estratégica que possa impulsionar seu crescimento no mercado aeroespacial global.

O acordo não-vinculante propõe a formação de uma joint venture que contempla os negócios e serviços de aviação comercial da Embraer, estrategicamente alinhada com as operações de desenvolvimento comercial, produção, marketing e serviços de suporte da Boeing. Nos termos do acordo, a Boeing deterá 80% da propriedade da joint venture e a Embraer, os 20% restantes.

“Ao formarmos essa parceria estratégica, estaremos muito bem preparados para gerar valor significativo para os clientes, empregados e acionistas de ambas as empresas – e para o Brasil e os Estados Unidos”, disse Dennis Muilenburg, presidente, chairman e CEO da Boeing. “Esta importante parceria está claramente alinhada à estratégia de longo prazo da Boeing de investir em crescimento orgânico e retorno de valor aos acionistas, complementada por acordos estratégicos que aprimoram e aceleram nossos planos de crescimento”, disse Muilenburg.

“Esse acordo com a Boeing criará a mais importante parceria estratégica da indústria aeroespacial, fortalecendo ambas as empresas e sua posição de liderança do mercado mundial”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, presidente e CEO da Embraer. “A combinação de negócios com a Boeing deverá gerar um novo ciclo virtuoso para a indústria aeroespacial brasileira, com maior potencial de vendas, aumento de produção, geração de emprego e renda, investimentos e exportações, agregando maior valor para clientes, acionistas e empregados”.

A transação avalia 100 por cento das operações e serviços de aviação comercial da Embraer em 4,75 bilhões de dólares e contempla o pagamento por parte da Boeing do valor de 3,8 bilhões de dólares pelos 80 por cento de propriedade na joint venture. A expectativa é que a parceria proposta seja contabilizada nos resultados da Boeing por ação, no início de 2020, e gere sinergia anual de custos estimada de cerca de 150 milhões de dólares – antes de impostos – até o terceiro ano.

A parceria estratégica reunirá mais de 150 anos de liderança combinada no setor aeroespacial e potencializará as linhas de produtos comerciais altamente complementares das duas empresas. A parceria é a evolução natural de um extenso histórico de colaboração entre Boeing e Embraer que remonta há mais de 20 anos.

Uma vez consumada a transação, a joint venture na aviação comercial será liderada por uma equipe de executivos sediada no Brasil, incluindo um presidente e CEO. A Boeing terá o controle operacional e de gestão da nova empresa, que responderá diretamente a Muilenburg.

A joint venture se tornará um dos centros de excelência da Boeing para o desenvolvimento de projetos, a fabricação e manutenção de aeronaves comerciais de passageiros e será totalmente integrada à cadeia geral de produção e fornecimento da Boeing.

A Boeing e a joint venture estarão aptas a oferecer uma linha abrangente e complementar de aeronaves de passageiros de 70 a mais de 450 assentos, além de aviões de carga, oferecendo produtos e serviços do mais alto nível para melhor atender uma base global de clientes.

Além disso, as empresas também irão criar outra joint venture para promoção e desenvolvimento de novos mercados e aplicações para produtos e serviços de defesa, em especial o avião multimissão KC-390, a partir de oportunidades identificadas em conjunto.

“Os investimentos conjuntos na comercialização global do KC-390, assim como uma série de acordos específicos nas áreas de engenharia, pesquisa e desenvolvimento e cadeia de suprimentos, ampliarão os benefícios mútuos e aumentarão ainda mais a competitividade da Boeing e da Embraer”, disse Nelson Salgado, vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer.

A finalização dos detalhes financeiros e operacionais da parceria estratégica e a negociação dos acordos definitivos da transação devem continuar nos próximos meses. Uma vez executados estes acordos definitivos de transação, a parceria estará, então, sujeita a aprovações regulatórias e de acionistas, incluindo a aprovação do governo brasileiro, bem como outras condições habituais pertinentes à conclusão de uma transação deste tipo. Caso as aprovações ocorram no tempo previsto, a expectativa é que a transação seja fechada até o final de 2019, ou seja, entre 12 a 18 meses após a execução dos acordos definitivos.

“Esta parceria estratégica é a evolução natural de um longo histórico de colaboração entre a Boeing e a Embraer em uma série de iniciativas no setor aeroespacial há quase três décadas”, afirmou Greg Smith, vice-presidente executivo Financeiro e vice-presidente de Estratégia e Desempenho da Boeing. “Ela está alinhada com a estratégia da Boeing de buscar oportunidades estratégicas de investimento que demonstrem valor real e acelerar nossos planos de crescimento orgânico. Esta parceria iráfortalecer as capacidades verticais da Boeing e aumentar o valor gerado para nossos clientes durante todo o ciclo de vida de produtos e serviços de ponta da indústria”.

A Boeing e a Embraer se beneficiarão de uma escala, recursos e presença mais amplos, incluindo uma cadeia global de fornecedores, vendas, marketing e serviços, que lhes permitirá obter benefícios com eficiências de alto nível em toda a organização. Além disso, a parceria estratégica permitirá compartilhar as melhores práticas de fabricação e desenvolvimento de aeronaves.

A transação não terá impacto nas projeções financeiras da Boeing e da Embraer para 2018, bem como na estratégia de implantação de capital e no compromisso da Boeing de retornar cerca de 100 por cento do fluxo de caixa livre para os acionistas.

DIVULGAÇÃO: Boeing e Embraer - https://www.aereo.jor.br/2018/07/05/embraer-e-boeing-anunciam-acordo-para-criacao-de-nova-empresa-de-aviacao-comercial
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 13, 2018, 06:39:58 pm
Embraer E190-E2 visita Aeroporto de London City pela primeira vez

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/07/E190-E2-visita-o-Aeroporto-de-London-City.jpg)

Citar
Londres, Reino Unido, 13 de julho, 2018 – Na manhã desta sexta-feira, uma aeronave E190-E2, da Embraer, pousou pela primeira vez no Aeroporto de London City (LCY), na capital britânica. O avião da frota de testes da Embraer fez escala no local durante o trajeto para o Farnborough Air Show, na próxima semana. A nova aeronave, a mais silenciosa e eficiente em sua categoria, entrou em serviço em abril deste ano. A visita demonstra a importância da Embraer em oferecer capacidade operacional às companhias aéreas e a intenção da empresa em trabalhar com o aeroporto para certificar o E2, com o objetivo de atender demandas de clientes, o que provavelmente aumentará a conectividade regional do LCY.

FONTE: https://www.aereo.jor.br/2018/07/13/embraer-e190-e2-visita-aeroporto-de-london-city-pela-primeira-vez/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Julho 13, 2018, 06:44:11 pm
190-E2 “Shark Head” & KC390 voam nos céus britânicos!

(https://pbs.twimg.com/media/Dh2UTZeXcAAZbtC.jpg)

Farnborough International Air Show 2018, o Embraer E190-E2 “Shark Head” chega ao FIA 2018 em alto estilo, “Union Jack”(Union Flag) tremulando ao vento!

(https://pbs.twimg.com/media/Dh_Y4h3W4AEUCwm.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/Dh_M-1jX4AURaGK.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/DhcIqAmWAAE0zPO.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/Dhb_pKfW4AU57Di.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/Dh_ADBEX4AMsEYe.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/Dh_AFAbXcAIRNsW.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/Dh6BWTsX4AUiLrJ.jpg)

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/a-embraer-invade-o-reino-unido-190-e2-shark-head-kc390-voam-nos-ceus-britanicos/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Julho 13, 2018, 07:44:21 pm
(https://pbs.twimg.com/media/Dh6BWTsX4AUiLrJ.jpg)

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/a-embraer-invade-o-reino-unido-190-e2-shark-head-kc390-voam-nos-ceus-britanicos/

A pintura da cabeça do tubarão no 190 está um espanto, Muito bom mesmo !!!!!

Abraços
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Julho 14, 2018, 04:50:06 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 02, 2018, 05:36:18 pm
Vídeo de um Passageiro do voo da Aeroméxico que caiu

Reparem no vídeo as imagens da asa , um segundo antes do embate,
Os Flaps estão recolhidos!!!!!??????
Parece.
https://twitter.com/thenamesashleyy/status/1024555430331133952?s=20 (https://twitter.com/thenamesashleyy/status/1024555430331133952?s=20)
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Turlu em Agosto 02, 2018, 05:51:37 pm
Vídeo de um Passageiro do voo da Aeroméxico que caiu

Reparem no vídeo as imagens da asa , um segundo antes do embate,
Os Flaps estão recolhidos!!!!!??????
Parece.
https://twitter.com/thenamesashleyy/status/1024555430331133952?s=20 (https://twitter.com/thenamesashleyy/status/1024555430331133952?s=20)

Parece. No entanto talvez alguém mais habilitado possa também dar a sua opinião.
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 19, 2018, 06:03:54 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 06, 2018, 05:03:47 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Novembro 08, 2018, 12:14:14 pm
A Embraer apresenta os novos jatos executivos Praetor 500 e Praetor 600 pela primeira vez no Brasil

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/11/Praetor-500.jpg)

Citar
São José dos Campos 07 de novembro de 2018 – A Embraer apresentou pela primeira vez no Brasil os recém-lançados jatos executivos médio e super médio Praetor 500 e Praetor 600. As aeronaves ficaram em exposição para potenciais clientes, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, entre dias 5 e 6 de novembro.

Os jatos da família Praetor trazem uma autonomia de voo sem precedente para as suas respectivas categorias. O Praetor 600 será o jato executivo de porte super médio mais avançado e versátil, que permite voos sem escala entre São Paulo e Cidade do Cabo, na África do Sul, Fortaleza a Madri, Manaus a Nova Iorque ou voar de Angra dos Reis para Miami, com uma parada. A aeronave tem capacidade para até 12 passageiros e alcance intercontinental de até 3.900 milhas náuticas (7.223 km).

O Praetor 500 será a aeronave de porte médio mais rápida do segmento, capaz de alcançar qualquer cidade da América do Sul, a partir de Brasília. Tem um alcance de até 3.250 milhas náuticas (6.019 km) e capacidade máxima para 9 passageiros.

“Os jatos Praetor 500 e Praetor 600 se unem aos Legacy 450 e Legacy 500 mantendo toda combinação de desempenho, conforto e tecnologia sem precedentes para as suas categorias”, disse Gustavo Teixeira, Diretor de Vendas da Embraer Aviação Executiva, para a América Latina. “A capacidade de operação em pistas curtas e alcance intercontinental das aeronaves são fundamentais para conectar regiões remotas e ajudar empreendedores a promoverem negócios nos mais diversos setores produtivos e de serviços do Brasil e exterior.”

Os protótipos das aeronaves estão em campanha de desenvolvimento e consolidação dos dados técnicos nas unidades da Embraer de São José dos Campos e Gavião Peixoto, interior de São Paulo. A expectativa é de que o Praetor 600 receba certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) no segundo trimestre de 2019, e o Praetor 500 seja homologado no terceiro trimestre do mesmo ano.

Esses são os únicos jatos executivos de porte médio e super médio com tecnologia de controle de voo eletrônico completo Fly-by-Wire e redução ativa de turbulência. O voo se torna ainda mais agradável aos passageiros pela melhor altitude de cabine (5.800 pés ou 1.768 metros), que reduz fadiga em voos longos. Para celebrar o lançamento dessas novas aeronaves, a equipe de design da Embraer criou uma nova edição especial de interior Bossa Nova, de estilo único.

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/11/Praetor-600.jpg)

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2018/11/P500-Interior-1024x576.jpg)

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2018/11/P600-Interior-1024x576.jpg)

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2018/10/Cockpit-do-Praetor-500-e-600-1024x675.jpg)

Citar
Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer / https://www.aereo.jor.br/2018/11/07/a-embraer-apresenta-os-novos-jatos-executivos-praetor-500-e-praetor-600-pela-primeira-vez-no-brasil/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 11, 2019, 01:47:30 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: tenente em Janeiro 12, 2019, 06:49:32 pm

https://www.noticiasaominuto.com/economia/1178127/administracao-da-embraer-ratifica-aprovacao-do-acordo-com-boeing

Abraços
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Maio 06, 2019, 07:12:11 pm
(https://images2.imgbox.com/80/4a/fECMVZyW_o.png)


:arrow: https://www.cavok.com.br/blog/embraer-entrega-11-jatos-comerciais-e-11-executivos-no-primeiro-trimestre-de-2019/?fbclid=IwAR3PQvY8ZmhuibrhTAISx5oUOUqcn4HtMckrnYOXEDlu91U9VJRu1tcLKkM
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Maio 13, 2019, 01:50:32 am
(https://images2.imgbox.com/00/09/c3f5pWyZ_o.png)


:arrow: http://www.cavok.com.br/blog/praetor-600-da-embraer-bate-recorde-de-alcance-na-sua-categoria/?fbclid=IwAR1NELwqlR37gQ_2iIk26fd3kVr5WXay8i5VJQtkHUR7iVIclUcFQLpnsUU
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 23, 2019, 03:42:52 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 24, 2019, 08:14:02 pm
‘Boeing Brasil – Commercial’ é o novo nome da Embraer na aviação comercial

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2019/02/Embraer-E190-E2-2.jpg)

Citar
Segundo a Folha de São Paulo, Boeing Brasil – Commercial é o nome da nova empresa resultante da compra da divisão de aviação comercial da brasileira Embraer pela gigante aeroespacial norte-americana. A joint-venture entre Boeing e Embraer não inclui a divisão de jatos executivos.

A escolha foi conservadora. Ainda há dúvida entre executivos da nova empresa sobre o impacto da aquisição no mercado e, especialmente, o temor de ferir sensibilidades políticas brasileiras. Daí o Brasil com “s”, ainda que seguido pelo “comercial” em inglês.

A Embraer foi estatal de sua criação pelos militares, em 1969, até 1994, e é a maior exportadora nacional de produtos com alto valor agregado. É vista como a joia da coroa industrial em um país cuja balança comercial é ancorada em commodities.

Assim, a decisão de imagem mais importante ainda vai demorar alguns meses: o nome a ser adotado pela série E-Jets E2, a continuação da bem-sucedida família de jatos regionais da Embraer que atraiu a Boeing em primeiro lugar a buscar o negócio.

FONTE:  https://www.aereo.jor.br/2019/05/23/boeing-brasil-commercial-e-o-novo-nome-da-embraer-na-aviacao-comercial/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 24, 2019, 08:15:54 pm
O que sobra da Embraer depois da venda para a Boeing

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Boeing-Embraer-1.jpg)

A Força Aérea Brasileira levanta dúvidas sobre o futuro da Embraer que sobrará após a venda da área comercial aos americanos da Boeing

Citar
Enquanto avança o processo de formação da sociedade entre as fabricantes de aviões Boeing e Embraer na aviação comercial, novos detalhes sobre a negociação têm emergido.

Em um parecer sigiloso apresentado em dezembro, ao qual EXAME teve acesso, o comando da Aeronáutica diz que a primeira proposta feita pela empresa americana, no final de 2017, previa a aquisição de toda a operação da Embraer.

Na ocasião, segundo o documento, o governo avisou que vetaria a compra para preservar seu interesse estratégico na divisão militar, responsável por 8% das receitas da Embraer.

No formato final da transação, aprovada em fevereiro pelos acionistas, a seção de defesa e a de jatos executivos continuam sob controle nacional. Mas a Força Aérea levanta dúvidas sobre o futuro da Embraer que sobrará após a venda da área comercial aos americanos.

O relatório aponta que a área de desenvolvimento de produtos é atualmente compartilhada entre as unidades e deve ser transferida para a divisão comercial. Isso ameaçaria a competitividade das restantes.

O comando militar ainda indica que, pela competência da equipe de engenharia, a empresa brasileira teria papel fundamental em ajudar a Boeing a substituir seu modelo 737 Max, envolvido em duas grandes tragédias nos últimos meses. A parceria também resolveria “do dia para a noite” as dificuldades da Embraer em levantar capital para crescer. Para a efetivação do negócio, só falta a apreciação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

FONTE: Exame  -  https://www.aereo.jor.br/2019/05/23/o-que-sobra-da-embraer-depois-da-venda-para-a-boeing/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Maio 24, 2019, 08:25:32 pm
Boeing Brasil – Commercial


Citar
Boeing Brasil – Commercial é o nome da empresa que resultou da fusão entre a companhia brasileira e a empresa aérea norte-americana. O nome foi anunciado pela Boeing na tarde desta quinta-feira (23).

A fusão entre as duas empresas foi formalizada em janeiro. A Boeing Brasil – Commercial terá 80% de controle americano e 20%, da Embraer. A compra da linha civil custou US$ 4,2 bilhões (cerca de R$ 17 bilhões) à empresa norte-americana, que também terá 49% de uma joint-venture para comercialização do cargueiro KC-390 da Embraer.

Em São José dos Campos, a marca Embraer continua na unidade de Eugênio de Melo, onde fica o setor de engenharia. A empresa brasileira continua também com as fábricas de Gavião Peixoto, Botucatu, Eugênio de Melo, OGMA (Portugal) e Melbourne (EUA).

A empresa fundada em São José em agosto de 1969 continuará existindo no Brasil e no mundo, atuando nos mercados de defesa e segurança, aviação executiva, aviação agrícola e serviços, além de participações em outras joint venture.

A aquisição do setor de aviação comercial da Embraer pela Boeing foi aprovada pelos acionistas da fabricante brasileira em fevereiro. A fusão ainda depende da aprovação dos órgãos regulatórios de mercado. A expectativa é que isso ocorra até o final deste ano.

FONTE:  https://www.aereo.jor.br/2019/05/24/video-boeing-brasil-commercial/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 13, 2019, 08:10:41 pm

EMBRAER NOS ANOS 70
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitano89 em Junho 18, 2019, 01:20:19 pm
(https://funkyimg.com/i/2UPVu.png)


 :arrow: http://www.cavok.com.br/blog/boeing-vai-ampliar-investimento-na-industria-de-combustivel-de-aviacao-sustentavel-do-brasil/?fbclid=IwAR1NKHeBaeBrtOhJHKK7B0IJBP29INZO1sgovOLwzuSGQq2gWfJDAsMaOE8
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 18, 2019, 02:50:50 pm
EMBRAER e ELTA criam um novo segmento de mercado com o lançamento do P600 AEW

(http://d30p9ca83oqyng.cloudfront.net/defesanet/site/upload/news_image/2019/06/43921_resize_800_600_false_true_null.jpg)

Citar
Paris, França, 18 de junho de 2019 – A EMBRAER Defensa & Segurança e a ELTA Systems Ltd (ELTA), subsidiária da Israel Aerospace Industries (IAI), assinaram, no Paris Air Show, um Acordo de Cooperação Estratégica para desenvolvimento do P600 AEW (Alerta Aéreo Antecipado).

Concebido para atuar em um novo segmento do mercado de AEW, esta aeronave de última geração é baseada na moderna plataforma super midsize do jato executivo EMBRAER Praetor 600. O sensor primário do P600 AEW é o radar AESA (Digital Active Scanned Array) de 4ª geração da IAI/ELTA com capacidade de IFF integrada.

Nessa cooperação, a EMBRAER Defensa & Segurança fornecerá a plataforma aérea, sistemas de solo, sistemas de comunicações e integração de aeronaves, enquanto a IAI-ELTA fornecerá o radar AEW, SIGINT (inteligência de sinais) e outros sistemas eletrônicos.

O P600 AEW abrange o crescente mercado para capacidade aeroembarcadas de inteligência, vigilância e reconhecimento para países que exigem soluções economicamente viáveis, de alto desempenho e flexíveis para missões de defesa e segurança interna. O EMBRAER Praetor 600 é o jato executivo super midsize de melhor desempenho de sua categoria, oferecendo alcance intercontinental com excelente capacidade de carga útil, alta disponibilidade e confiabilidade, curto tempo de retomada de operação e baixo custo de ciclo de vida.

Juntamente com a tecnologia de ponta dos sensores da ELTA, a solução P600 AEW oferece os benefícios de sistemas comprovados e avançados e recursos disponibilizados, até agora, apenas em plataformas muito maiores.

O P600 AEW pode fornecer imagens situacionais de aérea integradas e estendidas monitorando a atividade aérea em áreas fora da cobertura dos radares terrestres. Pode executar várias missões, tais como defesa aérea, alerta antecipado, comando e controle, eficiência da frota de combate, defesa territorial e vigilância marítima.

Além disso, o P600 AEW pode ser configurado com uma vasta gama de sistemas de sensores de controle para alerta antecipado, incluindo a 4ª geração de radar AEW AESA Digital, IFF civil e militar, ESM/ELINT com capacidade de recepção de ameaças-radar, comando e controle, pacote de comunicação abrangente, incluindo redes de dados e links via satélite, além de um robusto sistema de autoproteção (SPS).

Uma solução de comunicações abrangente permite a capacidade de link de dados, bem como a comunicação por satélite para operações além da linha de visada. Também assegura a interoperabilidade com as forças aliadas. O recurso de guerra centrada em rede (NCW) transforma o P600 AEW em um membro de uma rede tática. Um sistema avançado de autoproteção (SPS) realiza a detecção de ameaças potenciais, ativando quaisquer medidas de suporte eletrônico necessárias.

“Esta plataforma oferece desempenho e flexibilidade superiores resultando na melhor proposta de valor em sua categoria”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da EMBRAER Defensa & Segurança. “Ele pode ser facilmente configurado para atender às necessidades do cliente e poder executar uma ampla variedade de missões de uma maneira mais eficiente e econômica”.

“Como parte da nova estratégia da IAI, estamos intensificando nossas colaborações com empresas globais, alavancando o know-how e a tecnologia acumulada ao longo de décadas de operações nas áreas aeroespacial e de defesa. Como pioneiros dos jatos executivos AEW, a ELTA Systems fez grandes progressos ao longo dos anos para oferecer recursos AEW econômicos para as crescentes necessidades globais” disse Yoav Tourgeman, presidente da ELTA e vice-presidente executivo da IAI. “Essa parceria forjada com a EMBRAER Defensa & Segurança nos permite introduzir um novo segmento de mercado, oferecendo um sistema AEW econômico em plataforma executiva de médio porte”.

Sobre a EMBRAER

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a EMBRAER completa 50 anos de atuação nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A EMBRAER é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Sobre a Israel Aerospace Industries

A IAI Ltd. é a maior empresa aeroespacial e de defesa de Israel e líder mundial em tecnologia e inovação, especializada no desenvolvimento e fabricação de sistemas avançados para segurança aérea, espacial, marítima, terrestre, cibernética e doméstica. Desde 1953, a empresa fornece soluções tecnológicas avançadas para clientes governamentais e comerciais em todo o mundo, incluindo: satélites, mísseis, sistemas de armas e munições, sistemas não tripulados e robóticos, radares, C4ISR e muito mais. A IAI também projeta e fabrica jatos executivos e aeroestruturas, realiza revisão e manutenção em aeronaves comerciais e converte aeronaves de passageiros em configurações de reabastecimento e carga.

FONTE: http://www.defesanet.com.br/embraer/noticia/33251/EMBRAER-e-ELTA-criam-um-novo-segmento-de-mercado-com-o-lancamento-do-P600-AEW-/
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 19, 2019, 09:48:47 pm

Embraer’s New E195-E2 Airliner Soars at Paris Air Show 2019
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Junho 19, 2019, 09:50:49 pm

Embraer’s Praetor 600 Flies at Paris Air Show 2019
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Lusitaniae em Junho 19, 2019, 09:58:46 pm

Embraer’s Praetor 600 Flies at Paris Air Show 2019

Que grande máquina!

Uns 3 destes para substituir os Falcon, é que era!
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 19, 2019, 05:39:29 pm
Embraer celebra 50 anos com foco nas próximas décadas

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2017/12/Embraer.jpg)

São José dos Campos, 19 de agosto de 2019 – A Embraer celebra hoje seu aniversário de 50 anos de fundação com uma festa em São José dos Campos, na sede da Empresa, reunindo funcionários, autoridades e parceiros comerciais. O evento, que pode ser acompanhado ao vivo no link https://embraer.com/br/pt/50-anos (https://embraer.com/br/pt/50-anos), será o ponto alto de uma série de atividades que a Empresa preparou ao longo de todo o ano para relembrar suas cinco décadas de inúmeras conquistas, desafios superados e inovações tecnológicas, em uma das mais fascinantes histórias da indústria aeronáutica.

Para compartilhar essa jornada e resgatar detalhes históricos, a Embraer já tem promovido ações globais de exposição pública que permeiam uma agenda especial no Brasil e no exterior, como participação em eventos e airshows nas Américas, Europa, Oriente Médio e Ásia, voos demonstrativos, exposição de aeronaves atuais e antigas e um livro comemorativo.

“A Embraer é resultado da determinação de visionários que queriam transformar o impossível em realidade – e conseguiram. É isso que queremos contar com essas ações em um momento histórico da Companhia. Foi com esse ímpeto que crescemos, chegamos aos 50, e assim continuaremos pelas próximas décadas”, diz Francisco Gomes Neto, presidente e CEO da Embraer.

Essa jornada de 50 anos, contada por meio da campanha digital “Journey of Wonder”, levou a Embraer a se posicionar como líder global na fabricação de jatos comerciais para até 150 passageiros e a conquistar o prestígio no disputado mercado da aviação executiva. A ser pioneira no desenvolvimento, certificação e fabricação em série da primeira aeronave a etanol e a desenvolver, em conjunto com a Força Aérea Brasileira, produtos únicos para o mercado de defesa e segurança, criando um portfólio completo de produtos e serviços para apoiar clientes em mais de 100 países. Tudo isso em reverência ao EMB-110 Bandeirante, aeronave que deu vida à companhia e que permitiu ao Brasil figurar no seleto grupo de países que detém conhecimento para atuar no ciclo completo da cadeia aeronáutica.

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/03/Bandeirante-da-Transbrasil.jpg)

Ainda como parte da celebração, a Embraer promove a campanha publicitária global “Movida a desafios, guiada por sonhos”. Com presença em mídias programáticas e nas redes sociais da empresa, anúncios em jornais e revistas, além de um filme publicitário, a campanha conta a história de superação da companhia e suas conquistas, evidenciando o protagonismo de seu capital humano e tecnológico na indústria aeronáutica mundial.

Na página da Embraer na internet (http://www.embraer.com.br (http://www.embraer.com.br)) é possível acessar um hotsite com conteúdo exclusivo sobre a trajetória da Companhia em diversos formatos e a nova versão do Centro Histórico Embraer, muito mais moderno e intuitivo. O material destaca a indústria aeronáutica nacional com informações e imagens de aeronaves e fábricas. Já nos canais oficiais nas mídias sociais, conteúdos diários trazem histórias e relatos das motivações, sonhos, desafios e curiosidades de diversos protagonistas e dos produtos.

Atualmente, com aproximadamente 18 mil funcionários diretos em todo o mundo, a Empresa conta com iniciativas de valorização das suas pessoas, destacando as histórias de competência, ousadia e coragem daqueles que ajudaram a construir a Embraer, fundada em 19 de agosto de 1969.

Criada pelo Governo Brasileiro como Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A., de capital misto e controle estatal, a Embraer teve em seu propósito inicial ser uma companhia capaz de transformar ciência e tecnologia, desenvolvidas pelo então Centro Técnico de Aeronáutica (CTA) e pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em engenharia e capacidade industrial. Privatizada em 1994, a Embraer se tornou a maior exportadora de produtos manufaturados de alta tecnologia do hemisfério sul e a terceira maior fabricante de jatos comerciais do mundo.

Sediada no Brasil, a empresa global atua nos segmentos de Aviação Comercial, Executiva & Agrícola, Defesa & Segurança e Serviços & Suporte. Projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves, sistemas e suporte ao cliente. Neste meio século, a Embraer entrou em um mercado muito competitivo, enfrentou e superou as turbulências, sempre acreditando na excelência para explorar novos horizontes. Impulsionada pela ousadia que em 50 anos sempre a posicionou como uma Empresa inovadora e além do seu tempo, a Embraer está mais do que pronta para continuar alçando voos cada vez mais altos pelos próximos 50 anos.

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2019/05/E190-E2.jpg)

Aviação Comercial

A empresa tem 100 clientes de todo o mundo operando as famílias de aeronaves ERJ e E-Jet. Quase 900 aeronaves da família de jatos regionais ERJ 145 de 37, 44 e 50 assentos foram entregues às companhias aéreas desde sua introdução em 1996. A família de E-Jets inclui quatro aeronaves maiores que têm entre 70 e 130 assentos. Os E170, E175, E190 e E195 definem o padrão em sua categoria com sua engenharia avançada, alto grau de eficiência, cabines espaçosas e ergonômicas com assentos de dois por dois e economia operacional atraente.

Em 2013, a Embraer lançou o E-Jets E2, a segunda geração da família de E-Jets de aeronaves comerciais composta por três novos aviões – E175-E2, E190-E2, E195-E2 – com capacidade para 70 a 146 passageiros. Somente para o programa de E-Jets, a Embraer registrou quase 1.900 pedidos firmes e 1.500 entregas para cerca de 80 companhias aéreas em 50 países, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais, operando em uma variedade de aplicações de negócios.

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/04/KC-390-pousado-e1524500263958.jpg)

Defesa & Segurança

A Embraer Defesa & Segurança oferece uma linha completa de soluções integradas, como aplicações C4I (Comando, Controle, Comunicação, Computadores e Centro de Inteligência), tecnologias de ponta na produção de radares, controle de tráfego aéreo e sistemas de comunicação, sistemas integrados de monitoramento de fronteiras e vigilância, bem como aeronaves de transporte militar e governamental.

Líder na indústria aeroespacial e de defesa da América Latina, com mais de 60 países atendidos pela Embraer Defence & Security, a unidade inclui as empresas coligadas Atech, Visiona, OGMA e Savis e oferece soluções completas para todas as Forças Armadas. O KC-390 é uma aeronave de transporte tático projetada para estabelecer novos padrões em sua categoria enquanto apresenta o menor custo de ciclo de vida com um potencial de mercado internacional. O A-29 Super Tucano, aeronave de ataque leve e treinamento avançado, também é mundialmente renomado e selecionado por 15 Forças Aéreas, incluindo a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF).

Aviação Executiva

A Embraer é um dos principais fabricantes de jatos executivos do mundo, tendo entrado neste mercado em 2000 com o jato Legacy, que levou ao lançamento dos jatos executivos da Embraer em 2005. A Companhia lançou em 2018 os novos jatos Praetor 500 e Praetor 600, das categorias de jatos médio e supermédio, respectivamente,com tecnologia fly-by-wire completa e redução de turbulência, introduzindo um alcance sem precedentes em seus segmentos.

Seu portfólio, o mais amplo do mercado, também é composto pelos jatos Phenom 100EV, Phenom 300E, Legacy 450, Legacy 500, Legacy 650E e Lineage 1000E. A frota global da Embraer em Jatos Executivos supera 1.400 aeronaves, que estão em operação em mais de 70 países e contam com a rede global de suporte e serviços,, composta por mais de 80 centros de serviços próprios e autorizados, complementados por um Customer Care Center 24 horas por dia, sete dias na semana.

Serviços & Suporte

A Embraer Serviços & Suporte foi estrategicamente criada no final de 2016 para alavancar os negócios pós-venda da Embraer, criando sinergia entre todas as unidades de negócios, promovendo eficiência e desempenho global e respeitando as especificidades de cada segmento e região. Seja Comercial, Executivo, Defesa e Segurança ou Aviação Agrícola, o foco é pensar no amanhã e reter a fidelidade do cliente. A Embraer possui uma rede global de suporte composta por mais de 80 centros de serviços próprios e autorizados, mais de 2.300 pessoas posicionadas no mundo para atender mais de 1.700 clientes, entendendo suas necessidades com mais de 5.600 aeronaves.

O novo portfólio de produtos, serviços e soluções TechCare abrange os seguintes segmentos: Treinamento, Manutenção, Materiais, Modificações de Aeronaves, Operações de Voo, Suporte de Campo, Suporte Técnico e Soluções Inovadoras.

O Centro de Serviços da Embraer em Sorocaba completou cinco anos em 2019 e possui uma moderna infraestrutura de hangares, oficinas e salas VIP, que oferecem um amplo portfólio de serviços, contemplando manutenção de aeronaves, reparo de componentes e interiores, hangaragem, atendimento aeroportuário e gerenciamento técnico de manutenção. Já ofereceu suporte a aproximadamente 70% dos clientes brasileiros, com mais de 90% dos aviões retornando à operação em menos de 24 horas.

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/11/Embraer-Ipanema.jpg)

Aviação Agrícola

O Ipanema é um dos primeiros aviões lançados pela Embraer e fabricado ininterruptamente há quase 50 anos, na unidade de Botucatu, no Estado de São Paulo. A Companhia celebrou em 2018 a entrega de 1.400 unidades da aeronave Ipanema, líder no segmento de aviação agrícola no Brasil, com 60% de participação de mercado. Em 2015, foi lançada uma nova versão da aeronave, o Ipanema 203.

Movida por energia renovável (etanol), é mais ágil e eficiente, o que garante maior produtividade. As principais culturas que demandaram o avião são: soja, milho, algodão, cana-de-açúcar, banana, citros, eucalipto e café. Multitarefa, pode ser usada para espalhar sementes, combater vetores e larvas, em combate primário a incêndios e assentamento fluvial.

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2019/06/eVTOL-Singapura_1920x1080.jpg)

EmbraerX

A inovação faz parte do DNA da Embraer e não se limita ao desenvolvimento tecnológico de aeronaves. Temos uma longa história de inovação e a capacidade de encontrar nichos de negócios e produtos inexplorados. A EmbraerX, uma subsidiária integral da Embraer, existe para construir negócios disruptivos, considerando que o transporte provavelmente será modificado pelo crescimento exponencial de novas tecnologias, bem como o desenvolvimento de novos modelos de negócios.

Além do desenvolvimento do primeiro conceito do veículo elétrico de decolagem e pouso vertical, conhecido pela sigla em inglês eVTOL, por meio de uma cooperação com a Uber e outras empresas, a EmbraerX lançou recentemente um documento com sua visão e proposta para o gerenciamento do espaço aéreo urbano, além do Beacon, um aplicativo que reúne mecânicos e fornecedores de peças, unindo fornecedores de serviços e componentes a companhias aéreas e outros participantes desse ecossistema.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer completa 50 anos de atuação em 2019 nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Agosto 27, 2019, 08:56:02 pm
Título: Re: EMBRAER
Enviado por: Vitor Santos em Setembro 05, 2019, 12:57:54 pm

A história da parceria entre a FAB e a EMBRAER