ForumDefesa.com

Economia => Mundo => Tópico iniciado por: Marauder em Março 21, 2006, 04:54:28 pm

Título: Aviação Comercial
Enviado por: Marauder em Março 21, 2006, 04:54:28 pm
Citar
Companhias aéreas deverão perder este ano 30 milhões de malas

As companhias aéreas vão perder este ano cerca de 30 milhões de malas de viagem e gastar cerca de 2,5 mil milhões de dólares (cerca de 2 mil milhões de euros) a tentar recuperá-las, revela um estudo hoje publicado.

Indica ainda que o número de passageiros deverá ascender este ano a 2 mil milhões.
O volume de perdas de bagagem representa cerca de 1% das malas transportadas, indica um relatório da empresa de consultoria aérea suiça SITA.

Embora o prazo médio para os passageiros recuperarem as bagagens perdidas seja apenas de 31 horas, alguns nunca mais recuperam os seus haveres. Entre as malas perdidas, todos os anos são roubadas ou nunca recuperadas 204 mil, de acordo com a SITA.

A SITA revela que a principal causa de perda ou atraso da bagagem ocorre durante o processo da respectiva transferência de um avião para outro.

Erros nos bilhetes, trocas, confusões na segurança e enganos na etiquetagem são outras das causas da perda de bagagem.

O relatório indica ainda que o problema está a agravar-se devido à congestão dos aeroportos, aos regulamentos de segurança e ao crescente volume de passageiros e bagagem.


A SITA preconiza a utilização de sistemas de manutenção de bagagem mais sofisticados e um maior recurso ao self-service, nomeadamente com os passageiros a realizarem o check-in através de quiosques e da Internet.

21-03-2006 16:28:45

de:
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?s ... ews=220240 (http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=13&id_news=220240)

Com um pouco de sorte, espero não fazer parte das estatísticas futuras de "malas efectivamente perdidas"!!
Título:
Enviado por: Marauder em Agosto 04, 2006, 07:41:45 am
Citar
China duplicará a frota de aviões em cinco anos

A China planeia duplicar a sua frota de aviões de carga e passageiros nos próximos cinco anos, de modo a satisfazer a crescente procura no sector.


De acordo com o avançado pelo jornal China Daily, o vice-ministro da Administração Chinesa de Aviação Civil, Gao Hongfeng, revelou que as companhias aéreas do país aumentarão a frota em 1.580 aeronoves até 2010, quase duplicando das actuais 863.

A aposta da indústria do sector passa pela revitalização do mercado de voos domésticos, sendo que o governo espera que até 2025 a frota atinja os quatro mil aviões.

O investimento total nos próximos 20 anos pode atingir os 213 mil milhões de dólares, cerca de 160 mil milhões de euros. A Boeing e a Airbus são as principais fornecedoras das aeronaves.

Em 2005, as 27 companhias aéreas chinesas transportaram 138 milhões de passageiros, 15,5% a mais do que em 2004. O aumento no transporte de carga foi de 13,8%, 3,06 milhões de toneladas a mais do que no ano anterior. O sector tem taxas de crescimento superior a 14% nos últimos anos, devendo manter-se na casa dos dois digitos até 2020.

08-05-2006 1:20:36


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=66684 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5Fdigital/news.asp?section_id=6&id_news=66684)

Boom...

[notícia velha, re-routing]
Título: Aviação Comercial
Enviado por: Jorge Pereira em Março 02, 2010, 05:21:42 pm
Serve este tópico para tratar de todos os assuntos relacionados com a aviação comercial.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Jorge Pereira em Março 02, 2010, 05:40:35 pm
:arrow: Vista 360º do cockpit do A380 (http://http)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Mike23 em Março 08, 2010, 05:29:16 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Mike23 em Março 08, 2010, 05:29:46 pm
Outra bela máquina!


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: LuisC em Março 16, 2010, 12:19:50 am
Este Boeing 787 Dream Liner é dos aviões mais elegantes que já vi.

O mais directo concorrente, o A-350:    
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: P44 em Março 23, 2010, 10:10:31 am
Citar
 Empresa
ANA cobra tarifas 30% a 200% mais caras que aeroportos espanhóis

Nuno Miguel Silva  
23/03/10 06:57


As companhias aéreas pagam mais na Portela que em Barajas (Madrid). A situação repete-se na comparação entre o Porto e os aeroportos da Galiza.

As taxas cobrados nos aeroportos em Portugal continuam a ser pouco competitivas face à concorrência dos espanhóis. O Diário Económico apurou que as taxas aeroportuárias aplicadas pela ANA desde 2008 nos aeroportos nacionais são superiores às dos seus mais directos concorrentes do lado espanhol. E, segundo várias fontes do sector, a situação deverá manter-se inalterada durante este ano, apesar de não ter ainda havido qualquer actualização dos preços.

Na Portela, os preços cobrados pela ANA às companhias aéreas por aterrarem e descolarem os seus aviões são bastante superiores aos verificados em Barajas, em Madrid, por exemplo. O total das taxas cobradas na Portela em 2008 para a operação de um Airbus A340 num voo internacional ascendia a 5.951 euros por avião, sendo que o peso das taxas por pessoa representava 59% do total das tarifas. Em Madrid, esse preço desce para 4.426 euros. Barcelona ainda praticava taxas mais baixas, de 4.416 euros. Uma diferença de preços de 34%, que se repetia, independentemente do voo ser ou não para o espaço Schengen ou do tipo de avião em causa.

O mesmo se passa no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. Num voo Schengen, aterrar ou levantar um Airbus A320 custava 1.825 euros. Em Santiago de Compostela o preço era muito inferior, de 1.255 euros. O mesmo ‘benchmark' apontava para um preço idêntico em Vigo. Uma diferença de 45% desfavorável para o aeroporto da cidade invicta.

 
http://economico.sapo.pt/noticias/ana-c ... 84870.html (http://economico.sapo.pt/noticias/ana-cobra-tarifas-30-a-200-mais-caras-que-aeroportos-espanhois_84870.html)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 16, 2010, 12:23:11 am
Europa vive maior perturbação no tráfego aéreo desde ataques terroristas de 11 de Setembro


Uma enorme nuvem de cinzas originada pela erupção de um vulcão na Islândia provocou esta quinta-feira a maior perturbação no tráfego aéreo na Europa desde os ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001.

Vários responsáveis adiantaram que pode levar dias até que os céus se tornem seguros numa das áreas mais congestionadas para a aviação.

No Reino Unido foram cancelados todos os voos, exceto os de emergência, com as autoridades a anunciarem a suspensão do tráfego aéreo até às 12:00 TMG de sexta feira.

Irlanda, Dinamarca, Noruega, Suécia, Finlândia e Bélgica também encerraram o seu espaço aéreo.

A França fechou 24 aeroportos, incluindo a principal plataforma de redistribuição (hub) do Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris; os aeroportos alemães de Berlim e Hamburgo foram fechados durante a tarde de quinta feira.

Um vulcão sob o glaciar islandês Eyjafjallajokull entrou em erupção na quarta feira pela segunda vez em menos de um mês.

A nuvem com as cinzas das emissões ameaça o tráfego aéreo à medida que se desloca para sul e leste, em direção ao Norte europeu, situado a mais de dois mil quilómetros.

A nuvem desloca-se a uma altura entre os seis mil e os 11 mil metros.

Uma porta-voz do Eurocontrol disse que esta quinta-feira foram cancelados cerca de quatro mil voos na Europa e que amanhã este total pode subir para os seis mil.

Presenças internacionais em causa para funeral do presidente polaco

Está por determinar em que medida esta nuvem pode afetar a chegada do presidente norte-americano e de dirigentes de outros países ao funeral do presidente polaco, Lech Kaczynski, que faleceu num acidente de avião.

As autoridades polacas proibiram os voos na parte Noroeste do país ao final de quinta feira, mas o funeral realizar-se-á em Cracóvia, no Sudeste polaco.

Nuvem de cinzas pode afectar tráfego durante semanas

Meteorologistas do serviço de previsão AccuWeather, na Pensilvânia, nos Estados Unidos da América, disseram que a atual nuvem de fumo ameaçará o tráfego aéreo sobre a Europa até domingo, pelo menos.

Einar Kjartansson, um geofísico do serviço meteorológico islandês, considerou que o problema pode persistir durante semanas, dependendo do vento.

As erupções vulcânicas explosivas injetam grandes quantidades de cinzas muito abrasivas - essencialmente fragmentos de rocha muito pequenos - na atmosfera, precisamente na altitude de cruzeiro de muitos aviões, o que lhes pode causar graves danos.

Ironicamente, o aeroporto islandês de Keflavik permaneceu aberto durante o dia de hoje, com os voos para a Europa suspensos, mas com os destinados aos EUA a realizarem-se normalmente.

SIC
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 08, 2010, 09:52:57 pm
Emirates faz a maior compra de sempre e encomenda 32 unidades do A380 à Airbus

(http://www.portalnossaterra.com.br/news/a380emir.jpg)


A companhia aérea Emirates, dos Emirados Árabes Unidos, comprou hoje à Airbus 32 unidades do A380, o maior avião de passageiros do mundo, no Salão de Aeronáutica de Berlim (ILA).

Trata-se da maior encomenda da história da aviação civil, no valor de 11,5 mil milhões de dólares (cerca de 9,6 mil milhões de Euros), disse em conferência de imprensa na capital alemã o chefe de vendas da Airbus, John Leathy.

«Estamos muito felizes e orgulhosos», disse também o presidente executivo da Airbus, Tom Anders, ao lado do chefe da transportadora aérea Emirates, Ahmed Bin Saed Maktum.

A companhia do Dubai amplia assim as suas actividades no Golfo Pérsico,e terá assim na sua frota 90 aviões A 380, em 2017, data para a conclusão das entregas da nova encomenda.

Inicialmente, a Emirates estava mais interessada numa versão mais longa do A 380, o A 380 900, mas a Airbus adiou o projecto, devido a problemas na produção.

A situação favorável da Emirates, no Médio Oriente, tem sido importante para a expansão da companhia de aviação árabe, que com os A 380 pode alcançar 95 por cento da população mundial, afirmou John Leathy.

O gigantesco avião de passageiros é, por isso, a solução ideal para linhas aéreas que utilizam uma grande plataforma, disse ainda o chefe de vendas da Airbus, lembrando que poucos passageiros transportados pela Emirates têm como destino final o Dubai, mas fazem escala nesta cidade.

A Airbus espera agora que companhias que utilizam também grandes plataformas em Singapura, Londres, Frankfurt ou Paris sigam o exemplo da Emirates, e aumentem as suas encomendas.

O negócio hoje fechado em Berlim permitiu à Airbus cumprir e ultrapassar a meta de vender este ano 20 aeronaves deste modelo. Além disso, Leathy garantiu que há negociações a decorrer para transaccionar mais A 380 noutras partes do mundo.

A Airbus tenciona alcançar o break-even, o ponto em que o A 380 deve começar a dar lucros, em 2015, e ajudar a casa mãe, a EADS, a sair da crise em que está mergulhada há quatro anos.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: nelson38899 em Junho 14, 2010, 02:23:25 pm
(http://i.dailymail.co.uk/i/pix/2010/04/14/article-1265891-09214629000005DC-398_964x517.jpg)

http://www.dailymail.co.uk/news/worldnews/article-1265891/Hold-think-youre-going-Skydiver-grabs-gliders-tail-fin-fly-2-100-metres-100mph.html
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 15, 2010, 09:21:08 pm
Bagdad de novo na rota das Companhias aéreas internacionais


(http://media.nowpublic.net/images//e0/a/e0ab27a89178f8acb232cf0ae84a74fd.jpg)

O Iraque está a transformar-se num pólo de aviação cada vez mais procurado pelas principais companhias aéreas comerciais.

A guerra em que vive o Iraque desde 2003 foi responsável pela destruição de grande parte das infraestruturas do país. Mas hoje, lentamente, está a tentar recuperar o tempo perdido.

Quem tem estado atento a esta nova realidade são as grandes companhias de aviação comercial que, com o decréscimo de ataques em Bagdad e com o colapso da companhia de aviação nacional, estão a lutar pelo espaço aéreo do país.

A Deutsche Lufthansa será a primeira grande companhia aérea a tirar proveito desta oportunidade de negócio. Segundo informação da própria transportadora alemã, os voos com partida de Munique em direcção à capital iraquiana começarão a ser realizados já a partir de 30 de Setembro.

A Lufthansa, segunda maior companhia aérea europeia, irá preencher a vaga deixada em aberto pela Iraqi Airways, que o governo está neste momento a dissolver como forma de evitar que o Kuwait recorra à apreensão das aeronaves da sua frota como compensação de 10 jactos que Saddam saqueou em 1990.

As transportadoras do Médio Oriente também já começaram a comercializar rotas com destino a Bagdad. É o caso da Royal Jet, actualmente com uma frota de 11 aviões particulares, que realiza dois voos por dia a partir de Abu Dhabi, desde que os ataques no Iraque caíram para o valor mais baixo desde a invasão norte-americana de 2003.

Em declarações à Bloomberg, John Morgan, vice-presidente das operações comerciais da Royal Jet, revelou mesmo que, "desde Janeiro as reservas dispararam".

Quem também já revelou estar interessado em voar para Bagdad foi a Austrian Airlines. De acordo com a Bloomberg, a empresa austríaca está a planear disponibilizar quatro voos semanais aos seus clientes desde Viena a partir de Outubro. Ainda sem grandes planos estão a Air France-KLM e a British Airways, que revelaram estarem ainda a avaliar oportunidades.

Diário Económico
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 01, 2010, 07:27:21 pm
Portugal é dos melhores destinos da Europa para a Lufthansa

(http://questionmarkmag.com/wp-content/uploads/2010/06/lufthansa.jpg)

Apesar de ser um dos mais pequenos países europeus, é em Portugal que a Lufthansa, a maior companhia aérea do mundo, regista uma das melhores performances na Europa, afirma, em entrevista ao SOL, o director-geral da empresa em Portugal, Nikolas Wirtz.

A taxa de ocupação dos voos da Lufthansa de e para Portugal está entre os 85% e os 90%, «um resultado excelente» para Nikolas Wirtz, que assumiu funções no início de Fevereiro. «Estes resultados foram uma surpresa para nós», assume o director-geral. «Este ano estamos no bom caminho, a operação é claramente positiva», garante.

A gigante alemã, apesar dos  resultados obtidos, acredita ainda que o mercado português tem muito potencial e pode gerar ainda mais valor para a ‘casa-mãe’. As atenções estão agora focadas na operação dos meses de Inverno, pois as taxas de ocupação entre Outubro e Abril rondam os 65%, um valor baixo para a empresa.

«O mercado português tem ainda muito potencial para nós. Esperamos crescer pelo menos ao ritmo da indústria – 5% por ano –, senão mais», acredita Nikolas Wirtz. «Nos últimos 10 anos temos vindo sempre a aumentar o numero e a capacidade dos nossos voos em Portugal».

Actualmente, a Lufthansa tem 73 voos semanais a partir de Portugal, principalmente nos aeroportos de Lisboa e Porto, mas também a partir de Faro. Este ano a companhia alemã inaugurou a rota Lisboa-Dusseldorf, que conta com sete voos semanais.

SOL
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 23, 2010, 12:17:05 am
Novas tecnologias para voos mais confortáveis e ecológicos


O tráfego aéreo mundial tem crescido de maneira contínua nas últimas décadas e deve continuar a seguir esta trajectória nos próximos anos. Estimativas da Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata) indicam que o movimento de passageiros atingirá a marca de 2,75 mil milhões de viagens em 2011.

No que toca ao Brasil, possuidor do terceiro maior fabricante de aviões do mundo, são feitos projectos em parceria com universidades para o desenvolvimento de tecnologias mais sustentáveis para o meio ambiente, bem como outros ligados ao conforto dos passageiros e dos cidadãos que moram nas proximidades dos aeroportos.

A Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) e a Universidade Federal de Santa Catarina fizeram uma parceria com o objectivo de aumentar o conforto das pessoas que utilizam o transporte aéreo. Iniciado em 2006, o projecto estuda as vibrações e os ruídos mais adequados para um passageiro durante o voo e está a chamar a comunidade para a etapa de testes (simulação de voo).

A equipa, composta por professores e alunos dos cursos de Engenharia Mecânica e de Fonoaudiologia, é responsável pelos testes e pela análise dos resultados que orientam a Embraer nas decisões sobre as características que o ambiente interno do avião deve ter para ser mais agradável para o passageiro.

Para simular o voo, a poltrona e o piso em que o participante se acomoda transmitem as sensações de vibração, programadas no computador. Tanto essas sensações como os sons escutados através de um microfone foram gravados em um voo real para, dentro da cabine, serem reproduzidos.

Durante o teste, que dura em média 15 minutos, o participante qualifica o conforto de cada vibração a que é submetido. Depois, descreve as sensações que teve. Para os integrantes do projecto, as pesquisas continuam após a realização dos testes: é a vez de tratar as informações que cada pessoa forneceu. O projecto tem previsão para continuar até Setembro de 2011.

Europa aposta nas tecnologias "limpas"

Sem despender muitas horas, qualquer internauta poderá encontrar notícias de estudos brasileiras relacionados com o desenvolvimento de novas tecnologias capazes de tornar o voo mais cómodo e agradável para os passageiros. Entretanto, no que toca ao desenvolvimento de “tecnologias limpas”, existe mais investigação na Europa.

Construir uma nova geração de aviões amigos do ambiente é o objectivo da parceria público-privada que a Comissão Europeia lançou através da iniciativa Clean Sky, que decorre entre 2008 e 2013. O objectivo da iniciativa é reduzir o impacto da indústria da aviação no ambiente. Esta irá culminar com o teste real de aviões ecológicos. São seis os projectos de investigação que a compõem.

A plataforma conta com as contribuições de 80 parceiros de 16 Estados-membros, entre empresas, universidades e centros de investigação. Em Portugal, firmou-se em 2010 uma parceria do projecto Clean Sky com a GMV portuguesa, grupo tecnológico que actua nas áreas da aeronáutica, da defesa, dos transporte e segurança. O grupo não tem origem portuguesa, mas estabeleceu no país parceria com o projecto europeu Céu Limpo (Clean Sky).

O desenvolvimento de tecnologias inovadoras, tais como motores ecológicos, combustíveis alternativos ou componentes físicos que tornem as viagens aéreas mais económicas, vai fazer com que os aviões reduzam entre 20 e 40 por cento as emissões de dióxido de carbono.

A redução do CO2 por cada avião será em média de duas e três toneladas. Além disso, os investigadores vão ainda reduzir entre 40 e 60 por cento as emissões de óxido de nitrogénio, o que permitirá a diminuição do ruído produzido pelas aeronaves em metade.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 10, 2010, 05:57:00 pm
Ryanair planeia a compra de 300 novos aviões

(http://www.viagenslowcost.net/wp-content/uploads/ryanair-marsans.jpg)

Companhia aérea ‘low cost’ pode gastar 11,8 mil milhões de euros com aviões da Boeing.

Michael O'Leary, o mediático presidente da Ryanair, está de volta ao mercado e prepara-se para comprar 300 novos aviões. Uma operação que envolve milhares de milhões de dólares e que pode gorar as esperanças dos investidores no sentido de obterem dividendos no futuro com esta companhia aérea de baixo custo.

O líder da companhia aérea confirmou que está em contacto com as autoridades do sector da aviação no sentido de ter autorização para usar apenas um piloto nas suas aeronaves. O gestor alega que os co-pilotos deixaram de ser necessários nos aviões mais modernos, uma vez que a maioria dos aparelhos já é "operada por computador durante a maior parte do voo. Seria uma forma de a indústria poupar uma fortuna," afirmou O'Leary numa entrevista, acrescentando que os comboios podem ter apenas um maquinista, isto apesar da possibilidade de acidente caso o maquinista sofra um ataque cardíaco.

"Em 25 anos e com mais de dez milhões de voos, só houve um episódio em que um dos pilotos sofreu um ataque cardíaco e, mesmo assim, conseguiu aterrar o avião", afirmou. O'Leary admite a necessidade de dois pilotos nos voos de longo curso, afirmando que nas viagens mais curtas os comissários de bordo podem assumir a função de co-pilotos, que muitas vezes estão nas cabines de modo a evitar que o piloto adormeça ou caia sobre os comandos".

Diário Económico
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: AC em Setembro 11, 2010, 07:52:12 pm
Este irlandês é mesmo do caraças. :D

Os comboios têm um sistema de homem morto: se o maquinista não carregar num botão periodicamente, o comboio pára. Não dá para fazer o mesmo num avião..
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: typhonman em Setembro 15, 2010, 12:46:40 am
Citação de: "AC"
Este irlandês é mesmo do caraças. :D

Os comboios têm um sistema de homem morto: se o maquinista não carregar num botão periodicamente, o comboio pára. Não dá para fazer o mesmo num avião..

Sim.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 31, 2010, 01:15:21 pm
Aterrou o primeiro avião europeu em Bagdad desde 1990

(http://img214.imageshack.us/img214/9281/aigleazuriraque.jpg)

Um Airbus A319 da companhia aérea francesa Aigle Azur, proveniente de Paris, aterrou este domingo em Bagdad, o primeiro voo directo de uma transportadora europeia para a capital do Iraque desde o embargo internacional imposto em 1990.

O aparelho descolou sábado do aeroporto de Roissy-Charles de Gaulle às 23h45 locais (21h45 em Lisboa), tendo aterrado em Bagdad às 6 horas (3 horas em Lisboa), com 111 passageiros a bordo, entre eles a secretária de Estado francesa do Comércio, Anne-Marie Idrac.

A Aigle Azur irá explorar a esta rota a partir de Janeiro de 2011, com dois voos semanais a partir de Roissy. «O primeiro ano será difícil e perderemos dinheiro. Somos uma companhia privada e se lançámos a linha é porque acreditamos nela. Penso que a médio prazo será rentável», disse Meziane Idjerouidene, vice-presidente do conselho de vigilância da empresa.

Até agora, viajar da Europa até Bagdad apenas era possível fazendo escala na Jordânia, no Líbano, no Golfo ou na Turquia.

A Bola
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 03, 2010, 02:41:16 pm
Citar
02/12/2010 - 20h36

Avião projetado na UFMG bate quarto recorde mundial em 24h
Desta vez, façanha foi na modalidade velocidade em três quilômetros.
Nunca no Brasil havia sido quebrada uma marca mundial em aeronaves.


Do G1 MG

O avião CEA 308 bateu o quarto recorde mundial nesta quinta-feira (2), desta vez na modalidade “velocidade da aeronave em três quilômetros”. Projetado no Centro de Estudos Aeronáuticos do departamento de Engenharia Mecânica da UFMG, o avião atingiu, de acordo com a universidade, a marca de 360 km/h. O recorde anterior, de 2002 era de uma aeronave austríaca, 351 km/h.

(http://s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2010/12/02/dsc03492_low620.jpg)
Aeronave destinada à quebra de recordes é projetada e construída pela UFMG (Foto: Paulo Iscold)

O CEA 308 já havia quebrado outras três marcas na quarta-feira (1º): velocidade em 15 e em 100 quilômetros e tempo de subida até três mil metros. De acordo com a UFMG, em 15 quilômetros o avião alcançou 329 km/h. O antigo recorde era de 292 km/h. Em 100 quilômetros, o modelo chegou a 326 km/h; a marca anterior era de 297 km/h. A aeronave demorou cerca de 10 minutos para atingir três mil metros de altura. Aproximadamente três minutos a menos que o melhor tempo registrado antes.

Todas as marcas foram atingidas no Aeroporto Regional da Zona da Mata, próximo a Juiz de Fora. O brasileiro Gunar Armin pilotou o avião. Segundo o professor de Engenharia Aeronáutica da UFMG Paulo Iscold, “nunca no Brasil havia sido quebrado um recorde mundial em aeronaves motorizadas”.

Dois representantes da Federação Aeronáutica Internacional (FAI) foram responsáveis por julgar a demonstração, segundo a UFMG. Um deles é oficial da National Aeronautic Association (NAA), nos Estados Unidos. O outro pertence à Comissão Aerodesportiva Brasileira (CAB), de acordo com a universidade.

A universidade já produziu 10 aviões-conceito destinados à quebra de recordes. Segundo a UFMG, a instituição é a única no Brasil a projetar e construir esse tipo de aeronave.

http://g1.globo.com/minas-gerais/notici ... m-24h.html (http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2010/12/aviao-projetado-na-ufmg-bate-quarto-recorde-em-mundial-em-24h.html)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 13, 2010, 05:49:04 pm
Mundo poderá precisar de 26 mil novos aviões até 2030

(http://www.toywing.com.br/images/stories/blank-width_clip_image005.jpg)

O construtor aeronáutico europeu Airbus divulgou hoje previsões que apontam para uma procura de 26 mil novos aviões até 2029, com o mercado a valer na altura 3.200 mil milhões de dólares (2.400 mil milhões de euros).

«A retoma é mais forte do que o previsto», considerou o director comercial da Airbus, John Leahy, citado num comunicado da construtora, que refere que o mercado tem vindo a crescer graças, sobretudo, à procura asiática.

As actuais previsões representam assim uma ligeira subida em alta das estimativas da Airbus, que tinha previsto, no ano passado, uma procura de 25 mil aviões de carga e passageiros.

Segundo a construtora europeia, a procura vai aumentar devido ao interesse das companhias aéreas de todo o mundo por aviões que permitam maiores poupanças de combustível, pela expansão dos mercados emergentes e pelo rápido crescimento nas transportadoras de baixo custo.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 14, 2010, 08:59:23 pm
Companhias aéreas com lucros recorde em 2010

(http://www.indochinatravelservice.com/News/Images/iata.jpg)

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que reúne cerca de 230 companhias aéreas a nível mundial, reviu em alta as previsões de lucros para sector em 2010 feitas em Setembro, de 8,9 mil milhões de dólares (mais de 6,6 mil milhões de euros) para 15,1 mil milhões de dólares (mais de 11,2 mil milhões de euros), anunciou há momentos o economista-chefe da IATA, Brian Pearce, em Genève. São os lucros mais altos de sempre.

Os principais factores a contribuírem para o aumento dos lucros são, de acordo com Brian Pearce, são um crescimento de 8,9% no tráfego de passageiros, acima dos esperados 7,7%, receitas cinco mil milhões acima do esperado - 565 mil milhões de dólares (420,5 mil milhões de euros) contra 560 milhões de dólares (420,5 milhões de euros) anteriores -, bem como a manutenção dos preços do petróleo abaixo dos 80 dólares.

«O clima de confiança dos negócios no mundo inteiro está a contribuir para a recuperação do sector» disse Brian Pearce. Os sector Premium e Business estão a recuperar de «forma constante».

Para 2011 as expectativas melhoraram, contudo, os lucros irão ficar abaixo do que será registado em 2010. A IATA prevê lucros no sector de 9,1 mil milhões de dólares (6,77 mil milhões de euros) em 2011, contra 5,3 mil milhões (3,94 milhões de euros) esperados.

«O próximo ano vai trazer muitos desafios ao sector, o crescimento económico será fraco e podemos mesmo assistir uma recessão em algumas zonas da Europa», explica Brian Pearce.

O preço do petróleo será um dos principais factores a ameaçar a rentabilidade do sector. A IATA espera um aumento médio de 79 dólares por barril em 2010 para 84 dólares por barril em 2011, o que irá aumentar a factura com combustível do sector para 156 mil milhões de dólares (mais de 116 mil milhões de euros) por ano.

SOL
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 20, 2010, 07:21:55 pm
Boeing quer aumentar produção dos aviões 777 em 2013

(http://blog.flightstory.net/wp-content/uploads/777f_first-flight.jpg)


A fabricante aeronáutica norte-americana Boeing, anunciou hoje planos para aumentar a produção dos aviões 777, no ano de 2013, para responder ao aumento da procura mundial.
A Boeing disse em comunicado que espera produzir, em média, 8,3 aviões do modelo 777 por mês em 2013, depois do aumento da produção em 2010, que a empresa já tinha anunciado.

Jim Albaugh, presidente do departamento de Aviões Comerciais da Boeing, considerou que o aumento da produção, para cerca de cem unidades por ano, é consequência da "procura forte a nível mundial".

Albaugh acrescentou que não são de esperar grandes impactos deste aumento de produção para o exercício financeiro no exercício de 2010. O construtor aeronáutico europeu Airbus divulgou este mês previsões que apontam para uma procura de 26 mil novos aviões até 2029.

Segundo a construtora europeia, a procura vai aumentar devido ao interesse das companhias aéreas de todo o mundo por aviões que permitam maiores poupanças de combustível, pela expansão dos mercados emergentes e pelo rápido crescimento nas transportadoras de baixo custo.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 04, 2011, 05:43:20 pm
EasyJet compra 15 aviões A320 à Airbus com desconto


A transportadora aérea de baixo custo easyJet disse hoje ter comprado 15 aviões A320 à construtora europeia Airbus, a um custo abaixo do preço de catálogo de 1,1 mil milhões de dólares (824 milhões de euros). A easyJet disse também, em comunicado, que fechou ainda com a Airbus um acordo de opção de compra de mais 33 aeronaves de médio curso.

"A easyJet anuncia que chegou a acordo com a Airbus para exercer o direito de opção de compra de 15 Airbus A320, para entrega entre 2012 e 2014 e que assegurou novas opções sobre 33 novos aviões A320", refere um comunicado da empresa.

A transportadora britânica afirmou ainda que, apesar do preço de catálogo para os 15 A320 ser de 1,1 mil milhões de dólares, a easyJet conseguiu "concessões de preço substanciais e confidenciais".

Para Carolyn McCall, presidente executiva da transportadora, a compra dos aviões "vai ajudar a easyJet a cumprir a estratégia de manter um crescimento continuado e lucrativo (...) e oferecer aos nossos passageiros ainda mais capacidade nos voos".

Carolyn McCall acrescentou que "uma característica central do acordo é a flexibilidade que dá à easyJet para variar a taxa de crescimento da sua capacidade, reflectindo as condições económicas e as oportunidades de negócio".

À escala global, o sector da aviação tem vindo a registar uma recuperação após a crise financeira internacional, com a easyJet a anunciar, no final de 2010, fortes aumentos nos lucros e mesmo planos para pagar dividendos aos accionistas, pela primeira vez.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 14, 2011, 07:20:25 pm
Mais 800 milhões de passageiros até 2014 nos transportes aéreos


O número de passageiros no sector da aviação vai crescer em 800 milhões até ao final de 2014, com um quarto deste aumento a vir da China, disse hoje a Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA).

Dentro de três anos, o número de passageiros de linha aérea em todo o mundo será assim de 3,3 mil milhões, mais 32 por cento que os 2,5 mil milhões do final de 2009, de acordo com as previsões que a IATA hoje divulgou, em comunicado.

«A maior parte dos novos passageiros virá da China», refere a associação, que representa as companhias aéreas de todo o mundo, adiantando que «dos 800 milhões de novos viajantes previstos em 2014, 360 milhões (45 por cento) vão viajar nas rotas da Ásia-Pacífico e, destes, 214 milhões estão associados à China».

O maior mercado mundial para viagens internacionais e domésticas, no entanto, continuará a ser os Estados Unidos, segundo a associação.

O presidente executivo da organização, Giovanni Bisignani, defendeu no comunicado a necessidade de «aumentar a eficiência da gestão de tráfego aéreo, infraestruturas aeroportuárias e programas de segurança».

Bisignani disse ainda que o sector vai continuar a sofrer as consequências da crise global, prevendo um crescimento mais lento dos Estados Unidos e da Europa.

«A continuação das dívidas dos consumidores, altos níveis de desemprego e as medidas de austeridade vão reduzir as taxas de crescimento» nestes mercados, afirmou o responsável.

Entre 2009 e 2014, segundo as previsões da IATA, por região, o campeão do crescimento será o Médio Oriente, com o número de passageiros internacionais a aumentar 9,4 por cento, seguido de África (7,7 por cento), da Ásia-Pacífico (7,6 por cento) e da América Latina (5,7 por cento), com o crescimento da procura internacional de passageiros a ficar-se pelos 4,9 por cento nos Estados Unidos e nos 4,7 por cento na Europa.

Em Dezembro, a IATA já tinha revisto em alta a previsão de receitas das companhias de aviação em 2010, para os 15,1 mil milhões de dólares (11,14 mil milhões de euros), mas avisou na altura que os lucros deverão cair para os 9,1 mil milhões de dólares (6,7 mil milhões de euros) em 2011.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 25, 2011, 12:55:21 pm
China investirá 166 mil Milhões de €€€ em cinco anos no sector


A China tenciona investir mais de 1,5 biliões de yuan (cerca de 166 mil milhões de euros) na aviação civil nos próximos cinco anos para responder ao aumento do transporte aéreo, disse hoje um responsável do sector.

Em 2015, o número de aeroportos comerciais da China deverá ultrapassar os 220 (mais 45 do que atualmente) e a frota subirá para cerca de 4.500 aviões (mais 1.900), indicou o diretor da Administração da Aviação Civil do país (CAAC), Li Jiaxiang.

“A capacidade do setor da aviação civil para servir a economia nacional e o público será muito fortalecida”, afirmou o responsável.

Os aviões transportaram 267 milhões de passageiros na China em 2010, um aumento de 15,8 por cento em relação ao ano anterior.

Segundo as previsões da CAAC, em 2015, aquele número deverá somar entre 450 a 500 milhões e em 2030 atingirá 1.500 milhões.

A China tem 43 companhias aéreas, oito das quais privadas. As três maiores, todas estatais, são a Air China, a China Southern Airlines e a China Eastern Airlines.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 01, 2011, 01:24:02 pm
Sector da aviação executiva com peso de 20 mil milhões de €€€ na Europa

(http://www.ebace.aero/2011/_images/static-pricing.jpg)


De acordo com a European Business Aviation Association (EBAA), o sector contribui, por ano, com cerca de 20 mil milhões de euros para a economia europeia e gera cerca de 5,7 mil milhões em salários, estando previsto o aumento da produtividade devido à aposta em verdadeiros escritórios a bordo e sem se perder tempo em aeroportos. De entre as mais-valias deste segmento, a EBAA destaca o facto de a aviação executiva estar a registar fortes crescimentos face ao restante mercado de tráfego aéreo na Europa. Além de oferecer aos clientes três vezes mais destinos do que as companhias aéreas e destinos mais 100 vezes servidos com voos frequentes.

A Associação assume que a frota de aviação europeia de negócios é uma das mais jovens, mais avançadas e "amigas" do ambiente. Isto porque as aeronaves representam 7,8% do tráfego da Eurocontrol (Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea), mas menos de 1% das emissões da aviação e apenas 0,03-0,04% de todas as emissões da União Europeia.

Continua a haver quem prefira voar "à grande", com todos os luxos e mais alguns. Se em viagens para a Europa, mais curtas, pode desfrutar de espaço a bordo de uma aeronaves destas, trabalhando confortavelmente no seu portátil, nas viagens de negócio de longo curso, como por exemplo, para os PALOP, até pode dormir como se estivesse num hotel.

NetJets, OMNI/White Airways, Heliavia, Valair estão entre os principais operadores a fazer negócio na aviação executiva em Portugal. Já têm provas dadas no mercado nacional e internacional e fazem, hoje, concorrências às companhias aéreas comerciais. Lufthansa, SWISS, mas também a Air France e a portuguesa TAP são operadoras para quem o segmento ‘business' é estratégico. Sem esquecer a a Air Berlin que, na última conferência de imprensa internacional, falou da aposta e da expectativa quanto ao crescimento este ano das viagens de negócio.

Diário Económico
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Desertas em Maio 09, 2011, 10:14:47 pm

(http://farm3.static.flickr.com/2645/3888443674_da785fd51d.jpg)

(http://lh5.ggpht.com/_lsHB1gz4hQ4/SyFKPIC7K0I/AAAAAAAAMHY/Dv9OroR4UOw/fire%20truck%20005.jpg)

(http://lh3.ggpht.com/_lsHB1gz4hQ4/SyFKVoUfRyI/AAAAAAAAMHs/iAnf1Nch87w/fire%20truck%20009.jpg)

Um Abraço
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 24, 2011, 08:07:47 pm
Ryanair diz que não há perigo e "fura" nuvem de cinza vulcânica

(http://1.bp.blogspot.com/_yjAk2yJEJtA/S_3uACmVIGI/AAAAAAAAD1I/zhkxGRoonwA/s1600/ryanair.jpg)


Depois de ter realizado um "voo de verificação" no espaço aéreo escocês esta manhã, a low-cost irlandesa diz que não existe nenhuma nuvem de cinza e pede que sejam levantadas as restrições.

Em comunicado, a Ryanair informa que efectuou esta manhã um "voo de verificação" de uma hora a 41 mil pés de altitude no espaço aéreo escocês, tentando demonstrar que não há problema em voar nestas condições. O avião saiu do aeroporto de Glasgow Prestwick e voou até Inverness, depois Aberdeen e até Edimburgo, "zonas de alta concentração de cinzas", segundo as autoridades aéreas britânicas.

No entanto, segundo a low-cost irlandesa, "não foi vista nenhuma nuvem de cinza ou outra presença de cinza vulcânica e a inspecção após o voo não detectou qualquer vestígio da cinza vulcânica na fuselagem, asas ou motores".

A empresa sublinha no mesmo documento que "esta evidência vem comprovar a ideia da Ryanair de que não existe qualquer ameaça para os aviões na mítica zona vermelha".

Por este motivo, a Ryanair reiterou o pedido junto das autoridades aéreas britânicas para terminar com as restrições e reabrir o espaço aéreo escocês, permitindo que as companhias aéreas possam regressar ao trabalho.

Diário Económico
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 24, 2011, 10:35:43 pm
Especialista diz que Eurocontrol "exagerou" o perigo das cinzas vulcânicas


O Eurocontrol e outras instituições de regulação do tráfego aéreo na Europa «exageraram os riscos das cinzas vulcânicas» em 2010 e o mesmo está a repetir-se agora, afirmou um cientista islandês. Jónas Elíasson, um investigador da Universidade da Islândia envolvido num projecto de medição e de prevenção dos riscos das cinzas vulcânicas, afirma que o encerramento de dois dias dos principais aeroportos do país, esta semana, «foi desnecessário».

Dois aeroportos islandeses, incluindo o da capital Reiquejavique, foram encerrados durante cerca de 36 horas, reabrindo no final de segunda-feira, devido à erupção do vulcão Grimsvoetn.

«Foi mais um dia de céu limpo e de aeroportos fechados», resumiu Jónas Elíasson, entrevistado pela Lusa por telefone, a partir de Paris.

«Os dois aeroportos não deviam ter fechado nem no domingo nem na segunda-feira», acrescentou Elíasson.

O cientista faz parte da equipa que, em terra, recebe e analisa os dados da medição das cinzas. Desta vez, «é uma erupção basáltica e o granulado não é tão fino mas a coluna de cinzas parece ser mais alta do que a do Eyjafjallajökull», afirmou o especialista.

A medição é efectuada por aparelhos sofisticados a bordo de um pequeno avião Cessna, num projecto desenvolvido em conjunto com a Universidade da Islândia e a Universidade de Ciências Aplicadas de Dusseldorf, na Alemanha.

Leituras detalhadas da qualidade das cinzas do vulcão Eyjafjallajökull, nos dias cruciais de final de Abril de 2010, feitas pela mesma equipa usando meios aéreos ligeiros, «mostram que não havia risco para o tráfego aéreo» quando os centros reguladores determinaram o encerramento do espaço aéreo.

«A má sorte da Islândia é depender do VAAC (Centro de Controlo de Cinzas Vulcânicas) de Londres, que determina os seus alertas apenas pela altura da coluna de cinzas e pela evolução ditada segundo modelos de computador usados em meteorologia», queixou-se Jónas Elíasson.

Existem nove VAAC em todo o mundo, com áreas territoriais de competência, que avisam as autoridades de aviação sobre a presença e o movimento de nuvens de cinzas vulcânicas.

O VAAC de Londres é responsável pelas Ilhas Britânicas e pela Islândia. Toda a Europa continental, África e a Ásia Central e do Sul pertencem à área seguida pelo VAAC de Toulouse (França).

«Com a altura das cinzas e os modelos de meteorologia, julgam no VAAC que têm a análise correcta da situação. Mas não têm e recusam-se a adaptar esse modelo a uma verificação directa, científica, do fenómeno», acrescenta o especialista islandês.

Num estudo recente, Jónas Elíasson defendeu que a vigilância das nuvens de cinzas poderia ser feita através de meios aéreos «ligeiros e eficazes, manobrados por tripulações que podem ser treinadas na Islândia».

Os reguladores aéreos poderiam, nesse caso, contar com informação «real em tempo real, confrontando os valores dos seus modelos de computador», frisou o cientista.

«Evitar-se-ia a repetição de erros de avaliação, como o que está a acontecer de novo», acrescentou.

O cientista islandês cita a Comissão Europeia sobre o prejuízo de cinco mil milhões de euros causados pelo caos no tráfego aéreo no continente, com milhares de voos cancelados.

«O sistema que propomos, e que os reguladores se recusam a financiar, custaria 100 mil dólares por ano. Não é nada», conclui o cientista.

Na sequência do Eyjafjallajökull, Jónas Elíasson avaliou os riscos de uma nova erupção na Islândia antes de 2015 em 35 por cento. O acordar do Grimsvoetn não o surpreende.

«Nunca se sabe como vivem estes vulcões. Pode parar amanhã ou continuar», concluiu Jónas Elíasson.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Desertas em Maio 31, 2011, 04:35:40 pm
Algumas imagens do vulcão Islandês .

(http://sociable.co/wp-content/uploads/2011/05/grimsvotn-volcano-eruption-big-488x476.jpg)

(http://www.nasa.gov/images/content/551401main_image_1954_946-710.jpg)

(http://scamwarning.files.wordpress.com/2008/07/lightning-volcano21.jpg)

Um Abraço
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 31, 2011, 07:30:23 pm
Citação de: "Desertas"
(http://scamwarning.files.wordpress.com/2008/07/lightning-volcano21.jpg)

Esta imagem não é do vulcão Islandês, salvo erro é de um vulcão que teve activo a uns anos atrás no Chile ...  c34x
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Desertas em Maio 31, 2011, 08:54:16 pm
Citação de: "Lusitano89"
Citação de: "Desertas"
(http://scamwarning.files.wordpress.com/2008/07/lightning-volcano21.jpg)

Esta imagem não é do vulcão Islandês, salvo erro é de um vulcão que teve activo a uns anos atrás no Chile ...  c34x

Tens razão Lusitano89 , esta ultima foto não é do Vulcão Grímsvötn . Obrigado pela chamada de atenção .
Aqui vai esta que quase de certeza é .

(http://oneuspost.com/wp-content/uploads/2011/05/icevolcano_fulle.jpg)

Um Abraço
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 15, 2011, 12:20:49 pm
Fabricante Airbus prevê avião «transparente» em 2050


A fabricante de aviões Airbus apresentou na terça-feira em Londres uma animação de como imagina que serão os aparelhos do futuro.
A empresa prevê para o ano 2050 aviões com fuselagem transparente, em que o passageiro verá claramente as mudanças no céu ao longo do voo.

A ideia é que as futuras aeronaves sejam mais sustentáveis, feitas de material reciclável, com menos ruídos e menor gasto de combustível. Talvez seja possível até aproveitar o calor libertado pelo corpo humano para a iluminação interna do avião.

Responsáveis da empresa dizem que os voos do futuro tentarão criar uma experiência sensorial e personalizada para os passageiros - os assentos, por exemplo, poderão ser modificados pelos utilizadores.

Não está claro, porém, como será a alimentação a bordo no futuro, nem o quanto essas evoluções tecnológicas onerarão os bolsos dos passageiros.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 28, 2011, 06:55:48 pm
Próximas gerações de aeronaves mais baratas e leves


A Critical Materials, fundada em 2008 a partir de uma ‘spin-off’ da Universidade do Minho (UMinho), por Gustavo Dias e Júlio Viana, professores e antigos alunos da instituição, participa no projecto SARISTU – Smart Intelligent Airframe Structures, liderado pela conhecida Airbus.

O objectivo é desenvolver soluções inovadoras e multifuncionais de materiais avançados, que permitam a redução de peso e custos operacionais das próximas gerações de aeronaves, mantendo e, até, melhorando o seu desempenho aerodinâmico. Além disso, poderão vir a “estender a sua vida útil e maximizar horas de voo sem prejudicar a segurança dos passageiros”, segundo explicou Júlio Viana, director de tecnologia da Critical Materials. O projecto arranca já em Setembro.

O trabalho centra-se na customização de uma plataforma de gestão da condição estrutural de componentes, suportada pela tecnologia VS2 que foi recentemente validada em ambiente laboratorial em geometrias simples no projecto Intelli-SHM, integrado no maior programa europeu do sector aeronáutico: “Consiste num sistema inteligente que faz a avaliação da condição dos aviões e avisa para a necessidade da realização de intervenções de inspecção e manutenção”, afirma Gustavo Dias, presidente-executivo da empresa.

As principais vantagens da inovação são “a diminuição dos custos directos de manutenção e o aumento da disponibilidade das aeronaves, ao nível da redução de peso, com novas metodologias de projecto para futuras aeronaves, e com a consequente diminuição de combustível”, diz Júlio Viana. Vai também permitir atingir uma redução em mais de 25 por cento do tempo das operações de inspecção e manutenção.

A Critical Materials será responsável, especificamente, pelas ferramentas de avaliação da integridade estrutural de sub-sistemas estruturais com propriedades de auto-sensorização. “A possibilidade de participar nesta iniciativa implica a demonstração da nossa tecnologia em plataformas de maior dimensão e num contexto de integração tecnológica mais intensa. O que permite a adequação da nossa solução a contextos mais complexos, permitindo um melhor posicionamento da empresa como fornecedora de soluções de sistemas de monitorização estrutural”, acentuou Gustavo Dias.

A plataforma será aplicada e validada em componentes de geometria mais complexa e em condições mais próximas das reais. O consórcio SARISTU envolve 66 parceiros, o que implica, até 2015, um investimento de 55 milhões de euros, financiado em parte pela Comissão Europeia.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 29, 2011, 05:15:48 pm
Qatar em Lisboa para contratar pilotos portugueses

(http://cavok.com.br/blog/wp-contents/uploads/2010/03/qatar-airways-boeing-777-200lr.jpg)

Paul Prenzler tem uma missão: contratar anualmente mais de 300 pilotos para os quadros da Qatar Airways. E, na sexta-feira, esteve em Lisboa para convencer os pilotos portugueses a mudarem-se para Doha. "Tenho ordens para procurar pilotos", revela o director de recrutamento da Qatar, especificando que o objectivo é responder ao crescimento da frota e de destinos previsto para os próximos cinco anos.

Os argumentos que apresentou aos pilotos e comandantes presentes no ‘Open Day' da Qatar não podiam ser mais convincentes : o ordenado base de um comandante é de 11.330 dólares (7.842 euros) livre de impostos. A isto somam-se ajudas de custo e o pagamento de cerca de 24 euros por hora voada. Mas há mais. A Qatar assegura habitação, carro, subsídio escolar que varia entre 50 mil dólares (34.700 euros) para um filho e 150 mil dólares (104.109 euros) para três.

Aos 42 dias de férias por ano, junta-se ainda um bilhete pago para o piloto e cada um dos elementos da família, seguros de saúde, de vida e de perda de licença. "Para quem é casado a questão financeira é importante", explica um piloto da TAP presente na sessão: "Os salários rondam oito mil euros e são superiores aos nossos em cerca de 50%." Para este comandante da TAP, que pediu anonimato, há ainda o atractivo de uma progressão profissional mais rápida. "A entrada seria directa para comandante e depois progrediria mais facilmente no longo curso do que cá", afirma este comandante que voa em Airbus A320 e que já se candidatou para voar na Emirates, que em Julho teve um ‘Open Day' em Portugal.

Diário Económico
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 03, 2011, 06:26:00 pm
Aviação levou cinco anos a recuperar do 11 de Setembro


Foram precisos cinco anos e perdas de mais de 41,5 mil milhões de dólares (28.900 mil milhões de euros) para que o sector da aviação mundial recuperasse dos ataques do 11 de Setembro e voltasse a ter lucros.

Os dados foram divulgados hoje pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo, sigla em inglês), que diz que depois de obter lucros de 3.700 milhões de dólares no ano 2000, o sector aéreo registou prejuízos de 13.000 milhões um ano depois devido ao impacto dos atentados às Torres Gémeas, em Nova Iorque. Só em 2005 a indústria da aviação regressaria aos lucros, ainda que por pouco tempo e com uma margem pouco expressiva de 1,1% e um resultado positivo de 5.000 milhões de dólares.

Um ano depois já existiam sinais mais concretos que levavam a acreditar na recuperação, com lucros de 14.700 milhões de dólares, mas a crise financeira de 2008 levou a indústria da aviação de novo para o vermelho. Nesse ano os prejuízos foram de 16.000 milhões de dólares e ano seguinte de 9.900 milhões.

Mais rápida foi a recuperação em termos de receitas. Em 2004 o sector aéreo já tinha recuperado as perdas de 22.000 milhões, o que representa uma quebra de 6%, vivida entre 2000 e 2001. As receitas do sector passaram de 329.000 milhões de dólares em 2000 para 307.000 milhões em 2001 e ainda menos em 2002, altura em que a indústria obteve um volume de negócios de 306.000 milhões. Um ano depois, uma ligeira recuperação levou as receitas para os 322.000 milhões de dólares e em 2004 foi possível ultrapassar o nível alcançado em 2002. E depois rebentou a crise financeira mundial e em "2009 as receitas caíram 14% (82.000 milhões de dólares) para 482 mil milhões", lê-se no relatório da IATA.

Para Antony Tyler, director-geral da IATA, que em Junho substituiu Giovannni Bisignani, estes números são sinal da "resiliência" da indústria da aviação, que superou o trauma do 11/9 e ainda teve que lidar com "a gripe A, novos atentados terroristas, guerras e o aumento do preço do petróleo".

Recordando que as previsões de facturação para este ano são de 598.000 milhões de dólares, quase o dobro das receitas conseguidas em 2001, Antony Tyler diz que a indústria deverá transportar este ano 2.800 milhões de passageiros e 48 milhões de toneladas de carga, mais 1.000 milhões de pessoas e mais 16 milhões de toneladas do que em 2001.

Só nos Estados Unidos, cujo o espaço aéreo recebeu 38.047 voos a 10 de Setembro e apenas 252 voos no dia 12, a indústria perdeu entre 2001 e 2002 mais de 19.600 milhões de dólares, acumulando prejuízos de 57.700 milhões de dólares entre 2001 e 2005.

Diário Económico
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 19, 2011, 10:48:44 pm
China Eastern Airlines compra 15 Airbus A330 por 1.815 Milhões de €€€


A China Eastern Airlines, a terceira maior companhia aérea chinesa, encomendou 15 aviões Airbus 330 para reforçar a frota de médio e longo curso, anunciou hoje a empresa, sedeada em Xangai.

É uma encomenda no valor de 2.500 milhões de dólares (1.815 milhões de euros) e será entregue entre 2013 e 2015, indicou a mesma fonte.

A China Eastern Lines transportou quase 65 milhões de passageiros em 2010, com um lucro líquido de 5.380 milhões de yuan (613 milhões de euros).

A companhia opera em 180 rotas domésticas e internacionais, com 335 aviões.

A maior companhia aérea chinesa, que recebeu no fim-de-semana o primeiro Airbus A380 do país, é a China Southern Airlines, com sede em Cantão.

Em 2010, o número total de passageiros aéreos da China atingiu 267 milhões, contra 67,2 milhões uma década antes e apenas 16,6 milhões em 1990.
A China Southern Airlines foi a que transportou mais pessoas em 2010 (76,5 milhões), seguida da China Eastern Airlines (64,9 milhões) e a Air China (60 milhões).

Quatro dos vinte aeroportos mais movimentados do mundo situam-se na China: Pequim, que é também o segundo do ranking mundial, com 73,95 milhões de passageiros, e a seguir Hong Kong, Cantão e Xangai (Pudong).

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 26, 2011, 08:15:29 pm
Novo Boeing 787 Dreamliner estreou-se em Hong Kong

(http://www.topnews.in/files/Boeing-787-Dreamliner_0.jpg)

O novo Boeing 787 Dreamliner aterrou hoje em Hong Kong, destino escolhido para o voo comercial inaugural do mais recente modelo do fabricante americano que durou quatro horas e oito minutos. O 787 Dreamliner descolou do Aeroporto de Narita pelas 12:45 horas locais (04:45 em Lisboa) com um total de 240 passageiros a bordo, sendo que alguns despenderam dezenas de milhares de dólares para aceder ao privilégio.

Hoje foi operado um voo 'charter' pela companhia All Nippon Airways (ANA), a quem foi entregue a primeira aeronave, estando o arranque dos serviços regulares agendados para novembro.

Depois de ter efetuado o primeiro voo internacional comercial entre Tóquio e Hong Kong, a transportadora japonesa ANA pretende abrir as linhas internacionais regulares com destino a Pequim até ao final do ano. Já em 2012 a companhia planeia iniciar a rota de Frankfurt.

A partir de 2013, o construtor americano planeia fabricar, por mês, dez Boeing 787 Dreamliner, após a produção da aeronave ter sofrido uma série de problemas técnicos, que custaram milhões de dólares e obrigaram ao cancelamento de encomendas.

O desenvolvimento do novo modelo da Boeing atrasou-se cerca de três anos quando cerca de 50 companhias em todo o mundo tinham rubricado encomendas para 800 aviões do modelo de voos de longo curso.

O 787 Dreamliner é maioritariamente construído em fibra de carbono e outros materiais leves, que lhe retiram peso proporcionando uma poupança de combustível na ordem dos 20 por cento relativamente a outras modelos de aeronaves de comparável envergadura.

O Japão, país onde a Boeing detém hegemonia sobre a rival Airbus, figura como um mercado de grande dimensão para o novo Boeing 787 Dreamliner.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 16, 2011, 11:27:31 pm
EasyJet prepara planos de emergência para colapso na zona euro

(http://cadernosdeviagens.com/admin/webroot/js/upload/noticias/easyjEt.jpg)

A companhia aérea Easyjet está a preparar um plano de emergência para o risco de um colapso ou outros problemas na zona euro.

"Estamos a fazer bastante planeamento de cenários sobre o que poderá acontecer e teremos certamente um plano de contingência para se algo completamente inesperado acontecer na Europa", afirmou hoje a presidente-executiva da easyJet, Carolyn McCall numa conferência de imprensa por telefone.

Sem adiantar pormenores, afirmou estar apenas a "olhar para vários cenários e planos". McCall fez este comentário durante a apresentação de resultados anuais da companhia aérea, que anunciou um aumento de 60,8% nos lucros antes de impostos no ano fiscal de Setembro de 2010 a Setembro de 2011. Ou seja, passou de 154 milhões de libras (180 milhões de euros) em 2010 para 248 milhões de libras (290 milhões de euros) em 2010.

Apesar dos custos acrescidos de 100 milhões de libras (117 milhões de euros) com combustível, a easyJet registou uma subida de 11,8% do número de passageiros para 54,5 milhões em 2011. A presidente-executiva salientou sobretudo o desempenho em atrair mais quase um milhão de passageiros em negócios para cerca de 9,5 milhões.

A easyJet reivindica uma quota de mercado europeu de 7,6% e o quarto lugar em termos de voos de médio curso. Apesar de ser britânica, os passageiros de fora do Reino Unido representam já a maioria dos clientes, número que cresceu 3% em 2011 para 56%.

Recentemente a companhia de baixo custo assinou com o Governo português um memorando de entendimento para abrir uma base aérea em Lisboa a partir de Abril de 2012. Além de 100 postos de trabalho locais, serão criadas novas rotas para Amesterdão, Copenhaga, Bordéus, Veneza e Astúrias.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 14, 2011, 12:27:14 pm
Airbus vai contratar 4 mil trabalhadores em 2012
 

A Airbus contratou este ano mais de 4.000 trabalhadores e deverá contratar, «pelo menos», o mesmo volume de mão-de-obra em 2012, afirmou o director geral da empresa, Fabrice Brégier, citado hoje pelo diário francês La Tribune. O diário económico precisa que a Airbus tem hoje 55 mil trabalhadores face aos 52.500 que registava no final de 2010, já que foram contratadas no ano passado 2.200 pessoas.

De acordo com o mesmo jornal, o recrutamento a realizar em 2012 terá maioritariamente lugar em França, especialmente para a base da Airbus em Toulouse, e cerca de «40 por cento das vagas serão destinadas a engenheiros» para a «construção do A350», mas também para «aumentar a produção do A320».

Esta situação insere-se num contexto actual de forte procura por aeronaves comerciais apesar da crise económica e financeira que tem causado um desemprego elevado noutros sectores.

A Airbus, do grupo EADS, deverá registar este ano um número recorde de encomendas, mais de 1.500, e de entrega de aeronaves, mais de 520, segundo o La Tribune.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 13, 2012, 07:10:30 pm
Emirates Airlines vai voar diariamente entre Lisboa e Dubai


(http://www.airployment.com/images/emirates_airlines.jpg)

A companhia aérea Emirates Airlines anunciou hoje que vai iniciar um voo diário entre Lisboa e o Dubai, a partir do dia 9 de Julho, que será a primeira ligação directa de Portugal ao Médio Oriente. «Há já algum tempo que estávamos a estudar Lisboa. Este novo voo diário vai ligar o extremo ocidental da Europa com a nossa extensa rede, para a África e Ásia, via Dubai» disse Tim Clark, presidente da Emirates Airlines, realçando que será a única companhia aérea do Médio Oriente a operar em Portugal.

De acordo com a companhia aérea, a Emirates irá operar, a partir do dia 9 de Julho de 2012, um voo diário entre Lisboa e Dubai com um avião Boeing 777-200ER configurado com três classes de serviço e com capacidade de transportar 16 toneladas de carga, o que permitirá à divisão de carga da Emirates Airlines – a SkyCargo – colocar Lisboa na sua rede global de transporte, facilitando as trocas comerciais entre Portugal com o Médio Oriente e Ásia.

O novo voo da Emirates entre Lisboa e Dubai sairá diariamente de Lisboa às 17:55 e chegará ao Dubai às 4h35 do dia seguinte. O voo de regresso sairá do Dubai às 9h15 e aterrará em Lisboa às 14h45. A duração do voo é de 8h10 para o Dubai e 7h25 para Lisboa.

A Emirates, é uma das companhias aéreas com maior crescimento em todo o mundo, serve 121 destinos em 72 países. Desde a sua base no Dubai, a companhia opera mais de 1.200 partidas por semana para destinos em seis continentes. Com uma frota de 169 aeronaves, a Emirates é reconhecida mundialmente pela excelência de serviço, comprovada por centenas de prémios internacionais ganhos.

Em comunicado, o Aeroporto de Lisboa (ANA) realçou que «este novo voo de longo curso será a primeira ligação directa de Lisboa ao Médio Oriente e irá facilitar a conectividade entre Portugal e a Índia, China, Japão, África Oriental, Oceânia e Ásia em geral, cumprindo um dos objectivos estratégicos do aeroporto de Lisboa».

O director do Aeroporto de Lisboa, João Nunes, afirmou que as conversações com a Emirates começaram «há alguns anos» para abrir a rota Lisboa-Dubai, considerando que a persistência deu frutos, o que será «muito positivo para a economia portuguesa«.

A Emirates é uma das companhias aéreas com maior crescimento em todo o mundo, serve 121 destinos em 72 países. Desde a sua base no Dubai, a companhia opera mais de 1.200 partidas por semana.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: papatango em Fevereiro 14, 2012, 06:36:35 pm
Não entendo como é que nenhuma das transportadoras árabes não se tinha lembrado de iniciar este tipo de rota.

O inicio de uma rota com um Boeing 777 (quando poderiam utilizar A330) parece demonstrar que a Emirates pretende absorver grande parte do trafego dos portugueses que vão para a Ásia e que estão espalhados pelas empresas europeias British Airways, Lufthansa, Ibéria, Alitalia, Finnair, Air France etc.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 07, 2012, 09:58:04 pm
Iris: novo projecto de gestão do tráfego aéreo


A Agência Espacial Europeia (ESA) vai divulgar em Amsterdão um novo dispositivo interactivo de comunicação via satélite para pilotos, desenvolvido no âmbito do Iris – um projecto pioneiro de gestão de tráfego aéreo. Em 2020, o Iris vai permitir às tripulações de cabine trocar mensagens digitais com os controladores de tráfego aéreo, sobre oceanos e continentes, onde quer que eles estejam.
 
O quadro interactivo mostra como os controladores irão escrever e enviar dados e uma mensagem típica pode incluir indicações dos controladores sobre o rumo a seguir. Em ecrãs diferentes mostra-se o que vêem e o tráfego aéreo abrangido pelo satélite.
 
O Iris permite trocas de informação mais seguras e em regiões geográficas mais vastas do que as actuais, explica Nathalie Ricard, responsável pelo projecto Iris. Ao falar com os nossos parceiros da aviação sobre as comunicações por satélite, percebemos que havia alguma preocupação de que os satcoms pudessem complicar as tarefas aos controladores e pilotos, porque não estão integrados nos sistemas de segurança da aviação actual. Com o Iris, os pilotos e os controladores não vão sequer perceber que as suas trocas de informação se fazem via satélite.
 
"Pensámos que deveríamos desenvolver uma maquete que demonstrasse essas vantagens e simular o seu funcionamento de forma interactiva. A Universidade de Salzburg é um centro especializado para a aviação e é respeitado na Europa para novas tecnologias de gestão do tráfego aéreo", referiu Nathalie. "A Universidade esteve envolvida com o Iris desde o início", disse ainda.
 
O sistema europeu de gestão do tráfego aéreo tem mais de 60 sectores diferentes, todos controlados individualmente. Os pilotos e os controladores ainda comunicam principalmente por voz em frequência de rádio VHF ou HF, como faziam na década de 1950.
 
Modernizar a gestão de trafego aéreo
 

Sistemas limitados de comunicação de dados já estão a ser introduzidos na Europa para comunicações essenciais utilizando tecnologia desenvolvida na década de 1980, mas não serão capazes de lidar com o crescimento de tráfego até 2020. O Iris fornece uma plataforma que a indústria da aviação decide como usar. Essa utilização poderá incluir informação para a companhia aérea sobre o combustível disponível ou monitorização contínua sobre a localização do avião.
 
Ao reconhecer a necessidade de modernizar a gestão do tráfego aéreo da Europa, a Comissão Europeia lançou o Single European Sky Policy, no qual se inclui o programa de investigação SESAR (Single European Sky ATM Research Programme), que tem como objectivo criar um sistema de ATM de alta performance que permita o desenvolvimento seguro e ambientalmente amigável. Em resultado deste programa abriu-se uma oportunidade única para desenvolver uma solução de melhoramento da segurança dos céus europeus baseada em tecnologia do espaço.
 
A ESA iniciou o projecto Iris em 2007 para promover a comunicação por satélite no âmbito do SESAR. Graças a esse esforço, a importância dos satcoms para a aviação foi já reconhecida e incluída no plano director do sistema ATM.
 
O Iris é um tipo de iniciativa nova para a ESA, em que a componente espacial é apenas um elemento de um sistema muito mais abrangente. O projecto está a ser planeado com o apoio da Comissão Europeia, o consórcio SESAR, a Eurocontrol, a indústria espacial europeia, prestadores de serviços de navegação aérea e stakeholders.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: nelson38899 em Março 14, 2012, 01:55:48 pm
Citar
Quadrant Engineering Plastic Products' TIVAR® ECO UHMW-PE was selected by Ricconics as a key material to produce RADIUS™ advanced aerodynamic trailer side skirts, which are specially designed to create optimal airflow for improved fuel economy in a lighter, smaller, and more effective package.

Quadrant's TIVAR ECO UHMW-PE was chosen for its wear-resistance, impact-resistance and corrosion- resistance all while enabling expansion and contraction required in changing temperature environments that will allow RADIUS owners to cut maintenance costs, reduce energy consumption and extend the life of their equipment.

The impact strength of this lightweight UHMW material allows RADIUS trailer skirts to deflect wind and redirect airflow aerodynamically, which reduces trailer drag and significantly increases fuel economy. This makes a difference in long haul operations as the operating costs continue to climb. Typical tractor-trailers travel more than 125,000 miles per year - each averaging approximately 21,000 gallons of diesel fuel. In this case, using the RADIUS technology could reduce fuel consumption by more than 1,000 gallons and save almost $4,000 per year.

RADIUS is uniquely positioned to allow fleets and owner-operators and ensure compliance with greenhouse gas emission objectives. Additionally, this green cycle solution is made with TIVAR ECO UHMW-PE. A recycled grade manufactured by Quadrant EPP in an effort to improve the use of natural resources and environmental sustainability.

About Ricconics

Ricconics products range from transportation industry performance enhancement systems to acoustic targeting modules to watercraft propulsion units for autonomous search and rescue and recreation. With a specific focus on the design and development of innovative technologies, Ricconics creates solutions intended to address specific market needs and provides them to industry through outright sale and licensing arrangements to manufacturers. Incorporated in 2005, Ricconics is privately held and managed by Roderick M Dayton.

About Quadrant EPP

Quadrant Engineering Plastic Products (EPP) is the global leader of high-performance engineering plastics that are used for machined parts in food processing and packaging, semiconductor manufacturing, aerospace, electronics, chemical processing, life sciences, power generation and diverse industrial equipment. Its superior products range from UHMW polyethylene, nylon and acetal to ultra-high performance polymers that resist temperatures to over 800°F (425°C).

http://www.omnexus.com/news/news.aspx?id=29985&lr=dom12775la1&li=61060968
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: nelson38899 em Março 14, 2012, 02:15:51 pm
Citar
he launch of Boeing's new 787 Dreamliner passenger plane marks another step forward in aviation technology, the latest in a century-long history of dramatic advancements.

Over the last half-century, many of these advancements have resulted from innovations in plastics technology-and today plastics are helping create state-of-the-art airplanes that offer unparalleled durability, comfort, and fuel-efficiency.

The use of plastics in aircraft began in World War II. Remember in the film It's a Wonderful Life when Sam Wainwright offers George Bailey a "chance of a lifetime" making plastics from soybeans-and the angel Joseph later says that Sam "made a fortune in plastic hoods for planes" during World War II? Plastics also were used to construct the housing for radar equipment (since they don't impede the radar waves), they replaced rubber in airplane wheels, and they even were sprayed on fighter planes to protect against corrosion from salty seawater. Over the years, aviation technicians have found that the attributes of various plastics-favourable strength-to-weight ratios, heat resistance, flexibility, durability-make them useful in all sorts of aircraft. They can withstand the vibrations of helicopters, they help take astronauts into space, and they even make military aircraft less visible to radar.

New, high-tech plastics-such as carbon-fiber-reinforced plastics (CFRP)-are helping make passenger aircraft lighter, more durable, and more fuel-efficient. CFRP are made of one or more plastics combined with fibers made from carbon, resulting in lightweight, extremely strong materials. State-of-the-art airplanes, including the new Boeing 787 Dreamliner, rely on composites such as CFRP. Boeing states that 50 percent of the primary structure of the 787 is made with composites (up from about 12 percent in most aircraft) in place of traditional materials such as aluminum sheeting. These composites help reduce the weight of the aircraft and contribute to a 20 percent reduction in fuel consumption. Better fuel efficiency also translates into lower carbon and other emissions during the lifetime of the aircraft. And the planes can fly longer without refueling, potentially resulting in longer non-stop flights. In addition, the use of plastic composites reduces the scrap and waste produced from working with traditional materials. And plastic composites also are less susceptible to fatigue and corrosion, so Boeing expects the aircraft to last longer and require fewer repairs.

The use of composite materials might even make for more comfortable travel. Why? The composite materials can sustain lower cabin pressure at high altitudes and higher humidity levels than traditional aluminum-bodied planes, so it's expected that passengers will fly more comfortably and arrive at their destinations feeling more rested.

What is next for plastic composites in flight? The National Aeronautics and Space Administration (NASA) is researching the use of large composite structures for elements of its space flight programs. The high strength-to-weight ratio and overall lower mass of composite structures could make it easier for NASA to transport larger payloads to and from space. An integral part of aviation for more than half a century, plastics continue to inspire innovation in all sorts of aircraft.

About CPIA

The Canadian Plastics Industry Association is the national voice of Canada's plastics industry, representing the interests of processors, material suppliers, equipment manufacturers and brand owners across the country.

http://www.omnexus.com/news/news.aspx?id=29795&lr=dom12759la4&li=61060968
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 16, 2012, 06:40:17 pm
Portugueses desenvolvem detector de turbulência


Um detector de turbulência desenvolvido em parceria com a empresa portuguesa Active Space Technologies vai ser testado no próximo Verão pelo fabricante de aviões Airbus, para melhorar a segurança nos aeroportos. A empresa, fundada em Coimbra em 2004, foi a responsável pela concepção e fabrico da parte mecânica deste sistema de laser, que visa detectar os remoinhos que um avião deixa ao descolar e ajudar os seguintes na mesma operação aeroportuária.

“Se o instrumento estiver montado no próprio avião nós conseguimos fazer a detecção da turbulência à frente do avião”, explicou à agência Lusa Ricardo Patrício, fundador e responsável de projetos na empresa. Desse modo, a rota de descolagem poderá ser desviada, se o remoinho estiver a longa distância, ou os instrumentos de comando nas asas poderão compensar a turbulência medida.

Este equipamento incorporado na frente do avião, além de melhorar a segurança, pode reduzir os intervalos de descolagem, ajudando a descongestionar os aeroportos. “Isto para não termos aquele valor empírico de estarmos três minutos à espera, dependendo da envergadura do avião”. Esse intervalo tem de ser respeitado nas operações aeroportuárias de descolagem.

A Active Space Technologies começou a trabalhar neste projeto em 2008, com vários parceiros europeus, onde se incluía a Agência Espacial Alemã, a universidade belga de Leuven e a Airbus enquanto utilizador do equipamento.

“No seio da empresa [Airbus] já se estão a mexer, face aos bons resultados do túnel de vento, e a ver como o podem incorporar na aeronave”, salientou Ricardo Patrício, frisando que, mesmo que os testes a realizar no Verão em Bruxelas o aprovem, levará ainda algum tempo a obter a certificação internacional.

O responsável de projetos da Active Space Technologies admitiu que este detector de turbulência possa também ser desenvolvido para ajudar a navegação aérea em atmosferas com cinzas de vulcão e, até, funcionar com uma espécie de estação meteorológicas móvel. Um avião equipado com este equipamento poderia fornecer a informação sobre o estado dos corredores aéreos por onde passa, permitindo a outras aeronaves escolher os corredores sem turbulência.

A Active Space Technologies foi fundada em 2004 por Ricardo Patrício e Bruno Carvalho, após um estágio na Agência Espacial Europeia. No primeiro ano faturaram 15 mil euros, tendo encerrado o ano de 2011 com 400 mil euros e as encomendas para o ano em curso já ultrapassam os 1,2 milhões de euros. Mais de 90 por cento das receitas provém de clientes europeus.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 06, 2012, 01:35:19 pm
Airbus recebe 90 encomendas no trimestre e fica atrás da Boeing


A empresa europeia Airbus recebeu encomendas de 90 aviões no primeiro trimestre, bem atrás das 412 encomendas recebidas pela Boeing, a sua rival norte-americana, de acordo com a agência de notícias Efe.

A Airbus anunciou hoje que, no trimestre terminado a 31 de Março, teve como maior encomenda 51 aeronaves (27 do A319, 20 do A320 e 4 doA321) da colombiana Avianca, seguida por 30 (A320) da norte-americana Spirit.

Inicialmente, a empresa europeia teve 100 encomendas, mas entretanto houve dez cancelamentos, seis dos quais do A350 900. A montagem dos primeiros exemplares deste novo modelo começou esta semana em Toulouse (no Sul da França), com atraso face ao plano previsto pelo fabricante.

A Airbus atingiu o ano passado um recorde em encomendas e entregas de aeronaves, tendo ultrapassado a Boeing pelo quarto ano consecutivo.

A empresa de aeronáutica europeia recebeu, em 2011, encomendas líquidas de 1.419 aviões (depois de várias encomendas terem sido anuladas, em especial 130 unidades para a American Airlines), enquanto a Boeing recebeu encomendas de 805 unidades.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 19, 2012, 12:18:09 pm
EasyJet abre base em Lisboa


A companhia de baixo custo (‘low cost’) britânica easyJet abre hoje a sua base no aeroporto de Lisboa, inaugurando cinco novas rotas para destinos europeus.
Na base de Lisboa, localizada no terminal 2 do aeroporto da capital portuguesa, trabalharão perto de 60 portugueses, cerca de 70 por cento do número total de trabalhadores contratados, disse à Lusa, em Março, o director ibérico da companhia.

Na altura, Javier Gándara explicou à Lusa que todos os trabalhadores terão «contratos locais e vão pagar impostos e Segurança Social em Portugal», o que demonstra o «compromisso a longo prazo da EasyJet».

Para assinalar a abertura da base aérea em Lisboa, a easyJet inaugura hoje cinco novas rotas: Amesterdão, Copenhaga, Bordéus, Veneza e Astúrias.

A companhia britânica estima crescer 15 por cento este ano no aeroporto de Lisboa, prevendo transportar cerca de dois milhões de passageiros.

Em termos gerais, para o mercado português, a easyJet prevê um crescimento de cinco por cento este ano.

A easyJet, que é actualmente a terceira companhia de aviação em Portugal e a segunda no aeroporto de Lisboa, vai operar no terminal 2 até o Governo decidir qual será a base militar que será complementar à Portela e dedicada às companhias ‘low cost'.

A decisão do Governo deverá ser anunciada em Maio, depois de estar concluído um estudo que está a ser elaborado por um grupo de trabalho para avaliar a viabilidade da existência de um aeroporto complementar.

A cerimónia de inauguração da base da easyJet, agendada para as 13h30, contará com as presenças do ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, dos secretários de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, e do Turismo, Cecília Meireles, bem como da presidente executiva da companhia aérea ‘low cost’ Carolyn McCall.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 06, 2012, 08:37:41 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 25, 2012, 06:22:33 pm
Avião do futuro com mão nacional


Como será o avião do futuro? Mais leve, rápido, ecológico e confortável! O tecto, por exemplo, poderá ser transparente, permitindo aos passageiros contemplar o espaço enquanto voam. É o novo paradigma da indústria aeronáutica e já captou o interesse dos quatro maiores fabricantes de aviões – Airbus (França), Boeing (EUA), Embraer (Brasil) e Bombardier (Canadá).

Atentas a esta necessidade do mercado, cinco empresas portuguesas – Almadesign, Amorim Cork Composites, Couro Azul, SET e Inegi – decidiram construir, no ano passado, um interior revolucionário para o avião do futuro, em parceria com a brasileira Embraer.

O projecto, baptizado de LIFE - Lighter, Integrated, Friendly and Eco-efficient, envolveu um investimento global de 1,85 milhões de euros. E no dia 27 de Março viram o seu trabalho reconhecido: o quinteto nacional venceu o Crystal Cabin Award, a maior competição mundial para interiores aeronáuticos, _na categoria Visionary Concepts.

«Apesar de existir excelência em inúmeros sectores nacionais da indústria e transportes, a aplicação deste know how ao sector aeronáutico é incipiente ou desconhecida. Com esta distinção, as competências destas empresas passaram a estar debaixo dos holofotes, a nível mundial», explica ao SOL José Rui Marcelino, CEO da Almadesign e responsável pela candidatura do Life ao prémio internacional. O grupo português integrou a shortlist de nomeações de concorrentes ao troféu que contemplou gigantes da aeronáutica como a Airbus, Lufthansa Technik e Zodiac Aerospace.

Um novo design, materiais mais leves, eficientes e confortáveis como a cortiça, as fibras e o couro, fazem do projecto Life a evolução dos aviões. «A aviação executiva é extremamente competitiva, com vários fabricantes mundiais a tentar soluções inovadoras. E este projecto trouxe ideias muito boas, fora do padrão. É a razão principal porque nos interessa, para um dia aplicar nos nossos aviões», explica Luiz Fuchs, presidente da Embraer Europa.

A companhia brasileira, terceira maior do Mundo, prestou consultoria e forneceu a fuselagem, isto é, a carcaça da aeronave, que serviu de molde ao interior construído pelo consórcio português. A Almadesign concebeu a arquitectura interior, criando um novo tipo de janelas, mais ergonómicas, e o Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial da Universidade do Porto (Inegi) estudou os materiais compósitos e desenvolveu novas tecnologias para reduzir o peso do avião. Mas tudo isto só foi possível com os novos painéis de cortiça da Amorim Cork Composites, que permitem um triplo isolamento (térmico, acústico e vibrático), e com a pele ecológica da Couro Azul. A SET do grupo Iberomoldes integrou os elementos num protótipo à escala real, uma mockup.

SOL
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 07, 2012, 07:03:28 pm
Airbus quer aviões a voar em formação como os pássaros em 2050


A Airbus pretende ter em 2050 os aviões a realizar os voos em formação «V», como os bandos de aves em migração, de forma a poupar nos custos.A nova medida implicaria mais mudanças nas leis de controlo de tráfego aéreo do que propriamente na tecnologia aeronáutica.

«Quando voamos atrás de outro avião, na realidade poupamos 10 a 15% de combustível», explicou Charles Champion, engenheiro-chefe da empresa.

«Funciona realmente, e de facto os pássaros fazem isso para poupar energia nos voos de longa distância. Trata-se de (…) imitar e aprender com a Natureza», afirmou o responsável.

A par com a ideia dos voos em formação, a Airbus estima que a tecnologia em 2050 permita reduzir a duração dos voos actuais em cerca de 13 minutos, poupando ainda mais combustível.

Paralelamente, a Airbus diz que no futuro as descolagens nos aeroportos serão feitas com maior inclinação, o que implica curvas mais apertadas, menos ruído em terra e pistas mais curtas.

Os peritos em aviação abraçam o projecto, mas referem que será preciso uma «mãozinha» dos governos para poderem «descolar» com a ideia.

«Não é só sobre os aviões, não só é só sobre a fantástica tecnologia dos motores, é também sobre o modo como as companhias aéreas funcionam», apontou o analista Howard Wheeldon.

«É sobre governos, regras e regulamentos, é sobre olharmos para nós próprios e perguntarmo-nos como podemos fazer as coisas melhor, como podem os aviões entrar nos aeroportos e passar pelos aeroportos mais depressa», analisou.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 08, 2012, 03:12:07 pm
Este senhor fez uma viagem de Bangkok até Hong Kong com a companhia Emirates Airlines e decidiu gravar como é na realidade uma viagem em primeira classe.


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 11, 2012, 10:27:41 pm
Companhia aérea Emirates quer reforçar operação em Portugal


A companhia aérea Emirates, que opera um voo diário entre Lisboa e o Dubai desde Julho, admite vir a reforçar a actividade em Portugal no próximo ano.
Num encontro com jornalistas, hoje, em Lisboa, o responsável da transportadora dos Emirados Árabes Unidos, David Quito, assegurou que reforçar o número de voos ou lançar novas rotas noutras cidades portuguesas «é sempre uma hipótese». Mas escusou-se a dar mais detalhes. Mas prometeu «novidades em 2013» a anunciar «em breve».

«Neste momento estamos concentrados em Lisboa que é a nossa prioridade. Temos que consolidar o mercado», afirmou.

Para já, sabe-se que, a partir de Fevereiro, a Emirates passará a usar um avião maior no voo que liga diariamente Lisboa e o Dubai, aumentando dos actuais 274 lugares para 354, ou seja, perto de mais 5.000 lugares por mês.

«Lisboa é uma cidade com muito potencial a nível turístico mas também de corporate e negócios e sempre foi importante para a Emirates. E Portugal é um mercado muito promissor tanto de outbound [viajar para fora] como de incoming [receber turistas]. Desde há muito tempo que a Emirates andava a estudar abrir uma rota para Lisboa e assim que tivemos oportunidade, independentemente da crise, apostámos. Fomos em contra-ciclo», explica David Quito.

Sem querer pormenorizar o investimento feito nesta ligação, que arrancou a 9 de Julho, o responsável em Portugal diz apenas que as taxas de ocupação médias da companhia aérea rondam os 80% e que Lisboa «está em linha» com esse valor. Quanto ao retorno do investimento, não deverá acontecer antes de dois anos. «A rota está a correr muito bem».

«A Emirates continua a apostar em Portugal. Apesar das notícias que recebemos diariamente», sublinha, frisando que a companhia tem uma equipa de 26 pessoas no país, e mais 250 portugueses baseados no Dubai, entre pilotos e tripulação de cabine.

Vista como uma "porta" que permitirá abrir Portugal a novos mercados no Médio Oriente e Ásia, a rota da Emirates para Lisboa foi uma das 15 já lançadas este ano. Actualmente, a companhia voa para mais de 120 cidades, em 74 países. E, no último ano fiscal, em que transportou 34 milhões de passageiros, teve lucros de 409 milhões de dólares (314 milhões de euros).

SOL
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 14, 2012, 05:03:30 pm
Qatar Airways é dona do primeiro Boeing anti-jetlag


O primeiro Boeing 787 Dreamliner já chegou ao aeroporto de Heathrow, em Londres. Depois deste voo, que partiu de Doha, a Qatar Airways tornou-se assim a primeira companhia aérea a voar com o avião mais avançado do mundo.

As características deste avião são quase uma lista interminável, dizendo a Boeing que os seus novos modelos Dreamline trazem inovações a todos os níveis. Em primeiro lugar, os aviões são mais eficientes em termos de combustível, reduzindo as emissões. Para além disso, dispõem também de um inovador sistema de tecnologia anti-jetlag, que fará com que as pessoas se sintam muito melhores depois de voos mais longos. Assim, o avião é já designado por "Green Light", já que em vez das tradicionais luzes fluorescentes está equipado com iluminação LED.

Companhias do Reino Unido como a Virgin, a British Airways e a Thomson já encomendaram estes aviões, com capacidade para transportar 290 passageiros. Estes modelos estão ainda equipados com janelas maiores, corredores mais largos e tetos mais altos do que os aviões normais. De acordo com a Boeing, os aviões têm também uma cabine de ar mais limpa, o que significa que as pessoas as bordo terão menos hipóteses de ficar desidratadas.

A novidade de características destes aviões continua, estando os veículos aéreos equipados com a tecnologia "Smoother Ride", que deteta turbulência e comanda os controles da superfície das asas para a controlar, oferecendo um voo mais confortável e reduzindo o risco de enjoo.

A Qatar Airways aguarda mais dois aviões deste modelo para o final do mês, esperando ter um total de dez durante o ano de 2013.

DN
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 17, 2012, 08:47:23 pm
Novo sistema de previsão meteorológica preenche lacuna no sistema de aviação


A Agência Espacial norte-americana NASA está a financiar o desenvolvimento de um sistema de previsão meteorológica que permitirá aos pilotos de aviões dispor de dados fiáveis sobre as áreas com condições meteorológicas adversas, para um período de oito horas.
 
A nova ferramenta, que está de momento em fase de testes, foi desenvolvida pelo Centro Nacional de Investigação Atmosférica dos Estados Unidos (NCAR) em colaboração com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), o Laboratório de Investigação Naval e a Universidade de Wisconsin-Madison.  O acidente de avião da Air France (que se despenhou no Atlântico a 31 de Maio de 2009 durante uma tempestade) contribuiu para que fossem desenvolvidos novos sistemas de alerta.

O sistema combina dados recolhidos por satélites e modelos informáticos de meteorologia para produzir mapas das tempestades que cobrem a maior parte dos oceanos Atlântico e Pacífico. A informação é actualizada a cada três horas.
 
Actualmente, “os pilotos têm informação muito limitada sobre as condições atmosféricas enquanto voam sobre o oceano, condições essas que podem ser muito más”, diz Cathy Kessinger, investigadora principal do projecto.
 
“Fornecer-lhes a imagem de onde estarão das tempestades mais significativas num período de oito horas, contribuirá para uma maior segurança”. Este sistema vem assim preencher uma lacuna no sistema de aviação. Estas técnicas avançadas permitem informar os pilotos sobre a possibilidade de se produzirem violentos downdrafts e turbulências, inclusivamente a meio do oceano.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 19, 2012, 09:42:44 pm
Investigadores de Aveiro criam revestimento auto-reparador para aviões da Airbus


A equipa de Mikhail Zheludkevich, investigador do Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos (CICECO) da Universidade de Aveiro (UA), desenvolveu um tipo de revestimentos inteligentes (auto-reparadores e com a função de sensores) para a nova geração de aviões, como o modelo Airbus 350, por exemplo, e que poderá “prolongar a sua manutenção para dez anos, em vez de cinco”.
 
No caso do material auto-reparador, quando aplicado na fuselagem do avião, “repara estruturas em risco devido a pequenas rupturas resultantes de impactos mecânicos durante a construção ou ambientais sofridos pelos aparelhos durante o voo e é mesmo capaz de parar a corrosão, por exemplo”, segundo asseverou o investigador da UA ao jornal Ciência Hoje.
 
Esta pele sintética criada para a indústria aeronáutica é constituída por nano-contentores, com uma espessura mil vezes mais pequena da de um fio de cabelo, que “libertam do seu interior moléculas funcionais”, tendo como base uma “estrutura polimérica”.
 
“A funcionalidade de auto-reparação é introduzida nos aviões através dos nossos nano-contentores que são incorporados nas tintas utilizadas no revestimento dos aparelhos”, continuou Mikhail Zheludkevich, acrescentando, que “a segurança, performance e sustentabilidade a longo prazo dos aviões podem ser significativamente melhoradas”.
 
O revestimento vai ser utilizado por um dos maiores fabricantes mundiais de aviões comerciais, a EADS. Para além da empresa proprietária da Airbus, que prevê estar a voar com a protecção da UA em 2013, haverá igualmente companhias ligadas à indústria automóvel, plataformas petrolíferas e ventoinhas eólicas que receberão o novo revestimento auto-reparador.
 
Revestimento com sensores
 
O outro revestimento inteligente a ser desenvolvido pela equipa do CICECO é com sensores de impacto mecânico, que liberta moléculas fluorescentes, ou seja, uma solução luminescente à volta de fissuras resultantes de impactos mecânicos ocorridos quer durante a montagem quer durante a exploração das aeronaves, que muitas vezes são imperceptíveis pelo seu tamanho microscópico, mas “muito perigosas se não forem detectados em terra, já que tendem a alastrar durante o voo”.
 
Para além disso, o tempo que o aparelho fica em terra para ser vistoriado com segurança é drasticamente reduzido, o que para as empresas de aviação representa uma melhor rentabilização dos aparelhos. O CICECO prevê que dentro de quatro anos este revestimento inteligente com sensores de impacto mecânico possa já estar a sobrevoar os céus do planeta.
 
Já este projecto não é só a pensar na AIRBUS mas também noutros gigantes da aviação europeia, caso da Alenia Aermacchi, da Bombardier Aerospace ou da Israel Aerospace Industries.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Janeiro 01, 2013, 11:23:44 pm
Expectativas para 2013 na aviação comercial e executiva.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 02, 2013, 07:47:40 pm
Equipas portuguesas de estudantes universitários participam em concurso mundial da Airbus


Pelo menos nove equipas portuguesas de estudantes universitários apresentaram projectos no concurso do fabricante de aviões Airbus, concorrendo assim a uma oportunidade para trabalhar com especialistas mundiais em aviação. O grupo internacional anunciou hoje que mais de seis mil estudantes de 100 nacionalidades inscreveram-se no concurso Fly Your Ideas 2013, mais do dobro da edição anterior de 2011 para tentar ter uma oportunidade de desenvolver as suas ideias e ganhar um prémio de 30 mil euros.

Os 6.089 estudantes, divididos em equipas de três a cinco elementos, "são desafiados a desenvolverem e a apresentarem novas ideias, com o objectivo de se obter uma indústria de aviação mais sustentável para o futuro", explica um comunicado da Airbus.

"Esta edição teve o dobro de inscrições em relação à edição anterior e inclui 9 equipas portuguesas", acrescenta.

Na anterior edição, tinham sido 22 os grupos portugueses inscritos, mais do dobro do número de 2013, mas fonte da Airbus disse à agência Lusa que "os dados acerca das nacionalidades ainda não estão fechados e há 65 “não especificados" podendo incluir alguns casos de Portugal.

Do total de participantes, originários de 384 universidades, três quartos (75%) são estudantes de engenharia e pouco mais de um quinto (21%) são raparigas.

As ideias propostas estão a ser avaliadas por técnicos da Airbus que vão seleccionar um máximo de 100 equipas para passarem à próxima fase e, no final do processo, marcado para Junho, os prémios serão entregues em Paris, na sede da UNESCO, que tem apoiado a Fly Your Ideas.

Os projectos definidos pelos jovens devem seguir temas como energia, eficiência, crescimento a custos razoáveis, crescimento do tráfego aéreo, experiência dos passageiros e políticas para a comunidade.

Em 2011, foi uma equipa da Universidade de Aeronáutica e Astronáutica de Nanjing, na China, que ganhou o concurso com um projecto sobre de produção de energia eólica a partir dos aviões, durante a descolagem e aterragem.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: P44 em Janeiro 17, 2013, 12:06:08 pm
Autoridades mundiais proíbem aviões Boeing 787 Dreamliner de voar
Publicado às 10.18



A autoridade americana de segurança da aviação civil, a FAA, proibiu todos os voos dos aviões Boeing 787 Dreamliner, devido a problemas de baterias detetados no Japão, e que já tinham levado a companhia aérea nipónica, entre outras, a deixar em terra os maiores aviões do fabricante norte-americano. A proibição foi já seguida pela Agência Europeia de Segurança Aérea.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/In ... id=2998450 (http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2998450)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 17, 2013, 09:55:56 pm
Mais de metade dos pilotos portugueses admite ter adormecido durante voo


Mais de metade dos pilotos portugueses admite ter adormecido involuntariamente em voo, indicou um inquérito realizado por investigadores apoiados pelo Instituto Nacional de Aviação Civil, que contou com as respostas de 456 profissionais.

De acordo com a coordenadora do inquérito, Cátia Reis, estas são situações que consistem em «microadormecimentos, em que os pilotos perdem a cognição, desligam e o piloto que está ao lado pode ou não aperceber-se da situação».
 
Da parte da direcção do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), Nuno Queiroz destaca que o fenómeno da fadiga dos pilotos está em cima da mesa numa altura em que está a ser discutida a uniformização da legislação europeia sobre horas de voo pela Agência Europeia de Segurança Aérea.
 
A ideia da uniformização é positiva na teoria, explica Nuno Queiroz, mas o que está a acontecer é que se «está a andar para trás», uma vez que o proposto «vai permitir trabalharem-se mais horas e repousarem-se menos».
 
De acordo com o inquérito, realizado em Maio do ano passado e distribuído a 1.500 pilotos de linha aérea portugueses (com 31% de respostas), a prevalência de fadiga foi de 89%, com 53% dos participantes a responderem que já adormeceram sem querer durante um voo.
 
Ao mesmo tempo, 91% dos pilotos que responderam ao inquérito referem já terem cometido erros de pilotagem devido à fadiga.
 
«Estamos a falar de erros que podem não ser erros com grande impacto na segurança. Estão lá dois pilotos já por causa disso. Mas são erros que em junção com outros podem ser graves», explicou Nuno Queiroz.
 
A situação dos adormecimentos «torna-se um fenómeno particularmente preocupante quando um piloto involuntariamente e sem combinar com o colega adormece», o que leva o SPAC a considerar que a agência europeia «não está a fazer bem esse trabalho», agravando o problema em vez de o mitigar.
 
Segundo Cátia Reis, para quem os resultados são os esperados por estarem em linha com outros estudos europeus, os pilotos de médio curso apresentam níveis de cansaço mais elevados do que os do longo curso, algo que é explicado por Nuno Queiroz através da pressão a que são sujeitos os profissionais pelo aumento da concorrência entre companhias.
 
«Os voos estão a sair cada vez mais cedo e a chegar cada vez mais tarde», afirmou. E se não fossem os próprios horários dos aeroportos, que fecham três ou quatro ou cinco horas porque têm de cumprir com a parte nocturna em que os aviões não podem descolar, «o médio curso estaria a voar 24 horas por dia», disse o elemento do SPAC.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: P44 em Janeiro 18, 2013, 10:44:18 am
U.S., Others Ground Boeing Dreamliner Indefinitely (excerpt)
   
   
(Source: Reuters; published Jan. 16, 2013)
 
 
   
   Europe, Japan and India on Thursday joined the United States in grounding Boeing Co's 787, a day after a second incident involving battery failure caused one of the Dreamliner passenger jets to make an emergency landing.

The U.S. Federal Aviation Administration (FAA) said on Wednesday it would temporarily ground Boeing's newest commercial airliner and insisted airlines would have to demonstrate the lithium ion batteries were safe before they could resume flying. It gave no details on when that might happen.

It is the first such action against a U.S.-made passenger plane since the McDonnell Douglas DC-10 was grounded in 1979 after a deadly crash in Chicago, analysts said.

Japanese Transport Ministry Vice Minister Hiroshi Kajiyama said the grounding was for an indefinite period, and India's aviation regulator said it was unclear when the aircraft would be back in service. A spokesman for the European Aviation Safety Agency said the region would follow the U.S. grounding order. Poland's LOT Airlines is the only European airline currently operating the 787.

Boeing said in a statement it was confident the 787 was safe and it stood by the plane's integrity.

"Boeing is committed to supporting the FAA and finding answers as quickly as possible. The company is working around the clock with its customers and the various regulatory and investigative authorities. We will make available the entire resources of The Boeing Company to assist," Chief Executive Jim McNerney said. (end of excerpt)


Click here for the full story on the Reuters website.
http://www.defense-aerospace.com/articl ... g-787.html (http://www.defense-aerospace.com/article-view/release/141785/us-and-india-also-ground-boeing-787.html)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 19, 2013, 07:10:36 pm
UBI lidera consórcio para criar sistemas de propulsão do futuro


Nos próximo dois anos, na Universidade da Beira Interior (UBI), especialistas nacionais e internacionais vão estudar a possibilidade de utilizar propulsores de tipo cicloidal para propulsão de veículos aéreos.
 
“O desafio que a União Europeia, neste caso em particular lançou, foi olhar para estes sistemas e pensar em utilizá-los em veículos aéreos de maior dimensão”, explica o líder do consórcio, o professor José Páscoa, da UBI.
 
Pretende-se construir um avião que transporte pelo menos duas pessoas e que utilize um sistema de propulsão baseado num sistema cicloidal conhecido com PECyT (Plasma Enhaced Cycloydal Thruster), que está a ser desenvolvido no Departamento de Engenharia Eletromecânica da UBI.
 
Para este efeito, “estamos a trabalhar com duas empresas. Uma que produz aviões comerciais normais, na Alemanha, e, a outra é uma empresa austríaca que tem já desenvolvido um modelo não pilotado e que, no âmbito, deste projecto vamos analisar as possibilidades de passar a um sistema pilotado”, pormenoriza o entrevistado.

O conceito de ciclorotor deve a sua denominação à trajectória cicloidal que as suas pás assumem relativamente ao ar durante o voo. Estes sistemas possuem a capacidade de mudarem a direcção da força propulsiva em 360 graus de forma quase imediata, o que permite aos veículos aéreos descolarem-se na vertical.
 
O sistema já teve aplicação real em navios mas, recentemente, percebeu-se que pode ser aplicado em “veículos de socorro de reacção rápida; transporte aéreo comercial; veículos de âmbito militar e sistemas de transporte amigos do ambiente, alimentados por células fotovoltaicas”.
 
José Pascoa adianta que no final de dois anos de investigação “estaremos em condições de vender a ideia no sentido de haver financiamento para construir um sistema já com pessoas a bordo”.
 
O consórcio liderado pela UBI envolve mais cinco instituições, de Itália, Alemanha e Reino Unido, num total de 25 investigadores.
 
O projecto CROP - Cycloidal Rotor Optimized for Propulsion ficou em segundo lugar no concurso promovido pela União Europeia e vai ter cerca de um milhão de euros para ser concretizado.
 
A União Europeia entra assim na rota da investigação de rotores cicloidais, até aqui feita apenas na Universidade de Maryland, nos Estado Unidos da América, e na Universidade da Coreia.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 25, 2013, 10:55:19 am
Turquia lança concurso para o maior aeroporto do mundo em Istambul


As autoridades turcas lançaram hoje o concurso para a construção na megalópole de Istambul de um terceiro aeroporto, que vai ser o mais movimentado do mundo, com um custo estimado de sete mil milhões de euros, noticia a AFP.
 
«A partir de hoje, as empresas interessadas podem começar a preparar os seus projetos e apresentar candidaturas até ao dia 03 de maio», disse um dirigente da autoridade turca dos aeroportos.
 
O ministro turco dos Transportes, Binali Yildirim, já disse que o futuro aeroporto terá seis pistas e deverá acolher, a prazo, cerca de 150 milhões de passageiros por ano.
 
Este movimento vai torná-lo o primeiro do mundo, à frente do norte-americano de Atlanta, que ostenta hoje este título, com um movimento de 90 milhões de passageiros estimados para 2012.
 
A nova infraestrutura, que deve ser construída a noroeste de Istambul, perto do Mar Negro, deve receber os seus primeiros aviões em 2016.
 
«Desejo que um consórcio forte ganhe o projeto e construa o aeroporto o mais depressa possível. Será feito por etapas, mas o nosso objetivo é acabá-lo dentro de três ou quatro anos», afirmou na terça-feira o primeiro-ministro, e antigo presidente da Câmara de Istambul, Recep Tayyip Erdogan.
 
Segundo a imprensa turca, já há vários grupos que se manifestaram interessados, entre os quais o turco TAV, no qual os franceses do Aeroportos de Paris têm uma participação maioritária, e o operador holandês Schipol Group.
 
O aeroporto internacional Ataturk, o primeiro e o maior da cidade, está construído sobre a margem esquerda, a cerca de 20 quilómetros do centro, e recebe cerca de 35 milhões de passageiros por ano.
 
Um segundo aeroporto, batizado Sabiha Gokcen, foi construído sobre a margem asiática da cidade e tem uma capacidade de 3,5 milhões de passageiros, na sua maioria transportados por companhias de baixos custos.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 25, 2013, 11:43:06 pm
Supersónico SpaceLiner pronto em 2050


Supersónico SpaceLiner, que ficará pronto em 2050, poderá fazer uma viagem entre Londres e Sydney em apenas 90 minutos. Isto porque conseguirá alcançar uma velocidade 24 vezes superior à do som. Será lançado com ajuda de oxigénio líquido e propulsionado a hidrogénio.

Garantem os engenheiros que o supersónico SpaceLiner será capaz de atingir 24 vezes a velocidade do som e transportar passageiros entre Londres e Sydney em 90 minutos. Chegará em 2050.

Embora até conclusão do aparelho supersónico os responsáveis pelo projeto ainda tenham um longo caminho a percorrer, Martin Sippel, o coordenador do SpaceLiner no Centro Aeroespacial Alemão, acredita que o projeto pode atrair investimento privado dentro de uma década.

O projeto atual inclui uma base de lançamento para o foguete e um avião orbital separado com capacidade para transportar até 50 passageiros à volta do mundo sem nunca se elevar para o espaço.

Uma viagem entre a Europa e os Estados Unidos teria uma duração de pouco mais de 60 minutos, proporcionando aos passageiros dispostos a pagar preços de viagens espaciais - centenas de milhares de dólares por bilhete - ultra rapidez.

Se "decolar, literalmente, não há razão para que uma esquadra de SpaceLiners não possa fazer até 15 voos por dia", acredita Sippel.

O SpaceLiner demoraria oito minutos para subir a uma altitude de 50 milhas, onde atingiria a atmosfera superior da Terra antes de deslizar de volta à Terra a uma velocidade supersónica.

DN
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 27, 2013, 03:47:37 pm
Iraque inaugura primeiro voo oficial para o Koweit ao fim de 22 anos


A companhia aérea estatal do Iraque lançou hoje o seu primeiro vôo para o Koweit desde que o ex-ditador iraquiano Saddam Hussein invadiu o país vizinho em 1990, após um congelamento que durou mais de duas décadas.
 
Os ministros dos Negócios Estrangeiros e dos Transportes do Iraque viajaram no voo simbólico da Iraq Airways, saudado como um sinal de melhoria das relações entre os vizinhos produtores de petróleo. Os responsáveis foram recebidos por funcionários do Koweit após o pouso. O Ministério dos Transportes iraquiano disse que a partir de agora haverá voos regulares entre dois os países.
 
«Hoje foi o primeiro voo entre o Iraque e o Koweit, após uma paralisação que durou mais de 22 anos», disse o assessor de comunicação do ministério, Karim al-Nuri. «Esta visita mostra que o Iraque começou a ser aberto, especialmente com o estado do Koweit ... acredito que as relações estão a caminhar numa direcção positiva», acrescentou.
 
A invasão do Koweit levou à Guerra do Golfo, em que uma coligação liderada pelos EUA interveio para expulsar o Iraque do país vizinho.
 
As relações diplomáticas entre os vizinhos do Médio Oriente foram reforçadas no ano passado depois que estes chegarem a um acordo sobre dívidas da época da Guerra do Golfo, e por uma série de visitas bilaterais envolvendo o governante do Kuwait e primeiro-ministro do Iraque.
 
Em Dezembro, a companhia aérea estatal do Koweit desistiu de processos legais contra a Iraqi Airways, em troca de uma compensação de 500 milhões de dólares (cerca de 382,5 milhões de euros).
 
A companhia aérea estatal do Koweit ainda não reiniciou os voos para o Iraque.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 09, 2013, 07:21:01 pm
KLM terá voo semanal com «óleo de fritar» como biocombustível


A companhia aérea holandesa KLM vai ter um voo semanal entre Nova Iorque e Amesterdão com um biocombustível produzido a partir de óleo para fritar, anunciou hoje a empresa. Cada quinta-feira, um Boeing 777 fará a ligação entre o aeroporto John F. Kennedy, em Nova Iorque, e Schiphol, em Amesterdão, utilizando este tipo de biocombustível sustentável num voo a que a imprensa holandesa já apelidou de "voo da batata", em alusão à origem do combustível.

O voo experimental teve lugar na sexta-feira em direção a Nova Iorque, depois de vários ensaios efectuados pela KLM.

A companhia holandesa está a estudar, no âmbito do programa de biocombustível, formas de redução do consumo de carburantes e emissões de CO2 em todos os seus voos em cooperação com investigadores, aeroportos e autoridades de tráfego aéreo, segundo explicou a empresa em comunicado.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 09, 2013, 09:53:41 pm
Emirates Airline volta a Portugal para recrutar tripulantes


A Emirates Airline volta a recrutar tripulantes de cabine em Portugal. A companhia aérea vai realizar Open Days em Lisboa, no Porto e em Faro.
Os interessados deverão apresentar-se nos dias 13 de Abril, no Hotel Sheraton do Porto, 20 de Abril, no Radisson Blu Hotel em Lisboa ou 11 de Maio, no Hotel Faro.

A companhia «procura pessoas dedicadas, simpáticas, aplicadas e com pensamento inovador, que ultrapassem as expectativas dos passageiros em todas as rotas da companhia aérea, constituída por 132 destinos, em 77 países».

Podem candidatar-se maiores de 21 anos e consigo devem levar o curriculum vitae (CV) actualizado e escrito em inglês e uma fotografia. Os candidatos devem registar-se online antes dos Open Daysno site da companhia: http://www.emiratesgroupcareers.com (http://www.emiratesgroupcareers.com).

Um comunicado da companhia refere que serão oferecidos salários «isentos de IRS, acomodações completamente mobiladas, oportunidades de evolução na carreira e descontos em compras e em actividades de lazer no Dubai».

A Emirates emprega actualmente mais de 250 portugueses.

SOL
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 13, 2013, 11:32:07 pm
Turbulência aérea aumentará com as alterações climáticas


A aviação civil poderá, nos próximos anos, sofrer directamente as consequências das alterações climáticas, das quais, dizem vários estudos, é uma das principais responsáveis.

Segundo uma investigação publicada na «Nature Climate Change», a primeira a abordar esta questão, à medida que aumenta a concentração de CO2 na atmosfera, as turbulências que atingem os aviões serão mais frequentes e intensas nos céus do Atlântico norte.

A intensidade poderá aumentar entre 10 e 40 por cento. O espaço aéreo onde será provável que os pilotos encontrem turbulência significativa aumentará entre 40 a 70 por cento. A frequência com que se produz a turbulência pode aumentar 100 por cento, ou seja, o dobro do que hoje existe. Este cenário pode ser realidade em 2050.

O estudo, assinado por investigadores do Centro Nacional para as Ciências Atmosféricas da Universidade de Reading (Reino Unido) foi apresentado durante a Assembleia Geral que a União Europeia de Geociências está a celebrar em Viena, Áustria.

Liderados por Paul D. Williams, os cientistas elaboraram um modelo matemático para simular as alterações que se irão produzir nas correntes de jacto (jet stream) se a quantidade de CO2 presente na atmosfera aumentar para o dobro da actual.

As correntes de jacto são gigantescas massas de ar que se movimentam pela atmosfera. São formadas pelas diferenças de temperatura entre os pólos da Terra e o Equador e estendem-se ao longo de milhares de quilómetros.

As turbulências de ar claro são especialmente difíceis de evitar porque os pilotos não as conseguem detectar, visto que nem os satélites nem os radares que levam a bordo as podem localizar. É este tipo de turbulência que aumentará devido às alterações climáticas.

Ciência Hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 07, 2013, 09:52:16 am
Ryanair com voos do Porto para Madrid a partir de 15,99 euros


A Ryanair, companhia aérea low cost, possibilita a partir de hoje que os passageiros voem do Porto para Madrid a partir de 15,99 euros em Junho, como parte da promoção semanal da Ryanair «Segundas-Feiras Loucas».
 
Em comunicado, a Ryanair anuncia que disponibiliza 100.000 lugares a partir de 15.99 euros para viajar às segundas, terças, quartas e quintas-feiras em Junho, em toda a sua rede europeia. Estas ofertas de tarifas baixas «com tudo incluído» estarão disponíveis em mais de 1.000 rotas, devendo ser reservadas em http://www.ryanair.com (http://www.ryanair.com) antes da meia-noite (24:00h) de quinta-feira, 10 de Maio.
 
Estes bilhetes incluem todas as taxas, encargos e custos. Como tal, todos os passageiros que decidam evitar as despesas opcionais, transportando só a mala de mão, não optando pelo nosso embarque prioritário e fazendo o check-in online, poderão viajar à tarifa publicitada nesses voos das «Segundas-Feiras Loucas».
 
 Luis Fernández-Mellado, responsável pelo departamento de vendas e marketing da Ryanair para Portugal, disse que «somente a Ryanair oferece as tarifas mais baixas de Europa, sem suplemento de combustível em mais de 1.500 rotas, ligando 180 destinos. Além das tarifas mais baixas, também somos a companhia aérea Nº1 da Europa em atendimento ao cliente, com os voos mais pontuais e menor número de cancelamentos e sacos perdidos».

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 22, 2013, 05:53:01 pm
EasyJet superou 4 milhões de passageiros no primeiro ano em Lisboa


A companhia aérea easyJet ultrapassou os quatro milhões de passageiros em Portugal, dos quais metade em Lisboa, no primeiro ano da base na capital, um balanço "muito satisfatório", segundo o director ibérico da transportadora. "Estamos muito satisfeitos, cumprimos as expectativas. Alcançamos os dois milhões de passageiros de e a partir de Lisboa e os quatro milhões de passageiros em Portugal", disse Javier Gândara, num encontro com os jornalistas.

Segundo a operadora, perto de 400 mil são passageiros de negócios.

O responsável da easyJet afirmou que a empresa britânica de baixo custo "espera poder desenvolver a presença da easyJet em Lisboa e em Portugal", onde já é o segundo maior operador.

Tal como já tinha avançado à agência Lusa na semana passada, o responsável disse esperar um crescimento de 3% no mercado português para 2013, mas reiterou que esse crescimento poderá ficar comprometido no próximo ano, caso as taxas aeroportuárias continuem a subir.

Javier Gandara lembrou ainda que a empresa começou a sua base com dois aviões e 70 colaboradores, possuindo actualmente quatro aeronaves e 130 colaboradores.

Quanto à próxima temporada de inverno, a empresa conta seguir "com os quatro aviões", não tendo previsto um aumento nesse sentido.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Maio 31, 2013, 08:47:36 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Junho 01, 2013, 09:13:04 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Junho 16, 2013, 05:45:12 pm
E já voa o A350!
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Junho 16, 2013, 06:56:56 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 25, 2013, 08:23:26 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Julho 08, 2013, 01:16:50 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 11, 2013, 03:55:39 pm
EUA aumentam horas de voo necessárias para co-pilotos


A Administração Federal da Aviação (FAA) norte-americana anunciou na quarta-feira novas normas que aumentam rigorosamente as horas de voo necessárias para se tornar co-piloto. Esta medida, noticiou a agência Efe, foi motivada por um acidente de 2009 e adotada dias depois do acidente no aeroporto de São Francisco, no Estado da Califórnia.

No caso registado em São Francisco, na passada segunda-feira, tanto o piloto instrutor do voo da Asiana Airlines, como o seu co-piloto, que se encarregou da aterragem frustrada do avião, tinham pouca experiência, e o primeiro deles levava a cabo essa tarefa pela primeira vez, segundo a investigação.

As novas normas da FAA requerem que os co-pilotos completem 1.500 horas de voo, as mesmas que se exige para os pilotos, para terem o certificado que lhes permita dirigir os voos, quer comerciais, quer de carga.

Até agora, apenas se exigia que os co-pilotos tivessem 250 horas de voo durante o seu treino, pelo que o tempo de formação no ar se multiplica por seis.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 16, 2013, 08:22:56 pm
Ryanair começa a operar no aeroporto de Lisboa em Novembro


A companhia aérea de baixo custo Ryanair anunciou hoje que, a partir de Novembro, vai começar operar no aeroporto de Lisboa, iniciando rotas para Londres, Bruxelas, Paris e Frankfurt. O anúncio foi feito pelo vice-presidente executivo da Ryanair, Michael Cawley, que, em conferência de imprensa, em Lisboa, recordou que a companhia estava em conversações com a ANA - Aeroportos de Portugal (gestora dos aeroportos portugueses) para operar no aeroporto da Portela.

"Em Novembro, vamos começar quatro novas rotas de e para aeroportos que não eram servidos: Stansted (Londres), Charleroi (Bruxelas), Beauvais (Paris) e Hahn (Frankfurt)", disse Michael Cawley.

As novas rotas começarão a operar a 26 de Novembro e estarão disponíveis para reserva a partir desta terça-feira.

A companhia aérea de baixo custo ('low cost'), que já opera nos aeroportos do Porto e de Faro, vai passar a disponibilizar, a partir de Lisboa, dois voos diários para Stansted, três voos semanais para Hahn e quatro voos semanais para Charleroi e para Beauvais.

"No total, estas quatro rotas terão 50 voos semanais, com mais de 400 mil passageiros a serem transportados por ano, criando 400 postos de trabalho aqui, em Lisboa", destacou o responsável.

O vice-presidente executivo da Ryanair escusou-se a adiantar pormenores sobre as condições que foram negociadas com a ANA para o início da actividade no aeroporto de Lisboa, alegando que as mesmas são "confidenciais".

Michael Cawley afirmou que a companhia tem "muita ambição" para o aeroporto de Lisboa e pretende expandir a sua actividade no futuro, mostrando-se esperançado de que a Ryanair possa ter uma base no aeroporto da Portela, à semelhança do que já acontece actualmente no Porto e em Faro.

"Temos aumentado o tráfego de passageiros nos aeroportos do Porto e de Faro e tencionamos fazer o mesmo em Lisboa", afirmou, acrescentando que a Ryanair espera poder aumentar o tráfego em Lisboa "entre 30% a 40%".

A Ryanair está em Portugal desde 2003 e, com as novas quatro rotas anunciadas hoje, vai passar a disponibilizar 71 rotas.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 29, 2013, 05:17:48 pm
Emirates regressa a Portugal para recrutar tripulantes


A companhia aérea Emirates vai regressar a Portugal nos meses de Novembro e Dezembro para recrutar mais tripulantes de cabine portugueses para a sua equipa. A transportadora vai promover dois "Open Days", um em Lisboa e um no Porto, para dar a conhecer as condições que oferece e para estabelecer a ponte entre os candidatos e os responsáveis pelo recrutamento.
 
Segundo o site oficial da Emirates, o primeiro "Open Day" em território português está marcado para o próximo dia 10 de Novembro, pelas 09:00h, no hotel Intercontinental Porto - Palácio das Cardosas (Praça da Liberdade, 25, 4000-322 Porto).  O "Open Day" lisboeta decorrerá no dia 7 de Dezembro, pela mesma hora, ainda em local a anunciar.

Os interessados podem (e devem, recomenda a empresa) inscrever-se previamente para os "Open Days" através do formulário disponível para o efeito no site.

 Durante as sessões, cada candidato pode conhecer pessoalmente a equipa de recrutamento, entregar o seu currículo e, se corresponder ao que a Emirates procura, será submetido a um processo de avaliação no mesmo dia ou no dia seguinte.
 
Todas as entrevistas com os candidatos decorrem na mesma semana em que se realiza o "Open Day", pelo que a companhia áerea aconselha a que os mesmos tenham "cópias dos documentos e certificados prontas e disponíveis" para facultar aos recrutadores.

Atitude positiva e flexibilidade são qualidades apreciadas.

O recrutamento destina-se a pessoas com idade mínima de 21 anos e o 12º ano completo, fluentes em inglês falado e escrito e que se encontrem em boa forma física de acordo com os padrões da Emirates.

Os candidatos devem ainda ser capazes de atingir, com o braço, pelo menos 212 centímetros de altura (em pontas dos pés) e não podem possuir tatuagens que sejam visíveis quando estiverem a envergar o uniforme da companhia.
 
Com o objetivo de oferecer um serviço "excecional" aos clientes em cada voo, a transportadora procura funcionários com "uma atitude positiva e empatia para com os outros", consciência e respeito pelas diferentes culturas e "capacidade de adaptação a novos ambientes e pessoas", flexibilidade e motivação para trabalhar em horários "exigentes".

Boas Noticias
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 13, 2013, 09:54:03 pm
EasyJet cria nuvem artificial de cinza vulcânica para testar novo equipamento


A EasyJet desenvolveu um sistema de detecção de cinzas vulcânicas na atmosfera e, para testar o novo equipamento, criou uma nuvem artificial. O objectivo foi o de perceber a eficácia do sistema Airborne Volcanic Object Identifier and Detector («AVOID», termo inglês para «EVITAR»), que deverá ser instalado em vários aviões da transportadora aérea.

No decorrer dos testes, um avião Airbus A400M soltou na atmosfera uma tonelada de cinzas vulcânicas da Islândia, a uma altitude entre os 9 mil e os 11 mil pés.

Isto criou condições em conformidade com a erupção do vulcão Eyjafjallajokull há três anos, que levou à interrupção do tráfego aéreo durante vários dias sobre a Europa.

Um segundo avião, um A340-300 equipado com o AVOID, voou junto à nuvem artificial para testar o sistema. Um terceiro avião, um pequeno Diamond DA42 da Universidade de Ciências Aplicadas de Dusseldorf (Alemanha), voou directamente para o centro da nuvem para poder comprovar o rigor dos resultados recolhidos pelo AVOID.

A nuvem artificial, com um diâmetro de aproximadamente 2,8 km, era bastante visível ao início, mas rapidamente dissipou-se e a sua detecção tornou-se difícil.


O AVOID detectou com êxito a nuvem de cinzas e mediu a sua densidade, mostrando que na experiência, conseguiu-se recriar as condições resultantes da erupção de 2010.

«A ameaça de erupções de vulcões da Islândia permanece, de forma que estamos entusiasmados com o resultado desta inovação única», afirmou Ian Davies, director de engenharia da companhia aérea.

«Encontrar uma solução é tão crucial agora como sempre o foi, para que nunca mais assistamos ao cenário da Primavera de 2010, quando todo o tráfego aéreo sobre a Europa foi interrompido durante vários dias [entre Abril e Maio, recorde-se]», acrescentou.

«Este é um passo-chave na missão de testar esta tecnologia e avançar para a certificação comercial. A EasyJet vai agora trabalhar num sistema não integrado que pretendemos instalar nalguns aviões», disse ainda.

Já o chefe de engenharia da Airbus, Charles Champion, sublinhou que estamos perante «uma invenção que poderá tornar-se muito útil na avião comercial, de modo a prevenir perturbações a larga escala no tráfego aéreo».

O inventor do novo sistema, Fred Prata, destacou que «a equipa acaba de executar uma experiência científica conclusiva, demonstrando que baixas concentrações de cinza vulcânica [na atmosfera] podem ser detectadas pelo AVOID».

«As erupções vulcânicas explosivas na Islândia acontecem, em média, uma vez a cada cinco anos», afirmou Magnus Tumi Gudmundsson, do Instituto de Ciência da Terra da Islândia.

«Quando os ventos sopram do noroeste, a cinza é transportada rumo à Europa, tal como sucedeu com o [vulcão] Eyjafjallajokull em 2010», referiu, sublinhando que as sete erupções vulcânicas registadas entre 1970 e 2010 só não perturbaram o tráfego aéreo «por coincidência», já que o vento empurrou a cinza para norte.

«Tendo em conta que os vulcões Hekla e Katla já não entram em erupção há muito tempo, ambos devem ser considerados como prestes a explodir», comentou o cientista.

«Não é possível prever quando ou como será a próxima erupção. A única certeza que temos é que vai, de facto, acontecer», destacou Gudmundsson.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Novembro 17, 2013, 05:41:17 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 29, 2013, 08:12:01 pm
Aeroporto de Skiathos, Grécia ...


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Dezembro 23, 2013, 06:29:08 pm
Aviação comercial em 2013
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 25, 2013, 08:19:09 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 02, 2014, 12:55:04 pm
EUA começam a testar voos comerciais de "drones"


Seis operadores foram selecionados pela Administração Federal da Aviação norte-americana para começarem a efetuar testes de operacionalidade de voos comerciais de 'drones' em território norte-americano.

A autoridade da aviação norte-americana selecionou esta segunda-feira várias universidades e agências estatais para começarem a efetuar testes de operacionalidade com 'drones'. O objetivo é que os aparelhos não-tripulados venham a integrar o sistema da aviação comercial dos Estados Unidos.

Segundo o The Wall Street Journal, a Administração Federal da Aviação norte-americana escolheu seis operadores que agora deverão iniciar estudos e testes, conduzidos por perítos e académicos, sobre a segurança da operacionalidade de "drones" em território norte-americano em vários tipos de ambiente, condições meteorológicas e espaços aéreos. Espera-se que o trabalho a ser efetuado permita uma certificação federal para o início de voos comerciais de aparelhos não-tripulados nos Estados Unidos da América.

Atualmente, apenas agências de segurança, universidades e algumas organizações de defesa do ambiente estão autorizados a utilizar "drones" em rotas definidas no espaço aéreo norte-americano. No entanto, a Administração Federal da Aviação está a ser pressionada pelo Congresso norte-americano e pelos avanços da indústria nessa área, para acelerar o processo de estudos e testes que conduzam à certificação dos voos comerciais de aparelhos não tripulados e atribuição das respetivas rotas e espaços aéreos onde deverão operar.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 07, 2014, 06:10:20 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 27, 2014, 05:45:58 pm
TAP e SATA entre as melhores companhias aéreas do mundo


Portugal ocupa dois lugares daquela que é a mais recente edição do "ranking" das 100 melhores companhias aéreas do mundo daquela que é a principal agência de viagens online da Europa, a eDreams. A portuguesa TAP é a primeira portuguesa a figurar na tabela, ocupando a 39ª posição da mesma, seguida pela SATA, em 52º lugar.
 
Elaborada com base nas opiniões dos clientes daquela empresa europeia, a lista diz respeito às preferências de 2013, sendo o pódio totalmente dominado por companhias asiáticas como a Singapore Airlines (4,65 pontos), a Korean Air (4,6 pontos) e a China Airlines (4,5 pontos).
 
Portugal, contudo, mostra ter, não uma das melhores 100 companhias aéreas do mundo, e sim uma das 50 melhores, com a TAP a conseguir uma pontuação de 4 pontos e a surgir na 39ª posição da tabela, juntamente com a Jet2, a Scandinavian Airlines e a Estonian Air. Já a SATA fixa-se no 52º lugar da lista, graças a uma pontuação de 3,89 pontos.
 
Entre os comentários feitos à TAP, os passageiros dão destaque ao bom estado em que se encontra a frota de aviões operada pela companhia aérea portuguesa, a simpatia da tripulação de cabine e a qualidade da comida, servida gratuitamente a bordo. Da lista de opiniões sobre a empresa lusa fazem ainda parte opiniões como "um voo fantástico" e "o melhor voo com a TAP dos últimos tempos".
 
Relativamente à SATA, os clientes da eDreams destacam sobretudo o facto de não haver demasiada publicidade a bordo, em comparação com o que tende a acontecer nos voos de outras companhias aéreas, e o bom atendimento por parte da tripulação.
 
O "ranking" das melhores companhias aéreas do mundo, elaborado pela eDreams, tem por objetivo identificar as melhores companhias para viajar e, assim, facilitar a escolha dos seus utilizadores.

Boas Noticias
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 14, 2014, 06:27:02 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Março 31, 2014, 04:56:20 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 11, 2014, 06:00:56 pm
Português projeta sistema inédito de localização aérea


No Luxemburgo, um engenheiro português está a desenvolver um sistema inédito, capaz de localizar todos os voos via satélite, evitando, assim, situações como aquela que aconteceu com o avião da Malaysia Airlines.
 
Sérgio Amado emigrou com a família para o país há cerca de três anos e, hoje em dia, faz parte da SES, empresa líder mundial em telecomunicações, onde é engenheiro de software. Com uma frota de 56 satélites geoestacionários, a empresa decidiu criar um sistema que permita localizar todos os voos na atmosfera terrestre.
 
Para a tarefa, elegeu o profissional português, cujo trabalho, passa, agora, pelo desenvolvimento de um sistema via satélite que permita seguir os aviões durante todo o voo, incluindo aqueles que ficam fora do alcance dos radares terrestres. Além disso, pretende-se que a nova tecnologia forneça todo o tipo de informação em tempo real, sem necessidade de recorrer à caixa negra.
 
"É, no fundo, a capacidade de, a partir do espaço, recolher essa informação. E recolhê-la de forma a ter informação contínua sobre a localização dos aviões à escala global, coisa que neste momento ainda não é possível", esclarece à RTP. "Há zonas desérticas e zonas ocêanicas em que não é possível fazer cobertura por radares terrestres".
 
Pelo nome ADS-B, o mesmo já se encontra a ser testado, devendo estar operacional dentro de um prazo de três anos. No entanto, caso a nova tecnologia já estivesse ativa, teria sido possível localizar com precisão o voo da Malaysia Airlines, que, há um mês, desapareceu no Oceano Índico, sem deixar rasto.
 
"Um sistema destes consegue recolher informação abaixo dos dez minutos e reduzir a área de busca de um avião de cerca de 1.000 quilómetros para algo tão pequeno como 5 quilómetros", diz o investigador.
 
O projeto conta com a parceria estratégica de dois consórcios alemães e reflete a crença dos peritos de que, tendo em conta a dificuldade em resgatar as caixas negras do fundo do mar, a solução pode estar no espaço.
 
"O ADS-B é um basicamente um sistema em que a informação do voo já não fica guardada na caixa negra - que, neste caso, não pode ser encontrada -, sendo antes transmitida a um satélite em órbita que, por sua vez, a enviaria, em tempo real, para estações em terra", refere Yves Feltes, vice-presidente da SES.
 
"E, aqui, estamos a falar de dados sobre a velocidade do voo, direção, altitude, etc. Ou seja, no caso do avião desaparecido da Malaysia Airlines, se este estivesse equipado com o sistema ADS-B, íamos saber exatamente onde este tinha sido visto pela última vez", conclui.

Boas Notícias
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 19, 2014, 05:46:14 pm
Eu gosto disto, gosto mesmo!

 :arrow: http://www.bbc.com/news/magazine-26351503 (http://www.bbc.com/news/magazine-26351503)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 07, 2014, 12:11:01 am
EASA quer mais tempo de vida para caixas negras de aviões


A Agência Europeia de Segurança Aérea defendeu hoje o prolongamento de 30 para 90 dias do tempo de funcionamento dos localizadores das caixas negras dos aviões para que sejam facilitadas as buscas em caso de acidente. "As alterações propostas destinam-se a aumentar a segurança, facilitando a recuperação da informação por parte das autoridades que investigam os acidentes", disse em comunicado Patrick Ky, diretor da agência da União Europeia.

"A tragédia relacionada com o voo MH370 da Malaysia Airlines indica que a segurança nunca pode ser encarada como um dado adquirido",  As buscas que começaram logo após o desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines, no dia 08 de março, com 239 pessoas a bordo não conseguiram ainda localizar o aparelho.

A Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA), fez outras propostas, tais como equipar os aviões de grandes dimensões, e que sobrevoam oceanos, com um novo tipo de sinalizador submarino, com características acústicas e com um raio de localização superior ao que existe atualmente. De acordo com a EASA, os novos aparelhos podem ficar dotados de meios de localização com um raio de emissão de sinalização de seis milhas (cerca 10 quilómetros), assim como aumentar o tempo mínimo de gravação das caixas negras.

Existem dois tipos de caixas negras, uma que procede ao registo áudio (CVR), destinada à gravação das comunicações da cabina e outra que regista os dados do voo.
Caso as recomendações venham a ser aprovadas pela Comissão Europeia, os novos equipamentos vão passar a ser instalados nos aviões e helicópteros dos países membros da EASA.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 18, 2014, 02:30:39 pm
China Southern Airlines encomenda 80 aviões à Airbus

(http://www.ranklogos.com/wp-content/uploads/2012/03/china-southern-airline-logo-3.jpg)

China Southern Airlines, com sede em Cantão, no sul do país, firmou um acordo com a Airbus para a compra de 80 aviões A320, informou hoje o fabricante aeronáutico europeu.

A encomenda inclui 30 dos actuais modelos de avião A320, pelo valor unitário de entre 85,8 milhões e 110,1 milhões de dólares (entre 62,6 e 80,4 milhões de euros), informou, em comunicado, a divisão da Airbus na China.

Os restantes 50 aviões serão A320neo, um modelo em desenvolvimento que estará dotado de motores mais potentes e mais eficientes, pelo que o seu valor unitário oscilará entre 94,4 e 120 milhões de dólares (entre 69 e 87,6 milhões de euros).

Ao abrigo do acordo, as aeronaves serão entregues, de forma gradual, entre 2016 e 2020.

A companhia aérea chinesa assegurou, por seu lado, que com a aquisição espera que a sua capacidade de transporte cresça 12,1%.

A estatal China Southern Airlines é a maior companhia aérea do mundo em termos do número de passageiros transportados e a maior da Ásia ao nível da dimensão da sua frota.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 02, 2014, 08:40:44 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 05, 2014, 05:07:22 pm
Nova tecnologia quer reduzir bagagem perdida em voo


Pelo nome BAG2GO, o novo projeto idealizado pela Airbus promete reduzir o número de malas perdidas nos aeroportos do mundo inteiro. Trata-se de um sistema de etiqueta eletrónica que permite determinar onde se encontra a bagagem do passageiro, desenvolvido em parceria com a empresa de telecomunicações T-Systems e o fabricante de malas Rimowa.
 
Segundo as estatísticas, atualmente perdem-se 26 milhões de malas por ano nos aeroportos do mundo inteiro. "Era importante criar uma solução de fácil utilização pelo passageiro,  que permitisse controlar o destino da bagagem através do telemóvel, por forma a saber onde esta se encontra", refere Jan Reh, do Departamento de Inovação da Airbus, ao portal Engadget.
 
A tecnologia tem por base um cartão sim, anexado a cada uma das malas e com dois sensores, capazes de calcular o peso total da bagagem. Através de uma aplicação específica, instalada no telemóvel, o passageiro introduz a informação sobre o voo, podendo, durante as escalas, consultar a localização da sua bagagem.
 
Caso a mala seja aberta durante o transporte, o passageiro recebe uma mensagem a informá-lo. Por seu lado, caso a bagagem siga para um destino errado, a propria companhia é notificada relativamente ao mesmo. Além disso, assim que sair do hotel, o passageiro pode, desde logo, fazer o registo da bagagem em vez de esperar pela chegada ao aeroporto.
 
"A ideia é, claramente, melhorar o processo de gestão das bagagens. Estamos a trabalhar em conjunto para tentar encontrar uma boa solução e acreditamos que o 'BAG2GO' é uma das peças do puzzle que vai permitir criar um mecanismo de controlo para as companhias aéreas, ajudando os passageiros a viajar melhor", acrescenta o responsável.
 
O novo sistema deverá ser testado ainda em 2014, com as companhias aéreas a aderir facilmente à iniciativa uma vez que, para as mesmas, cada devolução de bagagem tem um custo de 75 euros.
 
Segundo a Associação Internacional de Transportes Aéreos, as companhias podem economizar até 2,5 mil milhões de euros, caso se consiga travar  o problema das bagagens perdidas.
 
"Esta nova tecnologia é fantástica e vai ajudar a indústria a transformar-se", afirma Andrew Price, daquela entidade. "Por um lado, haverá menos bagagens perdidas e, por outro, poder-se-ão implementar formas inovadoras de gerir a entrega das bagagens".

Boas Notícias
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Julho 17, 2014, 02:30:24 pm
Citação de: "AIRheads↑FLY"
The Ireland based ASL Aviation Group is looking forward to buy up to 10 Lockheed Martin LM-100J commercial freighters, the civilian version of the popular C-130J Super Hercules military airlifter. The purchase intention was announced on 16 July during the 2014 Farnborough International Airshow in England.

ASL associated company Safair, based in South Africa, currently already operates one of the world’s largest civilian Hercules fleets, made up by six L-100 predecessors to the LM-100J. “We’ve long relied on our L-100s to deliver results that no other aircraft can produce. From flying humanitarian relief supplies over rugged African terrain to transporting key cargo within Europe and around the world, no other plane can do what a Hercules can do,” said Hugh Flynn, chief executive, ASL Aviation Group.

[continua]
Fonte: http://airheadsfly.com/2014/07/17/civil-super-hercs-to-asl-aviation/

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Julho 17, 2014, 04:52:08 pm
Citação de: "Reuters"
A Malaysian passenger airliner with 295 people on board crashed in Ukraine near the Russian border on Thursday, the Interfax news agency cited an aviation industry source as saying.

The Boeing plane was flying from Amsterdam to Kuala Lumpur, it said. Reuters could not immediately confirm the report.

The Interfax report said the plane came down 50 km (20 miles) short of entering Russian airspace. It "began to drop, afterwards it was found burning on the ground on Ukrainian territory," the unnamed source said.

The plane appeared to have come down in a region of military action where Ukrainian government forces are battling pro-Russian separatists.

A separate unnamed source in the Ukrainian security apparatus, quoted by Interfax, said the plane disappeared from radar at a height of 10,000 metres after which it came down near the town of Shakhtyorsk.
Fonte: http://www.reuters.com/article/2014/07/17/us-ukraine-crash-airplane-idUSKBN0FM1TU20140717

Citação de: "AIRheads↑FLY"
An airliner belonging to Malaysia Airlines was shot down on Thursday 17 July over Ukraine near the Russian border, Russian press agency Interfax reports. The airplane apparently was on its way from Amsterdam to Kuala Lumpur. Flight involved is said to be MH17, departure time from Schiphol 12.17 local time, carrying 295 souls on board. Type is said to be a Boeing 777-200.
Fonte: http://airheadsfly.com/2014/07/17/malaysia-airliner-shot-down-over-ukraine/

Vai ser bastante interessante se vier a provar-se que foram utilizados mísseis MANPAD fornecidos pelos russos aos separatistas ucranianos (http://http) para abater esta aeronave.

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 17, 2014, 05:02:50 pm

Que mais irá acontecer à Malaysia Airlines este ano !!  :-|
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 17, 2014, 08:20:51 pm
Voos da Lufthansa e da Air France contornam território ucraniano


Pouco depois de ter sido noticiada a queda do avião da Malaysia Airlines em território ucraniano, a Lufthansa decidiu que todos os seus voos passariam a evitar sobrevoar o país.

De acordo com o jornal espanhol El País, a maior companhia aérea alemã "divulgou um comunicado onde afirma que decidiu evitar a partir de agora o espaço aéreo ucraniano".
 
Um outro telex da agência AP refere que a decisão da Lufthansa foi que todos os seus voos contornassem "largamente" o espaço aéreo do país em conflito armado com a Rússia.

Também a Air France decidiu tomar idêntico procedimento de prevenção, iniciativa que deverá estender-se a muitas companhias aéreas que circulam no espaço aéreo europeu.

Expresso
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 22, 2014, 02:05:38 pm
Poderá a Malaysia Airlines resistir?


(http://www.logodesignblog.net/logos/malaysia-airlines-svg-logo.jpg)

Naquele que se assume como o transporte mais seguro do mundo, qual é a probabilidade de a mesma companhia aérea enfrentar dois graves acidentes com centenas de vítimas em poucos meses?

O inédito na história da aviação aconteceu à Malaysia Airlines que em Março viu desaparecer um boeing 777 com 239 passageiros. E na quinta-feira passada, abatido por um míssil no leste da Ucrânia, perdeu outro triple seven, com 298 pessoas a bordo, que viajavam de Amesterdão para Kuala Lumpur.

Segundo dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo citados pelo The Guardian, só as 537 vítimas destes dois desastres ultrapassa a média de 517 mortes que a indústria da aviação comercial registou por ano, em média, entre 2009 e 2013.

Por isso, o futuro da companhia é uma grande incógnita. Poderá reconquistar a confiança dos passageiros? Resistirá aos danos reputacionais? Terá capacidade para resistir a um já débil desempenho financeiro?

Nos últimos três anos, os resultados da companhia malaia não saíram do vermelho. Desde 2011 acumulou prejuízos de mil milhões de euros. E no primeiro trimestre deste ano continuava com resultados líquidos negativos de 104 milhões de euros, muito acima dos 65 milhões no mesmo período de 2013. No ano passado teve perdas de 279 milhões de euros.

Segundo analistas citados na imprensa internacional, os desfechos trágicos do voo MH370 a 8 de Março, e do MH17, na última quinta-feira, agravarão o funcionamento da companhia aérea que, vaticinam, poderá sucumbir até ao final do ano.

Apesar da estratégia de reposicionamento e de avultados investimentos de quase mil milhões de euros postos em marcha ainda antes dos acidentes, a transportadora de bandeira da Malásia não tem conseguido travar a concorrência. A pesada estrutura de custos, a contestação sindical dos 20 mil trabalhadores e a pouca competitividade face ao sucesso de outras companhias asiáticas, como a Air Asia, também instalada em Kuala Lumpur, ou a Singapore Airlines e a Cathay Pacific, que estão entre as mais conceituadas do mundo, enfraqueceram a Malaysia Airlines. Mesmo com preços mais baixos, nunca conseguiu descolar completamente neste mercado, analisa a Time.

Em Junho, e ainda antes do sucedido na Ucrânia, o CEO da empresa, Ahmad Jauhari Yahya, já tinha assumido que o desaparecimento (ainda não esclarecido) do avião no Oceano Indico, “tristemente adicionava uma inesperada dimensão [à operação] danificando a nossa marca e a nossa reputação no negócio, acelerando a urgência de uma mudança radical”.

Agora, o cenário é ainda mais negro, tendo em conta as indemnizações que poderá ter de pagar aos familiares das vítimas do despenhamento na Ucrânia, e que se somam às já devidas pelo acidente com o MH370.

Segundo a CNN, a lei internacional estipula que os pagamentos iniciais possam rondar os 150 mil dólares (110 mil euros) por cada uma das 537 vítimas dos dois voos.

Há ainda a perda de dois aparelhos, avaliada em 200 milhões de dólares (145 milhões de euros).

Depois da tragédia em território ucraniano, as acções da empresa chegaram a desvalorizar 18%, mantendo a rota descendente registada este ano, em que o valor bolsista já caiu 35%.

Detida em 69% pelo governo malaio, através do fundo soberano Khazanah Nasion, o futuro da empresa poderá passar por uma generosa injecção de capital, até porque já era público que mesmo que não tivesse sofrido o ataque de quinta, a Malaysia Airlines só teria verbas para se manter até 2015, segundo a Bloomberg.

Especialistas internacionais apontam ainda outras soluções: ficar com o restante capital para reestruturar a empresa e privatizar, abrir falência e vender os activos, reestruturar, cortar as rotas menos rentáveis, mudar de marca.

A decisão será sempre do governo malaio, que oficialmente, ainda não se pronunciou sobre o futuro da empresa.

SOL
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 23, 2014, 01:55:11 pm
Concurso «Drones for Good» desafia portugueses

(http://diariodigital.sapo.pt/images_content/2014/drone.png)

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) abriram o concurso «Drones for Good», que pretende explorar as aplicações civis de veículos aéreos não tripulados (UAV), com o objetivo de disponibilizar soluções práticas que melhorem a vida dos cidadãos, especialmente nos meios urbanos. O concurso tem o apoio da Indra, uma das principais multinacionais de tecnologia e consultoria da Europa e América Latina.

«A competição internacional está aberta à participação de qualquer pessoa, equipa, instituição, universidade ou empresa de qualquer parte do mundo. Para participar apenas é necessária a apresentação de uma breve descrição e um vídeo explicativo de uma ideia, até ao dia 1 de Outubro no site http://www.dronesforgood.ae (http://www.dronesforgood.ae)», refere um comunicado. O projeto vencedor será premiado com 1 milhão de dólares.
 
De referir ainda que, no âmbito desta iniciativa, a Indra vai patrocinar o prémio «Da ideia para a Realidade», cujo vencedor será o projeto mais votado pela comunidade de participantes entre as ideias semifinalistas.

«A multinacional ainda vai apoiar o vencedor no desenvolvimento conceptual da sua ideia e plano de negócio, com aconselhamento personalizado de especialistas na área de inovação, UAV, smart cities e empreendedorismo.  O objetivo final é criar uma startup baseada na ideia vencedora», revela a Indra.

«O “Drones For Good” partilha a nossa visão da inovação e da tecnologia como fatores chaves para dar resposta aos novos desafios globais e garantir o progresso da sociedade. Queremos premiar uma ideia que saiba aproveitar todo o potencial dos UAVs em benefício dos cidadãos, impulsionando, com a nossa experiência, a sua transformação num novo projeto empresarial», destaca o diretor de Inovação e Alianças da Indra, José Luis Angoso.

Entretanto, o diretor do projeto “UAE Drones for Good” do Gabinete do Primeiro Ministro dos EAU, Saif AL Aleeli, salienta que «o concurso é global porque estamos certos que a inovação não tem um lugar de origem predeterminado e as ideias inovadoras podem vir de qualquer parte do mundo».

Lusa
Título: Re: Sector do Transporte Aéreo
Enviado por: Lightning em Outubro 21, 2014, 11:18:19 pm
Não sabia bem onde é que havia de por isto, parece-me o mais parecido com um tópico sobre aviação comercial.

Isto agora é só aviões novos :G-beer2: .

Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Janeiro 12, 2015, 05:03:01 pm
Electric Airplanes Are the Future of Pilot Training
Citação de: "Wired"
Walk into a flight school today and you’ll probably take your first training flight in an aging airplane that’s noisy, expensive, and burns leaded fuel. But the race is on to change that, with electric trainers that are clean, vibration-free, and cheap to operate.

Electric aviation has been in experimental development for years, but now a US startup, European aerospace giant Airbus, and a Chinese aviation manufacturer are among those who believe electric airplanes are ready for the mainstream. If they make it happen, it could get a lot cheaper—and more pleasant—to learn to fly.

[continua]
Fonte: http://www.wired.com/2015/01/electric-airplanes-future-pilot-training/

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Março 09, 2015, 03:14:38 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: ICE 1A+ em Março 24, 2015, 05:33:49 pm
Queda de Avião A320 da Gemanwings nos Alpes franceses.
Ainda não se sabem as causas apenas que o avião depois de atingir a altitude cruzeiro desceu abruptamente  durante 8 minutos  e perdeu contacto radio aos 6000 pés
testemunhas no local afirmam que não notaram nada estranho no avião apenas que voava demasiado baixo para conseguir sobrevoar as montanhas.
não ha sobrevivente como se pode deparar pela destruição no local do embate. O avião desintegrou-se completamente.

http://api.dmcloud.net/player/pubpage/4e7343f894a6f677b10006b4/551195e694a6f646fbedfbd8/45f3839123af456e8ee8665e1fca0c72?wmode=transparent&force_asset_name=mp4_h264_aac&autoplay=1
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 30, 2015, 04:53:39 pm
Reabastecer aviões em voo poderia reduzir combustível em 23%


Um sistema para reabastecer aviões de passageiros em pleno voo poderia reduzir em quase um quarto a quantidade de combustível necessário para um voo de longo curso, disseram hoje investigadores.

As reservas de combustível representam cerca de um terço do peso na descolagem dos aviões de longo curso, por isso, reduzindo-o e abastecendo no ar pode significar uma grande poupança, segundo investigadores da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique (ZHAW), que participaram num estudo sobre a questão.

"Os resultados da investigação em que colaborámos indicam uma redução possível entre 11% e 23% para um voo típico de 6.000 milhas náuticas com uma carga de 250 passageiros", adiantaram.

Num comunicado divulgado hoje, a ZHAW considera que "estações de combustível 'voadoras' poderão revolucionar o transporte aéreo".

Já é possível reabastecer em pleno voo os aviões militares, mas agora, durante três anos, foi estudada a viabilidade do conceito para o tráfego aéreo civil.

O projeto designado RECREATE (Research for a Cruiser Enabled Air Transport Environment) juntou investigadores da ZHAW e de nove outras instituições de cinco países europeus.

De acordo com o estudo, os voos de passageiros poderiam descolar com menos combustível e serem reabastecidos quando atingissem uma altitude de 10.000 metros. Os investigadores disseram ter utilizado simuladores para determinar que o projeto é tecnicamente possível.

Os aviões de reabastecimento teriam combustível suficiente para abastecer entre três a cinco aviões de passageiros em determinados locais, como estações de serviço no ar.

O sistema também permitiria voos sem escalas entre destinos tão distantes como Zurique e Sydney.

O projeto RECREATE inclui uma segunda proposta, bastante mais radical: uma espécie de metro aéreo, constituído por aviões gigantes que dariam a volta ao mundo sem escala e aviões mais pequenos que tratariam do abastecimento, do desembarque dos passageiros e bagagens e da recolha e encaminhamento dos resíduos.


Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 15, 2015, 11:58:43 pm
Aviões comerciais são o novo potencial alvo dos piratas informáticos


Relatório do governo federal norte-americano salienta a importância da cibersegurança nos aviões.

Os piratas informáticos poderão tentar explorar os sistemas de entretenimento dos aviões comerciais, cada vez mais ligados à Internet, para sabotar os sistemas de navegação dos aparelhos, alertou hoje um relatório do governo federal norte-americano.

O Government ACCOUNTABILITY Office (GAO, a agência que fiscaliza para o Congresso norte-americano a legalidade do modo como são gastos os dinheiros públicos) identificou a cibersegurança a bordo como "uma questão cada vez mais importante" que já despertou a atenção da Federal Aviation Administration (FAA, a agência que regula a aviação civil nos Estados Unidos).

"As tecnologias modernas de comunicação, incluindo a conectividade IP (serviços ligados à Internet), são cada vez mais utilizadas pelos sistemas da aviação, permitindo que pessoas não autorizadas tenham acesso e comprometam os sistemas de navegação dos aparelhos", indicou o GAO, num relatório.
No passado, os sistemas eletrónicos usados para controlar e navegar o aparelho -- designados como sistemas eletrónicos -, funcionavam de forma autónoma, frisou a agência.

"No entanto, de acordo com a FAA e os especialistas em cibersegurança contactados, a rede IP poderá permitir que um pirata informático tenha acesso à distância aos sistemas eletrónicos e compromete-los", acrescentou o mesmo documento. Em teoria, mecanismos como o 'firewall' (sistema de proteção informática) protegem "de qualquer intrusão por parte de utilizadores dos sistemas de cabine, como é o caso dos passageiros que utilizam os dispositivos de entretenimento a bordo".

Mas, segundo os especialistas citados pelo GAO, os 'firewalls', sendo componentes de 'Software', podem ser pirateados e alterados "como qualquer outro 'software'". A FAA ainda não estabeleceu qualquer regulação sobre esta matéria, mas responsáveis indicaram ao GAO que a questão vai começar a ser analisada.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 23, 2015, 01:53:01 pm
Torre de controlo aéreo «à distância» começa a funcionar na Suécia


Uma torre de controlo começou nesta terça-feira a regular o tráfego aéreo num aeroporto sueco a partir de outro a 150 km de distância, anunciou a direcção de aviação civil deste país (LFV), uma primícia mundial.

«Primeira aterragem com uma torre de controlo à distância!», escreve o controlador aéreo na sua conta do Twitter (@luftfartsverket), sob a foto de um avião a aterrar em Örnsköldsvik, graças às instruções da torre de comando do aeroporto de Sundsvall. «Somos os primeiros do mundo a controlar à distância um aeroporto (...) Os pilotos do avião estão em contacto com a torre de controlo de Sundsvall», a mais de 150 km de distância dali, explicou a directora de comunicação da agência, Elizabeth Lindgren, à rádio pública SR.

Segundo a LFV, no aeroporto controlado à distância, as câmaras e os sensores comunicam em tempo real as informações para os controladores aéreos, o que na prática em nada altera o seu trabalho.

«Com a ajuda da tecnologia o tráfego aéreo é dirigido da mesma maneira que numa torre tradicional», afirmou a LFV em comunicado.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Abril 27, 2015, 07:08:23 pm
Pilotos portugueses querem acabar com regra das duas pessoas no cockpit
Citar
A Associação dos Pilotos Portugueses de Linha Aérea pretende que o governo acabe com a medida que anunciou há cerca de um mês, depois da queda do avião da Germwings nos Alpes, e que obriga à permanência constante de dois elementos no cockpit.

Uma pretensão divulgada pelo presidente da Associação dos Pilotos Portugueses de Linha Aérea (APPLA), Miguel Silveira, em declarações à TSF.

A medida obriga a que, na ausência de um dos pilotos do avião do cockpit, para, por exemplo, satisfazer necessidades fisiológicas, este seja substituído por um dos elementos da tripulação.

Ora, de acordo com o presidente da APPLA os tripulantes não estão devidamente preparados para enfrentarem os comandos de uma aeronave.

Ideia refutada pelo presidente da Associação Portuguesa de Tripulantes de Cabine, Vasco Cipreste, que garante que a tripulação está "treinada para estar no interior de um cockpit".

[continua] (http://http)
Fonte: http://zap.aeiou.pt/pilotos-portugueses-querem-acabar-com-regra-das-duas-pessoas-no-cockpit-66598

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Vitor Santos em Maio 20, 2015, 04:17:29 pm
Legacy 500 da Embraer estabelece quatro recordes mundiais de velocidade

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/05/1_Legacy_500_15_0035.jpg)

Genebra, Suíça, 18 de maio de 2015 – A Embraer Aviação Executiva anunciou hoje que o Legacy 500, jato executivo da categoria midsize recém-chegado ao mercado, estabeleceu neste ano quatro recordes mundiais de velocidade em sua classe.

“Esses recordes de velocidade comprovam o desempenho excepcional do Legacy 500. A aeronave, que já havia atingido ou superado cada um dos seus objetivos de projeto para a certificação, demonstra agora toda sua capacidade operacional, incluindo travessias oceânicas”, disse Marco Túlio Pellegrini, Presidente & CEO da Embraer Aviação Executiva. “O Legacy 500 é de fato o melhor jato da sua classe, que entrega uma impressionante combinação de conforto, tecnologia avançada, velocidade e alcance a um baixo custo operacional”.

Os dois primeiros recordes foram conquistados em “Speed over a Recognized Course (Velocidade sobre Rota Reconhecida, em tradução livre), durante o trajeto de ida e volta com seis passageiros a bordo, entre as cidades americanas de Oakland, na Califórnia, e Lihue, no Havaí, distantes 3.954 km (2.135 milhas náuticas). O voo para Lihue foi completado em 5 horas e 49 minutos, a uma velocidade média de 676 km/h (420 mph), em 7 de março. O retorno ocorreu em 4 horas e 11 minutos, a uma velocidade média de 943km/h (586 mph).

O terceiro recorde de velocidade estabelecido pelo Legacy 500 foi no voo para Friedrichshafen, na Alemanha, partindo do aeroporto de Bangor, no estado americano do Maine. A viagem de 5.945 km (3.210 milhas náuticas) foi completada em 6 horas e 50 minutos, com três ocupantes a bordo.

O último recorde foi quebrado durante o voo entre Düsseldorf, na Alemanha, e Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, em uma distância de 6.052 km (3.268 milhas náuticas), a maior já percorrida pelo Legacy 500. A duração do voo foi de 7 horas e 3 minutos e a aeronave chegou ao destino com uma reserva de combustível de 861 kg (1,900 lb). A média final de consumo nessa missão foi de apenas 721 kg por hora (1,590 lb).

As informações sobre esses voos serão enviadas para a Federation Aeronautique Internationale, na Suíça, para a oficialização como recordes mundiais, logo após a confirmação final da National Aeronautic Association, órgão responsável por homologar todos os recordes estabelecidos nos Estados Unidos. Em todas as quatro quebras de recordes de velocidade, o Legacy 500 completou a missão com reservas de combustível NBAA IFR.

(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/05/1_Legacy_500_15_0068.jpg)

Fonte: http://www.aereo.jor.br/2015/05/18/lega ... elocidade/ (http://www.aereo.jor.br/2015/05/18/legacy-500-da-embraer-estabelece-quatro-recordes-mundiais-de-velocidade/)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 30, 2015, 06:36:32 pm
Emirates proibe o transporte de trofeus de caça animal nos seus aviões


A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos não transportará a bordo dos seus aviões mais nenhum troféu de caça exótico. A medida entrou e vigor a 15 de Maio e pretende dificultar aos caçadores o transporte de animais como elefantes, tigres, leões ou rinocerontes que tenham sido abatidos, mesmo que de forma legal.

“Informamos que a partir de 15 de Maio a Emirates SkyCargo não aceitará o transporte de qualquer tipo de troféu de caça nos serviços da Emirates. Esta restrição é aplicável a todos os troféus de caça animal, protegidos ao abrigo da Convenção sobre o comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagens (CITES), bem como espécies que não estejam actualmente ameaçadas, ou seja todas as espécies CITES e não-CITES”, indicou a Emirates Airlines em comunicado citado pelo Dodo.

“A decisão serve para apoiar os governos, organizações intergovernamentais e não-governamentais, que monitorizam as populações de animais selvagens com o intuito de acabar com o comércio ilegal e o transporte de troféus de caça para todo o mundo”, lê-se ainda no comunicado.

Com a decisão, a Emirates junta-se à South African Airways, que já havia implementado semelhante proibição recentemente.


Green Savers
Título: Encomendas europeias para o 1º avião de passageiros japonês
Enviado por: Get_It em Junho 10, 2015, 04:59:30 pm
Mitsubishi Eyes European Orders for Japan’s First Passenger Jet
Citação de: "Jie Ma, Kiyotaka Matsuda / Bloomberg"
Mitsubishi Aircraft Corp., which is developing Japan’s first passenger jet, says the company is looking to expand its business in Europe and the Middle East and expects its first orders from there soon.

"We have already received inquiries from Europe," President Hiromichi Morimoto told reporters in Nagoya, Japan Wednesday in his first press conference since taking the company’s helm in April. "I hope we can soon report the receipt of orders."

Mitsubishi Aircraft recently opened a sales office in Amsterdam to expand its presence on the continent, Morimoto said. The company will show a mock up of the MRJ regional jet at this month’s Paris Air Show, Morimoto said.

The MRJ, powered by Pratt & Whitney turbofan engines, will test whether a new entrant can break the hold of Embraer SA and Bombardier Inc. on the market for small passenger jets. Boeing Co. and its European rival Airbus Group SE dominate the market for larger passenger planes, while Commercial Aircraft Corp. of China, or Comac, is developing its own large jet.
Flight Delayed

Mitsubishi is building 78- and 92-seat versions of the plane, developed at a cost it estimates at 180 billion yen ($1.5 billion). The company plans to develop 100-seat versions in the future.

Mitsubishi started low-speed taxiing tests this month and said in April that the jet’s maiden flight will be postponed to September or October. Since announcing plans in 2008 to build the planes, the company has pushed back the date for test flights four times.

One advantage Mitsubishi has is an order book, including options, for 407 jets. All Nippon Airways Co. will be the debut carrier, with deliveries starting in April-June 2017, four years later than originally planned. Another five carriers also have placed orders for the MRJ.

Mitsubishi says it wants eventually to win half the global market for regional aircraft. Montreal-based Bombardier is focusing on its new CSeries jet, also delayed, which will be able to carry as many as 160 passengers.

(continua)
Fonte: http://www.bloomberg.com/news/articles/2015-06-10/mitsubishi-eyes-european-orders-for-japan-s-first-passenger-jet

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Junho 12, 2015, 01:43:12 pm
Novo Boeing Dreamliner faz "descolagem vertical"


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Junho 16, 2015, 12:06:21 am

O Paris Air Show começou hoje
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Junho 18, 2015, 07:50:44 pm

Boeing contra Airbus em Le Bourget
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Agosto 05, 2015, 12:37:54 pm

Airbus tem patente para avião hipersónico: Londres-Nova Yorque em apenas uma hora

http://visao.sapo.pt/airbus-tem-patente ... co=f827179 (http://visao.sapo.pt/airbus-tem-patente-para-aviao-hipersonico=f827179)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Agosto 14, 2015, 09:36:11 pm
O A350.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Agosto 17, 2015, 08:14:26 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: mafets em Agosto 28, 2015, 10:44:47 am
http://www.aereo.jor.br/2015/08/27/sukhoi-derrota-embraer-e-bombardier-no-cazaquistao/
Citar
A companhia aérea do Cazaquistão SCAT, que não é listada em bolsa, fará leasing de 15 aeronaves Sukhoi Superjet 100 (SSJ100) da russa State Transport Leasing Company (GTLK), após ter avaliado anteriormente os aviões 170 e 190 da brasileira Embraer e o CRJ1000, da canadense Bombardier, de classe semelhante.

A SCAT, companhia aérea regional com sede no sul do Cazaquistão e que faz voos fretados para o exterior, disse que optou pelo SSJ100 porque tanto os aviões da Embraer quanto o da Bombardier teriam sido afetados por tarifas alfandegárias adicionais, tornando o projeto mais caro, especialmente considerando a acentuada queda da moeda cazaque.

O acordo com a estatal GTLK, que fornece equipamentos para companhias aéreas russas e aeroportos, foi assinado na terça-feira, afirmaram as duas empresas sem revelar detalhes financeiros.

A Sukhoi fabrica o jato regional de 100 assentos em parceria com a Alenia Aermacchi, da Finmeccanica.

FONTE: Reuters, via Exame
(http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/11/Superjet-100-foto-2-Sukhoi-580x385.jpg)

Saudações
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Setembro 02, 2015, 08:12:36 am

Aeroflot compra Transaero
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Setembro 15, 2015, 11:29:18 am

Airbus abre primeira fábrica em Estados Unidos, o "território" da rival, Boeing
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 19, 2015, 05:20:57 pm
Concorde pode voltar a voar em 2019


O Club Concorde, um grupo composto por antigos comandantes, pilotos e fãs da aviação, quer financiar a compra e o regresso do Concorde, o avião supersónico que marcou a história do setor, até 2019.

O grupo assegura que conseguiu as verbas necessárias e que tem uma reserva de 160 milhões de euros para comprar o avião que está no aeroporto de Bourget, em Paris. O objetivo é restaurá-lo e pô-lo a voar em espetáculos aéreos, em eventos especiais e voos privados, explica Paul James, presidente do grupo, citado pela BBC.

O último voo de um Concorde foi em 2003, três anos depois da queda de um avião da Air France, um acidente que matou 113 pessoas. Desde então não existe nenhum avião comercial capaz de voar mais rápido que o som.

Este grupo gostava de pôr o avião supersónico novamente no ar em 2019, para assinalar os 50 anos do primeiro voo. "É um ícone global", disse James. O clube gostava também de comprar outro Concorde para exibir em Londres ou Paris.

Uma porta-voz da British Airways disse que a empresa não tem planos para devolver o Concorde aos céus. "Estamos disponíveis para falar com o Club Concorde sobre os seus planos, mas a nossa frota de Concordes está exposta em vários locais e não temos planos para modificar esses contratos", concluiu, citada pela BBC.


DN
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 24, 2015, 10:53:25 am
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Outubro 17, 2015, 07:31:26 pm

US Airways voou por última vez  :cry:   (Foi um de seus clientes)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Outubro 19, 2015, 10:49:30 pm
Citação de: "Lusitano89"
O voo MH370 que desapareceu sem deixar rasto no dia 8 de março de 2014, com 239 pessoas a bordo, pode ter explodido em pleno voo devido à quantidade de baterias de lítio a bordo.

Neste caso, a perda de comunicação do voo poderia justificar-se pela proximidade das baterias a bordo ao sistema eletrónico central do aparelho, que seria, assim, afetado, antes dos motores.

(http://crossfitrevenge.com/wp-content/uploads/2014/04/are-you-serious-wtf-meme-baby-face.jpg)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Outubro 30, 2015, 04:50:22 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 11, 2015, 07:57:41 pm
Acordo internacional torna possível acompanhar por satélite todos os voos civis do mundo


Segundo divulgaram as Nações Unidas, o acordo foi hoje alcançado em Genebra na Conferência mundial de Radiocomunicações - evento que contou com representantes de mais de 160 países -, e consiste na atribuição de frequências radioelétricas para monitorizar os voos da aviação civil à escala mundial.

A localização global dos aviões, em qualquer lugar do mundo, só estará operacional em 2017. Atualmente, 70% da superfície terrestre (oceanos, desertos, montanhas) não permite este tipo de acompanhamento.

Os aviões também têm de estar devidamente equipados para o sistema ser operacional.

"O facto de atribuir frequências para que as estações espaciais possam receber sinais ADS-B [Automatic Dependent Surveillance-Broadcast, informações relativas à origem/destino, rota, velocidade, altitude, etc] provenientes dos aviões vai permitir seguir os voos em tempo real em qualquer parte do mundo", disse François Rancy, diretor da área das radiocomunicações da União Internacional das Telecomunicações (UIT), o organismo especializado das Nações Unidas para a área das tecnologias de informação e comunicações.

A execução da medida ficará, no entanto, a cargo da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), outra agência da ONU com sede em Montreal que vai trabalhar em cooperação com as companhias aéreas internacionais.

Este acordo surge após o desaparecimento misterioso do voo MH370 da companhia Malaysian Airlines a 08 de março de 2014.

O Boeing 777 fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim com 239 pessoas a bordo quando desapareceu dos radares sem deixar qualquer rasto.

Este caso "estimulou a discussão mundial sobre o acompanhamento global dos voos e a necessidade de uma ação coordenada", disse hoje a UIT.

Em julho passado, um fragmento de asa foi descoberto ao largo da Ilha de Reunião, um território ultramarino francês no Oceano Índico.

O fragmento da asa, com dois metros de comprimento, foi posteriormente levado para França para ser submetido a análises de especialistas em aviação.

Em setembro, a justiça francesa confirmou que o fragmento de asa pertencia ao voo MH370 da Malaysia Airlines.

Lusa
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 23, 2015, 07:05:14 pm
Projeto elaborado pelo engenheiro aeronaútico ucraniano Vladimir Tatarenko que consiste numa capsula para salvar a vida dos passageiros, no caso de alguma falha. Esta capsula pode separar-se da aeronave em menos de 3 segundos. No entanto, esta aplicação exige aviões com cauda elevada, o que automaticamente elimina todos os aviões comerciais da Airbus e da Boeing ...


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 07, 2015, 02:32:25 pm
Título: Re: Sector do Transporte Aéreo
Enviado por: Lightning em Dezembro 09, 2015, 02:36:51 am

Ataques em Paris causam prejuízo à Air France KLM
Título: Re: Sector do Transporte Aéreo
Enviado por: Lightning em Dezembro 13, 2015, 05:31:02 pm

Companhias aéreas atingem lucros recorde
Título: Re: Sector do Transporte Aéreo
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 13, 2015, 05:48:04 pm
Já há tópico sobre o transporte aéreo, não era melhor unir com o tópico aviação comercial ??



>  http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9134.120
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 18, 2015, 12:23:13 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Janeiro 08, 2016, 03:39:11 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Janeiro 12, 2016, 11:45:02 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: olisipo em Janeiro 18, 2016, 01:24:26 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Janeiro 30, 2016, 08:43:16 pm

Novo Boeing 737 Max faz voo inaugural
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 15, 2016, 08:10:16 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 17, 2016, 07:34:00 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 25, 2016, 12:20:40 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 01, 2016, 01:08:18 pm


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 02, 2016, 06:52:10 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 07, 2016, 06:20:43 pm
Título: Viking Air/Bombardier CL-415 Super Scooper
Enviado por: Get_It em Junho 25, 2016, 06:11:39 pm
Viking purchases Bombardier’s amphibious aircraft operation
(20 de Junho de 2016)
Citação de: David Pugliese, Ottawa Citizen
The deal includes the Bombardier CL-415 waterbomber and its variants, as well as the earlier CL-215 and CL-215T versions, Viking officials said Monday.

The transaction will see Viking acquire the manufacturing rights for all variants of Bombardier’s amphibious aircraft, and assume responsibility for product support, parts and service for the fleet of some 170 waterbombers in service with 21 operators in 11 countries around the world, Viking noted.

The work will be done at a 50,000 square foot facility in Calgary. Terms of the transaction were not disclosed.

“This acquisition expands Viking’s capabilities in product support and parts into another vital niche aviation segment, and ensures that a unique and important Canadian innovation stays in Canada,” David Curtis, President and Chief Executive Officer of Viking, said in a statement.
Fonte: http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-purchases-bombardiers-amphibious-aircraft-operation (http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-purchases-bombardiers-amphibious-aircraft-operation)

B.C.'s Viking Air buys rights to Bombardier’s waterbombers (http://vancouversun.com/business/local-business/b-c-s-viking-air-buys-rights-to-bombardiers-waterbombers) (20 de Junho de 2016) (contém mais informação acerca da reorganização da Bombardier)

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Outubro 22, 2016, 06:43:46 pm

Bombardier começa a despedir.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 26, 2016, 07:20:15 pm
Boom Technology - Supersonic Aircraft : The Future Is Supersonic



Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 05, 2016, 12:35:02 pm
(http://apps.graphicnews.com/links/pt/gn_swf/swf-34500-34999/GN34835R_PT/GN34835-Artboard_2.png)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 12, 2017, 10:53:13 am
Irão recebe primeiro de 100 aviões encomendados à Airbus


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 25, 2017, 09:47:21 pm
Como se gere o tráfego aéreo numa situação de crise?


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 08, 2017, 05:38:50 pm
A invasão dos "drones" e as novas regras do espaço aéreo


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 20, 2017, 08:20:40 pm
Will circular runways ever take off?


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Abril 07, 2017, 11:16:29 am
Conceitos para o futuro da aviação comercial.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 12, 2017, 04:35:09 pm
United Airlines alvo de críticas da comunidade asiática nos Estados Unidos


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Junho 04, 2017, 10:17:32 pm
Notícia sobre os preparativos para o possível reinício da produção do CL-415 por parte da Viking Air.

Global water bomber manufacturing program and '900 new jobs' could be headed for Calgary
(1 de Junho de 2017)
Citação de: Amanda Stephenson, Calgary Herald
The company that purchased the manufacturing rights for Canada’s iconic water bomber aircraft last year says it is considering a massive Calgary expansion that could bring up to 900 new jobs to the city.

Viking Air Ltd. — which is headquartered in Victoria, B.C., but employs about 100 people in Calgary at its aircraft assembly and product support facilities — is the manufacturer of the well-known Twin Otter utility aircraft. Last June, Viking announced it had struck a deal with Bombardier to buy its water bomber program, acquiring the manufacturing rights as well as responsibility for support, parts and service of the planes.

At the time of the purchase, Viking indicated its first priority would be the parts and service side of the business — providing maintenance and product support for the fleet of approximately 170 Bombardier water bombers in service in 11 countries. The Bombardier CL-415 water bomber is the only aircraft in the western world purpose-built for firefighting (it was used to fight the Fort McMurray wildfires last year), and is considered the aviation industry’s benchmark amphibious aircraft.

Over the past year, Viking has added about 40 people to its workforce in Victoria and Calgary to support the water bomber program. But in an interview Wednesday, Viking president David Curtis said the company is considering moving beyond parts and maintenance into a full-fledged restart of the water bomber manufacturing program (Bombardier stopped building new water bomber planes in December 2015). He said that if it does pull the trigger on its plans, Viking will locate the manufacturing activities in Calgary.

“We have some interesting opportunities to make aerospace a pretty big deal in the Calgary region,” Curtis said. “The water bomber is about the size of a 737, it’s a big airplane. If we put the 415 back into production, it has the potential for 900 new jobs. And depending on how you multiply that, about 2,000 indirect jobs.”

(...)

“What we’re looking to do is something very similar to what we did with the Twin Otter,” Curtis said. “As you can imagine, it’s a pretty complex financing program to ramp it all up. You need customers on board, you need financing behind it. But we’ve already invested a significant amount.”

In preparation for a potential Calgary expansion, the company has been acquiring production and office space in the city within the last year, including a 71,000-square-foot manufacturing facility at McKnight Blvd NE and 36th Street NE and a 48,000-square-foot parts and support facility off of Deerfoot Trail on 8th Street NE. In addition, Viking has recently signed a lease for the former Field Aviation Hangars —about 140,000 square feet — on Calgary International Airport property.

(...)

Curtis said Viking will likely make its decision on whether to restart the water bomber program within the next six months. He said part of the reason the company is excited about the prospect is because it diversifies its business beyond the Twin Otter, which has seen a decline in sales as a result of the downturn in the mining and energy sectors, as well as a slowdown in growth in the Chinese economy and difficulties selling into the Russian market.

Viking announced earlier this week that because of the challenging Twin Otter market, it will temporarily halt production of that plane, resulting in a three-month layoff for 212 employees — including approximately 50 in Calgary.

Curtis said while he is optimistic the company will still sell another 200 Twin Otters, it is looking to the water bomber program to provide it with another equally important line of business and shelter it from temporary dips in the market.

“That is going to help stabilize our workforce and diversify the production side of things,” Curtis said.

Viking Air Ltd is a privately held company managed by Longview Aviation Capital.
Fonte: http://www.vancouversun.com/global+water+bomber+manufacturing+program+jobs+could+headed+calgary/13415013/story.html (http://www.vancouversun.com/global+water+bomber+manufacturing+program+jobs+could+headed+calgary/13415013/story.html)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 21, 2017, 08:08:37 pm
Futuro da aviação britânica sob estudo


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Julho 24, 2017, 09:11:08 pm
Ryanair "de olho" na Alitalia


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 11, 2017, 08:55:16 pm
Ryanair garante à Euronews que deixará a turbulência em breve


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 16, 2017, 01:25:59 pm
Aeronave que se despenhou no leste de Angola terá sido atingida por raio

(https://media.glassdoor.com/l/44/a1/4a/e1/viaair-embraer-emb-120-brasilia.jpg)


A aeronave que se despenhou na quinta-feira no leste de Angola, provocando a morte dos sete ocupantes, entre os quais um paramédico português, terá sido atingida por um raio na asa direita, provocando o incêndio num dos motores.

A informação foi avançada pelo diretor nacional do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (GPIAA), Luís António Solo, com base nas primeiras avaliações aos destroços da aeronave, um Embraer EMB 120 que estava ao serviço da empresa privada Air Guicango.

Os destroços da aeronave, segundo os investigadores, foram avistados numa extensão de quatro quilómetros, no município do Cuílo, na província da Lunda Norte, a mais de 320 quilómetros da cidade do Dundo, de onde tinha partido minutos antes.

As operações de busca e salvamento, com a recuperação dos restos mortais dos ocupantes, foram concluídas no domingo, seguindo-se a investigação às causas do acidente, com uma comissão de inquérito.

No local dos destroços foram encontrados os restos mortais dos ocupantes, cinco angolanos, entre os quais três elementos da tripulação, um sul-africano e o paramédico português Paulo Sérgio Mendes de Carvalho, de 40 anos, que serão trasladados hoje para Luanda.

A aeronave em causa descolou do aeroporto do Dundo, capital da província da Lunda Norte, pelas 16:55 de quinta-feira.

O paramédico português, ao serviço de uma clínica de Luanda, participava no transporte de um paciente sul-africano do Dundo para a capital angolana.

Questionado na sexta-feira pela Lusa, o diretor do GPIAA, órgão do Ministério dos Transportes de Angola, indicou que a Air Guicango é uma “empresa certificada para operações comerciais não regulares”.

Segundo Luís António Solo, 15 minutos depois de levantar voo da capital da província da Lunda Norte com destino a Luanda (a 1.100 quilómetros de distância), o piloto reportou problemas na aeronave.

“Uma avaria no motor, seguido de fogo. Foram também reportadas condições atmosféricas adversas”, disse.


>>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/aeronave-que-se-despenhou-no-leste-de-angola-tera-sido-atingida-por-raio
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 25, 2017, 06:17:10 pm
Novos compradores para a Alitalia


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 26, 2017, 10:23:37 pm
O futuro da auronáutica passa por Marrocos


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 06, 2017, 05:08:33 pm
A journey back to Airbus heritage


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 07, 2017, 01:52:10 pm
100th Emirates A380 Delivery


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: HSMW em Novembro 09, 2017, 11:48:33 am
Uma inovação.
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Viajante em Novembro 11, 2017, 09:00:16 pm
Portugal: Mais de 1150 casos de lasers apontados a aviões

Há quem diga que os drones são hoje uma das principais ameaças aos aviões. No entanto, segundo dados da aviação civil, desde 2013 foram registados mais de 1150 casos de lasers apontados a aviões perto dos aeroportos nacionais.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2017/11/laser1.jpg)

De acordo com a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), em 2013 registaram-se 184 casos de lasers apontados a aviões. Em 2014 o valor de ocorrências subiu para as 289 tendo chegado às 290 em 2015.

Em 2016 o valor de ocorrências baixou para as 176 mas, este ano, até 26 de outubro a ANAC já tinha registado 215.
Quais os perigos?

O facto de ser apontado um laser a um piloto pode “cegá-lo por momentos”. Segundo a ANAC, tais situações acontecem em fases críticas, ou seja, no momento da descolagem da aeronave e também na fase de aterragem.

Comparando com outros países, Portugal encontra-se abaixo da média. De acordo com a ANAC, se considerarmos o Reino Unido constatamos que só em 2016 foram registadas mais de 1.500 ocorrências, o n.º que equivale a mais de 7 anos em Portugal.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2017/11/laser.jpg)

Casos graves com lasers…

Um dos casos mais graves aconteceu em setembro de 2015, quando os pilotes de um Boeing 737-800, da companhia irlandesa Ryanair, foram “atingidos” por um feixe de laser tendo forçado mesmo a aterragem da aeronave no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

De acordo com as declarações da ANAC à Lusa, não há conhecimento de alguém que tenha sido condenado por este tipo de actos que pode dar origem a acidentes muito graves.

https://pplware.sapo.pt/informacao/portugal-1150-casos-lasers-apontados-avioes/
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Novembro 30, 2017, 07:24:28 pm
Não sei porque mas faz-me lembrar alguém (http://clabedan.typepad.com/photos/uncategorized/2007/06/25/skylander.jpg) (tópico Skylander (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=5360.45)). :\

Textron Aviation unveils new large-utility turboprop, the Cessna SkyCourier; FedEx Express signs as launch customer for up to 100 aircraft
(28 de Novembro de 2017)
Citação de: Textron Aviation Inc.
Textron Aviation Inc., a Textron Inc. (NYSE:TXT) company, today announced its new twin-engine, high-wing, large-utility turboprop – the Cessna SkyCourier 408. FedEx Express, the world’s largest express transportation company and longtime Textron Aviation customer, has signed on as the launch customer for up to 100 aircraft, with an initial fleet order of 50 cargo aircraft and options for 50 more. Entry into service for the clean-sheet design Cessna SkyCourier is planned for 2020.

"With our depth of expertise and proven success in new product development, we were eager to work directly with a world-class company like FedEx Express to jointly develop the Cessna SkyCourier," said Scott Ernest, president and CEO of Textron Aviation. "The aircraft will fulfill a gap in this market segment with its superior performance and low operating costs in combination with the cabin flexibility, payload capability and efficiency only a clean-sheet design can offer."

About the Cessna SkyCourier

Built for high utilization operations, the Cessna SkyCourier 408 will be offered in cargo and passenger variants. The cargo variant will feature a large cargo door and a flat floor cabin that is sized to handle up to three LD3 shipping containers with an impressive 6,000 pounds of maximum payload capability. The aircraft will also afford a maximum cruise speed of up to 200 ktas and a 900 nautical-mile maximum range.

The efficient 19-passenger variant will include crew and passenger doors for smooth boarding, as well as large cabin windows for great natural light and views. Both configurations will offer single-point pressure refueling to enable faster turnarounds.

The Cessna Caravan platform has set the standard in the single-engine utility category for decades. The Cessna SkyCourier will build on that proven success in the large-utility category, offering even greater capability and mission flexibility.

[continua]
Fonte: http://txtav.com/en/newsroom/2017/11/textron-aviation-unveils-new-large-utility-turboprop-the-cessna-skycourier (http://txtav.com/en/newsroom/2017/11/textron-aviation-unveils-new-large-utility-turboprop-the-cessna-skycourier) (via defense-aerospace (http://"http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/188785/new-cessna-utility-turboprop-suited-to-military-missions.html"))

Cumprimentos,
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 29, 2017, 02:32:35 pm
Airbus vende A320 neo para a China


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 02, 2018, 05:57:12 pm
2017 foi o ano mais seguro da história da aviação


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 12, 2018, 12:16:14 pm
Lufthansa quer cortes na Alitalia antes da aquisição


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Get_It em Janeiro 21, 2018, 10:14:10 pm
(https://image-store.slidesharecdn.com/5c67949d-9225-41d1-bca4-0776268fa855-large.jpeg)
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 23, 2018, 07:47:12 pm
Niki Lauda recupera companhia aérea Niki


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 20, 2018, 09:51:02 pm
Ryanair vai comprar 75 por cento da LaudaMotion


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Março 25, 2018, 06:05:29 pm
Austrália e Reino Unido ligados por voo direto de 17 horas


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 04, 2018, 01:03:08 pm
NASA planeia quebrar barreira do som sem estrondo



O avião de carreira da série X-planes projetado pela NASA terá a missão de quebrar a barreira do som sem produzir o característico estrondo, informou a agência espacial americana esta terça-feira, 3 de abril. A NASA fechou um contrato de 247,5 milhões de dólares (cerca de 201 milhões de euros) com a Lockheed Martin para conceber, construir e testar o novo avião, que poderá descolar já em 2021, segundo a agência espacial.

Se tudo ocorrer como previsto, o avião fará "o barulho de uma porta de automóvel a fechar", de 75 decibéis, voando a cerca de 16.800 metros e a uma velocidade de 1.560 km/h.

Um vídeo na NASA revela que o aparelho tem uma forma muito fina e alongada, com canards diante da cabine e duas asas delta com um ângulo muito agudo.

A partir de 2022, a NASA pretende sobrevoar com seu X-plane algumas cidades americanas para recolher dados e obter comentários da população.

A aviação supersónica comercial, que durante algumas décadas serviu apenas uma elite de passageiros, acabou com o último voo do Concorde franco-britânico em 2003.

Um avião capaz de voar de forma relativamente silenciosa zonas habitadas poderia revolucionar o transporte aéreo de passageiros e de carga.

O orçamento garantido pelo presidente Donald Trump garante o financiamento do projeto e poderá "abrir um novo mercado para as companhias americanas de construção de aviões, criando empregos e reduzindo para metade a duração dos voos.


>>>>>>> https://24.sapo.pt/tecnologia/artigos/nasa-planeia-quebrar-barreira-do-som-sem-estrondo
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Viajante em Abril 09, 2018, 07:56:39 pm
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Viajante em Abril 17, 2018, 10:51:21 pm
EUA: Motor de avião explode e parte janela em pleno voo. Uma pessoa morreu

Um passageiro morreu e vários ficaram feridos esta terça-feira, 17 de abril, quando o motor de uma aeronave da Southwest Jet explodiu em pleno voo, partindo uma janela.

(https://thumbs.web.sapo.io/?epic=OTI1mjU9zJsJsVyZahOmSOnpjopAIMm/tiKbZucg3Qr+ThWkjIqqlrrBftR9Ka8vKX3BzDl5Xh7zSWodggWKU/Ma/JeuVVLRLfmTFQK6JeGeWOM=&W=800&H=0&delay_optim=1)

A aeronave transportava 148 pessoas — 143 passageiros e 5 membros da tripulação, informou a companhia — e foi forçada a aterrar de emergência no Aeroporto Internacional de Filadélfia, nos EUA.

O avião partiu do aeroporto de La Guardia e fazia a rota Nova Iorque-Dallas.

Na sequência da explosão do motor, os destroços partiram uma janela e a cabine despressurizou.

Uma pessoa ficou gravemente ferida, tendo acabado por falecer, e pelo menos sete sofreram ferimentos ligeiros. Trata-se da primeira vítima mortal numa transportadora aérea norte-americana em mais de nove anos, segundo informações do presidente do Comité Nacional de Segurança nos Transportes, Robert Sumwalt.

O passageiro que acabou por falecer não foi identificado pelas autoridades, mas testemunhas afirmam que uma mulher ficou gravemente ferida na sequência no incidente, escreve a Bloomberg.

O caso aconteceu num Boeing 737-700.

Imagens partilhadas nas redes sociais mostram o estado em que ficou a aeronave.

O último acidente fatal num voo comercial norte-americano registou-se perto de Buffalo, Nova Iorque, a 12 de fevereiro de 2009, quando um avião da Colgan Air se despenhou, matando 49 pessoas a bordo e uma pessoa em terra.

(https://cdn.cnn.com/cnnnext/dam/assets/180417143705-05-southwest-emergency-landing-0417-screengrab-exlarge-169.jpeg)

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/motor-de-aviao-explode-e-parte-janela-de-aviao-uma-pessoa-morreu
https://edition.cnn.com/2018/04/17/us/philadelphia-southwest-flight-emergency-landing/index.html
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Viajante em Abril 19, 2018, 03:10:18 pm
Empresas de aviação insistem na terrível ideia de viajar de pé no avião

Já não é a primeira vez que surge para discussão a ideia dos passageiros nos aviões passarem a viajar de pé. Alias, basta ver que as empresas de aviação ditas “low cost” já quase que fazem isso, dado o espaço exíguo disponível aos passageiros.

O assunto voltou à ordem do dia e, felizmente, os reguladores não estão interessados no assunto, pelo menos para já, tudo por questões de segurança. Há, contudo, tecnologia nova que quer “desmentir” a questão da segurança.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/04/pplware_voar_pe_03-720x522.jpg)

Viajar de avião estilo metro

Quando viajar de avião começou a ser muito mais barato, algumas empresas começaram a configurar os aviões com mais cadeiras, maximizando o espaço útil para aumentar o número de passageiros num voo. As empresas de “baixo custo” querem aumentar o lucro num voo, mesmo que isso retire todo o conforto ao passageiro. Não serão todas, há alguma que o fazem sem hesitação e se lhes fosse proposto que os passageiros viajassem de pé, eles aceitariam.

As entidades reguladoras, desde o primeiro momento, não permitem sequer ensaio para que os passageiros possam ser acomodados de pé nos aviões. Por razões de segurança não há sequer uma ideia que seja posta à discussão. Não obstante a essa relutância, várias empresas apostaram em patentear sistemas para transportar as pessoas ocupando “quase só os lugares dos pés”.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/04/pplware_voar_pe_01.png)

Skyrider 2.0 – A inovadora velha ideia de voar de pé

Uma empresa italiana, a Aviointeriors, criou um novo conceito para posicionar e configurar equipamentos que permitam às companhias de aviação fornecer viagens aos passageiros “com conforto”, mas em pé. Este novo projeto chama-se Skyrider 2.0 e não é mais que uma segunda ideia, uma nova versão da velha ideia que, felizmente, não prosperou quando foi anunciada em 2010.

Num evento na Alemanha, o Airliners Interiors Expo em Hamburgo, a Aviointeriors apresentou a nova versão de um estilo de “assentos” que são parecidos a uma “sela”. Estes encostos são projetados para cabines económicas de densidade ultra-alta. No projeto Skyrider 2.0 o passageiro fica com as costas apoiadas, mas continua a ter de suportar o corpo e o equilíbrio com os pés, o que não deve certamente ser confortável e em caso de emergência, em nada deverá proteger a pessoa.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/04/pplware_voar_pe_06.jpg)

A empresa, no seu site e nos folhetos promocionais, explica que esta nova configuração permite gerar mais assentos por fila, cerca de nove lugares sob três grupos de três assentos, em cabines médias. Esta disposição terá um ganho de 20% em quantidade de assentos e uma redução de peso até 50%, o que se traduz num duplo e generoso benefício para as companhias aéreas. As empresas assim têm mais passageiros em cada voo e diminuem em muitos quilos o que poupa consideravelmente no combustível de cada viagem.

Mas que espaço teria o passageiro?

A moda seria acomodar adeptos do fitness, isto porque, atualmente, as companhias aéreas de ‘baixo custo’ oferecem uma distância mínima de 71 centímetros entre filas dentro de cabines económicas. Contudo, com o Skyrider 2.0 esta distância seria reduzida para 57 centímetros.

Se já com a configuração atual o espaço é pouco e torna as viagens num inferno, mesmo que sejam de uma hora ou menos, agora imagine estar a pouco mais de 50 cm do passageiro da frente e do de trás.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/04/pplware_voar_pe_04.jpg)

Sim, há interesse efetivo das empresas

Há duas empresas que anunciaram publicamente no passado a intenção de colocar este tipo de equipamentos nos seus aviões: VivaColombia e Ryanair. Claro que mesmo tendo essa intenção, as empresas estão dependentes da autorização do regulador. Felizmente, as autoridades não têm dado luz verde e, segundo parece, não será dada nos próximos tempos.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/04/pplware_voar_pe_02.jpg)

Mais segurança poderá trazer menos conforto?

Não podemos esquecer que as autoridades estão contra este tipo de configuração sobretudo por razões de segurança. Com o aumento da qualidade das aeronaves, diminuição considerável de acidentes aéreos, poderemos estar mesmo a caminhar para viajar de pé nos aviões, mesmo que o conforto seja totalmente sacrificado.

https://pplware.sapo.pt/informacao/aviacao-viajar-de-pe-aviao/

Por acaso estava a pensar mesmo na Ryanair como primeira utilizadora deste sistema!!!!!!!
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Abril 30, 2018, 09:30:30 pm
Tornar os interiores dos aviões mais amigos do ambiente


Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 04, 2018, 07:53:08 pm
A rota aérea Singapura-Kuala Lumpur é a mais movimentada do mundo


Foram realizados 30.537 viagens de avião entre Singapura e a capital da Malásia num período de 12 meses até fevereiro

Singapura-Kuala Lumpur é a rota aérea internacional mais movimentada do mundo. Num período de 12 meses, que terminou no passado mês de fevereiro, foram realizadas entre os dois aeroportos 30.537 viagens de avião, concluiu a OAG Aviation Worldwide - empresa que disponibiliza informação digital sobre linhas e companhias aéreas, bem como aeroportos.

Já a ligação entre Hong Kong-Taipé está no primeiro lugar das rotas que movimentam mais passageiros. De acordo o relatório da OAG, citada pela BBC, durante um ano, 6,5 milhões de pessoas viajaram entre estes dois aeroportos.

Um número distante dos quatro milhões de passageiros que fizeram a ligação de uma hora entre Singapura e a capital da Malásia, que mesmo assim ganha no número de viagens de avião, tendo ficado à frente de Hong Kong-Taipei. Foi registado uma média de 84 voos por dia.

Segundo a BBC, existem planos para a construção de uma linha ferroviária de alta velocidade entre Singapura e Kuala Lumpur.

Na lista das 20 rotas aéreas mais movimentadas do mundo, 14 são na Ásia. Fora desta região, a que está melhor classificada é a rota Nova Iorque- Toronto (8.º lugar), com 16.956 voos realizados.

A viagem entre Dublin e o aeroporto de Heathrow, em Londres, é a rota europeia mais movimentada (14.º lugar), segundo a OAG. Ao longo de 12 meses, foram feitas 14.390 viagens de avião entre estas duas cidades.

Mas não há números que superem a ligação na Coreia do Sul, entre a capital Seul e a ilha Jeju. Em 2017, esta ligação aérea realizou 65 mil viagens de avião, uma média de 180 por dia.


>>>>>>>  https://www.dn.pt/mundo/interior/a-rota-aerea-singapura-kuala-lumpur-e-a-mais-movimentada-do-mundo-9309114.html
Título: Re: Aviação Comercial
Enviado por: Lusitano89 em Maio 07, 2018, 03:43:51 pm
Greves na Air France causam queda a pique nas ações